quinta-feira, 29 de novembro de 2012

MPF-MT acusa testemunha de pilotos do Legacy de mentir em depoimento

Segundo o MPF, testemunha prestou falso depoimento em 14 pontos.

Colisão entre avião da Gol e Legacy, em 2006, matou 154 pessoas.

O Ministério Público Federal de Mato Grosso (MPF-MT) em Sinop, a 503 quilômetros de Cuiabá, recorreu junto ao Tribunal Regional da 1ª Região (TRF-1) contra o piloto Sérgio de Almeida Salles, que testemunhou em favor dos dois pilotos americanos que foram condenados pela Justiça por conta do acidente entre o avião da empresa aérea Gol e o jato Legacy, que matou 154 pessoas entre passageiros e tripulantes em 2006.

De acordo com o recurso, o piloto prestou falso testemunho em fevereiro de 2011 durante depoimento na sede da Justiça Federal em Sinop em questões sobre o acidente que exigiam conhecimento técnico. Para o MPF, o piloto utilizou argumentos técnicos para favorecer os dois colegas. A conduta do piloto foi flagrada, segundo o MPF, em 14 pontos do interrogatório. De acordo com o MPF, o piloto não poderia mentir no interrogatório.


O G1 não conseguiu falar com Salles para comentar o caso. Para o advogado Théo Dias, que faz a defesa dos pilotos americanos, a ação do Ministério Público Federal (MPF) é uma tentativa de intimidar a defesa dos pilotos.

Segunda tentativa

A Justiça Federal de Sinop rejeitou o mesmo recurso proposto pelo Ministério Público alegando falta de justa causa para a condenação do piloto. O MPF interpôs o recurso pela segunda vez na instância superior por alegar que há indícios claros de que Salles cometeu o crime de falso testemunho, previsto no artigo 342 do Código Penal.

Salles foi indicado pela defesa do piloto devido à especificidade do acidente aéreo. Um dos 14 itens de falso testemunho apontado pelo MPF se refere à responsabilidade do piloto e as atitudes que ele tem que tomar ao perceber que o equipamento chamado TCAS não está em funcionamento. Em seu depoimento, de acordo com o MPF, Salles informou que em relação ao sinal de alerta branco no painel que indica que o equipamento está desligado, “o piloto não tem que fazer nada. É responsabilidade da manutenção. Ele não tem que tomar ciência”.


O TCAS é um equipamento que detecta a existência de outras aeronaves nas proximidades. Ele também depende do funcionamento do transponder que passa aos controladores de voo no solo informações como altitude, velocidade e direção do avião. De acordo com o MPF, no momento da colisão entre o jato Legacy, que era pilotado pelos pilotos americanos, e o avião da Gol, que fazia um voo comercial com destino a Manaus, os dois equipamentos do jato não estavam ligados para informar pilotos e controladores de voo, em solo, a respeito da proximidade das duas aeronaves.

Ainda segundo o MPF, Salles teria prestado falso testemunho à suposta existência de problemas no transponder desde a decolagem do jato Legacy. Ele também afirmou que os dois pilotos americanos tinham experiência com os equipamentos do Legacy, o que contraria relatório do Centro de Investigações e Prevenções de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) que apontou que eles não tinham domínio dos equipamentos de comunicação e navegação da aeronave.

No recurso, o MPF sustenta que em situações de dúvida, o piloto brasileiro deveria ter esclarecido a imprecisão das informações prestadas ou que não se sentia habilitado a respondê-las. “A quantidade de afirmações falsas, a gigantesca diferença entre as afirmações técnicas relatadas pelo acusado, as inverdades sobre questões de fato, a falta de lealdade com o juiz federal sobre campo de conhecimento muito específico, o conjunto de informações concertado para favorecer os réus daquelas ações penais, enfim, é inconcebível a ocorrência de tudo isso, em apenas um caso, seja tolerado pelo Poder Judiciário”, apontou o MPF.

Outro lado

O advogado Théo Dias, que faz a defesa dos pilotos do jato Legacy, afirmou ao G1 que as acusações contra o piloto Sérgio de Almeida Salles são 'despropositadas'. “É um profissional gabaritado do mesmo nível que o MPF indicou Roberto Peterka (para prestar informações técnicas). Eu lamento que esse caso tenha tomado essa dimensão. O Salles é um consultor que prestou inúmeras informações sobre acidentes aéreos para o Cenipa. A estratégia do MPF é de intimidar pessoas que pensam de forma contrária. O MPF neste caso não atua como o fiscal da lei, mas de forma parcial acusando somente os pilotos e se esquecendo dos controladores de voo”, afirmou.

Fonte: Dhiego Maia (G1/MT) - Fotos: Reprodução (TVCA) / Divulgação (Bombeiros de Sinop (MT))

Coração mata mais em avião que os acidentes

Estudo revela que infarto e AVC a bordo causam mais vítimas do que desastres aéreos


Relatório da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) que será divulgado amanhã no III Brasil Prevent, congresso sobre a prevenção de problemas cardíacos, informa que doenças cardiovasculares matam mais em voos que acidentes de avião. De acordo com o levantamento, em 2011, foram registradas 486 mortes em 22 desastres aéreos, enquanto 490 pessoas morreram por causa de um infarto ou acidente vascular cerebral (AVC) a bordo.

O problema, diz o estudo, é consequência do maior número de viagens — cerca de 350 milhões de passageiros por ano —, mais idosos a bordo, baixa pressão nos voos, equivalente a 2.500 metros de altitude e baixa umidade no avião, de 10% e 20%, quando o ideal seria mais de 40%. “O estresse e a ansiedade do voo agravam o problema”, completa o diretor do Comitê de Emergências Cardiovasculares e Ressuscitação da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sérgio Timerman.

Os problemas mais comuns a bordo são infarto, derrame, embolia pulmonar e trombose venosa, quando um coágulo se forma se o passageiro fica muito tempo sentado na poltrona. “Um dos maiores problemas dos aviões de hoje é a falta de espaço”, critica Timerman.

Outra causa citada é o número de médicos que se julgam capazes de ajudar caso alguma emergência ocorra. Segundo a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos, cerca de 85% dos voos têm médicos, mas menos de 5% usariam o desfibrilador para atender um infarto por o avião ser ambiente muito diferente do normal.

Cuidados na hora da viagem

O médico Sérgio Timerman aconselha dobrar a quantidade de água bebida, evitar líquidos com gás, que dobra de volume na altitude e pressiona o pulmão, não viajar com meias apertadas, fazer exercícios na cadeira e se levantar em voos com mais de quatro horas de duração para prevenir algum problema.

