sábado, 3 de outubro de 2009

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

Boeing 747-412, prefixo TF-AMB, da Iberia, fotografado ao decolar do Aeroporto Tenerife Norte-Los Rodeos (GCXO), nas Ilhas Canárias (Território da Espanha) em agosto de 2004.

Foto: Vidal Méndez-Atlantic Aviation (JetPhotos)

Dois mortos e um ferido na queda de avião no México

Duas pessoas morreram e uma ficou ferida com a queda de um pequeno avião no estado de Guanajuato, no centro do México, quando tentava aterrissar no aeroporto internacional da localidade, informaram hoje fontes oficiais.

Um porta-voz de segurança pública do município de Silao disse que o acidente ocorreu na manhã deste sábado (3), quando a aeronave Beechcraft A36TC Bonanza, prefixo XB-CGU, caiu em uma área na comunidade Mezquite, a 500 metros da pista do aeroporto.

No acidente, morreram o piloto e um tripulante. Uma terceira pessoa ficou ferida e foi encaminhada para um hospital na cidade de León.

Segundo as autoridades, aparentemente, a aeronave caiu por causa de uma falha mecânica, que ocorreu depois do avião decolar rumo a Toluca, capital do estado do México. Quando o avião se preparava para pousar acabou caindo.

Segundo a imprensa local, o piloto foi identificado como Francisco Javier Martínez Solís, de 28 anos.

Fontes: EFE via G1 / proceso.com.mx - Atualizado em 04/10/09 às 16:20 hs. com dados do avião

Sistema de controle aéreo na Escócia volta ao normal após falha

O sistema de controle aéreo na Escócia voltou a funcionar após a falha de hoje, que obrigou a deixar em terra vários voos transatlânticos que deveriam sair hoje do Reino Unido, informou a NATS, responsável da gestão aérea.

A falha ocorreu às 4h de Brasília de hoje no centro de controle do aeroporto de Prestwick, em Glasgow, e afeta o espaço aéreo internacional de Shanwick, uma zona do Atlântico Norte.

Uma porta-voz da NATS indicou que os engenheiros resolveram o problema e não há mais restrições sobre o uso do espaço aéreo no Atlântico Norte.

Devido à falha, ficou impedido que os aviões entrassem no espaço aéreo do Atlântico Norte, enquanto as aeronaves que chegaram ao Reino Unido utilizaram os sistemas manuais para a aterrissagem, sem que houvesse problemas, acrescentou a NATS.

Uma porta-voz de BAA, proprietária dos principais aeroportos britânicos, afirmou hoje que os atrasos afetaram os passageiros que viajavam para destinos no oeste dos EUA e Canadá.

Segundo a NATS, o aeroporto londrino de Heathrow foi o mais afetado pelos atrasos.

Fonte: EFE via iG

Governo de Mato Grosso do Sul pagará R$ 20 mi em área para ampliar aeroporto

O Governo estadual irá gastar cerca de R$ 20 milhões na desapropriação de uma área de mil hectares para ampliar o Aeroporto Internacional de Campo Grande. A informação é do secretário estadual de Obras e Transporte, Edson Giroto.

O objetivo é ampliar a área destinada ao aeroporto de 800 para 1,8 mil hectares, conforme o secretário. A medida assegura a área para ampliar a unidade até 2013, garantindo cerca de R$ 500 milhões a serem investidos pela Infraero.

“Estamos fazendo todo o planejamento do sítio aeroviário de Mato Grosso do Sul”, explicou Giroto. O Governo tem interesse em dotar o aeroporto de transporte de cargas no futuro e ampliar sua capacidade.

Pelo projeto, o local passará a contar com duas pistas de três mil metros de comprimento com 45 metros de largura

Área do aeroporto atualmente:

Estudo preliminar da Infraero:


Fonte: Edivaldo Bitencourt (Campo Grande News) - Imagens: Infraero via CampoGrandense

Aeroporto Marechal Rondon (MT) receberá R$ 82 milhões em investimentos para Copa

O aeroporto Marechal Rondon passará por obras emergenciais na área de desembargue, que terá seu espaço físico aumentado, além da inclusão de novas esteiras de bagagem, obras no pátio e de revitalização da pista de pousos e decolagens. O anúncio foi feito nessa sexta-feira (2) pelo presidente da Infraero, Murilo Barboza. Ao todo, R$ 82 milhões serão investidos e a expectativa é que as obras sejam concluídas até março de 2010.

Murilo está em Cuiabá a convite da bancada federal de Mato Grosso. No último dia 15 de setembro, o presidente da Infraero se reuniu com a bancada, a pedido da coordenadora, senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), para discutir as obras de melhoria do aeroporto, por conta da necessidade de adequações e ampliações devido a Copa do Mundo de Futebol, em 2014. Na oportunidade, o presidente da Infraero foi convidado a visitar o aeroporto e verificar in loco a situação da unidade.

Serys salientou que há tempos o projeto de ampliação do Marechal Rondon está em andamento e que é preciso agilidade, já que as obras têm que ficar prontas até dezembro de 2012. “Nosso aeroporto já não comporta o movimento atual de passageiros. Precisamos com urgência da agilização dessa obra”, cobrou a senadora, durante o encontro.

Na inspeção feita nessa sexta-feira, no aeroporto, Murilo Barboza reconheceu que o espaço precisa de adequações urgentes. “É uma prioridade atuarmos no aeroporto de Várzea Grande, com obras nas áreas de desembarque, ampliação da área de carga, que é muito deficitária, e obras no pátio e na pista”, reconheceu Barboza, que também chamou a atenção para a necessidade das prefeituras de Cuiabá, Várzea Grande e Governo do Estado se reunirem para viabilizar um estudo de melhoria de acesso até o aeroporto e também de ampliação do estacionamento.

O presidente da Infraero também prometeu enviar um ônibus para o transporte de passageiros da pista até o terminal de desembargue.O aeroporto Marechal Rondon tem hoje um movimento de 1,5 milhão/ano de embarques e desembarques.

Fonte: O Documento

MAIS

Projeto da Reforma, Ampliação e Cosntrução de um novo terminal do Aeroporto Internacional Marechal Rondon

Esquema de como irá ficar:

T1 - Terminal 1

Já existente e completamente reformado recentemente. Projetado para atender 1 milhão de passageiros por ano. O novo terminal conta com as alas Nacional e Internacional.

T2 - Terminal 2

Contará com um terminal inteiramente novo, com pontes de embarque e desembarque e sua construção está atrelada diretamente a escolha da cidade como sede para a Copa de 2014. O Terminal será o dobro do atual e contará também com um mini-shopping center com mais de 90 lojas (1 ancora), parque florestal e 3 hoteis em seu entorno, além de ser construida uma nova pista de pouso e decolagem.

Fonte: Notícias da Amazônia via RobertoBarrich26 (Cuiabá - Estrutura para a Copa de 2014)

GOL lança voos que ligam Porto Alegre a Salvador e Recife

Frequências diárias passam por Campinas (SP), que é suprida com quatro novos voos diários para essas capitais

A companhia aérea GOL lançará em 15 de outubro duas novas frequências diárias (voos de ida e volta) que ligarão Porto Alegre (RS) a Salvador (BA) e Recife (PE), passando por Campinas (SP).

Com as novas opções, a GOL suprirá a cidade do interior paulista com quatro novos voos diários diretos para as capitais do Rio Grande do Sul (2), Bahia (1) e Pernambuco (1). Além da GOL, operam no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, as empresas de aviação comercial TAM, Azul e Trip.

Fonte: Agência Estado

Rússia acredita que vencerá licitação para venda de caças ao Brasil

O Sukhoi SU-35

A empresa exportadora de armamentos russa Rosoboronexport afirmou nesta sexta-feira que tem boas chances de vencer a licitação para a venda de aviões de caça SU-35 ao Brasil, depois de a França ter se declarado favorita com o Rafale. O Comando da Aeronáutica recebeu nesta sexta-feira novas propostas com melhorias das ofertas ao projeto FX2, que visa substituir os caças Mirage.

"Acreditamos que nossa oferta tem muitas vantagens e temos boas chances de ganhar o contrato", declarou um porta-voz da Rosoboronexport, Viatcheslav Davydenko. "Nossa oferta contém um importante programa de transferência de tecnologias -serviço técnico, reparações- e tudo o que for necessário para a fabricação de Su-35 no Brasil", afirmou o diretor da empresa, Anatoli Issaykine. Além da Rússia, apresentaram ofertas fabricantes de França, EUA e Suécia.

No último dia 7, os presidentes do Brasil e da França, Luiz Inácio Lula da Silva e Nicolas Sarkozy, assinaram o maior acordo militar da história recente do país, no valor de R$ 22,5 bilhões. Na ocasião, os dois anunciaram ainda a abertura de negociação para a compra de 36 caças Rafale, da francesa Dassault.

Apesar de ter defendido o processo licitatório, encerrado nesta sexta-feira, o ministro da Defesa, Nelson Jobim reconheceu que há uma opção política pela França. "Basta que eles façam cumprir a transferência de tecnologia e o valor final", afirmou o ministro.

Fonte: eBand (com AFP) - Foto: defesabr.com

Aeronáutica promete decisão isenta na escolha dos caças

O Comando da Aeronáutica divulgou nesta sexta-feira uma nota oficial informando que fará uma análise "isenta" com o apoio de mais de 60 especialistas em diversas áreas para elaborar o relatório final de análise técnica das propostas dos Estados Unidos, França e Suécia para a compra dos 36 aviões-caças que irão compor a Força Aérea Brasileira (FAB).

