sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Alemanha usa 'simulador de helicóptero' para treinar resgates

Treinamento indoor é feito em salão com 20 metros de altura.

Equipamento permite simular vários cenários de resgate.

Equipes alemãs ensaiam resgate em 'simulador de helicóptero' em Bad Toelz, na Bavária, sul do país

A simulação 'indoor' é feita em um salão de 20 metros de altura, que permite simular vários cenários de resgate

Fonte: G1 - Fotos: AP

Consórcio italiano faz nova proposta pela Alitalia

A Companhia Aérea Italiana (CAI), o consórcio de empresários nacionais constituído para salvar da falência a insolvente empresa aérea Alitalia, apresentou hoje finalmente sua oferta vinculativa pelas áreas lucrativas da firma de bandeira italiana, segundo a imprensa local.

A oferta, segundo uma nota da CAI, abarca um projeto "ambicioso e, por sua vez, realista" que permite à companhia se situar "como um dos mais importantes atores na área européia" e tem conseqüências "positivas do ponto de vista empregatício" pelos 12.500 trabalhadores que a sociedade absorverá.

O prazo fixado pelo comissário extraordinário para a companhia aérea nomeado pelo Governo, Augusto Fantozzi, expirava hoje, pelo que o Conselho de Administração da CAI se reuniu à tarde em Roma para estudar a proposta definitiva.

Isso aconteceu após o grupo ter assinado, meio-dia, o convênio coletivo da futura companhia aérea com os quatro sindicatos majoritários italianos.

No entanto, a rejeição a este acordo por parte de um sindicato de base (SDL) e quatro organizações de pilotos e assistentes de vôo deixou em suspenso o lançamento da oferta.

O presidente da CAI, Roberto Colaninno, já tinha declarado que o acordo de todos os representantes dos trabalhadores sobre o convênio era condição fundamental para a apresentação da oferta.

No entanto, a Companhia Aérea Italiana ignorou o fato de os representantes dos sindicatos UP, ANPAC, ANPAV, SDL e AVIA terem afirmado que não assinarão o convênio coletivo e apresentou a proposta.

Por enquanto, não foram divulgados os detalhes da oferta apresentada pela CAI, cujo Conselho de Administração para os próximos dois anos foi nomeado na terça-feira passada.

Na mesma assembléia de acionistas foi ampliado para 1,1 bilhão de euros o capital da sociedade, formada por 19 empresários italianos.

Um dos aspectos ainda não concretizados é a entrada de uma companhia aérea estrangeira na nova Alitalia, apesar de a nota divulgada hoje pela CAI destacar que a oferta "define os termos de uma importante associação com um dos três principais operadores mundiais do setor".

Os dois grandes candidatos são Air France-KLM e Lufthansa, apesar de a imprensa italiana apostar na primeira empresa, já que o plano do grupo potencia o aeroporto romano de Fiumicino, que interessa mais à franco-holandesa, frente aos aeroportos de Milão, preferidos pela companhia aérea alemã por sua proximidade geográfica.

Fonte: EFE

Anac: crise não vai atrasar concessão de aeroportos

Os editais de concessão dos aeroportos internacionais Antonio Carlos Jobim (Galeão) e Viracopos (Campinas) podem ficar prontos até o final do primeiro semestre do ano que vem. A estimativa foi dada nesta tarde pelo diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Ronaldo Serôa da Motta, que participou de um seminário sobre regulação de aeroportos no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no centro do Rio. A crise mundial, segundo Serôa da Motta, não deverá atrasar esse cronograma.

De acordo com o diretor da Anac, a primeira etapa para a elaboração dos editais deverá ser concluída até o final deste ano, prazo em que o Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac) vai estabelecer as diretrizes e os parâmetros para a concessão do Galeão e de Viracopos. Integram o Conac os ministérios da Defesa, das Relações Exteriores, da Fazenda, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, do Turismo, da Casa Civil e do Planejamento, além do Comando da Aeronáutica.

Fonte: Agência Estado

Infraero faz simulação de acidente no Aeroporto Salgado Filho

Com pane no motor e fogo na asa, avião fez pouso de emergência no RS.

Ação teve o objetivo de avaliar o tempo de resposta da equipe de socorro.


Uma simulação de um acidente aéreo chamou a atenção de quem circulou pelo Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, na manhã desta sexta-feira (31).

Com uma pane no motor e fogo na asa esquerda, o avião precisou fazer um pouso de emergência. Mais de 30 passageiros e cinco tripulantes estavam na aeronave.

A simulação foi feita para testar a capacidade e o tempo de resposta da equipe de emergência do aeroporto para atender um caso de acidente. A ação foi organizada pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

Fontes: G1 / Zero Hora - Foto: Emílio Pedroso (Zero Hora/Ag.RBS)

Avião sai da pista no pouso e quase cai no mar nas Ilhas Canárias

Incidente com aeronave da Air Europa ocorreu em Lanzarote.

Os 74 passageiros e 6 tripulantes não ficaram feridos.

Um avião da Air Europa que saiu da pista após pousar no aeroporto de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, na manhã desta sexta-feira (31), e quase caiu no mar. A aeronave vinha de Glasgow, na Escócia, e o pouso defeituoso ocorreu às 7h15 locais (4h15 do horário brasileiro de verão). Os 74 passageiros e seis tripulantes não se machucaram, segundo as autoridades. O motivo do acidente ainda é desconhecido.

Fonte: G1 - Fotos: Reuters/ EFE

Encontrados ossos perto do avião de Steve Fossett

Investigadores da Califórnia que procuram o milionário desaparecido Steve Fossett encontraram ossos e artigos pessoais perto dos destroços do avião do aventureiro, informa o jornal Los Angeles Times.

Os investigadores encontraram ossos, um par de tênis esportivos, cartões de crédito e a carteira de motorista de Fossett a 800 metros do local onde seu avião foi encontrado, no início de outubro.

Os ossos, que podem ser humanos, foram enviados a um laboratório para a realização de exames de DNA, segundo xerife do condado de Madera, John Anderson. Os resultados podem estar prontos na próxima semana.

Fossett - um milionário que bateu dezenas de recordes mundiais em barcos, planadores e balões - desapareceu em 3 de setembro de 2007 depois de ter decolado de um aeropuerto de Yerington, em Nevada.

O desaparecimento desconcertou as equipes de socorro, que só encontraram rastros do aventureiro mais de um ano depois, em 2 de outubro deste ano, quando um montanhista localizou na zona das montanhas de Serra Nevada documentos de identidade com o nome de Fossett.

Fonte: AFP - Foto: EPA

Supremo das Filipinas determina que aeromoça era gorda demais para função

Sentença enfatiza segurança do passageiro.

Disputa legal foi iniciada há quase 20 anos pela aeromoça.

A Corte Suprema das Filipinas confirmou nesta sexta-feira (31) a sentença de que a comissária de bordo Armanda Yrasuegi, de 98,5 kg, era gorda demais para desempenhar a profissão na companhia Philippine Airlines, de onde foi demitida em 1989.

"A segurança dos passageiros é o trabalho principal de um assistente de cabine. No avião, o tamanho e o peso são fatores importantes a considerar em caso de emergência", afirma a sentença do tribunal, que acaba com uma disputa legal iniciada há quase 20 anos pela aeromoça.

"Em um avião, os corredores são estreitos e as portas de emergência, pequenas", acrescenta o documento de 28 páginas sobre o caso de Yrasuegi, que tem 1,73 metro de altura.

A sentença também critica as oscilações de peso da aeromoça, pois, diz, "indicam uma ausência de força de vontade e inclusive (a existência de) uma doença".

Fonte: EFE

Anac confirma que aeroporto de Rio Branco (AC) não será interditado

Agência irá enviar comunicado às empresas aéreas informando que não existem restrições para a retomada da venda de passagens

Por Viviane Teixeira (Agência de Notícias do Acre)

A Agência Nacional de Aviação Civil irá comunicar as empresas TAM e Gol as medidas que estão sendo adotadas em relação as adequações que devem ser efetivadas no aeroporto de Rio Branco, informando que não existe nenhuma restrição à retomada imediata das vendas de bilhetes aéreos com origem ou destino ao aeroporto da capital acreana.

Em nota, a Anac destaca ainda que a Infraero tem até o dia 6 de novembro para apresentar um Plano de Monitoramento e Manutenção Permanente da pista de pouso até que os reparos sejam feitos. Ficou acordado ainda que a Infraero, no menor prazo possível, deverá entregar a Anac um Plano de Ação Corretiva (PAC) visando à Certificação Operacional do Aeroporto de Rio Branco dentro dos padrões dispostos na RBHA 139.

Medidas para o Aeroporto de Rio Branco (AC)

Brasília, 30 de outubro de 2008 - Em reunião realizada no dia 28/10/2008, a ANAC e a Infraero acordaram as seguintes medidas sobre o Aeroporto de Rio Branco, no Acre.

1. A INFRAERO apresentará à ANAC no dia 6 de novembro de 2008 um Plano de Monitoramento e Manutenção Permanente da pista do Aeroporto de Rio Branco, até que as não-conformidades sejam solucionadas;

2. A INFRAERO apresentará à ANAC, no menor prazo possível, um Plano de Ação Corretiva (PAC) visando à Certificação Operacional do Aeroporto de Rio Branco dentro dos padrões dispostos na RBHA 139;

3. A ANAC determinará a proibição temporária, a partir do dia 15 de novembro de 2008, de todos os pousos e decolagens de aeronaves com mais de 60 assentos no Aeroporto de Rio Branco em situações de pista molhada. Para efeito de concretização desta medida, até o dia 15 de novembro a ANAC definirá, em conjunto com a INFRAERO, as condições para caracterização da
situação de pista molhada no Aeroporto de Rio Branco. Essa restrição será reavaliada tão logo a INFRAERO realize e apresente à ANAC estudo técnico sobre os eventuais riscos do SBRB em operações com pista molhada para aeronaves com mais de 60 assentos;

4. A INFRAERO solicitará à ANAC a suspensão temporária da condição de "internacional" para o Aeroporto de Rio Branco, até que o mesmo seja certificado dentro dos padrões da RBHA 139.

