quarta-feira, 6 de maio de 2009

Infraero reforça grupo de espionagem

Há algo a mais no ar além de aviões de carreira e dos cargos tomados do PMDB na Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O plano do presidente da estatal, brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva, moraliza e profissionaliza o órgão, mas amplia a militarização do setor e consolida uma ousada máquina de espionagem que vem sendo azeitada nos últimos três anos e se destacou com mudanças radicais que, em abril, pegaram de surpresa os políticos da base aliada do presidente Lula e seus apadrinhados.

A nova ordem dentro da Infraero vem sendo dada por um órgão de nome pomposo, a Superintendência de Inteligência Empresarial, ocupada por oficiais e profissionais de inteligência, cuja atuação norteou a reforma administrativa que resultou na redução dos contratos especiais preenchidos por indicação política. No início de abril deste ano, a limpeza promovida pelo brigadeiro Nicácio Silva resultou na eliminação de 97 postos entregues a políticos num nicho conhecido por contratos especiais – caiu de 109 para 12 – e na substituição de mais de 90% dos demais cargos de confiança na chefia das 96 superintendências espalhadas pelo país – 25 delas na sede da empresa em Brasília, quatro regionais (São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus e Recife) e 67 em aeroportos administrados pela Infraero nos Estados.

Aplaudidas pelos funcionários e bombardeado pelos políticos do governo, as mudanças foram pautadas pelo pente-fino dos agentes de inteligência – funções que maldosamente se habituou a tratar por arapongas –, que ganharam relevo na gestão do brigadeiro. Ele transformou em superintendência ligada diretamente a seu gabinete uma estrutura pelos antecessores como órgão de assessoramento.

O grupo é formado por oito profissionais, cinco deles dos quadros da Infraero e outros três contratados – originário da Força Aérea Brasileira (FAB) –, chefiados pelo coronel Hélcio Medeiros Ribeiro, oficial com experiência nas áreas de espionagem e contra espionagem e conhecido membro da “comunidade”, há dez anos lotado na Superintendência de Segurança Aeroportuária. No início deste ano, a Infraero juntou-se aos mais de 30 estatais federais que integram o Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), cujo órgão central vem a ser a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Susto

É um salto necessário à atividade de inteligência numa área suscetível a ocorrências que vão do tráfico de drogas e corrupção ao terrorismo, mas um susto numa classe política que ainda vive a paranóia do período militar, onde a espionagem política era uma prática tão rotineira quanto o movimento nos saguões dos aeroportos. A presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio, afirma que o reforço da estrutura de inteligência ilustra o fracasso do plano de desmilitarização da aviação civil, iniciado com a criação do Ministério da Defesa, em 1999.

– Os militares controlam o tráfego, a inteligência e todos os órgãos ligados à prevenção, administração e regulação do setor – diz Graziella. Ela acha que a militarização do setor, reforçada depois do apagão aéreo de 2007, é uma contradição do governo petista e um retrocesso no processo de desmilitarização do setor aéreo, para o qual o ministro Nelson Jobim, da Defesa, fechou os olhos para não se indispor com a tropa. Graziella acha que a presença do Nicácio Silva quebra o ritmo civil na administração da empresa, mas reconhece que a atuação do brigadeiro encontra ressonância entre os funcionários que, como ele, são nacionalistas (contra a privatização) e torcem o nariz para as ingerências políticas que resultaram em denúncias de corrupção e no cabide de empregos agora detonado.

– Ele aproveitou a onda pela ética e moralização. O poder militar na aviação civil aumentou porque representa uma carreira, reserva de mercado e controle ideológico – diz a presidente do Sindicato dos Aeronautas. Segundo ela, todos na aviação sabem que a Inteligência Empresarial espiona e foi o responsável pela produção de dossiês que, se de um lado escancarou supostos esquemas de corrupção, de outro afastou dos cargos de direção da empresa as indicações políticas. – O Carlos Wilson foi vítima e se queixava de não poder combater o grande poder militar dentro da Infraero.

Favorável à faxina que vem sendo feita na Infraero, o presidente do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, Francisco Lemos, diz que tem notícias do reforço da inteligência desde o motim dos controladores de vôo, em 2007. – A gente ouve comentários (apontando) que a Inteligência Empresarial é o pessoal da escuta – diz Lemos.

Fonte: Vasconcelo Quadros (Jornal do Brasil)

Passaredo incorpora novo jato e espera mais quatro

A Passaredo Linhas Aéreas passa a operar a partir da segunda quinzena deste mês com o primeiro jato dos cinco programados para receber ainda este ano. O jato, modelo ERJ 145 da Embraer (foto abaixo), vai operar em rotas já atendidas pela empresa.

O jato transporta até 50 pessoas e tem como principais características o alto desempenho e os baixos custos de operação, por isto é tão indicado para a aviação regional. Ate o final de agosto, mais quatro jatos entram em operação, o que vai fazer a Passaredo mais que dobrar o número de passageiros atendidos em relação a 2008.

Com esta política de investimento, a empresa, que opera em 13 destinos, espera triplicar o faturamento com relação ao ano de 2008.

Fonte: Felipe Niemeyer (Panrotas)

Pilotos da SATA recusam voar ao mesmo tempo com dois novos aviões

Aeronaves compradas à Bombardier

Os pilotos da SATA Air Açores entregaram ao Sindicato Nacional de Pilotos da Aviação Civil (SNPAC) uma carta onde se recusam a voar em simultâneo com os dois novos modelos da Bombardier (Dash 200 e Dash 400) adquiridos pela empresa.

Na carta, subscrita por mais de três dezenas de pilotos da companhia aérea açoriana, são alegadas razões de segurança para a recusa em operar em simultâneo com os dois aparelhos, segundo revelou à Lusa uma fonte do SNPAC.

Os pilotos entendem que devem voar com um ou com outro modelo, mas não com os dois.

A decisão dos pilotos da SATA foi tomada numa reunião realizada em Ponta Delgada, na sequência do pedido de demissão do oficial de segurança de voo da transportadora, que colocou o seu cargo à disposição da empresa, alegadamente, pelos mesmos motivos.

A Lusa contactou com o comandante Pedro Moura, oficial de segurança demissionário, mas o piloto recusou-se a prestar esclarecimentos sobre esta matéria.

Uma fonte da companhia garantiu, no entanto, que, na carta enviada ao Conselho de Administração da SATA, Pedro Moura alega dois motivos principais para o pedido de demissão: não ter sido ouvido quanto à escolha dos novos aviões e discordar da atribuição do mesmo 'type-ratting', ou seja, o mesmo tipo de classificação, aos dois modelos.

Arnaldo Dias, técnico do Instituto Nacional da Aviação Civil (INAC), disse à Lusa que os dois novos aparelhos adquiridos pela SATA "têm o mesmo 'type-ratting'", salientando que os pilotos têm apenas que receber formação específica para poderem operar indiferentemente com os dois modelos da Bombardier.

A opção da SATA pelos aparelhos Dash DHC-8 200 e 400 para a renovação da frota nas operações entre as ilhas do arquipélago teve em conta o facto dos dois modelos terem especificações muito semelhantes, embora sejam diferentes em termos de tamanho.

Segundo Nathalie Blétière, do Gabinete de Comunicação e Imagem do Grupo Sata, uma das grandes vantagens dos aparelhos é terem o mesmo 'type-ratting, o que "possibilita a versatilidade das tripulações de cockpit".

A administração da companhia área minimizou uma eventual polémica com os pilotos, garantindo que a chegada da nova frota "é aguardada com expectativa e entusiasmo".

A SATA considera que teve em conta todas as "opiniões e pareceres" emitidos pelos técnicos da empresa aquando da escolha dos novos aviões, em especial pelos pilotos, que segundo a companhia, foram a classe que "melhor acolheu" a decisão da compra dos modelos Dash 200 e Dash 400.

Nathalie Blétière lembrou ainda que este sector da actividade é "altamente regulado e exigente em matéria de segurança e extremamente complexo e minucioso em matéria de procedimentos".

A SATA confirmou o pedido de demissão do oficial de segurança de voo da transportadora, mas garantiu que as razões invocadas pelo piloto são apenas de "carácter pessoal".

Os novos aviões da SATA Air Açores, que se destinam a substituir os actuais ATP e Dornier, só devem entrar ao serviço a partir de Junho, depois de concluída a formação que os pilotos estão a receber na sede da Bombardier, no Canadá.

Fonte: Agência Lusa via DN Economia (Portugal)

TAP reforça presença em voos para o Brasil

Companhia portuguesa amplia estratégias para conquistar mercado deixado por empresas aéreas nacionais

O encolhimento da Varig em voos para a Europa até ocorrer a reação da TAM nesse segmento abriram espaço para empresas aéreas estrangeiras aproveitarem um naco do mercado internacional a partir do Brasil. Uma dessas oportunidades foi ocupada pela TAP, que ampliou as operações e viu multiplicar os passageiros transportados.

Com 67 frequências semanais transportando cerca de 15 mil passageiros entre Portugal e Brasil, a companhia não se limita a voar para Rio ou São Paulo, operando em capitais do Nordeste, Belo Horizonte e Brasília, num total de oito destinos.

– O crescimento se deu pela criação de um novo mercado – afirma Luiz da Gama Mór, vice-presidente da TAP Portugal. – O nosso foco sempre foi a criação de tráfego novo, abrir rotas não exploradas.

As linhas para o Nordeste, por exemplo, são voltadas para trazer europeus em busca das praias brasileiras.

– Promovemos muito o Brasil, conquistando turistas que antes iam para outros destinos no mundo – acrescenta.

No ano passado, o maior crescimento entre as regiões operadas pela TAP ocorreu no Brasil, com elevação de 20%, consolidando-se como o segundo mercado para a companhia, somente atrás de países europeus.

