sábado, 27 de junho de 2009

Marinha prepara homenagem a vítimas do voo 447

Culto ecumênico será realizado na Fragata Bosísio.

Buscas por corpos foram encerradas na sexta-feira.

A Marinha do Brasil deve realizar uma homenagem às vítimas do voo 447, na segunda-feira (29). Uma cerimônia deverá ser realizada a bordo da Fragata Bosísio, que participou da operação de buscas. A previsão é que ocorra um culto ecumênico e que flores sejam jogadas ao mar.

Em nota, a Marinha informa que os parentes das vítimas estão sendo convidados.

O Airbus da Air France transportava 228 pessoas de 32 nacionalidades, entre passageiros e tripulantes. O voo deixou o Rio de Janeiro com destino a Paris no dia 31 de maio às 19h30 (horário de Brasília) e fez o último contato de voz às 22h33. Às 22h48, o avião saiu da cobertura do radar de Fernando de Noronha.

No total, foram resgatados 51 corpos do oceano. As equipes brasileiras encerraram as buscas pelas vítimas na sexta-feira (26). "Embora nosso desejo fosse resgatar 228 pessoas, temos plena consciência de que o melhor foi feito pela Marinha e pela Aeronáutica", afirmou tenente-coronel Henry Munhoz, da Aeronáutica. Ele disse que, desde o dia 12, apenas dois corpos foram encontrados, o último no dia 17.

Mais de 600 peças foram resgatadas do mar. Os destroços e bagagens recolhidos foram entregues às autoridades francesas. Os objetos que ainda estão em navios da Marinha serão entregues nos próximos dias. Assim que deixarem a área de buscas, os navios seguirão para o Recife e Natal.

Técnicos franceses são responsáveis pelas investigações sobre as causas do acidente. A Marinha francesa prossegue com os trabalhos para tentar recuperar a caixa-preta do avião.

Fonte: G1

Coreia do Norte ameaça derrubar aviões espiões do Japão

O Governo da Coreia do Norte ameaçou hoje derrubar qualquer avião japonês que sobrevoar seu território, informou a agência norte-coreana "KCNA".

A advertência foi feita após a detecção de voos espiões ao longo desta semana.
O Exército norte-coreano disse à "KCNA" que "um E-767 (avião espião fabricado pela Boeing) efetuou um voo sobre as águas de Wonsan até as águas a leste de Musudanri, depois de ter decolado de sua base no Japão às 8h30 do dia 25 de junho".

A Coreia do Norte afirmou que não vai tolerar espionagem aérea no país e que vai disparar "sem piedade contra qualquer avião que entrar em seu território, mesmo que seja um só milímetro".

As regiões supostamente sobrevoadas pelo avião espião do Japão ficam no Mar do Leste (ou Mar do Japão), onde certas áreas foram proibidas à navegação até 10 de julho em virtude de manobras militares da Coreia do Norte.

Em Musudanri, localidade que fica próxima a uma das regiões sobrevoadas pelo Japão, fica o principal centro de lançamento de mísseis do regime comunista.

Fonte: EFE via UOL Notícias

OceanAir anuncia promoção com bilhetes a partir de R$ 79

A OceanAir anunciou nesta sexta-feira uma promoção com bilhetes a partir de R$ 79. As passagens devem ser adquiridas até domingo e o embarque realizado até a próxima terça.

De acordo com a aérea são 25 trechos promocionais, entre eles São Paulo-Florianópolis, com saída de Guarulhos por R$ 142 (também para o sentido inverso) e São Paulo-Porto Alegre por R$ 125 (também para o sentido inverso). Já por R$ 79, é possível voar de Curitiba para Porto Alegre (também para o sentido inverso) e por R$ 93, de Belo Horizonte (Confins) para o Rio (Santos Dumont).

Mais informações podem ser encontradas no site da companhia (www.oceanair.com.br) ou pela central telefônica 4004-4040.

Fonte: Terra

FAB e Marinha encerram buscas por vítimas do AF 447

No total, foram recolhidos 51 corpos de passageiros do avião.

Destroços e bagagens foram encaminhados às autoridades francesas.

Equipes de buscas encerraram, nesta sexta-feira (26), os trabalhos de buscas às vítimas do voo 447 da Air France. No total, as equipes de busca recolheram 51 corpos de vítimas.

Cobertura completa: voo 447

Veja galeria de fotos

Os corpos foram entregues à Policia Federal e à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco para os trabalhos de identificação, que foram feitos no Instituto Médico Legal do Recife. Segundo Munhoz, as famílias das vítimas já foram avisadas sobre o fim das operações.

Mais de 600 peças foram resgatadas do mar. Os destroços e bagagens recolhidos foram entregues às autoridades francesas. Os objetos que ainda estão em navios da Marinha serão entregues nos próximos dias. Assim que deixarem a área de buscas, os navios seguirão para o Recife e Natal.

As condições instáveis do tempo na região das buscas prejudicaram o trabalho. De acordo com a Aeronáutica, após passado tantos dias depois do acidente, as equipes não teriam mais condições de avistar sobreviventes ou corpos.

"Embora nosso desejo fosse resgatar 228 pessoas, temos plena consciência de que o melhor foi feito pela Marinha e pela Aeronáutica", afirmou Munhoz.

O tenente-coronel Henry Munhoz afirmou que desde o dia 12 apenas dois corpos foram encontrados, o último no dia 17.

A Marinha francesa prossegue com os trabalhos para tentar recuperar a caixa-preta do avião.

O Airbus da Air France transportava 228 pessoas de 32 nacionalidades, entre passageiros e tripulantes. O voo deixou o Rio de Janeiro com destino a Paris no dia 31 de maio às 19h30 (horário de Brasília) e fez o último contato de voz às 22h33. Às 22h48, o avião saiu da cobertura do radar de Fernando de Noronha.

Veja a nota oficial sobre o encerramento das buscas:

O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informam que, ao final do dia de hoje, 26 de junho, foi oficialmente dada por encerrada a maior e mais complexa Operação de Busca e Resgate já realizada pelas forças armadas brasileiras em área marítima, tanto no aspecto duração quanto na magnitude de meios empregados.

Nesses 26 dias de buscas aos passageiros e tripulantes do voo Air France 447, que desapareceu quando voava na rota Rio de Janeiro (RJ) – Paris (França), na noite de 31 de maio de 2009, foram resgatados 51 corpos e mais de 600 partes e componentes estruturais da aeronave, além de bagagens diversas.

A razão técnica que determinou o término das buscas é a impraticabilidade de se avistarem sobreviventes ou corpos, objetivo primordial da Operação, já decorridos 26 dias do acidente. Do dia 12 de junho ao dia 26, período de 15 dias, apenas dois corpos foram resgatados, sendo o último no dia 17. Nos últimos nove dias, nenhum corpo ou despojo foi avistado.

Os 51 corpos resgatados foram entregues à Policia Federal e à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco para os trabalhos de identificação. Os destroços da aeronave e as bagagens recolhidas foram entregues ao Bureau D´Enquêtes et D´Analises Pour la Securité de I´Aviation Civile (BEA). A investigação sobre os fatores que contribuíram para o acidente também é de responsabilidade do BEA e conta com o apoio do setor correspondente no Brasil, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA).

