quarta-feira, 31 de março de 2010

Chuva forte obriga avião a arremeter no Santos Dumont

A chuva forte e os ventos que atingem a cidade do Rio de Janeiro na noite desta terça-feira fizeram com que um avião de carreira arremetesse no aeroporto Santos Dumont, segundo informações da agência meteorológica Climatempo.

Por volta de 21h30 chovia forte no aeroporto e as rajadas de vento chegavam a 42 km/h. A Defesa Civil do Rio de Janeiro decretou estado de atenção em virtude da chuva.

De acordo com a agência meteorológica Climatempo, o temporal é mais forte em bairros da zona sul. Em 1 hora (entre 20h20 e 21h20), segundo a Fundação Instituto de Geotécnica do Município do Rio de Janeiro (Georio), choveu 43 mm em Copacabana, 33 mm no Vidigal, 28 mm na Rocinha, 22 mm no Jardim Botânico e 22 mm na Barra da Tijuca.

Áreas de instabilidade associadas a uma frente fria se intensificaram na noite de hoje no litoral da cidade.

Fonte: Terra

Voo da TAM atrasa mais de cinco horas no Rio de Janeiro

Passageiros do voo JJ 3259 demoraram mais de cinco horas para decolar do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), na noite desta segunda-feira (29). A aeronave tinha decolagem prevista para as 19h30, mas alguns passageiros só chegaram às 3h da terça-feira a Campinas (SP), sendo que o destino inicial era São Paulo (SP).

O paulistano Orlando reclama que só conseguiu chegar em casa às 4h e ficou cinco horas dentro do avião até ser transferido para outro voo, que foi para Campinas. Até a capital, levou mais uma hora para chegar ao destino correto.

Ainda segundo o internauta, não havia comida no avião e a refeição só era oferecida quando solicitada.

Segundo a empresa aérea TAM, o voo precisou ser cancelado devido ao fechamento dos aeroportos de Galeão e Congonhas e os passageiros foram reacomodados em outros voos à medida que havia assentos disponíveis. Ainda de acordo com a companhia, a refeição do serviço de bordo foi oferecida aos passageiros.

De acordo com resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgada em meados de março, o acesso a comunicação (telefone e internet) deve ser providenciado em uma hora. A alimentação deverá ser oferecida em caso de voos com atrasos de duas horas e a hospedagem continua com o prazo de quatro horas. As empresas têm prazo de dois meses e meio para se adequar à norma.

Fonte: internauta Orlando (vc repórter - Terra)

Cias. aéreas do Sudão proibidas de voar para a Europa

A Comissão Europeia diz que a autoridade de aviação civil daquele país tem violado as normas de segurança internacionais de forma continuada.

A União Europeia proibíu terça-feira todas as companhias aéreas sudanesas de voar para a Europa.

A Comissão Europeia diz que a autoridade de aviação civil daquele país tem violado as normas de segurança internacionais de forma continuada.

Na lista negra criada pela Europa em 2006, permanecem em vigor proibições parciais ou totais a companhias de 14 países africanos.

Fonte: Angop via Portugal Digital

CCJ aprova indenização para bagagem extraviada

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou ontem Projeto de Lei que prevê indenização a passageiros que tiverem bagagens extraviadas. A multa, de R$ 300 para companhias aéreas e de R$ 200 para operadoras de transporte terrestre, deve ser paga em dinheiro, no prazo máximo de 24 horas após a comprovação da perda das bagagens.

O autor do projeto, deputado Vital do Rêgo Filho (PMDB-PB), disse que o Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiu que as empresas são responsáveis pelo extravio e que devem também arcar com os danos morais envolvidos na perda da bagagem. "A aprovação da proposta vai transformar esse direito em lei."

O relator na CCJ, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), ressalva que a proposta não impede outros acordos entre empresa e usuário e também não retira o direito de o consumidor, mesmo depois de ter recebido a indenização, recorrer à Justiça para receber o que considera justo.

Mendonça Prado votou pela aprovação do texto, que, na avaliação dele, atende os quesitos de constitucionalidade, juridicidade e boa técnica legislativa. A proposta foi aprovada pela Comissão de Defesa do Consumidor e rejeitada pela Comissão de Viação e Transportes. O texto segue para o plenário.

Fonte: Ricardo Valota (Agência Estado)

Câmbio e redução de despesas ajudam lucro da TAM

TAM apresenta lucro líquido de R$ 1,3 bilhão em 2009

A maior companhia aérea do país, TAM, reverteu prejuízo de 1,23 bilhão de reais sofrido no final de 2008 e encerrou o quarto trimestre com lucro líquido de 144 milhões de reais, apoiada em ganhos cambiais e diminuição de despesas operacionais.

A empresa, que espera um crescimento da demanda de passageiros no mercado doméstico em 2010 de 14 a 18 por cento, teve um lucro anual de 1,342 bilhão de reais, contra prejuízo de 1,51 bilhão de reais.

O resultado do trimestre passado ficou acima do esperado por quatro analistas consultados pela Reuters, que em média previam lucro líquido da TAM em 91,2 milhões de reais nos últimos três meses de 2009.

Em meados deste mês, a rival Gol divulgou lucro líquido de 397,8 milhões de reais para o quarto trimestre, ajudada por créditos fiscais relacionados à aquisição da Varig.

O lucro da TAM no final do ano passado veio apesar de uma queda de 12,7 por cento na receita doméstica, para 1,43 bilhão de reais, por conta de uma redução de 25,3 por cento no indicador yield, que representa o valor médio pago por um passageiro para voar um quilômetro no período.

No total, a receita líquida caiu 13 por cento no quarto trimestre, na comparação anual, para 2,5 bilhões de reais, encerrando 2009 em 9,9 bilhões de reais, recuo de 6,5 por cento sobre 2008.

A queda no yield se deu em meio a um forte ambiente competitivo nos últimos três meses de 2009 em que as companhias aéreas promoveram grandes reduções nos preços de passagens aéreas.

A empresa teve lucro antes de juros, impostos, amortização, depreciação e leasing de aviões (Ebitdar, na sigla em inglês) de 364,3 milhões de reais de outubro a dezembro, contra 530,1 milhões de reais um ano antes. A margem recuou de 18,1 para 14,3 por cento.

Mas as despesas operacionais recuaram 8 por cento, para 2,4 bilhões de reais, em função principalmente de queda no gasto com combustível, de 26,8 por cento, e com pessoal. Esta última linha caiu 8,1 por cento, apoiada em corte de 0,4 por cento no número de funcionários da empresa, para 24.282.

Já a queda no custo de combustível ocorreu por redução de 32,3 por cento no preço médio em reais do litro de combustível e por aumento de etapa média nas rotas.

Com o real se valorizando em 23,7 por cento contra o dólar na média do trimestre passado, o resultado financeiro líquido da TAM apurado foi de receita líquida de 93,4 milhões de reais, ante despesa de 2,1 bilhões de reais no mesmo período de 2008.

Fonte: Alberto Alerigi Jr. (Reuters) via G1

Turismo festeja inclusão do aeroporto de Foz do Iguaçu no PAC 2

A inclusão das obras de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Cataratas na segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC 2, do governo federal, foi festejada pelas lideranças do setor turístico de Foz do Iguaçu e região. O anúncio foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última segunda-feira, dia 29, em Brasília.

A reivindicação para incluir o aeroporto de Foz do Iguaçu no PAC 2 foi apresentada ao presidente Lula, a ministros de Estado e demais autoridades, no início de março, em documento assinado pelas principais entidades representativas do turismo regional, no qual pedem melhorias para atender, com conforto e segurança, à demanda crescente de passageiros. A Itaipu Binacional também assinou o documento.

“O aeroporto tem importância estratégica para o desenvolvimento do turismo de Foz do Iguaçu e de toda a região da fronteira”, afirma o secretário municipal de Turismo de Foz do Iguaçu, Felipe Gonzalez, que comemorou a decisão do governo federal.

Para o jornalista Gilmar Piolla, superintendente de comunicação social da Itaipu e presidente do Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu – Fundo Iguaçu, a inclusão das obras de reforma e ampliação do aeroporto no PAC 2 é uma vitória do trade turístico regional. “Agora, esperamos que a Infraero dê prioridade a Foz do Iguaçu, pois somos o segundo destino preferido dos turistas estrangeiros que visitam o Brasil e a terceira cidade brasileira que mais recebe eventos nacionais e internacionais”, afirma.

Segundo ele, as obras previstas vão fortalecer o Destino Iguaçu, preparando-o para o futuro. “Nosso aeroporto precisa estar preparado para atender à demanda de passageiros, que está crescendo mais do que o dobro da média nacional e será potencializada com a chegada dos alunos e professores da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), e dos turistas que virão para cá durante a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016”, afirma.

O presidente do Convention Visitors Bureau – ICVB, Camilo Rorato, diz que o novo aeroporto deverá estar à altura do que Foz do Iguaçu oferece aos visitantes, em estrutura turística e executiva.

Paulo Angeli, presidente do Conselho Municipal de Turismo – Contur, acredita que a ação integrada do trade turístico mostra a grande maturidade do destino Foz do Iguaçu. “Devemos pensar em preparar outros pontos turísticos além das cidades-sedes da Copa do Mundo e das Olimpíadas e, entre os destinos alternativos, Foz do Iguaçu certamente será um dos mais visitados”, diz Angeli.

O documento

O documento que levou o governo federal a incluir o Aeroporto Internacional Cataratas nas obras previstas no PAC 2 foi encaminhado ao presidente da República e também à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff; ao ministro da Defesa, Nelson Jobim; a outros ministros de Estado; aos presidentes da Infraero e da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac); e a outras autoridades dos governos federal e estadual.

