quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Carro atravessa cerca e bate em aviões de aeroporto nos EUA

Motorista teria desmaiado ao volante.

Dois Cessnas 152 foram destruídos.


Veículo atingiu aeronaves no aeroporto de El Cajon, na Califórnia

O motorista estava dirigindo com seu cachorro no carro quando perdeu a consciência e atravessou uma grande, batendo em aviões estacionados no aeroporto. O homem e o cachorro não ficaram feridos

Fonte: Associated Press via G1 - Fotos: William Thorn (AP)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Foto do Dia

Clique na foto para ampliá-la

No cockpit do McDonnell Douglas MD-82 (DC-9-82), prefixo N408NV (CN 53246/1918), da Allegiant Air, os dois manetes do acelerador que permitem aos pilotos impor um empuxo de até 21.000 libras aos motores JT8D "Mad Dog's". A aeronave foi fotografada no Aeroporto Internacional Orlando-Sanford (SFB/KSFB), na Flórida, nos EUA, em 9 de agosto de 2009.

Foto: Andre Klass (Airliners.net)

Ursos polares que caem do céu

Campanha da Plane Stupid's contra aviação

As campanhas ecológicas para alertar sobre os efeitos nocivos que as ações humanas têm no meio ambiente são de todo o tipo – humorísticas, conscienciosas, agressivas ou chocantes. A recente intervenção publicitária da Organização Não Governamental (ONG) Plane Stupid é para muitos excessiva, mas cumpre o objetivo a que se propõe: “Ficar na memória”.

“Cada um dos voos de avião que fazemos tem um impacto”, diz a ONG britânica e, a forte campanha, pretende obrigar os europeus a enfrentar os problemas relacionados com as alterações climáticas e os efeitos nocivos do recurso ao avião para viagens de curta distância, alegando que “já não se trata dos ursos polares” e que pode ser tarde demais se não fizermos nada.

A Plane Stupid apareceu em 2005, numa conferência sobre a indústria da aviação e, desde então, nunca mais parou. A organização subdivide-se em vários grupos, situados em Londres, Glasgow, Brighton, Manchester, Southampton, Leeds, Edimburgo e Cambridge.

Segundo esta ONG, “a aviação é uma das maiores causas das alterações climáticas e, em vez de fazer alguma coisa, o governo planeja mais voos e a construção de aeroportos maiores”. Viajar de avião é cada vez mais fácil e barato, há cada vez mais superfícies de voo e o low cost veio a aumentar o circuito aéreo de curta-distância.

A produção foi escrita e encomendada pela agência criativa Mother e produzida pela companhia Rattling Stick, sob a realização de Daniel Kleinman.

Veja o vídeo:




Fonte: Ciência Hoje (Portugal)

Vírus é camuflado em spam de passagens aéreas

CUIDADO!

A Trend Micro identificou um recente ataque de spam com mensagens que seguem a interface de uma companhia aérea brasileira e oferecem passagens por apenas R$ 1.

O texto da mensagem diz: “A promoção Voegol a R$ 1 está de volta, compre passagens de ida ou de volta para todo o Brasil por apenas R$ 1,00. Visite nosso atendimento online através do site http://www.voegol.com.br/Atendimento/ e mencione o código: VG1R. Após isso, espere o contato de um atendente e efetue a compra”.

O spam tenta se aproveitar das promoções verdadeiras que estão sendo oferecidas pela mesma companhia, porém, os links do e-mail não levam a nenhum lugar onde é possível comprar passagens baratas.

Os usuários são redirecionados a uma URL que faz o download de TROJ DLOADR.APX.O TROJ_DLOADR.APX e se conecta a outras URLs para fazer o download de TSPY BANKER.NGN. As variantes do TSPY_BANKER têm o objetivo de roubar informações pessoais de contas em bancos brasileiros.

Fonte: Decision Report

TAM demite 100 funcionários da área administrativa

Em meio a definições sobre quem ficará na presidência da empresa, atualmente ocupada por Líbano Miranda Barroso, a TAM demitiu cerca de 100 pessoas da área administrativa. Barroso afirmou que se tratou de um ajuste de melhoria dos processos da administração da companhia. "O ajuste não envolveu funcionários da área operacional, ou seja, que lidam com os clientes. O que ocorreu foi uma melhoria de processos, com a fusão de algumas áreas", disse.

O executivo afirmou a jornalistas, após reunião da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais em São Paulo (Apimec-SP), que não há previsão de novos cortes de pessoal, "embora a busca de eficiência e melhoria de processos continue". A maioria dos demitidos trabalha em São Paulo. A TAM emprega atualmente 24,5 mil pessoas.

Sobre a mudança na presidência da companhia, Barroso disse que o Conselho de Administração da TAM deve chegar a uma definição o "mais cedo possível". "No momento, acumulo a presidência e a vice-presidência de Finanças. Não há definição se serei eu o presidente apontado pela companhia, mas para o bem ou para mal, ainda sou presidente", afirmou.

Fonte: Michelly Chaves Teixeira (Agência Estado) via Abril.com

Mato Grosso: passageira com deficiência chamada de 'bêbada' em voo deve receber R$ 40 mil de indenização

O juiz da Segunda Vara Cível da Comarca de Várzea Grande, Marcos José Martins de Siqueira, condenou a empresa VRG Linhas Aéreas (grupo Gol) por causar constrangimento e transtornos emocionais a uma passageira de Cuiabá. Portadora de uma deficiência física que lhe causa dificuldades motoras, ela foi destratada por uma comissária de bordo antes da decolagem da aeronave com destino a São Paulo, no ano de 2007. A sentença fixa o valor de R$ 40 mil a título de indenização por danos morais, bem como ordena à companhia aérea o pagamento das custas processuais e honorários advocatícios. A companhia ainda pode recorrer da decisão.

De acordo com os autos da ação, a passageira se acomodou na poltrona do avião e foi abordada de forma ríspida e em voz alta por uma comissária de bordo, que exigiu que ela deixasse a aeronave por não apresentar condições de viajar. Em seguida, ainda segundo o processo, a funcionária da empresa teria acionado o interfone para questionar à equipe de solo a razão de terem permitido que uma "bêbada" entrasse na aeronave, ato testemunhado por vários passageiros. Parte deles confirmou todo o fato em juízo.

Forçada a deixar a aeronave, a passageira conseguiu retornar minutos depois, em prantos, depois que o mal entendido foi desfeito. Na verdade, a passageira seguia para São Paulo por motivo de tratamento de saúde de sua deficiência física. Portanto, não havia ingerido bebida alcoólica ou usado drogas.

Em sua defesa, a empresa alegou que não houve qualquer solicitação de assistência para portador de necessidades especiais e que a comissária, ao perceber que a passageira possuía movimentos involuntários, educadamente pediu que ela lhe acompanhasse para fora do avião para tratar do assunto de forma reservada, sem a presença de qualquer passageiro. Após a suposta negativa da passageira, ela teria retornado ao seu lugar sem problemas. Essa versão, no entanto, não foi confirmada pelas testemunhas do fato.

O magistrado, em sua sentença, ressaltou que os depoimentos dos passageiros foram coerentes e comprovaram a atitude imprópria da comissária de bordo contra a passageira que possui deficiência física.

- Por ser a aeromoça empregada de empresa que presta serviço de relevância social, deve estar preparada para enfrentar situações anômalas, como na espécie, acautelando-se para dispensar tratamento digno aos usuários daquele serviço. Logo, se assim não agiu, lançando conclusão equivocada sobre o verdadeiro estado físico da autora que, por sua vez, foi percebido pelos demais passageiros, proporcionou um desgaste à imagem e à honra da pessoa debilitada. Neste ponto é que consiste a prática do ato ilícito civil - sentenciou, citando o Código de Defesa do Consumidor.

Fonte: TVCA via O Globo

Só 1,2% da verba de aeroportos irá para Afonso Pena

Principal aeroporto do estado receberá R$ 70 milhões da Infraero – investimento será concentrado em pátio e terminal de passageiros

O aeroporto Afonso Pena receberá 1,26% – R$ 70,1 milhões – dos R$ 5 bilhões previstos pela Infraero para investimentos nos 15 aeroportos de apoio às cidades que vão sediar jogos da Copa do Mundo de 2014. No ranking da distribuição de recursos, ele é o quarto menos favorecido, na frente apenas dos terminais de Salvador, Recife e da Pampulha (de Belo Horizonte).

Aeroporto Afonso Pena: construção da terceira pista ficou de fora dos investimentos do governo federal

Além disso, nenhum dos cinco empreendimentos previstos para São José dos Pinhais foi iniciado. Três deles começam em 2010 e outros dois em 2011.

Os trabalhos em 12 dos demais aeroportos já estão em andamento. Atualmente, a Infraero não realiza qualquer investimento nos três aeroportos que administra no Paraná (além do Afonso Pena, há uma unidade em Londrina e outra em Foz do Iguaçu).

Os números foram apresentados ontem pelo diretor de engenharia da Infraero, Jaime Henrique Caldas Parreira, durante uma audiência pública promovida em conjunto pelas comissões de Turismo, Desenvolvimento Urbano e Transportes da Câmara dos Deputados. O debate tratou dos investimentos em aeroportos para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

“Em cada aeroporto nós focamos no que é necessário e as principais prioridades são obras em pistas ou terminais de cargas e passageiros. No caso do Afonso Pena, a meta principal é adequar o espaço à demanda de passageiros”, explicou Caldas. Nenhuma das propostas apresentadas ontem contempla a ampliação ou construção de uma terceira pista, reivindicação que mobiliza o Paraná há uma década. Após a audiência, parlamentares da bancada paranaense fizeram uma reunião com o presidente da Infraero, Murilo Marques Barboza, para cobrar mais investimentos.

