terça-feira, 16 de abril de 2013

Em 2012, pilotos causaram maioria de acidentes aéreos no AM, diz Seripa

Dos casos registrados, 47% tiveram relação com erros em manobras.

Aeronaves de pequeno porte tornam perícias de acidentes mais complexas.

Avião caiu e explodiu em estacionamento de empresa em janeiro deste ano
Foto: Jack Roy Looney Jr/VC no G1

Em 2012, 47% dos acidentes aéreos que aconteceram no Amazonas foram atribuídos a falhas em decisões da tripulação, segundo o chefe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), coronel Arthur Rangel. Em entrevista ao G1, ele afirmou que, geralmente, os erros são cometidos pelo piloto. "Isso acontece quando ele [piloto] possui o conhecimento, mas não calcula bem uma manobra ou planejamento", explicou.

Falhas na supervisão dos aviões são apontadas como a segunda maior causa dos acidentes, com 41%. De acordo com Rangel, se comprovado o envolvimento do piloto no acidente, o mesmo pode ser autuado e multado, ou ter as licenças, habilitações e certificados cassados ou suspensos. "Depende da análise da Agência Nacional de Aviação (Anac)", disse o militar. 

Avião vinha dos EUA com duas pessoas caiu em março deste ano em Manaus
Foto: Frank Cunha/G1

Clique AQUI para continuar lendo esta matéria do G1

Sorocaba, SP, recebe simulador de helicóptero Águia para treinamento

Cidade é a segunda no mundo a receber esse tipo de equipamento.

Sorocaba passará a ser referência em treinamento no país.


Sorocaba (SP) agora é referência para o treinamento de policiais militares que trabalham nas bases do helicóptero Águia. O motivo é a instalação do segundo equipamento do mundo capaz de simular operações em helicóptero. Agora, PMs de vários pontos do Brasil vão treinar na cidade.

Os tripulantes que atuam nas 11 bases do Águia do Estado de São Paulo vão passar por treinamentos em Sorocaba. Além de não tirar as aeronaves de operação, o simulador proporciona uma economia de R$ 3 mil por hora.

O soldado Erasmo Andrian faz parte da equipe do Águia de Ribeirão Preto (SP). Com o novo equipamento, todo ano ele vai ter que aperfeiçoar os procedimentos de resgate e operação em Sorocaba.

Durante o treinamento, os tripulantes do Águia podem simular o resgate de vítimas em locais de difícil acesso, o embarque e desembarque com o helicóptero, ou ainda, a descida de rapel. Eles repetem diversas vezes os procedimentos de segurança, como as amarrações das cordas.

A cabine do simulador pesa uma tonelada e meia e é feita em fibra de vidro. O equipamento está preso a uma torre e pode ser elevado até oito metros de altura. A plataforma, feita por um sistema mecânico de contra peso, também possibilita movimentos laterais. Tudo para chegar ao mais próximo da realidade.

As duas empresas que projetaram o simulador vão doar o equipamento para o governo estadual. Os treinamentos com os policiais vão ser feitos duas vezes ao mês, com turmas de até 10 tripulantes.

O projeto vai ser patenteado antes de ser doado à Polícia Militar de São Paulo. Segundo o comandante, major Rinaldo Rodrigues Rachide, esse é o segundo equipamento do gênero projetado no mundo. Estados como Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Mato Grosso já mostraram interesse pelo projeto.

Simulador proporciona economia de R$ 3 mil por hora

Assista:


Fonte: G1 Sorocaba e Jundiaí - Fotos: Reprodução/TV TEM

Veja as fotos da Laad, a feira de defesa e segurança

Exposição no Rio mostrou armas, veículos, roupas e equipamentos.

Armas paquistanesas, aeronaves, blindados, pistolas, helicópteros, roupas de segurança, mísseis, gás de pimenta, rádio que funciona embaixo d´água, roupas camufladas, simulador de helicóptero, entre outros equipamentos.


Clique AQUI para acessar o álbum de fotos.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução

MP pede arquivamento do processo que investiga acidente de Marrone

Cantor sertanejo caiu com o helicóptero em Rio Preto em maio de 2011.

Até hoje laudo da aeronáutica com causa do acidente não foi concluída.


O Ministério Público de São José do Rio Preto (SP) encaminhou nesta quinta-feira (11) à Justiça o pedido de arquivamento do processo que investiga o acidente com o helicóptero do cantor Marrone. O acidente foi em maio de 2011, quando a aeronave caiu no Recinto de Exposições da cidade, logo depois de decolar do aeroporto.

O cantor foi acusado de estar pilotando o próprio helicóptero no momento da queda, mesmo sem a formação de piloto completa. O acidente deixou duas pessoas gravemente feridas, uma delas teve uma perna amputada.

De acordo com o Ministério Público, o caso deve ser arquivado porque as vítimas não fizeram nenhuma representação contra Marrone.

Em depoimento, o primo do cantor, que estava na aeronave, negou que Marrone estava no comando. Até hoje, o laudo da aeronáutica, com as causas do acidente ainda não foi concluído.

Acidente

Segundo relato do piloto na época ao Corpo de Bombeiros, o helicóptero perdeu potência pouco depois de decolar do aeroporto de São José do Rio Preto. O piloto disse na época que tentou fazer um pouso forçado em uma propriedade próxima ao aeroporto. Ao se aproximar do solo, o aparelho bateu em uma árvore, caiu sobre a cerca que separa o estabelecimento da calçada e ficou tombado. "Uma parte dele bateu em uma árvore. O aparelho caiu sobre a cerca e um recuo da calçada. Ele ficou tombado para o lado direito", disse o major Paulo César Berto, na época.

Helicóptero em que o cantor estava ficou destruído

Clique AQUI e assista a reportagem.

Fonte: G1 Rio Preto e Araçatuba - Fotos: Reprodução/TV Tem

EUA: avião em Boston e parte de aeroporto em NY são evacuados

Dois incidentes voltaram a colocar autoridades e civis em alerta nos Estados Unidos na manhã desta terça-feira.



No Aeroporto Internacional Logan Boston, um avião foi evacuado, ainda sem detalhes sobre as motivações que levaram ao esvaziamento da aeronave (fotos acima).

Parte do Aeroporto LaGuardia, em Nova York, também foi evacuada depois que um pacote suspeito foi encontrado na área de compras, de acordo com emissoras de TV americanas. 