O especialista lembra que os que precisam de alimentação especial devem pedir que a empresa providencie uma refeição que atenda a suas necessidades. Aos outros, recomenda que mantenham sua rotina normal antes de voar. “Os cardiopatas não devem mudar o horário usual da medicação e podem manter a alimentação”.

Fonte: O Dia

Airbus e Boeing trocam farpas em anúncios

Anúncio da Airbus trouxe a imagem de um Boeing com nariz de Pinóquio.

Fabricantes travam discussão em público sobre desempenho de aviões.

A Airbus e a Boeing travaram uma verdadeira discussão em público sobre o desempenho dos mais recentes modelos, em meio à briga por mercado com base em aviões que prometem eficiência de combustível às endividadas companhias aéreas.

A briga está chegando às principais publicações especializadas com uma série de anúncios carregados na tinta em que as fabricantes tentam manter o espaço no mercado de aviões comerciais, que movimenta 100 bilhões de dólares por ano.

Anúncio da Airbus publicado na revista Aviation Week traz avião com nariz de Pinóquio

Na mais recente capítulo dessa troca de farpas, a Airbus publicou um anúncio na revista Aviation Week em que acusa a rival de "exagerar as capacidades" dos modelos 737 e 747.

O anúncio trazia a imagem de um Boeing com nariz de Pinóquio e a seguinte frase: "Por que nosso concorrente está distorcendo a verdade?".

O diretor de vendas da Airbus, John Leahy, disse que a fabricante europeia recorreu ao Pinóquio em resposta às recentes propagandas em que a Boeing apresentava seus modelos como muito melhores que os da rival.

"Eles estão deturpando a verdade em termos de magnitude", afirmou Leahy à Reuters.

A Boeing explicou o anuncio: "Acreditamos - e a História tem mostrado isso - no desempenho superior de nossos produtos e serviços. Nós nos baseamos em números", disse o porta-voz da Boeing, Marc Birtel.

Fonte: Reuters via G1 - Foto: Reprodução/Bloomberg

Helicóptero é abatido pela primeira vez por míssil terra-ar na Síria

Os rebeldes derrubaram nesta terça-feira (27) pela primeira vez um helicóptero sírio com um míssil terra-ar, perto de Aleppo, a principal cidade do norte da Síria, em torno da qual os insurgentes apertaram o cerco contra as forças do regime.


O helicóptero Mil Mi-17 foi atingido no momento em que bombardeava os arredores da base militar de Xeque Suleimane, 25 km a noroeste de Aleppo, que os rebeldes tentam tomar para ter o controle sobre todo o norte do país, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

'É a primeira vez que os rebeldes conseguem abater um helicóptero com um míssil terra-ar', declarou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH, uma ONG que se baseia em uma extensa rede de militantes e médicos no local.

Um vídeo postado no Youtube pela Brigada Nureddin Zinki mostra um helicóptero sobrevoando a área. Em seguida, é possível ouvir o barulho de uma explosão e uma voz que grita em árabe 'Saroukh' (míssil). O helicóptero se transforma em uma bola de fogo e outras pessoas gritam: 'Ele foi atingido. Allah Akbar (Deus é grande)'.


Segundo o OSDH, os rebeldes receberam recentemente dezenas de mísseis deste tipo.

Se esse ataque bem-sucedido for confirmado, o curso da guerra poderá mudar porque os rebeldes terão condições de ameaçar a supremacia aérea das tropas do regime.



Fonte: France Press via G1 - Imagem: Reprodução

Destroços de avião da 2ª Guerra são encontrados em Miami

Aeronave encontrada é um Grumman F6F Hellcat, modelo de caça resistente em combate






Os destroços de um caça da Segunda Guerra Mundial foram descobertos sob o mar em frente à costa da famosa Miami Beach, a 75 metros de profundidade e em ótimas condições.

A OceanGate, a companhia de prospecção submarina proprietária do equipamento com o qual foi feita a descoberta, divulgou hoje ter encontrado o que foi um Grumman F6F Hellcat, o caça mais eficaz da história naval, segundo identificaram membros do Instituto Smithsonian e da Marinha americana.


Um F6F Hellcat na atualidade e outro em 1944

Os restos desse avião, muito resistente em combate, foram detectados pela primeira vez em 29 de junho e desde então houve oito imersões para fazer observações e coletar dados.

O avião encontrado foi muito popular na Marinha americana, que chegou a ter 12.275 deles, segundo o Museu Nacional da Aviação Naval, em Pensacola (Flórida).

Esses caças, que superavam 600 km/h, eram extremamente eficazes em combate e foram muito importantes nos conflitos no Pacífico, já que eram muito superiores aos modelos equivalentes do Exército japonês.


Fontes: EFE via Exame.com / Terra - Fotos: Reprodução

Veja fotos de simulação de ataque a navio em alto-mar no Rio

Cinco atividades de treinamento foram feitas nesta quarta-feira (28) por Marinha, FAB e Exército na Operação Atlântico III.




Clique AQUI para ver o álbum de fotos.

Fonte: G1 - Fotos: Rodrigo Gorosito/G1

Unasul projeta desenvolvimento de aviões não tripulados

O Conselho de Defesa Sul-Americano aprovou nesta quarta-feira, como parte do seu Plano de Ação para 2013, o desenvolvimento e a produção regional de um avião de treinamento básico, além da elaboração de um projeto conjunto para tirar do papel um sistema de aviões não tripulados. Os ministros da Defesa da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) realizaram em Lima sua quarta reunião ordinária para aprovar o plano de ação em torno de políticas de defesa, cooperação militar e ações humanitárias.

Na Declaração de Lima, assinada ao término do encontro, foi aprovada a viabilidade do desenho, desenvolvimento e produção regional de um avião de treinamento primário básico sul-americano. Além disso, ficou acordada a promoção do grupo de trabalho de especialistas, coordenado pelo Brasil, para elaborar um estudo do projeto para a produção regional de um sistema de aviões não tripulados.

Os ministros também viram com bons olhos a iniciativa de criar a Escola Sul-Americana de Defesa e incluíram na declaração a ideia da incorporação da mulher no âmbito da defesa.