“O relatório de análise técnica permanece pautado na valorização dos aspectos comerciais, técnicos, operacionais, logísticos, industriais, compensação comercial (Offset) e transferência de tecnologia", detalha a nota.

A instituição informa que não há ainda um prazo para encaminhar a avaliação da Aeronáutica para o Ministério da Defesa e, na sequência, para o Palácio do Planalto, uma vez que a decisão final está a cargo do Conselho de Defesa Nacional e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nesta sexta-feira termina o prazo de entrega da melhoria das propostas da Boeing (EUA), Dassault (França) e Saab (Suécia).

Fonte: Camila Campanerut (iG)

Webjet já oferece ônibus gratuito entre Congonhas e Guarulhos

Desde o dia 1 deste mês, a Webjet Linhas Aéreas passou a oferecer para seus passageiros transporte gratuito em ônibus executivo entre os aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo. O serviço é fruto de uma parceria com a Redecard, com duração inicial de um ano.

O Web-Bus terá nove saídas diárias de Guarulhos com destino ao aeroporto do centro da capital paulista e oito saídas no sentido contrário. O transporte é gratuito, bastando apresentar o cartão de embarque ou bilhete da viagem. A facilidade está disponível para os passageiros em Guarulhos no piso de desembarque do terminal 1, e em Congonhas, em frente ao desembarque, na parada dos ônibus executivos.

O serviço visa a facilitar o deslocamento dos passageiros que voam pela Webjet de/para Cumbica e precisam de um meio de transporte ágil para o Centro, principalmente os passageiros corporativos que utilizam a Web-Ponte Santos Dumont/Guarulhos. A Webjet opera diariamente 34 voos saindo e chegando do aeroporto Internacional de Guarulhos, para nove cidades brasileiras.

Fonte: Aviação Brasil - Imagem: Webjet

Governo pensa em fechar a TAP e reabri-la como outra companhia

A hipótese não é inédita no setor. A Swissair e a Sabena passaram por idêntico processo

O Governo de Portugal está ponderando fechar a TAP, abrindo em seguida uma nova companhia aérea para onde serão transferidos os ativos e os funcionários da atual empresa.

Segundo a edição de ontem do semanário Sol, que refere "fontes governamentais", esta será a hipótese mais provável que o novo ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações terá que analisar para assegurar o futuro da companhia aérea portuguesa, face à difícil situação financeira em que se encontra e ao fato de as regras europeias não permitirem que receba novas ajudas estatais.

A confirmar-se, não seria caso inédito no setor da aviação, nem na Europa. Tanto a congénere suíça Swissair, como a belga Sabena, passaram já pelo mesmo processo. Mas o secretário de Estado disse ao Sol que a hipótese "não tem qualquer fundamento" e que nunca houve qualquer proposta formal ou informal nesse sentido por parte da administração da companhia.

"A solução depende inteiramente do novo Governo", acrescentou Paulo Campos ao semanário".

Fonte: Diário de Notícias - Foto: Bruno Fonseca (Ag. Lusa)

Horizon Air recebe o mais importante prêmio de segurança para a manutenção da FAA

O FAA (Federal Aviation Administration) premiou a Horizon Air pelo décimo ano consecutivo com o Certificado Diamante de Excelência. O prêmio reconhece a companhia aérea por alcançar uma taxa de participação de 100 % pelo seu pessoal de manutenção do AMT (programa de prêmios para técnico de manutenção de aviação).

"Horizon Air continua a ser uma empresa líder, incentivando a educação continuada dos seus AMTs e participando do programa de premiação AMT", disse Jim Hultgrien, gerente da equipe do programa de segurança da FAA no Conselho Distrital de normas de vôo de Portland. "Nós acreditamos que um programa bem gerenciado, com treinamento atualizado, é um componente chave para a cultura de segurança da empresa. O programa de AMT da FAA é uma forma de reconhecer a dedicação da Horizon na capacitação e no compromisso de segurança.

Criado em 1991, o programa AMT homenageia o pessoal de manutenção da aviação e os empregadores que participam das oportunidades de treinamento que excedem os requisitos regulamentares da FAA. O Certificado de Excelência de Diamante é a mais alta honraria que o programa pode conferir a uma empresa.

" Esta é uma homenagem aos funcionários de manutenção da Horizon," disse Celia Sherbeck, vice-presidente de manutenção e engenharia da Horizon. "Eles são extremamente dedicados e continuam refinando e expandindo sua expertise técnica para sustentar e reforçar a segurança de nossa empresa".

Horizonte serve 48 cidades ao longo do Arizona, Califórnia, Oregon, Washington, Idaho, Montana, Nevada, Baja California Sur (México) e British Columbia e Alberta (Canadá). Juntos, a Horizon Air e Alaska Airlines servem mais de 90 cidades e são subsidiarias do Alaska Air Group, Inc.

Fonte: Aviação Brasil

Monotrilho vai ligar Aeroporto de Congonhas e Estádio do Morumbi

1ª fase tem conclusão prevista para dezembro de 2010, já como parte dos investimentos para a Copa de 2014

O governo de São Paulo prevê lançar o edital para construção da Linha 17-Ouro do Metrô até novembro. Vai ligar o Aeroporto de Congonhas ao Estádio do Morumbi, num traçado de 21,5 quilômetros de extensão. Será feita em três etapas e poderá ter verba federal. A primeira fase tem conclusão prevista em 15 meses, dezembro de 2010, já como parte dos investimentos paulistas para a Copa do Mundo de 2014. "Entre 30 e 60 dias o edital estará nas ruas e o projeto funcional da linha está concluído. Prevemos o início das obras para janeiro. É possível que o trem esteja rodando em dezembro de 2010 num primeiro trecho", prevê o secretário adjunto de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, João Paulo de Jesus Lopez.

Mas não será um metrô convencional. A proposta é fazer um monotrilho suspenso em pilares. As composições terão tração elétrica e sustentação sobre pneus. A pista suspensa deverá ocupar o canteiro central de avenidas como a Jabaquara, Bandeirantes, Washington Luís, Roberto Marinho. De acordo com Lopez, a definição pelo monotrilho levou em conta número menor de desapropriações, embora não tenha adiantado o número de imóveis a serem derrubados.

O custo total do projeto é estimado em R$ 3,3 bilhões. Foi solicitado ao governo federal financiamento de R$ 2,4 bilhões, por meio de recursos do Programa de Aceleração dos Crescimento (PAC) da Mobilidade. "Também haverá participação da Prefeitura de São Paulo na terceira fase das obras, na região do Morumbi", disse Lopez.

Para efeito de comparação, a Linha 4-Amarela do Metrô, que entrará em operação em 2010, tem custo de mais de R$ 3 bilhões. Os 12,8 quilômetros de extensão entre a Vila Sônia e a Estação Luz são todos subterrâneos. Na Linha 17-Ouro, as vias e estações deverão ser construídas a uma altura entre 12 e 15 metros.

Para segurança dos passageiros durante o embarque, é prevista porta de plataforma em todas as estações. Essas portas são feitas de vidro e se abrem simultaneamente com as portas dos trens. A demanda prevista para as três fases juntas é de transportar 230 mil usuários por dia, segundo o Metrô.

A Linha 17-Ouro é o segundo projeto em monotrilho na capital. O governo estadual também prevê a construção do Expresso Tiradentes entre a Vila Prudente e Cidade Tiradentes, na zona leste, nesse formato, num trecho de 22,3 quilômetros em vias elevadas.

Para o coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unesp, Fernando Okimoto, a escolha pelo monotrilho deve levar em conta problemas a serem gerados com o elevado, como desvalorização de regiões e agressão à paisagem urbana. "Pode-se resolver o problema do transporte e provocar um outro, urbanístico. Veja o problema do Elevado (Minhocão), que tem ao lado unidades habitacionais ociosas porque ninguém consegue morar lá."

Ligação entre aeroporto e metrô levará 6 minutos

Primeiro trecho da Linha 17 será inaugurado em dezembro; segunda fase inclui uma estação intermodal

A viagem pelo monotrilho da Linha 17-Ouro entre o Aeroporto de Congonhas e a Estação São Judas do Metrô, o primeiro trecho a entrar em operação, em dezembro de 2010, vai demorar seis minutos. Essa etapa de 3,8 quilômetros de extensão tem duas estações, segundo a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, e uma demanda prevista de 18 mil usuários por dia.

O trecho 2, São Judas-Estação Morumbi, com interligação na Estação Jabaquara do Metrô, movimentará 100 mil usuários/dia. O Metrô projeta intervalo de 5 minutos para cada composição e capacidade de transportar até 20 mil pessoas por hora, em cada sentido, nos horários de pico. Essa fase deve começar a operação em 2012 e terá mais 10,8 quilômetros e 12 estações. Vai fazer ligação com as Estações Morumbi, da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), e Jabaquara da Linha 1-Azul do Metrô.

