sábado, 22 de agosto de 2009

Museu TAM recebe doação de um Mirage da FAB

O presidente do Museu TAM, João Francisco Amaro, recebeu da Força Aérea Brasileira a doação de um caça Mirage no último sábado (15), em Anápolis (GO). O Mirage III (F-103) foi o primeiro caça da FAB a romper a barreira do som no Brasil há mais de trinta anos.

Com a reabertura operacional do Museu TAM, programada para janeiro de 2010, a aeronave estará entre as mais de 80 peças expostas. A reforma do Museu teve início em julho de 2008 para expandir sua antiga área construída coberta de 9,5 mil m² para mais de 20 mil m², entre outras novidades.

"Esse avião está pintado com o nome do nosso querido Ayrton Senna, que teve a oportunidade de voar nele como passageiro, e assim será preservado no Museu. O capacete usado por Senna no voo também será gentilmente doado pelo Instituto Ayrton Senna", explica João Amaro.

O Museu TAM é a materialização de um sonho que traduz a Paixão por Voar da companhia. Seu objetivo é contar e preservar a história da aviação, por meio da conservação, restauração, aquisição e permuta de objetos de valor histórico, artístico e documental, além de homenagear construtores e mecânicos, lembrar os principais feitos de heróis e pilotos e despertar a paixão e o entusiasmo pelo voo.

Fonte: Aviação Brasil - Foto: Blog do Museu

Aeroporto de São Gonçalo do Amarante (RN) será erguido por concessão

Croqui do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante - Clique na imagem para ampliá-la

O aeroporto de São Gonçalo do Amarante (Aeroporto Internacional da Grande Natal) será construído por meio de concessão, e não através de uma parceria público-privada, como chegou a ser cogitado. Por dispensar a injeção de novos recursos públicos, o formato ratifica a viabilidade econômica do projeto. A obra é avaliada em aproximadamente R$ 1 bilhão, dos quais cerca de R$ 100 milhões já foram investidos pelo Governo Federal.

O projeto do aeroporto será apresentado amanhã, no Centro Administrativo do Banco do Brasil, em Brasília, com a participação de representantes do Ministério da Defesa, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Gabinete Civil, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além do secretário de Planejamento e Finanças do Rio Grande do Norte, Nelson Tavares. O encontro deverá ter início às 9h.

“Esta reunião será a última antes da apresentação oficial do Estudo de Viabilidade do aeroporto, que foi quem definiu o modelo de concessão como o mais adequado ao projeto. Depois dela, haverá um encontro com os secretários gerais de todos os ministérios e órgãos envolvidos no tema para a apresentação final do estudo”, explica Tavares.

A previsão da Secretaria Estadual de Planejamento e Finanças é de que o Estudo de Viabilidade seja apresentado em aproximadamente dez dias. Os passos seguintes serão o envio do estudo ao Tribunal de Contas da União (TCU), junto com o escopo do que virá a ser o edital de concessão. Está prevista também a realização de audiências públicas para que, até o final de novembro ou início de dezembro deste ano, o edital seja efetivamente publicado, possibilitando, enfim, o início do processo de captação de um grupo privado para tocar a obra.

Fonte: Tribuna do Norte - Imagem: natalmetropole.rn.gov.br

Grupo Deutsche Lufthansa recebe 330 novos trainees e aposta em nova geração de profissionais

Apesar da crise econômica, 330 jovens iniciarão sua formação profissional no grupo Lufthansa em 2009. Isto mostra claramente que a Lufthansa continua investindo no futuro, visando perspectivas e apostando na formação de qualidade de uma nova geração de profissionais apesar dos tempos de crise.

O número de possibilidades de formação profissional dentro do grupo Lufthansa é enorme e tão diversificado como o próprio grupo de aviação: são ao todo 19 cursos em todos os níveis, desde a formação profissional em serviços relacionados ao tráfego aéreo, como cozinheiros e cozinheiras, chegando até a profissionais de carga aérea e logística.

O maior número de vagas de formação, porém, destina-se às profissões técnicas, tais como mecânico de aeronaves ou eletrotécnico de sistemas técnicos de tráfego aéreo. Uma formação que oferece aos jovens uma perspectiva apesar da persistente crise econômica, pois as chances de conseguir uma vaga de trabalho depois de formado são boas, pois a Lufthansa tradicionalmente forma jovens profissionais para seu próprio quadro de funcionários.

Por meio da combinação de formação comercial e superior, o grupo proporciona qualificação profissional adicional com vistas ao futuro. Desde 2006, a Lufthansa em cooperação com a European Business School oferece entre outros, o curso Aviation Management. Sem contar que este ano 240 alunos estão “prontos para decolar” em seu curso de formação de pilotos na escola de pilotos da aviação civil da Lufthansa.

Fonte: Aviação Brasil

Novo Centro de Serviços dedicado para jatos executivos da Embraer entra em operação até o final deste ano

Com o objetivo de oferecer ao cliente da aviação executiva um ambiente dedicado de manutenção no Brasil, a Embraer está implementando um novo centro de serviços na cidade de São José dos Campos, a 90 km da capital paulista.

Localizado dentro da sede da Empresa, a instalação contará com 1.800 metros quadrados e proporcionará agilidade, eficiência e comodidade aos proprietários de jatos executivos da Embraer. O início das operações está previsto para ocorrer até o final de 2009.

“A implementação desta nova instalação dentro da nossa sede de operação trará mais conveniência aos nossos clientes de jatos Phenom e Legacy na América Latina”, disse Edson Carlos Mallaco, Diretor de Suporte ao Cliente e Serviços da Embraer – Aviação Executiva. “Por ser um centro dedicado à aviação executiva, poderemos oferecer serviços diferenciados, atendendo melhor às expectativas dos nossos clientes.”

O novo centro de serviços será localizado ao lado da pista do Aeroporto de São José dos Campos e contará com 1.620 metros quadrados de área para aeronaves e outros 180 metros quadrados destinados à administração. Por meio dele, a Embraer oferecerá manutenção programada e não-programada para as famílias de jatos executivos Phenom e Legacy, bem como assistência remota (atendimentos no local onde a aeronave está quando esta não pode se deslocar até o centro de serviços).

Com base em pesquisas realizadas junto a clientes, a Embraer confirmou a importância da localização da nova instalação próxima à cidade de São Paulo. Além disso, o Aeroporto de São José dos Campos está aberto 24 horas por dia, é habilitado para operação por instrumentos e não possui restrição para voos (slots).

Fonte: Aviação Brasil

Air France-KLM retira-se da corrida à Czech

O grupo franco-holandês de aviação formado pelas companhias aéreas Air France e KLM anunciou na terça-feira (18) a sua retirada da concorrência para a privatização da empresa aérea da República checa, a Czech Airlines.

As dificuldades originadas pela atual conjuntura econômica e pelo impacto negativo que esta tem tido no setor da aviação civil, foram as justificações apontadas para a decisão agora tomada. Aliás, a Air France–KLM informa que a companhia checa poderia eventualmente necessitar de um plano de resgate financeiro que lhe permitisse voltar a ser rentável.

É bom lembrar que o Ministério checo das Finanças abriu em fevereiro um processo de venda da participação do governo na empresa (91,5%) e, até agora, apenas duas transportadoras estavam na corrida: a Air France-KLM e a empresa checa Unimex Group.

Fonte: Turisver

Embraer recupera protótipo do EMB-121 Xingu

Este é o único EMB-121B (Xingu III), com motores PT6A-42. Ele é uma versão com fuselagem ligeiramente mais espaçosa do EMB-121 Xingu, que não chegou a ser produzido em série

O Como parte das atividades de comemoração dos seus 40 anos, a Embraer realizou a recuperação do protótipo da aeronave EMB 121 Xingu, primeiro avião pressurizado fabricado pela Empresa. A recuperação da aeronave (PP-ZXI) foi obra de alunos das unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de São José dos Campos, Jacareí e Taubaté, com a supervisão de empregados da Embraer.

Após ser exibida aos empregados da Companhia, a aeronave será exposta em caráter permanente no Museu Aeroespacial (MUSAL), no Rio de Janeiro.

Em 2009, o EMB 121 Xingu, que teve 105 unidades produzidas, completa 30 anos da certificação. Esta iniciativa dá continuidade ao processo de restauro de aeronaves da Embraer iniciado em 2008 com o segundo protótipo do Bandeirante, avião originalmente projetado e construído no então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA), atual Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial, e que deu origem à criação da Embraer, em 19 de agosto de 1969.

O mesmo trabalho foi realizado com os dois protótipos do CBA 123, em 2009. O Xingu PP-ZXI voou pela primeira vez em 22 de outubro de 1976.

Fonte: Jetsite via Fórum Contato Radar - Foto: Nick Dean (Airport-Data.com)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Homem fica nu em voo e força comandante a voltar para aeroporto

Confusão começou após passageiro se insinuar para mulher ao seu lado.

Ele tirou a roupa após trocar agressões com os comissários de bordo.


Um voo da companhia Southwest Airlines, que ia de Oakland (Califórnia) para Las Vegas, foi forçado a voltar para o aeroporto da cidade californiana depois que um passageiro ficou nu após trocar empurrões com os comissários de bordo, segundo a emissora de TV "KTVU".

De acordo com a reportagem, o homem estava se insinuando para uma mulher que estava sentada ao seu lado e chegou a agredi-la. Após a passageira gritar, os comissários de bordo se aproximaram para ajudar a mulher.

No entanto o passageiro não identificado começou a trocar empurrões e agressões com os tripulantes e acabou tirando toda a roupa. O incidente obrigou o comandante a retornar o Boeing 737-700 ao aeroporto internacional de Oakland, onde o homem foi preso pela polícia.