A turbulência global que atingiu diretamente o setor de aviação também prejudicou as operações da TAP para o Brasil. Entre janeiro e abril, a ocupação dos voos ficou entre 64% e 65% nas rotas para o Nordeste e em 68% para o centro do país – resultado, em média, dois pontos percentuais abaixo do mesmo período de 2008.

Quando voltar a estabilização do setor, a empresa pretende estudar voos para mais cidades, como Belém, Manaus e Curitiba. Apesar do pedido de entidades porto-alegrenses para a companhia fazer uma ligação de Lisboa para a capital gaúcha, Mór afirma que há um complicador técnico. Porto Alegre fica numa extremidade do país e não atrairia passageiros de outros destinos. No caso de um voo de Curitiba, gaúchos e catarinenses poderiam ir até o Paraná para seguir viagem.

Capitais brasileiras apresentadas em reportagens de capa da revista de bordo desde março confirmam a importância do mercado nacional para a companhia portuguesa. Mas não ficam por aí as estratégias para atrair brasileiros. A empresa também realiza pesquisas com a finalidade de verificar as preferências do passageiro em relação à alimentação, filmes e música.

A recente medida da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de liberar a concessão de descontos nas passagens internacionais deve ser utilizada pela companhia quando houver necessidade de mercado. Conforme Mór, o Brasil é o único país operado pela TAP no qual há controle tarifário. De forma progressiva, a decisão da Anac não limitará mais o percentual de desconto nas passagens internacionais a partir de abril de 2010.

Além-mar

DESTINOS DA TAP NO MERCADO NACIONAL


> Fortaleza
> Natal
> Recife
> Salvador
> Brasília
> Belo Horizonte
> Rio de Janeiro
> São Paulo

AVIÕES UTILIZADOS NO BRASIL

Airbus 330
Capacidade 263 passageiros

Airbus 340
Capacidade 280 passageiros

Fonte: Zero Hora

EUA: Jovem sueco acusado de ter pirateado a Nasa

Um jovem sueco de 21 anos foi acusado terça-feira de ter pirateado o sistema informático da Nasa e da empresa de telecomunicações norte-americana Cisco, indicou o ministério da Justiça.

Philip Gabriel Pettersson, conhecido também sob o nome "Stakkato", foi acusado de intrusão (num sistema informático) e de desvio de segredos comerciais, precisou o ministério americano num comunicado.

O homem é acusado de ter penetrado em Maio de 2004 no sistema informático da Cisco, uma empresa com sede em São José, Califórnia, e de ter roubado um código operacional.

Fonte: Expresso (Portugal)

Justiça exclui sócios brasileiros da VarigLog

Audi e Haftel perdem direito de apelar e são eliminados definitivamente da sociedade por falta de pagamento de custas processuais

A Justiça de São Paulo confirmou a exclusão definitiva dos brasileiros Marco Antonio Audi e Marcos Haftel da sociedade Volo do Brasil, holding que controla a VarigLog. O juiz Carlos Dias Motta, da 17ª Vara Cível de São Paulo, em sentença publicada em 30 de abril, entendeu que os réus perderam o direito de apelar da decisão por não terem pago corretamente as custas do processo previstas em lei.

Em novembro do ano passado, o juiz já havia decidido pela exclusão por considerar que os dois executivos praticaram "gestão temerária" na condução dos negócios da VarigLog, com suspeita de desvio de recursos da companhia. Na época, outro acionista brasileiro, Luiz Eduardo Gallo, optou por reconhecer a prática de irregularidades na gestão da empresa e conseguiu encerrar o processo. Para isso, Gallo fechou um acordo com o acionista estrangeiro da Volo, o fundo americano Matlin Patterson.

Pela decisão do juiz Dias Motta, além de perder o direito a recorrer, Audi e Haftel são obrigados a pagar custas e honorários dos advogados da Volo, de R$ 4 milhões, cifra que representa 10% do valor estabelecido para a causa. Os sócios brasileiros já estão afastados da companhia desde abril de 2008.

O advogado de Audi e Haftel, Marcello Panella, alega que a decisão ainda cabe recursos. Isto porque, segundo ele, não houve erro no pagamento das custas do processo. "Estou tranquilo. Ainda não fomos intimados pela Justiça, mas vamos recorrer. O que fizemos foi obedecer a legislação vigente no Brasil, que determina um teto de cerca de R$ 40 mil para o pagamento em São Paulo", explicou.

Segundo Panella, existe apenas um pedido de apelação. Por isso, não haveria motivo para a Justiça estabelecer o pagamento de três guias nesse caso, o que somaria mais de R$ 80 mil.

DENÚNCIA

Em junho do ano passado, a ex-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Abreu, revelou, em entrevista ao Estado, que a compra da Varig pela VarigLog só foi concretizada devido ao relacionamento do advogado Roberto Teixeira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Abreu revelou que a Casa Civil pressionou a Anac para aprovar a compra da VarigLog pela Volo do Brasil (Audi, Haftel,Gallo ), em sociedade com o fundo americano Matlin Patterson. Da forma como foi constituída, a sociedade contrariava a limitação de 20% de capital estrangeiro no setor aéreo, prevista no Código Brasileiro de Aeronáutica.

No mesmo dia da publicação da entrevista de Denise,Audi, que já estava brigado com o fundo americano, declarou ao Estado que a influência de Roberto Teixeira, que havia sido contratado por ele com o objetivo de ver aprovada a compra da VarigLog e, posteriormente, da Varig, foi "decisiva" para o sucesso da operação.

Fonte: Mônica Ciarelli (Estadão.com.br)

Infraero demite afilhados de aliados de Lula e limitará a 12 os cargos comissionados

Na contramão do Congresso e de outros órgãos do governo federal, a Infraero, estatal que administra os aeroportos do país, decidiu tentar pôr fim à partidarização de cargos políticos em seus quadros. O movimento de moralização da empresa, que tem como próximo desafio a privatização de alguns aeroportos, provocou a ira do maior aliado do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PMDB, revoltado com o corte dos apadrinhados. nesta segunda mesmo, os principais líderes do partido conseguiram ser recebidos por Lula no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) para reclamar.

Com carta branca do ministro da Defesa, Nelson Jobim, que é do PMDB, o presidente da estatal, brigadeiro Cleonilson Nicácio, conseguiu blindar a diretoria da empresa num novo estatuto, livrando-a de indicações políticas, e restringiu a 12 o número de contratos especiais - ainda hoje são 109 os funcionários com contratos especiais, os cargos comissionados, ou cargos por indicação de políticos e de partidos. Pelo novo estatuto, há agora a obrigatoriedade para que a indicação de quatro das cinco vagas da diretoria (administração, operações, finanças, comercial e engenharia) sejam preenchidas por nomes do quadro da Infraero. Atualmente, todos os diretores se enquadram nessa exigência.

Desse universo, 28 já foram demitidos nos últimos dias, o que provocou a reação irada dos políticos aliados que fizeram grande parte das indicações, como publicou sexta-feira passada a coluna Panorama Político do Globo. O salário desse grupo de servidores varia de R$ 3.598 a R$ 13.870. Dos 12 cargos comissionados que vão restar, o presidente tem direito a indicar sete e os outros cinco diretores, um cada. Segundo a Infraero, o fim dos contratos especiais vai gerar uma economia de R$ 19,5 milhões ao ano.

Apesar da insatisfação do PMDB com os cortes, interlocutores do ministro da Defesa dizem que ele está disposto a contrariar interesses do próprio partido para evitar o aparelhamento da Infraero e também da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O objetivo, disse uma fonte, é enxugar e reestruturar a empresa, diante da proposta de repassar alguns aeroportos à iniciativa privada. O assunto é conduzido pelo BNDES.

- Isso (enxugamento) será feito independentemente de a Infraero ter o capital aberto ou não - contou uma fonte.

O apetite dos partidos pelos cargos na Infraero é justificado pela alta visibilidade da empresa, que toca grandes e milionárias obras em todo o país. A estatal administra os 67 aeroportos mais movimentados e tem orçamento de R$ 1,454 bilhão para este ano. Em 2008, registrou lucro líquido de R$ 154 milhões.

Mudança começou com caos aéreo

Nos primeiros anos do governo Lula, o número de servidores comissionados chegou a 240, na gestão do falecido deputado petista Carlos Wilson. A situação começou a mudar com as ações patrocinadas pelo governo para enfrentar a crise aérea em agosto de 2007. Entre elas, a indicação de Jobim para dar uma nova ordem de comando aos órgãos do setor e a substituição do brigadeiro José Carlos Pereira por Sérgio Gaudenzi na presidência da estatal.

Gaudenzi ameaçou demitir os funcionários comissionados, mas o seu perfil político - foi deputado federal pelo PSB da Bahia - o impediu de enfrentar pressões e enxugar a empresa. Caiu desgastado em dezembro de 2008, depois de um ano e meio à frente da estatal, por ter se oposto publicamente à posição defendida pelo ministro de privatizar aeroportos.

Ficou no seu lugar o então diretor de operações da Infraero, brigadeiro Nicácio. Sem ligações partidárias e alinhado com Nelson Jobim, ele fez intensa mobilização entre os funcionários, segundo as necessidades das unidades em todo o país, enfrentando, inclusive, resistência do sindicato da categoria. Tudo sem alarde. Em 16 de abril, conseguiu aprovar o novo estatuto e deu início aos cortes.