Nessa segunda etapa haverá uma estação intermodal para quem utiliza carros, ônibus urbano e interurbano e metrô, na Avenida Roberto Marinho, logo após o cruzamento com a Avenida Washington Luís, na zona sul. Haverá ainda interligação com ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e a Linha 5-Lilás do Metrô. E os 6,9 km da última etapa farão ligação com a Estação São Paulo-Morumbi da Linha 4-Amarela do Metrô, e outras cinco estações. Esse trecho tem previsão de operação em 2014, antes da Copa.

Para o consultor Elmir Germani, diretor da TTC Engenharia de Tráfego e Transportes, é importante verificar se o monotrilho se inserirá de forma adequada na paisagem e se a população se adaptará ao modelo. "Temos recursos escassos. Se esse modelo der certo, bom. Mas com poucos recursos ainda defendo que a melhoria dos ônibus é a solução", afirma.

Já o adido de Transportes da Embaixada da França no Brasil, Jean-François Fritsche, disse que há grande interesse do país nos projetos de São Paulo, mas destaca que o monotrilho é muito caro. Fritsche defende veículos leves sobre trilhos (VLTs) "Não é preciso fazer túneis, como o metrô convencional, e as obras evoluem rápido. O monotrilho não se integra ao ambiente. O VLT pode ser construído no chão e precisa desapropriar muito pouco."

O VLT francês, fabricado pela Alstom, assegura o adido, custa entre R$ 47,5 milhões e R$ 57 milhões o quilômetro. O metrô subterrâneo custa entre R$ 285 milhões e R$ 380 milhões o quilômetro. A estimativa da Linha 17 está em R$ 157 milhões o quilômetro. "Não procede essa questão do preço. O monotrilho terá menos intervenções urbanas. Será criado um corredor menor do que o VLT precisaria, sem contar que não haverá cruzamentos de vias. Esse outro projeto exige mais desapropriações", rebate o secretário adjunto de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, João Paulo de Jesus Lopez.

Fonte: Eduardo Reina (O Estado de S. Paulo) - Foto: metro.sp.gov.br

Parentes de vítimas do acidente da TAM mostram indignação com resultado de inquérito

Em nota divulgada hoje (3), a Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo TAM JJ 3054 (Afavitam) manifestou indignação com a conclusão do inquérito da Polícia Federal (PF) que apontou como culpados apenas os dois pilotos mortos no acidente.

Segundo o presidente da associação, Dário Scott, os parentes ainda não tiveram acesso à investigação da PF, que corre em segredo de justiça. No entanto, eles foram informados pela imprensa sobre o resultado enviado ao Ministério Público Federal (MPF). "Em muitas oportunidades, a quebra do sigilo foi solicitada por nós e sempre negada, e aí está o resultado", destacou a associação.

Em entrevista à Agência Brasil, Scott disse que os parentes das vítimas estão "esperançosos de que o MPF realmente denuncie os responsáveis por esse crime". Ele ressaltou que a apuração das causas do acidente não terminou com o fim do inquérito da PF. De acordo com o presidente da associação, o Ministério Público pode ainda utilizar as informações da investigação realizada pela Polícia Civil e ouvir por conta própria outros envolvidos.

O fato de o inquérito feito pela Polícia Civil ter apontado 11 pessoas como responsáveis pela tragédia é, segundo Scott, algo que traz estranheza aos parentes. "É muito estranho para nós ver duas investigações que têm os mesmos elementos com resultados tão díspares", ressaltou.

O delegado responsável pela apuração da PF, Ricardo Sancovich, foi convidado a participar do próximo encontro da Afavitam, no dia 17 de outubro em Porto Alegre, para explicar os resultados da investigação aos parentes das vítimas.

O acidente da TAM, no dia 17 de julho de 2007, causou a morte de 199 pessoas. O avião percorreu toda a pista do Aeroporto de Congonhas sem conseguir parar e bateu em um prédio na área externa do terminal.

Fonte: UOL Notícias

Incidente com trem de pouso de avião na Malásia

O trem de pouso esquerdo do Boeing 737-4H6, prefixo 9M-MMR, da Malaysia Airlines, quebrou durante a aterrissagem no Aeroporto Internacional Kuching (KIA), na Malásia nesta sexta-feira (2). As fuselagens da asa esquerda e do motor chegaram a ser perfuradas por partes do trem de pouso quebrado.

Fonte: ASN

Queda de pequeno avião deixa dois mortos na Alemanha

Após uma queda de um avião Cessna na noite de sexta-feira (2), a fuselagem do avião foi encontrada em áreas montanhosas inacessíveis em Brannenburg, na Alemanha.

As equipes de resgate localizaram a aeronave após 12 horas de buscas

Na queda do avião desportivo Cessna F172N Skyhawk, prefixo D-EDVG, as duas pessoas a bordo morreram. A causa do acidente ainda é incerta.

A aeronave havia decolado pouco depois do meio-dia (hora local) da sexta-feira do Aeroporto St. Johann/Tirol com destino a Odenwald Kreis, em Hesse. Quando o avião, pilotado por um homem de 70 anos e seu companheiro de 69 anos, não chegaram ao destino, o controle de tráfego aéreo de Munster alertou o aeroporto em Michelstadt.

No último contato, a aeronave estava a 1.100 metros de altura sobre o município de Sulzberger Brannenburg.

Forças de resgate chegaram ao local do acidente pouco antes da meia-noite em um helicóptero. Ambos os ocupantes não tinham sobrevivido ao acidente. O Ministério Público iniciou uma investigação forense sobre as causas do acidente.

Fontes: rosenheim24.de / ovb-online.de / ASN

Três militares morrem em queda de avião no México

O Ministério da Defesa do México confirmou as mortes de dois pilotos e um capitão do exército, após o acidente com o avião Cessna 182S, prefixo FAM-5498, da Força Aérea do México (FAM, nesta sexta-feira (2), enquanto realizava um voo de reconhecimento na área montanhosa de Michoacan, sem que até agora têm determinado a causa do acidente.

Em um comunicado, informou que o incidente matou o tenente piloto aviador da Força Aérea Sergio Antonio Pedrero Navarrete, o tenente-piloto da Força Aérea da Aviação Vicente Emilio Castillo Alvarez e observador do ar, segundo o capitão de Infantaria Francisco Javier Gomez Garibay, pertencentes ao 12º Batalhão de Infantaria, com sede em Morelia.

A dependência explicou que às 10:40 horas, a aeronave Cessna Skyline decolou do aeroporto na cidade de Morelia.

A tripulação realizava levantamentos aéreos ao sul do monte "La Union", localizado na cidade de San Jose, quando por volta de 11:30 (hora local) caiu nos arredores do morro "O Garnica", pertencente ao município de Querendaro.

A este respeito, a Secretaria de Defesa Nacional (SEDENA) informou que "estudos técnicos serão realizados para determinar a falha que causou o acidente."

Em sua mensagem, acrescentou que a equipe de generais, comandantes, oficiais e soldados do Exército mexicano e da Força Aérea, juntaram-se ao expressar condolências a seu comandante supremo, o presidente Felipe Calderón, para as famílias de companheiros que perderam suas vidas no cumprimento de seu dever.

Clique aqui e veja mais fotos do local do acidente

Fontes: informador.com.mx / ASN

Aeroporto de Salvador fica interditado para pouso de emergência de avião da FAB

O Aeroporto Luís Eduardo Magalhães ficou interditado no final da manhã deste sábado (3) por conta de um pouso de emergência de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB). De acordo com o Coordenador de Comunicação Social do aeroporto, o avião decolou mas apresentou problemas no trem de pouso e teve que retornar após 30 minutos.

Ainda de acordo com ele, o problema técnico impediu que a aeronave pudesse manobrar na pista, tendo que ser rebocada. A interdição durou cerca de 40 minutos, mas não comprometeu a programação dos voos diários.

A manutenção no avião da FAB foi realizada ainda no aeroporto, vindo a decolar logo em seguida.

Fonte: correio24horas.globo.com

Avião caiu durante festival aéreo em Covilhã, em Portugal

Um avião De Havilland DHC-1 Chipmunk caiu hoje durante um festival aéreo na Covilhã. A bordo do aparelho seguiam o piloto e uma jornalista.

Os dois tripulantes do avião, o piloto e uma jornalista, sofreram ferimentos leves, disse à Agência Lusa o comandante dos bombeiros voluntários da Covilhã, José Flávio.

O avião é o De Havilland DHC-1 Chipmunk, prefixo HB-TUM, da Associação Chipmunk, uma aeronave histórica da aviação portuguesa que pertencia a um clube suíço que participa no festival, adiantou a mesma fonte.

Fonte: Expresso (Portugal) - Fotos: Antonio José (Ag. Lusa)

MAIS

Covilhã: jornalista relata queda de avioneta

O De Havilland DHC-1 Chipmunk

O De Havilland DHC-1 Chipmunk voou pela primeira vez em 22 de Maio de 1946. O seu sucesso como avião de instrução elementar de pilotagem, é testemunhado pelos 1291 aviões construídos, dos quais 66 sob licença em Portugal pela OGMA. É um avião bilugar, de asa baixa, com uma fuselagem de construção metálica e asas e superfícies de controle revestidas com tela pintada.

A versão MK20, resulta da modificação da versão anterior, o MK10. Substituiu-se o motor de Havilland Gypsy Major por um moderno motor Avco Lycoming O-360-A4M-100, com 180 HP com um hélice Sensenich, modificaram-se os freios, instalaram-se rádios novos e equipamento IFF e reforçou-se a estrutura. O Chipmunk, pelos seus atributos e qualidades, é um excelente avião para a aprendizagem inicial da pilotagem.