Fonte: G1

Centro Tecnológico da TAM recebe aeronaves da OceanAir para manutenção

O Centro Tecnológico também está em processo final de homologação para aeronaves Boeing 767, como esse da OceanAir

A TAM assinou novo contrato com a companhia aérea OceanAir para realizar a manutenção de cinco aeronaves da empresa. Os aviões Fokker-100 da OceanAir estão passando por checks C e D no Centro Tecnológico da TAM, localizado em São Carlos, no interior de São Paulo. Desde 2006, o complexo presta serviços de manutenção para a OceanAir. Até o presente momento, 16 checks já foram realizados para a companhia, incluindo três do novo contrato.

O Centro Tecnológico da TAM, unidade de negócios de MRO (Maintenance, Repair and Overhaul), é certificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e pela European Aviation Safety Agency (EASA) para prestar serviços de manutenção tanto em suas próprias aeronaves quanto na frota de terceiros. O complexo possui certificações para realizar todas as grandes manutenções em aeronaves Fokker-100, como as da OceanAir, e aviões Airbus A318/319/A320/A321 e A330, além de componentes dos aviões Boeing que estão sendo incorporados à frota da TAM.

O Centro Tecnológico também está em processo final de homologação para aeronaves Boeing 767.

A companhia está em processo de certificação junto à autoridade norte-americana, a Federal Aviation Administration (FAA), para obtenção da FAR 145, que permitirá a realização de serviços de manutenção em qualquer aeronave matriculada nos Estados Unidos. Com isso, o Centro Tecnológico poderá no futuro oferecer um leque de serviços ainda mais amplo aos seus clientes.

Instalado em área própria de 4,6 milhões de metros quadrados, o complexo da TAM em São Carlos abriga hangares para manutenção de aeronaves e oficinas com capacidade para revisão de mais de 3 mil componentes aeronáuticos - de computadores de navegação a trem de pouso.

Fonte: Diário do Turismo

EUA poderão exigir reparo em jato da Embraer

A Embraer confirmou na quarta-feira ter detectado problemas nas portas dos compartimentos de bagagem e nos "escorregadores para evacuação de emergência" (sliders) de suas aeronaves da família E-Jets 190, mostra reportagem do Globo na edição desta quinta-feira. Foi constatado, em uma ocasião, que uma dessas aeronaves decolou com a porta de bagagem aberta, sem que o defeito tivesse sido acusado nos painéis de controle. Isso levou a Federal Aviation Administration (FAA, a agência reguladora da aviação nos Estados Unidos) a abrir consulta esta semana junto às companhias áreas do país para definir se exigirá o reparo para que as aeronaves continuem operando.

No Brasil, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que já havia determinado, em novembro do ano passado, uma "ação corretiva" das portas de bagagem dos jatos 190. Na terça feira, a agência divulgou novo "boletim de aeronavegabilidade" ordenando o mesmo procedimento em relação aos escorregadores.

De acordo com o vice-presidente executivo de Aviação Comercial da Embraer, Mauro Kern, a empresa já havia notificado, em meados do ano passado, as companhias do mundo todo que usam seus aviões sobre o possível defeito nas portas, e informando da conveniência de fazer os reparos. O mesmo procedimento, acrescentou, teria sido tomado em relação aos sliders.

Segundo ele, todos aviões produzidos depois da descoberta do defeito nas portas tiveram o problema corrigido. Ao todo, a Embraer tem 554 jatos 170 e 190 voando pelo mundo.

Fonte: O Globo

IATA se oferece para trabalhar com o Brasil temas da aviação

Presidente da Associação observou a necessidade de melhorar a competitividade do setor de aviação brasileiro

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) se ofereceu para o trabalhar com o governo em dois temas importantes para o setor de aviação: concessão de aeroportos e o congestionamento do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Em visita ao Brasil, o diretor-geral e CEO da IATA, Giovanni Bisignani, disse que o investimento privado nos aeroportos pode ajudar a melhorar a infraestrutura, mas destacou que é preciso ter uma regulação econômica robusta na concessão.

"O nosso objetivo comum é assegurar que o aeroporto funcione de forma eficiente. A IATA tem prazer em dividir sua experiência global para possibilitar que a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) tenha a independência para desempenhar sua missão de maneira eficaz", disse o executivo.

Com relação aos congestionamentos no aeroporto de Guarulhos, ele sugeriu apoio para implementação, no Brasil, das métricas que a Iata fixou em âmbito mundial para melhor eficiência dos aeroportos. Um estudo especificamente voltado para a América Latina está sendo elaborado pela associação. "A tarifa de congestionamento não é uma solução. Os Worldwide Scheduling Guidelines estão ajudando aeroportos ao redor do mundo a gerenciar congestionamentos. Enquanto avaliamos soluções de longo prazo, trabalharemos com a Infraero para tirar máximo proveito da infraestrutura e dos terminais existentes, além de um processo consistente de planejamento conjunto sobre futuros projetos ", destacou Bisignani.

Bisignani observou também a necessidade de melhorar a competitividade do setor de aviação brasileiro, trabalhando em conjunto para abordar questões como política de paridade de preços de importação da Petrobrás. "Isto agrega custos a cada galão de querosene de aviação vendido no Brasil. Essa desvantagem competitiva de US$ 450 milhões anuais não faz sentido para um país que produz internamente 80% de seu consumo de combustível. O resultado disto é que a participação dos combustíveis nos custos das empresas brasileiras representa 32% do total, contra 23% da média global. Precisamos encontrar uma política de preços alinhada com as realidades do mercado."

Na viagem ao Brasil, Bisignani teve reuniões com a ANAC, o Ministério da Defesa e com o Ministro das Relações Institucionais. Dentre os eventos recentes que o executivo julga "encorajadores" para a aviação brasileira estão a eliminação do PIS/COFINS sobre a querosene de aviação, que representam US$ 100 milhões ao ano, a adoção do IATA Operational Safety Audit (IOSA) pelo governo brasileiro e a progressiva liberalização das tarifas aéreas. "Com a preparação do Brasil para sediar a Copa do Mundo 2014, estamos dispostos a trabalhar ainda mais estreitamente com o governo para aprimorar a competitividade da aviação brasileira e alcançar maiores eficiências de custo de infraestrutura", afirmou o dirigente da associação.

Fonte: Michelly Chaves Teixeira (Agência Estado)

Um ano depois da tragédia na Espanha nada mudou

O ministro espanhol do Fomento, José Blanco, considera que o trágico acidente de Agosto de 2008 podia ter sido evitado com mais medidas de segurança. Espanha quer aproveitar a sua próxima presidência da União Europeia, no primeiro semestre de 2010, para avançar com as recomendações propostas pela comissão de investigação do acidente

No dia exacto do primeiro aniversário do acidente no aeroporto madrileno celebrou-se uma missa privada no Terminal 2 de Barajas e foi instalada uma placa comemorativa, junto a um olival plantado em memória das vítimas. Alguns familiares depositaram flores no local exacto do acidente. Em Las Palmas, Canárias, também foi celebrada uma cerimónia religiosa.

Na passada quinta-feira cumpriu-se um ano do acidente do avião MD-82 de Spanair em Barajas, em que perderam a vida 154 pessoas. Um voo com destino a Las Palmas (Canárias) que descolou com uma hora e meia de atraso e só conseguiu percorrer uns quilómetros e levantar 12 metros antes de cair e ficar destruído Os 18 sobreviventes da tragédia, alguns deles ainda com feridas graves, não conseguiram refazer as suas vidas. Ficaram famílias brutalmente desaparecidas, vidas completamente desfeitas.

À falta do resultado definitivo do inquérito, o Ministério do Fomento publicou esta semana um segundo texto com a resposta a muitas incógnitas sobre o acidente. A comissão responsável da investigação (ainda aberta) deverá publicar um terceiro texto definitivo, sem data prevista. O que parece estar já esclarecido é a causa da queda do avião: os flaps e os slats das asas não estavam na posição correcta. Mas porque isto aconteceu? Segundo o inquérito, o piloto e o co-piloto não comprovaram as luzes de flaps/slats depois de porem a funcionar os motores, possivelmente porque estavam atrasados (o avião teve que voltar da pista de descolagem por causa de um problema) e o seu desejo era cumprir o melhor possível o horário. Mas também o método de segurança do avião teve falhas porque não avisou os pilotos que não existia a configuração adequada para descolar, o chamado sistema Tows. Uma das lacunas do inquérito está em descobrir as causas da grave falha. Em Agosto de 1987 ocorreu um acidente similar em Detroit com um MD-82 da companhia Northweste Airlaines, em que morreram outras 154 pessoas. McDonnell Douglas recomenda desde então comprovar o Tows antes de cada voo. A 29 de Outubro de 2008 a Agência Europeia de Segurança Aérea emitiu uma directiva em que obriga a comprovar o tal sistema. Tarde de mais para o voo de Spanair.

Enquanto continua a investigação, as famílias das vítimas e os sobreviventes tentam superar a tragédia como podem, mas não é fácil. Até agora, por cada vítima, a Spanair adiantou aos familiares 25 mil euros, uma parte dos aproximadamente cem mil euros que o Acordo de Montreal de aviação civil marcou como limite. Aqueles que tiveram a sorte de sobreviver ao acidente lutam dia a dia para ultrapassar os danos físicos e psicológicos. Alguns continuam de um hospital a outro (há quem tenha feito já oito operações) e ninguém conseguiu voltar ao trabalho. Algumas famílias desapareceram de uma vez só e outras ficaram reduzidas a um ou dois membros.

