terça-feira, 8 de dezembro de 2009

MPF abre inquérito contra compra de helicóptero de R$ 7,9 milhões no Acre

Helicóptero é atração no centro de Rio Branco

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para investigar a possível prática de ilícitos pela empresa Helicópteros do Brasil S.A. (Helibras) no âmbito do processo licitatório (pregão) de compra de um helicóptero pelo governo do Acre.

O helicóptero, modelo Esquilo AS 350 B2, foi comprado por R$ 7,9 milhões com recursos provenientes de convênio do governo estadual com o Ministério da Justiça, por meio do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

De acordo com o procurador da República Ricardo Gralha Massia, foi constatado que não houve participação de outro licitante no pregão. A fase de lances verbais, a que se referem os incisos VIII e IX do artigo 4º da Lei 10.520/2002, restou impossibilitada pelo comparecimento de um único licitante, ou seja, a sociedade empresária Helibras.

Ao decidir pela abertura do inquérito, o MPF considerou o alto valor pago pelo governo do Acre pela aquisição do helicóptero. Ele foi adquirido após o ex-governador Jorge Viana assumir a presidência do Conselho de Administração da Helibras e entregue em agosto ao governador Binho Marques (PT) durante solenidade em Brasília.

Estrelão

O helicóptero foi batizado como Comandante João Donato, em homenagem ao pai do compositor acreano João Donato. No final da década dos 1930, o coronel João Donato de Oliveira se tornou o primeiro piloto de avião do Acre, onde chegou a ser dono de um aeroclube.

A Justiça Federal negou pedido do MPF para que governo do Acre fizesse alteração na pintura da fuselagem do helicóptero Esquilo AS 350. O MPF queria que o governo do PT removesse a estrela vermelha ou que fosse redimensionada à mesma proporção da estrela vermelha apresentada na bandeira do Acre.

Fonte: Altino Machado (Blog da Amazônia - Terra Magazine)

Dados e informações sobre principais acidentes de transporte em 2009

ACIDENTES AÉREOS

(com mais de nove vítimas fatais)

- 7 de fevereiro.- Queda de um EMB 110 Bandeirante da companhia Manaus Aerotáxi no rio Manacapuru (a 85 km de Manaus) deixa 24 mortos.

- 13 de fevereiro.- Avião da Continental Airlines cai nas proximidades do aeroporto internacional de Búfalo, em Nova York, matando 49 pessoas

- 25 de fevereiro.- Nove pessoas morrem e cerca de 50 ficam feridas na queda de um Boeing 737 da companhia Turkish Airlines durante a aterrissagem no aeroporto de Schiphol, em Amsterdã.

- 9 de março.- Dez oficiais das forças de paz da União Africana (UA) perdem a vida na queda de um cargueiro Ilyushin da companhia Aerolift no cair no Lago Vitória, no território de Uganda.

- 22 de março.- Monomotor Pilatus PC-12 cai enquanto se aproximava para aterrissar no aeroporto de Butte, em Montana, nos Estados Unidos, matando 14 pessoas.

- 7 de abril.- Fokker 27 atinge hangar do aeroporto de Bandung, a oeste de Java, matando 24 soldados.

- 20 de maio.- Queda de um Hércules da Força Aérea da Indonésia na ilha de Java mata 101 pessoas.

- 22 de maio.- Avião particular King Air B350 cai em Porto Seguro, matando 14 pessoas.

- 31 de maio.- Airbus A-330 da Air France que voava do Rio de Janeiro a Paris cai no Oceano Atlântico, matando 228 pessoas.

- 30 de junho.- Queda de um Airbus 310-300 deixa 152 mortos nas Ilhas Comores.

- 15 de julho.- Queda de avião Tupolev, propriedade da companhia aérea Caspian Airlines, mata 168 pessoas pouco após decolar do aeroporto internacional de Teerã com destino a Yerevan.

- 24 de julho.- Avião Ilyushin-64 de fabricação russa que cobria a rota Teerã-Mashhad sai da pista, deixando 17 mortos e 40 feridos.

- 2 de agosto.- Queda de um Twin Otter de Airlines PNG deixa 13 mortos no leste de Papua-Nova Guiné.

- 8 de agosto.- Nove pessoas morrem quando um helicóptero e um pequeno avião se chocam sobre o rio Hudson, na ilha de Manhattan, em Nova York.

- 9 de outubro.- Queda de avião das Nações Unidas que realizava missão de vigilância nas proximidades da fronteira entre Haiti e República Dominicana mata 11 pessoas.

- 1º de novembro.- Onze pessoas morrem na queda de um avião II-76 das forças do Interior da Rússia, em Iacútia (Sibéria).

- 7 de novembro.- Queda de avião militar russo Tu-142 mata 11 pessoas nas proximidades da ilha de Sakhalin, no oceano Pacífico.


ACIDENTES FERROVIÁRIOS

(com mais de dez vítimas fatais)

- 29 de junho.- Explosão nos vagões de um trem carregado de gás mata 22 e deixa outros 25 feridos em Viareggio, na Toscana, na Itália.

- 5 de outubro.- Descarrilamento de trem deixa 10 mortos e 100 feridos no sul da Tailândia.

- 21 de outubro.- Choque de dois trens de passageiros na rota entre Nova Délhi e Agra, na Índia, deixa 23 mortos e 20 feridos.

- 24 de outubro.- Colisão de dois trens mata 18 mortos e fere 39 no Egito.

- 3 de novembro.- Choque de trens deixa 14 mortos e 36 feridos no Paquistão.


ACIDENTES MARÍTIMOS

(com mais de 20 vítimas, entre mortos e desaparecidos)

- 11 de janeiro.- Nove mortos e 300 desaparecidos no naufrágio de um navio nas proximidades da ilha de Célebes, na Indonésia.

- 18 de janeiro.- Embarcação se choca contra uma rocha e afunda em frente à costa do Iêmen, matando três pessoas e deixando 170 desaparecidos.

- 19 de janeiro.- Barco se choca com cargueiro na confluência de dois rios em Bangladesh, deixando 25 desaparecidos.

- 25 de janeiro.- Quarenta pessoas morrem e duas desaparecem no naufrágio de uma embarcação sobrecarregada no Vietnã.

- 27 de fevereiro.- Naufrágio deixa 45 mortos no litoral do Iêmen.

- 9 de março.- Duas pessoas morrem e 11 desaparecem no naufrágio de uma embarcação de carga com bandeira cipriota em frente à costa do Egito.

- 31 de março.- Vinte imigrantes morrem e 215 ficam desaparecidas em um naufrágio na Líbia devido à sobrecarga.

- 4 de abril.- Trinta imigrantes somalis morrem em um naufrágio no golfo de Áden de duas embarcações que usavam para chegar ao Iêmen.

- 15 de maio.- Quinze pessoas morrem e dez ficam desaparecidas em um naufrágio na Somália.

- 26 de maio.- Nove imigrantes afegãos morrem e 11 desaparecem em um naufrágio na península de Malaca.

- 8 de julho.- Barco se choca com um recife perto das ilhas caribenhas de Turks e Caicos, deixando 16 imigrantes haitianos mortos e 67 desaparecidos.

- 5 de agosto.- Naufrágio do ferry Princess Ashika deixa dois mortos e 73 desaparecidos na ilha de Tonga.

- 9 de agosto.- Cinco pessoas morrem e 15 desaparecem no naufrágio de dois barcos em frente à costa da Nigéria.

- 28 de agosto.- Dez mortos e 12 desaparecidos no naufrágio de um ferry perto da parte indonésia da ilha de Bornéu.

- 6 de setembro.- Nove pessoas morrem e 33 desaparecem no naufrágio do SuperFerry 9, em frente à costa de Zamboanga, na ilha de Mindanao, nas Filipinas.

- 9 de setembro.- Oito pessoas morrem e 200 desaparecem no naufrágio de uma embarcação em frente à costa de Serra Leoa.

- 13 de setembro.- Naufrágio deixa 17 mortos e 70 desaparecidos na República Democrática do Congo.

- 29 de setembro.- Nove mortos e 100 desaparecidos no naufrágio de uma embarcação no rio Kasai, na República Democrática do Congo.

- 1º de novembro.- Naufrágio de duas embarcações deixa 50 desaparecidos - a maioria estudantes - na Nigéria.

- 2 de novembro.- Uma pessoa morrem e 22 desaparecem em um naufrágio perto das Ilhas Cocos, a 2.000 quilômetros do litoral ocidental da Austrália.

- 16 de novembro.- Quarenta pessoas morrem em colisão do navio Nay Myo Tun com um petroleiro no rio Nga Wun, em Mianmar (antiga Birmânia).

- 22 de novembro.- Naufrágio deixa 29 mortos e 17 desaparecidos em frente à ilha de Sumatra, na Indonésia.

- 27 novembro.- Acidente com o ferry Koko-4 deixa 28 mortos no distrito de Lalmohon, ao sul de Bangladesh.

