sábado, 26 de junho de 2010

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

O McDonnell Douglas MD-83 (DC-9-83), prefixo N862GA, da Allegiant Air, decolando da pista 7L, "direto para a Lua", do Aeroporto Internacional Las Vegas-McCarran (LAS/KLAS), em Nevada, nos EUA, em setembro de 2009.

Foto: Randall Johnson (Airliners.net)

Especialista descarta falha no mecanismo anti-colisão em aeronave da TAM que fez manobra de desvio

Uma falha da torre de controle ou mesmo um erro do piloto pode ter sido o motivo que obrigou um avião da TAM a fazer uma manobra evasiva no aeroporto de Congonhas nesta quinta-feira, segundo análise do especialista e assessor de voo da área privada, Roberto Peterca, entrevistado no Jornal Gente.

Segundo Petreca, a chance de falha no TCAS, mecanismo anti-colisão da aeronave, é remota, pois o aparelho é moderno e passa por revisões constantes.

A mudança brusca para evitar o acidente aconteceu no voo 3717, que seguia de Brasília a São Paulo. Técnicos da Aeronáutica vão analisar os equipamentos e gravações de voz do avião para descobrir como as aeronaves estavam na mesma rota.

Fonte: Marielly Campos (eBand/Rádio Bandeirantes)

Aviadora: Angelina Jolie pilota avião


Angelina Jolie optou por um programa diferente para cutir ao lado da filha, Shiloh, fruto de seu relacionamento com o ator Brad Pitt. Segundo site de entretenimento norte-americano Pop Sugar, a atriz de Sr. e Sra. Smith pilotou ao lado da filhota e foi clicada enquanto taxiava em uma pista de Los Angeles na última sexta-feira, dia 25.

Recentemente Angie, que é Embaixadora da Boa Vontade de ONU, esteve na América do Sul e visitou refugiados no Equador. Como o 'Estrelando' já te contou, essa não é a primeira vez que a atriz se aventura pelos ares. Desde 2009 ela faz aulas para pilotar.

Fonte: Estrelando - Foto: Pop Sugar

Infraero finaliza obras no Setor A do Galeão (RJ)

A Infraero entregou anteontem (quinta, dia 24) mais uma etapa das obras de revitalização do Terminal de Passageiros 1 do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão – Antonio Carlos Jobim. O embarque doméstico do Setor A (antigo Setor Verde) foi totalmente modernizado, em uma obra que teve início em abril e recebeu investimentos de R$ 4,6 milhões. A informação é da Infraero.

O Setor A tem área de 15 mil m2 e possui cinco canais de inspeção. A reforma incluiu troca do forro e das luminárias, instalação do granito das colunas, nova sinalização vertical e 1.436 novos assentos, entre outras melhorias.

Além do setor A, as salas B e C – que também já tiveram as obras de modernização concluídas este ano – receberão, inicialmente, alimentadores de energia para carregadores de celulares e laptops.

Setor B – Internacional

E desde anteontem também, o Setor B está fechado para adaptações. A área reabrirá novamente no dia 1º de julho, como embarque internacional. Desta forma, o Terminal de Passageiros 1 do Galeão contará com três setores de embarque, sendo dois internacionais e um doméstico. Isto representa um aumento de 12.400m2 (42% do espaço total), correspondentes ao Setor C, que estava fechado desde 2003.

“A modernização das áreas dos saguões de embarque proporcionará mais conforto e agilidade operacional ao aeroporto”, afirmou o superintendente do aeroporto, André Luis Marques de Barros.

Ao todo, o investimento na reforma das áreas restritas dos três setores é de R$ 12,5 milhões. Além do Terminal 1, o Terminal de Passageiros 2 do Aeroporto do Galeão está sendo concluído. As duas obras estão orçadas em R$ 566,5 milhões.

Fonte: Portal Panrotas - Fotos: Divulgação/Infraero

Aerolíneas terá rota "Corredor Norte" na Argentina

A Aerolíneas Argentinas desenvolveu e lançou uma nova rota argentina chamada “Corredor Norte”. Desde o aeroporto metropolitano Jorge Newbery, em Buenos Aires, a empresa irá unir os destinos Iguazú, Salta, Mendoza e Bariloche. Estes voos vão começar a operar a partir de 18 de agosto, com quatro voos semanais – dois de Iguazú e dois de Bariloche.

A partida dos voos do Aeroparque será às 8h05 para chegar a Iguazú às 9h50, daí parte às 10h30, chegando em Salta às 12h20, saindo às 12h55 com destino para Mendoza, chegando às 14h40 e decolando para Bariloche às 15h15, com o horário de chegada às 16h55. Por fim, o voo partirá de Bariloche às 17h25 para chegar no Aeroparque às 19h40.

Os voos com Bariloche como primeiro destino vão sair do Aeroparque às 6h10 e chegam às 8h30. Partirão às 9h10 com destino a Mendoza, onde chegarão às 10h50, com partida às 11h25. Chegarão a Salta às 13h15 e vão sair às 13h50 para Iguazú, onde chegarão às 15h40. Por fim, sairão de Iguazú às 16h20 para chegar ao Aeroparque às 18h10.

Fonte: Portal Panrotas

Quatro pessoas morrem em ataque aéreo no Paquistão

Pelo menos quatro pessoas morreram neste sábado em novo ataque com mísseis supostamente lançados por um avião não-tripulado dos EUA na região tribal paquistanesa do Waziristão do Norte, informou o canal "Express TV".

A ação teve como alvo uma casa supostamente ocupada por insurgentes do distrito de Mir Ali da demarcação, situada na fronteira com o Afeganistão, segundo o "Express", que não identificou suas fontes.

Desde 2008 foram registrados cerca de 130 ataques com mísseis dos EUA nas áreas tribais, um terço dos mesmos neste ano e a grande maioria na mesma demarcação atacada neste sábado.

A região é um refúgio tradicional de facções talibãs paquistanesas e afegãs, e também de membros da rede terrorista internacional Al Qaeda.

O Waziristão do Norte é a única região do cinto tribal da fronteira com o Afeganistão onde o Exército paquistanês não realiza atualmente uma operação contra os talibãs, embora os analistas acreditem que o comando militar, pressionado pelos EUA, iniciará uma campanha nos próximos meses.

Fonte: EFE via EPA

Primeiro voo internacional fretado saindo de Caxias (RS) está previsto para final de setembro

O destino será Buenos Aires

O Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, de Caxias do Sul (foto), em breve será palco do primeiro voo internacional fretado na cidade com fins turísticos e de negócio. A organização e o fretamento se encontram sob a responsabilidade da Infinity Viagens e Turismo. A empresa está providenciando os últimos encaminhamentos exigidos pelos órgãos públicos e também pela companhia aérea que será contratada para fazer o voo.

A viagem tem como destino Buenos Aires, na Argentina. A partida está prevista para ocorrer às 22h do dia 30 de setembro e o retorno, às 19h30min do dia 4 de outubro. Serão 144 lugares nessa primeira experiência. O diretor comercial da Infinity, Guilherme Biazus informa que muitos dos lugares já estão reservados. Ele observa que Caxias tem público para esse tipo de viagem e tem condições de mobilizar várias outros voos semelhantes também para outros destinos.

O agente de viagens Marcos Antonio Frezza foi quem se mobilizou e buscou informações necessárias para a Infinity organizar a viagem. O agente informa que a agência está aguardando documentação do Departamento Aeroportuário do Estado (DAP) para reunir todos os papéis e autorizações exigidas para fechar o contrato com a companhia aérea escolhida.

Só a partir do contrato sacramentado que a companhia tem condições de agendar a viagem e os horários de decolagem e pouso junto aos órgãos competentes, entre os quais, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O administrador do aeroporto caxiense, Henrique Elustondo, explica que esse tipo de fretamento se enquadra no chamado aeroporto internacional sob demanda. Ele considera uma iniciativa excelente.

Fonte: Vania Marta Espeiorin (Pioneiro) - Foto: aeroportocaxiasdosul.blogspot.com

Os desafios ao transporte aéreo

Estudo recente do Ipea mostrou que a demanda pelo transporte aéreo doméstico de passageiros e cargas mais que triplicou entre 1995 e 2009. Esse crescimento se apoiou na estabilidade econômica decorrente do Plano Real, bem como na incorporação de novos contingentes da população ao mercado. Em consequência, o fator crítico na cadeia do sistema de aviação civil como um todo passou a ser a capacidade dos diversos segmentos, ou seja, as insuficiências (ou deficiências) da oferta.

Nas empresas aéreas, os aumentos de oferta responderam, no geral, ao crescimento da demanda. Por atuarem em ambiente de liberdade de mercado, intensa competição e margens estreitas de lucratividade, são sensíveis aos desequilíbrios entre oferta e demanda. Decisões errôneas sobre o dimensionamento das frotas podem acarretar capacidade ociosa ou insuficiente - um desafio constante na gestão das empresas aéreas. Mas, por se tratar de serviço regulado, cabe à regulação evitar tanto a ociosidade quanto a competição predatória e a desestabilização do mercado. A questão crítica para o melhor desempenho das empresas é a das infraestruturas aeroportuária e aeronáutica, que não acompanharam o crescimento da demanda, e a utilização mais intensiva das aeronaves por meio de operações baseadas nas conexões e distribuição em aeroportos aglutinadores de tráfego.

