segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Jornalista será primeiro brasileiro a fazer turismo espacial

Brasileiro vive na Austrália e ganhou do chefe a viagem, prevista para 2010.

Evento nos Estados Unidos mostrou aviões que levarão nave com turistas.



Um jornalista que vive na Austrália será o primeiro brasileiro a fazer uma viagem de turismo fora da atmosfera. Wilson da Silva ganhou a viagem, que custa R$ 400 mil de seu chefe, Alan Finkel, um neurocientista que atua em várias entidades internacionais e fundou a revista "Cosmos", que é dirigida pelo brasileiro.

"Eu pensei na questão por 0,1 segundo", disse Silva quando seu chefe ofereceu a viagem. "Eu disse sim, sim! Eu quero ir ao espaço!"

Silva está entre os cem primeiros inscritos para a viagem, mas haverá um sorteio para definir a ordem dos viajantes, uma vez que a nave levará apenas seis passageiros e dois pilotos. Por isso, pode demorar algum tempo para que Silva viaje.

A previsão é de início das operações no próximo ano com um vôo por semana partindo do deserto de Mojave, na Califórnia, nos Estados Unidos.

De acordo com a simulação, dois aviões levarão a nave com os turistas a uma altura de cerca de 15 quilômetros, onde liberarão o módulo. A nave com os turistas continuará subindo a uma velocidade de 4 mil quilômetros por hora até uma altura de cerca de cem quilômetros, quando os motores serão desativados. A gravidade vai se reduzindo até zero e os viajantes poderão viver a experiência de flutuar no espaço durante 15 minutos.

"Só não pode vomitar no espaço, isso seria horrível", diz o jornalista.

Em seguida, a nave descerá como se fosse um planador.

O criador do projeto é o britânico Richard Branson. Ele conta que ainda serão feitos muitos testes, porque “todo mundo tem que ter passagem de volta”. “Esse é o futuro do turismo espacial”, disse Branson. “Por alguns anos, esse vai ser o meio mais usado pra se chegar ao espaço”. A perspectiva é que após o início da operação o preço caia pela metade. O sonho dele é, no futuro, poder levar turistas à Lua.

Os aviões que irão carregar a nave com os turistas espaciais já estão prontos. A primeira exibição pública foi feita nos Estados Unidos para cerca de 200 mil pessoas na cidade de Oshkosh. Os aviões podem voar a 18 mil metros de altitude e são feitos quase integralmente de um material plástico levíssimo e super-resistente.

No mesmo festival de aviação em que os aviões foram expostos o público também pode observar um carro que vira avião. Carro-voador já existia em 1949, mas o atual tem uma grande vantagem. “O aerocarro levava 20 minutos pra se transformar em avião. Era mais fácil pegar um táxi. Nós fazemos a conversão em 30 segundos”, explica Carl Dietrich, doutor em aeronáutica por uma das melhores universidades dos Estados Unidos e projetor do modelo atual. O novo carro-voador chega ao mercado em dois anos e vai custar quase R$ 400 mil.

Ainda no evento, os visitantes puderam observar uma motocicleta voadora. No projeto, a moto vem com ar-condicionado, dois lugares e asas em formato de navalha. “A moto vai fazer curvas com tanto balanço que você vai pensar que está voando no sol. Quando precisar saltar um obstáculo, você vai realmente voar”, diz Sam Bousfield, autor do projeto.

Fonte: G1 (com informações do Fantástico)

Médico diz que faltou adrenalina para atender jovem morta em avião

Jacqueline Ruas, de 15 anos, morreu antes de avião pousar em Guarulhos.

Exame do IML constatou que ela teve pneumonia.

Um dos médicos que atenderam a adolescente Jacqueline Ruas, morta na madrugada deste domingo (2) durante voo da Disney para Guarulhos, em São Paulo, disse que a tripulação do avião da Copa Airlines não pôde fornecer um dos medicamentos solicitados para tentar reanimar a garota. A assessoria de imprensa da Copa Airlines informou que todos os voos possuem kit médico completo, incluindo desfibrilador. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, ela teve pneumonia.

Oftalmologista, Aníbal Fenelon, de 58 anos, atuou ao lado do cirurgião Irineu Roseira Júnior dentro do avião. Segundo o relato do médico, eles tiraram a passageira da poltrona e levaram para uma área reservada da aeronave para realizar massagem cardíaca, mas não houve tempo.

"Nós solicitamos adrenalina porque as manobras não estavam surtindo efeito. Não havia adrenalina a bordo, mas mesmo que tivesse não surtiria efeito", disse ele. O assessor de imprensa da Copa não soube dizer se a tripulação dispunha de adrenalina.

Fonte: Paulo Toledo Piza (G1)

domingo, 2 de agosto de 2009

Embraer atinge lucro líquido de R$ 466,9 milhões no segundo trimestre deste ano

Embraer entregou 56 aeronaves no 2º trimestre de 2009, quatro aeronaves a mais que no segundo trimestre de 2008

A Embraer, empresa líder na fabricação de jatos comerciais com até 120 assentos, apresentou no segundo trimestre de 2009 (2T09) receita líquida de R$ 3.019,3 milhões e lucro líquido de R$ 466,9 milhões, correspondente a um lucro por ação de R$ 0,64520.

A carteira de pedidos firmes da Embraer atingiu ao final do 2T09 o nível de US$ 19,8 bilhões, com a família Embraer 170/190 acumulando um total de 882 pedidos firmes e 794 opções de compra.

No 2T09, a Embraer entregou 35 jatos para o segmento de aviação comercial e 19 para o segmento de aviação executiva, além de dois jatos Phenom 100 para o segmento de defesa.

A receita líquida da Embraer no trimestre totalizou R$ 3.019,3 milhões, comparada aos R$ 2.707,5 milhões registrados no 2T08, representando um crescimento de 11,5%, por conta principalmente da alta de 25,2% da taxa média de câmbio na comparação entre os períodos. A margem bruta de 22,1% também registrou crescimento quando comparada aos 20,9% do 2T08. Tal melhora reflete o ajuste feito na estrutura organizacional iniciado no final de 2008, além de ganhos de produtividade obtidos por meio do programa P3E.

As despesas operacionais somaram R$ 265,4 milhões, representando uma redução de 12,4% em relação aos R$ 302,8 milhões apurados no mesmo trimestre do ano passado, principalmente por conta dos ajustes iniciados em 2008, tanto nas estruturas de pessoal de todas as áreas como no controle de gastos das mesmas.

As despesas comerciais apresentaram queda de 11,8%, passando de R$ 175,8 milhões no 2T08 para R$ 155,0 milhões no 2T09, e as despesas administrativas mantiveram-se estáveis passando de R$ 97,9 milhões no 2T08 para R$ 98,2 milhões no 2T09. Assim, o lucro operacional do 2T09 ficou em R$ 400,4 milhões, ou 52,5% superior aos R$ 262,5 milhões obtidos no 2T08. A margem operacional ficou em 13,3%, apresentando crescimento em relação aos 9,7% do 2T08, reflexo da melhoria na margem bruta e dos ajustes acima citados.

O resultado líquido do trimestre foi de R$ 466,9 milhões, 31% maior que os R$ 356,5 milhões do 2T08, e a margem líquida de 15,5% também apresentou crescimento em comparação aos 13,2% do 2T08.

Destaques do 2º trimestre de 2009

Embraer lança programa do jato de transporte militar KC-390

Durante a sétima edição da Latin America Aero and Defence (LAAD), feira aeronáutica e de defesa que aconteceu de 14 a 17 de abril no Riocentro, na cidade do Rio de Janeiro, a Embraer fechou contrato com a Força Aérea Brasileira (FAB) para o programa da aeronave de transporte militar KC-390.

Embraer modernizará jatos AF-1 E AF-1A da Marinha do Brasil

Também durante a LAAD 2009, a Embraer assinou um contrato para a modernização de 12 jatos da Marinha do Brasil – nove AF-1 (monoposto) e três AF-1A (biposto). O programa é o primeiro de grande porte entre a Empresa e a Marinha e tem como objetivo a atualização tecnológica das 12 aeronaves.

Embraer confirma sete opções de E-JETS para a KLM Cityhopper

A Embraer e a KLM Cityhopper, subsidiária regional da KLM, assinaram um contrato para mais sete jatos Embraer 190, confirmando opções contratadas no pedido original, divulgado em agosto de 2007. A companhia holandesa tem ainda 11 opções de compra para jatos da Embraer. As entregas deste novo pedido devem começar no primeiro semestre de 2010.

Embraer vende terceiro e-JET à Fuji Dream Airlines, do Japão

A Embraer anunciou a venda de um terceiro E-Jet – um Embraer 175 – à Fuji Dream Airlines, uma companhia japonesa do Grupo Suzuyo. O contrato original, assinado em novembro de 2007, incluía ordens firmes para dois jatos Embraer 170 e direitos de compra para outra aeronave do mesmo modelo. A revisão do acordo possibilitou à Fuji Dream encomendar o Embraer 175. Embraer inicia entregas do Lineage 1000

A Embraer entregou no começo de maio o primeiro jato executivo Lineage 1000. O avião encomendado por HE Aamer - Abdul Jalil Al Fahim,de Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, foi exposto na EBACE 2009, de 12 a 14 de maio. Jato Executivo Phenom 100 da Embraer é certificado pela e ASA

O jato executivo Phenom 100, da categoria entry level, recebeu no final de abril o Certificado de Tipo da European - Aviation Safety Agency (EASA), autoridade de aviação civil da Europa, para operações diurnas e noturnas – Regras de Vôo Visual (Visual Flight Rules – VFR) e Regras de Vôo por Instrumentos (Instrument Flight Rules – IFR), com distância de separação vertical mínima (Reduced Vertical Separation Minimum – RVSM) e em condições pré-determinadas de gelo. A aeronave também foi certificada, em dezembro do ano passado, pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e pela Federal Aviation Administration (FAA), autoridades de aviação civil do Brasil e dos Estados Unidos.

Embraer entrega 1.100º Jato da Família ERJ 145 e 100ª Aeronave Super Tucano

A Embraer entregou no final de maio o 1.100º jato da família ERJ 145. O avião é um jato executivo Legacy 600, modelo que possui mais de 170 unidades entregues em 25 países desde a entrada em serviço em 2002.