Esboço do avião de treinamento básico UNASUR 1

Fonte: EFE via Terra - Imagem: Divulgação

Nasa e Boeing desenvolvem avião silencioso de design inovador

Nasa e Boeing estão desenvolvendo um avião com design inovador. As pesquisas pretendem construir um modelo de aeronave para transporte de passageiros mais eficiente. Uma das preocupações dos engenheiros envolvidos no projeto X-48 é criar um avião que seja muito mais silencioso, poupando vizinhos de aeroportos do incômodo provocado pelo ruído dos aviões.

Projeto visa a criação de um novo paradigma de design para as aeronaves do futuro

Projetar o avião do futuro também envolve criar soluções que aumentem a eficiência no consumo de combustível e a segurança. Para melhorar o desempenho da aeronave, as empresas apostaram num desenho que foge completamente do tradicional: em vez de asas transversais e uma fuselagem longa, o X-48 foi proposto para usar o conceito de asas curvas (blended wings, no inglês).

Essa proposta oferece melhor desempenho aerodinâmico para o avião, o que diminui a necessidade de consumo de combustível: se a aeronave tem melhor capacidade de perfurar o ar e gerar sustentação, menos combustível os motores irão consumir para mantê-la voando.


Em termos de diminuição de ruído, a equipe de projeto decidiu equipar os protótipos com turbinas menores e cuidadosamente isoladas. A ideia é garantir que a aeronave seja mais silenciosa do ponto de vista das pessoas na terra, seja nas manobras no aeroporto, ou nos primeiros quilômetros após a decolagem ou antes da aterrissagem, que perturbam consideravelmente as vizinhanças dos aeroportos.

Não há data prevista para a Boeing lançar comercialmente o primeiro modelo baseado nas concepções do X-48. Entretanto, as diversas versões e protótipos do projeto, juntas, já somam 100 voos bem sucedidos. A Boeing pretende realizar ainda 20 outras missões com os protótipos antes de considerar o programa de desenvolvimento como concluído.


Fonte: Autopia via Filipe Garrett (TechTudo) - Fotos: Reprodução/Autopia 

Equipamento para remoção de avião é usado em simulado em São Carlos

Recovery kit foi usado em Campinas após aeroporto ficar 45 horas fechado.

Aparelho estimado em US$ 2 milhões reúne um conjunto de ferramentas.

Equipamento inflável usado na remoção do avião em Viracopos

Desenvolvido para a remoção de aeronaves nas mais diversas situações de risco, o recovery kit será usado, nesta quarta-feira (28), para simular uma situação real de incidente. A ação ocorre no Centro Tecnológico da TAM, em São Carlos (SP). Em outubro, após o caos causado por um cargueiro da estrangeira Centurion, que ficou quebrado no meio da única pista do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), o equipamento precisou ser alugado para a remoção da aeronave.

Com custo estimado em US$ 2 milhões, o recovery reúne um conjunto de ferramentas, como colchões de ar, macacos hidráulicos, compressores e cintas com aço capazes de levantar até 200 toneladas. Para a simulação desta quarta-feira, será utilizado um avião de grande porte modelo ATR-42, com capacidade de transportar até 50 passageiros.

Desde 2011, a TAM conta com uma equipe denominada Recovery Team, especializada na operação e funcionamento dos equipamentos de remoção. O planejamento estratégico e as decisões técnicas sobre qualquer ação de resgate, no entanto, são atribuições dos responsáveis técnicos da empresa operadora da aeronave a ser removida. Atualmente, o Recovery Team conta com 24 profissionais, que passaram por treinamentos específicos, inclusive em Hamburgo (Alemanha).

Pneu ficou danificado durante o pouso em Viracopos, em Campinas (SP)


Fonte: Fabio Rodrigues (G1 São Carlos e Araraquara) - Fotos: Lana Torres/G1 Campinas

Pequeno avião cai no mar logo após decolagem nas Ilhas Comores

Aeronave caiu no Oceano Índico após decolar da cidade de Moroni.

Todas as 29 pessoas que estavam a bordo sobreviveram.

Um avião caiu nesta terça-feira (27) no oceano Índico, perto das Ilhas Comoros, após sofrer problemas mecânicos, mas todas as 29 pessoas a bordo sobreviveram, disseram autoridades.

Foto: Skyliner

O jato Embraer 120ER Brasilia, prefixo D6-HUA, da empresa Inter Iles Air (foto acima), caiu a 200 metros do aeroporto de Moroni, cinco minutos após decolar nesta manhã, disseram elas. O avião, da Inter-Iles, viajava para a ilha vizinha de Anjouan (voo INZ-170).

Uma autoridade sênior, que se identificou apenas como Zarouk e estava a bordo da aeronave, disse que o combustível do avião estava vazando "como uma torneira aberta" após a decolagem.

Ele alertou o piloto que decidiu voltar ao aeroporto, mas não conseguiu pousar a tempo, caindo no mar.



O diretor geral do Departamento de Aviação Civil das Ilhas Comoros, Abu Mohamed Ali, disse que todas as 29 pessoas a bordo - 25 passageiros e quatro tripulantes - estavam em segurança.

O piloto sofreu ferimentos na cabeça, enquanto as outras pessoas saíram ilesas. Há indicações de que pescadores participaram da operação de busca e salvamento.

Passageiros são resgatados após acidente nesta terça-feira (27) nas Ilhas Comores

Destroços do avião, já em terra

Em junho de 2009, um Airbus 310-300 do Iêmen caiu no oceano Índico em meio ao mau tempo na região do arquipélago de Comoros, matando 152 pessoas que estavam a bordo. 

Fontes: Ahmed Ali Amir (Reuters) / G1 /ASN - Fotos: AFP

Ultraleve cai em praia de Vila Velha e piloto morre no ES

Acidente aconteceu em Ponta da Fruta, balneário da Grande Vitória.

Piloto de 74 anos estava no avião de um amigo, diz Aeroclube do estado.


O ultraleve modelo Flopes, prefixo PU-ZFL, caiu na Praia da Baleia, no balneário de Ponta da Fruta, em Vila Velha, na Grande Vitória, na manhã desta quinta-feira (29).

O piloto Paulo Soares Quintaes, de 74 anos, morreu no local. Segundo informações do Aeroclube do Espírito Santo, a aeronave seguia do local, no mesmo município, com destino a Guarapari, quando o piloto precisou fazer um pouso forçado e acabou batendo em um monte de areia. A Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp) informou que a perícia foi acionada e equipes da polícia e do Corpo de Bombeiros foram até o local para apurar o acidente, ainda pela manhã.

