domingo, 30 de novembro de 2008

Nasa decide que "Endeavour" pousará em base aérea da Califórnia

A Nasa, a agência espacial americana, decidiu continuar hoje com os planos de retorno da nave "Endeavour" à Terra, mas o veículo espacial não aterrissará na Flórida, como inicialmente previsto, mas em uma base aérea da Califórnia, onde as condições meteorológicas são melhores.

A nave espacial aterrissará às 19h25 (de Brasília) em uma pista alternativa da Base da Força Aérea Edwards, na Califórnia, sob condições climatológicas excelentes, informou a agência americana.

A Nasa tomou a decisão após cancelar a primeira tentativa de aterrissagem, que estava prevista para as 16h19 (de Brasília) no Centro Espacial Kennedy de Cabo Canaveral, devido às condições meteorológicas adversas na Flórida.

A agência espacial esperava poder fazer a segunda tentativa, que tinha fixado para as 17h45 (de Brasília), neste centro, mas as previsões do tempo não ajudaram.

Bryan Lunney, o diretor de reingresso à atmosfera terrestre - a fase mais perigosa do retorno das naves -, estudou as condições meteorológicas na Flórida antes de decidir mudar os planos de aterrissagem da "Endeavour".

Quando recebeu as novas instruções do Controle da Missão, os astronautas se encontravam sobrevoando Afeganistão e Índia.

Fonte: EFE

Sistemas de cargueiro espacial russo apresentam falhas ao se acoplar à ISS

Os sistemas do primeiro cargueiro russo de nova geração "Progress M-01M" registraram algumas falhas durante o vôo e o acoplamento hoje à Estação Espacial Internacional (ISS), segundo informaram os responsáveis do programa espacial da Rússia.

Devido a essas falhas, o engate da nave não pôde ser feito automaticamente, e sim manualmente através da ISS pelo astronauta russo Yuri Lonchakov, disse o chefe do programa de vôo do segmento russo da plataforma orbital, Vladimir Soloviov.

"Durante a fase final do acoplamento automático (...) houve uma perda de informação transmitida por freqüências e se desligaram os sensores do sistema Kurs", destacou o especialista.

"Como resultado, aproximamos a nave a uma distância de 30 metros e ordenamos à tripulação passar ao regime manual de comando", disse Soloviov, que acrescentou que os especialistas do CCVE estudarão as possíveis conseqüências destas falhas, segundo a agência "Interfax".

O dirigente do programa espacial revelou que também houve erros após o lançamento e condução à órbita da "Progress", quando demorou a ser desdobrada uma das antenas responsáveis pela aproximação do cargueiro à plataforma cósmica.

Este incidente pode ter sido provocado pelas sobrecargas dinâmicas e térmicas da nave, e durante o vôo também houve toda uma série de pequenas falhas tanto dos sistemas da nave quanto dos equipamentos terrestres de medição, destacou.

A "Progress M-01M" se acoplou às 10h28 (horário de Brasília) ao módulo Pirs da ISS, cuja missão permanente atual é integrada por Lonchakov e pelos astronautas da Nasa (agência espacial americana) Michael Fincke e Sandra Magnus.

Fonte: EFE - Foto: RKK Energia

Nasa adia pouso de ônibus espacial Endeavour por mau tempo

A Nasa adiou a aterrisagem do ônibus espacial Endeavour neste domingo devido ao tempo ruim no Kennedy Space Center, no Estado da Flórida, podendo deslocar a nave espacial para um local alternativo de pouso na Califórnia.

A Endeavour está retornando após uma missão bem sucedida de renovação na Estação Espacial Internacional, e deveria pousar na Flórida às 13h19 no horário local (16h19 em Brasília).

"No momento, a previsão não permite o pouso", disse Alan Poindexter, do controle da missão em Houston, pelo rádio para o comandante da Endeavour Chris Ferguson.

A oportunidade seguinte de pouso na Flórida, que seria às 14h54 no horário local (17h54 no horário de Brasília), também foi abortada.

Como as condições meteorológicas para um pouso na Flórida também não devem adequadas na segunda-feira, os operadores de vôo poderão desviar a Endeavour para o local de pouso na base da Força Aérea de Edwards, na Califórnia.

As condições meteorológicas para a base no deserto de Mojave deverão ser apropriadas para o pouso do ônibus espacial.

A tripulação da Endeavour retorna após a instalação de um sistema de reciclagem de água na Estação Espacial Internacional e de reformas em seu sistema de energia. Os trabalhos permitirão que a Nasa leve mais três astronautas para compor a tripulação permanente da unidade.

Uma aeronave de carga da Rússia chegou à Estação Espacial no domingo com combustível, água e suprimentos para a tripulação. A próxima visita da Nasa para a estação está marcada para fevereiro, quando o posto terá um painel solar instalado.

Fonte: Reuters

Azul de pires na mão

De empresário capitalizado e com as portas do mundo financeiro abertas, David Neeleman está de pires na mão para colocar sua esquadrilha no ar.

Em meio à despressurização da economia internacional, Neeleman vem tentando jogar todo o peso da Azul nas costas do BNDES. O acordo com o banco é fundamental para a decolagem da companhia. Seu pedido de financiamento ao banco gira em torno de R$1,5 bilhão. Não se pode negar que o principal argumento usado pelo empresário para obter o crédito soa bem aos ouvidos do BNDES. Os recursos serão usados para dar prosseguimento ao programa de compra de aeronaves da Embraer. A Azul fez 36 pedidos firmes e mantém ainda a opção de aquisição de mais 40 aviões.

Ao mesmo tempo que estica o chapéu de aba maior na direção do BNDES, David Neeleman tenta passar o boné junto a um pool de brancos privados, entre eles o Santander. O valor do crédito negociado é mais modesto: R$ 400 milhões.

Como solução-estepe para a captação de recursos, Neeleman também já sondou os principais acionistas da companhia – entre eles o Gávea Investimentos e o ex-banqueiro Julio Bozano, sobre a possibilidade de um aporte de capital. A crise internacional abateu, ao menos no curto prazo, a carta que David Neeleman tinha na manga para capitalizar a Azul: a abertura de capital da empresa. A operação chegou a ser amplamente discutida com os sócios, mas o projeto está congelado desde setembro, quando as condições meteorológicas dos mercados internacionais se agravaram. Neeleman garantiu aos sócios que retomará os planos de IPO assim que houver uma melhoria na economia.

O empresário chegou a falar até mesmo na hipótese de pulverização do controle da Azul, a exemplo do que ele próprio fez com a JetBlue, nos Estados Unidos. Em uma das reuniões, inclusive, teria sido cunhada a expressão “Renner dos ares”, em alusão à rede varejista, que diluiu o seu controle em Bolsa.

Fonte: Relatório Reservado, 27 de novembro de 2008, Edição 3517

Polícia do Rio faz o 1º vôo com helicóptero "caveirão"

Policiais usam cordas para descer do novo helicóptero "caveirão"

Aparelho foi comprado por R$ 4,1 milhões em outubro

Após o vôo de inauguração, helicóptero auxiliou em operações em morros de Padre Miguel

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, e o chefe de polícia, Gilberto Ribeiro, testaram o novo helicóptero "caveirão" da Polícia Civil, um modelo UH-1H2 (Huey2), comprado por R$ 4,1 milhões em outubro. As autoridades fizeram um sobrevôo na Lagoa Rodrigo de Freitas na tarde de sexta-feira (28).

De acordo com Beltrame, nos próximos meses, o Estado irá comprar outro modelo igual para a Polícia Militar. O helicóptero será usado em operações de grande complexidade, que ofereçam riscos à vida dos policiais.

Reforço

O que era para ser um vôo de inauguração virou um auxílio para operações nos morros da Serrinha, Madureira, Chapadão, em Costa Barros, e Vila Vintém, em Padre Miguel, nesta manhã.

Fonte: JB Online - Fotos: Alessandro Buzas (Futura Press)

Piloto de um MD-82 da American ferido por laser

As autoridades americanas estão investigando um incidente com laser a bordo de um vôo da American Airlines que se preparava para pousar em Austin no Texas no domingo passado a noite.

De acordo com o relatório preliminar do FAA, o vôo 479 com 111 pax a bordo estava no procedimento de descida para Austin procedente de Dallas quando os pilotos reportaram “um intenso feixe de raio laser verde no cockpit” a apenas 20 quilômetros do aeroporto. O co-piloto foi levado ao hospital após o pouso com problemas nos olhos e depois liberado após tratamento.

Este é um problema recorrente nos Estados Unidos, que havia diminuído um pouco neste ano após uma explosão de casos entre 2006 e 2007. Realmente é difícil entender alguém que deliberadamente aponta um laser para um avião em pleno vôo. Pode até ser coisa de adolescente, mas não diminui a doença de caráter que anda assolando a América.

Fonte: John Croft (Flight Global)

"Endeavour" recebe permissão para voltar à Terra neste domingo

Os astronautas da nave "Endeavour" receberam ontem a autorização da Nasa, a agência espacial dos Estados Unidos, para retornar neste domingo à Terra, após 16 dias de missão e quatro caminhadas para ampliar o espaço habitável da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

Após a permissão dada pelo centro de controle da missão em Cabo Canaveral, Flórida, a nave deve aterrissar amanhã no Centro Espacial Kennedy.

No entanto, as previsões meteorológicas poderiam alterar os planos da Nasa, já que as condições climáticas serão "bastante incertas" e poderiam obrigar a equipe a adiar seu retorno por um espaço de 24 horas ou mudar o local de pouso.

Hoje fez bom tempo em Cabo Canaveral, mas para amanhã está prevista a chegada de uma frente fria e possíveis tempestades.

A agência espacial americana avisou à Base da Força Aérea de Edwards, na Califórnia, caso a nave precise recorrer à outra pista de aterrissagem.

Os astronautas receberam a autorização necessária da agência espacial americana após efetuar entre sexta-feira e hoje vários testes de segurança.

A tripulação da "Endeavour" informou de uma pequena peça de metal que tinha se desprendido da nave, mas o controle da Nasa determinou que não era motivo de preocupação.

A nave se separou na sexta-feira da ISS, momento no qual começaram os preparativos para a aterrissagem.

