sábado, 16 de janeiro de 2021

Aconteceu em 16 de janeiro de 1959: Queda do voo 205 da Austral Líneas Aéreas na Argentina

O voo da Austral Líneas Aéreas 205 foi um voo doméstico regular da Austral Líneas Aéreas operando uma rota entre Buenos Aires e Mar del Plata, na Argentina, que caiu após encontrar condições climáticas adversas durante o pouso em 16 de janeiro de 1959, matando 51 dos 52 passageiros e tripulantes a bordo. Na época, o acidente foi o segundo pior acidente da história da aviação argentina e atualmente é o sexto pior envolvendo um Comando Curtiss C-46.

Acidente 



O Curtiss C-46 Commando, matrícula LV-GED, da Austral Líneas Aéreas, decolou de Buenos Aires às 19h50, horário local, com cinco tripulantes e 47 passageiros a bordo, para um voo de aproximadamente 250 milhas até Mar del Plata. 

A aeronave já estava com 35 minutos de atraso devido às más condições climáticas em seu destino. O voo transcorreu sem intercorrências e, no final da viagem, foi autorizado para pouso pelos controladores na pista 12, quando se aproximava do aeroporto de Mar Del Plata. 

Na época, a baliza não direcional (NDB) do aeroporto não funcionava, o que contribuiu para problemas de navegação. Quando a aeronave passou pela pista a uma altitude de 85 metros (279 pés), ela ultrapassou a pista. Perdendo a abordagem, o capitão decidiu iniciar uma nova volta. 

No entanto, com pouca visibilidade e pouca iluminação do aeroporto, o C-46 estagnou e caiu no mar a cerca de 1,2 km (0,75 mi) de distância do aeroporto às 21h40, horário local. 

Todos os membros da tripulação morreram e o único sobrevivente dos 47 passageiros a bordo do acidente ficou gravemente ferido.

Causas 


Uma investigação do acidente colocou a maior parte da culpa pelo acidente na tripulação. O piloto não estava familiarizado com o espaço aéreo e calculou mal a abordagem por instrumentos, resultando em uma abordagem perdida.


Além disso, o estado mental da tripulação contribuiu para o estol subsequente e perda de controle que causou a queda da aeronave. Os fatores que contribuíram foram o não funcionamento do radiofarol e a pouca visibilidade, que dificultou discernir as luzes do aeroporto e a pista.

Por Jorge Tadeu (com Wikipedia)

Nenhum comentário: