sexta-feira, 23 de julho de 2010

Avião da AeroSur faz aterrissagem de emergência no Acre

Um avião da companhia aérea boliviana AeroSur que fazia o trajeto entre Miami, nos EUA, e Santa Cruz de la Sierra, no Paraguai, com 128 pessoas a bordo teve que fazer na madrugada desta sexta-feira (23) um pouso de emergência no aeroporto internacional de Rio Branco, informaram fontes oficiais.

O Boeing 737-33A, prefixo CP-2595, sofreu uma despressurização às 04:00 (hora local), enquanto sobrevoava a Amazônia, o que obrigou o piloto a pedir permissão para aterrissar no aeroporto internacional Plácido de Castro, em Rio Branco ao CCA (Centro Controle Amazônico), com sede em Manaus e que coordena o tráfego internacional no espaço aéreo na região Norte do Brasil.

Duas ambulâncias do Samu (Serviço Móvel de Urgência) aguardavam o pouso, caso fosse necessário atender algum passageiro. Mas, segundo o superintendente do aeroporto, Raimundo Daniel Pereira Sobrinho, não houve problemas.

"O avião levava 122 passageiros e seis tripulantes que estão no aeroporto esperando a continuação do voo", disse um funcionário da Infraero à Agência Efe, por telefone.

Segundo o funcionário, o avião permanece na pista do aeroporto e a previsão é de que o voo continue às 15h locais, aparentemente com outro avião que será enviado pela companhia.

A fonte acrescentou que todos os passageiros estão bem, esperando apenas a hora do embarque.

Fontes: EFE / oriobranco.net /R7 - Fotos: Francisco Chagas

A ciência por trás das turbulências

A definição de turbulência, ao contrário do que você pode achar, não é aquela hora em que o avião treme e que faz você tremer junto, mas de medo. Turbulência é, na verdade, um estado de flutuação em que o ar não mantém uma velocidade regular – é difícil de prever uma turbulência e, sendo assim, também é difícil evitá-las.

No entanto cientistas descobriram alguns fatores que podem influenciar as turbulências – levando isso em consideração, as empresas podem planejar melhor seus vôos, para que incidentes desagradáveis, como o voo 967 da United Airlines, que planava sobre Los Angeles quando começou uma turbulência. O tremor foi tão forte que os assentos de alguns passageiros foram ejetados. Como o avião estava fechado, eles só se machucaram. Mas, mesmo assim, foram 30 clientes que saíram muito irritados da viagem.

Estações e geografia

Segundo cientistas do National Center for Atmospheric Research, dos Estados Unidos, a segurança de uma área de voo depende da época do ano e também da geografia. Isso porque as condições do tempo, que causam alguns tipos de turbulência, variam de região para região e também dependem da época do ano. Áreas montanhosas, no entanto, apresentam potencial para serem turbulentas durante o ano todo. E, mesmo que algumas causas de turbulência sejam invisíveis, as nuvens devem ser evitadas se o objetivo é um voo tranqüilo.

A Lua

Em voos noturnos, a fase da Lua pode influenciar a habilidade do piloto de evitar turbulências. Se a Lua está cheia, ela serve como fonte de luz e o piloto pode evitar nuvens e tempestades com mais facilidade.

Elevação

A altura do voo também é responsável pela quantidade de turbulência encontrada no caminho. Menos altura (vôos abaixo de 3 mil pés) geralmente apresentam mais turbulência do que voos mais altos. Isso acontece pela maior presença de ventos fortes. No entanto a maior parte dos voos comerciais atinge de 30 a 40 mil pés acima da terra.

O que você pode fazer

Para “sobreviver” a uma turbulência, você deve usar seu cinto de segurança pela maior parte do voo. Segundo especialistas, mesmo que o sinal de uso obrigatório do cinto esteja desligado é aconselhável manter o cinto de segurança preso quando possível. Isso porque há um tipo de turbulência (a turbulência “clear strike”) que pode ocorrer literalmente do nada, então o piloto não tem tempo de avisar os passageiros com antecedência. São os comissários de bordo que mais sofrem em turbulências, por ficarem fora dos lugares pela natureza de seus trabalhos – 4 dos 10 comissários do voo 967 se machucaram, contra 26 de 255 passageiros.

Clique sobre a imagem acima para acessar o infográfico

Fonte: hypescience.com - Imagens: Reprodução

Sucessão de turbulências em voos nos EUA levantam hipóteses de manipulação climática

Comissário de bordo ferido após avião da Southwest sofrer forte turbulência

Um assistente de voo do sexo masculino ficou ferido quando um avião da Southwest Airlines, que realizava o voo WN-2558, de Reno, em Nevada, para Boise, no Idaho, encontrou forte turbulência.

O Boeing 737-700 levava a bordo 125 passageiros e cinco tripulantes. Quando estava em rota, a 39 mil pés, próximo a Lovelock, em Nevada, por volta das 21:55 (Z), atravessou a forte turbulência. A tripulação prosseguiu para Boise onde realizou a aterrissagem em segurança.

Keith Severance, Chefe do Corpo de Bombeiros de Boise, disse que o comissário de bordo estava com fortes dores após bater a cabeça e o pescoço em um sinal de saída de emergência durante o voo da última quarta-feira (21). O homem foi levado para um hospital para tratamento.

Essa ocorrência surge na sequência de várias lesões relacionadas com a turbulência no Boeing 777-222, prefixo N773UA, da United Airlines, na última terça-feira (20). Pelo menos 22 pessoas ficaram feridas quando o voo UA967 da United enfrentou uma turbulência severa e vários passageiros foram arremessados de suas poltronas e a aeronave teve uma queda bruca de altitude. Quatro aeromoças estavam entre os feridos que foram tratados em hospitais de Denver.

Outro episódio ocorreu em 11 de março, quando o Airbus A319-100, prefixo N319NB, da Delta Air Lines, que realizava o voo DL-2425, de Nova York para West Palm Beach, na Flórida, passou pelo mesmo problema, resultando na hospitalização de três aeromoças.

Como é habitual nos Estados Unidos, teorias conspiratórias já foram colocadas em pauta. Segundo algumas pessoas, os úlltimos problemas enfrentados em voo teriam menos relação com as condições meteorológicas e mais com experimentos do "Projeto Haarp (High Frequency Active Auroral Research Program)", que deteria uma tecnologia capaz de controlar, ente outros fatores, o clima.

O Projeto HAARP iniciou-se na década de 90, financiado pelo Pentágono e está sob a coordenação da USAF (Força Aérea dos EUA) através da Universidade do Alasca, em Gakona (http://www.haarp.alaska.edu/) e da USNAVY (Marinha dos EUA) através do Naval Research Laboratory (http://server5550.itd.nrl.navy.mil/projects/haarp/index.html).

Vista das instalações do HAARP, nas imediações do monte Sanford (Alasca)

Para fins militares o Haarp teria várias aplicações, por exemplo inutilizar equipamentos eletrônicos do inimigo, detectar mísseis e aviões de baixo nível, detectar depósitos subterrâneos de armamento de um país inimigo ou armas nucleares, novo sistema de comunicações entre submarinos, etc.

Os EUA investiram dezenas de milhões de dólares para essa tecnologia de tomografia de penetração da terra, intensas radiações podem usar-se para observação da terra a km de profundidade (para encontrar bases subterrâneas de armamento, etc). Acontece que essas frequências elevadas perturbam as funções cerebrais humanas.

Segundo o "Airpower journal" informou em 1996, o exército americano está desenvolvendo armas psicotrônicas e eletrônicas, não letais, capazes de afetar os seres humanos.

Teorias conspiratórias a parte, o melhor é usar o cinto durante os voos.