5. A ANAC, por meio da Superintendência de Serviços Aéreos, comunicará às empresas TAM e GOL as medidas a serem adotadas bem como a inexistência de restrições à retomada imediata das vendas de bilhetes aéreos com origem
ou destino no aeroporto em questão.

Sandra Fontella
Assessoria de Comunicação Social
ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil - (Brasil)
NOVO TELEFONE: (61) 3441-8470
Plantão de Imprensa ANAC: (61) 8442-9333
E-mail:
jornalismo@anac.gov.br

FAB faz pedido de oferta sobre caças para projeto FX-2

O Comando da Aeronáutica encaminhou às empresas Boeing, Dassault e Saab, que estão concorrendo para a seleção de novos caças, um pedido de oferta em relação aos aviões que fabricam, que são respectivamente F-18, Rafale, Gripen. A aquisição de novos caças, ao todo 36, faz parte do projeto FX-2, que tem como objetivo renovar a aviação da Força Aérea Brasileira (FAB).

A partir do recebimento do pedido de oferta, o governo examinará as propostas que serão submetidas a análises profundas com base nos requisitos estabelecidos pelo comando do Aeronáutica. Nessa etapa, as empresas devem detalhar os aspectos comerciais, técnicos, operacionais, logísticos, industriais, de compensação comercial, o chamado off set, e de transferência de tecnologia.

As empresas têm até o dia 2 de fevereiro de 2009 para apresentar suas propostas. A idéia da Aeronáutica é, até a metade do ano que vem, decidir sobre que tipo de aeronave será adquirido dentro do projeto FX-2.

Fonte: Agência Estado

Há 12 anos, 99 pessoas morreram em acidente com Fokker-100 da TAM em Congonhas

No dia 31 de outubro de 1996 um acidente com o Fokker-100 da TAM, vôo 402, que ia de São Paulo para o Rio de Janeiro e caiu minutos depois da decolagem no aeroporto de Congonhas, espalhando destroços sobre dois prédios e sete casas, matou 99 pessoas, sendo 90 passageiros, seis tripulantes e três pessoas que estavam nas ruas. A causa do acidente foi uma rara combinação de falha material funcional e humana, que só aconteceu por causa de um defeito no reverso.

Investigações da TAM e da Fokker, a empresa que fabrica os aviões, concluíram que o funcionamento indevido de um relé provocou a abertura do reverso direito do jato (que auxilia a freagem e só deve abrir na hora do pouso). Em dezembro de 1997, relatório da Aeronáutica isentou a TAM de culpa e responsabilizou a Fokker por falhas no projeto do avião.

Segundo o relatório do Centro de Investigação e prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa), durante a decolagem o reverso do motor direito do Fokker-100 abriu sem que nenhum tipo de alarme fosse acionado na cabine de comando, pegando de surpresa uma tripulação que jamais fora treinada para essa situação.

A Aeronáutica revelou que a Fokker enviara, em 28 de junho de 1995, após consulta prévia da TAM, carta informando que não era necessário treinar os pilotos para esse tipo de emergência porque, simplesmente, era impossível que o reverso do Fokker se abrisse durante a decolagem.

O relatório diz que a falha no reverso pode ter sido provocada por mudanças no sistema de alimentação de energia do equipamento. Até 1995, o reverso era alimentado por uma barra de energia que serve a toda a aeronave, o que impediria o reverso de funcionar no caso de falha dessa barra. A Fokker decidiu implantar um sistema próprio de alimentação de energia para o reverso que, segundo o Cenipa, aumentou a probabilidade de falha no sistema, que era de uma em dez milhões, para uma em um milhão.

Um outro fator ajudou a derrubar o avião: os contatos de um relé (controlador de circuitos elétricos) que deveria acionar os sistemas sonoro e visual de alarme na cabine de comando podem ter se fundido antes da decolagem, o que fez com que os pilotos morressem sem saber o que provocou a pane. Esse relé, segundo o coronel Douglas Machado, chefe do Cenipa, foi encontrado 13 dias depois do acidente em meio aos destroços.

A falha humana detectada pelo Cenipa foi decorrente de outras duas: a falta de informação sobre a pane, provocada pelo relé queimado, e a falta de treinamento para a situação, estimulada pelo fabricante da aeronave. Segundo o relatório, os pilotos não seguiram a recomendação básica de não adotar procedimento algum na cabine de comando antes de a aeronave alcançar altitude de 400 pés (cerca de 250 metros).

Segundo o coronel Machado, os pilotos poderiam ter ganhado tempo se tivessem deixado o avião subir e se estabilizar, sem forçar o motor em pane por causa do reverso.

O Cenipa constatou que o único aviso que os pilotos tiveram após a abertura do reverso foi o recuo brusco do manete (o acelerador manual da aeronave), logo depois que o avião saiu do chão e começou a recolher o trem de pouso.

Uma animação feita por computador, apresentada pela Aeronáutica, mostrou que entre a decolagem e a queda os pilotos travaram uma queda-de-braço com os manetes, numa atitude desesperada para descobrir o que estava ocorrendo. Um dos pilotos decidiu forçar o manete do motor em pane para ganhar potência. Fez tanta força que conseguiu quebrar o cabo de segurança que impede o motor de ganhar potência com o reverso aberto. Os pilotos pensaram que tinham feito tudo certo, esperando o Fokker se chocar cientes de que tinham os manetes à frente e os motores na potência total.

A tragédia segundo a segundo:

Autorizado pela torre de controle, às 8h26m o avião começa a correr na pista para decolar

29 segundos: Neste momento, o avião corre a cerca de 90 quilômetros por minuto na pista

55 segundos: O avião levanta vôo. O reverso da turbina direita abre e fecha pela primeira vez, sem que o piloto perceba. O manete dá um tranco para trás e o piloto acelera a turbina manualmente

70 segundos: O reverso abre pela terceira vez e não fecha mais

74 segundos: O manche do Fokker começa a tremer e o avião perde altura

79 segundos: O Fokker inclina-se ainda mais para a direita, batendo com a asa num prédio de três andares. O avião explode. Noventa e nove pessoas morrem. São 8h27m.

A Caixa-Preta:



Leia tudo sobre este acidente AQUI.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Na baixa, Tap suspenderá seis vôos no Brasil

A Tap anuncia que, em uma ação mundial integrada para enfrentar a alta do preço dos combustíveis, vai suspender temporariamente na baixa estação seis vôos entre Brasil e Portugal. “Nenhum destino servido pela Tap será cancelado”, enfatiza a empresa por meio de um comunicado. Nesse período, a empresa vai operar 61 vôos em vez dos atuais 67 vôos semanais a partir dos oito destinos que opera no Brasil. “Na alta estação os 67 vôos semanais voltam integralmente, onde está incluso o verão brasileiro, Natal e Ano Novo.”

Confira os seis vôos que a Tap vai suspender temporariamente na baixa: Rio de Janeiro-Porto (uma freqüência); São Paulo-Porto (uma freqüência); Rio de Janeiro-Lisboa (duas freqüências); Recife-Lisboa (uma freqüência); e Natal-Lisboa (uma freqüência).

Fonte: Claudio Schapochnik (Panrotas)

Novo helicóptero da Polícia Civil de SP resiste a tiro de fuzil

Aparelho modelo esquilo custou US$ 3,1 milhões ao governo.

Polícias de SP agora contam com 19 aeronaves.


Novo helicóptero modelo esquilo da Polícia Civil, com blindagem que resiste a tiro de fuzil

Um helicóptero modelo esquilo será integrado à frota do Serviço Aero-tático (SAT) do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) da Polícia Civil de São Paulo e prestará apoio a missões policiais e humanitárias, como o transporte de órgãos para transplante. O novo aparelho é blindado e resiste a tiro de fuzil, segundo Roberto Bayerlein, delegado de polícia e supervisor do SAT.

A recente aquisição custou US$ 3,1 milhões ao governo estadual. A última aeronave para uso da Polícia Civil havia sido adquirida em 1992. É o terceiro helicóptero entregue à polícia neste ano. Em agosto, a Polícia Militar havia recebido outras duas aeronaves, modelo Águia, durante o 24º aniversário do Grupamento Aéreo da corporação.

Com a nova aquisição da Polícia Civil, as polícias de São Paulo passam a ter uma frota de 19 helicópteros, apenas dois a menos do que toda a polícia francesa.

O SAT-5, como foi denominado o novo aparelho, traz avanços tecnológicos em relação à frota atual, que já conta com outros três helicópteros. "Motor mais potente, transmissão mais resistente e modernos equipamentos eletrônicos irão auxiliar tanto na navegação quanto nas operações policiais", disse o delegado geral da Polícia Civil, Mauricio Lemos Freire.

Entre as novidades do helicóptero, está o sistema de moving map, um pequeno computador de bordo que pode fornecer dados, mapas e cartas de rotas; um guincho, para resgate de pessoas e objetos; e o sistema de blindagem.

O SAT-5 comporta seis tripulantes e irá contar ainda com farol de busca para auxiliar na localização de pessoas durante a noite. As aeronaves do SAT já atenderam 1.610 chamados contra roubo, apoiaram viaturas em 3.266 perseguições a bandidos, reconheceram 632 cativeiros e 1.408 locais de crimes, além de terem realizado 632 escoltas de presos e intervenções em rebeliões. Somente em 2008, foram 415 horas de vôo.