Fonte: EFE via G1

Edital de licitação do trem-bala prevê tarifa máxima de R$ 306 entre o Rio e Campinas na classe econômica

O edital de licitação do trem-bala que ligará o Rio a São Paulo prevê o valor máximo de tarifa de R$ 0,60 a cada quilômetro na classe econômica. Considerando a distância de 510 quilômetros entre o Rio e Campinas, isso significa que a empresa vencedora da licitação poderá cobrar até R$ 306 pelo trecho. Na classe executiva, a tarifa-teto poderá ser maior que a cobrada na classe econômica, o que significa uma passagem com preço máximo de R$ 535,50.

Esses valores são superiores aos previstos em estudo feito pela consultoria inglesa Halcrow a pedido do governo. No relatório da consultoria, a tarifa do trem-bala é estimada em R$ 200 para a classe econômica e R$ 350 para a classe executiva.

- Essa tarifa de R$ 0,60 por quilômetro é o teto. O concessionário pode cobrar menos que isso. Na verdade, o vencedor da licitação será aquele que apresentar o menor valor de tarifa-teto e o que pedir o menor financiamento público - explica o superintendente executivo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Hélio Mauro França.

- Este valor é o máximo. Se a empresa cobrar muito pela tarifa, vai ter dificuldade para concorrer com os outros meios de transporte, como o avião e o ônibus - afirma.

Ele esclarece que a resolução e o estudo da consultoria Halcrow tratam de conceitos diferentes, já que os valores previstos no relatório da consultoria eram uma referência para identificar a demanda potencial pelo trem de alta velocidade.

O projeto prevê que pelo menos 60% dos lugares de cada composição do trem de alta velocidade sejam cobrados como classe econômica. O teto de R$ 0,60 por quilômetro considera preços de dezembro de 2008, que serão reajustados anualmente pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é considerado o índice oficial de inflação.

O valor de R$ 0,60 como tarifa-teto por quilômetro está incluído na resolução nº 6, de 7 de dezembro de 2009, publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira, que dá as diretrizes para o modelo de concessão do trem-bala. A proposta prevê que o vencedor da licitação para a exploração do trem de alta velocidade será a empresa que fizer a oferta com o menor valor de financiamento público, respeitado o limite de R$ 20,8 bilhões, e com a menor tarifa, considerand-se o teto de R$ 0,60 por quilômetro.

Pelo cronograma aprovado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira, será aberta na próxima semana, no dia 18, uma consulta pública sobre o edital, que poderá sofrer alterações. Entre os dias 11 e 18 de janeiro, serão realizadas audiências públicas nas cidades pelas quais o trem de alta velocidade irá passar. O projeto também foi encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU) e só depois de sua aprovação poderá ser publicado, o que está previsto para fevereiro.

A estimativa é que o leilão do trem-bala seja realizado em maio, com atraso, e os contratos sejam assinados em julho. Com isso, as obras devem começar no fim de 2010 ou no início de 2011.

A proposta do governo prevê que o prazo de concessão do trem-bala será de 40 anos, enquanto o prazo para o pagamento do financiamento público será de 30 anos. A taxa anual de juros será de TJLP mais 1% ao ano.

Fonte: Lucianne Carneiro (O Globo)

Urbanista critica ferrovias paralelas para Guarulhos

Raquel Rolnik vê superposição de traçados entre o TAV, o Expresso Aeroporto e o Trem de Guarulhos

Os traçados do Trem de Alta Velocidade (Viracopos-Galeão), do Expresso Aeroporto (São Paulo-Cumbica) e do Trem de Guarulhos são muito similares e não satisfazem às necessidades atuais de transporte para a cidade de Guarulhos, afirma a urbanista e professora da FAU/USP, Raquel Rolnik. "Hoje, em Guarulhos, não há nenhum trem. Com esses projetos, teremos três ferrovias paralelas, mas falta, por exemplo, a ligação de trem entre a cidade e o aeroporto de Cumbica, que receberá uma das estações do TAV”, diz a especialista. A crítica foi feita durante o seminário “Brasil nos Trilhos”, realizado em 7/12 em Guarulhos. “É inviável um paulistano funcionário do aeroporto em Cumbica pagar R$ 35 todos os dias pelo Expresso Aeroporto. E se utilizar o Trem de Guarulhos, com preço normal, terá de descer na cidade e pegar um ônibus. Isso não faz sentido com as três opções de trens”, destaca Raquel.

Pelos projetos atuais, o Trem de Guarulhos seguirá pela linha 13 (Jade), conectando a estação Brás, em São Paulo, ao Terminal Zezinho Magalhães, em Guarulhos. Já o Expresso Aeroporto seguirá pela linha 14 (Ônix), saindo da estação da Luz e seguindo até o aeroporto de Cumbica. O TAV ligará Campinas ao Rio, com estações previstas em Campinas, Viracopos, Campo de Marte/SP, Cumbica, São José dos Campos, Volta Redonda/Barra Mansa, Rio (centro) e Galeão.

“O TAV é um projeto à parte, para longas distâncias, não compensa para o trajeto diário. Além disso, como vou até o Campo de Marte, onde ficará a estação inicial? Fico presa no congestionamento de carro até chegar lá?”, questiona Rolnik. Segundo a urbanista, isso é resultado de falha de gestão dos governos quanto ao transporte de pessoas entre cidades. “As regiões metropolitanas precisam ter todas as suas cidades ligadas e por um sistema integrado de transporte, que articule os vários modais em um projeto único”, conclui.

O arquiteto Juan Frigerio, do escritório britânico Foster & Partners, também palestrante no evento, destacou que para cada distância existe um tipo de transporte mais adequado – seja ir a pé, com bicicleta, ônibus, moto, carro, trem ou avião – e que eles devem se combinar para atingir o melhor resultado.

O seminário “Brasil nos Trilhos” foi aberto com pronunciamentos do ministro da Fazenda, Guido Mantega, do prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida, do Superintendente do BNDES, Henrique Amarante da Costa Pinto, e do Superintendente-executivo da Associação Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Hélio Mauro França.

Fonte: copa2014.org.br - Imagem: UOL

Milhas aéreas, um bom negócio

Viajando de avião ou comprando com cartão de crédito, os consumidores acumulam milhas que valem passagens – ou dinheiro.

Muita gente viaja a serviço e acaba juntando incontáveis milhas, que eventualmente não utilizará – parlamentares e executivos as têm aos montes. O leitor possivelmente sabe que há um mercado para essas milhas, e com boa liquidez (rapidez na venda). Cada dez mil milhas valiam, em média, em outubro de 2009,R$ 350, dependendo da companhia emissora e do comprador.

Os pontos que se vão acumulando nos cartões de crédito costumam vencer em três anos, devendo, antes disso, ser transferidos para uma conta de milhagem, da TAM ou Smiles, por exemplo. Nessas contas, valem por mais dois anos, de maneira que há um prazo de cinco anos para se juntar, só com compras, um bom dinheiro.

O perigo mora na negociação, em geral feita pela internet. Observados alguns cuidados, é possível fazer a transação com segurança. Uma consulta na rede apontará inúmeras empresas que compram milhas, mas várias exigem que o vendedor revele a sua assinatura eletrônica da conta de milhagem, alegando que, só com isso, não conseguirão transferir as milhas. Precisarão da senha de quatro números, que o vendedor só revelará depois de receber o pagamento.

Mas não é bem assim. A coluna testou o sistema fazendo uma venda real de 40 mil milhas, que renderam R$ 1.400.

No começo, o vendedor queria a assinatura eletrônica, para depois fazer o depósito. Acontece que, com a assinatura, quem acessar a conta poderá modificar o e-mail e, por ele, receber a senha de quatro números.

Fora isso, verá todos os dados do vendedor: nome, endereço, CPF, filhos, telefone, data de nascimento.

Antes de dar acesso ao comprador, convém modificar essas informações, e criar uma assinatura eletrônica provisória, diferente da que já era utilizada, porque muitos usam a mesma senha para várias contas e sites. E não esquecer de, após o vendedor sacar as milhas vendidas, voltar à senha antiga, não revelada.

Como o comprador terá acesso irrestrito à conta do vendedor, só se pode fazer a venda do total, sob risco de, por exemplo, vender 20 mil de um saldo de 100 mil e levarem o restante sem pagar.

Quando a coluna tentou vender, no início, o comprador não queria pagar antecipadamente, e para tranquilizá-lo, foi-lhe fornecido um número de telefone fixo e o extrato da conta de milhagem. Dia seguinte, o telefone tocou: era a empresa, dizendo que havia feito o depósito, em dinheiro - jamais aceiitar cheque – e pedindo a assinatura eletrônica.

Confirmada no banco a veracidade do depósito, o titular da conta enviou a assinatura eletrônica, o comprador retirou as milhas, e a assinatura anterior foi reinserida, com a troca também da senha de quatro números.

Seguindo esse roteiro, o leitor venderá suas milhas com segurança, embolsando um bom dinheiro extra. A experiência relatada foi feita em conta da TAM.