Semana passada, foram demitidos o irmão e a cunhada do líder Romero Jucá (PMDB-RR), Oscar Jucá e Taciana Canavarro, que prestam serviços de consultoria na Superintendência de Pernambuco. Outros nomes da lista são Mônica Azambuja, ex-mulher do líder do partido, Henrique Alves (RN), lotada em Brasília; Eurico Loyo, indicado por Carlos Wilson, que trabalhava em Pernambuco; Pedro Azambuja, ligado ao Sindicato dos Aeronautas e ao PT, que prestava consultoria à empresa no Rio; e Edgar Brandão, da Superintendência de São Paulo, indicado pelo ex-presidente da Câmara Arlindo Chinaglia.

O presidente da Associação Nacional de Empregados da Infraero (Anei), Carlos Guapindaia, disse que a entidade apoiou a mudança no estatuto e as consequentes modificações, como o fim dos quadros comissionados.

- Os políticos sabem gritar para proteger seus afilhados, mas não servem para defender os interesses da empresa - afirmou ele.

O presidente da Infraero não quis falar sobre a reação dos políticos. Ele fica no cargo até agosto. Como tem interesse na carreira militar, retorna à Força Aérea Brasileira (FAB) a fim de não ter de se desligar das fileiras de forma compulsória.

Fonte: Geralda Doca, Gerson Camarotti e Chico de Gois (O Globo)

Reajuste das passagens chega a 72% nos trechos regionais em MT

No balcão, empresas informam que alta é reflexo do novo preço nacional do querosene

A alta de 6,2% nos preços do Querosene da Aviação (QAV) refletiu diretamente nos preços das passagens dos vôos regionais. As altas mais expressivas atingiram os voos para Sinop e Alta Floresta, que chegaram a 38,46% e 72,19%, respectivamente. Para Rondonópolis, Juara, Juína e Aripuanã, os reajustes não passaram de 7%.

No aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, funcionários das empresas não souberam explicar os motivos da alta, mas deram a entender que ela foi motivada pelo reajuste nos preços do combustível, autorizado pela Petrobras, em vigor desde o último dia 1º.

Com a alta, o preço da tarifa para Alta Floresta (808 quilômetros ao norte de Cuiabá) saltou de R$ 374 para R$ 644, aumento de 72,19% decretado pela Trip Linhas Aéreas. Para Sinop (503 quilômetros ao norte de Cuiabá), a alta foi de 38,46%, com os preços passando de R$ 364 para R$ 504. Para Rondonópolis (210 quilômetros ao sul de Cuiabá) o reajuste foi de apenas 4%, avançando de R$ 225 para R$ 234.

Os menores índices de reajuste foram aplicados pela Cruiser Linhas Aéreas, que opera a rota Juara, Juína e Aripuanã. Para Juara (709 quilômetros ao norte) o preço foi mantido em R$ 512. Para Juína (735 quilômetros ao noroeste), o valor da passagem passou de R$ 562 para R$ 567 e, para Aripuanã (1.002 quilômetros ao noroeste), a tarifa saltou de R$ 562 para R$ 602, alta de 7,11%.

No mês passado, mesmo antes da alta repassada pelas companhias, os usuários já reclamavam dos preços das passagens. “Viajo seis vezes por mês para o Nortão e percebo que os preços estão elevados para a nossa região. Se a tarifa não melhorar, serei obrigado a fazer apenas uma viagem”, disse o empresário Amâncio Batista.

Paulo Scolatti, com negócios em Sinop, também avalia que será difícil manter a sua agenda de viagens em um ritmo de cinco deslocamentos mensais. “Com certeza terei que reprogramar, pois os preços das passagens estão elevadas para a nossa realidade”.

Trecho que apresenta a maior elevação é Várzea Grande/Alta Floresta. Bilhete saltou de R$ 374 para R$ 644

COMBUSTÍVEL

Funcionários das empresas aéreas que operam rotas no interior de Mato Grosso apontam os altos preços do QAV como o principal vilão do reajuste das passagens.

Com a alta de 6,2% autorizada pela Petrobras, o litro do combustível, em Cuiabá, passou de R$ 2,35 para R$ 2,49. No interior do Estado, o QAV teve seu preço reajustado de R$ 2,97 para R$ 3,15.

O reajuste, o primeiro desde o ano passado após quatro meses de quedas consecutivas, está em vigor desde o dia 1º deste mês em todo o país. O querosene da aviação acumula nos primeiros quatro meses do ano uma queda de 24%, depois de fechar abril com redução acumulada de 29%.

O QAV iniciou o ano com uma queda de 16,76%. Em fevereiro, havia caído 0,39% e, em março, a retração foi de 10,29%. Em abril, a queda foi de 4,69%. Em 2008, o preço do QAV fechou negativo em 3,7%, o que aconteceu pela primeira vez desde dezembro de 2002, quando o produto chegou a subir 75,6% no resultado acumulado do ano.

Desde então, o produto vem fechando o ano com variações positivas: 3,2% no período dezembro 2002/dezembro 2003, 26,0%, em dezembro 2003/dezembro 2004, 7,6%, em dezembro de 2004/dezembro 2005, novamente 7,6%, em dezembro 2005/dezembro 2006, e 11,7%, em dezembro 2006/dezembro 2007.

O QAV é reajustado mensalmente pela Petrobras de acordo com a variação de uma cesta de produtos derivados do petróleo, assim como o óleo combustível e nafta. Para o diesel e a gasolina, não há qualquer alteração prevista.

SEFAZ

O secretário de Fazenda, Eder Moraes, disse ontem que vai determinar uma averiguação sobre o reajuste, apesar de esclarecer que não há como regular o mercado. Ele lembra que em março, o Estado reduziu em 50% a alíquota sobre o QAV, que passou de 25% para 12,5%. “Além de contribuir com a operacionalização das empresas, incentivar o turismo interno, nosso foco foi reduzir custos aos passageiros. Se há de fato alta como esta é algo inaceitável e o consumidor tem de recusar isso. A Sefaz firmou o protocolo de intenção com as empresas que operam regionalmente e elas para se beneficiar da alíquota, concordaram em reduzir os custos das tarifas. O que não pode, e a Sefaz vai checar, é o aviltamento dos bilhetes e a conseqüente elevação dos lucros. Se isso se mantiver, cabe aqui também, intervenção do Ministério Público”. Questionado sobre a permanência do benefício da alíquota, Moraes informou que “a política será mantida”.

Fonte: Marcondes Maciel (Diário de Cuiabá) - Colaborou Marianna Peres

Continental Airlines celebra 12 anos em Portugal

A Continental Airlines celebra este mês 12 anos de operações em Portugal com uma série de acções . A primeira decorre hoje, com uma visita de agentes de viagens ao Boeing 757 que efectua a rota diária Lisboa-Nova Iorque-Lisboa.

Conhecer melhor a aeronave, bem como os procedimentos da companhia no que respeita a check-in, segurança, e bagagem, é o principal objectivo da visita que decorre hoje no aeroporto. No Boeing 757-200 o destaque vai para a divulgação da classe BusinessFirst, e do sistema de entretenimento pessoal a bordo, com ecrãs tácteis.

Um “Concierge” da Continental Airlines acompanha a visita, apresentará esse mesmo serviço, ”Concierge”, de acompanhamento personalizado aos passageiros BusinessFirst, classe em que é servido um pequeno-almoço aos visitantes de hoje.

A propósito do aniversário da operação em Portugal, Sérgio Pantín, director-geral da Continental para Portugal e Espanha, declara que “É com muito orgulho que a Continental Airlines está há doze anos a voar para Lisboa. Continuamos empenhados em manter e reforçar o compromisso com o mercado Português, para o que contamos com a colaboração de toda a equipa. A nossa aposta continua a ser prestar o melhor serviço possível aos clientes”.

Refira-se que em Julho próximo a Continental, a quinta maior companhia aérea no mundo, celebra 75 anos.

Fonte: Turisver (Portugal)

NASA vai eliminar 900 empregos

As primeiras 160 demissões foram informadas na semana passada e atingiram principalmente profissionais que fabricavam os tanques de combustível das naves e impulsionadores de foguetes sólidos (da sigla em inglês SRBs).

As empreiteiras que prestavam serviços à agência são a Lockheed Martin e a ATK Thiokol.

“Esse foi oprimeiro corte da capacidade de produção”, disse John Shannon, gerente de programa de espaçonaves.

A frota de três ônibus espaciais será utilizada somente em mais oito viagens para terminar de construir e equipar a Estação Espacial Internacional, além de recolher dados obtidos pelos telescópio espacial Hubble.

Vista do Centro Espacial Kennedy: frota de espaçonaves será desativada em 2010

Fonte: Reuters via InfoPlantão - Foto: Reuters

TAM recebe prêmio pela qualidade no financiamento de aeronaves da sua frota

A Tam recebeu uma dupla premiação do Airfinance Journal em reconhecimento à qualidade das operações de financiamento que realizou no ano passado para as aeronaves de sua frota. O prêmio Latin America Deal of the Year 2008 foi concedido à companhia por conta de duas operações negociadas com grupos distintos de instituições financeiras internacionais. Além disso, o fato de a Tam ter assegurado a incorporação de 32 novas aeronaves em 2008 com o suporte de financiamentos estruturados levou o Airfinance Journal a reconhecer a equipe da companhia responsável pelas negociações, liderada pelo diretor de Contratos Internacionais da Tam, José Zaidan Maluf, como a melhor do mundo com a entrega do prêmio Aircraft Finance Team of the Year 2008.

Das duas operações que justificaram o prêmio Latin America Deal of the Year 2008, uma foi estruturada pelo Banco Santander e ING denominada Spanish Operating Lease (SOL), tendo sido concluída em julho de 2008, às vésperas da crise financeira global, para duas aeronaves Airbus.

