sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

VARIG implementa Central de Atendimento ao Surdo

Deficientes auditivos terão canal de comunicação em tempo real com a Empresa.

São Paulo - A VRG Linhas Aéreas, que opera a marca VARIG, implementou uma Central de Atendimento ao Surdo. A iniciativa visa inserir os cerca de seis milhões de deficientes auditivos brasileiros, entre os quais 1,1 milhão são surdos totais, no universo de clientes da Empresa -de maneira confortável e apropriada.

O serviço funcionará 24 horas por dia, todos os dias da semana, pelo telefone 0800 - 727 1076. Para oferecer esse canal de atendimento, a VARIG investiu na compra de tecnologia, software e equipamentos desenvolvidos pela empresa especializada Koller&Sindicic.

As ligações podem ser feitas de qualquer lugar do Brasil por meio do TS, sistema telefônico especial instalado nas residências de pessoas com deficiência auditiva, ou a partir dos quase 800 telefones públicos especiais localizados em rodoviárias, aeroportos e shoppings do país.

Trata-se de um aparelho especial com um visor, onde se lê a mensagem, e um teclado como o de um computador. O fone do telefone convencional, inclusive do orelhão, fica encaixado nesse visor e alguns modelos funcionam ligados diretamente à rede telefônica convencional. A campainha é substituída por um alarme luminoso.

Para viabilizar a comunicação, os computadores de atendimento têm um aparelho decodificador que lê o que foi digitado pelo cliente e transforma a mensagem em texto na tela. Dessa forma, os atendentes da Central de Vendas e Reservas estabelecem uma comunicação em tempo real com seus interlocutores.

Perfil da VARIG

A VRG Linhas Aéreas S.A., adquirida pela GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. em abril de 2007, oferece 140 vôos diários para 14 destinos no Brasil: Brasília, Belo Horizonte (Confins), Curitiba, Fernando de Noronha, Florianópolis, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (Santos Dumont e Tom Jobim), Salvador e São Paulo (Congonhas e Guarulhos).
Também realiza 30 vôos diários para dez destinos internacionais: Buenos Aires, Bogotá, Caracas e Santiago, na América do Sul; Cidade do México, na América do Norte; e Frankfurt, Londres, Madri, Paris e Roma, na Europa. Atualmente, a frota da VARIG é composta por 36 aeronaves Boeing.

Para mais informações, tabela de vôos e tarifas da VARIG, acesse o site www.varig.com.

Fonte: Revista Fator

Empregados da Petrobras se recusam a embarcar em helicóptero

Sindicato afirma que em dez anos 210 trabalhadores da Petrobras morreram em acidentes.

Na terça, aeronave com 20 pessoas fez um pouso forçado na área da bacia de Campos.

Cinco trabalhadores tercerizados e cinco funcionários da Petrobras se recusaram nesta sexta-feira (29) a embarcar em um helicóptero da empresa BHS que os levaria para a plataforma P-8, no campo de Marimbás, na bacia de Campos, Norte Fluminense, com medo de novos acidentes e preocupados com as condições de trabalho, informou a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

"Existe um medo dos empregados e dos terceirizados. Nos últimos anos houve muitos acidentes e mortes com essa e outras empresas", disse o diretor das FUP, João Antonio de Moraes. O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense também confirmou a informações.

Mortes

Os dados da FUP apontam que nos últimos dez anos 210 trabalhadores da Petrobras morreram em acidentes, sendo 39 empregados próprios e 171 de empresas contratadas pela estatal.

"Os terceirizados não param de crescer na empresa. Hoje são 170 mil contra 50 mil concursados. Isso ocorre principalmente na área de exploração e produção. Os terceirizados ganham menos, têm jornada de trabalho maior e não têm a mesma proteção. Isso prejudica a segurança", acrescentou Moraes.

Mobilização

A FUP quer realizar na semana que vem uma mobilização nacional para chamar a atenção da Petrobras e da sociedade para as condições de trabalho na estatal.

"O objetivo não é parar a produção. É atrasar a troca de turno para podermos conversar com o pessoal sobre o que está acontecendo", disse Moraes.

Ele entregou uma carta ao presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, cobrando medidas da companhia. A estatal confirma a recusa dos funcionários de embarcar em helicópteros da BHS, mas considera o fato isolado e afirmou que alguns vôos programados para a sexta-feira de manhã foram transferidos para sábado por uma questão de logística.

Na terça-feira, uma aeronave da empresa com 20 pessoas fez um pouso forçado no mar, na área da bacia de Campos, e quatro empregados morreram e um está desaparecido.

A empresa BHS diz desconhecer a informação sobre a recusa dos funcionários subir em sua aeronave.

Fontes: G1 / Reuters

EADS/Northrop consegue contrato para renovar frota de aviões-tanque nos EUA

O Pentágono selecionou o grupo europeu EADS, empresa mãe da Airbus, e sua sócia americana Northrop Grumman, como fornecedores, num contrato milionário para renovar sua frota de aviões de abastecimento aéreo.

Fonte: France Presse

Companhia finlandesa encomenda mais três jatos Embraer 190

As aeronaves serão entregues entre 2010 e 2011.

O modelo 190 da empresa brasileira é um avião de 100 assentos.

A empresa aérea finlandesa Finnair encomendou mais três jatos Embraer 190. As aeronaves serão entregues entre 2010 e 2011. O valor do negócio não foi informado. O modelo 190 da empresa brasileira é um avião de 100 assentos, que a Finnair utiliza em seu tráfego doméstico e na Europa.

"Por meio do pedido nós asseguramos a disponibilidade de capacidade sob as presentes condições. Os registros de pedidos da fabricante de aeronaves estão cheios para os próximos anos, e estimamos que nosso tráfego na Europa crescerá com a onda de tráfego asiática", afirmou o chefe de operações da Finnair, Henrik Arle.

A companhia finlandesa já possui seis jatos Embraer 190 e uma sétima aeronave será entregue hoje. Além dos aviões encomendados agora, mais um Embraer 190 se juntará à frota da Finnair no fim deste ano, e mais dois em 2009. A Finnair também possui dez aeronaves Embraer 170, de 76 assentos. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

Maior terminal do mundo começa a operar em Pequim

O novo terminal do aeroporto internacional de Beijing, o maior do mundo e um dos principais projetos de ampliação para receber uma onda de passageiros durante o período da Olimpíada deste ano, entrou em operação hoje pela manhã. O Terminal Nº 3 do Aeroporto Internacional de Pequim recebeu o primeiro vôo comercial às 8h50 (horário local), quando os passageiros a bordo do vôo SC1151, vindo da província de Shangdong, leste da China, começaram a desembarcar.

Com uma superfície de 986 mil metros quadrados, duas vezes maior que a área total dos dois terminais antigos, o novo terminal deve ser o maior do mundo, revelou o chefe do projeto de construção, Fan Jun. O novo terminal foi desenhado pelo famoso arquiteto britântico Lord Foster e começou a ser construído em 28 de março de 2004. Com a inauguração, o aeroporto internacional de Beijing poderá receber 76 milhões de passageiros a cada ano.

Antes, o aeroporto tinha apenas uma capacidade de 53 milhões de passageiros. A China também está reformando e renovando vários aeroportos próximos à capital chinesa, que poderão ser usados no período dos Jogos Olímpicos.

Fontes: Terra / Fotos: Agência Xinhua

Boeing entrega 1400ª unidade do jumbo 747, 40 anos após primeiro avião ser entregue

A Boeing anunciou a entrega da 1400ª unidade do jumbo 747. O avião, um 747-400 cargueiro, foi enviado à empresa de leasing aeronáutico norte-americana GE Commercial Aviation Services (Gecas), que vai repassá-lo à AirBridgeCargo Airlines.

Estamos honrados em receber o 1400º 747, disse o vice-presidente de Produção da companhia aérea, Gennady Pivovarov. O 747 é um avião de alta qualidade e muito confiável, e tem sido importante para nosso sucesso, acrescentou.

O avião entregue é o sétimo 747 na frota da companhia. Além disso, a controladora da AirBridgeCargo, a Volga-Dnepr, tem ainda pedidos para outros cinco 747-8 de carga, a versão mais moderna do avião cargueiro.

Esse marco mostra a solidez da fundação criada logo no começo do programa do 747, disse o vice-presidente e diretor geral do Programa do 747, Ross Bogue. A Boeing entregou sete vezes mais aviões do que sua estimativa de mercado inicial de 200 unidades, feita na época em que o 747 entrou em serviço, completou.