Em 26 dias de operação continuada sob responsabilidade do Brasil, em atendimento a compromissos internacionais de busca e salvamento, a Força Aérea Brasileira utilizou 12 aeronaves e contou com o apoio de aviões da França, dos EUA e da Espanha. A Marinha do Brasil atuou com 11 navios em revezamento na área de buscas, totalizando cerca de 35 mil milhas navegadas, aproximadamente oito vezes a extensão da costa brasileira.

Foram voadas cerca de 1500 horas, tendo sido realizadas buscas visuais numa área correspondente a 350 mil quilômetros quadrados, mais de três vezes a dimensão do estado de Pernambuco. O avião R-99, por sua vez, realizou busca
eletrônica numa área correspondente a dois milhões de quilômetros
quadrados, oito vezes a dimensão do estado de São Paulo.

Foram diretamente envolvidos na Operação 1.344 militares da Marinha do Brasil e 268 da FAB, perfazendo mais de 1.600 profissionais nas tarefas de busca, resgate e suporte a essas atividades.

Permanecem na área de buscas os meios navais dedicados a captar emissões das caixas de dados e voz da aeronave acidentada, coordenados pela França.

Toda a Operação de busca esteve sob a responsabilidade direta do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), por meio do SALVAERO Recife em coordenação com o SALVAMAR Nordeste, e atendeu ao previsto no anexo 12 da Convenção de Chicago, efetivado em 1950, que estabelece o compromisso dos países signatários com as operações de busca e salvamento nas suas áreas de jurisdição.

Conscientes de suas atribuições, os tripulantes e demais integrantes do Comando da Marinha e do Comando da Aeronáutica fazem do seu labor nessa jornada a maneira justa de ofertar reverência à dor que marca famílias brasileiras e a comunidade internacional.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA


Fonte: G1

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Curtinhas

“Continental completa 75 anos em Julho”

No dia 15 de Julho, a companhia norte-americana, Continental Airlines, celebra 75 anos de fundação. Em virtude da comemoração a empresa aérea recebeu nesta semana um moderno Boeing 737-900ER.

“ABAV recomenda: sem multas nos cancelamentos por causa da Gripe A

Leonel Rossi Júnior, director de Assuntos Internacionais da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), afirma que a entidade recomendou às operadoras de turismo que não sejam cobradas multas nos casos de cancelamento de contratos de viagens e pacotes para países considerados de riscos em razão da gripe A.

Fonte: Brasilturis www.brasilturis.com.br

“Azul comemora 650 mil passageiros em seis meses e anuncia rota SP-BH”

No lançamento oficial do seu programa de milhas, Tudo Azul, o presidente da Azul Linhas Aéreas confirmou que nos seis primeiros meses de operação a companhia transportou 650 mil passageiros e anunciou para 10 de Agosto a nova rota São Paulo – Belo Horizonte.

Fonte: Mercado & Eventos www.mercadoeeventos.com.br

“Delta eliminará a sua recém estreada rota Nova Iorque-Valência”

No passado dia 6 de Junho, a Delta Airlines inaugurou a rota Nova Iorque – Valência, convertendo a capital da Comunidade Valenciana no seu quarto destino espanhol e, menos de três semanas depois, a companhia aérea norte-americana anunciou o seu cancelamento, agravando a situação do Aeroporto de Manises.

Fonte geral: Ambitur

Binter com quatro ligações aéreas semanais à Ilha da Madeira

A companhia aérea Binter, das Ilhas Canárias, tem a partir de agora quatro ligações entre a Madeira e as Canárias.

Este anúncio foi feito no mesmo dia em que a companhia batizou (foto acima) um novo avião com o nome Madeira. Numa cerimónia que assinalou também os 20 anos de existência da empresa de Pedro Agustín Castillo, presidente da companhia.

A secretária Regional do Turismo e Transportes, Conceição Estudante, foi a madrinha da nova aeronave.

As ligações são feitas entre as duas regiões insulares ao domingo e à quinta-feira, num voo que tem a duração de 80 minutos.

A Binter voa para a Madeira desde 2004 e já está no mercado regional das Canárias desde Março de 1989.

De acordo com dados da companhia, em 2008 transportou um total de dois milhões e novecentas mil pessoas, tendo aumentado o número de voos de 36 para 180.

Fonte: Opção Turismo - Foto: Divulgação

Consumidor não deve pagar multa por cancelamento de viagem, diz Procon

Governo desaconselha viagens para Argentina e Chile devido à nova gripe.

Confira os procedimentos adotados pelas companhias aéreas no país.


Policiais usam máscara no aeroporto de Buenos Aires

Quem pretende cancelar ou remarcar pacotes de viagens com destino à Argentina ou ao Chile, em prevenção ao vírus A (H1N1), o da nova gripe, terá a legislação brasileira a seu favor. Alterar a data ou cancelar em definitivo a compra do roteiro é um direito do consumidor, de acordo com os órgãos de defesa Fundação Procon-SP e Pro Teste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. As entidades têm como base o Código de Defesa do Consumidor, que estabelece a proteção da vida, saúde e segurança – ou seja, garante a restituição do valor do pacote ou a troca do destino ou da data sem pagamentos de multas, tarifas ou taxas.

O Ministério da Saúde recomendou, nesta terça-feira (23), para que turistas brasileiros não viajem para países com transmissão da nova gripe, principalmente Argentina e Chile. A recomendação foi reforçada pelo secretário de Saúde de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata. A presidente do Chile, Michelle Bachelet - que é médica - rejeitou nesta quarta-feira (24) a postura do Brasil e disse que a solução não seria fechar as portas à entrada das pessoas. Já a ministra da Saúde da Argentina, Graciela Ocaña, considerou "razoável" que o governo brasileiro tenha recomendado evitar viagens para esses países.

Confira os novos casos pelo país

“É um caso de evitar uma pandemia. O consumidor tem todo o direito de optar pela prevenção da doença e não viajar”, afirma o diretor de atendimento do Procon-SP, Evandro Zuliani. Para cancelar o pacote contratado ou voo o cliente deve entrar em contato previamente com a empresa, via e-mail ou carta registrada, com comprovante de envio e recebimento. Ao formalizar a rescisão do contrato deve-se pedir a devolução dos eventuais valores pagos ou a suspensão do débito dos valores ainda devidos.

A Pro Teste orienta o cliente a guardar todos os comprovantes. A empresa deve informar por escrito sobre o prazo máximo para remarcação da viagem ou as restrições de datas para usar o pacote.

Segundo Zuliani, se o consumidor for obrigado a pagar qualquer tipo de taxa adicional ou multa, deverá registrar, primeiramente, a reclamação pelo número do SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da empresa. “Pelo SAC o consumidor formaliza a reclamação”, observa. Caso a questão não seja resolvida em até cinco dias, Zuliani recomenda a procura de um órgão de defesa do consumidor ou de juizados especiais.

De acordo com a associação Pro Teste, o único custo que pode recair sobre o turista é o administrativo. Isso acontece quando as empresas envolvidas já tiveram de arcar com despesas administrativas antes do cancelamento, por exemplo, quando o bilhete aéreo já foi emitido. Porém, a cobrança deve estar prevista em contrato, e as despesas devem estar comprovadas.