A primeira reivindicação do documento é a reforma e ampliação do terminal de passageiros. As propostas incluem a construção de uma nova sala de embarque doméstico, com aproximadamente 600 metros quadrados, e a ampliação da sala de embarque internacional. Também pede a ampliação da área de desembarque doméstico, com a instalação de novas esteiras para a restituição de bagagens, e a ampliação da área de check in, de 21 para 34 balcões.

Faz parte dos pedidos a melhoria das condições de recepção, entre as quais a climatização das áreas do saguão e do terraço; a duplicação da via externa inferior; a ampliação da área de estacionamento; a repaginação da área comercial; a construção de novo prédio para abrigar as empresas terceirizadas; e adequações de acessibilidade, entre outros.

Essas obras têm custo previsto de R$ 35 milhões.

Aproximação e segurança

Uma outra reivindicação é para melhorar os equipamentos de aproximação e segurança do aeroporto, que hoje conta apenas com instrumentos limitados. A aquisição do ILS-CAT2 permitiria o pouso com visibilidade de apenas 400 metros da pista.

O valor estimado do ILS-CAT2 é de R$ 6 milhões.

Nova pista

A pista atual, de 2.196 metros de comprimento por 45m de largura, restringe a possibilidade de pousos de aeronaves de maior porte. Para receber voos regulares, charters e cargueiros internacionais operados com aeronaves da família Airbus A-330/340 ou Boeing 747, seria necessário construir uma nova pista principal, de 3.450 metros de comprimento por 60 metros de largura.

O valor estimado para a desapropriação de área custaria R$ 10 milhões e o valor estimado para a construção de uma nova pista, de 3.450 metros, é de R$ 78 milhões.

Além dessas obras, o documento pede também medidas para incrementar o número de voos e a competitividade do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu.

Flexibilização tarifária

A primeira delas é a flexibilização das tarifas aeroportuárias e de navegação, pagas pelas empresas aéreas, operadores de aeronaves ou pelos passageiros. A proposta é equiparar as tarifas internacionais às de voos domésticos.

Segundo o documento, as tarifas atuais restringem a possibilidade de captação de voos regulares e charters internacionais, inibindo ainda as companhias aéreas de operarem rotas internacionais a partir de Foz, que enfrenta a concorrência de dois outros aeroportos internacionais na região –o Iguazú, na Argentina, e o Guarani, no Paraguai.

“Hub” do Mercosul

Por fim,o documento sugere a transformação do aeroporto em “hub” do Mercosul, isto é, um centro regional de distribuição de voos dos países vizinhos – Argentina, Paraguai, Uruguai – membros do Mercosul -, além de Chile e Bolívia. O aeroporto está num ponto geográfico estratégico em relação a esses países. Como a grande maioria dos voos originados nos países sul-americanos é ocupada por pessoas com destino final no território brasileiro, a nacionalização desses voos em Foz permitiria uma conexão direta mais rápida com as cidades de destino.

A medida ainda ajudaria a evitar congestionamento nos aeroportos das grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro.

Fonte: H2Foz - Foto: Adilson Borges

terça-feira, 30 de março de 2010

Em Munique, United relembra maior tragédia de sua história

No jogo contra o Bayern de Munique, nesta terça-feira, o Manchester United vai relembrar a maior tragédia de sua história. No dia 6 de fevereiro de 1958, o time viajava pela Europa e oito jogadores morreram - ao todo, foram 23 pessoas feridas durante o voo - em um acidente aéreo em Munique.

O problema na aeronave aconteceu em uma parada de reabastecimento na cidade de Munique, na volta da antiga Iugoslávia. O avião caiu ao tentar levantar vôo em meio a uma tempestade de neve.

Sete jogadores (Roger Byrne, Geoff Bent, Eddie Colman, David Pegg, Mark Jones, Liam "Billy" Whelan e Tommy Taylor) morreram na hora. Duncan Edwards, considerado o melhor jogador do time, morreu no hospital 15 dias depois.

Outras 15 pessoas morreram, incluindo jornalistas, torcedores e dirigentes.

Após a queda, o avião queima na região da Baviera, próximo a Munique

Nesta terça-feira, no Allianz Arena, Bayern de Munique e Manchester United se enfrentam em uma das quartas de final da Liga dos Campeões.

Fonte: Lancepress! via Terra - Foto: Mrs. Ruby Thain

MAIS

O jogo de hoje

Após Wayne Rooney marcar a 1min de jogo, o Manchester United se retraiu na Allianz Arena mais do que deveria e permitiu uma incrível virada do Bayern de Munique nesta terça-feira. Com um gol aos 47min do segundo tempo, o time alemão venceu por 2 a 1 e vai para a partida de volta precisando apenas de um empate para avançar às semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

Leia mais sobre a tragédia com o Manchester United e outros times de futebol clicando AQUI.

Voo 447: navios de pesquisa partem em busca de avião

Dois navios de pesquisa partiram ontem de Recife em busca de destroços e registros de informação da aeronave da Air France que decolou do Rio de Janeiro na noite do dia 31 de maio do ano passado com destino a Paris e caiu no Oceano Atlântico poucas horas depois, informou hoje um funcionário do setor aéreo francês. O acidente matou as 228 pessoas a bordo.

Uma embarcação dos Estados Unidos e outra da Noruega zarparam ontem e devem levar dois dias para chegar à área de buscas, disse em Paris Martine Del Bono, uma porta-voz do Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil (BEA, na sigla em francês).

A operação de 30 dias utilizará submarinos robôs equipados com sonar e máquinas que poderão realizar buscas até quatro mil metros abaixo da superfície. É a terceira tentativa de se encontrar os escombros dos registros do voo 447.

O chefe do BEA, Jean-Paul Troadec, disse na semana passada que havia uma boa chance de se encontrar os destroços do avião. A nova área para as buscas é menor, graças a um esforço envolvendo vários cientistas para determinar a trajetória dos escombros. Funcionários dizem que é crucial localizar os dados sobre o voo e as vozes registradas, pois os mil pedaços de escombros encontrados até o momento não resultaram em informações concretas sobre a causa do acidente.

Os equipamentos procurados contêm registros das conversas na cabine e várias leituras de dados da aeronave. Sem essas informações, os investigadores provavelmente nunca vão poder determinar a causa do acidente, ocorrido em um momento de forte chuva acompanhada de trovões. Com as informações coletadas até o momento, os investigadores acreditam que o avião estava intacto quando colidiu no oceano.

Fonte: AP/Agência Estado

Passageiros dos aeroportos dos Açores sobem 2,6% em fevereiro

O número de passageiros processados nos quatro aeroportos dos Açores geridos pela ANA ascendeu a 63.263 em Fevereiro, o que representa um crescimento de 2,6% face ao mesmo mês de 2009.

Os dados hoje divulgados pela ANA indicam que o maior crescimento foi registado no Aeroporto da Horta, no Faial, que movimentou 9.218 passageiros, num aumento de 12,4%, enquanto no Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, com 45.974 passageiros, o aumento fixou-se nos 4,9%.

Nos aeroportos de Santa Maria e das Flores registaram-se, pelo contrário, quebras de 18,6% (6.432 passageiros) e de 6,5% (1.639 passageiros).

A ANA revelou ainda, relativamente aos dois primeiros meses deste ano, que se registou no Aeroporto João Paulo II um "crescimento significativo" dos mercados canadiano (18,5%), alemão (13,9%) e norte-americano (10,8%).

Ao nível dos destinos, o destaque vai para o crescimento verificado nas rotas do Porto (16,5%), Nuremberga (13,9%) e Horta (13%).

Fonte: OJE/Lusa (Portugal)

KLM troca Fokker por aviões da Embraer

A KLM fez no sábado passado o último voo comercial com um avião Fokker 50. A empresa pretende trocar todas as suas aeronaves Fokker – 31 ao todo – e optou por aviões da Embraer para substituí-las. Estes aviões, os chamados KLM Cityhoppers, são usados para voos dentro da Europa.

Os Fokker 50 serão inicialmente substituídos por aviões Fokker 70. Já para a substituição dos Fokker 100 a KLM comprou dezessete Embraer 190, dos quais treze já estão voando. Dois novos devem chegar na semana que vem. Esta é a maior renovação de frota em 44 anos da subsidiária regional da KLM.

Boet Kreiken, diretor da KLM Cityhopper, fala com entusiasmo sobre o Embraer 190. “É, em todos os sentidos, um passo além do Fokker 100”, declarou Kreiken em entrevista publicada ontem pelo vespertino holandês Het Parool. “Há mais espaço para passageiros e bagagens, eles são mais econômicos e têm maior autonomia de voo. Com os aviões da Embraer nós adicionamos distância à KLM Cityhopper, com um raio de ação de 4500 quilômetros. Agora nós voamos para destinos que têm uma duração de voo maior que duas horas, como Helsinki.”

Nova geração

Enquanto isso, a holandesa Fokker, que faliu em 1996, tenta um renascimento. Há preparativos para a construção de um novo avião Fokker.

Os planos são para o Fokker NG, ou 'New Generation', no qual a empresa NG Aircrafts já trabalha há dezoito meses. A aeronave tem a mesma estrutura do Fokker 100, mas é equipada com os mais recentes motores e equipamentos eletrônicos. O ministério holandês de Assuntos Econômicos disponibilizou para isso um crédito de 20 milhões de euros. A NG Aircraft agora aguarda a autorização da Comissão Europeia, que é esperada para junho, para tocar o projeto.

O avião concorreria com aeronaves similares, para até 120 passageiros. A expectativa é de que o primeiro Fokker NG esteja voando em 2015.

A escolha da KLM pelos aviões brasileiros, no entanto, já está feita. “Isso não quer dizer que este projeto não seja interessante e desafiador”, disse Boet Kreiken em sua entrevista ao Het Parool. “Este desenvolvimento é bom para a Holanda e para o ramo da aviação.”