Na mesma semana, a Embraer também entregou a 100ª aeronave Super Tucano. O avião foi recebido pela Força Aérea Brasileira (FAB), cliente que encomendou 99 das 169 unidades vendidas do modelo para treinamento avançado e ataque leve.

Demonstração de resultados

A tabela abaixo apresenta uma análise comparativa dos principais indicadores da demonstração de resultados consolidados da Embraer referente ao 1T09, 2T08 e 2T09:

Entregas, Receita Líquida e Margem Bruta: No 2T09, a Embraer entregou 56 jatos, quatro aeronaves a mais que os 52 entregues no 2T08:

A receita líquida do segmento de aviação comercial representou 66,7% do total das receitas da Embraer no 2T09, enquanto os outros segmentos da Empresa representaram 33,3% da receita total, comparados a uma participação de 30,8% em igual período de 2008.

A receita do segmento de defesa apresentou crescimento de 21,3% quando comparamos a receita de R$ 209,2 milhões no 2T09 com os R$ 172,4 milhões do 2T08. Tal aumento se deu principalmente por conta da variação cambial no período.

Com a entrega de cinco jatos Legacy 600, 13 Phenom 100 e o primeiro Lineage 1000 no 2T09, a receita do segmento de aviação executiva atingiu R$ 431,1 milhões, representando um crescimento de 14,4% na comparação com os R$ 376,9 milhões apurados no 2T08, também impulsionado pelos efeitos da variação cambial.

O segmento de serviços aeronáuticos registrou faturamento de R$ 313,5 milhões no 2T09, 23,1% acima dos R$ 254,7 milhões registrados no 2T08, explicado principalmente pela oscilação cambial verificada na comparação entre os períodos.

A margem bruta de vendas no 2T09 foi de 22,1%, maior que os 20,9% obtidos em igual período do ano anterior. A melhora pode ser explicada pelo ajuste no custo de mão-de-obra direta realizado no 1T09, além dos ganhos de produtividade obtidos desde a implantação do P3E.

Despesas Operacionais e Lucro Operacional

As despesas operacionais totalizaram R$ 265,4 milhões no 2T09, 12,4% abaixo dos R$ 302,8 milhões apurados no 2T08, refletindo os ajustes efetuados na estrutura de custos e também ao rígido controle das despesas.

As despesas administrativas somaram R$ 98,2 milhões no 2T09 apresentando estabilidade quando comparadas aos R$ 97,9 milhões apurados no 2T08.

As despesas comerciais totalizaram R$ 155,0 milhões no 2T09, representando uma redução de 11,8% em relação aos R$ 175,8 milhões do 2T08, também por conta de ganhos de produtividade advindos da otimização dos processos e do controle de gastos com pessoal e custos, além das diferenças entre o mix de aeronaves entregues nos períodos.

A rubrica Outras (Despesas) Receitas Operacionais Líquidas apresentou no 2T09 despesa de R$ 12,1 milhões comparada a uma despesa de R$ 29,0 milhões no 2T08.

O lucro operacional da Embraer antes das receitas e despesas financeiras foi de R$ 400,4 milhões no 2T09, ante aos R$ 262,5 milhões apurados no 2T08. A margem operacional atingiu 13,3% no 2T09, acima dos 9,7% apurados no 2T08. A margem operacional do 2T09 reflete claramente o foco que tem sido dado no controle e redução da estrutura de custos fixos da Empresa, possibilitando assim uma maior diluição destes frente ao patamar de receita apresentado.

A variação do Lucro Líquido

A Embraer apresentou uma receita financeira líquida de R$ 5,0 milhões no 2T09, abaixo dos R$ 11,7 milhões apurados no 2T08, principalmente por conta da queda da taxa de juros no período. A despesa com variações monetárias e cambiais totalizou R$ 95,6 milhões, ante uma receita de R$ 44,3 milhões registrada em igual período do ano passado. Tal oscilação é explicada pelo impacto das variações cambiais sobre ativos e passivos denominados em quaisquer moedas à exceção do Dólar.

No 2T09, a Embraer contabilizou uma receita de Imposto de Renda e Contribuição Social de R$ 162,3 milhões, comparada com R$ 41,1 milhões no 2T08. O crescimento da receita (benefício) com impostos se deu por conta do impacto dos tributos diferidos em função das diferenças temporárias entre a base fiscal e contábil.

O lucro líquido apresentado pela Empresa no 2T09 foi de R$ 466,9 milhões, apresentando um crescimento de 31% na comparação com o mesmo período do ano anterior quando o lucro líquido foi de R$ 356,5 milhões. A margem líquida apurada no 2T09 foi de 15,5%, apresentando alta em comparação aos 13,2% apurados no 2T08.

Gestão Financeira

Em 30 de junho de 2009 a posição de caixa da Embraer, incluindo aplicações financeiras e títulos e valores mobiliários, totalizava R$ 3.648,4 milhões. Na mesma data, o endividamento total era de R$ 3.578,7 milhões. Assim, no final do 2T09, a Empresa apresentava uma posição de caixa líquido de R$ 69,7 milhões.


Disponibilidades

O caixa da Embraer apresentou redução de R$ 246,1 milhões no 2T09, totalizando ao final do período R$ 3.648,4 milhões, em comparação ao valor registrado em 31 de março de 2009 de R$ 3.894,5 milhões, principalmente em função do efeito da variação cambial na porção do caixa da Empresa determinada em outras moedas, principalmente o dólar.

Do total do caixa, que inclui aplicações financeiras de curto prazo e títulos e valores mobiliários, 45,6% são aplicações denominadas em Reais e os demais 54,4% em outras moedas, principalmente em Dólar. A estratégia de investimento do caixa da Embraer está baseada no equilíbrio entre ativos e passivos quanto à exposição cambial e na perspectiva dos investimentos futuros que são em sua maioria realizados em Reais.

Contas a receber e estoques

As rubricas contas a receber e financiamento a clientes apresentaram redução de R$ 139,5 milhões, ou 11,2% em relação ao trimestre anterior, passando de R$ 1.244,0 milhões no 1T09, para R$ 1.104,5 milhões no 2T09.

Os estoques apresentaram redução de R$ 1.567,1 milhões, ou 20,7%, na comparação entre o 2T09 e o 1T09, totalizando R$ 6.011,8 milhões em 30 de junho de 2009. Após reduzir a sua estimativa de entregas de aeronaves no 1T09, a Embraer vem gradualmente equilibrando suas receitas com as compras de materiais. Além do forte efeito da oscilação cambial na precificação do estoque da Embraer, o maior número de entregas de jatos na comparação entre os trimestres levou à redução da quantidade de partes e matérias primas nos estoques da Empresa.

Endividamento

Durante o 2T09, o endividamento da Embraer diminuiu R$ 67,7 milhões, encerrando o período em R$ 3.578,7 milhões.

O endividamento de curto prazo representou 48,9% do total das linhas de crédito da Empresa no 2T09 enquanto no 1T09 correspondia a 26,9%. O crescimento da parcela de curto prazo no endividamento total da Embraer é justificado por linhas de financiamento de exportações que têm vencimento nos próximos 12 meses.

No 2T09, 40,9% do endividamento total estava denominado em Reais, a um custo médio ponderado de 7,99% ao ano, enquanto os restantes 59,1% estavam denominados em outras moedas, basicamente em Dólares, estando sujeitos a juros médios ponderados de Libor + 1.8% ao ano, acrescidos da variação cambial.

Investimentos em P&D e produtividade pesquisa e desenvolvimento (P&D)

No 2T09 foram investidos R$ 115,8 milhões no desenvolvimento de novos e atuais projetos de diversas áreas da Empresa e, em especial, os lançados pelo segmento de aviação executiva. A Embraer busca constantemente o aperfeiçoamento de seus produtos para a geração de valor aos operadores e usuários das suas aeronaves, fonte de geração de resultados e criação de valor para os acionistas.

Produtividade e capacitação industrial

Os investimentos realizados em capacitação industrial da Empresa, incluindo melhorias e modernização dos processos industriais e de engenharia, máquinas e equipamentos totalizaram R$ 41,8 milhões no 2T09, principalmente por conta dos investimentos no aumento de cadência de produção dos jatos executivos e na implementação da rede de suporte pós-venda para esses produtos.

Pedidos em carteira e previsão de entregas

A Embraer entregou 56 aeronaves no 2T09, quatro aeronaves a mais que o 2T08. Em 30 de junho de 2009, a Embraer apresentava o seguinte quadro de pedidos em carteira:

A carteira total de pedidos firmes encerrou o 2T09 com US$ 19,8 bilhões. A figura abaixo apresenta a evolução dos pedidos em carteira da Embraer nos últimos trimestres.

Pedidos Firmes em Carteira (US$ bilhões):


Relações com investidores

No mercado doméstico as ações ordinárias da Embraer negociadas no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F BOVESPA S.A) encerraram o segundo trimestre cotadas a R$ 8,15, com valorização de 4,9% em relação ao fechamento de R$ 7,77 em 31 de março de 2009. O índice Bovespa valorizou-se em 25,7% no mesmo período de apuração, registrando fechamento a 51.465 pontos em 30 de junho de 2009, ante aos 40.926 pontos em 31 de março de 2009.

Já as ADS’s (American Depositary Shares) da Empresa, representadas por quatro ações ordinárias e negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), atingiram a cotação de US$ 16,56 no último pregão do segundo trimestre de 2009, apresentando valorização de 24,8% em relação ao fechamento de US$ 13,27 em março de 2009.

O volume médio diário das ações ordinárias (ON) da Embraer negociadas no segundo trimestre de 2009 foi de 1,9 milhões, representando um volume financeiro médio diário de R$ 17,8 milhões, maior em relação ao volume médio diário de 1,4 milhão de títulos e maior em relação ao volume médio financeiro diário de R$ 10,8 milhões registrados no primeiro trimestre de 2009.

O volume médio diário das ADS’s foi de 969 mil títulos negociados, equivalentes a uma média financeira diária de US$ 17 milhões durante o segundo trimestre de 2009, com diminuição frente ao volume médio diário negociado de 1.089 mil títulos e crescimento frente ao volume médio financeiro diário de US$ 15,1 milhões negociados durante o primeiro trimestre de 2009.

