segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

França acusada de esconder caixa-preta do avião abatido em atentado que matou ex-Presidente da Ruanda

O Comitê Independente de Peritos Ruandeses encarregado de esclarecer o atentado contra o avião Dassault Falcon 50, prefixo 9XR-NN, do Governo de Ruanda, que matou o ex-presidente ruandês Juvénal Habyarimana (foto ao lado, por DefenseImagery.mil), em 6 de abril de 1994, acusou França de "esconder" a caixa-preta deste avião. O atentado é considerado como o elemento que desencadeou o genocídio dos Tutsis - tribo minoritária de Ruanda - no mesmo ano.

Essa acusação consta de um relatório desse Comitê divulgado nesta segunda-feira em Kigali, capital de Ruanda.

"Os peritos da balística mostraram efetivamente que o míssil que atingiu a asa direita do avião presidencial foi lançado do campo militar de Kanombe situado na proximidade do aeroporto de Kigali", frisou o responsável ruandês, defendendo que, os então membros influentes do Hutu Power em Ruanda, são responsáveis pela morte de Habyarimana.

Falando segunda-feira em Kigali durante a apresentação oficial do relatório, o ministro ruandês da Justiça, Tharcisse Karugarama, declarou do seu lado que os resultados desse inquérito demonstram que o assassinato de Habyarimana foi um ato "premeditado e executado" pelos próximos colaboradores do ex-presidente ruandês.

"Este relatório é uma compilação de testemunhos que esclarecem esse atentado (contra o avião presidencial) (...) É para mostrar que esse atentado não tem nada a ver com o desencadeamento do genocídio", declarou Karugarama, afirmando que esse relatório é uma coleção dos testemunhos recolhidos junto às diversas "testemunhas oculares" que viram o atentado.

Mais de 800.000 pessoas da etnia Tutsi foram vítimas do genocídio após a morte do presidente Habyarimana - Foto: hoteldephil (Flikr sob licença Creative Commons)

Questionado pela imprensa sobre o lugar onde estaria a caixa-preta do avião de Habyrimana, o presidente da comissão ruandesa, Jean Mutsinzi, afirmou que os autores do atentado são "os primeiros a saber" onde está escondida esta peça do avião presidencial ruandês.

"Há evidência que o míssil que abateu o avião presidencial na proximidade do aeroporto de Kigali foi lançado a partir do vizinho campo militar de Kanombe", declarou Mutsinzi defendendo que naquela época o Exército francês garantia treinos para combatentes das ex-Forças Armadas Ruandesas (ex-FAR).

Segundo ele, os testemunhos recolhidos (no inquérito) provam que as ex-Forças Armadas Ruandesas e as tropas francesas cercaram imediatamente o local da queda para "impedir" outras pessoas de ter acesso ao lugar.

"Todos os testemunhos (contidos neste relatório) estão baseados nas pesquisas científicas realizadas junto de pessoas e de outros peritos que viveram durante esse período", declarou Mutsinzi, defendendo que apenas o Exército francês e a guarda presidencial de Habyrimana podem "revelar" o lugar onde está a caixa-preta do avião Falcon 50.

O avião presidencial que foi abatido no atentado fotografado no Aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, em abril de 1991 - Foto: Luc Barry (planepictures.net)

"Por sua vez, a ministra ruandesa dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Regional, Louise Mushikiwabo, desafiou qualquer pessoa a contrariar os testemunhos contidos no relatório.

Entre as testemunhas interrogadas durante o inquérito, figuram nomeadamente ex-membros da guarda presidencial de Habyrimana, oficiais das ex-FAR, agentes do aeroporto internacional de Kigali bem como peritos estrangeiros que viviam em Ruanda na época do atentado, segundo a mesma fonte.

Esta publicação ruandesa foi divulgada enquanto, em novembro de 2006, o juiz antiterrorista francês Jean-Louis Bruguière emitiu mandados de captura internacionais contra nove personalidades ruandesas no quadro de outro inquérito sobre o atentado contra o avião presidencial ruandês.

MAIS

O atentado

O avião presidencial Dassault Falcon 50, prefixo 9XR-NN (presente do Premiê francês Jacques Chirac) havia decolado do Aeroporto Internacional Dar Es Salaam (DAR/HTDA), na Tanzânia, retornando ao Aeroporto de Kigali (KGL/HRYR), em Ruanda, com 12 pessoas a bordo, sendo três tripulantes e nove passageiros, entre eles o presidente de Ruanda Juvénal Habyarimana e o presidente do Burundi Cyprien Ntaryamira. O Falcon 50 foi atingido por um míssil quando estava na aproximação final para o Aeroporto de Kigali. Ambos os presidentes estavam retornando de uma reunião na Tanzânia, onde foram estudar formas de implementar um acordo de criação de um governo de transição em Ruanda, destinado a entrar em vigor até que eleições multipartidárias fossem realizadas. Todos os 12 ocupantes do avião morreram.

Os destroços do avião no local da queda - Foto: Jean Marc Boujou/AP

Fonte: baseado em notícia da Panapres, com adaptação de linguagem e inclusão de dados históricos e do avião.

Venezuela registra nova invasão de seu espaço aéreo por aeronave americana

Aeronave foi confiscada pelo governo venezuelano

Uma aeronave com registro dos Estados Unidos, supostamente dedicada ao tráfico de drogas, foi interceptada na madrugada de hoje (11) por autoridades venezuelanas.

O ministro do interior Tareck El Aissami apresenta para a imprensa na Base Aérea Generalísimo Francisco de Miranda (La Carlota) de Caracas o avião americano apreendido

De acordo com o ministro do Interior, Tareck El Aissami, um avião Raytheon Beechcraft King Air 300 entrou sem permissão no espaço aéreo do país na região do estado de Guárico.

"Os Estados Unidos nos acusam de tráfico ilícito de drogas, mas essa aeronave é dos Estados Unidos e ingressou no espaço aéreo venezuelano; são eles que realmente estão embargando equipamentos para bloquear nossa luta contra substâncias ilícitas", declarou o ministro.

Ainda segundo El Aissami, os controladores de voos do país tentaram entrar em contato com a aeronave, mas a tripulação se recusou a responder e, por isso, foi obrigada a aterrissar.

O ministro do governo de Hugo Chávez ainda recordou que no dia 2 de janeiro ocorreu fato similar, com uma aeronave do mesmo tipo.

Na semana passada, a televisão estatal Telesur divulgou a gravação com um diálogo entre a torre de controle do aeroporto de Maiquetía e o piloto de um avião militar norte-americano P-3 Orión como prova de uma outra invasão desse país no espaço aéreo venezuelano, em maio de 2009.

Fontes: ANSA / TeleSUR - Foto: AFP

Gol lança portal para contar seus nove anos de história

Reprodução da página principal do portal Memória Gol

A Gol acaba de colocar no ar um website em comemoração ao seu aniversário de nove anos, que acontece nesta sexta-feira (dia 15). O portal Memória Gol é um canal com conteúdo histórico, criado pelo Centro de Documentação e Memória da aérea, para aproximar a companhia de pesquisadores, estudantes, entusiastas de aviação e outros passageiros.

“Daqui para frente, teremos um canal direto entre os públicos externos e a Memória Gol, proporcionando atendimento rápido e eficaz”, diz a coordenadora do Centro de Documentação e Memória da Gol, Clarissa Schmidt.

Na página de abertura do site, o internauta confere uma reprodução, fornecida pelo Planetário de São Paulo, do céu de Brasília no momento em que o primeiro voo da Gol decolava, em 15 de janeiro de 2001. A ideia do projeto é produzir uma experiência de participação: o visitante navega pelo portal a partir da cabine de comando de um Boeing 737-800 Next Generation, passando pelas diferentes seções à medida em que move o manete da aeronave para frente ou para trás.

O portal inclui ainda uma linha do tempo detalhada, dados estatísticos, informações sobre prêmios, responsabilidade social e inovações tecnológicas introduzidas no mercado pela empresa, além de fotos de cada aeronave operada pela Gol e pela Varig, além de uma coleção digitalizada completa da revista de bordo.

Fonte: Portal Panrotas

Governo autoriza reforma de Aeroporto Regional de Dourados (MS)

O governo do Estado do Mato Grosso do Sul deu início hoje (11) às obras de reforma do prédio do receptivo do aeroporto regional de Dourados. O governador em exercício, Murilo Zauith, e o secretário de Obras Públicas e de Transporte, Edson Giroto, assinaram a ordem de serviço que garante a execução do investimento, no valor de R$ 350 mil de recursos próprios. O projeto inclui também obras de acesso ao estacionamento.

De acordo com Murilo, as intervenções que serão feitas agora no terminal de passageiros complementam obras concluídas no ano passado - quando foram feitas melhorias na pista, cercas, seção contra incêndios – e poderão ampliar a capacidade de operação do local. “Queremos melhorar o receptivo, adequando as salas e embarque e desembarque, e todas as instalações, para que possa ser implantado o que foi discutido com a empresa Trip Linhas Aéreas um voo para São Paulo, a partir do mês de março”, anunciou o governador em exercício.

Segundo o secretário Giroto, o governo avalia, após as reformas, fazer um processo de concessão onerosa do aeroporto, passando à administração e operação da iniciativa privada, a exemplo do que foi feito em Bonito. O aeroporto regional de Dourados é hoje administrado em parceria com a Prefeitura, através de convênio com o governo do Estado.

“A estrutura em si é muito boa, o que precisava era mesmo de uma reforma, nas instalações elétricas, hidráulicas, nos sanitários, nos pisos, na pintura. Além disso, na parte externa, vamos fazer o recapeamento do acesso na entrada e melhorar o estacionamento, porque o aeroporto fica num local distante, e precisa dar segurança para os passageiros estacionarem ali”, explica o secretário estadual de Obras Públicas e Transporte.