O piloto da "Endeavour", Eric Boe, deu a volta à nave, uma operação que permite à tripulação da ISS observar e tirar imagens da nave para analisar o escudo térmico.

A tripulação da nave viaja ao comando do astronauta americano Chris Ferguson, auxiliado por Boe e os especialistas Donald Pettit, Heidemarie Stefanyshyn-Piper, Steve Bowen, Shane Kimbrough e Sandra Magnus.

A STS-126 foi a primeira missão espacial de Boe, Bowen e Kimbrough. Magnus substitui Greg Chamitoff na ISS, que, após 182 dias na estação orbital, finalmente volta à Terra.

Ferguson disse estar "extremamente satisfeito" com a missão de 16 dias na ISS.

"Chegamos aqui em cima com uma lista muito longa de objetivos e, embora tenhamos tido um ou dois problemas, conseguimos cumprir todos", ressaltou.

A "Endeavour" levou à ISS mantimentos, equipamentos para ampliar os espaços habitáveis, instalações para exercícios físicos, móveis e utensílios de cozinha e um sistema para reciclar a urina dos astronautas.

O objetivo da missão no curso das quatro caminhadas espaciais que fizeram era preparar o complexo para abrigar seis ocupantes e rever e lubrificar as juntas rotatórias dos painéis solares que fornecem energia à estação.

Além de ampliar o espaço na ISS, os astronautas instalaram um "controle ambiental regenerativo" que recicla urina dos astronautas e a condensação do ar para transformá-la em água que poderá ser bebida e utilizada para resfriar os sistemas da nave.

Fonte: EFE

Queda de helicóptero venezuelano no Pacífico deixa 2 mortos

Acidente aconteceu nas proximidades do Panamá e da Costa Rica.

Aeronave caiu em águas internacionais.


Duas pessoas morreram ontem (29) na queda de um helicóptero Robinson 44 com matrícula venezuelana que trabalhava com um barco de pesca de atum em águas internacionais do oceano Pacífico, entre a fronteira do Panamá com a Costa Rica, informou uma fonte oficial.

O diretor da Autoridade Aeronáutica Civil (AAC) do Panamá, Eustacio Fábrega, disse à imprensa que a aeronave caiu em águas internacionais ao sudeste de Punta Burica, compartilhada por panamenhos e costarriquenhos, que assumiram a investigação do caso.

Ele afirmou que foi possível resgatar o corpo de um dos ocupantes da aeronave, cuja identidade e nacionalidade não foi especificada ainda.

Além disso, Fábrega disse que as equipes de socorro da Costa Rica e do Panamá estão buscando o corpo do outro ocupante do helicóptero.

Segundo o diretor da AAC, a aeronave "nada tinha a ver com as operações" de auxílio que aparelhos similares desenvolvem no oeste do Panamá, onde há milhares de desabrigados pelas fortes chuvas dos últimos dias.

Fonte: EFE

Alemanha quer detectores que não mostrem as pessoas peladas

A Alemanha vai iniciar trabalhos em laboratórios nas próximas semanas para tentar produzir detectores de corpo inteiro que produzam imagens de objetivos potencialmente perigosos mas sem mostrar as pessoas totalmente nuas.

No início desse mês a União Européia engavetou uma proposta de introduzir a checagem de corpo inteiro nos aeroportos do bloco, depois de pesadas críticas sobre a violação da intimidade das pessoas, já que as máquinas atuais produzem imagens que deixam as pessoas virtualmente peladas nas telas.

Os europeus, no entanto, continuam com a intenção de utilizar as máquinas no futuro.

O governo alemão também não foi simpático à idéia do bloco e por isso decidiu realizar testes para verificar se seria possível que as máquinas mostrassem objetos como explosivos sem, no entanto, delinear tão claramente o corpo das pessoas.

Fonte: Reuters

Avião que caiu em Anápolis fazia manobras, informa PM

Um avião de pequeno porte caiu no aeroporto de Anápolis (GO) no começo da noite de sexta-feira (29) e provocou a morte de quatro pessoas. O piloto do bimotor realizava manobras quando perdeu o controle do avião, afirma a Polícia Militar. As causas do acidente serão investigadas.

De acordo com a PM, o piloto José Maria Cajango tentou arremeter, mas caiu na cabeceira da pista. Além de Cajango, morreram Carlos Alberto Pires Gonçalves, Fabrício Tavares da Silva e e uma pessoa que não havia sido identificada. Duas pessoas sobreviveram à queda e foram levadas ao Hospital de Urgências de Anápolis.

O passageiro Luiz Henrique Neves da Silva foi transferido para o Hospital de Queimaduras de Anápolis e está em estado grave. Rogério Pereira Rosa já teve alta e retornou para a sua casa, em Goiânia. A perícia do acidente foi feita pela FAB (Força Aérea Brasileira), que investiga o caso.

Fontes: Midiamax / Folha Online

sábado, 29 de novembro de 2008

Avião cai e mata quatro pessoas em Anápolis (GO)

Policiais observam avião após queda

Quatro pessoas morreram carbonizadas após a explosão de um avião Beech Baron B58 no Aeroporto Municpial de Anápolis. Morreram Fabrício Tavares, Carlos Alberto Pires Gonçalves, Odair (pintor de aeronaves) e o piloto José Maria Cajanco. Entre as vítimas estavam o filho (Fabrício) e o cunhado (Carlos) do superintendente do Porto Seco de Anápolis, Edson Tavares. Gonçalves era um dos proprietários do avião. A tragédia teve dois sobreviventes, o sócio de Gonçalves, Luis Henrique das Neves, e Rogério Pereira Rosa. O piloto fazia vôo de despedida antes de levar a aeronave para Mato Grosso, após venda. O avião de médio porte, com capacidade para seis passageiros, explodiu por volta das 19 horas. Os sobreviventes estão internados em hospitais do município e não correm risco de morte.

Segundo informações de testemunhas, o superintendente do Porto Seco de Anápolis dirigia quando viu uma fumaça vinda do aeroporto. Tavares, que é piloto, teria ido ao lugar para conferir se havia acontecido algo com o cunhado. Ao chegar descobriu que o filho, Fabrício Tavares, também estava no avião.

Segundo o Corpo de Bombeiros do município, Cajanco teria perdido o controle da aeronave durante a decolagem, tendo ocorrido, em seguida, colisão com a pista que resultou na explosão. O local estava em chamas quando os bombeiros chegaram, informou o major Matheus. Os dois sobreviventes estavam longe do fogo quando os oficiais de salvamento debelaram o incêndio com uso de espuma química. A explicação sobre como ambos deixaram a aeronave antes da explosão não foi esclarecida na noite de ontem.

Pilotos e amigos dos passageiros, que estavam no local, afirmavam que Cajanco, durante o vôo, na tentativa de realizar uma manobra chamada tunô, na qual a aeronave mergulha em direção ao chão e sobe fazendo um giro, teria ido de encontro à pista. Sérgio Borges, amigo de um dos passageiros, afirma que essa acrobacia não poderia ser feita em um avião de médio porte como o Baron B58, fabricado para viagens executivas.

De acordo com o piloto Paulo Roberto Modesto, que estava no local do acidente, a manobra deveria ser feita com o avião sem passageiros, a cerca de 3 mil pés do chão. Mas testemunhas dizem que Cajanco realizou a acrobacia a aproximadamente 400 pés da pista, o que teria levado à explosão. A aeronave foi arrastada por quase 400 metros até parar fora da pista do aeroporto.
desespero

O sofrimento de Edson Tavares ao perder dois familiares era percebido pelos gritos e protestos contra a demora na perícia da Aeronáutica. A área foi isolada para que parentes, imprensa e curiosos ficassem longe do local onde os restos do avião estavam. Tavares dizia que queria abraçar o corpo do filho, que isso não podia lhe ser negado. “Não põe ele no rabecão do IML (Instituto Médico-Legal). Leva o corpo dele na ambulância”, pedia o pai. A assessoria de imprensa do Porto Seco e a família solicitaram que os repórteres não falassem com Tavares.

A assessoria do Porto Seco informou que os horários do velório e do sepultamento dos parentes de Tavares serão divulgados ainda na manhã de hoje. O major da Aeronáutica responsável pela investigação inicial do caso, Marcelo Grolla, diz que tem 90 dias para entregar o laudo do acidente. Prazo este que pode ser prorrogado. O passageiro Luis Henrique das Neves, sócio do cunhado de Tavares na empresa JH Manutenção de Aeronaves, está internado no centro cirúrgico do Hospital Evangélico de Anápolis com queimaduras de terceiro grau. Rogério Pereira Rosa, que sofreu fratura na coluna, foi levado para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana).

Fonte: Augusto Diniz (DM Online) - Foto: Weimer Carvalho (O Popular / Agência Estado)

País usará helicóptero russo na Amazônia, diz Saito

Acima, um Mil Mi-35M Hind da Força Aérea Russa

Os 12 helicópteros MI-35M, de ataque, que o Comando da Aeronáutica comprou em outubro, na Rússia, serão empregados “fundamentalmente na Amazônia”, de acordo com o brigadeiro Juniti Saito, comandante da aviação. A formalização da escolha foi anunciada no Rio, durante o encontro entre os presidentes Lula e Dimitri Medvedev. O valor do contrato é estimado em não menos de US$ 250 milhões - US$ 20,3 milhões cada unidade, considerados suprimentos, peças, componentes, documentação e treinamento.

No processo de seleção, iniciado há sete meses, foi considerado também o helicóptero italiano Agusta AW-129. Segundo um integrante ao Alto Comando, pesou na decisão do colegiado de oficiais o fato de a aeronave russa, em diversas versões, ter sido provada em 22 diferentes conflitos entre 1977 e 2008. Também foi fundamental a garantia de pronta entrega oferecida pela agência russa Rosoboronexport. O modelo selecionado é o arranjo mais avançado da série iniciada faz 36 anos, na extinta União Soviética. A aeronave é empregada por 34 países, entre os quais, na América Latina, Venezuela, Peru, Cuba e Nicarágua.

O cronograma de referência para as entregas prevê a chegada dos primeiros três MI-35M até agosto de 2009 e a dos últimos três em 2011. A especificação da FAB para o equipamento exige sistemas que permitam o combate noturno, redutor de ruído e de emissão de calor em ambas as turbinas. A tripulação - dois pilotos - ocupa cabines independentes cobertas por dois globos blindados. O compartimento traseiro pode acomodar até oito soldados equipados. Os cabides externos levam até 1.500 quilos de armas - mísseis, foguetes, bombas - ou 2,5 toneladas de cargas.