“Foi uma surpresa que a pista tenha ficado de fora. Ele (Barboza) nos disse que temos de atuar politicamente para que a obra saia e é isso que nós vamos fazer”, disse o deputado paranaense Eduardo Sciarra (DEM), um dos organizadores da reunião.

Segundo o parlamentar, também está garantida a ampliação do terminal de cargas, projeto avaliado em R$ 10 milhões e que consta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) desde 2007. O empreendimento não foi incluído na relação da Copa porque não teria ligação com o evento.

Entre as cinco propostas de preparação para o Mundial de 2014 está a ampliação do sistema de pátios, com cinco novas posições para estacionamento de aeronaves. Para essa obra, o custo estimado é de R$ 30 milhões.

Durante a audiência, o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias, José Márcio Mollo, disse que o Afonso Pena é atualmente um dos 12 aeroportos brasileiros em que as aeronaves são proibidas de passar a noite, por falta de espaço adequado, o que prejudica a programação dos voos. Mollo fez uma previsão pessimista sobre as obras listadas pela Infraero. “Se dependermos do planejamento que está sendo feito e do histórico da Infraero em descumprir prazos, vamos sofrer um novo apagão aéreo durante, ou mesmo antes da Copa de 2014.”

O deputado paranaense Gustavo Fruet (PSDB), que participou da audiência e foi membro da CPI do Apagão Aéreo, em 2007, também disse que não acredita no cumprimento do cronograma apresentado ontem. “É pouco dinheiro e, além disso, o fato é que não vai dar tempo de terminar tudo até 2014.”

As outras quatro propostas apresentadas ontem pela Infraero para o Afonso Pena são a reforma e adequação do terminal de passageiros (R$ 1,65 milhão), a execução das obras de reforma desse terminal (R$ 37,25 milhões), o projeto completo de infraestrutura da área para hangares da aviação executiva (R$ 120 mil) e a execução das obras desses hangares (R$ 1,08 milhão).

Lanterna

Dos 15 aeroportos brasileiros que serão modernizados por causa da Copa de 2014, 11 receberão mais investimentos do que o Afonso Pena, na região de Curitiba:

Aeroporto Recursos (em R$ milhões)

Guarulhos (SP) 1.391,8

Viracopos (Campinas) 936,8

Galeão (RJ) 735,55

Brasília 524,2

Porto Alegre 495,16

Confins (Belo Horizonte) 392,16

Congonhas (SP) 284,32

Manaus 238,53

Fortaleza 214,99

Cuiabá 85,26

Santos Dumont (RJ) 76,41

Curitiba 70,10

Salvador 44,29

Recife 33,00

Pampulha (Belo Horizonte) 5,08

Fonte: André Gonçalves (Gazeta do Povo) - Foto: Divulgação/Infraero

Câmara aprova aumento do efetivo da Aeronáutica

Mais 13 mil

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, em caráter conclusivo, o projeto de lei que aumenta em 13.495 o número de militares do Comando da Aeronáutica. O efetivo passará de 67.442 para 80.937. Agora, o projeto seguirá para o Senado, a menos que haja recurso para que seja votado pelo plenário da Casa.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, que assina a proposta, ressalta a necessidade da medida para adequar os efetivos da Aeronáutica às crescentes demandas do transporte aéreo e para prestar um serviço seguro de controle do espaço aéreo.

Jobim também cita como argumento a criação de novas organizações militares nos últimos 25 anos e o crescimento das atribuições da Aeronáutica, como participação em missões da Organização das Nações Unidas, em campanhas de vacinação e em combate a incêndios ambientais.

Novos números

Pela proposta, a nova composição dos cargos sofrerá a seguinte variação:

- oficiais superiores: de 2.455 para 3.200;

- oficiais intermediários e subalternos: de 5.700 para 7.800;

- suboficiais e sargentos: de 26.200 para 34.000;

- cabos e soldados: de 31.000 para 34.100;

- taifeiros (responsáveis pelo serviço de câmara, como limpeza e arrumação): de 2.000 para 1.750.

A proposta foi aprovada com emenda da Comissão de Finanças e Tributação, que condiciona a criação dos cargos à sua autorização expressa em anexo específico da Lei Orçamentária Anual.

Fonte: Agência Câmara via O Globo

'Homem-pássaro' não consegue atravessar da África para Europa

Suíço Yves Rossi tentou travessia com asas movidas a jato.

Mas acabou caindo no Mar Mediterrâneo e teve se ser resgatado.




O aventureiro suíço Yves Rossi fracassou nesta quarta-feira (25) em sua tentativa de fazer um voo intercontinental entre África e Europa Levado Por apenas asas movidas a jato.

A Travessia ia ocorrer sobre o Estreito de Gibraltar, que separa o Oceano Atlântico do Mar Mediterrâneo.

Em 2008, Rossy conseguiu com sucesso fazer uma travessia semelhante sobre o Canal da Mancha, que separa uma Grã-Bretanha do continente europeu.

Desta vez, ele não teve sorte e acabou caindo mar não, sendo resgatado por um helicóptero.

Imagens de vídeo (acima assista) Mostram o aventureiro, de 50 anos, passando por nuvens, Depois, ele aparece entre fortes ondas. Finalmente, ele foi resgatado de helicóptero.

O plano fracassado de cerca Rossy voar era de 40 km a uma velocidade média de 220 km / h. Suas asas levavam como combustível 30 litros de querosene.

Ele decolou de Tânger, mas, na metade do voo de 15 minutos, caiu nas águas agitadas pelo vento

Imagem de vídeo mostra o aventureiro suíço Yves Rossy próximo um barco de pesca nesta quarta-feira (25) depois de sua fracassada tentativa de votar de Marrocos à Espanha, sobre o Estreiro de Gibraltar, em asas movidas a jato

Ele foi resgatado de helicóptero

Fonte: G1 (com agêncais Internacionais) - Fotos: AP

Atlantis deixa estação espacial e inicia volta à Terra

O Atlantis se afasta da ISS para começar a reentrada na atmosfera da Terra

O ônibus espacial Atlantis e sua tripulação de sete astronautas se separaram nesta quarta-feira da Estação Espacial Internacional (ISS) e iniciaram o retorno à Terra, informou a Nasa.

O Atlantis desacoplou da ISS às 9H53 GMT (7H53 de Brasília). O piloto Barry Wimore acionou os foguetes de propulsão duas vezes, às 11H04 GMT e às 11H32 GMT e a nave se deslocava a 0,46 metro por segundo.

Os astronautas devem pousar no centro espacial Kennedy em Cabo Canaveral (Flórida) às 14H44 (12H44 de Brasília).

Durante a missão de 11 dias, os astronautas realizaram três caminhadas espaciais para instalar equipamentos de alta tecnologia na ISS, como antenas e sistema de vídeo sem fio, mudaram a posição de um monitor para prevenir falhas elétricas, criaram um sistema de armazenamento e instalaram um tanque de oxigênio.

Fonte: AFP - Fotos: NASA

NASA: poeira pode ter disparado falso alarme de incêndio na estação espacial

A NASA disse poeiras que poderiam ter sido levantadas pela intensa atividade física que se fazia na manhã de ontem na estação espacial, devem estar na origem do alarme de incêndio que foi disparado causando pânico nos astronautas.

“Cerca das 7:00 ET [10:00 horas do Brasil] de ontem, um falso alarme de fumo e fogo soou na estação, proveniente do laboratório Kibo. A tripulação estava acordada movendo coisas de um lado para o outro e provavelmente levantou alguma poeira que disparou o alarme,” disse a NASA no seu blog.

Graças a Deus o alarme era falso e a ordem foi imediatamente restabelecida. Entretanto, os astronautas reviveram o sufoco do quinto dia da missão, quando um alarme dando conta da problemas de pressão foi disparado no princípio da manhã de ontem, acordando os astronautas com um grande susto.

Na altura, de acordo com a agência espacial dos EUA, a equipe de controladores da missão na Terra foram capazes de determinar que não estava ocorrendo nenhuma despressurização.

A missão de 11 dias está sob comando do coronel da marinha norte-americana, Charles O. Hobaugh e o piloto é um capitão naval, Barry E. Wilmore. Os outros membros da tripulação são, Randolph J. Bresnik, Michael J. Foreman, Leland D. Melvin e Robert L. Satcher Jr. A missão inclui 3 caminhadas espaciais.

Nicole P. Stott, que já está há 3 meses na estação espacial, irá retornar à Terra com a tripulação do Atlantis.

O Atlantis trará de volta também um sistema de reciclagem do banheiro, que transforma urina em água potável. Os oficiais da NASA disseram ainda que por enquanto tem água fresca suficiente e que esperam enviar mais em vôos futuros.

A missão realizou com sucessos as 3 caminhadas espaciais previstas.

Fonte: IBTimes Brasil

Entrega do Airbus da SATA volta a ser adiada

O avião Diáspora ainda não foi entregue a SATA.

É a segunda vez que o prazo de entrega do avião não é cumprido.


Depois da aterrissagem brusca a 4 de agosto no aeroporto de Ponta Delgada, nos Açores, o Airbus foi entregue às oficinas da TAP em Lisboa para manutenção.

Após a análise das caixas negras, concluiu-se que o segundo embate no solo excedeu a violência aceitável pelo fabricante, tendo saltado 5 rebites do revestimento das asas.

Os trens de aterrissagem tiveram, também, de ser substituídos.

Por prevenção, todos os rebites de revestimento das asas foram substituidos, o que representa cerca de 100 unidades.

Fontes ligadas ao processo indicaram que ainda falta montar os trens de aterrissagem e os reatores e que, depois, o avião terá de ser submetido a testes.

O prazo para entrega do Airbus foi adiado de outubro para novembro.