Os 1.400 aviões desse modelo construídos na fábrica de Everett (estado de Washington, nos EUA) têm em conjunto um total de 17 milhões de vôos entre 1968 e 2007, com 89 milhões de horas de vôo, equivalente a 10 mil anos de vôo ininterrupto. Essas aeronaves, segundo a Boeing, já voaram cerca de 78 bilhões de quilômetros, o equivalente a 101,5 mil viagens de ida e volta à Lua.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Petrobras busca último desaparecido em acidente com helicóptero

Corpo encontrado na quinta-feira está no IML, mas ainda não foi identificado.

Funcionário da Petrobras será enterrado na manhã desta sexta-feira, no Caju.

Veja onde foi o acidente com o helicóptero a serviço da Petrobras (Foto: Arte G1 SP / Fonte: Petrobras)

A Petrobras informou, na manhã desta sexta-feira (29), que a última vítima do acidente com o helicóptero que saiu da plataforma P-18 na Bacia de Campos, na terça-feira (26), continua desaparecida.

O corpo do passageiro encontrado na manhã de quinta-feira (28) chegou ao Instituto Médico Legal de Macaé durante a madrugada. Ele ainda não foi identificado. De acordo com a lista da empresa, o corpo pode ser do piloto Paulo Roberto Calmon ou do funcionário terceirizado Guaraci Novaes Soares.

Enterro na sexta

As duas vítimas que foram encontradas dentro do helicóptero, no fundo mar, foram resgatadas e identificadas. Uma delas é o funcionário da De Nadai Serviços de Alimentação, Durval Barros da Silva, sepultado na manhã dequinta-feira (28) no Cemitério de Inhaúma, no subúrbio. O outro corpo pertence a Adinoelson Simas Gomes, funcionário da Petrobras, que será enterrado na manhã desta sexta-feira (29) no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária.

Buscas

A Petrobras informou na quinta que as buscas estão sendo feitas com dez embarcações, três helicópteros e cinco barcos especiais com equipamentos submarinos para procurar no fundo mar.

Dos 20 passageiros, 15 foram resgatados com vida. A assessoria do Hospital da Unimed, em Macaé, informou na quinta-feira que 14 feridos resgatados continuavam internados na unidade. O passageiro Júlio Ribeiro da Silva deixou o hospital, sem alta médica, na noite de quarta-feira.

Vítima foi enterrada

O corpo de Marcelo Manhães dos Santos, morto no acidente com o helicóptero a serviço da Petrobras na terça-feira (26), e o primeiro a ser localizado, foi enterrado na quarta (27) em Rio das Ostras, na Região dos Lagos. Ele trabalhava para uma empresa de engenharia, terceirizada da estatal.

O acidente

O helicóptero Super Puma da empresa BHS Táxi Aéreo saiu da plataforma P-18, no Campo de Marlim, na Bacia de Campos, no Norte Fluminense, fez um pouso forçado em alto-mar e começou a afundar em algumas horas. A Petrobras afirmou, durante coletiva na quarta, que uma comissão interna acompanha as investigações da polícia, da Marinha e da Aeronáutica. A direção da estatal acredita que tenha ocorrido falha mecânica. A 123ª DP (Macaé) confirmou que o inquérito que apura as causas do acidente já foi aberto.

Documentos em dia

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava com o documento da inspeção anual em dia. O seguro e a habilitação do piloto também estavam válidos.A Petrobras informou que suspendeu as operações com dois helicópteros do mesmo modelo até que eles sejam reavaliados pelos fabricantes.

BHS lamenta o acidente

Em nota oficial, a empresa BHS informou que "lamenta profundamente o acidente ocorrido na Bacia de Campos com um dos seus helicópteros". Segundo a empresa, a maior preocupação tem sido o resgate das vítimas e a assistência aos seus familiares.

A BHS declarou ainda seu compromisso na prestação das informações que possam contribuir com as investigações do acidente.

Fonte: G1

Frota de SP terá 80 helicópteros a mais até 2010

A cidade de São Paulo deve ganhar pelo menos 80 helicópteros no ar até 2010 - um aumento de 17% na frota. A estimativa é do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que ontem emitiu 49 recomendações aos órgãos e empresas ligados à aviação civil no País, para se preparar para o aumento no fluxo de helicópteros e de pequenas aeronaves na área de Controle de São Paulo. A expectativa é de que 500 aviões executivos cheguem ao Brasil até 2010.

“Temos uma frase que é: não deixe o avião chegar aonde sua mente não chegou cinco minutos antes. É o que estamos fazendo”, disse o chefe do Cenipa, brigadeiro Jorge Kersul Filho. Apenas 20 das propostas foram apresentadas à imprensa. Nove são relativas à fiscalização e às melhorias no tráfego de helicópteros. Umas delas é mudar as rotas para áreas onde haja menos edificações e o ruído tenha menor impacto. Hoje, a capital tem 470 helicópteros em circulação, o dobro de Nova York, onde há 200. E a previsão de crescimento não preocupa só pela segurança de vôo, mas pelo barulho.

Outra recomendação do Cenipa é para que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estude a instalação de dispositivo anticolisão (Tcas) nas aeronaves que voam na Área de Controle de São Paulo. Segundo Kersul, a adoção do Tcas, seguida da notificação de situações de risco, pode ajudar a encontrar pontos de saída em meio ao grande fluxo de aviões. Após cruzar as informações, o Cenipa poderia distribuir o movimento. O Tcas alerta a tripulação das aeronaves sempre que uma está a menos de 10 quilômetros de outra, possibilitando que se afastem.

Mas o presidente da Abraphe explica que, no caso de helicópteros, a obrigatoriedade da instalação do dispositivo é polêmica. “Em alguns modelos, o valor do Tcas é metade do preço do aparelho.” Não existe estimativa de quantas aeronaves não possuem o alerta. Tais situações eram freqüentes na região de Congonhas, em que aviões e helicópteros dividem o espaço aéreo. Em 2003, foram registradas 79 situações de risco. Com a criação do controle de helicópteros na área de aproximação, em 2004, os riscos diminuíram: em 2007, o SRPV-SP registrou dez situações com aeronaves próximas.

Fonte: Agência Estado

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Acidentes aéreos em 2008 no Brasil já representam 22% do total de 2007

A quantidade de acidentes aéreos registrados ao longo dos meses de janeiro e fevereiro deste ano representam quase um quarto do total de 2007 no Brasil, segundo o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), ligado à Aeronáutica.

Balanço divulgado nesta quinta-feira mostra que até agora foram 22 acidentes aéreos no país, o equivalente a 22,6% dos 97 anotados em 2007. Com base nos número divulgados pelo Cenipa, a média mensal de acidentes passou de 8 em 2007 para 11 em 2008. O Cenipa não divulgou o total de mortos.

O histórico dos acidentes aéreos no Brasil mostra uma evolução ao longo dos últimos três anos, com forte crescimento em 2007, ano em que o país registrou o maior acidente aéreo de sua história.

Em 17 de julho de 2007 o vôo 3054 realizado por um Airbus-A320 da TAM pousou no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo), mas não conseguiu parar, atravessou a pista e bateu em um prédio da TAM Express. O choque provocou um incêndio de grandes proporções e 199 pessoas morreram em conseqüência do acidente.

Em 2005 foram 58 acidentes aéreos, saltando para 64 (10,3% a mais). Em 2007 foram 51% a mais, passando para 97.

Além dos dados a respeito dos acidentes, o Cenipa divulgou uma lista com 49 recomendações de segurança de vôo. Elas foram formuladas após uma reunião que contou com 31 representantes dos governos federal, estadual e municipal, e empresas e entidades ligadas ao setor aéreo.

Grande parte das recomendações estão ligadas à infra-estrutura e segurança de vôo envolvendo helicópteros. A estimativa é que cidade de São Paulo deva ganhar 81 grandes helicópteros até 2010, elevando em ao menos 18% o total de aparelhos desse tipo registrados apenas na cidade de São Paulo.

Segundo o brigadeiro Jorge Kersul Filho, chefe do Cenipa, as recomendações de segurança de vôo formuladas não tiveram como base o aumento no número de acidentes em 2008, no entanto, ele se mostrou intranqüilo com as estatísticas. "Estão [acidentes] numa curva ascendente e não estão nos dando tranqüilidade", afirmou.

O brigadeiro afirmou que as recomendações anunciadas hoje não são obrigatórias, mas cada órgão envolvido terá de ao menos estudar as propostas que foram formuladas e apresentar um resultado dos estudos num novo encontro, previsto para acontecer em seis meses.

Segundo ele, todas as normas existentes, se executadas, atendem satisfatoriamente à segurança de vôo no Brasil. Entretanto, ele não descartou uma elevação no número de acidentes aéreos nos próximos anos.