O gestor de segurança operacional do aeroclube, Marcos Narcise, informou que o avião era de um amigo do piloto e levantou voo por volta das 7h20. Segundo Narcise, durante o percurso o avião teve uma pane mecânica e o piloto foi obrigado a fazer um pouso forçado na areia da praia. "Durante o pouso, o avião caiu em uma vala de dois metros e acabou batendo em um monte de areia", contou o gestor.

Segundo os militares que atenderam a ocorrência, o piloto quebrou o pescoço e morreu minutos depois. Algumas pessoas que passavam pelo local disseram que tentaram socorrer a vítima, mas ela não resistiu. 

Marcos Narcise acredita que a causa do acidente foi a queda da hélice da aeronave, já que, segundo ele, ela foi encontrada muito distante do avião. O piloto trabalhava no aeroclube e, segundo os colegas, era um dos profissionais mais experientes do estado. "Eu vi ele pela manhã, conversamos e ele não comentou sobre nenhum problema no avião. Estava tudo bem", disse Guilherme Feres, também piloto, que trabalhava com Paulo.

Um dos filhos de Paulo, Vanderlei Rainha França, estava muito abalado. Ele contou que, há dois anos, o pai reconheceu a partenidade dele e que os dois estavam estreitando a relação. "Apesar da gente se conhecer há vários anos, só há dois somos reconhecidamente pai e filho. Lamento muito essa perda, porque queria ter mais tempo com ele. Ele deixa o exemplo de um pai maravilhoso", diz Vanderlei.

Fonte: G1 ES / Site Desastres Aéreos - Foto: Eliana Gorritti/G1ES

IBGE: viagens de avião têm alta de quase 12% entre outubro e novembro

Os preços decolaram, e nada indica que tenham atingido a altura de cruzeiro.

Quem não planeja com antecedência tem que engolir os preços.


Quem precisa viajar está enfrentando outra dificuldade: as viagens de avião estão mais caras. Os preços decolaram, e nada indica que tenham atingido a altura de cruzeiro e parem de subir. Quem não planeja com antecedência tem que engolir os preços bem mais salgados.

Viajar de avião está bem mais caro. Segundo o IBGE, entre outubro e novembro, o preço das passagens subiu 11,8%.

“Muito elevado, muito grande”, diz um senhor.

“Meu salário não subiu. Então, acho péssimo”, afirma uma mulher.

“Está fora da realidade de mercado”, ressalta um homem.

Esse aumento pode afastar muita gente dos aeroportos neste fim de ano. Isso porque o reajuste veio em um momento em que muitas famílias ainda estão se preparando para viajar no Natal e no Reveillon.

O bancário Valdir não gostou de saber que vai ter que gastar mais. “Abusivo, extremamente abusivo”.

Para o especialista Cleveland Prates, mais concorrência no setor poderia obrigar as empresas a reduzir os preços. “O ideal, sob o ponto de vista do passageiro, é que ele tenha um maior numero de empresas atuando, uma regulação mais forte que inclusive faça quando necessário uma redistribuição de horários mais demandados para outras companhias aéreas”.

A associação que reúne as agências de viagens previa um aumento de 25% nas vendas de pacotes para este fim de ano. Agora, acredita em um crescimento de 14%.

E na hora da compra, pesquise. A passagem na ponte aérea São Paulo-Rio pode custar R$ 250 ou incríveis R$ 3.298. “O conselho que eu dou é o seguinte: procure e dê algumas opções tanto de horários como de dias e compre com antecedência. Você vai conseguir preços melhores”, afirma Edmar Bull, vice-presidente da Abav.


Fonte: Bom Dia Brasil (TV Globo) - Imagem: Reprodução da TV

Acusados por acidente com avião da TAM serão julgados em 2013

Justiça Federal marcou audiência de instrução e julgamento

Praça em homenagem as vítimas foi inaugurada em julho deste ano

Os três acusados pelo acidente com o avião da TAM, no aeroporto de Guarulhos, que resultou na morte de 199 pessoas em julho de 2006 serão julgados em agosto de 2013. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (29) pelo Ministério Público Federal.

Serão julgados a ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) Denise Maria Ayres Abreu; o vice-presidente de Operações da TAM, Alberto Fajerman; e o diretor de segurança de voo da companhia, Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro.

De acordo com o MPF, eles foram denunciados pelo Ministério Público Federal em São Paulo em julho de 2011 e respondem pelo crime de “atentado contra a segurança de transporte aéreo” sem intenção.

O juiz federal da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo responsável pelo processo marcou a audiência de instrução com oitiva de testemunhas e o julgamento para agosto do próximo ano. Segundo ele, a sentença poderá ser dada no mesmo mês.

A denúncia do MPF, de autoria do procurador da República Rodrigo de Grandis, foi recebida pela Justiça em julho de 2011.Os réus foram intimados a apresentar defesa prévia. De acordo com a lei, nessa fase do processo e a partir da análise das defesas prévias, a Justiça poderia absolver sumariamente os acusados caso estivesse convencida de que não houve crime.

Mas não foi esse o entendimento do juiz. De acordo com ele, ainda em seu despacho, “as alegações contidas nas respostas à acusação são incapazes de ensejar as absolvições sumárias dos acusados. 

Acidente

Marcado como a maior tragédia da história da aviação brasileira, o acidente com o avião A320 da TAM completou cinco anos neste ano. As 199 pessoas que morreram foram homenageadas com a inauguração de um memorial em frente ao aeroporto de Congonhas, na zona sul, onde a aeronave pegou fogo depois de bater contra um prédio.


O avião saiu de Porto Alegre (RS) e pousou no aeroporto paulista no início da noite do dia 17 de julho de 2007. Chovia e, de acordo com as investigações, um dos freios estava em posição incorreta. Os pilotos não conseguiram parar o Airbus, que atravessou a avenida Washington Luis e foi bater em um galpão.

Fonte: R7 - Fotos: Daia Oliver (R7) / José Patricio

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Homem "derruba" avião com estilingue em propaganda no Egito

Anúncio fala sobre barra de cereal.

Vídeo foi criticado por suposta 'apologia ao terrorismo'.

Em uma propaganda bizarra de uma barra de cereal no Egito, um homem recebe um estilingue e mira em direção a um avião. Após o tiro, a aeronave é vista caindo, e explodindo ao fundo em uma bola de fogo.

   

Jovem mira com o estilingue em direção à aeronave...

... e 'derruba' o avião com seu tiro.

A atitude gerou criticas negativas ao anúncio. O vídeo já possui mais de 59 mil visualizações (às 11:50 h, de 27.11.12), e muitas pessoas criticaram a brincadeira feita pela agência de publicidade. “Revele o terrorista que há dentro de você”, diz um dos principais comentários.

