sábado, 9 de janeiro de 2010

Novo aeroporto internacional da Huíla, no sul de Angola, começa a operar

O aeroporto da Mukanka, na cidade do Lubango, capital da província da Huíla, no sul de Angola, foi construído em 11 meses por consórcio brasileiro liderado pela Andrade Gutierrez.

O novo aeroporto internacional da Mukanka, na cidade do Lubango, sul de Angola, começou a operar nesta quinta-feira (7) para voos comerciais.

As instalações aeroportuárias, inauguradas no dia 29 de Dezembro pelo primeiro-ministro Paulo Kassoma, foram construídas em 11 meses por um consórcio brasileiro constituído pela Andrade Gutierrez e Zagope.

O aeroporto internacional da Mukanka, na capital da província da Huíla, vai atender anualmente 500 mil passageiros e movimentar mais de um milhão de toneladas de carga, ocupando uma área de sete mil metros quadrados. A nova infra-estrutura, construída em duas fases, custou 100 milhões de euros.

A aerogare comporta salas de embarque e desembarque internacional e doméstico, área para serviços de apoio, como alfândegas, migração, polícia fiscal, edifício para bombeiros, gabinetes de companhias aéreas, lojas, restaurantes, salas protocolares, nova torre de controlo, estação eléctrica e parque de estacionamento para 300 viaturas, incluindo autocarros e táxis.

Fonte: África 21 (com informações da Angop)

Após viajar de avião desde o Caribe, escorpião pica menina em Cumbica

Após voltar das férias com a família em Curaçao, no Caribe, uma menina de seis anos foi picada por um escorpião no Aeroporto de Guarulhos na manhã de ontem.

De acordo com o Instituto Butantan, onde a garota foi atendida, o animal veio da América Central, provavelmente transportado em uma das bolsas da família. Eles estavam no voo 085 da Avianca, que fez escala em Bogotá e pousou em Cumbica às 6h08.

A picada ocorreu quando a família aguardava para passar no setor da imigração. "Minha filha começou a gritar e eu vi o escorpião no ombro dela", disse o pai, que não quis se identificar. Vendo o desespero da garota, picada no braço, ele matou o bicho, guardou-o e levou a filha ao pronto-socorro do aeroporto.

Lá, o pai pediu que uma ambulância os levasse ao Instituto Butantan, na zona oeste, o que não foi atendido. Segundo a Infraero, a ambulância só poderia ser liberada se a menina passasse por avaliação, o que o pai não quis. "Eu sabia que eles iriam ligar para o Butantan para saber o que fazer", disse o pai, que é médico. "O Butantan é referência, queria que ela fosse logo para lá." Sem a ambulância, o pai foi de carro para o instituto.

De acordo com Ricardo Antonio Lobo, médico infectologista que atendeu a menina no Butantan, a dor dela assim que foi picada era grau sete - em uma escala de um a dez - e, na chegada ao instituto, já havia baixado para quatro. "Ela chegou com dor, mas estava calma", contou Lobo.

No Butantan, os biólogos logo viram que o animal não era do Brasil e o levaram para análise. A menina ficou em observação. Ela não teve que receber soro antiveneno, apenas compressas quentes que ajudam a diminuir a dor, e foi liberada pouco tempo depois.

Segundo Paulo Goldoni, biólogo do instituto, não será possível classificar exatamente o escorpião porque ele chegou muito destruído. Conseguiu-se apenas chegar ao gênero - Centruroides.

Fonte: Luisa Alcantara e Silva (jornal Folha de S.Paulo)

Relatório não foi alterado, diz Aeronáutica

A Aeronáutica confirmou ontem que o seu comandante, Juniti Saito, formalizou na última quarta o envio do relatório do programa F-X2 para o ministro Nelson Jobim (Defesa), única autoridade civil a receber o material.

Segundo a Força, só existe uma versão do relatório, que foi elaborado pela Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate) e aprovado pelo Alto Comando da Força Aérea no dia 18 de dezembro.

Não houve recuo ou mudanças no texto, diz a FAB, que nega pressões políticas nesse sentido.

Temer considera "útil" que Câmara seja ouvida

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), disse ontem que considera "útil" ouvir a opinião da Comissão de Defesa antes de opinar a respeito da compra de caças.
A discussão nessa comissão política, composta por deputados, pode retardar ainda mais o processo de renovação da frota da Aeronáutica -temor dos concorrentes e de militares.

Temer é integrante do Conselho de Defesa Nacional, órgão comandado pelo presidente Lula. O conselho, consultivo, será convocado em breve para tratar da compra dos caças.

Ao comentar o assunto com a Folha, Temer disse que vai pedir acesso ao relatório técnico já preparado pela FAB. Indagado se pretende levar o tema para a comissão de Defesa, respondeu: "Eu acho que não seria ruim, não. Seria útil. Embora a competência para esse efeito seja do Executivo e do Conselho de Defesa Nacional".

O calendário político, porém, está dominado pela campanha eleitoral e é improvável que a Câmara se esforce para decidir logo sobre um tema polêmico como a compra dos caças.

Em julho do ano passado, Temer foi a Paris a convite do governo francês com outros sete deputados. Parte da despesa foi bancada pela Dassault, fabricante do caça Rafale -preferido hoje pela área política. Segundo o deputado, a viagem terá "influência zero" na sua abordagem do tema agora.

Fonte: jornal Folha de S. Paulo

Fabricantes veem ameaça à venda de caças

Franceses, americanos e suecos temem que disputa política entre Aeronáutica e governo na escolha do avião adie decisão

Concorrentes avaliam que é grande a chance de o Gripen, modelo preferido pela FAB, ser suplantado em relatório que Jobim entregará a Lula


Os três concorrentes para o fornecimento de 36 caças supersônicos à FAB (Força Aérea Brasileira) temem que a disputa política entre militares e o governo inviabilize a realização do negócio de até R$ 10 bilhões neste ano.

Segundo a Folha apurou, franceses, americanos e suecos têm essa mesma avaliação, ainda que haja diferença de interpretação no caso dos últimos -apontados pela Aeronáutica como donos da melhor oferta para suas necessidades, em relatório técnico que está nas mãos do ministro Nelson Jobim (Defesa).

Como é notório, Jobim e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva têm predileção pelo francês Rafale F3, por conta da aliança estratégica firmada com Paris. O avião, contudo, sai quase pelo dobro do Gripen NG no pacote proposto, e é mais caro que o americano Boeing F/A-18 Super Hornet.

A opção da FAB decorreu de dois fatores: o custo de aquisição e operação ao longo dos 30 anos de vida útil do avião, e a proposta mais aberta de desenvolvimento conjunto oferecida pelos suecos. Para americanos e franceses, o fato de o Gripen NG ser um modelo ainda em fase de testes o torna uma incógnita em termos de custo.

Em comum, todos acreditam que é grande a chance de a preferência da FAB ser suplantada por Jobim. O ministro já disse que vai reavaliar os pesos dados pelos militares a diversos itens analisados, o que pode mudar a classificação das aeronaves. Pela lógica, para favorecer o Rafale, ainda que a decisão final seja exclusiva de Lula.

O relatório foi aprovado na FAB no dia 18 de dezembro, e Jobim foi avisado pelo comandante da Força, Juniti Saito, de seu conteúdo.

Políticos do entorno do Planalto ventilaram a versão de que o texto seria preliminar e que foi alterado pela FAB ao gosto do Planalto, o que não é verdade. O que haverá é um relato de Jobim para Lula, após nova conversa com Saito.

Se uma mudança pró-Rafale ocorrer, especulam os concorrentes, o clima azedo entre governo e militares devido à ideia proposta de revisão da Lei da Anistia pode desandar. Lula poderia esfriar o debate jogando o tema para o Congresso.

Não que deputados e senadores tenham voz ativa na decisão, mas ao acatar um eventual "pedido de vistas" na reunião do Conselho de Defesa Nacional em que apresentará sua decisão, Lula poderá ganhar tempo.

O problema, para os concorrentes, é esse, embora não haja uma obrigação de data para a decisão. A campanha eleitoral se avizinha e o argumento de falta de legitimidade de uma gestão de saída pode servir de justificativa do adiamento.

Fonte: Igor Gielow (jornal Folha de S.Paulo)

Avião da Air Berlin sai da pista em Nuremberg, na Alemanha

O Boeing 737-800, prefixo D-ABKA, estava taxiando para a decolagem no Aeroporto de Nuremberg, na Alemanha, e, ao alinhar na pista, derrapou na superfície pavimentada e parou cerca de 1,5 metro fora da pista. Apenas o trem de pouso esquerdo permaneceu na superfície pavimentada. Os passageiros desembarcaram através de escadas. Não houve feridos e os danos à aeronave não foram relatados.

O avião iniciava o procedimento para a decolagem em direção a Dusseldorf, no voo AB-6777, com 133 pessoas a bordo.

O aeroporto ficou fechado por cerca de duas horas. Sete voos foram cancelados e alguns aviões foram desviados para o Aeroporto de Munique. Segundo informações de funcionários do aeroporto, a provavel causa do incidente era a condição do tempo desfavorável.

Foi o terceiro incidente envolvendo uma aeronave da Air Berlin nesta semana. Na terça-feira, em Dortmund, uma aeronave com 165 passageiros saiu da pista. Na manhã de quarta-feira, o piloto deciciu abortar a decolagem no Aeroporto Berlim-Tegel depois que um dos instrumentos de bordo indicou uma irregularidade. O avião, com 124 passageiros a bordo, retornou ao terminal.