Perfil

A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - NYSE: ERJ; BM&F BOVESPA S.A: EMBR3) é uma Empresa líder na fabricação de jatos comerciais de até 120 assentos e uma das maiores exportadoras brasileiras. Com sede em São José dos Campos, no Estado de São Paulo, a Empresa mantém escritórios, instalações industriais e oficinas de serviços ao cliente no Brasil, Estados Unidos, França, Portugal, China e Cingapura. Fundada em 1969, a Embraer projeta, desenvolve, fabrica e vende aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva, e defesa. A Empresa também fornece suporte e serviços de pós-vendas a clientes em todo o mundo. Em 30 de junho de 2009, a Embraer contava com 17.237 empregados – número que não inclui empregados de suas subsidiárias não-integrais OGMA e HEAI – e possuía uma carteira de pedidos firmes a entregar de US$ 19,8 bilhões. http://www.embraer.com.br/.

Acesse aqui os Resultados Financeiros do 2º trimestre de 2009 (em .pdf)

Fonte: Portal Fator Brasil

Comemoração do Tricentenário de Invenção do Balão de Ar Aquecido

Bartolomeu de Gusmão, o Padre Voador

Bartolomeu de Gusmão, em tela do pintor Benedito Calixto - Clique na imagem para ampliá-la

A contribuição brasileira à conquista dos ares não se limitou a Santos Dumont. Cerca de 190 anos antes de o 14 Bis ter sobrevoado Paris, o Padre Bartholomeu de Gusmão apresentava à corte portuguesa seu aeróstato impulsionado por ar aquecido. Era o dia 8 de agosto de 1709.

Para comemorar o tricentenário dessa invenção, Santos, sua cidade natal, preparou grande programação, que vai culminar com a chegada dos restos mortais do “Padre Voador” e de seu irmão, Alexandre de Gusmão. O ato inicial dos festejos acontecerá às 20 h de segunda-feira (3 de agosto) , no Instituto Histórico e Geográfico de Santos (IHGS), com o lançamento de carimbo postal comemorativo à data.

Complementando a solenidade no IHGS, uma coleção particular de selos alusivos a Gusmão, não apenas do Brasil, mas ainda de Portugal e de outros países, será acompanhada de uma segunda mostra, com exibição de maquetes e miniaturas de outras invenções do padre. O objetivo é demonstrar que o “Primeiro Cientista das Américas” ainda idealizou «vários modos de esgotar sem gente as naus que fazem água» (1710) , o «carvão de lama» (1721), a «máquina para aumentar o rendimento dos moinhos hidráulicos» (1724) etc. Essa última exposição poderá ser apreciada na sede do IHGS, na Avenida Conselheiro Nébias, 689, de terça (4) até quinta (6), das 9h às 12h e das 14h às 17h. Na sexta (7), o horário vai das 9h às 12h.

“Nossos heróis devem descansar em solo santista, lembrando que nossa terra possui personalidades que honram o País”, ressalta o prefeito João Paulo Papa sobre o translado da urna de Bartlolomeu de Gusmão, vinda da Catedral da Sé de São Paulo, e da urna de Alexandre de Gusmão, que se encontra na Secretaria de Estado da Cultura, também na Capital paulista. O presidente do IHGS e membro da “Comissão 300 Anos”, Paulo Gonzalez Monteiro, declara: “ A iniciativa do IHGS comprova a nova realidade da instituição que, dessa forma, volta a cumprir sua missão de ser a responsável pela preservação e resgate da história regional”. Ele destaca que a viabilização das ações só foi possível graças aos apoios obtidos.

Festa na terra e no ar

No sábado (8), a programação começa às 9h, quando acontece a 3ª etapa do ‘SP Open de Biathlon’. Com largada a partir das 9 horas do Aquário, seguindo pela Avenida Bartolomeu de Gusmão até o canal 4, a competição será mais uma homenagem ao “Primeiro Cientista das Américas”.

Um dos momentos mais importantes das festividades vai ocorrer às 10h, na Praça Ruy Barbosa, no Centro Histórico, onde se localiza o monumento do cientista. Vindos de São Paulo, os restos mortais de Bartholomeu e os de seu irmão, Alexandre de Gusmão, serão transladados para a cripta da Catedral de Santos. Logo após a cerimônia serão realizados missa e sepultamento dos despojos.

No Parque Municipal Roberto Mário Santini, no José Menino, das 16h às 20h, diversas atividades culturais e recreativas estão programadas, como a apresentação de balões, que serão elevados por ar quente em voos cativos – quando ficam suspensos, amarrados por cordas. No final da tarde, as luzes da orla daquele trecho serão apagadas, dando início ao ‘Night Glow’, show de iluminação especial dos balões.

No Museu do Surfe, no mesmo local, será montada a exposição do IHGS sobre a vida e os inventos de Bartholomeu, com miniaturas elaboradas pelo professor João Inácio da Silva Filho. Além disso, um balão de seis metros de altura, operado por controle remoto, ficará no parque e depois seguirá até o estádio da Vila Belmiro, onde sobrevoará o campo antes da partida Santos x Avaí, às 18h30, pelo Campeonato Brasileiro. Finalmente, será lançado um concurso de redação entre alunos das escolas municipais sobre o inventor, sendo que os vencedores serão conhecidos em outubro.

O evento tem o apoio do Instituto Histórico e Geográfico de Santos e da Prefeitura de Santos, além de outras instituições: Abraer (Academia Brasileira de Aeronáutica), ICSD (Instituto Cultural Santos Dumont), Abrafite (Associação Brasileira de Filatelia Temática), Correios, o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito, Sociedade Visconde de São Leopoldo, Museu de Arte Sacra de Santos, jornal A Tribuna e Unimonte, além do arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, e do bispo diocesano de Santos, Dom Jacyr Francisco Braido. Apoio: N/A Sports, MAF (Movimento de Arregimentação Feminina), Ciesp / Santos e Point 44.

Selos e miniaturas

A aprovação de carimbos postais comemorativos é prática seletiva por parte da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Apenas cinco ou seis por mês conseguem passar pelo criterioso crivo. A peça que celebra o tricentenário da invenção do balão de ar quente foi obtida graças ao empenho da “Comissão 300 Anos” e à Associação Brasileira de Filatelia Temática (Abrafite). Foi criada por Biaggio Mazzeo, o mais famoso desenhista especializado do País.

Geraldo de Andrade Ribeiro Júnior, presidente da associação e membro da “Comissão 300 anos”, ressalta que “o carimbo vai rodar o mundo e ser disputado por colecionadores em geral, principalmente os que têm coleções sobre aviação”. Ele estará disponível à população entre os dias 4 e 7 de agosto, na Agência Central de Santos. A iconografia dos selos sobre Gusmão pode ser examinada no site http://www.abrafite.com.br/balao/selos.htm.

Quanto à exposição filatélica particular, “todos os selos – inclusive alguns com erros - carimbos, envelopes e desenhos dizem respeito a Bartholomeu de Gusmão”, explica o colecionador Ribeiro Júnior.

Na exposição de miniaturas do professor Silva Filho, a genialidade de Bartholomeu será confirmada com outras invenções, como três sistemas de automação que aproveitavam o movimento da embarcação para acionar as bombas de drenagem dos porões. Considerados avançados para a época, os projetos substituíram o trabalho e até pouparam a vida dos marinheiros, posta em risco quando o porão enchia de água, além de evitar a decomposição das mercadorias ali transportadas.

Professor de engenharia, Silva Filho emprega as horas vagas confeccionando também maquetes com cenas da vida de Gusmão, como a denominada “Espanto na Corte”, em que Bartholomeu apresenta ao rei de Portugal o seu aeróstato, um balão de arame e papel saindo das mãos do inventor graças ao ar aquecido por uma vela.

A apresentação do aeróstato

No dia 3 de agosto de 1709 foi realizada a primeira apresentação do aeróstato. O pequeno balão de papel aquecido por uma chama, no entanto, incendiou-se antes de alçar voo. Dois dias depois, nova tentativa foi bem-sucedida.

No dia 8 de agosto, a experiência foi realizada na Sala das Embaixadas, diante de D. João V e da rainha D. Maria, além de outros membros da corte, como o núncio apostólico em Lisboa, cardeal Michelangelo Conti, futuro papa Inocêncio XIII. O balão ergueu-se lentamente, gerando espanto aos presentes e criados do palácio, que temerosos com a possibilidade de um incêndio, se lançaram contra o engenho antes que este chegasse ao teto.

Finalmente, no dia 3 de outubro, ao ar livre, o balão a ar quente desenvolvido por Bartholomeu de Gusmão saiu do pátio da Casa da Índia, indo pousar no terreiro do Paço Real.

Bartholomeu e Alexandre de Gusmão

Enquanto Bartholomeu somou ao seu currículo de orador e homem de letras as funções de cientista, inventor, criptógrafo, ervanário, historiador e matemático, Alexandre destacou-se como diplomata.

Bartholomeu Lourenço nasceu na Vila de Santos em dezembro de 1685, filho de Francisco Lourenço e de sua mulher Maria Álvares. Fez os estudos primários na Vila, seguindo para o Seminário de Belém (Bahia), onde terminou o curso de Humanidades, sob a orientação do padre Alexandre de Gusmão. Em sua homenagem, Bartholomeu, juntamente com a irmã Joana e até o irmão, que também se chamava Alexandre, adotaram o sobrenome Gusmão.

Entre 1708 e 1709, o cientista embarcou para Lisboa com o intuito de aperfeiçoar seus conhecimentos. Na Universidade de Coimbra realizou estudos de Ciência Matemática, Ciências de Astronomia, Física, Química, Mecânica, Física e Filologia. Foi em Portugal que Bartholomeu se ordenou padre secular, originando daí seu apelido, Padre Voador. Faleceu em 19 de novembro de 1724, em Toledo, na Espanha, aos 39 anos.

Nascido em Santos em 1695, Alexandre de Gusmão representou Portugal em vários países, como diplomata. Em Roma chegou a ser convidado para a corte do Papa Inocêncio XIII. Notabilizou-se pelo papel crucial nas negociações do Tartado de Madrid, assinado em 1750, que definiu os limites entre os domínios coloniais portugueses e espanhóis na América do Sul, criando assim as bases do Brasil atual. Foi o secretário particular de D. João V entre 1730 e 1750, e nessa condição teve grande influência nas decisões de Portugal sobre o Brasil. Faleceu em Lisboa, em 1753.