Gargalos e deficiências na infraestrutura aeroportuária têm prejudicado as operações aéreas e causado muito desconforto aos passageiros nos terminais. Os aeroportos mais congestionados são aqueles coordenados, ou seja, onde se limita o número de "slots" disponíveis para equilibrar as restrições de pousos e decolagens. Assim, a intensificação das operações em aeroportos aglutinadores tornou graves as condições de Congonhas, Guarulhos, Brasília e Manaus (este, para cargas), já próximos da sua capacidade operacional máxima. Com o crescimento do PIB, a maior inserção do País na economia mundial e a realização de grandes eventos esportivos, serão inevitáveis movimentações ainda maiores nos aeroportos do País, e os gargalos se agravarão a partir de 2013.

Na infraestrutura aeronáutica (controle do espaço aéreo e sistema de proteção ao voo), os gargalos são de dois tipos: insuficiência de controladores de voo e falta de investimentos para modernizar instalações e equipamentos. Note-se que comportamentos abusivos dos controladores - uma das causas do "apagão aéreo" - podem provocar significativa restrição de capacidade do espaço aéreo nos aeroportos críticos. Por outro lado, estão em curso mudanças profundas: as bases em instalações de terra, centralizadas e com integração dispersa, evoluem para bases espaciais (por satélites georreferenciados) descentralizadas e altamente integradas. O grande desafio é evoluir em direção aos complexos e sofisticados modelos de comunicação por satélite e tecnologias digitais, que superarão as técnicas atuais de comunicação, navegação, monitoração e gerenciamento do tráfego aéreo.

Para o governo, o grande desafio é dotar o País de estratégias e políticas para a aviação civil, num horizonte de 30 anos, sobretudo políticas e regras de regulação econômica que balizem a evolução dos mercados internacional, doméstico e regional. O Código Brasileiro de Aeronáutica não atende mais às necessidades da regulação. A Infraero carece de planejamento e autonomia para não continuar refém de interesses político-partidários imediatos, dispersando os recursos para investimentos. O Conselho de Aviação Civil, por sua vez, ainda não compreendeu bem o seu papel de formulador de políticas públicas, e não de regulador ocasional. Por fim, e não menos importante, seria desejável uma ampla reestruturação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), tornando-a mais "parecida" com as demais agências reguladoras, pois perdeu o foco na regulação econômica ao ser engolfada por uma vasta gama de atribuições herdadas do antigo DAC. Os desafios, portanto, são enormes, mas nada que pessoas qualificadas não possam resolver.

Por: Josef Barat (Presidente do Conselho de Desenvolvimento das Cidades da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de São Paulo, foi diretor da ANAC)

Fonte: O Estado de S.Paulo

Investigação do voo 447 analisa treino para emergência da Airbus

O inquérito que investiga a queda do voo 447 da Air France, em 31 de maio do ano passado, está analisando as instruções fornecidas aos pilotos pela Airbus para lidar com falhas nos equipamentos semelhantes às que provocaram o acidente, de acordo com a principal autoridade encarregada da investigação.

"O BEA (gabinete francês que investiga acidentes aéreos) está examinando a diretriz que determina que os pilotos tentem ganhar altitude caso os instrumentos registrem uma falha no equipamento que mede a velocidade da aeronave", disse Alain Bouillard, em entrevista concedida. A Air France destacou que limitou o emprego desse procedimento em grandes altitudes por temer que provoque um aumento no risco de desestabilização do voo.

A manobra de emergência "pode levar a uma desaceleração" quando executada em altitude de cruzeiro, disse em entrevista Etienne Lichtenberg, chefe de segurança da Air France. "O risco de desestabilização decorrente de uma velocidade excessivamente baixa a grandes altitudes é significativo e, portanto, não é boa ideia produzir uma desaceleração." A Airbus disse que sustenta as orientações de segurança.

A mudança nas recomendações deixa a Air France numa posição que contradiz o treinamento que ainda é aplicado por outras companhias aéreas. No resultado preliminar das investigações, o BEA culpou equívocos na leitura da velocidade pelas falhas sistêmicas registradas nas transmissões automáticas do avião A330 que voava do Rio de Janeiro para Paris, minutos antes de mergulhar no Atlântico, provocando a morte de todos os 228 passageiros. As informações surgem ainda no momento em que peritos judiciais que analisam o caso do 447 põem em dúvida os processos de manutenção de aviões da Air France.

Fonte: Laurence Frost (Bloomberg News)/O Estado de S.Paulo

Menina de 6 anos está na lista de suspeitos de terrorismo nos EUA

O pai de uma garota de seis anos de Ohio (EUA), que aparece na lista de suspeitos de terrorismo do país, diz que a pior coisa que sua filha já fez na vida, provavelmente, foi se desentender com sua irmã. "Acho que isso não constitui perigo à segurança nacional", disse o pai da menina à rede de televisão norte-americana CNN.

Um agente do aeroporto informou à família da situação de Alyssa Thomas quando eles tentavam embarcar para Minneapolis. Os Thomas foram autorizados a voar naquele dia, mas as autoridades orientaram que eles entrassem em contato com o Departamento de Segurança Nacional para esclarecer o assunto.

Foi o que a família fez. Porém, algum tempo depois, eles receberam uma carta do governo dirigida à menina de apenas seis anos de idade, dizendo que nada em seu arquivo seria alterado.

As autoridades federais reconheceram que essa lista de pessoas que são impedidas de voar existe, mas por uma questão de segurança nacional, eles não comentam sobre os nomes que estão nela, nem o porquê.

"Ela voa desde os dois meses de idade. Viajamos para o México em fevereiro e não tivemos problemas", disse o pai de Alyssa.

Isso aconteceu provavelmente devido a uma alteração recente da Administração de Segurança de Transporte, que começou a verificar desde o começo do mês de junho também os passageiros domésticos, e não apenas os internacionais, na lista de pessoas impedidas de voar por suspeita de terrorismo.

Entretanto, a família continua sem saber o motivo da inclusão de Alyssa na lista e continua aguardando uma resolução para o caso.

Assista ao vídeo da CNN em inglês:



Fonte: UOL Notícias (com informações da CNN e da Aol News)

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

Dois Airbus A400M, da Airbus Industrie, realizando o primeiro voo em formação desse modelo de aeronave, a partir do Aeroporto Toulouse-Blagnac (TLS/LFBO), na França, em 17 de junho de 2010. A esquerda vai o A400M prefixo EC-402, acompanhado pelo A400M prefixo F-WWMT (MSN 001)

Foto: T.Laurent
(Airliners.net)

Piloto é autuado por desacato após ficar de cueca em aeroporto do Rio

Ele teria se irritado após se recusar a tirar o cinto e os sapatos.

Depois de assinar termo, ele foi liberado para conduzir voo.


Um piloto da companhia aérea United Airlines foi autuado por desacato após tirar a roupa e ficar só de cueca nesta sexta-feira (25) no Aeroporto Tom Jobim, na Ilha do Governador, subúrbio do Rio. Segundo o delegado Rafael Andreatta, da Delegacia da Polícia Federal do terminal, o homem teria se irritado quando passava pelo aparelho de raio-x do aeroporto, e ter sido solicitado a retirar o cinto e os sapatos durante revista.

De acordo com a Polícia Federal, o piloto Michael Deneer Slynn, de 49 anos, teria se revoltado e gritado com os agentes que realizavam a fiscalização. Em seguida, ele baixou as calças e ficou só de cueca. O delegado informou que o procedimento exigido ao piloto é comum e faz parte de uma norma internacional de segurança dos aeroportos.

"Ele alegou sua condição de piloto e tirou as calças num gesto de deboche", explicou Andreatta.

Procedimento normal

Ainda segundo o delegado, todos os funcionários das companhias aéreas precisam passar por esta fiscalização, como os passageiros. O piloto foi autuado e liberado após assinar um termo circunstanciado, onde ele se comprometeu a comparecer em juízo quando solicitado.

O delegado explicou que, normalmente, a pessoa é encaminhada para um Juizado Especial Federal, mas a polícia decidiu liberar o piloto porque a companhia aérea não possuía um substituto para conduzir um voo com 300 passageiros, com destino a São Paulo e em seguida a Washington.

O americano assinou um termo de comprometimento para se apresentar à Justiça quando voltar ao Brasil. Se não concordar em pagar multa, o Ministério Público vai pedir que ele seja processado, o que pode render para o gringo uma de prisão de até um ano.

Fontes: G1 / Folha Online / O Globo

Baloeiro ameaça atirar em helicóptero da Rede Record em São Gonçalo (RJ)

Equipe de reportagem flagra queda de balão e correria para pegá-lo

Um baloeiro ameaçou atirar contra o helicóptero da Rede Record, na manhã desta sexta-feira (25), em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.

A equipe de reportagem que estava na aeronave flagrou o momento em que um enorme balão branco caiu em um terreno baldio em um bairro carente da cidade.

Várias pessoas e alguns moradores correram pela rua para pegar o balão. Ao perceberem que estavam sendo filmados, eles tentaram esconder o objeto. Um dos baloeiros então apontou uma arma para o helicóptero, que deixou o local minutos depois por medida de segurança.

A equipe de reportagem também presenciou a queda de um segundo balão no mesmo local. Ao menos outros cinco voavam pela região.