Os mortos não voltarão mas merecem saber que a sua vida serviu para melhorar alguma coisa, pelo menos para mudar as regras de segurança nos aeroportos com o objectivo de evitar sucedidos similares. Por agora, um ano depois, Barajas ainda não implementou todas as melhoras previstas. Porquê esperar? 154 mortos é razão mais do que suficiente para mudar.

Fonte: Belén Rodrigo, correspondente do 'ABC' via Diário de Notícias (Portugal) - Foto: STR-EPA

Suposta queda de avião ainda é polêmica em Boca do Acre, no AM

A Polícia Federal (PF) investiga o clarão que foi visto em Boca do Acre, a 1.028 quilômetros de Manaus, na noite de terça-feira. A suposta queda de um avião continua sendo notícia na cidade. A população ainda comenta o forte clarão acompanhado de uma explosão que apareceu, por volta das 20h, no céu da cidade. Para muitas pessoas, a causa foi a queda de um avião, mas, apesar das buscas, até agora nada foi encontrado.

Segundo a população, o clarão foi visto na direção da floresta, a cerca de 20 quilômetros da cidade. Ainda à noite, a Defesa Civil entrou na mata em busca de informações sobre o caso. Nada foi encontrado. Nos radares da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), não foi detectado qualquer aeronave sobrevoando região no horário.

O comando da Marinha do Brasil em Boca do Acre também realizou várias buscas no dia seguinte, sem encontrar nada. Policiais Federais estão na cidade colhendo informações. Segundo os agentes, que não quiseram gravar entrevista, existe uma denúncia de que um avião bimotor clandestino saiu de Cobija, na Bolívia, com três passageiros transportando drogas com destino a Boca do Acre.

Fonte: Portal Amazônia via O Globo

Saiba mais sobre o atentado de Lockerbie, que deixou 270 mortos


EUA: recepção a terrorista de Lockerbie foi "perturbadora"

O terrorista Abdel Baset al-Megrahi chega acompanhdo por Seif al-Islam el-Khadafi, filho do líder líbio Muammar al-Khadafi

Um porta-voz da Casa Branca qualificou nesta sexta-feira de perturbadora a forma como o líbio Abdel Basset Ali al-Megrahi, único condenado pelo atentado de Lockerbie, foi recebido ao retornar ao seu país, na quinta-feira.

Al-Megrahi foi recebido por centenas de pessoas acenando bandeiras líbias no aeroporto da capital, Trípoli. Antes, os governos americano e britânico disseram ter pedido à Líbia para que ele não fosse recepcionado como um herói.

"É perturbador ver imagens sugerindo que Megrah foi recebido como um herói e não um assassino condenado", disse o porta-voz da Casa Branca, Bill Burton.

"Este tipo de recepção manda uma mensagem errada e é profundamente ofensiva às famílias das centenas de pessoas que perderam suas vidas no atentado de Lockerbie."

Duzentas e setenta pessoas morreram no atentado, em que uma bomba explodiu em um avião da empresa aérea Pan American World Airways enquanto ele sobrevoava a cidade escocesa de Lockerbie, em 1988. Das vítimas fatais, 189 delas americanas.

Próximos dias

O ministro britânico das Relações Exteriores, David Miliband, disse que "obviamente a visão de um assassino em massa recebendo uma recepção de herói em Trípoli é profundamente lamentável", disse ele.

"É muito importante que a Líbia saiba que a forma como seu governo vai lidar com o caso nos próximos dias será muito importante para definir como o mundo enxerga a volta do país à comunidade das nações civilizadas", afirmou o britânico.

Um porta-voz do governo da Grã-Bretanha afirmou que o premiê Gordon Brown havia escrito ao líder líbio, Muamar Khadafi, pedindo para que o governo do país tratasse o caso com sensibilidade.

A decisão de libertar Megrahi por motivos humanitários, já que o líbio sofre de câncer de próstata em estado terminal, teria sido do governo escocês e não do britânico, segundo o porta-voz.

Silêncio de Khadafi

Khadafi ainda não se pronunciou sobre o caso.

O correspondente da BBC em Trípoli Christian Fraser disse que integrantes do governo não se juntaram à recepção ao condenado, embora ele tenha sido recebido no aeroporto por um filho de Khadafi, Seif Al-Islam Khadafi.

Um editorial do jornal estatal Al-Jamahiriyah desta sexta-feira criticou o julgamento de Megrahi, classificando-o de "refém político".

A filha de Megrahi disse que ele está descansando em casa.

Familiares das vítimas disseram estar considerando uma manifestação contra Khadafi no próximo mês, quando ele visitar Nova York.

Uma visita da família real britânica à Líbia, agendada para o próximo mês, também estaria sendo reavaliada.

Megrahi foi condenado, em 2001 por ter participado do ataque a bomba contra o voo 103 da Pan Am.

No atentado contra o voo 103 da Pan Am, em 1988, 270 pessoas morreram

Fonte: BBC Brasil via Terra - Fotos: AP

O obscuro caso dos cargueiros libios retidos no Brasil em 1983

Em 17 de abril de 1983, quatro cargueiros libios - um C-130 Hércules e três Ilyushin Il-76 TD – lotados de armas e munições foram retidos em Recife e em Manaus. Os dois modelos têm capacidade para transportar respectivamente 20 e 40 toneladas e estavam entre os maiores cargueiros do mundo.

Um dos três Ilyushin 76 libios retido em Manaus

Leia a matéria completa no Blog do Vinna, AQUI.

Aeroporto de Munique está entre os 10 melhores do mundo

O Aeroporto de Munique (foto), na Alemanha, foi classificado em quinto lugar na lista dos 10 melhores aeroportos de todo mundo no World Airport Awards, prêmio concedido anualmente. Em duas categorias ficou em primeiro lugar, melhor tráfego internacional e melhor serviço de imigração.

A pesquisa, conduzida pela Skytrax, um instituto de pesquisa independente sediado em Londres, toma por base 8,6 milhões de questionários respondidos pelos passageiros em mais de 190 aeroportos em todo o planeta. As pessoas são convidadas a avaliar 39 aspectos, do check-in ao transfer até a aeronave. A pesquisa é feita desde 1999 e pelo segundo ano consecutivo Munique está em quinto lugar.

A classificação é boa notícia para quem pretende voar com a Lufthansa do Brasil para Munique ou fazer conexão na capital Bávara para outros destinos na Alemanha, na Europa, Ásia ou Oriente Médio. O aeroporto de Munique oferece deslocamentos rápidos, esteiras perto da área de desembarque, boa sinalização e ótima infra-estrutura para compras de última hora ou refeições. Em plena Bavária, terra da cerveja, abriga nada menos que uma cervejaria na área de alimentação.

Fonte: Aviação Brasil - Foto: roqueturporto

Prefeitura faz megaoperação Choque de Ordem no Tom Jobim

Vinte maleiros suspeitos de fazer câmbio ilegal foram detidos na operação "Boas vindas", realizada na manhã desta sexta-feira no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador. Com eles, foram apreendidos cerca R$ 40 mil. Além disso, trinta e quatro veículos foram rebocados, entre eles 14 táxis, carros de passeio e vans, entre elas, uma pirata. A ação foi coordenada pela Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat), com apoio da Secretaria de Ordem Pública, da Polícia Militar e da Infraero.

Um dos carregadores de bagagem levava mais de R$ 20 mil em dinheiro, além de dólares e pesos argentinos. No momento da operação, um deles passou mal e desmaiou. João Antônio de Lima, de 62 anos, foi levado ao posto médico do aeroporto.

A polícia suspeita que os carregadores faziam empréstimo a funcionários do aeroporto e também operações ilegais de câmbio. Segundo os investigadores, eles escolhiam no painel o voo para saber o tipo de moeda a ser trocada. A operação acontecia no saguão, assim que o turista desembarcava.

Na localidade conhecida como carangueijão, pista paralela à principal em direção ao Centro com entrada pelo posto BR, a delegada Aurean Fernandes, que comandava o choque de ordem, flagrou táxis e vans que aguardavam chamados do setor de desembarque, após negociação com os turistas. A ação, que mobilizou mais de 20 fiscais e agentes da subsecretaria de Operações, multou 20 táxis e lacrou um.

Os detidos estão prestando depoimento na Delegacia do Aeroporto onde está sendo verificado se todos têm autorização para atuar no Tom Jobim.

Cerca de 100 agentes participam da operação que, além de reprimir o cambio ilegal, tem como objetivo combater o transporte e comércio irregulares.

Fontes: Ediane Merola / O Globo

Detetada anomalia num avião A 320 da Sata

A equipe de manutenção da Sata detectou hoje um problema num pneu de um Airbus A320, que iria fazer a ligação entre o aeroporto das Lajes, nos Açores e a cidade do Porto, em Portugal.

O Airbus A320 havia chegado ao local da cidade norte-americana de Boston e teve constatada uma anomalia num dos seus pneus durante uma inspeção de rotina. A informação foi dada por fonte da transportadora aérea açoriana.

O problema já foi solucionado pelos técnicos de manutenção da Sata, tendo sido restabelecido o voo de ligação entre a Ilha Terceira, nos Açores, à cidade do Porto, no Continente.

A situação causou algum transtorno aos passageiros, que permaneceram esta manhã no aeroporto da Terceira, aguardando orientações da empresa.