Fonte: jornal O Estado de S. Paulo - Foto: Andrei Nesvetaev (JetPhotos)

Aviões da FAB transportam Hospital de Campanha a Santa Catarina

Aviões Hércules da Força Aérea Brasileira farão neste sábado (29) o transporte até o aeroporto de Navegantes de partes da estrutura do Hospital de Campanha, que será instalado na BR-101, no trevo Itajaí-Ilhota, para atender a população dos municípios mais atingidos pelas chuvas do último fim de semana em Santa Catarina.

A primeira parte, transportada na sexta-feira (28), pesava cerca de dez toneladas. A equipe que trabalhará no local é composta por quase 40 profissionais de saúde, entre enfermeiros, auxiliares de enfermagem e médicos, segundo a Secretaria de Estado de Comunicação de Santa Catarina.

O Hospital de Campanha, disponibilizado através de uma parceria entre os Ministérios da Defesa e da Saúde, tem capacidade para atender até 400 pessoas por dia. A estrutura oferece posto de triagem e Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que permite a realização de consultas médicas e odontológicas, de cirurgias e de atendimentos emergenciais, ou, ainda, o encaminhamento para outras unidades hospitalares.

O expediente será das 8h às 16h enquanto houver necessidade de reforço hospitalar na região mais atingida pelas cheias.

O número de mortes em decorrência das chuvas no estado já chega a 105. Mais de 78 mil pessoas estão desalojadas ou desabrigadas e 19 estão desaparecidas.

Fonte: G1

EUA criticam ocupação de aeroportos na Tailândia

O Governo dos Estados Unidos expressou ontem sua preocupação com a situação na Tailândia e opinou hoje que a ocupação dos aeroportos de Bangcoc "não é uma forma apropriada de protestos".

"Os EUA se preocupam profundamente com ad ações da Aliança do Povo para a Democracia na ocupação dos aeroportos internacional e nacional de Bangcoc", afirmou um comunicado do Departamento de Estado americano.

Os manifestantes ameaçaram iniciar uma revolta popular se os corpos de segurança usarem a força por ordem do Governo da Tailândia, que está no norte do país e tenta negociar uma desocupação pacífica.

"Apesar de respeitarmos o direito à liberdade de expressão, a ocupação de um aeroporto não é um meio apropriado de protesto", acrescentou o Governo americano. "Pedimos à Aliança que abandone pacificamente os aeroportos", acrescentou.

Na Tailândia, um dos dirigentes da Aliança do Povo para a Democracia, Chamlong Srimuang, advertiu que os cidadãos se levantarão contra o Executivo e "ninguém poderá controlar as massas enfurecidas" caso haja uma ação de força por parte da Polícia ou dos soldados, ou os líderes dos protestos sejam detidos.

O comunicado do Governo dos EUA expressou a esperança de "que esta situação possa ser resolvida sem violência e de acordo com a lei".

Fonte: EFE

Exército irá ajudar em obras no Aeroporto de Guarulhos

A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) vai acionar o Exército para colaborar com as obras de ampliação e reforma do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, a partir de janeiro do ano que vem. Foi o que informou hoje o diretor de engenharia da estatal que administra 67 aeroportos no País, Mário Jorge Moreira. De acordo com o executivo, o Batalhão de Engenharia e Construção do Exército assumiria a pavimentação da ampliação do pátio de aeronaves, obra contratada com um consórcio capitaneado pela construtora Queiroz Galvão, mas que está paralisada desde maio.

Mesmo que o contrato seja repactuado, já é certo que o Exército fará obras complementares. "O Exército já há muito tempo trabalha com a Infraero. É corriqueiro. Nós sempre tivemos contratos com o Exército", afirmou Moreira, que participou hoje do 7º Simpósio de Transporte Aéreo (Sitaer), realizado num hotel em Copacabana, zona sul do Rio.

Segundo o diretor da Infraero, o contrato com o consórcio liderado pela Queiroz Galvão está suspenso por causa de divergências entre os valores aplicados no contrato e um levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Moreira estima que essas obras devem demorar pelo menos dois anos.

Fonte: Agência Estado

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Localizadas as caixas-pretas do Airbus acidentado no litoral francês

As três caixas-pretas do avião Airbus A320 da companhia Air New Zealand, acidentado na quinta-feira no litoral mediterrâneo francês com sete tripulantes a bordo quando realizava um vôo de testes, foram localizadas, informou hoje a Prefeitura de Perpignan (sudoeste da França).

Os mergulhadores da Marinha francesa responsáveis pelos trabalhos de busca conseguiram hoje realizar uma imersão, apesar das condições meteorológicas adversas, disseram as fontes.

"A prioridade é recuperar os corpos, fazer exame de DNA para identificar as vítimas e devolvê-las a suas famílias", disse o procurador adjunto de Perpignan, Dominique Alzeari.

Dois corpos foram resgatados ontem, enquanto outros cinco continuam desaparecidos.

Por razões ainda não determinadas, o avião caiu a cerca de oito quilômetros em frente ao litoral de Saint-Cyprien, perto de Perpignan, em meio a condições climatológicas ruins, com fortes chuvas e ventos.

Os radares franceses perderam seu sinal em torno das 13h45 de Brasília e, pouco depois, os destroços do aparelho foram avistados por um navio civil, que avisou os serviços de resgate.

O avião, um aparelho de duplo motor com capacidade para 150 passageiros, foi entregue à companhia neo-zelandesa em julho de 2005 e acumulava 7 mil horas de vôo, disse Airbus, filial do consórcio aeronáutico europeu EADS.

Fonte: EFE

Anac foi informada que querosene de bimotor era pouco para chegar ao Recife

Antes de os jornais locais entrarem em polêmica sobre se havia ou não combustível suficiente para chegar ao Recife, vendido no Recife ou fora dele, os coronéis da Anac no Recife, na segunda-feira, já tinham recebido a informação do Aeroporto de Teresina que o piloto colocou 1,5 mil libras de querosene.

Neste sentido, as investigações ainda não estão nem perto de conclusão, já há fortes indícios de que o piloto do bimotor que caiu em San Martim pode não ter feito o cálculo correto para a colocação de combustível, gerando a tal pane seca. O problema é que o aviador não está mais vivo para ajudar a esclarecer a situação.

“O piloto arriscou-se muito. Não dava para chegar”, informa fonte do Blog de Jamildo, na área de aviação.

O consumo de uma aeronave deste modelo seria de cerca de 690 libras por hora, em um vôo que duraria cerca de duas horas. Com vento de frente, de Terezina para cá, o consumo seria maior.

A aeronave poderia pegar até 4 mil libras de querosene, que lhe dariam uma autonomia de cinco horas e meia. Convertido em litros, isto seria mais ou menos 2,4 mil litros.

Caso o aeroporto estivesse fechado, por exemplo, não haveria alternativa de pouso na Paraíba.

De acordo com as informações oficiais do JC desta semana, integrantes do Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Recife) estão em Teresina, no Piauí, de onde o vôo partiu, para saber se o avião decolou com quantidade correta de combustível.

E qual a razão para não comunicar a eventual pane seca?

“Quando o avião passa das 400 libras avisa que entrou em emergência, o piloto tem alguns minutos, de 10 a 15, para comunicar a emergência á torre de controle. Só que se isto ocorre o piloto pode ser processado”

Veja a reprodução do documento de um painel de controle do Air king:




Fonte: Blog de Jamildo (JC Online)

Governo do Estado sinaliza com obras no aeroporto de Santa Cruz do Sul (RS)

Em uma audiência com deputados, prefeitos e representantes das indústrias de tabaco, o governo do Estado sinalizou ontem que poderá assumir, já no ano que vem, o balizamento da pista do Aeroporto Luiz Beck da Silva (foto), de Santa Cruz do Sul.

Orçado extra-oficialmente em cerca de R$ 500 mil, o investimento é essencial para que aviões de pequeno e médio porte possam realizar pousos e decolagens à noite na cidade. O balizamento é uma reivindicação antiga, mas que ganhou urgência com o uso da pista por pilotos e dirigentes de equipes que vêm do centro do País para competir no Autódromo Internacional de Santa Cruz. A idéia é melhorar a infra-estrutura do aeroporto para torná-lo regional.

A reivindicação foi apresentada ao secretário de Infra-estrutura e Logística, Daniel Andrade, pelos deputados estaduais Edson Brum (PMDB), Heitor Schuch (PSB) e Kelly Moraes (PTB); pelos prefeitos de Santa Cruz, Helena Hermany (PP), e de Passo do Sobrado, Elto Dettenborn (PDT) – presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) – e por dirigentes do Sindicato da Indústria do Fumo (SindiTabaco). No encontro, o secretário determinou a realização imediata de um estudo para avaliar o que precisa ser feito para garantir o balizamento.

Fonte: Gazeta do Sul - Foto: rededivulgacao.com.br

Lufthansa abre empresa aérea na Itália

Nova empresa deve iniciar atividades em fevereiro de 2009; até o fim do mês março já serão oito destinos operados

Seis Airbus A319 farão as primeiras rotas da Lufthansa Itália

A Lufthansa vai inaugurar em janeiro uma nova empresa aérea em território italiano. A apresentação oficial da nova marca “Lufthansa Itália” será feita hoje, 27 de novembro.

De acordo com a companhia, a nova empresa oferecerá rotas diretas entre o norte da Itália e cidades da Europa. “Com a Lufthansa Itália nós nos firmaremos em um mercado importante e com forte demanda, que também promete grandes oportunidades de crescimento no futuro”, afirmou Wolfgang Mayrhuber, presidente da Deutsche Lufthansa AG.

Inicialmente, seis Airbus A319 com capacidade para transportar 138 passageiros em duas classes (“Business” e “Economy”) voarão nas primeiras rotas. Confirmados, a nova empresa já tem dois destinos: Barcelona e Paris (Charles de Gaulle), que começam a ser operados a partir de 2 de fevereiro do próximo ano.

Em março, a Lufthansa Itália coloca em prática as freqüências para Bruxelas, Budapeste, Bucareste e Madri e, depois, no fim desse mesmo mês, inicia as operações de Londres e Lisboa.