Balão usado nas primeiras experiências em Lisboa

Fontes: agorams.com.br / pamals.aer.mil.br

Moradores de MG dizem ter visto 'bola de fogo' no céu

PM afirma que recebeu diversas chamadas de emergência.

Assessoria da FAB informa que não foi registrada queda de avião.


Policiais registraram rastros de fumaça no céu em MG

O burburinho que corre solto em várias cidades mineiras, na última sexta-feira (31), é de que moradores tenham vistos uma bola de fogo cruzar o céu do estado no sentido no início da noite desta quinta. Muitas pessoas dizem ter visto o 'fenômeno', mas astrônomos e astrofísicos afirmam que o que os moradores viram foi a explosão de um meteroro.

Um policial e um guarda municipal de Pedras de Maria da Cruz viram um objeto incandescente e tiraram fotos do rastro de fumaça deixado no céu.

O Batalhão da Polícia Militar da cidade de Januária recebeu dezenas de ligações de moradores de toda a cidade assustados, pensando ser algum avião que tivesse pegado e fogo e caído nas redondezas da região. Até o comando da Aeronáutica, em Brasília, ligou querendo saber mais informações sobre o fato. Após investigações, foi constatado que nenhum avião caiu ou sofreu pane na região.

Para os moradores de pelo menos 9 cidades o mistério continua. "Passou no céu uma bola de fogo com uma cor amarelada. Depois, desapareceu, deixando um grande rastro de fumaça no céu", afirma uma das testemunhas.

Fontes: O Dia / G1 (com informações do portal in360.com) - Imagem: Reprodução/Inter TV

Embraer entrega 1º Jato Embraer 190 para a LAM de Moçambique

Companhia aérea também adere ao programa Pool de peças de reposição da Embraer.

A Embraer entregou neste sábado (1) o primeiro jato Embraer 190 à companhia aérea LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, durante cerimônia realizada na sede da Embraer, em São José dos Campos, interior do Estado de São Paulo. O negócio foi anunciado em outubro de 2008 e inclui pedidos firmes para dois Embraer 190, mais direitos de compra para outros dois aviões.

“É uma grande satisfação entregar o primeiro Embraer 190 a um novo operador no continente africano”, disse Mauro Kern, vice-presidente executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Comercial. “Estamos orgulhosos por desempenhar um papel importante na modernização da frota da LAM e por contribuir para a expansão da malha aérea dessa empresa no seu país e na região sul da África.”

O Embraer 190 da LAM é configurado com duas classes de serviço, com nove assentos na executiva e 84 na econômica. A aeronave ficará baseada na capital de Moçambique, Maputo, e substituirá antigos jatos narrowbody operados em rotas domésticas, principalmente nas cidades de Nampula e Pemba, e também será utilizada em vôos regionais para Luanda (Angola), Dar Es Salaam (Tanzânia), Nairobi (Quênia), Joanesburgo, e, em breve, Cidade do Cabo (África do Sul) e Adis Abeba (Etiópia).

“Estamos ansiosos para introduzir o primeiro Embraer 190 na região”, disse José Ricardo Viegas, presidente do Conselho de Administração da LAM. “Escolhemos este jato para substituir nossas aeronaves maiores no intuito de melhor atender nossos clientes e oferecer mais freqüências de vôo, novas rotas e um grande nível de conforto e espaço na cabine.

Tenho certeza que nossos passageiros apreciarão o conforto interno e o layout sem assentos do meio será muito bem recebido.”

A LAM também assinou contrato de serviços para o programa Pool de peças de reposição da Embraer, para apoiar de forma fácil e efetiva sua frota de jatos Embraer 190. O programa fornece peças de reposição para aeronaves de forma rápida, eliminando a necessidade de investimentos em estoque, uma vez que a Embraer assume a responsabilidade pela manutenção do estoque nos seus centros de distribuição e de serviços, de modo a fornecer peças para os operadores tão logo elas sejam solicitadas.

Perfil da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique

A LAM – Linhas Aéreas de Moçambique foi criada em 1936 como DETA, uma divisão dos serviços portuários e ferroviários de Moçambique, e foi gradativamente transformada, ao longo dos anos, na atual companhia administrativa e financeiramente autônoma que é hoje, constituída como sociedade limitada. O Estado detém 91% das ações da empresa e gerentes, técnicos e empregados da LAM possuem os outros 9%.

A missão principal da LAM como uma empresa pública é oferecer serviço de transporte para passageiros, carga e correios em rotas regionais, domésticas e internacionais. Com sede em Maputo, a companhia aérea tem atualmente 677 empregados e possui escritórios e outras formas de representação por todo o país e no exterior, operando quatro jatos e dois turboélices. [ www.lam.co.mz].

Fonte: Portal Fator Brasil - Imagem: Divulgação

Abertas inscrições para vestibular do ITA

Provas acontecem entre os dias 15 e 18 de dezembro

Estão abertas as inscrições para o vestibular 2010 do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), em São José dos Campos. O prazo de inscrição vai até 15 de setembro. As provas do vestibular serão aplicadas entre os dias 15 e 18 de dezembro.

São oferecidas 130 vagas nos cursos de engenharia aeronáutica, eletrônica, mecânica-aeronáutica, civil-aeronáutica e computação. Do total de vagas, 50 são privativas, ou seja, destinadas a não civis, e 80 ordinárias, destinadas a civis.

Os candidatos devem preencher o formulário de inscrição na internet no site http://www.ita.br/vestibular/instrucoes.htm, imprimi-lo e pagar o boleto bancário até o dia 15 de setembro. A inscrição só será efetivada depois do pagamento da taxa de R$100, é necessário guardar o comprovante original de pagamento até a comprovação da inscrição pela internet.

Para se inscrever, o candidato precisa ser brasileiro nato, solteiro e não arrimo de família, ter no máximo 23 anos de idade no dia 31 de dezembro de 2009 e ter concluído ou estar concluindo o ensino médio.

Outras informações podem ser obtidas no site da instituição.

Fonte: Jornal A Cidade

Webjet, a pequena que incomoda a concorrência

Desconhecida dos passageiros até recentemente, a companhia aérea Webjet decolou e já incomoda a concorrência. É o que mostra reportagem de Geralda Doca publicada na edição deste domingo do jornal "O Globo". Com uma frota razoável para quem ainda é pequena - 16 aviões - e atendendo dez cidades, a empresa alcançou o mesmo patamar de ocupação de TAM e Gol (65%), que dominam o setor. Os pacotes turísticos estão entre as principais razões para o seu desempenho: o dono da companhia é o grupo CVC, a maior operadora de turismo da América Latina. Em junho, a Webjet atingiu 4,2% de participação no mercado, contra 2,1% no mesmo período de 2008. A meta é chegar a pelo menos 5% até dezembro.

Nesta segunda-feira, a Webjet inaugura quatro voos diários a partir do Aeroporto Santos Dumont, no Rio, para Belo Horizonte (Confins). E aguarda, até o fim do ano, a chegada de mais duas aeronaves para reforçar a frota. As aquisições serão essenciais para combater sua maior deficiência: o índice de atraso é o maior entre as cinco principais empresas, 13,4% dos voos em junho. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a novata Azul atrasou 10,9% de seus voos e a OceanAir, 9,7%. A TAM registrou 8,8% e a Gol, 8,3%.

- Tarifas atrativas, bom serviço de bordo e maior conforto (poltronas mais largas) estão atraindo os passageiros, saturados de Gol e TAM - afirmou Paulo Sampaio, da Multiplan Consultoria Aeronáutica.

A Webjet iniciou as atividades com um único avião em 2005. Quatro meses depois, a companhia parou de voar e, em janeiro do ano seguinte, foi vendida para uma sociedade entre o grupo Jacoh Barata Filho, dono de uma frota de ônibus do Rio, e o empresário de São Paulo Wagner Abrahão, do ramo de turismo. Mas a virada, segundo fontes do setor, ocorreu em junho de 2007, quando a Webjet foi comprada pelo dono do grupo CVC, Guilherme Paulus.

Fonte: O Globo

Pelotões de Fronteira do interior do Amazonas recebem antenas do Sipam

O município de Tabatinga (Amazonas) e os Pelotões Especiais de Fronteira do Estirão do Equador, Palmeiras do Javary e Yauaretê receberam nesta semana uma equipe de técnicos do Centro Regional (CR) do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) de Manaus para a instalação de terminais VSAT, compostos por antena e aparelhos de telefone, fax e computador, com acesso à internet. A missão, que tem o apoio da Aeronáutica, deve ser concluída em 8 de agosto.

As antenas serão instaladas nos postos da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (Comara) das localidades e serão o único meio de comunicação dessas unidades com outras regiões. De acordo com o técnico da coordenação de manutenção do Centro Regional, Nilton Geber, além dessas instalações, os profissionais farão a manutenção dos terminais.

“Quando a instalação dos quatro terminais for concluída, nossa equipe seguirá a Barcelos, de onde partirá para a comunidade Moura, onde fará a manutenção do terminal lá existente, pois as antenas do Sipam são o único meio de comunicação deles. Também vamos recuperar dois terminais com painel solar, instalados em unidades do Exército, em Palmeiras do Javary e Yauaretê”. (JK)

Fonte: Sipam via Portal Amazônia - Foto: sipam.gov.br

Agências fantasmas vendiam passagens aéreas da Câmara

Comissão indica que empresas sem registro eram as protagonistas do esquema

Conforme a investigação, os donos adquiriam passagens de deputados e revendiam para outras agências que de fato atuavam no mercado


Agências de turismo sem registro, falidas e com donos e endereços ocultos estão entre as protagonistas do esquema de comercialização de passagens aéreas de deputados, segundo investigação da Câmara.

A suspeita é que sejam empresas de fachada, que tinham como principal função dar cobertura formal para pessoas que atuavam como intermediárias do esquema.

Segundo o Ministério do Turismo, as agências brasilienses Morena Turismo, Special Tour e Terra Viagens não têm cadastro junto ao governo, uma exigência da lei para poderem atuar no mercado.