Fonte: Luiz Leitão (www.segs.com.br)

Forte rajada de vento derruba helicóptero na Austrália

O helicóptero Robinson R44 estava decolando, após o reabastecimento no aeroporto Moruya, em New South Wales, na Australia, pouco antes das 10:00 (hora local) de hoje (8), quando uma forte rajada de vento leste a forçou a voltar para o chão. O rotor bateu contra o solo e o helicóptero, em seguida, girou e caiu de lado.

Os paramédicos disseram que o piloto de 50 anos foi avaliado no local do acidente e não necessitou de tratamento hospitalar.

O porta-voz do aeroporto Moruya, Rod Maxsted, disse que foi um alívio vê-lo de pé após o acidente.

"Ele tentou decolar e, pouco antes de ele conseguir uma altura razoável, uma rajada de vento o trouxe de volta ao chão, e ele bateu na plataforma. Foi realmente difícil", disse ele.

Fontes: Bay Post / ABC / ASN

Aviação se compromete a reduzir emissões pela metade até 2050

O setor da aviação se comprometeu nesta terça-feira a reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO2) em 50% até 2050 com a utilização de aparelhos com menor consumo e uso de biocombustíveis, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Em comunicado divulgado nesta terça, segundo dia da cúpula da ONU sobre mudança climática (COP15), a Iata anunciou que as companhias aéreas estão investindo mais de US$ 1,5 trilhão em novos aviões para reduzir a emissão de gases gerados pela indústria da aviação em 21% até 2020.

Além disso, a utilização de biocombustíveis, que já estão sendo testados por cinco companhias aéreas, tem o potencial de reduzir as emissões de carbono em até 80%. Os testes devem terminar em 2011. Para diminuir pela metade as emissões de CO2 até 2050, a estratégia da Iata será utilizar aeronaves mais eficientes.

Anthony Concil, porta-voz da entidade, disse que a aviação contribui com uma taxa de entre 2 e 3% das emissões globais de CO2, muito abaixo de outras indústrias, apesar de estar no centro das críticas dos ambientalistas.

Em Copenhague, houve protestos e questionamento a respeito da quantidade de CO2 gerada pela própria cúpula, incluindo os gases gerados pelos 140 aviões privados que sairão de todas as partes do mundo com destino a Copenhague, transportando celebridades e líderes políticos.

Entre os 15 mil participantes esperados na reunião, além dos 110 chefes de Estado e de governo que confirmaram presença, estão o ex-presidente americano Bill Clinton e seu ex-vice-presidente, Al Gore, o arcebispo da África do Sul Desmond Tutu, o príncipe Charles da Inglaterra, e os atores Leonardo DiCaprio e Daryl Hannah.

COP-15

A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, de 7 a 18 de dezembro, que abrange 192 países, vai se reunir em Copenhague, na Dinamarca, para a 15ª Conferência das Partes sobre o Clima, a COP-15. O objetivo é traçar um acordo global para definir o que será feito para reduzir as emissões de gases de efeito estufa após 2012, quando termina o primeiro período de compromisso do Protocolo de Kyoto.

Clique sobre a imagem para ampliá-la

Fonte: EFE via Terra - Foto: AFP - Infográfico: Reuters

United Airlines encomenda 25 Airbus A350 e 25 Boeing 787

A United Airlines anunciou nesta terça-feira que encomendou 25 aeronaves Airbus A350 XWB-900 e 25 Boeing's 787 Dreamliner e que tem direitos de compra futura de um adicional de 50 aeronaves de ambos os tipos.

Estas ordens, de seguir um pedido de seis meses para o processo de proposta, resultado de acordos com a Airbus e a Boeing, permitem que a United cumpra seus objetivos financeiros e operacionais.

As aeronaves serão entregues entre 2016 e 2019, quando a United vai aposentar sua frota internacional de Boeing's 747 e 767.

O A350 da Airbus será alimentado com motores Rolls Royce Trent XWB e o Boeing 787 será equipado com motores Rolls Royce Trent 1000 ou GE GEnx.

A United espera reduzir seus custos de combustível e as emissões de carbono da com essas 50 novas aeronaves em aproximadamente 33%.

Os valores da transação devem superar os US$ 10 bilhões, de acordo com os valores de tabela dos aviões.

Fontes: Trading Markets / cavok.com.br

Três mortos em queda de avião na Alemanha

Um avião caiu na tarde segunda-feira (7), perto de Frankfurt, na Alemanha. Três pessoas morreram.

A aeronave que se acidentou

A polícia informou que a aeronave Beechcraft King Air F90, prefixo D-IDVK, registrada para Eisenmann Industrial Marketing Consult (EIMC) estava se aproximando do Aeródromo de Egelsbach (EDFE), por volta das 16:15 (hora local), quando caiu em uma área arborizada. Os destroços se espalharam por centenas de metros. O local do acidente fica a cerca de cinco quilômetros a leste do campo de pouso, que é usado por muitos pilotos privados e viajantes de negócios.

A bordo do avião estavam três pessoas. A causa do acidente não é clara e deve ser esclarecida pelo Federal Bureau of Aircraft Accident Investigation.

O Aeródromo de Egelsbach

Segundo o Controle de Tráfego Aéreo alemão (DFS), o avião decolou às 15:15 de Bremen e desapareceu às 16:13 hs. de acordo com o controle de aproximação em Frankfurt. Três ou quatro minutos depois, ele caiu. Enquanto havia a comunicação de rádio com o controle de tráfego, de acordo com o DFS, não havia indícios de problemas.

Fontes: rp-online.de / ASN - Fotos: ddp / dpa / Andreas Zimmerhackel

Dois mortos em acidente com pequeno avião no Texas

Um avião caiu no Condado de Caldwell, no Texas (EUA) nesta segunda-feira (7) deixando duas pessoas mortas.

O acidente aconteceu perto de Lockhart fora da estrada 183. O Departamento de Segurança Pública do Texas e funcionários do Condado de Caldwell estão investigando as causas da queda da aeronave.



O avião caiu em uma área atrás de uma casa. O local ficou releto de pedaços do que costumava ser o Piper PA-46-500TP Malibu Meridian, prefixo N600YE, que estava registrado para Riley Kent, do Novo México.

O piloto foi identificado como William Kent Riley, de 64 anos, de Rockport. A outra vítima era seu neto de 6 anos de idade, de Austin. O nome do menino não foi liberado pelas autoridades.

Segundo a FAA, o piloto partiu Rockport pela manhã em direção ao Aeroporto Internacional Austin Bergstrom (KAUS).

Ele estava em contato com o controle de tráfego aéreo quando o avião deu um repentino mergulho de nariz. A FAA diz que não houve pedido de socorro.

A FAA e a NTSB foram chamados ao local para investigar se o tempo foi um fator contribuinte. Havia neblina no local do acidente.

Veja mais fotos do local do acidente AQUI.

Fontes: kvue.com / ASN

Revelações (ou não) made in NASA no “Incidente OVNI de Kecksburg”

Por Clavis Prophetarum

Um dos incidentes OVNI mais conhecidos teve lugar na cidade de Kecksburg, na Pensilvânia a 9 de dezembro de 1965. Foi este o dia em que alguns dos residentes desta pequena cidade norte-americana viram uma bola de fogo atravessando os céus noturnos. Os relatos da época descreviam um objeto do tamanho de um janto Jumbo e parecia ter feito uma aterragem controlada num bosque próximo. Falava-se também que militares tinham isolado a região pouco depois e que algo tinha saído dali num camião militar e oculto sob uma lona.



Assista ao documentário completo AQUI.

Para procurar esclarecer o que se passou em Kecksburg, a jornalista nova iorquina Leslie Kean encetou um processo judicial para obter do Governo toda a documentação necessária. O processo começou em 2002, com um pedido formal de um “Freedom of Information Act” (FOIA), de forma a obrigar o Governo a entregar toda a informação existente nos arquivos governamentais. O processo haveria de resultar em 2003 num segundo processo contra a NASA, acusada pela jornalista de ter bloqueado a entrega de documentos a propósito deste incidente OVNI. Em outubro de 2007 a NASA acabaria por acordar em entregar centenas de documentos relevantes a este caso, numa busca interna que só terminaria em agosto de 2009.

O documento resultante das fontes da NASA seria intitulado “Conclusão do Processo contra a NASA – Referente ao caso OVNI de Kecksburg de 1965″ e detalha todas as peripécias do processo judicial, assim como a conclusão da busca depois do acordo judicial de 2007.

O relatório conclui que muitos ficheiros não foram localizados ou que foram pura e simplesmente destruídos. As conclusões do relatório abordam também o já conhecido “Project Moondust”, uma espécie de agencia governamental que lida com a recuperação de todos os objetos espaciais de origem não norte-americana e vários documentos provam a ligação da NASA à recuperação e exanimação destes objetos.