Fonte: Fernando Fischer (Avião Revue) - Imagem: Divulgação

Crise faz China suspender compra de novos aviões comerciais

O Governo chinês ordenou as companhias aéreas do país a suspender a compra de aviões comerciais durante a crise econômica mundial, informa hoje o jornal "Shanghai Daily".

As companhias aéreas ainda poderão comprar os aviões cuja aquisição foi aprovada antes da decisão, e assinar algumas novas encomendas no próximo mês, assinalou o chefe da divisão de políticas e pesquisa da Administração de Aviação Civil da China, Liu Shaocheng.

Liu não anunciou quando a proibição será aplicada, mas a explicou assegurando que a recessão mundial fará com que o transporte aéreo na China caia nos próximos três anos.

A maioria dos aviões de médio porte das frotas chinesas foi comprada da Embraer e da canadense Bombardier, enquanto os de grandes porte foram adquiridos da Airbus e da Boeing, cujas vendas também serão afetadas pela paralisação de encomendas.

Fonte: EFE

Ônibus espacial Endeavour inicia manobras de retorno à Terra

Espaçonave conclui trabalhos na Estação Espacial Internacional.

Retorno à Flórida está marcado para este domingo (30).

Ônibus espacial Endeavour deixa a Estação Espacial Internacional

O ônibus espacial Endeavour se desacoplou nesta sexta-feira (28) da Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) e iniciou seu retorno à Terra, após uma missão durante a qual foram instalados equipamentos que ampliam a capacidade de alojamento da plataforma orbital.

A Nasa (agência espacial americana) afirmou que o Endeavour e a ISS, que orbitam a 28.000 km/h, se separaram às 12h47 de Brasília, quando a nave completava a órbita 215 de sua viagem, que incluiu quatro caminhadas de trabalho dos astronautas no espaço exterior.

O piloto do Endeavour, Eric Boe, um coronel da Força Aérea, iniciou a manobra de 360 graus que permite que os tripulantes da ISS observem e obtenham imagens de toda a nave, para detectar possíveis rupturas na cobertura térmica.

O Endeavour tinha chegado à ISS em 16 de novembro, levando os equipamentos que permitirão que a plataforma orbital, um projeto de US$ 100 bilhões com a participação de 16 nações, duplique sua capacidade de alojamento.

Entre esses equipamentos, estão dois novos dormitórios, um avançado aparato para exercício físico e um novo sistema de purificação de líquidos que permitirá recuperar e potabilizar a água contida na urina e no suor.

Durante seus trabalhos no espaço exterior, os astronautas limparam, lubrificaram e instalaram novos rolamentos na junta rotatória do conjunto de painéis de energia solar a boreste da ISS.

Além disso, o Endeavour levou à ISS à engenheira de vôo Sandra Magnus, que substituiu Greg Chamitoff na tripulação da plataforma, que orbita a cerca de 385 quilômetros da Terra.

A Nasa indicou que o Endeavour completará a manobra de inspeção aproximadamente às 15h15 de Brasília e começará então sua volta à Terra.

A aterrissagem do Endeavour está programada para o próximo domingo, às 16h19 de Brasília, no Centro Espacial Kennedy (sul da Flórida).

Fonte: EFE - Foto: Nasa

Astronauta inventa xícara para usar em gravidade zero

Objeto é feito com plástico transparente.

"Não precisamos mais tomar nossas bebidas com canudo", diz.


O astronauta do ônibus Endeavour Don Pettit, que não esconde seu interesse por pequenas coisas aparentemente inúteis e foi engenheiro de vôo da estação em 2003, inventou uma xícara para gravidade zero, que retém o líquido junto às paredes feitas de plástico dobrado. A invenção dispensa o uso de canudo.

Astronautas brindam "ao simples fato de estarmos no espaço e podermos".

Num copo comum, os líquidos levados à gravidade zero formam bolhas esféricas e flutuantes, por isso tudo é consumido em embalagens lacradas. Mas Pettit não gostava de tomar café de canudinho.

Usou o plástico transparente empregado em protetores de cabeça para criar a nova xícara. Dobrou a folha de plástico no formato da asa de um avião e prendeu com fita adesiva.

"O ângulo agudo do corte transversão, como asa de avião, faz com que o café suba", explicou Pettit num vídeo transmitido ao Centro de Controle da Missão da Nasa, em Houston.

"Agora podemos tomar a maior parte dos líquidos nessas xícaras. Não precisamos mais sugar por um canudo em uma bolsa", disse Pettit.

A xícara é feita com plástico e possui ângulo como da asa de um avião.

Na quinta-feira (27), o astronauta montou mais uma xícara para o seu colega Stephen Bowen e propôs um brinde ao Dia de Ação de Graças, à exploração espacial e "ao simples fato de estarmos no espaço e podermos".

Por ocasião do Dia de Ação de Graças, os astronautas do ônibus e da Estação devem fazer uma ceia com peru desidratado, antes de fechar as escotilhas que unem as duas naves até a partida, na sexta-feira (28).

O Endeavour deve pousar no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, no domingo (30), depois de 16 dias no espaço.

Fontes: G1 / Reuters - Fotos: Reuters / Nasa TV

Azul amplia plano de vôos a partir de Campinas

Aeroporto da cidade paulista será base de operações da empresa.

Início das operações está marcado para o dia 15 de dezembro.


Com o início de suas operações regulares programado para meados de dezembro, a Azul já pediu duas novas rotas à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas planeja chegar ao paulistano Congonhas, o aeroporto mais concorrido do país, somente em 2010 ou 2011, de acordo com o dono da companhia, David Neeleman.

Além dos anunciados vôos diários para Porto Alegre e Salvador, sempre partindo de Campinas (SP), a empresa solicitou autorização para estrear quatro freqüências diárias de Campinas a Vitória e de Campinas a Curitiba. Nessa última rota, as concorrentes TAM e Gol também oferecem vôos diretos - cada uma tem dois por dia.

Contudo, nas outras ligações solicitadas pela Azul, as duas empresas líderes de mercado praticamente só oferecem vôos com conexão em aeroportos como Confins, em Belo Horizonte, e Galeão, no Rio.

Concessão

A Azul assinou na quarta-feira (26), com a Anac, o contrato de concessão que a transforma em operadora de transporte aéreo e ganhou o direito de pedir oficialmente o estabelecimento de rotas e vôos. Embora planeje iniciar vendas de bilhetes na primeira semana de dezembro, a empresa ainda precisa aguardar a aprovação dos pedidos de vôo pela Anac, o que pode demorar até 30 dias.

Neeleman justificou a escolha do aeroporto de Viracopos como base operacional para o começo da Azul. "É uma região com 5 milhões de habitantes e sem nenhum vôo direto para essas cidades", afirmou o empresário.

Por enquanto, a aérea colocará à disposição de seus passageiros ônibus conectando o Shopping Villa-Lobos (zona oeste da capital) a Viracopos. "Faço a rota São Paulo-Nova York todas as semanas e gasto duas horas para chegar a Guarulhos, pois pego toda a Marginal Tietê. Saindo de Alphaville (onde fica a sede da Azul), chego a Campinas em até 45 minutos."

Congonhas

Com as novas regras divulgadas pela agência reguladora para a distribuição de slots (horários para pousos e decolagens), a empresa considera muito difícil iniciar vôos em Congonhas em 2009. Para candidatar-se à redistribuição de slots, uma companhia deverá ter pelo menos seis meses de operação. Como a primeira seleção da Anac deve ocorrer no primeiro trimestre, não haveria tempo hábil para a habilitação da Azul.

Por isso, a diretoria da empresa trabalha com a perspectiva de operar em Congonhas apenas em 2010 ou 2011, começando com sete a dez vôos, provavelmente na ponte aérea Rio-São Paulo. A definição de outras rotas da companhia depende muito da liberação ou não do aeroporto Santos Dumont, no Rio, para vôos que não sejam regionais ou da ponte.

Mais vôos ao Rio

A diretora-presidente da Anac, Solange Vieira, disse ontem que o órgão regulador decidirá em fevereiro sobre a ampliação do uso do aeroporto Santos Dumont. A consulta pública sobre o assunto foi aberta no dia 19 de novembro, com prazo de 30 dias para manifestações.

Solange disse que levará em conta as recentes manifestações do governador do Rio, Sérgio Cabral, opositor da medida. Cabral tem argumentado que aumentar o número de slots no Santos Dumont pode enfraquecer o papel do Galeão como "hub" (centro de conexões de vôos) e diminuir o valor do aeroporto na sua concessão para a iniciativa privada, prevista para 2009.

Estréia

A estréia da Azul está prevista para 15 de dezembro, com cinco aviões. Foram encomendados 40 jatos E195, com opção de mais 36, à Embraer. Inicialmente, a expectativa era operar exclusivamente com essas aeronaves, cuja capacidade é de 118 passageiros.

A companhia aérea, porém, alterou o pedido e incluiu também jatos do modelo E190, ligeiramente menores, com 106 assentos. O objetivo é ter aeronaves mais adequadas para operação em pistas curtas e, ao mesmo tempo, capazes de voar cheias e para longas distâncias.

A Azul visa a operação no Santos Dumont, que tem uma das pistas mais reduzidas do mundo, e em outros aeroportos mais limitados. "Há várias pistas curtas no país em que o E190 opera melhor com plena capacidade", explica Adalberto Febeliano, diretor de relações institucionais da Azul e ex-vice-presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag).

O primeiro jato novo deve ser entregue pela Embraer em dezembro, mas a Azul já tem dois E190 que arrendou da JetBlue, aérea americana também fundada por Neeleman. A empresa brasileira espera ter dez aviões ao fim do primeiro trimestre de 2009 e 16 até o fim do ano.

Fonte: Valor OnLine

Índia põe aeroportos em alerta máximo

As autoridades indianas puseram hoje em alerta máximo os aeroportos de grande porte do país, após os atentados que afetaram a cidade de Mumbai, segundo uma fonte oficial afirmou à agência indiana "PTI".

Segundo a fonte, na maior parte dos aeroportos há pessoal adicional para vigiar tanto os terminais como a área de segurança das instalações.