Fonte: G1 - Foto: Divulgação

Alunos da UnB criam um mini-helicóptero



Alunos da Universidade de Brasília (UnB) criam robô para vigilância e mapeamento de áreas com baixo custo. O quadrirrotor, uma espécie de helicóptero com quatro hélices, com maior estabilidade, mecânica simplificada e boa capacidade de manobras, possibilita economia na montagem e na utilização.

O veículo aéreo miniatura foi desenvolvido no Laboratório de Robótica e Automação da UnB, durante um ano. Foi o trabalho de graduação de Pedro Henrique junto com outro colega da mecatrônica, Marcelo Braga. Todo o projeto teve custo de implementação de cerca de R$ 2 mil.

Quatro hélices, motores elétricos, computador de bordo, tudo isso garante a estabilidade no ar. O quadrirrotor é usado para filmagens aéreas, mapeamento, vigilância policial ou simplesmente para diversão, como aeromodelismo.

A inovação está na economia, na rapidez da construção e na simplicidade. No futuro, após estudos, será possível manejá-lo também por controle remoto.

“Hoje, as atividades da polícia, os mapeamentos cartográficos e as inspeções de linha de transmissão de energia, por exemplo, são feitas por helicópteros convencionais tripulados, isso envolve custos altíssimos e risco a vidas humanas. Um robô que faça isso remotamente sozinho, além de ser mais barato, não envolve vidas humanas. Quem faz o trabalho é o computador, a gente apenas auxilia”, explica o estudante Pedro Henrique Santana.

Fontes: G1 / DFTV (TV Globo)

Helicópteros da ONU em ação contra rebeldes no leste da RDC

Dois helicópteros de combate da Missão da ONU na República Democrática do Congo (MONUC) entraram em ação nesta quarta-feira contra os rebeldes na zona de Kibumba, 30 km ao norte de Goma, capital da província de Kivu Norte.

Um dos helicópteros da MONUC atingiu por engano uma posição do Exército congolês (FARDC), segundo um comandante, que pediu anonimato.

As FARDC e as tropas do Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP) do líder rebelde congolês tutsi Laurent Nkunda prosseguem em confronto.

A MONUC agiu na terça-feira com helicópteros de combate contra o CNDP na área de Kibumba para bloquear o avanço dos insurgentes a Goma.

Fonte: France Presse

Soldados americanos matam 12 insurgentes após ataque a helicóptero dos EUA

Um helicóptero norte-americano atingido por disparos foi atacado depois de ter feito uma aterrissagem de emergência no centro do Afeganistão e nos combates 12 insurgentes morreram, informou nesta terça-feira uma fonte militar.

O helicóptero, um UH-60 Blackhawk, com quatro tripulantes e seis passageiros a bordo, aterrissou na província de Wardak, a oeste de Cabul, indicou o Exército norte-americano em um comunicado.

As tropas enviadas por terra para resgatar os tripulantes e os passageiros foram atacadas pelos insurgentes ao se aproximarem da aeronave.

"As forças da coalizão revidaram, matando cinco insurgentes. Quando vasculhavam a área, foram atacadas por outros insurgentes, sete dos quais morreram e um foi preso", acrescentou o comunicado.

O helicóptero foi recuperado e levado para uma base da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, sob comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte, Otan).

Fonte: AFP

Indonésia faz simulação de acidente aéreo em aeroporto

Treino ocorreu no aeroporto internacional de Juanda.

Após muitos acidentes, o país tenta melhorar sua segurança aérea.

Grupo faz treinamento de segurança de vôo no aeroporto internacinal de Juanda, em Surabaya, na Indonésia

Indonésia está tentando melhorar a segurança em seus aeroportos e aviões após uma série de acidentes no último ano, que a colocou na lista dos países com piores índices de segurança de vôo pela União Européia

Fonte: Associated Press - Fotos: Trisnadi (AP)

China lança satélite venezuelano Simón Bolívar



A China lançou às 0h56 local (14h56 de Brasília) o satélite venezuelano de telecomunicações "Simón Bolívar", primeiro construído no país asiático para a Venezuela, do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, no sudoeste chinês.

Após o lançamento, o satélite demorou exatamente 25 minutos até situar-se na primeira órbita e, em algus dias, passará à definitiva. Os representantes oficiais da Venezuela, que se posicionaram em dois centros de controle diferentes -chefiados pelos ministros de Ciência e Tecnologia, Nuris Orihuela, e de Educação, Héctor Navarro-, manifestaram sua satisfação pelo sucesso do lançamento.

"Finalmente temos nosso satélite, um satélite de telecomunicações socialista com objetivos sociais, o que o diferencia dos comerciais", disse a embaixadora da Venezuela na China, Rocío Maneiro. "Estamos todos muito felizes, nos abraçamos emocionados. Falei com a ministra que está no outro centro há uma hora e meia de distância e ela está felicíssima", acrescentou Maneiro.

O "Simón Bolívar" faz parte do projeto "Venesat-1", no qual o Governo de Hugo Chávez investiu mais de US$ 406 milhões e que inclui a formação tecnológica na China de engenheiros venezuelanos. "Sua utilização na tele-educação e telemedicina para chegar às povoações mais afastadas e desprotegidas do sul e leste do país será decisiva", declarou o ministro da Educação, Héctor Navarro.

Na base Luepa, no estado venezuelano de Bolívar, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, contragulou-se com seu colega e aliado boliviano Evo Morales pelo lançamento do satélite. O lançamento do satélite de comunicação foi transmitido ao vivo e em cadeia nacional por todos os canais de televisão na Venezuela, que também mostraram o acompanhamento na base de Luepa.

Fonte: EFE

TAM pode reduzir horas de vôo das aeronaves

A TAM Linhas Aéreas ainda não observou redução de demanda no mercado doméstico, em razão da expectativa de desaceleração da economia, mas avalia que a primeira opção "para se proteger" é reduzir horas de vôos diários das aeronaves.

"É importante tomar essa providência neste primeiro momento, quando estamos analisando qual será exatamente o impacto", afirmou o coordenador de Relações com Investidores da empresa, Jorge Helito. Embora o executivo pondere que a empresa ainda não observou redução de demanda, ele reconhece que a pressão de redução "virá em algum momento".

"Vejo que o setor está crescendo menos do que deveria", disse a investidores, em Nova York, em evento realizado pela New York Society of Security Analysts (NYSSA). O coordenador de Relações com Investidores da empresa, Jorge Helito estima aumento do mercado doméstico entre 8% e 9% este ano. "No próximo, pode ser metade disso ou um pouco mais". Desta forma, o executivo observa que a primeira medida a ser tomada é reduzir horas de vôos das aeronaves. Ele reconhece que com isto aumenta o custo por unidade, "porque dilui menos os custos fixos, mas é importante fazer isso neste primeiro momento", pondera.

A razão, segundo ele, é que no momento de recuperação do mercado a "empresa não precisará buscar novas aeronaves ou recontratar pessoal".

Fonte: Monitor Mercantil

Fabricante dos aviões Falcon transfere produção para Portugal

Clique sobre a imagem para ampliá-la

A fabricante aeronáutica Dassault/Falcon vai transferir para a Lauak Portugal a produção de todos os reservatórios dos novos aviões Falcon 7X. O negócio envolve a contratação de 1.400 horas mensais na filial portuguesa da fabricante aeronáutica francesa Lauak, representando por mês 35 mil euros no volume de negócios da fábrica de Setúbal.

Ao Diário Económico, fonte oficial da Dassault, explicou que a transferência para Portugal passa por “produzir em mercados mais competitivos que nos permitam reduzir os custos de produção”, uma vez que “o mercado de compra e venda de aviões é feito exclusivamente em dólares e a produção em euros”, o que face à valorização da moeda europeia implica uma redução da rentabilidade.

A fábrica portuguesa ficará assim responsável por toda a produção de reservatórios dianteiros dos Falcon 7X, tendo já enviado para França, à sede da Dassault,. vários técnicos para receber formação e “fazer a certificação do produto”, explicou ao Diário Económico, Armando Gomes.

Segundo este engenheiro da Lauak Portugal, “o objectivo é tornarmo-nos uma empresa especializada na fabricação de reservatórios de avião”. Para já, a filial de Setúbal trabalha sobretudo para a Airbus, sendo especialista na fabricação dos armários electrónicos do A320, e para a fabricante aeronáutica brasileira Embraer. A Dassault, que representava até agora a terceira cliente em volume de negócios para a Lauak Portugal, “foi sempre uma das mais difíceis para externalizar a fabricação, mas com esta nova política esperamos conseguir aproveitar a oportunidade e manter o contrato”, avança Armando Gomes.

Actualmente, a Lauak conta, em Portugal, com 117 trabalhadores e teve um volume de negócios de 3,62 milhões de euros, em 2007. Para este ano, as previsões são de crescimento: “Contamos chegar aos 4,3 milhões de euros de volume de negócios este ano”, refere Armando Gomes. Entre os novos negócios que permitirão à Lauak Portugal continuar a crescer, destaque para o novo contrato assinado com a IAI (Israel Aerospace Industrie) para fabricação do reservatório principal do avião Gulsstream, o que representa um volume de negócios na ordem dos 27 milhões de euros.

Fonte: Diário Econômico (Portugal) - Imagem: airportjournals.com

Brasil é mercado estratégio para British Airways

O Brasil é definitivamente o principal mercado para a British Airways dentro da América Latina. A afirmação é do vice-presidente da British Airways para as Américas, Simon Talling-Smith, que recebeu nesta quarta-feira (29/10) a imprensa do trade de turismo em São Paulo. "Ao contrário dos Estados Unidos e da própria Europa, o Brasil está em franco crescimento econômico e é uma das localidades onde temos uma das mais equilibradas demandas de passageiros corporativos e a lazer", afirmou Talling-Smith.