Fonte: Mariângela Guimarães (Rádio Nederland)

British Airways contrata euroAtlantic Airways

A euroAtlantic Airways (EAA) afigura-se como a única companhia portuguesa à qual a British Airways, está a recorrer pela segunda vez consecutiva, afim de colmatar lacunas nas ligações do Reino Unido com os principais aeroportos internacionais servidos pela sua companhia de bandeira.

A EAA, que recentemente deixou o Aeroporto de Lisboa - base da companhia nos últimos 15 anos -, na sequência de um litigio com a ANA - Aeroportos de Portugal, depara-se agora com nova dificuldade acrescida da proposta de admissão a um mercado de valores mobiliários por não poder identificar o seu aeroporto base de operações.

A companhia aérea portuguesa destina quase 100% do seu trabalho ao sector da exportação e a transferência forçada do sector de carga aérea do Aeroporto de Lisboa para o aeroporto francês de Châteauroux. Recorde-se que a EAA controla e assume a gestão da STP Airways (37%) a companhia de bandeira de São Tomé e Príncipe, agregando ainda, a maioria do capital no operador turístico Sonhando S.A. (terraBrasil, terraÁfrica, terraCuba, terraAmérica, terraEuropa, terraMinha) e a rede de agências de viagens Intervisa.

Fonte: Opção Turismo (Portugal)

Iniciativa privada administrará o Aeroporto de São Gonçalo em Natal

Uma das principais obras para a Copa 2014 no Rio Grande do Norte deve ser concedida à iniciativa privada. O Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, localizado na Grande Natal e que já recebeu R$ 105 milhões em recursos do governo federal através do PAC (Programa de Aceleramento do Crescimento), aguarda apenas um decreto que permitirá à Agência Nacional de Viação Civil (Anac) viabilizar a concessão.

O lançamento do edital de licitação está previsto para o começo do segundo semestre. Isso poderá alterar a paralisia das obras, que vêm se arrastando desde 1998 com recursos públicos.

Além de operar o empreendimento, o vencedor da licitação dará prosseguimento às obras até 2013, data da inauguração. A concessão terá duração de 30 anos, prorrogável por igual período. As construtoras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez já manifestaram interesse no projeto.

A primeira etapa do São Gonçalo está orçada em R$ 800 milhões. Quando for concluída, o aeroporto poderá receber cinco milhões de passageiros por ano. Isso aumentará em 74% a capacidade atual de Natal, já que o Aeroporto Internacional Augusto Severo (Parnamirim) recebe no máximo 1,8 milhões de passageiros. Já ao término da segunda etapa do São Gonçalo, cujos custos não foram divulgados, a capacidade do aeroporto passará a 40 milhões de desembarques.

Fase inicial das obras do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

O governo federal investirá cerca de R$ 155 milhões até o final do ano para as obras de terraplanagem, drenagem e pavimentação, segundo informou ao jornal “Tribuna do Norte” o superintendente Regional do Nordeste da Infraero (Empresa de Infraestrutura Aeroportuária), Fernando Nicácio Filho.

Foram concluídas cerca de 90% da terraplanagem, 10% da drenagem e 25% da pavimentação. Estão em obras hoje as pistas de pouso, decolagem e de taxiamento, além do pátio de manobras. A infraestrutura para proteção ao vôo e navegação aérea, trabalho que vem sendo executado pelo Exército, será finalizada até dezembro.

Maior da América Latina

A 11 km de Natal, o Aeroporto de São Gonçalo foi projetado para receber desembarques de passageiros e de carga. Quando concluído, ele será o maior terminal da América Latina e o sétimo maior do mundo. O complexo aeroportuário é visto como uma das alavancas para a economia potiguar nos próximos anos, prometendo a geração de 40 mil a 60 mil empregos, impulsionando o turismo e as exportações.

Fonte: George Fernandes (copa2014.org.br)

Portugal: Helicópteros para o Exército 'impõem' acordo com Força Aérea

Custos da operação de 10 helicópteros médios e de recuperar aeródromo quase sem uso há anos 'ensombram' programa

O Exército está a marchar a toda a velocidade para receber e operar os helicópteros médios NH90 em 2012, mas o que está por fazer e as dificuldades financeiras do País mantêm alguma incerteza sobre a evolução da Unidade de Aviação Ligeira (UALE) do ramo.

A formação e qualificação atempada das tripulações (pilotos, mecânicos), a modernização das infra-estruturas do aeródromo militar de Tancos (AMT) ou a colaboração com a Força Aérea - na sua qualidade de Autoridade Aeronáutica - são aspectos críticos para o bom funcionamento da UALE, segundo diferentes fontes.

Uma primeira interrogação tem a ver com o número de helicópteros. O Exército conta receber 10 NH90 (projecto cooperativo no âmbito da NATO, onde Portugal está desde o início e em cuja construção participa através da empresa OGMA) entre 2012 e 2014. "Será que vão receber mesmo esses hélicópteros todos?", interrogou-se uma das fontes ouvidas pelo DN, lembrando o caso do avião militar europeu A400M - a Alemanha integra o consórcio original, financia o programa, mas reduziu o número de encomendas devido às dificuldades financeiras.

Outra interrogação surge no domínio da certificação, área onde entra a Força Aérea. Só que os atritos entre os dois ramos sobre esse programa, desde meados dos anos 1990, têm sido uma constante (com razões de parte a parte, segundo o que se foi ouvindo) - ao ponto de o Exército ter mandado formar pilotos em Espanha.

Actualmente, o Exército tem quatro pilotos (e brevemente vai mandar mais um) ao serviço do Exército espanhol, 10 colocados na Empresa de Meios Aéreos (EMA) do Ministério da Administração Interna - e nenhum na Força Aérea, à excepção de 10 dos 16 mecânicos.

Note-se que compete à Autoridade Aeronáutica - leia-se Força Aérea - certificar as infra-estruturas (se são adequadas a que aeronaves, para operar em que condições e com que equipamentos) de um aeródromo praticamente sem uso há duas décadas, fazer as reservas de espaço aéreo requeridas ou definir onde, quando e a que altitudes podem voar os meios aéreos, entre muitos outros aspectos. A par do apoio diário aos helis (meteorologia, controlo do tráfego aéreo), também a investigação a acidentes com helis do Exército deverá ser feita pela Força Aérea, admitiram fontes do ramo ao DN.

Questionado pelo DN sobre o relacionamento com a Força Aérea, o chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) respondeu de forma lacónica: "Teremos de ver como isso irá ser feito." No caso dos pilotos, o ramo assume que "desejavelmente será a Força Aérea a fazer a certificação nacional".

Em matéria de tripulações, o Exército prevê ter "no mínimo" 21 pilotos, pois cada NH90 opera com dois em simultâneo e se estima uma taxa de operacionalidade na ordem dos "70%" (os restantes correspondem a helicópteros que estão parados para manutenção e ou reparação).

Fonte: Diário de Notícias (Portugal)

Tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses sobe 9,7% em fevereiro

O tráfego de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 9,7 por cento em fevereiro, face ao mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados hoje pela ANA - Aeroportos de Portugal.

Os dados da gestora dos aeroportos nacionais indicam que, em termos acumulados, nos dois primeiros meses do ano, o tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses aumentou 7,2 por cento, face ao mesmo período de 2009.

Em fevereiro, o tráfego de passageiros aumentou em todos os aeroportos geridos pela ANA - Lisboa, Porto, Faro e Açores -, tendo o maior acréscimo sido registado no aeroporto Francisco Sá Carneiro (Porto): 17,6 por cento.

Fonte: Diário de Notícias

Avião da Universidade Estadual do Ceará volta a fazer pesquisas

Aeronave laboratório é a única da América Latina que possui equipamento de microfísica de nuvens

Após sete anos e seis meses parado para manutenção, o avião-laboratório da Universidade Estadual do Ceará (Uece), voltou a ativa. Agora, os cientistas poderão avançar nas pesquisas meteorológicas e esclarecer dúvidas sobre as mudanças climáticas no País. A aeronave é única no Nordeste e segunda no Brasil, que está sendo usada no projeto intitulado "Pesquisa de Infraestrutura e Estudos das Mudanças Climáticas sobre o Nordeste Brasileiro e o Papel das Nuvens e Aerossóis".

O avião é o mesmo que foi operado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), na década de 1980. O equipamento passou a fazer parte do Laboratório de Física de Nuvens e Mesoescala (LFNM), extinto no fim da década de 1990.

No ano 2000, a aeronave passou a ser da Uece e se tornou avião-laboratório. Em 2002, fez seus dois últimos voos, e precisou parar para manutenção.

Foram mais anos de espera por financiamento e somente esse mês, ele voltou a funcionar novamente. Em seu primeiro voo, o equipamento fez parte da "Operação Pre-Chuva", realizada em Alcântara, no Maranhão. O objetivo foi de recolher dados iniciais sobre a chuva quente na região.

Segundo coordenador do mestrado em Ciências Físicas Aplicadas da Uece, professor Alexandre Araújo Costa, as pesquisas que deverão ser realizadas com a ajuda da aeronave, são cruciais para esclarecer dúvidas sobre as mudanças climáticas em várias regiões do Brasil.

Importância

Segundo ele, além de medir as gotículas da chuva, diâmetro e o volume das nuvens, será possível provar o quanto a ação do homem pode ser prejudicial para o clima, ocasionando mudanças meteorológicas. Ele cita o exemplo de uma pesquisa realizada na Amazônia, em 2002, quando o avião identificou o processo de inibição da formação de chuva na fase liquida, devido ao impacto das queimadas nas nuvens.

O professor Carlos Jacinto, coordenador do Laboratório de Pesquisas Atmosféricas da Uece, explica que a aeronave é de grande importância para a pesquisa mundial, já que é a única da América Latina que possui um equipamento capaz de medir a microfísica das nuvens.