Fontes: Krasse News / Ad Hoc News / Aviation Herald - Mapa: Cortesia/Google Earth

Chávez: aviões dos EUA invadiram espaço venezuelano e "foram pressionados"

Dois aviões F-16 da Venezuela "pressionaram" nesta sexta-feira (8) uma aeronave de guerra dos EUA na ilha caribenha holandesa de Curaçao, que violou em duas ocasiões o espaço aéreo da Venezuela, informou o presidente do país, Hugo Chávez.

A aeronave militar americana esteve durante quinze minutos no espaço áereo venezuelano, por volta do meio-dia, e, apesar de ser "pressionado" pelos dois aparatos venezuelanos, cerca de uma hora e meia depois e se manteve durante outros dezenove minutos no espaço aéreo nacional, denunciou o governante.

"Ordenei que dois F-16 saíssem para interceptá-lo, sem cair em provocações", acrescentou Chávez em reunião de seu gabinete de ministros, transmitida pela emissora estatal "VTV".

"Pedimos ao Governo da Holanda que assuma suas responsabilidades" perante este tipo de fatos, que obrigam a Venezuela a revisar sua participação em uma refinaria de petróleo em Curaçao, pois "não podemos ficar de braços cruzados", advertiu.

Sem dar mais detalhes a respeito, o chefe de Estado indicou que não quer estragar as relações com o povo de Curaçao, que deve saber desta "provocação e agressão ".

Chávez detalhou que os pilotos dos dois F-16 da Aeronáutica da Venezuela receberam instruções para advertir o piloto do aparelho americano "que estamos prontos para defender a soberania da Venezuela".

"Sabemos até o número de cédula de identidade do piloto, sabemos onde nasceu", acrescentou, orgulhoso pela capacidade militar venezuelana e descartando que se tratasse de algum erro.

"É difícil pensar que é um erro (...); estão lançando uma provocação. São aviões de guerra imperial, não são aviões nem equipes especializadas na luta contra o narcotráfico. Nisto nós agimos de forma muito séria", destacou.

A denúncia de Chávez acontece um dia depois que a Assembleia Nacional (AN) respaldou outra denúncia do governante, que afirmou que a Colômbia prepararia uma agressão militar contra a Venezuela com o pretexto de destruir supostos acampamentos guerrilheiros no país.

O plenário da AN, de 167 membros, quase todos aliados do Governo, também expressou sua rejeição à "violação do espaço aéreo" venezuelano por parte de um avião militar americano no dia 17 de maio de 2009.

As forças da Colômbia supostamente entrariam na Venezuela com a desculpa de buscar de acampamentos guerrilheiros colombianos que, segundo Chávez, não existem no país.

O Presidente garantiu que a operação estaria sendo preparada com a ação de aviões espiões e aparatos sem tripulação, de fabricação americana, que sobrevoariam o espaço aéreo venezuelano.

Segundo o líder venezuelano, os aparelhos partiriam de bases militares da Colômbia e das ilhas de Aruba e Curaçao, países com os quais os EUA mantêm convênios antidrogas que permitem a presença de pessoal americano.

Fonte: EFE via EPA

Passageiro embriagado tranca-se no banheiro e avião faz pouso não programado

Um voo da Delta Air Lines com destino a Paris fez um pouso não programado no Canadá, nesta sexta-feira (8), após um incidente envolvendo um passageiro indisciplinado.

O Boeing 757-200, prefixo N712TW, da Delta Air Lines, realizava o voo DL-188 de Pittsburgh, na Pensilvânia, nos EUA, para o Aeroporto Paris-Charles de Gaulle, na França.

Quando estava em rota sobre o Oceano Atlântico, cerca de 200 milhas a nordeste de St. John's, na província de Terra Nova, no Canadá, um passageiro - que estava bêbado - começou a causar perturbação no voo.

A tripulação relatou que havia um passageiro indisciplinado a bordo e desviou-se da rota em direção ao Aeroporto de St. John's, onde fez uma aterrissagem segura. O passageiro, de 59 anos, foi detido em razão do incidente.

O avião partiu para Paris com um atraso de quatro horas e meia.

Fontes: Canadian Press via Metro News / Aviation Herald

Passageiro bêbado provoca susto em avião no Colorado, EUA

Dois caças F-16 foram enviados para escoltar um avião de passageiros para uma aterrissagem de emergência no Colorado, nesta sexta-feira (8) depois que um passageiro - aparentemente embriagado - tornou-se incontrolável, informou a AirTran Airways em um comunicado.

O Boeing 737-700, com 132 passageiros e cinco tripulantes decolou para o voo FL-39 do Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson Atlanta, na Geórgia, às 9:48 (hora local) em rota para San Francisco, na Califórnia.

Quando estava a estava a 36.000 pés, ao sul de Colorado Springs, no Colorado, a tripulação solicitou a aplicação da lei de segurança para atender a aeronave e desviou para o aeroporto.

A companhia aérea informou que o passageiro estava bêbado e perturbado, e que, enfurecido com a tripulação, se trancou em um dos banheiros da aeronave.

Dois aviões de combate F-16 foram mobilizados para acompanhar o avião até o Aeroporto de Colorado Springs, onde o Boeing pousou em segurança 25 minutos mais tarde.

Um passageiro do sexo masculino foi preso. O FBI de Colorado Springs supervisionou a aplicação da legislação. O passageiro estava viajando de Richmond, em Virgínia, informou a companhia aérea.

Foto de celular mostra o momento em que o passageiro foi preso

Os caças foram enviados para escotar o avião pelo Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (NORAD - Continental U.S. North American Aerospace Defense Command Region).

O avião foi revistado antes de poder prosseguir o voo, o que ocorreu depois de permanecer quatro horas em solo.

Fonte: FOX31/KDVR-TV - Foto: KXRM-TV

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Confusão em avião que ia para o Havaí causa pouso não programado em Los Angeles

Pela segunda vez em uma semana, um voo da Hawaiian Airlines foi desviado por causa de distúrbios causados por passageiros.

Nesta sexta-feira (8), o voo HA-17, que ia de Las Vegas, em Nevada, para Honolulu, no Havaí, foi desvido para Los Angeles após confusão entre dois passageiros, informou a Agência de Segurança dos Transportes (TSA, em inglês).

Segundo a TSA, um passageiro e uma passageira envolveram-se numa "situação". Em comunicado, a Hawaiian Airlines disse que o incidente envolveu uma mulher que estava sendo assediado por um homem a bordo quando o o avião já estava sobre o Oceano Pacífico.

A tripulação do Boeing 767-300, da Hawaiian Airlines, decidiu desviar para Los Angeles, na Califórnia, onde o avião pousou em segurança.

Os dois passageiros foram interrogados pela polícia. O homem foi retirado do avião e o voo prosseguiu para o Havaí após uma hora e dez minutos do pouso. Como resultado, o avião chegou a Honolulu com um atraso de três horas.

No desembarque, alguns passageiros relataram ter visto o assédio, enquanto outros disseram que não tiveram a menor idéia sobre o que estava acontecendo.

Os passageiros informaram que permaneceram no avião e lhes foi oferecido alimento e bebidas enquanto esperavam para retomar o voo.

O homem, levado em custódia pela polícia, foi liberado mais tarde, pois a passageira decidiu não formalizar a queixa.

Na quarta-feira, dois caças F-15 interceptaram e escoltaram o voo HA-39 da Hawaiian que de Portland, no Oregon, para Kahului, no Hawai, em razão de um "passageiro suspeito" ter feito "observações ameaçadoras" e recusar-se a colocar sua bagagem de mão no compartimento apropriado, segundo a agência de aviação dos EUA.

Fontes: The Honolulu Advertiser / Pacific Business News / Aviation Herald

Oito passageiros são presos após tumultuarem voo da Air Berlin

Sob a influência de álcool, drogas e comprimidos passageiros escalam poltronas e ameaçam passageiros e tripulantes.

Na quarta-feira (6) um voo da Air Berlin enfrentou problemas com tumulto causado por passageiros holandeses. O Airbus A330-200, prefixo D-ALPH, da Air Berlin realizava o voo AB-7151 - de Bangcoc, na Tailândia, para Dusseldorf, na Alemanha -, quando, cerca de duas horas antes do horário previsto para a aterrissagem, a tripulação foi obrigada a solicitar a presença da polícia no desembarque em Dusseldorf, devido a oito passageiros amotinados a bordo.

Os cidadãos holandeses foram notificados a permanecerem em seus lugares após ofender a tripulação e consumir drogas durante o voo. O avião realizou uma aterrissagem segura em Dusseldorf e a polícia alemã prendeu os oito passageiros.

A polícia alemã informou que os oito homens e mulheres holandeses, com idades entre 19 e 24 anos, foram surpreendidos pela polícia no desembarque e não resistiram à detenção. Numa busca em suas bagagens foi encontrado Rohypnol em forma de comprimido, medicamento que produz efeitos semelhantes ao do álcool e, muitas vezes, causa a perda de memória por alguns dias.

A companhia colocou seus nomes em uma lista negra de pessoas indesejadas. A polícia fez relatório escrito contra eles por difamação, abuso de drogas e as violações da segurança aérea.

Após o pagamento de fiança no valor de 1.600 euros, os oito foram autorizados a viajar para casa.

"Eles tiveram sorte que as drogas não foram descobertas em Bangcoc. Definitivamente, eles não voltariam para casa", declarou Achim Berkenkötter, polícial do Aeroporto de Dusseldorf.


Fontes: De Telegraaf / Aviation Herald

Três são presos por ameaça de bomba em avião em aeroporto de Londres

Esta fotografia, da polícia dentro do avião, foi tirada por um passageiro

Três jovens britânicos foram detidos no aeroporto de Heathrow em um avião da Emirates com destino a Dubai na noite desta sexta-feira (8) depois que uma ameaça de bomba foi feita.