A companhia aérea inaugurou no último dia 26 de outubro a rota direta Rio de Janeiro-Londres (Heathrow). Serão três vôos semanais, saindo aos domingos, terças e quintas-feiras, às 23h25 em boeing 777. De acordo com José Antônio Coimbra, diretor Comercial da British no Brasil, o vôo de lançamento registrou quase lotação máxima. "Tivemos uma boa ocupação, especialmente na classe executiva. Acredito que boa parte dessas freqüências serão utilizadas pelo movimento do segmento de negócios", ressaltou Coimbra.

Nesse sentido, a proposta, segundo o diretor, é que esses vôos passem a atuar com uma configuração diferente com quatro classes, incluindo o serviço de primeira classe. Há intenção ainda de transformar a rota em formato diário. No entanto, o vice-presidente não estipulou prazos. "Estamos estudando essa possibilidade, mas se fizermos essa mudança ela não poderá afetar nem em depreciação de tarifas e nem em queda de qualidade de serviço", explicou Talling-Smith.

Ao todo, a Britsih Airways oferecerá dez freqüências semanais entre o Brasil e Londres, já que a rota Buenos Aires-São Paulo-Londres será operada diariamente em boeing 747-400. Para esse vôo especificamente, a empresa aérea lança uma nova promoção para estimular as vendas da classe executiva até o início do mês que vem. Em parceria com a America Express, na compra de um bilhete em categoria executiva, o cliente ganha outra gratuitamente. A viagem ficará somente US$ 150.

Em termos de serviços, Simon Talling-Smith anunciou que foram investidos cerca de US$ 1,5 milhão em um novo lounge no aeroporto de Heathrow e cerca de US$ 10 milhões em treinamento das equipes de aeroportos.

Fonte: Mercado & Eventos

Copa Airlilnes recebe 14º avião Embraer 190

A Copa Airlines, subsidiária da Copa Holdings SA recebeu o 14º avião Embraer 190. Com esta aquisição, a companhia aérea passa a ter uma frota de 41 aeronaves.

- Ao longo destes anos de experiência com os Embraer 190, constatamos que as aeronaves têm desempenho eficiente e uma comodidade insuperável. Portanto, a nova aquisição vai ao encontro do plano de crescimento da empresa aérea, dinamizando a operação das rotas que requerem uma aeronave com esta capacidade - destaca Pedro Heilbron, presidente executivo da Copa Airlines.

O Embraer 190 é parte do plano de renovação da frota da Copa Airlines. Com esta recente aquisição, a companhia mantém uma das frotas mais jovens da indústria, com idade média de 4,1 anos. Além de suas 14 aeronaves Embraer, a Copa opera 27 Boeing 737 Next Generation.

Fonte: O Globo

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Força Aérea da Argentina é multada depois que avião atropela cachorro

Indenização para companhia é de US$ 300 mil, decide Justiça.

Incidente ocorreu há 12 anos em Comodoro Rivadavia.

Um tribunal da Argentina condenou a Força Aérea a pagar o equivalente a US$ 300 mil (quase R$ 655 mil) pelos danos em um avião que atropelou um cachorro em um aeroporto do sul do país, informaram nesta terça-feira (28) fontes judiciais.

Os juízes consideraram em sua resolução que a Força Aérea descumpriu com o dever específico de segurança nas operações aeroportuárias, depois que a instituição militar argumentou que o cachorro não lhe pertencia.

O fato ocorreu em 1996, quando uma aeronave da empresa Alas del Sur, que realizava um serviço de transporte de correio, atropelou um cachorro que invadiu a pista durante a decolagem no aeroporto de Comodoro Rivadavia, cidade situada a 1.740 quilômetros do sul de Buenos Aires.

Na resolução conhecida nesta terça, o tribunal avaliou que "entre as tarefas da Força Aérea Argentina está a de proteção dos vôos que se desenvolvem no espaço aéreo da Nação e compreende todas as funções técnicas relacionadas com a provisão dos serviços de trânsito".

Segundo os juízes, entre esses deveres está o de "garantir a ausência de elementos estranhos ou perigosos sobre a pista de aterrissagem, cujo controle depende da torre de vôo, como o movimento terrestre em torno desta".

Fonte: EFE

Avião da El Al faz pouso de emergência em Barcelona

Um avião da companhia israelense El Al com 156 passageiros a bordo efetuou um pouso de emergência nesta quarta-feira em Barcelona (noroeste da Espanha) depois de detectado um problema nos flaps - dispositivos localizados na parte posterior e inferior da asa do avião, entre a fuselagem e o aileron, e destinados a diminuir a velocidade do aparelho na aterrissagem, indicaram as autoridades aeroportuárias espanholas.

Não houve feridos durante a manobra de emergência com o Boeing 737-800, disse à AFP um funcionário do setor de aviação civil.

O avião deixou o aeroporto de El Prat de Barcelona com destino a Tel Aviv às 12H30 locais (11H30 GMT) e menos de duas horas depois o piloto constatou o problema com os flaps.

O aparelho voltou a Barcelona pousando às 14H30 locais.

Fonte: France Presse

Avião faz pouso de emergência no meio de estrada na Indonésia

Cessna fazia um vôo de treinamento quando teve de descer.

Não houve danos nem feridos, segundo as autoridades.

Polícia e equipes de resgate na Indonésia empurram o Cessna 172, prefixo PK-SDQ que teve de fazer um pouso de emergência na estrada entre Jacarta e Cikampek, em Java Ocidental, nesta quarta-feira (29). O aeroplano, para quatro pessoas, fazia um vôo de treinamento e teve de parar na via expressa. Ninguém se feriu e não houve danos, segundo as autoridades.

Fonte: G1 - Foto: AP

Queda de avião de pequeno porte mata duas pessoas na Índia

Acidente ocorreu no estado do Punjab após falha técnica.

Piloto conseguiu evitar que avião caísse sobre área industrial.

Polícia e autoridades inspecionam os destroços de um avião Beechcraft C-90 King Air que caiu nesta quarta-feira em Jugiana, no estado do Punjab, na Índia, após uma falha técnica. O piloto e o co-piloto morreram. Segundo testemunhas, depois da pane, eles conseguiram evitar que a aeronave, que pertencia ao governo local, caísse sobre uma área industrial povoada.

Fonte: G1 - Foto: AP

Sem a Varig, Sata começa a demitir

A empresa que já teve a hegemonia dos serviços aeroportuários no País, a Sata, iniciou a demissão de 2 mil funcionários, ou cerca de 60% da sua folha de pagamento, de acordo com o Sindicato Nacional dos Aeroviários. Segundo dois trabalhadores demitidos, o motivo foi a perda de seu maior cliente, a Varig, que respondia por pelo menos 50% do faturamento.

A Varig e a Fundação Ruben Berta, controladora da Sata, foram procuradas, mas não retornaram até o fechamento desta edição.

"Fui incluído na lista (de cortes) depois de 29 anos de empresa. Vou entrar na Justiça porque a demissão é ilegal, sou diretor do sindicato", afirma o operador de reboque de aviões, Washington Luis de Sousa, enfatizando que o critério de cortes seria maior tempo de empresa.

O auxiliar de rampa João Carlos Valentim está em situação parecida. "Sou do sindicato e também pretendo recorrer à Justiça", disse ele, há 13 anos na Sata. A secretária-executiva do sindicato, Selma Balbino, diz que enviou um documento à Sata, questionando as demissões.

Além da Varig, a OceanAir também vai deixar de usar os serviços da Sata: informou que o contrato vence neste mês e que não será renovado. Para a operação da Sata no Santos Dumont, só restarão dois vôos diários com a Team.

No Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), a Sata trabalha para as companhias TAP (Portugal), TAAG (Angola), Lan Chile e para as brasileiras Total (cargas), VarigLog e Flex. Só no Galeão, 100 pessoas foram demitidas na segunda-feira, contam os sindicalistas. Eles relatam que há mais de dois anos a Sata não deposita o FGTS nem fornece auxílio-refeição. Tanto Sousa quanto Valentim têm dúvidas se vão receber as verbas rescisórias e temem pela falência da empresa.

Fonte: Agência Estado

Boeing fecha acordo preliminar para por fim à greve de 52 dias

A Boeing e o maior sindicato de trabalhadores da empresa chegaram a um acordo preliminar para por fim à maior greve nas fábricas da companhia em 13 anos e conter perdas de receita estimadas em 100 milhões de dólares por dia.

Na quarta tentativa, e com a ajuda de um mediador federal, o sindicato que representa 27 mil trabalhadores disse no fim da segunda-feira que fechou um acordo de quatro anos com a Boeing, que vai dar garantia de emprego de seus membros e um limite ao processo de terceirização.

Notícias do acordo foram bem recebidas por companhias do setor em todo mundo, uma rede globalizada de fornecedores que tem sido fonte de disputa quanto à manutenção de empregos entre a Boeing e trabalhadores na área da cidade de Seattle.

A Boeing, cujas fábricas permaneceram fechada por 52 dias, confirmou o acordo preliminar, dizendo que conseguiu a flexibilidade necessária para continuar com os negócios.

Se o acordo for aprovado pelos membros da Associação Internacional de Maquinistas e Trabalhadores Aeroespaciais (IAM, na sigla em inglês), acabará a greve mais longa da história recente da Boeing. O sindicato realizou greve de 28 dias em 2005 e 69 dias em 1995.

A Boeing irá enfrentar quase imediatamente negociações contratuais com a Sociedade de Engenheiros Profissionais (SPEEA, na sigla em inglês), que representa mais de 20 mil trabalhadores da área de engenharia. A SPEEA informou em seu site que as negociações começarão na quarta-feira.

A Boeing, que tem sede em Chicago, informou na última semana uma queda de 38 por cento no lucro trimestral devido basicamente à greve dos funcionários.

Quando a greve terminar, também é esperado que a Boeing faça uma atualização sobre seu 787 Dreamliner, o que pode incluir novos adiamentos do programa da empresa, que já está 16 meses atrasado.