A segunda operação foi estruturada com a garantia financeira do Export-Import Bank of the United States (Ex-Im Bank), que viabilizou o financiamento de quatro aeronaves Boeing 777- 300ER e teve a participação de quatro instituições financeiras internacionais: Calyon, Natixis, Pefco (Private Export Funding Corporation) e Société Générale.

Os prêmios foram entregues ao vice-presidente de Finanças, Gestão e TI da Tam, Líbano Miranda Barroso, e ao diretor de Contratos Internacionais da companhia, José Zaidan Maluf, em cerimônia realizada em abril no Rainbow Room do Rockefeller Center, em Nova York. A Tam foi homenageada em Londres, em dezembro passado, pela revista britânica Jane's Transport, com o prêmio Aircraft Leasing Deal of the Year, em reconhecimento às condições inovadoras e favoráveis que obteve para financiar as quatro aeronaves B777 por meio de leasing financeiro.

"Recebemos essa dupla premiação como o reconhecimento internacional da sólida situação financeira da Tam e da excelência no relacionamento com clientes e fornecedores desenvolvido pelas nossas equipes, guiadas pela Paixão pela Aviação e pelo Espírito de Servir", afirma Líbano Barroso.

Fonte: Mercado & Eventos

Sala de isolamento da nova gripe será inaugurada no Tom Jobim

Espaço funcionará a partir desta quarta (6) para atender passageiros.

Campanha vai orientar população sobre a nova doença.

Uma sala de isolamento para atender pacientes com sintomas da nova gripe, batizada de Influenza A, será inaugurada nesta quarta-feira (6), no Aeroporto Tom Jobim-Galeão, na Ilha do Governador, no subúrbio do Rio.

A informação foi confirmada pelo secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann, na manhã desta terça-feira (5), em entrevista a rádio CBN.

Segundo o secretário, qualquer passageiro que desembarcar apresentando os sintomas será levado para a sala de isolamento para avaliação clinica.

“A sala deve estar operando a partir de amanhã e já prevê uma capacidade de acolhimento bastante considerável. Qualquer pessoa que se enquadre, relate sintomas que seja compatível com suspeita de gripe A, vai para a sala. E, a partir daí, vão ser tomadas as condutas de transferência para hospitais sentinelas, se for o caso, depois de uma entrevista mais detalhada com a equipe técnica, que vai estar lá. Se não houver necessidade, caso não se enquadrem, serão liberados para casa e manteremos contatos telefônicos diários de monitoramento”, explicou Dohmann.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Rio existem três casos suspeitos e outros três que estão sendo monitorados. A Secretaria de Saúde informou ainda que , se confirmado algum caso,a primeira providência será o isolamento para evitar a transmissão da doença. Até o momento nenhum caso foi confirmado.

O secretário Hans Dohmann admitiu que, se a gripe se espalhar, a estrutura hospitalar do Rio não comportará todos os pacientes com a doença, já que nenhum lugar do mundo isso seria possível, durante uma epidemia. Por isso, será desenvolvida uma campanha educativa pública orientando a população de como cuidar de pacientes em casa. A campanha também vai orientar sobre os cuidados básicos para evitar a doença.

“Teremos um limite de acomodação dentro do sistema, por isso que uma das recomendações é orientar as pessoas de como cuidar de seu parente em casa, como, lidar com a pessoa em seu domicilio”, acrescentou o secretário.

Um grupo de trabalho, criado por decreto, envolvendo autoridades de saúde, vai se reunir com responsáveis de outras secretarias e órgãos públicos para definir estratégias para o caso de disseminação da doença, como o fechamento de escolas e espaços públicos.

Fonte: G1 (com informações da CBN) - Foto: Wilson Dias (ABR)

França aumenta combate à gripe com novas medidas em aeroporto

O aeroporto Charles De Gaulle (foto), em Paris, aumentou ontem as medidas de segurança em saúde para os três voos diários que chegam do México, em um processo que contou com participação do secretário de Estado de Transportes francês, Dominique Bussereau.

O primeiro dos aviões da Air France e da Aeroméxico que conectam diariamente ambos os países aterrissou, como vinha ocorrendo há vários dias, em uma região isolada, restrita e vigiada desse aeroporto.

A partir de hoje, um grupo de médicos examina os viajantes quando chegam e perguntam sobre possíveis sintomas da doença, explicou Bussereau, que justificou o novo dispositivo pelo fato de a gripe suína ter alcançado o nível 5 de alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, nem todos os passageiros foram atendidos pela equipe médica, como afirmam muitos dos viajantes, entre um grande número de jornalistas e fotógrafos que cercavam o secretário de Estado cumprimentando os recém chegados, como pôde comprovar a Agência Efe.

"Isto é um circo", declarou a espanhola Clara Cauce, que faria conexão depois com um voo para a Espanha e que assegurou à Efe que ninguém tinha perguntado "nada" a ela quando chegou à França.

Entre os passageiros foram ouvidas diferentes opiniões sobre o novo dispositivo, desde os que compreendiam as medidas da saúde em prol da prevenção até os que entendiam que era uma operação de comunicação.

Os 407 viajantes precisaram preencher um formulário antes de embarcar no México e foram desinfectados no avião e vigiados pela tripulação, que tinha ordens de avisar caso alguém mostrasse sintomas da gripe.

Funcionários da Cruz Vermelha distribuíram entre os viajantes cópias com informação do procedimento a ser seguidos para o caso de aparecerem sintomas da gripe nos próximos dias.

Segundo funcionários do aeroporto, os passageiros eram livres para decidir se utilizariam ou não máscaras e luvas.

O Ministério da Saúde francês anunciou ontem dois novos casos confirmados do vírus da gripe suína, com os quais sobe a quatro o total de infectados na França, todos eles correspondentes a pessoas que viajaram ao México.

Fonte: EFE via Último Segundo (IG) - Foto: AFP/Getty Images

terça-feira, 5 de maio de 2009

Etihad também adota conceito de suíte na first

De olho nos passageiros top premium, a Etihad Airways – companhia de bandeira dos Emirados Árabes Unidos – também vai instalar suítes na primeira classe.

A empresa investe US$ 70 milhões na novidade, que começará a ser disponibilizada aos passageiros a partir do final de agosto deste ano. O primeiro avião que receberá as cabines será o Airbus A-340-600 . Toda a frota que tiver primeira classe vai receber 12 suítes, e todos os jatos deverão ter as cabines até o final de 2010.

A suíte cabine que a empresa vai oferecer aos passageiros

Fonte: Claudio Schapochnik (Panrotas) - Foto: divulgação

NASA quer trocar base lunar por pouso em asteroide e viagem a Marte

Premida por um orçamento cada vez mais apertado e pela pressão da comunidade científica, a NASA pode trocar a construção de uma base permanente na Lua por missões bem mais audaciosas, promissoras e cientificamente instigantes - o pouso em um asteroide nas proximidades da Terra ou uma missão tripulada a Marte.

Indo além da Lua

"Lembre-se que a Visão para a Exploração Espacial [o projeto de longo prazo para o espaço do governo norte-americano] não trata apenas de ir para a Lua como foi na época da missão Apollo, ela fala em utilizar o espaço para ir até Marte ou a outros lugares," afirmou Chris Scolese, atual administrador interino da NASA durante um depoimento a uma comissão parlamentar. Ele substituiu Mike Griffith e ficará no posto até que um novo administrador seja nomeado pelo presidente Barack Obama.

A Sociedade Planetária, uma entidade independente que congrega cientistas espaciais do mundo todo, há muito vem se manifestando contra a ideia de uma base permanente na Lua. Segundo a entidade, uma base seria cara demais e praticamente sem utilidade porque a exploração científica da Lua, a única opção que se vislumbra a médio prazo, poderia ser feita com viagens curtas, como as que foram feitas durante a missão Apollo.

Arquitetura flexível

Scolese sequer deu uma resposta clara à pergunta direta se a NASA conseguirá manter o cronograma de pousar na Lua em 2020, em vista do aperto orçamentário da Agência - ele não respondeu nem sim e nem não.

O aperto orçamentário já fez com que a NASA adiasse os planos para a construção de duas naves espaciais, uma para três e outra para seis tripulantes - a construção da nave Orion de seis lugares foi adiada sem data definida para ser retomada.

"O que nós esperamos obter da NASA no longo prazo é uma arquitetura que nos dê flexibilidade para levar os humanos além da órbita baixa da Terra e nos permita ter opções em relação ao que nós podemos fazer na Lua assim como em relação a outros destinos - como Marte ou um asteroide - de forma que tenhamos opções em relação ao que fazer em 2020, diz Scolese.

Tudo dependerá do orçamento

O administrador interino deu a entender que a NASA está fazendo uma revisão mais profunda do que parecia em relação aos planos futuros traçados durante a administração de seu antecessor.

A decisão final sobre a mudança de planos da NASA - trocando uma base lunar por um pouso em um asteroide ou por uma viagem a Marte - não terá que esperar muito.

O orçamento da Agência, proposto pela administração Obama, deverá ser conhecido ainda durante o mês de Maio, e dirá se haverá ou não recursos disponíveis para alcançar a data de 2020 para a exploração da Lua. E o novo administrador dirá qual será a meta principal.

Fonte: Site Inovação Tecnológica - Imagens: NASA (concepção artística)

Colômbia descarta envolvimento das Farc em queda de helicóptero

Para Juan Manuel Santos, ministro da defesa, a guerrilha não teria capacidade para causar o acidente; sustentar esta tese, segundo ele, poderia conturbar ainda mais as relações entre Colômbia e Venezuela

O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, descartou nesta terça-feira a possibilidade de que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tenham sido responsáveis pela queda de um helicóptero venezuelano ocorrida no último domingo na fronteira entre os dois países.