"Os riscos sempre existirão. O que cabe são os níveis aceitáveis e alguma iniciativa deve ser tomada. Se em 2010 nada for feito, os riscos aumentarão", disse.

Recomendações

Entre as recomendações estão a de revisão da portaria que estabelece um período mínimo de permanência dos aviões no terminal de Congonhas (zona sul de São Paulo), sugestão à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que estude a viabilidade de obrigar as aeronaves a instalar o TCAS (sigla para Traffic Allert and Collision Avoidance System), conhecido como sistema de alerta anticolisão, e aperfeiçoamento na infra-estrutura de aeroportos paulistas tais como os de Jundiaí, Bragança Paulista e Sorocaba, de modo a contarem com torre de controle. Esta última recomendação foi dada à Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo).

Entre as sugestões constantes nas recomendações de segurança de vôo está a de estudar a possibilidade de destinar espaço específico para treinamento de pilotos. Outro item diz respeito a manutenção de cópia atualizada do cadastro de informações dos helipontos existentes em São Paulo, inclusive com dados relativos aos proprietários. A medida, segundo a Aeronáutica, é necessária para rastrear de forma adequada as aeronaves.

Outras sugestões são a de estudo de viabilidade de construção e ativação de heliportos nos aeroportos de Guarulhos e Viracopos, em Campinas (95 km a noroeste de São Paulo), inclusive com possibilidade de operação noturna.

Fonte: Folha Online

Cenipa anuncia medidas para diminuir acidentes aéreos

Pilotos que operam em São Paulo deverão ter treinamento específico.

Em 2007, foram registrados 97 acidentes em todo o país.

O Centro de Investigações de Acidentes Aéreos (Cenipa) anunciou nesta quinta-feira (28) 49 recomendações para diminuir o número de acidentes aéreos no país.

Entre as medidas anunciadas estão: tornar obrigatório em todas as aeronaves um equipamento que alerta para a proximidade de outros aviões e exigir um treinamento específico para pilotos que operam em São Paulo.

Para o Cenipa, apesar de localizadas, as medidas ajudarão a melhorar a segurança de vôos em todo o país, que ganhou mais de duas mil aeronaves nos últimos dez anos. O destaque para São Paulo foi dado porque a situação no estado é uma das mais preocupantes já que ele possui o espaço aéreo mais movimentado do país, cortado por alguma aeronave 1.700 vezes por dia. A frota de helicópteros também é grande. A segunda maior do mundo, com quase 500 helicópteros. Fica atrás apenas de Nova York.

E a tendência é de que o tráfego aéreo em São Paulo continue aumentando. Só entre helicópteros, a cidade deve receber mais 80 nos próximos três anos.

Em todo o país, em 2006, foram registrados 64 acidentes. No ano passado, esse número subiu para 97 e, este ano, já aconteceram 22. “Estamos numa curva ascendente de acidentes, e todos nós temos que tomar providências para que essa curva seja revertida”, disse Jorge Kersul Filho, chefe do Cenipa.

Fonte: G1

Pane no rotor derrubou helicóptero, relatou co-piloto

Veja onde foi o acidente com o helicóptero a serviço da Petrobras (Foto: Arte G1 SP / Fonte: Petrobras)

A queda do helicóptero da empresa BHS, anteontem, após deixar a plataforma P-18 da Petrobras, na Bacia de Campos, foi provocada por uma pane no rotor de cauda da aeronave, segundo relatou hoje o co-piloto, Sérgio Ricardo Muller, a colegas que o visitaram no Hospital da Unimed de Macaé (RJ). Apesar de a direção do hospital ter informado que nenhum dos sobreviventes havia sofrido fratura, Muller contou ter fraturado uma costela.

No relato do co-piloto, tão logo levantaram vôo, por volta de 16h15, houve um problema no rotor da cauda, que existe para evitar que a cabine do helicóptero gire no sentido contrário das hélices. Sem o rotor funcionando como deveria, a aeronave deu um giro de 360º, teve uma forte trepidação e caiu.

Segundo pilotos de aeronave, a pane no rotor traseiro é sempre incontrolável quando acontece na decolagem porque a aeronave ainda está sem potência para subir. Quando ela ocorre em pleno vôo, há mais chances de um pouso controlado. A queda da aeronave da BHS, segundo analisam outros pilotos, foi atenuada pela perícia do piloto Paulo Roberto Calmon, que conseguiu acionar os flutuantes, diminuindo um pouco o impacto com a água.

Fontes: G1 / Agência Estado

Encontrado 4o corpo de acidente com helicóptero da Petrobras

Assista a reportagem do RJTV (TV Globo - RJ)

Equipes de resgate que trabalham nos arredores do local onde caiu um helicóptero que prestava serviços para a Petrobras encontraram nesta quinta-feira o corpo da quarta vítima do acidente, informou a estatal em comunicado.

Os trabalhos de busca continuam na tentativa de encontrar a última pessoa desaparecida.

A empresa disse ainda que os corpos de duas vítimas foram identificados, os de Durval Barros da Silva, da empresa De Nadai Serviços de Alimentação, e Adinoelson Simas Gomes, empregado da Petrobras.

O corpo encontrado na manhã desta quinta pode ser de Paulo Roberto Veloso Calmon, piloto do helicóptero da empresa BHS, ou de Guaraci Novaes Soares, da empresa De Nadai Serviços de Alimentação, as duas pessoas a bordo que ainda não foram identificadas pelo Instituto Médico Legal de Macaé (RJ).

O helicóptero que prestava serviços para a Petrobras caiu na bacia de Campos na tarde de terça-feira, depois de decolar da plataforma P-18 com 20 pessoas a bordo, sendo 17 passageiros e três tripulantes. Quinze pessoas foram resgatadas com vida após o acidente.

De acordo com a estatal, as buscas continuam com três helicópteros e cinco barcos especiais com equipamentos submarinos para procurar no fundo do mar.

Fontes: G1 / Reuters

Sindicato tem registro de problemas nos vôos em plataformas

Serviço foi criado depois de queda de helicóptero em 2004.

Sindicalista diz que trabalhadores temem represálias depois dos relatórios.

Enterro de uma das vítima de queda de helicóptero na Bacia de Campos, no Cemitério de Rio das Ostras (Foto: Fabio Rossi/Agência O Globo)

Desde o acidente de 2004, com um helicóptero na Bacia de Campos que provocou a morte de cinco pessoas , o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro NF), tem incentivado os funcionários que vivem embarcando e desembarcando das plataformas que registrem qualquer irregularidade percebida nas aeronaves.

O diretor-geral do Sindipetro NF, José Maria Rangel, não revela o número de registros, mas informa que a maioria relata problemas como vazamento de óleo, trepidação e barulhos estranhos nos helicópteros.

Rangel diz que a maioria dos funcionários – principalmente, os prestadores de serviço – teme sofrer represálias pelas reclamações, mesmo que, no preenchimento do formulário do Relatório de Perigo (Relper), o reclamante não precise se identificar. Os registros, afirmou ele, são enviados à gerência de transportes aéreos da Petrobras para que sejam tomadas as devidas providências.“

A gente vem tentando intensificar e conscientizar as pessoas da necessidade de registrar as anormalidades nas aeronaves. Se a gente consegue identificar pequenos incidentes tem condições de tentar evitar um grande acidente”, disse Rangel.

Três tentativas até decolar

Num relato de 31 de janeiro, um instrumentista da Petrobras contou que teve de mudar de aeronave duas vezes para chegar a uma das plataformas da Bacia de Campos. Primeiramente, o seu vôo, inicialmente marcado para 30 de janeiro, foi cancelado, depois de uma semana de chuva intensa na região. No dia seguinte (31), os passageiros já estavam no helicóptero, um Super Puma, fazendo o check-list para decolar do Aeroporto de São Tomé, quando uma outra aeronave com os botes inflados chegou. Para a realização da operação de socorro todos foram desembarcados.

Segundo o relato do funcionário, a impressão é de que a correria era para compensar os dias parados por causa da chuva. Ele contou que foram informados que embarcariam em outro helicóptero que acabara de chegar (sem respeitar o intervalo mínimo de 30 minutos entre um vôo e outro).