Soltar balão é crime. No último sábado (19), um caiu sobre o morro dos Cabritos e o parque da Catacumba, na Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro, e queimou uma área da mata equivalente a 20 estádios de futebol. Ninguém ficou ferido e a vegetação local pode levar até cinco anos para se reconstituir.

Clique aqui e assista a reportagem da TV Record.

Fonte: R7 (com Rede Record) - Imagem: Reprodução/TV Record

Nota do Autor: O site do jornal "O Globo" informou que os baloeiros de São Gonçalo efetivamente atacaram a tiros o helicóptero da TV Record que fazia imagens, na manhã desta sexta-feira, de um grupo que se preparava para soltar um balão no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo.

"Um dos aviões estava no lugar errado", diz especialista

Analistas apontam hipóteses a incidente com voo da TAM que identificou rota de colisão em Congonhas; erro de controlador é remoto

As causas do incidente com o voo 3717 da TAM, que precisou fazer uma manobra brusca para evitar a colisão com outra aeronave, ainda serão investigadas. Especialistas em aviação ouvidos pelo iG apontam duas possibilidades com maior probabilidade: uma das aeronaves voava fora da sua rota definida ou o equipamento de bordo apontou para uma projeção de choque, que, provavelmente, não aconteceria porque a rota deveria ser corrigida em instantes.

O Airbus 320 da TAM operava na rota Brasília-São Paulo e se aproximava do aeroporto de Congonhas quando foi informado da aproximação de outra aeronave. A ordem veio de um equipamento chamado TCAS (Traffic Collision Avoidance System), que capta informações de aeronaves que voam nas proximidades e aponta sua projeção de rota. Neste caso, a projeção apontava para uma colisão. Para evitar o choque, o avião fez uma descida brusca, que assustou os passageiros.

Clique aqui e saiba mais sobre o TCAS.

“A maior probabilidade é que alguma das aeronaves estava no lugar errado ou foi orientada a ficar no lugar errado”, afirma o brigadeiro Mauro Gandra, ex-ministro da Aeronáutica. Para ele, a possibilidade de falha no controle de tráfego aéreo da região é mínima, já que se trata de uma área próxima ao aeroporto de Congonhas, para onde convergem diversas rotas.

O diretor técnico do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), Ronaldo Jenkins, concorda. Ele acrescenta ainda uma possibilidade: o TCAS pode ter apontado para uma projeção de colisão que não aconteceria, pois se tratava de uma direção provisória de uma das aeronaves. Isso poderia ter acontecido se uma aeronave estivesse subindo, mas, planejasse interromper a direção e estabilizar seu voo, enquanto outra se mantinha em linha reta, exemplifica Jenkins. “O equipamento aponta para uma projeção de colisão, que não quer dizer necessariamente que haverá uma colisão.”

Ambos descartam a possibilidade de o equipamento ter errado ao apontar para a aproximação de uma aeronave ou de ter detectado um avião inexistente.

Independente da causa, tanto Jenkins quanto Gandra concordam que a atitude do piloto foi a correta. “Ele deve fazer o que o TCAS mandar”, dizem os especialistas. Leia o comunicado da TAM sobre o assunto.

A aeronave que estava na rota da TAM era um avião particular, do modelo Bandeirantes, da Embraer, informa o colunista Guilherme Barros. Procurado por telefone, o Departamento de Controle do Espaço Aérea (Decea), que identificaria o outro avião em rota de colisão, não atendeu as ligações no fim do dia.

Similaridade com acidente da Gol em 2006

A situação lembrou a falha ocorrida durante o voo 1907 da Gol, que culminou com a colisão da aeronave com o jato Legacy, em 2006. Neste caso, o Transponder, equipamento que emite as informações sobre a localização e rota das aeronaves, estava desligado. Assim, o TCAS do Boing da Gol não conseguiu prever o choque.

O procedimento em caso de acidentes ou incidentes aéreos é a abertura de um processo de investigação no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão vinculado ao Ministério da Defesa. A Força Aérea Brasileira informou, em nota, que as investigações já começaram. O objetivo não é punir os culpados, mas verificar as falhas e, se necessário, criar novas orientações para os pilotos de todas as companhias aéreas.

Quase-colisão é comum nos Estados Unidos

O incidente com o voo da TAM é comum nos Estados Unidos, onde o espaço aéreo concentra maior número de rotas, afirmam Jenkins e Gandra. O fenômeno é chamado de “near-miss collision” ou quase-colisão, em português, mas não provoca uma insegurança nos voos e nem deve limitar a expansão do tráfego aéreo, segundo os especialistas.

“A gravidade não depende do fato, mas da reação do piloto”, afirma Grandra. “É justamente por isso que as aeronaves são equipadas com o TCAS e com o Transponder. Se as orientações forem seguidas, as colisões serão evitadas”, completa Jenkins.

Fonte: Marina Gazzoni (iG)

Avião da TAM desviou de colisão com bimotor

Avião que entrou em rota de colisão com aeronave da TAM era um Bandeirante de propriedade particular

A "manobra evasiva" feita por um piloto da TAM ontem à noite, minutos antes de pousar no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, se deu porque um bimotor modelo Bandeirante entrou em rota de colisão com o jato A320 da empresa. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, abriu investigação para apurar as causas do incidente.

O voo JJ 3717 da TAM fazia o trecho entre Brasília e São Paulo quando, às 18h30, o sistema anticolisão (TCAS, na sigla em inglês) soou, indicando situação de risco. O avião teria feito duas descidas bruscas. Houve gritos e pânico entre os 171 passageiros.

O Bandeirante, segundo o Cenipa, decolou da cabeceira 09 do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos.

Para descobrir o que levou as aeronaves a entrarem em rota de colisão, os militares vão reconstituir os procedimentos adotados pelos dois pilotos. Tudo será analisado, desde a rota das aeronaves até a conversa dos pilotos com os controladores de voo. Inicialmente, a apuração deve se concentrar na análise das imagens de radar e na degravação dos diálogos. Caberá ao chefe da investigação decidir se os pilotos serão chamados para prestar depoimento.

As apurações aeronáuticas não têm caráter punitivo. Mesmo que se chegue à conclusão de que um dos pilotos errou, o objetivo do Cenipa não é penalizá-los, mas verificar quais recomendações devem ser emitidas os operadores e autoridades do setor aéreo para evitar que determinada situação de risco volte a ocorrer.

Fonte: Agência Estado

Companhias aéreas querem vendas por celular

Das companhias aéreas, 70% já têm estratégias de integração com a telefonia celular como ferramenta para a venda de passagens. Atualmente, 18% delas vendem passagens por celular e a meta é chegar a 70% até 2013.

Nos próximos três anos, 86% das empresas deseja oferecer notificações pelo aparelho, 80% check-in online, 76% planeja enviar tíquetes de embarque para o celular e 68% considera enviar ofertas por SMS.

É o que aponta a 12ª Pesquisa Anual de Tendências de TI e Negócios de Aviação realizada pela SITA, empresa de comunicação e soluções de TI para a indústria de transporte aéreo.

As 129 companhias aéreas que responderam à pesquisa transportam em torno de um bilhão de passageiros e vendem 40,8% de suas passagens diretamente para o público. O restante dos canais se divide em: 25,8% através da internet, 10,7% por meio de call centers e 4,3% por interlining - encaminhamento do passageiro negociado entre as companhias aéreas.

O grupo espera que as vendas diretas cheguem a 55,1% até 2013. As vendas por call centers e interlining devem permanecer estáticas e o canal de vendas por meio da internet deve crescer para 37,9%.

Já para aumentar as vendas online as companhias estão priorizando a implementação de novas funcionalidades em seus sites na seguinte ordem de uso: ferramentas de venda online (61%); mudar, cancelar, remarcar voos (52%); e funcionalidade de resgate do passageiro frequente (51%).

As empresas também demonstraram ambição em reduzir o número de passageiros transportados via agente de check-in de 50,7% para 28,9% até 2013.

Os quiosques tradicionais devem permanecer um pouco abaixo de 20%, enquanto o serviço via web irá crescer de 21,6% para 35,5% em 2013. Check-in por celular, por sua vez, pulará de 28% de adesão para 70% até 2013, conforme a pesquisa.

Além disso, 47% das companhias aéreas planejam aumentar o número de quiosques que oferecem e, gradativamente, adotar novas funcionalidades para gerenciamento de conexões e interrupções na comunicação. A pesquisa também atesta que 80% das maiores companhias planejam usar quiosques como pontos de venda.

A próxima onda de implementação está relacionada aos portais de agendamento para agências de viagens, das quais 41% já fazem uso, 43% têm planos para 2013, 44% já implementaram portais para clientes corporativos e 38% se programam para fazê-lo dentro de três anos.

Em comparação, apenas 21% dos que responderam faz uso de redes sociais e 45% não pretende entrar neste universo.

Fonte: Juliana Franzon (Baguete)

Justiça manda fechar lixão de Timon para proteger aeroporto de Teresina

Decisão determina a criação de novo aterro 20km distante do aeroporto de Teresina, e dá multa por descumprimento.

A Prefeitura de Timon/MA terá de interditar o lixão da cidade, e transferêcia de local em no máximo 120 dias. A liminar concedida pelo juiz federal Régis de Sousa Araújo, da 3ª Vara Federal, veio após ação do Ministério Público Federal no Piauí, que quer evitar acidentes no aeroporto de Teresina por conta dos urubus que cercam o local.