Para a reativação da aeronave, foi preciso uma revisão estrutural do cubo da hélice e das turbinas, com o custo de R$1 milhão e 100 mil, financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Estado.

No fim deste ano, o avião-laboratório vai participar da "Operação Chuva", que irá mapear os processos de formação de chuva e identificar alteração nas propriedade das nuvens em todo o litoral nordestino.

GOVERNO ESTADUAL

Convênio com UFC garantiu estudos

O Laboratório de Física de Nuvens e Mesoescala (LFNM) originou-se no Departamento de Física da Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1989. Ele foi resultado de solicitação do Governo do Estado, que buscava parceria para estudar temas relacionados ao tempo e clima da região Nordeste brasileiro, particularmente do Ceará.

Àquela época, foi assinado convênio entre a UFC e a Funceme. Neste convênio a UFC se comprometia realizar pesquisas na área da Física da Atmosfera, além de atuar diretamente na formação de recursos humanos especializados nessa área.

Fonte: Diário do Nordeste - Foto: Alex Costa

Justiça quer em 48h relatório do acidente da TAM em SP

Procuradoria quer documento para decidir inquérito do maior acidente aéreo do País

A juíza Paula Mantovani Avelino, da 1ª Vara Federal Criminal de São Paulo, deu prazo de 48 horas para que o brigadeiro Jorge Kersul Filho, chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), encaminhe cópia assinada e rubricada do relatório final sobre a tragédia do voo 3054 da TAM, sob pena de enquadrá-lo por crime desobediência.

O pedido atende a solicitação do procurador da República Rodrigo De Grandis, que aguarda o documento para decidir se oferece denúncia (acusação formal à Justiça), pede novas diligências ou arquiva o inquérito aberto pela Polícia Federal (PF) para apurar responsabilidades no maior acidente aéreo do País. O desastre ocorrido em 17 de julho de 2007 no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, deixou 199 mortos.

A investigação da PF concluiu que os pilotos da TAM foram os únicos culpados pela tragédia. O relatório do Cenipa, no entanto, indica que as dificuldades de operação em Congonhas, a pressão silenciosa da companhia aérea para que se evitasse pousar em aeroportos alternativos em dias de chuva, as condições meteorológicas adversas naquele dia e até a conjuntura da crise aérea tiveram influência negativa sobre a tripulação, que num descuido teria deixado de seguir o correto procedimento para o uso das manetes (espécie de aceleradores do avião).

Em outubro do ano passado, a magistrada já havia fixado prazo de 30 dias para que o Cenipa apresentasse cópia do relatório final do acidente. Entretanto, o material juntado pelos militares ao processo teria vindo sem assinaturas ou rubricas dos responsáveis pela apuração. Em sua petição, De Grandis sustenta que, dessa forma, o documento não tem valor jurídico.

Procurado ontem, Kersul disse que não se opõe a entregar o relatório ao Ministério Público Federal (MPF). "Fiz contato com o gabinete do De Grandis na semana passada porque queria uma cópia do pedido dele, que até hoje não recebi", assinalou. "Não temos nada a esconder, mesmo porque está tudo no site do Cenipa." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Agência Estado

Avião cai no México deixando dois mortos

O avião Cessna 185, prefixo XB-HNP, caiu no último domingo (28) na floresta de Lacandona, no Estado de Chiapas, no sudoeste do México. O acidente provocou a morte dos dois ocupantes da aeronave (o piloto Alfonso Vega e o ocupante conhecido como Porfirio) e feriu uma pessoa que estava em terra, Javier Jiménez, de 37 anos.

"A aeronave caiu nas imediações da comunidade de Santa Lucia e no acidente morreram o piloto e seu ajudante; outra pessoa que estava no lugar ficou ferida", disse um policial de Ocosingo, localidade com 50 mil habitantes.

O voo comercial partiu às 11h locais (13h de Brasília) do domingo de Ocosingo, mas após uma hora de voo caiu na floresta de Lacandona, disse o policial.

As autoridades locais disseram ainda não saber as causas do acidente.

Fontes: Folha Online / El Universal

Voo da Gol atrasa mais de 4 horas na madrugada de hoje em Campo Grande (MS)

Segundo a Infraero, o voo 1218, da Gol, que vem de Congonhas (SP) e deveria pousar no Aeroporto Internacional de Campo Grande às 22h27, atrasou 4 horas e 18 minutos, e somente aterrisou às 2h55. O motivo do atraso não foi informado.

Desde então, o Aeroporto opera normalmente nesta manhã de terça-feira (30), sem restrições para pousos ou decolagens.

Fonte: A Crítica de Campo Grande

Aeroporto é única obra na região Norte do Estado de Santa Catarina

Um único projeto da região Norte do Estado de Santa Catarina foi incluído na segunda edição do PAC: é o projeto executivo para ampliação da pista e do pátio de estacionamento de aeronaves do Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville. O empreendimento é o único do segmento aeroportuário em Santa Catarina.

Um convênio para definir as responsabilidades da Prefeitura e da Infraero no processo está sendo finalizado. O projeto prevê a ampliação da pista para cerca de 2 mil metros. Atualmente, ela tem 1.640. A Infraero já anunciou uma licitação para contratar empresas interessadas em fazer os estudos para a ampliação. Os envelopes devem ser abertos em 16 de abril.

A ampliação da pista pode permitir as operações com aviões de maior porte e que possam transportar mais carga. Não há prazo definido para as obras. Atualmente, o aeroporto é utilizado por aviões que transportam até 144 passageiros.

Fonte: A Notícia

3ª pista do Afonso Pena vai recomeçar do zero

O poder público e a iniciativa privada terão de trabalhar muito para que a construção da terceira pista no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, se concretize.

Avião decola do Afonso Pena: terceira pista alavancaria transporte de cargas

Apesar de estar incluída no PAC 2, com investimento previsto de R$ 320 milhões, a obra precisa vencer muitos obstáculos para sair do papel. Além de recomeçarem do “zero” – é preciso refazer projetos preliminares, desapropriar áreas e realocar famílias –, os envolvidos com o projeto precisam de uma boa articulação para mostrar ao governo federal a necessidade da obra e, com isso, garantir os recursos necessários.

Dentro do Ministério da Defesa – ao qual está subordinada a Infraero, estatal que administra os aeroportos – há departamentos importantes que ainda não têm conhecimento da necessidade da construção da terceira pista. A Secretaria de Aviação Civil, que define as políticas públicas para o setor e subsidia as decisões da pasta, está nessa situação. “Não temos aqui nenhum estudo em termos de mercado sobre o Afonso Pena. Sem elementos mais concretos, fica um pleito como vários outros que recebemos. Para nós defendermos a obra, a gente precisa de algo mais robusto”, relata Fernando Ribeiro Soares, diretor do Departamento de Políticas de Aviação Civil.

A terceira pista é fundamental para alavancar o transporte de cargas no Aeroporto Afonso Pena. O projeto em estudo há anos prevê uma faixa pavimentada de 3.400 metros de extensão – 65% maior do que a pista principal utilizada atualmente. “Há uma competição muito grande por recursos entre aeroportos que querem aumentar a movimentação de cargas. Quanto melhor a demanda for comprovada, mais chances há para se obter os recursos”, explica Soares.

O coordenador do grupo de trabalho no Afonso Pena, Walmor Weiss, diz que a demanda já está “totalmente comprovada” e foi encaminhada à Infraero. Um dos levantamentos feitos pelo grupo – que reúne diversas entidades paranaenses, o governo estadual e prefeituras – mostra que a demanda potencial para o aeroporto era de 45,3 mil toneladas em 2007. Esse número é quase seis vezes maior do que o efetivamente movimentado naquele ano: 7,7 mil toneladas.

Mas Weiss confirma que a concretização da terceira pista exige bastante trabalho. Segundo ele, a Infraero precisa finalizar um levantamento preliminar para depois o poder público fazer a desapropriação dos terrenos necessários. Segundo a prefeitura de São José dos Pinhais, são cerca de 200 lotes, e o custo estimado para desapropriá-los é de R$ 75 milhões.

O PAC 2 também destina R$ 42,1 milhões para ampliação do terminal de passageiros do Afonso Pena – projeto prioritário para a Copa de 2014.

Fonte: Rosana Félix (Gazeta do Povo) - Antônio Costa (GP)

PAC-2 reserva apenas R$ 3 bilhões para aeroportos a partir de 2011

O Brasil vai sediar, num espaço de dois anos, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Mas a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) destinou apenas R$ 3 bilhões para investimentos em 14 aeroportos a partir de 2011, 60% dos quais desembolsados pela Infraero. Para se ter uma ideia de como o número é modesto, o projeto de construção de um terceiro terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP), que dorme na gaveta do governo, está projetado em R$ 1,5 bilhão.

Além do orçamento enxuto para o setor, o PAC-2 peca pela superficialidade das intervenções. Os terminais internacionais de Brasília e Guarulhos - que, com Congonhas (SP), fecha o trio dos aeroportos mais movimentados do Brasil - têm como nova ação programada a instalação de terminais itinerantes, que são módulos de ferro e alumínio: um em Brasília e dois em Guarulhos. As demais obras nestes aeroportos já estão em curso.

No Aeroporto Antonio Carlos Jobim, o Galeão, que no PAC atual teve a reforma da pista e dos terminais de passageiros e carga como destaques, a ação principal é a modernização dos dois terminais de passageiros. Mas os valores individuais das obras sequer foram informados.

Na lista de projetos, apenas duas ampliações

No total, 14 aeroportos terão intervenções monitoradas pelo PAC-2. A maior parte delas está focada nos terminais de passageiros, seguida por pista, pátio e torre de controle. Só há dois projetos de ampliação analisados no programa divulgado nesta segunda-feira, nos terminais de Joinville (SC) e Santarém (PA).