Fonte: G1 - Fotos: Reprodução

Avião temático de 'O Hobbit' leva equipe para premières


O avião da "Terra Média"

A equipe e os atores que trabalham no filme O Hobbit: Uma Jornada Inesperada contam com um avião especial para ser usado no transporte durante as premières ao redor do mundo: um Boeing 777 decorado com o tema do filme, inspirado no livro The Hobbit (1937), do escritor JRR Tolkien.

Fotos gigantes dos atores caracterizados como os personagens estampam a área externa da aeronave, que também leva a inscrição "a linha aérea da Terra Média", terra fictícia onde ocorrem os contos do autor. O avião foi fotografado no aeroporto de Heathrow, no Reino Unido, no último domingo (25).

O elenco da trilogia traz Martin Freeman, Ian McKellen, Elijah Wood, Andy Serkis, Cate Blanchett, Bret McKenzie, Orlando Bloom e Benedict Cumberbatch.

Assim como em O Senhor dos Anéis, a história de O Hobbit, baseada no livro homônimo de Tolkien, será dividida em três filmes. O primeiro estreia mundialmente nos cinemas no dia 14 de dezembro.

O segundo filme da trilogia será The Hobbit: The Desolation Of Smaug e deve chegar ao cinema em 13 de dezembro de 2013. O terceiro e último, The Hobbit: There And Back Again, será lançado em julho de 2014.

O Boeing 777-319ER, prefixo ZK-OKP (msn 39041)



Fonte: Terra - Fotos: Air New Zealand / Reuters

domingo, 25 de novembro de 2012

Anac diz que 'monitora e fiscaliza' encerramento da Webjet

Agência verifica se passageiros estão sendo acomodados em outros voos.

Fim da Webjet foi anunciado nesta sexta (23) pela Gol, sua controladora.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nesta sexta-feira (23) que está “monitorando e fiscalizando” a desativação da empresa aérea Webjet, anunciada mais cedo pela Gol, sua controladora. 

Nesta sexta-feira, a Gol anunciou a demissão de 850 funcionários como parte do processo de encerramento das atividades e da marca da controlada Webjet.

Em nota, a agência informou que adotou a medida “para verificar se todos os passageiros da empresa [Webjet] estão sendo acomodados, conforme estabelecido pela regulamentação da Anac".

A Gol, diz a nota, deve realocar todas as pessoas que compraram passagens para voar pela Webjet e garantir “assistência integral aos passageiros que porventura possam vir a ser afetados durante o período de encerramento das operações” da empresa.

A Anac informou ainda que a Gol foi notificada e deverá “comprovar todos os procedimentos adotados relativos à execução dos contratos de transporte já firmados pela Webjet”.

Manifestantes se fantasiaram de palhaço no aeroporto Santos Dumont
Foto: Paulo Maurício Costa/G1

Passageiros prejudicados

Segundo a agência, passageiros que se sintam prejudicados ou tenham direitos desrespeitados devem procurar a empresa para resolver o problema. A pessoa também pode entrar em contato com a própria a Anac, além de órgãos de defesa do consumidor.

O telefone para falar com a central de atendimento da Anac é o 0800 725 4445. O serviço funciona todos dias, 24 horas e realiza atendimento em inglês e espanhol. 

Resolução da Anac prevê que, em caso de cancelamento, atraso ou preterição de embarque, os passageiros têm direito a acomodação em outros voos ou receber de volta o valor pago pela passagem. O descumprimento dessas regras pode render à empresa multa de R$ 4 mil a R$ 10 mil por infração.

Sindicato cogita greve

O Sindicato Nacional dos Aeronautas afirmou ter ficado "surpresa com o anúncio das demissões em massa, pois em contatos com a Gol, nas últimas semanas, a direção da empresa falou que só realizaria demissões em último caso".

“As empresas aéreas estão sufocando os trabalhadores. Ou elas fecham as portas de vez ou agem de uma forma correta", afirmou o presidente do sindicato, Gelson Fochesato, que não descarta a possibilidade de haver uma greve da categoria na primeira semana de dezembro.

MPT estuda possibilidade de atuar no caso

O procurador-geral do Trabalho, Luís Camargo, afirmou nesta sexta-feira que o Ministério Público do Trabalho (MPT) estuda a possibilidade de intervir no caso das 850 demissões anunciadas pela Gol. “O Tribunal Superior do Trabalho, no caso das 4 mil demissões da Embraer, deixou o indicativo de que demissões em massa não podem ser unilaterais, exigindo prévia negociação coletiva trabalhista", disse, em nota divulgada pelo MPT.

Para Luís Camargo, a demissão em massa da Gol é incongruente, pois a perspectiva para o setor é de crescimento. “É lamentável tomar conhecimento de que um processo de fusão de duas empresas de um setor tão importante e que conta com perspectivas de crescimento com os grandes eventos que estão por vir – a Copa do Mundo e as Olimpíadas – leve à demissão em massa.”

Fim da Webjet

A Gol informou nesta sexta que deu início ao processo de encerramento das atividades de sua controlada Webjet e à descontinuidade de sua marca. De acordo com o presidente da companhia, Paulo Kakinoff, 850 funcionários, entre tripulação técnica, tripulação comercial e manutenção de aeronaves, serão demitidos. 

Desse total, 143 são técnicos (comandantes e copilotos), 400 são de operação comercial e o restante é de profissionais do grupo de manutenção. A Webjet tinha um quadro de 1.500 funcionários. Uma parte será absorvida pela Gol.

A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões. 

Fonte: Fábio Amato/G1

Susto no aeroporto de Campina Grande, na Paraíba

Susto: aeronave vinda de Caruaru faz pouso forçado no aeroporto João Suassuna, em Campina Grande


Uma aeronave de pequeno porte fez um pouso de emergência no final da manhã de sexta-feira (23), no aeroporto João Suassuna, em Campina Grande.

Segundo informações do superintendente do Aeroporto, Nilson Suassuna, a aeronave estava vindo de Caruaru, Pernambuco. Nilson informou ainda que foram adotados todos os procedimentos de segurança e emergência para atender as possíveis vítimas, mas o pouso foi feito com sucesso e não houve vítimas.

A aeronave estava apenas com o piloto. O superintendente informou que houve apenas pequenas avarias materiais na aeronave.


Fonte: PB Agora

'Empresas aéreas estão sufocando os trabalhadores', diz sindicato

Após demissão de 850 na Webjet, sindicato fala em greve em dezembro.

