terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Erro de piloto causou queda do avião da Ethiopian, diz fonte

Erro do piloto foi a causa do acidente aéreo da Ethiopian Airlines próximo à costa libanesa no mês passado que matou todas as 90 pessoas a bordo, informou uma fonte ligada à investigação do acidente nesta terça-feira.

"A equipe de investigação chegou a uma conclusão prévia de que foi um erro do piloto, baseado nas informações na caixa-preta", disse a fonte à Reuters.

Uma equipe de investigação envolvendo autoridades libanesas, francesas e etíopes foram à França na segunda-feira com os gravadores, conhecidos como "caixas-pretas", para análise.

O Boeing 737-800 se acidentou minutos depois de decolar de Beirute, dia 25 de janeiro. Os corpos de pelo menos 23 vítimas foram resgatados até agora.

Fonte: Nadim Ladki (Reuters) via O Globo

Líbano diz que avião da Ethiopian Airlines explodiu em pleno voo

Parentes das vítimas do acidente com avião da Ethiopian Airlines acompanham o trabalho de resgate do exército libanês em Naameh, sul de Beirute

O avião da Ethiopian Airlines que caiu no litoral do Líbano, em 25 de janeiro com 90 passageiros a bordo, explodiu em pleno voo pouco depois de decolar do aeroporto de Beirute, informou nesta terça-feira o ministro libanês da Saúde.

"O avião explodiu em pleno voo e a fuselagem, assim como as pessoas a bordo do mesmo, foram jogadas no mar, em diferentes lugares", indicou a imprensa Mohammad Jawad Khalifé, explicando as razões pelas quais alguns dos corpos resgatados se encontravam desmembrados.

É a primeira vez que um funcionário do governo libanês afirma em públilco que o Boeing 737-800 explodiu minutos depois de decolar durante uma tempestade.

Um funcionário do ministério da Defesa havia indicado no dia do acidente que o Boeing se desintegrou em quatro partes antes de cair. Várias testemunhas afirmaram ter visto uma bola de fogo cair no mar.

Depois do acidente do avião etíope, o governo libanês descartou imediatamente a hipótese de um ato de sabotagem.

A cabine do piloto, a parte traseira do aparelho e outros pedaços foram encontrados, assim como as caixas pretas.

Indagado pela AFP, o ministro do Transporte, Ghazi Aridi, se negou a fazer comentários.

Vários especialistas consultados pela AFP assinalaram que o mau tempo pode não ter sido a única causa da catástrofe, e aventaram um problema de motor ou da parte hidráulica do aparelho.

Fonte: AFP

Astronautas verificam ônibus espacial em busca de danos

O impacto de um pedaço de espuma causou a brecha na proteção térmica que condenou o Columbia em 2003

O compartimento de carga aberto do Endeavour, com o módulo Tranquility em seu interior

Os astronautas do ônibus espacial Endeavour inspecionaram sua nave nesta terça-feira, 9, em busca de danos, enquanto voavam para o encontro, a 320 km de altitude, com o a Estação Espacial Internacional (ISS).

Pouco mais de um dia após o lançamento, a tripulação usou um braço mecânico de 100 metros, com um sensor laser na ponta, para checar o estado da blindagem térmica nas asas e do nariz da nave.

Poucos pedaços da espuma isolante do tanque externo de combustível soltaram-se na decolagem, incluindo uma faixa estreita de 30 centímetros de comprimento, mas não há sinais de que algo tenha atingido a nave.

O impacto de um pedaço de espuma causou a brecha na proteção térmica que condenou o Columbia em 2003, e desde então todo ônibus espacial é detalhadamente inspecionado após o lançamento.

O Endeavour deve alcançar a ISS na quarta-feira cedo, quando realizará uma pirueta no espaço para que as Câmeras da base orbital possam fotografar a nave de vários ângulos, novamente em busca de danos.

O ônibus espacial leva um novo aposento para a ISS, bem como a maior janela já lançada ao espaço, parte de um compartimento que terá um domo transparente.

A ISS estará 98% completa assim que o novo aposento, Tranquility, e o domo de sete janelas tiverem sido instalados, na última grande obra da ISS. A construção da estação já dura 11 anos.

Fonte: AP via Estadão

Tripulação do Endeavour conclui inspeção das proteções térmicas

A tripulação do ônibus espacial norte-americano Endeavour, lançado na segunda-feira da Flórida, concluiu nesta terça-feira de manhã a inspeção de rotina em órbita das proteções térmicas do "nariz" da aeronave e do bordo de ataque de suas asas, indicou a Nasa.

Os astronautas utilizaram um braço robótico do ônibus, que possui uma extensão com uma câmera de alta resolução e um laser. Os tripulantes inspecionaram as proteções térmicas para detectar eventuais danos produzidos por impactos de gelo ou restos de espuma isolante que se soltaram do tanque externo durante os primeiros minutos da ascensão.

As imagens foram transmitidas para o Centro de Controle de Houston (sul do Texas) para serem analisadas.

Além dessa inspeção, que durou aproximadamente sete horas, os seis astronautas do Endeavour, entre eles uma mulher, se prepararam para as operações de acoplamento com a Estação Espacial Internacional (ISS), que deve se unir à aeronave pouco depois da meia-noite de quarta-feira (03h06 de Brasília).

Os astronautas, que foram descansar às 09h00 desta terça-feira (12h00 de Brasília), serão despertados às 20h14 de Brasília para iniciar as operações de aproximação com a ISS.

O objetivo desta missão de 13 dias é a instalação do módulo ''Tranquility'' (Tranquilidade), também chamado de Nodo 3, e da cúpula de observação ''Cupola'', fabricados para a Nasa pelo grupo europeu Thales Alenia Space, com os quais a ISS ficará 90% completa.

A instalação do Tranquility (18 toneladas, 7 m de largura e 4,5 m de diâmetro) e da Cupola (1,9 tonelada, 1,5 m de largura e 2,9 m de diâmetro) exigirá três saídas orbitais de uma equipe de dois astronautas com duração de seis horas e meia cada uma .

O ''Tranquility'' terá o sistema de suporte de vida mais sofisticado já instalado no espaço, que inclui um sistema de saneamento e outro de controle atmosférico, assim como um compartimento de banheiros para a tripulação.

A ''Cupola'', com seis janelas laterais e uma central, oferecerá uma vista incomparável da Terra a partir da ISS.

Também terá uma função chave com sua estação de trabalho robotizada, de onde serão controladas as operações de manutenção da ISS e a instalação de outras estruturas no futuro.

Fonte: AFP via Terra

EUA: Engenheiro chinês pega 15 anos de prisão por espionagem aeroespacial

Um engenheiro chinês foi condenado a 15 anos de prisão nesta segunda-feira nos Estados Unidos, por vender à China tecnologia vinculada ao programa dos ônibus espaciais da NASA, informaram funcionários americanos.

Greg Dongfan Chung, de 73 anos, era acusado de atuar como agente para a República Popular da China, para a qual roubou tecnologia e segredos comerciais durante três décadas. Ele havia sido indiciado em julho de 2009.

Chung trabalhava desde 1973 na Rockwell International até a unidade de defesa e espaço ter sido adquirida pela Boeing em 1996.

Segundo o magistrado Cormac Carney, a sentença lida durante o final do processo em Sant'Ana, periferia de Los Angeles, Califórnia (oeste), pretende enviar mensagem ao governo chinês: "parem de enviar espiões" aos Estados Unidos.

Nascido na China e nacionalizado americano, Chung tinha acesso a documentos "secretos" sobre o programa dos ônibus espaciais quando trabalhava para a Rockwell e a Boeing, segundo a promotoria.

Fonte: AFP via G1 - Foto: AP

American Airlines passará a cobrar por travesseiro e cobertor em voos

Kit custará US$ 8 em voos da classe econômica.

Outras aéreas nos EUA já cobram por esses itens.


Aeronaves da American Airlines em aeroporto de Arlington, Virgínia

A American Airlines passará a cobrar por cobertores e travesseiros em voos da classe econômica a partir de 1 de maio. Em voos com mais de duas horas, passageiros da classe econômica poderão comprar cobertor e travesseiro por US$ 8.

A cobrança valerá para voos domésticos e alguns internacionais: de e para o Canadá, México, Havaí, Caribe e América Central.

Conforme disse a porta-voz Andrea Huguely na segunda-feira (8), a decisão foi econômica. "A American Airlines avalia todos os aspectos do negócio para garantir que as decisões econômicas sejam prudentes e estratégicas para o sucesso da empresa a longo prazo".

Por US$ 8, o passageiro comprará uma manta azul de lã, um travesseiro inflável para pescoço e um cupom de US$ 10 de desconto em compras acima de US$ 30 na Bed Bath & Beyond Inc, organizados em uma bolsa com zíper.