Membros da polícia anti-terror armados e com cães farejadores invadiram a aeronave da Emirates, que deveria ter decolado às 20 horas do horário de Londres (18h de Brasília), e retiraram três passageiros após os mesmos fazerem uma ameaça verbal de que explodiriam a aeronave, que já taxiava em preparação para a decolagem.

Cameron McLean, um dos passageiros do Boeing 777, que estava sentado várias poltronas atrás de um dos detidos, disse à Sky News: "A polícia invadiu o avião e o cara e correu para fora. Eu acho que era um homem branco. Havia um outro, mas eu não o vi."

Ele disse que um homem foi retirado algemado depois que cães farejadores foram levados a bordo para uma verificação ao longo dos corredores e dos bagageiros.

Uma fonte da polícia disse que outros passageiros permaneceram no avião e acrescentou: "Nós não encontramos nada".

O incidente acontece em meio a grande tensão nos aeroportos de todo o mundo na esteira do frustrado ataque em um voo para Detroit por Omar Farouk Abdulmutallab, um ex-estudante de Londres.

Os relatórios iniciais sugerem que a ameaça não foi grave, e que o alerta poderia ter sido gerado após um comentário de um passageiro embriagado. Um porta-voz da Polícia Metropolitana de Londres disse: "Estamos cientes do incidente de segurança em Heathrow. O aeroporto e o terminal permanecem abertos".

Um porta-voz do aeroporto disse: "Posso confirmar que houve um incidente no voo EK004 para Dubai. A polícia está atendendo. Não está afetando o resto do aeroporto, que permanece aberto".

Os relatórios sugerem que os homens estavam bebendo e podem ter feito os comentários em tom de brincadeira, mas especialistas em aviação acreditam que a tripulação agiu de forma prudente nas circunstâncias atuais.

Não é a primeira vez que um passageiro foi detido por fazer uma ameaça verbal. Em 2004, um jovem que ia de Glasgow para Genebra foi detido no aeroporto depois de alegar que tinha uma bomba em sua bagagem.

Um ano depois, um soldado foi preso no aeroporto de Manchester depois que ele entregou uma mala para o pessoal na sala de check-in e alegadamente lhes disse: "Tome cuidado com isso. Tem uma bomba nela".

Tais avisos não têm se limitado a observações improvisadas apenas pelos passageiros. Em 2003, um copiloto da Air France foi preso no aeroporto JFK, em Nova Iorque, quando se preparava para embarcar em um voo para Paris. Aparentemente frustrado pelo excesso de tempo que estava esperando, em razão do trabalho dos funcionários de segurança, ele lhes disse que tinha uma bomba em um de seus sapatos. Seu voo foi cancelado, os passageiros foram colocados em hotéis durante a noite e um novo copiloto foi chamado para realizar o voo para Paris. O próprio piloto foi acusado de dois crimes de falsa denúncia no incidente.

Um oficial de segurança disse: "Nós temos tolerância zero para esses tipos de comentário".

Fonte: Will Pavia e Adam Fresco (Times Online) - Foto: Cameron McLean (passageiro)

Nigeriano que tentou explodir avião se declara inocente

Um juiz federal incluiu nos autos na sexta-feira a informação de que Umar Farouk Abdulmutallab se declara inocente das acusações de ter tentado explodir um avião da Northwest Airlines no dia de Natal . O nigeriano Abdulmutallab respondeu de forma discreta e educada às perguntas do juiz Mark Randon, que incluiu a declaração de inocência quando o advogado do acusado disse que seu cliente iria "permanecer calado" sobre dizer-se culpado ou não.

Nigéria-americanos protestaram do lado de fora do tribunal

Ele foi pronunciado réu por seis acusações, inclusive tentativa de homicídio e tentativa de usar uma "arma de destruição em massa" para derrubar um avião com 289 outras pessoas a bordo.

O incidente provocou uma ampla revisão dos procedimentos de segurança dos Estados Unidos e levou o presidente Barack Obama a assumir na quinta-feira a responsabilidade pelos erros que levaram Abdulmutallab a ser admitido no voo Amsterdã-Detroit . Obama determinou reformas para evitar novos ataques.

As agências de espionagem dos EUA e o Departamento de Estado dos EUA tinham informações sobre a mentalidade radical de Abdulmutallab, mas isso não bastou para colocá-lo em uma lista de pessoas proibidas de embarcar. O acusado foi detido pela ação de tripulantes e passageiros.

Ligado à ala iemenita da Al Qaeda, Abdulmutallab está detido em uma prisão federal em Milan, no Michigan. A audiência inicial durou poucos minutos, e pode abrir caminho para um processo que acarretaria até a prisão perpétua para o réu.

A polícia isolou a rua, coberta de neve, que dá acesso ao tribunal, e limitou a 80 o número de observadores, incluindo jornalistas. Três cães farejadores revistavam quem entrava na audiência.

Cerca de 12 pessoas no lado de fora do tribunal seguravam cartazes com dizeres como "Islã é contra o terrorismo" e "Não em nome do Islã".

Enquanto isso, o secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, disse que o uso de scanners de corpo inteiro para revistar passageiros é uma invasão de privacidade necessária para assegurar a segurança dos passageiros.

Ele previu que os viajantes em breve ficarão tão acostumados a isso quanto a tirar os sapatos nas vistorias aeroportuárias.

- Temos, a fim de garantir a nossa segurança, de abrir mão de certa quantidade de privacidade. Temos de usar todos os meios para assegurar que as pessoas possam viajar em segurança. O impacto do (atentado), se tivesse tido sucesso em Detroit, os efeitos em cadeia disso sobre a nossa economia, nosso sistema de comércio, teriam sido enormes - disse disse Holder nesta sexta-feira a uma organização cívica em West Palm Beach, na Flórida.

Fonte: Reuters via O Globo - Foto: AP

Colombiano comandará 1º voo da Nasa no ano em que agência suspenderá missões

O astronauta de origem colombiana George Zamka (foto) comandará o ônibus espacial "Endeavour" em uma das últimas viagens deste veículo de transporte à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), que este ano deixará de receber naves da Nasa.

Segundo o cronograma da a agência espacial americana, a próxima missão do "Endeavour" decolará de Cabo Canaveral, no centro da Flórida, na madrugada (hora local) de 7 de fevereiro.

Este lançamento não só será o último que a Nasa fará com o céu escuro pelos próximos anos, como também vai ser o primeiro dos cinco últimos que serão realizados até o fim de setembro, quando o programa que a agência iniciou há 36 anos será suspenso até a construção de uma nova geração de espaçonaves.

A missão que Zamka integrará vai durar 13 dias, segundo um comunicado da Nasa. O colombiano e mais cinco astronautas levarão à ISS o módulo de conexão "Tranquility", assim como uma cúpula de janelas que será usada como um centro de pesquisas robóticas.

Para Zamka, ex-combatente da Guerra do Golfo (1991) e condecorado coronel e piloto da Força Aérea dos Estados Unidos, a viagem que ele fará ao espaço em fevereiro será a segunda que ele comandará, já que em 2007 ele pilotou o "Discovery" na missão STS-120.

Filho de imigrantes colombianos e nascido em Nova Jersey, Zamka também viveu em Nova York, cidade na qual começou a se interessar pelo mundo à sua volta, conforme revelou na entrevista que fez para a missão de três anos atrás.

Segundo o astronauta, seu fascínio pelo espaço surgiu quando tinha entre 12 e 14 anos, enquanto brincava com amigos criando foguetes de brinquedo que depois eram lançados no ar.

"Provavelmente, a coisa mais relevante relacionada ao que eu sou (astronauta) é a lembrança de que ia com meus amigos para uma cidade vizinha chamada Ardsley e comprávamos peças de foguetes, que depois lançávamos de um rio... Suponho que, para mim, isso era exploração, parte de um espírito aventureiro", lembrou Zamka na citada entrevista.

Aos 14 anos, ele se mudou com sua mãe, Sofía; seu pai, Comrad, e seu irmão, também Comrad, para a Colômbia.

"Foi uma experiência um pouco difícil, porque isso não foi como se mudar para um lugar dentro dos Estados Unidos para viver entre americanos. (...) E embora soubesse um pouco de espanhol, tive que aprender rápido para poder me adaptar, ter amigos e me encaixar", declarou o astronauta.

Segundo Zamka, sua experiência na Colômbia, onde frequentou uma escola bilíngüe, foi bastante útil e o ajudou muito profissionalmente.

"Um dia, enquanto tinha aulas de espanhol, pensei: 'Meu Deus, que bom que posso entender o espanhol", disse. "Isso nunca aconteceria se não tivesse vivido na Colômbia. Isso me permitiu apreciar o aprendizado de outros idiomas e culturas. E obviamente também me ajudou aqui (na Nasa), já que estamos construindo a Estação Espacial Internacional", concluiu o astronauta.

O colombiano chegará na próxima semana à Flórida, onde treinará mais uma vez os passos finais de sua missão como comandante da "Endeavour".

Fonte: EFE via EPA

Nasa testa espelhos de novo telescópio espacial

James Webb, um ‘super-Hubble’, será lançado em 2014.

Lâminas passam por teste de resistência a -248°C.


6 dos 18 segmentos de espelho do telescópio espacial James Webb

Quem se impressiona com as imagens captadas pelo telescópio espacial Hubble pode se preparar para ver, em poucos anos, imagens ainda mais fantásticas. O telescópio espacial James Webb, com lançamento previsto para 2014, será muito mais potente. Na foto acima, divulgada pela Nasa, aparecem 6 dos 18 segmentos de espelho do James Webb.

Os segmentos foram preparados para teste em uma câmara criogênica, onde suportam temperaturas de até 248°C negativos. A análise é fundamental para assegurar que o material pode suportar as condições ambientais extremas vigentes no espaço. A instalação fica no Centro Espacial Marshall, em Huntsville.