Permitir fusão de Gol e Webjet foi atitude 'covarde', diz presidente do SNA.

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Gelson Fochesato, condenou nesta sexta-feira (23) a decisão da Gol de demitir 850 funcionários como parte do processo de encerramento das atividades e da marca da controlada Webjet.

“As empresas aéreas estão sufocando os trabalhadores. Ou elas fecham as portas de vez ou agem de uma forma correta", afirmou Fochesato, que não descarta a possibilidade de haver uma greve da categoria na primeira semana de dezembro.

"A situação da aviação brasileira hoje é caótica. É um estado de estresse altíssimo por culpa do Estado e das empresas”, disse.

O sindicato informou que encaminhou nesta sexta uma carta à Presidência da República e ao Senado Federal pedindo uma reunião imediata.

“O Congresso já nos chamou para um encontro no próximo dia 27 porque o governo federal sabe do problema que será”, afirmou o presidente do sindicato que classificou de "covarde e desorganizada" a postura da Agência Nacional da Aviação (Anac) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em permitir a fusão de Gol e Webjet.

O sindicato afirmou ter ficado "surpresa com o anúncio das demissões em massa, pois em contatos com a Gol, nas últimas semanas, a direção da empresa falou que só realizaria demissões em último caso".

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o sindicato avaliou que o processo de demissões "amplia o duopólio TAM e Gol, prejudicando trabalhadores e passageiros, levando ao aumento do valor das passagens e à piora dos serviços prestados pelas empresas aéreas".

André Fernandes e Marcelo Gatti estão entre os pilotos atingidos pelos cortes
Foto: Victória Brotto/G1

Piloto soube de fim da Webjet após pousar em aeroporto

O piloto André Fernandes, de 51 anos, contou que ficou sabendo do fim da WebJet quando tinha acabado de pousar na quinta-feira no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. “O co-piloto entrou no avião e me disse que o despachante falou que a empresa acabou”, afirmou, em entrevista ao G1.

Ele disse que na hora ficou surpreso e foi checar a informação. Depois de ver que o escritório da WebJet estava fechado, pegou seus pertences dentro do avião e voltou para casa, em São Paulo. O piloto só recebeu o contato da Gol às 19h de quinta-feira, por telefone. “Eles ligaram para me chamar para um reunião às 9h desta sexta. Eu não fui, porque eu já sabia que estava demitido”, explicou.

Marcelo Gatti, de 48 anos, que trabalhava como piloto Webjet há 1 ano e 8 meses, foi chamado para uma reunião com a empresa através de um e-mail assinado pelo presidente chamando os funcionários da WebJet. “O assunto não foi especificado, só nos chamaram para uma reunião”, disse Gatti ao G1. “Eu entrei na internet e vi que a WebJet estava fechando e demitindo todo mundo. Isso umas 10h. Daí meu colegas de empresa começaram a me ligar”.

MPT estuda possibilidade de atuar no caso

O procurador-geral do Trabalho, Luís Camargo, afirmou nesta sexta-feira que o Ministério Público do Trabalho (MPT) estuda a possibilidade de intervir no caso das 850 demissões anunciadas pela Gol. “O Tribunal Superior do Trabalho, no caso das 4 mil demissões da Embraer, deixou o indicativo de que demissões em massa não podem ser unilaterais, exigindo prévia negociação coletiva trabalhista", disse, em nota divulgada pelo MPT.

Para Luís Camargo, a demissão em massa da Gol é incongruente, pois a perspectiva para o setor é de crescimento. “É lamentável tomar conhecimento de que um processo de fusão de duas empresas de um setor tão importante e que conta com perspectivas de crescimento com os grandes eventos que estão por vir – a Copa do Mundo e as Olimpíadas – leve à demissão em massa.”

Histórico

A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões.

A aquisição foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 10 de outubro último, condicionada ao cumprimento de um acordo para garantir um patamar de 85% de eficiência na operação dos slots do aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

A Gol afirmou, após o aval do Cade ao negócio, que pretendia concluir a integração da malha da WebJet em dezembro, divulgando até o fim do ano um plano de sinergias que poderiam ser alcançadas.

Desde o início do ano, a Gol vem reduzindo seu quadro de funcionários, num processo de "racionalização de custos". De acordo com Kakinoff, no final do ano passado, a companhia contava com 20.500 funcionários. Hoje, são 17.000. A frota está da empresa está em 130 aeronaves.

Fonte: G1

Helicóptero faz pouso de emergência no Campo de Marte

Aterrissagem aconteceu na tarde de sexta (23).

Segundo Infraero, não houve registro de feridos.

Um helicóptero precisou fazer um pouso de emergência na tarde de sexta-feira (23) no aeroporto do Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo.

Segundo a Infraero, a aterrissagem aconteceu às 17h. Nenhum dos três tripulantes ficou ferido.

O helicóptero havia saído do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

A Infraero não soube informar qual problema ocorreu na aeronave. Segundo o órgão, o pedido foi feito pelo piloto do helicóptero e prontamente atendido.

Não houve incidentes durante o pouso. A pista do aeroporto ficou fechada por cerca de 30 minutos para que fosse feito o atendimento. Às 17h45, ela já estava liberada e operava normalmente.

Fonte: G1

Helicóptero cai em Maricá (RJ)


O helicóptero Robinson R22, prefixo PP-MEJ, que pertence à Escola de Aviação Helimax, caiu durante um voo de treinamento no Aeroporto de Maricá, no bairro Araçatiba, na manhã de quarta-feira passada (21).

O aluno Mario Cesar Silva de Queiroz, 40 anos, e o instrutor, não identificado, ficaram levemente feridos e foram atendidos no local pelo Corpo de Bombeiros de Maricá, sendo liberados.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave estava com os registros em situação regular. Tanto a Inspeção Anual de Manutenção (IAM), quanto o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) estavam em dia.

As investigações sobre o acidente ficarão a cargo do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), um órgão da Aeronáutica. Análises apontarão as causas do acidente que podem ser: falha humana, mecânica ou fatores externos, como vento, neblina ou chuva. A Escola de Aviação Helimax foi procurada, porém não quis se pronunciar.

Recordando

No mesmo local, em janeiro de 2011, duas pessoas ficaram gravemente feridas após a queda de um helicóptero, modelo Schweizer. No momento do acidente era realizado um voo de teste e a aeronave teve problema mecânico. Conhecido como ressonância, um tremor característico nas decolagens, levou o helicóptero de volta ao solo de forma violenta. Socorridos pelo Corpo de Bombeiros, os pilotos foram levados em estado grave para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul do Rio.