Dimensões:

Envergadura 10,46 m
Comprimento 7,75 m
Altura 2,13 m

Performances:

Velocidade máxima 287 Km/h
Velocidade cruzeiro 204 Km/h
Alcance máximo 445 Km
Autonomia máxima 2,3 h
Teto máximo 4.820 m
Peso vazio 647 Kg
Peso máx. decolagem 990 Kg

Dados retirados da Academia da Força Aérea

Avião faz pouso de emergência na Hungria

Airbus de empresa indiana que ia de Bruxelas a Mumbai perdeu motor.

Nenhuma das 237 pessoas que estavam a bordo se machucou.


O Airbus A330-200, prefixo VT-JWQ, da indiana Jet Airways prepara-se para pouso de emergência neste sábado (3) aeroporto Ferihegy, em Budapeste, capital da Hungria, depois que um dos dois motores da aeronave falhou.

A aterrissagem ocorreu normalmente, e nenhuma das 237 pessoas a bordo (224 passageiros e 13 tripulantes) se machucou. O avião ia de Bruxelas, na Bélgica, para Mumbai, na Índia (voo 9W-227).

Fonte: G1 / Aviation Herald- Fotos: AP

Embraer destaca jatos comerciais na ERA 2009, na Suíça

Empresa promoverá toda linha de jatos comerciais com capacidade para até 122 assentos

A Embraer participará da Assembléia Geral Anual da Associação das Empresas Aéreas Européias (European Regions Airline Association – ERA). O evento, realizado de 8 a 10 de outubro, é um dos mais importantes encontros para companhias aéreas, aeroportos e fornecedores da Europa e inclui uma conferência com duração de um dia e meio e uma exposição. O local escolhido é o Cassino Kursaal, no centro da cidade de Interlaken, um dos destinos turísticos mais antigos e populares da Suíça.

A Embraer promoverá as famílias de jatos ERJ 145 e Embraer 170/190 (os E-Jets), com capacidade de 37 a 122 passageiros. A Empresa também destacará o seu programa Pool de Peças de Reposição, que garante o melhor suporte aos clientes.

“Nossas famílias de jatos comerciais têm sucesso comprovado na Europa e a atual base de clientes é composta por 23 companhias aéreas em 16 países, totalizando 205 aeronaves”, disse José Luis Molina, diretor da Embraer para a Europa, África e Oriente Médio – Aviação Comercial. “A Europa é um mercado muito importante para a Embraer. Nossa mais nova família de jatos entrou em operação na Europa com a LOT Polish Airlines em abril de 2004 e atingiu recentemente um marco significativo com a entrega do 600º E-Jet para essa mesma companhia aérea européia, apenas oito meses após a 500ª entrega, para a subsidiária Regional da Air France.”

Este ano, a Embraer deu as boas-vindas a seis novos operadores europeus: a BA CityFlyer, do Reino Unido; os parceiros regionais CityLine, Augsburg Airways e Air Dolomiti da alemã Lufthansa; a Niki Luftfahrt GmbH, da Áustria; e a Windrose, da Ucrânia. Em 30 de junho de 2009, a família Embraer 170/190 de E-Jets tinha 882 pedidos firmes e 794 opções. Atualmente, a carteira de pedidos inclui 53 clientes em 35 países.

Perfil do Programa Pool de Peças de Reposição

O programa Pool da Embraer fornece peças de reposição rapidamente, minimizando a necessidade de investimento em estoque por parte do cliente e os custos associados. O contrato de serviços é baseado em pagamentos de valores pré-definidos com base no número de horas de voo estabelecido para a aeronave no programa. A Embraer assume a responsabilidade de manter um estoque de peças em seus centros de distribuição e de serviços, de modo que possam ser fornecidas aos operadores assim que forem solicitadas.

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: Divulgação/Embraer

Estudos sobre Sistema Geoestacionário Brasileiro devem estar finalizados em 9 meses

O projeto do Sistema Geoestacionário Brasileiro (SGB), que ficou parado de 2005 até 2008, foi retomado pela AEB no final do ano passado. A agência fez um chamamento público para contratar estudos que atestem a viabilidade técnica, econômica e jurídica do projeto. Dentro de uma semana a AEB deve escolher, entre três consórcios, o vencedor do chamamento que em noves meses deverá apresentar os estudos.

O SGB é uma vontade do governo federal em ter um sistema satelital próprio para servir o Ministério da Defesa – que hoje utiliza dois transponders em banda X nos satélites C1 e C2 da StarOne –, para controle do tráfego aéreo e para aplicações na área da meteorologia, o que é particularmente importante para o País devido à grande participação do agronegócio na balança comercial brasileira.

Como o custo do projeto é elevado, uma das soluções na mesa é a participação do setor privado através de uma PPP. O projeto ainda está numa fase bastante incipiente. Thirso Vilella, diretor de satélites aplicações e desenvolvimento da AEB, explica que esse estudo vai justamente mostrar a viabilidade, do ponto de vista jurídico, de utilização de uma PPP para a construção e operação de um sistema satelital. Além disso, o estudo pretende investigar a viabilidade econômica do projeto e a forma de participação do parceiro privado. "Aparentemente existe uma grande possibilidade de que o modelo de PPP vá para frente", afirma Thirso Vilella. Uma outra possibilidade de financiamento do projeto, com menos chances de dar certo, é a co-participação orçamentária entre vários ministérios.

Thirso explica que o SGB não é um sistema para uso exclusivamente do governo. Dessa forma, o consórcio vencedor poderá vender no mercado a capacidade excedente. "É como se eu contratasse um avião para me levar a um determinado lugar. Não me importo se outros passageiros viajarem junto", exemplifica.

Defesa

O Ministério da Defesa calcula que em três anos a capacidade dos transponders que ocupa deverá não ser mais suficiente. O Coronel Paulo Mourão Pietroluongo, gerente da divisão de projetos especiais do Ministério da Defesa, ainda lembra que caso o Brasil ocupe mesmo um assento no Conselho de Segurança da ONU, deverá aumentar muito a participação do País como mediador em conflitos internacionais, o que gera mais demanda por comunicação. Segundo ele, hoje o Brasil tem 40 terminais em banda X o que não é suficiente para equipar todos os navios e aviões. A necessidade brasileira, segundo ele, é poder ter cerca de 200 terminais em 10 anos. Comparativamente, o coronel mencionou que a Espanha tem dois satélites de uso exclusivo militar e mais de 350 terminais. Lá o sistema é operado por uma empresa – que tem capital do governo, a Hisdesat. França e Inglaterra também têm satélites próprios, mas a operação do sistema fica a carga dos próprios ministérios de defesa de cada País.

Para o Ministério da Defesa, um outro problema que existe é a duração do contrato. Hoje o contrato com a StarOne segue as regras usuais do mercado e, portanto, a cada ano tem de ser renovado. Para o Coronel Pietroluongo, o "melhor dos mundos" seria um satélite exclusivamente para uso militar. Como o custo disso é muito alto, o ministério gostaria que os contratos tivessem duração maior. Com o SGB esse problema não existiria.

Fonte: Teletime News - Arte ATECH

MAIS

Saiba mais sobre os Sistema Geoestacionário Brasileiro (SGB), AQUI.

Justiça do Trabalho usa avião para atender comunidades de difícil acesso no Acre

As reclamações que forem registradas nesta etapa das atividades, serão apreciadas pelos juízes das Varas do Trabalho de Sena Madureira, Feijó e Cruzeiro do Sul.

Para receber reclamações trabalhistas e prestar outros esclarecimentos sobre cidadania a comunidades de difícil acesso na região de fronteira do Acre com o Peru, o TRT da 14ª Região realizará, a partir da próxima segunda-feira, 5, a chamada etapa de “atermação” do Programa de Varas itinerantes nos municípios de Santa Rosa do Purus, Jordão, Marechal Thaumaturgo e Porto Valter, com encerramento dia 8 de outubro de 2009.

Em Santa Rosa, os reclamantes serão atendidos na Câmara de Vereadores, em Jordão no Cartório da Comarca local, e em Marechal Thaumaturgo e Porto Valter nos Centros Integrados da Cidadania, cedidos pelo Tribunal de Justiça do Acre. Como nessa época do ano, o acesso por estrada e barcos de pequeno porte é ainda mias difícil, a Diretoria-Geral de Coordenação Judiciária do Tribunal decidiu contratar por meio de licitação pública um avião bimotor para o transporte da equipe. Os aviões de pequeno porte, depois da aposentadoria do “Búfalo” da Força Aérea Brasileira (FAB), são os únicos modelos capazes de pousar em pistas pequenas e sem asfalto.

Desenvolvidas desde 2002, na jurisdição dos Estados de Rondônia e Acre, é a primeira vez, depois de utilizar por vários anos unidades móveis para prestar atendimento às pessoas que moram nessas comunidades, o transporte aéreo.

Na Região, ainda são encontrados remanescentes de comunidades que viviam em estágio primitivo e isoladas, por causa das distâncias e da falta de acesso que somente é possível à bordo de avião ou barco, fatores que tornam a distribuição da justiça ainda mais cara do que em outras regiões, como constatou ano passado o estudo “Justiça em Números 2008”.