Fonte: G1 - Foto: Nasa/MSFC/Emmett Givens

Avião sem piloto dos EUA bombardeia campo rebelde no Paquistão e mata 11

Um ataque com mísseis disparados por um avião americano sem piloto matou na quarta-feira 11 rebeldes em um campo de treinamento talibã numa zona tribal do Paquistão.

O bombardeio aconteceu na aldeia de Ansali, oeste de Miranshah, principal cidade do distrito tribal do Waziristão do Norte.

Este foi o quarto ataque desse tipo em uma semana no distrito, que é um dos principais redutos dos talibãs.

Duas fontes dos serviços de inteligência e uma da administração local confirmaram o ataque e o balanço de vítimas.

O Waziristão do Norte é um reduto dos talibãs, de seus aliados da Al-Qaeda e da rede Haqqani, autora de inúmeros atentados contra as tropas estrangeiras no vizinho Afeganistão.

Fonte: AFP

Deputado quer incluir jatinho em proposta orçamentária

O deputado federal Ernandes Amorim (PTB-RO) apresentou requerimento à Câmara dos Deputados solicitando que seja incluída na proposta orçamentária da Casa para 2011 a compra de uma aeronave tipo ou similar ao Legacy, fabricado pela Embraer.

Como o requerimento foi feito no dia 16 de dezembro de 2009 e encaminhado à 1ª Secretaria da Mesa Diretora para exame no dia 23 de dezembro, quando a Casa já estava em recesso, a solicitação somente deverá ser examinada depois do dia 1º de fevereiro, quando os trabalhos recomeçarão.

"A aeronave irá atender os trabalhos do dia a dia na Câmara e as comissões. Não é para os deputados viajarem para os seus Estados. Para isso, já temos as cotas de passagem necessárias", afirmou o deputado.

No requerimento, o deputado afirmou que "a grande maioria das comissões externas não concluem seus trabalhos nos objetivos almejados por falta absoluta de condições para os deslocamentos dos senhores parlamentares, principalmente para as unidades da federação mais distantes da capital federal, o que esvazia a ação parlamentar e os seus deveres constitucionais deixam de ser executado pela falta de transporte aéreo para os municípios que demandam essas visitas".

Sem especificar preço e capacidade no requerimento, Amorim estima que a aeronave custaria R$ 25 milhões e teria capacidade para cerca de 15 pessoas.

Fonte: Fabiana Leal (Terra)

Centro de operações aéreas do Acre treina para atuar em caso de enchente

Oficial do Corpo de Bombeiros do Paraná ministra curso em Rio Branco para profissionais que trabalham no helicótero Comandante João Donato

O Governo do Acre, através da Secretaria de Estado da Segurança Pública, mantém o programa de qualificação para uso do helicóptero Comandante João Donato. Nesta sexta-feira, 8, o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) deu continuidade ao treinamento que visa preparar 19 homens do Corpo da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar para atuação em caso de flagelos decorrentes das alagações dos rios no Acre.

O curso é ministrado pelo capitão do Corpo de Bombeiros do Paraná, Eugênio Celso Vaz, piloto de helicóptero e membro da Força Nacional de Segurança, que presta apoio ao governo na implantação do Ciopaer e no treinamento de operações aéreas com vistas ao sistema de defesa social do Acre. "Os rios enchem nesta época do ano e há ocupação das margens desses rios, o que amplia ação de defesa civil", explicou a secretaria de Segurança em exercício, Beth Oliveira. "Também amplia a segurança no voo", completou Eugênio Vaz.

Fonte: Edmilson Ferreira (Agência de Notícias do Acre) - Foto: Sergio Vale

Líbano expressa preocupação com medidas de segurança nos aeroportos dos EUA

O presidente do Líbano, Michel Suleiman, expressou hoje sua preocupação com as medidas de segurança adotadas pelos Estados Unidos em seus aeroportos com relação passageiros de determinados países, entre estes os libaneses, informou um comunicado de seu escritório de imprensa.

"As medidas de segurança em nossos aeroportos são boas e o Líbano demonstrou ser capaz de combater o terrorismo, apesar dos poucos meios à disposição", afirmou Suleiman, que recebeu hoje uma delegação do Congresso dos EUA, presidida pelo democrata Alcee Hastings.

Suleiman acrescentou que o Líbano vive um período de calma e estabilidade, e ressaltou que o país é um dos que mais êxito teve na luta contra o terrorismo.

Os EUA intensificaram as medidas de segurança contra os cidadãos de alguns países, entre estes o Líbano, depois que em 25 de dezembro um jovem nigeriano supostamente tentasse um atentado contra um avião americano com destino a Detroit, tentativa que acabou frustrada por imperícia do rapaz.

Segundo Washington, a lista de países que patrocinam o terrorismo inclui Cuba, Irã, Sudão e Síria, enquanto a de "países de interesse" inclui o Afeganistão, Argélia, Iraque, Líbano, Líbia, Nigéria, Paquistão, Arábia Saudita, Somália e Iêmen.

Suleiman também elogiou os esforços exercidos pelo Exército e as forças de segurança libanesas, que prenderam ontem um membro importante do grupo radical sunita Fatah al-Islam e à apreensão de documentos e material tecnológico.

O jornal "An-Nahar" informou hoje que os serviços de Inteligência do Exército detiveram ao suposto membro do Fatah al-Islam no bairro de Beirute de Aicha Bakkar.

Há oito meses o suspeito, um palestino residente no Líbano, era acompanhado pela Inteligência libanesa e supostamente participou de ações terroristas no país árabe e preparava outras.

É esperada hoje também a chegada ao Líbano do senador republicano e ex-candidato à Presidência dos EUA, John McCain.

Fonte: EFE via G1

Vândalos colocam fogo no Cine-Avião de Araçariguama (SP)

O Cine-Avião, patrimônio público pertencente à cidade de Araçariguama foi incendiado durante as comemorações da virada de ano.

Em nota, a Prefeitura da cidade afirmou que os vândalos atearam fogo no avião no dia 1º de janeiro. A Guarda Municipal compareceu no local e conseguiu evitar que danos maiores fossem causados, porém, o estrago foi inevitável.

Os culpados arrancaram diversas poltronas e as amontoaram para facilitar a queima. O fogo causou também um grande buraco na parte superior da asa direita.

A Prefeitura afirmou ainda que quanto ao terrível ato contra o Cine-Avião, as autoridades competentes irão investigar se ocorreu por ato de vandalismo ou tentativa de forjar que o avião estaria abandonado pela atual administração.

A atual administração está firmando um convênio para a reconstrução do patrimônio, que em 2009 foi por três vezes palco do Vídeo Clip.

A administração de Araçariguama pede que se alguém tiver alguma informação quanto ao incêndio denuncie, mesmo que seja anônimo.

Fonte: Jornal da Economia - Foto: Vandenei Dogado

Embraer entrega Lineage 1000 à Al Jaber Aviation

A Al Jaber Aviation, de Abu Dhabi, recebeu o primeiro jato executivo Lineage 1000 da Embraer e já encomendou outras quatro aeronaves do mesmo modelo.

A Embraer entregou o primeiro jato executivo Lineage 1000 à companhia Al Jaber Aviation (AJA), de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A empresa árabe já fez o pedido de outros quatro aviões do mesmo modelo, além de quatro Legacy 450 e quatro Legacy 500.

“Estamos imensamente satisfeitos por entregar o primeiro Lineage 1000 à Al Jaber Aviation e muito orgulhosos por exercer um papel-chave na expansão da frota da AJA”, afirmou Colin Steven, diretor de Marketing e Vendas da Embraer para a Europa, Oriente Médio e África – Aviação Executiva, segundo nota da empresa.

“Estamos especialmente honrados pela confiança que a AJA colocou na nossa família de jatos executivos. A companhia iniciou operações em junho de 2009 com o nosso Legacy 600 e agora está expandindo a frota com o Lineage 1000”, completou Steven.

O Lineage 1000 é o maior jato executivo da Embraer e tem capacidade para transportar 19 passageiros em cinco zonas de cabine. A aeronave passará a realizar vôos fretados sob demanda a partir de março de 2010. A Al Jaber Aviation será a maior operadora deste tipo de avião, com uma frota de cinco aparelhos.

“Este é um momento de muita motivação para a nossa empresa e esperamos iniciar a operação desta maravilhosa aeronave para apoiar nosso negócio em expansão”, declarou Mark Pierotti, executivo-chefe de Operações da Al Jaber Aviation, de acordo com a nota da Embraer. “Ao escolher o Lineage 1000, a AJA poderá oferecer a seus convidados VIP um nível superior de serviços jamais visto nesta região. Estaremos aptos a oferecer novos padrões de excelência.”

A AJA iniciou suas operações em junho de 2009, com dois jatos Legacy 600 novos, oferecendo serviço VIP de voos fretados a partir de Abu Dhabi e Dubai. A empresa possui uma frota de 21 aeronaves encomendadas e posiciona-se para ser líder global no mercado de vôos fretados VIP, setor em rápido crescimento no Oriente Médio.

Fonte: Agência ANBA

Tam e Trip ampliam acordo de code-share

A Tam e a Trip vão ampliar, a partir desta segunda-feira (dia 11), o acordo de code-share firmado entre as companhias. Com isso, a Tam poderá comercializar os voos operados pela Trip, sob o código JJ, para três novos destinos: Bonito (MS), via Campo Grande (MS); e Lençóis (BA) e Petrolina (PE), via Salvador (BA). As duas companhias já possuem code-share na operação de voos para 39 destinos no Brasil.

“Estamos ampliando a abrangência de nossa malha doméstica por meio dessa nova etapa de nossa parceria com a Trip. Com as três novas cidades desse acordo, passamos a atender um total de 82 destinos no Brasil, seja com voos próprios ou por meio de acordo com companhias regionais. Dessa forma, podemos oferecer mais comodidade e melhores serviços aos nossos passageiros”, afirma o vice-presidente comercial e de Planejamento da Tam, Paulo Castello Branco.