Depois de em nenhuma das datas se ter verificado o regresso do Diáspora, fica em aberto o prazo de entrega, o que deverá acontecer antes do Natal.

Fonte: Teresa Nóbrega (Jornal da Tarde) via RTP Açores (Portugal)

Estado do RS investe em melhorias para três aeroportos do Interior

Obras estimadas em R$ 5,5 milhões serão feitas em Caxias do Sul, Erechim e Passo Fundo.

Os aeroportos de Caxias do Sul, Erechim e Passo Fundo começam a receber nos próximos dias investimentos de aproximadamente R$ 5,5 milhões do governo do Estado. Nesta quinta-feira (26), às 10h, o secretário de Infra-Estrutura e Logística, Daniel Andrade, e o diretor do Departamento Aeroportuário (DAP), Fernando Coronel, firmam contrato para começo das obras e aquisição de veículo de combate a incêndio. Os empreendimentos integram o programa estruturante Duplica RS. "O desenvolvimento do sistema aeroportuário prevê melhorias com objetivo de, além da intermodalidade, expandir o transporte aéreo de passageiros e de cargas e integrar a rede estadual de aeroportos", explica Andrade.

O terminal de passageiros do complexo de Caxias do Sul terá ampliação de 400m² de área edificada e 1.819m² de área a ser reformada, incluindo cobertura da entrada do prédio, aumento das salas de embarque e desembarque e ar-condicionado. A construção, no valor de R$ 2.394.150,98, tem prazo de 15 meses para ser concluída. Além disso, estão em andamento nas instalações serranas implantação do sistema de sinalização luminosa vertical na pista, taxiway e pátio, contratada em 29 de outubro deste ano, ao custo de R$ 184.331,95, com período fixado de 180 dias para entrega. Caxias do Sul se liga a São Paulo por voos diários.

O complexo de Erechim receberá restauração do pavimento asfáltico da pista de pouso e decolagem com 1,28 mil metros de comprimento e 30 metros de largura, taxiway com 65metros de comprimento e 15 metros de largura e pátio de aeronaves com 6.360 m². A melhoria está orçada em R$ 1.798.140,49 e tem prevista quatro meses para término. Em convênio com a prefeitura, ocorrem também ampliação e reforma do terminal de passageiros, em 65 m², no total de R$ 213.169,09, dos quais R$ 170.535,27 oriundos da Secretaria de Infra-Estrutura e Logística (Seinfra) e contrapartida de R$ 42.633,82 da administração municipal. Erechim é ponto de chegada e partida de aviões para Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba.

Para aumentar a segurança do aeroporto de Passo Fundo, o DAP vai adquirir caminhão de combate a incêndio, no valor de R$ 1,265 milhão. O veículo tem de estar em operação em até seis meses. Linhas aéreas unem a comunidade do Planalto Médio a Porto Alegre, São Paulo, Curitiba, Joaçaba e Caçador. As informações são do Governo do Estado.

Fonte: Diário de Canoas

Companhias aéreas falidas vão ter de pagar aos passageiros

Comissão Europeia deve criar lei até Julho de 2010

Os deputados no Parlamento Europeu querem que as companhias aéreas que declarem falência paguem uma indenização aos passageiros.

Para o efeito, o Parlamento dos 27 instou esta quarta-feira a Comissão Europeia a apresentar, até Julho de 2010, uma proposta legislativa.

Os eurodeputados sugerem a criação de um seguro obrigatório para as companhias de aviação e o estabelecimento de um fundo de garantia para este fim.

Esta medida surge na sequência de, nos últimos nove anos, se terem registado 77 falências de companhias aéreas na União Europeia.

Fonte: IOL Diário (Portugal)

Aeroportos europeus manterão restrições a líquidos na bagagem até 2013

De acordo com o jornal londrino The Guardian, a Comissão Européia estabeleceu novas diretrizes que prevêem que as atuais restrições de líquidos em bagagem de mão de passageiros de avião permaneçam até 2013. Após a data, os aeroportos europeus poderão retirar as limitações assim que instalarem equipamentos de inspeção de líquidos.

Já em 2011 serão permitidos o transporte de líquidos para passageiros em voos de conexão vindos de países fora da Comunidade Européia. Para isso, os recipientes deverão estar em bolsas fechadas e com recibos que expliquem sua origem, como no caso de produtos comprados no free shop.

Segundo a Comissão Europeia, dentro de três anos todos os aeroportos europeus poderão dispor de equipamentos detectores de explosivos líquidos.

Fonte: Mercado & Eventos

Governo quer aumentar passagens para pagar aviação no Norte

O governo federal quer taxar as passagens aéreas comerciais. O dinheiro resultante do aumento entre 1% e 3% nos bilhetes irá para um fundo que subsidiará as tarifas da região da Amazônia Legal. A proposta da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) e encampada pelo Ministério da Defesa é uma das estratégias para tornar viável o trânsito aéreo de aviões de pequeno porte que ligam cidades pequenas e distantes da região Norte.

“Existem cidades que ficam a 14 dias de barco de cidades maiores. Se a pessoa estiver precisando de cuidados médicos, por exemplo, morrerá antes do atendimento”, afirma o subsecretário de Desenvolvimento Sustentável da SAE, Alberto Carlos Lourenço Pereira.

“Existem práticas assim na rede de telefonia e no setor elétrico para garantir que pessoas que moram em locais distantes também tenham acesso a serviços básicos sem que custem um absurdo”, argumenta, ao lembrar que a população que habita o interior da Amazônia é muito pobre. Pereira destaca que apenas as companhias de pequeno porte teriam acesso ao fundo.

Além do aumento nas passagens de rotas regulares no restante do país, o governo redigiu uma lista de medidas para subsidiar o transporte na Amazônia. Fazem parte dela a redução do ICMS, o imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços, e do COFINS, Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, na compra do combustível pelas empresas.

A estratégia foi traçada pelo governo após a reivindicação do governador do Amazonas, Eduardo Braga. De acordo com ele, se nada for feito imediatamente, a aviação na região desaparecerá. Vale destacar que as principais mudanças fazem parte de minuta de um projeto que deverá ser encaminhado para o Congresso Nacional.

A Agência Nacional de Aviação Civil, que substituiu o DAC, antigo Departamento de Aviação Civil, também vai ter que entrar na reformulação da aviação da região Norte. Com as medidas de segurança adotadas nos últimos anos nos aeroportos brasileiros, as cidades da Amazônia Legal estão fechando os pontos de pouso e aterrissagem. Os pequenos aeroportos não têm, por exemplo, detectores de metal e nem um caminhão de bombeiro para deixar na cabeceira da pista.

Fonte: Erika Klingl (iG)

Comissão do Senado aprova aumento de cota estrangeira em empresas aéreas

Pelo texto, capital estrangeiro poderá chegar a até 49%.

Proposta precisa ainda ser analisada pela Câmara dos Deputados.


A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nesta quarta-feira (25) um projeto permitindo o aumento da participação estrangeira no setor brasileiro de aviação. A proposta tem caráter terminativo e seguirá direto para votação na Câmara dos Deputados.

Atualmente, o capital estrangeiro está limitado a 20% do total de cada empresa. Com o projeto, este montante chegaria a 49%. O controle da empresa teria, portanto, de continuar em mãos de brasileiros.

O relator, senador Francisco Dornelles (PP-RJ), afirma que a ampliação permitirá um aporte de investimentos na área. “A simples mudança do percentual, sem revogação do limite, já assume grande importância em termos de fomento ao setor de aviação civil nacional. Assim, estamos contribuindo para estimular o ingresso de investimentos estrangeiros em um setor que tem padecido com diversas crises desde a década passada, na maioria das vezes em decorrência da descapitalização das empresas aéreas”.

O parecer de Dornelles foi ainda pela rejeição de outro projeto que visava acabar com o limite para a participação estrangeira. O relator rejeitou por entender ser importante manter as empresas de aviação sob controle nacional.

Fonte: Eduardo Bresciani (G1)

Sete são presos por trazer 300 canários da Itália escondidos em malas

Brasileiros foram flagrados no aeroporto de Cumbica na terça.

Segundo a PF, 107 aves morreram durante a viagem.



Sete pessoas foram presas na tarde de terça-feira (24) no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, por suspeita de maus tratos a animais. De acordo com a Polícia Federal, elas vinham da Itália e traziam na bagagem quase 300 canários belgas escondidos em pequenas caixas no fundo das malas.

Parte dos animais não sobreviveu – 107 morreram durante a viagem. Os sete brasileiros tinham, junto com os passaportes, um certificado de autoridades italianas atestando a saúde das aves e um questionário garantindo que os homens não transportavam animais.

Para fugir da fiscalização, os passarinhos foram colocados em pequenas caixas de papelão e escondidos nas malas. Depois de 10 horas de voo, as aves que sobreviveram ficaram frágeis e estressadas. Como não havia gaiolas, a PF colocou os animais em caixas de papelão um pouco maiores.

“Eles vão ser entregues para uma entidade indicada pelo Ibama, e vão ficar em quarentena para saber se têm riscos de contágio para outros animais. Depois a destinação será decidida pela Justiça”, explicou o delegado Mario Menin Jr.

Segundo o delegado, os presos disseram que trouxeram os canários para criar e não vender. A polícia vai investigar o caso. “Pela quantidade de animais, vamos investigar o verdadeiro destino deles”, disse.

Fonte: G1 (com informações do Bom Dia São Paulo)

Inaugurado o Aeroporto de São Miguel do Araguaia (GO)

O governador Alcides Rodrigues inaugurou às 8h30 de hoje o balizamento noturno e o terminal aeroportuário do Aeródromo de São Miguel do Araguaia, em Goiás.