A decisão saiu na última quarta-feira. O aterro fica distante quatro quilômetros do aeroporto Petrônio Portella. O Ministério Público pediu que o lixão seja transferido para um local que fique pelo menos 20 quilômetros longe da área de pouso e decolagem dos aviões. O juiz também pede que o município, enquanto não houver a interdição, providencie aterro sistemático de todo o material orgânico que seria depositado no local.

O aterro sanitário é apontado como principal motivo da presença das aves na região, segundo relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos - Cenipa. O lixão teria sido instalado em 2004, contrariando resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente - Conama - de 1995, que determina a distância mínima de 20 quilômetros entre aterros e aeroportos.

A ação foi movida pelo procurador da República Leonardo Carvalho Cavalcante de Oliveira contra o Município de Timon e a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária - Infraero. Ele pede a proteção do meio ambiente e a segurança do espaço aéreo. Em caso de descumprimento, a multa diária será de R$ 10 mil.

Posição da Prefeitura

O secretário de assuntos institucionais de Timon, Luís Geraldo, informou para a TV Cidade Verde que um terreno, distante 22 quilômetros do aeroporto, já foi escolhido. Técnicos farão o levantamento do perímetro, enquanto a prefeitura tratará das questões burocráticas, inclusive de desapropriação.

Fonte: Cidade Verde

Dois homens morrem em queda de ultraleve na Praia da Reserva (RJ)

Bombeiros da Barra foram chamados ao local.

Aeronave caiu na areia.



Dois homens morreram na queda de um ultraleve na Praia da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta sexta-feira (25). De acordo com as primeiras informações do quartel de bombeiros da Barra da Tijuca, as vítimas foram identificadas como o instrutor de voo Heckel Capucci, de 61 anos, e o aluno Paulo Roberto Lipreon, de 41 anos.

O ultraleve teria caído na areia, e segundo as primeiras informações dos bombeiros, a aeronave explodiu. Mas não se sabe ainda se antes ou depois de cair na areia.

Fonte: G1

Aviões da TAM repaginados voam para Ribeirão Preto e Navegantes

As duas aeronaves repaginadas pela Tam por meio do projeto Vintage, que busca resgatar a memória da companhia, voarão para Ribeirão Preto (SP) e Navegantes (SC) a partir de amanhã (sábado, 26 de junho).

O voo para a cidade paulista parte de Congonhas às 19h24 e retorna às 21h02. A decolagem para Navegantes, também do aeroporto paulista, ocorre às 6h24, com retorno às 8h15.

Fonte: Portal Panrotas - Fotos: Divulgação

Simulação de acidente aéreo mobiliza 500 pessoas no Salgado Filho em Porto Alegre

Atividade encerra o curso de formação do corpo de voluntários do aeroporto

Uma simulação de acidente aéreo mobilizou cerca de 500 pessoas na tarde desta sexta-feira no Aeroporto Salgado Filho, na Capital. A atividade encerra o curso de formação do corpo de voluntários de emergência do aeroporto, que aconteceu de segunda a quinta-feira desta semana.

Para a simulação, o terreno ao lado da pista principal foi incendiado sem, contudo, interromper pousos e decolagens. O objetivo da atividade era o resgate de 15 passageiros e cinco tripulantes fictícios que estariam em um avião acidentado no aeroporto.

Fonte: Rádio Gaúcha via Zero Hora - Foto: Felipe Daroit

Saiba mais: Aviação de Busca e Salvamento - SAR

HISTÓRICO

Em dezembro de 1947, um fato marcante viria a acelerar a criação do Serviço de Busca e Salvamento no Brasil. As dificuldades enfrentadas nas buscas de uma aeronave Catalina, acidentada nas selvas e pantanais da região do Aquiqui, no Pará, levaram as autoridades aeronáuticas locais a criar uma Comissão Organizadora do Serviço de Busca e Salvamento da 1ª Zona Aérea. Para o apoio aéreo desse serviço, foram feitas adaptações em uma aeronave Catalina, o PBY5-A-6516, que passou a ser a primeira aeronave de busca da FAB.

Como resultado do trabalho executado por aquela Comissão, nasceu, em 1950, o Serviço de Busca e Salvamento (SAR) Aeronáutico nacional, efetivado pela Portaria Ministerial de número 324.de dezembro de 1950, tendo como primeiro Centro de Coordenação de Salvamento, o Salvaero Belém.

A partir de então, o Serviço de Busca e Salvamento foi organizado e estruturado experimentando um período de evolução permanente. Foram criados esquadrões específicos de Busca e Salvamento no Recife/PE (1º/6º GAV), com aeronaves quadrimotores B-17 e, em Cumbica/SP (2º/10º GAV, com as aeronaves SA-16).

Para executar a coordenação das missões SAR foram criados Centros de Coordenação de Salvamento (RCC) e estabelecidas as correspondentes Regiões de Busca e Salvamento (SRR).

O caráter humanitário da atividade, aliado a compromissos internacionais assumidos, motivaram acentuados investimentos no Serviço de Busca e Salvamento brasileiro, de tal modo que hoje esta atividade já atinge os níveis dos países mais desenvolvidos.

A implantação do Segmento Provedor Terrestre brasileiro do Sistema COSPAS-SARSAT, apoiado pela constelação de satélites dedicados constituem, por si só, avanços significativos no aperfeiçoamento do serviço.

A ampliação da capacidade de recursos aéreos, com a criação de Unidades aéreas especializadas e apoiadoras, para utilização em missões SAR, tais como o atual 2º/10º GAV, 2º/1º GTT, os 7º GAV, os 8º GAV e outros, garante a operacionalidade da atividade.

Unidades da FAB - Aviação de Busca e Salvamento:

2º/10º GAv - Esquadrão Pelicano - BACG
SH-1H Huey SAR e SC-95B Bandeirante SAR

EAS - Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento - PARA-SAR
BAAF - Afonsos, RJ

Fonte: AQUI

MS: Base Aérea e Esquadrão Pelicano comemoram Dia da Aviação de Busca e Salvamento

Cerimônia realizada esta manhã na Base Aérea de Campo Grande comemora o “Dia da Aviação de Busca e Salvamento”. O evento também presta uma homenagem ao Esquadrão Pelicano, que é sediado na Capital e conhecido em todo Brasil pelas missões feitas.

A solenidade militar não é aberta ao público e reúne aproximadamente 150 pessoas, entre militares e civis. O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Juniti Saito, participa da cerimônia.

O esquadrão é a única unidade da Força Aérea Brasileira destinada, exclusivamente, a socorrer sobreviventes de acidentes aeronáuticos, marítimos e de calamidades.

As missões dos pelicanos incluem, além de operações de resgate, apoio à campanha de multivacinação na região do Pantanal, onde os helicópteros carregam as doses de vacinas até os pontos mais afastados da região, transporte de feridos e doentes, apoio em calamidades, cheias e incêndios.

A data de 26 de junho, comemorada antecipadamente hoje, marca o desfecho do grande esforço para encontrar e socorrer a tripulação e os passageiros da aeronave C-47 2068, perdida na selva amazônica, em 1967.

Das 25 pessoas a bordo, a maioria militares, apenas cinco conseguiram sobreviver. Foi uma das maiores missões deste tipo já realizadas no Brasil.

Foram gastos mais de 1.100 horas de voo, um milhão de litros de combustível em 32 aeronaves que palmilharam a região Amazônica durante dez dias até que, de um avião Albatroz, do Esquadrão Pelicano, os militares encontraram a cauda do C-47 em meio à mata fechada.

Desde esta missão, a Força Aérea Brasileira comemora no dia 26 de junho o Dia da Aviação de Busca e Salvamento.

Fonte: Aquidauana News

TAM e Swiss ampliam acordo de compartilhamento

Por meio da nova parceria, passageiros da TAM poderão viajar a partir de SP ou RJ para Paris e fazer conexão com voos da Swiss

A TAM informou nesta sexta-feira, 25, que inicia na próxima segunda-feira o compartilhamento de códigos de voo (codeshare) em dois trechos operados pela Swiss: Paris - Zurique e Zurique - Paris. Ambas as companhias aéreas são integrantes da Star Alliance. Com isso, as companhias ampliam o acordo iniciado em maio de 2009.

"Nossa parceria com a Swiss ganha agora uma nova dimensão. Esperamos que esse acordo possa estimular ainda mais o tráfego internacional de passageiros entre Brasil e Suíça", afirma em nota o vice-presidente Comercial e de Planejamento da TAM, Paulo Castello Branco.

Por meio da nova parceria, os passageiros poderão viajar com a TAM a partir de São Paulo ou do Rio de Janeiro para Paris (Aeroporto Charles de Gaulle) e fazer conexão em voos da Swiss, sob o código JJ*, para Zurique, desfrutando de benefícios como: simplificação de reservas de voos, conexões convenientes com um único bilhete aéreo e despacho de bagagens até o destino final. O acordo também vale para viagens com origem em Zurique, conexão em Paris e chegada em São Paulo ou no Rio de Janeiro.

A TAM e a Swiss já possuem codeshare em quatro diferentes rotas operadas pela TAM a partir de São Paulo: Santiago (Chile), Buenos Aires (Argentina), Rio de Janeiro e Porto Alegre. Com isso, os passageiros da Swiss vindos de Zurique (Suíça) podem fazer conexão com a TAM em São Paulo para seguir viagem a qualquer uma das quatro cidades, aproveitando os benefícios dessa parceria.