Huguely disse que cobertores continuarão gratuitos em vôos de primeira classe e em outros voos internacionais.

Outras cobranças

A American não é a primeira companhia americana a cobrar pelo serviço. A JetBlue já oferece kits de US$ 7 para passageiros que desejam cobertor e travesseiro.

Desde agosto de 2008, a JetBlue passou a vender "O kit de travesseiro e cobertor mais limpo do mundo", que incluía um cupom de US$ 5 para compras da Bed, Bath & Beyond.

Em fevereiro do ano passado, a US Airways lançou um kit de manta de lã, travesseiro inflável, protetor para olhos e tampões para o ouvido cuidadosamente embrulhado em uma bolsa com a logo da companhia, além de um cupom de US$ 10 para compras na SkyMall.

Fonte: G1 (com informações de agências internacionais) - Foto: AFP

Compras do País embalam setor bélico da França

O governo brasileiro garantiu à França lucros importantes com as exportações de armamentos em 2009. Enquanto os gastos militares no planeta sofreram uma freada no ano passado diante da crise financeira, as vendas francesas ao mundo tiveram uma alta de 21%, atingindo 7,95 bilhões de euros.

Quase metade das vendas em 2009 é referente a contratos fechados pelos franceses para as exportações de quatro submarinos ao Brasil. Para este ano, o contrato com o Brasil é mais uma vez a esperança dos franceses, que nunca conseguiram exportar a nenhum mercado seu caça Rafale, fabricado pela empresa Dassault.

Os dados são da Direção Geral de Armamentos da França, entidade governamental ligada ao Ministério da Defesa. Em 2008, as vendas de Paris haviam atingido 6,58 bilhões de euros. No final de 2008, os dois países anunciaram que haviam fechado um acordo de 3,7 bilhões de euros para a compra de quatro submarinos de ataque Scorpène. O acordo foi assinado no ano passado. O governo alemão havia oferecido uma proposta com preço inferior ao que foi oferecido pela França.

Para 2010, o governo francês indica que a meta é de obter exportações ainda superiores às taxas de 2009. Mais uma vez, o Brasil promete ser a grande esperança, com a compra de 36 aviões Rafale. Ontem, em uma coletiva de imprensa em Paris, o diretor-geral do órgão governamental, Jacques de Lajugie, indicou que a França espera "com serenidade" a decisão do governo brasileiro sobre os caças.

Os franceses teriam oferecido um desconto. Dos US$ 8,2 bilhões (R$ 15,1 bilhões) iniciais, o contrato ficaria em US$ 6,2 bilhões (R$ 11,4 bilhões). O valor inicial era considerado muito alto e o governo brasileiro exigiu a redução para garantir a compra e confirmar que a França é seu parceiro militar estratégico.

Os Emirados Árabes Unidos também negociam a compra do avião com os franceses, mas nos últimos anos a tentativa de Paris de exportar seu caça fracassou em todas as ocasiões.

Ontem o governo francês indicou a compra de 60 caças de sua própria empresa, além de gastos em outros equipamentos. Em 2009, a França gastou 19,3 bilhões de euros para se rearmar.

A França é hoje o quarto maior exportador de armas do mundo, superado por Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. O país vinha perdendo espaço, mas com a retomada das vendas, a meta é atingir 10 bilhões de euros em vendas no médio prazo. A França comemora ainda as vendas para a Rússia de um navio militar anfíbio. A encomenda russa tem alarmado as ex-repúblicas soviéticas.

Fonte: Jamil Chade (Estadão)

Família de copiloto morto em sequestro ganha ação

O juízo da 4ª Vara Federal de Curitiba, condenou a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária) a pagar indenização por danos morais a familiares de um copiloto de aeronave morto em 1988, durante um sequestro de avião.

A aeronave VP 375 vazia a rota Porto Velho - Cuiabá - Brasília - Goiânia - Belo Horizonte - Rio de Janeiro, no dia 29 de setembro de 1988, quando, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-MG, um homem armado embarcou com o objetivo de sequestrar o avião, retornar a Brasília e supostamente arremessar a aeronave contra algum prédio do governo federal. O copiloto foi atingido pelo disparo da arma de fogo do sequestrador e faleceu.

A Justiça Federal considerou que houve falha na segurança, o que resultou na morte do co-piloto da aeronave. Passageiros e bagagens não foram submetidos a detectores de metais e equipamentos de raio X antes do embarque, sob alegação que este procedimento não era realizado em voos domésticos.

A Infraero foi condenada a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 100 mil para a filha e o mesmo valor para os pais da vítima. A empresa ainda pode recorrer da decisão.

Fonte: Paraná Online

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

O primeiro voo do Airbus A340-642, prefixo F-WWCE, partindo do Aeroporto Toulouse-Blagnac (TLS/LFBO), na França, em 26 de janeiro de 2010. Em breve, esta aeronave vai integrar a frota da Iberia.


Foto: T.Laurent (Airliners.net)

EuroAtlantic airways apresenta novo Boeing 767-300 Cargo em Lisboa

O Presidente do Conselho de Administração da EuroAtlantic Airways, Tomaz Metello, apresenta na próxima quarta-feira (10), às 17:00 horas em Lisboa, o novo avião da companhia Boeing 767-375/ER(BDSF) (cargo), prefixo CS-TLZ / 248, o primeiro a nível mundial reconvertido pela IAI - Israel Aerospace Industries.

A nova aeronave da frota nacional pode transportar 56.000 Kgs a uma distância de 5.800 Km. (3.100 milhas náuticas), pode transportar 56.000 Kgs (125 Mil Libras), aumentando o raio de acção para 6.900 Km. (3.700 milhas náuticas), mostra apenas uma pequena quebra na capacidade, 51.000 Kgs. (51 Ton.), explicou Metello.

Após 14 meses de trabalho intenso, o Boeing 767-375 decolou ontem (7) do Aeroporto Tel Aviv-Ben Gurion (TLV/LLBG), em Israel, com a primeira entrega da Euro Atlantic Cargo

Fontes: Mercado & Eventos / Airliners.net - Foto: Yochai Mossi - AirTeamImages (Airliners.net)

Último sobrevivente de queda de avião no Pará recebe alta

O copiloto Felipe Teixeira, de 27 anos, recebeu alta do Hospital Regional de Altamira, neste final de semana. Ele era o último sobrevivente da queda de um avião no município de Senador José Porfírio, sudoeste paraense, que continuava internado. No acidente, ocorrido no último dia 25, oito pessoas ficaram feridas e duas morreram.

Felipe ficou internado durante 15 dias com várias fraturas pelo corpo. Outros sete feridos foram internados e receberam alta poucos dias após a queda do avião. O piloto Carlos Alberto Navarro, 50 anos, e o empresário Luiz Rebelo, 59 anos, do Grupo Reicom, morreram no acidente.

O avião monomotor da empresa Piquiatuba transportava dez passageiros quando caiu na fazenda de propriedade do Grupo Reicom. As causas do acidente ainda não são conhecidas e estão sendo investigadas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa).

Fonte: Portal ORM via O Globo - Arte: Diário do Nordeste

Cabo Verde: São Vicente recebeu primeiro voo internacional

A TACV companhia aérea de bandeira de Cabo Verde, realizou no dia 6 o primeiro voo entre Boston e Aeroporto Internacional de São Pedro (São Vicente), aberto desde dezembro. Foi o primeiro voo comercial internacional a aterrar no novo aeroporto.

O voo levou 170 passageiros a bordo, dos quais 139 tinham São Vicente como destino, os restantes outras ilhas de Cabo verde, principalmente São Nicolau.

Em conferência de imprensa em Cabo Verde, Georgina Benrós de Mello, administradora comercial da companhia, afirmou tratar-se de “uma viagem histórica, pois é o primeiro voo comercial de passageiros com origem no estrangeiro a aterrar no aeroporto de São Pedro”.

O segundo também será a partir de Boston, a 13 de fevereiro, e o terceiro de Paris, no dia 15.

Estes voos são realizados a título de oferta adicional face aos habituais voos internacionais para a Ilha do Sal e para a cidade da Praia, na Ilha da Santiago, tendo em vista o Carnaval, época especialmente celebrada em São Vicente.

Segundo a administração da companhia são também um teste ao mercado no sentido de vir a realizar voo regulares internacionais para São Vicente.


Fonte: Turisver (Portugal) - Foto: Francisco (Chico) Sousa

Boeing 747-8 de carga faz 1º voo

Avião, o maior da empresa, decolou de Everett, no estado de Washington.

Com 76,2 m de comprimento, ele deve ganhar versão para passageiros.