Aeroporto LaGuardia

A agência de aviação civil dos EUA anunciou que houve um "incidente de segurança" com um avião da US Airways no aeroporto de Logan, na região de Boston, palco do ataque que matou 3 na véspera, segundo a TV CBS. 

O voo 1716 vinha da Filadélfia está pousado no aeroporto. Policiais estariam revistando a aeronave e os passageiros.

Fontes: Terra / G1 - Fotos: Reprodução

Agência norte-americana ordena inspeção a mais de mil aviões Boeing 737

Foram detectados defeitos em peças que podem comprometer a segurança dos aparelhos.


A Agência Federal de Aviação norte-americana (FAA) ordenou a inspeção de mais de mil aviões Boeing 737 depois de terem sido detectados defeitos em peças que podem levar os pilotos a perder o controlo dos aparelhos, comprometendo a segurança dos mesmos.

Num comunicado emitido nesta segunda-feira, a FAA explica que foi informada de um “procedimento incorrecto” na aplicação de um revestimento anti-corrosão nos painéis da fuselagem dos aparelhos, e que pode resultar “numa falha prematura” dos materiais e na “perda de controlo do avião”.

As peças em causa – que, segundo a agência, até ao momento não causaram nenhum acidente – ajudam a fixar os estabilizadores horizontais dos aparelhos, que controlam os movimentos do “nariz” do avião. 

Segundo o documento, citado pela AFP, a inspecção será feita em 1050 aparelhos registados nos Estados Unidos, a partir de 20 de Maio.

Segundo fontes da indústria aeronáutica citadas pelo The Wall Street Journal, esta medida é pouco comum, uma vez que se aplica a defeitos de fabrico que podem afetar um grande número de aviões, particularmente as novas versões deste modelo, que é o mais usado pelas companhias aéreas em todo o mundo.

A ordem de inspeção da FAA inclui seis versões do Boeing 737, desde o modelo mais pequeno até ao mais longo: são eles o 737-600, 737-700, 737-700C, 737-800, 737-900 e o 737-900ER. A FAA estima que esta operação poderá custar mais de dez milhões de dólares às companhias norte-americanas, mas admite que parte do custo poderá ser coberto pela garantia do construtor.


Este sábado, um Boeing 737-800 que levava 108 pessoas a bordo caiu ao mar em Bali, Indonésia (foto acima). As causas do acidente estão sob investigação, mas pilotos dizem que perderam o controlo do aparelho devido à chuva e vento fortes.

A Boeing ainda não fez qualquer comentário sobre a decisão da FAA. Já no início do ano, a agência tinha proibido temporariamente os voos dos Boeing 787 Dreamliner registados nos Estados Unidos, depois de terem sido detectados problemas nas baterias dos aparelhos.

A agência também ordenou uma inspeção aos aparelhos deste modelo após vários incidentes, em Janeiro. O primeiro envolveu um avião da Japanese Airlines, cuja bateria se incendiou enquanto o avião estava em terra, no aeroporto de Boston, nos Estados Unidos. No dia seguinte, outro avião do mesmo modelo e da mesma companhia sofreu uma fuga de combustível que o impediu de levantar voo de Tóquio. O terceiro ocorreu poucos dias depois, durante um voo doméstico da companhia aérea japonesa ANA, com 129 passageiros e oito tripulantes a bordo: um incêndio no local onde estava instalada uma bateria, o que poderia ter levado o avião a despenhar-se. Várias pessoas ficaram ligeiramente feridas ao sair de emergência, em Takamatsu, no sul do país, pelas mangas do avião para a pista.

A Boeing ainda está em testes para poder voltar a por o 787 Dreamliner no ar.

Fonte: Publico (Portugal) - Fotos: Reuters / AFP

Vento 'arrastou' avião para baixo, diz piloto que aterrissou no mar da Indonésia

Os 108 passageiros e tripulantes sobreviveram quando aeronave da Lions Air caiu no mar enquanto piloto tentava pousar em Bali; fortes chuvas teriam atrapalhado copiloto.

O piloto do avião que caiu no mar na Indonésia ao tentar pousar em Bali relatou ter se sentido "arrastado" para baixo pelo vento enquanto tentava recuperar o controle da aeronave, segundo afirmou uma fonte familiarizada com o assunto.

Todos os 108 passageiros e tripulantes sobreviveram milagrosamente quando o avião Boeing 737, operado pela companhia aérea indonésia de baixo custo Lion Air, errou a pista de pouso principal do aeroporto na ilha turística e caiu na água, no sábado.

Passageiros foram resgatados com ferimentos leves do acidente

Autoridades salientaram que é muito cedo para afirmar a causa do acidente, que está sendo investigado por autoridades indonésias com a ajuda de investigadores dos EUA e da Boeing. Mas interrogatórios iniciais, comentários de testemunhas e boletins meteorológicos chamaram a atenção para a possibilidade de um "wind shear" ("gradiente de vento") ou uma corrente descendente de nuvens de tempestade conhecida como "microburst".

De acordo com os relatos iniciais do piloto, o voo JT-904 estava em uma aproximação ao leste do aeroporto Ngurah Rai, em Bali, no meio da tarde de sábado, após um voo normal a partir de Bandung, na Java Ocidental.

Quando o avião da Lion Air se aproximava da terra, com um avião da companhia Garuda logo atrás e outra aeronave prestes a decolar da pista à frente, o co-piloto perdeu a visão da pista com uma forte chuva atravessando o pára-brisa.

O capitão, um cidadão indonésio com experiência de cerca de 15 mil horas de voo e licença de instrutor, então assumiu o controle manual. Entre 122 e 61 metros, os pilotos descreveram ter voado em uma confusão de chuvas fortes, segundo a fonte.

Pesadas chuvas localizadas que temporariamente reduzem a visibilidade não são incomuns nos trópicos, mas a baixa altura da aeronave significa que a tripulação teve pouco tempo para reagir. Sem a visão da pista, de acordo com esse relato, o capitão decidiu abortar a aterrissagem e realizar um "go around", uma manobra de rotina para qual todos os pilotos são bem treinados.


Mas o capitão disse às autoridades que em vez de subir, o 737 novo em folha começou a embicar para baixo incontrolavelmente. "O capitão disse que pretendia dar a volta, mas sentiu o avião sendo arrastado pelo vento; é por isso que caiu no mar", disse a fonte, que foi informada sobre o testemunho da tripulação. 