Por: Jorge Tadeu (Blog Notícias sobre Aviação) com informações sobre as ocorrências postadas no site Aviation Herald

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

O Beech 2000A Starship 1, prefixo N8244L, em aproximaçãoo final para a pista 19L do Aeroporto Wichita Mid-Continent (ICT/KICT), em Wichita, Kansas, nos EUA, em 28 de setembro de 2008.


Foto: Jaysen F. Snow - Midwest Tail Chasers (Airliners.net)

Acordos na feira de aviação de Farnborough trazem otimismo ao setor

Os quase US$ 29 bilhões em pedidos de novos aviões já realizados no Salão Aeronáutico de Farnborough, na Inglaterra, trouxe otimismo para a aviação global.

"Essa feira confirma a tendência de recuperação, que temos observado nos últimos meses, no tráfego aéreo global, que tem sofrido", afirmou o presidente da Airbus, Tom Enders.

Apesar de o resultado, até agora, não chegar nem perto dos US$ 88,7 bilhões movimentados na última feira, em 2008, já mostra certa melhora para o cenário da combalida indústria de aviação mundial.

"Estou encorajado pelo fato de que as economias estão se movendo em uma direção positiva. Todos sabemos que a Europa está sofrendo talvez um pouco mais do que os EUA e que ambos estão piores do que o resto do mundo, mas todos estão se movendo da direção certa", completou, em entrevista à AP, o presidente da Bombardier Gary Scott.

O segmento de aviação civil ainda sofre, no entanto, pressionado pela redução dos gastos nos países desenvolvidos. Outro fato observado nesta feira foi o domínio das companhias de leasing como as maiores compradoras desta edição. A Air Lease comprou 54 Boeings 737, 51 A-320 , além de 10 ATR 72-600 turboélices. A GE Capital Aviation, por sua vez, comprou 60 A-320 e 40 Boeing 737.

A feira internacional de Farnborough começou na segunda-feira (19) e termina no próximo domingo (25). Os primeiros cinco dias são reservados a negociações, enquanto os últimos dois dias são abertos ao público.

Fonte: Vanessa Dezem (Valor Online, com Associated Press) via Yahoo! Notícias

Avião com pneu furado faz pouso forçado nos EUA

Aeronave sobrevoou a região de Atlanta antes de aterrissar no aeroporto local

O Boeing 737-832, prefixo N392DA, da companhia Delta Airlines (foto acima) fez nesta quinta-feira (22) um pouso forçado no aeroporto de Atlanta, na Geórgia, depois que um de seus pneus furou durante a decolagem.

A tripulação prosseguiu para a altitude de cruzeiro (FL340) e, após comunicação com a companhia aérea, decidiram retornar para Atlanta. Depois de queimar combustível por cerca de uma hora, o avião pousou em segurança.

A estimativa era que o voo tivesse um atraso de 5:15 horas em sua nova partida.

O avião levava 160 passageiros e seis tripulantes no voo DL-1457 Atlanta para Portland.

Fontes: Aviation Herald / R7 - Foto (23.09.09): Joe C (JetPhotos)

Base Aérea das Lajes: novo comandante norte-americano quer resolver conflitos trabalhistas

O novo comandante do destacamento militar norte-americano na Base das Lajes (foto), na Terceira, Açores, quer "manter boas relações" entre as forças americanas e portuguesas, assegurando que vai manter o "diálogo" para a resolução dos conflitos laborais.

O coronel José Rivera tomou nesta quinta-feira posse como novo comandante da 65th Air Base Wing, substituindo no cargo a coronel Margaret Poore, que exerceu estas funções durante os últimos dois anos.

Na intervenção que proferiu na cerimônia, o novo comandante considerou que a Base das Lajes é "muito importante para a Força Aérea Americana", prometendo dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido pela sua antecessora.

Mais tarde, em declarações aos jornalistas, José Rivera definiu como um dos seus objetivos "continuar com as fantásticas relações que as forças aéreas americana e a portuguesa têm tido ao longo dos anos", acrescentando que a sua missão é "garantir que ambas as forças e países cresçam juntos".

O coronel norte-americano salientou que "os Açores são um local muito bom para a Força Aérea dos EUA", frisando que os militares destacados para as Lajes "são muito bem recebidos, gostam da missão e da hospitalidade do povo da Ilha Terceira e dos oficiais portugueses".

Questionado sobre os conflitos trabalhistas que envolvem os trabalhadores portugueses ao serviço das forças norte-americanas, o novo comandante da 65th Air Base Wing escusou-se a comentar, alegando não ter ainda conhecimento suficiente sobre a matéria.

O coronel José Rivera, natural de Porto Rico, encontrava-se na Base Aérea de Robins, no Estado da Geórgia, como comandante do Grupo de Comunicações de Combate 5.

Fonte: IOL Diário (Portugal)

PF apreende 60 Kg de cocaína arremessados de avião em Uruguaiana

Duas pessoas fugiram e duas, uma de 27 anos e outra de 22 anos, foram presas

Cerca de 60 Kg de drogas (cocaína e pasta base) foram apreendidos na zona rural de Uruguaiana pela Polícia Federal (PF) na tarde de hoje. A droga foi arremessada em um pacote branco de um monomotor em direção a quatro pessoas que aguardavam no solo o carregamento, divididas em dois carros. Duas pessoas fugiram e duas, uma de 27 anos e outra de 22 anos, foram presas. A PF não divulgou os nomes.

A PF suspeitava que carregamentos de drogas pudessem estar sendo arremessados de um avião de pequeno porte na cidade e iniciou investigação. Nesta tarde, após os policiais terem recebido informações de que uma aeronave não identificada transitava em solo argentino, com direção ao sul do Brasil, a equipe policial que fazia a vigilância visualizou a aproximação do avião e após o arremesso do pacote iniciou uma perseguição aos receptores.

Dois conseguiram deixar o carro e embrenhar-se em um matagal. Os dois ocupantes presos seriam ouvidos na sede da Polícia Federal e encaminhados à Penitenciária Modulada de Uruguaiana.

Fonte: Marina Lopes (Zero Hora) - Foto:Divulgação/Polícia Federal

Vídeo que mostra roubo a empresa de segurança com uso de helicóptero faz sucesso na internet

Após quase um ano de investigação, dez homens foram indiciados esta semana por um assalto a um empresa de segurança em Estocolmo, na Suécia. O roubo, que está sendo considerado um dos mais audaciosos da história do país, ganhou ainda mais destaque devido à divulgação de um vídeo que mostra a ação dos assaltantes. As imagens de câmeras de segurança, publicadas na segunda-feira no YouTube, estão entre as mais vistas do site.

Os bandidos usaram um helicóptero roubado para pousar no teto de um prédio onde ficava um depósito de dinheiro da filial sueca da empresa de segurança G4S. Os ladrões invadiram o local por um teto de vidro e levaram o equivalente a US$ 5,3 milhões.

Veja abaixo o vídeo com as imagens do roubo (em inglês):



Segundo o site local "Swedish Wire", apenas cerca de US$ 13 mil foram recuperados. O crime aconteceu na madrugada de 23 de setembro do ano passado. Os ladrões usaram explosivos para entrar no prédio. A ação durou poucos minutos. O helicóptero que havia sido roubado foi recuperado horas depois em Estocolmo.

Fonte: O Globo

Helicóptero cai no sul do Afeganistão e deixa 2 soldados da Isaf mortos

Dois soldados da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) morreram nesta quinta-feira na queda de um helicóptero no distrito de Lashkar Gah, na Província de Helmand, no sul do Afeganistão, informou a organização militar em comunicado.