A Boeing realizou nesta segunda-feira o primeiro voo do 747-8 versão cargueiro, após dois adiamentos. A decolagem no final desta tarde (horário de Brasília) foi em Everett, no estado americano de Washington, rumo a Seattle, com sobrevoo da área próxima à fábrica da empresa, em Seattle, no Estado americano de Washington.

A primeira entrega do avião está prevista para o quarto trimestre deste ano. O 747-8 cargueiro foi inicialmente anunciado em novembro de 2005 e pelo cronograma original deveria ter sua primeira entrega no quarto trimestre de 2009.

O modelo, que é 5,48 m mais longo que o 747-400, tem 108 encomendas, sendo 76 para a versão cargueiro e 32 para a de passageiros. Os preços de lista variam entre US$ 293 milhões e US$ 308 milhões.

A companhia teve gastos extras de US$ 1 bilhão relativos ao desenvolvimento do 747-8 no terceiro trimestre de 2009, relacionados a alta nos custos de produção e condições adversas do mercado.

Apesar de não ter tantas inovações ou ser tão econômico (na questão de combustível), o 747-8 compartilha tecnologia com o 787 Dreamliner, que é composto basicamente por materiais mais leves e carbono.

A linha do 747 está no ar desde 1969 e se destaca por ser o modelo mais reconhecido da Boeing em todo o mundo.




Fontes: Terra / G1 (com agências internacionais) - Foto: AP

Procurador recomenda condenação de dois franceses após tumulto em voo

Para Vicente Mandetta, eles colocaram em risco a viagem em dezembro.

Ele também pede a absolvição de mais três acusados; uma é francesa.


Para procurador, não há provas contra casal de brasileiros

O procurador da República em São Paulo Vicente Solari de Moraes Rêgo Mandetta pediu a absolvição de uma francesa e dois brasileiros acusados de tumultuar um voo da TAM no dia 6 de dezembro do ano passado.

Na mesma manifestação, ele recomenda a condenação de outros dois franceses que também estavam na aeronave. Os crimes envolvidos são: atentado contra a segurança aérea, desacato e resistência à prisão.

O parecer de Mandetta saiu na sexta-feira (5). Agora, cabe ao juiz decidir o destino dos cinco acusados. De acordo com o parecer dele, não há provas contra a turista Emilie Pires Camus, de 54 anos, e os casal de brasileiros Lucielen Clarice da Cunha, de 24 anos, e Frederico Batista Ritchie Júnior, de 31.

Já o português naturalizado francês Antonio do Nascimento, de 63 anos, segundo o procurador, deveria ser condenado por atentado contra a segurança de voo. O mesmo crime seria imputado ao também francês Michel Ilinskas, 61, único a ter ainda condenação sugerida por desacato e resistência à prisão. Ele saiu do avião algemado. A cena foi filmada e colocada no Youtube (veja abaixo).



Denúncia

Os cinco foram denunciados pelo Ministério Público Federal em janeiro. O caso ocorreu em 6 de dezembro, dentro da aeronave da TAM que faria o voo Guarulhos-Paris. Na ocasião, a empresa informou que houve um problema técnico que estava atrasando a decolagem. Em entrevista, os três estrangeiros contaram que a demora foi de quase quatro horas e, por isso, houve tumulto e irritação entre os passageiros.

Ilinskas, Nascimento, Emilie e o cônsul: a turista chora ao fazer apelo para deixar o Brasil

No entanto, assim como o casal de brasileiros, que falou pela primeira vez na semana passada, os franceses negam ter agredido qualquer integrante da tripulação ou ter invadido a cabine do piloto, como consta na denúncia feita pelo MPF. Os cinco acabaram presos por alguns dias em São Paulo e os três turistas continuam na capital paulista porque estão com o passaporte retido na Polícia Federal.

Fernando Abrahão, que defende Lucielen e Ritchie Júnior, considerou nesta segunda (8) “coerente” a posição do procurador. “Acho que ele se restringiu à parte legal dos fatos. Foi bastante correto”, afirmou ao G1. O advogado dos franceses não foi localizado para comentar o caso.

Fonte e fotos: Carolina Iskandarian (G1)

Senad apreende avião com coca e mata dois supostos traficantes

Na tarde de hoje, agentes da SENAD (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai apreenderam cerca de 500 quilos de cocaína em estado pura no interior de uma aeronave.

Na apreensão da droga que teria ocorrido na região da Colônia Lorito Picada, que fica situada a cerca de 40 quilômetros de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, consta que dois supostos envolvidos com o narcotráfico morreram e dois outros saíram feridos, após entrarem em confronto com os agentes da SENAD.

A carga da cocaína foi apreendida no momento em que um grupo a guardava nas imediações de uma pista de pouso e decolagem daquela região.

Extra-oficialmente, a SENAD informou que a carga da droga não estava destinada para o Paraguai, mais sim para um outro país, provavelmente o Brasil, no entanto, não está descartada a um outro da Europa.

Para chegar até ao grupo ligado ao narcotráfico e a carga da droga, consta que a SENAD contou com os trabalhos da inteligência, informou o promotor de Justiça paraguaio da anti-drogas Francisco de Vargas a emissora de rádio Primeiro de Março.

Dois mortos

No confronto segundo consta entre os agentes da SENAD e os que estavam na pista de aviação, duas pessoas, identificadas como Arsênio Lezcano González, 30, e Rony González, de 25 anos, saíram feridos enquanto dois outros ainda não identificados morreram na suposta troca de tiros.

A SENAD informa que Rony González seria filho de um suposto narcotraficante que vem operando na região de fronteira com seu grupo, conhecido por “Gringo” González.

Os agentes da SENAD quando fizeram o cerco ao grupo que no momento estava guardando o carregamento da cocaína foram recebidos a tiros.

A droga estava guardada em dez bolsas e de acordo com informações, seria de alta pureza. O prefixo e a origem do registro da aeronave não foram informados pela polícia paraguaia.

Fonte: Waldemar Gonçalves (Russo) agorams.com.br

Ações da LAN à venda

O milionário Sebastian Piñera que assumirá as funções de novo presidente do Chile no dia 11 de Março, já começou a vender suas ações da LAN, cumprindo assim a promessa feita durante a campanha eleitoral para evitar conflitos de interesses.

Nesse sentido, a sua empresa Axxion anunciou a venda de 19% dos ativos da companhia aérea.

A LAN é detida pela sociedade Costa Verde Aeronáutica, que pertence à família Cueto; por Sebastian Piñera, através da Axxion; pela sociedade Inversiones Santa Cecilia, cujo principal accionista é sua esposa de Piñera; e por diversos pequenos acionistas, representando cerca de 20% do total das acções.

Um dos interessados na compra das ações de Sebastian Piñera é a companhia aérea brasileira TAM.

Fonte: Opção Turismo

Justiça nega aumentar valor indenizatório por mala extraviada em viagem à China

R$ 18 MIL POR DANOS MORAIS E MATERIAIS

O TJ-SC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) julgou improcedente pedido de majoração do valor de indenização por danos morais e materiais ao passageiro Rodrigo Prigol, que teve a bagagem extraviada em viagem para China, realizada em agosto de 2007, com a empresa de aviação holandesa KLM Cia Real. De acordo com a 3ª Câmara Civil, a decisão anterior, da Comarca de Caçador, deveria ser mantida.

De acordo com os autos do processo, o passageiro comprou passagens aéreas de ida e volta para a cidade de Guang Zhou, na China. Partiu em 9 de outubro e retornou no dia 18 do mesmo mês, quando registrou o extravio de sua bagagem. Apenas três meses depois do fato recebeu correspondência da KLM, com a confirmação do extravio e o reembolso de 600 euros – cerca de R$ 1.500 na época – conforme os códigos de aviação.

Na decisão de primeira instância, ficou estabelecido cerca de R$ 15 mil de indenização por danos materiais – descontados os euros já pagos – e mais R$ 3.000 por danos morais. Inconformado, Rodrigo interpôs recurso ao TJ, alegando que o valor fixado para a indenização por danos morais revela-se desproporcional por tudo que o passou, e pediu a revisão da sentença.

Entretanto, no entendimento do relator da matéria, desembargador Fernando Carioni, é sabido que o prejuízo moral é de difícil comprovação, por atingir valores essenciais, uma vez que não se exteriorizam. Desse modo, a ele não se podem aplicar as mesmas regras relacionadas às provas dos danos materiais, dadas as suas diferentes naturezas.

“Este assunto já tinha sido abordado por ocasião da análise do apelo interposto pelo autor, e, assim, destacado o ato ilícito cometido pela companhia aérea e o consequente abalo moral experimentado pelo autor, tem-se como razoável e devidamente estabelecida a verba fixada.”