Na apresentação do novo programa, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, admitiu que havia ações emergenciais no planejamento de aeroportos e que será grande o desafio:

- Teremos os dois maiores eventos esportivos do planeta, quando nossa capacidade logística será testada no limite.

O presidente da Infraero, Murilo Barboza, destacou que ainda existem cerca de R$ 3 bilhões em obras nos aeroportos, previstas no PAC em andamento. A secretária-executiva do programa, Miriam Belchior, que assumirá a coordenação do PAC no lugar de Dilma, explicou que os recursos de empreendimentos em execução entrarão nos restos a pagar, ou seja, serão incorporados às contas futuras.

Procurado para comentar se os investimentos previstos no PAC-2 são suficientes para preparar os aeroportos para os jogos da Copa e Olimpíadas, o Ministério da Defesa informou que o valor é "o ponto de chegada, não é o ponto de partida".

Apontada como o possível grande diferencial do programa, a área de mobilidade urbana, também essencial aos eventos esportivos, teve apenas diretrizes reveladas. Foram reservados R$ 18 bilhões para a construção de metrôs, veículos leves sobre trilhos (VLT), BRTs (Bus Rapid Transport, semelhantes aos ônibus articulados de Curitiba) e corredores de ônibus.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, explicou que a lista de projetos sairá das negociações com os demais entes da federação, que ocorrerão entre abril e junho:

- Nós vamos negociar com cada prefeitura e governo estadual e vamos exigir que sejam regiões metropolitanas com pelo menos 3 milhões de habitantes, porque não há recurso para todo mundo.

Fonte: O Globo

OGMA negocia produção em Portugal de novo avião militar

Oficinas de Alverca concorrem para fabricar componentes para o CK-390 (imagem abaixo), o novo avião militar da Embraer. Montagem do avião em Portugal ainda é uma hipótese.

A OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal está a negociar o fabrico de componentes para o novo avião militar da Embraer, apurou o Diário Económico. O processo, que está a ser intermediado directamente pelo Ministério da Defesa e a quem cabe a decisão final, ainda se encontra numa fase embrionária, mas o Governo português e a fabricante brasileira têm trabalhado no sentido de integrar Portugal no programa do CK-390, que poderá substituir os actuais C-130H da Força Aérea Portuguesa.

Os contactos intensificaram-se desde o Verão passado, após o lançamento da primeira pedra da primeira fábrica da Embraer, em Évora. O argumento, do lado português, é a valência da OGMA no fabrico de materiais compósitos (peças em plástico e fibra, que são mais leves).

Para já, a possibilidade da montagem final do avião também ser feita em Portugal ainda não foi definida, mas também não está afastada, de acordo com as fontes contactadas pelo Diário Económico. Até porque, garantem, ainda é cedo para definir essas questões.

Fonte: Cátia Simões e Ana Maria Gonçalves (Económico - Portugal) - Imagem: Divulgação

Aeronáutica aceitará casados e 'baixinhos' no concurso para sargentos

Órgão acatou recomendação do Ministério Público Federal de Goiás.

Edital do concurso atual para 493 vagas foi retificado.


A Aeronáutica acatou a recomendação do Ministério Público Federal de Goiás (MPF/GO) e aceitará candidatos casados e com estatura inferior a 1,60 m nos concursos para formação de sargento, o que antes era proibido pelo edital do concurso.

O concurso em andamento, que oferece 493 vagas, teve o edital retificado e as duas exigências foram canceladas.

Em decisão liminar, a Justiça Federal já havia determinado o fim das cláusulas excludentes em concurso de 2009, disse o MPF de Goiás.

Mesmo assim, a Aeronáutica manteve no edital deste ano as cláusulas. Por conta do ocorrido, MPF/GO expediu nova recomendação, no dia 18 de março, pelo cumprimento daquela decisão judicial no atual processo seletivo.

O diretor-geral de ensino da Aeronáutica, tenente-brigadeiro João Manoel Sadim de Rezende, disse ao MPF que a recomendação foi acatada, uma vez que a Aeronáutica está “ciente do dever constitucional de garantir a defesa dos poderes constitucionais, da lei e da ordem.”

Fonte: G1 - Foto: Divulgação

MAIS

Confira lista de concursos e oportunidades em diversas áreas.

Aeronáutica abre concurso para 160 vagas no controle de tráfego aéreo

A Aeronáutica receberá, de 29 de abril a 20 de maio, inscrições de interessados em concorrer a 160 vagas no Curso de Formação de Sargentos, na especialidade de controle de tráfego aéreo. Podem concorrer rapazes, com idade até 23 anos e o ensino médio completo. Os interessados poderão fazer a inscrição pelo site http://www.fab.mil.br/. Veja AQUI o edital.

Fonte: Extra Online

Gol prevê crescimento da base de clientes Smiles e de serviço de venda a bordo para 2010 e 2011

A Gol Linhas Aéreas prevê o crescimento da sua base de clientes Smiles para 9,1 milhões até o final de 2010. Isso significa um avanço de 40%, tendo em vista que em dezembro de 2009 o número era de 6,5 milhões. Atualmente são 6,7 milhões de clientes.

A companhia também prevê expansão do seu serviço de bordo auxiliar, oferecido desde abril de 2009, de 42 voos diários para cerca de 50% de seus voos diários até o final de 2010.

De acordo com a Gol, as receitas auxiliares também terão crescimento e devem representar até 20% da receita liquida de 2011. Isso se deve, segundo a companhia, à expansão do programa VoeFácil, foco na unidade de serviços de cargas, venda a bordo, e outros produtos a serem lançados por ela ou pelos seus parceiros comerciais, que virão a explorar sua plataforma e-commerce.

Fonte: Mercado & Eventos

O Custo Brasil de um Aeroporto

A experiência é com o aeroporto do Galeão, o quarto do Brasil, logo atrás de Guarulhos, Congonhas e Brasília, que está em obras para a Copa e as Olimpíadas. Mas é provavelmente a mesma para todos os grandes aeroportos.

Quase cinqüenta banheiros já foram reformados. Mas todo fim de semana a Infraero tem que repor cerca de 100 peças novas. Torneiras roubadas, vasos quebrados, e até espelhos desaparecidos. Cada criança e adolescente pedinte, que consegue entrar no saguão ou ficar na calçada, faz cerca de 70 reais por quatro horas de trabalho.

Ganha provavelmente mais e trabalha provavelmente menos, do que seus pais se forem trabalhadores de carteira assinada. Os taxistas em vez de irem ao banheiro, pela pressa e comodidade não raramente usam as paredes e cantos.

Estes são pequenos exemplos, mas somem todos, multipliquem e terão uma idéia dos aumentados custos de limpeza, segurança e manutenção de um aeroporto. Este é um dos aspectos do que se denomina custo brasil.

Custo Brasil é uma expressão tipo slogan que inventaram para significar o custo adicional que o Brasil tem no cenário da competição global, e que não deveria ter. Daí o custo Brasil como lentidão da justiça. O custo Brasil como burocratização. O custo Brasil como sobrecarga na folha de pagamento. E por aí vamos. O que está por detrás deste custo Brasil dos aeroportos? E como evitá-lo?

Trata-se de um custo de falta de educação do exercício da cidadania. Não é um custo de falta de educação para o exercício de uma profissão, ou de uma qualificação técnica. É outro custo de educação, que não se aprende na escola. Mas poderia aprender.

Como se comportar diante do patrimônio público? Como se responsabilizar, como ser controlado? Como conviver na coletividade? Não se nasce sabendo. Mais do que educação é um processo positivo de socialização. Mas isto se aprende também. Basta lembrar que na China, antes da Olimpíada o governo fez campanha para mudar o hábito milenar das pessoas cuspirem no chão. Lá, hábito. Cá, falta de educação.

Administrar um aeroporto, segundo Willer Furtado, superintendente da Infraero, é administrar não apenas, no Galeão por exemplo, cerca de mil funcionários, mas administrar uma comunidade de cerca de 26 mil pessoas.

E como em toda a comunidade, problemas de educação surgem também. Em geral só se fala dos milhões que necessitam para completar obras. As obras vão estar prontas, tudo indica. Já a educação, não sei. O Brasil é um país curioso.

É capaz de ter sofisticadas disciplinas obrigatórias para o primeiro grau e ensino médio como arte e sociologia, mas na escola não se ensina, ou se ensina apenas excepcionalmente, cidadania, direitos, deveres, comportamento.

Acresça ainda outro fator lembrado pelo superintendente. Nos últimos anos uma nova classe social, de menor rendimento, teve felizmente acesso ao transporte aéreo. O que é muito positivo. Mas não tem a menor idéia do que seja check-in ou gate.

A maioria do quotidiano de um aeroporto é em inglês. E será mais ainda nas Olimpíadas. Não é por menos que na Coréia, os operários são alfabetizados nas duas línguas há décadas: inglês e coreano. Não é questão de desnacionalização. É questão de nacionalização no global.

Este descomportamento perceptível na comunidade de um aeroporto não é um comportamento mal educado, nem é natural do brasileiro, nem destino inevitável. É típico de um país onde a ascensão social está acelerada.

A família de ontem tem menos renda e menos educação do que a família de amanhã. Não pode transmitir o que não tem. Quem tem que fazê-lo e rápido é o governo e a sociedade civil organizada, no caso, as cooperativas de taxi, as companhias aéreas, os proprietários lojistas, a prefeitura, pois nem só de segurança vive um aeroporto ou um país.

Por: Joaquim Falcão via Blog do Noblat

Passaredo inicia operações para Recife

O voo inaugural da companhia aérea Passaredo desembarcou hoje (30/03) no Aeroporto Internacional de Guararapes, em Recife (PE). O voo, que será diário, parte de Ribeirão Preto (SP) em uma aeronave com capacidade para 50 passageiros.