A Isaf disse que está investigando a "causa" do acidente.

Em outra nota, a organização informou a morte de dois soldados no sul afegão, ambos vítimas de um "ataque insurgente", embora não tenha precisado suas nacionalidades nem o local onde ocorreu o enfrentamento.

"A política da Isaf é deixar os procedimentos de identificação das vítimas nas mãos das autoridades nacionais pertinentes", acrescentou a organização, que não deu mais detalhes.

Fonte: EFE

MAIS

Mais de 390 soldados estrangeiros que perderam suas vidas no conflito do Afeganistão desde o início deste ano, segundo uma contagem da AFP com base em um website mantido pela organização independente www.icasualties.org.

A OTAN e os Estados Unidos têm cerca de 150 mil soldados no país, sendo 30.000 implantado no coração do sul do Taliban - Helmand e Kandahar - desde o início deste ano.

Fonte: AFP

Boeing apresenta nave espacial comercial

Veículo pode carregar até sete astronautas em missões de até sete meses

A fabricante de aviões Boeing apresentou o seu projeto de nave para carregar astronautas em missões espaciais. O veículo, que tem um formato de cápsula parecido com o das naves Apollo, que levaram o homem à Lua nas décadas de 60 e 70, pode transportar até sete pessoas em viagens curtas, de até 100 km da Terra, por até sete meses.

No ano passado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou um plano de exploração espacial dá força para uma espécie de privatização das missões, com estímulo para que empresas comerciais construam, lancem e operem suas próprias naves. A Nasa (agência espacial dos EUA), então, deve usar esses veículos como "taxis espaciais", pagando cada "corrida".

A Boeing recebeu R$ 32 milhões da Nasa para o projeto, que faz parte de um programa de estímulo ao desenvolvimento de naves comerciais que levem astronautas para a ISS (Estação Espacial Internacional) e outros complexos espaciais. A atual frota de ônibus espaciais usados pela agência vai ser aposentada no ano que vem, deixando os americanos sem veículos para essas viagens. Até que uma nova frota fique pronta, naves russas devem fazer esse trabalho.

De acordo com a empresa de aviação, a cápsula, chamada CST-100, pode ser lançada pela primeira vez em 2014, se houver verba suficiente.



Fontes: R7 / Blog Notícias sobre Aviação - Imagens: Divulgação/Boeing

Cientistas encontram água na Lua, mas ainda não sabem sua origem

Apenas nove meses após lançar um projétil para estudar a estrutura da lua, os cientistas sabem com segurança que há água no satélite terrestre, mas seguem sem saber qual é a sua origem, informou a Nasa.

Os cientistas, que participam nesta semana do Fórum de Ciência da Nasa em Mountain View (Califórnia), também sabem que a água encontrada está em lagos e não em oceanos vastos, mas ainda não descobriram a sua origem.

O assunto foi tratado em Mountain View por vários pesquisadores liderados por Anthony Colaprete, chefe da missão da Nasa para o projeto LCROSS, um satélite de observação enviado à Lua para determinar a presença ou ausência de gelo de água na cratera Cabeus.

Durante o encontro, os pesquisadores confirmaram que o impacto de um projétil na superfície lunar permitiu analisar o pó levantado e isto revelou concentrações de cristais de água.

"Descobrimos um ambiente totalmente novo", disse Colaprete. "É muito mais frio que o antecipado, mas há energia, além de água e materiais de todo tipo que se acumulam ali enquanto ocorrem processos químicos".

Segundo o cientista, a área "é um laboratório por si mesmo".

Em novembro os técnicos do LCROSS anunciaram que a análise espectroscópica do pó levantado pelo impacto do projétil mostrava a presença de moléculas de água e hidroxil, subproduto da água constituído por um átomo de hidrogênio e um de oxigênio.

Os cientistas indicaram ontem no fórum que o LCROSS desceu em um oásis com uma paisagem seca, mas que é provável que a Lua contenha áreas úmidas.

"Há áreas de concentração relativamente alta, úmidas ou mais úmidas que nosso deserto do Saara", indicou Colaprete. "Eu sei que isso não soa muito úmido, mas na Lua equivale a um pântano".

"Partem daí as questões: como a água chegou à Lua? E como se distribuiu desde então? Esta é uma informação realmente importante para a prospecção", disse Colaprete, que destacou que a Nasa quer ir à Lua com "com veículos móveis" e não desejaria "descer em uma área qualquer".

Fonte: EFE/EPA

Russo desejou 'muito sexo' a americanos antes de primeiro encontro no espaço

Celebração dos 35 anos do primeiro encontro espacial entre dois países traz memória de gafe do cosmonauta russo

Alexei Leonov, primeiro homem a fazer uma caminhada espacial, e Thomas Stafford

O cosmonauta Alexei Leonov, um dos protagonistas do primeiro encontro espacial entre uma nave americana e uma soviética, em 1975, atrapalhou-se na pronúncia do inglês e desejou aos colegas do outro lado da Cortina de Ferro uma "vida cheia de sexo" em vez de "uma vida cheia de sucesso".

A confusão entre as palavras "successfull" (bem-sucedido) e "sexfull" (cheio de sexo) foi lembrada no reencontro dos participantes da histórica missão Apollo-Soyuz, que completou 35 anos no último sábado.

O engano não ocorreu no espaço, mas num banquete que precedeu a partida das naves Apollo 18 e Soyuz 19 para a órbita terrestre, quando o então administrador da Nasa, James C. Fletcher, pediu ao cosmonauta que fizesse um pequeno discurso.

O comandante da tripulação da Apollo, Thomas Stafford, disse que, de todas as provas a que os astronautas tiveram de se submeter antes do voo histórico, o mais difícil foi o de línguas. "Antes isso não era necessário para os astronautas americanos, mas para o acoplamento entendi que deveria falar em russo com meu amigo Alexei", lembrou. "Mas foi muito difícil, com meu sotaque de Oklahoma".

Fonte: EFE via Estadão - Foto: Alexander Zemlianichenko/AP

Russos e americanos da Soyuz-Apolo se reencontram 35 anos depois

As tripulações russa e americana da Soyuz-Apolo, a primeira missão espacial conjunta entre os Estados Unidos e a extinta União Soviética, em 1975, voltaram a se encontrar, ontem (quarta-feira, 21), em Moscou, 35 anos depois, lembrando os pequenos e grandes momentos da histórica cooperação em plena Guerra Fria.

"Tínhamos três línguas oficiais no espaço: o inglês, o russo e a língua de Oklahoma (estado americano)", contou, brincando, o comandante russo da missão Soyuz, Alexei Leonov, de 76 anos, durante entrevista coletiva conjunta, em Moscou.

A brincadeira dizia respeito ao forte sotaque do comandante americano da missão Apolo, Tom Stafford, de 79 anos, originário da região.

Além dos dois comandantes, estavam presentes o piloto russo Valeri Kubassov (75 anos) e o colega americano, Vance Brand, de 79. O terceiro membro americano da missão, Donald Slayton, morreu em 1993.

Realizada em 17 de julho de 1975, depois de oito anos de rivalidade, sobretudo na conquista do espaço, a missão Soyuz-Apolo consistiu na união nos céus da nave americana Apolo, com três astronautas a bordo, e da nave soviética Soyuz, com dois cosmonautas.

Esse acontecimento foi considerado no mundo inteiro um símbolo da distenção das relações americano-soviéticas, e significou o início de uma cooperação entre os dois países na área espacial.

"Naquela época, nossas culturas se diferenciavam muito mais do que agora. Nossos programas espaciais eram como duas árvores com as raízes separadas que nós devíamos juntar para unir nossos dois sistemas", lembrou Vance Brand. "Conseguimos isso com sucesso. Agora temos a impressão de que foi fácil, mas não foi", acrescentou.