Fonte: Última Instância

TRIP e TAM criam nova rota que liga Congonhas a Campo Grande e Bonito (MS)

A TRIP Linhas Aéreas fechou acordo com a TAM para uma nova rota que liga São Paulo a Campo Grande e Bonito, em voo realizado às quintas-feiras e domingos. O novo voo (JJ-3772) parte de Congonhas, em aeronave da TAM, às 9h39, e chega a Campo Grande às 10h20. De Campo Grande a Bonito, o voo (T4-5504) é realizado em aeronave da TRIP, com saída às 11h20 e chegada às 11h55.

O retorno é realizado pelo voo da TRIP (T4-5505), com saída de Bonito às 12h10 e chegada em Campo Grande às 12h40, e pelo voo TAM (JJ-3773), que parte de Campo Grande, às 16h35, e chega a Congonhas às 19h10. A hora certa de todos esses voos, segue a configuração do horário local de cada cidade.

O acordo de compartilhamento de códigos de voo (code share) firmado entre as companhias permite que os clientes sejam beneficiados com a simplificação de reservas de voos, conexões em um único bilhete aéreo e despachos de bagagens até o destino final.

A diretora-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur), Nilde Brun, diz que esse code share é a realização de um sonho, pelo qual o trade turístico tem batalhado desde que a TRIP começou a operar Bonito. "Isso significa que a TAM vai colocar em seu sistema esse destino. Um turista que esteja em Miami (EUA), por exemplo, vai poder comprar o trecho inteiro Miami-Bonito".

De acordo com Nilde, a integração dos sistemas das duas empresas aéreas para a venda de passagens até Bonito facilita para o cliente que compra diretamente e também para as operadoras que comercializam pacotes. "A compra de 'trecho picado' é muito ruim. Agora, vai ser possível adquirir o bilhete de qualquer origem operada pela da TAM", ela explica.

A disponibilidade desse destino no sistema - e no site - de uma grande companhia como a TAM deve fazer aumentar o número de visitantes à cidade turística sul-mato-grossense, constantemente eleita o melhor destino de ecoturismo do Brasil. Embora o ideal seria já estar com o code share desde o fim do ano passado, a diretora-presidente da Fundtur lembra que ainda é alta temporada, e que a nova opção de voo vai ajudar a trazer mais turistas nesse início de ano.

Fonte: Notícias MS

Demanda de passageiros da Gol tem alta expressiva em janeiro

A Gol registrou em janeiro um aumento de 32,1 por cento na demanda de passageiros sobre igual mês de 2009 e um avanço de 8,5 por cento na comparação com dezembro, informou a companhia aérea na última sexta-feira.

A empresa transportou 3,07 milhões de passageiros no mês passado ante 2,32 milhões em janeiro de 2009 e 2,83 milhões em dezembro.

A Gol atribuiu a melhora na demanda em janeiro a um "efeito do melhor cenário econômico no Brasil e na América do Sul, principalmente sob o ponto de vista de confiança do consumidor".

A empresa também citou que aumento no número de passageiros transportados no exterior deve-se aos ajustes promovidos em sua malha com lançamento de voos para a região do Caribe.

Considerando apenas o mercado doméstico, a demanda da Gol cresceu 31,4 por cento na comparação anual e 5,3 por cento em relação a dezembro. No cenário internacional, os incrementos foram de 36,9 e de 35,3 por cento, respectivamente.

Enquanto isso, a capacidade total disponibilizada pelo grupo, que voa com as bandeiras Gol e Varig, cresceu num ritmo menor, avançando 16,8 por cento na comparação anual e 6,3 por cento quando confrontada com o último mês de 2009, para 3,94 milhões de lugares.

A taxa de ocupação total das aeronaves do grupo foi de 77,9 por cento no mês passado, contra 68,9 por cento em janeiro de 2009 e 76,3 por cento em dezembro.

Com relação ao preço das passagens cobradas no mês passado, a Gol afirmou que o medidor "yield" - que relaciona o que um passageiro paga por quilômetro voado - "manteve ritmo de recuperação gradual e no mês de janeiro ficou acima dos 19 centavos de real". Em dezembro, a companhia também havia informado nível acima desse valor.

As ações da Gol exibiam queda de 0,69 por cento, para 22,89 reais, às 12h28. No mesmo horário, o Ibovespa recuava 0,81 por cento.

Fonte: Alberto Alerigi Jr. (UOL Economia)

Setor de viagens corporativas fica praticamente estagnado em 2009

O pequeno crescimento, de 0,87%, é consequência da valorização do real, investimento em novas tecnologias e queda das tarifas aéreas internacionais

O setor de viagens corporativas ficou praticamente estagnado em 2009, com um crescimento de 0,87%. De acordo com o 4o IEVC (Indicadores Econômicos das Viagens Corporativas), divulgado nesta segunda-feira (8) no 5o LACTTE – Encontro Latino-Americano de Viagens Corporativas e Tecnologia, o mercado movimentou R$ 32,06 bilhões no ano passado. Entre os principais fatores do fraco desempenho estão a queda das tarifas aéreas de voos domésticos, a valorização do real em relação ao dólar e o investimento em novas tecnologias.

Em 2009, os segmentos de hospedagem, locação de automóveis e transporte aéreo apresentaram uma receita de R$ 17, 61 bilhões, contra R$ 17,46 bilhões registrados em 2008.

Segundo os dados da pesquisa, feita por Hildemar Brasil, doutor em Economia de Turismo, o mercado de viagens corporativas gerou 228.296 empregos diretos e 255.691 indiretos no ano passado, frente aos 255.691 e 254.524 postos de trabalho diretos e indiretos do ano anterior.

Fonte: revistapegn.globo.com

Webjet atinge 5 milhões e bate recorde em janeiro

A Webjet Linhas Aéreas, depois de fechar janeiro com um novo recorde de passageiros transportados – com um total de 437.484 pessoas, alta de 107,2% frente a igual período de 2009 –, ultrapassou os cinco milhões de clientes desde sua fundação. A marca foi atingida no dia 3 de fevereiro.

Criada em 2005, a Webjet Linhas Aéreas tem o Rio de Janeiro como principal base, e atua no segmento comercial operando em dez praças – Porto Alegre, Curitiba, São Paulo (Guarulhos), Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão), Belo Horizonte, Salvador, Brasília, Recife, Fortaleza e Natal – com uma frota formada por 20 aeronaves Boeing 737-300.

Fonte: Portal Panrotas

Argentinos desenvolvem carro voador

CURIOSIDADE

Modelo lembra supersportivo e usa um motor V8 de 442 cv

O sonho de criar um carro voador não é de hoje e, por vezes, nossos parentes mais velhos imaginavam ver veículos rasgando os céus nos dias de hoje. Mas isso ainda não acontece. Porém, a vontade dos engenheiros continua. Agora é a vez de uma dupla Argentina arriscar na criação de um modelo voador.

Trata-se de um projeto desenhado pelos irmão George e Eric Caffoglio e já vencedores de um concurso de design realizado pela fabricante de bebidas Red Bull. Com enormes asas, o carro é baseado em um superesportivo desenvolvido pela General Motors para o apresentador norte-americano Jay Leno.

Com as proporções muito parecidas com a de um BMW M3 antigo, como mostra a foto abaixo, o carro quer ganhar os céus nos próximos anos. “A maioria dos carros voadores mais parecem aviões, mas nossa idéia é justamente criar o contrário, um carro de verdade, mas que também voa”, explica George.


Fonte: Revista Auto Esporte - Imagens: Divulgação

Passageiro terá de mostrar identificação no portão de embarque do avião, diz Anac

Medida, que já é praticada na Europa e EUA, vale a partir de março.

Nos check-in pela internet não é preciso mais carimbar cartão.


A partir do dia 1º de março, todos os passageiros que embarcarem nos aeroportos brasileiros deverão apresentar ao funcionário da companhia aérea documento de identificação com foto no portão de embarque da aeronave, informou nesta segunda-feira (8) a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

"A medida é chamada de Identificação Positiva de Passageiros e já é praticada nos aeroportos da Europa e da América do Norte. Os passageiros que fazem check-in pela internet, nos totens de autoatendimento, ou por celular, não mais serão obrigados a carimbar seu cartão de embarque nos balcões das companhias aéreas antes da entrada na sala de embarque do aeroporto", acrescentou a Anac.

As mudanças, segundo a agência, foram decididas por um grupo de trabalho formado por representantes da ANAC, Infraero, Polícia Federal, Receita Federal, Anvisa, Ministério da Defesa e empresas aéreas, com o objetivo de "adequar o Brasil às melhores práticas internacionais de identificação de passageiros".