"Os negócios entre São Paulo e Pernambuco serão aquecidos, já que os dois estados lidam com o mercado sucroalcooleiro", afirma o assessor especial da Empetur (Empresa de Turismo de Pernambuco), Gilson Azevedo. De acordo com a Empetur, a companhia já estuda a viabilidade de rotas para Petrolina e Caruaru. O aeroporto de Petrolina registrou movimentação recorde em 2009, com 207.200 passageiros, crescimento de 31% em comparação com 2008.

Fonte: Mercado & Eventos

Gol iniciará voos regulares para a República Dominicana

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes anuncia que vai lançar operações regulares em um novo destino internacional: Punta Cana, na República Dominicana. Os voos, que já foram aprovados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e demais autoridades pertinentes, terão início em 3 de abril. O destino já vem sendo atendido pela companhia com voos fretados.

"Identificamos grande demanda de passageiros para o destino, que tem forte apelo para turistas. Com o lançamento da base, além de atendermos esse público e o de Caracas, onde em breve também venderemos as passagens para a República Dominicana, aumentaremos o índice de utilização diária de nossas aeronaves.", diz Leonardo Pereira, Vice-Presidente Executivo da Gol.

A nova operação regular, que inicialmente será semanal, realizada aos sábados, partirá dos aeroportos internacionais do Rio de Janeiro e São Paulo às 9h00 e 11h05 (horários locais), respectivamente fazendo escala em Caracas, na Venezuela, às 15h30 (horário local). Da capital venezuelana, decolará para Punta Cana às 16h10 (horário local), com chegada prevista para as 18h15 (horário local). No sentido inverso, a aeronave vai partir da República Dominicana às 21h00 (horário local), pousando em Caracas às 22h05 (horário local), de onde seguirá para São Paulo e Rio de Janeiro às 22h45 e 7h00 (horários locais).

A rota será realizada com aeronaves Boeing 737-800 Next Generation e operada pela marca Varig.

Fonte: Mercado & Eventos

Novas regras prometem mudanças no céu

Em um mês, Anac e Ministério da Defesa anunciaram classificação de poltronas de avião, lanche em caso de atraso, aeroportos ampliados. Será o fim do desconforto?

Informação sobre o espaço disponível na poltrona do avião antes de comprar o bilhete. Direito a lanchinho ou reembolso em caso de atraso no voo. Novas empresas em Congonhas. O mês de março foi movimentado para o setor aéreo brasileiro. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério da Defesa anunciaram mudanças para melhorar a vida dos passageiros e preparar o País para os dois grandes eventos esportivos da próxima década, Copa e Olimpíada.


Algumas novidades passam a valer já em abril. Outras devem virar realidade em até um ano ? e as maiores mudanças têm data de implementação indefinida. A seguir, um resumo das alterações, com prazos para serem cobrados dos responsáveis.

Atraso e cancelamento

Como fica

Passageiros de voos atrasados, cancelados ou interrompidos terão prioridade (em relação a quem ainda não comprou passagem) na primeira aeronave que siga para o destino, mesmo que seja da concorrente. Se o viajante preferir, a empresa é obrigada a fornecer transporte complementar até o destino final. Atraso superior a 4 horas dá direito a desistência e reembolso imediato pela passagem quitada, no caso de pagamento em parcelas, a devolução depende da política da operadora do cartão.

Os inconvenientes serão amenizados com direito a comunicação por telefone ou internet (após 1 hora de atraso), alimentação (2 horas) e sala vip ou hotel (de 4 horas em diante). Passageiros a bordo do avião parado no pátio terão os mesmos benefícios.

As regras valem também para o overbooking, quando a empresa vende mais passagens que os assentos disponíveis no avião. O descumprimento das novas normas resulta em multa às companhias no valor de R$ 4 mil a R$ 10 mil.

Quando e de quem cobrar

A partir de junho, da Anac.

Novos voos

Como fica

O aeroporto de Congonhas vai ganhar mais 101 voos. Hoje, um movimento (pouso ou decolagem) é registrado a cada dois minutos. Por sorteio, a Anac redistribuiu os horários (conhecidos como slots), o que abriu espaço para Azul, NHT e Webjet se juntarem a Gol, TAM e Ocean Air, que já operam em Congonhas. Assim, o total de horários aumentará dos atuais 2.984 por dia para 3.186.

Você deve estar pensando em mais atrasos e filas. Não necessariamente. "O impacto será pequeno porque a maioria dos novos horários se concentra nos fins de semana", diz o consultor aeronáutico Paulo Bittencourt Sampaio. Especialistas dizem que o aeroporto não está sobrecarregado (hoje, são 37 mil passageiros por dia), já que o número de voos por hora caiu de 44 para 32 após o acidente com o voo 3054 da TAM, em 2007. É esperar e conferir.

Quando e de quem cobrar

As empresas aéreas vão apresentar suas novas rotas em abril.

"Puxadinhos"

Como fica

O aeroporto de Cumbica ganhará três estruturas provisórias de metal e vidro e aumentará a área do terminal de passageiros enquanto as obras de ampliação não saem do papel. Os "puxadinhos" serão usados para embarque, desembarque e estacionamento e devem crescer em 3 milhões o número de passageiros a cada ano ? atualmente, 21,7 milhões. Viracopos, em Campinas, e Galeão, no Rio, também receberão as estruturas.

Quando e de quem cobrar

Os módulos provisórios serão instalados até janeiro. As reformas, diz o Ministério da Defesa, ficam prontas antes da Copa de 2014

Poltronas

Como fica

Mais de dois anos depois de o ministro da Defesa, Nelson Jobim, do alto de seus 1,90 metro, reclamar em público do aperto nas classes econômicas das aeronaves de companhias aéreas brasileiras, a Anac criou uma etiqueta para classificar a distância entre as poltronas. São cinco faixas, de A a E, da mais espaçosa para a mais apertada (veja ao lado). As medidas foram definidas de acordo com o corpo do brasileiro médio. A classificação deverá ser mostrada nos sistemas de venda de passagens e também colada nos aviões. Aeronaves classificadas na categoria A receberão selo de qualidade.

Quando e de quem cobrar

Março de 2011 é a data limite para as companhias aéreas fazerem as adaptações necessárias.

Fonte: Mônica Cardoso (O Estado de S.Paulo)

Azul amplia a disputa no transporte de carga

Com plano de tornar-se o novo grande participante do mercado de transporte de carga aérea no País, a companhia Azul Linhas Aéreas aposta nesse nicho ao prever a criação de um centro de distribuição no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A meta é transportar 50 toneladas de carga por dia, ante as 15 toneladas transportadas atualmente, ou seja, atingir sua capacidade máxima. A companhia, que tem pouco mais de um ano em operação, pensa em transformar o aeroporto em uma das suas principais bases de operação de carga, e afirma que terá lucro operacional ainda este ano.

Concorrente das líderes Absa Cargo, JadLog, Variglog, TAM Cargo e Gollog, a Azul Cargo prevê ampliar sua área de cobertura a 3.800 cidades, ante os 2.000 municípios atendidos atualmente, por meio de um maior número de rotas e de aviões. "Este ano ampliaremos nossa malha ao receber mais sete aviões, o que nos possibilita atingir a meta. A estratégia é usar nossos porões: enquanto transportamos nossos clientes, levamos as entregas também", comentou o diretor de Logística da Azul Cargo, Antônio Flávio Costa, na sede da empresa, em Alphaville (SP).

Segundo o diretor, a empresa tem planos concretos de construir um centro de distribuição (CD) em Congonhas, para facilitar o acesso dos clientes. "A maioria dos nossos clientes está em São Paulo, por isso temos interesse em criar um CD lá", disse. Criada em agosto de 2009, a Azul Cargo utiliza parte do espaço disponível nos porões das aeronaves para transportar entregas. Cada aeronave pode transportar em média 800 quilos de carga por voo. "A ideia é levar ao transporte de carga os mesmos diferenciais da nossa companhia: a pontualidade, a regularidade e o serviço de qualidade. Além disso, nós não misturamos carga de passageiros às entregas", contou Costa.

Apesar de a Azul já possuir um avião cargueiro e pretender ampliar a sua base para somente então testar o grande avião, Costa garante: "Temos de ampliar os nossos negócios para usar um avião cargueiro, entretanto faremos testes com o avião sem pintura até o final do ano".

O resultado apresentado pelo setor de transporte aéreo de cargas no País, incluindo embarques no mercado doméstico, exportações e importações, que registrou queda de 12,37% em 2009, se comparado ao ano anterior, de acordo com dados levantados pela Infraero.

Passageiros

Neste ano, a empresa espera atingir a marca de quatro milhões de passageiros ao ampliar sua oferta de voos e conseguir novas rotas. "Estamos em pleno crescimento, a ideia é atender nossos clientes ainda melhor, com boas promoções, mais horários e ligação entre mais cidades", disse o diretor de Marketing da companhia, Gianfranco Beting.

Outra sugestão feita pelo executivo é que o governo federal privatize alguns terminais portuários. "Se o governo liberasse, nós temos interesse em construir um terminal aeroportuário. Isso já feito em outros países e dá muito certo", frisou Beting.

Com uma média de 80% de ocupação em seus voos, Beting ressaltou que isso já era esperado porque a estratégia da empresa é trabalhar com aviões menores, que se encaixam melhor com o mercado interno brasileiro. "Optamos por aviões menores por acreditar que seria melhor para o mercado brasileiro, e isso deu certo. Agora temos aviões pequenos, que pousam em diferentes aeroportos, com muito mais espaço para o passageiro, e pouca ociosidade de espaço", emendou ele.