Reclamações

Embora a lei defenda o consumidor de situações de risco, entidades como Procon-SP e Pro Teste já têm recebido reclamações de clientes que tiveram de arcar com a taxa da passagem aérea. Segundo a coordenadora institucional do Pro Teste, Maria Inês Dolci, nesse caso, o consumidor deve tratar diretamente com a empresa com a qual fechou a viagem. “A agência de turismo ou a operadora não pode passar a bola para a companhia aérea”, explica.

Entretanto, o consumidor deve estar atento às mudanças de datas e destinos, pois estão sujeitos a reajuste de preços em função do tipo de pacote e do valor da passagem que varia de acordo como o período do ano. “Se o cliente adia a viagem, terá de arcar com o valor da passagem para aquela data, que pode sofrer reajuste entre alta e baixa temporada”, alerta Maria Inês.

Empresas aéreas e de turismo

No cumprimento do Código de Defesa do Consumidor, as companhias aéreas TAM e Gol afirmam não cobrar taxa de cancelamento e remarcação de passageiros com viagens para a Argentina ou Chile. No entanto, a Gol só considera as passagens adquiridas até 24 de junho.

Já a Lan Chile não cobrará taxa em caso de mudança de data, por outro lado, os cancelamentos serão analisados “caso por caso”.

Companhia aérea/Cancelamento/Mudança de data

- Gol:

Cancelamento: Não será cobrada multa ou taxa de remarcação de passagens adquiridas antes de 24 de junho
Mudança de data: Não será cobrada multa ou taxa de remarcação de passagens adquiridas antes de 24 de junho

- TAM

Cancelamento: Não será cobrada multa ou taxa de remarcação
Mudança de data: Não será cobrada multa ou taxa de remarcação

- Lan Chile

Cancelamento: Cada caso será analisado
Mudança de data: Não será cobrada multa ou taxa de remarcação

Em nota, a TAM afirma que até agora não sentiu nenhum efeito em suas operações devido à nova gripe. A operadora de turismo CVC também diz que até agora não foi afetada pela prevenção à doença.

O presidente da Associação Brasileira de Agência de Viagens (Abav) nacional, Carlos Alberto Amorim Ferreira, destacou, em comunicado oficial, que a entidade acompanha a movimentação do mercado e age de forma a proteger as agências de viagens de qualquer ônus. Além disso, a associação busca solução para os casos de cancelamentos e adiamentos de viagens e para os fretamentos de voos para países como Argentina e Chile.

“A ABAV recomenda aos seus associados que procurem negociar com os passageiros, sugerindo adiamento ou troca do destino”, diz o comunicado.

Fonte: Priscila Dal Poggetto (G1) - Foto: AP

MT apresenta à Infraero pedido da construção de novo aeroporto

A construção de um novo aeroporto foi solicitada à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) pelo governo do Estado, ontem, durante audiência do governador Blairo Maggi, e secretários com diretores da Infraero. O pedido do Executivo estadual visa a melhoria do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, pensando inclusive na Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, que tem a capital mato-grossense como uma das cidades-sede.

O diretor de operações da Infraero, engenheiro João Márcio Jordão, informou que a solicitação do governo de Mato Grosso será repassada ao presidente da Infraero e ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Acompanhado pelo superintendente do aeroporto Marechal Rondon, Sérgio Kennedy Soares Freitas, e o assessor especial da empresa Sérgio Ramos Pinto, ele apresentou ao Estado as modificações no projeto da obra de ampliação do aeroporto.

A ampliação duplicaria a capacidade anual de 1,3 milhão de passageiros para 3 milhões. Já o número de aeronaves vai depender das modificações finais. A previsão inicial da Infraero era concluir as obras de ampliação até 2013, mas por uma determinação da presidência da empresa e do presidente Lula os trabalhos serão acelerados em 40% para que seja entregue em 2012, antes da Copa das Confederações, realizada há um ano da Copa 2014.

“A reivindicação de construção de um novo aeroporto implicaria mais tempo e um maior prazo”, revelou o diretor, ao calcular que seriam necessários de R$ 250 a R$ 300 milhões. A sugestão do governo é construí-lo do outro lado da pista e o prédio onde funciona hoje ficaria à disposição para quaisquer outros tipos de serviços. Segundo o vice-governador do Estado, Silval Barbosa, o que “facilitaria toda a infraestrutura do aeroporto num espaço maior do outro lado da pista”.

Pelo Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), o projeto dispõe de R$ 30 milhões, mas Jordão adiantou que um novo aporte de recursos, de pelo menos mais R$ 80 milhões, será solicitado para a implantação dos pontos de embarque (corredores sanfonas) que complementam a primeira etapa da obra já concluída.

“Mato Grosso e a capital vão ter um avanço de muitos anos na frente após a Copa e, com isso, temos que preparar toda a nossa infraestrutura. Nós já estamos com uma visão macro de construir o aeroporto e não pensando em 1,5 milhão de passageiros, mas sim em mais de 3 milhões. Nosso Estado continua a crescer, num índice de aproximadamente 10%. É Estado que mais cresce no país, portanto, temos que prever e pensar numa estrutura de aeroporto que realmente venha a suportar esse crescimento”, finalizou Silval Barbosa.

A complementação das obras, acrescentou o diretor de Operações, também traz a melhoria do serviço às pessoas com necessidades especiais. Conforme Jordão, a presidência da Infraero criou uma assessoria própria para cuidar da questão da acessibilidade nos aeroportos do país. Jordão contou ainda que as obras foram suspensas, porque alguns órgãos de controle da Infraero, como a Ouvidoria, pediram mais uma reavaliação do projeto e a possibilidade de duplicação da capacidade.

Acompanharam ainda a audiência, os secretários de Estado Yuri Bastos (Turismo) e Eumar Novacki (Casa Civil e Comunicação Social).

Fonte: Só Notícias

Avião derrapa em aeroporto com secretário do Piauí

O avião que levava o secretário de fazenda do Piauí, Antônio Neto, derrapou na pista do aeroporto de Colônia do Gurguéia, no Piauí, na tarde desta quinta-feira (25), e ficou atravessado no meio da pista.

A aeronave trazia o secretário da cidade de Paulistana. Ele estava se deslocando para Alvorada do Gurguéia, onde participou de algumas inaugurações e visitou projetos agrícolas.

Apesar do susto, nenhum dos ocupantes do avião sofreram qualquer dano.

Fonte: Cidade Verde (com informações do SuldoPiaui.com.br)

Órgão dos EUA investiga falha em sensores de Airbus da TAM

A Agência Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês) anunciou, na noite de quinta-feira, que está investigando dois incidentes recentes envolvendo aviões Airbus A330 - sendo um deles da TAM.

O voo da companhia aérea brasileira que está sendo investigado é um que fazia a rota entre Miami e São Paulo no dia 21 de maio.

O outro incidente teria ocorrido na última terça-feira, entre Hong Kong e Tóquio, em um voo operado pela Northwest Airlines, que pertence à companhia americana Delta.