Ao entrar na segunda aeronave, o piloto detectou pelos instrumentos falha na bateria. Novo desembarque, autorização para almoçar e a conversa entreouvida de que o instrumento é que estava errado. E todos embarcaram novamente no mesmo helicóptero. No final do documento, o funcionário escreveu:

“Tenho de agradecer ao Senhor. Quase usei meu direito de recusa para não embarcar”. Rangel diz que algumas das propostas do Sindipetro NF foram acolhidas pela Petrobras. A empresa, segundo ele, estaria começando uma obra no aeroporto de Macaé para evitar que os helicópteros tenham de decolar na vertical, o que exige que as turbinas estejam na potência máxima, mas ainda não acatou a obrigatoriedade de uso de casacos, camisas ou macacões laranja para os passageiros de aeronaves.

“Desde o final do ano passado, o sindicato distribuiu camisetas laranja para os passageiros. É a cor ideal para quem vai voar, pois facilita muito a identificação, em caso de acidentes no mar”, explicou Rangel.

Sobrevivente de 1986

O acidente com o Super Puma, ocorrido na última terça-feira (26), fez o instrutor de mergulho Carlos Roberto de Souza, o Roberto Velho, de 70 anos, lembrar do acidente que sofreu em 1986, quatro anos após ter perdido 14 colegas na explosão de um helicóptero, na Bacia de Campos. Na época, Roberto Velho, a cada 14 dias tinha de embarcar numa aeronave até a plataforma onde trabalhava, a S-11, como mecânico de mergulho em grande profundidade.

“Depois da explosão de 82, sempre que saía de casa falava com a minha mulher que tinha a sensação de que iria cair no mar. Mas não tinha medo. Até que um dia aconteceu. Quando embarquei, um colega que tinha acabado de chegar reclamou da aeronave. Desde o acidente, a gente tinha apelidado aquele tipo de helicóptero de “Mão Branca”, que na época era o nome de um justiceiro que matava todo mundo na Baixada Fluminense”, comentou Roberto Velho.

Ele embarcou assim mesmo e logo na decolagem, ouviu piloto e co-piloto discutindo como fazer para contornar o problema de uma turbina que não estava funcionando. Eles tentaram uma manobra, que não deu certo e o helicóptero fez um pouso forçado a pouco mais de 10 metros da plataforma. Como um dos três flutuadores não funcionou, o comandante decidiu manter o rotor funcionando até a água atingir a cintura dos 14 passageiros, na cabine. Quando desligou o motor, a aeronave adernou para o lado sem o flutuador e começou a afundar lentamente.

“Muita gente se desesperou. Com a minha experiência de mergulho, estava me sentindo mais seguro na água. Inflamos os dois botes, o socorro chegou rápido e conseguimos salvar todo mundo. Um dos colegas, que não sabia nadar, já estava se afogando, quando foi levado para a superfície por uma pá da hélice do rotor principal. Na época questionei muito a atitude do piloto, mas só depois nos informaram sobre o problema com o flutuador”, contou o mergulhador, lembrando que o helicóptero foi içado logo em seguida.

Medo, Roberto Velho diz que nem teve tempo de sentir. Afinal, sete dias depois, estava embarcando mais uma vez no “Mão Branca”, para voltar à plataforma. E continuou na rotina de vôos até 1994.

“Viajo muito de avião, mas confesso que ando temeroso. Hoje, os equipamentos são mais modernos e seguros. Mesmo assim, é bom lembrar que em mecânica quando uma peça falha não avisa antes”, ressaltou Roberto Velho.

Fonte: G1

Avião da Continental faz pouso de emergência na Costa Rica

Um Boeing 737-824 da companhia americana Continental Airlines, com 146 passageiros e tripulantes, fez um pouso de emergência hoje no Aeroporto internacional de San José, depois de observado fogo na cabine de pilotagem, informou a televisão local.

O vôo havia saído do mesmo aeroporto Juan Santamaría da capital da Costa Rica com destino a Houston, Texas, quando foi registrado o alerta.

O vôo 1797 pousou às 10H30 locais (16H30 GMT) sem problemas.

Fonte: France Presse

Varig anuncia acordo com a Japan Airlines, o terceiro em três dias

Ontem, o acordo foi com a holandesa KLM e, no dia anterior, com a espanhola Iberia.

A Varig passa a ter contrato de parceria com 11 empresas estrangeiras.

Três dias, três anúncios de acordo interline da Varig. Nesta quinta-feira (28), a companhia, subsidiária da Gol, informou ter fechado parceria operacional com a japonesa Japan Airlines (JAL). Ontem, o acordo foi com a holandesa KLM e, no dia anterior, com a espanhola Iberia.

A Varig, agora, passa a ter contrato de parceria com 11 empresas estrangeiras, além de com sua controladora.

O acordo interline permite que passageiros das duas companhias parceiras comprem passagens para todos os destinos operados por elas. Os clientes da brasileira, porém, só podem receber pontos do programa de milhagem pelos vôos realizados pela própria companhia - eles não valem para trechos operados pela parceira.

O objetivo da Gol com a multiplicação de acordos como esse é gerar maior tráfego e receita em seus aviões com passageiros captados pela parceira. Por outro lado, seu interesse é poder oferecer um maior número de destinos a seus próprios clientes, obtendo receita com viajantes que, sem esses acordos, possivelmente comprariam seus bilhetes para o trecho inteiro em outra companhia.

O modelo de acordos também é reflexo de uma mudança na estratégia da Gol para a subsidiária Varig. Ao anunciar a aquisição, no início do ano passado, a empresa da família Constantino afirmou ter a intenção de se tornar a maior empresa aérea brasileira no segmento internacional, abrindo vôos para o maior número de destinos. As dificuldades e a complexidade desse mercado, porém, a fizeram mudar de idéia no há alguns dias e mesmo a abandonar algumas rotas internacionais - entre elas três em operação há menos de cinco meses (Frankfurt, Londres e Roma).

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Avião cai e mata três pessoas nos EUA

Foto: Terry Pierson (The Press-Enterprise)

Um pequeno avião Mooney 20, prefixo N591BB, caiu em uma região residencial de Riverside, a cerca de 100 km oeste de Los Angeles (EUA), e ao menos três pessoas morreram, informou o Corpo de Bombeiros da cidade.

O chefe da Brigada de Incêndio Mike Esparza disse que todos os ocupantes da aeronave morreram. Não foram registrados feridos.

De acordo com testemunhas, citadas pela Associated Press, o avião começou a ter problemas logo após decolar do aeroporto municipal de Riverside.

Esparza disse que o piloto teria tentado pousar em uma rua, mas não conseguiu. Ele acabou atingindo uma palmeira e um automóvel antes de explodir.

Fontes: Folha Online / CBS / ASN

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Teto de Airbus da TAM cai durante o pouso em São Paulo

Um procedimento de aterrissagem incorreto pode ter sido a causa da queda de parte do teto de um Airbus da TAM, matrícula PR-MBB, que fazia o vôo 3085, proveniente de Cuiabá com escala em Campo Grande, na noite de quinta-feira (07).

Chovia fraco durante a aproximação da pista do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, quando a aeronave tocou o solo. Dois segundos após o toque, a aeronave voltou a subir e em seguida tocou a pista novamente freando fortemente. Neste momento, uma das peças de plástico que cobre parte da cabine de passageiros desprendeu-se ferindo levemente uma passageira que ocupava a poltrona 15B.

Comissários de bordo prestaram atendimento ainda durante o taxiamento até o desembarque e sugeriram a mudança de lugar da passageira que já reclamava de dores na cabeça. Os demais à bordo comentavam o incidente ressaltando o que teria acontecido caso o pouso tivesse sido realizado no aeroporto de Congonhas.

Fontes: Gilberto Jr. (repórter) / Fotos: Eduardo Viné

Aeroporto em Juazeiro do Norte funciona com restrições

O Terminal aéreo Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte - Foto: Elizângela Santos

A falta de condições do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes (JDO/SBJU), em Juazeiro do Norte, no Estado do Ceará, para pouso de aviões de grande porte, tem impedido o aumento no número de vôos na região. Recentemente, a empresa de linha aéreas TAM fez uma pesquisa para avaliar as condições de implementação de vôos, mas a falta de estrutura da pista impediu a consolidação.

A empresa classificou a pista como “acanhada” para pousos e decolagens. O aeroporto teve, nos últimos dois anos, um crescimento significativo, em termos proporcionais, quando comparado aos demais aeroportos brasileiros.

Os ajustes que ainda faltam faz com que vôos de carga não sejam conquistados, incluindo determinado número de passageiros, condições de abastecimento favoráveis e a quantidade de bagagens e cargas no vôo. Atualmente, segundo o superintendente regional da Infraero, em Juazeiro do Norte, Edson Fernandes, todas as aeronaves atuam com restrições.