Além disso, a TAM mantém acordo de FFP (Frequent Flyer Program) com a Swiss, o que permite aos membros do programa TAM Fidelidade acumular e resgatar pontos em qualquer voo operado pela companhia suíça. Da mesma forma, os membros do Miles & More (programa utilizado pela Swiss) podem acumular e resgatar milhas em todos os voos domésticos e internacionais da TAM.

Fonte: Agência Estado

TAP reforça liderança das aéreas em Lisboa e é a companhia que mais cresce

A TAP transportou nos primeiros cinco meses deste ano 56,8% de todos os passageiros que chegaram e partiram de Lisboa, mais 0,62 pontos percentuais que há um ano, o que associado a reforços também por parte da SATA Internacional (+0,28 p.p., para 4,7%) e da White (+0,3 p.p., para 0,8%), levou a que o aeroporto de Lisboa ficasse “mais português” neste período.

Os dados de tráfego do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam um crescimento do movimento de passageiros em voos comerciais de 2,9% ou cerca de 143 mil, para 5,076 milhões, com crescimentos da TAP em 4% ou cerca de 111 mil, para 2,882 milhões, da SATA Internacional em 8,4% ou cerca de 18,3 mil, para 236,6 mil, e da White em 64,1% ou cerca de 15,9 mil, para 40,6 mil.

Entre as companhias que mais contribuíram para o crescimento do tráfego em Lisboa, além dessas três portuguesas contam-se a espanhola Air Europa, do grupo Globalia, que em 2009 não tinha operação regular nos primeiros meses e que até Maio soma 56,8 mil passageiros, a easyJet, com mais cerca de 22,3 mil ou +9,8%, para 496 mil, a Royal Air Maroc, com mais cerca de três mil ou +35%, para 11,5 mil, a companhia charter portuguesa Orbest, do grupo Orizonia, com mais cerca de 2,7 mil ou +78,2%, para 6,2 mil, e as norte-americanas Continental, com mais cerca de 2,5 mil ou +7,1%, para 38,1 mil, e US Airways, com mais cerca de 2,4 mil ou +97,5%, para quase cinco mil.

As maiores quedas neste período são as da espanhola Vueling, em cerca de 33,5 mil passageiros ou –25,9%, para 95,9 mil, da angolana TAAG, em cerca de 18,3 mil ou –26%, para 51,9 mil, da espanhola Iberia, em cerca de 8,2 mil ou –4,4%, para 182,9 mil, da irlandesa Aer Lingus, em 8,2 mil ou –17,5%, para 38,7 mil, da britânica British Airways, em cerca de 6,3 mil ou –5,9%, para 101 mil, e da holandesa KLM, em cerca de 5,6 mil ou –6,4%, para 83 mil.

Ao todo, segundo os dados a que o PressTUR teve acesso, entre as 30 maiores companhias que operam em Lisboa 14 tiveram crescimento e 16 baixaram.

A queda conjunta destas 16 companhias foi de 99,6 mil passageiros, o que significa que só por si o crescimento da TAP teria gerado crescimento do Aeroporto nos primeiros cinco meses deste ano.

Os dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR mostram que esta evolução se traduziu num reforço das chamadas companhias “tradicionais” nestes cinco meses, que ganharam quota de mercado às low cost.

Segundo esses dados, o tráfego em voos regulares cresceu 2,3% nos meses de Janeiro a Maio, para 4,94 milhões de passageiros, 83% deles transportados por companhias “tradicionais” (4,2 milhões, +3,5% que no ano passado), com as portuguesas a “ficarem” com 60,8% (3,09 milhões, +4,4% que no ano passado) e a estrangeiras com 22,2% (1,13 milhões, +1,2% que em 2009).

As low cost, onde o Aeroporto inclui Aer Lingus, Blue Air, Bmibaby, Cimber Sterling, easyJet, Germanwings, NIKI e Vueling, com uma queda do número de passageiros em 4,5%, para 719,6 mil, baixaram de 15,3% do tráfego nos primeiros cinco meses de 2009 para 14,2% este ano.

Fonte: Presstur

Tráfego aéreo com o Brasil é recorde em Lisboa com crescimento médio de 27,9% até maio

O Brasil é a origem/destino de passageiros no Aeroporto de Lisboa que mais cresce este ano e está a níveis recorde no fim de Maio, com 525.024 embarques e desembarques, apesar de neste período ainda estar a vigorar a redução de capacidade da TAP, que retirou algumas frequências para adequar a oferta à queda da procura que ocorreu no ano passado, pela recessão mundial e a quebra do outgoing brasileiro com a desvalorização do real.

Dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam que o crescimento do tráfego de e para o Brasil é de 27,9% nos primeiros cinco meses deste ano, mais do que superando a queda que ocorreu no período homólogo de 2009, em 10,8%.

Em valor absoluto, estes dados do Aeroporto de Lisboa indicam um aumento do número de passageiros nas linhas do Brasil em quase 115 mil face a 2009, o que supera em quase 35 mil o crescimento de Espanha, que é a segunda origem/destino que mais cresce e é mais do dobro do crescimento de Itália, que é a terceira que mais cresce.

O crescimento na rota do Brasil, em cerca de 115 mil, compara com um aumento do número de passageiros de todas as rotas de e para Lisboa em cerca de 143 mil, e só por si “anulou” as quebras de outras origens/destinos, entre as quais avultam as rotas domésticas (menos quase 40 mil), Alemanha (menos cerca de 32 mil), Suíça (menos cerca de 25 mil), Holanda (menos cerca de 24,4 mil), França (menos cerca de 19,6 mil), Áustria (menos cerca de 17 mil) e Bélgica (menos cerca de 13,8 mil).

A informação a que o PressTUR teve acesso mostra que o crescimento que o Aeroporto de Lisboa tem nos primeiros cinco meses deste ano assenta também no tráfego com Espanha (+11,8% ou mais cerca de 80,5 mil passageiros, para 525 mil), que se mantém a primeira origem/destino de voos na capital portuguesa, Itália (mais cerca de 40,7 mil ou mais 16,3%, para 333,2 mil), “outros África”, que exclui Angola, Cabo Verde, Senegal e África do Sul (mais cerca de 17,9 mil ou +24,4%, para 91,2 mil) e os três mercados para onde a TAP começou a voar no ano passado, designadamente Finlândia (mais cerca de 17,2 mil ou +132,8%, para 30,1 mil), Polónia (mais cerca de 16,5 mil ou +2.133,8%, para 17,2 mil) e Rússia, que como nos primeiros meses de 2009 praticamente não tinha tráfego apresenta este ano um aumento de cerca de 15,6 mil passageiros (+259.183%, para 15.557).

Por aeroportos de origem/destino dos voos, Madrid é a que tem o maior aumento do número de passageiros, com mais cerca de 71,3 mil ou +17,6%, para 476,7 mil, mas nos dez maiores crescimentos em valor absoluto o Brasil tem seis, a começar por São Paulo, que tem mais cerca de 36,1 mil passageiros que no ano passado (+47,5%, para 112,1 mil), Itália tem Roma e Milão e no Top10 está ainda Paris-Orly.

Do Brasil figuram ainda nas dez origens/destinos que mais crescem o Rio de Janeiro, com mais cerca de 24,4 mil (+31,5%, para 101,8 mil), Belo Horizonte, com mais cerca de 14,8 mil (+50,5%, para 44 mil), Recife, com mais cerca de 13,6 mil (+30,3%, para 58,6 mil), Brasília, com mais cerca de 13,4 mil (+31,2%, para 56,2 mil), e Fortaleza, com mais cerca de 6,1 mil (+12,2%, para 56,3 mil).

Roma é a terceira origem/destino com maior aumento do número de passageiros (mais cerca de 34,6 mil ou +33,6%, para 137,6 mil), Milão – Malpensa é a quinta (mais cerca de 20,2 mil ou +19%, para 126,6 mil) e Paris – Orly é a nona (mais cerca de 7,6 mil ou +3,7%, para 212,8 mil).

Por volume de passageiros, as origens/destinos de médio curso predominam, com Madrid na liderança, seguida da Madeira (320 mil, -6,3% que há um ano), Londres – Heathrow (265,4 mil, +2%), Paris – Orly, Paris – Charles De Gaulle (196,9 mil, -16,6%), Barcelona (191,4 mil, -0,6%) Frankfurt (190,3 mil, -2,7%), Porto (163 mil, -1,9%), Amesterdão (140,8 mil, -15,7%) e Bruxelas (138,8 mil, -9,5%).

Em conjunto, as origens/destinos europeias somam 4,018 milhões de passageiros, em queda de 0,3% face ao ano passado, o que leva a que a sua participação no tráfego total de e para Lisboa decresça 2,12 pontos percentuais, para 79,2%.

Esta redução do peso do tráfego de médio curso intra-europeu (incluindo os domésticos) foi quase por inteiro para as rotas do Brasil, que passaram de 8,7% do tráfego comercial total no ano passado para 10,6% este ano.

Além do Brasil, também o tráfego de e para a América do Norte (+18,3%, para 111,8 mil passageiros) reforça a participação, em 0,28 pontos, para 2,2%,e América Central, em que a principal fatia é dos charters para República Dominicana, México, Cuba e Jamaica, que sobe 0,34 pontos, para 1%, pelo aumento do número de passageiros em 53,1%, para 50 mil.