Os aeroportos receberam agentes à paisana e cães treinados, enquanto há agentes de segurança embarcados em diferentes vôos considerados de atenção especial.

As companhias aéreas, tanto nacionais como internacionais, receberam instruções para informar aos passageiros que cheguem com uma hora de antecedência ao check-in, para que suas bagagens possam ser revistadas.

As companhias aéreas indianas mantiveram seu calendário normal de pousos e decolagens em Mumbai, enquanto algumas companhias estrangeiras cancelaram seus vôos com destino à capital financeira da Índia.

Em Mumbai, duas operações ainda seguem em andamento para tentar abater os últimos terroristas que ficaram no hotel Taj Mahal e no centro judaico de oração Chavad.

Fonte: EFE

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Acidente com Airbus deixa 1 morto e 6 desaparecidos na França

Airbus A320 fazia um vôo de treinamento na região.

Segundo autoridades locais, há registro de pelo menos uma morte.


Uma pessoa foi encontrada morta e seis estão desaparecidas após um acidente com um Airbus A320 perto da costa sudoeste da França nesta quinta-feira, disseram autoridades regionais.

"Sete pessoas estão envolvidas. Recuperamos um corpo", afirmou um porta-voz da localidade de Pyrenees-Orientales.

Ele acrescentou que o avião era da Air New Zealand.

O Airbus A320 fazia um vôo de treino, informaram autoridades regionais mais cedo.
"O avião se acidentou por volta das 17h (14h no horário de Brasília) na região costeira perto de Perpignan. Era um A320", declarou um porta-voz do serviço marítimo na região.

O A320 é um dos modelos da Airbus de corredor único mais vendidos.

Representantes do DGAC, a autoridade de aviação civil da França, estavam checando as informações do acidente.

Não foram informados mais detalhes, e a Airbus, unidade do grupo europeu EADS, não comentou imediatamente.


Fonte: Jean-Francois Rosnoblet (Reuters)

Artesãos do Ceará fazem réplicas de aviões



Dois artesãos do Ceará ganham a vida fazendo réplicas de aviões, um em Potengi, outro em Juazeiro do Norte. Cícero expõe as miniaturas no Centro Artesanal Mestre Noza.

Fonte: Globonews

Tailândia baixa estado de exceção para liberar aeroportos de Bangcoc

O Governo da Tailândia recorreu hoje ao estado de exceção para liberar os dois principais aeroportos da capital Bangcoc dos milhares de manifestantes que ocupam suas instalações e pedem a renúncia do Executivo.

A decisão foi adotada durante uma reunião de urgência do Gabinete realizada na cidade de Chiang Mai, cerca de 600 quilômetros ao norte de Bangcoc, em meio a intensos rumores de um golpe de Estado, confirmou o ministro da Saúde tailandês, Chalerm Yoobamrung.

A medida governamental não inclui os tailandeses que acampam nos jardins da sede do Governo da Tailândia desde 26 de agosto e que obrigaram o Executivo a buscar escritórios temporários.

Em declarações à imprensa, o primeiro-ministro, Somchai Wongsawat, afirmou que soldados da Força Aérea e da Marinha participarão da operação de despejo que será responsabilidade da Polícia, deixando de fora o Exército, cujo chefe, o general Anupong Paochinda, é contrário ao estado de exceção.

A medida anula algumas liberdades civis, incluída a de assembléia, e dá poderes às Forças Armadas para garantir o cumprimento da lei.

"O estado de exceção regerá temporariamente", afirmou o governante.

Wongsawat acusou os manifestantes de manter o país e o povo tailandês seqüestrados.

Logo após o comunicado da decisão, os diretores da Aliança do Povo para a Democracia, que lidera os protestos, pediram a seus seguidores que mantivessem a calma, continuassem com o protesto e não deixassem se intimidar pelas forças de segurança.

"Se querem nos desalojar, que tentem. A Aliança protegerá todas as suas localizações porque estamos exercendo nosso direito de protestar de forma pacífica sem causar dano à propriedade estatal nem provocar distúrbios", disse Suriyasai Katasila, um dos líderes do grupo opositor.

O ministro da Saúde explicou que a Polícia tentará primeiro dialogar com os líderes opositores para que abandonem de forma pacífica os aeroportos.

"Eu gostaria que o diálogo triunfasse, mas se a negociação fracassar, melhor que cruzemos os dedos", Chalerm Yoobamrung em uma teleconferência, e acrescentou que tem 30 equipes médicas de urgência preparadas para intervir se for necessário.

O Executivo determinou que a Polícia fosse a responsável por despejar os milhares de manifestantes que controlam os aeroportos de Suvarnabhumi, o principal do país, e de Don Muang, ambos na capital.

O Departamento da Polícia Metropolitana ficará a cargo da situação em Don Muang, cerca de 30 quilômetros ao norte da capital, enquanto a Polícia Provincial se ocupará de Suvarnabhumi, onde milhares de pessoas, muitas delas turistas, estão presas sem poder viajar.

O primeiro-ministro tailandês decidiu confiar a missão ao corpo policial diante da reiterada recusa do chefe do Exército tailandês, general Anupong Paochinda, que na véspera pediu ao Governo para dissolver o Parlamento e convocar as eleições, em utilizar a força contra os opositores.

Pouco antes, o Governo já tinha recomendado ao Exército que permanecesse nos quartéis, em resposta aos intensos rumores sobre um iminente golpe de Estado, opção que Paochinda rejeitou.

O próprio porta-voz do Exército tailandês, Sansern Kaewkamnerd, negou hoje que as Forças Armadas estejam preparando um golpe de Estado, e explicou que o movimento de tanques visto em Bangcoc fazia parte de uma mudança aprovada anteriormente e vinculada a atividades didáticas com cadetes.

Além disso, ele afirmou que os veículos blindados já voltaram à sua base.

O Governo, então dirigido pelo primeiro-ministro Samak Sundaravej, já tentou acabar com os protestos da Aliança do Povo para a Democracia declarando o estado de exceção em Bangcoc em 2 de setembro, mas não obteve sucesso.

Sundaravej perdeu seu mandato em 9 de setembro sem ter recuperado seu cargo oficial, e Wongsawat, que o substituiu, suspendeu a medida poucos dias depois.

A Aliança do Povo para a Democracia, apoiada pela elite conservadora e por setores do Exército, prometeu continuar seus protestos enquanto houver membros do Partido do Poder do Povo (PPP) no Governo.

O grupo opositor considera o PPP, que ganhou as eleições legislativas de 2007, a reencarnação da formação com a qual o primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra governou de 2001 a 2006.

A Aliança do Povo para a Democracia surgiu para derrubar Shinawatra e desapareceu quando os militares lhe retiraram o poder em 2006, mas retornou após a vitória eleitoral do PPP.

Fonte: EFE

Manifestantes param mais um aeroporto na Tailândia

Capital Bangcoc tem tráfego aéreo interrompido; crise política se agrava

As autoridades tailandesas fecharam um segundo aeroporto na capital, Bangcoc, nesta quinta-feira, depois que ele foi invadido por manifestantes que exigem a renúncia do primeiro-ministro do país, Somchai Wongsawat.

Os manifestantes haviam bloqueado o terminal de Don Mueang, em uma aparente tentativa de impedir que ministros embarcassem rumo a Chiang Mai, no norte da Tailândia, para se encontrarem com Somchai.

O avião do primeiro-ministro não conseguiu aterrissar na capital depois de uma visita oficial de Somchai ao Peru, porque um protesto levou à suspensão do tráfego aéreo no aeroporto internacional de Bangcoc - o principal da cidade - na quarta-feira.

A Aliança Popular pela Democracia, da oposição, já ignorou uma ordem judicial para liberação do aeroporto internacional. Os manifestantes dizem que só vão se sair do local se Somchai deixar o cargo incondicionalmente.

O primeiro-ministro diz que ainda tem um mandato a cumprir e se recusa a renunciar.

O impasse político na Tailândia não poderia ocorrer em um momento tão crítico - o auge da temporada turística, diz o correspondente da BBC em Bangcoc, Quentin Sommerville.

Centenas de vôos foram cancelados e dezenas de milhares de turistas continuam presos na cidade.

A indústria do turismo é uma grande fonte de renda para o país. Em 2005, a Tailândia recebeu 15 milhões de visitantes estrangeiros.

A Tailândia vive um impasse político desde que o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra foi afastado do poder em um golpe militar, em 2006.

Eleições realizadas em 2007 levaram um partido formado por aliados de Thaksin ao poder, o que fez com que os protestos voltassem.

Nos últimos meses, a Aliança Popular pela Democracia passou a promover manifestações pelo país pedindo a renúncia de Somchai.

O movimento exige mais lealdade ao rei Bhumibol Adulyadej e tenta impedir a volta de Shinawatra, que é cunhado do atual primeiro-ministro.

Fonte: BBC

Tailândia baixa estado de exceção para liberar aeroportos de Bangcoc

O Governo da Tailândia recorreu hoje ao estado de exceção para liberar os dois principais aeroportos da capital Bangcoc dos milhares de manifestantes que ocupam suas instalações e pedem a renúncia do Executivo.

A decisão foi adotada durante uma reunião de urgência do Gabinete realizada na cidade de Chiang Mai, cerca de 600 quilômetros ao norte de Bangcoc, em meio a intensos rumores de um golpe de Estado, confirmou o ministro da Saúde tailandês, Chalerm Yoobamrung.

A medida governamental não inclui os tailandeses que acampam nos jardins da sede do Governo da Tailândia desde 26 de agosto e que obrigaram o Executivo a buscar escritórios temporários.

Em declarações à imprensa, o primeiro-ministro, Somchai Wongsawat, afirmou que soldados da Força Aérea e da Marinha participarão da operação de despejo que será responsabilidade da Polícia, deixando de fora o Exército, cujo chefe, o general Anupong Paochinda, é contrário ao estado de exceção.

A medida anula algumas liberdades civis, incluída a de assembléia, e dá poderes às Forças Armadas para garantir o cumprimento da lei.

"O estado de exceção regerá temporariamente", afirmou o governante.

Wongsawat acusou os manifestantes de manter o país e o povo tailandês seqüestrados.

Logo após o comunicado da decisão, os diretores da Aliança do Povo para a Democracia, que lidera os protestos, pediram a seus seguidores que mantivessem a calma, continuassem com o protesto e não deixassem se intimidar pelas forças de segurança.