O aumento no suporte e resistência de pista torna-se indispensável para dar segurança de pouso aos aviões de grande porte. Questões burocráticas também tem sido empecilho para realizações de trabalhos e homologação de mais 150 metros de pista pavimentada. São 1.950 metros de pista, com a parte construída, sem reconhecimento da Aeronáutica. Está fora do padrão para atender aeronaves de grande porte.

Algumas reformas importantes foram feitas no local nos últimos cinco anos, por meio de convênio com o governo do Estado. A Infraero aguarda nesse momento a transferência da área patrimonial por parte do governo para iniciar novas reformas, incluindo melhoria de pista e terminal, hoje com capacidade para 60 passageiros, aumentando para 200 pessoas. Será localizado onde atualmente está a praça, de frente ao atual terminal. “São trâmites legais que estão emperrados, apenas burocracia. Aguardamos aceno do governo”, ressalta Edson Fernandes.

Segundo ele, R$ 30 milhões serão investidos na reforma da pista e na construção do terminal de passageiros do aeroporto. O trabalho está previsto para ser concluído em um ano e meio. As reformas e construção serão bancadas pela Infraero, que investe com R$ 20 milhões. A outra parte será obtida pela bancada federal, no total de R$ 10 milhões. “Nós precisamos ter autonomia para iniciar a obra, e isso só depende de ajustes no convênio”, explica. Com essa adequação, será licitado o projeto executivo do terminal e da pista do aeroporto.

Quanto ao reconhecimento da pista atual pela Aeronáutica, faltam apenas alguns ajustes no projeto. Os parâmetros usados são os antigos. A homologação só poderá ser feita após ajustes no projeto da pista atual. Mesmo com a aprovação, continuará nos padrões antigos. Atualmente, operam no Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes as empresas de aviação civil Gol, com uma linha diária; a Oceanair, com duas; e a TAM, com vôos cancelados. Não se sabe ainda se irá retornar. Mesmo com as restrições, a Gol pretende, a partir do dia 24 de março, data de aniversário do Padre Cícero, incluir mais um vôo, às 16 horas, com destinos para Belo Horizonte (MG), São Paulo, Recife, Rio de Janeiro e Fortaleza.

Ano passado, passaram pelo aeroporto 152 mil passageiros. Em 2006, foram 110 mil. Edson Fernandes destaca o crescimento de 38% nos dois últimos anos. A perspectiva com novos vôos é que esse número chegue a cerca de 200 mil embarques e desembarques.

Fonte: Elizângela Santos (Diário do Nordeste)

Boeing vende quatro 737-800 à RAK Airways, dos Emirados Árabes Unidos, por US$ 300 milhões

A Boeing fechou contrato com a RAK Airways, dos Emirados Árabes Unidos (EAU), para a venda de quatro aviões 737-800, além de mais dois direitos de compra para o mesmo modelo. O negócio, a preço de tabela, tem valor de US$ 300 milhões, podendo chegar a US$ 450 milhões, caso os direitos de compra sejam exercidos.

A RAK é a quarta maior empresa aérea dos EAU, e foi criada há dois anos no emirado de Ras Al Khaimah, ao norte do país.

A RAK Airways acredita na oferta de serviços de alto nível para seus consumidores, em linha com nossa estratégia de melhorar os serviços ao cliente com a adição de novos destinos, aumento nas freqüências e uso de aviões mais modernos, disse o presidente do conselho da empresa aérea, Xeque Omar Bin Saqr Al Qasimi. Estamos muito orgulhosos de anunciar nosso acordo com a Boeing e estamos certos de que o 737 é a melhor escolha para o sucesso de longo prazo de nossa companhia, completou.

Congratulamos a RAK por seu lançamento bem sucedido e sabemos que a empresa selecionou o melhor avião para sua missão de suportar o crescimento em Ras Al Khaimah, disse o vice-presidente de Vendas para o Oriente Médio e África da Boeing, Marty Bentrott.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Quatro pessoas feridas em pouso forçado na Califórnia

Foto: Brian Hicks

Quatro pessoas, incluindo uma menina de sete anos, sofreram ferimentos de leves a moderados quando o avião em que estavam perdeu potência quando sobrevoava o Aeroporto French Valley, em Murrieta, no Estado da Califórnia, nos EUA, na terça-feira (26).

O avião, um Lancair IV-P, particular, registrado para Henry Bartle, prefixo N811HB, deslizou aproximadamente 700 pés abaixo numa inclinação após a pista de decolagem.

Henry Bartle, 52, pilotava o avião quando perdeu potência aproximadamente às 13:30, forçando Bartle a aterrissar além da pista de decolagem, de acordo com o filho de Bartle, Henson, que estava no local, mas não no avião.

Os quatro ocupantes foram levados ao Centro Médico de Inland Valley.

Fontes: ASN / CBS2

'Robocóptero' francês tem câmeras e arma de choque

'Quadri France' é comandado por controle remoto. Ele está em fase de testes e pode ser usado pela polícia em 2009.

'Robocóptero' de vigilância é demonstrado na cidade francesa de Reims (Foto: Alain Julien/AFP)


O robô de vigilância 'Quadri France' têm câmeras e taser (arma de choque); aparelho pode ser usado pela polícia francesa em 2009 (Foto: Alain Julien/AFP)

Fontes: G1 / AFP

Airbus vence terceiro contrato consecutivo para fornecimento de aviões-tanque militares

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) escolheram os aviões-tanque militares A330 MRTT da européia Airbus para substituir sua atual frota.

Essa é mais uma vitória conquistada pela European Aeronautics Defence and Space (EADS), controladora da Airbus, na briga pelos altos contratos de renovação de frota de aviões-tanque em todo o mundo, especialmente nos EUA.

Recentemente a empresa já fechou contratos para fornecer a versão modificada do A330 para os governos da Arábia Saudita, Austrália e Reino Unido.

Nos Estados Unidos, a européia tenta superar a local Boeing, fornecedora dos atuais aviões-tanque em operação pela Força Aérea norte-americana. Apenas nesse contrato, o valor em disputa é de cerca de US$ 40 bilhões.

Nada fala mais alto que o sucesso. A quarta vitória consecutiva do A330 MRTT num processo de concorrência internacional sublinha seu excepcional valor e capacidade para a totalidade de requerimentos para um avião-tanque, disse o chefe da divisão de Aeronaves de Transporte Militar da EADS, Carlos Suarez.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

TAM paga R$ 40 mil por furto de bagagem

A 1ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina anunciou na última sexta-feira (22) a condenação da TAM Linhas Aéreas S/A por uma mala violada de um passageiro Edson Bruning. A empresa, que terá que pagar R$ 40 mil, também deverá ressarcir o passageiro pelos danos materiais, com valor a ser calculado em fase de liquidação de sentença. A decisão foi unânime.

Segundo o Tribunal, em janeiro de 2002, quando retornava de uma viagem de negócios a São Paulo, Edson verificou que sua bolsa teve o lacre violado e que de lá fora retirado o estojo com seus CDs de trabalho, avaliado em R$ 300 mil.

"Não restam dúvidas do ato ilícito praticado pela companhia aérea, com falha no dever de cuidado em relação às bagagens que se compromete a transportar em ordem, a evitar o extravio, a violação ou o furto por seus funcionários ou terceiros", declarou o relator do processo, desembargador Carlos Prudêncio.

Testemunhas disseram que os CDs continham a coleção de verão da empresa de calçados em que trabalhava e material motivacional para os vendedores e representantes.

O magistrado explicou ainda que, pelo fato de a empresa não ter emitido nota do valor declarado das bagagens de Edson, deve prevalecer a versão dos bens descritos pelo passageiro.

A TAM ainda não recebeu a intimação oficial.

Fonte: Terra

Avião venezuelano faz pouso de emergência no Panamá

Um avião da Empresa Aérea Venezuelana (AEV), com 112 pessoas a bordo, realizou um pouso de emergência nesta quarta-feira no Panamá por um problema no sistema de ar condicionado, informou a Autoridade de Aeronáutica Civil (AAC, estatal).

A aeronave é o Boeing 737-217, prefixo YV-287 T.

Segundo o porta-voz da AAC, Víctor de La Hoz, o vôo fazia a rota Panamá-Maracaibo.

"O piloto descobriu que saía fumaça do ar condicionado quando já estava voando e por isso resolver voltar ao Panamá, ativando todos os sistemas de emergência", explicou De La Hoz para a AFP.

As unidades dos bombeiros do aeroporto de Tocumen foram imediatamente mobilizadas, assim como os procedimentos de segurança, segundo a ACC.

A AAC informou que os passageiros serão levados por outro vôo até a Venezuela.