África, que em 2009 estava em crescimento (+7,8%), ao arrepio da tendência geral de baixa da procura, mantém este ano a quota de mercado (6,9%), com um crescimento do tráfego em 2,5%, para 351,9 mil passageiros, apesar da queda nas ligações com Luanda, maior rota de e para este continente, que tem um decréscimo de 5,1%, para 127,1 mil passageiros.

Além de Angola, também baixa o tráfego com o Senegal (-4,3%, para 39,9 mil) e com a África do Sul (-30,8%, para 8,7 mil), mas sobe o tráfego com Cabo Verde (+4,2%, para 84,9 mil) e com outras origens/destinos não especificadas na informação a que o PressTUR teve acesso, entre as quais se contam Moçambique, Guiné, São Tomé, Marrocos e Tunísia, nas quais há um crescimento em 24,4%, para 91,2 mil.

Fonte: Presstur

TAM: Turbulências e incidentes aéreos já assustaram passageiros em pelo menos cinco ocasiões desde 2007

Outros dois quase-acidentes foram registrado em 2007, com aviões da TAM

A manobra feita pelo piloto do voo JJ3717 da TAM assustou os 171 passageiros que estavam a bordo. Em um primeiro momento, eles acharam que se tratava de uma forte turbulência. Somente mais tarde é que se soube que a aeronave precisou desviar de outro avião que estava na mesma rota. Desde 2007, pelo menos cinco incidentes aéreos causaram pânico nos céus.

Outros dois quase-acidentes, como o de ontem com o voo da TAM, já foram registrados no Brasil desde 2007. Um deles, ocorreu no Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre, em 2007,com um Airbus A320, mesmo modelo do avião acidentado em São Paulo.

Saiba quais foram:

22 de abril de 2007 - Dois aviões em procedimento de subida quase colidiram no ar na região de Atibaia, a 59 quilômetros de São Paulo. Uma delas fazia o vôo 1696 da Gol, que seguia de Campinas para o Rio de Janeiro, outra fazia o vôo 3274, da TAM, que decolou de Congonhas para Ribeirão Preto, no norte paulista.

20 de agosto de 2007 - Instantes antes do pouso, um Airbus A320 da TAM teve de arremeter durante a madrugada para não colidir contra um Boeing da BRA, que pousara instantes antes e ainda não havia deixado a pista. Assustados, os 151 passageiros do vôo JJ3151, procedente de Guarulhos, não souberam o que ocorria antes que o avião estivesse parado em solo, depois de uma nova aproximação para pouso.

Outros casos:

18 de novembro de 2007 - Um Airbus A330 da TAM, que voava em direção a Santiago, no Chile, sofreu uma forte turbulência próximo à Cordilheira dos Andes, na Argentina. Um dos 178 passageiros teve ferimentos leves. O avião decolou do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

14 de maio de 2008 - Um avião da TAM foi atingido por dois pássaros enquanto se preparava para decolar do aeroporto Tom Jobim, no Rio. Com isso, os passageiros foram obrigados a desembarcar e acabaram acomodados em outros vôos.

27 de maior de 2009 - Pouco antes do pouso no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, Grande São Paulo, o voo JJ 8095 (Miami-São Paulo) da TAM teve uma forte turbulência. Dos 154 passageiros e tripulantes do voo, 16 passageiros e 5 funcionários da TAM ficaram feridos. Outros dois quase-acidentes foram registrado em 2007, com aviões da TAM.

Fonte: Zero Hora

Esquadrilha da fumaça escreve ' Hexa Brasil' no céu de Copacabana

Torcida viu show de acrobacia aérea após o jogo Brasil x Portugal.

Empate de 0 a 0 não empolgou os brasileiros que esperavam vitória.



Após o jogo entre Brasil e Portugal, os aviões da esquadrilha da fumaça fizeram durante 12 minutos diversas acrobacias, na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. Os aviões escreveram no céu as palavras "Hexa Brasil" e "Jogos Mundiais Militares", este último se refere ao evento que acontece, no Rio, de 16 a 24 de julho de 2011.

As manobras atraíram os olhares atentos dos torcedores que foram assistir ao jogo na arena Fifa Fan Fest, na Praia de Copacabana.

O resultado não agradou aos brasileiros, que esperavam uma vitória, e, não o placar de 0 a 0. Mesmo assim, a torcida não desanimou e curte, na tarde desta sexta-feira (25), os shows da bateria do Salgueiro e do grupo de forró Falamansa.

Aviadores chegaram ao Rio na quinta-feira

Na tarde da quinta-feira (24), os sete capitães aviadores que pilotam os aviões da esquadrilha da fumaça chegaram ao Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, para treinar as manobras em homenagem à seleção brasileira.

Os pilotos da esquadrilha da fumaça fizeram diversas manobras, entre elas, uma que foi campeã de várias concursos e está no livro dos recordes.

“Tenho certeza que todos vão gostar. Quando os aviões criarem no céu um coração, a fumaça vai soltar a frase Hexa Brasil”, contou o capitão.

Fonte: RJTV - Foto: Felipe Panfilli/Divulgação

Flagrantes mostram vários balões no céu em São Gonçalo (RJ)

Polícia Militar fez operação contra baloeiros no município.

Ninguém foi preso.




A Polícia Militar fez uma operação para combater baloeiros em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Na manhã desta sexta-feira (25), muitos flagrantes foram registrados. Um balão caiu em cima de uma casa. Outro foi parar em uma área desmatada. Um grupo de, pelo menos, dez rapazes correu em direção ao balão. Eles brigaram entre si para ver quem iria levar para casa.

Em outro flagrante, meninos entram na água suja de um valão de esgoto para resgatar um outro balão. A polícia não conseguiu prender ninguém.

Durante a operação, um balão de 12 metros foi apreendido.

Tiros foram disparados em direção a um helicóptero da TV Record, que acompanhava a operação. A aeronave não chegou a ser atingida.

Em Niterói, também na Região Metropolitana, um balão caiu em cima da rede elétrica em uma rua do bairro de Icaraí. No local da queda, motociclistas estavam prontos para pegá-lo.

E, bem no começo da manhã, um balão caiu sobre a mata no Alto da Boa Vista. Eram tantos balões no céu do Rio que a torre do Aeroporto Internacional Tom Jobim alertava aos pilotos sobre o perigo.

Disque-Denúncia oferece R$ 2 mil por informações sobre baloeiros

Soltar balões é crime punido pela lei ambiental com até três anos de prisão e multa. No último fim de semana, a queda de um balão pode ter sido a causa de um incêndio no Morro dos Cabritos, na Zona Sul do Rio, no último sábado (19). Uma área equivalente a quatro campos de futebol foi destruída.

Quem tiver informação sobre as quadrilhas de baloeiros deve ligar para o Disque-Denúncia, no telefone 2253-1177. A recompensa é de até R$ 2 mil e o anonimato é garantido. E o Batalhão Florestal também recebe informações através dos números 2701-8262 ou 2701-0832.

Fonte: G1

Confusão com vocalista da banda The National fecha aeroporto nos EUA

Um dos pertences pessoais de Matt Berninger foi confundido com bomba.

Ele estava voltando do Japão, para passar férias no Havaí com a família.


Uma confusão envolvendo o vocalista da banda The National fechou o aeroporto de Honolulu, no Havaí (EUA). Segundo o site Spinner, Matt Berninger estava chegando à cidade, após um voo de sete horas vindo do Japão, para encontrar a mulher e a filha de um ano e meio e aproveitar as férias, mas um dos seus pertences foi confundido com uma bomba.

“Eu tinha comprado um relógio em Tóquio, uma peça do MacGyver, um relógio com alarme bobo, mas que parecia exatamente com uma bomba. E estava na minha maleta”, disse o vocalista para o site.

Berninger contou que estava em uma cadeira que faz massagem, quando ouviu o seu nome sendo chamado pelo sistema de som, além de ver o seu nome piscando nos monitores.

“Eu sentei na cadeira. Estava desejando terminar os meus 15 minutos de massagem antes. Então percebi que, talvez, não devesse [terminar]”, falou Berninger.

“Eu fiz com que o aeroporto de Honolulu fosse evacuado por cerca de 45 minutos. Tive que deixar o meu alarme para a TSA [a administração de segurança dos transportes nos EUA], mas eles foram muito simpáticos e profissionais. Eles fizeram um grande trabalho. Agradeci a eles e me deixaram ir.”

Fonte: G1 - Foto: Daigo Oliva/G1

Aviação israelense fere palestino na Faixa de Gaza

A aviação israelense realizou três ataques na madrugada desta sexta-feira contra a Faixa de Gaza, ferindo um palestino, informaram testemunhas e fontes médicas. O palestino ficou ferido no ataque à cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, junto à fronteira com o Egito.

Os outros dois ataques, que não deixaram vítimas, atingiram a zona do antigo aeroporto, no sul, e a cidade de Beit Hanoun, no norte do território. Uma porta-voz militar israelense não confirmou ou negou a informação à AFP.

Durante a quinta-feira, foram disparados 12 tiros de morteiro da Faixa de Gaza contra o território de Israel, sem causar vítimas.