“A parceria é importante porque permite maior conectividade entre destinos e benefícios para os clientes das duas companhias”, diz o diretor de Marketing e Vendas da Trip, Evaristo Mascarenhas de Paula.

Fonte: Portal Panrotas

Aeroporto de Confins adota inspeção individual para quem embarca rumo aos EUA

Regras rígidas com o objetivo de garantir segurança em voos internacionais e evitar pânico com tentativas de atentados terroristas, como a que envolveu um nigeriano que seguia de Amsterdã, na Holanda, para Detroit (EUA) e foi preso sob acusação de ameaçar explodir um avião no fim do ano passado. Atendendo as determinações da Administração de Segurança dos Transportes dos Estados Unidos (TSA, sigla em inglês para Transport Security Administration), o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH, passa a adotar medidas de inspeção individual, principalmente nos casos de passageiros que viajam para os Estados Unidos.

Desde o início da semana, as companhias aéreas com voos internacionais cumprem as exigências da TSA, como a averiguação das bagagens de mão e sapatos dos passageiros no corredor de acesso ao avião, a obrigatoriedade de que todos sejam submetidos ao detector de metais e ainda fiscalização reforçada no transporte de substâncias em líquido e em gel. Faltando uma hora para a aterrissagem, todos ficam proibidos de se levantar e não é permitido abrir qualquer bagagem de mão, além de serem recolhidos travesseiros, cobertores e outros objetos que estiverem no colo dos viajantes.

Morando no interior da Austrália, o engenheiro Renato Dias Carvalho, de 26 anos, está acostumado a percorrer os principais aeroportos do mundo. Ontem, ele seguia de Confins para Oakland (Nova Zelândia), com conexões em Guarulhos e Santiago (Chile). Apesar de conhecer as regras padronizadas para a maioria dos países, acredita que certos detalhes são exagerados e “podem causar atrasos nos embarques e muitas inconveniências para alguns passageiros”. Voando para Portugal pela primeira vez, a arquiteta Maria del Mar, de 47, concorda com as normas, mas acredita ser necessário impor limites. “Se é em função da segurança, temos que nos sujeitar. Mas dentro de níveis respeitosos”, afirma.

Em nota, a TAM informou que implantou todas as medidas de segurança exigidas nos voos com destino a Nova Iorque, Miami e Orlando. Além do reforço na fiscalização, a empresa explica que também está proibida de informar a posição da aeronave dentro do espaço aéreo norte-americano e acrescenta que os viajantes são obrigados a permanecer nos assentos e sem qualquer objeto no colo enquanto a tripulação determinar.

Para evitar transtornos ao embarcar, é preciso que os passageiros consultem as normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e despachem determinados produtos, como perfumes, desodorantes e cremes dentais (veja lista). Computadores portáteis, celulares, filmadoras e máquinas fotográficas são artigos permitidos apenas como bagagem de mão, mas, se antes era liberado o uso de aparelhos eletrônicos em algumas fases do voo, a partir de agora, fica proibido usar telefone e GPSs, assistir TV e acessar a internet.

Fonte: Pedro Rocha Franco (Correio Braziliense) - Foto: Euler Junior (EM/D.A.Press)

Minas terá 11 novos aeroportos até setembro

Até setembro, Minas Gerais vai ter mais 11 aeroportos com capacidade para operar com aviação regular. As obras nos municípios começaram a ser entregues em setembro de 2009 e os aeroportos terão investimentos de quase R$ 100 milhões na melhoria da infraestrutura, por meio do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero), da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas. Os novos aeroportos, no entanto, não garantem rotas de aviação regular para os municípios. Cidades como Manhuaçu e Poços de Caldas já estão com aeroportos prontos para operar com voos regulares, mas não contam com o serviço de aviação. A palavra-chave é demanda.

É o que ocorre, por exemplo, no Sul de Minas, onde as rotas começam a ficar mais aquecidas. Depois de alguns anos com o aeroporto parado, a cidade de Varginha vai voltar a ter linha aérea regular. A Trip Linhas Aéreas inaugura até o fim de fevereiro dois voos diários na rota Belo Horizonte-Varginha-Guarulhos, que vão operar de segunda a sexta-feira. O novo terminal de acesso aos passageiros foi construído em formato de nave espacial e terá área para a Polícia Federal . A Air Minas Linhas Aéreas também já estuda operar no municipio.

Para driblar a deficiência de voos regulares, empresas do Sul do estado começam a buscar parcerias. Em Pouso Alegre, uma agência de turismo contratou empresa de táxi aéreo para oferecer voos comerciais para Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, que começaram a operar em novembro. O proprietário da agência Beto Nery Viagens e Turismo, Humberto Nery, conta que já atendia prefeituras, políticos e várias empresas na venda de passagens para embarque em grandes aeroportos. Depois de fazer pesquisa de mercado, identificou demanda crescente do serviço de aviação na região. “Toda empresa de médio e grande porte precisa de transporte de passageiros aéreo”, diz.

Nery explica que duas empresas aéreas chegaram a operar voos regulares no aeroporto de Pouso Alegre, mas abandonaram as linhas em 2002 por falta de passageiros. Depois de sete anos, ele diz que os tempos são outros e que o setor na região é promissor. “A nossa expectativa é muito boa e há muita gente nos procurando. No futuro, pretendemos aumentar os horários, colocar número maior de assentos e ampliar a área de atuação. Já entramos em contato com os prefeitos de Poços de Caldas e Varginha e eles estão bem interessados”, assegurou.

O aeroporto de Manhuaçu, a cerca de 285 quilômetros da capital, aguarda voos regulares desde o fim de 2006, quando foi inaugurado. “Temos a estrutura física pronta e há um protocolo de intenções assinado com companhia aérea. E seria economicamente viável, pelo fato de ser uma região cafeeira e de importância no turismo, próxima do Pico da Bandeira e do Parque Nacional do Caparaó”, afirma Mário Assad Júnior, secretário de assuntos institucionais de Belo Horizonte.

O diretor de marketing e vendas da Trip Linhas Aéreas, Evaristo Mascarenhas de Paula, explica que diversas rotas regionais estão sendo avaliadas no estado, mas a viabilidade econômica não pode ser deixada de lado. “Precisamos de pelo menos 60% da aeronave ocupada para o voo se tornar viável. Mas é preciso lembrar que os investimentos do governo foram realizados não só com foco na aviação comercial, mas também com outros objetivos, como a assistência aeromédica. Para ter voos nos aeroportos, não basta a infraestrutra estar pronta. É necessário que a área esteja cercada, com raio x para bagagens, passageiros e caminhão de bombeiros”, ressalta.

Do total de 853 municípios do estado, apenas 11 operam atualmente com aviação regular: Belo Horizonte, Araxá, Diamantina, Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Patos de Minas, Uberaba, Uberlândia, Juiz de Fora e São João del-Rei. A meta do Proaero é que, até 2011, todas as cidades do estado não fiquem a mais de 100 quilômetros de um aeroporto. Até agora, já foram realizados investimentos em 27 empreendimentos de municípios mineiros. O gerente do Proaero, Marco Migliorini, esclarece que o objetivo do programa não é apenas o atendimento à aviação regular, pois há a necessidade de prestação de serviço local. “Os municípios precisam ter um aeroporto em funcionamento para casos de urgência. Quando preparamos o aeroporto, é para atendimento aeroviário, seja de urgência, voo regular ou fretamento”, diz.

Fonte: Geórgea Choucair e Patrícia Rennó (Estado de Minas) via Portal UAI

Anac libera toda a pista do aeroporto de Joinville (SC)

Por enquanto, as operações com chuva dependem das companhias aéreas para acontecer

Trecho voltou a ter 1.640 metros de extensão


Depois de quatro meses de pista interditada, o problema finalmente foi resolvido no Aeroporto de Joinville. A partir de sexta-feira, os 240 metros na cabeceira 33, que ainda estavam restritos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), estão liberados.

O trecho voltou a ter 1.640 metros de extensão. Por enquanto, as operações com chuva dependem das companhias aéreas para acontecer. TAM e Gol informaram que ainda não receberam uma notificação oficial sobre a liberação e só a partir disso vão decidir se retomarão os procedimentos.

Fonte: Ana Paula Fanton (Diário Catarinense) - Foto: Salmo Duarte

Petição on-line pelas Low Cost nos Açores

Jorge Miguel Berto Justino divulgou na tarde de ontem uma petição que visa tornar o arquipélago num destino Low Cost.

O documento será entregue ao Governo dos Açores, ao Governo de Portugal e ao Ministério da Economia. É uma petição on-line e nela encontra-se a seguinte justificação:

"Para quem vive nas ilhas dos Açores e quer ir até ao continente ou para os continentais que queiram visitar estas maravilhosas ilhas, têm a opção de efectuar a viagem em duas companhias aéreas: a TAP e a SATA.Vendo o panorama nacional e também internacional em que se tornou o comércio aéreo, debatemo-nos com as companhias "low cost". Viagens para destinos interessantes a preços muito atractivos.

Portugal já entrou no rumo das "low cost", e entre os vários destinos nacionais, vemos voos a partir dos aeroportos do Porto, Lisboa, Faro e Funchal (Madeira).

Os Açores continuam arredados das "low cost". E porquê? Penso que o povo açoriano e não só, também têm o mesmo direito de viajar a baixo custo.

É necessário mudar esta situação, pois existem várias companhias aéreas "low cost" interessadas em operar no arquipélago dos Açores.O objetivo desta petição é tornar o arquipélago dos Açores num destino "low cost", acessível a todos."