Fonte: AFP - Foto: enterateprimero.com

Aumentam para onze os mortos em acidente de avião em setor urbano de Santiago

Foto: A.CH.


Onze pessoas morreram após o acidente de um pequeno avião de Carabineiros que se chocou hoje na zona residencial de Peñalolén, na região leste de Santiago, informou a Prefeitura do local e fontes médicas.

Até esta manhã as autoridades reportaram oito vítimas, mas após remover os restos da aeronave encontrou-se ainda os corpos de duas mulheres que estavam praticando esporte no campo na hora em que a aeornave se chocou.

Em um hospital de urgências, ainda faleceu outra mulher, de 52 anos, que tinha sido levada ao hospital com queimaduras em mais do 80% do corpo.

Uma possível falha técnica gerou o acidente do pequeno avião da Polícia de Carabineiros, que causou além disso uma dezena de feridos, cinco deles de forma grave.

O acidente ocorreu por volta das 10h00 horas (horário local, mesmo de Brasília) quando um pequeno avião modelo Cessna 210 de Carabineiros, com dois funcionários e quatro estudantes de mecânica a bordo, se chocou no Estádio Municipal de Peñalolén, onde acontecia uma aula de ginástica para mulheres e crianças.

Inicialmente, fontes de Carabineiros confirmaram que os seis tripulantes do pequeno avião morreram no acidente, além de uma mãe de 22 anos e sua filha de quatro.

Os falecidos que viajavam no avião são o piloto e capitão de Carabineiros Luciano Castro, de 35 anos e o tenente Sebastián Rodríguez, de 23 anos, além dos quatro alunos de uma escola de mecânica, de entre 17 e 19 anos.

O avião, que tinha decolado no aeroporto de Tobalaba cinco minutos antes, precipitou-se sobre uma quadra onde cerca de trinta pessoas estavam realizando exercícios físicos.

"O avião fez um círculo e de repente cambaleou no ar e caiu", disse ao canal estatal de televisão "TVN" uma vizinha que se identificou como Adriana.

O impacto do avião deixou além disso uma dezena de pessoas feridas gravemente, a maioria mulheres, que foram transferidas rapidamente para vários hospitais de Santiago, uma delas com uma extremidade amputada e as outras com queimaduras em grande parte do corpo.

Claudio Orrego, prefeito de Peñalolén, lamentou que o acidente tenha afetado um grupo de vizinhas e crianças que participavam de um curso de ginástica aeróbica organizado pela Prefeitura.

"Este era um curso que acabava hoje. Imagine só que falta de sorte. Era um curso que fazíamos para a comunidade, para oferecer vida saudável e terminamos nesta tragédia", disse o vereador.

O general de Carabineiros Jorge Rojas destacou que uma manobra do piloto evitou que o pequeno avião caísse sobre as casas da região, apesar de não poder evitar cair próximo à Prefeitura de Peñalolén.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, expressou suas condolências às famílias dos falecidos e feridos por meio do governador de Santiago, Álvaro Erazo.

"A presidente da república nos pediu que nosso primeiro sinal seja expressar as condolências, em nome do Governo, aos parentes dos civis e dos oficiais de Carabineiros falecidos neste trágico acidente", disse Erazo aos jornalistas.

Fontes: G1 / EFE / El Mercurio Online

Cortador de grama fecha aeroporto de Manaus

Máquina rompeu o cabo de um equipamento de orientação. Complexo fechou por 48 minutos.

Um simples cortador de grama parou por quase uma hora o tráfego aéreo no aeroporto de Manaus ontem (26). Um jardineiro aparava a área quando, sem querer, rompeu o cabo de um aparelho importante.


O mau tempo obrigou o comando de tráfego aéreo a acionar o NDB, uma antena de rádio que emite sinais para as aeronaves e permite a navegação por instrumentos quando o tempo está ruim. Mas quando um dos dois aparelhos usados no aeroporto não funcionou, a torre de controle suspendeu imediatamente todos os pousos e decolagens.

“A função do aparelho é simplesmente direcionar as aeronaves que estão chegando. Então, por medida de segurança, as aeronaves não puderam decolar”, diz o superintendente em exercício da Infraero-AM, Rubem Ferreira.

Aeroporto fechado

O aeroporto fechou por 48 minutos. Quatro aeronaves ficaram no pátio à espera de autorização para decolagem.

A operação só voltou ao normal depois que o tempo melhorou, mas ninguém sabia explicar o motivo da pane no equipamento que deveria auxiliar os pilotos.

A resposta só veio no começo da noite. O sétimo comando aéreo regional confirmou que um cabo do aparelho foi danificado durante o corte da grama na área onde fica o equipamento. A aeronáutica também deve investigar porque esse cabo estava exposto, já que o normal é que ele fique protegido, debaixo da terra.

“Uma situação como esta é nova, então a partir de agora, lógico, a gente vai redobrar a segurança em relação a essas empresas que prestam serviços para a força aérea”, afirma o assessor de comunicação do 7º Comar, o tenente-coronel Edmilson Leite.

Fonte: G1 / Jornal da Globo

Petrobras confirma 3 mortos em acidente com helicóptero

Uma das vítimas era funcionário da empresa Sparrows BSM Engenharia.

Dois corpos estão no fundo do mar, dentro da aeronave, na Bacia de Campos.


A Petrobras confirmou, por meio de nota oficial nessa quarta-feira (27), que três pessoas morreram no acidente com um helicóptero em Campos, no Norte Fluminense. Segundo a empresa, a aeronave transportava 20 pessoas, 17 passageiros e três tripulantes.

Veja aqui a lista com o nome das vítimas.

Um dos mortos foi identificado como Marcelo Manhães dos Santos, funcionário da empresa Sparrows BSM Engenharia. Os outros dois corpos, ainda não identificados, foram encontrados dentro do helicóptero, no fundo do mar. Eles ainda não foram resgatados.

Ainda segundo a nota, mais duas pessoas continuam desaparecidas. A Petrobras informou, ainda, que "instaurou uma comissão interna de acompanhamento da investigação do acidente, que será feita pelos órgãos competentes (Marinha, Aeronáutica e Polícia Civil).

Co-piloto resgatado está bem

O co-piloto Sérgio Ricardo Muller, que está internado no Hospital municipal de Macáe e foi uma das vítimas resgatadas, passa bem e deve ser liberado ainda nesta quarta-feira (27), segundo informou a assessoria da unidade.
Segundo o hospital, o paciente sofreu escoriações leves, mas nenhuma fratura ou dano interno. Ele está em observação e passa por exames complementares neurológicos. Se nada for constatado, será liberado ainda nessa quarta.

O co-piloto foi uma das vítimas resgatadas do acidente com um helicóptero que fez um pouso forçado em alto-mar à tarde na Bacia de Campos, em Macaé, na Região Norte Fluminense. A Petrobras informou que 15 pessoas foram resgatadas da água com vida.

A assessoria do hospital confirmou que apenas o co-piloto deu entrada na unidade municipal.

Sete feridos em hospital particular

Segundo a assessoria do Hospital Unimed Costa do Sol, em Macaé, sete feridos deram entrada na manhã desta quarta-feira (27) na unidade. Eles ainda passam por avaliação clínica. O hospital não soube informar de onde eles vieram.

A nota da Petrobras não explica para onde foram levadas as vítimas resgatadas. Confirma apenas que o co-piloto está na unidade municipal. "As demais pessoas foram avaliadas com diagnóstico favorável, por equipe médica, em plataformas próximas ao local do acidente, e estão sendo desembarcadas das plataformas hoje pela amanhã", diz o texto da empresa.

Buscas continuam

A empresa confirmou, na manhã desta quarta-feira (27), que as buscas pelos desaparecidos não foram interrompidas durante a madrugada. Apesar da chuva que caiu durante a noite de terça-feira (26) e que dificultou as buscas, o trabalho de resgate continuou, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

Apoio

De acordo com a Petrobras, o trabalho de resgate é conduzido pela estatal e conta com o apoio de "quatro embarcações equipadas com robôs submarinos para buscas no fundo do mar, oito embarcações de pesquisa de superfície e três helicópteros, além de duas aeronaves da Força Aérea Brasileira e um navio da Marinha."

A empresa afirma que tanto ela como as empresas prestadoras de serviço entraram em contato com os familiares dos passageiros e prestam toda a assistência às famílias das vítimas.

O acidente

De acordo com a estatal, a aeronave fez um pouso forçado no mar - já que possui flutuadores - logo após decolar, por volta de 16h30. "O helicóptero permaneceu por mais algumas horas na posição emborcada antes de afundar, próximo à plataforma P-18, localizada no Campo de Marlim, a cerca de 120 km da costa e lâmina d’água de 820 metros. Nesta ocasião o mar encontrava-se agitado e os ventos moderados."