Fonte: Reuters

China lançará satélite venezuelano nesta quinta feira

A Companhia da Indústria Grande Muralha é a única autorizada a realizar esse tipo de negócio

A China colocará em órbita um satélite de telecomunicações venezuelano no dia 30 deste mês, informou hoje o Centro de Lançamento de Satélite de Xichang, da China.

Será a primeira vez que os chineses farão um lançamento totalmente comercial desse tipo com um país latino-americano, disse a fonte.

Até então os chineses haviam realizado missões dessa natureza em parceria com governos daquela região, mas sem finalidades econômicas.O foguete transportador do satélite será um Grande Marcha 3B que levará o Satélite de Telecomunicação Venezuela 1.

A Companhia da Indústria Grande Muralha é a única autorizada a realizar esse tipo de negócio. Segundo a página web da empresa, o país fez seu primeiro lançamento espacial comercial em 5 de agosto de 1987, quando um foguete Grande Marcha 2C levou para o espaço um instrumento de teste micro-gravidade da empresa francesa Martra Maconi.

Em 1990, um Grande Marcha 3 transportou o Satélite de Comunicações AsiaSat-1, em um negócio com a empresa AsiaSat Hong Kong.

A missão com o satélite venezuelano será a 11ª para a família de Grande Marcha e o 29º lançamento comercial internacional feito pela China. Por sua vez, a sonda venezuelana é o 35º satélite estrangeiro que a China lança ao espaço.

Fonte: Tribuna do Norte

Foguete Orion é lançado na Barreira do Inferno

Na foto: com as boas condições dos ventos, o Orion foi lançado na Barreira do Inferno

Culminando com as festividades alusivas ao Dia do Aviador, comemorado no dia 23 de outubro, data magna da Força Aérea Brasileira, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno lançou com sucesso o foguete Orion, exatamente às 04h 04min 08seg do dia 27 de outubro, alcançando todos os objetivos da Opereção Parelhas, após quatro tentativas de lançamento impedidas pelas condições dos ventos.

Apesar da região onde está localizado o CLBI reunir diversos fatores, inclusive meteorológico, favoráveis estrategicamente para lançamento de foguetes. Contrariamente, os valores nominais do vento, nos últimos dias, não foram propícios para garantir a segurança no lançamento do foguete Orion, que por razões técnicas, deve ser inferior a 7,3m/s, ou 26 km/h.

O foguete Improved Orion, que mede 5,7m, é um foguete de treinamento, mono-estágio, não-guiado, estabilizado por empenas e lançado a partir de trilho. Consiste de um propulsor de 419 kg, propelente sólido (combustível sólido) e atinge uma velocidade de 4.700 km/h (quatro vezes a velocidade do som). Possui espaço para embarcar experimentos científicos ou tecnológicos, da ordem de 80 kg. Nesta ocasião, o foguete Orion foi ocupado com equipamentos e instrumentos alemães, voltados para a trajetografia durante a realização do vôo.

O motor-foguete propicia uma fase de decolagem de 5 segundos, e outra tipo cruzeiro, com 21 segundos, totalizando 26 segundos de fase propulsada, o que permiti chegar uma altura entre 95 e 105 km, caindo em alto mar a, aproximadamente, 70 km da costa

A Operação, denominada de PARELHAS, em homenagem a uma das cidades do Rio grande do Norte, alcançou o seu objetivo principal, ou seja o treinar as equipes técnicas do CLBI e da Unidade Móvel de Lançamento de Foguetes do Centro Espacial Alemão, nas atividades de preparação, lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais.

Várias Organizações Militares do Comando da Aeronáutica participaram da Operação, entre elas o Centro de Lançamento de Alcântara e o Instituto de Aeronáutica e Espaço, além do Apoio da Agência Espacial Brasileira.

Com o sucesso do lançamento do foguete Orion, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno cumpre mais uma etapa do desenvolvimento da tecnologia nacional para a independência do Brasil na área de tecnologia aeroespacial.

Fonte: CBLI - Foto: Divulgação

VEM comemora aniversário de sete anos com novas certificações

Ano após ano a VEM Manutenção & Engenharia S/A. permanece aumentado suas capacitações.

Embora fundada somente há sete anos (22/10/2001), a VEM possui mais de 80 anos de experiência, herdados de sua antiga parent company (empresa-mãe), e que são reconhecidos pela indústria aeronáutica mundial, pela qualidade que sempre ofereceu ao mercado. Atualmente o controle da VEM pertence ao grupo TAP Portugal e só neste último ano, entre outros feitos, a empresa obteve cinco certificações das principais autoridades aeronáuticas mundiais, fruto da sinergia entre essas duas empresas.

O core business da VEM é a realização de heavy maintenance em aviões comerciais de grande e médio porte e o reparo e revisão geral de seus componentes, o que a empresa realiza desde sua criação. Após as cinco homologações adquiridas no último ano (FAA: B777, EASA: A300-600 e A310 e ANAC F100 e Top Case CFM56), hoje a empresa está certificada para os seguintes modelos:

FAA – Estados Unidos, com os modelos Boeing 727, 737, 737NG, 747, 757, 767, 777, DC-10 e MD-11. Modelos Airbus A300-600 e A310 e finalizando com o Embraer ERJ-145.

EASA – União Européia, com os modelos Boeing 727, 737, 737NG, 747, 767, DC-10 e MD-11. Modelos Airbus A300-600 e A310.

ANAC – Brasil, com os modelos Boeing 727, 737, 737NG, 747, 757, 767, 777, DC-10 e MD-11. Modelos Airbus A300-600 e A310. Modelos Embraer 120, ERJ-135 e ERJ-145. Modelos Fokker F-27, F-50 e F-100.

A VEM lidera o ranking das empresas de MRO (Maintenance, Repair & Overhaul), da América Latina e permanecerá investindo em treinamento e em novas tecnologias visando consolidar ainda mais essa posição. Outra realização para a VEM foi a conquista de novas áreas geográficas de atuação. No último ano a empresa entregou aviões que foram operar nos mais variados países, como Alemanha, Angola, Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Irlanda, Islândia, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suíça e Uruguai. A reestruturação interna, promovida a partir de 2007, que incluiu a criação de novas vice-presidências também trouxe bons frutos. A dinâmica entre as Áreas proporcionou melhoria operacional e hoje a VEM pode aceitar prazos (TAT – Turn-Around Time) cada vez mais exíguos, solicitados pelos clientes, até mesmo se comparados com a média de mercado.

Outra conquista foi a consolidação do crescimento da Oficina de Trens de Pouso. Atualmente essa oficina está operando a todo vapor e irá fechar o ano de 2008 com 120 unidades entregues. Uma das estratégias de aumento dos negócios da empresa, permanece sendo a ampliação dessa oficina, pois ainda há bastante mercado, nacional e internacional, para esse componente. Os grandes projetos de pintura foi outro marco na história da VEM. Vários modelos, como o A340, E190, B737-800 e outros, foram pintados nas instalações da empresa.

"Só temos a agradecer a todos que participam do crescimento da VEM. Hoje a empresa está adequada ao tamanho de suas operações e conta com 2.800 colaboradores, que entendem e praticam a filosofia de satisfação do cliente. Essa era uma das metas a ser atingida, e foi! Continuaremos oferecendo treinamento, participando de eventos nacionais e internacionais e buscando novas parcerias para manter a VEM nesse caminho. Posso afirmar que toda a empresa permanecerá trabalhando firme para continuar merecendo a confiança dos nossos clientes", declara Filipe Almeida, Presidente da VEM.

Fonte: Aviação Brasil

Delegado promete encerrar inquérito da tragédia da TAM até o fim da semana

O delegado Antônio Carlos Barbosa, que investiga as causas do acidente com o vôo JJ 3054 da TAM, ocorrido em 17 de julho do ano passado, deve encerrar no fim desta semana o inquérito que apura as causas da tragédia. Aproximadamente dez pessoas serão indiciadas pela polícia por responsabilidade no acidente.

As informações sobre o andamento das investigações foram dadas pelo delegado durante reunião, no final de semana, entre parentes das vítimas, no auditório de um hotel em Congonhas, Zona Sul.

No encontro, o delegado afirmou que na próxima reunião com os parentes, marcada para o dia 22 de novembro, ele irá revelar os nomes dos indiciados.

- Estamos caminhando para chegar na verdade e na Justiça - comentou Archelau Xavier, vice-presidente da Associação dos familiares das vítimas da TAM (Afavitam).

O acidente matou 199 pessoas. De acordo com a TAM, foram fechados acordo para o recebimento de indenização com 89 parentes das vítimas.

No último dia 20, o Procon do Rio Grande do Sul decidiu multar a TAM em quase R$ 1 milhão pela demora de mais de sete horas para divulgar a lista dos passageiros que estavam no Airbus. A medida se baseia na falta de consideração da empresa aos familiares que esperavam por informações num aeroporto da capital gaúcha.

A TAM informou ter sido notificada a respeito da multa e irá se manifestar dentro do prazo legal.

Fonte: Mariana Pinto (Diário de S.Paulo)

Guarulhos: movimentação de carga cresce

No período de janeiro a setembro deste ano, a Infraero registrou a movimentação de mais de 46 mil toneladas de carga nacional, no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Esse número representa um crescimento de 21,81%, se comparado as 39 mil toneladas transportadas no mesmo período do ano anterior.

Os serviços do armazém da Infraero, disponibilizados para a movimentação de carga nacional, são utilizados pelas empresas aéreas MTA, Gol, Beta, Sky Master, Ocean Air e Webjet.

Os eletroeletrônicos lideram os produtos transportados pelas empresas aéreas, além de motos, carros, entre outros itens. “O ranking dos produtos mais transportados refletem o que está no auge do mercado de consumo”, informou o encarregado do setor, Wagner de Souza.