Fonte: Jornal Diário

Aeronáutica vistoria aeroportos de Sinop e Alta Floresta

O major brigadeiro Ricardo Machado Vieira, do sexto comando regional da Força Aérea, esteve ontem, em Alta Floresta, a pedido do presidente Lula, para conhecer a estrutura do aeroporto que pleiteia a mudança de categoria do nível 2 para 5. Além das condições de infraestrutura, segurança e demais aspectos, para haver a alteração a cidade precisa contar com o caminhão AP2, de combate à incêndio aeroportuário, ainda não disponível.

A secretária de Indústria e Comércio, Célia Castro, mostra otimismo quanto as constatações feita pelo representante da Aeronátuica. “Ele viu que temos toda a infraestrutura de torre, base de incêndio e falta apenas o caminhão. O governador Blairo Maggi, inclusive, fez uma carta pedindo [o equipamento] para Alta Floresta, Sinop e Rondonópolis”, declarou, ao Só Notícias.

Célia acrescenta que passar de uma categoria para outra significa aumentar o nível de segurança. “Até 2010 todos os aeroportos terão de operar na categoria 5. Estamos batalhando para conseguir isto. Existe a possibilidade, por solicitação do governo do Estado, de uma mudança na legislação para os aeroportos. Nós, pequenos municípios, funcionamos com as mesmas exigências dos aeroportos internacionais”, comparou.

Passando para a categoria 5, o aeroporto de Alta Floresta terá condições de atrair aeronaves de grande porte, explica Célia. No entanto, a secretária reconhece a necessidade de se ter o caminhão contra incêndio. Em Sinop, onde o brigadeiro também cumpriu uma agenda de visitas, o administrador Leandro Goetz disse que o feedback foi o mesmo.

"Ele viu que o grande problema mesmo é o caminhão", complementou o responsável pelo aeroporto João Figueiredo.

Fonte: Só Notícias

Tribunal aprova ampliação do aeroporto de Frankfurt

O Tribunal Administrativo Superior de Kassel deu nesta sexta-feira (21/08) sinal verde para a ampliação do aeroporto de Frankfurt, mas impôs restrições ao tráfego aéreo noturno.

Conforme a decisão, os planejados 17 voos entre 23h e 5h não estão de acordo com a legislação sobre o repouso noturno. O número deverá agora ser revisto.

Com a decisão, o Tribunal rejeitou queixas de organizações ambientalistas e moradores das proximidades contrários à ampliação. Após a sentença, advogados disseram que irão recorrer da decisão.

A empresa Fraport, que administra o aeroporto, planeja construir uma quarta pista e um terceiro terminal, ao custo de 4 bilhões de euros. A nova pista tem previsão para entrar em funcionamento em 2011.

Pelo aeroporto de Frankfurt, o maior da Alemanha, passam anualmente cerca de 50 milhões de passageiros. A previsão é de que número suba para 88 milhões até 2020.

Fonte: dw-world.de - Foto: AFP

Exército americano trata estresse dos soldados para evitar mais suicídios

Exército americano trata estresse dos soldados para evitar mais suicídios

Diante das cifras recordes de suicídios e da onda de depressão entre seus soldados, o Exército dos Estados Unidos está preparando pouco a pouco formações especializadas e destinadas a tornar seus militares mais resistentes ao estresse emocional relacionado a situações de guerra.

A partir de 1º de outubro, todos os militares em serviço, os reservistas e os soldados da Guarda Nacional deverão passar por um "exame de resistência" que definirá seu estado emocional e psíquico.

"Você acha que, no geral, não tem amigos?" ou "Sente-se frequentemente deixado de lado?" são algumas das 170 perguntas que serão feitas aos soldados no exame.

Os resultados serão em seguida transmitidos aos comandos militares, que escolherão as formações que melhor se adaptarão a suas necessidades.

"Esta iniciativa sem precedentes visa ensinar aos soldados como enfrentar as provas e os acontecimentos negativos, e superá-los e ficar mais fortes", explica a apresentação do programa.

As respostas dadas serão confidenciais e não pesarão de modo algum sobre as carreiras dos soldados, assegurou a general de brigada Rhonda Cornum, supervisora do programa.

"Nós percebemos que estávamos gastando muitos recursos e energia com soldados que passavam por experiências negativas, mas não fazíamos nada para preveni-las", explicou.

O programa começará a ser aplicado no momento em que houver alarme entre os altos comandos em função do aumento constante dos suicídios entre os soldados posicionados no Afeganistão e Iraque, invadiso pelos Estados Unidos em 2001 e 2003, respectivamente.

Em 2008, 128 militares se suicidaram, contra 115 um ano antes. No curso dos seis primeiros meses de 2009 estima-se que a cifra de soldados que se suicidaram chega a 88, contra 67 para o mesmo período de 2008.

O programa a ser aplicado se baseia numa série de pesquisas iniciadas há 20 anos pelo psicólogo Martin Seligman, da Universidade da Pensilvânia.

Seligman formou equipes para reduzir os estados depressivos e a angústia de crianças de 10 a 12 anos e de jovens de 18 a 20 anos.

Um grupo de 50 suboficiales já iniciou sua formação, enquanto que outros 150 militares começarão em breve a se preparar, informou a general Cornum, uma cirurgiã que ficou gravemente ferida quando o helicóptero em que viajava foi derrubado em plena Guerra do Golfo.

Segundo ela, 4.000 soldados já passaram pela "prova de resistência" e os resultados dão uma média de 3,7 pontos em uma escala de 5, uma cifra considerada alta, já que revela a presença de uma forte estresse emocional.

Por sua parte, Martin Seligman assegura que as dúvidas de que o programa funcione aplicado a uma população militar - integrada por indivíduos que resistema falar de suas emoções - foram dissipadas.

O entusiasmo manifestado pela primeira onda de soldados submetidas ao projeto comprova isso, afirmou.

Fonte: AFP

Avião de pequeno porte cai em New Jersey, mas pilotos sobrevivem

Os destroços queimados do pequeno avião, após cair hoje durante uma tentativa de aterrissar no aeroporto Teterboro, em Nova Jersey

Um avião de pequeno porte, o Beech 58 Baron, prefixo N167TB, da Quest Diagnostics Inc., que tentou aterrissar no aeroporto de Teterboro, em New Jersey, nesta madrugada, caiu em uma área industrial por volta das 3h horário local (4h de Brasília) e pegou fogo. Os dois pilotos, as únicas pessoas a bordo, sofreram queimaduras graves e algumas fraturas, segundo autoridades, mas ninguém em solo ficou ferido, informou o "The New York Times".

Esse é o segundo acidente envolvendo o aeroporto de Teterboro nas últimas duas semanas. No dia 8 de agosto, um monomotor e um helicóptero colidiram sobre o Rio Hudson matando todas as 9 pessoas a bordo das duas aeronaves.

Fontes: O Globo/The New York Times - Foto: Stuart Ramson (Associated Press)

NASA vai ter que recontar as estrelas

Novos dados mostram que há muito mais estrelas pequenas no universo do que se previa.

Fórmula incorreta: a galáxia da esquerda, NGC 1566, possui mais estrelas grandes que o esperado; já a galáxia da direita, NGC 6902, apresenta menos estrelas grandes do que deveria

Durante décadas, os astrônomos assumiram que as estrelas de certos tamanhos são formadas em quantidades específicas. Baseados em diversas análises, calculavam que a proporção de pequenas e grandes estrelas era fixa: para cada uma com massa 20 vezes ou mais que a do Sol, por exemplo, deveria haver cerca de 500 estrelas com a massa igual ou menor que a dele.

No entanto, novos dados da Galaxy Evolution Explorer puseram por terra essas teorias do espaço. O telescópio ultravioleta da nave encontrou prova de que estrelas menores estão em número bem maior que previsto anteriormente. Por exemplo, em alguns lugares do cosmos cerca de 2 000 pequenas estrelas podem se formar para cada uma de grande porte.

A constatação do erro só foi possível graças às imagens em ultravioleta da Galaxy, bem mais sensíveis e que captam o brilho de estrelas três vezes maiores que o sol - as imagens obtidas anteriormente apenas captavam aquelas com massa de 20 ou mais sóis.

As duas fotografias acima foram obtidas pelas combinação de dados da Galaxy e do Observatório Inter-Americano Cerro Tololo, no Chile. Nessas imagens, as partes das galáxias ricas em estrelas de grande porte, chamadas de “O”, aparecem em rosa ou branco. Áreas dominadas por pequenas estrelas, chamadas “B”, aparecem em azul.

A galáxia em espiral da esquerda, chamada NGC 1566, possui mais estrelas “O” que o esperado. Por outro lado, a galáxia da direita, chamada NGC 6902, possui menos estrelas grandes do que deveria, caso a fórmula aplicada estivesse correta.

Apesar de já saberem que o brilho das grandes estrelas poderia ofuscar as pequenas, astrônomos não imaginavam que a diferença dos dados estipulados e da realidade fosse tão grande. Em 1950, eles começaram a desenvolver um método para contar as estrelas em uma determinada região – incluindo aquelas que não poderiam ser detectadas. A equação servia para estimar o número total a partir daquelas que podiam ver (as maiores, com mais massa).

Fonte: Paula Rothman (INFO Online) - Imagem: NASA/JPL-Caltech/JHU

Avião da SATA aborta decolagem após incêndio num dos motores

Um avião da SATA abortou hoje a descolagem no aeroporto do Porto Santo, na Madeira, devido a um incêndio registado no motor direito do aparelho. Um passageiro sofreu ferimentos ligeiros quando abandonava o avião.

A aeronave era o British Aerospace BAe ATP, prefixo CS-TFJ.

O voo SP1691 foi o primeiro da manhã, e, como habitualmente, preparava-se para fazer a ligação ao Funchal às 08h40, com 14 pessoas a bordo, quando um incêndio no segundo motor do avião obrigou a abortar a descolagem.