"É recomendável que, na chamada para o embarque, o passageiro já esteja com o documento em mãos. Os funcionários das companhias farão a checagem do documento com o cartão de embarque, com o objetivo de garantir que o passageiro que está entrando na aeronave é o mesmo que consta no cartão", informou a Anac.

Documentos aceitos

Os documentos que são aceitos para embarque em voos domésticos são: carteira de identidade (RG) expedida pela Secretaria de Segurança Pública; carteira nacional de habilitação (modelo com fotografia, mesmo que vencida); carteira de trabalho; passaporte nacional; documento expedido por ministério ou órgão subordinado à Presidência da República.

Também são válidos carteira de identidade emitida por Conselho ou Federação de categoria profissional (com fotografia e válido em todo o território nacional); licenças de piloto, comissário, mecânico de voo e despachante operacional de voo emitidas pela ANAC. Além disso, a nova resolução prevê que cartões de identidade expedidos pelo Poder Judiciário ou Legislativo, no nível federal ou estadual, também passarão a ser aceitos.

Os documentos podem ser originais ou cópia autenticada, desde que assegurem a identificação do passageiro. O Boletim de Ocorrência (BO) continua sendo admitido para embarque em casos de furto, roubo ou extravio do documento, se emitido há menos de 60 dias.

Crianças e adolescentes

Crianças e adolescentes, até 18 anos incompletos, segundo a Anac, devem apresentar documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, além de comprovação da filiação ou parentesco com o responsável.

"O passageiro deve consultar previamente outras exigências para viagens com menores, estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e pela Vara da Infância e Juventude dos locais em que o menor for embarcar. Índios podem embarcar com documento de identidade ou autorização de viagem expedida pela Funai", informou.

Nas viagens internacionais, o passageiro deve apresentar passaporte ou outro documento de viagem válido, estabelecidos pelo Serviço de Migração, do Departamento de Polícia Federal (DPF), no portão de embarque.

Fonte: G1

Avaria atrasou voo em três horas de avião da SATA

Uma avaria não especificada obrigou hoje (8) à parada durante "cerca de três horas" de um avião da SATA Air Açores, que fazia a ligação entre as ilhas Terceira, Faial e S. Miguel, afetando 81 passageiros.

O porta-voz da companhia aérea açoriana, José Gamboa, disse à Lusa que a avaria no avião ATP ocorreu durante a manhã, mas assegurou que "o avião já foi reparado".

"A reparação da avaria obrigou à deslocação de S. Miguel para a Terceira de dois técnicos de manutenção", acrescentou.

Segundo José Gamboa, "devido à avaria, o avião esteve parado cerca de três horas na Terceira, o que levou ao cancelamento do voo Terceira/Horta/Terceira".

"Alguns dos passageiros desta ligação já foram reacomodados num voo de horário e os restantes chegam aos seus destinos ainda hoje", afirmou

José Gamboa salientou ainda que o voo Terceira/Ponta Delgada já foi realizado, depois de o avião ter sido reparado.

Fonte: Agência Lusa/SOL

Incidente com avião da TAM fecha Viracopos e atrasa quatro voos

Aeronave precisou voltar 45 minutos após a decolagem

Um avião da TAM decolou de Viracopos na manhã desta segunda-feira (8) e precisou voltar ao aeroporto 45 minutos para realizar reparados não programados. O incidente fechou a pista por alguns minutos e causou atraso em outros quatro voos.

A empresa não explica o motivo do problema. A aeronave foi rebocada. O voo seguia para Brasília e os passageiros devem continuar a viagem nas próximas horas. Viracopos já opera normalmente.

Fonte: EPTV via Paulínia News

A era dos táxis espaciais

Uma nova etapa está prestes a começar na exploração do cosmo. Em lugar dos atuais ônibus espaciais, que deverão ser aposentados no próximo ano depois de três décadas de serviço, entrarão em cena os táxis espaciais, voos realizados por empresas privadas para colocar astronautas em órbita.

Essa mudança foi determinada pelo presidente norte-americano, Barack Obama, na semana passada, ao apresentar uma proposta de orçamento que cancela o projeto Constellation – organizado para levar o homem de volta à Lua – e destina verbas para serviços privados de transporte.

Trata-se da maior mudança nos 52 anos de existência da Nasa, a agência espacial norte-americana, que agora será basicamente um órgão de pesquisa e de contratação de voos particulares. Na opinião de alguns, como o senador republicano Richard Shelby, a proposta é “o início da morte para o futuro dos voos espaciais tripulados dos EUA”. Para outros, como o consultor Charles Lurio, que se considera defensor de um nova “abordagem comercial” do espaço, é um novo começo:

– Agora, temos um programa espacial de verdade, que constroi as bases para um uso prático da exploração do espaço.

Como já era esperado, a proposta de Obama cancela o programa do foguete Ares I, em desenvolvimento há quatro anos. Mas, mais surpreendente, também suspende o projeto Orion, a cápsula tripulada que seria colocada em órbita pelo Ares.

A dúvida é se o Congresso norte-americano concordará com essa reestruturação. Depois de gastar US$ 9 bilhões no projeto Constellation, o cancelamento de contratos com empresas como Boeing, Lockheed Martin e Alliant Techsystems custaria mais US$ 2,5 bilhões. A proposta de Obama inclui ainda gastar US$ 18 bilhões em cinco anos para desenvolver tecnologias como estações de combustíveis em órbita, novos tipos de motores para espaçonaves e robôs capazes de perfurar o solo lunar – e eventualmente também o marciano.

Enquanto isso, em vez de utilizar os foguetes Ares I para levar e trazer astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS), US$ 6 bilhões adicionais ao orçamento da Nasa entre 2011 e 2015 serão usados para financiar o serviço de táxi de empresas privadas – alternativa altamente polêmica. Os céticos argumentam que dificilmente essas companhias serão capazes de cumprir suas promessas tão rapidamente e a custos tão baixos quanto dizem.

Um provável competidor nesse novo cenário é a SpaceX, mas seu foguete Falcon 9, o único que poderia ser usado para levar astronautas à ISS, ainda precisa ser testado. Outra possível nova empresa de táxi espacial, a United Launch Alliance, joint-venture entre Lockheed Martin e Boeing, tem larga experiência em construir espaçonaves para a Nasa, mas as modificações necessárias em seus foguetes Delta IV e Atlas V para transportar astronautas poderão ser extremamente caras.

– A mudança é dramática na forma como conduzimos os voos espaciais com humanos nos últimos 50 anos. É arriscado, mas também precisamos reconhecer que temos estado meio presos às mesmas tecnologias criadas nos 50 e 60 – avalia John Logsdon, ex-diretor do Instituto de Política Espacial da Universidade George Washington.

Fonte: Zero Hora

UE aprova satélite para monitorar oceanos

Mesmo em meio a ajustes nas economias para recuperar-se da recente crise financeira, países europeus unem forças para apoiar projeto.

A Europa aprovou o desenvolvimento de uma nova espaçonave para continuar o monitoramento da elevação do nível do mar nos oceanos de todo o globo. O programa Jason-3 acaba de ser aceito pelos países membros do Eumetsat, European Organisation for the Exploitation of Meteorological Satellites, somando-se ao trabalho já realizado pelo satélite Jason-2 na meteorologia, oceanografia operacional e na monitoração dos padrões de nível do mar – que demostrou um aumento na média global anual, nos últimos 15 anos, de cerca de 3,3 milímetros.

19 estados membros disseram que estão preparados para contribuir com 63,6 milhões de Euros (R$ 163 milhões) para viabilizar o orçamento do programa Jason-3, que é de 252 milhões de Euros (cerca de R$ 646 milhões).

As contribuições vêm em um momento difícil para a economia no velho mundo, com países-membros tendo déficits projetados do PIB maiores que os 3% permitidos pelas normas da União Européia – a Grécia, por exemplo, terá um déficit de 12,7% este ano. Espanha chega perto, com 11,4%, seguido de portugal com 9,3%, e em toda a Zona do Euro a situação é semelhante. O momento é de, portanto, de ajustes que, trocando em miúdos, traduzem-se em corte de gastos dos governos e aumento das taxas de juros – portanto, as contribuições para o programa Jason-3, que num momento desses pode ser considerado supérfluo, são um indicativo da importância que os países europeus dão a esses estudos.

O diretor geral da Eumetsat, Dr. Lars Prahm, elogia a decisão, afirmando que o fato de 80% dos membros do Eumetsat – incluindo os maiores Estados – estarem participando mostra a relevância de continuar a missão realizada com sucesso pelo Jason-2, e que a solidariedade entre os países continua a prevalecer.