"Creio que foi um acidente. A guerrilha não é capaz de derrubar um helicóptero. Por sorte, ela não tem essa capacidade, e tomara que nunca tenha. Imagine o que aconteceria se começassem a cair helicópteros", disse o ministro à rádio La W, de Bogotá.

Segundo Santos, atribuir a responsabilidade do acidente às FARC seria um "ato irresponsável" de "pura especulação". Desta forma, o ministro contestou uma versão que circula na internet e afirma que o grupo rebelde teria derrubado a aeronave por engano.

"Lançar uma tese como esta é colocar sal em uma ferida que ainda está aberta", afirmou, referindo-se às instáveis relações diplomáticas entre Colômbia e Venezuela, que alternam fases de aproximação e distanciamento.

"Na medida em que pudermos controlar esse tipo de manifestação, será melhor para que as relações entre os dois países não fiquem ainda mais conturbadas", ressaltou.

Em Caracas, autoridades venezuelanas investigam as causas do acidente, que causou a morte do general Domingo Faneite e de outros 16 militares, além de um civil.

A polícia do país também negou o envolvimento das Farc. "Até o momento, não temos nenhum tipo de informação, pelo menos na área que investigamos, já que o processo é conduzido pela Promotoria Militar", explicou o chefe da Polícia Judiciária, Wilmer Flores.

O comandante também pediu que o Ministério da Defesa do país se pronuncie oficialmente sobre o ocorrido.

Fonte: Agência Ansa via UAI

Infraero reformula página de notícias do site

A página de notícias do site da Infraero (www.infraero.gov.br) está de cara nova, com mudanças no lay-out e na forma de apresentação de conteúdo. Segundo a Infraero, o canal de comunicação ganhou mais dinamismo e objetividade. “A mudança na forma de apresentação do site tem o objetivo de facilitar o acesso aos dados sobre a Infraero e as empresas que operam nos aeroportos”, diz a estatal por meio de um comunicado.

As notícias mais importantes agora têm destaque na página principal. Já o link para o sistema informativo, um dos serviços mais requisitado do website da Infraero, também ficou mais fácil de ser localizado. Agora a situação dos voos pode ser verificada por meio de três botões que segmentam a informação em: principais aeroportos, por aeroporto e por empresa aérea.

Fonte: Felipe Niemeyer (Panrotas)

Fusão entre Vueling e Clickair elimina 200 postos de trabalho

Nova empresa vai gerar vendas de 800 milhões de euros

A fusão entre as transportadoras aéreas low-cost Vueling e Clickar, que deverá tornar-se realidade no final de Junho, vai originar o despedimento de 200 pessoas por duplicação de funções, apesar de as previsões apontarem para um volume de negócios anual de 800 milhões de euros .

O presidente da Vueling (que irá dar o nome à nova empresa), Josep Piqué, explicou hoje à imprensa espanhola que existe um excedente de 200 pessoas nesta operação e que, no final do processo, serão mantidos apenas 1300 postos de trabalho (contra os 1500 que existem actualmente).

A fusão, que deverá estar concluída no final de Junho deste ano, foi precedida de um redimensionamento da estrutura de custos, que culminou com despedimentos pontuais nas duas companhias de aviação espanhola, forçado pela crise na indústria aérea.

No entanto, tais ajustes não foram suficientes para que a nova Vueling pudesse descolar de acordo com as pretensões dos accionistas, de entre os quais a transportadora aérea espanhola Iberia (com 45 por cento do capital). De acordo com Piqué, as novas dispensas foram realizadas de "uma forma natural e sem traumas".

A maioria dos postos de trabalho eliminados corresponde às áreas de handling e de manutenção, que vão ser concentradas no aeroporto de Madrid, ao contrário do que acontecia até agora.

A nova companhia de aviação vai operar com uma frota de 35 aviões de gerar um volume de negócios de 800 milhões de euros por ano. Piqué acredita que "vai conseguir estar entre as cinco primeiras do sector na Europa em termos de rentabilidade".

Fonte: Raquel de Almeida Correia (Público - Portugal)

Aeroporto de Confins mostra desleixo na prevenção à gripe suína


Representantes de nove ministérios se reuniram terça-feira em Brasília e discutiram ações para lidar com uma possível pandemia da influenza A (H1N1) . Durante quase três horas, os participantes defenderam uma postura mais rigorosa no combate à gripe suína. Apesar da preocupação, passageiros que desembarcam do México no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, reclamam da falta de orientação e fiscalização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


O Ministério da Saúde já registra 25 casos suspeitos da doença no país, além de 36 pessoas em monitoramento em 19 estados. Desde o início do alerta, foram descartados 60 casos. São Paulo é a região que concentra mais casos suspeitos (10). Em seguida vem Minas, cujo número de suspeitos subiu para quatro. Além deles, há três pacientes monitorados. Terça-feira, dois pacientes internados no Hospital das Clínicas receberam alta. Um deles é uma menina de 2 anos que teve contato com o pai, recém-chegado do México. Apesar de ter sido liberada, o caso ainda é considerado suspeito pelas autoridades sanitárias. Outro paciente liberado foi um homem de 44, que também esteve no México. Ele foi internado no último sábado com dores abdominais e diarreia e durante os dois dias hospitalizado não apresentou febre ou sintomas respiratórios. Por isso, o caso foi descartado.

Em Minas, somente uma mulher, de 53, moradora de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, permanece internada. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que os dois outros suspeitos são uma moradora de Santa Bárbara, de 34, que voltou da Espanha, e um homem de 35, que desembarcou na última quinta-feira, reclamando de febre e tosse. Ambos estão em casa sendo acompanhados por uma equipe médica. Das 10 notificações em Minas, a secretaria recolheu material para exames de oito e o encaminhou para a Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.

Terça-feira, na capital fluminense, uma mulher, de 50 anos, morreu de infecção generalizada. Ela chegou ao Hospital Barra D’Or 48 horas depois de retornar dos Estados Unidos, área considerada de risco pela Organização Mundial de de Saúde (OMS). Ela apresentava febre, vômito e dor de cabeça, mas sem problemas respiratórios. O MS foi informado que a causa do óbito foi pneumonia bacteriana e descartou que a paciente havia sido vítima da gripe suína.

Descaso

Passageiros que retornaram do México denunciaram a falta de vigilância nos aeroportos brasileiros. Um assessor parlamentar, de 49 anos, que pediu anonimato, informou que ele e um grupo de 60 pessoas voltaram de Cancún, na madrugada de terça-feira. “Durante o desembarque no aeroporto de Confins recebemos apenas um panfleto. Não houve inspeção e percebi desleixo na abordagem. Apenas os policiais federais usavam máscara. Acho que houve falta de segurança”, afirma.

Uma consultora de informática, de 40, reclamou da mesma situação. Ela vai com frequência ao México e ficou surpresa com a falta de preparo dos aeroportos brasileiros “O alerta é mundial. Há propagandas falando sobre a possível pandemia e, mesmo assim, não há fiscalização suficiente no Brasil. Meu voo saiu do interior do México, com conexão na capital mexicana. A companhia aérea nos forneceu máscaras e mediu nossa temperatura. Mas quando cheguei em São Paulo, por Guarulhos, não houve nenhuma medida. Ficamos até sem graça com nossas máscaras. Quando cheguei em Confins, o cenário era o mesmo. Não havia qualquer amparo nem sombra da Anvisa”, afirma.

Para a Anvisa, as reclamações não procedem. Em nota oficial, a agência informou que “todas as informações necessárias estão sendo repassadas aos passageiros que chegam ao país, de todos os voos internacionais, em consonância com as recomendações adotadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”. Segundo o órgão, os passageiros que desembarcam são obrigados a preencher a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), que é retida pela Anvisa e atua como fonte de informações para eventual busca de contatos se for detectado caso suspeito na mesma aeronave.

De acordo com a agência, ainda durante o voo, as tripulações informam os passageiros sobre os sinais da influenza A (H1N1) e pedem aos que apresentam sintomas que se identifiquem. Ao desembarcar, os viajantes recebem, ainda, panfletos com informações sobre medidas de proteção, higiene e assistência médica. A Infraero veicula ainda, nos aeroportos, informe sonoro. “Estas ações estão sendo feitas em todos os aeroportos brasileiros”, garante a nota da Anvisa. O órgão orienta a população a esclarecer dúvidas sobre a doença pelo Disque Saúde (08002 61 1997).

Há uma semana, a agência anunciou que os funcionários responsáveis pelas bagagens dos passageiros procedentes de voos internacionais estariam paramentados com avental, luvas, máscaras e óculos especiais. No dia seguinte, o Estado de Minas flagrou os funcionários sem equipamentos, o que foi motivo de críticas do médico da Anvisa responsável pela orientação e controle do viajante no aeroporto de Confins, Moysés Diskin. Depois da crítica, os funcionários passaram a usar os equipamentos.

Fonte: Ingrid Furtado e Thiago Herdy (Estado de Minas) via UAI

Argentina repatria turistas e estende suspensão de voos ao México

Mais de 200 turistas argentinos que estavam no México retornaram ontem em um voo especial à Argentina, que decidiu estender a suspensão das atividades das linhas aéreas entre ambos os países para tentar evitar a expansão da gripe suína.

Os voos entre Argentina e México estão suspensos desde a terça-feira passada. Hoje, a Unidade Coordenadora Nacional criada para combater a doença se reunirá para definir até quando a medida será mantida, mas o chefe do Gabinete, Sergio Massa, apontou que a restrição continuará pelo menos até quinta-feira.

Ontem, o Governo argentino declarou que não há casos de gripe suína no país, mas existem 17 ocorrências sob investigação.

O Ministério da Defesa argentino ordenou nesta segunda-feira a instalação de um hospital militar móvel no aeroporto internacional de Ezeiza, o principal do país, para ajudar a controlar o fluxo de passageiros pelo surto da gripe, informou um comunicado do órgão.