De acordo com levantamentos da área de logística do aeroporto, a maioria das cargas que desembarcam em São Paulo é procedente de Manaus. Além dessa rota, diversas mercadorias também têm seus embarques e desembarques para outras localidades como Salvador, Florianópolis, Ponta Porã, Ilhéus e Ribeirão Preto.

Já no caso das importações e exportações, elas movimentaram cerca de 190 mil toneladas de carga de janeiro a setembro deste ano. No mesmo período em 2007, o volume foi de aproximadamente 177 mil toneladas de carga transportada, um aumento de 7,31%.

Fonte: Kate Azevedo (Brasilturis)

Colt quer construir grande hangar no Galeão

Os três celulares e dois laptops ligados em weireless denunciam um executivo workaholic. Os negócios voam, e é preciso monitorá-los em tempo real. E só uma coisa pode tirar o jovem Alexandre Eckmann desse roteiro: o brevê de comandante de avião na carteira é o passaporte que o faz pular do sofá na sala vip para a cabine de um jato. Aos 34 anos, ele tornou-se um empresário da aviação executiva e hoje, em sociedade com um amigo, comanda a Colt Aviation, com quatro Learjets.

O case de Eckmann é a prova de que o setor de aviação executiva decolou no país nos últimos anos. "Fundei a Colt em Miami, em 1997, para importação e exportação de peças", explica, ao passo que rememora também que turbulências na economia internacional o fizeram abandonar o sonho por alguns anos.

Em 2001, aos 27 anos, com o brevê de comandante, operou em companhias como TAM, Varig, Transbrasil e vislumbrou no novo horizonte dos bons números da economia um céu aberto para refazer seu próprio plano de vôo no mercado nacional.

Na rotina de venda e compra de aviões para empresários e amigos, mesclou o papel de piloto de empresas com o de consultor. Em 2004 tinha um ótimo salário como comandante do Legacy da mineradora Vale, mas abandonou para refazer, no ano seguinte, sua decolagem solo. A consultoria rendeu financeiramente e conseguiu dois aviões. Encontrou em Alex Meyerfreund, o herdeiro da fábrica de chocolates Garoto (vendida recentemente), o sócio que procurava para a Colt. Engana-se, no entanto, quem pensa ter sido um céu de brigadeiro as parcerias de Eckmann antes de Meyerfreund. Por três vezes, aqui e nos Estados Unidos, viu promessas de sociedade caírem por terra. A entrada do sócio na Colt capitalizou a empresa.

País tem a 2ª maior frota

"Hoje temos três Learjets modelo 31, e um modelo 35; encomendamos um jato Phenom 100 (da Embraer) e um Challenger, com autonomia para vôos internacionais", comemora Eckamann.

O Brasil possui a segunda maior frota de aviões do mundo. São 10.562 aeronaves - 6.700 monomotores, 330 jatos e 1.100 helicópteros, entre outros modelos. Números que embalam o setor, apesar da crise financeira atual no mundo.

"E a vantagem do País é que a média de idade da frota do táxi aéreo é de 15 anos, muito nova", complementa. O novo cenário da economia brasileira explica bem o porquê de números positivos no setor. Cada vez mais empresários têm recorrido aos jatos para negócios. E, nos fins de semana, é mais comum ver famílias e amigos trocarem um vôo comercial pelo atendimento personalizado e luxuoso de um avião executivo.

"A logística é tudo para se evitar prejuízo", sentencia Eckmann "Apesar da crise, hoje, os empresários cada vez mais precisam de agilidade para fechar negócios, e a aviação executiva é uma ferramenta para otimizar custos."

Os ventos da crise norte-americana ainda não causaram tempestades aqui. Prova é que o Brasil tem uma carteira de recebimento de mais de 280 jatos executivos nos próximos anos. O setor, apesar disso, continuará aquecido, diz o comandante.

Não por acaso outras empresas do ramo, como as grandes Líder Táxi Aéreo e a Global, continuam fortes. "As pessoas pensam que os fretamentos, por exemplo, vão diminuir. Não necessariamente, porque as empresas vão precisar fechar mais negócios. O frete passará a crescer, agora", acredita Eckmann.

Novo hangar

A malha aérea nacional e a falta de estrutura comparada a países de primeiro mundo explicam, em outra vertente, o fato de o Brasil ter uma boa frota de jatos particulares e justifica o crescimento do táxi aéreo.

Das mais de 5 mil cidades do país, só metade tem pistas de pouso - o que não significa qualidade e oportunidade para operação. E os vôos regulares das grandes companhias atendem pouco mais de 100 cidades - o que obriga executivos, políticos e artistas, o público alvo do táxi aéreo, a fretarem aviões.

De olho no crescimento do setor, a Colt, que já opera num hangar no aeroporto de Congonhas, agora quer construir um grande hangar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, no Rio. A empresa pretende investir US$ 10 milhões para construir em 36 mil metros quadrados, com geração de 200 empregos diretos.

Fonte: Leandro Mazzini (Gazeta Mercantil)

Custos do programa 747-8 sobem acima do esperado, diz Boeing

A Boeing reconheceu que os custos de desenvolvimento do programa do 747-8 estão crescendo acima do esperado. Ainda assim, porém, a companhia afirma que continua progredindo nos projetos do novo avião, apesar da greve de seus metalúrgicos, que hoje entrou em seu 52º dia.

Em teleconferência com jornalistas, o presidente do conselho, presidente e executivo-chefe da empresa, Jim McNerney, afirmou que seus executivos estão "frustrados" pelos aumentos de custo do programa do 747-8. No balanço da companhia sobre seu desempenho no terceiro trimestre, há apenas duas referências a esse aumento de custos no programa, mas sem oferecer detalhes ou explicações.

Segundo a companhia, foram gastos US$ 705 milhões em pesquisa e desenvolvimento no terceiro trimestre, 7% a mais que no mesmo período de 2007. Esse total, porém, foi gasto tanto no projeto do 747-8 como no do 787 Dreamliner.

A fabricante acredita que haja um mercado para 345 aeronaves desse modelo, 260 dos quais para o segmento de cargas. Até o momento, a companhia tem pedidos firmes para 106 aeronaves, sendo apenas 28 de passageiros.

Apesar da greve dos metalúrgicos, a Boeing afirma que seus engenheiros continuaram a trabalhar nos projetos do avião e, no momento, cerca de 95% dos desenhos já foram concluídos e enviados a fornecedores.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

terça-feira, 28 de outubro de 2008

A380 completa um ano de serviço

No último sábado, o Airbus A380 celebrou seu primeiro aniversário de entrada em serviço. O primeiro A380 foi entregue a Singapore Airlines em 15 de outubro de 2007. A primeira “Rainha dos Céus” entrou em serviço no dia 25 de outubro de 2007, com um vôo especial de caridade entre Cingapura e Sidney. Desde então, a aeronave também é utilizada pela Emirates Airline e pela Qantas Airways. Um total de nove modelos foram entregues até agora, sendo seis operados pela Singapore, um pela Qantas e dois pela Emirates, que recebeu seu segundo avião A380 na última sexta-feira.

Atualmente, mais de 700 mil passageiros já voaram na primeira aeronave inteiramente de dois andares, que conecta quatro continentes e voa em sete rotas internacionais de grande importância. O A380 liga Cingapura e Sidney, Londres e Tóquio, Dubai e Nova-York e Sidney e Melbourne com Los Angeles.

No total, a frota de A380 em serviço registrou mas de 15 mil horas de vôo em mais de 1.600 operações comerciais, com um alto nível de confiança de serviços, estabelecendo novos marcos em termos de performance, eficiência ecológica e baixos custos operacionais. As operações com o modelo revelaram que o A380 consome 20% menos combustível por assento do que as outras aeronaves de grande porte, representando o menor consumo de combustível em uma aeronave de grande porte já registrado.

“Celebramos um aniversário especial para a Airbus”, afirmou o presidente da companhia, Tom Enders. “Nos mostra que com perseverança, esforço e colaboração com as transportadoras, o A380 atinge todos as suas espectativas. Traz benefícios reais aos nossos clientes, já que a eficiência da aeronave e sua confiabilidade não tem precedentes.

Hoje, há 202 pedidos por A380 de 17 clientes.

Fonte: Jornal de Turismo

Embraer mantém agenda de entrega de aviões

Apesar da turbulência financeira, a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) planeja manter inalteradas suas projeções de entrega de aeronaves para 2008 e 2009, pelo menos até as perspectivas econômicas ficarem mais claras, disse Frederico Curado, presidente executivo da maior fabricante de jatos regionais do mundo. “(O ambiente atual) é ainda mais imprevisível do que depois do 11 de setembro”, disse.

A Embraer considera a possibilidade de oferecer alguns meios para ajudar os clientes a financiar suas aeronaves. Mas não tem a intenção de ser avalista de operações financeiras, segundo o executivo. Até agora a empresa ainda não teve nenhum cancelamento de pedidos devido a problemas de liquidez por parte dos clientes.

Em um recente exemplo de como as aflições financeiras afetaram a empresa, a Embraer declarou, no início do mês, que decidiu registrar uma perda não recorrente de R$ 178 milhões (cerca de US$ 77 milhões) em operações de derivativos cambiais no terceiro trimestre, devido à desvalorização do real.

A companhia projeta entregar de 195 a 200 aeronaves em 2008 e 2009, das quais 10 a 15 unidades do seu modelo Phenom 100 - um jato de configuração pequena - este ano e acima de 150 unidades no ano que vem. Enquanto as perspectivas do setor estiverem sombrias, a companhia terá de estar atenta ao risco de que alguns clientes possam ter dificuldade para financiar suas compras, por conta da escassez de crédito gerada pela atual crise financeira, lembrou Curado. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

Fuga de poodle atrasa oito vôos em aeroporto de Boston

Cadela Choochy escapou do contêiner onde viajou no sábado.

