segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Nasa não vai tentar lançar ônibus espacial Discovery antes do dia 30

Nave partiria para a ISS na última sexta-feira (5), após quatro cancelamentos.

Vazamento de hidrogênio foi detectado no tanque externo.

A agência espacial norte-americana (Nasa) decidiu que o lançamento do ônibus espacial Discovery não ocorrerá antes de 30 de novembro. Com novo vazamento, desta vez durante o abastecimento, foi adiado o voo previsto para 17h04 (em Brasília) da última sexta-feira (5).

Durante a transferência de combustível à Discovery, um escape de hidrogênio foi detectado entre um ponto de ligação do tanque externo da nave e uma tubulação de 17 polegadas, que carrega o gás com segurança para fora do ônibus espacial.

Os engenheiros trabalharam durante a manhã desta sexta-feira para conter o vazamento. Problemas similares aconteceram durante as missões STS-119, em março de 2009 - também com o ônibus espacial Discovery - e STS-127, em fevereiro de 2008, com a Endeavour.

A missão atual da Discovery, STS-133, é a 39ª do ônibus espacial e marca umas das atividades finais do programa de ônibus espaciais da Nasa. Até o primeiro semestre de 2011, toda a frota deve ser aposentada. O último voo marcado é da nave Endeavour, na missão STS-134, previsto para 27 de fevereiro do ano que vem.

Fonte: G1 - Foto: NASA

Engenheiros da Nasa queriam enviar humanoide à Lua

Com US$ 150 bilhões, a Nasa (agência espacial norte-americana) poderia ter enviado astronautas novamente à Lua. Mas o governo dos EUA julgou que era caro demais e, em setembro, o Congresso concordou em cancelar o programa.

Com uma fração desse valor - menos de US$ 200 milhões, além de aproximadamente US$ 250 milhões por um foguete -, engenheiros da Nasa no Centro Espacial Johnson, em Houston, afirmaram que podem enviar com segurança um robô humanoide à Lua e em menos de três anos.

A ideia, conhecida como Projeto M, é quase um esforço de guerrilha dentro da Nasa, criado há um ano por Stephen J. Altemus, engenheiro-chefe do Centro Johnson. Ele conseguiu verbas excedentes, chamou engenheiros para trabalhar com ele em meio-período e barganhou com empresas e outras unidades da Nasa para se responsabilizar por planejamentos e testes preliminares. "Estamos conseguindo coisas impossíveis com muito pouco dinheiro", afirmou Altemus.

Um hábil robô humanoide - ao menos a metade superior - já existe: o Robonaut 2. Desenvolvido pela Nasa e pela General Motors, foi colocado no ônibus espacial Discovery.

Com destino à ISS (sigla em inglês de Estação Espacial internacional), ele será o primeiro robô humanoide no espaço. Ele deve ajudar em obrigações "domésticas" na estação espacial, enquanto a Nasa aprende como astronautas e robôs trabalham juntos. No final, um Robonaut mais avançado deverá participar de operações no espaço.

O Projeto M também trabalha com outros projetos da Nasa que já estavam sendo conduzidos, incluindo motores de foguetes que queimam oxigênio líquido e metano --uma combinação de combustível barata e não-tóxica-- e um sistema automatizado de pouso que conseguiria evitar rochas, penhascos e outros perigos.

A integração das tecnologias em protótipos funcionais acelerou esse desenvolvimento. "Essa é a mágica", explicou Altemus. "Muitas vezes as tecnologias ficam cozinhando no laboratório, e ali existe um vale da morte onde elas nunca atingem a maturação esperada."

Os planejadores do Projeto M dizem que um robô caminhando na Lua capturaria a imaginação de estudantes, assim como os pousos lunares da Apollo inspiraram uma geração de cientistas e engenheiros há 40 anos.

"Imagino que isso vá acender algumas velas", disse Neil Milburn, vice-presidente da Armadillo Aerospace, uma pequena empresa texana trabalhando no Projeto M. Mas, conforme a atenção da Nasa se afasta da lua --"Já fomos lá, já fizemos isso", declarou o presidente Barack Obama em abril--, as possibilidades de enviar um robô para lá são no mínimo incertas.

O dilema a respeito do Projeto M condensa muitos dos contínuos debates sobre o futuro da agência espacial: o que a Nasa deve fazer quando não há dinheiro para tudo? Qual a melhor forma de incitar avanços em tecnologias espaciais? E, dados os custos e perigos, qual a real importância de enviar pessoas ao espaço?

"A parte delicada é se isso combina com a estrutura da agência para exploração", diz Altemus.

Um ano atrás, uma equipe de notáveis revisava o programa de voos espaciais tripulados da Nasa, em especial um ambicioso projeto chamado Constellation, que enviaria astronautas novamente à lua. Embora a Nasa tivesse gasto US$ 10 bilhões no Constellation, a maior parte do programa será cancelada quando o Congresso americano definir o orçamento para 2011.

Altemus ficou frustrado com as críticas da Nasa que surgiram durante a discussão do Constellation. "Sempre me senti como se nossa organização fosse uma Ferrari, e nós nunca podíamos dirigir pisando fundo no acelerador", disse ele. "Era como se estivéssemos sempre em marcha lenta."

O Projeto M surgiu de uma conversa com o filho à mesa da cozinha. Altemus queria algo que fosse instigante, mas não tão grande que exigisse anos de deliberações. A ideia surgiu em sua mente: um robô caminhando na Lua, um que pudesse enviar imagens em vídeo ao vivo, e fazer isso em cerca de mil dias.

"Eu disse 'vocês me apoiarão se eu colocar isso na organização? Não sei se conseguiremos fazê-lo. Não sei se conseguiremos a verba ou se isso será aprovado, vamos tentar'. E assim nós simplesmente começamos, e a coisa pegou como fogo", lembra.

Enviar um robô à Lua é muito mais fácil que enviar um ser humano. Para começar, um robô não precisa de oxigênio ou comida. E não existe viagem de volta.

O prazo de mil dias era arbitrário, explica o gerente do Projeto M, Matthew Ondler. "Isso cria uma sensação de urgência. A Nasa funciona melhor quando tem pouco tempo para descobrir as coisas. Se temos seis ou sete anos para pensar em algo, não somos tão bons. As administrações trocam e as prioridades do país mudam, e fica difícil manter as coisas rodando por tanto tempo."

Com a finalidade de auxiliar a educação científica, mil dias cabem facilmente nos quatro anos que um estudante passa na faculdade. Em comparação, mesmo se a Nasa cumprisse a meta definida por Obama de enviar astronautas a um asteroide até 2025, uma criança de sete anos já teria um diploma universitário.

Para conseguir as peças de que precisavam, Altemus e Ondler recorreram à permuta. A empresa Boston Power deu um protótipo de US$ 300 mil de uma avançada bateria de lítio, em troca de ajuda de engenharia em questões de gerenciamento de baterias.

"Era uma troca fácil, então fizemos muitos acordos como esse", disse Ondler.

A Armadillo forneceu um protótipo que havia construído para uma competição de módulos lunares, e a Nasa contribuiu com tecnologia de motores e acesso a instalações de testes.

A Nasa também pagou cerca de US$ 1 milhão à Armadillo, mas os tradicionais processos de desenvolvimento da agência teriam custado mais e levado mais tempo. Em seis meses, o módulo lunar voou 18 vezes com cabos e duas vezes em voo livre.

Nem todos os voos foram perfeitos, o que era o objetivo. "Não tem problema abrir um buraco no chão de vez em quando", disse Ondler. "Não tem problema vermos chamas saindo do lado errado do motor de vez em quando, contanto que estejamos aprendendo rapidamente, construindo e repetindo."

Ondler contou a história de um engenheiro que foi a uma loja de materiais de construção para comprar cerca de 80 dólares em materiais, para testar se o borrifo do combustível nos tanques poderia desestabilizar o módulo durante a descida. "A partir disso, fomos capazes de confirmar nossos modelos matemáticos e projetar o teste em escala natural", explicou ele, tudo em duas semanas.

O Projeto M passou por baixo do radar de todos da Nasa, incluindo seu administrador, o major general Charles F. Bolden Jr. Em fevereiro, em resposta a uma pergunta sobre projetos que a Nasa poderia empreender junto a outros países, Bolden citou um robô bípede que a agência espacial japonesa pretende enviar à lua até 2020.

"Se eu acho que consigo fazer isso?" disse Bolden. "Provavelmente não."

Naquela ocasião, a equipe do Projeto M estava esperando obter um sinal verde para iniciar em março, e realizar um pouso lunar robótico no final de 2012.

Apesar da sofisticação do projeto, as capacidades do robô seriam pequenas perto do que um humano poderia fazer na superfície da lua. O Projeto M foi concebido como uma demonstração de tecnologia, não uma missão científica.