O hospital, que estará em "plena atividade" na sexta-feira, pertence à Força Aérea Argentina, e conta com uma sala de tratamento intensivo para quatro pacientes, laboratórios, sala de raios-x, duas ambulâncias para o transporte de doentes e capacidade para 16 leitos, explicou a nota oficial.

Um contingente de turistas argentinos que permanecia no México chegou nesta madrugada em um voo especial ao aeroporto internacional de Ezeiza, nos arredores de Buenos Aires, e nenhum apresentou sintomas de gripe durante a viagem, explicaram os médicos que os acompanharam.

Os 229 viajantes e seis tripulantes foram recebidos por seus familiares após passar por controles de saúde e serão submetidos a acompanhamento por dez dias, disse o secretário de Gabinete e Gestão Pública argentino, Juan Manuel Abal Medina.

Em comunicado, a embaixada do México em Buenos Aires criticou a decisão que o Governo argentino tomou de forma "unilateral e sem fazer consulta alguma ao Governo mexicano, ocasionando inúmeros inconvenientes a passageiros argentinos, mexicanos e de outras nacionalidades".

As autoridades argentinas afirmaram que a medida "não é discriminatória" e atende ao objetivo de evitar que o vírus da gripe suína ingresse no país.

Fonte: EFE via G1

OceanAir inicia no próximo dia 18 voos para diferentes destinos saindo do Santos Dumont

A companhia aérea OceanAir inicia, no próximo dia 18, voos saindo do aeroporto Santos Dumont para diferentes destinos. Entre as novidades da empresa está a ampliação da ponte aérea Rio-São Paulo, com a opção pelo passageiro que sai do Rio de pousar em Congonhas ou em Guarulhos. Hoje, a empresa já tem oito frequencias (cada frequencia corresponde a um trecho) para Congonhas e, a partir do dia 18, terá mais cinco frequencias com pouso em Guarulhos.

De acordo com a direção da OceanAir, a escolha não interferirá nos preços e os bilhetes para a ponte aérea da companhia, chamada Hiper Ponte, custarão a partir de R$ 94 cada trecho.

- Vamos oferecer aos nossos passageiros a opção de escolher em qual aeroporto pretende chegar ou partir - afirma o Diretor Executivo , Renato Pascowitch.

No mesmo dia 18, a empresa faz o lançamento de voos do Santos Dumont para Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e Florianópolis. Nesta quarta-feira, o diiretor Executivo da OceanAir, Renato Pascowitch estará no Rio para falar da ampliação da operação da empresa no Santos Dumont.

Fonte: Erica Ribeiro (O Globo)

Abril tem menos atrasos de voos em 12 meses, diz Infraero

O índice de atrasos de voos nos aeroportos administrados pela Infraero registrou o menor índice dos últimos 12 meses, segundo a empresa. Ao todo, 6,86 % dos voos decolaram após 30 minutos do horário previsto. Essa queda foi registrada mesmo com o crescimento de 13,39% no número de pousos e decolagens em abril deste ano, de acordo com a Infraero.

A marca representa também o melhor desempenho do ano de 2009. Em abril do ano passado, 17,94% dos voos atrasaram. Já em janeiro desse ano, 15,52% dos voos atrasaram; em fevereiro, 8,64%; e em março, 7,1%.

Em relação ao quadrimestre, o índice de atrasos em 2009 é de 9,5%. Se comparado com o mesmo período do ano passado, a queda é de 10,88 pontos percentuais. Em 2008, de janeiro a abril, a média de atrasos ficou em 20,41%.

Dentre os principais aeroportos da empresa, os voos que operam no Aeroporto Internacional de Recife tiveram o menor índice de atrasos: 4,69%. Isso fez com que a pontualidade ficasse acima dos 95,16%. Os índices diários de atrasos de voos por aeroporto e pelas principais companhias aéreas podem ser conferidos no site www.infraero.gov.br.

Fonte: Felipe Niemeyer (Panrotas)

EADS e Lockheed preparam helicóptero comum

A EADS e a Lockheed vão trabalhar juntas. O consórcio dono da Airbus e a número um americana da aviação militar vão apresentar um projecto comum para a construção de um helicóptero que vai servir a força aérea americana.

O Pentágono lançou um concurso para o novo engenho. Pensa-se que deve pagar cerca de seis mil milhões de dólares pela construção de 500 helicópteros.

A EADS quer assim oferecer um modelo baseado no Eurocopter, com a diferença de que o novo aparelho vem armado. É aí que entra a Lockheed, com o fornecimento das armas.

O Pentágono exigiu que o novo aparelho fosse capaz de atingir altitudes superiores a seis mil pés e aguentar temperaturas extremas.

Fonte: EuroNews

Os riscos de animais no Aeroporto de Vitória (ES)



Fonte: TV Vitória

Avião para repatriar mexicanos chega a Xangai

Aeronave vai fazer escalas em outras cidades chinesas antes de voltar nesta terça-feira ao México

Um avião charter da companhia mexicana Aeromexico chegou nesta terça-feira, 5, a Xangai. É a primeira etapa de repatriamento dos cidadãos mexicanos que foram postos em quarentena na China como medida para conter a gripe suína, informou a imprensa oficial.

O presidente do México, Felipe Calderón, denunciou este isolamento como uma medida discriminatória e repressiva contra cidadãos mexicanos.

O voo AM191 da Aeromexico aterrissou às 12h10 locais (2h10 pelo horário de Brasília) no aeroporto internacional de Pudong, segundo o site Eastday.Com, do município de Xangai.

O avião mexicano também vai fazer escalas nas cidades de Pequim, Guangzhou e Hong Kong antes de voltar nesta terça-feira à Cidade do México.

Cerca de 70 mexicanos foram postos em quarenta em várias cidades da China, entre elas Pequim, Xangai e Cantão, depois da confirmação na sexta-feira, 1º, à noite de um primeiro caso do vírus A (H1N1) na Ásia, em um cidadão mexicano que chegou em Hong Kong via Xangai.

A China também enviou um avião ao México para levar seus cidadãos logo que o governo chinês proibiu voos para o país.

Fonte: Estadão.com.br (com Agências internacionais)

Infectados com gripe suína já passam de mil, diz OMS

Entidade não pretende elevar alerta de epidemia para o nível máximo, diz ONU

A Organização Mundial de Saúde disse nesta segunda-feira que já foram confirmados 1.025 casos de gripe suína em 20 países e 26 mortes. No domingo, a entidade havia confirmado 985 casos.

Mesmo assim, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que a OMS não pretende, por hora, elevar o grau de alerta da doença.

"Se a situação permanecer como está, a OMS não pretende elevar o alerta para o nível 6", disse ele. O nível 6, último da escala, significa que o mundo já atravessa uma pandemia.

A chefe da OMS, Margaret Chan, disse que "não há indicação de que atravessamos uma situação similar à 1918", referindo-se à gripe espanhola, responsabilizada pela morte de dezenas de milhões de pessoas.

Mas a OMS ressaltou que os governos mundiais não devem baixar a guarda em resposta ao surto.

O diretor-Geral assistente da OMS, Keiji Fukuda, disse que o vírus da gripe pode ser transmitido mais facilmente no hemisfério sul nos próximos meses, quando se aproximam os meses de inverno.

"Nos preocupamos com a infecção se deslocando rumo ao hemisfério sul porque o inverno se aproxima nesta parte do mundo", disse ele.

"Os surtos de gripe costumam ser mais facilmente transmitidos nestes meses."

México

O México, país onde surgiram os primeiros casos da doença e o mais afetado, confirmou 26 mortes causadas pelo vírus e disse que 701 pessoas foram infectadas. Os números de domingo eram de 22 mortes e 568 infectados.

Mas o governo disse que há quatro dias não surgem novos casos de infecção e as novas confirmações se referem a pessoas que já estavam doentes e testes revelaram que se tratava da gripe suína.

Integrantes do governo da Cidade do México, local onde foi registrada a maioria da mortes, disseram que pretendem reabrir restaurantes e locais de venda de comida na quarta-feira. Igrejas e museus devem voltar a funcionar na quinta-feira, mas bares, discotecas, cinemas e teatros devem permanecer fechados até segunda ordem.O México disse que pretende enviar um avião para retirar cerca de 70 de seus cidadãos que foram isolados em quarentena na China.

O presidente mexicano, Felipe Calderón, criticou a medida chinesa, dizendo que esta seria fruto de falta de informação. A China não disse se vai permitir que os mexicanos embarquem no avião.

Outras 250 pessoas se encontram em quarentena em um hotel em Hong Kong depois que um hóspede foi diagnosticado com a gripe suína.

Resto do mundo

Portugal confirmou, nesta segunda-feira, seu primeiro caso da doença, mas ainda não entrou na lista dos países infectados da OMS.

Outro país europeu, a Suíça, decidiu isolar 250 recrutas de um acampamento do Exército após dois deles se tornarem suspeitos de ter contraído a doença. Até o momento, o país confirmou nenhum caso da gripe suína.

Os Estados Unidos, segundo país mais atingido, confirmou nesta segunda-feira que 286 pessoas foram infectadas, a grande maioria considerada casos leves. Já foram registrados casos em mais da metade (36) dos 50 Estados do país.

Apenas uma pessoa, um bebê mexicano de quase dois anos em viagem ao país, morreu por causa da gripe nos Estados Unidos.

O Brasil é um dos vários países que monitora casos suspeitos, mas até agora não teve casos confirmados.

O Ministério da Saúde disse que suspeita que 15 pacientes podem ter contraído a gripe, 44 pessoas estão sendo monitoradas e outros 43 casos foram examinados e descartados.