O link da petição é o seguinte:

Após anúncio de concordata, Embraer aguarda plano de recuperação da Mesa Air

A Embraer comunicou nesta quarta-feira (6) que irá aguardar a apresentação do plano de reestruturação econômica da Mesa Air Group para avaliar os eventuais impactos em seu balanço, uma vez que a empresa deve R$ 42 milhões à Embraer. A companhia aérea dos EUA entrou em concordata junto à corte distrital sul da cidade de Nova York na última terça-feira (5).

A Mesa, cuja frota inclui 36 aeronaves ERJ 145, informou que pretende manter suas operações, bem como os acordos operacionais com outras empresas aéreas.

Destaques da Embraer

Após o anúncio, a Embraer destacou que não é credora da Mesa Air, de modo que possui obrigações de garantias associadas às estruturas de financiamento dos 36 jatos, para as quais conta com US$ 67 milhões em depósitos em garantias.

Além disso, a companhia salientou que o valor constitui reserva adicional à posição de caixa da Embraer e integra o montante de US$ 493,2 milhões em depósitos em garantia registrados nas demonstrações de 2008 e por fim informou que "até o momento, a Mesa Air Group encontra-se adimplente nas referidas estruturas de financiamento".

Fonte: InfoMoney via Yahoo! Notícias

Angola: novo terminal abre as portas

O novo terminal de embarque e desembarque de passageiros do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, abriu ontem, depois de receber obras de ampliação e modernização durante um período de sete meses.

Avaliadas em 153 milhões de dólares, as obras no aeroporto criaram novos serviços para passageiros, companhias aéreas e concessionárias. A parir de agora, todo o serviço de embarque, desembarque e “check in” é feito no novo terminal.

A reportagem do Jornal de Angola constatou logo às primeiras horas da manhã um grande movimento de passageiros na sala de embarque. Após o “check in”, os passageiros dirigiram-se de forma organizada para os balcões dos Serviços de Migração, que tem aparelhos de raios X.

Até às 11 horas, a sala de desembarque estava vazia e sem bagagem nos três tapetes rolantes.

A área de espera da sala de embarque tinha todos os lugares ocupados. Outros passageiros aguardavam em pé pela hora de embarque. O passageiro José Paulo disse que está satisfeito com as condições do aeroporto internacional. “É preciso que o sistema dos painéis de informação funcione o mais rápido possível para evitar que os passageiros se dirijam ao balcão para obter alguma informação”, disse.

A sala de espera tem uma área para s fumadores. Os passageiros disseram que tem de ser melhorada, pelo facto de deixar passar o fumo para a sala principal.

Altino Santos, que tinha viagem marcada para o Rio de Janeiro, Brasil, salientou que é positiva a melhoria das infra-estruturas do aeroporto, que a partir de agora garante maior dignidade aos passageiros.

Companhias deixam tenda

Nesta altura, as companhias e concessionárias mudam-se da tenda para o novo terminal. A sala de embarque do aeroporto funcionou durante o período das obras numa tenda gigante, que já começou a ser desmontada.

O aeroporto tem mais salas de embarque, balcões, tapetes para as bagagens. A capacidade de atendimento de passageiros aumentou. O movimento aeroportuário por ano vai subir de 1, 2 milhões de pessoas para 3,6 milhões de pessoas. A requalificação do aeroporto aumenta a capacidade de atendimento de 400 para 1.000 passageiros por hora.

Os balcões de atendimento para “check in” passam de 12 para 26. Os Serviços de Migração tinham seis balcões na área de embarque e agora contam com 16. A área de desembarque tem agora 18 balcões para Alfândega, Polícia Fiscal e Serviços de Migração e Estrangeiros.

Restaurantes ao embarque

O aeroporto tem restaurantes na sala de desembarque. As obras decorrem ao ritmo normal para a conclusão da segunda fase das obras de ampliação e remodelação do aeroporto, que tem casas de câmbio, lojas e alojamento aeroportuário.

As próximas selecções africanas do CAN vão desembarcar nas novas instalações do aeroporto internacional. A selecção do Burkina Faso, a primeira a chegar ao país, desembarcou no terminal doméstico.

O aeroporto tem agora três novos parques de estacionamento com capacidade para 856 carros, entre ligeiros, táxis e autocarros, incluindo áreas específicas para portadores de deficiência. A recuperação abrangeu uma área de 27.500 metros quadrados de área totalmente reabilitada, contra os 12.300 metros anteriores. As obras do aeroporto, adjudicadas à Odebrecht e à Somague, são fiscalizadas pela Dar Al Handasah.

Serviços de táxi

A empresa de transporte Afri-Taxi tem desde ontem disponíveis 20 carros no aeroporto para serviço de táxi.

Os carros vão funcionar com um taxímetro automático. O valor da bandeirada é fixado em 300 kwanzas. A partir do aeroporto internacional, o passageiro paga 20 kwanzas por minuto, a uma velocidade até aos 30 quilómetros por hora, nos casos em que existir congestionamento, o que perfaz aproximadamente mil kwanzas. Num percurso sem trânsito, o preço varia entre os 500 e os 600 kwanzas, contando com a bagagem.
Dois alpendres estão montados no parque de estacionamento de viaturas do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda.

Fonte: Rodrigues Cambala (Jornal de Angola) - Foto: João Gomes

Empresa aérea inaugura rota de viagem para o interior do estado

A Asta América do Sul Táxi Aéreo, empresa mato-grossense transportadora de cargas, começa a voar também com passageiros, a partir do dia 11 de janeiro, próxima segunda-feira, tornando-se mais uma opção para quem precisa viajar ao interior de Mato Grosso. A empresa fará a rota Cuiabá-Juara-Juína-Juruena-Aripuanã.

“Essa é uma rota de longa distância, com uma grande parte de acesso por terra em estado muito ruim, sendo as estradas péssimas. O nosso voo vai facilitar a vida das pessoas que precisam se locomover com mais rapidez, para cumprir suas agendas de negócios e trabalho”, avalia o diretor da Asta, Luis Roberto Silva, advogado e graduado em gestão empresarial, com MBA na área.

A aeronave, modelo Grand Caravan, sairá da capital às 6h20, de segunda a sexta-feira, ou seja, todos os dias, exceto sábados, domingos e feriados, passando por Juara, Juína e Juruena e com previsão de chegada em Aripuanã às 10h30.

O retorno, cumprindo o sentido contrário da rota, iniciará às 14h10, com previsão de chegada em Cuiabá às 18h25. O modelo Grand Caravan está entre os mais seguros do mundo. O avião tem capacidade para nove passageiros.

Os bilhetes serão vendidos no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, pelo fone (65) 3682-2695 ou pelo site http://www.voeasta.com.br/, que já está liberado para a finalidade.

Conforme pesquisa prévia, a clientela da Asta deverá ser, mais rotineiramente, empresários do agronegócio, políticos, funcionários públicos em trabalho e secretários do âmbito municipal, estadual e federal, além de enfermos em tratamento médico (exceto os que necessitem de serviço especial), turistas e passageiros em geral.

A Asta tem 15 anos de atuação e começou com duas aeronaves pequenas, modelo Sêneca, com capacidade para cinco passageiros, fretando voos pré-agendados e com finalidades específicas. Depois, especializou-se em transporte de cargas. Pertence ao Grupo Oliveira Silva, para quem foi vendida em 2007 e que concentra ainda a Logos Express, que também faz transporte de cargas, para todo o estado de Mato Grosso.

A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) homologou, dia 29 de dezembro do ano passado, licenciamento para que a Asta, que já tem know how nessa rota fazendo transporte de cargas, transporte também passageiros na linha.

“Trabalhamos todo o ano passado em prol do licenciamento e foram muitas exigências. No início de dezembro, uma equipe da Anac esteve na sede da empresa no Aeroporto Marechal Rondon, fazendo uma vistoria interna, e eles são bastante rigorosos. Fizemos um voo fiscalizado de simulação na rota e, depois disso, conseguimos o certificado”, explica Luis Roberto.

A Asta se apresenta como opção alternativa aos voos da Cruiser Linhas Aéreas, que faz a mesma rota. Mais informações com Luis Roberto: (65) 3614-2599 ou (65) 9981-4705.

Fonte: Olhar Direto

Geórgia faz primeiro voo para Rússia, depois da guerra em 2008

Um avião de passageiros da Geórgia pousou na Rússia nesta sexta-feira, marcando o primeiro serviço aéreo direto entre os dois países desde a guerra em 2008.

A decisão de Moscou de permitir o voo parece indicar que as tensões entre a Geórgia e a Rússia estão se enfraquecendo.

O Boeing 737-500 da companhia aérea Georgia Airways, transportando 85 passageiros, decolou de Tbilisi, na Georgia, e aterrissou no aeroporto Domodedovo, em Moscou, duas horas depois.

O porta-voz da companhia aérea Nino Giorgobiani afirmou que o ministro dos transportes da Rússia deu permissão para três voos para Moscou nos próximos dias. Mas a companhia não recebeu respostas sobre a permissão de serviços de voos regulares para o país.

O porta-voz da Administração da União de Transportes da Georgia, Dzhilda Machavariani, afirmou que as negociações do governo sobre o retorno dos voos diretos regulares ainda não ocorrem.

Apesar da retomada nas viagens aéreas, é provável que levem anos até que as relações entre os dois países se normalizem. A Rússia cortou os voos em agosto de 2008 , logo após tanques da Geórgia invadirem a região separatista da Ossétia do Sul.