Mesmo tendo entrado em operação aos pés de uma crise econômica mundial, o diretor de Marketing da Azul ressaltou que a aérea não poderia ter entrado em melhor momento, pois, apesar de o setor estar abalado pela crise, a companhia conseguiu fazer ótimos negócios. "Compramos aeronaves, e não tivemos de esperar tanto para recebê-las. Se fosse antes, estaríamos hoje com a metade da frota atual. Com a crise, muitos pedidos foram cancelados, ou adiados, e conseguíamos adquirir mais aviões em menos tempo", comentou Beting.

Slots

Recentes declarações da empresa mostram que a Azul segue descontente em relação aos oito horários de pouso e decolagem (slots) recebidos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, por serem horários de fim de semana, o que traria à companhia um custo operacional muito alto, tanto que Gianfranco Beting se mostrou irritado em relação ao assunto. "Levando em consideração o numero de slots que tem o aeroporto, essa divisão não me parece justa. Onde está a maior concorrência? Isso é coisa para inglês ver. Vamos entrar [em Congonhas] para guardar espaço, como TAM, Gol, e Ocean Air fizeram", desabafou. Entretanto, ontem a Azul divulgou que voará de Congonhas a Porto Seguro (BA), mas não confirmou a quantidade de voos e os horários que pretende operar.

Concorrência

Uma das maiores de carga expressa, a TAM Cargo também tem planos ousados e pretende investir este ano em fidelização dos clientes, ampliação de acordos corporativos e melhorias nos serviços, depois de um período ruim para o setor no ano passado. "A desaceleração da economia mundial impactou negativamente em nosso negócio de cargas, reduzindo principalmente os volumes transportados. Contudo, nossa queda foi menor do que a retração apresentada pelo mercado", disse o diretor da empresa, Carlos Amodeo.

Com planos de ampliar a disputa no transporte aéreo de carga, a Azul Cargo prevê criar um centro de distribuição no Aeroporto de Congonhas, com meta de transportar 50 toneladas por dia, ante as 15 toneladas atuais.

Fonte: DCI

Bêbado descansa em turbina de avião na Índia

Sujeito encheu a cara de birita e foi dar um rolê em um lugar inusitado

Um sujeito com a cabeça calibrada de birita foi encontrado na turbina de um avião no meio da pista do aeroporto internacional Indira Gandhi, em Nova Delhi, na Índia, segundo o jornal australiano The Times of India.

O figuraça foi achado quando um engenheiro e um especialista em segurança aérea notaram uma perna balançando na parte de trás da turbina.

Eles chegaram a achar que estavam vendo algum tipo de ilusão e correram para confirmar que aquilo era real.

O aeroporto Indira Gandhi, em Nova Delhi soltou um comunicado dizendo que esse tipo de incidente era inédito.

O avião, um Airbus A-320 da Indian Airlines, se preparava para fazer o primeiro voo do dia. Dali duas horas, a aeronave decolaria para Raipur.

O bêbado afirmou que entrou no aeroporto escondido em um caminhão. Ele caminhou até a aérea operacional e resolveu tirar um cochilo na turbina. O incidente ainda está sendo investigado.

Fonte: R7 - Foto: Divulgação/Indian Airlines

Armas apreendidas com empresário no Aeroporto Salgado Filho

Agentes da Polícia Federal detiveram no final de semana, no Aeroporto Salgado Filho, um empresário que transportava equipamento para recarga de munição de diversos calibres, inclusive para fuzil AR-15 e pistola .40, ambos de calibre restrito.

O maquinário necessita de autorização especial do Exército para ser importado.

O homem de 56 anos veio de Miami (EUA) a Porto Alegre, onde desembarcou na tarde de sábado. Policiais ainda apreenderam na residência dele quatro pistolas e três armas de caça sem registro federal, além de munição. O empresário já havia sido preso em 1990 por tráfico de munição. Ele será indiciado por contrabando e posse ilegal de arma de fogo.

Fonte: Zero Hora - Foto: Mariane B S Ferreira

Tam ganha novas certificações para manutenção

O Centro Tecnológico da Tam, unidade de MRO (Maintenance, Repair and Overhaul), em São Carlos (SP), acaba de ser certificado pela autoridade aeronáutica do Equador (Dirección General de Aviación Civil) para prestar serviços de manutenção em aeronaves Airbus A318/A319/A320/A321 e Fokker-100, com matrícula naquele país, e os componentes.

A companhia obteve também a certificação da autoridade aeronáutica das Antilhas Holandesas (Directorate of Civil Aviation) para a manutenção de aeronaves Fokker-100 da companhia aérea Dutch Antilles Express (DEA).

A Tam já está certificada pelas autoridades aeronáuticas dos Estados Unidos (Federal Aviation Administration - FAA), da Europa (European Aviation Safety Agency - EASA), do Brasil (Agência Nacional de Aviação Civil - Anac) e de diversos países da América do Sul para realizar todas as grandes manutenções programadas (checks C e D) em aeronaves Airbus A318/319/A320/A321/A330 e Boeing 767, tanto de sua própria frota como de outros clientes, além de aviões Fokker-100. Desde janeiro de 2007, a Tam possui também a certificação IOSA (IATA Operational Safety Audit), o mais completo e aceito atestado internacional em segurança operacional.

Fonte: Portal Panrotas

Helicóptero no valor de R$ 6 mi será adquirida pelo Estado do Tocantins

O Secretário da Segurança Pública, Geraldo Donizette Carmo de Moraes, assinou na manhã desta terça-feira, 30, o contrato para aquisição de um helicóptero, modelo AS 350 B-3, para o Tocantins.

O convênio firmado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) é de US$ 3.315.000, o que corresponde a aproximadamente R$ 6 mi e a aeronave deve ser entregue até dezembro deste ano.

O Governo do Tocantins já efetuou o pagamento de 50% do valor total do helicóptero e ainda em 2010, a aeronave será usada pela Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

“Nossa maior preocupação é garantir a segurança do cidadão tocantinense. A aquisição desta aeronave será um grande passo para a Segurança Pública do Tocantins”, ressaltou o Secretário Geraldo Donizette.

Fonte: Portal Stylo (com informações da SSP)

Deputado pede investigação sobre uso ilegal de aeronaves pelo governo do Maranhão

O líder da oposição, deputado Edivaldo Holanda (PTC), encaminhou à Procuradora Regional Eleitoral, Carolina da Hora, documento solicitando que ela adote procedimentos investigatórios para apurar o uso ilegal de aeronaves do estado pelo atual governo.

O Jornal “Fatos dos Municípios” na edição dos dias 19 a 26 deste mês, noticia, com destaque de capa e uma ampla matéria nas páginas 06 e 07, inclusive com fotos coloridas, o uso do Helicóptero Esquilo HB-350 B, prefixo PT-HNU, da Táxi Aéreo Paradela (TAP), contratado pela Secretaria de Estado da Saúde, em missão nitidamente político eleitoreira, conduzindo o prefeito Neném Mourão (PRB), do município de Buriti de Inácia Vaz, que voltava à sua cidade após o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) mantê-lo no cargo.

“O uso de aeronaves do estado para fins políticos eleitorais, se constitui em um abuso de poder econômico e uma afronta à sociedade. Essas aeronaves foram contratadas pelo Governo do Estado com o objetivo de transportar enfermos, em estado grave, das regiões mais distantes do estado e não para uso pessoal. Esse governo desrespeita o povo do Maranhão, que vivencia no momento, um perigoso surto da Gripe A, e corre sérios riscos de contaminação por falta de vacina”, declarou o petecista.

Edivaldo Holanda afirmou que é notória a situação caótica da saúde pública no Estado, especialmente o atendimento médico hospitalar. Ele ressaltou a falta de médicos, materiais, remédios, ou seja, tudo para que o cidadão tenha um atendimento digno. Segundo ele, os principais hospitais de referência, que atendiam ainda que precariamente a população, estão desativados ou se encontram fechados para reformas, muitas delas aliás, de duvidosa necessidade.

“Enquanto isso, os secretários do governo que deveriam zelar pelo bom emprego dos recursos públicos, utilizam um helicóptero, que poderia estar a serviço da saúde da população, para fazer um ato de nítido cunho eleitoral”, disse Holanda.

Fonte: Jornal Pequeno

Serra enfrenta tempestade durante voo: 'Foi um terror'

A cinco dias de deixar o posto de governador de São Paulo, o presidenciável do PSDB, José Serra, passou por um susto hoje, a bordo de um helicóptero. O tucano seguia da Avenida Paulista, na região central da capital do Estado, para a favela de Paraisópolis, na zona sul, quando a aeronave entrou em uma tempestade. O secretário de Desenvolvimento e possível candidato do PSDB ao governo paulista, Geraldo Alckmin, acompanhava Serra.

O helicóptero decolou do alto de um prédio da Paulista pouco antes das 15 horas, depois de Serra inspecionar a Linha 4 - Amarela do Metrô. No caminho até Paraisópolis, onde ele inaugurou uma escola técnica estadual, surgiu a tempestade. "Entramos numa baita tromba d''água. Foi um terror", contou. "O piloto disse que não tinha problema, mas foi um teste para os nervos, um estresse enorme. Mesmo assim, aqui estamos, sãos e salvos."

O governador fez questão de contar o incidente nos três eventos a que foi, dois deles no Palácio dos Bandeirantes. Serra aproveitou para pedir desculpas pelo "atraso monumental". A agenda pública do tucano começou às 13 horas - 1h30 após o previsto - e terminou às 17h.

Fonte: Carolina Freitas (Agência Estado)

TAM festejará entrada na Star Alliance com eventos no Rio e em São Paulo

A companhia aérea TAM prepara dois eventos no Rio de Janeiro e em São Paulo para comemorar em 13 de maio sua entrada na Star Alliance, a maior aliança mundial de companhias aéreas comerciais, informaram hoje porta-vozes da empresa.