Ela só foi capturada 17 horas depois, com isca de comida.


Aeroporto de Boston foi cenário da fuga de Choochy, que conseguiu escapar por 17 horas

A cadela Choochy, da raça poodle, foi protagonista de uma história que causou o atraso de pelo menos oito vôos no último sábado (25). Tudo começou quando ela fugiu do contêiner onde havia sido transportada em um vôo de Detroit até o aeroporto internacional de Logan, em Boston (EUA).

Após a fuga, ela correu pelas pistas de decolagem e taxiamento. Phil Orlandella, porta-voz do aeroporto, contou que a cadela conseguiu fugir por mais de 17 horas. Pelo menos 15 policiais, bombeiros e funcionários correram atrás de Choochy, numa missão que causou atrasos de até 30 minutos nos vôos.

Segundo Orlandella, o animal estava com medo, com fome e cansado quando finalmente se rendeu a uma isca feita com comida, no início da tarde de domingo. Após passar por um hospital veterinário, Choochy foi devolvida a sua família.

Fontes: G1 / AP - Foto: Divulgação

FAB: falha no painel causou pouso de avião de Lula

O comando da Aeronáutica explicou, em nota divulgada hoje, que o pouso não programado do avião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Aeroporto de Guarulhos, na manhã de hoje, foi motivado por um problema em um sinal luminoso do painel da aeronave. A tripulação desembarcou em segurança.

De acordo com a Aeronáutica, pouco depois de decolar do Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, o avião presidencial apresentou a indicação de porta de carga destravada. Após o pouso em Guarulhos, constatou-se falha de indicação do sinal luminoso. O problema foi resolvido e Lula chegou ao destino, Salvador, com apenas 15 minutos de atraso, às 11h45. O presidente participa da 11ª Cúpula Brasil-Portugal e, às 19h30, embarca para Brasília.

Fonte: Agência Estado

Avião de Lula faz pouso não programado minutos após decolagem

De acordo com Infraero, ocorreu um problema técnico.

Segundo a Aeronáutica, houve 'falha de indicação do sinal luminoso'.


O avião presidencial que leva o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para Salvador (BA) na manhã desta terça-feira (28) fez um pouso não programado na Base Aérea de Cumbica, em Guarulhos, alguns minutos após sair do Aeroporto de Congonhas, na capital paulista.

A decolagem aconteceu às 8h28 de São Paulo e o avião pousou às 8h46 em Guarulhos. De acordo com a assessoria de imprensa da Infraero, ocorreu um problema técnico. A assessoria não informou qual foi o problema.

Segundo nota oficial do Comando da Aeronáutica o avião "apresentou a indicação de porta de carga destravada" e houve "falha de indicação do sinal luminoso".

"A tripulação executou os procedimentos operacionais necessários e pousou com segurança no Aeroporto de Guarulhos, tendo prosseguido para o aeroporto de destino após ter sido constatado que houve apenas uma falha de indicação do sinal luminoso", informa o Comando da Aeronáutica.

Após o incidente, o avião presidencial saiu de Guarulhos entre 9h30 e 10h, com previsão de chegar a Salvador às 11h30. A agenda está mantida.

Fonte: G1

Avião da TAM arremete duas vezes em Congonhas

A aeronave, que saiu de Brasília, foi desviada para Campinas.

A empresa afirmou que a manobra foi adotada por motivo de segurança.

Um avião da TAM arremeteu duas vezes na segunda-feira (27) quando se aproximava do aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. A empresa afirmou que a manobra é comum na aviação comercial e que foi adotada por motivo de segurança.

De acordo com a TAM, as condições no momento do pouso eram desfavoráveis. A aeronave, que saiu de Brasília, foi desviada para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas, a 93 quilômetros de São Paulo. Em Campinas, o avião foi reabastecido e retornou para Congonhas, onde pousou normalmente. Alguns passageiros preferiram terminar a viagem até a capital num ônibus.

Fonte: G1

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Helicóptero cai em SP



Um helicóptero Robinson R22, prefixo PT-YLO, caiu na tarde desta segunda-feira no Parque Ecológico do Tietê, no município de Guarulhos (Grande São Paulo).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, informações preliminares apontam que a aeronave transportava duas pessoas. Não há registro de vítimas. Segundo a PM (Polícia Militar), o acidente aconteceu em uma área de brejo. As causas da queda não foram confirmadas.

Fontes: Folha Online / ANAC / SPTV (TV Globo)

Suposto avião teleguiado dos EUA mata 20 militantes no Paquistão

As forças norte-americanas no Afeganistão aumentaram as ofensivas.

Outros ataques realizados do mesmo tipo já mataram dezenas de pessoas.


Um avião teleguiado que seria dos Estados Unidos disparou nesta segunda-feira sobre uma região na fronteira do Afeganistão que serve de refúgio para um líder do Taliban no Paquistão, matando até 20 militantes, incluindo estrangeiros, de acordo com autoridades locais.

Outros ataques realizados por aviões do mesmo tipo que também seriam dos EUA já mataram dezenas de pessoas do lado paquistanês da fronteira com o Afeganistão, desde o início de setembro.

"Dois mísseis foram disparados, eles atingiram duas casas em Shakai e até 20 militantes foram mortos", disse um agente de inteligência do Paquistão, referindo-se à região no Waziristão do Sul que serve de reduto para o líder do Taliban no Paquistão Baitullah Mehsud.

O Pentágono disse não ter informações sobre a derrubada do avião teleguiado.

As forças norte-americanas no Afeganistão, frustradas com os crescentes ataques na fronteira com o Paquistão, aumentaram as ofensivas contra o país, com mísseis e uma operação de comando desde o começo de setembro.

Nenhum comandantes importante da rede al-Qaeda ou do Taliban foi morto.

Importante aliado da campanha norte-americana contra a militância, o Paquistão se opõe aos ataques norte-americanos em seu território, dizendo que eles violam sua soberania e aumentam o apoio da população local aos militantes.

Horas antes do ataque, o primeiro-ministro Yousaf Raza Gilani reiterou a oposição paquistanesa aos ataques norte-americanos, dizendo que eles arruínam os esforços dos governo para isolar os militantes e aumentar o apoio do público a estes esforços.

Mehsud é o mais notório comandante militante do Paquistão, e é acusado de ser responsável por uma série de ataques suicidas no país, incluindo o assassinato da ex-premiê Benazir Bhutto, em dezembro do ano passado.

Ele também apóia os Talibans que combatem as forças lideradas pelos Estados Unidos no Afeganistão.

Fonte: Reuters

Avião de pequeno porte cai em barranco após pouso em aeroclube de Brasília

Duas pessoas tiveram ferimentos leves.

Mudança do vento pode ter causado perda de controle, segundo instrutor.


Um avião de pequeno porte saiu da pista depois de pousar no aeroclube de Brasília, atrás do Autódromo Nelson Piquet, na manhã desta segunda-feira (27).

A aeronave caiu em um barranco próximo da pista. Uma equipe de resgate chegou rapidamente ao local. O piloto, Anderson de Oliveira e Silva, de 67 anos, e a sobrinha, Andressa Maia de Oliveira, de 22 anos, tiveram ferimentos e foram levados ao Hospital de Base.

Segundo o comandante Faraco, instrutor do aeroclube, o piloto pode não ter notado a mudança de sentido do vento e isso pode ter causado a perda de controle a aeronave.

Fontes: G1 / DFTV (TV Globo) - Foto: Brito

UE aprova inclusão de aéreas em sistema de redução de emissões de CO2

O Conselho da União Européia (UE) aceitou as diretivas da Comissão Européia (CE) e irá incluir a indústria da aviação no sistema de negociação de emissões de carbono do bloco econômico.

Em comunicado, o Conselho afirma ter tomado a decisão "sem discussões". Com essa medida, agora os 27 países membros da UE têm até 12 meses para transformar as novas diretivas em lei nacional.

A decisão foi duramente criticada pela Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês), que afirmou que este não é o momento de criar empecilhos para os negócios. "Mas foi exatamente isso o que o Conselho fez hoje - sem uma palavra de debate - transformando em lei um custo adicional de 3,5 bilhões de euros às companhias aéreas" que terão de se integrar ao novo sistema, afirmou o diretor-geral e executivo-chefe da associação, Giovanni Bisignani. "Isso é Bruxelas (sede política da UE) agindo dentro de uma bolha, mesmo em meio a uma crise econômica global", acrescentou.

As novas regras, que entram em vigor em 2012, vão obrigar que todos os vôos partindo ou chegando de aeroportos europeus estejam em acordo com os limites de emissão de carbono impostos pelo sistema. Os excedentes aos limites que serão aplicados a cada operadora poderão ser negociados para aquelas que tenham nível de emissão acima do permitido. Apenas empresas aéreas com volume de tráfego muito baixo serão excluídas do sistema para, segundo a UE, evitar custos administrativos "desproporcionais". As regras também criam a possibilidade de que uma empresa que não cumpra as exigências ambientais seja "banida" das operações em território da UE.

O sistema vai limitar as emissões, em 2012, a 97% do que era em média a liberação de gases entre o período de 2004 a 2006. A partir de 2013, esse limite será reduzido para 95% daquela mesma média. No total, as companhias aéreas terão direito a emitir 85% do CO2 que emitiam naquele período sem custo. Os 15% restantes serão leiloados entre elas ou pelo governo da UE.

Uma regra introduzida de última hora ao sistema também prevê uma "reserva" de emissões que será alocada a empresas novas no mercado ou que tenham taxa de crescimento anual de mais de 18%.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Ryanair fecha base em Valência por divergências com governo local

A companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair anunciou ter interrompido suas operações para Valência, na Espanha, e o fechamento de sua base na cidade. Com a decisão, 750 empregos diretos e indiretos devem ser extintos e 70 vôos semanais deixarão de existir, reduzindo em 750 mil passageiros por ano o movimento no aeroporto da cidade.