"Se querem nos desalojar, que tentem. A Aliança protegerá todas as suas localizações porque estamos exercendo nosso direito de protestar de forma pacífica sem causar dano à propriedade estatal nem provocar distúrbios", disse Suriyasai Katasila, um dos líderes do grupo opositor.

O ministro da Saúde explicou que a Polícia tentará primeiro dialogar com os líderes opositores para que abandonem de forma pacífica os aeroportos.

"Eu gostaria que o diálogo triunfasse, mas se a negociação fracassar, melhor que cruzemos os dedos", Chalerm Yoobamrung em uma teleconferência, e acrescentou que tem 30 equipes médicas de urgência preparadas para intervir se for necessário.

O Executivo determinou que a Polícia fosse a responsável por despejar os milhares de manifestantes que controlam os aeroportos de Suvarnabhumi, o principal do país, e de Don Muang, ambos na capital.

O Departamento da Polícia Metropolitana ficará a cargo da situação em Don Muang, cerca de 30 quilômetros ao norte da capital, enquanto a Polícia Provincial se ocupará de Suvarnabhumi, onde milhares de pessoas, muitas delas turistas, estão presas sem poder viajar.

O primeiro-ministro tailandês decidiu confiar a missão ao corpo policial diante da reiterada recusa do chefe do Exército tailandês, general Anupong Paochinda, que na véspera pediu ao Governo para dissolver o Parlamento e convocar as eleições, em utilizar a força contra os opositores.

Pouco antes, o Governo já tinha recomendado ao Exército que permanecesse nos quartéis, em resposta aos intensos rumores sobre um iminente golpe de Estado, opção que Paochinda rejeitou.

O próprio porta-voz do Exército tailandês, Sansern Kaewkamnerd, negou hoje que as Forças Armadas estejam preparando um golpe de Estado, e explicou que o movimento de tanques visto em Bangcoc fazia parte de uma mudança aprovada anteriormente e vinculada a atividades didáticas com cadetes.

Além disso, ele afirmou que os veículos blindados já voltaram à sua base.

O Governo, então dirigido pelo primeiro-ministro Samak Sundaravej, já tentou acabar com os protestos da Aliança do Povo para a Democracia declarando o estado de exceção em Bangcoc em 2 de setembro, mas não obteve sucesso.

Sundaravej perdeu seu mandato em 9 de setembro sem ter recuperado seu cargo oficial, e Wongsawat, que o substituiu, suspendeu a medida poucos dias depois.

A Aliança do Povo para a Democracia, apoiada pela elite conservadora e por setores do Exército, prometeu continuar seus protestos enquanto houver membros do Partido do Poder do Povo (PPP) no Governo.

O grupo opositor considera o PPP, que ganhou as eleições legislativas de 2007, a reencarnação da formação com a qual o primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra governou de 2001 a 2006.

A Aliança do Povo para a Democracia surgiu para derrubar Shinawatra e desapareceu quando os militares lhe retiraram o poder em 2006, mas retornou após a vitória eleitoral do PPP.

Fonte: EFE

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Brasil compra helicópteros militares russos e quer ampliar colaboração

Negócio foi anunciado em encontro de Lula com o presidente russo no Rio.


O governo brasileiro confirmou nesta quarta-feira a compra de 12 helicópteros de combate russos para Força Aérea Brasileira e afirmou querer aprofundar a colaboração tecnológica entre os dois países.

O anúncio da compra, cujo valor do negócio não foi divulgado, foi feito logo após reunião bilateral entre o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Rio de Janeiro.

Além do contrato para compra dos helicópteros, os dois países também assinaram outros quatro atos. Um deles amplia o acordo de cooperação na área espacial, assinado por Brasil e Rússia em 2006.

A venda dos helicópteros é um antigo objetivo dos russos, que "aguardavam por esse acordo há 15 anos", segundo um integrante da delegação que acompanhou Medvedev.

Plano de Defesa

Os russos disputam com franceses e americanos um espaço na indústria de defesa brasileira. De acordo com o Itamaraty, há grande expectativa em torno do novo Plano de Defesa, que prevê a modernização de parte das aeronaves nacionais.

Na licitação da Força Aérea para compra de novos caças, os russos foram desclassificados recentemente - continuam na disputa Estados Unidos, França e Suécia.

Os dois países se comprometeram a desenvolver estudos para maior utilização, no Brasil, do sistema de global de navegação por satélite russo, o Glonass.

O objetivo, segundo uma fonte do Itamaraty, é criar uma alternativa viável ao Global Positioning System (GPS), de tecnologia americana e bastante utilizado no Brasil.

No documento conjunto, há ainda menções a parcerias genéricas nas áreas técnico-militar e de apoio logístico e à aquisição de produtos de defesa.

Os dois líderes também assinaram um acordo que coloca fim à exigência de visto para os cidadãos que permanecerem em cada país por até 90 dias.

Carnes e satélites

Assunto de principal interesse do empresariado brasileiro, a exportação de carnes para a Rússia não foi citada no documento conjunto.

O Brasil é o maior fornecedor de carnes para o mercado russo, mas as vendas vêm caindo nos últimos anos em função de medidas protecionistas. Os russos estabelecem "cotas" que limitam a entrada do produto, de acordo com cada fornecedor.

Na última revisão das cotas, o Brasil ficou na categoria "outros" - o que, de acordo com empresários nacionais, acabou favorecendo produtores europeus e americanos.

Em seu discurso, Lula disse que os dois países têm potencial para diversificar o comércio bilateral. "Não podemos ficar apenas nas commodities", disse Lula.

"Falei com ele (Medvedev) sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A Rússia poderia fornecer equipamentos para novas usinas hidrelétricas no Brasil", comentou o presidente brasileiro.

Lula falou ainda sobre a importância do acordo bilateral no setor aerospacial, manifestando "pleno apoio aos trabalhos de modernização do Veículo Lançador de Satélites brasileiro (VLS)".

Em 2003, um teste para o lançamento do primeiro foguete brasileiro causou a morte de 21 técnicos brasileiros. Desde então, especialistas russos trabalham em parceria com o Brasil na revisão do sistema.

Segundo um integrante da comitiva russa, o programa sofre com dois problemas: a influência dos Estados Unidos - que seriam contrários ao programa brasileiro - e a falta de verbas.

A estimativa, de acordo com a fonte russa, é de que sejam necessários US$ 12 milhões para um novo teste de lançamento.

Bric

Durante o encontro, os dois presidentes confirmaram a intenção de realizar, no próximo ano, a primeira cúpula do Bric, grupo que reúne Brasil, Rússia, China e Índia.

O encontro, segundo Lula, será realizado em Moscou, com data ainda a ser definida.

"Temos grande expectativa sobre a Cúpula, a primeira da história", disse o presidente.

Logo após a reunião bilateral, no Palácio do Itamaraty, o presidente Lula disse que a crise financeira atual "é uma oportunidade para os países em desenvolvimento".

Ainda de acordo com Lula, "Rússia e Brasil estão presentes nos debates mais importantes da agenda internacional" e que ambos defendem um mundo "multipolar e mais justo".

Fonte: BBC

Passageiros obesos têm direito a dois assentos, decide Justiça canadense

A maior companhia aérea do Canadá está tentando definir quais passageiros obesos ou com deficiência terão direito a assentos adicionais sem cobrança extra, após decisão da Suprema Corte do país contra um recurso da empresa.

Foto: Air Canada terá de ceder assento extra para passageiros com obesidade e deficiência

A Agência de Transportes do Canadá expediu uma ordem em janeiro deste ano para que a Air Canada e outras companhias nacionais disponibilizassem gratuitamente assentos extras para viajantes que necessitassem deles.

A empresa entrou na Justiça, que por duas vezes rejeitou a apelação - em maio, pelo Tribunal Federal, e na semana passada, pela Suprema Corte.

Peter Fitzpatrick, porta-voz da companhia, afirmou anteontem que a Air Canada está definindo as regras para os assentos extras.

A decisão da última quinta-feira (20) valerá a partir de 9 de janeiro de 2009, para vôos domésticos no Canadá.

Fonte: Folha Online - Foto: Larry MacDougal (AP)

Presidente afegão diz que gostaria de derrubar aviões dos EUA

O presidente afegão, Hamid Karzai (foto), disse nesta quarta-feira que derrubaria os aviões dos Estados Unidos que estão bombardeando vilas se pudesse, em um sinal da crescente tensão entre o Afeganistão e seus aliados ocidentais no momento em que a insurgência Taliban se fortalece na região.

A insatisfação do Ocidente com Karzai cresce por seu fracasso no combate à corrupção e no governo efetivamente, e o presidente afegão, que enfrenta eleições no ano que vem, rebate denunciando as mortes de dezenas de civis em ataques aéreos de forças estrangeiras.

Nas últimas semanas, Kazai culpou repetidamente o Ocidente pela piora na segurança do Afeganistão, dizendo que a Otan falhou em destruir os santuários do Taliban e da Al Qaeda no Paquistão, e pedindo para que a guerra saia das vilas afegãs.

"Não temos outra escolha, não temos o poder para parar os aviões, se pudéssemos, eu faria isso ... Iríamos pará-los e colocá-los no chão", disse Karzai em entrevista coletiva.

Ele disse que se tivesse uma funda, algo como uma corda para arremessar uma pedra que esteja presa em uma de suas extremidades, conhecida no país como chelak e utilizada para derrubar pipas, ele a usaria.

"Se tivéssemos um chelak, arremessaríamos uma pedra para parar a aeronave norte-americana. Não temos radares para contê-los no céu. Não temos aviões", disse. "Queria poder interceptar os aviões que estão bombardeando vilas, mas isso não está em minhas mãos."

O Afeganistão sofreu neste ano com os maiores índices de violência desde o início da invasão comandada pelos EUA, que depôs o governo Taliban em 2001, matando pelo menos 4.000 pessoas, pelo menos um terço delas de civis.

Apesar da presença de 65 mil soldados estrangeiros que servem de suporte para os 130 mil soldados afegãos, os insurgentes do Taliban crescem com confiança em suas terras natais tradicionais, no sul e leste do país, já estendendo sua influência para as regiões próximas da capital Cabul.