O programa Jason-3 é dirigido pela Eumetsat e pela US National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA). A NOAA já garantiu a liberação de fundos de 100 milhões de Euros (R$ 256 milhões), explica o site do jornal TG Daily.

Além disso, o Centre National d’Etudes Spatiales (CNES), a agência especial francesa, prometeu atuar como coordenadora do sistema, disponibilizando a plataforma de satélite Jason-3 Proteus, suas instalações e recursos humanos associados.

A NASA também participa, apoiando as atividades da equipe de cientistas, que incluem o lançamento do satélite, provisão de instrumentos e apoio operacional.

Fonte: Nátaly Dauer (Geek) - Imagem: NOAA

Estados Unidos querem banir baterias de notebooks e celulares em aviões

Novas regras podem restringir entrada de baterias de lítio em aeronaves, o que podem causar transtornos para fabricantes e usuários.

Comprar seu próximo laptop ou smartphone online pode sair um pouco mais caro de uma proposta do pouco conhecido Departamento de Transportes dos Estados Unidos para limitar o envio de dispositivos pequenos com bateria pelo ar for aprovada, diz um grupo da indústria que se opõe à ação.

Passageiros aéreos também podem ser afetados, já que as regras banem bateria de lítio em bagagens e podem ser estendidas para baterias alcalinas e de níquel metal-híbrido, argumenta o diretor executivo da Associação de Baterias Recarregáveis Portáteis, George Kerchner.

“Será um pesadelo para os passageiros”, disse Kerchner.

No dia 8 de janeiro, o departamento de Administração de Segurança de Materiais Perigosos (PHMSA, da sigla em inglês) anunciou planos de eliminar exceções de pequenas baterias de células, definidas como capacidade de menos de 100-watt/horas (baterias de laptop costumam ter de 60 a 80 watt/hora).

Pequenas baterias de lítio são considerados materiais perigosos de nível 9, uma categoria que inclui gelo seco e bens magnetizados. Baterias abaixo de 100 watt/horas foram por muito tempo deixadas de fora da lista.

A PHMSA, em consulta com a Administração Federal de Aviação (FAA, da sigla em inglês) e comitês legislativos relacionados, disse que acabar com a exceção vai forçar fabricantes a usar pacotes mais pesados e cortar o número de acidentes.

“Sob as regulamentações existentes, uma tripulação pode não saber do perigo de ter diversas baterias de lítio no avião, enquanto um pacote com tinta inflamável e gelo seco pode ser sujeito a aplicação integral das regulamentações”, disse o presidente da Casa de Transportes e Infraestrutura, Jim Oberstar. “Isso faz pouco sentido.”

Kerchner disse que em vez de regras estritas, seria melhor ter aplicação maior das regras atuais.

As mudanças propostas afetariam tudo, de desfibriladores a iPads. Mesmo próteses auditivas sofreriam impacto, ele diz.

E por fazer os Estados Unidos com regras mais estritas do que a Organização Internacional de Aviação Civil, que regula o resto do mundo, será necessário que fabricantes e transportadores modifiquem a forma de envio de produtos eletrônicos.

Por enquanto, a bateria dentro de notebooks pode precisar ser empacotada em uma caixa separada com documentos de envio adicionais, ele disse.

Isso também pode significar um incontável número de profissionais que terão dificuldades para carregar uma simples caixa com um iPod ou um laptop, disse Kerchner.

“Estamos falando sobre bilhões de dólares”, ele disse. Esses novos custos vão ser repassados pelas fabricantes e transportadoras para os consumidores.

“Se você comprar uma nova câmera digital e quiser que a entrega seja rápida, talvez tenha que pagar de 30 a 40 dólares a mais pelo transporte”, ele disse. “Vai ser um grande impacto nas vendas online.”

As mudanças propostas vão afetar todos os consumidores, ele disse, já que bens eletrônicos tendem a ser enviados rapidamente da Ásia para os Estados Unidos pois costumam perder o valor rapidamente.

Para quem viaja de avião, o departamento também proibiria passageiros de manter baterias alcalinas extras na bagagem. Essas baterias são aceitáveis se estiverem dentro de dispositivos.

Por mais que saiba que o departamento registrou 40 acidentes aéreos relacionados a baterias de lítio desde 1991, Kerchner disse que foi apenas um pequeno número no contexto de 2,2 bilhões de baterias transportadas em 2008.

“O que nós descobrimos é que quando transportadoras estão nas conformidades, não tiveram incidentes”, ele disse. “A indústria tem um bom histórico de segurança.”

Fonte: Eric Lai (Computerworld) via IDG NOW!

Emoção na chegada ao aeroporto de brasileiros que voltaram do Haiti

Militares foram recebidos com festa e contaram histórias do horror vivido no Caribe

Uma mistura de alívio e orgulho marcou o desembarque de 34 militares brasileiros que estavam no Haiti. A chegada foi sábado de manhã, na Base Aérea do Galeão, no Rio. Parentes e amigos aguardavam ansiosos o desembarque dos heróis, que deixaram a capital,Porto Príncipe, na sexta-feira. A maioria estava há sete meses no país caribenho, aguardando a ordem para regressar.

A fisioterapeuta Vanessa dos Santos Castro Teixeira, 29 anos, preparou um cartaz para recepcionar o marido, o capitão da Aeronáutica Rubem Teixeira, 41. Em meio às lágrimas, Vanessa confessou que mais alguns dias de espera a levariam a fazer uma loucura: “Estava quase embarcando para Porto Príncipe”. No hotel onde o capitão estava hospedado, ainda há corpos soterrados. “O que vi e vivi lá, jamais esquecerei, como os adultos que roubavam alimentos das crianças após os militares se afastarem. Voltei muito mais tolerante”, confessou o capitão.

Outra profissional que encheu a família de orgulho foi a médica e tenente do Exército, Danielle Gil, 33. Natural de Niterói, a militar estava servindo em Pelotas, no Rio Grande do Sul, quando aceitou o convite, há sete meses, para integrar a tropa de paz da ONU.

“No dia do terremoto, fizemos no meio da rua o parto de uma menina que ganhou o meu nome. Fiquei muito emocionada com a homenagem”, revelou. Nas tendas montadas em meio aos escombros, a obstetra participou de 11 partos naturais.



Fonte: Ricardo Albuquerque (O Dia Online)

Passaredo fará rota Ribeirão Preto-Recife

A Passaredo Linhas Aéreas anunciou na quinta-feira (4) uma nova rota ligando Ribeirão Preto (SP) a Recife (PE) num voo direto, sem escala. A rota será feita por um dos jatos Embraer ERJ - 145 da empresa, que tem capacidade para 50 passageiros. Os vôos terão início já em março saindo de Ribeirão Preto às 23h30 com chegada às 2h30. Para a volta, decola de Recife às 3h e chega em Ribeirão Preto às 6h.

“Vamos oferecer para nossos passageiros mais uma opção de vôo para o nordeste brasileiro. O estudo que fizemos nessa região, mostrou uma grande demanda entre estes destinos, por isso acreditamos que a nova operação será um sucesso”, afirma José Luiz Felício Filho, presidente da empresa.

Fonte: Aviação Brasil

Procon: parcelar passagens pode embutir falsas vantagens

O consumidor brasileiro deve ficar atento para não confundir uma possível perda de dinheiro com falsa vantagem, alertou a advogada Camile Felix Linhares, do Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (Procon) do Estado do Rio de Janeiro. No caso específico de parcelamento de passagens aéreas, por exemplo, Camile Linhares afirmou que quando ele é muito longo, tem as vantagens da praticidade, da segurança, da possibilidade de concentrar os pagamentos em uma única data e de dividir em várias vezes.

"Mas, não são só vantagens. Eu acho importante para o consumidor estar atento aos juros cobrados dentro dessas parcelas. Porque, muitas vezes, os juros são altos e o consumidor fica atento ao número de parcelas oferecidas, mas não se interessa em saber quanto está pagando para parcelar em tantas vezes a passagem", advertiu a advogada.

A orientação de Camile Linhares é de que o consumidor pegue a máquina de calcular e faça as contas para ver quanto vai sair aquela passagem e se vale realmente a pena diluir o valor em muitas parcelas ou pagar o valor integral, "por um preço muito melhor a vista".

A discussão sobre os juros cobrados no parcelamento dos bilhetes de viagem pelas companhias aéreas não é feita nos Procons, mas por meio de uma ação no Judiciário. Por ser um órgão administrativo, o Procon não trabalha com todas as formas de provas admitidas na área do direito.

Camile reiterou que "antes de comprar uma passagem, entusiasmado pelo número de parcelas, o consumidor deve verificar se não estará pagando por um valor muito maior do que se pudesse pagar a vista por essa passagem".