A jornalista depois de ter estudado a documentação libertada pela NASA concluiu que algo caiu de facto em Kecksburg e continua a acreditar que existe uma considerável probabilidade de se tratar de um objeto de origem extraterrestre. Não exclui contudo, a possibilidade de se tratar de um projeto ultrasecreto dos EUA ou de outra nação, mas não dá a esta tese muita substância, segundo o relatório da NASA sobre a análise o lixo orbital que poderia (ou não) ter caído em Kecksburg. Esta informação é corroborada pelos dados do “U.S. Space Command” e da Agencia Espacial Russa que apontam para que o que caiu em Kecksburg não era nem um satélite soviético. Se não era soviético, só poderia ser “made in usa” ou… Alienígena. Mas se era norte-americano então porque é que essa origem permanece secreta mais de 40 anos depois? Uma pergunta que só reforça a possibilidade extraterrestre. É claro que poderia ser um teste militar ultra-secreto, evolvendo mortos ou motores nucleares (como os NERVA ou Kiwi que estavam então a ser desenvolvidos em segredo), a radioatividade, a morte de militares poderia explicar o secretismo…

A origem natural do objeto está aparentemente excluída, já que logo nos primeiros relatos as diversas testemunhas afirmavam que o objeto atravessara o céu, virando subitamente sobre Kecksburg e abrandando depois a velocidade realizando uma aterragem controlada na floresta. Mais tarde, outras múltiplas testemunhas (diferentes das primeiras) observaram um objeto metálico em forma de bolota semi-enterrado no solo. E a rápida recuperação do mesmo por um grupo de homens uniformizados indica que se tratava de algo muito importante. Cápsula espacial experimental ou… OVNI, fica ao critério do leitor. Eu já fiz a minha escolha.

Fonte: movv.org

Maestro da Osesp é preso por ter reclamado da fila para apresentar o passaporte à Polícia Federal

Fila no desembarque

O maestro Yan Pascal Tortelier, regente principal da Orquestra Sinfônica de São Paulo, foi preso na manhã deste domingo (6) quando desembarcava no aeroporto de Guarulhos (SP). Ele tinha acabado de chegar de voo de Londres com a mulher e o filho, de acordo o colunista do IG, Guilherme Barros.

Tortelier foi preso por ter reclamado da fila para apresentar o passaporte à Polícia Federal, que o prendeu por desacato à autoridade.

A intenção dos policiais federais era deportá-lo à Inglaterra. O voo de volta para Londres, só para ele, estava marcado para as 17h do domingo.

Segundo o jornalista, foi preciso que o Ministério da Justiça e o Itamaraty intercedessem para que a decisão da PF fosse revertida. Depois do episódio, Tortelier, que é francês e reside em Londres, vai poder reger a Osesp nos próximos dias.

Fonte: Conjur

TAP "perde" participação na Air Macau

A Seap, detida pela TAP Portugal e o Banco Nacional Ultramarino, viu a sua participação no capital da Air Macau reduzida de 20 para 0,1 por cento por ter optado não acompanhar o plano de reestruturação financeira da transportadora.

Em comunicado, a Air China informa que injectou 158,7 milhões de patacas (13,22 milhões de euros) na Air Macau, elevando a sua participação na companhia de 51 para 80,86 por cento e explica que a Seap e outros accionistas "optaram por não contribuir".

A Air China justifica o investimento com as perspectivas de desenvolvimento da companhia de bandeira de Macau face à expansão dos sectores de jogo e turismo do território que, salienta, contribuíram para que o PIB da região triplicasse desde 1999, atingindo 171,8 mil milhões de patacas (14,32 mil milhões de euros) em 2008.´

Com um capital social de 400 milhões de patacas e perdas acumuladas de mais de 600 milhões de patacas desde 2005, a legislação de Macau obriga a Air Macau a encontrar soluções que a dotem de capacidade financeira e que passam pela redução do capital social ou cobertura dos prejuízos, para evitar a sua dissolução.

Em Abril foi aprovado, em assembleia-geral, um plano de recuperação financeira da companhia que, numa fase inicial, passa pela redução do capital de 400 milhões para um milhão de patacas, com vista a absorver prejuízos, e depois pela reposição da quota de cada accionista até aos 200 milhões de patacas, ficando os restantes 200 milhões de patacas na posse do Executivo de Macau.

A injecção de capital da Air China ocorreu no âmbito desta operação "harmónio", que culminou na redução das participações dos restantes accionistas, por opção própria, com a excepção da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (STDM) e do Governo de Macau, que mantiveram respectivamente as quotas de 14 e cinco por cento.

Na nova estrutura accionista da Air Macau, a STDM passou a deter a segunda maior participação, seguida do Governo, enquanto que a Evergreen Airways, de Taiwan, e os restantes accionistas reduziram as suas quotas de cinco para 0,025 e 0,0125 por cento respectivamente, além da Seap (detida em 75 por cento pela TAP SGPS) que passa a controlar apenas 0,1 por cento.

Em declarações à Lusa a 30 de Junho, Carlos Pimentel, representante da TAP Portugal, afirmava que a companhia portuguesa "não é uma associação de beneficência" e que não ia colocar o seu dinheiro numa companhia "sem estratégia de futuro".

Com vista a travar a reestruturação financeira da Air Macau, a TAP interpôs no Tribunal Judicial de Base de Macau uma providência cautelar e, perante a sua rejeição, avançou com um recurso para a Segunda Instância, aguardando ainda uma decisão, explicou à Lusa o advogado António Baguinho.

A Air Macau iniciou a sua actividade em Novembro de 1995, quando o território era administrado por Portugal, e apresentou um prejuízo de 416 milhões de patacas em 2008.

Fonte: Diário de Notícias

Terminal de cargas do Aeroporto de Fortaleza terá inauguração oficial

Aeroporto amplia sua capacidade de movimentação de cargas para exportação e importação

Novo terminal de cargas do Aeroporto Internacional Pinto Martins de Fortaleza amplia sua capacidade de movimentação de mil toneladas para cinco mil toneladas por ano

Em operação desde julho deste ano, o novo Terminal de Logística de Carga do Aeroporto Internacional Pinto Martins será inaugurado no próximo dia 16. A previsão é que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva participe do evento, que celebra a realização da primeira obra a receber investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) no Ceará.

Segundo o superintendente do equipamento, Sérgio Fernandes Baltoré, a obra amplia a capacidade de movimentação de cargas em cinco vezes, passando de mil toneladas (t) por ano para cinco mil t/ano. Em 2008, o fluxo registrou 3.200 t. "Já operávamos acima da capacidade de movimentação", explica o gestor. "A tendência é de aumento anual". Ele diz ainda que 2009 já registra igual fluxo que o ano passado. "E este ano ainda não terminou", compara, mas não informa os números já alcançados. "O novo terminal de carga vai impulsionar as exportações e importações do Ceará, oferecendo uma maior e melhor infraestrutura para as empresas e colaborando, dessa forma, com o desenvolvimento da economia do Estado", destaca o superintendente.

Estrutura

Em obras de março de 2004, o edifício tem aproximadamente nove mil metros quadrados de área construída e capacidade de armazenamento para até cinco mil toneladas entre cargas domésticas e internacionais. Além disso, o novo terminal conta com três câmaras frias para frutas, flores e pescados, alguns dos principais itens de exportação do Ceará, e pátio de manobras para até nove aeronaves. Dentre os principais produtos movimentados no ano passado, destacam-se a importação de peças para reposição de máquinas, tecidos, malhas, liga de aço, bobinas, molas, conversores eletrônicos, motor hidráulico e endoscópios.

A maior parte da carga veio dos Estados Unidos, China, Suíça, Itália e Alemanha. No setor de exportação, os produtos mais relevantes foram couros, flores, frutas, redes, peixes ornamentais e calçados, que seguiram com destino aos Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, Portugal, França, China e Japão.

Fonte: Diário do Nordeste - Foto: Kid Júnior

Turista alemão detido com 44 lagartos na cueca em Aeroporto na Nova Zelândia

Um turista alemão foi detido na Nova Zelândia quando tentava deixar o país com 44 exemplares de sete espécies protegidas de lagartos escondidos na cueca, informou a justiça do país da Oceania.

Hans Kubus, de 58 anos, foi detido no domingo no aeroporto de Christchurch, sul da Nova Zelândia.

Funcionários da alfândega encontraram nas roupas íntimas um pequeno pacote com os répteis. O alemão já compareceu a uma audiência em um tribunal.

Kubus admitiu ter retirado os répteis da natureza sem autorização com o objetivo de comercializar os animais. Existe un mercado negro de pequenos répteis na Europa. Os animais que o alemão pretendia tirar da Nova Zelândia são avaliados em quase 30.000 euros.

Fonte: AFP via iG - Foto: The Earth Times

Chuva alaga aeroporto e departamento de polícia na Zona Norte de SP

Campo de Marte e Deic estão inundados nesta terça (8).

Carros da polícia também foram atingidos pela água.




A chuva intensa que atinge São Paulo desde a madrugada desta terça-feira (8) causou alagamentos em um aeroporto e num departamento da Polícia Civil na Zona Norte de São Paulo. O Campo de Marte e o Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic) estão alagados.

No Campo de Marte, aviões chegaram a ser atingidos pela água. Alguns trechos do aeroporto e do estacionamento do Deic estão debaixo d´água. Carros da polícia também ficaram parcialmente submersos.