Nos dois casos, o sistema de sensores de velocidade apresentaram falhas durante o voo - um problema que se suspeita ter ocorrido com o Airbus A330 da Air France que caiu no Oceano Atlântico no último dia 31 de maio, com 228 pessoas a bordo.

Sistema de back-up

Segundo um comunicado da NTSB, citado pelos principais jornais americanos, os pilotos do avião da TAM inicialmente "perceberam uma queda abrupta na temperatura externa indicada, seguida de uma perda das informações de velocidade primária e altitude, que durou cerca de cinco minutos".

Ainda de acordo com a agência americana, o piloto automático se desconectou e a tripulação brasileira teve de recorrer a instrumentos de back-up durante alguns minutos.

Já o voo da Northwest Airlines viveu "um incidente possivelmente semelhante", disse o comunicado da NTSB, que não forneceu mais detalhes sobre este voo.

Não houve feridos nem danos às aeronaves nos dois casos.

Troca

Após o acidente do dia 31 de maio, a Air France anunciou que ia acelerar o programa de trocas do sensores de velocidade de sua frota de A330 e A340, iniciado em abril.

A Airbus informou, em entrevista à BBC Brasil, que os novos sensores de velocidade dos aviões da empresa já estavam disponíveis desde 2006 e que uma recomendação para a troca desse equipamento também havia sido feita no mesmo ano, apesar de não ser obrigatória.

Os sensores, chamados "Pitot", medem a pressão do ar e permitem informar a velocidade do avião. Os cálculos da velocidade são utilizados por vários sistemas do avião. Os modelos A330 possuem três sistemas "Pitot" independentes.

Segundo a agência de notícias americana Bloomberg, nos Estados Unidos, as companhias United Airlines, Delta e US Airways, além da irlandesa Air Lingus, teriam anunciado que acelerariam a troca dos sensores suas frotas de Airbus.

Fonte: BBC Brasil via UOL Notícias

quinta-feira, 25 de junho de 2009

PF confirma que mais 1 corpo do AF 447 foi resgatado

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e a Polícia Federal informaram no início da noite desta quinta-feira que o despojo encontrado pelas equipes de busca às vítimas do acidente com o voo AF 447 trata-se de um corpo. Com isso, o número de corpos recolhidos passa de 50 para 51. O último corpo havia sido localizado em 16 de junho, há oito dias.

Dos 51 corpos que estão no Instituto de Medicina Legal de Pernambuco, 14 já foram identificados. Segundo a Polícia Federal, as últimas três vítimas foram identificadas na quarta-feira a partir de exames odontológicos.

No 25º dia de procura aos corpos de vítimas do acidente com o voo AF 447, apenas novos possíveis destroços foram avistados pelas equipes. Amanhã à tarde, a fragata Bosísio atracará no Porto do Recife com destroços da aeronave recolhidos nos últimos dias. Eles serão enviados à Marinha francesa.

Fonte: Terra

Aeroporto de Ituiutaba (MG) recebe melhorias

Programa Aeroportuário de Minas Gerais liberou recursos

A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), por meio do Programa Aeroportuário de Minas Gerais (Proaero), concluiu as obras de melhoria no aeroporto de Ituiutaba (foto acima), no Triângulo Mineiro. Foram investidos R$ 300 mil, para correções de talude (morros) dentro do aeroporto.

Além deste investimento, o Aeroporto Tito Teixeira, de Ituiutaba, já recebeu cerca de R$ 1,35 milhão, recursos também oriundos do Proaero. Os recursos foram destinados para melhorias e reformas, e conta com pista de pouso e decolagem com 1.800 metros por 30 metros, terminal de passageiros, taxiway, pátio de estacionamento para aeronaves, hangar, sinalização horizontal, balizamento noturno e estacionamento de veículos, que permitirá atender a demanda da aviação aérea regional e comercial, com vôos regulares de aeronaves de passageiros.

De acordo com secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Fuad Noman, a obra possibilitará novos investimentos e o desenvolvimento do comércio e das indústrias da região. “No Triângulo, a melhoria do aeroporto reflete na economia local, devido ao elevado potencial socioeconômico da região, além da expectativa de demanda acentuada por transporte aéreo regular”.

Desde 2003, o Governo de Minas investiu mais R$ 210 milhões no programa, beneficiando, entre outros, os aeroportos de Frutal (Triângulo Mineiro), Araxá (Alto Paranaíba), Oliveira (Centro-Oeste do Estado), Poços de Caldas (Sul de Minas), São João del-Rei (Campo das Vertentes), Diamantina (Vale do Jequitinhonha), Iturama (Triângulo Mineiro), Manhuaçu (Leste do Estado) e Ituiutaba (Triângulo Mineiro).

Mais investimentos

Para 2009, o Governo do Estado anunciou o início das obras de reforma e melhoramentos em oito aeroportos do interior do Estado. Os investimentos somam cerca de R$ 60 milhões, beneficiando os municípios de Capelinha (Vale do Jequitinhonha), Guaxupé (Sul de Minas), Ouro Fino (Sul de Minas), Lavras (Sul de Minas), Divinópolis (Centro-Oeste do Estado), Curvelo (região Central), Piumhi (Centro-Oeste do Estado) e Passos (Sul de Minas), todos com obra em andamento.

Fonte: Jornal Correio de Uberlândia - Foto: Carlos Siqueira

Congresso Nacional de Aviação Agrícola fecha prometendo repercussão

As queixas sobre o tratamento desigual dos órgãos regulamentadores entre empresas de aviação agrícola e produtores rurais que possuem aviões e a expectativa da regulamentação, até 2011, da homologação da conversão de motores de aeronaves para o uso de álcool combustível estão entre os principais pontos que ainda devem repercutir nos próximos meses, a partir do Congresso Nacional de Aviação Agrícola. A programação começou na última quarta-feira e terminou na sexta, em Cuiabá. O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), que promoveu o encontro, considera o balanço satisfatório.

Também ficou clara no Congresso a preocupação do setor aeroagrícola com o atraso nos testes que comprovariam ou não a eficácia dos novos sistemas de ozonizadores. Equipamento que deve se tornar obrigatório, a partir de 2010, para tratamento de efluentes dos pátios de descontaminação de aeronaves. Além disso, o uso de aviões no combate ao mosquito da dengue e contra o mosquito da febre amarela também esteve na pauta. Assim como a necessidade de qualificação de empresas e pilotos, inclusive incentivando a busca de certificações ISO 9001 e 14001. Tema que abordou indiretamente a preocupação com a segurança nas operações, assunto que ainda teve outras três palestras exclusivas.

AUTORIDADES

“Houve uma grande participação de pilotos, empresários, técnicos e pesquisadores, aliada à boa presença de altas autoridades que representaram os órgãos reguladores da categoria. O resultado foi um elevadíssimo nível técnico nas discussões”, avalia o presidente do Sindag, Júlio Augusto Kämpf. Em resumo, segundo ele, os operadores aeroagrícolas, que vêm ganhando respeito nos últimos anos, agora tiveram um congresso que foi direto ao que interessa.