A realização das atividades itinerantes na fronteira dos dois Estados com o Peru e a Bolívia somente se tornaram possíveis com o apoio de aviões ou barcos, os dois únicos meios de transporte nessa época do ano, a localidades acrianas como Jordão, Mâncio Lima e Porto Walter, e Costa Marques (RO).

O município de Jordão (AC), por exemplo, foi apontado recentemente como a cidade com menor IDH – Índice de Desenvolvimento Humano – do país, além de contribuir pela dificuldade de acesso para tornar mais caros os serviços de distribuição da Justiça.

Em 2008, as Varas Itinerantes realizaram 1.835 atendimentos e, curiosamente, há pessoas que caminham várias horas por entre trilhas abertas (estradas) na mata para serem atendidas pelas equipes da Justiça do Trabalho. A maioria possui baixo nível cultural e este é um dos fatores que mais contribui para muitos serem aliciadas pelos intermediários - “gatos” - para atuar em frentes de trabalho forçado e/ou derrubadas.

As reclamações que forem registradas nesta etapa das atividades, serão apreciadas pelos juízes das Varas do Trabalho de Sena Madureira, Feijó e Cruzeiro do Sul, respectivamente, nos dias 10, 11, 12 e 13 de novembro de 2009.

Na Amazônia, a maioria das reclamações trabalhistas é quanto ao recebimento de verbas rescisórias – inclusive precatórios trabalhistas -, trabalho forçado nas frentes de derrubada e projetos agropecuários, trabalho análogo ao de escravo, exploração de mão-de-obra índia e exploração de trabalho infantil.

Fonte: oriobranco.net

Mitsubishi recebe pedido de 100 aviões da Trans States Holding dos EUA

O conglomerado industrial japonês Mitsubishi Heavy Industries (MHI) anunciou nesta sexta-feira ter recebido uma encomenda de 100 aviões regionais MRJ (50 confirmadas e 50 opções de compra) da americana Trans States Holdings.

Esta importante encomenda eleva a 125 as unidades encomendadas do Mitsubishi Regional Jet, lançado comercialmente em março de 2008, pois a japonesa All Nippon Airways (ANA) já fez um pedido confirmado de 15 aviões e uma opção de compra de mais 10 unidades.

Em MRJ, um birreator de 70 a 100 lugares, será a primeira aeronave de transporte civil desenvolvido por uma empresa japonesa desde o YS-11, pequeno avião lançado nos anos 50.

A Trans States Holdings é a matriz da Trans States Airlines, que realiza voos regionais nos EUA para as companhias United Airlines e US Airways.

Fonte: France Presse via G1

Exército iemenita anuncia queda acidental de caça

O Exército iemenita indicou nesta sexta-feira (2) que um caça Mig-29 se chocou contra uma montanha e negou a versão de rebeldes que afirmaram que ele teria sido abatido.

"O avião chocou a uma montanha. Não foi derrubado pelos rebeldes", assegurou a Efe uma fonte militar.

Trata-se do primeiro caça destruído nos cinco anos de enfrentamentos entre o Exército e os rebeldes xiitas da província de Saada.

A força aérea iemenita é uma peça-chave desta guerra que vem desde 2004 e que se recrudesceu desde de 11 de agosto após um ano de relativa calma.

A zona na qual atuam os rebeldes é muito montanhosa e de difícil acesso pelo que o Exército usa os caças-bombardeiros, de fabricação russa, para golpear as posições, acampamentos e rotas de abastecimento.

Fonte: EFE via G1

Comissão Europeia investiga possível acordo irregular na Oneworld

A Comissão Europeia (CE) está a investigar suspeitas de concertação no sector da aviação comercial envolvendo membros da aliança Oneworld (Iberia, British Airways e American Airlines), reporta a a imprensa espanhola.

As autoridades de Bruxelas enviaram uma carta formal de acusações em Setembro às referidas companhias sobre uma alegada colaboração em serviços de transporte aéreo de passageiros em rotas transatlânticas e que a Comissão considera que podem violar as regras europeias da concorrência.

Iberia, British Airways e American Airlines, que fazem parte da Oneworld, anunciaram em Agosto do ano passado um projecto de cooperação nas ligações entre Europa e América do Norte.

Além das aéreas alvo desta investigação, a aliança Oneworld integra ainda as operadoras Qantas, Cathay Pacific, Finnair e Japan Airlines, entre outras.

Fonte: Diário Digital (Portugal)

"Bartolomeu de Gusmão" faz sua estréia em viagem a Copenhague

Presidente Lula e o avião Embraer 190

O novo avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que serve à Presidência da República, o Embraer 190, fez seu voo inaugural na quarta-feira, em viagem do presidente Lula a Copenhague (Dinamarca). Na escala feita em Lisboa (Portugal), foi feita uma pausa para fotos. Lula foi à Copenhague para participar da cerimônia do Comitê Olímpico Internacional (COI) que acabou escolhendo o Rio de Janeiro como cidade-sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

Saiba mais aqui sobre o avião, batizado de Bartolomeu de Gusmão.

Fonte:

Israel busca rechaçar acusações por crimes de guerra

Ativistas britânicos tentaram nesta semana que o ministro da Defesa de Israel fosse preso durante uma viagem à Grã-Bretanha

Após um duro relatório da ONU sobre supostos crimes de guerra cometidos na Faixa de Gaza, Israel prepara várias medidas para evitar um possível processo internacional contra seus líderes políticos e militares. O país contratou renomados advogados, pediu apoio de governos ocidentais e iniciou uma blitz de relações públicas.

Israel rejeita a investigação da ONU sobre a ofensiva militar do país na Faixa de Gaza, alegando que o documento é tendencioso. As mais recentes medidas, porém, mostram que o governo israelense está claramente preocupado.

O relatório da ONU parece ter dado força a grupos partidários dos palestinos, que esperam há anos levar os israelenses à justiça, em países que reconhecem o conceito da "jurisdição universal". Segundo esse conceito, é possível processar pessoas por crimes não relacionados com o próprio território do país ou seus cidadãos.

Ativistas britânicos tentaram nesta semana que o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, fosse preso durante uma viagem à Grã-Bretanha, por causa da guerra em Gaza. Barak saiu ileso, mas apenas porque uma corte que considerou o caso afirmou que ele tinha imunidade como ministro do gabinete.

O incidente, porém, pode dificultar as viagens de israelenses para países europeus que reconhecem a jurisdição universal. O relatório da ONU divulgado no mês passado por Richard Goldstone, um juiz judeu da África do Sul e experiente promotor que lidou com crimes de guerra, acusa os israelenses de usar força excessiva e colocar civis em risco. O documento acusa também o Hamas de cometer crimes de guerra, ao lançar indiscriminadamente ataques com foguetes em áreas civis de Israel.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU deve votar o relatório nesta sexta-feira. Isso poderia resultar em um julgamento por crimes de guerra na Tribunal Penal Internacional (TPI). A via mais comum para o TPI, porém, é através do Conselho de Segurança da ONU.

Os EUA, que possuem cadeira permanente no Conselho de Segurança, com direito de veto, não permitiriam que Israel fosse processada por crimes de guerra. Os obstáculos ao tribunal internacional podem estimular que países tentem julgar os membros do governo israelense em seus tribunais.

Em 2001, ativistas tentaram que o então primeiro-ministro Ariel Sharon fosse julgado na Bélgica por vínculos com um massacre em um campo de refugiados em Beirute em 1982. Em 2005, um general da reserva israelense ficou em seu avião, em Londres, após saber que a polícia estava esperando para prendê-lo.

Mais cedo neste ano, o juiz espanhol Baltasar Garzón lançou uma investigação contra sete funcionários israelenses por um ataque aéreo em Gaza de 2002, que matou um militante do Hamas e 14 civis. Todos esses esforços, porém, fracassaram até o momento.

Preocupadas, autoridades israelenses estabeleceram uma força-tarefa com especialistas em Direito e advogados militares, para proteger funcionários de possíveis processos no exterior. A informação foi divulgada por um funcionário que pediu anonimato. A iniciativa também prevê a contratação de advogados no exterior, para analisar a questão em países específicos.

A ofensiva israelense em Gaza matou 1.400 palestinos, incluindo mais de 900 civis. Trinta israelenses foram mortos no mesmo período. Israel alega que a maioria das vítimas em Gaza era de militantes e que civis foram atingidos pois os membros do Hamas buscavam proteção em áreas residenciais.

Fonte: Associated Press via Gazeta do Povo

EUA: famílias de vítimas do voo 447 processam Air France e Airbus

As famílias dos americanos que morreram na queda do voo AF447 que ia do Rio de Janeiro a Paris, no dia 1º de junho, entraram com um processo contra Air France e Airbus perante um tribunal de Houston (Texas, sul dos Estados Unidos), segundo documentos judiciais divulgados nesta quinta-feira.

Segundo a demanda apresentada pelas famílias de Michael e Anne Harris, que viviam na região de Houston, o acidente foi uma consequência de falhas no Airbus A330-200 da Air France.

Os herdeiros de Michael e Anne Harris reclamam uma indenização por danos e interesses cujo valor não foi especificado, em um processo que também aponta os fabricantes de componentes Honeywell International, Rockwell Collins e Thales.

O voo AF 447 caiu na madrugada do dia 31 de maio no oceano Atlântico entre a costa do Brasil e da África, após ter decolado do Rio de Janeiro. Os 228 ocupantes da aeronave morreram na tragédia. Havia pessoas de 32 nacionalidades diferentes, incluindo 59 brasileiros, 72 franceses e 26 alemães.