A Petrobras confirma que o tempo era bom, no momento do acidente. "As informações da Rede de Meteorologia do Comando Aeronáutico eram de que as condições de vôo estavam normais e o espaço aéreo, aberto para vôos na área."

A empresa informa ainda que suspendeu as operações com dois helicópteros do mesmo modelo, também da BHS, até que nova avaliação seja feita pelo fabricante.

Acidente em 2004 fez 5 vítimas

A empresa BHS, proprietária do helicóptero, presta serviços para a Petrobras há 12 anos. Segundo a BHS, a capacidade da aeronave, modelo Super Puma AS332L2, é de 22 passageiros e três tripulantes. A companhia afirmou que o veículo foi fabricado em 2002 e passava por revisões a cada 15 dias. Em julho de 2004, um outro helicóptero da BHS caiu próximo à plataforma P-31. O acidente deixou cinco mortos.

Fonte: G1

Queda de avião num ginásio esportivo no Chile mata 8

No momento do acidente, crianças e idosos realizavam atividades esportivas.

Outras cinco pessoas ficaram feridas.

Foto: AP

Restos do avião que caiu na região leste de Santiago (Foto: Ivan Alvarado/Reuters)

Oito pessoas morreram nesta quarta-feira (27) na queda de um pequeno avião em um ginásio municipal, onde dezenas de crianças e idosos realizavam atividades esportivas na região leste de Santiago, informou a Direção Geral da Aeronáutica Civil (DGAC).

No acidente morreram os seis ocupantes do avião Cessna modelo Centurion 210, prefixo CC-KKU, a mãe e um menor que se encontravam no ginásio esportivo de Peñalolén. O acidente deixou mais cinco feridos.

O avião, pertencente ao Clube Aéreo de Carabineros (Polícia), decolou do aeródromo de Tobalaba, próximo ao local em que caiu cinco minutos mais tarde por problemas técnicos, segundo a DGAC.

Foto: Google Earth/Diseño EMOL

A foto mostra a nuvem de fumaça que o avião deixou antes de cair - Foto: DGAC

Dados do avião:

Modelo: Cessna 210M Centurion
Operador: Club Aéreo de Carabineros de Chile
Prefixo: CC-KKU

Fontes: G1 / France Presse / El Mercurio Online / ASN

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Preços de passagens para América do Sul podem cair 50%, diz Anac

Agência reguladora anunciou liberação gradual das tarifas.

Objetivo é atingir liberdade tarifária em setembro; descontos não são obrigatórios.

A partir de sábado (1º) os preços das passagens aéreas para os 12 países da América do Sul poderão ser reduzidos em 50%, informou nesta terça-feira (26) a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A medida foi aprovada pela diretoria colegiada da Anac, em reunião na segunda-feira (25). E será publicada no Diário Oficial ainda esta semana.

A agência reguladora anunciou a liberação gradual das tarifas dos vôos que saem do Brasil para Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa e Suriname.

Atualmente, as tarifas dos vôos para a América do Sul têm descontos limitados a 30% do valor de referência da Associação Internacional de Transporte Aéreo. Pela nova resolução, o limite de descontos aumentará de forma gradual, até a adoção de um regime de liberdade tarifária total, em 1º de setembro.

Segundo a Anac, os descontos não são obrigatórios. Caberá a cada companhia aplicar as tarifas que achar conveniente, de acordo com suas políticas de vendas e promoções.

“Competição gera mais eficiência. Eficiência gera preços menores e o usuário viaja mais”, disse o diretor da agência Ronaldo Seroa da Mota. Ele acrescentou que a medida foi aprovada após consulta pública.

De acordo com Seroa da Mota, a expectativa é de que os vôos para a Argentina “aumentem bastante” com a medida. Ele disse que se, por exemplo, houver uma queda de 50% no preço das passagens, as viagens para a Argentina podem aumentar 10%.

Balanço preliminar da Anac, informou ele, indica que cerca de 4 milhões de passageiros viajaram do Brasil para países da América do Sul em 2007 – 50% para a Argentina, 20% para o Chile e 30% para os demais países.

Liberdade tarifária

Além desta primeira etapa, em que os descontos autorizados poderão passar de 30% para 50%, a partir de 1º de junho, os descontos poderão chegar a 80%. E, em 1º de setembro, passará a vigorar a liberdade tarifária nos vôos da América do Sul, ou seja, as companhias poderão cobrar qualquer preço pela passagem, sem limites.

A medida vale para todos os vôos que partem do Brasil, tanto de companhias nacionais quanto internacionais. A diretoria da Anac decidiu também criar um grupo de trabalho para estender a liberação tarifária para todos os vôos internacionais que saem do Brasil. O grupo tem prazo inicial de 90 dias para apresentar uma proposta.

O próximo passo é estender a medida para a Europa.“Até o fim do ano teremos uma resolução sobre liberdade tarifária da Europa em vigor”, disse Seroa da Mota.

As tarifas dos vôos domésticos já estão totalmente liberadas desde 2005, pela Lei 11.182, que criou a Anac.

Fonte: G1

Equipes resgatam vítimas de acidente de helicóptero e procuram desaparecidos

Assista a reportagem da Globonews

Cinco pessoas que estavam a bordo do helicóptero da empresa de táxi aéreo BHS, que presta serviço para a Petrobras e que fez um pouso forçado no mar na tarde desta terça-feira podem estar desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros.

A aeronave ia da plataforma P-18 - que fica no campo Marlin, na bacia de Campos - para Macaé (RJ), quando teve de aterrissar no oceano. Outras 15 pessoas teriam sido socorridas por equipes da própria Petrobras. A Marinha informa que 16 foram resgatadas.

Os bombeiros foram acionados pela empresa para ficar de prontidão na cidade, à espera das vítimas do acidente. A Petrobras informou à corporação que 20 pessoas estavam à bordo (17 passageiros e três tripulantes) da aeronave - 15 foram resgatadas e cinco estão desaparecidas.

A Marinha informou que ao menos 16 pessoas teriam sido resgatadas pela Petrobras. Um navio da corporação foi enviado ao local para auxiliar nas buscas.

A Petrobras confirma o acidente, mas, inicialmente, não forneceu informações sobre o número de ocupantes ou possíveis mortos e sobreviventes. Segundo a empresa, o helicóptero não afundou e os procedimentos de resgate já foram iniciados.

A aeronave é um Super Puma -prefixo PP-MUM - com capacidade para 22 passageiros. De acordo com informações preliminares da FAB (Força Aérea Brasileira), havia 17 pessoas no helicóptero (entre passageiros e tripulantes) e 15 já teriam sido resgatadas pela própria Petrobras e pela Marinha.

Ainda de acordo com a Aeronáutica, o helicóptero caiu às 16h16 próximo à plataforma a cerca 100 km da costa de Macaé. No momento do acidente, o tempo na região estava ruim. As causas do acidente ainda não foram identificadas.

Fontes: Folha Online / G1 / Terra

Avião da United Airlines sai da pista no Wyoming

O Airbus A320-232, prefixo N442UA, da United Airlines saiu da pista de aterrissagem em Jackson Hole, Wyoming, na noite de segunda-feira (25), segundo informações de um porta-voz da companhia aérea.

Não há relato de que houve feridos. O vôo 267 partiu de Denver, no Colorado, ao Jackson Hole com 119 passageiros e seis tripulantes, chegando às 9:16 p.m. (11:16 p.m. ET), segundo o porta-voz Megan McCarthy.

Os passageiros tiveram que sair pelas rampas da emergência.

Fonte: CNN

Piloto morre em colisão de aviões na Austrália

Aeronaves espalhavam herbicidas sobre uma mesma propriedade.

Acidente deixou ainda um ferido.

Foto: Paul Mathews

O piloto de um pequeno avião morreu hoje na Austrália após colidir com outra aeronave em vôo, no momento em que ambos espalhavam herbicidas sobre uma mesma propriedade.

Os aviões voavam sobre um campo 10 quilômetros ao norte da cidade de Wee Waa, no estado de Nova Gales do Sul (sudeste), quando se chocaram, se incendiaram e caíram.

Um dos pilotos morreu no ato, enquanto o outro foi levado ao hospital com ferimentos em uma perna e nas costas.

Há duas semanas, o piloto e o passageiro de um pequeno avião morreram em um acidente similar, quando o aparelho no qual voavam se chocou no ar contra um helicóptero, cujos dois ocupantes sobreviveram.