O Congresso de Aviação Agrícola contou com a presença do secretário de Aviação Civil do Ministério da Defesa, tenente-brigadeiro-do-ar Jorge Godinho Barreto Nery, que representou o ministro Nelson Jobim. Também passaram pelo evento o diretor do Departamento de Infraestrutura de Logística da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Mapa, Biramar Nunes de Lima, que falou em nome do ministro Reinhold Stephanes. Além do chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Aérea Brasileira (FAB), brigadeiro-do-ar Jorge Kersul Filho e do gerente-geral de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Ricardo Senra de Oliveira.

O titular da Gerência Geral de Certificação Operacional da Anac, Jefferson de Lucena Costa também participou dos debates. Assim como o superintendente federal da Agricultura no Mato Grosso, Chico Costa; o diretor do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Cláudio Renato da Silva Patta, e o presidente do Sindicato nacional das Empresas de Táxi Aéreo, Aeroclubes, Aviação Agrícola e de Garimpo, Prestadores de Serviço, Controle e Comunicação, Comércio Aeronáutico e Autônomos (Sinaero), Walter Félix, entre outros.

O encerramento do Congresso Nacional de Aviação Agrícola teve até a presença do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR). Ele esteve na festa de encerramento do evento, que teve churrasco e demonstração aérea no aeródromo da Estância Santa Rita, do Distrito Industrial de Cuiabá. Maggi retornava de um encontro com o presidente Luis Inácio Lula da Silva e parou para cumprimentar o presidente do Sindag, Júlio Kämpf.

PÚBLICO E VITRINE

Em três dias de evento, foram cerca de 780 inscrições para participar de 13 painéis, debates e palestras. Um público que também movimentou os mais de 60 estandes da mostra comercial e técnica que ocorreu junto ao auditório do Congresso, no salão do Hotel Fazenda Mato Grosso. “Este ano foi melhor porque o público foi mais dirigido. Tivemos muitos pilotos e donos de aeroanves”, comenta o administrador da DGPS & Cia, especializada em equipamentos de localização por satélites (GPS) para aeronaves, Augusto Santana.

Na sexta-feira, ele comemorava os resultados da feira. “Nossa meta foi superada, em vendas e em negócios alinhavados.” A opinião de Santana é compartilhada pelo gerente comercial da Embraer/Neiva, Fábio Bertoldi Caretto. “O movimento foi bom e praticamente todo o público eram de clientes ou possível clientela”, ressaltou. Para ele, isso comprovou que o Congresso Sindag está se tornando uma vitrine cada vez mais importante para quem atua no ramo aeroagrícola. As informações são de assessoria de imprensa do Sindag.

Fonte: Agrolink via Safra News

Embraer discute ampliação de linhas de financiamento com o BNDES

O presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado, afirmou que está discutindo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a ampliação de linhas de financiamento fornecidas pelo banco de fomento aos seus clientes. Por ora, ele trabalha com a expectativa de que, das 110 aeronaves comerciais a serem entregues este ano, cerca de 40 aviões, em torno de 35% do total, contem com incentivo do banco para os clientes. "A persistir a escassez de crédito no mercado, o BNDES tem de manter uma participação no negócio. Isso não é sacrifício, é negócio para o banco", afirmou o executivo, que participou da solenidade de entrega de aeronaves para a Trip Linhas Aéreas, em São José dos Campos, sede da fabricante de aviões.

Curado destacou que, no mercado externo, a participação de bancos de fomento é bem mais expressiva do que no Brasil. Cerca de 90% dos clientes da canadense Bombardier têm, conforme Curado, a ajuda de bancos de fomento. Na França, essa participação estaria em torno dos 50%, por exemplo. Em 2007, a participação do BNDES na concessão de empréstimos a clientes da Embraer era zero porque havia abundância de crédito no mercado. "Hoje em dia a situação é diversa e bancos de fomentos dos países têm de aumentar sua contribuição", afirmou.

Curado comentou que, sem a ajuda no BNDES no fornecimento de recursos a seus clientes, a situação da Embraer estaria mais difícil. Ele disse que o mercado de aviação segue em situação complicada por conta da crise, mas que o setor não sofre a mesma onda de cancelamentos vista no final de 2008. "A estabilidade, neste mercado, já é boa notícia." Ainda assim, ele notou que as vendas estão muito baixas, sendo que os últimos contratos foram fechados com a Aerolíneas Argentinas e a holandesa KLM.

A empresa também espera entregar 45 aeronaves para empresas da China, faltando apenas a aprovação do governo local. Outros cinco aviões já foram entregues para a China. O presidente da companhia enfatizou, porém, que a crise "não é da empresa e a Embraer "não está pior do que ninguém, citando como exemplo a companhia Cessna, dos Estados Unidos, que demitiu 50% de seu efetivo. Curado descartou que a Embraer vá promover nova rodada de demissões. A brasileira demitiu, no começo do ano, 4.200 funcionários, o equivalente a 20% de sua força de trabalho.

Fonte: AE via Jornal Cruzeiro do Sul

Nasa manda missão para estudar presença de água na Lua

Após anos de 'abandono', agência americana volta seus olhos para satélite.

Objetivo final é achar recursos que facilitem missões lunares tripuladas.


Antes de enviar astronautas de volta à Lua, a Nasa quer estudar o território que praticamente ignorou desde a última visita, quase 40 anos atrás. O Lunar Reconnaissance Orbiter realizará a primeira de uma série de missões robotizadas para mapear e medir a Lua com muito mais detalhes do que anteriormente. Um interesse especial é se haveria água congelada e escondida nas sombras de crateras próximas aos pólos lunares.

Concepção artística mostra a sonda ao redor da Lua

“Na verdade, temos poucas informações sobre aquelas áreas da Lua”, disse Craig Tooley, o gerente de projeto da missão. “Temos mapas muito melhores de Marte do que das regiões polares de nossa Lua." Para os ocupantes de um futuro assentamento lunar, o gelo seria uma fonte não só de água potável, mas também de ar e energia. Moléculas de água podem ser quebradas em oxigênio e hidrogênio.

A carga da sona inclui uma câmera que distingue objetos com menos de um metro de comprimento, um instrumento de mapeamento térmico para saber onde pode estar frio o bastante para que o gelo persista sobre a superfície, um altímetro a laser para gerar mapas topográficos e um telescópio de raios cósmicos para medir a radiação na Lua.

Objetivo primário

O objetivo primário da missão é ajudar a Nasa a localizar locais de pouso para os astronautas e planejar como construir uma base lunar. Os dados também serão uma bênção para os cientistas. O gelo, caso exista, poderia oferecer um registro único dos últimos 2 bilhões de anos do Sistema Solar.

Partes das crateras polares ficam em sombra permanente, com temperaturas abaixo dos 185ºC negativos. Cientistas planetários supõem que, quando a Lua foi atingida por cometas, o vapor de água dos impactos poderia ter se acumulado nos locais frios das crateras. Caso isso seja verdade, “a Lua se torna um depósito de registros de antigos impactos”, disse James B. Garvin, cientista-chefe da Nasa.

Em meados da década de 1990, a nave especial Clementine, uma colaboração entre a Nasa e o Departamento de Defesa, descobriu fortes reflexos no radar que sugeriam algo brilhante no fundo das crateras próximas ao polo sul. Em 1998, a nave Lunar Prospector, da Nasa, detectou a presença de hidrogênio, e talvez a explicação mais simples seja que o hitrogênio está dentro das moléculas de água – embora o elemento também possa vir das partículas de vento solar, arremessadas no solo lunar por bilhões de anos.