"O mais difícil foi aprender russo", brincou o comandante Stafford.

A tripulação da Soyuz-Apollo: de verde, os soviéticos capitão Alexei Leonov e o engemheiro Valery Kubasov e, os três astronautas americanos Thomas Stafford, Donald "Deke" Slayton e Vance Brand, em julho de 1975

Vance Brand disse que se expressavam entre si usando um vocabulário de crianças de três anos. "Rimos muito com nossos erros, isso serviu para animar nossas reações no espaço", acrescentou.

"Algumas vezes ele confundia algumas palavras", brincou Valeri Koubassov, lembrando uma cena dos primeiros momentos no espaço, quando Brand chegou diante dele para pedir uma "roman" (romance em russo), confundindo a palavra com "riemen" (corrente em russo).

Além desse aprendizado linguístico, "levamos as relações entre nossos dois países a um nível inédito", lembrou Vance Brand.

A expedição deixou um ensinamento: "é mais fácil a comunicação entre cosmonautas e astronautas do que entre políticos".

O cosmonauta Alexei Leonov e o astronauta Thomas Stafford

"Nosso voo é um símbolo muito importante para o mundo. No espaço, criamos relações muito fortes e mostramos que também é possível viver assim na Terra", concluiu o comandante Stafford, que depois dessa missão adotou duas crianças russas.

Fonte: AFP via Correio Braziliense - Imagens: RIA Novosti

Ala inaugurada do aeroporto de Ribeirão Preto (SP) ainda não funciona

Novo setor entregue ontem está sem ar condicionado e esteiras para bagagem

A ala inaugurada ontem no aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto (SP), ainda passa por reparos e não tem toda a infraestrutura funcionando. O ar condicionado e a esteira das malas na sala de desembarque não estão prontos. A entrega das bagagens ainda está improvisada e quem espera por passageiros ou trabalha no local passa calor.

Fernanda Miranda de Oliveira, 21 anos, disse que ainda não conseguiu sentir as mudanças causadas pelas obras. “A esteira que precisamos ainda não tem, a única coisa que vemos é que está maior, mas a situação ainda é complicada”, disse. O analista de sistemas Rafael Luis Melzi Rossi, 25, disse que percebeu melhoras, principalmente no espaço e na localização dos balcões, que está mais espaçoso, mas reclamou da temperatura do ambiente. “Está muito calor aqui dentro.”

Sérgio Camargo, superintendente do Departamento Aeroviário do Estado de são Paulo (Daesp), não informou quando o sistema de ar-condicionado central entrará em funcionamento, mas disse que o sistema estará disponível para testes nos próximos dias. Ele informou também que primeiro o sistema fará a refrigeração apenas de uma parte do terminal. Sobre as esteiras, Camargo disse que elas já foram compradas e que a previsão de entrega é para o final do mês de agosto e o início de funcionamento na primeira quinzena de setembro. O final da reforma do aeroporto está programada para agosto.

Fonte: A Cidade - Foto: J.F.Pimenta/A Cidade

Último dia do cinema no Aeroporto Salgado Filho

Fim do AeroGuion

A sessão das 20h25min de "A Jovem Rainha Vitória", hoje, no AeroGuion 1, é anunciada como a ultima do complexo de três salas em operação no Aeroporto Salgado Filho desde novembro de 2004.

O contrato de concessão do espaço, firmado entre a Infraero e o proprietário da rede Guion, Carlos Schmidt, não foi renovado. Segundo alega o órgão estatal, a razão é a necessidade de obras de ampliação do terminal, tendo em vista reforma exigidas para a Copa do Mundo de 2014, que terá Porto Alegre como uma das sedes.

Na página da rede no Facebook (Guion Cinemas) existe um link para manifestos junto à Infraero.

O AeroGuion, graças a sua proximidade com o centro urbano, se consolidou como um espaço de fácil e rápido acesso para os cinéfilos que buscam uma programação diferenciada.

Fonte: Zero Hora

ERRATA:

Corrigindo a informação que o AeroGuion era o único cinema instalado dentro de uma aeroporto no Brasil, informo que o Aeroporto de Brasília também conta com um cinema, o Cine Academia Aeroporto, localizado no 2º piso, junto à praça de alimentação, conta quatro salas de exibição. Agradeço ao leitor Leonardo Gois pela informação, apesar do uso do termo "mentira". "Incorreto" seria mais apropriado.

Serviço:

Cine Academia Aeroporto
Endereço: Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek
Telefone para contato: (61) 3364-9566

Aeroportos da Copa estão sem projetos, diz Infraero

Documento da Infraero mostra que, dos 13 aeroportos que passarão por obras em 12 cidades-sede até a Copa do Mundo de 2014, quatro nem sequer contam com projetos até agora. Um número ainda maior de aeroportos do pacote (sete) têm o início das obras programado entre janeiro de 2011 e fevereiro de 2012, a pouco mais de um ano da Copa das Confederações, torneio que antecede a Copa.

A estatal que controla os aeroportos do País prevê ainda um intervalo de apenas seis meses entre o início da elaboração do projeto, recém licitado, e o início das obras do terceiro terminal de passageiros do aeroporto internacional de Guarulhos. Essa é a obra mais cara do pacote destinado às sedes da Copa e seu cronograma - difícil de ser cumprido - dá uma ideia dos riscos de os investimentos de R$ 5 bilhões programados pelo governo até 2014 não ficarem prontos a tempo. No intervalo de seis meses previsto no cronograma do aeroporto de Guarulhos, os projetos terão de ser detalhados e uma nova licitação precisará ser feita para a obra bilionária.

O único aeroporto que já tem obras iniciadas é o Galeão, no Rio de Janeiro, mas já com atraso registrado em relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). Entre os aeroportos que receberão investimentos por causa da Copa, o novo aeroporto de Natal, São Gonçalo do Amarante, enfrenta situação particular. Por ora, a obra da pista avança sem definição de quem vai construir e operar o terminal de passageiros para o embarque e o desembarque dos voos. O aeroporto será objeto de concessão à iniciativa privada - a primeira do país -, cujo modelo ainda passa por definição no governo.

Fonte: jornal O Estado de S. Paulo

Adesivos que destacam sua mala, mas podem trazer problemas no aeroporto

Com adesivos assim você nunca mais deve ter dificuldade em identificar sua mala nas esteiras de bagagem, onde várias são tão parecidas. Em compensaçao, nada garante que você passe despercebido pelas autoridades do aeroporto, já que eles simulam pacotes de drogas, muito dinheiro e até uma refém (!). Por via das dúvidas, o fabricante avisa: "Alguns destes adesivos podem ofender funcionários do aeroporto e da imigraçao". Veja um deles em destaque e outros mais abaixo.


Fonte: Adland.com via Debora Schach (Blue Bus)

OVNI visto no céu da China pode ser míssil, diz especialista americano

Geoffrey Forden analisou vídeos e imagens do disco luminoso.

Objeto fez aeroporto de Xiaoshan atrasar 18 voos no dia 7 de julho.


O objeto luminoso que sobrevoou o céu de Hangzhou, na China, e aparentemente fez com que o aeroporto de Xiaoshan quase fosse fechado no dia 7 de julho não era a nave de visitantes de outro planeta. Assim acredita um especialista em armas e aeronaves do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, dos Estados Unidos.

Depois de assistir a diversos vídeos sobre a aparição do ovni, Geoffrey Forden concluiu que o disco luminoso é na verdade um foguete e que a região onde ele foi visto não é na China, mas sim no Cazaquistão.