Fonte: AFP via Diário do Grande ABC

Greves na Europa penalizam TAP e obrigam ao cancelamento de voos

A TAP foi ontem obrigada a cancelar oito voos e a enfrentar atrasos devido à greve geral da função pública em França. Hoje prevê-se que a operação da transportadora portuguesa no país regresse à normalidade.

O problema é que a vizinha Itália também vai paralisar, o que significa que os impactos da contestação que está a acontecer por toda a Europa não deverão ficar por aqui.

Ao longo do dia de ontem, a companhia de aviação registou atrasos nos voos e oito cancelamentos. Um deles já estava previsto, na sequência dos apelos das autoridades francesas para que a operação aérea fosse reduzida 15 por cento por causa da greve. Os restantes sete foram suspensos por causa dos "constrangimentos ao nível do controlo do tráfego", que resultou na perda do espaço reservado à TAP para voar, explicou fonte oficial.

A paralisação dos trabalhadores da função pública franceses, que protestaram contra o aumento da idade da reforma anunciado pelo Governo, terminou às 5h de hoje, o que significa que a TAP poderá ter sido obrigada a cancelar "pelo menos mais um voo durante a madrugada", referiu a empresa, acrescentando que hoje "a operação vai estar regularizada".

No entanto, apesar de os problemas em França estarem resolvidos, a transportadora aérea ainda terá de enfrentar a paralisação agendada para hoje, em Itália. O maior sindicato italiano, o CGIL, vai iniciar uma greve nacional contra o plano de austeridade do Governo, que inclui medidas de congelamento salarial.

UE e EUA partilham os céus

A Europa também está a protagonizar novos desenvolvimentos na relação aérea com os Estados Unidos. Ontem, Bruxelas assinou a segunda fase do acordo de Céu Aberto com o secretário de Estado dos Transportes norte-americano. Neste caso, a TAP diz que "não está previsto qualquer impacto", apesar de o protocolo alterar as regras do jogo transatlântico.

O acordo facilita a entrada de empresas europeias nos Estados Unidos, quer por opção comercial, quer por compra de participações nas suas congéneres, que vão deixar de estar limitadas a um máximo de 25 por cento do capital. A Comissão Europeia estima que resulte em benefícios económicos de 12 mil milhões de euros e na criação de 80.000 novos postos de trabalho.

Fonte: Raquel Almeida Correia (Público.pt)

Aviação da Venezuela com queda de 40 por cento na venda de bilhetes

A Associação de Linhas Aéreas Venezuelanas (ALAV) revelou hoje que desde Janeiro último as operadoras registam uma quebra de 40 por cento na venda de bilhetes relativamente a igual período de 2009.

“É uma crise que como há muito tempo não acontecia”, disse Humberto Figuera, presidente da ALAV, organização que responsabiliza a desvalorização do bolívar forte e a subida de custos operacionais para a quebra nas vendas.

Em Janeiro deste ano, o Governo venezuelano desvalorizou o bolívar forte (BsF moeda nacional), que passou de 2,15 para 4,30 contra o dólar norte-americano, com excepção da importação de medicamentos e alimentos, que se realizam a 2,60 BsF.

Segundo Figuera, as companhias aéreas nacionais e internacionais registavam desde 2006 um crescimento sustentado na venda de bilhetes, mas no primeiro semestre caíram para valores inferiores aos registados no ano 2000.

O mesmo responsável explicou que na Venezuela operam 32 companhias internacionais e 11 nacionais, muitas delas fazendo um “esforço importante” e “voando com prejuízos para cumprir os horários”.

Humberto Figuera explicou também que as companhias enfrentam ainda dificuldades devido à falta de dólares no país, motivada pela descida dos preços do petróleo, com muitas delas a verem atrasados os pedidos de acesso a moeda estrangeira para honrar compromissos.

Na Venezuela vigora desde 2003 um sistema de controlo cambial que impede a livre obtenção de moeda estrangeira, podendo o Governo autorizar os cidadãos, através da Comissão de Administração de Divisas (Cadivi), a gastar nas suas viagens ao estrangeiro até ao equivalente a 2500 dólares anuais e até 400 dólares para compras electrónicas.

Sem revelar dados sobre a quantidade de bilhetes vendidos, Humberto Figuera explicou que, para as companhias aéreas poderem ter alguma rentabilidade “deveriam aumentar as tarifas em 60 por cento”, já que os preços estão intactos, em dólares, desde Maio de 2009, pese embora os custos operacionais terem aumentado 60 por cento.

Fonte: Agência Lusa

Voo TAM: "Foi Deus quem nos salvou quando a luz do aparelho acendeu", diz senador

Avião fez manobra para evitar colisão em São Paulo na noite de ontem

O senador Romeu Tuma (PTB-SP) estava no voo JJ3717 da TAM, quando o piloto precisou fazer uma manobra de emergência para escapar de uma colisão contra outra aeronave, na noite de ontem. Nesta manhã, em entrevista a zerohora.com por telefone, Tuma agradeceu a Deus por ter protegido a aeronave e afirmou que a Anac precisa investigar o incidente para que tragédias como a do jato Legacy, por exemplo, não se repitam.

— Foi Deus quem nos salvou quando a luz do aparelho acendeu. O equipamento de segurança do avião detectou a presença de outra aeronave na mesma rota, o que fez com que o piloto fizesse uma manobra para evitar uma colisão — disse Tuma.

O voo estava normal até cerca de 15 minutos antes da aterrissagem, contou o senador. Ao se aproximar de São Paulo, a aeronave se desestabilizou e a violência, do que para os passageiros parecia ser uma turbulência, foi tanta que uma aeromoça chegou a cair no colo de um dos passageiros.

— Foi um susto. As pessoas começaram a gritar. Eu até comentei, brincando, com o homem que estava ao meu lado: será que bateu? É que a impressão que dava era de que o piloto tinha jogado o avião para a direita e, em seguida, sentimos uma queda brusca. Estou acostumado a voar e sabia que aquilo não era uma simples turbulência — relatou.

Durante todo o final do voo até o trajeto de desembarque, nenhuma informação foi repassada aos passageiros, exceto um pronunciamento do piloto dizendo que foi obrigado a fazer uma manobra brusca, de acordo com o senador.

— Descemos do avião, e entramos direto no ônibus que faz o transporte até o saguão do aeroporto. Não tivemos nenhuma informação da companhia em solo. Apenas mais tarde, quando vimos a nota da empresa e a notícia na imprensa é que tomamos conhecimento da tragédia que poderia ter ocorrido.

Ontem, a aeronáutica divulgou uma nota dizendo que iniciou a investigação para apurar a manobra de emergência feita pelo voo da TAM na rota Brasília-São Paulo. O órgão vai ouvir as gravações de radar e das comunicações.

Segundo nota da companhia aérea, os equipamentos do voo 3717 detectaram 'a presença de outra aeronave na mesma rota'. O comandante seguiu todos os procedimentos de segurança indicados nesses casos e informou aos passageiros o que havia ocorrido. O avião pousou em Congonhas, sem qualquer outra ocorrência, às 18h52min e os 171 passageiros que estavam no voo desembarcaram em seguida.

De acordo com o site da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o voo JJ 3717 saiu de Natal, fez escala em Brasília e pousou em Congonhas às 18h52min. Os passageiros desembarcaram em seguida.

Fonte: Kamila Almeida (Zero Hora)

Companhia aérea anuncia voo direto de Brasília para Miami

Brasilienses que sempre sonharam em passear por Miami já podem começar a se planejar. A companhia American Airlines anunciou ontem o início da operação de uma rota direta entre a capital federal e a cidade americana a partir de 20 de novembro deste ano. As passagens poderão ser adquiridas a partir de domingo. A princípio, enquanto não é implantado um ponto de vendas da American Airlines no Aeroporto Juscelino Kubitschek, a compra poderá ser feita via internet, no site da companhia ou nas agências de turismo de Brasília. A Orifram Viagens e Turismo, situada no Setor Comercial Sul, representante da empresa americana no Distrito Federal, deve receber o maior preparo para a venda dos bilhetes aéreos.

De acordo com Dilson Verçosa Jr., representante-geral da American Airlines para o Brasil, a tarifa para Miami está definida, mas, por questões estratégicas, será mantida em sigilo até domingo. “Posso adiantar que será um valor bastante agressivo, para alavancar as vendas”, declarou Verçosa.

O trecho será feito por uma aeronave Boeing 757 com 182 assentos. Desses, 16 serão para classe executiva e 166 para classe econômica. Os voos partirão do Aeroporto Juscelino Kubitschek quatro vezes por semana: segunda-feira, quinta-feira, sábado e domingo. O horário de saída de Brasília será sempre 11h05, com chegada aos Estados Unidos prevista para as 15h45 do fuso horário daquele país. Voos de retorno estarão disponíveis nos mesmos dias, partindo às 23h10 dos EUA e aterrisando no Brasil às 9h35. Além da rota direta, a American oferecerá conexões para mais de 40 cidades americanas via Miami, entre elas Atlanta, Boston, Chicago, Dallas, Denver, Las Vegas, Los Angeles, Nova York, Newark, Orlando, Filadélfia, San Francisco, St. Louis e Tampa.