Uma das principais tarefas pretendidas para o robô seria simplesmente levantar uma pedra e soltá-la, como parte de uma transmissão educacional para escolas. Os alunos poderiam fazer o mesmo e comparar a gravidade relativa da Terra.

O trabalho continua no Projeto M, com um custo de aproximadamente US$ 9 milhões até agora. A Armadillo está construindo um segundo protótipo de módulo, mas não há dinheiro para outros aspectos, como finalizar as pernas do Robonaut. A visão de Obama para a Nasa propunha um investimento de US$ 16 bilhões ao longo de cinco anos para tecnologias espaciais, mas o projeto de compromisso do congresso encaminha a maior parte da verba para um foguete pesado.

O projeto gerou interesse entre os gerentes da ISS, que é o motivo pelo qual o Robonaut está sendo enviado para lá. "Estou animado para ver como podemos evoluir a tecnologia no espaço e realmente ter um par de mãos e um robô humanoide na estação espacial", disse Altemus. "Isso é um grande passo para a agência".

Por enquanto, porém, os planos de enviar um deles ao espaço estão suspensos.

Fonte: Kenneth Chang (The New York Times) via Folha.com - Imagens: NASA / John Raoux (AP)

Saudi Airlines assina compra de 20 aeronaves da Boeing

Com os novos aviões, empresa espera aumentar em 20% a capacidade de passageiros nos voos

A empresa aérea estatal Saudi Airlines informou ontem que assinou um acordo para comprar 12 aeronaves Boeing 777-300ER e mais 8 aeronaves Boeing 787 Dreamliner para sua frota. A aquisição dos 777 foi avaliada em US$ 3,3 bilhões "ao preço de mercado" e inclui a opção de comprar outros 10 aviões do modelo, que transporta até 365 passageiros, de acordo com um comunicado das duas empresas.

Não foi informado um valor para a aquisição dos 787. "Nossa decisão de encomendar o 777-300ER é parte de uma estratégia de crescimento a longo prazo, para expandir e modernizar nossa frota com novas aeronaves que consumam menos combustível", disse o diretor-geral da Saudi Airlines, Khaled al-Mulhim.

"Nós vemos benefícios diretos advindos dessa aquisição porque o 777-300 é mais eficiente no consumo de combustível e no custo de passageiro por milha aeronáutica. Além disso, é um avião com dois motores que opera a longa distância", afirmou.

Al-Mulhim disse que a empresa espera, com as novas aeronaves, aumentar em 20% a capacidade de passageiros nos voos. As informações são da Dow Jones.

Fonte: André Lachini (Agência Estado)

Simulação de guerra em céus paraibanos envolve Brasil, Estados Unidos, França, Argentina e Chile

Cerca de 40 oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB), um avião e quatro helicópteros já estão em Campina Grande para participar da quinta edição de uma guerra simulada nos céus do Brasil. A operação denominada “Cruzeiro do Sul V”, (Cruzex V) inicia hoje, e até o dia 19 de novembro os espaços aéreos do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba serão utilizados pela FAB para a simulação de guerra entre um país e uma Força de Coalizão, formada por vários países. Os céus na região de Campina Grande funcionarão como um país fictício “amarelo” onde a força aérea da coalizão “azul”, formada por militares estrangeiros, com base em Natal, pretende libertar da invasão feita por um país “vermelho” inimigo, com Base Aérea em Fortaleza.

“Campina está no olho do furacão da guerra. É um ponto estratégico para ter um esquadrão de voo deslocado de helicópteros porque na guerra simulada a gente pode ter ejeção de pilotos e vamos precisar recuperá-los”, explicou o porta-voz da FAB, o coronel Henry Munhoz.

No final da tarde de ontem chegaram ao Aeroporto Presidente João Suassuna, em Campina, três helicópteros H-60 apelidados Black Hawk (Falcão Negro) e um helicóptero da Marinha H-14 chamado de Super Puma. Durante toda a tarde uma aeronave trouxe mantimentos, equipamentos e suprimentos para que os pilotos possam operar no exercício.

Esta é a terceira vez que a operação Cruzex ocorre no espaço aéreo da região Nordeste, e envolve as cidades de Fortaleza, Natal e Campina Grande. Além dos oficiais da Força Aérea Brasileira, militares das Forças Aéreas da Argentina, Chile, França, Uruguai e Estados Unidos, que participarão da coalizão, estarão na operação.

Como países observadores, virão militares da Bolívia, Canadá, Colômbia, Equador, Inglaterra e Paraguai. As populações das cidades que participam do exercício não presenciarão nenhum disparo de munição, pois tudo é fictício e simulado, mas verão o grande movimento de aviões sobrevoando a região Nordeste. A guerra realmente é virtual na utilização de armamentos, mas real no emprego aéreo das centenas de aeronaves.

Fonte: Correio da Paraíba

Receita Federal faz leilão de mercadorias apreendidas no Aeroporto Internacional do Rio

A Receita Federal vai realizará um leilão de mercadorias apreendidas pela alfândega do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na próxima sexta-feira, às 10h, no Auditório Brigadeiro Hélio Costa localizado no prédio administrativo do Terminal de Cargas da Infraero, no Galeão.

As mercadorias serão leiloadas para empresas e estarão expostas à visitação pública de segunda a quinta-feira, das 10h às 12h e das 13h às 16h, no depósito do Terminal de Cargas da Infraero.

Dentre os ítens estão materiais de informática, bijuterias, pedras brutas, bazar, vestuário, peças de automóvel/navio/avião, aparelhos celulares, relógios, consoles de videogames, aparelhos de DVD, câmeras fotográficas e filmadoras.

Mais informações sobre o leilão, inscrições de empresas e dúvidas poderão ser obtidas através do telefone (21) 3398-6237.

Fonte: O Globo

Low-cost japonesa interessada nos A380

Skymark faz primeira encomenda de A380 no Japão

A japonesa Skymark Airlines anunciou nesta segunda-feira que vai comprar até seis superjumbos A380, avaliados em até 2,1 bilhões de dólares. A encomenda é a primeira do modelo já feita no Japão.

A Airbus vinha tentando há quase uma década convencer as duas maiores companhias aéreas do Japão, Japan Airlines e All Nippon Airways a comprar seu maior avião.

A companhia europeia rival da Boeing lista em seu site que o preço médio do A380 é de 346,3 milhões de dólares.

A JAL nunca comprou um avião da fabricante europeia, preferindo modelos da Boeing, muito dos quais são parcialmente construídos no Japão por um consórcio de empresas que inclui a Mitsubishi Heavy Industries e Kawasaki Heavy Industries

Com uma participação de cerca de 90 por cento, o Japão segue sendo um dos mercados mais lucrativos da Boeing. A esperança da Airbus é que ao fazer uma grande venda no país a empresa estará em melhor posição para convencer as duas maiores companhias aéreas do país a fechar negócio com ela.

A Skymark afirmou em comunicado que vai usar o A380 para transportar passageiros em rotas internacionais a partir de março de 2015, quando vai começar a operar duas das aeronaves compradas.

A decisão da companhia aérea japonesa foi anunciada enquanto a Airbus lida com problemas que forçaram a australiana Qantas Airways a deixar em terra seus seis A380 para investigar a causa de uma explosão na semana passada que destruiu um dos motores de um dos jatos do modelo e que são fornecidos pela Rolls-Royce.

Projetado para transportar até 840 passageiros, o avião de dois andares da Airbus fez seu voo inaugural em 2005 e entrou em operação comercial dois anos depois, pela Singapore Airlines.

Fontes: euronews / Reuters via iG

No avião e navegando na web graças ao Google

Já é meio que uma tradição. Chega o final de ano e o Google parece com uma grata surpresa para os seus usuários. Desde o ano passado – se bem me lembro -, a empresa liderada por Eric Schmidt oferece acesso gratuito à internet de quem está nas aeronaves de grandes companhias aéreas. Em 2010 não vai ser diferente, portanto prepare-se para acessar o TB enquanto está viajando!

Não sei se é uma forma de agradar os usuários ou se o Google realmente acha que oferecer internet sem fio de graça nas aeronaves vai fazer com que mais pessoas adotem o Chrome como navegador oficial. De qualquer forma, é isso o que a empresa começa a oferecer a partir da próxima semana, em 20 de novembro, com validade até 2 de janeiro de 2011. É entrar no avião, ligar o notebook (nada de deixá-lo no colo, hein) depois que o jato estiver numa altitude segura e desfrutar a conexão.

Só tem um porém: a oferta é válida somente para voos nos Estados Unidos, feitos pelas companhias Virgin America, Delta Airlines e AirTran. Serão 700 jatos com acesso gratuito à internet, um número respeitável. E, de acordo com Google, cerca de 15 milhões de passageiros deverão aproveitar o benefício.