“Me parece que um foguete ou míssil DF-21 foi lançado em Jiuquan, na China, e visto numa região do deserto, sendo considerado um objeto voador não identificado”, escreveu Forden em um blog.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução/ABC News

Que tal uma soneca no aeroporto por 30 dólares a hora?

Depois da 'Sleep Box' em Paris, nota anterior, mais um conceito parecido no aeroporto de Atlanta, no estado da Geórgia, nos EUA.

O 'Minute Suites' é um micro hotel que permite aos viajantes tirarem uma soneca por US$ 30 a hora em quartos bem pequenos, mas longe do barulho e da confusao. O preço parece uma loucura no início, até você se lembrar que na última vez que esteve preso em um aeroporto, lotado de gente com gripe, em meio a espirros ou numa escala horrível, de repente, 90 dólares para uma sesta tranquila de 3 horas parece OK. Duas coisas: massagens não estão incluídas e tem que se comportar lá dentro. Que tal?

Fonte: brandflakesforbreakfast.com via Debora Schach (Blue Bus)

TAM oferece nova opção na reserva de passagens pelo site

A TAM Linhas Aéreas acaba de lançar um novo serviço on-line para passageiros que precisam viajar para mais de um destino. O serviço de bilhetes multissegmento pelo site www.tam.com.br oferece ao passageiro a opção de busca de voos e tarifas para vários aeroportos em apenas uma transação. Anteriormente, era necessário efetuar compras distintas para cada trecho. Assim, a ferramenta facilita a vida do cliente que vai viajar para mais de um destino, que deseja realizar paradas em outro aeroporto antes de retornar ao destino final ou que necessita retornar de um aeroporto diferente.

Para sair de Porto Alegre, ir para Aracaju e, depois, para Manaus, por exemplo, o passageiro acessa o site da TAM e, na área reservada à aquisição de passagens, clica na opção "várias cidades", conforme mostra a imagem abaixo. Em resposta, o sistema apresenta uma única tela para preencher com todos os destinos desejados e as datas em que se pretende realizar a viagem. Em seguida, pesquisa os voos disponíveis e os preços e já devolve ao cliente as opções de compra.

Fonte: Brasilturis

Aeródromos precários sem verba de recuperação no Amazonas

Cinco dos 11 terminais apontados como irregulares pela Anac ainda acumulam problemas.

Pelo menos cinco dos 11 aeródromos de municípios do Amazonas apontados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como irregulares, em fevereiro do ano passado, continuam acumulando problemas de infraestrutura, como deterioração de pistas, danos à grade de segurança e falta de equipes e equipamentos de combate a incêndio.

Os aeródromos apontados no relatório da Anac foram os dos municípios de Parintins (foto), Maurés, Santa Isabel do Rio Negro, Manicoré, Eirunepé, Lábrea, São Paulo de Olivença, Humaitá, Borba e Fonte Boa. O Comando Aéreo Regional da Amazônia (Comara) informou que já realiza obras de adequação em cinco desses terminais.

De acordo com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinf), não há recursos suficientes no Estado para a melhoria dos aeródromos. O gerente de obras do interior da Seinf, Mario Jorge Dutra, disse que o Governo do Amazonas fez um estudo para determinar o valor necessário para a recuperação dos aeroportos e solicitou os recursos ao Ministério de Defesa.

A verba, estimada inicialmente em R$ 42 milhões, foi repassada para o Comara que, segundo Dutra, constatou que o valor seria suficiente para reformar só seis dos 11 aeródromos. “Agora o Estado está tentando buscar a verba para a reforma dos outros cinco aeródromos com o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), no valor estimado em R$ 110 milhões, mas ainda não há previsão”,afirmou o gerente.

De acordo com a Comara, a Seinf determinou que fossem priorizados os aeródromos de Parintins, Maués, Barcelos, Santa Izabel do Rio Negro, Manicoré e Eirunepé para aplicação de recursos. Segundo o comando, foram concluídas as Seções de Combate a Incêncido de Eirunepé e, até setembro, outras quatro seções devem ser concluídas. As obras nas pistas de Maués, Manicoré e Barcelos têm previsão de conclusão para o final de 2010. A construção da pista do aeródromo de Santa Izabel do Rio Negro está prevista para ser finalizada no primeiro semestre de 2012.

Caótico

De acordo com o presidente da Associação Amazonense de Municípios, Jair Souto, a situação nos aeródromos é caótica. “Na prática a administração dos aeródromos é delegada aos municípios, mas os municípios não têm verba o suficiente para investir nas melhorias necessárias. Isso dificulta o desenvolvimento de todo o interior”, frisou.

A Secretaria de Infraestrutura de Humaitá informou ter consultado a Anac e o governo do Estado no início do ano para tentar resolver o problema, mas não obteve sucesso.

Fonte: d24am.com - Foto: Raimundo Valentim

Aeroporto de Joaçaba (SC) é fechado até agosto para reforma

Pousos e decolagens serão transferidos para aeroporto em Caçador

O Aeroporto Santa Teresinha, em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense, ficará fora de operação até o dia 1º de agosto para obras de reforma na pista. Os pousos e decolagens serão transferidos para o Aeroporto Carlos Alberto da Costa Neves, em Caçador. A empresa NHT, que opera os voos, ficará responsável pelo deslocamento dos passageiros e também custeará as despesas extras.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a paralisação temporária. A previsão inicial era que a obra fosse concluída até 26 de julho, mas, em virtude do mau tempo, o prazo foi estendido.

Os trabalhos incluem a colocação de um microrevestimento de 16 milímetros em toda a extensão da pista, que é de 1.280 metros. Um projeto para instalação de equipamentos de Renave/GPS, que servem para operação em condições climáticas desfavoráveis, também está em andamento. A ideia é mapear as necessidades para, depois, adquirir e instalar os instrumentos no aeroporto.

O investimento total chega à casa dos R$ 488 mil, divididos entre a revitalização da pista e a contratação do projeto.

Fonte e foto: Daisy Trombetta (Diário Catarinense)

Juizado especial nos aeroportos começa a funcionar nesta sexta

Inicialmente funcionarão em cinco aeroportos, de São Paulo, Rio e Brasília.

Intenção é resolver sem advogados problemas de passageiros com voos.


A partir da próxima sexta-feira (23) começam a funcionar em cinco aeroportos brasileiros juizados especiais para solucionar problemas de passageiros referentes ao transporte aéreo. Os juizados terão por objetivo resolver questões como atrasos e cancelamentos de voos e extravio, violação ou furto de bagagem, sem a necessidade da presença de um advogado.

Criados por meio de uma decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os juizados serão instalados nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Congonhas e Guarulhos, em São Paulo e no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília. Os juizados vão funcionar em salas cedidas pela Infraero, com funcionários das Justiças estaduais. O número de juizados pode aumentar, caso a experiência dê certo.

De acordo com o corregedor nacional de Justiça, ministro Gilson Dipp, a medida foi tomada devido às dificuldades que os órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) têm para resolver os problemas do sistema aéreo.

Com a instalação dos juizados, os passageiros ganham uma instância mais rápida para tentar resolver seus problemas, afirma Dipp. Em caso de problema com o extravio de uma mala, por exemplo, o passageiro poderá prestar queixa no juizado especial e tentar um acordo com a empresa. Se o problema não for resolvido, o caso vira uma ação judicial, registrada no próprio aeroporto.