Alem de México, EUA, Suíça e Portugal, já foram confirmados casos no Canadá, Espanha, Grã-Bretanha, Alemanha, Nova Zelândia, Israel, El Salvador, Itália, França, Colômbia, Dinamarca, Hong Kong, Irlanda, Holanda e Coreia do Sul.

Fonte: BBC Brasil via Estadão.com.br

O Viajante e a Gripe Suína

A gripe suína é uma doença infecciosa respiratória aguda, causada pelo vírus Influenza, do tipo A. Este vírus possui diferentes variantes que acometem não somente os suínos, mas as aves (gripe aviária) e mesmo os seres humanos, causando o conhecido quadro de gripe. Os vírus dos animais podem também ser transmitidos ao homem, causando quadro clínico semelhante. Habitualmente estes quadros são sem gravidade. Da mesma forma, o vírus que infecta humanos pode infectar os animais.

No México, em decorrência de um surto de gripe em suínos, algumas pessoas foram infectadas com o Influenza suíno e desenvolveram quadros respiratórios infecciosos. O que chama a atenção é que a doença tem se apresentado, em poucos casos, com sinais e sintomas mais severos que o habitual, levando algumas destas pessoas à morte. Os pacientes acometidos são, em sua maioria, pessoas jovens, faixa etária que freqüentemente não adquire este tipo de infecção. Soma-se ainda a preocupação de que pessoas que não tiveram contato com suínos infectados contraíram a doença, o que sugere a capacidade de transmissão de pessoa para pessoa, o que também não é frequente no caso de gripe suína.

Evitar viagens a destinos em que já foram detectados casos de pessoas contaminadas pela gripe suína, principalmente México e Estados Unidos, é nossa primeira orientação. Se a viagem é obrigatória, deve-se saber se a cidade de destino registra casos da doença. Em capitais, o risco é maior e, por isso, a rotina de viagem deve ser diferente. Quanto mais isolado o viajante conseguir ficar, melhor. É preciso evitar aglomerações, como meios de transporte coletivos, shows ou museus.

O Ministério da Saúde já começou um Plano de Contingência e Controle da doença, principalmente nos portos e aeroportos nacionais. O objetivo é realizar uma vigilância da doença por meio da detecção precoce de possíveis casos suspeitos. Estas ações serão intensificadas nos voos provenientes do México. Mas, como há casos relatados também em outros países, a vigilância é praticamente geral.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também anunciou que em breve os viajantes procedentes das áreas afetadas pela gripe suína receberão, ao desembarcar, um folder educativo com informações sobre sintomas, medidas de proteção e higiene e orientações para procurar assistência médica. Se houver suspeitos casos da gripe suína no avião, funcionários da Anvisa encaminharão um médico ao local para evitar que o passageiro tenha contato com outras pessoas no aeroporto.

Para os viajantes que se destinam às áreas afetadas, as principais dicas são: evitar locais com aglomeração de pessoas; evitar o contato direto com pessoas doentes; ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável; lavar as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar; evitar tocar olhos, nariz ou boca; não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; usar máscaras cirúrgicas descartáveis durante toda a permanência em áreas afetadas e substituí-las sempre que necessário; em caso de adoecimento, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes e roteiro de viagens recentes às áreas afetadas; não usar medicamentos sem orientação médica.

Aos viajantes procedentes das áreas afetadas que apresentam sintomas da doença, as orientações são: procurar assistência médica na unidade de saúde mais próxima; informar ao profissional de saúde o seu roteiro de viagem.

Importante lembrar que a Organização Mundial de Saúde está trabalhando neste sentido, mas ainda não se dispõe de uma vacina específica para este surto, pois é necessário que esta vacina contenha informações das variantes suínas do vírus Influenza, responsáveis pelas infecções atuais. As vacinas de Influenza disponíveis para a gripe em idosos e crianças provavelmente não conferirá proteção contra a gripe suína, não sendo indicadas, portanto, como medida de proteção ou prevenção.

Fonte: Jaime Rocha - infectologista da DASA - Diagnósticos da América S/A e especialista em Medicina do Viajante para a ABN News (Agência Brasileira de Notícias)

Susto: Avião voa baixo, destelha casa e assusta moradores na Serra (ES)



Os moradores do bairro Eurico Salles, na Serra, já estão acostumados a conviver com o barulho do sobe e desce de aeronaves. O bairro fica na direção de uma das cabeceiras da pista do Aeroporto de Vitória. Mas nos últimos meses eles estão tendo que conviver com um incômodo ainda maior - e que dói no bolso. Segundo eles, o vácuo de aviões que passam muito baixo tem destelhado algumas casas.

Neste domingo (3), teria acontecido mais uma vez. "Por volta das 18h45 passou uma aeronave e eu tinha acabado de tomar banho. Ouvi um barulho alto. Quando olhei pela janela, as crianças que brincavam na rua me falaram que tinham caído umas telhas. Mudei de roupa, fui ao terraço e vi que algumas telhas tinham sido arrancadas pela força do vácuo do avião", disse o líder comunitário Gideão Enrique Svensson.

No terceiro andar do prédio ficou o buraco no telhado, para não deixar dúvidas. Algumas telhas foram arrancadas, outras estão soltas. A preocupação é que um vento mais forte ou a passagem de outra aeronave possa agravar o problema. O morador afirma que esta não é a primeira vez que isso acontece no bairro.

"Já é o terceiro caso que acontece de casas serem destelhadas no nosso bairro. A gente vive apreensivo que possa acontecer alguma coisa pior", ressalta.

A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) informou, por meio de assessoria de imprensa, que comunicou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a companhia aérea responsável sobre o ocorrido. A Defesa Civil Municipal também foi acionada.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal da Serra, Sebastião Sabino, uma equipe será enviada à residência, junto com uma equipe da Infraero, para avaliar os danos causados no imóvel. A equipe da Defesa Civil verifica, ainda, se a residência tem a altura permitida pelo Plano Diretor Urbano (PDU) da Serra para aquele local.

Fonte: TV Vitória via Folha de Vitória - Fotos: reprodução (TV Vitória)

Queda no número de passageiros penaliza BAA

Um avião da Ryanair decola do aeroporto de Stansted, em Essex, Sul de Inglaterra

A BAA (British Airports Authority), proprietária de aeroportos britânicos, anunciou hoje o agravamento dos prejuízos de 316,2 milhões de libras (469,8 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano, contra a perda de 55,6 milhões de libras no mesmo período do ano passado.

A causa reside na acentuada queda de passageiros decorrente da crise internacional. No entanto, a BAA, controlada pelo grupo espanhol Ferrovial, informa que as receitas aumentaram 15,5 por cento no período.

Fonte: Público (Portugal) - Foto: Stephen Hird (Reuters)

Desinfecção de avião na Coréia do Sul

Oficiais desinfectam um avião de passageiros que chegou ao aeroporto de Seul, na Coréia do Sul, vindo de Chicago, nos Estados Unidos como medidas de prevenção à proliferação do vírus da gripe suína.

Foto: AFP (04/05/09)

Retomador de aviões torna-se o melhor emprego em época de crise nos EUA

A última viagem de negócios de Ken Hill o levou a oito Estados em janeiro e lhe rendeu 12 aviões. Sua viagem atual é de 30 a 45 dias em busca de mais 27 aviões, a maior que já realizou.

O trabalho de Hill é reaver aviões, um dos melhores e mais ocupados no momento. Com a crise econômica e as dificuldades do setor de aviação civil, Hill está trabalhando sem parar, indo de um aeroporto a outro, levando apenas alguns poucos instrumentos básicos -uma trava de hélice, um rádio portátil, um aparelho GPS de mão e uma pochete cheia de chaves. "Eu estou ocupado, sempre em movimento, acordo de madrugada e vou dormir tarde", disse Hill em uma entrevista por telefone de seu hotel em Knoxville, Tennessee, entre os trabalhos de retomada dos aviões em janeiro. "Minha esposa nunca me pergunta onde vou. Ela apenas me diz: 'Me ligue quando chegar para me dizer onde está'."

O retomador de aviões Ken Hill fotografa um Piper Meridian, em Kansas

Um vendedor de aviões de carreira e piloto, Hill, 66 anos, estima que já retomou a posse de centenas de aeronaves desde seu primeiro Piper Cherokee 180 a hélice em 1969. Os amigos o chamam de "Grim Reaper" (ceifador de almas), uma imagem que ele ao mesmo tempo acha engraçada e detesta.

Independente dos tempos serem bons ou ruins, os custos de possuir um avião são consideráveis. Além do preço de compra, há manutenção, hangar, combustível, atendimento de bordo e seguro. Muitos proprietários ajudam a pagar as contas fretando seus aviões, mas a demanda está encolhendo assim como a economia.

"Não dá para possuir um avião sem que isto lhe custe dinheiro, independente de você usá-lo ou não", disse Terence Haglund, um advogado de aviação de Williamsburg, Virgínia, que utiliza os serviços de Hill.

Hill, que vive em Santa Barbara, Califórnia, disse que normalmente retoma a posse de cerca de 30 aviões por ano, variando de aviões de treinamento Piper a hélice até jatos executivos Gulfstream de duas turbinas. No ano passado, ele retomou 50 aeronaves. Neste ano, "poderá chegar a 100", ele disse.

Entre seus clientes, principalmente bancos especializados em empréstimos para comprar de aeronaves, Hill tem a reputação de sempre encontrar seu avião.

"Nós usamos Ken por causa de sua integridade e ser um sujeito cooperativo", disse Joseph J. Dini, vice-presidente sênior do grupo de empréstimos para aeronaves do Sovereign Bank, um dos principais clientes de Hill. "Ele realiza um serviço para instituições financeiras que exige uma certa dose de delicadeza."