Após o avião ter ficado imobilizado e accionadas as medidas de segurança, os passageiros abandonaram o aparelho através de uma rampa de emergência, mas durante este processo um dos passageiros sofreu ferimentos ligeiros, ao ter optado por saltar para a pista.

O deputado do PSD Guilherme Silva, que seguia a bordo do aparelho, contou à RTP-N que quando o avião se preparava para descolar um “um passageiro gritou fogo”. “Eu próprio vi as chamas com alguma extensão e intensidade num dos motores”, relatou o social-democrata, acrescentando que o comandante parou o avião e desligou os motores assim que se apercebeu do problema. Ainda de acordo com o vice-presidente da Assembleia da República, tripulação “manteve-se serena e apelou à calma” dos passageiros.

De acordo com Guilherme Silva, a saída dos ocupantes do avião decorria com normalidade, quando um dos passageiros decidiu não usar a rampa de emergência e “saltou” do aparelho para a pista, acabando por sofrer ferimentos.

Num comunicado emitido ao início da tarde, o grupo Sata confirmou a existência de um "incidente no motor direito" durante o início da descolagem de um avião que ia fazer a ligação entre Funchal e Porto Santo, e que um dos passageiros sofreu "uma entorse num tornozelo" no decorrer da evacuação do aparelho.

O grupo acrescenta no comunicado que os passageiros vão ser "reacomodados num voo da Sata Internacional, com saída prevista do Funchal às 12h40 e com chegada prevista ao Porto Santo às 13h00, lamentando os "inconvenientes causados".

A aeronave envolvida no incidente, fotografada em 09/02/09 no Aeroporto da Ilha da Madeira

Fonte: Público (Portugal) - Foto: Jorge Abreu (Airliners)

Piloto das Forças Aéreas indianas morre em queda de avião

O jato, um britânico Sea Harrier, caiu no mar da Arábia 15 quilômetros ao largo da costa de Goa

Um piloto das Forças Aéreas da Índia morreu hoje (21) quando o avião de combate onde fazia um voo de treinamento caiu no mar, perto da região de Goa, informou o Ministério da Defesa indiano.

Em comunicado, o ministério informou sobre a morte do piloto Saurav Saxena no acidente, que ocorreu às 11h57 (3h27 de Brasília).

O ministério afirmou que não foi registrada nenhuma baixa civil nem prejuízo a propriedades privadas, e acrescentou que foi ordenada uma investigação sobre o acidente.

Segundo a agência indiana "Ians", o avião de combate tinha saído do aeroporto de Dabolim cerca de duas horas antes, para realizar exercícios de treinamento rotineiros.

Fonte: EFE via G1 - Foto: AP

Helicóptero cai durante pouso em aeroporto, diz Infraero

Ninguém ficou ferido.

Hélice traseira atingiu o chão depois de rajada de vento.


Helicóptero perdeu parte da cauda após a colisão

Um helicóptero de treinamento, o Robinson R22, prefixo PT-YFV, da Nacional Escola de Pilotagem (NEP), caiu durante o procedimento de pouso na manhã desta sexta-feira (21) no Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Segundo a Infraero, que confirmou a informação, ninguém ficou ferido.

Durante o pouso, uma rajada forte de vento teria feito com que a aeronave batesse a hélice da parte de trás no chão, causando o acidente. Duas pessoas estavam dentro do helicóptero: um aluno e o instrutor.

Segundo a Infraero, aeroporto vai ficar fechado até que o helicóptero seja retirado do local.

Fonte: G1 / ANS - Foto: Reprodução/TV Globo

Suécia tem caça mais competitivo

Na briga com França e EUA para vender caças ao Brasil, os suecos oferecem avião mais barato e versátil. Veja a entrevista com o Ake Svensson, Presidente da 'Saab' que fabrica o 'Gripen'.



A Força Aérea Brasileira vai renovar a frota de caças supersônicos e terá de decidir entre ofertas dos Estados Unidos, França e Suécia.

Suecos tem a fama de serem sérios até quando riem. É o caso de Ake Svensson, Presidente da 'Saab', a fabricante do 'Gripen', o caça que a Suécia quer vender ao Brasil. Svensson não desperdiça um segundo para ir ao assunto.

O 'Gripen', diz ele, é o melhor avião para os brasileiros porque, na comparação com os concorrentes, é o mais barato, tem o armamento mais completo, os sistemas de controle, detecção e combate mais avançados e, o que só ele faz, pousa até num pedaço de estrada qualquer de 500 metros de comprimento, se for preciso.

Da mesma maneira que seus concorrentes, a 'Saab' oferece junto do 'Gripen' um nutrido pacote de transferência de tecnologia e compensações comerciais.

Mas é na palavra independência que está à força da oferta da Suécia, país que, por ter sido neutro na Guerra Fria, precisava cuidar sozinho da própria defesa.

"A razão para fundar uma indústria aeroespacial na Suécia", diz Svensson, "é que não conseguimos comprar no exterior, e precisamos desenvolver nossas próprias aeronaves desde os tempos da Segunda Guerra Mundial".

Em outras palavras, a Suécia pode ser flexível quanto ao usuário final das armas que vender. Se bem que as coisas às vezes dão errado: as bazucas que a Suécia vendeu a Hugo Chávez foram parar nas mãos da narcoguerrilha das Farc, na vizinha Colômbia. Svensson não tem esse tipo de preocupação em relação ao Brasil, "um país estável, política e economicamente", disse.

Enquanto o próprio Obama liga para Lula para falar de avião, e o francês Sarkozy virá até para as festas de 7 de setembro, quem do governo sueco ajuda a 'Saab' a vender o 'Gripen'? "O Primeiro-ministro da Suécia discutiu isso com o presidente Lula", responde Svensson.

E a rainha Silvia, não? Svensson ri, muito sério e não entra na brincadeira. "A família real sueca não está envolvida nisso", garante.

Fonte: William Waack (Jornal da Globo)

Boeing quer vender caças para o Brasil

A maior empresa aeroespacial do mundo oferece investir no Brasil o mesmo valor pago pelos caças. Assista a entrevista com Jim Albaugh, Vendedor Chefe de Aviões Militares e Sistemas Bélicos da Boeing.



O governo brasileiro anuncia em breve de quem comprará 36 modernos aviões de combate, para substituir a atual frota de caças supersônicos.

O volume final do negócio, dependendo de projetos de transferência de tecnologia, deve chegar os US$ 10 bilhões.

Na luta pelo contrato bilionário, a maior empresa aeroespacial do mundo, a Boeing, está oferecendo investir no Brasil a mesma soma em dólares que for paga pela aquisição dos caças avançados pretendidos pela FAB.

A promessa veio da boca de Jim Albaugh, o Vendedor Chefe de Aviões Militares e Sistemas Bélicos da Boeing. Ele acha que seu avião é o melhor por um motivo central: é o único, entre os competidores, que está em combate há mais de 15 anos e vai continuar.

Trata-se do 'F-18 Super Hornet' de segunda geração, empregado pela Marinha americana, que já o exibiu várias vezes a pilotos brasileiros. Os principais competidores são o francês 'Rafale', oferecido com um amplo pacote de tecnologias que incluiriam até submarinos e o sueco 'Grippen', um modelo elogiado pela flexibilidade e baixos custos.

Mas o Vendedor Chefe da Boeing sabe que o foco central do reequipamento da Força Aérea Brasileira é político e diz que o governo de Barack Obama entendeu o que precisa ser feito.

"Washington apóia uma oferta de transferência de tecnologia que incluiria a propriedade intelectual, além de sistemas avançados de armamentos, uma proposta nunca feita antes", segundo Jim Albaugh.

E qual motivo da Boeing por à venda o que lhe custou tanto dinheiro para desenvolver? "Queremos ser uma empresa global no setor de defesa, com a participação de vários países", respondeu. "E para isso precisamos oferecer a tecnologia que desenvolvemos".

São severas as restrições impostas pelo governo dos Estados Unidos aos compradores de armas americanas que desejam reexportar bens e tecnologias adquiridas. "No caso do Brasil", diz o Vendedor da Boeing, "a disposição do governo de Obama em facilitar as coisas 'não tem precedentes'", disse.

E por um fato simples, adianta: "nos últimos anos os americanos exportaram centenas de aviões de guerra, mas nenhum para o Brasil e agora o Departamento de Estado em Washington aceitou que fosse exportada também a nossa propriedade intelectual".

Há 35 anos vendendo aviões militares, Jim Albaugh tem clara visão de quanto política influencia esse tipo de negócio. "Entendo que existam preocupações em relação aos Estados Unidos por conta do passado, mas espero que o governo brasileiro perceba como pode se beneficiar de ter uma boa relação com os Estados Unidos", afirmou.

O Jornal da Globo apurou que o Presidente Barack Obama já ligou uma vez para o Presidente Lula para falar do interesse americano em vender aviões militares e tecnologia para o Brasil e deve telefonar brevemente mais uma vez, para tratar do mesmo assunto.

Fonte: William Waack (Jornal da Globo)

Sílvio Brito tem bolsa furtada em golpe no Aeroporto de Congonhas

Furto ocorreu às 7h de sexta-feira (14); cantor iria fazer show em Vitória-ES.

Polícia disse ao artista que se tratava de quadrilha que age nos aeroportos.


Cantor Silvio Brito foi vítima de golpe no aeroporto de Congonhas e teve bolsa com objetos pessoais, como relógios e óculos

O cantor Sílvio Brito caiu em um golpe e teve uma bolsa com vários objetos pessoais furtada por volta das 7h da sexta-feira (14) ao chegar no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. Ele iria viajar para Vitória, no Espírito Santo, onde faria um show.