Informações sobre os aviões:

Modelo: Air Tractor AT-502
Empresa: Celeban
Prefixo: VH-CJK
C/n / msn: 502-0057
Ocupante: 1 / Fatalidade: 1

Modelo: Air Tractor AT-502B
Empresa: Cropair
Prefixo: VH-ATB
C/n / msn: 502B-0287
Ocupante: 1 / Fatalidade: 0

Fontes: G1 / EFE / ASN

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

O acidente com o helicóptero na novela "Beleza Pura"

Veja a cena da novela da TV Globo em que é simulada a queda de um helicóptero na Selva Amazônica.

Fonte: Torloni Star (YouTube)

Ativistas sobem na cauda de avião para protestar por ampliação de Heathrow

Ativistas do Greenpeace conseguiram nesta segunda-feira violar as medidas de segurança do aeroporto londrino de Heathrow e subir na cauda de um avião, onde exibiram um cartaz em protesto contra a construção de um anova pista.

Os quatro militantes ecologistas - duas mulheres e dois homens - foram detidos uma depois de seu ato.

"Emergência climática - Não a uma terceira pista" eram as inscrições do cartaz com que os ativistas cobriram a cauda do Boeing 777 da British Airways (BA), que havia aterrissado em Heathrow vindo de Manchester, norte da Inglaterra.

O protesto acontece dois dias antes que termine o período de consultas aberto pelo governo do Reino Unido sobre os planos para construir uma nova pista em Heathrow.

Fonte: France Presse

Dois incidentes envolvendo aviões britânicos ocorreram nas últimas 24 horas

Co-piloto britânico morre em pleno vôo

Avião com 162 pessoas a bordo faz pouso de emergência após incidente; funcionário chegou a receber socorro

O co-piloto de um vôo de Manchester, Reino Unido, para Chipre morreu durante o vôo no domingo, 24, obrigando o piloto do avião a fazer um pouso de emergência.

O Airbus A320 da GB Airways, uma subsidiária da companhia britânica British Airways, levava 156 passageiros e seis tripulantes para a cidade de Paphos e teve que ser desviado para Istambul, na Turquia.

"O avião deixou Manchester no horário, às 14h20 no domingo (horário local). O co-piloto se sentiu mal durante o vôo. O comissário de bordo administrou os primeiros socorros enquanto o capitão desviava o vôo para Istambul", afirmou a GB Airways em uma declaração. Segundo a companhia aérea, ao chegar a Istambul, paramédicos prestaram o atendimento ainda dentro da aeronave.

"Em nenhum momento a aeronave, passageiros ou tripulantes correram perigo. Os passageiros passaram a noite em um hotel e planejamos voar para Paphos com uma tripulação substituta nesta segunda (nesta segunda-feira)", afirmou a GB Airways em sua declaração à imprensa.

A companhia não revelou a causa da morte do co-piloto Michael Warren, de 43 anos, mas disse que ele morreu de causas naturais. Um ex-piloto da Força Aérea Real (Royal Air Force, ou RAF), ele era casado e tinha dois filhos.

Fonte: BBC

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Primeiro vôo com biocombustível é bem-sucedido

Vôo sem passageiros gera controvérsia sobre eficiência para corte de emissões de CO2.


O primeiro vôo de um avião comercial parcialmente movido a biocombustível foi realizado neste domingo do aeroporto de Heathrow, em Londres, para Amsterdã em meio a controvérsias sobre o impacto ecológico da iniciativa.

O Boeing 747, operado pela companhia Virgin Atlantic, voou sem passageiros a bordo e teve um de seus quatro motores movido a biocombustível, enquanto que os outros três usaram combustível convencional.


O uso de cerca de 20% de biocombustível serviu para reduzir o risco do vôo, já que os demais motores eram capazes de fornecer a potência necessária para o avião se houvesse algum problema.

Ambientalistas dizem a iniciativa da Virgin Atlantic não é uma solução para diminuir o aquecimento global, porque plantações seriam utilizadas para gerar combustível, reduzindo a produção de comida.

"Nós achamos que o vôo de biocombustível da Virgin é mais uma distração das soluções reais para as mudanças climáticas", afirmou Kenneth Richter, do grupo ambientalista Friends of the Earth à BBC."

Se você olhar as últimas pesquisas científicas sobre biocombustíveis, elas mostram claramente que biocombustíveis ajudam muito pouco na redução de emissões. E ao mesmo tempo nós estamos muito preocupados em relação ao impacto desta expansão em larga escala da produção de biocombustível para o meio-ambiente e os preços dos alimentos."


Congelamento

A Virgin Atlantic, no entanto, insiste que o uso de biocombustível ajuda no corte das emissões de gases causadores do efeito estufa.

"Alguns de nós na indústria estamos de fato fazendo algo para reduzir nossas emissões de carbono. Eu não considero que seja só propaganda - é progresso, é de fato reduzir a contribuição da indústria da aviação nas emissões de CO2", afirmou Paul Charles, diretor de comunicações corporativas da Virgin Atlantic.

A companhia utilizou uma mistura de óleo de côco babaçu e disse que ela não compete com fontes de alimento importantes.

Um dos problemas em utilizar o biocombustível em aviões é de que ele congela facilmente em grandes altitudes.

A tecnologia ainda está sendo desenvolvida pelas companhias GE e Boeing, mas a Virgin acredita que em 10 anos as linhas aéreas podem utilizar a energia de plantas normalmente.

Fonte: BBC Brasil - Fotos: Reuters

Veja fotos do acidente aéreo em Minas Gerais

O monomotor prefixo YHK, de fabricação da Embraer, modelo Corisco 2, se chocou contra o paredão da Serra do Curral


Os destroços da aeronave se espalharam por um raio de cerca de 400 m

O avião partiu do Aeroporto da Pampulha, na capital, e tinha como destino Juiz de Fora

Segundo o coronel Claudio Teixeira, comandante do Centro de Operações do Corpo de Bombeiros, os corpos encontrados estavam mutilados e não carbonizados

O avião voava a cerca de 450 m de altitude no momento da colisão, a 80 m do topo. Em média, este modelo de aeronave viaja a 350 km/h

Fonte: Terra - Fotos: Ney Rubens (Especial para o Terra)

Resgate encontra primeiros corpos de acidente aéreo na Venezuela

Corpos já podem ser transferidos para cidade de Mérida, diz diretor de Defesa Civil.

Médicos legistas vão tentar identificar vítimas; foram 46 mortos e nenhum sobrevivente.


Os socorristas que trabalham para resgatar os corpos de 46 pessoas vítimas de um acidente de avião, nos Andes da Venezuela, localizaram os primeiros restos mortais, informou neste sábado (23) o diretor nacional de Defesa Civil, general Antonio Rivero.

As equipes de socorro "já têm vários corpos que foram recuperados e estão prontos para serem transferidos para Mérida", disse Rivero, em declarações ao canal de TV estatal VTV, sem dar números.

Na fase seguinte, trabalharão "os especialistas e médicos legistas, com o objetivo de conseguir a correta identificação destas vítimas", disse o funcionário.

A identificação dos cadáveres será feita no estádio metropolitano de Mérida, de cujo aeroporto partiu o vôo da empresa venezuelana Santa Bárbara, rumo a Caracas.

O número de socorristas, médicos e antropólogos que trabalham no local chega a 48 funcionários. Os trabalhos de resgate devem seguir até a próxima segunda-feira (25).

O turboélice ATR42 da companhia aérea venezuelana Santa Bárbara, de fabricação franco-italiana, bateu contra uma montanha da cordilheira andina, a cerca de 10 km de Mérida e a 4.200 metros de altitude.

Fontes: G1 / France Presse

Laudo sobre queda de avião em MG sai em 90 dias

Um laudo preliminar sobre o acidente com um monomotor ocorrido em Belo Horizonte deve ficar pronto em 90 dias. A aeronave bateu em uma montanha na Serra do Curral e explodiu. As quatro pessoas que estavam à bordo morreram e os corpos já foram identificados. As informações são da CBN.

Assista: avião cai e mata 4 (TerraTV)

O avião caiu neste sábado no Parque das Mangabeiras, região sul de Belo Horizonte. Os destroços se espalharam por um raio de cerca de 400 m. O avião partiu do Aeroporto da Pampulha, na capital, e tinha como destino Juiz de Fora.

Fonte: Terra

Aeronáutica analisa queda de avião em MG

A Aeronáutica está analisando o que provocou a queda da aeronave hoje perto do Parque das Mangabeiras, na região sul da capital mineira. O avião bateu na Serra do Curral.

Assista a reportagem do MGTV (Globo)

Fonte: G1