A investigação da Câmara indica que os donos dessas empresas adquiriam passagens aéreas das cotas de deputados, com a ajuda de servidores de gabinetes, e as revendiam para agências que realmente atuavam no mercado.

Cobravam comissão de até 10% para isso. Consumidores, sem suspeitar de nada, adquiriam passagens originadas de cotas de deputados.

A Morena pertence ao empresário Pedro Damião Pinto Rabelo, que comprava passagens de uma ex-servidora do gabinete do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI). A Folha não conseguiu localizar Rabelo nem a sede de sua agência.

Já a Special Tour tem como representante Marco Aurelio Cunha Vilanova, que até o estouro do escândalo era servidor fantasma do gabinete do deputado federal Márcio Junqueira (DEM-RR).

A Special Tour funcionava até o ano passado no térreo de um hotel em Brasília, onde agora opera outra agência. No local, ninguém sabe do paradeiro de Vilanova.

Foi ele o responsável por intermediar uma operação com outra agência que resultou numa passagem para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Eros Grau emitida na cota parlamentar do deputado federal Fernando de Fabinho (DEM-BA).

Outra triangulação envolveu a Terra Viagens e Turismo e a Mania Tour para venda de uma passagem para o presidente do STF, Gilmar Mendes, e sua mulher. Ambos viajaram para Nova York com passagens emitidas com cotas parlamentares dos deputados federais Fernando Coruja (PPS-SC) e Paulo Roberto (PTB-RS).

A Terra não possui cadastro no ministério. A Mania Tour, embora tenha autorização ainda válida para operar, não funciona no endereço informado ao Ministério do Turismo. Lá hoje existe uma lan house.

O depoimento à comissão de sindicância de seu suposto proprietário, Paulo César Pereira de Medeiros, foi considerado "contraditório e inverossímil". A comissão descobriu que ele era uma espécie de "sócio oculto" da agência, que na verdade tinha apenas o CNPJ.

Outra empresa, a Mix Turismo, apareceu nas investigações sobre a comercialização de cotas aéreas do gabinete do deputado federal Vieira da Cunha (PDT-RS). Segundo o parlamentar, a agência foi a responsável pela venda de bilhetes aéreos- oriundos das cotas- para cinco passageiros.

Laura Senatore, dona da agência de viagens, não foi localizada pela comissão de sindicância da Câmara e nem pela Folha. Sua empresa fechou no final do ano passado, mesma época em que foi acusada de fraude por clientes.

Fonte: Fábio Zanini / Maria Clara Cabral (jornal Folha de S.Paulo)

As bases e as drogas

Por Clóvis Rossi

É bom que o governo brasileiro cobre transparência da Colômbia a respeito da instalação de três bases norte-americanas no vizinho. Transparência é sempre útil, e muito pouco praticada na América Latina (Brasil inclusive).

Mas seria melhor ainda se o governo brasileiro tivesse, por fim, a coragem de cobrar transparência também de Hugo Chávez a respeito dos lança-foguetes vendidos pela Suécia à Venezuela e que foram parar nas mãos das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, nascidas como guerrilha política e transformadas, faz anos, em puro narcoterrorismo).

Chávez, em vez de transparência, adotou a tática clássica e barata de gritar "pega ladrão" e fugir, aproveitando-se da confusão. Ou seja, em vez de dar explicações, preferiu acusar a Colômbia, congelar as relações (pela quinta vez, aliás, no que já virou folclore) e deixar que o bafafá ficasse centrado nas bases norte-americanas.

Qual é a maior ameaça à segurança dos cidadãos da América Latina em geral, inclusive da Venezuela e do Brasil: as bases dos Estados Unidos na Colômbia ou as bases dos PCCs, Comandos Vermelhos e outros grupos delinquentes, como as Farc, nos diferentes países da região? Bases que fazem a delinquência desafiar o monopólio das armas que deveria ser do Estado.

O argumento de que as bases na Colômbia gerarão corrida armamentista no subcontinente é ridículo, como já demonstrou ontem Igor Gielow. Se os Estados Unidos quisessem invadir qualquer país da região não precisariam de bases neles, como o demonstrou o Reino Unido na Guerra das Malvinas (1982), ao fazer pó das Forças Armadas argentinas, sem precisar suporte territorial, mesmo partindo de muito mais longe.

O resto soa a esquerdismo caquético de quem não conseguiu ainda tirar o cérebro dos escombros do Muro de Berlim.

Fonte: jornal Folha de S.Paulo

FAB apresenta a Jobim avaliação de caças

Ministro da Defesa recebe nesta semana relatório sobre aviões que disputam concorrência que pode custar entre R$ 4 bi e R$ 8 bi

Nenhum dos 3 competidores deve ser reprovado; Força Aérea apresentará prós e contras e, talvez, faça uma classificação por pontos

Clique nas imagens para ampliá-las

O ministro Nelson Jobim (Defesa) recebe nesta semana o relatório da Força Aérea sobre a seleção do novo avião de caça que o Brasil deverá operar nas próximas décadas.

O negócio, que pode custar entre R$ 4 bilhões e mais que o dobro disso, é um dos mais vistosos no programa de reequipamento militar do país - estimado em mais de R$ 30 bilhões a serem financiados por cerca de dez anos. Em termos comparativos, as propaladas compras do venezuelano Hugo Chávez na Rússia não passaram ainda dos R$ 8 bilhões.

Se o quesito da decisão for apenas preço, o favorito de Jobim na disputa, o francês Dassault Rafale, terá problemas. Segundo a Folha apurou, a oferta francesa foi significativamente reduzida nas discussões finais, mas o avião manteve sua fama de caro - custando mais do que o dobro do que o sueco Gripen NG (da Saab).

Preços são difíceis de estabelecer na aviação militar. Tudo depende do pacote de armamentos, logística e suporte por ao menos cinco anos. A estimativa de envolvidos no processo é que o Rafale tenha saído unitariamente por algo em torno de R$ 263 milhões. O Gripen, cerca de R$ 132 milhões, e americano F-18 Super Hornet (Boeing), R$ 188 milhões.

Como são 36 aviões para entrega a partir de 2014, o custo superaria os R$ 10 bilhões no caso do Rafale. Mas não é só dinheiro que está em jogo.

A Defesa preconiza a ideia de parceria estratégica. Elegeu a França para tal, tendo costurado um acordo militar polêmico de cerca de R$ 23 bilhões para a compra de submarinos convencionais, desenvolvimento de um modelo nuclear e helicópteros de transporte.

Os defensores dessa parceria acreditam que a confiança mútua aumentaria a sinergia na hora de transferir tecnologia, ponto central da concorrência F-X2, como a compra dos aviões é chamada. A FAB exigiu uma contrapartida de transferência de tecnologia e compensações comerciais equivalente ao valor do contrato.

Contra a parceria, pesam duas coisas. Primeiro, o país se torna dependente do outro. Segundo, os franceses não têm boa fama na hora de transferir tecnologia: a experiência francesa como acionista da Embraer, no início da década, é considerada um fracasso, e a Índia reclama do processo de integração dos submarinos que comprou da França.

Contra o Gripen, pesa o fato de ele ser um avião mais leve, monomotor, e de ser um modelo inexistente - o NG é uma variante de demonstração sobre duas gerações anteriores do caça. Ter uma turbina o faz mais barato de operar, contudo, e os motores atuais são potentes o suficiente para as necessidades dos militares.

Mas piloto de caça gosta de avião maior e mais potente. Assim, além do também biturbina Rafale, o F-18 americano entra como produto tentador para a FAB. O preço ofertado, devido à grande escala industrial do avião (há mais de 350 voando), o tornou uma surpresa na competição. Só que pesa contra ele seu país de origem: os militares brasileiros temem o risco de vetos futuros à transferência de tecnologia e consideram o F-18 um produto fechado, do qual aprenderiam pouco.

A FAB não deverá reprovar liminarmente nenhum dos competidores. Irá apresentar em seu relatório os pontos pró e contra de cada um deles e, talvez, fazer uma classificação por pontos. Mas não deverá forçar uma solução, segundo a Folha ouviu de militares e de pessoas envolvidas no processo nas últimas semanas.

Rumo à aposentadoria, o comandante Juniti Saito quer pôr fim à novela que começou em 2001, quando o F-X foi lançado, para ser suspenso em 2003 e cancelado em 2005.

Vetar o Rafale, hipoteticamente, colocaria Jobim numa situação difícil e estimularia mais protelação na disputa. Se entrar em 2010, o negócio não sai no governo Lula. Isso significa que os franceses já ganharam? Não, uma vez que tudo dependerá das colocações da FAB em seu relatório.

Fonte: Igor Gielow (jornal Folha de S.Paulo) - Imagens: Folha Imagem

Queda de ultraleve mata dois no Pará

Um aparelho ultraleve caiu no início da manhã deste domingo (2) no quilômetro seis da rodovia PA-391, em Benevides, na região metropolitana de Belém, no Pará. O acidente aconteceu próximo a barreira da Polícia Rodoviária Estadual, onde funciona uma pista de pouso para esse tipo de aparelho.

A PRE confirmou a morte de duas pessoas no acidente. Os dois homens estavam na aeronave que caiu minutos depois de decolar. João Sampaio de Oliveira, 29 anos, e José Lauro Júnior, de 52 anos, morrem em consequência do trauma provocado pela queda do aparelho.

Os corpos já foram retirados dos destroços da aeronave e levados para o IML (Instituto Médico Legal) de Castanhal. As vítimas moravam neste município.

Fontes: O Liberal / JC Online

Provocador, chefe de aérea diz que preços compensam desconforto

Michael O'Leary, chefe-executivo da companhia aérea europeia de baixo custo Ryanair, discutia seu novo plano para cobrar passageiros de ir ao banheiro. Em suas previsões, a maioria dos passageiros - os "visitantes discricionários do banheiro" - acabariam desistindo de usar o banheiro durante o voo. O que é bom, porque ele também quer reduzir para um o número de banheiros por avião.

E se o avião fosse acometido por alguma doença asquerosa e residual, como intoxicação alimentar? Um som abafado ressoou da cadeira em que O'Leary sentava. "Não servimos bastante comida para que todos tenham intoxicação alimentar", disse.