As obras receberam investimento de R$ 786,4 mil, trazendo mais conforto aos usuários e possibilitando o funcionamento do local 24 horas por dia. O balizamento estava paralisado desde 2005, mas as obras foram retomadas em dezembro do ano passado e concluídas este mês. Somente no balizamento o Governo investiu R$ 545,33 mil.

Fonte: Goiás Agora

Aeroporto Pinto Martins no Ceará terá investimento de R$ 332 milhões

Até agora, a Infraero já gastou R$ 65 milhões com obras de reforma para Copa

“Fortaleza será a porta de entrada do povo europeu no país durante o evento e estamos apostando nisso”. Essas palavras são do secretário de Esporte do estado do Ceará, Feruccio Feitosa, que credita o maior trunfo de Fortaleza como sede da Copa 2014 a proximidade com a Europa, Estados Unidos e África.

Sabendo disso, o superintendente da Infraero do Ceará, Sérgio Baltore, acelera o processo de transformações e ampliações necessárias para elevar o padrão do aeroporto Pinto Martins. Para tal, a Infraero já gastou R$ 65 milhões com obras da nova torre de controle e do novo terminal de cargas no período entre 2008 e 2009.

As próximas ações representam um custo de mais R$ 267 milhões para a Infraero (um total de R$ 332 milhões). A começar pela contratação dos projetos básico e executivo, no valor de R$ 12 milhões; o recapeamento total da pista de pouso e decolagem que custará R$ 6 milhões; a interligação dos pátios de aeronaves (R$ 39 milhões); a ampliação do estacionamento de veículos, na ordem de R$ 53 milhões; e o mais importante, a reforma e a ampliação do terminal de passageiro 1, que custará R$ 157 milhões, que fará com que a capacidade suba de 3 para 5 milhões de passageiros por ano.

“A reforma começará em maio de 2011 e assim, o terminal de passageiro 1 será suficiente para absorver a demanda projetada até 2014. Além disso, será construído outro terminal de passageiros que ficará pronto em 35% de sua totalidade em 2013”, disse Sérgio Baltore.

O terminal de passageiros 2, quando finalizado, vai possuir capacidade para 8 milhões de passageiros por ano e será construído ao lado do terminal 1. Para Baltore, não poderia ser diferente. “A localização do aeroporto é privilegiada, pois é próximo do centro, das praias e do estádio do Castelão, e a tecnologia do aeroporto possui vários sistemas automatizados como controle de acesso e pontes de embarque”.

Fonte: Carlosergipe (copa2014.org.br) - Fonte: Divulgação

98,2 milhões de euros para desenvolvimento dos transportes aéreos nos Açores

O Plano Regional Anual para 2010 destina 98,2 milhões de euros ao programa de desenvolvimento dos transportes aéreos nos Açores.

Desse montante, mais de 98 por cento das verbas têm como destino o financiamento dos projectos de infra-estruturas e equipamentos aeroportuários (73,8 ME) e de serviço público de transporte aéreo inter-ilhas (23 ME), através do pagamento das obrigações resultantes do contrato que teve início em Outubro último, por um período de 5 anos.

Em 2010, o Governo dos Açores prevê investir 50 milhões de euros na frota da transportadora aérea regional, distribuídos pela aquisição das novas aeronaves Dash 200 e Dash 400 (38 ME) e renovação e substituição de equipamentos (12 ME).

Quanto às infra-estruturas, o maior investimento acontecerá em S. Jorge, destinando o plano para o próximo ano 14 milhões de euros à empreitada de ampliação e alargamento da pista do aeródromo daquela ilha.

Também a aerogare civil das Lajes (2,9 ME) e os aeródromos do Pico (2,1 ME), Corvo (924.455 euros), Graciosa (919.549 euros) e Flores (515.331 euros) possuem obras incluídas no plano de investimentos para 2010.

No documento há ainda uma dotação de 1,2 milhões de euros para renovação das infra-estruturas dos sistemas de informação, 750.000 euros para a modernização dos equipamentos de apoio às assistências de aeronaves nas escalas e 100.000 euros para financiamento do projecto de execução da ampliação da pista do aeroporto da Horta.

Fonte: Açores.net

Câmara pede a Jobim a lista de passageiros do voo de Lulinha

Filho do presidente Lula e 15 amigos pegaram carona em avião da FAB.

Deputados aprovaram pedido solicitando os nomes dos acompanhantes.

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara aprovou nesta quarta-feira (25) um requerimento de informação ao Ministério da Defesa para ter acesso à lista com os nomes de 15 amigos do empresário Fábio Luís Lula da Silva, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pegaram carona em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em 9 de outubro.

O requerimento foi apresentado pelo deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP). O Ministério da Defesa tem prazo de 30 dias, a partir do recebimento da solicitação, para fornecer as informações.

Reportagem publicada pelo jornal "Folha de S. Paulo" na terça-feira (24) revelou que Lulinha, como é conhecido, viajou com seus acompanhantes ao lado do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, na aeronave oficial conhecida como "Sucatinha", um Boeing 737. Os deputados querem que o ministro da Defesa, Nelson Jobim, apresente a relação dos passageiros que pegaram carona no avião que já serviu ao presidente da República.

Ao jornal, a Presidência da República disse que os passageiros eram convidados de Lula e que "é normal" oferecer transporte pelas aeronaves que servem a Presidência. Apesar de a aeronave ter retornado a São Paulo quando quase pousava em Brasília, o governo nega ter havido mudança de itinerário. A lista de passageiros não foi divulgada porque se trata de convidados do presidente e é "reservada". Segundo a assessoria, há recomendação do próprio Lula para que sejam aproveitados voos em deslocamento ou que estejam transportando autoridades do governo como forma de fazer economia.

A aeronave, ocupada por militares, estava prestes a pousar em Brasília quando teve de retornar a São Paulo para buscar Meirelles - que solicitou o Boeing -, um assessor dele, Lulinha e convidados. Segundo o jornal, Meirelles disse que só no embarque soube que Lulinha e mais 15 pessoas viajariam com ele.

A reportagem afirma que o Sucatinha, que havia iniciado a viagem em Gavião Peixoto (SP), pousou em Guarulhos às 19h e foi reabastecido. Uma nova ordem ao comandante informou que os passageiros embarcariam no aeroporto de Congonhas. Para ficar mais leve e novamente obter condições de pouso, o avião precisou gastar 3.000 kg de querosene sobrevoando São Paulo até descer em Congonhas, às 21h30, diz o jornal. A nova decolagem só ocorreu às 23h e a chegada a Brasília, uma hora e 40 minutos depois, mostra a reportagem.

Procurada pela reportagem, a assessoria da produtora Gamecorp, da qual Lulinha é sócio, disse que ele não foi localizado. A FAB não quis se manifestar sobre os gastos com o Sucatinha. Em Porto Alegre, o ministro Nelson Jobim (Defesa) disse que não há ilegalidade na carona dada ao filho de Lula, diz o jornal.

Fonte: Robson Bonin (G1)

Avião movido a energia solar realiza primeiros testes

Primeiro avião pilotado movido a energia solar do mundo, o Solar Impulse, realizou na semana passada uma sessão de testes na Suíça. O projeto, liderado pelo psiquiatra e piloto Bertrand Piccard, conhecido por ter realizado a primeira viagem de balão de volta ao mundo em 1999, tem como objetivo conseguir realizar em 2012 uma volta completa ao redor do globo apenas com a energia do sol.

O avião, que possui quatro motores movidos a energia solar, realizou na semana passada as primeiras manobras de velocidade na pista. Também foram testados alguns equipamentos, como o trem do pouso. O próximo passo, após o sucesso desta etapa, será a tentativa de decolagem da aeronave para alguns "saltos breves", segundo comunicado da equipe responsável.

O Solar Impulse, segundo o site Inhabitat, não é o primeiro avião movido a energia solar. O Odysseus, uma aeronave de vigilância autônoma movida a energia solar que está em desenvolvimento nos Estados Unidos, pretende pode voar por cinco anos consecutivos apenas com seus painéis solares.

O site Engadget noticiou os primeiros testes da aeronave, descrita como tendo "a envergadura de um Airbus e o peso de um automóvel", como não "muito convincentes" em relação aos objetivos do projeto.

O Solar Impulse está em desenvolvimento em duas sedes na Suíça, em Dübendorf e Lausanne, e envolve uma equipe formada por mais de 50 especialistas de seis países, além de mais de 100 consultores externos, que trabalham no desenvolvimento do protótipo. Diversas instituições e empresas apoiam a iniciativa. Informações completas sobre o projeto estão no site www.solarimpulse.com.

Fonte: Terra - Fotos: Divulgação

Misteriosa onda de entupimento de privadas atinge aviões de empresa aérea

Em um incidente, voo da Cathay Pacific teve de fazer pouso inesperado por causa do problema.

Vários voos da companhia aérea Cathay Pacific, de Hong Kong, realizados por aviões Airbus, estão sendo atingidos por uma misteriosa onda de entupimentos das privadas das aeronaves.

No mais recente incidente, no dia 17 de novembro, um Airbus da empresa que ia de Riad, na Arábia Saudita, a Hong Kong, teve de fazer um pouso não programado em Mumbai, na Índia. O motivo: uma pane nos banheiros do avião. Os dez banheiros a bordo quebraram, deixando os passageiros numa situação constrangedora. Os lavatórios foram todos bloqueados e os 278 passageiros só puderam se aliviar ao chegar em terra firme.

Não houve problemas com a aterrissagem, mas o problema causou um atraso de 18 horas em um voo que deveria ter durado oito horas.

Em outras duas ocasiões, com dias de diferença, a companhia teve de cortar o número de passageiros a bordo de voos intercontinentais ao constatar o entupimento em todas as privadas de um mesmo lado dos aviões.