A melhoria do receptivo e do estacionamento completa as intervenções feitas pelo governo do Estado na infraestutura do aeródromo desde 2008 e 2009, somando mais de R$ 2,7 milhões. Além dos R$ 350 mil de recursos próprios investidos agora, cerca de R$ 2,4 foram aplicados em conjunto entre Estado e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) através do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Profaa), sendo 15% de contrapartida estadual.

Essa primeira fase de obras, executada nos últimos dois anos, reformou o pátio, implantou cercas no padrão de segurança exigidos pelas normas de voo, adequou sinalização na pista de pouso e decolagem.

Fonte: AgoraMS - Foto: dourados.ms.gov.br

Aeroporto Internacional Castro Pinto encerra ano com crescimento com 33%

O movimento no Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto, em João Pessoa (PB), encerrou o ano de 2009 com um crescimento de mais de 33% na movimentação de passageiros embarcados e desembarcados. O aeroporto da capital paraibana se aproximou dos 600 mil, foram 599.767 em 2009 contra 448.444 em 2008.

Este resultado demonstra que a infraestrutura disponibilizada no principal portão de entrada da Paraíba atende às expectativas das empresas que pretendem expandir suas malhas aéreas. A entrada de cinco novos voos provocou um crescimento diário de 1,4 mil no primeiro semestre para 1,9 mil passageiros no segundo semestre.

O crescimento de 70,5% apresentado em dezembro de 2009, contribuiu também para o aumento anual, passando para 77.460 em comparação com dezembro de 2008, onde foram computados 45.426.

Sensível ao aumento de passageiros, a superintendência da Infraero na Paraíba está planejando melhorias na infraestrutura do aeroporto frente à nova demanda. Outrossim, o Aeroporto de João Pessoa já se prepara para atender a demanda futura, a NOAR (que efetuará voos regionais) e a ARKEFLY (voo internacional) são realidades próximas, o início das operações consolidará ainda mais o crescimento observado na movimentação de passageiros.

Características que o demarcam como Aeroporto Internacional:

Designação para entrada e saída de tráfego aéreo internacional, devido a disponibilidade das formalidades de alfândega, polícia federal, saúde pública (Anvisa), quarentena agrícola e animal (VIGIAGRO) e demais formalidades análogas ao atendimento de vôos internacionais.

Melhorias realizadas 2009 e previstas para 2010

Em 2009, foram investidos pela Infraero recursos para o desenvolvimento do Aeroporto, através da instalação de mais 02 elevadores (sala de embarque) e equipamentos para a manutenção da infraestrutura existente; reforço da segurança operacional, através da instalação de cerca perimetral e concertina metálica – que permitem mais segurança nas operações realizadas no pátio de aeronaves; disposição de novo mobiliário para a nova praça da alimentação; renovação da frota de veículos operacionais para o atendimento a aviação e possíveis emergências aeronaúticas e aquisição da wireless – mais uma facilidade para os passageiros, que agora já dispõem da internet através da conexão à rede sem fio.

Já existem ações que estão sendo efetuadas para a adequação do número crescente de passageiros. Para o exercício 2010, estão previstos vários projetos de modernização da estrutura do Aeroporto, dentre os quais destacamos: ampliação e modernização do estacionamento do Aeroporto, aquisição de novas esteiras de bagagem, dentre outras várias ações que visam aumentar o conforto e a segurança dos passageiros que utilizam o Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto.

Segundo o Superintendente do Aeroporto, Sr. Usiel Paulo Vieira: “Todos os investimentos refletem o compromisso da INFRAERO no constante aprimoramento da infraestrutura aeroportuária, com o conforto e segurança dos passageiros. Só em 2010, estão previstos investimentos na ordem de R$ 3.079.990,08 para o nosso Aeroporto, , com o objetivo único de tornar o Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto uma importante ferramenta que favoreça o crescimento do Turismo na Paraíba”.

Outro fator positivo, são os itens de Acessibilidade que o Aeroporto já disponibiliza para usuários portadores de deficiência. São vários equipamentos que pretendem facilitar o acesso deste público ao Terminal de Passageiros e Aeronaves. Dentre os equipamentos já adaptados, podemos destacar: Balcões de atendimento (Check-in, Informações); Vagas exclusivas no estacionamento, devidamente sinalizadas ( Sinalização vertical e horizontal); Acessos - Rampas das calçadas adaptadas para PNE; Elevadores - Aviso informativo sonoro, botoeiras com mensagem em braile; Corrimãos dimensionados para PNE; Telefones rebaixados para atendimento aos cadeirantes; Telefone para deficientes auditivos

A Movimentação da Carga no Aeroporto

O Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de João Pessoa/Presidente Castro Pinto (PB) inicia a partir de 2010, o novo serviço de carga nacional, isto é, aquela que transita apenas dentro do território nacional, este ofício antes operado apenas pelas empresas aéreas agora também é oferecido pelo Aeroporto Presidente Castro Pinto, inicialmente este serviço será prestado para as cargas recebidas no estado pela empresa Gollog Serviços de Cargas Aéreas, que estima uma quantidade de 660 (seiscentos e sessenta) toneladas de carga transportada para o ano de 2010.

Anteriormente, o Terminal de João Pessoa funcionava somente com carga internacional, que são aquelas que entram e saem do País (importadas ou exportadas). Esse serviço foi responsável pelo movimento de 69 (sessenta e nove) toneladas durante o ano de 2009, estando apto a operar a demanda prevista para o possível voo internacional que em breve deve desembarcar em João Pessoa.

Fonte: ClickPB

Projeto de Aeroporto Regional em Santa Cruz (RS) é apresentado

A apresentação do projeto de um Aeroporto Regional na manhã desta segunda-feira, 11, junto ao auditório da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, foi a primeira atividade deste ano da Associação Santa Cruz Novos Rumos (Ascnor) visando a construção do Centro de Logística do município. Um aeroporto regional é um dos objetivos levantados pela entidade dentro da Agenda Estratégica de desenvolvimento para os próximos 20 anos. “Temos, na verdade, um pré-projeto que irá nos auxiliar a pensar no pólo logístico de forma mais concreta”, avaliou o executivo do Projeto Santa Cruz Novos Rumos, Carlos Esau. A autoria é do aluno do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Santa Cruz (Unisc), Anderson Luiz Schiefferdecker.

Presente na apresentação, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Jair Jasper, mostrou entusiasmo com o planejamento. “Este é apenas o primeiro passo. A partir de agora, teremos de pensar a área como um todo, contemplando não somente o aeroporto, mas uma infraestrutura que permita a implantação de um centro de referência em logística”, projetou Jasper. Ainda sem estudo de custos, o projeto foi elogiado pelos presentes. “É um grande sonho que começa a tomar forma e deverá incrementar sobremaneira a economia local e regional”, pontuou o presidente da Ascnor, Flávio Haas. “Queremos que a Unisc participe também das discussões sobre o pólo logístico para que se crie uma cultura de trabalho no tema e o ambiente acadêmico é o local ideal para o fomento destas discussões”, acrescentou Carlos Esau.

O projeto

“Este projeto levou um ano para ser concretizado, tendo em vista as viagens para estudo de aeroportos com o Salgado Filho, em Porto Alegre, e o de Caxias do Sul, bem como o estudo da legislação e a observação das determinações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)”, destacou Schiefferdecker. Planejado para ser construído ao lado do Autódromo Internacional de Santa Cruz, o aeroporto deverá utilizar uma área de cerca de 330 hectares e vai dispor de uma pista com cerca de 1,8 mil metros, que poderá ser ampliada futuramente. Além da pista, o complexo contará ainda com um Terminal de Passageiros de dois pavimentos, um Terminal de Cargas e ainda contemplará um espaço para o Aeroclube de Santa Cruz. “A pista terá suporte para receber grandes aeronaves, como Boeings 737, que carregam mais de 80 passageiros”, acrescenta o autor do projeto. Segundo ele, o aeroporto planejado terá capacidade de atender 40 mil pessoas ao ano e 86 pessoas por hora.

Projeto foi apresentado na manhã desta segunda-feira

Simulação de vista área do Complexo Aeroportuário

Fonte: GAZ - Foto: Marcus Bugs - Imagens: Divulgação

Pai do menino do balão do Colorado se apresenta para passar 90 dias preso

Richard Heene foi condenado por falso relato às autoridades nos EUA.

Ele disse que seu filho tinha decolado em balão, mas história era falsa.


Richard Heene, pai do 'garoto do balão do Colorado', e sua mulher, Mayumi, apresentam-se nesta segunda-feira (11) no centro de detenção do Condado de Laramie, na cidade de Fort Collins, onde ele começa a cumprir sua sentença de 90 dias de prisão - 30 no regime fechado, 60 no semiaberto. Ele é acusado de fraude no caso do desaparecimento de seu filho, Falcon, a bordo de um balão de fabricação caseira.

Fonte: AP via G1 - Foto: AP

Única sobrevivente de queda de avião lança livro

Bahia Bakari, de 14 anos, ficou nove horas no mar após queda de avião nas ilhas Comoros

Bahia Bakari, em Paris, no lançamento de seu livro

A estudante Bahia Bakari, de 14 anos, conta no livro 'Me, Bahia the Miraculate', a experiência de ter sido a única sobrevivente do Airbus 310 iemenita que caiu em 30 de junho de 2009 no oceano Índico, próximo às ilhas Comoros, matando 152 pessoas. Ela escreveu o livro junto com um jornalista.

Bakari passou nove horas agarrada a um destroço do avião no meio do oceano até ser resgatada já ao amanhecer. A região, próxima a Madagascar, é conhecida pela frequência de tubarões.