Segundo a Ryanair, a decisão foi tomada após a recusa do governo valenciano de discutir propostas da aérea para promover o aeroporto e suas rotas dentro de sua malha européia.

O volume de investimentos programado pela empresa irlandesa para a cidade, de cerca de US$ 140 milhões, deverá ser alocado para outra de suas bases, ainda não definida.

A base da Ryanair em Valência foi inaugurada em agosto de 2007 e, neste ano, acumulou 25% de aumento no tráfego, que totalizou cerca de 1,5 milhão de passageiros. No total, o tráfego no aeroporto é de 6 milhões de passageiros por ano.

Segundo a companhia, em vários contatos com a administração local para promover a região, a resposta era que não havia recursos para esse tipo de investimento. Porém, diz a Ryanair, isso não impediu que o governo injetasse 12 milhões de euros na companhia aérea local, a Air Nostrum.

"Esse é um momento negro para o aeroporto de Valência e para a cidade e para a região que ele serve. A Ryanair começou a transformar essa região espanhola antes ignorada em termos de turismo em um pólo de crescimento e desenvolvimento", afirmou o vice-executivo-chefe da empresa aérea, Michael Cawley. "Porém, o claro subsídio às empresas concorrentes da Ryanair pelo governo valenciano e sua recusa em travar discussões importantes com a empresa significam que a continuação de nossa base nesse aeroporto é insustentável", acrescentou.

Segundo Cawley, a empresa já recebeu "numerosos pedidos" de cidades européias que querem operações da Ryanair. Segundo ele, a decisão sobre onde irão operar os dois aviões que serviam a base de Valência será tomada nesta semana.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Avião faz aterrissagem forçada na Cidade da Guatemala

Pouso de emergência foi feito em uma rodovia.

Não houve registro de feridos no acidente.

Bombeiros cercam um avião depois de uma aterrissagem de emergência em uma rodovia na Cidade da Guatemala, neste domingo (26). Não houve registro de feridos.

Fonte: G1 - Foto: Rodrigo Abd (AP)

Exposição e show com aviões marcam a comemoração da Semana da Asa em São José

Milhares de pessoas participaram hoje das comemorações da Semana da Asa, em São José dos Campos. A apresentação da Esquadrilha da Fumaça foi uma das atrações mais esperadas pelo público no CTA - Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial. Foi um show de manobras radicais.

Entre as atrações, estavam o clássico russo Antonov 2, rapel de helicóptero, aeromodelismo e os caças da Força Aérea Brasileira.

Mesmo no chão, as máquinas chamaram muito a atenção dos visitantes. Mas o que todos queriam ver mesmo é o que os pilotos fazem com elas voando.

Os comandantes da Esquadrilha da Fumaça mostraram total sincronia. O público ia ao delírio a cada manobra.

Foram 40 minutos de acrobacias. Manobras que assustaram, e ao mesmo tempo encheram de orgulho os espectadores. "Maravilhosos, são pessoas com muito capacitadas e que merecem o respeito de todos", disse a agente de saúde Adriana Cunha.

Fonte: VNews - Fotos: Rede Vanguarda

domingo, 26 de outubro de 2008

Queda de helicóptero deixa 4 mortos na Rússia

Quatro pessoas morreram hoje devido à queda de um helicóptero Mi-8 com cinco ocupantes na república russa da Tartária, informou o Ministério para Situações de Emergência da Rússia.

Um dos ocupantes do aparelho conseguiu saltar de pára-quedas e foi hospitalizado em estado de choque, disse à agência "Interfax" um porta-voz do ministério.

Antes, tinha sido informado sobre uma vítima fatal e três pessoas desaparecidas, além do sobrevivente internado em um centro médico.

O acidente aconteceu quando o aparelho realizava um vôo de teste, após ser submetido a uma série de consertos.

Nos últimos anos, houve na Rússia dezenas de acidentes com Mi-8, modelo que é fabricado há mais de 40 anos e que forma a maior arte do parque russo de helicópteros de transporte.

Fonte: EFE

Airbus 319 da Lufthansa faz pouso forçado em Budapeste

Um Airbus 319 da Lufthansa fez um pouso forçado hoje à tarde no Aeroporto Internacional Ferihegy, em Budapeste, sem que houvesse vítimas.

O avião, que viajava de Munique a Bucareste com 99 passageiros a bordo, aterrissou em Budapeste depois que os instrumentos detectaram uma falha de funcionamento, explicou o porta-voz do aeroporto, Szollar Domonkos, à agência "MTI".

As autoridades iniciaram as investigações necessárias para esclarecer a causa do incidente.

O porta-voz acrescentou que nenhum dos passageiros nem dos membros da tripulação sofreu ferimentos.

Os passageiros continuarão o vôo em outro avião da Lufthansa e devem chegar hoje à noite a Bucareste.

Fonte: EFE

Piloto aponta falha que pode ter causado acidente da TAM

Um piloto, que pediu anonimato, procurou na noite de sexta-feira (24) os parentes e amigos das vítimas do acidente com o vôo 3054 da TAM para denunciar uma falha no equipamento da aeronave que pode ter contribuído para o acidente.

Na colisão da aeronave com o terminal de cargas da TAM no aeroporto de Congonhas, em julho do ano passado, 199 pessoas morreram. Os parentes das vítimas estão hospedados num hotel de São Paulo desde ontem. Eles participam de mais uma reunião realizada mensalmente para cobrar a punição dos responsáveis pelo acidente.

De acordo com Dario Scott, presidente da Afavitam (Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 3054), o piloto disse que o problema foi detectado em um equipamento que controlaria o motor do avião. "Esse aparelho acelerava o avião, independente da posição dos manetes do piloto, e não acionou nenhum tipo de freio", explicou Scott, ressaltando que, em sua denúncia, o piloto disse que esse defeito já havia sido identificado no Airbus antes do acidente e estava sendo analisado pelos mecânicos da TAM.

Na reunião realizada neste sábado, os parentes das vítimas aproveitaram para levar a denúncia ao delegado Antônio Carlos Menezes Barbosa, responsável pelo inquérito policial que investiga as causas e responsáveis pelo acidente. Segundo Scott, o delegado se comprometeu a investigar a denúncia.

"Não é só a questão de uma pista sem área de escape, são diversos os fatores que contribuíram para esse acidente. Esse pode ser mais um", disse Scott. Procurada para esclarecer a nova denúncia, a assessoria de imprensa da TAM informou que a companhia não vai se pronunciar sobre o caso até a conclusão das investigações.

Durante a reunião, os parentes foram informados pelo delegado Barbosa de que o inquérito policial pode ser concluído na primeira quinzena de novembro. "Esperamos que os responsáveis pela tragédia sejam apontados e respondam perante a Justiça", disse Dario Scott.

Fonte: Folha Online

TAM é condenada a pagar R$ 375 mil a família de vítima

A empresa aérea TAM foi condenada a pagar R$ 375 mil, atualizados e com juros, aos pais e irmão do co-piloto do Airbus da companhia aérea, Ricardo Kley Santos. Ricardo foi uma das 199 pessoas mortas depois de o avião atravessar a pista do aeroporto de Congonhas e se chocar com um prédio da companhia aérea, em julho de 2007. A decisão é do juiz Dilso Domingos Pereira, da 14ª Vara Cível de Porto Alegre. A família já recorreu para aumentar o valor da indenização. A notícia foi publicada no site Espaço Vital.

Na decisão, o juiz aplicou o Código de Defesa do Consumidor e afastou o Código Brasileiro de Aeronáutica, que concede indenização com limitações. “O CBA prevê a limitação da indenização por morte ou lesão de passageiro ou tripulante em 3.500 OTN, o que vai de encontro ao Código Civil que reza, no artigo 731, que ‘o transporte exercido em virtude de autorização, permissão ou concessão, rege-se pelas normas regulamentares e pelo que for estabelecido naqueles atos, sem prejuízo do disposto neste Código’”, explicou.

Para o juiz, o caso é peculiar e dispensa explicações mais detalhadas sobre o dano causado aos familiares. “A mácula que a morte deixou na família, causando intenso sofrimento e desamparo emocional, fala por si”, afirma.

Os advogados da família, Luiz Fernando Menezes de Oliveira e Sylvio Roberto Correa de Borba, sustentaram, na petição inicial, que “a TAM não ofereceu a segurança necessária dos seus serviços, pois não obedeceu à lotação máxima permitida e não reparou defeitos mecânicos no avião”. Eles também alegam que houve defeito dos manetes das turbinas.

Em sua contestação, a TAM reconheceu a culpa e discutiu o valor da indenização. Segundo a defesa, a companhia tem atendido os familiares das vítimas “da melhor maneira possível, por meio de prestação de assistência médica, psicológica, serviços funerários e outros”. A empresa também sustentou que "a aeronave estava em condições de vôo, com certificado de aeronavegabilidade válido, e os pilotos eram qualificados para operá-la".

Além disso, a TAM afirmou a existência de contrato de seguro. Segundo a TAM, os familiares do co-piloto já receberam o valor de R$ 23,9 mil.

O juiz entendeu que o pagamento se refere ao ressarcimento por danos materiais e, assim, não os abateu na compensação financeira pelo dano moral. O pai e a mãe vão receber, cada um, R$ 141,3 mil, e o irmão, R$ 94,2 mil.

O co-piloto aproveitava uma folga em Porto Alegre no fim de semana que antecedeu o acidente. No dia 17 de julho de 2007, viajava no vôo JJ-3054 como “extra” – isto é, sem pagar passagem – para que no dia seguinte pudesse retomar sua escala de trabalho.

Processo 70.024.509.861

Fonte: PantanalNews