“Eu estava tirando as malas do porta-malas, descarregando as bagagens. Uma pessoa parou com um Vectra ao lado e perguntou como ele fazia para ir para o Centro. Quando parei para dar a informação, uma outra pessoa pegou a bolsa, passou por trás de mim e entrou no carro”, contou o cantor.

Na bolsa estavam cinco óculos, uma de suas marcas registradas, dois relógios, agenda, todos os documentos, cartões de crédito e débito e outros pertences. “Havia objetos de estimação, dados há muitos anos pela minha mãe, por exemplo. A sorte é que o notebook estava em outra bolsa. Mas só consegui embarcar para fazer os shows com o boletim de ocorrência e passaporte, que estava na bolsa da minha mulher. Senão, o prejuízo teria sido maior”, disse.

A polícia lhe informou que se tratava de uma quadrilha que agia tanto em Congonhas quanto em Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, segundo Silvio Brito. Na segunda-feira (17), alguns integrantes teriam sido presos em flagrante depois de aplicarem um golpe no aeroporto de Cumbica e, na fuga, baterem o carro.

“A polícia já estava atrás deles há algum tempo, mas queria dar o flagrante. No carro, eles encontraram alguns óculos e me avisaram. São óculos bem típicos, de aro redondinho, que costumo utilizar nos shows”, explicou o cantor.

É a quarta vez que Silvio Brito foi vítima de criminosos. “Das outras vezes, me apontaram uma arma, me ameaçaram. Mas desta vez se aproveitaram da minha boa-fé. Você para ajudar e te enganam. Por isso é importante as pessoas ficarem alertas, atentas aos seus pertences, nestes lugares”, finalizou.

Fonte: Marcelo Mora (G1) - Foto: Arquivo Pessoal/site oficial de Sílvio Brito

Menino britânico encontra raro meteorito no jardim de casa

Em vez de trazer os ovos que tinha ido buscar no galinheiro, o garoto de 6 anos volta com um raro meteorito na mão

Imagine seu filho chegar em casa com um meteorito na mão. Foi o que aconteceu com o britânico Josh Chapple, de 6 anos. Ao buscar ovos no galinheiro, ele trouxe para os pais um raro meteorito de 6x4 cm que encontrou no jardim.

Em entrevista ao jornal Daily Mail, o pequeno, que estava radiante com a descoberta, diz ter pensando na hora que aquela rocha escura e brilhante era um pedaço de carvão.

A mãe do garoto, que tentou na semana passada ver uma chuva de meteoros, que acontece todo ano, mas não conseguiu por conta do tempo nublado, pesquisou sobre a peça e viu que era mesma parecida com outras encontradas em diversas partes do mundo.

A ideia dos outros irmãos de Josh era que o pai vendesse o meteorito para comprar um carro de corrida... Mas o preço baixo que ele viu na internet o fez ficar com a rocha por um tempo mais.

Fonte: Revista Crescer - Foto: Joel Cooper (DailyMail)

Paquistão começa a construir 1º avião não-tripulado do país

Galileo Avionica Falco UAV

As Forças Aéreas do Paquistão (PAF) começaram ontem a construir, em colaboração com uma companhia italiana, seu primeiro modelo de avião não-tripulado, o Falco UAV, que não tem capacidade de ataque.

Em comunicado, as Forças Aéreas detalharam que o projeto, que era elaborado há dois anos, foi inaugurado hoje formalmente pelo presidente do Complexo Aeronáutico do Paquistão, Farhat Hussain, em sua sede de Kamra, no norte do país.

"O Paquistão se transformará agora em um membro do exclusivo clube de países que têm capacidade própria para produzir um avião não-tripulado tático moderno", festejou Hussain, segundo a nota.

A construção do Falco UAV, com a ajuda da empresa italiana Selex Galileo, permitirá às PAF "satisfazer às necessidades de vigilância e reconhecimento atuais e futuras", afirmou Hussain.

A aeronave, de pequeno porte e rápida, tem a missão básica de detectar, localizar e identificar alvos, possui câmera de televisão e processador de imagens quase em tempo real, mas não tem capacidade de ataque, segundo a descrição que a companhia italiana que o produz faz do aparelho.

Especialistas e fontes de inteligência ocidentais consultadas pela Agência Efe descreveram o Falco UAV como "um avião muito básico" que poderá servir de "apoio" ao Exército paquistanês em operações tanto terrestres quanto aéreas.

Fonte: EFE via G1 - Fotos: defence.pk

Com programa de segurança operacional, Anac "começa a sair da UTI", diz especialista

Começou a valer na segunda-feira (17), com efeito retroativo a 8 de janeiro deste ano, o Programa Brasileiro para a Segurança Operacional da Aviação Civil (PSO-BR). A portaria conjunta do Comando da Aeronáutica e da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) foi publicada na edição de segunda do Diário Oficial da União. Segundo o Jorge Barros, especialista em segurança de voo, esse é o primeiro passo para a agência, "que nasceu doente, começar a sair da UTI".

Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, palco de acidente aéreo que deixou 199 mortos em 2007

Pelo novo programa, a Anac passaria a formalmente ser responsável por algo que já era de sua responsabilidade desde que foi criada, em 2005: desenvolver um programa de segurança específico para a área de aviação civil. Até então, ela vinha agindo sob a tutela do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão vinculado à Força Aérea. "A Anac foi criada seguindo a regulamentação militar do Cenipa em termos de segurança de voo", explicou. "A novidade é que agora ela resolveu cuidar desse assunto sem a participação do órgão".

Para Barros essa é uma "evolução", pois foi dado o primeiro passo para que a agência assuma uma postura mais ativa na questão da segurança de voo na aviação civil, que possui características diferentes da aviação militar. "Cada área tem uma caractarística diferente. A aviação militar não visa o lucro. Já a aviação civil tem que vender segurança, mas há diferença na prática, na hora de cobrar a segurança. A aviação militar é mais arriscada e, por isso, as normas de segurança são mais rígidas", disse.

Para ele, no entanto, o principal problema da Anac permanece: a falta de recursos físicos e, especialmente, humanos. "Estão criando uma incumbência sobre o programa sem que haja recursos humanos para desenvolvê-lo, para redigir as normas e fiscalizar sua aplicação. Hoje, há muito pouca gente formada para atuar pela Anac. A maioria ainda provêm do Cenipa", afirmou.

Para que o PSO-BR seja de fato efetivo, é preciso que a agência desenvolva "seus processos internos em uma velocidade mais rápida", afirma Barros. "A demanda aumenta mais rápido do que o órgão é capaz de se organizar", disse. "Há uma confusão institucional muito grande. A Anac não tem gente para voar com piloto para fazer uma verificação. Aviões ficam três meses parados por falta de liberação. Ela cobra, mas não dá as condições institucionais para voar corretamente", continuou.

Para Barros, não faltam normas no Brasil, mas como aplicá-las, em especial na aviação civil. "Há normas de segurança saindo pelo ladrão. Mas a Anac não tem condições de atender aos serviços que ela é obrigada a prover", afirmou.

Isso, para Barros, acaba servindo de "subterfúgio para as companhias aéreas", que culpam a Anac quando acontece algum problema de segurança. "O setor está meio que ao Deus dará", apontou.

A solução, para o especialista, seriam concursos urgentes para contratar pessoal. A cada ano, segundo ele, 20% dos militares do Cenipa que atuam no órgão devem retornar aos seus quartéis e, pela ausência de concursos, o desfalque torna-se ano a ano maior na agência. "Em cinco anos terão saído 100% dos militares", diz.

As normas de segurança da aviação civil no mundo são desenvolvidas e sugeridas pela Oaci (Organização da Aviação Civil Internacional, ou Icao, da sigla em inglês). "O órgão diz a fórmula, mas cada país é autônomo para decidir aplicá-las. O Brasil tem sido pressionado, desde sempre, em algumas épocas mais, em outras menos, para segui-las", revelou.

Fonte: Ana Sachs (UOL Notícias) - Foto: Luiz Carlos Marauskas (Folha Imagem)

Anac começa a receber sugestões para criação de selo certificador de espaço em aviões

Interessados em contribuir com sugestões para a criação de um selo que irá classificar as companhias aéreas de acordo com o espaço entre as poltronas das aeronaves já podem enviar suas propostas para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A agência abriu nesta quinta-feira (20) consulta pública para tratar do assunto.

Qualquer pessoa poderá enviar contribuições até as 18h do dia 18 de setembro. As sugestões devem ser encaminhadas para a Gerência de Padrões e Normas Operacionais (GNPO) da Superintendência de Segurança Operacional da agência, pelo endereço eletrônico grsso@anac.gov.br. É necessário preencher um formulário específico disponível no endereço eletrônico no site da Anac (em .doc).

A proposta da agência é criar cinco categorias, partindo das distâncias mínimas, de 66 centímetros a 68,4 centímetros entre as poltronas (categoria E), até a máxima, com 76 centímetros ou mais (categoria A). Além de informar a distância entre as poltronas, o selo também deverá trazer dados sobre a largura do assento.

Para efeito de classificação, será considerada a menor distância encontrada em cada aeronave, já que há variações de acordo com a localização do assento. A conferência das medidas será feita por oficinas de manutenção aeronáutica certificadas pela própria agência, responsável por regular a aviação comercial.