Culpa dos passageiros

Representantes da Cathay Pacific e da Airbus disseram, na noite de terça-feira, que ainda não sabem o que está causando a onda de entupimentos, que atinge principalmente o lado direito das aeronaves.

Mas, segundo o jornal South China Morning Post, uma assessora da companhia aérea chegou a sugerir que os próprios passageiros são parcialmente culpados pelo problema.

"Vocês ficariam surpresos em ver tudo o que encontramos nos canos quando limpamos o sistema: toalhas de rosto, vidros de remédio, meias e até bichinhos de pelúcia", afirmou ela.

Ainda de acordo com o jornal de Hong Kong, um memorando interno escrito pelo diretor de operações de voo da Cathay Pacific, Nick Rhodes, levantava a possibilidade de os entupimentos terem sido causados por uma mudança no procedimento de limpeza da empresa introduzido há seis meses.

A companhia anunciou ainda que seus engenheiros já estão instalando novos canos e fazendo uma "limpeza profunda" dos banheiros de toda sua frota, além de ter consultado a Airbus sobre o problema.

Segundo o jornal, os Airbus A330 e A340 geralmente possuem dez banheiros, e a Cathay Pacific estabelece a proporção mínima de um sanitário para cada 80 passageiros na classe econômica.

Fontes: BBC Brasil via Estadão / Época Negócios Online - Foto: AFP

Avião não voltou para buscar filho de Lula, diz Planalto

A assessoria da Presidência da República negou na terça-feira que um dos aviões que servem ao governo federal, o Boeing 737, prefixo 2116, conhecido por Sucatinha, tenha retornado de Brasília a Guarulhos dez minutos antes do horário programado para o pouso e ido mais tarde a Congonhas apenas para apanhar Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha - filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - e mais 15 amigos, no dia 9 de outubro.

De acordo com o governo, o avião deixou de descer em Brasília por conta de um programa de treinamento de militares da Aeronáutica e depois foi orientado a fazer escala - uma "perna", na linguagem dos pilotos - em Congonhas para evitar que outra aeronave fosse deslocada da capital da República para apanhar o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

O presidente Lula não quis dar declarações sobre reportagem publicada terça-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. Baseado em informações de fonte mantida no anonimato, o jornal afirma que, faltando dez minutos para aterrissar em Brasília, o comandante do Sucatinha teria recebido ordem de retornar a São Paulo para apanhar Meirelles, Lulinha e seus amigos.

Ainda segundo o jornal, o avião desceu em Guarulhos e logo depois recebeu uma nova orientação, para embarcar os passageiros em Congonhas. A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto garante que as 15 pessoas eram "convidados" do presidente Lula, mas se negou a revelar nomes e o motivo da viagem realizada naquela sexta-feira, véspera do fim de semana prolongado, encerrado com as comemorações do Dia de Nossa Senhora Aparecida e do Dia das Crianças, no 12 de outubro.

O Sucatinha é usado normalmente pelo vice-presidente, José Alencar e pelos presidentes do Congresso, Câmara e da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). Faz parte da frota que a Força Aérea Brasileira (FAB) coloca à disposição do gabinete do presidente da República para deslocamentos em território nacional e no exterior. Segundo a assessoria do Planalto, em qualquer governo é comum a utilização dos aviões para transportar a Brasília familiares, empresários ou qualquer cidadão que se enquadre como convidado do Planalto, seja para participar de atos oficiais do governo ou para o lazer do presidente.

O governo considera a decisão uma prerrogativa necessária ao exercício do cargo. Especialistas estimam que um avião como o 737 gasta em combustível, em média, R$ 10,00 por quilômetro. Uma viagem de ida e volta de Brasília a São Paulo custaria cerca de R$ 20 mil. O governo garante, no entanto, que os "convidados" do presidente não representam qualquer despesa ao erário, uma vez que eles aproveitam a "carona" nos aviões da FAB.

A recomendação de Lula, segundo a assessoria, é que "os convidados" sempre aproveitem a carona de um avião que se desloca de Brasília para apanhar um ministro ou o próprio presidente. Essas viagens são regulamentadas pelo decreto 4244, de 2002, no qual não há qualquer referência aos convidados do presidente. A decisão, nesse caso, é do gabinete de Lula.

Fonte: JB Online via Terra

Seleção masculina leva susto após pane em voo e é obrigada a voltar para Paris

Apenas parte da delegação desembarcou em Guarulhos nesta quarta-feira

A seleção masculina de vôlei terá de adiar por mais um dia a comemoração com seus familiares da conquista do tricampeonato da Copa dos Campeões. A maior parte dos jogadores levou um susto na manhã desta quarta-feira, após uma pane durante o voo que obrigou o retorno do avião para Paris. Apenas cinco atletas, todos do Florianópolis, vinham em outro voo e conseguiram desembarcar em Guarulhos.

- Meu pai (técnico Bernardinho) me mandou uma mensagem avisando que o avião teve de voltar depois de duas horas de voo. Parece que tiveram um problema de navegação. Mas até que é bom para eles curtirem mais um dia em Paris – disse o levantador Bruninho.

Funcionários da Air France em Guarulhos confirmaram que houve uma pane durante o voo AF 454 e o avião teve de retornar a Paris. Segundo Bruninho, alguns jogadores conseguiram lugar em um voo ainda para esta quarta-feira. O restante, no entanto, terá de esperar até a manhã de quinta-feira para retornarem ao Brasil.

O primeiro grupo, formado pelo levantador Bruno, os meios-de-rede Éder e Lucas, o ponteiro Thiago Alves e o líbero Mário Jr., todos do Florianópolis, desembarcou em São Paulo por volta na manhã desta quarta, como era previsto.

Fonte: Fernando Poffo (Globoesporte.com)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Tarifa de voo fica igual, apesar da demanda maior

No mercado de transporte aéreo, o consultor de Aviação da empresa Bain & Company, André Castellini, observa que a volta dos passageiros às companhias aéreas, sejam eles voltados a turismo ou negócios, não significou uma melhora nas tarifas na mesma proporção. Somente agora é que a perspectiva de recomposição dos preços das passagens começou a ocorrer.

Dados da Associação Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que o preço médio das passagens aéreas em outubro subiu 16,6% nos voos nacionais, na comparação com setembro. O valor médio ficou em R$ 312,20 em outubro, contra os R$ 267,75 verificados no mês anterior.

Além da política agressiva de preços, Castellini diz que dificulta a recuperação das receitas o excesso de oferta. Com a procura maior por voos, a indústria de aviação elevou a oferta de assentos em 18% entre os terceiros trimestres de 2008 e 2009. A taxa de ocupação do mercado subiu 3,9 pontos porcentuais, para 67,4% no terceiro trimestre de 2009.

Fonte: DCI

Rota Bauru-Congonhas vive incerteza

Com a possibilidade da Pantanal ser leiloada, usuários estão preocupados com manutenção do serviço na cidade

Aeroporto Moussa Tobias (Bauru-Arealva)

Considerada uma das mais rentáveis do País, a rota Bauru-Congonhas vive momentos de incerteza, diante da possibilidade de a Pantanal ser liqüidada pela Justiça. Com cerca de 60 processos e dívidas superiores a R$ 50 milhões - sendo aproximadamente R$ 40 milhões com o fisco e outros R$ 15,2 milhões com credores diversos, entre eles a TAM e a Infraero - a empresa se encontra em processo de recuperação judicial desde o começo do ano.

A Pantanal deverá ir a leilão, às 9h do próximo dia 10 de dezembro, para liqüidação de suas dívidas. A alienação judicial da empresa foi determinada pelo juiz Caio Marcelo Mendes de Oliveira, da 2.ª Vara de falências e Recuperações Judiciais de São Paulo.

A reportagem tentou entrar em contato, via telefone, com Sérgio Müller e Associados, escritório que representa a companhia aérea em seu projeto de recuperação judicial, mas não obteve retorno, até o fechamento desta edição.

Em março do ano passado, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu não renovar a concessão da Pantanal, devido a atraso nos salários de seus funcionários e não-pagamento de direitos trabalhistas. A empresa segue operando graças a liminares concedidas pela Justiça.

Esse fato, por assim dizer, acelerou o processo de bancarrota da empresa, detentora de umas das linhas mais rentáveis da aviação civil brasileira. Segundo a Anac, o índice Yeld (valor que corresponde, em Reais, a quanto o passageiro paga por quilômetro voado) da rota Bauru-Congonhas (ida e volta) é de R$ 0,85, superior a Congonhas-Londrina (0,82), Galeão-Confins (0,79) e Congonhas-Ribeirão (0,77). O dados são referentes ao ano passado.

Embora rentável, a rota Bauru-Congonhas está longe de ser responsável por toda a comoção em torno do “Caso Pantanal”. Na verdade, o mercado aéreo está de olho nos “slots” (termo em inglês, usado para designar os espaços e horários para pouso e decolagem) que a empresa detém no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, um dos mais movimentados do País.

Embora detivesse apenas 0,2% do mercado nacional, a Pantanal chegou a ser quarta companhia brasileira em número de slots em Congonhas, atrás apenas da TAM, da Gol e da Varig. No final de julho, a 2.ª Vara de falências e Recuperações Judiciais de São Paulo chegou a congelar os slots da empresa (61, no total), até que seu plano de recuperação tivesse um desfecho.

A advogada da Associação Comercial e Industrial de Bauru (Acib), Livette Nunes de Carvalho acredita que as discussões estão muito centradas em torno dos slots. Dessa forma, a população de Bauru, que depende da companhia para se deslocar até Congonhas, acaba ficando em segundo plano.

“Está todo mundo de olho nos slots da Pantanal. O mercado está preocupado com o poder econômico e está se esquecendo do povo bauruense, que depende desse serviço essencial”, diz ela.