Ela fraturou a clavícula, sofreu arranhões e foi levada ao hospital em estado de choque.

Na época, o ministro francês para cooperação internacional, Alain Joyandet, definiu o fato como um “verdadeiro milagre”.

No livro, ela conta que não aguentaria muito mais, que não podia se mover, pensou que era o fim, quando foi resgatada. Até chegar ao hospital, em estado de choque, Bakari estava convencida de que tinha caído do avião depois que uma forte pressão a jogou contra a janela.

Assim que Bakari caiu sobre as ondas, ela acreditava que sua mãe, Aziza (uma das 152 pessoas mortas na queda), tinha conseguido aterrissar em segurança e estava preocupada com ela, por ter caído para fora do avião já que não usava o cinto de segurança.

Baraki conta que na hora da queda ela gritou por sua mãe e sentiu seu corpo tremer, como se fosse explodir. Então, ela ouviu um grande barulho, como uma explosão gigante. A próxima cena que ela se lembra, foi dela na água, tossindo e tentando respirar.

O voo saiu de Paris com destino a Moroni, capital de Comoros. Após fazer escala em Marselha (França), os passageiros trocaram de aeronave no Iêmen, embarcando no Airbus A310. A causa do acidente ainda não foi descoberta.

Fonte: R7 - Foto: Patrick Kovarik/AFP

Perdendo a noção no avião



Tudo bem que na hora da aterrissagem cada um tem sua mania. Alguns rezam, outros conversam ou simplesmente fecham os olhos. Mas esta senhora aí perdeu completamente a noção (do ridículo)!

Fonte: UOL Vídeos

Maior companhia aérea do Japão vai demitir 15 mil empregados

A maior companhia aérea japonesa, a JAL (Japan Airlines), cortará cerca de 15.600 empregos, 30% do número total de funcionários, para pagar suas dívidas, segundo a agência encarregada do plano de resgate divulgado nesta segunda-feira pela agência de notícias "Kyodo".

O corte de empregos, superior ao previsto anteriormente, se completará antes de abril de 2013 e poderá ser anunciado na próxima semana pelo ETIC (Enterprise Turnaround Initiative Corp of Japan), fundo criado para ajudar na recuperação de empresas financiadas com empréstimos governamentais.

O Etic determinou que as obrigações e dívidas excedem os ativos da companhia aérea em 860 bilhões de ienes, informou a agência de notícias japonesa.

A grave situação da companhia aérea a obrigará a pedir concordata, o que lhe permitirá aumentar ou evitar o pagamento de até 730 bilhões de ienes em dívidas.

Além disso, o Etic investirá outros 300 bilhões de ienes na companhia.

O plano que reformará profundamente a que foi a maior companhia aérea asiática incluirá a substituição dos principais postos executivos, entre eles o do presidente.

O Etic estima que a perda operacional da JAL chegará aos 265,1 bilhões de ienes em março, quando será o fim do atual ano fiscal.

Fonte: EFE via Folha Online

Passageiro bêbado obriga avião a fazer pouso não programado na Holanda

Um avião da BMI Airlines foi forçado a fazer um pouso de emergência, neste domingo (10), devido a perturbações causados por um passageiro embriagado.

O Airbus A320-232, prefixo G-MEDH, da BMI British Midland, realizava o voo BD-894 de Moscou, na Rússia, para o Aeroporto Heathrow, em Londres, na Inglaterra, quando, no momento em que estava em rota sobre a Holanda, um passageiro do sexo masculino, bêbado, começou a gritar e tentou iniciar uma briga a bordo.

A tripulação decidiu desviar o voo para Amsterdã, onde o avião pousou em segurança e o passageiro foi levado em custódia.

A aeronave retomou o voo para Londres com um atraso de duas horas.

Fontes: airnewstimes.com / Aviation Herald

Neve provoca cancelamento de 166 voos e atrasos na Espanha

O temporal de neve, gelo e nevoeiro que atinge nestes dias a Espanha provocou, até o momento, o cancelamento de 166 voos no aeroporto de Barajas, em Madri, e atrasos que oscilam entre duas e seis horas.

Apesar de tudo, suas quatro pistas estão operacionais, mas as dificuldades nas tarefas de assistência em terra, devido ao gelo acumulado na plataforma de Barajas, desaceleram também as operações, informaram fontes aeroportuárias.

Nesse sentido, a Aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea (Aena) afirmou hoje que, após as nevascas de ontem e as baixas temperaturas, é imprescindível fazer o degelo das aeronaves antes de cada decolagem, uma operação que, em aviões grandes, pode demorar até uma hora.

O órgão público especificou que, além dos problemas causados pelo temporal em Barajas, há os transtornos no tráfego aéreo europeu por causa do mau tempo no Reino Unido, França, Alemanha, Portugal, Bélgica e Itália.

As telas de informação indicam atrasos de entre duas e seis horas nos voos, alguns com destino à América Latina.

As companhias estimam que os problemas durarão todo o dia, devido aos transtornos nas rotações de aviões e tripulações.

Ao longo das instalações do aeroporto em Madri, há filas de passageiros dos voos cancelados, que tentam conseguir outra passagem para chegar a seu destino ou que perderam conexões, após "esperar várias horas" até serem atendidos.

Fonte: EFE via iG

SOL com novos voos entre Maringá e Curitiba

A partir do dia 18, a Sol Linhas Aéreas terá dois voos diários entre Maringá e Curitiba, no Paraná. Segundo o presidente da companhia, Marcos Solano Vale, a empresa optou por horários estratégicos, oferecendo alternativas de comodidade em espaços não servidos pelas empresas que já operam no aeroporto local.

A aeronave da Sol decolará de Curitiba às 11h03, chegando a Maringá às 12h13. Na volta, `zas 12h40, decolará de Maringá, rumo a capital paranaense, com chegada prevista ao Aeroporto Afonso Pena às 13h50.

Fonte: João Tilki (Brasilturis)

Outra semana com rota incerta

Na volta ao trabalho, Lula discutirá compra com ministros, mas deve preferir deixar a polêmica esfriar

Jobim prepara parecer, e colega alerta: não é como comprar automóvel


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) volta hoje ao trabalho após duas semanas de férias. Ele e a família deixaram Guarujá, no litoral paulista, ontem à tarde. No primeiro dia em Brasília, está prevista reunião com a cúpula ministerial. Entre os temas do encontro, certamente estará a aquisição dos 36 caças para o projeto FX-2, que trata do reaparelhamento das Forças Aéreas Brasileiras (FAB): uma transação estimada em R$ 10 bilhões.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, recebeu no fim da semana passada o relatório da Aeronáutica sobre o projeto. A partir do material, o ministro oferecerá um parecer ao presidente, o que pode acontecer já nesta semana.

Porém, diante da polêmica em torno do assunto, o presidente pode preferir adiar sua decisão, como informaram parlamentares mais próximos. Existe a chance até de deixar a definição para seu sucessor.

Ao contrário do que estaria na primeira versão do documento - vazada na imprensa - de que o caça Gripen NG, da sueca Saab, seria a opção mais vantajosa ao país devido ao seu menor custo, o relatório recebido por Jobim ressalta a superioridade do Rafale F3, da francesa Dassault. A suposta alteração no conteúdo teria vindo da insatisfação do Planalto, que, por meio do próprio Lula e de ministros, já reiterou a preferência pelo francês.

Pressionada, a Dassault reconheceu, em reportagem da "Folha de S.Paulo", o alto custo de sua aeronave na disputa, justificando que o dado é um sinal de que ela é a opção de menor risco para o Brasil.

"É preciso ver que, no longo prazo, esse investimento trará menos riscos e, provavelmente, menos custos à FAB", disse o diretor da francesa no Brasil, Jean-Marc Merialdo.

Compondo o coro do governo, o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro Guimarães, deu um recado no sábado aos oficiais da FAB insatisfeitos com a preferência pelo Rafale. "Isso não é como comprar automóvel", declarou. Conhecido por suas ideias nacionalistas, o ministro entende que o Brasil precisa ampliar seu espaço entre as grandes potências.

Clique sobre a imagem para ampliá-la

Fonte: O Tempo

SATA compra quatro aviões com apoio do BEI e do BES

A SATA assegurou o financiamento do Banco Europeu de Investimento (BEI) e do Banco Espírito Santo (BES) para comprar quatro aviões Bombardier Q400 NextGen, no quadro da renovação da frota que liga as ilhas do arquipélago dos Açores.

O BEI e o BES vão assegurar 78,5 por cento do investimento, com um valor total de 74 milhões de euros, sendo o restante realizado com capitais próprios da transportadora aérea açoriana, disse hoje à Lusa fonte da empresa.

A SATA assinou sexta-feira em Lisboa um contrato de financiamento com o BEI, no valor de 36,95 milhões de euros, que garante metade do investimento necessário.

Segundo revelou a fonte da empresa, o BES vai assegurar cerca de 21,05 milhões de euros, o que representa 28,5 por cento do investimento total, sendo os restantes 16 milhões de euros de capitais próprios da SATA.

O valor de 74 milhões de euros para a compra dos aviões envolve o custo de peças sobresselentes e formação de pessoal.

O primeiro destes aparelhos, com uma lotação máxima de 78 passageiros, será entregue à SATA a 25 de Janeiro, numa cerimónia a realizar na fábrica da Bombardier, no Canadá.

O avião deve voar depois, sem passageiros, para os Açores, onde chega antes do final do mês.

A sua entrada ao serviço ocorrerá nas semanas seguintes, logo que estejam concluídos todos os procedimentos legais e burocráticos necessários, assim como o processo de formação das tripulações.