Apesar de Hill contar com uma pequena equipe, ele diz que realiza toda a pesquisa, rastreamento, retomada do bem e pilotagem do avião pessoalmente, e contrata outros para realizar tarefas no local, como reparos.

Dados os altos custos para se guardar e manter aviões, os bancos detestam recorrer a Hill. Mas quando ele se envolve, o devedor geralmente está 60 dias atrasado em seus pagamentos.

Jeff Buhr, vice-presidente sênior e gerente de crédito do setor de financiamento especializado do 1st Source Bank, com sede em South Bend, Indiana, e que ocasionalmente utiliza os serviços de Hill, disse que na maior parte do tempo, os devedores percebem que estão em apuros e que sua melhor opção é entregar a aeronave.

Mas Dini disse que muitos devedores com dificuldades "primeiro deixam de pagar seus empréstimos". Ele acrescentou: "Eles pensam: 'A situação vai mudar, as coisas vão melhorar, por que entregar o avião?'"

Para Hill, o trabalho pode ser tão simples quanto apenas aparecer, conversar com o proprietário e partir pilotando o avião. Um devedor até mesmo limpou o pára-brisa e ofereceu a Hill uma refeição caseira antes dele retomar o avião.

Mas em muitos casos, os proprietários não retornam os telefonemas, não reconhecem as cartas e, às vezes, desligam as linhas telefônicas, disse Hill. "Eu tenho que descobrir onde está o avião", ele diz. "Às vezes não é fácil."

Ele começa rastreando os movimentos dos aviões que precisa retomar. O site público FlightAware.com rastreia os voos e localizações dos aviões que apresentam os planos de voo para a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês). Hill também usa outros bancos de dados caros que não quis identificar, mas que, ele disse, "lhe dão mais capacidade" de rastrear os aviões que não apresentam planos de voo para a FAA".

Hill também telefona para as centrais de serviços dos aeroportos. "Se alguém tem problemas com o avião, então costuma ter problemas com combustível, de forma que posso rastrear os aviões onde compram o combustível", disse Hill. "Você começa a montar o quebra-cabeça. Às vezes leva uns dois meses."

Após encontrar seu alvo, disse Hill, ele chega ao aeroporto e tenta contatar o dono. Cerca de um entre quatro devedores concorda em colocar os pagamentos em dia, ele disse. Nestes casos, ele parte de mãos vazias e cobra de seus clientes apenas as despesas gastas do próprio bolso em seus esforços.

Hill disse que precisa ter livre acesso antes de poder retomar o avião. Isso pode levar dias e até mesmo exigir uma ordem judicial caso o proprietário ou centro de serviço não coopere.

Se ele tem acesso ou o avião está estacionado em local aberto, Hill primeiro utiliza sua trava de hélice ou de trem de pouso em um jato. (Ele geralmente carrega uma trava só de cada vez, comprando reposições ao longo do caminho.) Então ele fixa um aviso de retomada de posse do credor na porta do avião. Em sua pochete, ele conta uma chave-mestra que abre a porta do avião. Se não for possível, ele chama um chaveiro local.

Assim que está no interior, ele tira fotos e faz um inventário do equipamento do avião para o banco. Se qualquer dispositivo de comunicação estiver faltando, é quando seu rádio portátil e aparelho de GPS são úteis -para que ele possa pilotar o avião em segurança. Não é necessária ligação direta, ele disse, e geralmente a única chave necessária é aquela que abre a porta.

A meta de Hill é retirar o avião do Estado, frequentemente levá-lo a um centro de serviços em Greenwood, Mississippi, que ele usa há anos, para evitar quaisquer problemas com as autoridades locais e os custos associados. "Você tenta evitar se envolver no sistema legal", ele disse.

Mas ele não decola até o avião receber um certificado de condições de voo por um mecânico, um processo que é mais complicado se os diários de bordo não forem encontrados. Hill enfatizou que não entra nos aviões após escurecer e decola. "Eu faço uma ampla inspeção pré-voo e me certifico de que haverá céu azul durante todo o trajeto", ele disse. "Eu não exporia o banco a mais problemas do que já tem."

Assim que o avião está em condições de voo, Hill faz com que seja avaliado, checa pendências junto à FAA e o vende em prol do banco. Nas últimas semanas, ele tinha pelo menos uma dúzia de aviões anunciados em seu site.

Hill não revela os detalhes financeiros, mas ele disse que retomar a posse de bens não é uma carreira lucrativa. (Mas ele disse que é mais interessante do que sua carreira paralela um tanto semelhante como caçador de recompensa registrado na Califórnia.) Nem seu dia sempre transcorre sem problemas.

"Certa vez uma mulher me perseguiu pelo hangar com um rastelo", ele disse. "Eu apenas digo, 'eu tenho um trabalho a fazer'. Se tivessem feito o que deveriam ter feito, eu não estaria aqui."

Fonte: Sean Silcoff (The New York Times) via UOL Notícias - Tradução: George El Khouri Andolfato

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Hainan Airline reduz para metade encomenda à Embraer

A Hainan Airline acordou com a Harbin Embraer Aircraft Industry a redução para metade do número de pedidos firmes de aviões a jato ERJ 145, informou sexta-feira a Embraer em comunicado divulgado em São José dos Campos.

De acordo com o comunicado, a Hainan Airline tinha assinado em 31 de Agosto de 2006 um contrato para a aquisição de 50 aviões ERJ 145, 12 dos quais foram entregues até 30 de Abril passado.

Nos termos do novo acordo, as entregas foram reprogramadas para terminarem no final do primeiro semestre de 2011, ao invés da data original, que era até o final de 2010.

Ao apresentar as contas do primeiro trimestre do ano, a Embraer afirmou que o período foi marcado por pedidos de cancelamento de aeronaves no segmento de Aviação Executiva e adiamento de entregas no segmento de Aviação Comercial, devido à forte desaceleração económica mundial.

Com isso, a carteira de pedidos firmes da Embraer atingiu ao final do primeiro trimestre o valor de 19,7 mil milhões de dólares, com a família Embraer 170/190 a acumular um total de 875 pedidos firmes e 792 opções de compra.

No primeiro trimestre de 2009, a Embraer entregou 40 jactos para os segmentos de Aviação Comercial e Executiva, uma quebra de 11,1 por cento na comparação com o primeiro trimestre de 2008), quando o total de entregas foi de 45 aeronaves.

Fonte: MacauHub

Mais rotas no Santos Dumont, concorrência e crise reduzem preço de tarifas

A abertura do Santos Dumont a rotas de longa distância, uma maior concorrência e a crise global estão provocando uma verdadeira rearrumação na malha aérea, com expansão das opções de voos e queda nos preços. Desde sua ampliação, prestes a completar um mês (6 de maio), o terminal central carioca já ganhou 95 novas operações, 30 delas transferidas do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão). O resultado imediato foi a redução das tarifas para quem viaja ao Rio e desembarca no Galeão - a variação de preços entre os dois aeroportos da cidade chega a 34%. É o que conta reportagem de Geralda Doca publicada na edição do Globo desta segunda-feira.

Na véspera do feriado do Dia do Trabalho, por exemplo, era possível comprar uma passagem Brasília-Rio por R$ 141 para viajar dentro de 30 dias, numa promoção da Gol. Para o Santos Dumont, a tarifa era de R$ 189. Na TAM, na terceira faixa tarifária, o consumidor pagaria R$ 439,50 no Galeão, contra R$ 479,50 no Santos Dumont.

As grandes empresas também reduziram preços nas mesmas rotas operadas pela novata Azul. Segundo levantamento da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), estas reduções variam entre 30,7% - como no trecho Campinas-Porto Alegre-Campinas - e 49,4% - entre Curitiba e Porto Alegre. O órgão regulador, porém, não repassou os valores cobrados.

Outra vantagem destes tempos de concorrência maior é que as grandes empresas começaram a oferecer rotas que a Azul passou a operar. Caso da TAM, que iniciou o trecho Campinas-Porto Alegre-Salvador.

Fonte: O Globo - Foto: Agência O Globo

Tragédia com equipe do Toniro foi há 60 anos

TRAGÉDIA DE SUPERGA

No final dos anos 40, o Torino do génio Valentino Mazzola (pai de Sandro Mazzola, futura glória do Inter e da seleção) dominava o calcio, maravilhando multidões e conquistando títulos. Formavam a base da seleção italiana e, numa expressão do prestígio internacional de que gozavam Francisco Ferreira e o Benfica, vieram a Lisboa jogar na festa de homenagem ao benfiquista, a 3 de maio de 1949. Perderam (3-4), cabendo os golos do Benfica a Melão (2), Arsénio e Rogério.

Os jogadores na foto: Bacigalupo; Castigliano, Ballarin, Rigamonti e Loik; Menti e Ossola; Martelli, Gabeto, Moroso e Mazzola.

O avião Fiat G-212 dentro da torre da Basílica de Turim

No regresso a Itália, o avião Fiat G-212 da Aeritalia chocou, às 17.03, com a parte inferior da basílica de Superga, a poucos quilómetros de Turim. Morreram os 31 ocupantes, incluindo 18 jogadores, os técnicos Erbestein e Lievesley, os dirigentes Agnisetta e Civalleri, o enfermeiro Cortina e os jornalistas Casalbore, Cavallero e Tossati. Nesse ano, o Torino voltou a ganhar o título, jogando com as camadas jovens nas últimas 4 jornadas, tal como os adversários. Só tornou a ser campeão em 1976...

Fonte: Jornal Record (Portugal) / Site Desastres Aéreos - Fotos: Wikimedia Commons

Leia mais sobre este e outros acidentes e incidentes envolvendo equipes de futebol, clicando AQUI.