"Se vamos dar-lhe um reembolso de um bilhete não reembolsável porque sua avó morreu inesperadamente? Não! Vá-se embora. Não estamos interessados em suas histórias!" - Michael O'Leary

Aos 48 anos, de fala ágil e usando jeans, O'Leary é um dos mais bem-sucedidos homens de negócio da Irlanda, presidindo uma companhia aérea que prospera de forma marcante em um clima hostil para linhas aéreas (e a maioria dos outros negócios). Ele é conhecido por sua agressividade desmedida, declarações públicas ultrajantes e crença implacável de que passageiros aéreos de voos de curta distância aguentarão qualquer indignidade imaginável, desde que as passagens sejam baratas e os aviões estejam no horário.

"Logo, ele estará nos cobrando pelo oxigênio e número de braços e pernas", queixou-se o jornal The Sun em junho, quando O'Leary apresentou sua mais recente proposta - fazer com que as pessoas levassem suas próprias malas até o avião. O'Leary diverte-se com a identidade de pugilista e provocador nacional, alternando-se entre o charme e a ofensa.

Certa vez, vestiu-se de papa para anunciar a nova rota da Ryanair de Dublin a Roma. Ele já disse que pessoas gordas deveriam pagar mais por seus assentos, mas que demoraria demais pesá-las no aeroporto. E, em coletiva de imprensa para discutir a possibilidade de iniciar voos transatlânticos, ele sugeriu - para a consternação da jovem heroicamente traduzindo seus comentários para o alemão - que consumidores da classe executiva receberiam sexo oral.

O'Leary às vezes parece lançar sugestões insanas apenas para chocar. Mas, reservadamente, ele é conhecido como um negociador duro, cuja sagacidade e cotoveladas lhe garantem acordos favoráveis, como na vez em que fez uma encomenda enorme de novos aviões quando o mercado entrou em colapso com os ataques de 11 de setembro.

Seus inimigos jurados incluem sindicatos (seus funcionários não são sindicalizados), políticos que impõem taxas de aeroporto, ambientalistas, blogueiros que reclamam do mau atendimento, agentes de viagem, repórteres que esperam assento gratuito, reguladores que frustram seus planos e proprietários de aeroporto como a BAA, a quem já chamou de "estupradores careiros". Parece haver um método em tudo isso.

Os insultos "à BAA, ao governo britânico e aos demais são pensados como um sinal forte para todo mundo que negocia com a Ryanair de que ninguém vai sair impune", disse Joe Gill, diretor de pesquisa de capital da Bloxham Stockbrokers, em Dublin.

A Ryanair possui mais de 850 rotas na Europa, normalmente para aeroportos obscuros afastados das grandes cidades - "de nenhum lugar a lugar algum", zomba Stelios Haji-Ioannou, que dirige a concorrente EasyJet. O lucro líquido da Ryanair caiu 78% no ano fiscal que terminou em março, mas ainda conseguiu US$ 149 milhões em lucros. Enquanto a maioria das empresas de transporte sofre com a hemorragia de passageiros, a Ryanair espera aumentar seus passageiros de 57 milhões, em 2008, para 68 milhões neste ano.

O mistério é por que tantas pessoas estão dispostas a suportar uma companhia que, segundo a revista The Economist, "se tornou sinônimo de péssimo atendimento ao consumidor, propagandas enganosas e grosseria insultante a qualquer um ou qualquer coisa que fique no seu caminho". "Ninguém te ajuda - simples assim", disse Malcom Ginsberg, editor-chefe do boletim de viagens aerbt.co.uk, descrevendo o que acontece quando passageiros da Ryanair precisam de assistência no aeroporto.

Esse não é o ponto, disse O'Leary em entrevista recente. "Nosso atendimento ao consumidor é diferente do de todas as outras linhas aéreas, que têm essa imagem de 'queremos cair a seus pés, abuse de nós, o cliente tem sempre razão' e todo esse absurdo." Em contraste, continuou O'Leary, a Ryanair promete quatro coisas: tarifas baixas, um bom registro de voos no horário, poucos cancelamentos e poucas bagagens perdidas.

"Se quiser algo mais - vá embora! Nós vamos pagar um hotel se seu voo for cancelado?", perguntou retoricamente. "Não! Vá embora." Em um momento, ele tomava café na câmara de comércio de Londres. No outro, conduzia uma coletiva de imprensa em que, entre outras coisas, chamou o primeiro-ministro Gordon Brown de "ridículo" e "escocês pão-duro".

Durante a entrevista, entoou o refrão sobre quando a Ryanair concede reembolsos, que é nunca. "Vamos reembolsar uma passagem não-reembolsável porque a vovó morreu de repente?", perguntou. "Não! Vá embora. Não estamos interessados em sua choradeira! Qual parte de 'sem reembolsos' você não entendeu?"

Perdeu o voo porque esperou demais no guichê da Ryanair? Azar! Sua bagagem está levemente acima do peso? Jogue fora o excedente ou use-o no voo! Está tentando levar as compras do duty-free em uma sacola ao avião, quando você já tem uma bagagem de mão? Prepare-se para desembolsar US$ 40 no portão.

As tarifas da Ryanair custam em média apenas e 40, ou US$ 56. O'Leary acabou de anunciar que venderia um milhão de assentos por e 5 cada no outono europeu. A companhia compensa esse dinheiro por meio de acordos com hotéis, locadoras de veículos e outros parceiros, além de taxar tudo, do check-in no aeroporto (US$ 56) ao feito online (US$ 7).

O'Leary também é rígido a bordo de seu escritório. Recados de post-it e marca-textos estão banidos. Executivos levam suas próprias canetas. Para ilustrar seu comprometimento a esse princípio, O'Leary tirou duas canetas de seu bolso, ambas roubadas de quartos de hotel.

Ele se hospeda em hotéis econômicos. E sempre voa pela Ryanair, surpreendendo seus colegas passageiros por checar suas passagens ao portão e depois embarcar por último, onde invariavelmente se senta no meio.

O'Leary não aproveita o lounge executivo, não tem BlackBerry, nem usa e-mail, porque "não quero ser incomodado por toda sujeira, porcaria e lixo que se envia por e-mail". Ele cresceu nos arredores de Dublin e estudou em um internato jesuíta, onde seu apelido era Ducksie (esquisito), por causa da forma como andava. "A educação vinha com pequenas doses de tapas bem doídos?", perguntou. "Sim. Sofremos um grande trauma emocional? Não."

Ele começou a trabalhar na Ryanair em 1988, se tornou vice-chefe-executivo em 1994 e chefe-executivo em 1997. Sua fortuna pessoal é estimada em cerca de US$ 500 milhões. "Ele é um dos poucos sucessos domésticos da Irlanda corporativa nos últimos 40 anos cujo sucesso tem sido sustentável", disse Gill.

O'Leary vive em uma fazenda nos arredores de Dublin, cria gado e cavalos de corrida e raramente tira férias. Ele irritou o governo irlandês ao pagar milhares de dólares por uma licença de táxi para que sua Mercedes pudesse usar a faixa exclusiva, fugindo do trânsito. Em casa, O'Leary e sua mulher têm três filhos com até quatro anos. Um deles nasceu neste verão irlandês. Não há babás. "É por isso que viajo com frequência e durmo em Londres", disse, em parte brincando.

O'Leary descarta as críticas a seu atendimento ao cliente mostrando o recorde da Ryanair de responder a reclamações em sete dias. A maioria vem de pessoas exigindo reembolsos, que são mandadas embora. Os ressentidos devem reclamar via fax ou carta. Se usarem e-mail, não haverá resposta. "As pessoas dizem" - aqui O'Leary adotou um tom choroso - "'Como os Pais Fundadores escreveram na Constituição americana, nós temos o direito inalienável de portar armas e enviar nossas reclamações por e-mail.' "Não, diabos, não têm!", disse. "Então, vão embora."

Fonte: Sarah Lyall (The New York Times) via Invertia - Tradução: Amy Traduções - Foto: Paul McErlane (Bloomberg News)

IML diz que jovem que morreu durante voo estava com pneumonia e libera corpo

O corpo da estudante brasileira de 15 anos que morreu na madrugada deste domingo durante um voo que partiu de Orlando (Estados Unidos) com destino ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (na Grande São Paulo), já foi liberado aos familiares pelo IML (Instituto Médico Legal). A causa da morte foi diagnosticada como pneumonia, segundo o IML.

A jovem voltava de uma viagem à Disney, organizada por uma agência de viagens, e apresentou sintomas de gripe ainda no país. Nos Estados Unidos, ela foi encaminhada a um hospital e submetida a exames para verificar se estava com gripe suína - a gripe A (H1N1) - e o resultado foi negativo. Constatou-se que ela estava com pneumonia e por isso teve permissão para voltar ao Brasil, de acordo com o testemunho de uma representante da agência de turismo.

Foto: Tios da jovem morta durante voo aguardam liberação do corpo em Guarulhos, em SP

Após passar mal durante o voo, a jovem foi atendida por dois médicos que estavam a bordo, que fizeram procedimentos para reanimá-la, mas não tiveram sucesso. Os médicos constataram que ela teria sofrido uma parada cardio-respiratória na aeronave. A Central de Emergências da Infraero foi acionada e uma equipe médica aguardou pela aterrissagem do voo, a conduziu para uma ambulância e posteriormente ao posto médico do aeroporto. Os médicos da equipe verificaram que a garota já estava morta.

O delegado Cristian Sant'ana Lanfredi, da Delegacia do Aeroporto, solicitou uma vistoria nas bagagens da garota, onde foram encontrados diversos medicamentos, entre eles o Tamiflu, utilizado no tratamento da gripe suína.

A Polícia Civil informou que irá pedir os exames feitos nos Estados Unidos à agência de viagens que teriam descartado a doença, e que serão feitos exames no corpo verificar se ela estava, ou não, com gripe suína.

A família, que aguardava a chegada da estudante no aeroporto, está em estado de choque. O corpo da brasileira foi encaminhado ao IML de Guarulhos e liberado por volta das 16h30, de acordo com funcionários do local.