“Se todos os órgãos institucionais estivessem funcionando a contento, a necessidade de um juizado especial para diminuir conflitos seria desnecessário. De toda a forma, a Anac é uma empresa reguladora, nem sempre teria condições de fazer uma fiscalização efetiva. Mas o que se demonstrou, tanto em 2007 quando agora, é que esses órgãos não estão atendendo a todas as demandas que lhe são apresentadas. A presença da Justiça é emblemática. Só o fato de o consumidor, do usuário, saber que ali está uma unidade do Judiciário, já vai apaziguar os aeroportos”, acredita Dipp.

Segundo Dipp, juizados deverão funcionar 24 horas por dia, seja com a presença de um juiz ou de um conciliador. As companhias aéreas terão de indicar um funcionário com autoridade para resolver os problemas. Ainda nesta terça-feira, Dipp se reúne com os representantes das empresas aéreas para finalizar os detalhes da instalação dos juizados.

“A nossa intenção é que funcione 24 horas, atendendo também a demanda daqueles passageiros que chegam e partem durante a madrugada, e que neste horário não está presente nem a Anac, muitas vezes a Infraero precariamente, e as companhias com alguma dificuldade de treinamento dos funcionários, o que dificulta o atendimento”, disse o ministro.

Fonte: Iara Lemos (G1)

US Airways registra lucro de US$ 235 mi no primeiro semestre

A companhia aérea US Airways informou hoje que nos primeiros seis meses do ano conseguiu se recuperar economicamente e registrou um lucro de US$ 235 milhões, frente aos US$ 45 milhões de perdas do mesmo período de 2009.

A companhia americana detalhou que entre janeiro e junho de 2010 conseguiu um lucro líquido por ação de US$ 1,23, contra US$ 0,38 por título que perdeu em intervalo igual no ano precedente, favorecida sobretudo pelos sólidos resultados que obteve no segundo trimestre deste ano.

Nos primeiros seis meses de 2010, a US Airways experimentou um aumento de seus ingressos de 14%, e seu faturamento total chegou a US$ 5,821 bilhões.

No referente ao segundo trimestre do ano, o período que mais interesse desperta nos analistas americanos, a US Airways conseguiu que seu lucro subisse para US$ 279 milhões (US$ 1,41 por ação), frente aos US$ 58 milhões (US$ 0,42 por título) do mesmo trimestre de 2009.

Os resultados da US Airways seguem a tendência positiva apresentada pelas outras companhias aéreas americanas que já apresentaram seus balanços.

Fonte: EFE via Yahoo! Notícias

Gol negocia codeshare com empresas aéreas regionais no Brasil

A Gol está negociando acordos de compartilhamento de voos com companhias aéreas de menor porte no Brasil (codeshare), afirmou nesta quinta-feira seu presidente-executivo, Constantino de Oliveira Junior.

O objetivo, disse o executivo à Reuters, é capturar parte do crescimento na demanda de passageiros gerada fora dos grandes centros em que a Gol já está presente.

Segundo ele, a Gol não tem interesse em aquisição de uma companhia aérea regional a exemplo da compra da Pantanal pela TAM no final do ano passado.

"Nosso orçamento se limita a alianças... O melhor neste momento é manter o foco", disse Constantino Junior. "Ainda há muita oportunidade para nosso modelo de negócios com frota padronizada e de captura de mercado com melhoria do nosso produto", acrescentou.

As negociações da Gol acontecem em um momento de forte expansão na participação de mercado de companhias aéreas de menor porte como Azul, WebJet e Trip.

Nesta semana, a Azul anunciou a compra de 20 aviões turboélice da francesa ATR, um contrato de 850 milhões de dólares incluindo opções, numa estratégia de reforçar sua operação trazendo passageiros a partir de um raio de até 800 quilômetros de suas principais bases.

Na avaliação de Constantino Junior, "o anúncio da Azul é uma iniciativa muito positiva para a indústria. A aviação regional é muito importante para alimentar os voos troncais".

O executivo afirmou ainda que não vê cenário para uma nova guerra de preços como a ocorrida no final do terceiro trimestre de 2009 e que ajudou a puxar uma alta de 42 por cento na demanda em outubro passado na comparação anual.

A expansão do tráfego aéreo no Brasil em junho, que sofreu uma ligeira desaceleração em relação ao ritmo de meses anteriores, se normalizou na segunda quinzena de julho, disse o executivo. O yield, que representa o valor médio pago por um passageiro para voar um quilômetro, tem se mostrado "até um pouco acima da expectativa", disse Constantino Junior.

A Gol deve lançar em setembro um novo voo no Brasil, ligando Belo Horizonte e Montes Claros (MG). No mercado internacional, onde a empresa atua no Caribe e América do Sul, o executivo afirmou que não vê condições de a empresa ampliar destinos, mas pode aumentar as frequências dos voos.

Lojas físicas

Enquanto negocia com companhias aéreas locais e expande sua malha no Brasil, a Gol também trabalha para transformar sua experiência com loja física própria, instalada em uma região de comércio popular de São Paulo, em uma rede que deve ter mais 4 ou 5 lojas até o fim do ano.

"Estamos no final da fase de experiência. A ideia é usar um formato de franquia para essas lojas", disse o presidente da Gol, acrescentando que a intenção do grupo é ter pelo menos uma loja em cada grande centro do país. Atualmente, 92 por cento das vendas da companhia ocorrem pela Internet. "Precisamos estar mais próximos dos clientes", comentou.

Copa

Sobre a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, Constantino Junior afirmou que o governo precisa de foco para não perder os prazos das várias obras para aumentar a capacidade da infraestrutura aeroportuária.

"Sem dúvida que exige foco, temos que deixar o sinal de alerta alto ligado. Provavelmente antes da Copa do Mundo já atingiremos o limite dos aeroportos", disse, citando que a demanda aérea está crescendo a um ritmo de 3 vezes o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Perguntado se há condições para a preparação dos aeroportos das 12 cidades-sede a tempo para a Copa, Constantino Junior respondeu que "é possível, mas dado o histórico (de investimentos no setor), preocupa".

Segundo o executivo, o "negócio da Gol é transporte de passageiros", mas a empresa está aberta para eventuais oportunidades de participar de terminais privados de passageiros. "Temos condições, disposição de participar se houver necessidade de participação da iniciativa privada. Estamos à disposição, mas não tivemos conversas com o governo sobre isso."

Fonte: Alberto Alerigi Jr. e Guillermo Parra-Bernal (Reuters) via O Globo

Guarulhos e MP pedem compensação ambiental a empresas aéreas

O Ministério Público Federal instaurou 42 inquéritos civis contra empresas aéreas solicitando que sejam apurados danos causados pela emissão de dióxido de carbônico (CO²) em operações de pousos e decolagens realizadas no aeroporto de Cumbica. Os inquéritos foram instaurados a pedido da prefeitura de Guarulhos.

A prefeitura propõe a criação de um fundo de compensação ambiental que permitiria aumentar a área coberta por florestas na cidade de 30% para 45% do território. A compensação seria utilizada para remover famílias e favelas de Áreas de Proteção Permanente (APP), e para a recuperação de nascentes, córregos e matas ciliares.

Pela proposta, o fundo contaria com a participação de representantes da sociedade civil, universidades, governo municipal e Ministério Público. “Nossa proposta é que seja estabelecida uma forma de compensação ambiental para equilibrar o impacto causado pelas aeronaves, e que ao mesmo tempo ajude o poder público local a amenizar a situação”, diz o secretário de Meio Ambiente de Guarulhos, Alexandre Kise.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos indicam que as aeronaves chegam a despejar anualmente 14,4 milhões de toneladas de CO² no céu de Guarulhos em operações de pouso e decolagem.

Segundo a prefeitura de Guarulhos, Cumbica recebeu cerca de 21 milhões de passageiros e transportou 425 milhões de toneladas de cargas em 2009.