Fonte: Sayed Salahuddin (Reuters)

Bolsa perdida por astronauta pode ser vista da Terra

Objeto já é rastreado por agências como "lixo espacial".

Bolsa só poderia ser vista com a ajuda de telescópio.



A bolsa de ferramentas que a astronauta Heidemarie Stefanyshyn-Piper perdeu na semana passada durante uma caminhada espacial vaga pelo espaço e pode ser vista com relativa facilidade da Terra.

A bolsa, que já forma parte do chamado "lixo espacial", escapou das mãos da astronauta quando ela tentava limpar a gordura que soltava uma das engrenagens de uma antena solar da nave, informa o jornal italiano "Corriere della Sera" em seu site.

O curioso incidente foi transmitido ao vivo pela televisão da agência espacial americana, Nasa.

Quem preferir ver a bolsa por seus próprios meios, porém, pode pegar um telescópio de pequena potência e mirá-lo para o céu de noite.

Sempre que o céu estiver claro, poderá contemplar este novo componente do lixo espacial por cerca de dois minutos.

O lugar e o momento oportuno para onde virar o telescópio são descritos pelo site www.spaceweather.com.

O "Corriere della Sera" noticia hoje o caso porque a Bolsa de ferramentas, orçada em aproximadamente US$ 100 mil (quase 78 mil euros), sobrevoará o céu de Milão exatamente às 19h15 locais (16h15 pelo horário de Brasília) com as coordenadas oeste-sul-oeste.

A bolsa de ferramentas da astronauta, que alguns sites da Internet já chamam de Heidemarie "Toolbag" (Bolsa de ferramentas, em inglês) Piper, virou um fenômeno entre os internautas.

O canadense Kevin Fetter, por exemplo, publicou um vídeo com a bolsa filmada de seu jardim.

Não é a primeira vez que um astronauta perde um objeto na imensidão do espaço, pois os integrantes da missão Gemini 4 deixaram já escapar uma luva, elemento que se soma aos inumeráveis resíduos, entre eles destroços de satélites, no lixo espacial.

Fonte: EFE - Vídeo: BBC 5 live

Virgin pede à CE que rejeite aliança de BA, Iberia e AA

A companhia aérea britânica Virgin Atlantic pediu hoje à Comissão Européia (CE) que rejeite o projeto de aliança entre a também britânica British Airways (BA), a americana American Airlines (AA) e a espanhola Iberia.

Em um documento remitido à CE, Virgin, especializada em vôos transatlânticos, advertiu que a aliança causaria um aumento dos bilhetes por parte de BA e AA e a modificação dos horários de vôos para derrubar seus concorrentes.

A Virgin, de propriedade do magnata Richard Branson, também afirma que a aliança de BA e AA faria um monopólio ou posição dominante nas rotas mais rentáveis e movimentadas entre os EUA e o aeroporto londrino de Heathrow, o mais importante do Reino Unido.

"Solicitamos à CE a rejeitar plenamente esta terceira tentativa de BA e AA de achatar a competição entre Heathrow e Estados Unidos", disse o diretor de Virgin, Steve Ridgway.

Em setembro Branson já lançou uma campanha para impedir a planejada aliança porque, na sua opinião, criaria um "monopólio monstruoso".

Segundo Branson, o projeto -que daria lugar a uma rede de rotas combinadas a 443 destinos em 106 países e com 6.200 vôos diários- conduzirá à fixação de preços e obrigaria as agências de viagens a mudar suas pautas comerciais.

No entanto, um porta-voz da BA replicou hoje que "mais uma vez, a Virgin expõe o mesmo e velho argumento, ignorando a liberalização de Heathrow sob o acordo de 'Céus Abertos" entre EUA e Europa, que entrou em vigor em março deste ano e libera o tráfego aéreo entre ambos os lados do oceano Atlântico.

O porta-voz da British Airways acrescentou que sua rival "parece reticente em avançar com o tempo e se contenta em criticar quem o faz".

Em agosto, British Airways, Iberia e American Airlines anunciaram um acordo para formar uma empresa mista que operaria rotas entre Europa e América do Norte.

As três companhias aéreas, que manteriam sua independência jurídica, afirmam que a nova aliança permitiria aos consumidores ter acesso a rotas mais amplas e com mais horários, enquanto esperam que os reguladores internacionais se pronunciem sobre sua intenção.

Trata-se da terceira tentativa da British Airways, que atualmente negocia sua fusão com a Iberia, para conseguir uma aliança com American Airlines, após duas tentativas fracassadas, em 1997 e em 2002.

Fonte: EFE

Manifestantes ocupam aeroporto na Tailândia

É critica a situação de mais de três mil passageiros no aeroporto internacional de Bangcoc, na Tailândia, um dos mais movimentados da Ásia.



Opositores do governo bloquearam a principal estrada de acesso ao aeroporto e tomaram a torre de controle. Todos os vôos foram cancelados.

No terminal, a situação é caótica. Como as lanchonetes fecharam as portas, os passageiros estão sem comida e sem água. Ninguém tem idéia de quando vai poder voltar para casa.

Os manifestantes disseram que a ocupação só vai terminar depois que o primeiro-ministro renunciar. Sochai Wongsawat, acusado pela oposição de ser “um fantoche do ex-premiê”, rejeitou a proposta do comandante do Exército para dissolver o Parlamento e convocar novas eleições.

Fontes: G1 / Globonews

Moradores se mobilizam contra desapropriações perto de aeroporto de Congonhas

Cerca de 300 moradores do Jabaquara se reuniram num galpão, na Rua Freire Farto, anteontem à noite, para lançar a campanha "Desapropriação, não!", contra a ampliação do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. A maioria alega que o motivo do movimento não é o valor da avaliação do imóvel - que pode ficar abaixo do esperado - mas porque não querem deixar o bairro.

A reunião marcou o início do movimento contra a desapropriação de imóveis, parte do projeto dos governos federal, estadual e municipal para ampliar as pistas de Congonhas depois do acidente com o Airbus da TAM, que deixou 199 mortos.

"Queremos mostrar que os moradores do Jabaquara não estão dispostos a sair do bairro", disse um dos organizadores do movimento, o representante comercial Ciríaco Camargo Filho. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura não foi encontrada pela reportagem para comentar o caso.

Fonte: Agência Estado

TAM e Pluna firmam parceria

A TAM Linhas Aéreas e a PLUNA, companhia aérea uruguaia, assinaram acordo de compartilhamento de vôos (code-share) que amplia a oferta entre São Paulo e Montevidéu, principal rota aérea que liga o Brasil ao Uruguai, beneficiando os passageiros de ambas as companhias. A parceria deverá ser iniciada ainda este ano, após aprovação das autoridades dos dois países.

O acordo permite que uma companhia possa oferecer aos seus respectivos clientes o vôo operado pela sua parceira, e vice-versa. Na prática, as duas empresas, passam a oferecer três freqüências diárias na rota que liga o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, ao Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu.

Fonte: Brasilturis

Nunca mais

40 anos de uma noite negra

Começou ontem (25), no Centro Cultural da Caixa Econômica (Avenida Rio Branco, centro do Rio), a exposição multimídia "AI(s) Nunca Mais – Imagens que o Brasil não viu ou esqueceu", para marcar os 40 anos da assinatura do AI-5. Entre as muitas atrações, há fotos inéditas, que permaneceram censuradas durante todos esse anos.

Um desses registros é o do seqüestro de um avião Caravelle da Cruzeiro do Sul em 1970. Os seqüestros de aviões (foram 26 ao todo, entre tentativas e sucessos) eram abafados pela censura. O Caravelle foi retomado no Galeão pela FAB, que prendeu os terroristas em uma ação fulminante. Em uma das fotos vê-se um dos seqüestradores, ferido na cabeça durante a operação, sendo retirado de maca do avião. Veja as fotos:

Na exposição, o visitante poderá ver de que maneira o olhar do fotógrafo acompanhou a cena no local, trazendo para hoje a descrição quadro a quadro das folhas do contato fotográfico manuseadas pelo editor. Para isso, foram mantidas marcações e até mesmo o X do censor, plantado nas redações.

As fotografias, garimpadas nos arquivos de O Globo, "Jornal do Brasil" e "Correio da Manhã", com edição do experiente fotógrafo Bruno Veiga, mostram cenas de manifestações, familiares se despedindo à distância dos presos políticos que seguiam para o exílio e também a recepção calorosa em suas chegadas a outros países. Ambas as situações tinham publicação proibida na época.

Fonte: Aydano André Motta (Ancelmo.com / O Globo)

Assessor nega que BNDES vá suspender empréstimo para venda de aviões ao Equador

O assessor especial de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, negou informação divulgada hoje (25) pela imprensa de que o governo brasileiro suspendeu autorização para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financie a venda de aviões para a Força Aérea do Equador.

“Não é verdade essa informação. Esse tema nem foi considerado, não há nenhuma decisão a esse respeito. Não está em discussão esse tema, até porque o ministro Amorim [Celso Amorim, das Relações Exteriores] tinha mencionado, concretamente, que vamos examinar iniciativas futuras”, disse.

A possibilidade da suspensão do crédito foi levantada em função do questionamento do governo equatoriano com relação ao pagamento da dívida que tem com o BNDES, contraída há cerca de um ano para a construção da hidrelétrica de San Francisco.

Marco Aurélio afirmou que é preciso deixar que os Ministérios de Relações Exteriores de Brasil e do Equador “encontrem o tempo necessário, o modo e o momento” para tratar da contestação do país vizinho em pagar a dívida ao BNDES).

Na semana passada, o governo do Equador anunciou a decisão de recorrer à Corte Internacional de Arbitragem da Câmara de Comércio Internacional contra o pagamento do empréstimo. Foram financiados US$ 242,9 milhões para a construção da usina, executada por um consórcio integrado pela empresa brasileira Odebrecht.

Segundo Marco Aurélio, o BNDES já elaborou um parecer sobre a dívida, no qual considera o pleito do Equador ilegal e ilegítimo.

O assessor afirmou que, em momento algum, o governo brasileiro questionou o direito de um país recorrer a qualquer instância por considerar um acordo ilegal. Ele, porém, reafirmou o descontentamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a forma pela qual a informação chegou ao governo.