Os instrumentos a bordo do Lunar Reconnaissance Orbiter são muito mais sensíveis e precisos, e podem trazer uma resposta definitiva. Se isso não for suficiente, uma segunda sonda espacial – que pegará carona com o orbiter – poderia oferecer evidências ainda mais diretas. Como o foguete Atlas V, o transportador do orbiter, é capaz de elevar uma carga mais pesada, a Nasa usou o espaço e peso extras para uma segunda missão – conhecida como Lunar Crater Observation and Sensing Satellite, ou LCROSS.

Após o lançamento, o Orbiter e o LCROSS serão desconectados. O LCROSS ficará preso ao segundo estágio do foguete e passará pela Lua numa órbita polar em volta da Terra. Em outubro, essa órbita cruzará com o caminho da Lua. O LCROSS vai lançar seu estágio superior na direção de uma das crateras polares e fotografar o impacto. Se a nuvem de detritos contiver água congelada, o LCROSS será capaz de detectá-la. Em seguida, ele enviará rapidamente os dados de volta à Terra – antes que ele mesmo se choque com o satélite, quatro minutos depois.

Fonte: Kenneth Chang (New York Times) via G1 - Imagem (concepção artística): NASA

Estação Espacial fotografa erupção de vulcão da Rússia

Nave sobrevoava remota ilha russa de Matua, no Pacífico, quando flagrou fenômeno no vulcão Sarychev.

A câmera da Estação Espacial Internacional registrou um flagrante de uma erupção do vulcão Sarychev, em Matua, uma remota ilha russa a nordeste do Japão, observando a Terra de uma altitude de cerca de 350 quilômetros.

A imagem é de um vulcão numa remota ilha da Rússia

A força da erupção, no dia 12 de junho, abriu um buraco nas nuvens, proporcionando um espetáculo para os astronautas a bordo. A última erupção do Sarychev foi em 1989.

As imagens capturadas pela nave despertaram grande interesse entre estudiosos de vulcões porque elas registram vários fenômenos observados nos primeiros estágios de uma erupção forte. A coluna de fumaça parece ser uma combinação de cinzas de coloração marrom e vapor esbranquiçado.

Em cima da nuvem há uma camada de nuvens brancas, quase como uma camada de neve sobre um cogumelo. Esta camada de ar condensado é consequência da elevação rápida da coluna sobre o ar frio que está sobre ela.

A ilha de Matua é desabitada.

Fonte: BBC via G1 - Foto: Nasa

Procurador abre inquérito para apurar caso de aeroporto no Piauí

O procurador da República, Kelston Lages,já instaurou inquérito civil público para apurar irregularidades na obra. De acordo com a Assessoria de Comunicação do Ministério Público o procurador já solicitou informações sobre a obra junto ao Governo do Estado e Ministério. O procurador disse que não poderia se pronunciar agora nem fornecer mais informações sobre o assunto porque ainda está esperando mais dados sobre a obra. Além das informações dos órgãos oficiais o Ministério Público Federal está colhendo as informações divulgadas na imprensa sobre o andamento da obra.

A obra já foi alvo de denuncia do Ministério Público em 2008 e por conta disso teve o seu andamento paralisado. O Juiz Federal da 3ª Vara do Piauí, Dr. Régis de Souza Araújo chegou a deferir medida liminar determinando a interdição da pista. A Ação Cautelar foi proposta pelo Ministério Público Federal contra a Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, a União Federal e o Município de São Raimundo Nonato. Na época foi dado ao município de São Raimundo Nonato um o prazo de 48 (quarenta e oito) horas, para providenciar a sinalização horizontal de interdição do aeródromo, na forma recomendada pela ANAC, sob pena de aplicação de multa R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por dia de atraso.

O Ministério Público Federal informava que o aeródromo encontra-se interditado pela ANAC desde 28 de outubro de 2003, por apresentar insegurança às operações aéreas; no entanto, vem sendo utilizado com certa freqüência, a exemplo da aeronave de transporte de malotes do Banco do Brasil. Esclarece, ainda, que, desde 1996, a ANAC celebrou convênio com o Município de São Raimundo Nonato/PI, o qual assumiu a administração, operação, manutenção e exploração do aeródromo, por quinze anos.

ANAC

A Assessoria de Comunicação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou ontem que o fato do Governo do Estado não ter apresentado o projeto de construção do Aeroporto Internacional de São Raimundo Nonato antes de pedir o registro de homologação da pista não representa irregularidade, mas que a Agência ainda pode multar “ou abrir processo administrativo contra o proprietário do Aeroporto”. De acordo com informações da Assessoria o projeto de construção de um aeroporto em São Raimundo Nonato deverá ser registrado sob outro número e vai representar outro projeto. “Agora existe um aeródromo, e não um aeroporto, se no futuro a pretensão for fazer um aeroporto deverá ser realizada outro processo por parte do proprietário”, informou a Assessoria.

Fonte: Diário do Povo - PI

NHT pedirá estímulo aos voos regionais

Na próxima terça-feira, Pedro Teixeira, diretor-presidente do Grupo JMT, controlador da NHT Linhas Aéreas, se reunirá com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, em Brasília, para debater propostas de estímulo aos voos regionais. A reivindicação é pela suplementação tarifária para voos entre metrópoles e pequenas e médias cidades.

Uma das propostas seria destinar uma fatia das tarifas aeroportuárias para subsidiar parte do valor da passagem para o interior. "Esta medida estimularia a aviação regional e beneficiaria diretamente os consumidores e as comunidades do interior", argumenta Teixeira, que ontem participou da reunião-almoço Tá na Mesa, da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Estado (Federasul). Também serão debatidas a desoneração do setor e uma regulamentação específica para empresas que executam viagens regionais.

O setor reclama que os voos ao interior deixaram de ser estimulados nos últimos nove anos, dificultando a distribuição de rotas e encarecendo as passagens. O empresário já se reuniu duas vezes com o ministro Jobim para tratar do tema. Para ele, as medidas seriam importantes para incentivar os investimentos empresariais nas cidades do interior, uma vez que o transporte é um dos itens que pesam no momento de uma companhia escolher o destino de seus aportes. Também sustenta que o transporte ágil de passageiros entre cidades de diferentes tamanho será fundamental para a estrutura logística da Copa do Mundo de 2014.

A NHT confirmou para os próximos 30 dias o início da um voo entre Curitiba e Pato Branco, no Paraná, em um trecho de 600 km. O aeroporto da segunda cidade está sendo adequado para receber os voos regulares da companhia gaúcha. A rota já foi solicitada para a Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

A companhia aérea também pretende investir em voos mais distantes, priorizando cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Para isso, irá ao mercado comprar aeronaves de maior porte, com 50 assentos (hoje opera com seis aeronaves modelo L410 UVP-E20, com 19 assentos cada), mais adequadas e confortáveis para viagens de longa distância. A NHT avalia se comprará os aviões da brasileira Embraer, da canadense Bombardier ou da francesa ATR. Prazos e volume do negócio não foram divulgados.