Fonte: Thássius Veloso (tecnoblog.net) - Imagem: Reprodução

Nasa investirá US$ 15 mi em estudos que possibilitem aeronaves hipersônicas

Estudos possibilitarão viagens a velocidades de 5 a 20 vezes superiores à do som; ou de São Paulo a Porto Alegre em menos de 20 minutos

O supersônico SR-71 Blackbird, que voa a cerca de 3 vezes a velocidade do som

Imagine que um dia será possível atravessar os quase 16 mil quilômetros que separam Nova York, nos EUA da cidade de Sidney, na Austrália, em pouco mais de 2 horas e meia de vôo. Essa é apenas uma das aplicações práticas para o recente anúncio de que a NASA (Agência espacial estadunidense) estaria separando cerca de US$ 15 mi para financiar pesquisas com aeronaves hipersônicas.

Próximo passo lógico na evolução das aeronaves, as chamadas hipersônicas são aquelas que conseguem atingir velocidades acima de MACH 5, onde MACH é uma medida de deslocamento baseada na velocidade do som (MACH 1 seria a velocidade do som, MACH 2 seria, aproximadamente, duas vezes a velocidade do som e assim sucessivamente).

As aeronaves supersônicas, aquelas que atingem velocidades entre duas e quatro vezes a velocidade do som, chegaram a fazer parte da aviação comercial – lembra-se do Concorde? – e conseguem atingir a velocidade de MACH 2. Com os estudos a serem financiados a partir de agora dentro do programa chamado “Aeronautics 2010”, a NASA espera desenvolver o que eles chamam de Scramjets (ou motores a jato supersônicos) que possam atingir velocidades entre MACH 5 e MACH 20.

Essa tecnologia seria usada inicialmente para construir espaçonaves que pudessem voar como aeronaves convencionais fora da atmosfera sem o uso de foguetes – algo como o avião espacial da Pan-Am que aparece no filme “2001 – Uma Odisséia no Espaço” – capazes de pousar na atmosfera de outros planetas e levantar vôo de volta à Terra.

É claro que o valor anunciado pela NASA parece modesto demais para pretensões tão grandes, mas os primeiros estudos a serem financiados servirão para desenvolver coisas básicas como novas formas de aerodinâmica para viagens hipersônicas.

Fonte: Leonardo Carvalho (MSN Notícias) - Foto: Reprodução

Avião da Esquadrilha da Fumaça faz pouso de emergência após bater em urubu durante show aéreo

Caso aconteceu em Limeira, neste domingo.

Piloto pousou em pista de terra e nada sofreu.




Um avião da esquadrilha da fumaça que fazia um show aéreo em Limeira, a 151 km de São Paulo, precisou fazer um pouso de emergência depois de bater em um urubu neste domingo (7).

O incidente ocorreu a poucos minutos do fim do espetáculo. O avião pousou em uma pista de terra. Na fuselagem, ficou o estrago provocado pela ave. O piloto nada sofreu.


Ribeirão Preto

Em Ribeirão Preto, as aves são uma ameaça conhecida no aeroporto da cidade. O repórter cinematográfico Paulo Souza flagrou o momento em que um avião quase colidiu com um pássaro durante o pouso.

Biólogos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e do Departamento Aeroviário do Estado estão estudando a causa de tantas aves no local. Vinte e cinco espécies já foram catalogadas.

Fonte: G1 - Imagens: Reprodução/TV Globo

Singapore Airlines não detectou problemas em motores Rolls-Royce do A380

A companhia aérea Singapore Airlines anunciou nesta segunda-feira que, após uma série de inspeções, não detectou nenhum problema com os motores Rolls-Royce Trent 900 de seus Airbus A380.

"Concluímos as inspeções sobre o conjunto de nossos 11 aviões A380 e não encontramos nada de inquietante", declarou Nicholas Ionides, porta-voz da empresa.

Os motores Trent 900 da empresa britânica Rolls-Royce nos Airbus A380 da companhia australiana Qantas obrigaram um avião a fazer um pouso de emergência na quinta-feira em Cingapura após a detecção de uma avaria.

A Qantas informou que vai manter paralisados seus seis aviões gigantes A380 por mais 72 horas, depois que descobriu vazamentos de óleo nos motores Rolls-Royce das aeronaves.

Fonte: AFP

Qantas detecta vazamentos e suspende voos com A380

A companhia aérea australiana Qantas suspendeu os voos de todos os seus seis aviões Airbus A380 por pelo menos outros três dias depois de descobrir vazamento de óleo em três turbinas.

O diretor-executivo da companhia, Alan Joyce, disse que vazamentos desse tipo seriam inesperados em turbinas de apenas dois anos de idade.

"Estas são turbinas novas em aeronaves novas e elas não deveriam apresentar estes problemas neste momento", afirmou Joyce à emissora Australian Broadcasting Corporation.

As turbinas do Airbus são fabricadas pela empresa britânica Rolls-Royce.

Na quinta-feira da semana passada, um Airbus A380 da Qantas teve que fazer um pouso forçado em Cingapura depois da explosão de uma de suas turbinas. Foi o mais grave incidente envolvendo o A380, o maior avião para passageiros do mundo, em seus três anos de operação.

O voo levava 430 passageiros e 26 tripulantes a bordo, e todos saíram ilesos. O episódio levou a companhia a tirar de circulação os seis aviões A380 de sua frota - e a causar transtornos para vários passageiros.

De acordo com o correspondente da BBC em Sydney Nick Bryant, cerca de 1,3 mil passageiros da Qantas tiveram que permanecer em Los Angeles devido à suspensão dos voos da companhia com os A380.

O diretor-executivo da companhia afirmou que as investigações sobre os problemas nas aeronaves estão progredindo e sua resolução será uma "questão de dias, e não semanas".

"Mas, vamos levar o quanto for preciso para ficamos absolutamente certos de que as aeronaves são seguras para voos", acrescentou.

Fonte: UOL Notícias - Foto: AFP

domingo, 7 de novembro de 2010

Microdrones: Agência de paparazzi desenvolve câmera que pode flagrar do alto

Equipamento fica em um pequeno avião controlado do chão

Esses pequenos aviões não-tripulados (MD4 UAV) já estão em uso militar principalmente para espionagem . Agora a agência norte-americana de paparazzi Splash News resolveu adaptar a ideia e acoplar uma câmera num pequeno objeto voador para ser controlado do solo.

Os fotógrafos de celebridades, ávidos por um flagra, já poderão perseguir os famosos de cima. A FAA, agência reguladora de aviação nos Estados Unidos, proíbe este tipo de avião espião de empresas privadas de sobrevoarem a residências, mas a regra não diz nada sobre aviões recreacionais.

Segundo a Popular Science, cada vez mais as pessoas estão comprando pela internet e construindo seus aviões não-tripulados. Entidades que lutam por mais privacidade logo se manifestarão. Enquanto isso não acontece e a brecha na lei americana existe, as celebridades que tomem cuidado ao sair no quintal de casa.

Fonte: Revista Galileu - Fotos: Microdrones.com

Conheça a única mulher comandante de avião de Santa Catarina e saiba como virar piloto

No Brasil, são 4.703 homens pilotos de linhas aéreas e apenas 18 mulheres

Num ambiente em que os homens são quase absolutos, uma mulher catarinense se sobressai. Elisa Rossi (foto acima) é a única mulher comandante de avião, em Santa Catarina. Para se ter uma ideia do feito que é sua condição, são 4.703 homens pilotos de linhas aéreas no Brasil e apenas 18 mulheres, ou seja, 0,3% do total.

A gravata e o sapato são masculinos. E é só! Sombra, rímel, blush, batom, unhas bem feitas... Tudo denuncia que o comando da aeronave está com uma mulher. Elisa Rossi pilota aviões há 20 anos. Há três é comandante da Gol, única mulher entre os aproximadamente 1,5 mil comandantes da empresa.

— Ainda é um ambiente masculino, mas já foi pior. É uma profissão técnica, que exige gerenciamento. Não requer força física. Mulheres podem ser excelentes no comando do avião — afirma Elisa.

Um episódio demonstra a mudança de comportamento. Recentemente, um passageiro, ao ver Elisa no comando da aeronave, foi até ela e disse: "Para estar aqui, você deve ser muito competente. Parabéns."

A comandante ficou lisonjeada. Comenta que ninguém entregaria uma aeronave de US$ 35 milhões e com 184 vidas (capacidade do boing conduzido por ela) para alguém que não fosse competente.

A saudade do filho Giuseppe, seis anos, quando ela chega a ficar seis dias longe de casa, é a única dificuldade no trabalho. Quando volta de viagem, dedica-se integralmente ao menino, levando-o na escola, na natação, na aula de inglês.