Os eventos reunirão executivos da TAM e de algumas das companhias aliadas, assim como convidados especiais.

A partir dessa data, a TAM passará a ser a única companhia aérea da América Latina a compartilhar os produtos e os serviços oferecidos pelas 26 companhias aéreas que fazem parte da aliança, entre as quais figuram gigantes como United Airlines e Lufthansa.

A entrada da TAM na Star Alliance foi anunciada em 7 de outubro do ano passado e a companhia conseguiu concluir no primeiro trimestre deste ano o processo de integração ao sistema que permite compartilhar voos para até 1.077 destinos em 175 países.

A TAM ocupará na aliança um lugar que já pertenceu à Varig, cujos ativos foram adquiridos pela Gol.

Com a entrada da companhia aérea na Star Alliance, os clientes TAM Fidelidade também passarão a compartilhar os programas de milhagem das companhias associadas.

A empresa, com participação de 42,4% no mercado brasileiro de voos domésticos, voa para 43 destinos no país com seus aviões próprios e para 83 com os de companhias aéreas regionais com as quais tem acordos comerciais.

Maior empresa aérea do Brasil, a TAM oferece voos diretos a 18 destinos no exterior.

Fonte: EFE via G1

TAAG já pode voar para toda a Europa

A companhia aérea angolana TAAG vai passar a poder voar para todos os destinos da União Europeia (UE) «sob determinadas condições estritas e com aeronaves específicas». O anúncio foi feito esta terça-feira pela Comissão Europeia, tendo actualizado a “lista negra” das companhias aéreas proibidas de voas no espaço da UE.

Até agora, a TAAG apenas voava para Lisboa. A actualização da lista mantém as transportadoras angolanas proibidas de voas no espaço dos 27, mas a TAAG vê as suas restrições serem «parcialmente levantadas sob determinadas condições».

«A autoridade de aviação civil de Angola é convidada a intensificar a fiscalização sobre todas as transportadoras e continuar o processo de voltar a certificar as outras transportadoras aéreas angolanas que continuam proibidas de operar na UE», lê-se num comunicado, citado pelo Jornal de Notícias.

Fonte: A Bola (Portugal)

Aviação mundial vai atingir níveis pré-crise em dois a três meses – prevê IATA

A procura de transporte aéreo internacional deverá regressar aos níveis pré-crise económica e financeira mundial “em dois a três meses”, defendeu hoje director-geral e CEO da IATA, Giovanni Bisignani, ao comentar a evolução do sector em Fevereiro, em que face a 2009 o tráfego de passageiros cresceu 9,5% e o transporte de carga subiu 26,5%.

De acordo com a IATA, com esses crescimentos, a aviação mundial não atingiu os níveis do período anterior a Setembro de 2008, quando a falência do Lehman Brothers desencadeou uma recessão a nível mundial, mas ficou a apenas 1,4% no tráfego de passageiros e 3% no transporte de carga.

“Estamos a caminhar na direcção certa”, comentou Giovanni Bisignani, que não deixou de alertar que, porém, ainda não se pode considerar que se trata de uma completa recuperação.

A informação da IATA indica que em Fevereiro, as locomotivas do crescimento do tráfego de passageiros, medido em RPK (passageiros x quilómetros), foram o Médio Oriente, com um aumento de 25,8%, e a Ásia/Pacífico, com um crescimento de 13,5%.

A Europa, com +4,3%, e a América do Norte, com +4,4%, foram as regiões onde os crescimentos foram mais modestos.

Em relação à Europa, a IATA diz que o “magro” crescimento reflecte a morosidade das economias, a subida do desemprego e as greves no sector. Quanto à América do Norte, a Associação assinala que os consumidores continuam a optar por reduzir o endividamento em lugar de gastar, o que leva a que a procura de viagens continue relativamente fraca.

O crescimento em África foi de 9,8% e na América Latina foi de 8,5%.

Nos primeiros dois meses deste ano, face ao período homólogo de 2009, no qual o tráfego mundial atingiu os níveis mais baixos da crise, o crescimento médio é de 7,9%, com aumentos de 24,5% no Médio Oriente, 10% na Ásia/Pacífico, 9,9% na América Latina, 9,3% em África e 3,5% tanto na Europa como na América do Norte.

O destaque da IATA, no entanto, vai para a taxa de ocupação dos voos, que foi de 75,5% em Fevereiro e está numa média de 75,9% nos primeiros dois meses.

A IATA assinala que, porém, é preciso ter em conta que Fevereiro é tradicionalmente o mês mais fraco do ano e que se ajustada pela sazonalidade, a taxa neste mês sobe para 79,3%, que é um nível recorde para este período.

Os dados da IATA mostram que genericamente as companhias aéreas estão a manter as políticas de contenção da oferta que adoptaram a partir da eclosão da crise, o que levou a que em Fevereiro o aumento da capacidade colocada no mercado (medida em ASK, lugares x quilómetros) tenha sido de apenas 1,9% e nos primeiros dois meses esteja em 1,4%.

As companhias mais conservadoras estão a ser as norte-americanas, que em Fevereiro reduziram a capacidade em 3%, e as europeias, que também reduziram a oferta, em 0,5%.

No pólo oposto estiveram as companhias do Médio Oriente, que subiram a oferta em 15,5%, seguindo-se as africanas, com +9,2%, as da Ásia/Pacífico, com +2,1%, e as da América Latina, com +1,2%.

As companhias da Ásia/Pacífico tiveram a taxa de ocupação mais elevada em Fevereiro, nos 78,5%, seguindo-se as da América Latina, com 77,2%, as da América do Norte, com 75,2%, as da Europa, com 74,6%, as do Médio Oriente, com 73,8%, e as de África, com 65,3%.

Fonte: Presstur

Jackson Square Aviation é lançada com compromisso de capital de $500 milhões

A Jackson Square Aviation tem o prazer de anunciar sua formação juntamente com um compromisso de capital de $500 milhões com sua empresa controladora (JSA International Holdings, L.P.) de fundos de investimento administrados pela Oaktree Capital Management, L.P. Dirigida pelo experiente trio de leasing de aeronave formado por Richard Wiley, Toby Bright e Scott Weiss, a Jackson Square tem a intenção de se tornar a fornecedora líder em capital de leasing para companhias aéreas de passageiros e carga do mundo inteiro. A equipe de gestão que anteriormente dirigiu a Pegasus Aviation e a Sky Holding investe com a Oaktree desde a metade dos anos noventa e já começou a empregar o tão necessário capital no setor de companhias aéreas.

"Havíamos anunciado em dezembro que a Sky está sendo parceira da Oaktree, e estamos empolgados pelo lançamento da nova marca Jackson Square no mercado", afirmou Richard Wiley, Presidente e CEO da Jackson Square. "Temos planos de crescimento ambiciosos para os próximos dois anos e, com $500 milhões em ajuda da Oaktree, estamos bem posicionados para servir nossos clientes, financiando mais de $2 bilhões das aeronaves Boeing e Airbus anualmente. A ênfase da Jackson Square é em contratos de venda e arrendamento com cláusula de recompra (sale/leasebacks) de tecnologia de futura geração, para todas as companhias aéreas mais importantes do mundo. A Sky continuará a executar seus negócios existentes separadamente, principalmente a gestão de uma grande frota de aeronaves".

A Jackson Square já efetuou transações com dois de seus clientes, a Avianca e a Air Berlin, para sale/leasebacks de 10 B737NG e aeronaves da família A320. Estas transações demonstram o compromisso da Jackson Square com o crescimento em um ambiente de desafios. "Iniciamos a aquisição de aeronave exatamente no momento em que nossos clientes mais precisam do capital de leasing", afirmou Toby Bright, Chefe de Marketing da Jackson Square. "Nesse ambiente, agregamos um enorme valor em forma de nosso alcance setorial, expertise, flexibilidade e forte suporte financeiro".

A Jackson Square Aviation está localizada na Jackson Square Historic District of São Francisco, adjacente ao centro financeiro da cidade e local de uma mistura eclética de lojas, galerias e restaurantes. "É um grande lar para nós", observa Scott Weiss, COO e Chefe dos Mercados de Capital da Jackson Square. "O distrito de Jacson Square reflete muito da personalidade de nossa firma: em nossa indústria de capital intensivo e de alto custo nos esforçamos para manter nosso espírito empresarial e proposta realista aos serviços ao cliente".

Sobre a Jackson Square Aviation, LLC: A Jackson Square é uma empresa de leasing de aeronave de serviço completo com sede em São Francisco, escritórios em Seattle, Miami e Buenos Aires, e com escritórios europeus e asiáticos sendo inaugurados em 2010. A equipe de gestão, que havia trabalhado junto na Pegasus Aviation e na Sky Holding, possui mais de 100 anos de experiência industrial combinada. A equipe já adquiriu coletivamente mais de $10 bilhões de aeronaves, comprou e/ou renegociou mais de 400 aeronaves, e tem desenvolvido relacionamentos com mais de 30 credores comerciais e bancos de investimento da Europa, Ásia e América do Norte.

Sobre a Oaktree Capital Management, L.P.: A Oaktree é uma alternativa global principal e gestora de investimento não tradicional com aproximadamente $73 bilhões em ativo sob gestão na data de 31 de dezembro de 2009. A firma dá ênfase a uma proposta oportunista de investimentos, de valor orientado e risco controlado em capital privado especializado (inclusive infraestrutura de energia elétrica), dívidas difíceis, obrigações de alto investimento e conversíveis, imóveis, mercado emergente e finança do mezanino. A Oaktree foi fundada em 1995 por um grupo de diretores que tem trabalhado junto desde a metade dos anos oitenta. Com sede em Los Ângeles, a firma tem hoje aproximadamente 600 empregados e escritórios em 14 cidades no mundo todo.

Fonte: Yahoo! Notícias