A cidade de São Paulo está em estado de atenção desde 3h14. Outro pontos, como as marginais Tietê e Pinheiros tiveram estado de alerta desde 5h55. Nesses trechos, os rios transbordaram.

Fonte: G1

Aeroportos de SP continuam operando por instrumentos

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que, por volta das 11 horas, os aeroportos de São Paulo continuavam operando por instrumentos - quando o piloto necessita de equipamentos especiais para alinhar a aeronave com a pista - em razão das chuvas que atingem a capital paulista desde a noite de ontem.

No Aeroporto Internacional de Congonhas, na zona sul de São Paulo, seis voos foram cancelados e 23 decolagens, de um total de 81 programadas até as 11 horas, estavam com atrasos de mais de meia hora. Em Guarulhos, na Grande São Paulo, o Aeroporto Internacional de Cumbica registrava cinco cancelamentos e 50 voos atrasados, de um total de 97 programados para o horário.

Fonte: Agência Estado via G1

Aeroporto de Joinville retoma voos noturnos

O Airbus 319 da TAM, que fazia o voo 3033 e que chegou por volta das 20h30, foi o primeiro voo à noite a chegar na cidade desde setembro

O torcedor flamenguista Carlos Mira voltou para Joinville comemorando o título do time de seu coração. No domingo, ele esteve entre as dezenas de milhares de torcedores que estavam no Maracanã, no Rio de Janeiro, assistindo à conquista do Brasileirão pela primeira vez em 17 anos. E na segunda, mais um motivo para comemorar. Ele era um dos 51 passageiros que desembarcaram no voo noturno da TAM, procedente de São Paulo.

Airbus 319, com capacidade para 144 passageiros, estacionado no pátio do Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville

— Ainda bem que tinha este voo. Caso contrário teria de descer em Curitiba e chegar mais tarde em casa — disse.

O Airbus 319, que fazia o voo 3033 e que chegou por volta das 20h30, foi o primeiro voo à noite a chegar na cidade desde setembro, quando a Aeronáutica restringiu as operações no aeroporto, por causa de árvores que atrapalhavam as operações de pouso e decolagem. Os voos noturnos tinham sido liberados há duas semanas, mas a empresa aérea só retomou as operações na segunda após a readequação da malha aérea.

A intenção inicial era só retomar após 10 de março. E ela tem mais planos para a cidade. Um deles passa pela utilização do aeroporto para o transporte de cargas, aproveitando melhor os porões dos aviões de passageiros. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeronáutica (Infraero), não há data prevista para o início da operações. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) está analisando os pedidos da Trip para voar entre Joinville, Guarulhos e Porto Alegre. Parte dos voos já receberam parecer favorável dos órgãos envolvidos em autorizar a operação.

Para o voo ligando o aeroporto paulista a Joinville, Criciúma e Porto Alegre, só falta o aval da Gerência de Operações Domésticas (GOPD). A previsão é iniciar os voos no dia 26.

Fonte: A Notícia via Diário Catarinense - Foto: Fabrizio Motta

Parte dos bens da Pantanal vai a leilão na quinta-feira

Rota Bauru-Congonhas é uma das mais rentáveis, segundo Anac

Parte dos bens da Pantanal Linhas Aéreas serão leiloados na quinta-feira, 10 de dezembro. Serão vendidos seus slots (espaços de pouso e decolagem) em Congonhas.

Como o BOM DIA mostrou no dia 22 de janeiro, a empresa tem dívidas avaliadas em R$ 53 milhões e passa por um processo recuperação judicial.

Em Bauru existe o temor de que seja encerrada a rota do aeroporto Moussa Tobias até Congonhas. Ontem a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), por meio de sua assessoria de imprensa, disse que a rota Bauru-Congonhas é a 6 mais rentável do Brasil.

Na frente estão apenas Congonhas-Santos Dumont, Congonhas-Curitiba, Guarulhos-Curitiba, Brasília-Goiânia e Galeão-Guarulhos. Esses são dados do último estudo da Anac feito em 2008.

Entidades em Bauru se mobilizam para tentar manter os voos. O secretário de desenvolvimento econômico, Antonio Mondelli Junior, afirma que vai procurar a direção da Pantanal esta semana. “São voos muito importantes para a economia de Bauru e região, milhares de pessoas seriam prejudicadas”, comenta.

Acib aguarda decisão da Justiça

Outra iniciativa foi feita pela Acib, que protocolizou ação civil pública na 3ª Vara da Justiça Federal de Bauru, visando “compelir a Anac a não romper com a continuidade na prestação de serviços de transporte aéreo nos aeroportos Moussa Tobias ou Aeroclube de Bauru”.

A advogada da Acib, Livette de Carvalho, disse que a ação foi feita há quase um ano e aguarda uma decisão favorável da Justiça.

A 3ª Vara da Justiça Federal de Bauru disse ontem que a primeira decisão foi pela extinção da ação, mas como houve apelação a Justiça vai enviar o caso para o TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª região julgar.

A Anac divulgou que não pode obrigar uma empresa manter uma rota. A Pantanal tem 17 pares de slots por dia em Congonhas, 6,8% do total (251) do aeroporto de Congonhas.

A Anac também divulgou que a Pantanal subutiliza os slots de Congonhas, por isso a própria entidade tenta tomar esses espaços da empresa. Por lei, uma empresa aérea deve usar pelo menos 80% dos slots num prazo de 90 dias. A Pantanal não cumpriria essa regra.

Fonte: Reinaldo Chaves (Agência BOM DIA)

Ataque aéreo com mísseis americanos mata 3 no Paquistão

Pelo menos três pessoas morreram e outras três ficaram feridas nesta terça-feira, em um novo ataque com mísseis supostamente lançados por um avião não-tripulado dos Estados Unidos nas áreas tribais do Paquistão, informou uma fonte oficial.

O ataque ocorreu na manhã desta terça no povoado de Aspalga, situado na conflituosa região do Waziristão do Norte e a apenas sete quilômetros da principal cidade da área, Miranshah.

"Um carro sofreu o impacto de dois mísseis, que causaram a morte de três pessoas e ferimentos a outras três", assegurou um oficial de segurança à imprensa paquistanesa. As ações dos aviões-espiões americanos são frequentes nas zonas tribais paquistanesas, onde buscam refúgio membros da insurgência talibã e da rede terrorista Al Qaeda.

O Exército do Paquistão trava uma intensa ofensiva contra os insurgentes no vizinho Waziristão do Sul, considerado como o principal bastião do movimento talibã paquistanês.

Fonte: EFE via Terra

Boeing prepara teste no ar do Dreamliner

Depois de mais de dois anos de atrasos, o 787 Dreamliner da Boeing Co. pode fazer seu primeiro voo de teste já na semana que vem.

Mas assim que o jato decolar da sua fábrica em Everett, no Estado americano de Washington, a empresa enfrentará outro teste de grande importância: durante os próximos doze meses, a Boeing vai correr contra o relógio para testar o novo avião em altitudes elevadas, temperaturas baixíssimas, calor do deserto e situações de emergência.

Um mínimo escorregão pode atrasar mais ainda a aprovação que o Dreamliner necessita da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos para que a Boeing possa entregar aos clientes sua nova aeronave, já com tanto atraso.

A Boeing pretende entregar o primeiro Dreamliner para a All Nippon Airways Co. no quarto trimestre do próximo ano. Originalmente a empresa esperava entregar o primeiro jato em maio do ano passado.

Para manter o cronograma dos testes, a Boeing transformou um conjunto de baias no quinto andar de um edifício de escritórios em um centro de comando que vai monitorar uma série de aviões de teste — basicamente, uma companhia aérea em miniatura.

Com uma ampla visão da pista de pouso do Boeing Field, no sul de Seattle, o Centro de Operações de Testes será o cerne de um programa que acabará tendo seis Dreamliners em testes no mundo todo. As 25 a 50 pessoas no centro, dependendo da necessidade, vão coordenar os horários tdos jatos e lidar com quaisquer problemas logísticos ou de manutenção que venham a ocorrer durante os voos de teste.

O Centro de Operações de Teste da Boeing: desafio duplo com 787 e 747-8

Os testes são especialmente complicados devido ao design avançado do Dreamliner. Feito sobretudo com materiais compósitos, em vez do tradicional alumínio, o jato, segundo sua publicidade, é mais leve e oferece mais economia de combustível do que seus antecessores.

Mas ainda há muita coisa desconhecida sobre os materiais compósitos e como eles reagem às condições extremas que ocorrem em voo. Em maio, os engenheiros descobriram um dano inesperado causado ao material compósito na junção das asas com a fuselagem — mais um problema dos muitos que causaram atrasos ao Dreamliner.

Enquanto os engenheiros da Boeing passavam os seis meses seguintes reparando o problema, também lidavam com outras dificuldades menores que surgiram, definidas por dirigentes da Boeing como rotineiras no desenvolvimento de uma nova aeronave.