Segundo a Copa Airlines, a passageira foi recebida por uma equipe médica do aeroporto, que constatou que a adolescente estava morta. "Através de uma certificação emitida pelo Posto Médico do Aeroporto Internacional de Guarulhos, a empresa aérea foi notificada do falecimento da passageira. A Copa Airlines lamenta profundamente o fato e se encontra, neste momento, assistindo os familiares da passageira e trabalhando em conjunto com as autoridades locais", informou.

Fonte: Tatiana Santiago (Folha Online) - Foto: Fabio Braga (Folha Imagem)

EUA recuperam restos mortais de piloto desaparecido na Guerra do Golfo

Os restos mortais do piloto americano Michael Scott Speicher (foto), cujo avião foi derrubado durante a Guerra do Golfo em 1991, foram recuperados após 18 anos de incerteza, informou hoje o Pentágono.

O capitão Speicher foi um dos primeiros combatentes americanos desaparecidos da Guerra do Golfo, mas, nestes 18 anos, o Exército americano não tinha conseguido esclarecer a situação, nem confirmar a morte.

A princípio, ele foi dado como morto, mas, ao não se localizar os restos mortais, seu status mudou para "desaparecido" e, posteriormente, para "desaparecido ou sequestrado".

Hoje se soube que Speicher morreu em 17 de janeiro de 1991 quando o caça que pilotava foi derrubado, e seu corpo foi enterrado em uma vala comum por beduínos que encontraram o aparelho.

Após anos de incerteza, os restos mortais foram encontrados no mês passado, na província de Anbar, graças a um grupo de civis iraquianos que indicou aos marines americanos na região o lugar do acidente.

O secretário da Marinha, Ray Mabus, expressou suas condolências à família, à qual agradeceu "o último sacrifício que Speicher fez por seu país".

Embora a análise dentária tenha dado positivo, o laboratório do Instituto Médico das Forças Armadas espera ter na próxima segunda-feira os resultados dos exames de DNA realizados com amostras de parentes de Speicher.

Fonte: EFE via IG

Avião da British Airways é evacuado em Barcelona

Aviões da British Airways

Um avião da British Airways fez um pouso de emergência neste domingo (2) em Barcelona depois de ter sido detectada fumaça na cabine.

Os 176 passageiros e os sete tripulantes a bordo do Boeing 757-200, prefixo G-CPEM, da companhia inglesa, foram obrigados a abandonar o avião, ajudados pelos bombeiros do aeroporto.

O incidente ocorreu instantes depois de o avião da British Airways, proveniente de Inglaterra, voo BA478, ter aterrissado no aeroporto de Barcelona.

As causas deste incidente estão sendo investigadas, segundo fonte da companhia.

Adolescente que morreu em voo para SP foi atendida no avião, diz aérea

Segundo a Copa Airlines, ela recebeu primeiros socorros durante a viagem.

A adolescente de 15 anos que morreu na madrugada deste domingo (2) em um voo com destino ao aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, foi atendida por dois médicos ainda dentro da aeronave, de acordo com informações da assessoria de imprensa da Copa Airlines. O avião saiu de Orlando, nos Estados Unidos, fez escala no Panamá e pousou em Guarulhos às 5h44 deste domingo.

Segundo a companhia aérea, durante o voo 759 a tripulação foi notificada que uma passageira precisava de atendimento médico. Os demais passageiros foram avisados e dois médicos se apresentaram, realizando os primeiros socorros na menina.

A tripulação então informou o ocorrido a Cumbica, para que a passageira recebesse assistência assim que o avião pousasse. A aeronave foi recebida por funcionários do posto médico, que posteriormente informou a empresa da morte da menina.

Segundo a Infraero, a menina já chegou morta a Guarulhos. As causas da morte ainda não são conhecidas.

De acordo com a assessoria de imprensa da Tia Augusta Turismo, responsável pela excursão, a menina, que morava em São Caetano do Sul, no ABC, passou mal em Orlando durante a viagem, apresentando sintomas de gripe, como náuseas.

Segundo a empresa, ela foi levada ao Celebration Hospital, em Orlando, onde foi medicada e testada para verificar se estava com a nova gripe. Entretanto, o teste foi negativo e ela foi liberada pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos para viajar, de acordo com a Tia Augusta. A viagem tinha se iniciado no meio de julho, segundo a empresa.

Ainda de acordo com a assessoria duas guias que acompanhavam o grupo prestaram depoimento na delegacia da Polícia Civil no aeroporto. Por volta das 13h50, o corpo da menina já estava no Instituto Médico-Legal (IML) de Guarulhos.

Leia a nota na íntegra:

"Voo 759- Panamá - Guarulhos

Panamá, 2 de agosto de 2009. A Copa Airlines informa que, durante o voo 759 com destino a São Paulo, Brasil, a tripulação auxiliar foi notificada que uma passageiria requeria assistência médica. Para salvaguardar a saúde da passageira e seguindo os protocolos internacionais de segurança estabelecidos, a tripulação solicitou imediatamente a presença de um médico a bordo. Dois profissionais se apresentaram, os quais aplicaram na passageira os primeiros socorros, dando a atenção médica devida.

Paralelamente, o Capitão da aeronave e a tripulação comunicaram sobre o ocorrido ao aeroporto de destino, para que a passageira recebesse a devida assistência médica tão logo ocorresse a aterrissagem do avião em São Paulo. Assim que aterrissou às 5h44, hora de Sao Paulo, a aeronave foi recebida pelo pessoal do Posto Médico do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Através de uma certificação emitida pelo Posto Médico do Aeroporto Internacional de Guarulhos, a empresa áerea foi notificada do falecimento da passageira. A Copa Airlines lamenta profundamente o fato e se encontra, neste momento, assistindo aos familiares da passageira e trabalhando em conjunto com as autoridades locais.

A Copa Airlines reitera que é sua prioridade a segurança e o bem-estar de seus passageiros e colaboradores."

Fonte: G1

Adolescente de 15 anos morre em voo com destino a SP

Menina passou mal nos EUA, foi medicada e liberada para voltar ao Brasil.

Segundo empresa de turismo, teste para a nova gripe deu negativo.


Adolescente morreu em voo que saiu de Orlando, nos EUA, fez escala no Panamá e pousou em Guarulhos

Uma adolescente de 15 anos morreu na madrugada deste domingo (2) após passar mal em um avião que fazia o voo que vinha do Panamá com destino ao aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande Sâo Paulo. A jovem retornava de uma excursão aos parques de diversões da Disney, em Orlando, nos Estados Unidos.

O voo da companhia aérea Copa Airlines chegou ao Brasil às 5h44. Segundo a Infraero, a menina já chegou morta a Guarulhos. As causas da morte ainda não são conhecidas.

De acordo com a assessoria de imprensa da Tia Augusta Turismo, responsável pela excursão, a menina passou mal em Orlando durante a viagem, apresentando sintomas de gripe, como náuseas. Ela foi levada a um hospital, onde foi medicada e testada para verificar se estava com a nova gripe. Segundo a empresa, entretanto, o teste foi negativo e ela foi liberada pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos para viajar.

Ainda de acordo com a assessoria, a adolescente passou mal durante o voo e morreu na madrugada deste domingo (2). Duas guias que acompanhavam o grupo prestavam depoimento na delegacia da Polícia Civil no aeroporto no início da tarde de domingo.

Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa da Copa Airlines informou que lamenta o ocorrido e que está prestando assistência aos familiares da menina e colaborando com as investigações das autoridades. A empresa também informou que a menina foi atendida por dois médicos ainda dentro do avião.

Fonte: G1 - Ilustração: Editoria de Arte (G1)

Avião com 16 pessoas desaparece na Indonésia

Pequena aeronave decolou de província de Papua.

O aparelho foi fabricado em 1979, segundo autoridades.

Um avião De Havilland DHC-6 Twin Otter da companhia aérea indonésia Merpati Nusantara, com 16 pessoas a bordo, foi dado por desaparecido neste domingo (2) durante um voo nacional na província indonésia de Papua, na ilha de Nova Guiné.

Segundo informaram fontes da companhia aérea à rede "Metro TV", o avião desapareceu pouco após decolar do aeroporto de Sentani sob boas condições atmosféricas.

As autoridades iniciaram operações de busca para localizar o avião, que pode ter caído nas espessas florestas da Nova Guiné. O avião estava com combustível para até 3,5 horas de voo.

O aparelho, fabricado em 1979, voava de Sentani, em Papua, até a cidade de Oksibil.

O bimotor DHC-6 tem capacidade para 20 passageiros e pode ser usado em aeródromos de curta longitude.

Fonte: G1 (com agências) - Foto: AP

Novo foguete poderia reduzir viagem a Marte para 39 dias

O caminho para chegar a Marte pode estar muito mais próximo do que se imagina. Cientistas estão desenvolvendo foguetes impulsionados por motores de plasma que podem ajudar a reduzir a duração da travessia espacial entre a Terra e o planeta vermelho para apenas 39 dias, quando inicialmente a viagem seria de 250 dias. As informações são do jornal espanhol El Mundo.

Um voo de ida e volta da Terra a Marte, que a ESA, agência espacial europeia, acredita que terá condições de realizar em 2030, levaria ao total 520 dias: 250 para a ida, 30 no local e 240 para a volta. Com a redução no tempo de ida e, consequentemente, no de volta, permitiria que os astronautas passassem menos tempo expostos à radiação, perdessem menos massa óssea e muscular e não sofressem tanto com as alterações circulatórias provocadas por longos períodos em condições sem gravidade.

O Motor de Magnetoplasma de Impulso Específico Variável (VASIMR, na sigla em inglês), ainda em fase de testes, está sendo produzido pela empresa Ad Astra, comandada pelo ex-astronauta Franklin Chang Díaz - veterano de sete missões na Estação Espacial Internacional (ISS) -, com a colaboração da Nasa, agência espacial americana.

Clique na imagem para ampliá-la

Segundo o diário espanhol, o primeiro teste oficial está previsto para 2012 ou 2013, onde os cientistas avaliarão se a nova tecnologia proporcionará impulsos para que a ISS mantenha sua órbita. Os técnicos que trabalham no projeto explicaram que os foguetes impulsionados por combustíveis químicos consomem a maior parte de suas reservas no lançamento, já que no espaço as naves flutuam.