Primeiro avião da Geórgia pousa em Moscou desde a guerra

Fonte: Associated Press via Valor Online - Foto: Reuters

Jatinho pode ter sido roubado no aeroporto de Fernando de Noronha

PF vai investigar se Jato Hawker 900 XP, de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélogo, foi assaltado

A Polícia Federal (PF) de Pernambuco começou a investigar, na quinta-feira (7), o arrombamento de uma aeronave que estava no pátio do Aeroporto da Ilha de Fernando de Noronha. De acrodo com a PF, trata-se de um Jato Hawker 900 XP, prefixo I-MFAB de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélogo com cinco pessoas de uma mesma família.

Polícia Federal investiga possível arrombamento de avião em Noronha

Aeronave pertence a um grupo de italianos; avião só será liberado após perícia da polícia

A Polícia Federal começo nesta sexta-feira (8), as investigações do arrombamento de uma aeronave ocorrido no Aeroporto da Ilha de Fernando de Noronha na última quinta-feira (8). Segundo policiais, trata-se de um Jato Hawker 900 XP, prefixo I-MFAB de bandeira Italiana, que chegou esta semana no arquipélago com cinco pessoas de uma mesma família.

Giovani Santoro, assessor da PF, informou que foi peritos criminais irão colher indícios que apontem a causa do possível arrombamento e se houve material roubado. Algumas pessoas já foram ouvidas, inclusive o piloto da aeronave.

De acordo com as primeiras informações, a área em que se encontra o avião está isolada e a porta possivelmente arrombada, lacrada. O avião só será liberado depois que for realizada a perícia da PF.

Fonte: pe360graus.com

Novo caça terá de ser o modelo padrão da frota

O programa FX-2 pretende dar à aviação brasileira uma máquina padrão de guerra aérea, capaz de substituir toda a frota atual, composta por três diferentes tipos de jatos de combate - os interceptadores, os táticos e os de bombardeio de precisão. O primeiro lote, de 36 unidades, será seguido de outros até um total estimado em 120 aeronaves.

Dependendo da pressão estratégica que possa haver no futuro, a encomenda será ainda maior.

Fosse essa única referência e o favorito da FAB seria o americano F-18 E/F Super Hornet, robusto, provado em 20 anos de combate, com carga eletrônica avançada e, por meio de duas versões, adaptado a diversos tipos de utilização a partir de bases em terra ou de porta-aviões. O problema é a transferência de conhecimento, um dos fundamentos da FX-2, que aparece sempre com qualificações limitadoras.

Na última nota do fabricante, a Boeing Company, a oferta referente é definida como "programa robusto de transferência que contém oportunidades de codesenvolvimento para a indústria brasileira na evolução do programa".

Não é bem isso o que deseja o Ministério da Defesa, empenhado em obter informação sensível de interesse do complexo aeroespacial formado em redor da Embraer. Nesse caso, quem se aproxima do objetivo pretendido é o consórcio francês Rafale International, que considera "irrestrita" a sua proposta de passagem de tecnologia. O avião é moderno, tem um novo radar notável, entrou em ação no Afeganistão e incorpora recursos digitais que permitem, por exemplo, a reconfiguração da missão durante o voo. De quebra, foi concebido para operar também em navios aeródromos. As virtudes do Gripen NG, sueco, soam como música em determinados setores da Aeronáutica: poder de fogo, custos baixos, possibilidade de participação direta no desenvolvimento final do projeto, produção local.

A combinação desse mosaico é a componente política da escolha por razões de interesse do Estado.

Fonte: Agência Estado via iG

Anac abre inscrições para 213 bolsas de estudos para pilotos

Vagas são oferecidas em convênio com 19 aeroclubes de oito estados.

São 139 bolsas para piloto privado e 74 para piloto comercial.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) abriu inscrições para 213 bolsas de estudo para formação de pilotos para a aviação civil. As vagas são oferecidas em convênio com 19 aeroclubes de oito estados (veja aqui o edital).

O projeto de bolsas de estudo é direcionado a candidatos de 18 a 36 anos incompletos (não completados até 4 de janeiro) que pretendam concluir o curso de piloto privado ou de piloto comercial – para piloto privado são 31 anos incompletos e para comercial, 36 anos.

Os candidatos já deverão ter realizado pelo menos 25% das horas previstas no curso desejado (veja detalhes abaixo) e passarão por um processo seletivo que contempla uma prova teórica e uma avaliação prática de proficiência em aeronave de instrução.
A Anac já selecionou os aeroclubes que participarão do processo para garantir elevado nível de qualidade e segurança durante todas as etapas do treinamento – veja aqui a lista.

Serão 139 bolsas para o curso prático de piloto privado de avião e 74 para o curso de piloto comercial – veja aqui a relação. As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas até 12 de fevereiro e as bolsas cobrem 75% das horas de voo necessárias para a formação dos pilotos.

As provas objetivas serão realizadas no dia 14 de março, em Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre (RS), Porto Nacional (TO), Rio Claro (SP) ou São Luís.

Os candidatos deverão obter, no mínimo, 70 % de aproveitamento na prova objetiva. Pré-requisitos do candidato à bolsa de piloto privado de avião: Possuir idade mínima de 18 anos e não haver completado 31 anos até a data de 04/01/2010. Possuir ensino fundamental completo reconhecido pelo Mec. Possuir Certificado de Capacidade Física de 2ª classe – nível piloto privado. Ter sido aprovado em banca de exames da Anac para piloto privado de avião, com data de validade posterior a dezembro de 2010.

Possuir, no mínimo, a seguinte quantidade de horas de voo de instrução em avião: 9 horas, se realizadas em entidade de ensino homologada pela ANAC; ou 14 horas, se não realizadas em entidade de ensino homologada pela Anac. Pré-requisitos do candidato à bolsa de piloto comercial de avião: Não haver completado 36 anos até a data de 04/01/2010. Possuir ensino médio completo reconhecido pelo Mec. Possuir Certificado de Capacidade Física de 1ª classe – nível piloto comercial. Ter sido aprovado em banca de exames da Anac para piloto comercial de avião/IFR, com data de validade posterior a Dezembro de 2010. Possuir, no mínimo, a seguinte quantidade de horas de voo de instrução em avião: - 29 horas, se realizadas em curso de piloto comercial (após cheque de piloto privado) em entidade homologada pela Anac; ou 79 horas, se não realizadas em curso de piloto comercial (após cheque de piloto privado) em entidade de ensino homologada pela Anac.

Fonte: G1

Gripen seria o único caça totalmente compatível com o SIVAM

Segundo a imprensa, o relatório da FAB sobre a compra de caças teria sido entregue a ministro Jobim sem uma indicação de preferência e afirmando que o Rafale e o F-18 seriam superiores ao Gripen.

Mesmo assim, a opção da FAB seria pelo avião sueco por uma séria de razões: custo de aquisição, custo de manutenção, desenvolvimento comum de tecnologia e, sobretudo, pelo fato de que o sistema de comunicação do avião - o Datalink - é considerado o melhor do mundo.

O Datalink é capaz de dialogar com os aviões do Sivam e com os sistemas de proteção aérea por meio criptografado e sem voz.

O SIVAM é um sistema de radares que cobre toda a região amazônica e se baseia em aviões da Embraer e em radares suecos da Ericsson.

Na prática, significa que um Gripen pode receber ordem de interceptar um avião e abatê-lo sem que seja necessário trocar uma palavra com o piloto.

Toda a comunicação é feita criptografada e por transmissão digital. Pelo fato de o sistema de radares do Sivam serem suecos, a compatibilização dos equipamentos é total. Outro fato que não está totalmente esclarecido é a oferta de que o Datalink passe a ser utilizado nos Super Tucanos tornando o sistema de defesa totalmente integrado entre o Sivam, os Super Tucanos e os Gripen.

Fonte: Brasília em Tempo Real - Imagem: socioambiental.org

Aparelhos de raio-x nos aeroportos geram polêmica na Europa

Espanha, França e Alemanha manifestaram preocupação com a privacidade de milhares de passageiros. Inglaterra e Holanda defendem a medida. Itália anunciou que vai adotar o procedimento em Roma e Milão.



Fonte: Bom Dia Brasil (TV Globo)

Saiba mais: compare os três caças finalistas


Fonte: Editoria de Arte (Folha Imagem)

Jobim fará relatório próprio sobre caças para levar a Lula

Ministro da Defesa poderá rever critérios que levaram FAB a escolher avião sueco

Jobim deve dar mais peso a pontos de interesse do Planalto, que prefere o caça francês, para alterar documento da Aeronáutica


ELIANE CANTANHÊDE
COLUNISTA DA FOLHA
FERNANDO RODRIGUES
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA


O ministro da Defesa, Nelson Jobim, apresentará ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva seu próprio relatório sobre a renovação da frota da Força Aérea Brasileira, podendo rever o critério de pontuação dos seis itens avaliados tecnicamente para cada avião e que, confrontados, deram o primeiro lugar ao sueco Gripen NG, fabricado pela empresa Saab. "É importante ver se a pontuação [do relatório da FAB] bate com a posição da gente, que é baseada na Estratégia Nacional de Defesa e dá prioridade à transferência de tecnologia", disse Jobim à Folha.

A Aeronáutica manteve o ranking antecipado pela Folha na última terça-feira para a compra dos 36 caças por até R$ 10 bilhões: o Gripen NG em primeiro lugar, o F-18 da Boeing norte-americana, em segundo, e o Rafale, da Dassault francesa, em terceiro. O francês é o preferido de Jobim e de Lula, que defendem negócio com a França porque o país é seu "parceiro estratégico", com o qual assinou grande acordo militar em 2009.

Jobim, porém, irá analisar todas as informações e a confrontação de dados e poderá fazer a reavaliação do sistema de pesos e notas para cada critério antes de levar uma posição da Defesa a Lula, a quem cabe a decisão final da compra. Como hipótese: a Aeronáutica pontua mais a questão operacional (20%) e menos a contrapartida comercial (15%), e Jobim não descarta, em tese, inverter esse peso.