Problemas em outras áreas da divisão de aviões comerciais aumentaram a pressão sobre o Centro de Operações de Teste. O primeiro voo de teste do 747-8 da Boeing, versão modernizada do jumbo 747 que será usada sobretudo como avião de carga, também atrasou, provavelmente até meados de janeiro. O centro de operações de Seattle vai coordenar simultaneamente os testes do Dreamliner e do 747-8.

Os programas surgem num momento em que a Boeing está reduzindo seu pessoal de testes, demitindo até 300 pessoas, como parte de um plano anunciado em janeiro para cortar 4.500 empregos na divisão de aviões comerciais. A empresa, que tem sede em Chicago, registrou prejuízo de US$ 1,56 bilhão no terceiro trimestre, devido sobretudo aos revezes em suas operações com aviões comerciais.

Uma porta-voz da Boeing disse que os programas de testes não serão afetados pelas demissões.

Executivos da Boeing visitaram centros de operações da Southwest Airlines Co., da American Airlines, que pertence à AMR Corp., e a Base McChord da Força Aérea americana em Tacoma, Estado de Washington, para ver como esses centros são estruturados, diz John Fennell, um dirigente da Boeing. A ideia, diz ele, é não só reparar problemas que o pessoal de testes pode encontrar do Círculo Ártico ao deserto do sul da Califórnia, mas também permitir soluções rápidas para confusões burocráticas.

O novo centro mostra o esforço da Boeing de racionalizar a gestão, antes bastante dispersa, dos voos de teste dos vários modelos em desenvolvimento. Até detalhes aparentemente simples, como colocar telas de segurança em volta dos motores dos jatos, eram processos complicados envolvendo várias etapas de aprovações.

"No passado", diz Janet Mueller, engenheira da Boeing que supervisiona o desenvolvimento e a administração do centro, "quem gritava mais alto conseguia as coisas mais depressa."

Agora essas questões podem ser resolvidas com um telefonema do centro de operações, ou uma conversa pessoal entre técnicos sentados lado a lado.

"Temos um centro de operações que é um ponto central de contato para informações, comunicações e resolução de problemas", diz Mueller.

Fonte: Peter Sanders (The Wall Street Journal) - Fotos: Boeing Co.

MPF/AP recomenda ao Comar que não transfira parte do terreno da Infraero em Macapá

Determinadas áreas do terreno que compõe o Aeroporto internacional de Macapá, pertencentes a União, são necessárias à garantia da segurança da aviação no local. Bairros Infraero I, Infraero II e Ilha Mirim não serão afetados pela Recomendação.

No Amapá, o Comando Militar da Aeronáutica (Comar) recebeu, dia 02 de dezembro, recomendação do Ministério Público Federal para que não transfira determinadas áreas do terreno que compõe o Aeroporto internacional de Macapá, pertencentes a União, e que são necessárias à garantia da segurança da aviação no local.

Atualmente, um estudo elaborado pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) avalia a viabilidade da transferência ao Estado do Amapá, bem como ao Município de Macapá, da propriedade de áreas de terra próximas ao Aeroporto Internacional de Macapá.

Com inúmeras invasões ocorrendo ao longo dos anos, grande parte da área operacional do Aeroporto Internacional de Macapá já está comprometida, inclusive com a construção e consolidação de bairros inteiros.

A Recomendação do MPF/AP alcança três áreas menores, integrantes do patrimônio da União, denominadas pela Infraero de “H”, “I” e “G”. Desta forma, os bairros Infraero I, Infraero II e Ilha Mirim não serão afetados pela Recomendação.

Segundo o MPF/AP, as pessoas necessitadas que residem na “área H” fazem jus a moradia em local onde elas e seus familiares não corram riscos ou que proporcione perigo aos seus semelhantes que se utilizam dos serviços oferecidos pelo Aeroporto, devendo haver providências por partes das autoridades, no sentido de oferecer alternativas àquela população.

Também é considerado, na Recomendação, que a transferência da propriedade da área em questão ao Estado do Amapá e/ou ao Município de Macapá não resolverá a questão imediatamente, ocorrendo apenas uma omissão da União diante de problemas relacionados à segurança da aviação civil e ao direito à moradia das pessoas carentes residentes na referida área.

Riscos da ocupação das áreas “H”, “I” e “G”:

Segundo estudos técnicos realizados pela Infraero, as construções realizadas nas áreas “H”, “I” e “G”estão em áreas de risco, caso ocorra a queda de alguma aeronave, tendo em vista a proximidade das edificações em relação às instalações do aeroporto.

Além disso, as áreas mesmas encontram-se situadas na chamada “curva de ruído” do Aeroporto Internacional de Macapá, numa localização nociva à saúde, uma vez que nessas condições, pela proximidade da pista de pouso, é extremo o incômodo do ruído das aeronaves, capaz de acarretar problemas auditivos severos, por exemplo.

A ocupação de áreas do entorno do Aeroporto Internacional de Macapá já vem causando preocupações relativas a incidentes à aviação, uma vez que proporciona a presença de aves próximo à pista, fator extremamente preocupante, por gerar o perigo de sucção pelas turbinas das aeronaves deste tipo de animal.

A Recomendação do MPF/AP quer evitar tragédias:

Com a medida, o MPF pretende evitar que a população do Amapá presencie cenas como as ocorridas na cidade de São Paulo, em 17 de julho de 2007, quando o Airbus A320, operado pela TAM, não obteve frenagem ao fim da pista do Aeroporto Internacional de Congonhas, chocando-se contra um edifício e um posto de gasolina situados próximo à cabeceira da pista, deixando um saldo de 187 ocupantes do avião mortos, além de outras 12 vítimas situadas em terra.

A existência de uma área de escape na pista poderia ter evitado a tragédia.

Três meses depois, em 04 de novembro de 2007, também na Capital paulista, ocorreu outro grave acidente aéreo, dessa vez envolvendo uma aeronave Learjet 35, da Real Táxi Aéreo, que caiu logo após decolar do Campo de Marte, na zona norte de São Paulo.

Pereceram no sinistro os dois tripulantes do avião e outras seis pessoas residentes em quatro casas situadas na Rua Bernardino de Sena (Bairro Casa Verde), logradouro localizado em área próxima ao aeródromo.

A Recomendação também relembra a trágica queda do avião Fokker 100, operado pela TAM, em 31 de outubro de 1996, no Bairro Jabaquara, em São Paulo/SP, área residencial distante apenas 2 Km do Aeroporto Internacional de Congonhas, local de onde a aeronave havia decolado 24 segundos antes. Noventa e nove pessoas perderam a vida, três delas em solo.

Os procuradores da República que assinam a Recomendação afirmam que as três tragédias elencadas estão diretamente relacionadas à omissão estatal em evitar concentração urbana em áreas próximas aos aeroportos, situação que se repete na cidade de Macapá.

Confira a Recomendação em www.prap.mpf.gov.br

Fonte: correaneto.com.br

Microplanador é inspirado em semente voadora

Monocóptero inspirado nas sementes da árvore maple (na mão do pesquisador) ganhou controle graças a um rotor que opera na função inversa do rotor de um helicóptero

Um grupo de estudantes da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, conseguiu replicar a capacidade de voo das sementes de uma família de árvores conhecida como maple, que desce planando até o solo.

O resultado é um veículo aéreo capaz de planar suavemente ao ser lançado de um avião, de algum local alto ou mesmo arremessado com as mãos.

O experimento, de uma aparente mera curiosidade, transformou-se em duas patentes requisitadas pela universidade, que poderão ser usadas em veículos passivos de vigilância e de monitoramento ambiental.

Microplanador

Ao dotar o pequeno veículo de um rotor de controle, o microplanador tornou-se controlável, capaz de voar de aproveitando os ganhos aerodinâmicos e de flutuação desenvolvido por milhões de anos de evolução das sementes de maple, mas com total controle.

As primeiras tentativas de replicar a capacidade de planar das sementes de maple datam de 1950. Até agora, todas essas tentativas fracassaram pela falta de controle sobre o voo dos veículos.

Evan Ulrich e seus colegas resolveram o problema da estabilidade adicionando um novo componente curvo no corpo do pequeno veículo, dando-lhe a capacidade de planar de forma controlada e transformando-o no menor veículo controlável de asa única já construído.

Queda controlada

Parte da solução para controlar o voo consistiu em separar fisicamente o problema da propulsão e da estabilidade. A semente de maple só tem que flutuar até o solo, e a gravidade lhe fornece toda a "potência" necessária para fazê-la girar e descer em um voo estável.

A asa única do microplanador é projetada para funcionar da mesma forma que a semente, fazendo uma autorrotação estável durante a descida. Mas a gravidade não lhe dá força suficiente para planar.

Para isso foi adicionada uma seção separada, contendo um propulsor que funciona como o rotor traseiro de um helicóptero - só que, ao invés de evitar a rotação, como acontece nos helicópteros, ele mantém a rotação, permitindo que o veículo plane de forma controlada.