Atualmente, a cidade conta com outra companhia em operação, a Passaredo, que mantém vôos regulares até o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Ainda assim, a rota Bauru-Cumbica é considerada essencial para a cidade, já que é muito utilizada para o turismo de negócios.

A Acib protocolizou ação civil pública na 3.ª Vara da Justiça Federal de Bauru, visando “compelir a Agência Nacional de Aviação Civil a não romper com a continuidade na prestação de serviços de transporte aéreo nos aeroportos Moussa Tobias (Bauru - Arealva) e/ou Aeroclube de Bauru (sic)”.

Na ação, a entidade alega que a manutenção da rota aérea com a Capital é essencial não só para a cidade, mas também para região, uma vez que Bauru é um importante centro de serviços, negócios, educação e saúde no Interior do Estado. “Imagine quantos pacientes do Hospital Amaral Carvalho, em Jaú, não seriam prejudicados com a desativação da linha”, pondera Carvalho. Ela defende que a população da cidade e da região lute para evitar que a rota Bauru-Congonhas deixe de operar.

Operação por instrumento

Existe uma possibilidade de a linha continuar funcionando, mas, para isso, seria preciso que o Aeroporto Moussa Tobias passasse a funcionar por instrumentos. Em março deste ano, a Gol manifestou o interesse em operar vôos regulares para Bauru.

Porém, como suas aeronaves são da família Boeing 737 (com capacidade mínima para 144 passageiros), seria preciso que o aeroporto contasse com instrumentos para auxílio à navegação. Os equipamentos foram comprados e instalados no começo do ano, graças ao investimento de R$ 687 mil feito pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp).

Os instrumentos precisam ser homologados pelo Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta II), antes de entrarem em funcionamento. O secretário municipal do desenvolvimento, Antônio Mondelli Júnior, afirma que, se o equipamento ainda não recebeu aval para ser usado, não foi por falta de vontade política da administração de Bauru.

“Esforço de nossa parte está havendo. O problema é que o processo de homologação é lento demais”, lamenta Mondelli Júnior. No começo do ano, a Gol chegou a selecionar candidatos para trabalhar em sua base de operações em Bauru.

Mas, como a autorização para atuar na cidade demorasse a sair, a empresa preferiu suspender as contratações por tempo indeterminado. Em nota enviada à reportagem, a companhia reafirmou a intenção de ter Bauru entre os destinos servidos por sua malha aérea, mas aguarda o parecer das autoridades para o início das operações.

Fonte: Rodrigo Ferrari (Jornal da Cidade) - Foto: newscomex.com

Trem de Alta Velocidade será opção para mais de 7 mi de passageiros/ano no trecho

Em 2008, 7,3 milhões de pessoas fizeram viagens entre Rio de Janeiro e São Paulo – 4,4 milhões em transporte aéreo –, de acordo com estudo realizado para o planejamento do Trem de Alta Velocidade (Relatório Halcrow/Sinergia).

O sistema brasileiro de TAV pode aliviar a demanda na ponte aérea entre as duas metrópoles, na qual o número anual de passageiros dobrou em uma década – de cerca de 2 milhões, em 1997, para 4 milhões em 2007, segundo números da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). O TAV também será alternativa à já saturada ligação rodoviária São Paulo-Rio, seja pela via Dutra ou pela Rio-Santos.

A obra, orçada em R$ 35 bilhões, além de revolucionária para o transporte de passageiros, promete um novo ciclo de desenvolvimento para a indústria e para as cidades incluídas no trajeto entre o aeroporto de Viracopos (Campinas) e o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Além de São Paulo, Guarulhos terá uma das estações mais importantes, colada ao aeroporto de Cumbica. A cidade, a 17 km de São Paulo, também será beneficiada por duas outras grandes obras ferroviárias estaduais – o Expresso Aeroporto (ligação rápida com a capital) e o Trem de Guarulhos (para o transporte rotineiro de passageiros).

As perspectivas econômicas e os benefícios sociais dessas obras, além do leque de oportunidades para as empresas, serão tema do Seminário Internacional “Brasil nos Trilhos: o Trem de Alta Velocidade (TAV), o Expresso Aeroporto e o Trem de Guarulhos abrem novas perspectivas de desenvolvimento”, em 7 de dezembro, em Guarulhos.

O encontro será inaugurado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e pelo prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida. Entre os técnicos que participarão das mesas estarão representantes do Escritório Foster de Arquitetura, de Londres, responsável por diversos projetos de trens de alta velocidade, o Superintendente Executivo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Dr. Hélio Mauro França, assim como os professores Raquel Rolnik (FAU/USP) e Jaime Waisman (POLI/USP)

As inscrições são gratuitas (www.brasilnostrilhos.com.br). A programação completa do Seminário está disponível no site do evento.

Fonte: Aviação Brasil - Mapa do TAV: morumbi2014.files.wordpress.com

Nepal Airlines assina memorando para aquisição de Airbus A320 e A330

A Nepal Airlines Corporation (NAC), companhia aérea nacional do Nepal, está modernizando sua frota internacional com uma A330-200 de corpo largo e uma A320 de corredor único. As novas aeronaves farão voos internacionais para o Japão e darão início a uma inédita conexão de voos diretos entre o Nepal e a Europa. O memorando de entendimento (Memorandum of Understanding) foi formalizado durante a Dubai Airshow.

A A330-200, configurada em duas classes de passageiros, voará as rotas da Europa e Norte da Ásia e também ajudará no desenvolvimento da indústria de turismo do Nepal, especialmente durante a época da campanha “Visite o Nepal 2011”, que visa atrair turistas estrangeiros.

“O Nepal é muito conhecido por oferecer uma vasta gama de atividades de lazer, cultura e ao ar livre. Temos visto um tremendo crescimento no turismo nos últimos anos e queremos aproveitar as características exclusivas de desempenho e autonomia de voo da A330 para oferecer serviços diretos para os nossos mercados distantes mais importantes, e a eficiência do A320 para desenvolver novos mercados”, disse Sugat Ratna Kansakar, Presidente Executivo da Nepal Airlines. As A320 com duas classes de passageiros serão designados às rotas regionais e operarão na região do Oriente Médio e também do Sudeste da Ásia.

“As aeronaves A330 e A320 abrirão as portas do Nepal para o mundo. Além de ser um meio de sobrevivência, a aviação é um importante fator econômico para a prosperidade de um país incrustado no meio das montanhas como o Nepal. Esses modelos são os mais apropriados e mais eco-eficientes para cumprir essa tarefa e estamos muito felizes por embarcar nessa nova parceria.”, disse Johns Leahy, COO da Divisão de Clientes da Airbus.

A Nepal Airlines Corporation foi incorporada em primeiro de julho de 1958, com a promulgação do Ato 2019 da Nepal Airlines Corporation. A empresa atualmente atende 10 destinos internacionais e 30 rotas domésticas no coração da cordilheira do Himalaia.

Fonte: Aviação Brasil

Sete consórcios vão disputar licitação do 3o. Terminal de Guarulhos

Publicado nesta terça (24), o resultado da habilitação da Concorrência Internacional para os projetos de construção do terceiro terminal de passageiros do Aeroporto de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro (SP). Sete concorrentes vão disputar a licitação que tem referência de R$ 38 milhões.

Os consórcios selecionados são: Concremat/ATP/MHA Engenharia; Engevix/Planway; ESA/INECO; Geplan/Estel/Esteio e Ricardo Amaral Arquitetos; PJJ Malucelli Arquitetura e Construção Ltda/Andrade e Rezende Engenharia de Projetos S.S. Ltda e Gabinete de Projetação Eletrônica Ltda; Pöyry/C2E; e Themag Engenharia e Gerenciamento Ltda.

A licitação internacional contempla serviços e estudos preliminares, projeto básico, projeto executivo e serviços complementares também para o edifício garagem, sistema viário de acesso, pátio de estacionamento de aeronaves, implantação da rede de queroduto e demais obras. A previsão de elaboração dos estudos é de 23 meses, a partir do contrato, previsto para ser assinado em trinta dias úteis.

A nova licitação foi aberta depois que o projeto sofreu adequações, como a necessidade do aumento da área do novo terminal, que era de 160 mil m2 e vai para 232 mil m2.

A licitação internacional permite que as melhores empresas do mundo especializadas em obras aeroportuárias participem da concorrência. A diferença é que na licitação nacional as empresas estrangeiras só podem concorrer se estiverem consorciadas com construtoras brasileiras. O processo licitatório internacional foi divulgado junto a consulados e sua validação de atestado técnico segue padrões mundiais de concorrência.

Fonte: Brasilturis - Imagem: Divulgação

Lufthansa divulga resultados e anuncia expansão da parceria com a TAM

A Lufthansa anunciou na manhã desta terça-feira (24/11) seu balanço de resultados, perspectivas do mercado e suas novidades para 2010. O evento contou com a presença do vice-presidente para as Américas, Jens Bischof, e a nova diretora da companhia para o Brasil, Albena Janssen.

De acordo com Bischof, apesar deste ano ter sido difícil para a aviação a Lufthansa conseguiu atingir sucesso em relação aos concorrentes. "Este foi um ano difícil mas que conseguimos obter mais sucesso que nossos concorrentes. Somos uma empresa financeiramente forte o que nos permitiu continuar a investir em frota, serviços e segurança para nossos passageiros", disse.

Segundo o VP, nos primeiros nove meses do ano a companhia registrou lucro de cerca de 26 milhões de euros e parte desse resultado foi influenciado pela participação do mercado brasileiro e latino-americano. "A cada dia temos mais confiança no Brasil. O futuro está aqui e eu não falo só do petróleo. O país está muito atraente para os investidores e empresários internacionais", declarou.