Com a criação do novo trecho, Brasília ganha seu quinto destino internacional a partir do Aeroporto Juscelino Kubitschek. Atualmente, existem voos para Lisboa, Portugal, pela companhia aérea TAP; para Atlanta, nos EUA, pela Delta Airlines; para Rosário, na Argentina, e Aruba, no Caribe, pela Gol. Além disso, a partir de agosto deste ano, a companhia Lan começa a operar em Brasília uma rota com destino a Lima, capital peruana. A American Airlines também anunciou voos diários para Nova York, no Rio de Janeiro e em São Paulo, a partir de 18 e 19 de novembro, respectivamente, com passagens disponíveis igualmente a partir de domingo próximo.

Fonte: Mariana Branco (Correio Braziliense)

Incidente em Congonhas: “O avião imbicou de repente. Foi tudo rápido, brusco e com muita gritaria”, diz ex-ministro

O ex-ministro de Minas e Energia e ex-senador Rodolpho Tourinho, hoje vice-presidente da Claro, era um dos 171 passageiros que estavam no voo 3717 da TAM, que vinha de Brasília para São Paulo, e teve de fazer uma manobra brusca para desviar de outra aeronave momentos antes de chegar à capital.

“O avião imbicou de repente. Difícil calcular o ângulo, mas era nítido que não se tratava de turbulência”, contou Tourinho. Segundo ele, não houve tempo nem para que os alertas de apertar os cintos fossem acesos.

“Houve muita gritaria, principalmente, das mulheres e crianças que estava no avião”, disse.

Para Tourinho, a revolta dos passageiros ocorreu pelas explicações dadas pela TAM. De acordo com o relato, o comandante limitou-se a dizer que se tratava de um tráfego vindo do terminal.

“O próprio comandante não foi explícito. Depois, na saída, uma aeromoça chegou a dizer que poderia ser um balão. Claro que não era”, afirmou.

Fonte: Guilherme Barros (iG)

Em três minutos no ar

REFORÇO NA TROPA DO RS

O helicóptero modelo MD500 que a governadora Yeda Crusius entregou ontem é uma aeronave para múltiplas missões, que pode ser utilizada em operações de patrulhamento, busca e salvamento, conforme explica o capitão Paulo Eduardo Dutra dos Santos, comandante do 3º Esquadrão da BM.

De fabricação americana, o helicóptero ficará à disposição de 60 municípios localizados na Serra e nas regiões Norte, Noroeste e Planalto do Rio Grande do Sul.

Com capacidade para quatro pessoas – dois pilotos e dois tripulantes com armamento e outros equipamentos –, a aeronave tem autonomia de voo de duas horas e meia em altitude mínima de 500 pés (aproximadamente 150 metros) e velocidade média de 250 km/h.

– É uma aeronave capaz de cumprir todas as missões que uma aeronave policial pode e deve desempenhar, além de dar suporte para as equipes em terra – destaca o comandante.

De acordo com o oficial, o helicóptero pode ser acionado a qualquer momento pelos comandos locais da BM, uma vez que pode estar no ar em cerca de três minutos. O MD500 soma-se ao avião Ximango que já era usado em operações policiais, mas que necessita de um teto maior para voar.

Atualmente, o 3º Esquadrão conta com um efetivo de seis servidores, sendo dois pilotos e quatro tripulantes.

Fonte: Zero Hora - Foto: Diego Adami

TAM encerra voo Marília-Congonhas da Pantanal a partir de agosto

Falta de estrutura do aeroporto local é a principal justificativa para mudança

As tentativas da comitiva mariliense em reverter a decisão da TAM de alterar os pousos da rota Marília – São Paulo, pela Pantanal, de Congonhas para Guarulhos não surtiram efeito. Intransigente, a direção da companhia manteve a alteração, que passa a valer a partir de 1º de agosto.

A notícia foi dada pelo vice-presidente da TAM, Paulo Castelo Branco, durante reunião ontem em São Paulo, que teve as presenças do presidente da Acim, Sérgio Lopes Sobrinho, do diretor regional do Ciesp, Flávio Peres, do prefeito Mário Bulgareli e do presidente da Câmara, Eduardo Nascimento.

A justificativa para a alteração é a falta de estrutura do aeroporto local para receber aeronaves de maior porte – um dos critérios da empresa – e também a sobrecarga do aeroporto de Congonhas. Assim, as duas companhias que operam em Marília terão o mesmo destino, sem dar opção aos passageiros.

A coordenadora financeira Luciene Martins avalia que a alteração vai implicar em grandes prejuízos ao município. “É uma rota muito utilizada por pessoas que viajam à negócios e o fato de ter que se deslocar até São Paulo e voltar depois, sujeito a trânsito e outras questões, complica bastante”.

Bruno Trevisan da Silva, outro coordenador financeiro, acredita ser mais vantajoso partir de Bauru ou Presidente Prudente do que desembarcar em Guarulhos. “Pelo menos assim já desembarca no centro de São Paulo. Sem falar no custo do translado que encarece muito a viagem”.

Fonte: Diário de Marília

Após falha, Boeing inspecionará frota antes de teste em novo 787

A Boeing vai inspecionar toda sua frota de jatos 787 Dreamliners antes de novos voos de teste após ter identificado uma "questão de acabamento" que afeta os estabilizadores horizontais da aeronave, informou a companhia no final da quinta-feira.

A companhia divulgou esperar que o assunto seja resolvido dentro do atual cronograma de desenvolvimento e que o 787 está a caminho de sua primeira entrega para a All Nippon Airways no fim deste ano.

Ajustar cada avião levará até oito dias, informou a empresa em comunicado.

A produção do avião de compósito de carbono foi atrasada cinco vezes nos últimos três anos e o primeiro voo do aparelho foi adiado por seis vezes por conta de falta de componentes, problemas de design e uma greve de dois meses na fábrica da Boeing.

A Boeing já recebeu mais de 850 encomendas do avião.

Fonte: Reuters via Terra - Foto: Divulgação

Aeronáutica vai ouvir piloto da TAM que fez manobra anticolisão

Caso ocorreu na noite de quinta-feira, quando avião se preparava para pousar.

Segundo empresa, equipamento mostrou 'outra aeronave na mesma rota'.


Técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), devem ouvir o piloto de um avião da TAM que fez uma “manobra evasiva” na noite desta quinta-feira (24) quando se preparava para pousar no aeroporto de Congonhas. Segundo nota divulgada pela TAM, os equipamentos de bordo do avião detectaram “a presença de outra aeronave na mesma rota”.

De acordo com o Cenipa, os técnicos devem ainda coletar informações registradas pelo avião durante o voo e ouvir funcionários da área de controle de tráfego aéreo, da torre do aeroporto e do serviço de pátio. Não há prazo para que a investigação seja concluída, porque pode haver a necessidade de realização de perícias em equipamentos, por exemplo.

Para o órgão, ainda não é possível sequer afirmar se havia mesmo outra aeronave na rota do avião da TAM. De acordo com o Cenipa, o mau funcionamento de um equipamento ou mesmo a decolagem de um helicóptero que tenha cruzado a rota do avião por segundos e a uma grande distância poderiam influenciar nos sistemas de informação de navegação da aeronave.

O problema como avião da TAM ocorreu no ínicio da noite desta quinta-feira. Segundo a empresa, o comandante seguiu os procedimentos de segurança prescritos para essas circunstâncias e que os passageiros foram informados do ocorrido. Ainda de acordo com a empresa, o aparelho pousou, em seguida, sem consequências, às 18h52.

De acordo com o site da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o voo 3717 saiu de Natal, fez escala em Brasília e pousou em Congonhas.

Uma passageira que estava na aeronave relatou ao G1 que o comandante já havia anunciado o início dos procedimentos de descida quando ocorreu a queda brusca. Mesmo usando o cinto de segurança, ela sentiu que levantou “uns dois palmos” da poltrona.

Segundo ela, o comandante afirmou que precisou realizar a manobra por causa do tráfego aéreo. Os passageiros ficaram assustados e houve gritos e choros no voo. A assessoria de imprensa da TAM disse que não houve necessidade de atendimento de passageiros após o pouso.

O senador Romeu Tuma (PTB-SP) também estava a bordo. "Entendi mais ou menos que foi uma manobra para evitar colisão. O comandante falou que teve de fazer uma manobra ríspida. Eu fiquei preocupado com a gritaria, mas achei que fosse aquelas quedas que dão naturalmente no voo. A aeromoça caiu no colo de alguém. Foi muito rápido", diz ele. "Ele afundou em direção ao chão e deu uma balançada."

Fonte: G1

Cachorra fujona escapa de voo e pula na água nos Estados Unidos

Nina saiu do avião assustada e correu de funcionários do desembarque.

Animal foi capturado por policiais depois de 40 minutos de fuga.

Uma cachorra conseguiu escapar da jaula durante um voo nos Estados Unidos e fugiu dos funcionários do desembarque, pulando na água.

Nina foi capturada e entregue ao dono em aeroporto de Nova York

Nina estava no setor de carga do avião que voava de Houston para Nova York quando conseguiu abrir a jaula e esperou o momento certo de fugir. Já no desembarque, ela correu assim que o compartimento do avião foi aberto.

A cachorra percorreu o aeroporto de LaGuardia, cruzou avenidas e pulou na baia de Flushing. Policiais foram chamados para resgatar o animal, que ficou 40 minutos na água.

“Só quero que ela esteja bem. Deve estar estressada porque estamos fora de casa desde cedo”, explicou Joe Donofrio, dono de Nina.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução/WTNH