Os restantes três aviões são esperados nos Açores até ao final do primeiro trimestre deste ano, estimando a SATA que os quatro estejam a operar durante o segundo trimestre.

A compra dos quatro Q400 de última geração conclui o processo de renovação da frota da SATA Air Açores, estando previsto que estas aeronaves substituam os actuais ATP nas ligações entre as ilhas do arquipélago.

A renovação da frota da SATA Air Açores começou no ano passado com a chegada de dois Bombardier Q200, que substituíram o Dornier que a empresa utilizava nas ligações para as ilhas mais pequenas.

Fonte: SIC (Portugal)

NASA testa avião com porta aberta

A NASA testou o Sofia (Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy), seu novo projeto para análise da estratosfera. O Boeing 747SP, prefixo N747NA, tem uma porta de cerca de 4,5 m x 4,3m na lateral, que fica aberta para acomodar um telescópio de 2,5m.

A Agência Espacial Americana gastou cerca de U$ 500 milhões no projeto em duas décadas. A aeronave voou a 15.000 pés, com velocidade de 415km/h com a porta completamente aberta. Testes com o telescópio funcionando devem ser feitos ainda este ano.

Assista ao vídeo do voo:



Fontes: POP News / flightglobal.com - Foto: NASA

Empresa aérea esclarece incidente com avião no Paraná

A empresa TRIP Linhas Aéreas divulgou nota no final da manhã desta segunda-feira lamentando o incidente com a aeronave ATR-72-212A, prefixo PP-PTO, que fazia o voo 5453, ontem, partindo de Curitiba com destino a Cascavel.

A nota informa que a aeronave alternou o pouso para o aeroporto de Foz do Iguaçu em função das más condições meteorológicas e explica que o comandante foi obrigado a arremeter o avião e esse procedimento ocasionou uma pane no motor.

De acordo com relato de passageiro do voo à imprensa, todos no avião ficaram assustados com um princípio de incêndio que atingiu a turbina esquerda da aeronave.

O avião partiu do Aeroporto Internacional Afonso Pena, na região de Curitiba, às 21h40, e as chamas teriam começado por volta das 23 horas, quando a aeronave sobrevoava a cidade de Cascavel.

A companhia afirma que apesar da manobra de emergência, o ATR-72, ano 2009, aterrissou em condições de segurança na cidade de Foz do Iguaçu, preservando a integridade física dos 50 passageiros a bordo. Nenhum deles precisou de atendimento médico.

A TRIP Linhas Aéreas explica que os passageiros foram prontamente transferidos para outros voos.

Na foto, o PP-PTO no Aeroporto Santos Dumont, em novembro de 2009

Fonte: Terra - Foto: BravoAlpha (JetPhotos)

Airbus da Air New Zealand faz pouso não programado após rachadura no para-brisa

O voo NZ-171 da Air New Zealand, transportando 118 passageiros, dois pilotos e quatro tripulantes, deixou Auckland, na Nova Zelândia para Cairns, na Austrália, no domingo (10), mas foi forçado a aterrissar em Brisbane, na Austrália, depois de ter o para-brisas do lado esquerdo do avião rachado.

Um passageiro disse que o avião perdeu altitude momentaneamente antes de desviar para Brisbane, em uma menor altitude e velocidade reduzida.

"Houve um momento em que o avião, de repente desacelerou e perdemos muita altitude", disse a passageira Ruby Boussard à ABC Radio. "A luz do cinto de segurança foi acionada. As aeromoças foram muito firmes em dizer para voltarmos aos nossos lugares, colocar o lixo fora e liberar o caminho. Não houve pânico a bordo, mas foi o suficiente para acordar meu filho."

A companhia aérea negou as alegações de seus passageiros que houve uma descida rápida após a rachadura do para-brisa da cabine, mas sim, que o avião fez uma descida gradual.

A Air New Zealand informou que "ao contrário de relatos de alguns meios de comunicação, o piloto seguiu o procedimento operacional padrão, descendo gradualmente a partir de cerca de 34.000 pés a 23.000 pés durante um período de sete minutos."

O avião Airbus A320-232, prefixo ZK-OJN, pousou em segurança 40 minutos após o incidente.

A companhia aérea disse ainda que a rachadura foi desenvolvida na janela do cockpit, que tem 4 centímetros de espessura e é constituído de três painéis de vidro. Segundo a empresa, só o painel de dentro estava rachado e que, em nenhum momento, todo o para-brisas esteve em risco de quebrar.

"Nós vimos o para-brisas quando deixamos o avião. Foi do lado esquerdo. Parecia uma pista feita por uma lesma enorme em todo o para-brisas. Tinha uma forma de Y", disse a passageira Ruby Boussard.

O The Australian Transport Safety Bureau (ATSB) informou que uma rachadura em si não é um incidente grave e que, por enquanto, não pretende investigar.

O departamento está à espera de um relatório escrito do operador de vôo, que deve ser apresentado dentro de 72 horas após o incidente.

A Air New Zealand relatou que foi feita a substituição do para-brisa e que o avião está de volta ao serviço.

Os passageiros foram levados para hotéis em Brisbane durante a noite e embarcaram para o destino, em Cairns, nesta segunda-feira no voo voo NZ-6292.

Fontes: Herald Sun / NZ City / ABC News / Aviation Herald

Suposta explosão em motor leva Boeing da Ryanair a pouso de emergência

Indícios de problemas no motor foram a razão de um voo da Ryanair fazer um pouso de emergência no Aeroporto Estocolmo-Skavsta no domingo (10) à noite.

O Boeing 737-8AS (WL), prefixo EI-EBC, da Ryanair, realizava o voo FR-1922 de Tampere, na Finlândia para Frankfurt, na Alemanha.

Ao partir de Tampere, um de seus motores produziu dois estrondos. O avião estabilizou no FL100 e continuou até o Aeroporto Estocolmo-Skavsta, em Nykoping, na Suécia, onde pousou em segurança na pista 26, cerca de uma hora depois.

O pai de um dos passageiros a bordo, disse que - segundo o filho - foram ouvidas duas explosões e que saia "fogo" de um motor.

Os 153 passageiros seguiram viagem no Boeing 737-800, prefixo EI-DHO - que foi colocado em substituição ao avariado - e chegaram ao destino com um atraso de 4,5 horas.

Fontes: boarding.no / Aviation Herald

Hidroaviões da Waterfront Air vão ligar Macau, Cantão e Shenzhen até 2011

O filho do fundador da Cathay Pacific, Peter de Kantzow, lançou a Waterfront Air, que planeja arrancar até 2011 com ligações em hidroavião entre Shenzhen, Macau e Cantão, a partir de 200 euros por trajeto.

Há um ano a aguardar a “luz verde” das autoridades de Hong Kong para iniciar os voos a partir do terminal marítimo do aeroporto internacional da ex-colónia britânica para o terminal marítimo de Pac On, na ilha da Taipa, em Macau, Peter de Kantzow e o empresário canadiano Michael Agopsowicz planeiam arrancar com a operação no final do ano a partir da cidade vizinha de Shenzhen.

“Se tudo correr bem, esperamos lançar os voos em hidroavião entre Hong Kong, Shenzhen, Cantão e Macau em 2011”, disse Peter de Kantzow, filho de Sydney de Kantzow, fundador da Cathay Pacific e da Macau Air Transport Company, o primeiro serviço comercial de hidroaviões da Ásia.

A Waterfront Air, sediada em Hong Kong, assinou recentemente um memorando de entendimento com a empresa responsável pelo Terminal Marítimo de Shenzhen, na província continental de Guangdong, para a exploração de ligações em hidroaviões entre aquele terminal - que funcionará como hub -, Macau e Cantão a partir do quarto trimestre do ano.

“Sabemos que há uma enorme procura por alternativas de transporte de alta velocidade que liguem o Delta do Rio das Pérolas”, salientou Peter de Kantzow, num comunicado da empresa ao justificar a aposta.

Com uma frota a alugar de dez hidroaviões DHC-6 “Twin Otter”, com capacidade para 18 passageiros, a Waterfront Air planeia ligar Hong Kong e Shenzhen em 15 minutos e Hong Kong e Macau em 20 minutos, a partir de 2 500 dólares de Hong Kong (cerca de 200 euros) por trajecto.

O último serviço de hidroaviões que ligou Hong Kong a Macau foi realizado a 01 de Dezembro de 1962 pela Macao Air Transport Company num hidroavião italiano de seis lugares, tendo sido suspenso devido às más condições de aterragem em Macau, pela concentração de lama nas águas do rio das Pérolas.

Mas os hidroaviões da Macao Air Transport Company não foram só os primeiros e os últimos a transportar passageiros na região, como também foram os primeiros alvos de desvio aéreo do mundo.

O comércio de ouro, cuja proibição decretada pelo tratado de Bretton-Woods estava prestes a vigorar em Hong Kong, levou o comerciante macaense Pedro José Lobo a associar-se aos fundadores da Cathay Pacific para lançarem a Macao Air Transport Company, que começou em 1948 a explorar a rota Hong Kong-Macau com anfíbios Catalina, que transportavam duas vezes por semana passageiros e ouro.

Foi um desses Catalina, o “Miss Macau”, que a 16 de Junho de 1948 foi desviado em pleno voo por uma quadrilha de chineses, embarcados em Macau como passageiros, que pretendiam roubar o ouro transportado, mas que apenas conseguiram despenhar a aeronave, vitimando 26 passageiros, com a excepção de um dos piratas, que acabaria preso em Macau sem julgamento, tendo sido morto após a sua libertação em 1951.