Já a Planalto, operadora de linhas rodoviárias do Grupo JMT, investirá R$ 12 milhões na compra de 20 novos ônibus neste ano. Os investimentos não são maiores devido às indefinições do governo federal quanto à reestruturação das concessões das linhas intermunicipais. No ano passado, fracassou uma proposta do governo, e um novo projeto deve ser apresentado nas próximas semanas.

"O sistema de concessões no Brasil já é desenvolvido, por isso esperamos que o novo formato consiga trazer avanços e contribua como setor", diz Teixeira. O faturamento do Grupo JMT em 2008 chegou a R$ 270 milhões e deve se repetir neste ano. A Planalto responde por 45% da receita da empresa, enquanto a NHT, por 10%. O restante vem do transporte de cargas e de aluguéis de veículos.

Fonte: Jornal do Comércio

British Airways: 800 funcionários aceitam trabalhar de graça

A empresa aérea britânica British Airways anunciou nesta quinta-feira que 800 funcionários aceitaram trabalhar de graça, por até um mês, atendendo a uma proposta de corte de gastos da companhia.

Outros 4.000 empregados concordaram em tirar licença não-remunerada, e 1.400 trabalhadores decidiram trabalhar meio período.

O apelo por cortes de salários voluntários foi enviado por e-mail, no último dia 16, a mais de 30 mil funcionários no Reino Unido.

A mensagem pedia que os funcionários aceitassem trabalhar de graça por até um mês ou tirar licença não-remunerada em um período que poderia variar de uma semana a um mês.

Segundo a empresa, a iniciativa garantirá uma redução de gastos de 10 milhões de libras (R$ 31 milhões) e ajudará na luta pela sobrevivência da empresa.

Em maio deste ano, a British Airways sofreu um prejuízo anual recorde de 401 milhões de libras (cerca de R$ 1,273 bilhão), em parte impulsionados pelo alto preço do combustível e por outros custos.

Reação

O diretor-executivo da British Airways, Willie Walsh, já concordou em trabalhar sem o salário mensal de 61 mil libras (aproximadamente R$ 193 mil) durante o mês de julho.

Walsh considerou a reação dos trabalhadores da empresa "fantástica" e agradeceu àqueles que optaram por participar do esquema.

"Essa reação mostra claramente a diferença significativa que as pessoas podem fazer individualmente", afirmou.

O diretor-executivo da British Airways disse ainda que os funcionários poderão se candidatar novamente para ajudar no plano de sobrevivência da companhia no final do ano.

Prazos

A partir de julho, os 800 funcionários da British Airways terão a chance de compensar os dias trabalhados de graça em um período de até seis meses, com o desconto no salário feito em parcelas de três a seis meses.

Aqueles que optaram pelo turno de meio período poderão trabalhar nesse esquema por um período entre um mês e um ano, antes da próxima revisão esperada ainda neste ano.

Já aqueles que optaram por tirar licença não-remunerada podem se afastar do trabalho por um período de até um ano.

Muitas empresas de diferentes setores têm reduzido o número de funcionários e as jornadas de trabalho como solução para evitar gastos durante a atual crise econômica.

Fonte: BBC Brasil

Mulher morre em voo e avião faz pouso não programado nos EUA

Um Boeing 717-200 da empresa AirTran que decolou do aeroporto de Westchester, no Estado de Nova York às 13:18 (hora Local) desta quinta-feira (25), com destino a West Palm Beach, na Flórida (voo 664), fez um pouso não programado no aeroporto da Philadelphia, após uma passageira sentir-se mal e morrer durante o voo.

Após a passageira sentir-se mal e relatar problemas cardíacos ao comissário de bordo, o comandante do avião declarou emergência e desviou a aeronave para o Aeroporto Internacional de Philadelphia. "Havia um médico a bordo que iniciou o atendimento, mas a passageira, infelizmente, faleceu", informou o porta-voz da AirTran Airways para a BNO News.

O momento exato da morte não foi esclarecido imediatamente, mas o porta-voz disse que parecia que ela morreu alguns minutos antes de o avião aterrissar ou possivelmente durante a aterrissagem. O avião tocou a pista em segurança às 14:09 ( hora local).

Funcionários dizem que a passageira tinha por volta de 80 anos e estava viajando com sua irmã para a Flórida. O nome dela não foi liberado, pois a família ainda não havia sido notificada.

Durante a aterragem, o avião explodiu também um pneu, de acordo com a companhia aérea. A partir de 4 EDT, o avião estava ainda no aeroporto e está aguardando uma manutenção da tripulação para mudar pneus número 4 antes que irá continuar sua viagem para a Flórida. O falecido e sua irmã já foram retirados da aeronave.

A FAA confirmou que o voo foi desviado por causa de um "unresponsive passageiros", mas refere que a companhia aérea para mais informações. O avião levava a bordo um total de 117 passageiros.

Fonte: BNO News

Hélice que caiu de avião é encontrada em pasto um dia depois

Equipamento estava há cerca de cinco quilômetros de local de pouso forçado

A hélice do monomotor Conquest que se soltou em pleno voo na manhã de terça-feira obrigando piloto a realizar pouso de emergência em propriedade rural de Herculândia foi encontrada um dia depois do acidente em meio à pastagem.

O avião acidentado

Clique aqui e leia a notícia sobre o acidente.

Equipamento estava a cerca de cinco km do local do pouso, em meio ao pasto. O proprietário da aeronave, empresário Delfino Golfeto disse que buscas foram realizadas pela própria equipe de pilotos.

A aeronave que além de outros danos de pequena monta teve o trem de pouso destruído, ainda aguarda perícia policial para que possa ser encaminhada ao fabricante, a empresa Inpraer, em Campinas. Após retirada do pasto da fazenda Santa Virgínia em Herculândia, onde realizou o pouso forçado, com o auxilio de um guincho, avião aguarda inspeção policial em depósito do proprietário em Tupã.

Golfeto conta já ter entrado em contato com o fabricante do monomotor, que tem apenas 180 horas de voo e menos de um ano de uso. Empresa se comprometeu a estudar causas do acidente, bem como reparar falhas, já que modelo sairá da revisão há poucos dias.

Fonte: Jornal Diário de Marília

EUA ameaçam levar à OMC ajuda europeia a programa da Airbus

Os Estados Unidos advertiram hoje que levarão ao órgão de solução de disputas da Organização Mundial do Comércio (OMC) o financiamento dos programas dos aviões A350 e A400M da Airbus se não conseguirem convencer os países europeus a retirar os subsídios.

O representante americano de Comércio, Ron Kirk, afirmou que se os países da Airbus (França, Alemanha, Reino Unido e Espanha) não retirarem o plano de antecipar fundos para o desenvolvimento do futuro avião A350, "responderemos com outra ação perante a OMC".

Kirk disse em Paris que sua intenção é "convencer nossos parceiros" para que retirem este plano de avanços, mas que, caso contrário, lançarão outro processo como o que ainda está pendente na instância de arbitragem da OMC.

Ele afirmou que os americanos estão "razoavelmente esperançosos" sobre uma resolução favorável deste processo.