“Incomodou muito ao presidente da República e ao ministro Amorim e a todos nós que estamos envolvidos na política externa pelo fato de que essa atitude não foi previamente transmitida ao governo brasileiro. Ela foi informada de maneira intempestiva à imprensa, criando efetivamente uma área de atrito entre o Equador e o Brasil”, disse, após participar de almoço oferecido ao primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong.

Segundo Garcia, a conversa por telefone entre Lula e o presidente do Equador, Rafael Correa, ocorrida no último sábado (22), foi “muito respeitosa” e os dois acordaram que os ministérios de Relações Exteriores dos dois países vão tratar do assunto.

Fonte: Yara Aquino (Agência Brasil)

Avião de pequeno porte faz pouso de emergência na Califórnia

Um pequeno avião com duas pessoas a bordo e problemas de engrenagem fez nesta terça-feira (25) um pouso de emergência no aeroporto de Van Nuys (Los Angeles).



O aparelho, um Cessna 310 de propriedade privada, teve que retornar ao terminal do qual havia decolado após uma falha no equipamento relacionado ao trem de pouso, disseram as autoridades.

Segundo Ian Gregor, porta-voz da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês), o piloto, que seguia para a localidade californiana de Camarillo, se deu conta de que o trem de pouso não havia se retraído completamente.

Por conta da falha, o responsável pelo avião recebeu instruções para sobrevoar a região até a gasolina acabar.

Durante a aterrissagem, transmitida ao vivo por várias redes de TV, nenhum dos acupantes da aeronava sofreram danos.

Fonte: EFE - Vídeo: My Fox

Laudo de acidente com avião da Calypso sai em 90 dias

Os destroços do avião bimotor King Air B200, que caiu na manhã de domingo no bairro de San Martin, no Recife, foram retirados com ajuda de caminhões e guindaste, anteontem, numa operação acompanhada pela Comissão Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Cenipa), que tem 90 dias para apurar as causas do acidente.

Os corpos das duas vitimas, o piloto e um produtor da banda Calypso, foram enterrados na segunda-feira. A aeronave transportava 10 pessoas, vinha de Teresina e caiu durante procedimento de pouso.

Fonte: Jornal da Tarde

Helicópteros de MG vão auxiliar no resgate às vitimas das enchentes em SC

Santa Catarina está em situação de emergência depois do temporal do fim de semana

Helicópteros do Corpo e Bombeiros e a Polícia Militar (PM) de Minas Gerais vão auxiliar no resgate às vítimas das enchentes no estado de Santa Catarina. A determinação do governador Aécio Neves foi enviada, nesta segunda-feira, aos comandantes gerais das corporações e deverá ter cumprimento imediato.

O estado catarinense está em situação de emergência, depois do temporal que atingiu principalmente a região do Vale do Itajaí, no fim de semana. O número de mortes já chega a 50, de acordo com o último balanço da Defesa Civil, divulgado no início da tarde. Mais de 22 mil pessoas tiveram que deixar suas casas.

Fontes: G1 / Globominas.com

Forças Armadas enviam seis helicópteros e 350 homens a Santa Catarina

Área alagada em Navegantes

O Ministério da Defesa divulgou nesta terça-feira (25) um balanço das operações após as enchentes em Santa Catarina. Segundo o governo, seis helicópteros foram enviados ao estado e 350 militares estão distribuídos pelos municípios atingidos. De acordo com a Defesa Civil do estado, 83 pessoas já morreram em decorrência das chuvas e 54 mil estão desabrigadas.

Os militares estão atuando principalmente no vale do rio Itajaí Açu, local onde houve as piores enchentes. Dos homens que foram ao estado, 110 trabalham em atividades de apoio e 240 estão em ações externas, no transporte de água e alimentos. Na última segunda-feira (24), bombeiros foram levados às cidades de Cananéia e Luís Alves, onde há feridos e desabrigados por conta das cheias dos rios.

Além das aeronaves, a Aeronáutica mandou uma equipe do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (Pára-SAR), que é especializada em resgates. Em Blumenau, duas viaturas blindadas do Exército prestam apoio a 35 núcleos da Defesa Civil e dez caminhões transportam alimentos. Nas próximas horas, devem chegar outros dois blindados à cidade.

Força Nacional

O Ministério da Justiça também vai enviar na quarta-feira um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para Florianópolis com um grupamento especializado em busca e resgate. O pedido foi feito pelo governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira. O avião sai de Brasília às 16 horas.

Os 46 homens da Força Nacional de Segurança e os 12 cães farejadores desembarcam no estado com a missão de integrar as equipes de resgate que já atuam nas cidades atingidas pelas enchentes.

Inicialmente, segundo o Ministério da Justiça, eles ficam por 20 dias em Santa Catarina, mas, caso o governo catarinense solicite, eles ficam por mais tempo.

Fonte: G1 - Foto: Luciana Rossetto (G1)

Governo anuncia medidas para evitar caos nos aeroportos no final do ano

Haverá reforço de funcionários nos principais aeroportos.

Empresas vão endossar passagens em casos de cancelamento.



O Ministério da Defesa anunciou nesta terça-feira (25) medidas para tentar evitar caos nos aeroportos durante o fim-de-ano com o aumento do movimento de passageiros. O ministro Nelson Jobim se reuniu com representantes da Infraero, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da Polícia Federal, da Receita Federal, dos comandos militares da Aeronáutica e das empresas aéreas para definir as ações.

A operação nos aeroportos, batizada de "Feliz 2009", acontece do dia 19 de dezembro até 7 de janeiro, considerado o período de “pico”. A operação, segundo o ministro, é baseada na "pontualidade dos vôos e na informação aos passageiros".

As empresas se comprometeram, segundo o ministério, a não praticar overbooking (quando o número de passagens vendidas é maior que a capacidade da aeronave) e a endossar passagens de outras companhias em caso de cancelamentos e atrasos "muito longos". A Defesa, no entanto, não especificou de quanto tempo deve ser o atraso para o passageiro pedir endosso.

De acordo com Jobim, haverá um reforço de funcionários nos aeroportos, principalmente em Congonhas e Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Confins, em Belo Horizonte (MG). Técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estarão nos aeroportos para orientar os passageiros.

Reforço

As companhias aéreas também disseram que vão reforçar o número de aeronaves e tripulantes. De acordo com o presidente da TAM, David Barioni Neto, a empresa vai deixar cinco aviões de reserva: três em Congonhas, um em Guarulhos e um no Galeão. “É mais do mesmo”, disse.

Em 2006, passageiros da empresa tiveram problemas para embarcar após uma série de “manutenções não-programadas” em aeronaves, segundo disse a companhia na época.

De acordo com Barioni, não chegou a se discutir a utilização de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) como reserva em caso de problemas –como aconteceu em 2006.

Malha aérea

Segundo o presidente da Infraero, Sergio Gaudenzi, neste ano não será necessário elaborar uma nova malha aérea para o período de férias. No ano passado, o governo modificou várias rotas para atender ao maior fluxo de pessoas. “Neste ano estamos mais tranqüilos, até porque estamos mais integrados e já sabemos quais são as principais dificuldades”, explica Gaudenzi.

“Nossa expectativa é que seja um final de ano absolutamente tranqüilo, sem grandes problemas”, afirmou o presidente da Infraero. As empresas aéreas também terão que manter equipes com comissários de bordo e pilotos à disposição em solo para atender emergências, como cancelamento de vôos e atrasos.

Fontes: G1 / Globonews

Aeroporto internacional de Bangcoc suspende vôos por protestos

O aeroporto internacional da capital tailandesa, Suvarnabhumi, suspendeu na segunda-feira (24) os vôos de saída depois que grupos de manifestantes contrários ao Governo invadiram o terminal, disseram fontes aeroportuárias.

A medida entrou em vigor às 21h (12h em Brasília), destacou em comunicado o diretor de Suvarnabhumi, Serirat Prasutanon.

"Pela segurança dos passageiros, interrompemos temporariamente os vôos de saída do aeroporto e até que a situação volte ao normal", destacou o diretor do aeroporto.

Na nota oficial, a direção ressaltou que as chegadas de vôos continuam inalteradas.

"Depende do que a torre de controle decidir. Os manifestantes se encontram na zona de saídas, por enquanto não há presença deles na de chegadas", disse Prasutanon à televisão tailandesa.

Por sua vez, Sondhi Limthongkul, um dos líderes da Aliança do Povo para a Democracia, que organiza os protestos, anunciou que a ação pretendia forçar a renúncia do primeiro-ministro tailandês, Somchai Wongsawat.

O líder deve voltar à Tailândia na quarta-feira após ter participado da reunião do Fórum de Cooperação Ásia-Pacífico (Apec).

Limthongkul disse à imprensa que os manifestantes aumentarão as ações de desobediência forçando o fechamento do aeroporto de Suvarnabhumi, situado cerca de 30 quilômetros ao leste de Bangcoc.

Horas antes, milhares de manifestantes ocuparam os escritórios provisórios do Executivo no aeroporto de Bangcoc, um dia depois de cercar o Parlamento e enquanto mantêm ocupado o palácio do Governo há quase três meses.

O cerco se estendeu depois ao quartel-general das Forças Armadas para impedir que o Governo transferisse para lá a reunião de urgência que previa realizar.

Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas em enfrentamentos entre militantes da Aliança do Povo para a Democracia, organizadora dos protestos, e partidários do Governo, relataram fontes policiais.

Os choques entre os seguidores do Governo, que se distinguiam com suas camisas vermelhas, e membros da Aliança do Povo para a Democracia, vestidos de amarelo, ocorreram na estrada que conduz ao aeroporto Don Muang, onde o primeiro-ministro instalou temporariamente seus escritórios.

O ex-primeiro-ministro Samak Sundaravej, inabilitado pelo Tribunal Constitucional da Tailândia em setembro, transferiu os escritórios do Governo para o aeroporto de Don Muang, 30 quilômetros ao norte de Bangcoc.

Isso ocorreu após ele ter se convencido de que não poderia expulsar a Aliança do Povo para a Democracia da sede do Governo, ocupada em 26 de agosto.

Don Muang, que atualmente serve de base para alguns vôos locais, deixou de ser o principal aeroporto da capital tailandesa após a inauguração do terminal aéreo internacional de Suvarnabhumi, em 2006.

Fonte: EFE