"Havia chuva muito pesada vindo de leste para o oeste", disse a fonte, pedindo para não ser identificada, pois ninguém está autorizado a falar publicamente sobre a investigação em curso.



Fonte: Reuters via iG - Fotos: AP

domingo, 14 de abril de 2013

Avião da TAP bate em torre no aeroporto JK, em Brasília

Pista era inapropriada para o porte da aeronave, uma A-330 Airbus


Um avião da companhia TAP Linhas Aéreas bateu na tarde deste sábado (13) uma parte de sua asa esquerda em uma torre de iluminação do Aeroporto de Brasília ao chegar de Lisboa.

Segundo o Consórcio Inframérica, responsável pelo aeroporto, a pista era inapropriada para o porte da aeronave, uma A-330 Airbus. Não há registro de feridos.

O voo de volta que estava previsto para sair de Brasília para Lisboa às 16h47 foi cancelado e os passageiros serão realocados.


Por meio de nota, a Aeronáutica informou que a aeronave tocou “a ponta da asa num poste de iluminação enquanto realizava o seu táxi em direção ao pátio de estacionamento”.

O avião pousou às 14h52 na pista 29L (esquerda), e a ocorrência aconteceu na taxiway L4, em operação desde 30 de março.

“Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) se encontra no local para colher informações acerca dos fatores contribuintes para a ocorrência”, informou o órgão.

Assista as reportagens AQUI e AQUI.

Fontes: O Globo / G1 - Imagens: Reprodução

Avião com 108 pessoas a bordo cai ao mar de Bali sem vítimas




O avião Boeing 737-8GP, prefixo PK-LKS, da companhia indonésia de baixo custo Lion Air, conhecida por ter assinado com a Airbus o maior contrato da aviação civil, caiu ao mar neste sábado (13), perto da pista de pouso do aeroporto internacional de Bali, sem causar mortes entre as 108 pessoas a bordo.

'Todos a bordo do Boeing 737-800 sobreviveram', declarou à AFP o diretor-geral do transporte aéreo no ministério, Herry Bhakti.

Um porta-voz da Lion Air afirmou que o passageiros transportava 101 passageiros e sete membros da tripulação.

O aparelho derrapou na pista durante o pouco no aeroporto internacional de Denpasar, segundo o diretor-geral da companhia, Edward Sirait. 'O avião não tocou a pista e caiu no oceano próximo', explicou em coletiva de imprensa.

'Estávamos a ponto de aterrissar quando, de repente, cai na água', declarou à AFP uma passageira com ferimentos leves. 'As pessoas entraram em pânico', contou Dewi, uma indonésia.

Um porta-voz do aeroporto afirmou que 45 passageiros foram hospitalizados, mas não disse se os ferimentos eram graves.

Dewi, um médico do hospital de Denpasar, informou que uma mulher com hemorragia cerebral foi internada e que sua vida pode correr perigo.

O avião, que voava de Bandung para a ilha vizinha de Java (voo JT-904), tinha três passageiros estrangeiros, segundo Alfansyah, chefe de comunicações do aeroporto, um francês e dois cingapurianos. 'Falei com o francês. Não tem mais que contusões no braço', acrescentou.

O aparelho se partiu em dois. As imagens da televisões locais mostravam o aeroporto perto da pista de aterrissagem, com parte da fuselagem submersa.

As condições meteorológicas no momento da aterrissagem eram boas. O avião entrou em funcionamento este anos e o piloto voava para a companhia há seis anos, segundo o diretor da empresa.

A Lion Air não pode voar no espaço aéreo europeu e americano, onde é considerada uma companhia aérea de risco. Também tem má reputação na Indonésia.

Entre 2004 e 2006, teve seis acidentes, nenhum deles mortal, mas ocasionados com frequência por aparelhos que derrapavam na pista.

Além disso, em janeiro de 2012, as autoridades sancionaram a Lion Air depois da prisão de seus pilotos com posse de metanfetaminas.

A Lion Air é a principal companhia privada da Indonésia, com um crescimento astronômico graças ao auge do transporte aéreo no país.

Ganhou as manchetes econômicas ao assinar o maior contrato da história da aviação civil: um pedido de 234 Airbus A320 por 18,4 bilhões de euros.

E há menos de um ano e meio, em novembro de 2011, a Lion Air anunciou a compra de 230 Boeing 737 de médio percurso no valor de 17 bilhões de euros.


Fontes: Reuters via G1 / Aviation Herald

Veja também:

Fotos: acidente aéreo em Bali.

Passageiros relatam queda de avião no mar em Bali.

Não é possível controlar um avião através de uma aplicação Android

As Autoridades de aviação enviaram comunicados a negar a possibilidade de controlar um avião através de uma aplicação Android.


Durante esta semana, um programador chamado Hugo Teso, consultor de segurança que também tem formação de piloto comercial, mostrou durante a conferência Hack in the Boxm que se encontra a decorrer em Amesterdão, a aplicação Android chamada de PlaneSploit que ataca o sistema de gestão do avião.

Segundo Teso, é possível infiltrar-se nas emissões de rádio entre os aviões e as torres de controlo e usa depois um segundo sistema de comunicação para enviar as mensagens maliciosas que podem permitir o controlo total do avião.

No entanto, Administração Federal da Aviação (FAA) e a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) já negaram essa possibilidade através de comunicados de imprensa, citados pelo The Register

Segundo as autoridades, há uma grande diferença entre os simuladores que foram utilizados pelo programador para criar a aplicação Android e os software certificados, que têm uma segurança muito elevada.

Além desta opinião, também um blog, o Ask The Pilot, escreveu um post sobre o assunto. O Blog criado por Patrick Smith tem esclarecido muitos dos rumores que se fala sobre a aviação civil e não deixou de comentar sobre este assunto.

Segundo Patrick, o ACARS, sistema de comunicação, e o FMS, sistema de gestão de voo, não controlam, diretamente o avião. No caso do FMS, ele indica várias informações sobre o voo, como altitude, velocidade, etc. No entanto, a última decisão cabe sempre à tripulação e não é o FMS que controla o avião, mas sim a tripulação. É a tripulação que indica o que o avião tem de fazer, quando o fazer e como o fazer, mesmo em piloto automático.

Apesar de a informação a ter em conta para estas decisões vir do FMS, tem de fazer sentido para a tripulação, pois se não fizer sentido, a tripulação não irá seguir essas informações.