Para manter a forma, caminha diariamente. Pode ser em Florianópolis ou em Brasília, depende da escala. Também faz parte de um grupo de ciclistas que pedala pelas ruas da ilha à noite.

Entre os sinalizadores de vôo do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, Elisa é conhecida como a musa do pouso sutil. Na aterrissagem, ela toca a aeronave no solo quase sem solavancos.

— A gente nem ouve nada — conta um sinalizador.

A comandante faz questão de usar maquiagem para ficar mais feminina.

— Em primeiro lugar, sou mulher. Não sou obrigada a me maquiar, mas não abro mão já que estou em um ambiente tão masculino. Uma vez uma passageira foi até a cabine e disse: nossa, você é bonita. Ela esperava uma mulher masculinizada.

Mas Elisa já viveu situações em que o passageiro não foi tão amigável. Uma vez, ao perceber que ela era a comandante do avião, um homem que se dirigia à aeronave simplesmente parou. Ficou na dúvida para embarcar. Mas acabou entrando no vôo. Depois, voou tantas vezes com Elisa que se acostumou e venceu o preconceito.

Paixão

A paixão por estar no ar não tem limites para ela e começou na adolescência. A menina sempre foi apaixonada por máquinas. Aos 12 anos, aprendeu a pilotar motos, sob os cuidados do pai. Aos 14, dirigiu o Opala paterno sozinha. Deu uma volta no bairro com o carro, algo que hoje ela não recomenda para ninguém. O primeiro curso de pilotagem foi aos 17 anos.

A comandante planeja abrir uma escola de aviação, em Florianópolis. Agora quer ensinar homens e mulheres a técnica do pouso sutil.

Para ser piloto

O primeiro passo para quem deseja seguir a carreira de piloto é procurar uma escola de aviação homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e se inscrever no curso de piloto privado. Depois de tirar essa licença, que exige 40 horas de vôo, deve-se seguir para a licença de piloto comercial.

Também é necessário se inscrever num curso específico. Neste caso, são necessários pelo menos 200 horas como piloto de avião. Com essa licença, o aluno pode atuar como piloto de táxi aéreo. Por último, o aluno inicia a preparação de piloto comercial. São necessárias 1,5 mil horas de vôo.

A partir daí, estará apto a iniciar a carreira (normalmente como co-piloto) em uma companhia aérea. Para as três preparações, há aulas teóricas e práticas, que incluem conhecimentos de várias áreas como metereologia e informações técnicas de aeronaves.

Escolas para pilotos de avião e helicóptero em Florianópolis:

Flight Escola de Aviação (48) 3241-8338, em Florianópolis.
Site: www.escolaflight.com.br

Aero TD (48) 3223-5191, em Florianópolis.
Site: www.aerotd.com.br

Fonte: Cristina Vieira (Diário Catarinense) - Foto:Guto Kuerten

sábado, 6 de novembro de 2010

Aviões ganham novo desenho para usar aeroportos menores

Uma mudança não muito radical no projeto dos aviões pode permitir que eles decolem em ângulos mais acentuados e utilizando pistas mais curtas.

Além disso, a alteração proposta por engenheiros do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, reduz o ruído que chega ao solo, gerado pelas turbinas, minimizando o impacto ambiental dos aeroportos urbanos.

Aviões Cestol

Permitir que os jatos comerciais decolem e pousem em distâncias cada vez mais curtas é uma meta permanente dos projetistas de aeronaves, e várias abordagens estão em desenvolvimento.

Esse esforço acabou criando uma categoria de aviões, chamada CESTOL (short take-off and landing - aeronaves de aterragem e decolagem a curta distância).

Robert Englar e seus colegas concentraram suas pesquisas em um jato de grande porte, equivalente a um Boeing 737, com uma capacidade para transportar 100 passageiros em velocidades de cruzeiro de cerca de 960 quilômetros por hora.

"Para decolar ou pousar em uma pista curta, a aeronave deve ser capaz de voar muito devagar perto da pista," explica Englar. "O problema é que o voo lento diminui a sustentação disponível para a decolagem e a aterrissagem."

Sustentação extra

A solução encontrada pelos pesquisadores foi gerar uma sustentação extra, que não depende da velocidade do ar, mas é gerada de dentro do próprio avião.

Isto foi obtido de duas maneiras: gerando uma sustentação induzida pelos próprios motores e dirigindo jatos de ar sobre a superfície superior das asas durante a decolagem e a aterragem.

Os dois elementos criaram uma capacidade de sustentação do avião sem precedentes.

Se parece simples, por um lado, é necessário lembrar que uma melhor solução para o pouso e a decolagem não pode fazer compromissos que resultem em uma queda de eficiência durante o próprio voo.

Este foi o primeiro desafio, para que fosse possível usufruir sobretudo da colocação dos motores acima das asas. Esse posicionamento tem várias vantagens, como oferecer mais sustentação, permitir maior velocidade de cruzeiro e gerar menos ruído no solo.

O principal benefício dessa posição das turbinas é que o ar que sai de seu sistema de escape sopra diretamente sobre a parte superior das asas, aumentando a velocidade do ar. Isto gera uma "sucção" sobre a asa, aumentando a sustentação, com grandes ganhos sobretudo em baixas velocidades, como durante a decolagem.

Asa soprada

Na maioria dos aviões de asas fixas, a superfície superior da asa é curvo. Essa curvatura força o ar a fluir mais rapidamente na parte superior da asa, o que aumenta a sustentação ao reduzir a pressão acima da asa.

Flaps mecânicos aumentam a curvatura da asa, ampliando sua extensão durante a decolagem e a aterragem, e aumentando a sustentação ao desviar o fluxo do vento que flui sobre a asa.

Mas a sustentação gerada pelas asas convencionais não é suficiente para as baixas velocidades de voo e as subidas e descidas íngremes exigidas das aeronaves CESTOL.

Um elemento essencial dessa sustentação ampliada é o controle da circulação do ar por meio da tecnologia conhecida como "asa soprada". Uma fenda estreita, ao longo de toda a borda da asa, logo acima do flap, sopra ar pneumaticamente para fora. O sistema é alimentado por sua própria fonte de ar comprimido, localizada no interior da asa.

Esta abordagem gera um alto coeficiente de sustentação, muito maior do que o gerado pelo sistema tradicional de flaps - o coeficiente de sustentação é o número que relaciona a sustentação total de uma aeronave com a área de suas asas e sua velocidade de voo.

Fonte: Site Inovação Tecnológica - Imagens: California Polytechnic State University

Infográfico especial sobre o avião presidencial

Em agosto passado, colocamos no ar uma enquete perguntando aos leitores do Blog do Planalto qual tema gostariam de ver esmiuçado num infográfico, entre quatro opções: avião presidencial, Palácio da Alvorada, Granja do Torto e Palácio Jaburu. O avião ganhou com certa folga, tendo 52% dos quase 500 votos. Pois então, com vocês, o nosso infográfico especial sobre o Airbus A-319 CJ, avião que desde 2005 serve à Presidência da República.

Clique sobre a imagem para acessar o infográfico

Batizado como Santos Dumont, em homenagem ao patrono da aviação brasileira que fez história ao se tornar o primeiro homem a voar em um aparelho mais pesado que o ar – o lendário 14-Bis – em 23 de outubro de 1906, o Airbus da Presidência da República é um gabinete com asas, de onde o presidente pode exercer suas funções durante as viagens. O avião tem instalações especiais, equipamentos de comunicação por satélite à prova de interceptações, computadores e telefonia móvel.

Fonte: Blog do Planalto via Fórum Contato Radar - Infográfico: Thiago Melo

SE: Justiça manda médica pagar R$ 8 mil a vítima de racismo

A médica Flávia Pinto Silva, acusada de racismo contra um funcionário da empresa aérea Gol, foi condenada a pagar R$ 8 mil de indenização ao funcionário companhia Diego José Gonzaga dos Santos. A determinação é do juiz Cristiano José Macedo Costa e foi publicada no Diário de Justiça de Sergipe na quarta-feira.

Em setembro deste ano, o funcionário da empresa recusou receber R$ 5 mil da médica. Diego não aceitou a proposta da médica porque disse que preferia esperar a sentença do juiz sobre o caso. O funcionário da empresa prestou queixa na polícia no dia 26 de outubro do ano passado, quando acusou a médica de ter o agredido verbalmente no saguão do aeroporto Santa Maria, em Aracaju, e o ter chamado de "nego, morta fome e pobre".