Fonte: Agência Lusa (Portugal) - Imagem: Reprodução/Site

Aerolineas e Austral retiram Boeing 737-200 de suas frotas

Em dezembro passado, um Boeing 737-200 da Aerolineas Argentinas pousou no Aeroporto Metropolitano Jorge Newbery, em Buenos Aires, no último vôo comercial realizado por aeronaves deste tipo. Em seus quase 40 anos de serviço na Aerolineas Argentinas e Austral os B737-200s que compunham a frota foram um total de 37 e voaram aproximadamente 1,5 milhão de horas, o que equivale a 1,2 milhão de quilômetros, cerca de 30 mil viagens ao redor do planeta, transportando cerca de 100 milhões de passageiros e 1,3 milhão de toneladas de carga.

Os números mostram a confiabilidade e versatilidade deste modelo que agora deixará de operar na frota da Aerolíneas Argentinas, deixando espaço para os novos Boeing 737-700NG, que são progressivamente incorporados à frota. O Boeing 737-200 fecha um ciclo nas empresas ao abrir uma nova etapa de modernização e eficiência com aeronaves de maior desempenho, menor consumo de combustível, mais conforto para seus passageiros e menos danos ao meio ambiente.

Fonte: João Tilki (Brasilturis)

Dica: Veja os cuidados com a bagagem

1- Identifique o interior de suas valises, malas, sacolas, bolsas, frasqueiras e pochetes com um cartão de visita ou uma etiqueta com nome, endereço e telefone

2- No caso de viagem aérea, as empresas têm etiquetas próprias para identificação. Use, caso você não tenha alguma

3- Nunca coloque pastas, carteiras ou similares sobre os capôs ou tetos de automóveis: é fácil sair com o carro e o objeto cair no caminho

4- Envelopes, livros, cadernos, maletas e pastas de cartolina são fáceis de ser devolvidos quando têm o nome, o endereço e o telefone do proprietário. Identifique-os

5- Procure chegar ao terminal sempre com antecedência de uma hora, a fim de evitar correria e, consequentemente, perda de seus pertences

6- Procure identificar paletós, blazers, casacos, jaquetas e sobretudos costurando uma faixa de tecido com seus dados

7- Bengalas e guarda-chuvas também podem ter uma plaquinha de metal com a identificação gravada

8- Escreva seu nome e endereço em pacotes, embrulhos, caixas de papelão, caixas de freeshops etc., sempre que for viajar.

9- Os carrinhos de bagagens existem para ajudá-lo na movimentação de suas malas pelas dependências dos terminais. Verifique sempre, após ter usado um deles, se não esqueceu alguma coisa no interior da cesta gradeada

10- Se a perda foi inevitável, não se esqueça de procurar os setores de achados e perdidos dos terminais

Fonte: Estado de Minas (baseado em dicas da Infraero)

Viajantes distraídos enchem setor de achados e perdidos

Época de férias sempre foi sinônimo de viagens. E tantas idas e vindas provocam um efeito colateral na maior parte das vezes invisível. Ou esquecido, para usar palavra mais apropriada: é o período em que mais objetos são largados em aeroportos, rodoviárias, estações e vagões de trem e metrô, assim como em táxis e ônibus. Em Belo Horizonte, a extensa lista abrange itens que vão de dentaduras a bicicletas, passando por acessórios eróticos e algemas coloridas. Aparelhos de rádio, mudas de bananeira e de coqueiro, animais de estimação, galinhas, aves da fauna silvestre e até uma cama king size, sem contar uma panela de pressão, achada com feijão cozido, compõem o divertido rol de itens que abarrotam seções de achados e perdidos e demonstram como a memória, ou a falta dela, e a correria fazem passageiros deixarem para trás partes importantes de suas vidas.

Milton Siqueira, gerente de Segurança do aeroporto de Confins, coleciona histórias curiosas e mostra que há itens de valor abandonados por passageiros

É possível imaginar, por exemplo, que alguém possa deixar uma muleta ou uma cadeira de rodas e sair de viagem caminhando tranquilamente? Ou que um cego deixe para trás sua bengala antes de embarcar? Embora intrigante, a situação não representa milagre, mas um tipo de distração que acontece no dia a dia de terminais mundo afora. Há um mês, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, Região Metropolitana de Belo Horizonte, uma mulher desembarcou e somente deu pela falta do filho de 8 anos quando chegou em casa. Em setembro de 2008, até um coração foi deixando no banheiro masculino do aeroporto, dentro de um recipiente de vidro. O desmemoriado passageiro mobilizou um aparato policial, diante da suspeita de tratar-se de órgão humano. Do Instituto Médico Legal (IML) veio a constatação de que não se estava diante de um crime, mas de esquecimento: o coração era de boi. Apenas nos últimos quatro meses, 4 mil objetos foram deixados no terminal, a maioria em dezembro, quando o movimento de passageiros é maior. A média de devolução é de 45%. E nem todos os itens abandonados são mera curiosidade, como o órgão bovino: há peças valiosas, como computadores de última geração.

Mas a maior preocupação no aeroporto é com explosivos nas bagagens esquecidas. Em alguns casos, como o de uma maleta deixada junto a um dos vasos sanitários do terminal, o local foi isolado e as polícias Civil, Militar e Federal, acionadas. Em outra bolsa suspeita havia vários cordões em ouro, passaporte, moedas estrangeiras e US$ 16 mil. O dono já estava em João Monlevade, Vale do Aço, quando foi avisado e retornou. “Muitas vezes, as pessoas esquecem suas bagagens porque chegam cansadas de viagens internacionais, onde há fuso horário, e também ficam emocionadas quando reencontram seus parentes, por felicidade ou tristeza, pois há também muitos que chegam para o funeral de algum familiar”, diz o gerente de segurança de Confins, Milton Campos Siqueira.

O militar reformado da aeronáutica Hélio Martins Ramos, de 74, trabalha há 25 anos no setor de achados e perdidos de Confins. “Houve um religioso do Sul do país que deixou uma mala cheia de camisinhas e estimulantes sexuais”, recorda. Computadores portáteis também são figuras fáceis na lista de achados em Confins. Um engenheiro de Porto Alegre escondeu R$ 3 mil no notebook dele, mas o esqueceu no saguão. “Depois, ele mandou buscar”, conta Hélio. Quando alimentos são encontrados, são destruídos em 48 horas, pois são perecíveis e há risco de estarem envenenados.

Hélio também recorda o caso de uma comissária de bordo que saiu de casa de madrugada para pegar um voo e, na pressa, não viu seu cão poodle entrar no carro e se esconder. Depois, no estacionamento do aeroporto, pessoas perceberam o cão agitado e chamaram os bombeiros para abrir o veículo. A dona foi identificada pela placa do carro, mas àquela altura já estava no Sul do país.

Bola fora

Na lista de curiosas histórias deixadas por passageiros em Confins está também a do zagueiro do América, Wellington Paulo, que ficou com a roupa do corpo quando sua mala foi esquecida no saguão do aeroporto. Em junho passado, ele conta que estava indo com o time para o Mato Grosso, jogar contra o Mixto, pela série C do Campeonato Brasileiro. Como sempre fazia, deixou sua bagagem sob a responsabilidade de dois funcionários do clube. “Quando cheguei a Cuiabá, fui informado de que a minha mala não tinha chegado. Fizemos protocolo na empresa área e na Infraero e fiquei aguardando a mala chegar no dia seguinte, só que ela não havia sido despachada. A viagem durou três dias e precisei tomar roupa emprestada dos meus colegas”, disse o zagueiro. “Fiquei sem a mala, mas ganhamos o jogo de um a zero com um gol meu”, disse o jogador.

No Aeroporto da Pampulha, os objetos mais comumente esquecidos são necessaires, óculos e celulares, deixados principalmente nos banheiros. “A gente faz uma lista do material e ela fica anexada no saguão por 30 dias. Todos são catalogados numa rede nacional da Infraero”, conta o coordenador de Operações, Pedro Paulo e Silva. A peça não reclamada é encaminhada à Justiça para doação. “Já aconteceu de um deputado esquecer uma mala com uma grande quantidade de dólares, que ele conseguiu recuperar”, disse Pedro Paulo, sem dar mais detalhes sobre o personagem.

Confira onde reclamar objetos perdidos em Minas Gerais

TÁXIS – Posto da BHTrans no setor de desembarque da rodoviária. Telefone (31) 3277-6500.

METRÔ – Posto de Achados e Perdidos, na Estação Santa Efigênia, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30. Telefone: (31) 3250-4231.

TREM VITÓRIA- MINAS – Procurar qualquer estação ao longo da linha ou telefonar para o Alô Ferrovia: 0800-285-7000. O setor de achados e perdidos fica em Vitória (ES)

RODOVIÁRIA – Procurar a administração, no mezanino, ou telefonar para (31) 3277-4525

AEROPORTO DE CONFINS – Setor de Achados e Perdidos no mezanino do aeroporto. O passageiro deve informar claramente o que há entre seus pertences. Contatos pelo telefone (31) 3689-2089 ou 3689-2039

AEROPORTO DA PAMPULHA – Achados e Perdidos no mezanino. Lista de objetos encontrados nos últimos 30 dias fica anexada no saguão. Telefone de contato: (31) 3490-2121

Fonte: Pedro Ferreira (Estado de Minas) - Foto: Cristina Horta (EM/DA Press)

Viajar sem estresse

Viajar é uma delícia, mas alguns cuidados podem ajudar a evitar decepções com serviços e roteiros contratados

Para muita gente férias é sinônimo de viagem. Afinal, nada melhor do que mudar de ares, conhecer novas culturas, descansar, visitar quem está longe. Mas para garantir a diversão é importante programar com um certo cuidado o período de recesso longe de casa. Quem pretende comprar pacote de férias tem que prestar atenção em alguns detalhes que podem trazer muita dor de cabeça.