Portanto, não tenha medo, que não será uma pessoa qualquer com um dispositivo Android que irá controlar o avião.

Fonte: Bruno Peralta (tecnologia.com.pt) - Imagem: Reprodução

Homem se esconde em saco plástico dentro de avião e choca passageiros

Um judeu ultra-ortodoxo resolveu se embrulhar em um saco plástico durante uma viagem de avião e chocou os passageiros. O fato inusitado aconteceu porque sua religião o impede de voar sobre cemitérios. Todo vestido de preto e usando um solidéu judeu, ou um "kipá", debaixo do plástico, ele alega que o saco cria uma barreira que o impede de entrar em contato com as impurezas do mundo dos mortos. Acredita-se que o homem seja um descendente religioso dos sacerdotes do antigo Israel, um Cohen.

Religião não permite que homem tenha qualquer tipo de contato
 com cemitérios e homem se protege com saco plástico

O rabino Jeffrey W. Goldwasser, do Templo de Beit Hayam em Israel, explicou: "Nas comunidades ortodoxa e conservadora, esses decendentes devem abster-se de entrar em contato com os mortos, que inclui a proibição de cemitérios, exceto para os funerais de parentes próximos".

Sacos polêmicos

A polêmica envolvendo os sacos plásticos fez a El AL Airlines proibir, em 2001, que os judeus ultra-ortodoxos se cobrissem com o material, porque estaria infringindo as considerações de segurança de voo. 

Um ano mais tarde, foi relatado que a tripulação entrou em uma discussão com um passageiro que tentou voar envolto em um plástico. O confronto acabou levando o piloto a retornar para a base.

Uma mulher até processou a companhia aérea após a equipe ter trocado-a de lugar, colocando-a na parte traseira de um avião, após um ultra-ortodoxo ter se recusado a sentar ao seu lado.

 Fonte: O Dia Online - Foto: Reprodução Internet

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Saiba como tirar o visto americano

Procedimento inclui preencher formulário na internet e agendar entrevista.

Há postos consulares em Brasília, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Posto de visto para os EUA na Zona Sul do Rio

Para pedir o visto americano de não imigrante (que inclui o de turismo, o de estudante e o de negócios, entre outros), é preciso seguir os passos abaixo:

1) Preencha, em inglês, o formulário de solicitação de visto DS-160 disponível no link: 


As perguntas estão em inglês, mas, ao colocar o cursor em cima delas, aparece a tradução.

Ao fim de cada pagina, salve o que já tiver sido feito e guarde o número do Application ID para entrar novamente no formulário. Ao terminar o processo, imprima a página de confirmação.

Dúvidas sobre o preenchimento do formulário podem ser esclarecidas em:


2) Depois que preencher o formulário, é preciso agendas a(s) entrevista(s). Para isso, cadastre-se no site:


e siga o passo a passo de agendamento ou ligue para os telefones que estão no link:


Tenha em mãos a página de confirmação do formulário DS-160 (com código de barras) e o número do passaporte.

Há casos em que é necessário ir ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) e ao Consulado, e outros - como nas renovações - em que só é preciso ir ao CASV. O próprio sistema irá informar sobre isso.

No caso de ter que fazer as duas entrevistas, as visitas não podem ser agendadas para o mesmo dia. Fique atento porque a opção de agendamento para o Consulado aparece antes da opção de agendamento para o CASV, mas a entrevista no CASV tem que ocorrer primeiro. Por isso, escolha sempre para a ida Consulado uma data posterior à da ida ao CASV.

No meio do processo, você terá que pagar a taxa de solicitação do visto (US$ 160, no caso dos vistos de turismo e de negócios). Confira taxas para outros vistos em:


3) No dia agendado, vá ao CASV com o formulário, o passaporte e o comprovante de pagamento da taxa. Lá, serão recolhidas as impressões digitais e será tirada uma foto. Não é permitido entrar com bolsas ou mochilas no recinto, e não há local para guardar esses pertences dentro do centro. Quem estiver com eles precisa deixá-los no carro ou em guarda-volumes privados, que costumam cobrar caro pelo serviço.

4) No dia da entrevista, é preciso ir ao Consulado ou à Embaixada, levando o passaporte e a página de confirmação do formulário DS-160.

Para mais informações, consulte a página: http://brazil.usvisa-info.com.

Fonte: G1 - Foto: Foto: Rodrigo Vianna/G1

Avião cai em alto mar ao largo de São Tomé e Príncipe


Uma aeronave proveniente da Namíbia caiu no último domingo (7) no oceano Atlântico, ao largo de São Tomé e Príncipe, a nove milhas do aeroporto da cidade capital, informa nesta quarta-feira (10) a Panapress.  

A aeronave do tipo Beechcraft 1900C-1, prefixo ZS-PHL, deveria fazer uma escala técnica em São Tomé às 16 horas e 13 minutos (TMG) rumo ao Gana, mas, na altura, a torre perdeu o contacto com o piloto e o único ocupante do avião devido ao mau tempo na sequência de fortes chuvas acompanhadas de ventos impetuosos e de relâmpagos.

Segundo uma fonte a que a PANA teve acesso, foi aberto um inquérito orientado pela aviação civil internacional que pretende conhecer a verdadeira causa do acidente.

Fontes: África 21 Digital / ASN - Imagem via unilab.edu.br

Empresas exibem mini-helicópteros a partir de US$ 300 em feira nos EUA

Mais robustos são chamados de octocopters, com oito braços.

NAB é a maior feira de tecnologia de radiodifusão do mundo.

Uma enxurrada de mini-helicópteros tomou conta dos corredores do centro de convenções onde acontece a feira National Association of Broadcasters (NAB), em Las Vegas. Um fabricante montou até uma rotunda envidraçada para fazer demonstrações com segurança.

Evento exibiu mini-helicópteros com oito braços

Os mais robustos são chamados de octocopters, pois tem oito braços, cada um com uma pequena hélice. Os fabricantes explicam que assim se tem muito mais estabilidade e controle no voo e se consegue dispensar o rotor de cauda, que nos helicópteros convencionais impede que o aparelho gire sem parar. E estabilidade é a palavra de ordem aqui, já que essas engenhocas foram desenvolvidas especialmente para gravar imagens aéreas.