O executivo também comentou que estudos estão em desenvolvimento para a introdução de novos destinos e novos voos, que deverão estar concentrados nas rotas para a Ásia e América do Norte. Em relação a frota, a Lufthansa encomendou um total de 15 aeronaves A380 para entrega até 2015. Além de outras ordens de compra que somam US$ 20 milhões de investimentos.

No Brasil, a partir de 2010 a cooperação com a Tam será cada vez maior. "Com a entrada da empresa brasileira para a Star Alliance esteremos alinhando mais serviços para nossos passageiros. Já temos alguns destinos que são de nosso interesse e também dos clientes, mas isso só em 2010 será possível dizer", revelou. Outra novidade anunciada para 2010 é introdução do Flynet, a internet a bordo da companhia. Todo passageiro com dispositivo wifi ou compatível com GSM/GPRS poderão acessar a rede de qualquer ponto da cabine do avião.

Finalizando o evento, o VP da Lufthansa apresentou a nova diretora da companhia para o Brasil, Albena Jansenn, que assumiu o cargo em outubro no lugar de Markus Altenbach. Albena ficará também, temporariamente, no lugar de Peter Fellinger, diretor-geral para América Latina e Caribe, que deixa a empresa a partir de dezembro. O nome do diretor que irá substituí-lo será anunciado em breve.

Fonte: Lisia Minelli (Mercado & Eventos)

Sorriso (MT) precisa de R$ 3,8 milhões para obras no aeroporto e faz mudanças

O prefeito Chicão Bedin e o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Claudio Zancanaro, estiveram ontem no aeroporto, que está sendo construído, às margens da BR-163 e anunciaram a retomada da obra, após a justiça federal resolver o litígio.

Agora, o desafio é concluir a obra. Falta terminar a pista, o terminal de embarque e desembarque e a maior dificuldade é a garantia de recursos. "O governo do Estado tem um compromisso de providenciar mais R$ 1 milhão para a pista, mas nós estimamos que serão necessários R$ 3,8 milhões para concluí-la a partir das condições que se encontram", disse Zancanaro. Não foi informado o valor total para terminar, também, o terminal de passageiros.

O prefeito reafirmou o compromisso de concluir o aeroporto, mas explicou que, com a capa asfáltica existente, será possível pousar somente aviões de pequeno porte, como o ATR-42 (com capacidade para 40 passageiros). "Temos que pensar numa aviação regional com aeronaves de pequeno porte, porque para termos grandes aeronaves ou um ponto de rota de aviação de comercial, precisaríamos de um processo maior, uma capa asfáltica com mais 6 centímetros. Isto sem falar na demanda por passageiros, que hoje não é satisfatória. Por isso vamos construir um aeroporto regional, sim, mas de acordo com a nossa realidade", explicou o prefeito. Não foi previsto prazo para as obras serem concluídas.

A prefeitura começa a fazer ajustes e mudanças no projeto. A primeira é com a questão ambiental pois há árvores próximas à cabeceira da pista que atingem cerca de 20 metros. "O projeto que está protocolado na ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) não corresponde ao que esta sendo executado aqui. Precisamos derrubar estas árvores ou, caso contrário, teremos que eliminar pelo menos 500 metros de pista para nos adequar a legislação que diz que para cada metro que aeronave abaixe ela tem que andar 25 metros", detalhou.

Para não perder o que já foi investido na pista, o secretário disse que tentará negociar a aquisição da área anexa com o proprietário e buscará a liberação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente para derrubar essas árvores. "Sem derrubar as árvores, não dá para prosseguir as obras. Por isso, vamos nos certificar na SEMA se isso é viável e depois procuraremos o proprietário para fazer a possível aquisição dessa área ou a cessão", explica.

Depois de resolvida a questão das árvores um outro problema a ser resolvido será a localização do aterro sanitário. "A ANAC já se posicionou com relação ao aterro e já é certo que lá onde ele está não poderá ficar", disse Zancanaro, através da assessoria.

Fonte: Só Notícias - Foto: camarasorriso.mt.gov.br

Pronto-Socorro de BH ganha heliponto

Helicópteros do Corpo de Bombeiros terão acesso facilitado ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII

Minuto de ouro. Essa expressão, usada internacionalmente por unidades de socorro, define que o tempo tem que ser o menor possível para resgatar e levar a vítima a um ponto de atendimento. Significa, igualmente, que cada minuto, neste processo, vale ouro; quanto menor o tempo de socorro, maior a chance de vida do paciente. E é exatamente este ganho de velocidade no atendimento que o Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte vai obter com a inauguração do heliponto no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), previsto para o primeiro semestre do ano que vem, de acordo com a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop).

Atualmente, os helicópteros de salvamento da corporação que resgatam feridos e acidentados pousam no heliponto do Departamento de Transportes da Polícia Civil, no Bairro Santa Efigênia. De lá, o paciente segue de ambulância, por um trajeto de 2,1 quilômetros, passando pelas ruas Tenente Anastácio Moura, Niquelina, Domingos Vieira, Ceará e chegam na Avenida Alfredo Balena, onde fica o João XXIII, considerado referência para atendimento emergencial em Minas Gerais. A velocidade desse percurso depende, logicamente, do fluxo de trânsito, o que pode acarretar a perda de minutos essenciais.

Além disso, de acordo com subcomandante do Batalhão de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros, capitão Fábio Dias, o pouso no Departamento de Transporte da Polícia Civil “é bem restrito e complicado”, em função, entre outras coisas, do lugar onde está situado. Na opinião do oficial, a inauguração do heliponto no HPS seria um enorme ganho para a vítima socorrida, além de dispensar o transporte por terra. Mesma opinião do subchefe do Estado Maior da Corporação, tenenete-coronel Aurélio Sávio: “Chegar diretamente na unidade hospitalar representa muito”.

A Secretaria de Transporte e Obras Públicas informou que o projeto arquitetônico do heliponto (uma das obras da reforma que está sendo feita no HPS) ficou pronto semana passada e será enviado nos próximos dias para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para homologação. “Uma vez aprovado pela Anac, o prazo de conclusão das obras é de quatro meses”, afirmou a assessoria da Setop.

O Batalhão de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros, situado no aeroporto da Pampulha, conta com um efetivo de 32 militares, sendo 10 pilotos. Possui um avião monomotor Cessna 210 Centurion e dois helicópteros franceses AS 350 B2 Esquilo. Com os nomes Arcanjo 01 e 03, são considerados as joias da corporação. “Temos os dois melhores helicópteros de salvamento do Brasil. O B2 é o melhor helicóptero de força pública do mundo ”, afirma com orgulho o capitão Dias.

As duas máquinas usadas pela corporação, com valor aproximado de R$ 7 milhões cada uma, têm leitura digital de painéis, ar-condicionado e sistema de isolamento acústico. “Em um momento de estresse para o paciente, conforto também ajuda”, explica. Ele conta que mais 10 pilotos estão sendo treinados na corporação e que mais aeronaves chegarão brevemente para o Corpo de Bombeiros, mas não soube dizer exatamente quantas seriam. “Nossa demanda tem crescido e mais equipamentos são bem-vindos”, falou.

Fonte: Alfredo Durães (Estado de Minas) via Portal UAI

EUA mandam Embraer fazer "recall" de software

FAA quer uma substituição de software de controle eletrônico de motor considerado suspeito em 250 jatos

A Administração da Aviação Federal (FAA, na tradução em sigla), o órgão que regulamenta a aviação nos Estados Unidos, determinou uma substituição de um Software de Controle eletrônico de motor considerado Suspeito em mais de 250 jatos regionais da Companhia Brasileira Embraer.

Anunciada ontem, uma decisão expande uma Diretriz de Segurança de julho de 2008 que se seguiu uma incidentes ocorridos em voos. Na época, seis motores da General Electric em aviões Embraer 170 perderam propulsão passaram ou não responder um dos pilotos aos comandos.

O problema apareceu quando um GE tentava corrigir uma falha anterior nenhum software, que afetava válvulas de controle do fluxo de combustível para os motores. Os incidentes levaram um Inspeções ea diversos estudos de segurança, feitos pela GE, pela Embraer e por órgãos reguladores em todo o mundo.

Há oito meses, a GE disse que os problemas no motor do Embraer 170 não tinham voltado a aparecer desde o verão (hemisfério norte não) de 2008. A GE ea Empresa Brasileira instruíram voluntariamente como uma Companhias Aéreas instalarem um conserto permanente. Até o segundo semestre deste ano, a GE disse que mais de 80% dos aviões que foram alvo dos mandados federais e dos boletins de segurança da fabricante consertados haviam sido.

No entanto, desde então a FAA já registrou outros 20 incidentes semelhantes de perda do controle do motor que afetaram jatos da Embraer, de acordo com o documento atualizado de segurança da agência. O software de controle de motor revisado deve ser instalado dentro de 600 horas de tempo de voo após uma regra mais recente entrar em vigor, no fim de dezembro. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

Helicóptero dá susto durante pouso em Florianópolis

Helicóptero da Acadepol tem problemas durante pouso em Florianópolis

Rotor da cauda da aeronave tocou a grama e quebrou


Um incidente em uma demonstração do Curso de Tripulante Operacional assustou nesta terça-feira (24) os alunos da Academia de Polícia Civil de Santa Catarina (Acadepol), no bairro Canasvieiras, em Florianópolis. O helicóptero que sobrevoava o local teve um problema ao tentar pousar, por volta das 14h30min.

A aeronave fazia um sobrevoo de cinco minutos pela academia para 22 policiais civis, que são alunos do curso e acompanhavam em solo a demonstração.

Segundo o delegado do Serviço Aero-Tático da Polícia Civil, Jonas Santana Pereira, na hora do pouso, o rotor (eixo que sustenta as hélices) da cauda do helicóptero tocou o chão e quebrou. Apesar do susto, o piloto, co-piloto e o passageiro não ficaram feridos.