Naquele dia, mesmo atrasada para o voo, a médica exigiu embarcar de qualquer jeito, segundo o funcionário. Um vídeo que mostra a médica irritada por ter depois do horário no aeroporto e por não ter conseguido embarcar para a lua de mel na Argentina foi parar na internet. Veja abaixo:

Fonte: Terra / SETV (TV Globo)

Anac quer flexibilizar taxa, o que pode encarecer voo no rush em Congonhas

Ideia é permitir que cada aeroporto defina cobranças de embarque e permanência; em alguns horários, será possível dar descontos

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) quer mudar as regras de regulação tarifária nos aeroportos. A intenção é que tarifas que hoje são fixadas pela agência - como as de embarque, pouso, decolagem e permanência - possam ser definidas pelos aeroportos separadamente, que poderão cobrar preços diferentes para horários distintos.

Com as novas regras, ficará mais fácil incentivar os voos em um determinado horário e desestimulá-los em outros. O impacto maior seria sentido nos aeroportos localizados em áreas urbanas adensadas, como o de Congonhas, em São Paulo. Como há muitas reclamações de moradores contra o barulho causado pelos aviões, a administração do próprio aeroporto poderia aumentar as taxas para voos muito tarde e muito cedo, o que poderia tornar algumas linhas economicamente inviáveis.

Caso as mudanças sejam aprovadas, haveria um valor máximo e mínimo para cada uma das tarifas aeroportuárias. Cada aeroporto poderia então decidir dar descontos ou cobrar até 20% a mais do teto tarifário, dependendo de suas especificidades, mas o mesmo desconto teria de ser dado para passagens em outro horário. Os valores serão separados por categoria - os aeroportos brasileiros são divididos em quatro classes, de acordo com características como tráfego de passageiros e eficiência.

A agência quer fazer as modificações nas regras atuais por meio de uma nova resolução, que ainda está na fase de audiências públicas. A expectativa é de que ela seja publicada no início de 2011.

Aprovação. Para o presidente da Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo (Andep), Cláudio Candiota, as medidas podem ser positivas. "O consumidor executivo pode ficar prejudicado, mas entendo que tudo que é flexibilização é positivo", afirmou. Já o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) ainda não se posicionou sobre a proposta. "Vamos nos reunir semana que vem e analisaremos qual será a posição", disse o diretor técnico do sindicato, Ronaldo Jenkins.

Fonte: Rodrigo Burgarelli (O Estado de S.Paulo)

Emirados descartam atentado em acidente de avião da UPS

Comunicado descarta explosão em aeronave que caiu em setembro.

Braço da al-Qaeda disse ter feito explodir o avião de carga da UPS.

As autoridades dos Emirados Árabes Unidos afirmaram neste sábado (6) que não dispõem de qualquer elemento que apoie a tese de um atentado no acidente de um avião de carga do grupo americano UPS em setembro passado, em Dubai, depois das afirmações desse sentido por parte da al-Qaeda.

"A investigação realizada e os restos da carcaça do avião da UPS, assim como os testemunhos de pessoas que viram o acidente não proporcionam nenhuma prova de uma explosão a bordo", afirma um comunicado da autoridade geral da aviaçào civil dos Emirados Árabes Unidos.

O comunicado, citado pela agência oficial Wam, afirma, no entanto, que a autoridade investigará as alegações da al-Qaeda.

A al-Qaeda na Península Arábica (AQPA) disse ter feito explodir o aparelho da UPS no início de setembro em Dubai, em uma mensagem difundida em foro on-line, e informada pelo centro americano de monitoração de site islamitas SITE.

Os dois tripulantes desse avião de carga do grupo de entrega de encomendas United Parcel Services (UPS) morreram em 3 de setembro no acidente ocorrido perto do aeroporto internacional de Dubai.

Fonte: France Presse via G1 - Foto: Mosab Omar/Reuters

Cuba vai apurar acidente com meios próprios e sem ajuda externa

A investigação sobre o acidente aéreo ocorrido em Cuba onde morreram 68 pessoas será realizada "integralmente por equipes cubanas", detalha neste sábado o jornal "Granma", órgão oficial do governante e Partido Comunista da ilha.

"Cuba tem plena capacidade para investigar a tragédia aérea", traz na capa deste sábado do "Granma", em artigo, no qual ressalta que o país dispõe de uma rede nacional de criminalística com as condições necessárias e equipes especializadas, o que permite "assumir com seriedade a identificação das vítimas".

A publicação cita declarações de Jorge González Pérez, reitor da Universidade de Ciências Médicas de Havana e analista que está trabalhando na região central de Cuba onde ocorreu o acidente da aeronave ATR-72 da companhia nacional Aerocaribbean.

"No que diz respeito aos estrangeiros (falecidos no acidente, 28) sempre serão de grande utilidade os elementos que apresentem os familiares e as instituições que representam às vítimas", diz este analista.

Por causas ainda desconhecidas, um avião comercial que fazia a rota Santiago de Cuba-Havana caiu na tarde de quinta-feira em uma região rural da província de Sancti Spiritus, depois que a nave reportasse uma situação de emergência e depois perdesse contato com os serviços de controle de passagem aéreo.

Morreram todos os ocupantes do avião, onde viajavam 40 cubanos e 28 cidadãos estrangeiros de diversas nacionalidades.

Fonte: EFE via Terra

Exército testa em SP uso de avião não tripulado para patrulhamento

O Exército brasileiro testou em Pirassununga, cidade a 210 quilômetros da capital paulista, uma aeronave militar que voa sem ninguém a bordo.

O Veículo Aéreo Não Tripulado (chamado de Vant) tem tecnologia brasileira e serve para patrulhar regiões consideradas perigosas. Ele manda imagens e informações para a equipe em solo. O modelo será usado numa simulação de guerra com a participação de 4,5 mil homens do Exército.

Fontes: Jornal Nacional / O Globo - Imagens: Reprodução/TV Globo

Avião faz pouso de emergência em aeroporto no México

Trem de pouso dianteiro do Boeing 737 não funcionou.

Incidente não deixou feridos.

O Boeing 737-2C3(Adv), prefixo XA-UHY, da empresa Global Air, com 99 passageiros e cinco tripulantes, fez um pouso de emergência no aeroporto de Puerto Vallarta, no México, na última quarta-feira (4).

O avião tinha decolado da cidade do México. Quando se aproximava da cidade de Puerto Vallarta, o piloto notou que o trem de pouso dianteiro do avião não estava funcionando.

O piloto decidiu fazer o pouso mesmo assim. Ele manteve a parte da frente fora do solo até que o avião perdesse velocidade. As equipes de socorro do aeroporto entraram em ação mesmo antes de a aeronave parar. Ninguém ficou ferido, mas o aeroporto ficou fechado por quatro horas.

Fontes: G1, com informações da Globo News / Site Desastres Aéreos

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Antonov 124 pousa no RN com equipamentos militares

Um gigante dos céus pousou nesta sexta-feira na base aérea de Natal, no Rio Grande do Norte. O segundo maior avião do mundo, o “Antonov 124”, trouxe equipamentos para um exercício militar conjunto de seis países.

O avião cargueiro de fabricação russa, à serviço da Força Aérea Francesa, tem 20 metros de altura e detém o recorde de voo mais longo feito por um avião: 25 horas e meia sem abastecer.

Depois de dez horas de viagem da França até o Brasil, o Antonov 124 pousou trazendo toneladas de material de apoio para treinamento da Força Aérea Francesa.

O Antonov é uma das 92 aeronaves que vão sobrevoar os céus do Nordeste, durante a Operação Cruzeiro do Sul. O treinamento reúne as forças aéreas do Brasil, Argentina, Uruguai, França, Chile e Estados Unidos em uma verdadeira guerra simulada, onde os países se dividem em azul e vermelha.

Para tornar a operação mais real, estudantes foram convocados para atuar como integrantes de forças de paz e até correspondentes de guerra.

Fontes: Jornal da Band / BandNews via UOL Mais

Avião faz pouso forçado em estrada no Interior do Paraná

A aeronave Embraer EMB-721C Sertanejo, prefixo PT-EBK, com capacidade para seis pessoas fez um pouso de emergência em uma estrada no município de Barbosa Ferraz, no Interior do Paraná, a tarde de hoje (5).

Foi por volta das 14 horas, quando a chuva aumentou de intensidade e o piloto teve dificuldade de continuar o voo até Campo Mourão, onde faria uma manutenção no avião.

O piloto, que não teve o nome identificado, disse que a aeronave foi atingida por fortes rajadas de vento, durante a chuva, e na tentativa de escapar do temporal, fez várias manobras, até avistar a estrada que liga Barbosa Ferraz ao distrito de Pocinho, no bairro Guanabara. A estrada, que recebeu melhorias recentemente permitiu um pouso aparentemente tranqüilo. Mesmo assim o piloto demonstrou grande perícia na aterrissagem, pois a estrada é estreita. A aeronave não sofreu danos.