As companhias não serão obrigadas a exibir o selo e também não será obrigatório aderir à iniciativa. A medida, como já havia adiantado à Agência Brasil o superintendente de Segurança Operacional da Anac, Carlos Eduardo Pelegrino, visa a oferecer referências para que os usuários possam avaliar a qualidade dos serviços prestados pelas empresas aéreas antes de comprar sua passagem.

"A informação é importante porque, com base nela, na hora em que você vai comprar sua passagem você pode decidir [em qual companhia viajar]. O que é confortável para mim, que tenho 1,87 metro, pode ser diferente para quem tem 2 metros", afirmou Pelegrino, explicando que o selo não servirá como referência para outros aspectos que influenciam na percepção do conforto, como os serviços de bordo.

As companhias que aderirem ao Selo Anac irão afixar etiquetas que mostrem a sua categoria nas aeronaves, além de publicá-las na internet nos sistemas de compra e reserva de passagens.

A proposta surgiu depois de estudo feito pela agência que coletou dados de 5.305 homens entre 15 e 87 anos, nos 20 principais aeroportos do país, além de medir o interior de aeronaves das duas maiores empresas aéreas brasileiras, TAM e Gol.

O estudo demonstrou que 17 dos 22 modelos de assentos avaliados atendem a 95% dos passageiros, já que a menor distância entre as poltronas é de 73,6 centímetros. Entre os passageiros pesquisados, a estatura média é de 1,73 metro e apenas 8% têm mais de 65 centímetros de comprimento entre a região glútea e o joelho. Em relação à largura do encosto do assento, o padrão utilizado pelas companhias brasileiras é de 45 centímetros, enquanto 70% dos passageiros pesquisados têm medidas maiores de largura entre os ombros.

Fonte: UOL Notícias

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Resumo dos acidentes e incidentes aéreos - 16 a 25 de julho

Aviões de médio e grande porte - 16 a 25 de julho de 2009

Sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ilyushin IL-62M, prefixo UP-I6208, da Aria Air, durante um pouso de emergência, saiu da pista em Mashhad, no Irã, e atravessou a parede do aeroporto antes de chegar a um ponto fora do perímetro do aeroporto, nos arredores de um cemitério da localidade, a cerca de 1000 metros a partir do final da pista. A seção de nariz e a seção da cabine ficaram destruídas. 16 pessoas morreram no acidente e 31 sofreram ferimentos. Fotos abaixo:

Seção do nariz arrancada

Fotos: AFP/Irna /Mehdi Ghorbani

Mapa - Cortesia do Google Earth

Airbus A319-100, prefixo G-EZDS, da Easyjet, perto de Veneza, na Itália, turbulência severa deixou ferido um passageiro e dois tripulantes

de Havilland Dash 8-100, prefixo C-GRGI, da Canadian North, em Pangnirtung, no Canadá, furaram os dois pneus do trem de pouso principal esquerdo na aterrissagem

Airbus A319-100, da S7 Sibir Airlines, em Kemerovo, na Rússia, sem flaps na aterrissagem

Boeing 777-200, prefixo N860DA, da Delta Airlines, perto de St. John's, Terra Nova, no Canadá, emergência médica

Boeing 757-200, da United Airlines, perto de Chicago, Illinois, EUA, quando um pó branco não identificado foi encontrado num guardanapo a bordo do avião, ele foi desviado para o aeroporto de Boston

Boeing 737-800, prefixo LN-RCN, da SAS Scandinavian Airlines, em Oslo, na Noruega, suspeita de esvaziamento do pneu do trem de pouso dianteiro

Boeing 767-300, prefixo VP-BWQ, da Aeroflot, em Moscou, na Rússia, fogo no trem de pouso esquerdo após a aterrissagem

McDonnell Douglas MD-82, da American Airlines, perto de Austin, no Texas, EUA, alerta de fogo num dos motores

de Havilland Dash 8-400, prefixo G-JECL, da Flybe, perto de Londres, na Inglaterra, fumaça na cabine


Quinta-feira, 23 de julho de 2009

Airbus A330-300, prefixo N820NW, da Northwest Airlines, em Amsterdam, Holanda, vazamento hidráulico que afetou alguns dos spoilers, entre outros sistemas

de Havilland Dash 8-100, da Air Canada Jazz, próximo a Toronto, no Canadá, vibração na coluna de controle

McDonnell Douglas MD-81, da JAL Japan Airlines/JAL Express (JEX), em Osaka, no Japão, cruzou a pista de aterrissagem sem autorização colocando em risco outro voo

Boeing 767-300, prefixo SP-LPE, da LOT Polish Airlines, perto de Nova Iorque, EUA, problemas no sistema de ar condicionado

Airbus A319-100, prefixo 9H-AEM, da Air Malta, em Reggio Calabria, na Itália, colisão com pássaros

Boeing 777-300, prefixo C-FIUR, da Air Canada, em Toronto, no Canadá, problemas nos flaps

Boeing 737-800, prefixo TC-JFM, da Turkish Airlines, perto de Paris, na França, atingido por um relâmpago logo após a decolagem

Airbus A320-200, da Air Indigo, perto de Mumbai, na Índia, tentativa de seqüestro, quando um passageiro alegou que havia uma bomba a bordo e exigiu que o avião desviasse para o Paquistão. A tripulação prosseguiu o voo e aterrissou em Mumbai, onde o passageiro foi preso


Quarta-feira, 22 de julho de 2009

Douglas DC-3, prefixo C-GWZS, da Buffalo Airways, perto de Edmonton, no Canadá, logo após a decolagem, a pressão de óleo caiu para 40 PSI e temperatura do óleo subiu para 95 graus no motor do lado direito (# 2, PW R1830). O motor foi desligado em voo

Boeing 737-300, prefixo D-AGEG, da Tuifly, perto de Mallorca, na Espanha, problemas hidráulicos

Boeing 767-400, prefixo N829MH, da Delta Airlines, sobre o Oceano Atlântico, lavatórios inoperantes

Airbus A340-300, prefixo F-GLZI, da Air France, em Boston, Massachusetts, EUA, alerta de fogo num dos motores

Embraer ERJ-145, da Freedom Air/Delta Airlines, em Cincinnati, Ohio, EUA, pane no motor

Boeing 737-400, prefixo SX-BKX, da Olympic Airlines, em Alexandroupolis, na Grécia, ingestão de pássaro pelo motor

Airbus A330-300, prefixo VH-QPD, da Qantas, perto de Singapura, atingido por um raio aproximadamente um minuto após a decolagem, sob chuva pesada


Terça-feira, 21 de agosto de 2009

Boeing 737-800, prefixo EI-EBB, da Ryanair, perto de Malaga, na Espanha, passageiro indisciplinado a bordo

Boeing 757-200 cargueiro, prefixo N868AN, da Arrow Cargo, perto de San Pedro Sula, em Honduras, alerta de fumaça

Airbus A321-200, prefixo OY-VKA, da Thomas Cook Airlines Scandinavia, perto de Budapeste, na Hungria, emergência médica

Boeing 737-700, prefixo XA-NAM, da Aeromexico, em San Francisco, na Califórnia, EUA, tinha acabado de ser empurrado para trás do Gate A5 do Aeroporto de San Francisco, quando o trem de pouso dianteiro entrou em colapso

Boeing 767-300, da Delta Airlines, no Rio de Janeiro, no Brasil, colisão com pássaros

Boeing 737-200, prefixo EX-25004, da Eastok Avia/ Kyrgyzstan Air Company, perto de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, alerta de incêndio num dos motores

Boeing 757-200, prefixo 9N-ACA, da Nepal Airlines, em Kathmandu, no Nepal, vazamento hidráulico, resultando em a perda de um dos três sistemas hidráulicos a bordo


Segunda-feira, 20 de julho de 2009

Canadair CRJ-100, prefixo C-FRIB, da Air Canada Jazz, em Halifax, Nova Escócia, no Canadá, falha no trem de pouso dianteiro

Boeing 737-300, prefixo EI-RXT, da Transaero/ONU, em Moscou, na Rússia, perdeu a ponta da carenagem da asa direita durante a decolagem do aeroporto de Domodedovo

Avro RJ-85, prefixo D-AVRR, da Lufthansa Cityline, perto de Bruxelas, na Bélgica, para-brisa rachado

Embraer ERJ-170, prefixo JA211J, da J-Air/JAL Japan Airlines, perto de Nagoya, no Japão, vibração do motor que funcionava fora dos limites

Boeing 737-700, prefixo PH-XRE, da Transavia, perto de Amsterdam, colidiu com um falcão e retornou ao aeroporto. Trinta minutos após nova decolagem, a tripulação percebeu um problema no sistema anti-gelo e o avião regressou mais uma vez ao aeroporto

Boeing 767-200, prefixo N319AA, da American Airlines, perto de Tulsa, no Oklahoma, EUA, alerta de incêndio num dos motores

Boeing 767-300, prefixo N658UA, da United Airlines, sobre o Oceano Atlântico, fumaça na cabine e no cockpit

Antonov AN-24, da Angara Airlines, perto de Irkutsk, na Rússia, falha no sistema do ar condicionado


Domingo, 19 de julho de 2009

Boeing 767-300, prefixo C-FTCA, da Air Canada, próximo a Calgary, no Canadá, vazamento de combustível

Boeing 747-200, prefixo EP-IAH, da Iran Air, perto de Teerã, no Irã, um dos motores apresentou um aumento excessivo de temperatura após cerca de 30 minutos de voo e precisou ser desligado

Airbus A340-600, prefixo D-AIHY, da Lufthansa, perto de Boston, em Massachusetts, EUA, problemas elétricos

Antonov AN-124-100 cargueiro, da Polet, em Abakan, na Rússia, falha do motor em voo