No limite, uma mexida assim pode até mesmo resultar numa mudança no ranking. Ninguém no governo admite abertamente a possibilidade, apesar da preferência pelos Rafale. A Aeronáutica formalizou entre anteontem e ontem a entrega do seu relatório final a Jobim -que, entretanto, já o conhecia desde o final do ano passado, quando foi ratificado pelo comando da Força Aérea.

O trabalho foi dividido em três partes: uma peça "master" com 390 páginas, um "sumário" com 117 (incluindo sete com a definição de abreviaturas) e uma apresentação em Power Point com as explicações sobre a metodologia e comparando as vantagens e desvantagens dos finalistas.

Todo o material foi enviado em um pen drive para Jobim, que está em férias, passou por Brasília nesta semana e só retorna à Defesa na próxima segunda-feira, mesmo dia em que Lula voltará a dar expediente.

Jobim pretende estudar o conteúdo do relatório, preparar uma coluna de dúvidas (pontos que não entender) e outra com questionamentos (sobre dados com os quais não concorda) e depois se reunir com o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito.

"Vou analisar tudo, tirar dúvidas, avaliar o sistema de cálculos e levar as minhas conclusões para o presidente Lula. A decisão depende dele, e vou levar o máximo de análise que possa ajudá-lo nessa decisão", disse o ministro.

Ao contrário da Aeronáutica, que quer decidir a questão o mais rapidamente possível para evitar a contaminação do ano eleitoral, Jobim disse que não tem pressa. Ele acha que a reunião com Lula pode acontecer na semana que vem, mas alerta que, antes de qualquer anúncio oficial, ainda será necessário ouvir o Conselho de Defesa Nacional para ratificar a decisão do presidente.

O conselho é apenas consultivo. Mas participam dele os presidentes da Câmara, Michel Temer, e do Senado, José Sarney, e há o temor em setores do governo de que um deles, senão ambos, possa insistir em pedir vista do processo, o que seria difícil de negar politicamente. Além disso, seria uma forma de levar o assunto para debate no Congresso, o que poderia acabar arrastando o desfecho da compra durante meses.

O relatório da FAB foi feito pela Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate), presidida pelo brigadeiro Dirceu Tondolo Noro, um oficial aviador com MBA em projeto pela Fundação Getulio Vargas. Reuniu cerca de 30 mil páginas, em quase um ano de trabalho, com viagens internacionais, consultas e confronto de dados.

São seis os critérios analisados pela Aeronáutica: técnica (garantias e adequação à necessidade brasileira); operacional (logística, armamento e capacidade de carregamento de armas); transferência de tecnologia (em que níveis); "offset" (contrapartida da empresa vencedora em investimentos tecnológicos); comercial (preços e condições de pagamento) e gerenciamento do programa (pelos próximos 30 anos).

Foi do confronto desses critérios, com um peso decisivo dado ao fator preço, que o Gripen NG acabou escolhido. O avião, que tem um protótipo demonstrador voando há mais de um ano, é um desenvolvimento de duas gerações anteriores do mesmo caça.

Assim, o pacote ficou mais atrativo para a Aeronáutica por compartilhar métodos de produção. Além disso, mais leve e monomotor, tem custo de operação mais baixo.

Fonte: jornal Folha de S.Paulo

Três aviões colidem com pássaros em mesmo aeroporto nos EUA

Três aviões colidiram com pássaros no Aeroporto Internacional de Sacramento (SMF/KSMF), na Califórnia, na última terça-feira (5).

É de conhecimento geral que o Aeroporto Internacional de Sacramento está localizado numa rota de migração das aves. Mas o que aconteceu na terça-feira foi incomum. Dois aviões da mesma companhia aérea atingiram aves, quase na mesma hora. E um terceiro avião foi atingido no final do dia.

O primeiro foi o Boeing 737-300, da Southwest Airlines, que estava em fase final de aproximação para a pista 16L, ao meio-dia, prestes a completar o voo WN-549, vindo de Ontário, no Canadá, descendo até 1300 pés, quando um pássaro atingiu o nariz do avião. A tripulação prosseguiu e realizou uma aterrissagem segura dois minutos depois. O avião foi capaz de partir para seu próximo destino com um atraso de 40 minutos.

O segundo incidente ocorreu 50 minutos depois, com um Boeing 737-700, também da Southwest Airlines, que realizava o voo WN-2217, partindo de Sacramento em direção a Las Vegas, em Nevada, nos EUA. Após a decolagem, a cerca de 500 pés fora do aeroporto, um pássaro atingiu o para-brisas da aeronave. A tripulação decidiu retornar ao Aeroporto de Sacramento, onde realizou uma aterrissagem segura 11 minutos após a partida. O avião voltou a decolar cerca de 50 minutos mais tarde, depois de ter seu para-brisas substituído.

A terceira vítima de "bird-strike" foi o Boeing 767-300, prefixo N597HA, da Hawaiian Airlines, que realizava o voo HA-20 oriundo de a partir de Honolulu, no Havaí. Oito horas depois do segundo incidente, no momento da aproximação final para a pista 16R do Aeroporto de Sacramento, um pássaro atingiu a aeronave da Hawaiian Airlines sendo foi ingerido pelo motor número dois. A tripulação continuou e efetuou uma aterrissagem segura.

Segundo a FAA (Administração Federal de Aviação), no Aeroporto Internacional de Sacramento, acontecem - em média - mais colisões entre aves e aviões todos os anos do que em qualquer outro aeroporto da costa oeste dos EUA. Entre 1990 e 2007, cerca de 1.300 colisões foram relatadas.

O aeroporto usa técnicas como a soltura de rojões e o uso sirenes de socorro para assustar as aves fora das pistas.

Fontes: Fox40 News / Aviation Herald

Passageiro diz que mel provocou susto em aeroporto da Califórnia

Um passageiro cuja bagagem inspecionada deu positivo para explosivos em um aeroporto da Califórnia nesta terça-feira, levando autoridades a fechar o terminal e desviar voos, disse que estava carregando apenas mel engarrafado, informou a polícia.

Leia a matéria anterior: Material 'perigoso' é encontrado em pequeno aeroporto da Califórnia.

Horas depois do incidente, porém, Francisco Ramírez, de 31 anos, que disse ser um jardineiro de Milwaukee, ainda estava sendo interrogado, e os investigadores continuavam examinando sua bagagem.

A preocupação com a segurança foi reforçada nos Estados Unidos desde a tentativa frustrada de um nigeriano explodir um voo entre Amsterdã e Detroit no dia de Natal atribuída à rede Al Qaeda. Por causa disso, as autoridades determinaram novas medidas de segurança, o que inclui revistas adicionais em passageiros.

O aeroporto de Meadows Field, em Bakersfield, na Califórnia, a 160 quilômetros ao norte de Los Angeles, foi esvaziado e fechado ao tráfego aéreo por horas, e dois agentes federais de segurança foram levados ao hospital após terem encontrado a bagagem suspeita.

O porta-voz do condado de Kern, Michael Whorf, disse que os agentes foram primeiramente alertados para um problema potencial identificado por uma máquina de inspeção de bagagens.

As inspeções iniciais do conteúdo da bagagem e da superfície de uma das cinco garrafas contendo um "líquido suspeito" testaram positivo para explosivos.

Quando a garrafa foi aberta, os dois funcionários sentiram um forte odor químico, se queixaram de náusea e foram levados a um hospital local, onde foram atendidos e liberados, disse Whorf.

"Continuamos investigando para tentar descobrir o que causou esse resultado e determinar exatamente o que tem nas garrafas, e investigar sua história também", disse Whorf à Reuters.

Mais cedo, uma porta-voz da Administração de Segurança dos Transportes (TSA) disse que a bagagem continha uma "substância perigosa".

Whorf disse que nada parecido a um detonador foi encontrado, mas "não estamos descartando nada. Não estamos especulando neste momento."

Ramírez, quem Whorf descreveu como "muito cooperativo", tinha reserva para um voo de Bakersfield a Milwaukee, com conexão em San Francisco.

Mas os investigadores ainda estavam tentando confirmar sua história. Segundo Ramírez, ele estava na Califórnia para visitar familiares durante as festas de fim de ano.

Fonte: Reuters via O Globo - Foto: Felix Adamo (The Bakersfield Californian) via AP

Passageiro 'ameaçador' faz avião da Hawaiian Airlines voltar a aeroporto nos EUA

Dois caças militares escoltaram a aeronave até Portland.

Suspeito teria se recusado a guardar a bagagem de mão.


O avião ia de Portland, no Oregon, para Kahului, no Havaí, quando teve que retornar

O Boeing foi escoltado por dois caças F-15

A aeronave de volta ao Aeroporto de Portland

Dois policiais entram no avião para prender o passageiro

O suspeito detido no aeroporto

Na quarta-feira (6), um passageiro "desobediente" a bordo do Boeing 767-33A/ER, prefixo N582HA, da Hawaiian Airlines, que realizava o voo HA-39 a partir de Portland, no Oregon, para Kahului, no Hawai, com 231 passageiros e 10 tripulantes, obrigou que a aeronave fosse escoltada por dois jatos militares. O avião teve de voltar para Portland, no Oregon, de onde havia partido.

Segundo a agência de aviação dos EUA, um "passageiro suspeito" fez "observações ameaçadoras" e recusou-se a colocar sua bagagem de mão no compartimento apropriado.

Dois caças F-15 tiveram de levar o avião de volta a Portland. Ele pousou sem incidentes. O homem, que não foi identificado, foi preso para interrogatório.

O incidente é mais um ocorrido depois que um nigeriano teria tentado, sem sucesso, explodir um avião americano no dia de Natal.

Fontes: G1 (com agências internacionais) / Aviation Herald - Imagens: KATU News