O piloto saiu ileso e disse que assim que o tempo melhorar vai tentar prosseguir viagem até Campo Mourão. A aeronave pertence a um fazendeiro conhecido por Valdemar Fcklscherer, da cidade de São José do Rio Preto-SP.

Fonte: Tribuna do Interior - Foto: Coluna do Rato

Célula da al-Qaeda baseada no Iêmen reivindica envio de pacotes-bomba aos Estados Unidos

A célula da al-Qaeda baseada no Iêmen assumiu nesta sexta-feira responsabilidade pela tentativa frustrada de enviar pacotes com explosivos a alvos nos Estados Unidos, na semana passada, e também de ter explodido uma bomba em um avião cargueiro da empresa UPS, em 3 de setembro, causando duas mortes. O grupo assumiu os ataques em uma mensagem postada em fóruns islâmicos na Internet e traduzida pelo grupo de inteligência Site.

Na semana passada, dois pacotes com explosivos foram descobertos em um aeroporto de Dubai, nos Emirados Árabes, e em um avião de carga no Reino Unido. O material, originário do Iêmen e que tinha como destino sinagogas dos EUA, foi encontrado graças às dicas de um ex-membro da al-Qaeda .

O governo do Iêmen tenta conter a onda de pânico e decretou nesta segunda-feira a aplicação de medidas excepcionais para as operações de revista de todas as cargas que partem do país. A Comissão Nacional de Segurança da Aviação Civil também decidiu criar uma unidade especial para atuar sobre a segurança dos aeroportos. As medidas têm como objetivo "enfrentar o desenvolvimento dos procedimentos das organizações terroristas", segundo a agência oficial Saha. Um grupo de investigadores americanos também está no país para ajudar na busca por suspeitos do atentado frustrado.

As autoridades libertaram no domingo uma estudante que havia sido detida sob acusação de envolvimento com o caso. Agora, o principal suspeito de fabricar os pacotes é Ibrahim Hassan al-Asiri, líder da al-Qaeda na península arábica.

- As atividades pregressas de [Ibrahim Hassan] al-Asiri e sua experiência com explosivos o tornaram o principal suspeito - disse um funcionário do governo sob condição de anonimato.

Al-Asiri, que deve estar escondido no Iêmen, é procurado na Arábia Saudita por uma série de atentados na Península Arábica, sucursal da rede extremista comandada por Osama bin Laden. Ele aparece em todas as listas de terroristas mais procurados da Arábia e do Iêmen.

Fonte: O Globo - Foto de arquivo

Espírito Santo: Pássaro entra em turbina e impede decolagem de avião da TAM

Os 103 passageiros do voo 3129 da empresa aérea TAM, que decolaria do aeroporto de Vitória para São Paulo, às 6h05m desta sexta-feira (5), passaram por um susto. Uma ave entrou na turbina direita (V2527) do avião e interrompeu a decolagem do Airbus A320-200.

Segundo passageiros que estavam na aeronave, o piloto já tinha autorização para decolar quando ouviram um barulho e o procedimento foi abortado. Segundo relato dos passageiros, o avião já estava em velocidade para decolar e houve uma forte vibração do lado direito. Possivelmente a ave se tratava de um urubu. A assessoria de imprensa da Infraero confirmou a ocorrência no Aeroporto de Vitória.

Nenhum tipo de problema entre os passageiros a bordo foi registrado e o comandante informou que retornaria ao pátio. A empresa realocou os passageiros em outras aeronaves para seguirem viagem para Guarulhos, em São Paulo.

As operações no aeroporto de Vitória continuaram sem problemas. A aeronave da TAM ficou no solo para reparos.

Fontes: Gazeta Digital / O Globo - Fotos: Eduardo Fachetti / Reprodução TV Gazeta

Jovem disfarçado de idoso é preso ao desembarcar de avião no Canadá

Suspeito entrou no banheiro do avião disfarçado e saiu com aparência real.

Ele vinha de Hong Kong e, aparentemente, buscava refúgio no país.


Um jovem de origem asiática foi detido em Vancouver pelas autoridades canadenses depois de ter embarcado disfarçado de idoso em um avião da Air Canadá vindo de Hong Kong.

As autoridades de fronteira do Canadá detiveram o suspeito logo depois que o avião pousou, em 29 de outubro, segundo a TV pública canadense.

Ao ser preso, o homem teria implorado para ser aceito como refugiado no Canadá.

As autoridades haviam sido alertadas sobre ele pelo pessoal de segurança da empresa. Ele foi considerado suspeito porque, apesar de parecer um idoso, suas mãos eram lisas como a de um jovem.

Imagens da TV pública do Canadá mostra o jovem em seu estado natural (à esq.) e disfarçado

Durante o voo, ele entrou no banheiro do avião ainda disfarçado de velho, mas saiu com sua aparência real, de um jovem asiático de cerca de 20 anos.

Uma busca na bagagem dele revelou que ele tinha um "kit disfarce", com uma máscara de silicone, um boné marrom, óculos e uma suéter.

As máscaras são do tipo que podem ser encontradas à venda na Internet, custando em torno de US$ 1.000.

Testemunhas disseram ter ficado impressionadas com a qualidade do disfarce.

As autoridades disseram que o homem trocou seu cartão de embarque com outra pessoa antes de entrar no avião, mas ainda não está claro por que isso ocorreu.

O suspeito está preso em um escritório da imigração em Vancouver. Ele deve ser ouvido em audiência.

Seu nome e sua nacionalidade não foram divulgados.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução

Outro avião da Qantas faz pouso de emergência em Cingapura

Outro avião da companhia aérea Qantas, desta vez um Boeing 747-400, fez um pouso forçado nesta sexta-feira em Cingapura por causa de um problema nas turinas, anunciou um porta-voz da companhia australiana.

O Boeing 747-438, prefixo VH-OJD, aterrissou sem contratempos no aeroporto de Changi, precisou a porta-voz.

"Pouco depois da decolagem, o comandante teve um problema com os motores", acrescentou.

A aeronave realizaria o voo QF-6 entre Cingapura e Sydney, na Austrália.

Na última quinta-feira, um Airbus A380 da companhia australiana fez um pouso de emergência após a identificação de uma falha numa das turbinas, no que se transformou no incidente mais grave envolvendo o maior avião de passageiros do mundo. O modelo está em operação desde 2007.

O presidente executivo da companhia, Alan Joyce, afirmou nesta sexta que o incidente da última quinta pode estar relacionado a uma falha na concepção do projeto da aeronave. Segundo Joyce, o problema na turbina da fabricante britânica Rolls-Royce pode ter sido causado por defeito nos componentes ou falha no desenho.

Fontes: AFP / Veja.com / Aviation Herald - Fotos: Reuters

Avião fretado com 22 pessoas a bordo cai no Paquistão

Aeronave levava funcionários de petroleira, e não há sobreviventes.

Piloto relatou falha no motor pouco após a decolagem.




Um avião Beechcraft 1900C fretado da companhia JS Air com 22 pessoas a bordo - 20 passageiros e dois pilotos - caiu nesta sexta-feira (5) depois de decolar do aeroporto de Karachi, no sul do Paquistão, informam as autoridades paquistanesas.

Ninguém sobreviveu ao acidente, informou o coronel de Exército Noor Alam. Ainda não foi informada a nacionalidade das vítimas.

O porta-voz civil da Aviação do Paquistão, Pervez George, confirmou que a aeronave caiu devido a uma falha técnica logo após a decolagem. Segundo ele, os pilotos relataram que um motor se incendiou um minuto após iniciar viagem. Eles tentaram retornar para um pouso de emergência, mas o avião caiu logo em seguida.

A aeronave transportava 17 funcionários e três técnicos da companhia petrolífera ENI. Eles seguiam de Karachi para Bith Shah, na província de Sindth.

No final de julho, 152 pessoas morreram em Islamabad depois que um Airbus bateu numa colina na região da capital paquistanesa.

Fontes: G1 / Agências Internacionais

Queda de avião em Cuba não deixa sobreviventes

Avião ATR-72 caiu em região rural, com 68 pessoas a bordo.

Entre os ocupantes da aeronave estão 40 cubanos e 28 estrangeiros.


O avião da companhia regional Aerocaribbean que caiu em um lugar remoto na região central de Cuba nesta quinta-feira (4), matou todos seus 68 ocupantes, segundo as autoridades cubanas.

Das 68 pessoas a bordo, 61 seriam passageiros e sete integrariam a tripulação.

Do total de ocupantes do avião, 40 seriam cubanos, e 28 estrangeiros, sendo nove argentinos, sete mexicanos, três holandeses, dois alemães, dois austríacos, um espanhol, um francês, um italiano, um japonês e um venezuelano.

A aeronave que sofreu a queda é um turboélice ATR-72-212 (500), que fazia a rota entre Santiago de Cuba e Havana (voo 7L-883).