O primeiro deles é a definição do destino. Escolher o local onde vai passar as férias - e gastar um bom dinheiro - deve ser uma decisão cuidadosa. Se o turista não gosta de frio, não tem roupas de frio, é alérgico a frio ou tem qualquer lembrança negativa com o frio, deve escolher lugares quentes, mesmo que os destinos gelado estejam com 80% de desconto. Aliás, para os alérgicos e afins, não custa nada visitar um médico algumas semanas antes da viagem para garantir que nos dias fora de casa a saúde esteja 100%. Nada pior do que ficar doente numa cama de hotel com o mundo chamando do lado de fora.

Seguro

Decidido o destino o viajante deve pesquisar opções de pacotes e passagens. Nesta hora é importante tentar não escolher apenas pelo preço, afinal um hotel velho e mal localizado, um voo com muitas escalas ou uma excursão daquelas que cada destino é visitado em vinte minutos pode definitivamente estragar a viagem e fazer valer a máxima de que o barato sai caro. Nesta mesma linha de pensamento o turista que decidir por uma viagem de ``aventura`` não deve esquecer-se de contratar um bom seguro.

Para decidir a agência, a companhia aérea e o hotel a dica é conversar com os amigos. Pessoas com os mesmos gostos e padrões podem ajudar também na escolha dos melhores passeios quando no destino, assim como indicar restaurantes, livrarias e shows que sejam interessantes e, por outro lado, lembrar lugares ruins e passeios furados que devem ser evitados.

Ao comprar pacotes o consumidor não pode esquecer-se de ler completamente o contrato e pedir esclarecimentos para que não reste nenhuma dúvida sobre o conteúdo dos itens mencionados. Devem ser definidos por escrito o preço total da viagem (e a forma de pagamento em reais), a companhia aérea ou rodoviária que fará o transporte, os hotéis especificados, o tipo de apartamento, os traslados, refeições incluídas, pagamento de guias de turismo e passeios. Para os mais prevenidos vale uma busca em órgãos de defesa do consumidor para saber se as empresas contratadas tem queixas registradas por outros clientes.

DICAS

1 - Planejar com antecedência

- O ideal é se organizar com no mínimo três meses de antecedência, mas se não deu tempo, os sites buscadores são excelentes ferramentas para trazer informações alinhadas com a sua necessidade.

2 - Flexibilidade de datas

- Voos no meio da semana ou aos finais de semana tendem a ser mais baratos devido à demanda.

3 - Horários de voos alternativos

- Os metabuscadores segmentados para área de turismo, como o Mundi (www.mundi.com.br), por exemplo, e algumas agências de viagens on line oferecem a comparação de preços dos horários mais baratos. Use e abuse da internet.

4 - Aeroportos de origem/destino alternativo

- Os aeroportos mais distantes das cidades em que se planeja a viagem podem ser uma boa opção para pagar menos na hora de comprar sua passagem aérea. Ex.: São Paulo: Guarulhos/Congonhas contra Viracopos em Campinas com tarifas mais baratas. Mas avalie se o transporte até o hotel compensa esta economia.

5 - Compare os preços entre as companhias aéreas

- Em algumas agências de viagens on line, como no www.viajanet.com.br, é possível fazer uma pesquisa dos voos, onde o resultado mostra uma Matriz(Resumo) dos voos mais baratos de cada companhia aérea.

6 - Aproveite a condição do câmbio do real x dólar

- Em dias como os atuais, você pode encontrar, por exemplo, um pacote para Buenos Aires ($ 235 / R$ 435), ou seja, mais barato do que Porto Seguro (R$ 568).

7 - Compare os preços dos pacotes de viagens em relação à passagem aérea e o hotel separadamente

- Em muitos casos, escolher seu pacote, incluindo estada, fica mais em conta do que comprar a passagem aérea separadamente. Mas, pesquise bem, porque também é possível achar da maneira contrária.

8 - Acompanhe as promoções do mercado

- Cadastre-se em portais relacionados à área de turismo e agências de viagens on line. A probabilidade de receber em seu email promoções inesperadas de voos, hotéis e pacotes de viagem aumenta de forma significativa.

9 - Fique de "olho nos novos players"

- Aproveite a entrada das novas companhias aéreas no mercado como a Azul e a Webjet que, para "ganhar" mercado, estão com as tarifas mais competitivas.

10 - Redes sociais

- Navegue em redes sociais de agências de viagens on line para saber quais as novidades. Esses canais costumam trazer boas ofertas. Sugestão: http://twitter.com/viajanet.

Fonte: Henriette de Salvi (O Povo)

Empresas de transporte aéreo podem ser multadas por não informar passageiros

Termina nesta segunda-feira, 11, o prazo para as empresas de transporte aéreo Azul, Gol e TRIP apresentarem justificativas para a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) quanto à não disponibilização de informações de forma clara e de fácil acesso aos seus passageiros. Os fiscais do Procon não encontraram nos guichês de atendimento das companhias informações previstas no Código Brasileiro de Aeronáutica e estabelecidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como atraso de voo, restituição do valor da passagem, hospedagem e alimentação quando necessário, além de outros dados de interesse dos passageiros.

Segundo a Diretora de Fiscalização do Procon, Isabella Barreto, o órgão analisará a justificativa das empresas e poderá aplicar uma multa que pode chegar a R$ 3 milhões, dependendo da amplitude do dano, porte econômico e a vantagem indevida que a empresa estaria tendo ao cometer aquela infração. "A fiscalização foi focada na informação ao consumidor, pois muitos ficam horas na fila, enfretam atrasos e não tem conhecimento sobre seus direitos", disse a diretora.

Isabella afirma ainda que quando o consumidor se sentir lesado, deve ir ao Procon para garantir que seus direitos sejam atendidos. Ela alerta para que os passageiros se documentem, guardando os comprovantes de despesa durante o período em que aguardaram embarque para ser reessarcido. As empresas foram autuadas em vistoria realizada no dia 31 de dezembro do ano passodo e, conforme a lei, as empresas que foram autuadas tem dez dias para responder e encaminhar ao órgão a justificativa.

Das empresas fiscalizadas, apenas a Passaredo Transportes Ltda, Oceanair Linhas Aéreas Ltda, a Webjet Linhas Aéras S/A e a TAM Linhas Aéreas receberam um relatório de visita do Procon por não apresentarem irregularidades.

Regulamentação

De acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica, nos casos em que o atraso da partida ocorrer por mais de quatro horas, a empresa responsável pelo transporte deve providenciar o embarque do passageiro em voo que ofereça serviço equivalente para o mesmo destino, restituição imediata do valor do bilhete de passagem ou permitir endosso do bilhete adquirido. Neste caso, o passageiro pode trocar o bilhete de uma companhia aérea para outra

A Anac garante ainda ao consumidor, nos casos de cancelamento do voo, atraso ou interrupção, que a empresa acomode os passageiros com reserva confirmada em outro voo, no prazo máximo de quatro horas do horário estabelecido no bilhete de passagem aérea.

Fonte: Michele Mendes (A Tarde On Line)

Chefe da polícia eslovaca cai após erro com explosivos

O chefe da polícia de fronteira da Eslováquia renunciou na quinta-feira por causa de um exercício de segurança envolvendo um eslovaco que voou para Dublin sem saber que carregava em sua mala explosivos plantados pela polícia.

O homem foi detido na Irlanda alguns dias depois, quando autoridades da Eslováquia disseram a colegas irlandeses que vasculhassem os explosivos, que haviam passado pelo pequeno aeroporto na cidade de Poprad sem ser detectado pelos cães farejadores da polícia. O ministro do Interior eslovaco, Robert Kalinak, disse a jornalistas que aceitou a renúncia do chefe da fronteira e da polícia imigratória, Tibor Mako, cujo departamento estava comandando a operação. "O que aconteceu no aeroporto Poprad foi um erro humano estúpido", disse Kalinak. "Foi um erro individual claro, não uma falha no sistema.

Procedimentos disciplinares contra o policial responsável estão sendo tomados". Uma confusão nas comunicações fez com que o homem deixasse o aeroporto de Dublin no sábado passado com os explosivos em sua mala, onde ficaram até que a polícia vasculhasse seu apartamento alguns dias depois.

A Autoridade Aeroportuária de Dublin disse que não foi comunicada pelas autoridades na Eslováquia sobre o incidente até terça-feira. O viajante foi depois libertado e as autoridades eslovacas se desculparam pela ação. Especialistas de segurança criticaram a polícia por plantar explosivos, sem o detonador, na bagagem de um passageiro, em vez de na de um agente da polícia.

Fonte: Martin Santa e Andras Gergely (Reuters) via O Globo

Greve em aeroportos franceses pode provocar "perturbações significativas" diz autoridade francesa

Cinco sindicatos franceses fizeram um pré-aviso de greve para os aeroportos franceses na quarta e quinta-feira, 13 e 14 de Janeiro, e a direcção francesa da aviação civil (DGAC) alertou para “perturbações muito fortes” nos serviços.

A DGAC prevê também “perturbações significativas” para as companhias aéreas, disse um porta-voz da empresa à "Agência France-Presse".

Os sindicatos franceses estão em protesto contra a supressão de 400 postos de trabalho em dois anos.

Fonte: Presstur (Portugal)

Aeroporto será inaugurado na Catalunha, Espanha

O Governo de Catalunha irá inaugurar, no próximo dia 17, o aeroporto Lleida-Alguaire. O principal objetivo é promover o turismo e as atividades econômicas na província de Lérida. No dia cinco de fevereiro começa a operação dos primeiros voos comerciais regulares, que, nos primeiros meses, acontecerá de sexta a domingo.