Propulsão durante anos

Os motores de plasma impulsionam a nave, acelerando átomos carregados eletricamente (também chamados de íons) através de um campo magnético. No momento do lançamento, produzem um empuxo muito menor que os motores de combustível porque não podem sair da órbita terrestre por si mesmos. No entanto, uma vez no espaço, o plasma permite uma impulsão durante anos, acelerando a nave de maneira progressiva até obter mais velocidade que os químicos.

Assista aos vídeos sobre o VASIMR:





Fonte: Redação Terra - Imagens: Ad Astra Rocket Company

Dono de relíquias da aviação

Jayme Meditsch, colecionador de aviões, morador do bairro Tristeza, em Porto Alegre (RS)

O dentista mantém com carinho quase 500 miniaturas da máquina que o fascinou quando era menino

O fascínio por aviões surgiu em 1927, quando Jayme tinha apenas quatro anos. O menino que recém vira os primeiros carrinhos de madeira ficou pasmo ao ouvir e avistar no céu uma enorme aeronave voando baixo sobre sua casa. Começava ali uma paixão que ultrapassa oito décadas.

Hoje, aos 85 anos, o dentista aposentado Jayme Meditsch segue aficionado pelo assunto. Guarda em casa, na Rua Pedro de Oliveira Bittencourt, no bairro Tristeza, uma coleção de 483 miniaturas de aviões. Em duas salas da residência, estão modelos que simbolizam toda a história da aviação mundial, desde a réplica do 14 BIS – o primeiro avião feito por Santos Dumont, em 1906 – a caças russos de última geração.

Apesar do encanto infantil, foi somente em 1954, já adulto, que o dentista iniciou sua coleção. Os primeiros modelos foram feitos por ele, usando pedaços de madeira, uma machadinha e inspirados apenas em imagens de papel. Com o passar dos anos, passou a comprar os objetos desmontados, em peças de plástico. A cada viagem que fazia, vasculhava lojas em busca de um modelo novo.

– Eu sempre quero mais um, e mais um. E ia comprando, pesquisando – lembra.

A miopia o impediu de tirar brevê para pilotar. Mas encontrou outras formas de se aproximar do mundo das aeronaves. Trabalhou como dentista durante 35 anos no Hospital da Base Aérea de Canoas e outros 17 anos na Varig. Entre uma obturação e um tratamento de canal nos pilotos, aproveitava para se informar sobre as novidades aeronáuticas. Virou uma enciclopédia viva do assunto. Conhece a história de cada modelo, em que ano foi usado e, em muitos casos, quem era o comandante do aparelho.

– Esse é um modelo da Esquadrilha da Fumaça que o major Braga pilotava – mostra o colecionador, que há 51 anos mora no bairro Tristeza.

Até hoje, Jayme segue ampliando o acervo. A última aquisição foi um modelo da marca alemã Blohm & Voss. Com mãos firmes e hábeis, ele montou peça por peça e pintou a aeronave. E tudo fica catalogado num livro, com fotos digitais tiradas por ele mesmo em anexo.

A coleção que lembra brincadeira de criança nunca chamou muito a atenção dos cinco filhos, 14 netos e três bisnetos.

– Eles sempre gostaram mais desses autinhos – lamenta.

Fonte: Zero Hora - Foto: Mauro Graeff Júnior

Tupolev Tu-154, o burro-de-carga russo

Tupolev Tu-154M, prefixo LZ-MIR, da Air VIA Bulgarian Airways
Clique na foto para ampliá-la


O avião Tupolev Tu-154 é um dos aparelhos de referência da indústria de aviação civil do século XX, um “burro-de-carga” que ainda hoje permanece como principal aeronave usada nas ligações aéreas internas na Rússia e outros países da antiga União Soviética.

Ele constituiu a resposta russa a dois outros aviões de médias distâncias e três motores, fabricados nos anos de 1960 no Ocidente - o norte-americano Boeing 727 e o britânico Hawker Siddeley Trident – e manteve-se ao longo de quase três décadas como um dos mais reverenciados aviões do mundo, com capacidade para 180 passageiros, mais três ou quatro tripulantes. Essa reputação acabou, porém, por ser profundamente afetada durante o caos económico russo do início da década de 1990, quando se registaram dez quedas fatais envolvendo aviões Tu-154.

Os dois maiores acidentes ocorreram em 1984 – quando um destes Tupolev das linhas russas Aeroflot colidiu com outras duas aeronaves na pista ao aterrissar no aeroporto de Omsk, na Rússia, morrendo 174 pessoas e, em 1985, numa queda de outro avião no Uzbequistão, em que morrerram 200 pessoas.

O avião é exportado e faz parte das frotas de pelo menos 17 linhas aéreas além da Aeroflot e serve também algumas forças militares aéreas. Seu uso regular começou em fevereiro de 1972.

A queda do Tupolev Tu-154, prefixo EP-CPG, da Caspian Airlines, que matou 168 pessoas no dia 15 de julho último, é o terceiro acidente fatal de um avião desse modelo no Irã desde 2002 e constitui o mais mortal acidente de aviação na República Islâmica desde 2003.

Assista vídeo da BBC com imagens do local da queda do Tupolev no Irã.

Versões da aeronave

Tu-154

A produção da primeira versão teve início em 1970, enquanto o primeiro vôo foi realizado em 9 de Fevereiro de 1972. Movido por Kuznetsov NK - 8 - 2 turbofans, ele transportava 164 passageiros. Cerca de 42 foram construídos. Números de identificação de matrícula de 85006 a 85055.

Tu-154A

A primeira versão atualizada do original Tu - 154, a um modelo, em produção desde 1974, acrescentou ao centro - seção de reservatórios de combustível e mais saídas de emergência, enquanto os motores foram atualizados para o Kuznetsov NK - 8 - 2U. Outras modficações incluem atualizações incluém abas / slats automáticos e controles de estabilizador e modificou a aviônica. O peso de decolagem aumentou para 94.000 kg. Havia 15 diferentes esquemas do interior para os diferentes clientes domésticos e internacionais do avião, carregava entre 144 e 152 passageiros. A maneira mais fácil de dizer a um modelo básico é o pico na junção do final. Números de matrícula de 85056 a 85119.

Tu-154B

Como o original Tu-154 e Tu-154A havia sofrido rachaduras nas asas após apenas alguns anos de serviço, uma versão com uma nova e mais forte asa, designada Tu-154B, entrou em prod ução em 1975. Ela também tinha um extra de combustível no tanque da fuselagem, saídas extras de emergência na cauda, e o peso máximo de decolagem cresceu para 98 toneladas. NA Aeroflot foi também importante para que o aumento da capacidade de passageiros conduzisse a custos operacionais mais baixos. Enquanto o avião tinha o NK - 8 - 2U motores a única forma de melhorar a economia do avião estava a aumentar o núemero de assentos. [6] O piloto automático foi certificado pela OACI Categoria II abordagens. As aeronaves previamente construídas Tu-154 e Tu-154A também foram modificados para esta variante, com a substituição da asa. Nelas o peso aumentou para 96.000 kg. 111 foram construídos. números de matrícula de 85120 até 85225.

Tu-154B-1

Requisição da Aeroflot para rotas domésticas. Carregava 160 passageiros e tinha modificações na aviônica, no ar-condicionado e no tanque de combustível. 64 foram produzidas de 1977 a 1978 e números de matrícula de 85226 até 85294.

Tu-154B-2

Modernização pequena das aeronaves que tiveram a capacidade aumentada de 160 para 180 passsageiros. Além de uma versão 'VIP' do Tu-154. Números de matrícula 85295 até 85605.

Tu-154S

Modelo de Carga do Tu-154B. Podia carregar 9 containers de 20 toneladas cada. Foram planejadas a construção de 20 aeronaves. Mas, apenas 9 foram construídas. Números de matrícula 85019,85037, 85060, 85062, 85063, 85067, 85081, 85084, 85086

Tu-154M

A mais famosa versão e, a maior modificação, desde seu lançamento. vôou pela primeira vez em 1982 e entrou em produção em massa em 1984 tinha 2 Soloviev D-30KU-154 turbofans que consumiam muito menos combustível e proviam maior aerodinâmica. Agora a aeronave tinha 2 conjuntos de flaps (antes eram 3) que podiam baixar até 36 graus a mais do que o anterior e diminuiam o barulho na aproximação para o pouso. Também ganhou uma nova unidade de força auxiliar (a famosa APU) que tinha várias modificações. O peso máximo de decolagem chegava, algumas aeronaves foram certificadas, a até 104 mil kilos(antes eram 100 mil).

Tu-154M-LK-1

Versão de treinamento de cosmonautas. Era uma modificação para treinamento de cosmonautas para o ônibus espacial Buran. Este Tu-154 foi utilizado porque a Buran necessitava de uma descida controlada para o pouso. O bagageiro frontal tornou-se uma câmara.

Tu-154M-100

Variante com aviônica não russa. 3 aeronaves foram entregues a Slovak Airlines, em 1998, e depois foram vendidas, novamente, a Rússia em 2003.

Tu-155/156

Projeto do Tu-154 para ser operado com turbinas movidas a hidrogênio ou gás natural Tu-155 e Tu-156. Usaram hidrogênio primeiramente e depois começaram a utilizar o gás natural. Seu primeiro vôo, do Tu-155, foi em 15 de Abril de 1988. O Tu-156 não chegou a produção de um protótipo.

Fontes: Público.pt / ASN / Wikipédia / BBC - Foto: Arcturus (Wikimidia)

Já imaginou pilotar um avião de 2,6 gramas?

Nunca vi um aviãozinho radio-controlado tão pequeno. O Micro Butterfly, da Plantraco, pesa apenas 2,6 gramas e tem cerca de 11 centímetros de comprimento de asa. Praticamente um inseto voador com motorzinho!

Tudo é micro no avião: o receptor para o rádio-controle pesa 0,38 grama. O motorzinho tem apenas 4 milímetros e aguenta o tranco de levantar o avião do chão.

Ele é feito de um tipo de espuma e fibra de carbono, materiais leves, mas resistentes às inevitáveis quedas.

Para um modelo tão mínimo, até que o tempo de voo é razoável: entre 5 e 10 minutos. O preço, como de qualquer coisa pequenininha, é grande: US$ 150.

Fonte: Renata Leal (Info Online) - Foto: Divulgação