As causas do acidente ainda não foram establecidas, e as caixas-pretas do Airbus não foram encontradas.

Fonte: AFP

Tragédia do Airbus da TAM: Polícia Federal é inepta ou covarde

A Polícia Federal concluiu as investigações sobre a tragédia com o Airbus da TAM.

Clique aqui para ler.

Não encontrou culpados.
Ou é incompetente.
Ou é covarde.

Covarde, porque teve medo de afrontar o PiG (*), que culpou o presidente Lula por não puxar o freio do avião.

Covarde, porque teve medo de desmentir a Polícia Civil de São Paulo, sob o comando de Zé Pedágio, que culpou o presidente Lula por não puxar o freio do avião.

Essa, aliás, é a única opinião que se sobressaiu na cobertura do jornal nacional: um representante das vítimas que disse, na letra miúda, que o culpado era o presidente Lula.

O Governo Lula conseguiu transformar a Polícia Federal (que foi Republicana, no tempo do inclito delegado Paulo Lacerda) em alguma coisa pior do que a Polícia Federal do antecessor.

Vamos ver se a Polícia Federal tem coragem de entrar na Folha para saber quem vazou a prova do Enem.

Clique aqui para ler a suspeita do Conversa Afiada.

E aqui para ler a nota da empresa da Folha.

Cadê a investigação sobre o áudio do grampo do Gilmar Dantas (**)

Cadê a investigação da Andrea Michael sobre os empreiteiros ?

Quando a Polícia federal vai demitir o ínclito delegado Protógenes Queiroz que ousou prender, duas vezes, um banqueiro de olhos azuis ?

Por Paulo Henrique Amorim (Conversa Afiada)

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

(**) Repare, amigo navegante, como o notável jornalista do Globo (do Globo !), Ricardo Noblat, se refere a Ele, o Supremo.

Manter rotina ajuda animal a enfrentar o avião com saúde

Alexandre Rossi, o Dr. Pet, sugere levar objetos com os quais o cão esteja habituado para dar segurança

Não basta agendar o passeio com a companhia aérea, providenciar documentos e encontrar hospedagem "pet friendly" para garantir que seu bicho faça uma boa viagem.

Antes de embarcá-lo, especialistas em comportamento e turismo animal sugerem que os donos devem mudar a rotina do cão ou gato o mínimo possível.

"Quando o bicho viaja, muita coisa muda. Ele pode ficar estressado, propenso a desenvolver problemas de saúde. Tem de evitar mais mudanças que o necessário", diz Alexandre Rossi, especialista em comportamento animal e apresentador do quadro Dr. Pet no "Domingo Espetacular", da TV Record.

Na hora de preparar a bagagem de seu cão ou gato, escolha objetos aos quais ele já esteja habituado -que darão segurança a ele em um ambiente novo. E não se esqueça de levar ração suficiente para a viagem.

No caso dos gatos, a alimentação requer cuidados especiais. Quando chegam a um ambiente estranho, alguns felinos param de comer e, em consequência disso, podem desenvolver uma doença chamada lipidose hepática. Para que ele se interesse mais pela comida, comece a diminuir um pouco a quantidade de ração 20 dias antes da viagem.

Se o seu bicho não estiver acostumado a viajar na caixa de transporte, comece a adaptá-lo dias antes. "Coloque as vasilhas de água e comida presas à caixa e um brinquedinho para ele", diz Larissa Rios, autora do site Turismo 4 Patas (www.turismo4patas.com.br).

Caso haja a necessidade de sedá-lo, procure um veterinário."É preciso experimentar a dosagem do remédio antes da viagem", afirma Rossi. O animal não deve ser alimentado pelo menos duas horas antes do voo para evitar enjoos. E deve ficar o tempo todo com coleira e identificação.

Famosas dão dicas de viagem com mascotes

Pegar a ponte área Rio-São Paulo tornou-se rotina para a poodle Belinha, mascote do programa "Mais Você", da Globo. Há mais de seis anos, ela acompanha a apresentadora Ana Maria Braga em viagens profissionais e de férias.

Acostumada à agenda intensa da dona, ela - assim como a yorkshire Sombrinha e a crested dog Cristal, as outras cadelinhas de Ana- não costuma dar trabalho na hora de embarcar. "Minha maior preocupação quando vou viajar com elas é com vacinas e documentação. A falta dos documentos certos pode atrapalhar qualquer viagem", alerta Ana Maria Braga.

A atriz Guilhermina Guinle viaja de avião com o maltês Cãozinho e a yorkshire Lila desde filhotes. Para que a viagem seja tranquila, ela sugere que os donos invistam em conforto. "Uma dica que eu dou é sempre ter uma bolsa boa, confortável para o animal e com um bom espaço dentro. Isso permite que eles se sintam à vontade durante o voo".

Dona dos labradores Marley e Gisele e dos vira-latas Dino e Preta, a apresentadora Luisa Mell diz que é importante adaptar os bichos à caixa de transporte. "Para cachorro é tudo costume. Uma semana antes, é bom deixar o bicho na caixa de transporte. Quando tirar, dê uma bolachinha. Faça uma espécie de adestramento mesmo".

Vira-lata é narrador de 4 livros relatando viagens à Europa

Em 1980, uma cadela deu cria na casa do artista plástico e escritor Antonio Costella, que acabou adotando um dos filhotes. Foi o início de uma amizade inseparável de 14 anos- e de uma bela "parceria" turística e literária. O vira-lata Chiquinho é o narrador de quatro livros sobre viagens escritos por ele.

Tudo começou quando o veterinário aconselhou Costella a levar o animal em uma viagem à Europa. "Ele era muito apegado à família. O veterinário disse que ele ia morrer se ficasse para trás", conta. E assim Chiquinho viajou por Portugal, Grécia, França, Itália e Espanha.

O resultado foram os livros "Patas na Europa" (1993), "Patas 2 - A Viagem Continua" (1994), "Patas 3 - Ossos de Pizza" (1995) e "Patas 4 - A Odisseia Final" (2000), todos da editora Mantiqueira (www.editoramantiqueira.com.br), fundada por Costella, que também é fundador da Casa da Xilogravura (www.casadaxilogravura.com.br).

"O Chiquinho como narrador me deu uma vantagem, porque ninguém sabe, por exemplo, se cachorro vê fantasma. Então ele encontra personagens históricos, Júlio César, Napoleão", conta Costella.

As viagens com o cão também tiveram seus momentos mais tensos. "Cachorro de mais de 7 kg ia no porão do avião, numa caixa. É muito preocupante, o dono só volta a ver o bicho no desembarque", relembra Costella.

Segundo ele, a convivência com Chiquinho trouxe mais que a série de livros narrados pelo cão. "Mudou minha vida, acabou mudando minha cabeça", diz. "Comecei a me interessar mais por questões como o respeito pelos animais, a relação entre homem e natureza".

A amizade entre autor e cão-narrador foi celebrada também em "Vida de Cachorro - Uma Biografia Não Autorizada" (1995), que conta a história de Chiquinho -não por acaso, o cão é o símbolo da editora Mantiqueira. A biografia e os livros da série Patas foram reunidos em um só volume, "Patas na Europa" (Ediouro).

Fontes: Ana Sousa, Luisa Alcantara e Silva, Marina Della Valle (Folha de S.Paulo)

Voar com animal de estimação envolve taxas e burocracia

Levar o animal de estimação pode dar muita alegria à viagem, mas não é lá tão simples. Para embarcá-lo, é preciso prestar atenção ao regulamento de cada companhia aérea.

Entre as exigências, está a necessidade de um atestado de vacinação recente.

Tanto o animal menor como o maior deve viajar na gaiola -chamada também de kennel ou contêiner. Uma pequena sai por cerca de R$ 90. Mas, dependendo do tamanho do seu bicho, pode custar R$ 300. Além disso, é preciso ver se vale a pena, pois a viagem pode sair cara.

O designer Pedro Fontana pagou mais barato por sua passagem do que pela de seu cão pinscher Neguinho num voo de São Paulo a Porto Alegre, em julho deste ano. A passagem de Pedro custou R$ 98 e, a do animal, R$ 120.

"Foi engraçado. Como ele é muito simpático, fez o maior sucesso no check-in", disse.

Apesar de pequeno, Neguinho foi junto com as bagagens, acomodado em um compartimento onde a temperatura é climatizada. Mas há a opção -mais simples- de levar o animal na cabine. Nesse caso, a gaiola deve ser colocada embaixo da poltrona do passageiro.

Além de não ter de despachar o bicho, a opção é melhor pois o dono fica durante o voo todo perto do animal, ou seja, não passa o nervoso de não saber o que está acontecendo com ele -porque nenhuma informação é dada sobre o animal no avião.

Por isso, a socialite Linda Conde, que tem cinco cachorros, só leva a poodle Beauty nas suas andanças pelo mundo. Os outros quatro são pastores e golden retrievers e não poderiam ir na cabine. "Não teria coragem de mandá-los longe de mim", diz ela, que só leva os maiores em viagens de carro. Azar deles: a pequena Beauty já conheceu, entre outros locais, Itália, França, Espanha e EUA.