Os preços começam em US$ 300 e podem passar dos US$ 20 mil. As maquininhas aparecem em vários tamanhos, com oito ou quatro braços e são feitas de materiais ultramodernos e levíssimos, como compostos de carbono. E é exatamente isso que define o peso que eles podem suportar. Os maiores são capazes de carregar uma câmera DSLR robusta ou uma câmera de vídeo de alta definição de médio porte. Para os menores, chamados de quadcopters (quatro braços), o máximo seria uma fotográfica pequena, do tipo “point and shoot”, ou então a câmera de vídeo que se transformou no maior sucesso do mercado, tanto para profissionais quanto para amadores: a GoPro Hero.

A GoPro merece um destaque pelo seu minúsculo tamanho, que contrasta com sua altíssima resolução e incrível volume de vendas. Ela não foi a primeira câmera supercompacta do mercado para atividades ao ar livre e práticas esportivas. Mas quando a Hero chegou, desbancou todas as outras que já estavam na estrada há anos. E não só na estrada, fora da estrada também. Pegando onda, fazendo mountain bike, snowboard, skate, voo livre e até no paraquedismo, a GoPro virou companheira de todas as horas. 

Empresas apresentaram mini-helicópteros dos mais variados preços

E na captação profissional ela juntou a alta definição de imagens com as infinitas possibilidades de enquadramento que só uma câmera tão pequena poderia oferecer. Com centenas de acessórios disponíveis é possível montar uma GoPro em qualquer lugar que você possa imaginar: na asa de um avião, na lateral do carro, no capacete do motociclista, no painel do Fórmula 1. Já vi GoPro montada até no dorso de um golfinho. Isso com uma definição HD de 1080 linhas e agora também com resolução 2.7K com 30 quadros por segundo e 4K com 15 quadros por segundo.

A cereja do bolo é o Wi-Fi integrado nas novas GoPro Hero3. Além de permitir que se controle remotamente até 50 câmeras simultaneamente, o Wi-Fi transmite diretamente para um smartphone o vídeo gerado pela câmera. Um aplicativo que pode ser baixado de graça transforma o telefone ou tablet em monitor e ainda permite que se controle a câmera a uma distância de até 25 metros.

Mini-helicóptero é apresentado na feira NAB, em Las Vegas

Fonte e fotos: Anderson Gazio (Especial para o G1, em Las Vegas, EUA)

Embraer deve ganhar R$ 100 bi com aviões militares

KC-390, da Embraer, terá capacidade de transporte de 26 toneladas

A Embraer informou nesta terça-feira que o mercado para seu novo avião militar, o KC-390 - que está em fase de desenvolvimento - deverá permitir a venda de 728 unidades para 77 países, resultando na arrecadação de um valor superior a US$ 50 bilhões (cerca de R$ 100 bilhões).

O presidente da divisão de Defesa e Segurança da Embraer, Luiz Carlos Aguiar, afirmou em entrevista coletiva que a companhia está "preparada" para entrar no mercado e venderá o avião a preços "mais baixos que os oferecidos pela concorrência".

Sem citar empresas, Aguiar disse que a concorrência vende aviões militares de carga semelhantes por um preço que varia entre US$ 90 milhões e US$ 125 milhões. Ele garantiu que a Embraer será "muito competitiva", apesar de ter revelado valores.

Com o KC-390, a Embraer pretende entrar em um mercado de aviões dominado pelo C-130 Hércules, da empresa americana Lockheed Martin.

Aguiar também disse que as expectativas são de que a primeira venda do KC-390 seja realizada no final deste ano ou no primeiro trimestre de 2014. Segundo ele, o comprador deve ser um dos países que participam do desenvolvimento da aeronave (Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e a República Tcheca).

O executivo informou que o cronograma de desenvolvimento do avião está em dia, e que os dois protótipos em fabricação realizarão seu voo inaugural no final de 2014.

De acordo com o diretor do programa de desenvolvimento do avião, Paulo Gastão, o KC-390 terá capacidade de transporte de, no máximo, 26 toneladas e poderá chegar a 36 mil pés de altura, além de se adaptar a condições de voo "inóspitas".

Os países que fazem parte do consórcio construtor assinaram cartas de intenção de compra de 60 aeronaves do KC-390.

Fonte: EFE via INFO Exame - Foto: Divulgação

Unasul cria comitê para primeiro avião de treinamento regional

O Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS-Unasul), que reúne os países da América do Sul, assinaram ontem, no âmbito da 9ª Edição da Laad 2013 Defesa e Segurança, o documento que institui o comitê que iniciará as negociações para a construção do primeiro protótipo do avião básico de treinamento de pilotos das forças aéreas que integram os países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul). A feira da indústria de defesa ocorre até sexta-feira, no RioCentro, Zona Oeste da cidade.

A cerimônia de assinatura ocorreu no estande da Unasul, na presença do ministro da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e de representantes da Argentina, do Brasil, Chile, da Colômbia, do Equador, Uruguai e da Venezuela.

Único a falar durante a cerimônia de assinatura do documento, o ministro da Defesa da Argentina, Arturo Puricelli, disse que a criação do comitê marca "o início de um projeto piloto que os países estão desenvolvendo e que em breve poderá ser utilizado na região".

O projeto de criação do avião foi, como lembrou o ministro Amorim, apresentado pelo próprio Puricelli, em dezembro do ano passado durante a 4ª Reunião do CDS-Unasul, ocorrida em Lima (Peru). A proposta foi aprovada pelas nações integrantes do conselho e passou a fazer parte do Plano de Ação do CDS para 2013.

Segundo a assessoria do Ministério da Defesa, antes da cerimônia na Unasul, o ministro argentino foi recebido em audiência por Amorim, quando foi assinada a Declaração do Rio de Janeiro. No documento, eles informam que "mantiveram reunião de trabalho em que repassaram o conjunto das relações de defesa entre os dois países".

Ainda de acordo com o texto, os ministros reiteraram "a vitalidade da parceria estratégica Argentina-Brasil no campo da defesa, e reafirmaram compromisso no contínuo fortalecimento e dinamização da cooperação bilateral, tanto na vertente da política de defesa como da política industrial para o setor".

Fonte: Agência Brasil via Monitor Mercantil

Rússia está negociando fornecimento dos aviões Yak-130 ao Brasil


A empresa russa Irkut junto com Rosoboronexport e o Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Federação da Rússia promove o avião de treinamento e combate, Yakovlev Yak-130 (similar ao da foto acima), para o mercado latino-americano.