Juro

Os juros cobrados pelas companhias aéreas no Brasil para as passagens vendidas com grande número de prestações são abusivos, na avaliação do professor Respício do Espírito Santo Júnior, especialista em transporte aéreo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele acrescentou, entretanto, que esse é um processo natural porque "estamos em um País onde quaisquer juros são abusivos".

O professor não colocou a culpa nas financiadoras e companhias aéreas. "Colocaria a culpa no Brasil, no modelo que nós escolhemos para o País". Ele afirmou que no sistema vigente no país, de liberdade de mercado, a empresa aérea pode cobrar o que quer.

"A liberdade de mercado é tanto para baixo, quanto para cima". Trata-se, frisou, de uma prática comum no mundo inteiro. "Sempre que você tem um reaquecimento da economia, a grande maioria das empresas faz uma elevação dos preços porque vai haver mais dinheiro circulando no mercado. Vai dar mais dinheiro no bolso das pessoas".

Cabe ao consumidor decidir se lhe convém ou não pagar mais caro por um produto que, ao fim das prestações, chega a custar até 150% a mais do que o preço a vista. "Existem parcelamentos sem juros em prestações muito menores, de até seis vezes. Isso tem que ser levado em consideração, sem dúvida", sugeriu.

Fonte: Agência Brasil via Terra

Para IBGE, passagens aéreas subiram 31,88% em 2009

Só no mês de dezembro, as tarifas tiveram variação de 46,91%, ante inflação mensal de 0,37%

Os preços das passagens aéreas acumularam no ano passado alta de 31,88%, superior à inflação apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que alcançou 4,31% no período.

Em 2008, segundo o IBGE, as passagens aéreas subiram 12,17% para uma inflação de 5,9%. No ano anterior, as tarifas cobradas pelas empresas do setor aéreo ficaram abaixo da inflação acumulada de 4,46%, mostrando alta de 3,14%.

O IBGE revelou que no mês de dezembro de 2009, as tarifas aéreas apresentaram variação de 46,91%, ante uma inflação mensal de 0,37% medida pelo IPCA. Os destaques foram as regiões metropolitanas de São Paulo e Brasília, onde as passagens aéreas tiveram alta de 98,52% e 52,53%, respectivamente. A região de menor impacto das tarifas de aviação foi Fortaleza (CE), com expansão de 23,95%.

Com base no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Getulio Vargas, entretanto, houve alta de 5,53% no preço das passagens aéreas em dezembro de 2009, depois de elevação de 2,37% em novembro. Dezembro já sinalizava aquecimento da demanda devido à época, disse o economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV. Ele revelou que o item pesquisado sofreu queda de 11,88% em janeiro de 2010, relacionada ao período de baixa temporada.

A alta observada em dezembro, segundo Braz, é natural.

— É natural que suba devido à demanda. No fim do ano, a população já está um pouco mais otimista, o crédito vem voltando. A situação da economia já incentiva o consumo, porque as famílias não estão com medo de perder o emprego repentinamente, porque há uma expectativa de crescimento de 5% da economia nacional.

Para o economista, a retração observada em janeiro no preço das passagens aéreas ocorre porque as pessoas já viajaram e estão de volta ao país. No ano de 2009, a FGV apurou queda de 25,36% no preço das passagens aéreas, refletindo a crise internacional e os efeitos que estavam sendo aguardados sobre a economia brasileira. Segundo Braz, mesmo o dólar depreciado ante o real não levou as famílias a ampliar o consumo em 2009.

— As pessoas ficam receosas em viajar porque a questão não é pagar, mas, se perder o emprego, depois como vai fazer? — indagou.

A queda mais intensa no preço das passagens aéreas (- 13,96%) foi observada em abril de 2009 e é explicada pela baixa temporada.

O economista da FGV acredita que a perspectiva não é de elevação das tarifas aéreas no decorrer de 2010.

— Os preços já estão tendendo a retomar a normalidade, após aquele período de maior demanda.

Fonte: Agência Brasil via Zero Hora

Açores: Aeroporto de Ponta Delgada tem nova zona de embarque de passageiros

O Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, Açores, inaugurou uma nova área de embarque para passageiros domésticos, que amplia em cerca de 50 por cento a sala que existia e disponibiliza quatro novas portas de embarque.

A inauguração desta nova área, hoje divulgada pela ANA, empresa que gere os aeroportos nacionais, culmina a primeira fase dos trabalhos em curso na zona de embarque do Aeroporto de Ponta Delgada, que deverão estar terminados dentro de seis meses.

As obras de remodelação e requalificação da sala de embarque pretendem aumentar a capacidade de processamento deste aeroporto de 600 para 900 passageiros por hora, além de aumentar o conforto e bem estar dos utentes.

Fonte: Jornal de Notícias - Imagem: Eduardo Costa

Liberdade de mercado determina preços das companhias aéreas

As companhias aéreas têm total liberdade para estabelecer os preços das passagens que cobram aos clientes, esclareceu a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) à Agência Brasil, por meio de sua assessoria de imprensa. "Podem cobrar, desde que informem ao cliente", destacou a assessoria.

A Secretaria de Acompanhamento Econômico, do Ministério da Fazenda, e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), do Ministério da Justiça, entram no circuito somente quando há suspeita de dumping (concorrência desleal).

A Anac faz o registro das tarifas que as empresas são obrigadas a informar, para detectar se há alguma prática irregular, mas a liberdade de mercado é que vigora nesse setor.

Procurada pela reportagem, a assessoria da TAM Linhas Aéreas disse que os juros cobrados no parcelamento das passagens são informados aos clientes pelos bancos com os quais a empresa tem parceria (Banco do Brasil e Itaú). A Azul Linhas Aéreas não retornou a ligação.

Já a assessoria da Gol informou que o teto máximo de juros praticado pela empresa é de 5,99% ao mês. "Pode variar conforme o número de parcelas". A tendência é DE que os juros caiam na proporção em que as parcelas se reduzem. É a própria Gol que financia as passagens, uma vez que a companhia não trabalha com nenhum banco.

Fonte: Agência Brasil via Terra

Nova companhia aérea voa entre Moçambique e África do Sul

A Sociedade de Transporte e Trabalho Aéreo (TTA) de Moçambique e a companhia área sul-africana “SA Airlink” formaram uma parceria para a criação de uma nova empresa designada TTA Airlink, que vai fazer voos domésticos em Moçambique e regionais, noticiou o jornal sul-africano “Business Day”, na sua edição de sexta-feira.

A “TTA Airlink” deve começar a operar a 14 do corrente mês de Fevereiro com ligações diárias entre Maputo, capital moçambicana, e a cidade sul-africana de Joanesburgo, antes de expandir as suas ligações para outros pontos de Moçambique. “O novo serviço para Maputo, que parte de Joanesburgo, no período da manhã, e regressa no fim do dia, vai permitir aos empresários viajar para Maputo e permanecerem durante todo o dia antes da hora de regresso a casa”, disse o diretor-geral da SA Airlink, Rodger Foster.

Na nova companhia, a SA Airlink detém 49 por cento das ações, sendo as restantes 51 por cento pertencentes à TTA. A TTA Airlink vai usar um avião do tipo “Avro RJ85”, em sistema de leasing, pertencente à SA Airlink.

Segundo Foster, a TTA Airlink pode expandir as suas ligações dentro das próximas semanas, a partir de Maputo, para ligar as cidades da Beira, capital da província central de Sofala, Tete, no centro de Moçambique, e a cidade de Nampula, no norte. “Numa primeira fase, vamos fazer três voos semanais para Tete, para permitir que os passageiros do voo Joanesburgo/Maputo possam seguir para a cidade de Tete”, disse Foster. Numa fase mais avançada, a TTA Airlink vai fazer ligações diárias entre Maputo e Beira, a segunda maior cidade de Moçambique.

Atualmente, a SA Airlink tem ligações diárias entre Beira e Joanesburgo, o que confere mais opções aos passageiros. Há três anos que as duas companhias aéreas vinham mantendo negociações, tendo sido possível concretizar os seus planos de formar uma “joint-venture”, quando a política aérea bilateral entre os dois países foi alargada para incluir outras operadoras.

Atualmente, a rota Maputo-Joanesburgo é explorada pelas Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) e a sua congênere sul-africana SAA. Contudo, após as mudanças registradas nos acordos bilaterais, em Julho do ano passado, as autoridades moçambicanas concederam à companhia sul-africana “1Time” e à TTA Airlink o direito de explorar a mesma rota.

Fonte: Jornal de Angola Online - Imagem: Flickr.com

Air Guaraní, uma nova empresa no Paraguai, dirigida por brasileiros

Investidores brasileiros agregados na empresa Pluma Internacional estão desde ontem em Assuncion para formalizar a criação da Air Guarani, a nova empresa aérea com capital brasileiro e paraguaio que terá sede no Paraguai e que deverá iniciar operações com quatro aviões Embraer, dois 175 e dois 195.