Fonte: Site Inovação Tecnológica - Foto: Eric Schurr

Embraer comemora 15 anos de privatização

A Embraer comemorou com boas expectativas, nesta 2ª feira (7), o 15º aniversário de sua privatização, ocorrida em 1994, quando a empresa foi adquirida pelo grupo Bozano Simonsen e pelos fundos de pensão Previ e Sistel, por R$ 154,1 milhões (em valores atualizados). Nesse período a empresa cresceu dez vezes e acumulou um saldo positivo de aproximadamente US$ 13 bilhões na balança comercial brasileira. Segundo o vice-presidente para Assuntos Corporativos da companhia, Horácio Forjaz, apesar de enxergar o fim da crise apenas para meados de 2012, a empresa continua liderando o mercado de aeronaves de 30 a 120 assentos e tem posição consolidada no mercado, ocupando a terceira colocação entre os fabricantes de jatos comerciais do mundo.

"Depois de 15 anos podemos dizer que os avanços foram notáveis", diz. Ele destacou também que o mercado de jatos executivos está muito favorável á Embraer, que disponibiliza a família Legacy, cujo projeto custou cerca de US$ 750 milhões de dólares, mas deixou a empresa muito bem posicionada, com a oferta de um produto com espaço e conforto superiores, desempenho excelente e baixo custo operacional. "Estamos sendo muito bem sucedidos", observa. Outra aposta feita pela empresa, segundo Forjaz, é a montagem do cargueiro militar KC-390, cujo contrato para desenvolvimento do projeto foi assinado com a Força Aérea Brasileira em abril passado, no valor deR$ 3,2 bilhões.

Os dois protótipos previstos devem ficar prontos em 2015 e, sendo aprovados, a produção começa logo no ano seguinte. "Esse avião foi concebido para atender os requisitos da FAB, mas vai ocupar um nicho interessante no mercado futuramente", disse o diretor. Ele lembra o caso do Super Tucano, que foi feito para o Governo brasileiro, mas já fez carreira internacional. A empresa também negocia parcerias para fabricar o KC-390.

NOVOS MODELOS

Apesar das notícias da possível produção de novos modelos, para o mercado de aeronaves com mais de 130 assentos, que seriam lançados na próxima década, Forjaz nega que haja qualquer estudo concreto nessa direção, apesar da empresa estar sempre atenta ao movimento da concorrência. "A Embraer não deixa de examinar o que se passa á sua volta, mas temos tempo e produtos bem situados no mercado".

Para entrar no segmento de aeronaves com mais de 140 assentos, segundo Forjaz, a empresa teria que enfrentar a forte concorrência de empresas como Airbus e Boeing. "O foco é geração de novas tecnologias de propulsão de aeronaves, com motores de baixo ruído e baixo consumo. Os fabricantes estão olhando essas tecnologias, conjuntamente com a possibilidade de novos produtos, mas aguardam o que deve ocorrer nesse período de crise", finalizou.

Fonte: João Carlos de Faria (AE) via Jornal Cruzeiro do Sul

Direto do YouTube: 'Física ou montagem?'

Um homem resolve mostrar uma experiência usando fundamentos da física para fazer uma avião de papel voar. Ele posiciona dois ventiladores, coloca os aparelhos de frente a frente e liga. Com a corrente de ar formada entre os dois, o avião voa sem auxílio de ajuda. Verdade ou mentira? Veja o vídeo e tire suas próprias conclusões.



Fonte: O Dia Online

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Avião sai da pista na África do Sul

Uma aeronave da SA Airlink saiu da pista do Aeroporto George, na África do Sul, na manhã desta segunda-feira (7).

Os detalhes do acidente ainda não foram revelados, mas sabe-se que o avião Embraer ERJ-135, prefixo ZS-SJW, caiu na estrada após não conseguir parar na pista do Aeroporto George (GRJ/FAGG).

O voo SA-8625 vinha da Cidade do Cabo para George, ambas cidades da África do Sul, com 30 passageiros e 3 tripulantes. Ao pousar sob chuva leve às 11:06 L (09:06Z) e tocar a pista molhada, o avião passou por cima do muro do aeroporto e parou na estrada adjacente. Sete passageiros e o primeiro oficial sofreram ferimentos leves e foram levados para um hospital local, mas logo foram liberados. O avião no entanto sofreu danos substanciais.

A companhia informou que, de acordo com o primeiro relatório, o avião aquaplanou para fora no final da pista molhada. Mais tarde, a companhia aérea informou que o primeiro oficial sofreu uma torção no tornozelo e, sete passageiros, incluindo uma criança, foram levados para um hospital por precaução. Todos os oito foram liberados no mesmo período.

A pista do Aeroporto de George tem 2.000 metros (6561 pés) de comprimento.

A SA Airlink tem sofrido pesadas críticas nos últimos meses depois de vários dos seus aviões terem se envolvido em acidentes e incidentes em aterrissagens, derrapagens na pista ou retornos para os aeroportos de origem devido a problemas técnicos.

Fontes: eyewitnessnews.co.za / Aviation Herald - Fotos: Bernard Stander

Foto do Dia

Clique sobre a foto para ampliá-la

O Thunderbird 3, Lockheed Martin F-16 Fighting Falcon (Block 52), da United States Air Force (USAF) Thunderbirds, na Aviation Nation 2009, na Base Aérea Nellis (LSV/KSLV), em 14 de novembro de 2009.

Foto: TVL1970 (Flickr)

Piloto abandona cabine para salvar a vida de paraquedista

Garth Greyling deixou aeronave em piloto automático após se dar conta da emergência.

Um piloto britânico recebeu uma alta condecoração de heroísmo depois de ter salvado a vida de um paraquedista pendurado em seu avião.

Gareth Greyling (foto) havia levado uma equipe de paraquedistas para saltar, durante um campeonato na Alemanha, no ano passado, quando um deles acabou preso pelo pé em uma corda, com o corpo para fora do avião.

O piloto foi avisado da emergência por controladores de voo quando estava prestes a pousar.

Ele então retornou a 7,5 mil pés de altitude, deixou a aeronave em piloto automático, foi até o paraquedista e o soltou.

Um Turbo-Islander similar ao pilotado por Greyling

Em seguida, voltou ao comando do avião e pousou sem problemas. O paraquedista aterrissou normalmente.

Por recomendação do paraquedista, o major Jeremy Denning, o piloto Greyling ganhou uma medalha de bronze da Royal Humane Society, que premia pessoas que arriscam suas vidas para salvar outras.

"Como ele pilotava um avião leve, o risco de a aeronave perder sua posição por causa do peso dos dois homens era muito grande. O avião podia mergulhar mais rápido do que eles", explicou Dick Wilkinson, da Royal Humane Society, à BBC Brasil.

Fonte: BBC Brasil via Estadão

Virgin Atlantic apresenta primeira nave espacial comercial

Expectativa é que dentro de três anos turistas possam ir ao espaço.

Projeto de US$ 450 milhões prevê a construção de seis naves.


A SpaceShipTwo (centro), primeira aeronave do mundo desenvolvida para transportar turistas no espaço, é acoplada no centro das duas fuselagens da nave White Knight Two, em Mojave (Califórnia).

A Virgin Atlantic apresentou nesta segunda-feira (7) a primeira nave espacial comercial para passageiros, um modelo com linhas elegantes, preta e branca, que representa uma aposta com preço alto na criação de uma industrial comercial de turismo espacial.

A empresa espera que a nave SpaceShipTwo, com asas e do tamanho de uma minivan, comece a levar turistas para a gravidade zero dentro de dois ou três anos.

"Será o começo das viagens espaciais comerciais", disse o fundador da Virgin Atlantic Airways, o bilionário Richard Branson, no lançamento da nave no deserto de Mojave, na Califórnia.

Viagem na nave SpaceShipTwo pode custar até US$200 mil

Com orçamento de US$ 450 milhões, o projeto prevê a construção de seis naves espaciais comerciais que poderão levar passageiros até uma altitude suficiente para sentirem a gravidade zero e verem a curvatura da Terra contra o pano de fundo do espaço.

Uma nave de duas quilhas chamada Eve levará a SpaceShipTwo até uma altitude de 60 mil pés (18.288 metros), onde a deixará. Então a nave disparará seus motores a jato e subirá para cerca de 104 quilômetros acima da Terra.

Concepção artística do SpaceShipTwo da Virgin Galactic (veículo na parte inferior da imagem) e como ele vai ser liberado de sua nave-mãe WhiteKnightTwo

Mais ou menos 300 candidatos a astronautas já fizeram depósitos para fazer o passeio de US$ 200 mil que inclui três dias de treinamento.

Com o tempo, a Virgin Galactic, a divisão da Virgin Atlantic que está promovendo os passeios espaciais, espera reduzir o preço das passagens para um valor competitivo comparado às viagens aéreas entre os EUA e a Austrália.

A unidade também estuda a possibilidade de oferecer viagens suborbitais entre destinos, algo que poderia reduzir o tempo de voo dos EUA para a Austrália das atuais 15 horas ou mais para cerca de 90 minutos.

Sonho

Outras potenciais utilizações comerciais das naves incluem transportar cientistas e equipamentos para pesquisas e usar a nave transportadora para lançar pequenas cargas no espaço.

