terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Cadeirante se arrasta na escada de embarque da Gol para entrar em avião

A empresa não dispunha do equipamento especial para embarcar passageiros com deficiência e limitações de mobilidade.


Aos 38 anos, Katya Hemelrijk é executiva de uma empresa de cosméticos, mãe de dois filhos e vítima de uma doença genética rara conhecida como "síndrome dos ossos de cristal". A osteogenese imperfeita deixa os ossos muito frágeis, fazendo-se necessário que a vítima utilize cadeira de rodas para andar. A executiva, entretanto, precisou arrastar-se por 15 degraus da escada de embarque de uma aeronave da Gol, na madrugada desta segunda-feira (1º), em Foz do Iguaçu (PR), porque não havia um equipamento especial que ela embarcasse com segurança.

Os aeroportos que não possuem pontes de emabarques precisam oferecer alternativas para o embarque de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida através de cadeiras especiais que escalam os degraus ou uma espécie de elevador.

"Ofereceram para me carregar no colo, o que não aceitei. É uma humilhação e há risco de me machucar com gravidade, de quebrar uma perna por me pegarem de forma errada. Como não havia condições dignas para que eu embarcasse, subi por conta própria. Fui me arrastando, de bumbum", disse Katya à Folha.com

Também lhe foi dada a opção de esperar por cerca de quatro horas até que o equipamento de auxílio pudesse ser usado. Resignada, ela demorou cerca de cinco minutos para subir a escada. O resultado foram roupas sujas e dores nas pernas após a subida sob o olhar "incrédulo e apavorado" da tripulação.

O que disse a GOL


A companhia aérea informou que o equipamento especial para embarque não estava disponível e que tentou, sem sucesso, consegui-lo com outras empresas. Afirmou que após oferecer "alternativas" à cliente, a mesma optou por subir as escadas sozinha.

A Infraero, responsável pela administração do aeroporto, informou que "procedimentos de embarque e desembarque são responsabilidade das empresas aéreas".

"A Gol lamenta o ocorrido e tomará as medidas necessárias para evitar que casos como este voltem a acontecer", disse a Gol. Segundo a empresa as melhorias nesses procedimentos e a aquisição de 15 ambulifts irá beneficiar o aeroporto de Foz do Iguaçu.

Fonte: Administradores.com - Foto: Divulgação

Um comentário:

Victor Salerno disse...

Vergonhoso! Pelo menos a ANAC agiu e multou empresa e Infraero:

http://g1.globo.com/pr/oeste-sudoeste/noticia/2014/12/anac-pode-multar-gol-e-infraero-em-r-300-mil-por-embarque-irregular.html