Executivos, técnicos e consultores chegaram ao aeroporto Silvio Pettirossi sendo recebidos pelo presidente da Direção Nacional de Aeronáutica Civil (DINAC), Ceferino Farias, além de dirigentes do organismo regulador da aviação civil paraguaia. Hoje, a comitiva brasileira está reunida com a direção da DINAC para assentar as bases da empresa, nos trâmites de certificação da companhia. Na semana passada, a apresentação do plano estrutural da nova companhia foi realizado em Florianópolis. A sede da Pluma, empresa fundada em 1966, está em Curitiba.

A DINAC corresponde à ANAC e DAC brasileiros e desde o final do ano passado tornou-se responsável pela coordenação geral das atividades aéreas no Paraguai, devidamente registrada junto à OACI. A primeira empresa a receber certificado da DINAC foi a Aero Regional Paraguaya AS, cujo primeiro voo foi realizado no último dia de 2009, com um Boeing 737, realizando charter para a Isla Margarita, na Venezuela.

Fonte: Brasilturis

Azul é a empresa mais pontual em janeiro

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras foi a empresa mais pontual em janeiro, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Entre as companhias aéreas domésticas, a companhia registrou 6,3% das decolagens com atrasos superiores ou iguais a 30 minutos.

Apesar das chuvas que fecharam por várias vezes alguns dos principais aeroportos brasileiros em janeiro, o total de atrasos das companhias aéreas nacionais e estrangeiras ficou estável com relação ao fim de ano: 17,8%, ante 17,9% em dezembro. Entre as maiores companhias brasileiras no transporte regular, a Azul, a Gol/Varig e Webjet melhoraram sua pontualidade com relação ao fim de ano. Os dados são apurados pela Infraero nos 67 aeroportos que administra no Brasil e consideram os voos que partiram com mais de 30 minutos do horário previsto. O histórico de atrasos dos voos no Brasil, com números disponíveis desde maio de 2007, está disponível na página da ANAC na Internet: www.anac.gov.br/atrasovoo.

Pelo quarto mês consecutivo, a TAM foi a empresa com maior índice de atrasos nos voos domésticos: 23,9% em janeiro, ante 18,8% do mês anterior e mais que o dobro do que os 10,5% registrados em janeiro do ano passado. Por ter o maior número de voos – 25,9 mil das 71,7 mil decolagens no Brasil em janeiro – o crescimento dos atrasos na TAM teve forte impacto no índice nacional. A ANAC está reforçando a fiscalização operacional sobre a companhia para identificar os motivos do crescimento dos atrasos e acompanhar o que a empresa tem feito para solucionar os problemas.

A OceanAir, que havia registrado o menor índice em dezembro, com somente 8,7% das partidas atrasadas, subiu para 10,8% em janeiro deste ano. A Azul foi a empresa mais pontual no mês, com somente 6,3% das decolagens atrasadas.

A Gol/Varig, com índice de 13,2%, melhorou seu desempenho tanto em comparação com dezembro quanto em relação a janeiro do ano passado. A Webjet também foi mais pontual nas duas comparações e registrou em janeiro de 2010 atrasos em 14% das partidas.
Entre as empresas regulares de menor porte, a Trip/Total encerrou janeiro com 16,4% de atrasos (melhora significativa ante os 26% de dezembro). Já a Passaredo e a Pantanal mantiveram altos índices de atrasos, respectivamente de 24,5% e 21,9%.

Nos voos internacionais, entre as empresas com mais de 100 decolagens por mês no País, a melhor pontualidade foi da Copa Airlines, com apenas 7% de atrasos, seguida pela American Airlines e TAP (ambas com 16%). As mais atrasadas foram a TAM Mercosur (64%), Aerolíneas Argentinas (46%) e TAM (42%). Com menos de 100 voos partindo do Brasil, os atrasos mais significativos foram da Air Italy (76%), TACV (75%) e a El Al e Livingston (cada uma com 73%). Por outro lado, a Avianca (com 30 voos em janeiro) e a Korean Air (13 voos) não registraram nenhum atraso, seguida pelos bons desempenhos da Lan Peru (2%) e Air Canada (3%). As empresas que voam para a Europa e América do Norte tiveram mais impacto nos atrasos em razão das nevascas nas duas regiões.

Fontes: ANAC / Mercado & Eventos

TAM amplia número de voos entre São Paulo e Salvador durante carnaval

A Tam Linhas Aéreas ampliou a programação de voos extras entre São Paulo e Salvador (BA) para atender ao aumento da demanda de passageiros que viajam nesta rota durante o feriado de carnaval. Serão 22 frequências adicionais ligando as duas cidades, no período de 12 a 21 de fevereiro.

A companhia também programou para o feriado de carnaval outros 38 voos extras para diversos destinos brasileiros. Ao todo, 60 voos vão incrementar a malha doméstica da empresa. A medida visa a atender com ainda maior eficiência à demanda do feriado, quando o número de viagens cresce no país.

Além do reforço na malha aérea, três aeronaves de reserva da Tam estarão posicionadas em aeroportos estratégicos (hubs) para eventuais necessidades entre os dias 11 e 22 de fevereiro: uma em Guarulhos (SP), uma em Congonhas (SP) e outra no Tom Jobim/Galeão (RJ).

A Tam terá equipes extras de tripulantes técnicos (pilotos e co-pilotos) e de cabine (comissários) e mobilizará reforço de efetivo para o atendimento aos clientes. Serão, em média, cerca de 350 tripulantes de plantão por dia, além dos já escalados para a operação regular. Adicionalmente, a empresa vai ampliar o pessoal de check-in, check-out, embarque, comercial, cargas, lojas e supervisão nos principais aeroportos do país.

Fonte: Mercado & Eventos

Avião derrapa e sai da pista no Paquistão

Os 112 passageiros de um avião da Shaheen Air International escaparam por pouco de um grave acidente após os freios do avião falharem e ele derrapar na pista do Aeroporto Internacional de Peshawar, no Paquistão, nesta segunda-feira (8).

O Boeing 737-2B7/Adv, prefixo AP-BIK, realizando o voo NL-757, vindo de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, ao tocar a pista do aeroporto de Peshawar, derrapou na pista parando próximo a uma movimentada estrada, ao lado de um bosque de árvores e algumas residências.

A polícia e funcionários dos serviços de segurança fecharam o aeroporto e mídia não foi autorizada a cobrir o incidente.

As autoridades do aeroporto disseram que o avião derrapou devido ao mau tempo - fortes chuvas que deixaram a pista escorregadia -, após a aterrissagem no aeroporto às 8h46 (hora local).

Fontes oficiais, no entanto, confirmaram a que o acidente ocorreu devido a uma falha nos freios da aeronave e que ela parou apenas 100 metros da estrada principal da universidade.

Outras fontes disseram que o acidente poderia ter sido desastroso se o avião tivesse escapado para a movimentada estrada e para as áreas residenciais, que ficam a apenas 50 metros do local.

Funcionários da Shaheen Airlines disseram que os passageiros a bordo desembarcaram em segurança e os funcionários estão avaliando as causas do incidente.

Fontes: DawnNews / Aviation Herald - Foto: A. Majeed (AFP) - Mapa: Cortesia/Google Earth

Em seu 24º voo, Endeavour é lançada rumo à estação espacial internacional

32ª ‘ponte aérea’ para a ISS abre ano de desativação dos ônibus espaciais.

Após missão, complexo orbital ficará 90% completo.


O ônibus espacial Endeavour partiu às 7h14 (horário de Brasília) desta segunda-feira (8) da plataforma de lançamento 39A do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, em direção à estação espacial internacional (ISS). Com o voo, a família de ônibus espaciais da Nasa, que será desativada este ano, acumula 130 missões.

A missão iniciada nesta segunda vai durar 13 dias, com três caminhadas espaciais previstas. Um novo módulo, o ‘Tranquility’, será instalado na ISS. Ele terá uma cúpula com sete janelas de onde será possível fazer observação panorâmica da Terra, de corpos celestes e de naves em suas manobras de aproximação da estação. Essa estrutura foi construída pela ESA, a agência espacial europeia.

A tripulação da Endeavour tem seis astronautas. A única mulher do grupo, Kathryn Hire, participa de sua segunda missão (a primeira foi em 1998). Com 50 anos de idade, é capitã da Marinha americana (reservista). Foi a primeira mulher das Forças Armadas americanas a ser designada para uma tripulação de combate aéreo.





Fonte: G1 - Fotos: NASA / AP