Segundo o delegado, será feita uma investigação para apurar a causa do incidente. A manutenção do helicóptero deverá ser feita em 15 dias.

Fontes: Diário Catarinense / O Globo - Foto: Felipe Pereira

Fotos tiradas pela Força Aérea britânica são divulgadas pela primeira vez

Uma foto tirada da invasão dos Aliados no Dia D (6 de Junho de 1944). Na foto, os veículos podem ser vistos no momento em que saem dos navios de desembarque

Quatro mil fotos tiradas pela força aérea britânica (RAF) durante o século XX foram divulgadas pela primeira vez no site da Coleção Nacional de Fotografia Aérea do Reino Unido. Trata-se do primeiro passa para a publicação das 10 milhões de imagens arquivadas, que mostram, ainda prisioneiros de guerra realizando trabalhos forçados, forte bombardeios, imagens da Crise do Canal Suez em 1956, entre outros.

De Berlim, em 1941, e Amsterdã em 1942, a Roma, em 1944, os internautas terão acesso às impressionantes imagens aéreas das principais cidades europeias. Locais como o Portão de Brandembrugo e o Aeroporto de Tempelhof, ambos em Berlim, além da Torre Eiffel Tower, em Paris, e o Coliseu, em Roma, são claramente visíveis nas cópias digitais das fotos tiradas durante a guerra. A coleção completa pode ser vista no site: http://aerial.rcahms.gov.uk/.

Fonte: O Globo - Foto: RAF

Uma casa em forma de avião é vista em Abuja, na Nigéria


A casa em forma de avião de Abuja, como veio a ser conhecida por seus habitantes e transeuntes espantados, surgiu a esmo ao longo dos anos como um raro triunfo do capricho arquitetônico, nesta elegante capital modernista do Oeste Africano.

Parecendo um jato de concreto constantemente em cima da casa de dois andares de Said e Jammal Liza, ele não nasceu da lógica fria de um urbanista, mas de algo mais elementar: o amor de um homem para com sua esposa e o desejo egoísta de mantê-la mais tempo em casa.

Para aqueles que assistiram a seu surgimento gradual - fuselagem, nariz, cauda, motores - o avião se tornou um símbolo da alegria estética agradável em uma cidade dominada pelo desmedido, onde existem 70 hotéis de luxo e uma crescente oferta de edifícios de concreto e torres de escritórios de vidro.

A cidade de 2,5 milhões de habitantes, foi fundada em 1976 para se tornar a nova capital de uma nação agitada, que muitas vezes parece estar à beira de se dividir ao meio, seja por razões étnicas e/ou religiosas.

Abuja tornou-se a capital oficial da Nigéria em 1991, assumindo o lugar da indiciplinada cidade portuária Lagos, e surgiu, para os nigerianos, como a cidade de todos e de ninguém.

A casa de avião cresceu de uma longa promessa matrimonial entre os Jammals, membros da comunidade libanesa na Nigéria, prósperos imigrantes que por muito tempo foram proprietários de hotéis, restaurantes e outros negócios.

Said era engenheiro civil e sua esposa Liza, uma viajante devotada. Ela pediu a seu novo marido para um dia construir uma casa para ela na forma de um avião, como um símbolo de seu hobby. No resplendor do jovem amor, ele concordou.

"Esse era o sonho de minha esposa", disse Jammal sorrindo timidamente, após dar mais uma tragada em seu cigarro preso a um suporte de plástico escuro. "Você sabe, ela gosta de viajar muito, passear muito."

O pedido não foi atendido nas primeiras duas décadas de casamento, pois as demandas de sete crianças e um negócio que crescia rapidamente, consumiram o tempo dos Jammals. Mas, em 1999, eles encontraram um pedaço de terra em um lugar ao lado da estrada principal em direção ao norte de Abuja. O bairro era bom. Lá estava localizada a casa de campo presidencial da Nigéria. Mas a razão para fechar o negócio foi a visibilidade do local. Por mais de uma milha, pedestres e motoristas que se aproximar pelo sul são capazes de ver a casa e tudo o que os Jammals colocam em cima dela.

O trabalho com o avião começou em 2002 e moveu-se lentamente, porque Said Jammal insistiu em fazer cada fase ele próprio, apesar de uma agenda de trabalho que o mantinha com frequência na estrada. E, embora o interior do avião permaneça inacabado, o exterior está quase completo.

O avião tem de cerca de 100 metros de comprimento e, no seu ponto mais alto, na parte superior da cauda, 20 metros de altura. Eventualmente, o avião terá uma envergadura de 50 pés, disse Said Jammal. Cada asa já tem dois motores montados e dentro há um quarto inacabado e um pequeno banheiro.

Dentro da fuselagem branca, Said Jammal tem planos para construir uma cozinha e um closed e, no cockpit, com vista para a cidade, uma sala de informática.

Os Jammals também construiram uma edificação em forma de uma torre de controle onde pretendem adicionar uma casa de hóspedes. Em outra parte do terreno, em uma colina próxima, eles estão contemplando a construção de outra casa, desta vez na forma de um iate.

Apesar de inacabada, a casa de avião atrai um fluxo constante de visitantes inesperados que batem à porta dos Jammals várias vezes por mês. A extravagância da propriedade, entretanto, tem provocado algumas queixas em uma cidade onde a maioria das casas são pequenas.

Os Jammals dizem ter recebido contatos de uma companhia aérea interessada em transformar o avião em um outdoor alado gigante. Por um bom preço eles estariam dispostos a vender.

Afinal, apesar da atenção que tem gerado, a casa de avião falhou em uma das suas missões. Jammal revelou que, quando ele decidiu ir adiante com o projeto, ele tinha um motivo secreto para "cortar as asas de sua esposa": "Deixe-me construir um avião para que eu possa mantê-la em casa todo o tempo."

"Isso não funciona", disse ela, já pensando em uma viagem para Singapura. "Estou indo este fim de semana."

Fonte: Craig Timberg (Washington Post - 18.11.06) - Tradução: Jorge Tadeu - Fotos: Goran Tomasevic (Reuters) / Jonathan D. Blundell (Flickr.com)

Acidente de helicóptero mata quatro pessoas em Israel

Quatro pessoas morreram na queda de um avião no Mar Mediterrâneo, na costa de Israel, nesta terça-feira. De acordo com a polícia israelense, um turista britânico está entre as vítimas.

Policiais carregam uma das vítimas do acidente

Micky Rosenfeld, porta-voz da polícia, disse que o helicóptero civil caiu próximo à cidade de Netanya. Todas as quatro pessoas a bordo morreram, incluindo o piloto. Um dos passageiros era britânico e os outros três eram israelenses.

Mergulhadores resgataram os corpos das vítimas, cujos nomes não foram divulgados. De acordo com o porta-voz da polícia, acredita-se que uma falha mecânica tenha causado o acidente.

Fonte: iG com AP - Foto: AFP

Filho de Lula e mais 15 pessoas pegam carona em avião da FAB, diz jornal

Aeronave estava chegando a Brasília e teve que retornar à São Paulo.

Segundo BC, Meirelles solicitou transporte apenas para ele e um assessor.

O Boeing 737, de prefixo 2116, da Força Aérea Brasileira (FAB), conhecido como Sucatinha, teve que mudar de itinerário e retornar a São Paulo no final da tarde de sexta-feira (9), quando faltava 10 minutos para pousar em Brasília, para buscar novos passageiros: o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o empresário Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, com 15 acompanhantes, segundo informa reportagem desta terça-feira (24) do jornal "Folha de S.Paulo".

Segundo o jornal, Henrique Meirelles, através da assessoria do Banco Central, informou que solicitou o avião para transportá-lo de São Paulo para Brasília e que apenas no momento do embarque soube que "por solicitação da Presidência", o filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mais 15 pessoas pegariam carona e "aproveitariam o voo da aeronave colocada à disposição do BC".

A reportagem informa que o Boeing, que transportava militares a serviço da Aeronáutica, que haviam embarcado na cidade de Gavião Peixoto (SP) com destino a Brasília, retornou a São Paulo e pousou em Guarulhos, onde foi abastecido. O comandante da aeronave então foi informado de que os novos passageiros embarcariam em Congonhas e depois de sobrevoar por uma hora o aeroporto, o avião aterrissou.

Depois de deslocar os militares para a parte traseira da aeronave, os novos passageiros embarcaram e, segundo o jornal, a decolagem foi feita às 23h, tendo a chegada em Brasília cerca de 1h40 depois.

Ainda segundo o jornal, o Sucatinha normalmente faz o transporte aéreo do vice-presidente da República, dos presidentes do Senado, da Câmara e do STF, de ministros ou ocupantes de cargo com status de ministro (como Meirelles) e de comandantes das Forças Armadas; e pela regra que regulamenta o uso, as autoridades que o solicitarem devem informar à Aeronáutica "a quantidade de pessoas que eventuamente a acompanharão", e que "o transporte de autoridades civis em desrespeito ao estabelecido configura infração administrativa grave".

A Presidência e o BC não forneceram à lista de passageiros solicitada pela reportagem e um assessor da FAB afirma que, como o Boeing estava à disposição da Presidência, a FAB não tem controle da lista de passageiros do itinerário.

A assessoria do Banco Central informou que solicitou o avião apenas para Meirelles e para um assessor e a assessoria de imprensa da Presidência da República afirma que "é normal o presidente da República convidar pessoas para se encontrar com ele em Brasília e oferecer transporte pelas aeronaves que servem a Presidência da República. Para isso ele recomenda que sempre sejam aproveitados voos de deslocamentos já previstos para transportes de autoridades do governo". Lulinha não foi localizado para comentar o caso e assessoria do Planalto afirma que não fornece informações sobre familiares do presidente.

Fonte: G1