quinta-feira, 14 de julho de 2011

Avião faz pouso forçado em canavial em Novo Horizonte (SP)

Seis pessoas foram detidas no momento em que desmontavam a aeronave; delegado da DIG investiga se avião era utilizado para transportar drogas




O avião monomotor EMB-721C Sertanejo, prefixo PT-EGG, fez um pouso forçado na terça-feira (12) pela manhã em uma pista clandestina próxima à rodovia Cesário José de Castilho, que liga Itajobi a Novo Horizonte.

Depois de uma denúncia anônima nesta quarta pela manhã, a Polícia Militar de Novo Horizonte foi até o local e encontrou um mecânico e um ajudante, que seriam de Ribeirão Preto, desmontando a aeronave. Em seguida, quatro pessoas chegaram em um carro e todos foram detidos pelos policiais.

O delegado Leonel Aparecido Siqueira, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Novo Horizonte, ouve neste momento as seis pessoas envolvidas no caso e não descarta a possibilidade de o avião ter sido utilizado para fazer o transporte de drogas, contrabando ou descaminho.

A Polícia Científica de Catanduva e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) foram chamadas e devem ajudar nas investigações para tentar identificar algum material ilícito dentro da aeronave. O proprietário do avião ainda não foi localizado.

Polícia prende seis perto de avião que fez pouso forçado

Aeronave que caiu terça-feira num canavial próximo a Novo Horizonte estava sendo desmontada; suspeita é de que transportava droga ou contrabando

Quatro pessoas foram presas na quarta-feira (13) pela manhã enquanto desmontavam um avião monomotor em um sítio perto de Novo Horizonte. Eles disseram à polícia que foram contratados para desmontar a aeronave depois que o avião fez um pouso forçado no local no dia anterior.

A polícia prendeu outras duas pessoas que chegaram ao local em um Gol branco com a placa com letras e números escondidos com adesivo. Os dois homens têm passagens pela polícia por tráfico de drogas. O veículo foi apreendido por falta de documentos.

O delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Novo Horizonte, Leonel Aparecido Siqueira, que investiga o caso, não descarta a possibilidade de o avião ter sido usado para transportar drogas ou produtos de contrabando, já que piloto não comunicou o incidente. A aeronave, que tem capacidade para seis pessoas, teve os assentos removidos. Esta é a segunda vez que o avião é apreendido, segundo o delegado.

Os seis homens foram interrogados ontem à tarde pelo delegado. Durante o depoimento, cada um deles apresentou uma versão diferente para o caso. “A primeira informação que tivemos foi de que o avião estaria sendo usado para fazer um treinamento e que devido a uma pane foi obrigado a pousar nessa pista”, disse Siqueira. “Só que não se sabe de onde o piloto decolou”, acrescenta o delgado.

Testemunhas afirmaram aos policiais que uma camionete Hilux, prata, foi vista no local terça-feria pela manhã, logo depois de a aeronave fazer o pouso forçado. A polícia acredita que o veículo era do proprietário do avião. Ele ainda não foi identificado.

A Polícia Científica de Catanduva e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) foram chamadas e vão ajudar nas investigações para tentar identificar o interior da aeronave. A Polícia Federal de Rio Preto e de Ribeirão Preto também auxiliam a DIG nas investigações, porque os detidos são moradores de Penápolis e de Ribeirão.

Outro caso

Em setembro de 2005, a polícia apreendeu R$ 1 milhão em mercadorias contrabandeadas vindas do Paraguai, na mesma estrada rural onde ocorreu o pouso forçado anteontem. Dez computadores, câmeras fotográficas e até medicamentos para emagrecer estavam dentro de uma perua abandonada no local. Apenas uma pessoa foi presa pelos policiais.

Fonte: Agência Bom Dia - Foto: radioamizadefm.com

2 comentários:

escola disse...

O CORRETO É DIVULGAR OS PREFIXOS.. DAS AERONAVES.

Unknown disse...

Quando são divulgados, os prefixos são informados. Abraços.