Fonte: Luisa Alcantara e Silva (Folha de S.Paulo) - Imagem: Editoria de Arte/Folha Imagem

Viajar de avião com cachorro ou gato requer preparo

Quem tem animal sabe: sempre que o programa é uma viagem, é um imbróglio decidir onde ou com quem o cachorro ou o gato ficará. Levá-los acaba sendo uma opção mais comum quando a viagem é feita de carro e não é tão longa.

E quem vai viajar para longe mas não quer desgrudar do bichinho? Ou porque é muito apegado ou porque não confia em ninguém, esse tipo de dono de animal de estimação existe. E, para eles, há uma saída: embarcá-los em um avião.

Isso mesmo. A Lufthansa, por exemplo, transportou em 2007 quase 56 mil animais -cerca de 35 mil foram na cabine, pertinho do passageiro. Mas essa opção é só para quem tem animais pequenos.

"É muito simples viajar com o seu animal", diz Mariane de Figueiredo. Ela trouxe da Holanda, em agosto, dois gatos e garante não ter tido problemas. Já animais maiores são normalmente transportados no setor de bagagens, em um ambiente climatizado. O nervosismo, relatado por alguns donos que já viajaram com seus animais, acaba no fim do voo. Depois, você pode curtir a viagem com o seu animal.

Editoria de Arte/Folha Imagem - Clique na imagem para ampliá-la

Proibido para humanos

Empresa norte-americana inaugurada em julho trocou assentos por gaiolas e transporta apenas animais - Foto: David McNew (Getty Images)

Foram exatamente a dificuldade de viajar com bichos e a preocupação que os voos no setor de bagagens costumam despertar nos donos os maiores motivos da criação da Pet Airways (http://www.petairways.com/), empresa aérea que transporta vários tipos de animais -menos humanos.

A companhia americana, que começou a voar em julho, adaptou aviões Beech 1900, que comportam 19 passageiros, colocando caixas de transporte no lugar dos assentos. Os animais vão na cabine principal, acompanhados por "pet attendants" (atendentes de animais, em inglês).

A companhia garante que os animais terão intervalos regulares para ir ao banheiro, alimentação e atenção especial antes e depois do embarque e desembarque.

Tanto cuidado tem lá suas desvantagens: as viagens da Pet Airways duram mais tempo do que as de outras companhias. A Pet Airways opera apenas voos internos dentro dos EUA.

NÚMEROS

15
é o número de modelos de Certificados Zoosanitários Internacionais que o Ministério da Agricultura possui em parceria com países como Canadá e Hong Kong

5 meses
a partir dessa idade cães e gatos podem tomar vacina antirrábica e estão aptos a viajar

3 dias
é a validade do atestado de saúde até a emissão do CZI

5 a 120 dias
é o tempo que pode durar a quarentena no Havaí

6 meses
é o período máximo de quarentena em Londres

Fontes: Ana Sousa, Luisa Alcantara e Silva, Marina Della Valle (Folha de S.Paulo - Colaborou Jean-Philip Struck)

Entrega Aeronave CBA 123 restaurada ao MAB

Memorial Aeroespacial Brasileiro recebe primeiro protótipo do avião.

A Embraer entregou no dia 1º de outubro (quinta-feira), o primeiro protótipo do avião CBA 123 para o Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB). A cerimônia foi realizada nas instalações do Memorial, localizado nas dependências do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), próximo ao Aeroporto de São José dos Campos e da própria Embraer. A aeronave foi recuperada pela Embraer como parte das atividades de comemoração dos 40 anos da Empresa e ficará exposta na área externa do MAB.

“É uma grande honra para a Embraer ver o primeiro protótipo do CBA 123 exposto ao público no Memorial Aeroespacial Brasileiro”, disse Horacio Forjaz, vice-presidente executivo de Assuntos Corporativos da Embraer. “Com esta entrega, garantimos a preservação de mais um importante capítulo da história da indústria aeronáutica brasileira.”

“O Memorial tem apenas cinco anos de existência, mas 2009 ficará marcado em sua história como o ano em que demos um grande passo na ampliação do acervo: recebemos o protótipo número 2 do Bandeirante restaurado pela Embraer; a coleção particular do idealizador e fundador do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do DCTA, Marechal Casimiro Montenegro Filho; e agora o CBA 123”, disse o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Cleonilson Nicácio Silva, Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

O evento marcou a conclusão do projeto de recuperação dos dois protótipos do CBA 123, aeronave com capacidade para 19 passageiros desenvolvida pela Embraer no final dos anos 1980. Os trabalhos começaram no início de 2008 e foram realizados por alunos do curso de mecânica geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), sendo concluídos no último mês de maio. O segundo protótipo do CBA 123, matrícula PT-ZVB, foi entregue ao Museu Aeroespacial (MUSAL), no Rio de Janeiro, em agosto passado.

Uma oportunidade especial para conhecer o CBA 123 e o restante do acervo do MAB será o próximo sábado, dia 3 de outubro, quando o DCTA abrirá suas portas das 10 às 17 horas para comemorar a Semana da Asa junto à comunidade do Vale do Paraíba. Em homenagem ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, 23 de outubro, haverá apresentações da Esquadrilha da Fumaça e de pára-quedismo, pára-pente e aeromodelismo, além da exposição estática de aeronaves civis e militares, incluindo modelos fabricados pela Embraer.

Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB)

O Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB) foi criado em 2004. Ocupa uma área de 75 mil metros quadrados e está localizado nas dependências do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). A missão do MAB é preservar e difundir a história da pesquisa e desenvolvimento nacional no setor aeroespacial, além de estimular nos jovens o gosto pela ciência e pela aviação, a fim de despertar novas vocações para a engenharia aeronáutica. Possui um salão de exposição, uma sala multimídia, um auditório com capacidade para 100 pessoas e uma ampla área externa com diversas aeronaves e foguetes expostos. O acervo do museu inclui maquetes dos foguetes Sonda, do VLS e do avião Convertiplano – um dos primeiros projetos aeronáuticos brasileiros, desenvolvido na década de 1950, além do veículo Dodge, pioneiro carro movido a álcool na década de 70, do planador Urubu e das aeronaves AMX e Bandeirante (um protótipo e outro de série) fabricadas pela Embraer. O MAB está aberto para visitação pública aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 17 horas e a entrada é gratuita. De terça a sexta-feira, o MAB recebe a visita de grupos pré-agendados, principalmente estudantes.

Perfil da aeronave CBA 123

Um acordo de cooperação no setor aeronáutico entre Brasil e Argentina, em 1987, resultou no desenvolvimento de um projeto em parceria entre a Embraer e a Fábrica Argentina de Material Aeroespacial (FAMA): o CBA 123 (a sigla CBA significa Cooperação Brasil- Argentina), comercialmente denominado Vector.

O CBA 123 foi uma aeronave sofisticada e moderna, que apresentava significativas melhorias em termos de inovações técnicas, velocidade, segurança e conforto. Equipada com motor tipo pusher instalado na parte traseira da fuselagem, com hélices na parte posterior, a aeronave foi projetada com 19 assentos. A campanha de certificação contou com dois protótipos e o primeiro vôo foi realizado pela aeronave prefixo PT-ZVE no dia 18 de julho de 1990.

O avançado projeto demonstrou-se incompatível com as expectativas do mercado, que no início da década de 1990 experimentou acentuada crise logo após a primeira Guerra do Golfo, levando à sua inviabilidade econômica e conseqüente cancelamento da produção. O acordo de cooperação técnica com a indústria argentina foi descontinuado a partir de 1991 e o projeto finalmente encerrado em 1995. Várias das tecnologias desenvolvidas para o CBA 123, entretanto, foram mais tarde incorporadas ao programa ERJ 145.

Perfil da Embraer

A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - NYSE: ERJ; Bovespa: EMBR3) é uma Empresa líder na fabricação de jatos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a Empresa mantém escritórios, instalações industriais e oficinas de serviços ao cliente no Brasil, Estados Unidos, França, Portugal, China e Cingapura. Fundada em 1969, a Embraer projeta, desenvolve, fabrica e vende aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva e defesa. A Empresa também fornece suporte e serviços de pós-vendas a clientes em todo o mundo. Em 30 de junho de 2009, a Embraer contava com 17.237 empregados – número que não inclui empregados de suas subsidiárias não-integrais OGMA e HEAI – e possuía uma carteira de pedidos firmes a entregar de US$ 19,8 bilhões. http://www.embraer.com.br/.

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: Divulgação/Embraer

Sonda Phobos-Grunt levará micro-organismos ao espaço

Passageiros indesejáveis integram a missão russa que deverá trazer amostras de lua marciana

Fato inédito: se tudo correr como foi planejado, em breve Phobos, a maior das duas luas de Marte, receberá visitantes bacterianos

Na exploração do espaço, o Planeta Vermelho sempre é o destaque das missões científicas. Mas há boas razões também, para se observar Phobos ─ a mais interna e maior das pequenas duas luas de Marte. A Agência Federal Espacial Russa (Roscosmos) pretende lançar no próximo mês, a bordo de um foguete Zenit, a sonda Phobos Grunt exatamente com essa finalidade. A missão, de três anos, consiste em fazer pousar uma sonda na lua distante, colher amostras do solo para análise e trazê-las de volta à Terra para uma análise detalhada. O nome da sonda em russo, significa “solo de Phobos”.