Os primeiros voos confirmados do aeroporto ocorrem a partir de cinco de fevereiro com destino a Paris e a Palma de Maiorca, operados pela companhia Vueling. A partir de dois de abril, a companhia Ryanair vai oferecer viagens para Milão e Frankfurt.

Fonte: Mercado & Eventos - Fotos: Site do Aeroporto

Air France – KLM: tráfego cai mais em dezembro

O grupo Air France – KLM, nº 2 europeu no modelo de companhias de rede, informou hoje que em Dezembro teve uma queda do tráfego de passageiros em 4,6%, acima, portanto, da queda média dos nove meses de Abril a Dezembro de 2009, que está em 4,3%.

A informação do grupo destaca que, porém, a queda do tráfego em Dezembro foi menor do que a redução de capacidade (-5,5%), o que levou a uma subida da taxa de ocupação em 0,8 pontos, para 79,7%.

O grupo também assinala que em Dezembro se manteve a tendência de recuperação da receita unitária (por ASK ou lugar x quilómetro), referindo que embora ainda esteja abaixo dos níveis do período homólogo de 2008 “continua a sua recuperação graças a uma melhoria mais vincada do tráfego premium [tarifas de primeira e executiva] de longo curso”.

O balanço da operação em Dezembro indica que as companhias aéreas Air France e KLM transportaram 5,519 milhões de passageiros em Dezembro passado, menos 5,1% que no mês homólogo de 2008.

As quedas mais acentuadas em número de passageiros foram nos voos dentro da Europa (incluindo os domésticos), com um decréscimo de 6,1%, para 3,653 milhões, e nas ligações de longo curso com o continente americano, nas quais baixou 5,5%, para 689 mil.

As quedas nestes dois segmentos foram mais fortes do que no conjunto dos nove meses de Abril a Dezembro de 2009, no qual os voos de médio curso dentro da Europa tinham uma queda do número de passageiros em 5,9%, para 38,108 milhões, e as ligações com o continente americano tinham um decréscimo de 4,6%, para 7,128 milhões.

A informação relativa a Dezembro mostra que o número de passageiros baixou também nas ligações com Ásia e Pacífico (-0,7%, para 444 mil), África e Médio Oriente (-2,4%, para 463 mil) e Caraíbas e Oceano Índico (-2,1%, para 270 mil).

Nos nove meses de Abril a Dezembro de 2009, estão em queda os sectores Ásia e Pacífico (-5,3%, para 4,048 milhões) e Caraíbas e Oceano Índico (-2,5%, para 2,163 milhões), mas nas ligações com África e Médio Oriente há um aumento ligeiro, em 0,5%, para 4,189 milhões.

O grupo tem nos nove meses de Janeiro a Dezembro de 2009 uma queda média do número de passageiros em 5,1%, para 55,635 milhões.

Em RPK (passageiros x quilómetros percorridos), unidade de tráfego mais utilizada na aviação, a informação indica quedas de 6,4% no médio curso europeu, 5,2% no sector Américas, 4,1% no sector Ásia e Pacífico, 2,3% no sector África e Médio Oriente e 2,1% no sector Caraíbas e Oceano Índico.

Nos nove meses de Janeiro a Dezembro de 2009, o tráfego cai nos sectores Europa (-5,3%), Américas (-4,9%), Ásia e Pacífico (-5,8%) e Caraíbas e Oceano Índico (-3,6%).
O sector Médio Oriente e África é excepção, com um crescimento em 0,6%.

Em relação à taxa de ocupação dos voos, o grupo indicou subidas em Dezembro nos sectores Europa (+1,3 pontos, para 67,3%), Américas (+2,5 pontos, para 86,5%) e Ásia e Pacífico (+1,0 ponto, para 83,2%), por via de reduções de capacidade (em ASK = lugares x quilómetros) de, respectivamente, 8,3%, 7,9% e 5,2%.

No sector África e Médio Oriente a taxa de ocupação foi idêntica à de Dezembro de 2008 (80%) e no sector Caraíbas e Oceano Índico baixou 3,9 pontos, para 77,8%, porque a queda do tráfego ocorreu face a um aumento de capacidade de 1,1%.

Nos nove meses de Abril a Dezembro de 2009, a taxa de ocupação média dos voos da Air France e KLM está em 81,2%, melhor 0,3 pontos que no período homólogo de 2008, pela redução da capacidade em 4,6%.

Esta subida baseia-se no aumento de 1,6 pontos, para 86,8%, nas ligações de longo curso com o continente americano, nas quais o grupo baixou a capacidade em 6,7%, e na estabilização no médio curso europeu, nos 71,6%, e no sector Caraíbas e Oceano Índico, nos 80,2%.

No sector Ásia e Pacífico a taxa de ocupação baixa 0,2 pontos, para 84,8%, e no sector África e Médio oriente baixa 1,4 pontos, para 79,1%.

Este é o único sector em que o grupo fez aumento de capacidade nos nove meses de Abril a Dezembro de 2009, em 2,3% face ao período homólogo de 2008.

Fonte: Presstur (Portugal)

Carlyle Group compra CVC Operadora e Agência de Viagens S.A.

Maior operadora de turismo da América Latina preparada para crescimento expressivo; Aquisição da CVC é o primeiro investimento feito no Brasil pelo time de buyout do Carlyle América do Sul

O grupo internacional de private equity The Carlyle Group anuncia hoje que adquiriu 63.6% do controle da CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. Guilherme Paulus, fundador da operadora, continuará sendo o presidente do conselho da CVC e permanecerá com participação no restante do capital da companhia. A CVC, com sede em Santo André (SP), é a maior operadora de viagens da América Latina. A transação foi concluída no final de Dezembro de 2009 e envolve a operadora de viagens, incluindo a operação de cruzeiros marítimos. As outras empresas controladas por Guilherme Paulus – a companhia aérea WebJet e a GJP Hotéis e Resorts – não fazem parte do negócio. Detalhes adicionais do acordo financeiro não foram informados.

Fundada em 1972 por Paulus, a CVC opera voos charters e regulares, diárias em hotéis, cruzeiros e serviços receptivos, montando pacotes turísticos que são vendidos para mais de dois milhões de passageiros anualmente. A CVC oferece ampla variedade de pacotes turísticos para destinos nacionais e internacionais, que são distribuídos por uma rede de 8.000 agências de viagens independentes credenciadas e 400 lojas exclusivas no Brasil, a maioria operada por representantes. A companhia emprega mais de 900 funcionários diretos e gera mais de 4.500 empregos indiretos.

A CVC vem se beneficiando do rápido crescimento da classe média brasileira, que ganhou mais de 25 milhões de novos consumidores nos últimos cinco anos. A empresa está muito bem posicionada para vender pacotes turísticos a estes consumidores, devido a seus preços acessíveis e às condições favoráveis de pagamento. A qualidade do serviço oferecido e a habilidade da equipe da empresa em assessorar passageiros de primeira-viagem com as nuances de viagens nacionais ou internacionais também são importantes diferenciais para seus clientes. Valter Patriani, CEO da CVC, diz que: “muitos brasileiros estão descobrindo que sair de férias viajando de avião é uma alternativa viável. A ampla gama de produtos da CVC e nossa política de preços baixos abriu um novo estilo de vida para muitos consumidores.”

No médio prazo, a CVC vai continuar priorizando o mercado brasileiro, que já representa a 10ª economia do mundo e deve crescer a taxas superiores a 5% em 2010. O setor de turismo no Brasil vai se beneficiar do crescimento de demanda e dos grandes investimentos em infraestrutura que antecedem a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. No longo prazo, a CVC poderá se expandir para outros mercados da América Latina.

Paulus declarou que “o conhecimento financeiro do Carlyle e seus recursos globais serão bastante úteis ao negócio. Enxergamos um futuro brilhante para a CVC à medida que continuaremos a entregar pacotes turísticos de alta qualidade a preços muito acessíveis para uma base de clientes que não para de crescer.”

Fernando Borges, diretor responsável pela operação do Carlyle na América do Sul, afirma: “Estamos entusiasmados com a conclusão do nosso primeiro investimento de buyout no Brasil. A CVC é uma companhia de primeira linha, liderada por um talentoso CEO, Valter Patriani, e dispõe de um time com uma experiência e resultados comprovados únicos no setor. A estratégia de crescimento para o futuro é clara. A equipe do Carlyle no Brasil e nosso grupo de Consumo & Varejo baseado em Nova York darão apoio total à companhia. Nosso objetivo é que tanto os funcionários quanto os clientes da companhia se beneficiem, uma vez que a CVC continuará a aumentar a variedade e a qualidade dos serviços e produtos turísticos oferecidos.”

Para Sandra Horbach, diretora-gerente do Carlyle que comanda a equipe de Consumo & Varejo do grupo, “a CVC é um negócio sensacional, com um posicionamento de mercado esplêndido, uma lealdade à marca excepcional e uma base de clientes em franco crescimento. Estamos muito satisfeitos em nos associar ao fundador e presidente do conselho, Guilherme Paulus, para construir uma marca de classe mundial em uma região e setor com tremendas perspectivas de crescimento.”

A CVC foi assessorada pelo escritório de advocacia Mattos Filho. O Carlyle foi assessorado pelos escritórios de advocacia Pinheiro Neto Advogados e Debevoise & Plimpton e pelo banco Rothschild.

O capital para esta transação virá dos fundos Carlyle Partners V (principal fundo do Carlyle Group, com US$13,7 bilhões sob administração) e Carlyle South America Buyout Fund I, bem como de Guilherme Paulus e outros co-investidores (incluindo a firma RLJ Equity Partners).