As viagens espaciais comerciais são um sonho há décadas, mas o primeiro voo espacial particular pilotado, em 2004, foi a primeira prova de que a indústria poderia realizar o sonho sem a ajuda de governos, que historicamente dominam as viagens espaciais.

Mas uma explosão letal em 2007 num teste de motor de foguete ilustrou os perigos e riscos inerentes à empreitada.

O SpaceShipOne, que está exposto no Museu Nacional do Ar e do Espaço, em Washington, já fez três voos suborbitais.

"Os últimos cinco anos foram difíceis, mas finalmente chegamos", disse Branson. "Esperamos que, nas próximas décadas, dezenas ou até centenas de milhares de pessoas tenham a chance de ir para o espaço."

Um programa de dez meses de voos de teste atmosférico deve começar na terça e ser seguido por extensos voos de teste no espaço, antes de começarem os voos com passageiros, o que está previsto para acontecer em 2011 ou 2012.

A SpaceShipTwo é mostrada em construção na Scaled Composites, em Mojave, Califórnia

Fonte: Reuters via G1 - Fotos/Imagens: Reuters/Courtesy Virgin Galactic/Handout

Fluxo de passageiros cresce 13,5% na América Latina em outubro

As companhias aéreas filiadas à Associação Latino-americana de Transporte Aéreo (Alta) reportaram um aumento de 13,5% no número de passageiros transportados em outubro, comparativamente a igual período de 2008, alcançando 11,11 milhões de pessoas. Trata-se da quarta alta consecutiva na comparação com igual mês do ano anterior, indicando recuperação do setor.

O tráfego aéreo medido em RPKs (passageiros transportados por quilômetro) cresceu 13,2%, enquanto a oferta de assentos por quilômetro (ASK) avançou 5,2% - sempre na comparação com outubro de 2008, conforme boletim divulgado hoje (07).

Segundo a Alta, a taxa de ocupação das aeronaves atingiu 74,4%, com 5,3 pontos porcentuais de acréscimo ante o indicador de outubro do ano passado.

No acumulado do ano, a quantidade de passageiros transportados até outubro subiu 1,7% em relação ao mesmo intervalo de 2008, para 100,71 milhões. A quantidade de quilômetros pagos por passageiro avançou 1,2% entre janeiro e outubro, ao passo que a oferta de assentos subiu 3,5%. No período, a taxa de ocupação dos voos ficou em 69,9%, com baixa de 1,6 ponto porcentual em relação à taxa de janeiro-outubro de 2008.

Com relação ao transporte de cargas, as toneladas por quilômetro subiram 7,2% em outubro ante igual mês de 2008. Contudo, em dez meses viu-se uma baixa de 10,1% frente a intervalo correspondente de 2008.

Fonte: Agência Estado via Jornal do Comércio

Gol mantém taxa de ocupação acima de 71% em novembro

A empresa informou que a demanda no mercado doméstico, a taxa foi de 72,5% e no internacional de 64,6%.

A companhia aérea Gol praticamente manteve uma taxa de ocupação de aeronaves acima de 71 por cento em novembro, ao mesmo tempo em que afirmou nesta segunda-feira que obteve recuperação de preços de tarifas.

Em comunicado enviado ao mercado, a companhia informou que "o yield líquido (medida que envolve as tarifas cobradas pela empresa) de novembro já apresentou recuperação e ficou em torno de 19 centavos de real. Essa tendência de elevação de yields deverá continuar durante os próximos meses".

A empresa informou que a demanda no mercado doméstico cresceu 45,9 por cento em comparação a novembro de 2008, para 2,204 milhões de passageiros. Mas na comparação com outubro houve queda de 1,6 por cento, por conta de menor número de dias do mês passado sobre o anterior.

"Se considerarmos a demanda média diária entre os dois meses, houve um aumento de 1,7 por cento sobre outubro", disse a empresa.

No mercado internacional, a demanda cresceu 9,6 por cento ante novembro passado, apoiada em avanço do real sobre o dólar e em novos vôos. Na comparação com outubro, houve alta de 2,9 por cento "devido principalmente à continuidade do efeito da recuperação do tráfego em rotas para a Argentina e Chile, com a redução de casos da gripe H1N1 na região".

No geral, a demanda total por voos do grupo subiu 41,1 por cento em novembro sobre novembro de 2008, para 2,458 milhões de passageiros.

A taxa de ocupação em novembro do grupo ficou em 71,6 por cento em novembro ante 71,9 por cento em outubro e 56,8 por cento um ano antes. No mercado doméstico, a taxa foi de 72,5 por cento e no internacional de 64,6 por cento.

Fonte: Alberto Alerigi Jr. (Reuters) via Folha Online

TRIP lança voo para Maceió

Após anúncio na Feira das Américas deste ano, a Trip Linhas Aéreas e a Secretaria de Estado do Turismo de Alagoas (Setur-AL), lançam oficialmente, nesta quarta-feira, dia 9, o voo da companhia para Maceió.

O lançamento será realizado a noite, no Foca Beer, porém a tarde, com a presença de autoridades, empresários e convidados, o governador Teotonio Vilela Filho, o secretário de Turismo, Virginio Loureiro, e do diretor de Vendas e Marketing da Trip, Evaristo Mascarenhas de Paula irão participara, no Hotel Ritz Lagoa da Anta, de uma coletiva.

O voo para Maceió começará a operação a partir de 20 de dezembro, saindo do Rio de Janeiro, e fará a ligação com Belo Horizonte, Recife e Fernando de Noronha. “Aproveitamos uma grande oportunidade de mercado, pois temos aviões adequados para esse tipo de rota e vimos a necessidade de ampliar essa oferta para Maceió, que se mostra como excelente destino”, destaca o presidente da Trip, José Mário Caprioli.

Para o secretário Virginio Loureiro, Alagoas tem muito a comemorar, pois terá novamente a ligação aérea diária com Recife, importante mercado regional, que tem conexões para destinos internacionais, como a Europa.

Fonte: Brasilturis

Índice de atrasos em voos no Brasil cai em novembro

O índice de atrasos da aviação regular no Brasil atingiu 13% em novembro, número inferior aos 13,8% registrados em outubro. Segundo a Agência Nacional de Avião Civil (Anac), os atrasos também foram menores em relação a novembro de 2008 (16,6%).

Para apurar os índices, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuárias (Infraero) considera apenas os atrasos acima de 30 minutos, entre todas as empresas aéreas nos 67 aeroportos administrados pela estatal.

Entre as cinco maiores empresas aéreas brasileiras, a única que não teve redução em seus índices de atrasos foi a TAM, que enfrentou problemas em seus sistemas de reservas e de check-in. O índice foi de 15,3% em novembro, contra 14,7% em outubro.

Fonte: Priscila Trindade (Agência Estado)

TAM premia vencedor do concurso cultural Festival de Culinária Internacional

A TAM Linhas Aéreas promoveu nesta segunda-feira a final do concurso cultural ligado ao seu Festival de Culinária Internacional. O evento, realizado no Centro Universitário Senac, em São Paulo, reuniu quatro finalistas do concurso, representantes da companhia aérea e especialistas em gastronomia para o julgamento dos pratos. O júri foi composto pela chef Ana Luiza Trajano - consultora do cardápio da TAM em 2009, Adriano Capra - chefe do LSG Sky Chefs, Edna Cruz - gerente de Marketing de Diferenciação da TAM, Alan Uzan - professor de cozinha francesa do curso Cozinheiro Chefe Internacional e Zenir Dalla Costa, coordenadora do curso de extensão universitária do SENAC.

"Buscar proximidade com nossos passageiros é uma das formas de cumprirmos nosso compromisso com a excelência nos serviços, um dos três pilares de atuação da TAM. O concurso é uma forma de estimular o talento culinário de nossos clientes e de participar do cotidiano deles", afirma Manoela Amaro, diretora de Marketing da companhia.

Os quatro competidores prepararam suas receitas para degustação e avaliação. O vencedor foi Francisco Soares Neto, que elaborou a sobremesa Parfait de Frutas Vermelhas e foi premiado com um pacote TAM Viagens, de sete dias, com direito a acompanhante, para o destino que escolheu: Paris.

Fonte: Aviação Brasil

MAIS

A receita do "Parfait de Frutas Vermelhas"

Ingredientes

. 2 claras
. 2 xícaras de açúcar
. 1/2 caixa de morango
. 6 cerejas frescas
. 6 amoras frescas
. 6 framboesas frescas
. 1 colher de sopa de suco de limão Taiti
. 300 g de creme de leite

Modo de Fazer

Preparar uma calda em ponto de fio (114°C). Bater as claras em neve e adicionar a calda aos poucos. Deixar bater por 10 minutos. Bater as frutas junto com o suco de limão no liquidificador e coar. Adicionar as frutas aos poucos. Quando terminar de adicioná-las, bater por 20 minutos. Desligar a batedeira e misturar o creme de leite. Colocar na forma e congelar.

Fonte: Site da TAM