Fonte: Sany Medeiros e Millena Alves (osaogoncalo.com.br) - Foto: Fernando Silva/Divulgação

Peritos da Aeronáutica dizem que helicóptero não caiu

Peritos da Aeronáutica, que investigam o incidente nesta quinta-feira com o helicóptero em Araçatiba, na localidade de Maricá, Região Metropolitana, informaram que a aeronave não caiu, mas apresentou problemas durante o pouso e tombou.

Bombeiros foram acionados para o local, mas ninguém ficou ferido no incidente. A FAB (Força Aérea Brasileira) vai abrir sindicância para apurar as causas do fato.

Fonte: O Dia

Notícia atualizada em 27.11.12 às 11:50 hs com a correção do nome do aluno envolvido no acidente.

MAIS

Para mais informações sobre este acidentes e outras informações sobre o mundo da aviação, acesse o Blog amigo www.voarnews.blogspot.com e sua página no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Voar-News/277820498914660.

Venezuela investiga causas de acidente com aviões da força aérea

A Venezuela deu início às investigações para determinar as causas do acidente envolvendo dois aviões da Força Aérea que resultou na morte de uma pessoa e deixou outras duas feridas.

"A Comissão Investigadora de Acidentes Aéreos das Forças Armadas Bolivarianas averigua as causas do acidente", declarou o ministro venezuelano da Defesa, Alfredo Molero.

Ele afirmou também que o choque entre as aeronaves OV-10 Bronco "ocorreu no ar, durante uma demonstração, causando a queda dos equipamentos". "Os tripulantes conseguiram ejetar-se a tempo, permitindo que saíssem ilesos do acidente", acrescentou.

Sobre a morte do piloto José Rafael Marín Barrios, Molero disse que o major "executou um ato heroico ao conduzir seu avião a uma área despovoada, evitando uma tragédia maior".

Segundo o ministro, as aeronaves caíram próximas à base aérea El Libertador, em Palo Negro, no estado venezuelano de Aragua.

Fonte: ANSA

Dois aviões militares colidem na Venezuela

Dois aviões de assalto North American OV-10 Bronco da Força Aérea da Venezuela (Aviación Militar Bolivariana de Venezuela (AMBV)) colidiram no ar durante um voo de treino, na última quinta-feira (22).

Equipe de salvamento próximo ao local da queda

Cada aeronave levava a bordo dois pilotos. O piloto de uma das aeronaves morreu ao não conseguir ejetar-se na tentativa de levar o avião em queda para fora da zona residencial. Os outros três, conseguiram ejatar-se e foram encaminhados ao Hospital Militar de Maracay.

O acidente trágico ocorreu perto da base aérea Palo Negro no Estado de Aragua. Lembre-se que os dois aviões de assalto ligeiros OV-10 Bronco participavam no ensaio de uma parada militar alusiva ao 92º aniversário da criação da Força Aérea da Venezuela.

Fontes: El Universal / ASN / Rádio Voz da Rússia - Imagem via El Universal

Piloto pede noiva em casamento com mensagem gigante em campo

Pedido inusitado foi feito pelo instrutor britânico Stuart Black.

Annette MacKenzie viu a mensagem enquanto fazia aula de pilotagem.

O instrutor Stuart Black pediu sua noiva, Annette MacKenzie, em casamento com uma mensagem gigante escrita em um campo agrícola que podia ser vista por Annette do avião enquanto ela fazia uma aula de pilotagem, segundo o jornal inglês "Daily Mail".

Inicialmente, o noivo tinha planejado fazer o pedido no Natal, mas, como ele estará a serviço da Força Aérea britânica no Golfo durante quatro meses, ele decidiu antecipar.

Stuart Black pediu sua noiva em casamento com uma mensagem gigante escrita em um campo agrícola

Fonte: G1 - Foto: Reprodução

Empresa americana lança programa que detecta passageiros de 'alto risco'

Ele identifica pessoas com mais chance de se comportar de maneira distinta.

Alguns temem que o sistema induziria a preconceitos raciais ou religiosos.


No Natal de 2009, os passageiros de um voo com destino a Detroit entraram em pânico quando o jovem nigeriano Omar Farouk Abdulmutallab tentou detonar explosivos que levava em seu corpo em pleno ar.

O ataque a bomba não deu certo, mas colocou em xeque os sistemas de segurança dos aeroportos americanos implementados após os atentados de 11 de setembro de 2011.

Mas, agora, uma empresa de tecnologia diz que com seu novo software tal incidente nunca teria acontecido e que Abdulmutallab teria sido detectado como um passageiro de "alto risco".

Detector de ameaça

O programa, desenvolvido por uma empresa dos EUA, emprega uma técnica conhecida como "avaliação de perfil de risco", que identifica indivíduos ou grupos de pessoas com maior probabilidade de se comportar de uma maneira distinta do resto da população.

A análise é feita a partir do processamento de todos os dados sobre o passado e os comportamentos de um determinado indivíduo, para detectar, assim, se eles representam uma ameaça.

No entanto, alguns já temem que o sistema induziria a preconceitos raciais ou religiosos, uma vez que um passageiro poderia ser considerado suspeito apenas por ser muçulmano ou porque nasceu em países árabes.

A empresa que desenvolveu o programa, a SAS Software, reitera, entretanto, que o sistema é "imune" a tais falhas.

Segurança

As autoridades britânicas já estão recebendo os dados de cada passageiro com destino à Inglaterra.

"Os perfis de risco podem variar. Os dados disponíveis não têm nada a ver com discriminação racial ou lugar de origem."

"Estas são as mesmas técnicas usadas por bancos ou companhias de seguros para determinar a quem devem ou não conceder um empréstimo", disse ele.

O programa funciona através da alimentação de dados de passageiros, muitos dos quais já são recolhidos por autoridades de alfândega de alguns países.

Todas as companhias aéreas, por exemplo, que viajam para o Reino Unido deve apresentar o que é conhecido como Advance Passenger Information (API) a partir do momento da decolagem.

Mas outros dados usados pelo programa envolvem uma combinação de fatores, tais como se o passageiro pagou a sua passagem de avião em dinheiro, se já figurou em uma lista de suspeitos ou, mesmo, se foram recentemente em um país com problemas de segurança.

Todos estes dados são processados para serem "lidos" por agentes de imigração, que podem, assim, analisar o perfil de risco de cada passageiro antes do embarque.