O avião teria caído numa região rural, de difícil acesso, da aldeia de Guasimal, na província de Sancti Spiritus. Após a queda, a aeronave pegou fogo.

As autoridades locais informaram que criaram uma comissão para organizar o resgate de corpos, que conta com socorristas e voluntários, e também para investigar as causas do acidente, ainda desconhecidas.

Os primeiros corpos já foram encontrados.

O piloto do avião relatou às 17h42 local (20h42 Brasília) "uma situação de emergência, perdendo contato com os serviços de controle de tráfego aéreo" logo em seguida.

"Neste momento, as autoridades aeronáuticas e regionais estão apurando detalhes do fato, e foi criada uma comissão para investigar o acidente".

O comunicado oficial não revela se no momento da queda prevalecia o mau tempo na região, de onde se aproxima a tormenta tropical Tomas, colocando a ilha em estado de alerta.

Vizinhos do local, a mais de 30 km da capital provincial, afirmaram que o avião fez vários movimentos bruscos antes de cair em terra, segundo o jornal local Escambray.

Em função da passagem iminente do furacão Tomas, a companhia aérea Cubana de Aviación cancelou todos os voos para Santiago de Cuba e Guantánamo, e o ministério do Transporte anunciou a suspensão das viagens de ônibus e trem para essas duas províncias enquanto o clima não melhorar.

O último acidente aéreo em Cuba ocorreu em março de 2002, quando um avião menor caiu na província central de Villa Clara, matando as 16 pessoas a bordo, incluindo seis turistas canadenses, quatro britânicos e dois alemães, além dos quatro tripulantes cubanos.

O acidente aéreo mais grave das últimas três décadas ocorreu em setembro de 1989, quando um Il-62 com destino a Milão caiu em Havana logo após decolar, matando as 115 pessoas a bordo - dois cubanos e 113 turistas italianos - e 40 em terra, atingida por destroços.

Fonte: G1, com agências internacionais - Foto: Reuters

Avião com 68 pessoas a bordo cai em Cuba

Não há ainda informações sobre mortos ou sobreviventes.

Aeronave caiu na região central do país, entre Santiago de Cuba e Havana.


Um avião da Aerocaribean com 68 pessoas a bordo caiu na região central de Cuba nesta quinta-feira (4), informam as agências internacionais de notícias, que citam como fonte o Aeroporto de Santiago de Cuba e a rádio e rede de TV estatais.


Não há ainda informações sobre mortos. Dos 68 a bordo, 61 seriam passageiros e sete integrariam a tripulação. Desse total, 40 seriam cubanos, e 28, estrangeiros.

As agências informam que a aeronave é um turboélice ATR-72, que fazia a rota entre Santiago de Cuba e Hava. O avião teria caído na região de Guasimal, na província de Sancti Spiritus. As causas do acidente ainda não são conhecidas.

Autoridades informaram que criaram uma comissão para organizar o resgate de possíveis sobreviventes e também investigar as causas do acidente. Segundo a rede de TV estatal, a torre de controle do Aeroporto de Santiago de Cuba perdeu contato com a aeronave pouco depois de receber um alerta de situação de emergência.

Fontes: G1 (com EFE, France Presse e Reuters) / AP

Tempestades levaram Nasa a adiar mais uma vez a partida do Discovery

A previsão do tempo para hoje (sexta-feira) é melhor, com 60% de chance de condições favoráveis

Tempestades impediram a partida do ônibus espacial Discovery em sua viagem de despedida nesta quinta-feira, o provocando o mais recente de uma série de adiamentos para o mais antigo e mais usado dos ônibus espaciais.

O ônibus espacial aguarda na plataforma a liberação para voar

Pouco antes do amanhecer de ontem, os administradores da missão cancelaram a decolagem prevista para esta tarde, e informaram que tentarão de novo hoje (sexta).

Chuva caía na área do Centro Espacial Kennedy, e a meteorologia dava 80% de probabilidade de condições inadequadas para o lançamento.

A previsão do tempo para esta sexta-feira é melhor, com 60% de chance de condições favoráveis. Se não houver novo adiamento, o Discovery parte para Estação Espacial Internacional (ISS) às 17h04, horário de Brasília. vazamentos de gás e problemas elétricos causaram os adiamentos anteriores.

A Nasa tem até domingo para fazer o lançamento. Do contrário, a nave terá de esperar até dezembro para uma nova posição favorável.

Oficialmente, o voo do Discovery será o penúltimo da frota de ônibus espaciais. A missão final será realizada pelo Endeavour, em fevereiro de 2011. Uma terceira missão talvez seja autorizada para meados do próximo ano.

Fonte: Associated Press via Estadão - Foto: NASA

Nasa exibe imagem detalhada de cometa anão gelado

Pela quinta vez na história sonda chega tão próxima do núcleo de um cometa

A Nasa divulgou nesta quinta-feira a primeira imagem em detalhes do cometa Hartley 2. A imagem foi registrada por um instrumento de média resolução a bordo da sonda espacial Deep Impact no momento em que ela passava próxima ao núcleo de gelo do cometa.

As imagens feitas pela sonda foram tiradas a uma distância de 700 quilômetros do cometa. Elas foram transmitidas por 37 milhões de quilômetros para as antenas da Nasa em Golstone, no Estado norte-americano da Califórnia.

Hartley 2 foi descoberto em 1986 pelo telescópio Schmidt, na Austrália. Ele pode ser visto da Terra a cada seis anos. Este jovem cometa tem um núcleo de apenas 1,4 quilômetro de diâmetro.

Este trabalho faz parte da missão EPOXi, um esforço para conhecer melhor estrelas e cometas extrasolares e foi a quinta vez na história que uma espaçonave passou tão perto do núcleo de um cometa.

Fonte: Revista Galileu - Foto: NASA/JPL-Caltech/UMD

Webjet começa a cobrar por lanche servido no avião

A companhia aérea Webjet começou hoje a cobrar pelos lanches servidos durante os voos, seguindo os passos da concorrente Gol. A medida busca equilibrar os custos operacionais da companhia para dar sustentação à estratégia de se consolidar como uma empresa de baixo custo.

Nas últimas semanas, a Webjet anunciou voos para Ribeirão Preto (SP), Navegantes (SC) e Foz do Iguaçu (PR) com tarifas a partir de R$ 29, abaixo do oferecido pelas principais concorrentes. Segundo o presidente da companhia, Fábio Godinho, para continuar com essa política de preços, a Webjet não pode abrir mão da cobrança pelas refeições servidas nas aeronaves.

"Não existe mágica, o serviço de bordo é subsidiado pelo preço da passagem. Se não está incluído, eu posso cobrar uma tarifa mais baixa", afirma. Ao contrário da Gol, a Webjet não oferecerá uma opção básica gratuita.

O passageiro que quiser fazer refeições durante os voos terá de desembolsar entre R$ 3 e R$ 12 e poderá escolher entre itens como sanduíches, sopa, cerveja, refrigerantes, sucos e bebidas quentes. O valor mais alto é referente aos "combos", que agregam um sanduíche ou biscoito, bebida e um chocolate.

Godinho acredita que os passageiros receberão bem a mudança. "Melhor do que receber um amendoim é poder ter uma refeição decente a bordo. É um modelo mais democrático, pois você paga pelo que consome", avalia. "A receptividade será favorável porque a cobrança é combinada com tarifas baixas. É claro que você cobrar uma tarifa alta e ainda cobrar o serviço de bordo não seria bem aceito", complementa.

No começo, o pagamento das refeições só poderá ser feito em dinheiro, mas, a partir do ano que vem, cartões também serão aceitos. O serviço de bordo da Webjet foi terceirizado para a LSG Sky Chef''s, subsidiária do grupo Lufthansa, do qual faz parte a companhia aérea alemã. As receitas serão divididas entre as duas empresas.

A Webjet alcançou, no início do mês, a marca de 9 milhões de pessoas transportados e espera a chegada de três novos Boeings 737-300, configurados para 148 passageiros, para suportar o aumento do número de passageiros.

Fonte: Glauber Gonçalves (Agência Estado)

China compra 102 aviões Airbus durante visita de Hu Jintao à França

Várias companhias aéreas chinesas assinaram hoje a compra de 102 aviões com o fabricante europeu Airbus, operação avaliada em US$ 14 bilhões, durante a primeira jornada da visita do presidente da China, Hu Jintao, a Paris, onde não faltaram protestos dos defensores dos direitos humanos.

Os contratos milionários com a Airbus foram completados com outros acordos com empresas francesas por uma quantia próxima a US$ 6 bilhões.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, cuidou da visita de seu colega chinês para acabar com as desavenças que durante 2008 abalaram as relações entre ambos os países.