Embraer ERJ-145, da Freedom Airlines/Delta Airlines, próximo a Syracuse, Nova Iorque, EUA, pane no motor durante o voo

Boeing 747-400, prefixo PH-BFI, da KLM, sobre a Escócia, retornou a Amsterdam, na Holanda, por precaução

Boeing 747-400, prefixo B-HUJ, da Cathay Pacific, próximo a Fukuoka, no Japão, fumaça na cabine dos passageiros e no cockpit


Sábado, 18 de julho de 2009

Airbus A319-100, prefixo N807AW, da US Airways, em Fênix, no Arizona, EUA, realizou passagem baixa sobre o aeroporto de Fênix, para inspeção do trem de pouso pela torre. Foto e vídeo abaixo:

O N807AW sendo rebocado após a aterrissagem - Foto: Mr.Blujet em Tempe (AZ)




Canadair CRJ-200, da Pinnacle Airlines/Northwest Airlines, no Wisconsin, EUA, problemas no trem de pouso dianteiro após a decolagem

Boeing 737-700, da Southwest Airlines, próximo a Indianapolis, em Indiana, EUA, um dos passageiros recebeu uma picada de um escorpião pouco antes da aterrissagem

Boeing 737-300, prefixo G-THON, da Thomson Airways, em rota de Dublin, na Irlanda, para Ibiza, na Espanha, passageiro agrediu outro passageiro e a tripulação

Boeing 737-300, prefixo PK-LIV, da Lionair, perto de Makassar, na Indonésia, para-brisas esquerdo rachado

Boeing 767-300, prefixo JA8253, da JAL Japan Airlines, perto de Nagoya, no Japão, falha nos sistemas de ar condicionado, resultando em problemas de pressão da cabine


Sexta-feira, 17 de julho de 2009

Airbus A320-200, prefixo C-FDQQ, da Air Canada, próximo a Toronto, no Canadá, forte odor de amônia a bordo causando náuseas a alguns tripulantes e passageiros

Boeing 737-400, prefixo N424US, da US Airways, perto de Charlotte, na Carolina do Norte, EUA, colisão com pássaro

Aerospatiale ATR-72-500, prefixo VT-KAC, da Kingfisher, em Nagpur, na Índia, atropelamento de um porco que atravessava a pista durante a aterrissagem

Boeing 757-200, prefixo N601AN, da American Airlines, perto de Jacksonville, na Flórida, EUA, fumaça na cabine de comando

Embraer ERJ-145, prefixo G-RJXO, da BMI British Midland, perto de Aberdeen, na Escócia, cheiro de fumaça na cabine


Quinta-feira, 16 de julho de 2009

Canadair CRJ-100, prefixo C-FSKE, da Air Canada Jazz, em Halifax, Nova Escócia, no Canadá, falha no trem de pouso pouco antes da aterrissagem

Boeing 737-700, da Westjet Airlines, em Toronto, no Canadá, estouro do trem de pouso dianteiro durante a decolagem

Airbus A320-200, prefixo C-GPWG, da Air Canada, próximo a Vancouver, no Canadá, falha no motor após decolagem

Airbus A320-200, da GoAir, em Ahmedabad, na Índia, abortou decolagem após ingestão de pássaro pelo motor direito

Airbus A319-100, prefixo D-AKNO, da Germanwings, em Berlin, na Alemanha, portas do compartimento do trem de pouso abertas. Fotos abaixo:

O D-AKNO na abordagem à pista com as portas do compartimento do trem de pouso totalmente abertas - Foto: Avronaut

O D-AKNO sendo rebocado - Foto: Avronaut

Boeing 747-300, prefixo AP-BGG, da PIA - Pakistan International Airlines, em Islamabad, no Paquistão, colisão com pássaros

Airbus A340-300, prefixo 3B-NAY, da Air Mauritius, em rota entre Paris, na França, para as Ilhas Maurício, passageiro ferido por outro passageiro

Canadair CRJ-200, prefixo N241PS, da PSA Airlines, próximo a Milwaukee, em Wisconsin, EUA, falha do motor em voo

Fonte: Aviation Herald

Família de aeromoça do voo 447 Rio-Paris processa a Air France

Os familiares de uma aeromoça que morreu em 1º de junho no acidente do voo AF 447 entre Rio de Janeiro e Paris anunciaram nesta quinta-feira que vão pedir o indiciamento da Air France, convencidos de que a companhia foi falha em termos de segurança.

"A Air France tem que pagar pelo que fez e assumir as responsabilidades pelas sondas Pitot de medição de velocidade", declararam o pai e o irmão da vítima, Carla Mar Amado, com 31 anos, no momento da catástrofe.

Carlos e Drago Amado lamentaram que "uma empresa tão rica tenha sido negligente em termos de segurança".

"Falaram para as famílias das vítimas que estão em busca da verdade, mas já sabemos a verdade: as sondas Pitot são a causa exclusiva do acidente", declarou o o advogado de acusação, Jean-Claude Guidicelli, que vai pedir o indiciamento da Air France.

As causas exatas do acidente ainda não são conhecidas, e o Birô de Investigação e Análise (BEA) francês, encarregado da investigação técnica, indicou nesta quinta-feira que uma segunda fase de buscas da caixa preta, no meio do Atlântico, foi infrutífera.

Há fortes suspeitas sobre as sondas Pitot, os sensores de medição de velocidade do avião que, segundo investigadores, forneceram aos pilotos da Airbus A330 informações incoerentes.

Os problemas dos sensores foram revelados pelas mensagens técnicas automáticas enviadas pelo avião antes do acidentes.

O último relatório oficial da investigação sobre este acidente revelou em 2 de julho que o avião não explodiu em voo, e que ele tocou a superfície da água. O BEA indicou também que uma falha das sondas de medida de velocidade da aeronave era um elemento de explicação do acidente.

A família da aeromoça condena também a Air France de não informar suficientemente as famílias das vítimas.

"Nada saiu das três reuniões que foram organizadas para as famílias das vítimas. Toda vez, o aspecto técnico do acidente se dissipa e nos dizem que temos de deixar as investigações prosseguirem", declararam em entrevista à imprensa em Toulon (sudeste) os parentes da jovem.

A próxima reunião de informação das famílias está prevista, segundo a família Amado, para 24 de setembro em Paris.

No acidente, 228 pessoas, das quais 216 eram passageiros e 12 eram membros da tripulação, morreram.

Uma informação judicial por "homicídio involuntário" foi aberto pela procuradoria de Paris.

O BEA afirma ainda ter esperança de encontrar as caixas pretas do A330.

"Se as buscas não encontrarem mais nada, o BEA reunirá nas próximas semanas uma equipe internacional de investigadores e especialistas para examinar os dados reunidos na expectativa de uma terceira fase de buscas e determinar as modalidades e os meios para realizá-la", escreveu em um comunicado.

As buscas foram efetuadas recentemente por um navio francês, equipado por um pequeno submarino e um robô.

Fonte: AFP

Escócia anuncia libertação de condenado por atentado a avião

Ali al-Megrahi, condenado por ataque que derrubou avião e matou 270 em 1988, sofre de câncer terminal

Megrahi é enviado de volta à Líbia


O governo escocês anunciou hoje a libertação por motivos humanitários do terrorista Abdelbaset Ali al-Megrahi, condenado em 2001 à prisão perpétua pelo atentado contra um avião de Pan Am em Lockerbie, na Escócia, no qual 270 pessoas morreram.

O ministro da Justiça da Escócia, Kerry MacAskill, disse que Megrahi, de 57 anos e que tem um câncer terminal, será levado à Líbia, uma decisão que representa um desafio aos pedidos feitos pelos Estados Unidos para que o condenado continuasse na prisão.

MacAskill se responsabilizou totalmente pela decisão, que justificou pelo critério do sistema judiciário escocês, segundo o qual "a Justiça deve ser cumprida, mas é preciso mostrar compaixão" em casos como este, já que o terrorista líbio só tem três meses de vida, segundo relatórios médicos.

"A Justiça lhe chegará agora de um poder mais alto, que ninguém nem nenhuma jurisdição pode revogar. Vai morrer", disse.

Megrahi é o único condenado pelo ataque, em 1988, a um Boeing 747 que se dirigia aos Estados Unidos, que explodiu quando sobrevoava a localidade escocesa de Lockerbie, atentado no qual morreram os 259 ocupantes do aparelho, 189 deles americanos, e 11 moradores do município.

O governo do presidente dos EUA, Barack Obama, tornou pública sua rejeição à libertação do terrorista durante os últimos dias, através da secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

"Pedimos às autoridades escocesas que não adotem essa decisão e esperamos que não a tomem", disse Hillary, na quarta-feira.

Pouco antes do anúncio oficial, um avião partiu da capital da Líbia, Trípoli, com destino a Glasgow (Escócia) para levar Megrahi, que cumpriu apenas oito anos de prisão do mínimo de 27 anos previsto em sua condenação.

Fontes EFE via UOL Notícias/Reuters via Estadão.com.br - Foto: AP

França põe fim às buscas por caixas-pretas do avião da Air France

A França colocou fim às buscas pelas caixas-pretas do voo AF447 da companhia aérea Air France, acidentado com 228 pessoas a bordo quando fazia o trajeto entre Rio de Janeiro e Paris em 1º de junho, informou hoje o Escritório de Investigações e Análises (BEA).

"As buscas não permitiram localizar os destroços do avião", informou o BEA, em comunicado, no qual indicou que, "ao longo das próximas semanas, reunirá uma equipe internacional de investigadores e especialistas para analisar os dados recolhidos".


Fonte: EFE via UOL Notícias - Imagem: AFP