Contrabando

Ian Manocha, vice-presidente da SAS Software, disse que o princípio funciona tanto para passageiros de companhias aéreas quanto detransporte de carga.

A Alfândega da Coréia do Sul informou que, depois de adquirir o programa, conseguiu aumentar em 20% as apreensões de produtos ilegais.

"Os agentes de fronteira têm grandes quantidades de informação disponíveis, que não são exploradas", afirmou Manocha.

Entretanto, ele admitiu que o programa não teria sido capaz de detectar explosivos escondidos em cartuchos de tinta de impressão como em um avião que partiu do Iêmen aos Estados Unidos em 2010.

Naquela ocasião, uma tragédia maior foi evitada por um informante infiltrado na Al-Qaeda.

Mas, em relação a Omar Farouk Abdulmutallab, Manocha disse que estava "confiante de que o nigeriano teria sido detectado".

Get Adobe Flash player

Fonte: BBC via G1 - Foto: PA

Como funciona um motor com turbina a gás de um avião [infográfico]

Veja quais são os principais componentes do motor e como eles combinados podem fazer um avião gigante levantar voo.


Não é raro ligarmos a televisão e nos deparar com a notícia de que um avião sofreu um acidente. Ficamos intrigados facilmente ao perceber que algo tão grande e aparentemente resistente é danificado por pássaros, balões e outros objetos que não parecem representar séria ameaça.

Chega a ser contraditório quando ouvimos sobre uma tragédia e, em seguida, alguém lembra que “o avião é um dos meios de transporte mais seguros do mundo”. Pois é, pelas estatísticas, ele é realmente seguro, mas isso só é válido quando nada interfere no funcionamento de seus motores.

Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

É graças aos motores, que alguns chamam de "turbinas", que um avião enorme pode levantar voo com tanta facilidade. Entretanto, você tem noção de como funcionam os motores de uma aeronave? Sabe o motivo pelo qual o avião pode cair caso um desses mecanismos tenha alguma falha? Hoje, vamos explicar um pouco sobre esses gigantes do ar e seus motores.

O funcionamento do motor com turbina a gás

Fonte da imagem: Montagem/Tecmundo - Original: Wikimedia Commons

01. Dentro do invólucro protetor, há quatro principais componentes: ventoinha, compressor, combustor e turbina;

02. Uma enorme ventoinha, instalada na parte da parte da frente, gira em alta velocidade para coletar o ar;

03. Toda essa quantidade de ar sugada é direcionada para o compressor;

04. O compressor é composto por diversos rotores que giram em alta velocidade em torno dos estatores;

05. No processo de compressão, o volume do ar é diminuído até trinta vezes;

06. O ar comprimido é forçado a entrar no combustor;

07. Neste estágio, o ar é misturado com o combustível (que vem de um reservatório) e aquecido a 2.000 °C;

08. O gás altamente comprimido é direcionado para a turbina, onde ele será descomprimido, revertendo o trabalho do compressor, e expelido em alta velocidade, gerando o empuxo para locomover a aeronave;

09. Esse processo acontece em altíssima velocidade e constantemente. Claro, a velocidade de rotação dos componentes do motor varia conforme a aceleração determinada pelo piloto.

Motores muito fortes

Os motores com turbina a gás produzem uma força de empuxo violenta. Um Boeing 737-100, que é o modelo mais simples da série, tem potência suficiente para transportar até 49 toneladas de carga (incluindo bagagem, passageiros e o peso da aeronave).

Boeing 737-300 - Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

Esse valor do peso máximo é determinado como “peso máximo de decolagem”, pois é a quantidade limite que pode fazer parte do peso quando o avião está saindo do chão. Um valor superior ao máximo suportado impediria que aeronave decolasse, mas isso não quer dizer que os motores não teriam força suficiente para carregar mais carga em solo.

Próximo da velocidade do som

Agora que você já tem uma noção de como funciona o motor, resta a pergunta: qual é a velocidade máxima do avião? Bom, isso depende de diversos fatores. Algumas aeronaves têm dois motores, mas possuem dimensões reduzidas, e outras têm quatro e são de tamanho avantajado.

Airbus A380 com quatro motores - Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

Além disso, a velocidade máxima varia conforme a fabricante do motor, o peso da aeronave, as dimensões e, quando em atividade, ainda depende da quantidade de passageiros. Segundo as informações da Boeing, as aeronaves da série Boeing 737, por exemplo, atingem velocidade máxima de mach 0,81, ou seja, 1.000 km/h — uma aeronave quase tão rápida quanto o som.

Qualquer interferência gera problemas

Como você pôde ver, quando um avião está em operação, tudo acontece em alta velocidade. É por isso que se um pássaro for em direção a um dos motores e se chocar com a ventoinha, o funcionamento da aeronave pode ser altamente comprometido.

Os motores com turbinas a gás estão preparados para trabalhar com ar. Qualquer outro elemento, seja um balão ou um pássaro, que por ventura entre em um dos compressores já pode causar danos e desestabilizar a aeronave, visto que o empuxo não será devidamente produzido.

Agora, você já tem ideia de como os motores com turbinas a gás fazem para levantar aviões gigantes. Claro, existem diversos outros tipos de motores, mas, de forma geral, eles trabalham de maneira parecida.

Fontes: MTU Aero Engines, Boeing, HowStuffWorks via Fabio Jordão (Tecmundo)

Caça F-22 cai em base aérea na Flórida; piloto sai ileso

Um caça F-22 da Força Aérea dos EUA caiu na quinta-feira na base militar de Tyndall, na Flórida, mas o piloto conseguiu ejetar-se de forma segura e não ficou ferido, afirmou uma porta-voz da base.

O Raptor F-22, um dos mais avançados aviões de guerra norte-americanos, retornava de uma missão de treinamento de rotina quando caiu, por volta das 15h30 (horário local), informou a porta-voz Ashley Wright.

O avião da Lockheed Martin Corp pegou fogo quando atingiu o chão, porém bombeiros debelaram o incêndio rapidamente, ela disse. A causa ainda está sendo investigada.

A Rodovia 98 nas proximidades foi fechada por cerca de duas horas, como precaução. O piloto, que não foi identificado, não sofreu nenhum ferimento grave, disse Ashley.

A Força Aérea parou de voar em caças F-22 por cinco meses em 2011, após alguns pilotos sentirem tontura nos controles. A Força Aérea culpou a falta de suprimento de oxigênio para os pilotos.

Fonte: Ian Simpson (Reuters) via G1