Fonte: copa2014.org.br

Passagem aérea tem menor valor em abril desde 2002

Segundo dados da Anac, o preço médio por voo atingiu R$ 256,13, redução de 7,5% ante o valor registrado em março

Viajar de avião nunca foi tão barato no Brasil em abril quanto neste ano. O preço médio de uma passagem área no mercado doméstico atingiu R$ 256,13 no período, uma queda de 7,5% em relação ao mês de março e de 23,5% na comparação com abril do ano passado. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nesta quinta-feira.

O preço médio é o menor registrado em um mês de abril desde 2002, quando a Anac iniciou o levantamento, em todos os meses de 2010. A queda nos preços se deve à maior concorrência do setor, afirmou a Anac, em nota. A agência também levantou o preço médio pago por passageiro para cada quilometro voado, o chamado indicador Yield. Em abril, o valor atingiu R$ 0,39, um recuo de 7,4% em relação a março.

Nos quatro primeiros meses do ano, o preço por quilômetro voado foi de R$0,40 e o valor médio do bilhete aéreo foi de R$ 272,44.

Fonte: Marina Gazzoni (iG)

Webjet anuncia contratação de novos diretores

A Webjet Linhas Aéreas anunciou hoje (22) a contratação de dois novos diretores: Fernando Sporleder, que entra como vice-presidente de Operações, tendo como responsabilidade as áreas de Operações, Aeroportos, Security, Safety e Manutenção; e André Fernando de Almeida, que ficará responsável pelas áreas de Vendas e Marketing, reportando-se a Fábio Godinho, que assume a vice-presidência de Rentabilidade e Mercado.

Sporleder é formado em administração de empresas com gestão em marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e já atua no meio da aviação há 30 anos, tendo passado por empresas como Gol e Vasp. Já Almeida é formado em economia e possui pós-graduação em marketing e MBA pela Mcquarie University, em Sidney, na Austrália.Godinho, que possui MBA pela Ibmec e pós-graduação na Kellogg School of Management e já integra o corpo de colaboradores da empresa há um ano e meio, ficará responsável pelas áreas Financeiras, Comercial/Marketing, Planejamento/Yield, TI/Processos, Gente e Jurídica.

A nova estruturação tem como finalidade dar suporte ao planejamento de crescimento da companhia, consolidando-se cada vez mais com os conceitos "low cost low fare".

Fonte: Mercado & Eventos

Receitas complementares das cias. aéreas crescem 43% em 2009

As receitas complemetares das companhias aéreas constituidas por serviços que anteriormente estavam incluidos nos preços dos bilhetes, como refeições a bordo ou bagagens, aumentaram em 43%, para 11 mil milhões de euros em 2009, indicam os resultados preliminares do Amadeus Guide to Ancillary Revenue by IdeaWorks.

Os resultados, obtidos da análise de 96 companhias aéreas indicam que o volume de negócio das receitas complementares cresceu 3,32 bilhões de euros o que reflete a tendência para "novos fees a la carte e novos serviços comissionados".

A Amadeus indica ainda que em 2009 as receitas complementares, que incluem taxas de bagagens, vendas de refeições a bordo, comissões de vendas de alojamento, alugueis de carros ou seguros de viagens nos seus sites e receitas dos parceiros geradas pelos programas de passageiros frequentes, tornaram-se "cruciais para todos os tipos de companhias aéreas, das maiores às mais pequenas, de regionais a globais e de low-costs a full service".

A norte-americana United Airlines foi a companhia que obteve a maior receita complementar em 2009, com aproximadamente 1,53 bilhões de euros aumentando as vendas em cerca de 300 milhões face a 2008, seguida de perto da American Airlines com 1,5 bilhões e que em 2008 tinha ficado em primeiro lugar com 1,65 bilhões de euros.

O terceiro lugar do ranking continua a pertencer à Delta Airlines com 1,11 bilhões, menos 80 milhões que em 2008 seguida pela Qantas com 782,9 milhões, da Ryanair com 663,6 milhões, da easyJet com 608,79 milhões, da Us Airways com 540,59 milhões, Air Canada com 534,1 milhões, Alaska Airlines com 368,86 milhões e a brasileira TAM com 356,74 milhões de euros.

Fonte: Turisver (Portugal)

Continental Airlines reverte prejuízo e tem lucro US$ 233 milhões

A companhia aérea americana Continental Airlines reportou lucro de US$ 233 milhões no segundo trimestre, revertendo um prejuízo de US$ 213 milhões apurado em igual período do ano passado.

Nessa base de comparação, o lucro operacional da companhia teve crescimento de US$ 482 milhões, chegando a US$ 328 milhões, na sequência de um avanço de 18,6% na receita do grupo, que somou US$ 3,7 bilhões no período.

De acordo com a empresa, que anunciou em maio uma fusão com a United Airlines, o yield (indicador do valor médio pago pelos passageiros por quilômetro de voo) no trimestre marcou um incremento de 17,3%.

Apesar dos resultados positivos, a empresa levantou dúvidas sobre o que vai acontecer com o fim das férias de verão nos Estados Unidos. Segundo a companhia, a antecipação de reservas está entre 1 e 2 pontos percentuais abaixo do ritmo de um ano antes.

A Continental também apontou uma "modesta melhora" na demanda por viagens no segmento de negócios.

Fonte: Eduardo Laguna (Valor Online, com agências internacionais) via O Globo

Embraer e Air Lease fecham acordo para até 20 E-Jets

A Embraer e a Air Lease Corp., recém-criada empresa de financiamento, compra e leasing de aeronaves, liderada por Steven Udvar-Házy, figura emblemática no mundo da aviação, assinaram hoje, no 47º Show Aéreo Internacional Farnborough, na Inglaterra, uma Carta de Intenções (Letter of Intent – LOI) para a venda de 15 Embraer 190. Cinco das 15 ordens são re-confirmáveis e o negócio inclui ainda cinco opções, representando potencial de venda de até 20 aeronaves E Embraer 190.

‘‘Temos orgulho de nos tornarmos parceiros de Steven Udvar-Házy, fundador da Air Lease Corp., em seu novo desafio aeronáutico’’, afirma Paulo César de Souza e Silva, vice-presidente executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Comercial. “Sua reconhecida experiência profissional na aviação, juntamente com as qualidades da nossa família de E-Jets, serão fatores decisivos no sucesso da nova companhia.”

O Embraer 190, uma nova e moderna aeronave que entrou em operação em agosto de 2005, é o terceiro de quatro modelos da família E Embraer 170/190 de E-Jets. O jato pode ser configurado em uma ou duas classes, acomodando de 98 a 114 passageiros em dois assentos de cada lado do corredor e sem poltrona do meio, podendo voar até 4,448 km (2,400 milhas náuticas) sem escalas.

“Temos acompanhado a crescente demanda de mercado para o Embraer 190 há vários anos. Estamos hoje totalmente convencidos que trata-se da aeronave certa não somente para a aviação regional, mas que devido à grande economia, atratividade para o passageiro e confiabilidade, também representa uma importante parcela das operações das companhias aéreas que operam nas rotas principais”, disse John L. Plueger, presidente e chefe de operações (COO) da AirLease. “É uma satisfação incorporar este produto ao nosso portfólio de leasing operacional para o benefício dos nossos clientes em todo o mundo.”

A Air Lease Corp. foi criada em 2010 em Los Angeles, Califórnia. Conta com uma equipe composta por pioneiros da indústria da aviação, que possuem mais de 30 anos de relações de confiança com clientes. A Air Lease é liderada pelo presidente do Conselho de Administração e CEO Steven Udvar-Házy. Sua missão é apoiar as operações de leasing, venda e financiamento de frotas de aeronaves comerciais.