Caso seja alcançado o entendimento sobre a primeira entrega dos aviões, Irkut pode tomar em consideração a organização da sua produção autorizada no Brasil.

Segundo o vice-presidente de Marketing e Relações Internacionais da Irkut, Vladimir Sautov, "somos interessados no mercado latino-americano, que se especializa não só em vendas de técnica aérea, mas também em organização de genuína cooperação industrial".

Fonte: Rádio Voz da Rússia - Imagem: Reprodução

Leia também: Espanha está otimista em vender aviões militares ao Brasil.

Hacker consegue controlar aviões com um aparelho Android

Um piloto e consultor de segurança apresentou um aplicativo que permite o sequestro remoto de aeronaves.  



Hugo Teso é um piloto de aviões comerciais e consultor de segurança. Durante uma conferência chamada “Hack In The Box”, que ocorreu em Amsterdam, Teso deixou a plateia impressionada com um software desenvolvido por ele.

De acordo com o analista, é possível assumir o controle total de uma aeronave comercial através de um simples aplicativo para Android. O software busca por alvos se infiltrando em transmissões de rádio entre os aviões e a torre de comando e depois utiliza um segundo sistema de comunicação para enviar mensagens maliciosas e assumir o controle total da aeronave.

Teso demonstrou, inclusive, que é possível utilizar os próprios acelerômetros dos aparelhos para controlar fisicamente o voo dos aviões e executar manobras que podem resultar em acidentes. O analista também contou que, quando entrou em contato com as empresas aéreas para discutir o problema, ficou surpreso com a rapidez com que elas se comprometeram em ajuda-lo a encontrar soluções.


Piloto automático

Segundo Teso, caso um avião seja alvo desse tipo de “sequestro” a única saída para o piloto é desativar o piloto automático e assumir o controle manual. Porém, é preciso que ele perceba a situação a tempo, o que não é algo muito simples de se fazer.

A parte boa da notícia é que esse aplicativo é apenas a prova de um conceito, e já está sendo utilizado para implementar novas medidas de segurança nos sistemas de comunicação dos aviões mais modernos.

Fonte: Net Security via Vinicius Karasinski (Tecmundo) - Imagens: Net Security

Astronauta mostra o que acontece ao chorar no espaço

O astronauta Chris Hadfield da Agência Espacial canadense demonstrou o que acontece quando choramos no espaço. Usando uma garrafa d’água, ele simulou as lágrimas que se recusam a cair devido à baixa gravidade fora do planeta.


Fonte: TV UOL

Oposição polonesa exige esclarecimentos sobre queda de avião


O maior partido de oposição da Polônia, Lei e Justiça, realizou um comício no terceiro aniversário da queda do avião presidencial que matou dezenas de autoridades, inclusive o então presidente Lech Kaczynski. Ele exigiram que a verdade sobre o episódio seja revelada.

Grande parte da população polonesa diz acreditar que agentes russos tenham derrubado a aeronave. Autoridades russas e polonesas culparam os pilotos e controladores de voo pela queda.

O irmão de Kaczynski, Jaroslaw, que chefia o partido, exigiu que a verdade sobre o episódio seja esclarecida.

A queda ocorreu no aeroporto de Smolensk, na Rússia, e matou 96 pessoas, em 2010. O grupo se dirigia para uma comemoração relacionada à Segunda Guerra.

Fonte: BBC - Imagem: Reprodução

Nasa quer rebocar asteroide até a Lua, afirma senador

A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) quer capturar um pequeno asteroide e puxá-lo para a órbita da Lua como parte de um plano de longo prazo de estabelecer postos tripulados e permanentes no espaço, afirmou um senador norte-americano.

Para tirar o projeto do papel, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disponibilizará cerca de US$ 100 milhões à Agência Espacial em seu orçamento de 2014, que ele submeterá ao Congresso na próxima quarta-feira (10), anunciou o senador Bill Nelson em comunicado.

"Isto faz parte daquilo que será um programa muito mais amplo", explicou o senador democrata. "O plano combina a ciência de mineração em um asteroide, o desenvolvimento de métodos para desviá-lo, bem como encontrar um lugar para desenvolver formas de viajar até Marte."

O plano prevê que uma nave robô capture o asteroide e o puxe na direção da Terra, deixando-o em uma órbita estável ao redor da Lua, perto o suficiente para que, dentro de oito anos, astronautas possam ir em sua direção.

Estudos desde 2012

Um plano similar foi proposto em 2012 por especialistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) - e o grupo, juntamente com outros altos cientistas de campo, prepararam, desde então, um estudo detalhado sobre a possibilidade de execução do projeto.

"Seria a primeira tentativa da humanidade de modificar os céus para possibilitar o estabelecimento permanente de seres humanos no espaço", afirmaram os cientistas em relatório.

Segundo análises de especialistas, a intenção de Obama de enviar uma missão tripulada para um asteroide próximo à Terra até 2025 é impossível, em vista dos atuais e projetados níveis de financiamento da Nasa. 

Mas usar um veículo não-tripulado para trazer um asteroide de 500 toneladas para perto de casa mudaria o jogo e levaria os seres humanos a um asteroide até 2021, quatro anos antes do prazo final.

Uma vez estando lá, "haveria atividades de mineração, pesquisa sobre formas de desviar o asteroide da rota de colisão com a Terra e os testes do desenvolvimento de uma tecnologia para uma viagem rumo ao espaço sideral e ao planeta Marte", destacou comunicado do senador. 


Fonte: AFP via UOL Notícias - Imagem: Reprodução

Polícia Federal prende suspeito de carregar droga em avião do Paraguai

Foragido desde a tarde de terça-feira (9), homem foi detido em flagrante.

Aeronave foi apreendida com 400 kg de cocaína em canavial de Serrana.

A Polícia Federal prendeu na tarde desta quarta-feira (10) mais um suspeito envolvido no transporte de drogas com o avião vindo do Paraguai e apreendido na última terça-feira (9) em um canavial em Serrana (SP). O homem, que estava foragido desde a apreensão da aeronave, foi preso em flagrante e encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Ribeirão Preto (SP). A polícia não informou a idade do suspeito nem o local onde ele foi detido.