Se bem-sucedida, a Phobos-Grunt será uma vitória para a Roscosmos. Por muito tempo a Rússia se esforçou para chegar a Marte, mas não conseguiu realizar uma missão interplanetária com sucesso por décadas. Em 1996, a Rússia lançou o Mars 96 para explorar o Planeta Vermelho, mas ocorreu uma falha do foguete ainda em órbita da Terra. A Phobos-Grunt será pioneira, também, ao trazer a primeira amostra de uma superfície planetária desde a Luna 24, da antiga União Soviética, em 1976.

Como lua, Phobos é estranha. Com a forma de uma batata, mede somente 27 km em sua parte mais larga e orbita Marte a uma distância de somente de 6 mil km. Os pesquisadores acreditam que Phobos e sua companheira ainda menor, Deimos, surgiram como asteroides que foram gravitacionalmente empurrados para a órbita de Marte. As agências espaciais querem saber se o interior poroso dessas luas contém água, que seria ultilizada por futuros visitantes de Marte.

A Rússia já tentou chegar a esse destino antes. Falhas de computador fizeram com que as naves Phobos 1 e 2, ambas lançadas em julho de 1988, fossem abandonadas antes que pudessem completar suas missões. Nos últimos meses, surgiram rumores de que o lançamento da Phobos-Grunt será adiado para 2011, na melhor das hipóteses, quando a janela de vôo se abrir novamente.

Com esse atraso, os pesquisadores poderiam ter mais tempo para excluir itens desnecessários da carga útil da sonda. A Planetary Society ─ um grupo de defesa e exploração do espaço sediado na Califórnia ─ trabalhando em conjunto com o Instituto de Pesquisa Espacial da Academia Russa de Ciências, conseguiu que a Phobos-Grunt transporte o Experimento de Voo Interplanetário Vivo (Life, na sigla em inglês), um grupo de amostras de vida terrestre que deverá seguir para Phobos e voltar na nave russa.

O objetivo, segundo Bruce Betts, gerente do experimento para a Planetary Society, é procurar evidências da transpermia, a ideia de que a vida pode ter surgido em um outro corpo do Sistema Solar e sido transportada, via meteoritos, para semear vida em outro corpo. “A vida pode ter se desenvolvido primeiro em Marte, ter sido expulsa de lá e depois ter vindo para a Terra.”

Embora o Life não possa investigar um cenário tão detalhado, Betts acredita que os resultados serão acrescentados a outros semelhantes já obtidos por naves espaciais. Bactérias sobreviveram em órbitas baixas da Terra por até seis anos, mas rara, e momentaneamente, saíram da proteção da magnetosfera terrestre, que desvia os raios cósmicos prejudiciais provenientes das profundezas do espaço. (Quando o Apollo 12 voltou à Terra, em 1969, com a câmara da sonda não tripulada Surveyor 3, que passou mais de dois anos sobre a superfície lunar, os cientistas acharam o Streptococcus mitis, um possível passageiro clandestino embarcado antes de a sonda ser lançada. Mas a procedência da bactéria não é clara, e alguns suspeitam que a câmara foi contaminada depois de seu retorno à Terra).

Os microrganismos do Life foram escolhidos tendo esse risco em mente. Entre as quatro bactérias que farão a viagem estão as Deinococcus radiodurans resistentes à radiação. Tardígrados, invertebrados microscópicos octópodes ─ também conhecidos como ursos d´água ─ foram selecionados por sua capacidade de restaurar danos do DNA. Fechando o grupo há três espécies de archaea, também conhecidas como extremófilos, por sua capacidade de proliferar em condições adversas a outras formas de vida na Terra ─ juntamente com outras leveduras, sementes da planta, e uma amostra de solo coletada do deserto Negev, em Israel. A maioria das amostras será liofilizada e conservada para a viagem, para resistirem melhor ao frio do espaço.

A coleção Life será acondicionada em frascos individuais dispostos em um disco de titânio com a espessura de um cartão de crédito. Betts observa que a embalagem foi testada para ser submetida a forças de aceleração de 4.000 g, ou 100 vezes a aceleração prevista durante o retorno da nave.

No entanto, alguns cientistas espaciais estão tentando entender por que colocar micro-organismos terrestres perto de Marte, num primeiro momento, levando em conta que as vantagens científicas são bastante modestas. “Meteoritos sobrevivem por milhões de anos ─ porque uma viagem de três anos seria relevante," questiona Daniel Glavin, astrobiólogo do Centro de Voos Espaciais Goddard da Nasa, em Greenbelt, Maryland.

Por mais estranho que possa parecer, o experimento atende às proibições internacionais sobre contaminação de Marte ou de outros corpos que possam ter vida, comenta Catherine Conley, funcionária da proteção planetária da Nasa. Ao contrário do planeta que orbita, e sem ar, Phobos certamente é estéril e, portanto, desde que a Roscosmos forneça informações detalhadas do voo, confirmando que Phobos-Grunt vai atingir a lua alvo ─ uma distância segura de Marte ─ a missão estará autorizada.

“É desagradável,” observa Conley, “mas temos regras. E regras claras”.

Fonte: JR Minkel (Scientific American Brasil) - Imagem: NASA

NASA altera local onde sonda se chocará com a Lua

Gelo na Lua

Esta imagem mostra as regiões na Terra que estarão voltadas para a Lua no momento do impacto. Esta é uma visão da Terra como se ela estivesse sendo observada a partir do polo Sul lunar no momento do impacto

No próximo dia 09 de Outubro, sexta-feira, a sonda espacial LCROSS será guiada para chocar-se contra a superfície do polo Sul da Lua.

O principal objetivo do impacto é levantar uma nuvem de poeira e detritos que serão analisados em busca de sinais da existência de água congelada nas frias crateras do polo Sul lunar, que permanecem eternamente sombreadas.

Na última sexta-feira, cientistas reportaram a localização de moléculas de água na Lua (Sonda espacial indiana encontra água na Lua). Mas estas moléculas estão dispersas na camada superficial de poeira da Lua e não ocorrem em quantidade suficiente para formar cristais de gelo. A expectativa dos cientistas é que isto possa ocorrer no interior das crateras mais frias.

Cabeus

Anteriormente a NASA havia escolhido a cratera Cabeus A como alvo para o impacto da LCROSS. Mas uma análise mais detalhada dos dados de várias sondas espaciais, incluindo a indiana Chandrayaan-1, que descobriu as moléculas de água na Lua, a japonesa Kaguya, e LRO, relevaram que a concentração de hidrogênio na cratera Cabeus A não é tão elevada quanto os cientistas haviam suposto, o que diminui a possibilidade de ocorrência de água.

Como resultado da nova análise, o local do choque foi alterado para um pouco mais próximo ao polo Sul da Lua, na cratera Cabeus (sem o A). A Cabeus é quase duas vezes maior do que o alvo anterior, com 98 quilômetros de largura.

Sobre as montanhas

O inconveniente da nova cratera é uma grande montanha no seu lado nordeste, com quase seis quilômetros de altura. Isso significa que os instrumentos que observarão a nuvem de poeira aqui da Terra terão que esperar até que ela ultrapasse a montanha.

Mas os cientistas esperam tirar proveito disso, já que a própria montanha oferecerá um plano de fundo de alto contraste para a medição dos vapores e da poeira liberados pelo impacto.

O impacto da LCROSS está previsto para ocorrer às 08h30 do próximo dia 9 de Outubro, no horário de Brasília. Veja mais detalhes sobre a missão e como se dará o impacto na reportagem NASA revela local onde sonda espacial irá se chocar com a Lua.

Fonte: Site Inovação Tecnológica - Imagem: NASA

Asteroide está bem perto da Terra, diz astrônomo

O 2009 ST19 tem um quilómetro de diâmetro e em 2038 estará muito próximo da Terra

Imagem do 2009 ST19 - Foi detectada no dia 13 de Setembro a presença de um asteróide com um quilómetro de diâmetro a 645 mil milhas da Terra

Asteroide de quase mil metros de diâmetro está a cerca de 600 mil quilômetros da Terra - distância equivalente a menos de duas vezes a que separa a Terra da Lua. "É a menor distância já constatada no que diz respeito a um asteroide", disse o astrônomo espanhol Josep Maria Bosch em entrevista ao jornal espanhol El País.

O corpo celeste acompanha a Terra por uma órbita paralela. Ele foi batizado por cientistas como 2009 ST19, e vai acompanhar a Terra por mais uma semana, até que suas órbitas se separem. O astro foi observado pela primeira vez no dia 16 de setembro e foi incluído na lista de asteroides potencialmente perigosos, cujas órbitas se cruzam com a da Terra.

Os primeiros cálculos indicam que a aproximação mais perigosa do ST19, que dá uma volta pelo Sol a cada 3,6 anos, se produzirá aproximadamente em 2038. O registro foi feito pelo Centro de Observación del Universo de Ager, em Lérida, na Catalunha (Espanha).

A Nasa, agência espacial americana, não tem verba para observar todos os asteroides que rondam a Terra, segundo relatório da Academia Nacional de Ciências dos EUA.

O Congresso dos Estados Unidos nunca aprovou o financiamento para a construção dos telescópios necessários ao monitoramento dos corpos celestes, que podem causar catástrofes caso atinjam a Terra. Os asteroides deveriam ser identificados até 2020.

Fonte: O Dia Online via Terra / Ciência Hoje (Portugal) - Imagem: AFAM/CARA