O protocolo foi disposto para que Jintao não tivesse que responder a questões sobre direitos humanos. Dessa forma, durante os três dias da visita, o presidente chinês não responderá à perguntas de jornalistas.

O líder chinês, que chegou no início da tarde ao aeroporto parisiense de Orly, realizou com Sarkozy uma primeira reunião bilateral na qual foi discutida a assinatura dos contratos, supervisados pelos governantes.

O principal beneficiado foi o construtor aeronáutico Airbus, que vendeu 102 aviões avaliados em US$ 14 bilhões.

Airbus assinou um acordo para a venda de 50 aparatos A320, 42 aviões A330 e dez do novo avião de média capacidade e longo percurso A350, informou a Presidência.

Paralelamente, o grupo nuclear público francês Areva fechou um contrato avaliado em US$ 3,5 bilhões para a venda de 20 mil toneladas de combustível de urânio durante os próximos dez anos.

A Areva assinalou que estão muito avançadas as negociações para a construção na China de dois novos reatores de última geração EPR e assinou um contrato industrial com o grupo chinês CNCC para a reciclagem de combustíveis nucleares, que pode resultar na construção de uma fábrica de tratamento na China.

Fonte: EFE via Yahoo! Notícias

Avião com carga suspeita faz pouso de emergência em Mumbai

Proveniente de Amsterdã, aeronave da Delta teve passageiros retirados e bagagens inspecionadas

Um avião da Delta Airlines fez um pouso de emergência em Mumbai, na Índia, na noite desta quinta-feira, por causa de uma carga suspeita que transportava. O alerta foi feito por funcionários da empresa no Aeroporto Schiphol de Amsterdã, o que levou agentes de segurança a fazerem buscas e esvaziarem a aeronave.

O Airbus A330-223, prefixo N859NW, aterrissou por volta das 23h locais, supervisionado por caminhões e outros veículos de emergência, e logo foi levado para uma área isolada do aeroporto na capital financeira da Índia.

A aeronave foi levada para área de estacionamento depois de alertas de emergência terem sido emitidos por voltas das 1h50 de sexta-feira.

De acordo com o porta-voz do aeroporto, Manish Kalghatgi, todos os 244 passageiros a bordo do voo 70 da Delta foram retirados com segurança.

Autoridades pediram aos passageiros que permanecessem no aeroporto até que todas as bagagens e carga da aeronave fossem examinadas por completo.

Mesmo em estado de alerta, voos que saem e chegam ao Aeroporto Internacional Chhatrapati Shivaji, de Mumbai, estão operando normalmente.

Visita

O incidente ocorre dois dias antes de o presidente americano, Barack Obama, chegar a Mumbai, na primeira parte de uma viagem de 10 dias pela Ásia.

Na sexta-feira passada, dois pacotes com material explosivo, que iam do Iêmen para os EUA, foram interceptados no Reino Unido e em Dubai. Um deles foi desarmado 17 minutos antes da explosão.

Fontes: iG (com AP) / Aviation Herald

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Pista do aeroporto de Rio Branco cede em decolagem

A falta de estrutura do aeroporto de Rio Branco ocasionou, por volta das 13h de ontem (3), o rompimento de um pedaço da pista durante a decolagem do avião da Gol, que saía da capital com destino a Cruzeiro do Sul. Embora o incidente não tenha deixado vítimas, causou transtornos aos passageiros.

De acordo com o superintendente da Infraero, Daniel Sobrinho, o rompimento ocorreu por conta da turbina do avião. Ele explica que o sopro da turbina contra o solo fez arrancar uma placa de pavimento da pista.

Ele garante ainda, que o pedaço retirado já foi recomposto e não prejudicará os demais pousos e decolagens. O transtorno não atrasou os horários dos voos.

Não é a primeira vez que a desgastada pista provoca incidentes dessa natureza. Em abril deste ano, um avião Airbus A319 da empresa TAM afundou o trem de pouso no asfalto.

Reforma

A pista do aeroporto de Rio Branco tem pouco mais de dez anos de atividade, mas as complicações que possui são semelhantes a uma pista de aproximadamente 30 anos (tempo de vida útil), correndo o risco de ser interditado.

Para impedir isso, desde o primeiro semestre deste ano, a pista vem passando por uma grande recuperação por parte dos militares do 7º Batalhão de Engenharia de Construção.

A finalidade é reforçar a estrutura da pista e evitar que se desgaste tão rápido. Será colocada uma espécie de tela de reforço, que na engenharia leva o nome de geogrelha.

O sistema de drenagem será reforçado para evitar o acúmulo de água e sua consequente infiltração no asfalto. A reforma custa em torno de R$ 28 milhões.

O solo da pista é considerado como expansivo e contribui diretamente no desgaste da área destinada para os pousos e decolagens das aeronaves, reduzindo seu tempo de vida útil.

Com a reforma, a pista seguirá todos os padrões e normas para garantir o mesmo tempo de vida útil, no caso 30 anos.

Fonte: Portal Amazônia com informações do A Tribuna - Foto: Arquivo

Açores: Avião da Sata com avaria técnica

O Bombardier Q400 NextGen da SATA - que efetuava a ligação entre as Ilhas de Ponta Delgada e Horta, nos Açores - regressou ao aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, nesta quinta-feira (4).

Na ocasião, os passageiros foram instados a sairem do aparelho, tendo regressado novamente para voarem novamente para o Faial, pelas 09h45 (hora local).

Contudo, o Q-400 da Sata regressou novamente ao final de dez minutos ao aeroporto micaelense. Os passageiros afetados por esta situação foram reencaminhados em outro Q-400 da transportadora regional para a Horta, pouco depois das 11h00. As razões para esta situação está numa alegada avaria técnica.

Fonte: Jornal Diário - Foto: Reprodução

Empresa diz que helicóptero que realizou pouso forçado estava com manutenção em dia

O helicóptero Robinson 22 da empresa Go Air que realizou um pouso forçado na manhã desta quinta-feira no aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, estava com a manutenção em dia, segundo a assessoria da empresa. Duas pessoas estavam na aeronave no momento do pouso forçado e passam bem.

As causa do acidente ainda são desconhecidas, de acordo com a empresa. O Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) vai investigar o caso. O aeroporto Campo de Marte não precisou fechar em nenhum momento devido ao pouso forçado do helicóptero.

Fonte: Folha.com - Foto: TV Record/Reprodução

Preferido por turistas, aeroporto central de Buenos Aires fecha para obras

Os brasileiros que viajarem a Buenos Aires, na Argentina, neste mês não poderão mais chegar pelo Aeroparque Jorge Newbery, aeroporto próximo ao centro, fechado a partir de hoje para reformas.

Equivalente a Congonhas, em São Paulo, ele é preferido por turistas e executivos por estar a dez minutos de qualquer bairro central.

Até 1º de dezembro, voos de TAM, Lan e Aerolíneas Argentinas serão transferidos para Ezeiza, aeroporto na região metropolitana. Os passageiros devem fazer check-in ao menos três horas antes do voo, dizem as empresas.

O deslocamento a Ezeiza leva, no mínimo, 40 minutos.

Já a uruguaia Pluna, que opera voos do Brasil com escala em Montevidéu, transferiu-os para o aeroporto de El Palomar, a 18 km do centro. A empresa criou um traslado gratuito desde o Aeroparque.

Fonte: Gustavo Hennermann (Folha.com)

Helicóptero que fez pouso forçado é retirado da pista e levado para hangar

O helicóptero que fez um pouso forçado na manhã desta quinta-feira (4) no Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, foi retirado da pista por volta das 10h30. O acidente aconteceu por volta das 9h. Um instrutor e um aluno estavam a bordo.

O Campo de Marte funciona como aeroporto para aviões de pequeno porte e para helicópteros.

A aeronave foi levada para o hangar da Go Air Escola de Aviação Civil para Pilotos de Helicópteros. Segundo a empresa, estavam a bordo um instrutor e um aluno. Ambos foram atendidos e passam bem. Ainda de acordo com a empresa, o piloto foi atendido no próprio Campo de Marte. Já a Secretaria de Estado da Saúde informou que uma das vítimas, Núncio Pereira Júnior, foi atendida com leves escoriações no Hospital do Mandaqui, na Zona Norte, e deve ser liberado nas próximas horas.

Segundo a Infraero, o helicóptero modelo Robinson 22 e o piloto estavam com suas documentações em dia. As causas do acidente só serão determinadas após investigação do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa).

De acordo com a Aeronáutica, as operações de pouso e decolagem de aviões de pequeno porte no Campo de Marte não precisaram ser interrompidas, já que o pouso forçado ocorreu em uma área que não afeta o tráfego de aeronaves. O tráfego de helicópteros foi interrompido por cerca de 30 minutos.

Fonte e foto: Letícia Macedo (G1)