A aeronave apreendida na ação foi levada nesta quarta-feira ao Aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão. A Polícia Federal contou com o apoio das polícias militar e rodoviária na escolta para o transporte do avião. Em alguns trechos da cidade, como na Avenida Thomaz Alberto Whately, o trânsito ficou lento, devido à dificuldade de passagem da aeronave entre placas de sinalização e árvores nas vias.

A ação

Na tarde desta terça-feira, a Polícia Federal apreendeu um avião vindo do Paraguai com 400 quilos de cocaína no meio de um canavial entre as cidades de Altinópolis (SP) e Serrana (SP). Um veículo que seria utilizado para receber e transportar a droga também foi apreendido.

De acordo com o delegado da PF, Lindinalvo de Almeida Filho, a polícia já investigava a ação da quadrilha, quando recebeu a informação de que pousaria em Serrana uma aeronave do Paraguai. "Identificamos uma Saveiro branca com três indivíduos que faziam a segurança de pista e esperavam para receber a droga", afirma.

Um dos integrantes da Saveiro, que estava armado com uma pistola nove milímetros de origem italiana, trocou tiros com a polícia. Dois homens que ocupavam a aeronave, segundo o delegado, conseguiram se esconder no meio do canavial. Os outros três foram detidos e responderão pelos crimes de tráfico internacional, associação ao tráfico e porte ilegal de armas.

Almeida Filho explicou ainda que a aeronave utilizada pela quadrilha, de pequeno porte, tem capacidade para pousar em qualquer tipo de terreno. Mesmo assim, os policiais tiveram dificuldade para rebocar o avião por uma estrada de terra e transportá-lo até a base da Polícia Federal em Ribeirão Preto (SP).

O delegado disse suspeitar que mais pessoas agiam no esquema de contrabando de drogas, mas ainda não foram identificadas. A polícia investigará quem são os demais integrantes da quadrilha.

Clique AQUI para assistir a reportagem.

Aeronave e saveiro foram rebocadas de canavial e levadas para Ribeirão Preto
Foto: Valdinei Malaguti/EPTV

Fonte: G1 Ribeirão e Franca

Homens rendem tripulantes de avião e roubam 2,5 milhões em ouro, no AM

Carga foi trazida do Pará e iria ser levada para São Paulo.

Polícia abriu inquérito para investigar o roubo.

Sede do Aeroclube de Manaus

Dois homens encapuzados roubaram 26,5 quilos em barras de ouro de uma aeronave de pequeno porte que aterrissou no Aeroclube do Amazonas (ACA), localizado na Zona Centro-Sul da capital, nesta quarta-feira (10). De acordo com a Polícia Civil, os assaltantes renderam os tripulantes e, após retirarem a carga, fugiram em um veículo não identificado. A carga está avaliada em R$ 2,5 milhões.

O chefe de investigações da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), Domingos Guimarães, informou ao G1 que a carga pertence a uma empresa de São Paulo e foi levada pelos homens ainda na pista de pouso, por volta das 10h30.

Segundo o investigador, o roubo ocorreu no momento em que a carga seria transferida para um carro blindado para seguir para o Aeroporto de Manaus, Zona Oeste, onde seria embarcada em outra aeronave para a sede da empresa na capital paulista. "Em uma situação como essa, é notório que os assaltantes já sabiam da operação de transporte do ouro. Eles já estavam a espera do avião", disse Guimarães.

A polícia vai analisar as imagens para tentar identificar os ladrões, mas até o momento, ninguém foi preso. 

Atendentes da empresa, em São Paulo, informaram ao G1 que representantes da instituição financeira estão em Manaus para acompanhar as investigações da polícia.

Fonte: Girlene Medeiros (G1 AM) - Foto: Reprodução/ACA

terça-feira, 9 de abril de 2013

Assista a um laser militar derrubando um avião

 

O futuro da guerra, segundo alguns, envolve o uso de lasers e o de aviões não tripulados. A Marinha dos Estados Unidos mostrou que, no caso de um embate entre os dois, o laser provavelmente vencerá.

No vídeo acima, feito pela Marinha americana, o Laser Weapons System (LaWS – Sistema de Armas Laser) é demonstrado, depois de anos de desenvolvimento e testes, derrubando um avião não tripulado, ou “drone”.

O canhão com seis lasers coloca o drone em chamas, fazendo com que ele perca o controle e caia no mar. A estimativa da Marinha é que um disparo laser custe aproximadamente US$1,00 (isto mesmo, um dólar, mais ou menos R$2,00) – uma pechincha, mesmo sem comparar com as centenas de milhares de dólares que custa um lançamento de míssil de interceptação.

Contanto que o alvo esteja à vista, o laser pode rastreá-lo e derrubá-lo em poucos segundos. Com tão pouco tempo necessário para derrubar um drone, um ataque múltiplo pode ser enfrentado por um único navio sem problemas. E o laser pode ser usado também contra navios. 

 

Segundo os responsáveis pelo programa, o laser vai revolucionar o campo de batalha, da mesma forma que a pólvora revolucionou a guerra no tempo das espadas e facas. A previsão é que os navios da marinha comecem a ser equipados com uma torre de canhão laser já no ano de 2014.

Fontes: Gizmodo, Marinha dos EUA via Cesar Grossmann (hypescience.com)

Embraer vende seis Super Tucanos para Guatemala e três para Senegal

Empresa também vai entregar centro de comunicações para a Guatemala.

A Embraer não quis informar os valores das vendas.

O presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar, em foto de arquivo
Foto: Nacho/Reuters/Embraer

A Embraer vendeu seis unidades do avião de ataque leve Super Tucano para a Guatemala para auxiliar nos voos de combate ao tráfego de drogas, segundo o presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar.

O executivo também informou que a empresa vendeu três unidades do mesmo avião para Senegal, na África.

A fabricante de aviões irá entregar um centro de comunicações junto com os seis aviões para a Guatemala, disse Aguiar em uma entrevista à "Reuters", antes da participação da empresa em uma feira de defesa e segurança no Rio de Janeiro.

Esse é o primeiro pedido da Embraer que inclui operações de comando e controle desde que sua unidade de defesa incorporou a Atech, empresa especializada neste campo.

"A Atech vai ser responsável pelo desenvolvimento do centro de controle, que vai estar integrado dentro de um sistema de monitoramento para o país, para combate ao narcotráfico local", disse Aguiar.

O país da América Central escolheu o mesmo avião que a Colômbia usou em sua batalha contra as forças de guerrilha das Farcs. Como o vizinho México, a Guatemala tem sofrido com violência dos cartéis de drogas, o que tem feito o país registrar uma das maiores taxas de homicídios do mundo.