Fonte: Portal Fator Brasil

MAIS

Air Lease Corp encomenda 51 aeronaves da família A320 da Airbus

A recente revivida companhia de leasing de aviação Air Lease Corp. informou nessa segunda-feira, dia 19, que encomendou 51 aeronaves da família A320 da Airbus.


O pedido inclui 31 aeronaves A320 e 20 A321-20, conforme disse o Presidente da Air Lease Corp, John Plueger, durante uma conferência de imprensa no Farnborough International Air Show.

Com base no preço de tabela da Airbus, a encomenda pode chegar à US$ 4,43 bilhões. Os usuários da Airbus podem eventualmente obter descontos nos pedidos como este de grandes unidades.

A Air Lease Corp.foi formado recentemente, com a equipe de direção que falhou com a International Lease Corp, sob a liderança de Steve Udvar-Hazy. Esta é a primeira encomenda da ALC desde que foi reformada.

As entregas começarão em 2011, disse Plueger. A Air Lease Corp. está adquirindo a mais recente geração de A320 que poderá ser equipada com os novos dispositivos de economia de combustível “sharklets”- um modelo de wingtip que oferece um desempenho melhorado de alcance e de capacidade de carga.

Fonte: cavok.com.br

Aeroportos franceses voltam à normalidade após greve de controladores

Os aeroportos da França retomaram nesta quinta-feira a normalidade após a conclusão nesta manhã da greve de controladores aéreos, que provocou inúmeras perturbações e cancelamentos durante toda a quarta-feira.

"O tráfego voltou à normalidade" desde começo da manhã, afirmou à Agência Efe um porta-voz da Direção Geral da Aviação Civil francesa (DGAC).

O protesto finalizou entre às 5h e às 7h da manhã no horário local (0h e 2h de Brasília), após o revezamento das últimas equipes de controladores aéreos que acabaram a mobilização.

Durante a greve, apenas operaram 50% dos voos programados no aeroporto de Orly, o segundo mais importante de Paris, enquanto no de Roissy Charles de Gaulle, o mais ativo do país, o percentual de cancelamentos foi de 10%.

Outros aeroportos como os de Toulouse, Beauvais, Marseille, Nice, Lyon e Bordeaux também sofreram as consequências da terceira greve neste ano dos controladores aéreos franceses contra da reorganização do espaço aéreo reunificado na União Europeia (UE).

Convocada por sindicatos minoritários, a paralisação ocorreu dentro das normas previstas pela Aviação Civil.

Fonte: EFE/EPA

Companhia aérea dos Correios depende de Lula

Ministérios das Comunicações já aprovou a criação do braço de logística que terá sócio privado

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) está com um projeto finalizado nas mãos para montar sua própria empresa aérea voltada ao transporte de carga. Com valor total estimado em US$ 400 milhões, o plano dos Correios inclui a aquisição de uma frota de 13 aviões usados do porte de um Boeing 757, com preço médio de US$ 30 milhões por aeronave. A ideia é os Correios recorrerem a apoio financeiro do BNDES.

Para ser dono do negócio, a ECT vai montar uma subsidiária de logística em parceria com um sócio do setor privado. No plano original dos Correios, enviado há alguns meses ao Ministério das Comunicações (MC) e ao Executivo, a ideia era transformar a estatal em uma sociedade anônima (SA), mas essa opção já foi descartada.

"Desistimos dessa opção. Houve rejeição dos sindicalistas, que temiam perder a estabilidade dos funcionários, mas eles não entenderam qual era a nossa proposta, acharam que iríamos abrir capital em bolsa, o que não é a intenção", disse ao Valor o presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio.

O projeto atual é manter os Correios 100% estatal, mas com participação em uma empresa de logística aérea. Na operação, a ECT quer ser o sócio minoritário, com uma fatia de 49%. O parceiro - uma companhia aérea ou um consórcio de aéreas - fica com 51%. O sucesso do negócio, segundo Custódio, depende do sinal verde do MC e do Executivo. O governo deve publicar uma Medida Provisória que permita aos Correios montar a subsidiária. Pelo modelo atual, a ECT não tem autorização para isso.

José Artur Filardi, ministro das Comunicações, diz que o aval do MC está dado. "Esse é o caminho viável para dar condições aos Correios de concorrerem de igual para igual com os outros", disse Filardi. "O que se aguarda agora é a palavra final da Presidência [da República]." Ou seja, a decisão está nas mãos do presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Atualmente, a ECT gasta R$ 350 milhões por ano com o aluguel de aeronaves. A frota, que pertence a empresas como Airbrasil, Beta, NTA e Rio, soma nove aviões de médio e grande porte. Nas regiões Norte e Nordeste, a distribuição dos Correios se apoia em mais oito aeronaves pequenas. Boa parte dos aviões usados, segundo Custódio, são antigos e consomem muito combustível.

Outro problema é que cada contrato com fornecedor está limitado a uma determinada rota e horário. "Hoje temos uma média de 12 horas de transporte aéreo diário", diz Carlos Henrique Custódio. "Com nossos próprios aviões, teremos quase 24 horas de voo, com um mínimo de interrupção."

No projeto dos Correios está a proposta de comprar aeronaves que tenham cerca de 15 anos de voo, usadas por passageiros, para então adequa-las ao transporte de cargas. "Temos de deixar de ser os Correios para nos tornarmos uma empresa de logística", diz Custódio. "Hoje usamos um modelo de transporte aéreo que atende, mas que tem riscos e limita a expansão dos serviços."

A reestruturação dos Correios tem sido cobrada insistentemente pelo presidente Lula. No início do ano, a ECT enfrentou uma forte crise em seu transporte de cargas depois que, repentinamente, uma série de aeronovaes deixou de voar. Custódio reconhece a gravidade do problema, mas afirma que boa parte de sua causa deve-se à lentidão para fazer novas contratações.

Nos últimos meses, a ECT tem sido alvo constante de reclamações sobre atrasos. Em meio à pressão que paira sobre a empresa, chegou a ser cogitada a troca de toda a sua diretoria, o que não ocorreu. Na semana passada, o governo exonerou Marco Antonio Oliveira, que ocupava a diretoria de operações dos Correios. As dificuldades atuais da estatal incluem ainda a necessidade de resolver a situação dos contratos com 1,5 mil franqueados, que foram licenciados sem licitação (ver abaixo).

Enquanto tenta resolver seus problemas internos, a ECT vê crescer o apetite da concorrência. Na área de logística, multinacionais como FedEex, DHL e UPS têm ampliado regularmente suas operações no país, sem contar o peso de empresas nacionais como Cometa, TAM Cargo, TNT e VarigLog. "Não é uma equação simples. Hoje empresas como FedEx e DHL têm 500 aviões cada. No Brasil, nós temos mais de 2 mil concorrentes", diz Custódio. Com o monopólio do transporte de cartas e informes bancários, os Correios tentam se mexer para crescer no transporte de encomendas. "Hoje temos 35% do mercado de entrega expressa. Em cidades como Rio e São Paulo, os 'motoboys' são os grandes concorrentes."

As mudanças na ECT, diz o ministro das Comunicações, José Artur Filardi, são vitais para o sucesso da operação, mas é preciso lembrar que não acontecem de uma hora para a outra. "Não é só a publicação da MP que vai resolver os problemas. As coisas não mudam da noite para o dia."

Pelas projeções dos Correios, a subsidiária de logística aérea da empresa tem condições de operar em um ano, a partir do momento em que o governo bater o martelo.

Fonte: André Borges (Valor Online) via Fórum Contato Radar - Imagem: Reprodução