Sobre o Carlyle Group

O Carlyle Group é um grupo global de private equity com US$ 86,1 bilhões de ativos sob gestão, comprometidos para 64 fundos até 30 de junho de 2009. O Carlyle investe em aquisições de empresas, capital para crescimento, ativos imobiliários e leveraged finance na África, Ásia, Austrália, Europa, América do Norte e América do Sul, com foco nos setores aeroespacial & defesa, automotivo & transportes, consumo & varejo, energia, serviços financeiros, saúde, indústria, infraestrutura, tecnologia & automação e telecomunicações & mídia. Desde 1987, o grupo investiu US$ 56,3 bilhões de capital em 920 transações a um preço total de aquisição de aproximadamente US$ 229,1 bilhões. O Carlyle Group emprega mais de 875 profissionais em 20 países. Conjuntamente, as companhias do portfólio do Carlyle têm mais de US$ 109 bilhões em receitas e empregam mais de 415.000 pessoas ao redor do mundo. www.carlyle.com

Sobre a CVC Brasil

A CVC Brasil opera no mercado brasileiro há 37 anos e já transportou mais de 15 milhões de passageiros em viagens nacionais e internacionais. Fundada na cidade de Santo André (SP), a companhia é a maior operadora de viagens da América Latina. A CVC transformou o mercado de turismo brasileiro através de estratégias inovadoras, tendo sido a primeira operadora brasileira a fretar aeronaves, a adotar um modelo de distribuição de varejo para produtos turísticos, a parcelar a venda de pacotes e a oferecer produtos acessíveis para consumidores de todos os perfis. Atualmente, a rede de distribuição da CVC consiste de 8.000 agentes de viagens independentes credenciados e 400 lojas exclusivas espalhadas pelo Brasil. Em 2009, a companhia transportou mais de dois milhões de passageiros, um crescimento de 20% sobre 2008. www.cvc.com.br.

Fonte: H2Foz

TAP e SATA impõem regras apertadas nos voos para EUA

Companhias estão mais exigentes depois do atentado no Natal. Passageiros têm que se apresentar mais cedo no 'chek-in', permanecer na sala de embarque, preencher inquérito mais rigoroso.

As companhias aéreas portuguesas TAP e a SATA já estão a adoptar medidas de segurança mais apertadas para os passageiros dos voos com destino aos Estados Unidos. No que respeita aos aeroportos do País, o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) aguarda pelas deliberações da União Europeia, nomeadamente no que se refere à eventual instalação de novos equipamentos tecnológicos, como os polémicos scanners de corpo inteiro para a revista aos passageiros.

O reforço da segurança nos voos transatlânticos resulta da tentativa de atentado terrorista no dia de Natal, pouco antes da aterragem em Detroit (EUA) do voo 253 da Northwest-Delta Airlines proveniente de Amesterdão (Holanda), quando o nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, de 23 anos, quis fazer explodir o aparelho. Desde então, a autoridade americana para a segurança nos transportes, Transportation Security Administration (TSA), tem emitido diversas novas directivas para um controlo mais rigoroso de passageiros e bagagens, dirigidas não só às companhias aéreas americanas, mas também a todas as outras com voos para os Estados Unidos, as quais podem, inclusivamente, ver recusada a entrada no país se não acatarem as novas regras. A TAP e a SATA, que são as duas únicas transportadoras aéreas portuguesas a operar voos comerciais regulares para os Estados Unidos, garantem que estão a cumpri-las.

"A TAP cumpre todos os procedimentos de segurança exigidos pelas autoridades dos países para os quais opera voos, o que inclui naturalmente as novas orientações emanadas dos Estados Unidos na sequência do atentado frustrado de Dezembro", assegurou ao DN o porta-voz da empresa. A companhia não divulga, porém, quais os novos procedimentos, para não comprometer a eficácia dos mesmos. Já quanto a um eventual aumento dos custos com as novas regras, "neste momento só se verificam em caso de afectarem a pontualidade dos voos", explicou António Monteiro. Por isso, a TAP solicita aos passageiros que se apresentem no check-in três horas antes da partida do voo e que se dirijam à sala de embarque logo que finde aquele processo.

Já a SATA passou a pedir uma antecedência de duas horas e meia, quando antes era de apenas duas horas, "a fim de evitar atrasos nos voos devido a novos procedimentos de segurança mais demorados", afirmou ao DN o porta-voz da transportadora aérea açoriana. Segundo José Gamboa, as medidas adicionais de segurança passam basicamente pelo "reforço do questionário que já era feito aos passageiros antes do check-in, revista dos passageiros com o sacanner manual após a passagem no pórtico de raios-x e abertura de todas as bagagens de mão, com especial atenção para os líquidos trasportados".

A um maior rigor na revista de de passageiros e bagagens, juntam-se também novas directrizes para os pilotos. Assim, quando o avião se encontrar em espaço aéreo americano, deixam de poder ser dadas informações que possam indicar os locais que estão a ser sobrevoados.

Os pilotos podem também ter que ordenar aos passageiros que permaneçam sentados nos seus lugares, principalmente se receberem instruções para tal durante o voo das autoridades de segurança norte-americanas. Nos dias que se seguiram à tentativa de atentado no voo de Amesterdão para Detroit, chegou a ser noticiado que os passageiros não podiam sair dos seus lugares uma hora antes da aterragem. Mas "estas e outras medidas têm estado a ser ajustadas pela TSA, vigorando actualmente as regras emitidas no dia 3 de Janeiro", esclareceu José Gambôa.

Além dos novos procedimentos de segurança impostos às companhias aéreas, "não há, por enquanto, alterações às medidas de segurança implementadas nos aeroportos portugueses", segundo a porta-voz do INAC. "O assunto ainda está em discussão na União Europeia e Portugal acatará as decisões que forem tomadas a nível comunitário", acrescentou Sílvia Andrez.

Na semana passada, peritos em segurança da União Europeia estiveram reunidos em Bruxelas para debater o uso de scanners corporais nos aeroportos europeus, preconizado pelos Estados Unidos depois do incidente no dia de Natal. A necessidade desta medida está longe de ser consensual entre os 27. A presidência espanhola da UE já se manifestou a favor de uma posição conjunta sobre o uso daqueles equipamentos e o assunto será um dos pontos da agenda da primeira reunião entre os ministros europeus do Interior e da Justiça. Em causa estão questões éticas e mesmo da eficácia dos aparelhos, mas alguns países, com a Holanda e o Reino Unido, já decidiram avançar.

Fonte: Diário de Notícias (Portugal)

Homem fica de cueca em protesto no aeroporto do Galeão

Passageiro se irrita com vigilância e chuta o balde



O embarque do aeroporto Tom Jobim, no Rio de Janeiro, parou na última quinta-feira. Um homem tentava passava pelo detector de metais. Na primeira vez, o alarme tocou. Na segunda, terceira e quarta tentativas, o barulhinho soou novamente.

Irritado, o sujeito disse que não tinha nada. Deu-se então a confusão – que culminou no protesto original do sujeito – que decidiu ficar só de cuecão, em pleno saguão do aeroporto.

O alarme do pessoal que embarcava soou – mas dessa vez foi de susto ao ver o cuecão peludo.

Fonte: R7

Aeroporto de Joinville: as dificuldades para ter o ILS

Técnicos da Aeronáutica levantaram problemas que podem interferir na vinda do equipamento para o Aeroporto de Joinville. Resultado da vistoria sai em duas semanas

Agora, é esperar pela resposta, que deve demorar duas semanas.

Os técnicos do Instituto de Cartografia da Aeronáutica terminaram no sábado o levantamento dos dados necessários para a instalação do ILS (sistema de pouso por instrumentos) no Aeroporto de Joinville. O equipamento, que custa cerca de R$ 2,1 milhões, facilita as operações de pouso em condições de mau tempo e de forte neblina.

O levantamento, que é decisivo para a instalação do equipamento, constatou alguns problemas que poderão afetar a instalação do ILS. De acordo com a assessoria de imprensa do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), uma das dificuldades encontradas na região é a topografia. Pelos levantamentos feitos até o momento, as condições se mostraram desfavoráveis, por causa dos obstáculos ao redor do terminal.

Segundo o coordenador técnico em pilotagem profissional de aeronaves da Universidade Tuiuti, no Paraná, Marcos Galvão de Souza, como esses aparelhos projetam uma rampa de aproximação, não se pode ter nenhum obstáculo ferindo essa rampa.

“Montanhas, prédios, torres de transmissão e até árvores que não estejam no limite de segurança podem atrapalhar”, explica. A distância da pista tem relação direta com a altura do obstáculo. “A topografia é uma das questões que mais influenciam na decisão de se instalar um ILS”, garante.

Uma das formas de contornar as questões topográficas é por meio eletrônico, mas, com isso, perde-se um pouco da pista. “Ela encurta, porque o ponto de toque deve ser mais adiantado”, diz o especialista Marcos Souza.

Para um piloto, que pediu para não ser identificado, uma das hipóteses que justificaria a não-instalação do equipamento é porque quase todos os procedimentos são feitos pela cabeceira 33 e lá existe constantemente vento de cauda.

“Dependendo da intensidade (do vento), as companhias aéreas pedem que se arremeta, por questões de segurança”, explica. De acordo com ele, na cabeceira 15 também seria difícil pela falta de espaço entre o local e um morro. “A antena por onde se projeta a rampa precisa ficar a nove quilômetros da cabeceira da pista, e não há esta distância”, diz.

Mesmo assim, ele diz que é fundamental que o aparelho seja instalado, pois Joinville merece um aeroporto melhor. Segundo a Infraero, entre janeiro e novembro do ano passado, passaram 191,3 mil passageiros pelo terminal.

Clique sobre a imagem para ampliá-la

Fonte: A Notícia