A Embraer não quis informar os valores das vendas.

Super Tucanos

Com as encomendas, o número de países na América Latina com o Super Tucano passa a seis, enquanto na África passa para quatro. "Temos (na América Latina) República Dominicana, Chile, Colômbia, Equador, Brasil e agora a Guatemala. (Na África) são seis. E temos Angola, Burkina Fasso, Mauritânia e Senegal." 

Avião modelo Super Tucano, da Embraer: empresa também vendeu três unidades 
do mesmo avião para Senegal, na África - Foto: Divulgação/Embraer

Aguiar afirmou também que a atividade de vendas do Super Tucano aceleraram desde que a empresa ganhou uma licitação nos Estados Unidos para fornecer 20 unidades do avião de ataque leve para a Força Aérea norte-americana, que serão usados em missões no Afeganistão.

"Esses casos específicos começaram antes do resultado, mas sem dúvida nenhuma, na fase final deu uma acelerada em função disso (contrato nos EUA). E vamos vendo bastante pedidos de consultas sobre a aeronave. Países que não estavam no nosso radar estão entrando para pedir informações", ressaltou.

A Força Aérea dos EUA autorizou a Embraer no mês passado a seguir com o pedido de US$ 428 milhões apesar dos protestos da rival Beechcraft. Segundo o executivo, a fábrica para a montagem do Super Tucano em Jacksonville, na Flórida, deve estar pronta em sete meses.

"Colocamos a ordem de compra de material. Daqui praticamente a sete meses estamos com a fábrica pronta, aí a gente começa a entregar", disse, acrescentando que a primeira entrega deve ser feita entre quatro e cinco meses após a conclusão da fábrica.

Fonte: Reuters

Avião fica de cabeça para baixo em acidente no aeroporto de Sinop (MT)


Um avião monomotor com matrícula norte-americana sofreu um acidente nesta terça-feira (9) pela manhã, no aeroporto municipal presidente João Batista Figueiredo, em Sinop, no estado de Mato Grosso.

A aeronave, o Cessna 210N Centurion, prefixo N6523N (c/n 21063081), da JM Aircraft, acabou parando ao lado da pista de pouso e ficou de "cabeça para baixo".

Nela estavam o piloto e mais duas pessoas (identidades não confirmadas). Ninguém ficou ferido.

Não foi confirmado se o piloto estava decolando ou pousando. A maior probabilidade é que ocorreu durante a aterrissagem. O trem de pouco dianteiro se desprendeu da fuselagem.

O acidente aconteceu a cerca de 700 metros do terminal de embarque e desembarque de passageiros do aeroporto.

Um viatura de combate a incêndio do Corpo de Bombeiros foi para o local realizar os procedimentos necessários. Não foi preciso usar água ou algum produto químico.

A causa do acidente é desconhecida e passa a ser investigada.

Fontes: Alex Fama (Só Notícias) / Site Desastres Aéreos - Fotos: Cleverton Neves (Só Notícias)

Helicóptero cai no Peru com 13 a bordo; não há sobreviventes



Um helicóptero com treze pessoas a bordo caiu no último domingo (7) na região amazônica norte-oriental do Peru quando viajava a uma base petroleira anglo-francesa Perenco e 'até o momento não há sobreviventes', informou a companhia.

'As forças armadas estão na região e 2 helicópteros adicionais ajudam no resgate. Por enquanto não foram encontrados sobreviventes', informou a empresa em um comunicado divulgado em Lima.

Na nave viajavam quatro tripulantes e nove trabalhadores, todos peruanos, entre eles um da Perenco e os demais de empresas terceirizadas.

'A Perenco Peru lamenta o acidente do helicóptero que caiu durante voo regular entre Iquitos, capital da região de Loreto, para o 57', destacou o documento.

A aeronave, o helicóptero de fabricação russa Mil Mi-8PS, prefixo OB-1916-P, operado Helicópteros del Pacífico, caiu perto dos rios Curaray e Arabela, pouco antes do meio-dia na província de Napo, em Loreto, segundo a imprensa.


Fontes: AFP via G1 / ASN - Fotos: Reprodução/peru21.pe

Dois soldados dos EUA morrem em queda de helicóptero no Afeganistão

Acidente ocorreu perto de Gerakhel, no leste do país.

Soldados eram integrantes da missão da Otan no Afeganistão.

Helicóptero dos EUA de resgate pousa depois que um helicóptero da Otan caiu em um campo e
 matou dois membros do serviço americano, perto de Gerakhel, no leste do Afeganistão

Dois soldados americanos integrantes da missão da Otan no Afeganistão morreram nesta terça-feira (9) na queda de seu helicóptero Bell OH-58 Kiowa Warrior perto de Gerakhel, leste do país, indicaram os militares, descartando um ataque talibã.


Militares recolhem os corpos dos mortos na queda do helicóptero

A coalizão não informou a nacionalidade dos soldados, mas fontes militares em Cabul confirmaram à AFP que eram americanos.

Um porta-voz dos talibãs, que lutam contra as forças da Otan e seus aliados afegãos, afirmou, no entanto, que o aparelho foi derrubado pelos insurgentes.

Os acidentes de helicópteros são relativamente frequentes no Afeganistão devido a problemas mecânicos e ou meteorológicos, e menos habitualmente a ataques inimigos.

Fontes: France Presse via G1 / ASN - Fotos: Rahmat Gul/AP Photo 

Avião da Forca Aérea dominicana cai no mar durante show aéreo


Um avião da Força Aérea da República Dominicana precipitou-se no mar na noite deste domingo (7), enquanto participava de um show aéreo na capital, Santo Domingo. Os dois pilotos morreram no acidente.

O avião, o ENAER T-35B Pillán, prefixo 1807, um monomotor turbo hélice chileno utilizado como avião de treinamento, estava participando do "Show Aéreo do Caribe", seguido por centenas de pessoas durante o último fim de semana na capital dominicana.

Segundo a reconstrução da mídia local, enquanto os pilotos estavam tentando uma manobra particularmente difícil em baixa altitude, uma asa do avião bateu na água, deixando o dispositivo incontrolável e provocando a colisão no mar.

Veja, no vídeo, o momento da queda:


Fontes: ANSA / ASN - Foto: Reprodução