No dia 15, os ministros responsáveis da política aeronáutica de França, Alemanha e Reino Unido fixaram um mês para acertar o valor das ajudas reembolsáveis que estão dispostos a dar para o projeto do A350, em reunião em Le Bourget, ao norte de Paris.

Paris e Berlim disseram então que estão dispostos a adiantar 1,4 bilhão e 1 bilhão de euros, respectivamente, enquanto Londres não deu valores. No total, esperam reunir 3 bilhões de euros dos 8 bilhões nos quais se calcula o custo do desenvolvimento desta iniciativa.

A questão dos avais de avanço para Airbus é fonte de contínuos conflitos comerciais entre Europa e Estados Unidos, que defendem os interesses de sua fabricante aeronáutica Boeing, concorrente direto do primeiro.

Fonte: EFE via G1

Investigação de acidente TAM não foi concluída, diz Aeronáutica

A Aeronáutica informou nesta quinta-feira que a investigação sobre o acidente com voo 3054, da TAM, em julho de 2007, em São Paulo, não foi concluída. O relatório final só deve ser divulgado após o fim das investigações, que não tem data prevista para ocorrer. O acidente, em que um Airbus da companhia saiu da pista do Aeroporto de Congonhas e explodiu após se chocar contra um prédio da TAM Express, provocou a morte de 199 pessoas.

Reportagem publicada no jornal Diário de S.Paulo, nesta quinta-feira, aponta que o relatório concluiu que o piloto teria falhado ao pousar, devido ao medo de aterrissar em uma pista em condições inadequadas.

Segundo o jornal, o relatório teria concluído também que houve falhas em um alerta do avião, que avisa sobre a assimetria dos manetes, e no sistema de controle, que não entendeu a intenção do piloto de parar.

O Comando da Aeronáutica informou que, até o momento, apenas a minuta do relatório está em fase final de elaboração e que essa minuta, uma vez concluída, será traduzida e remetida para os demais países que participaram da investigação.

Segundo a Aeronáutica, a minuta significa apenas o rascunho inicial de um documento, portanto "não seria possível afirmar que a investigação do acidente está concluída e, muito menos, apontar culpados para o acidente".

Fonte: Terra

Continental Airlines apresenta resultados positivos de voo demonstrativo com biocombustível

A emissão de gases foi reduzida entre 60 e 80%, utilizando a mistura entre o combustível ecológico e o tradicional. A Continental Airlines [www.continental.com] anuncia os resultados do primeiro voo de demonstração com o uso de biocombustível, realizado no dia 7 de janeiro deste ano em Houston, conduzido em parceira com a Boeing, GE Aviation / CFM International e Honeywell UOP. A mistura do biocombustível obteve melhor desempenho quando comparada ao combustível tradicional, demonstrando uma melhora de eficiência de aproximadamente 1.1 por cento, em diferentes estágios do voo.

O índice de gases causadores do efeito estufa emitidos no voo demonstrativo com o biocombustível teve uma redução estimada entre 60 e 80 por cento, comparado ao combustível tradicional.

A Continental Airlines foi a primeira companhia da América do Norte a realizar um voo sustentável com o uso do biocombustível, sendo o primeiro voo de demonstração com biocombustível realizado por uma aeronave comercial bimotor e o primeiro voo realizado por uma aeronave comercial utilizando combustível parcialmente derivado de algas.

Durante os 90 minutos de voo, o Boeing 737-800 realizou diversas manobras, tais como reinicialização de motor, acelerações e desacelerações. Todas foram bem-sucedidas.

Na ocasião, um dos motores da aeronave foi abastecido com uma mistura entre biocombustível e o combustível tradicional, enquanto o outro recebeu 100% de combustível tradicional, permitindo a Continental comparar o desempenho do uso simultâneo dos combustíveis.

Nenhuma modificação precisou ser feita no avião utilizado. Derivados de algas e plantas foram utilizadas no desenvolvimento do biocombustível, sem impactar o meio ambiente nem contribuir para o desmatamento. O óleo de algas foi fornecido pela Sapphire Energy e o óleo de jatropha, pela Terasol Energy.

Fonte: Portal Fator Brasil

Primeiro avião movido a energia solar é apresentado na Suíça

O Solar Impulse HB-SIA, primeiro avião movido a energia solar programado para voos noturnos, será apresentado nesta sexta-feira na Suíça. Durante o evento, na base aérea de Dübendorf, a empresa responsável pelo aparelho irá anunciar a data da primeira viagem a ser realizada sob a luz da lua, sem emitir poluentes.

A expectativa é que, em 2010, o avião cruze os EUA e, em Maio de 2011, dê a volta ao mundo, com escalas em todos os continentes.

O avião tem uma envergadura de 61 metros, comparável a um Airbus A340, para captação de energia solar.

O franco-suíço Bertrand Piccard, responsável pelo projeto, é um psiquiatra especializado em hipnose que vem de uma família famosa pela exploração científica.

O projeto é considerado a nova aventura de Bertrand Piccard, o primeiro homem a dar a volta ao mundo num balão, sem escalas, em Março de 1999.

Fonte: Diário Digital (Portugal) - Imagem (concepção artística): Solar Impulse / Leonardi

TAM não se pronuncia sobre possível erro de piloto; Airbus instalou alarme de posição de manetes

Procurada para comentar o relatório da Aeronáutica sobre as causas do acidente com o voo 3054, que derrapou no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e matou 199 pessoas em julho de 2007, a TAM informou que não irá se manifestar até o término das investigações. Já a Aeronáutica confirmou que o Cenipa concluiu a investigação, mas não comentou as conclusões às quais o jornal Diário de S.Paulo teve acesso. O laudo do órgão deve ser divulgado em 60 dias.

Após a tragédia com o avião da TAM em Congonhas, tornou-se obrigatório em aeronaves da Airbus a utilização de um alarme que emite, além de um sinal sonoro, um visual, alertando os pilotos sobre a posição incorreta dos manetes. O Airbus da TAM que colidiu contra um prédio da companhia, após atravessar a pista, em julho de 2007, não possuía o dispositivo. Hoje, os jatos saem da fábrica com o sistema. A investigação aponta que o acidente em Congonhas apresenta 12 precedentes internacionais em que equívocos dos pilotos levaram à assimetria de potência dos motores. Quatro dessas tragédias envolveram a mesma aeronave acidentada da TAM, um Airbus A-320.

Em 22 de março de 1998, uma aeronave da Philippine Air Lines que voava com um reverso travado caiu em Bancoc, nas Filipinas, deixando quatro mortos. Em outubro de 2004, ocorreu o mesmo problema em Taipei, Taiwan, sem deixar feridos. O relatório sobre as causas deste acidente adverte a Airbus para modificar o sistema de alerta de "retard" (reverso), que deixa de ser acionado quando apenas um dos manetes chega à posição de freio, mesmo que o outro continue em posição de aceleração. A falha é a mesma que ocorreu no acidente da TAM em Congonhas.

Ao contrário do laudo elaborado pela Polícia Civil de São Paulo, que destaca a atuação da pista no acidente, o Cenipa aponta como secundárias as condições de Congonhas no dia da tragédia. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que liberou o uso da pista em dias de chuva, afirma que hoje o aeroporto está em perfeitas condições de operação. Sobre o procedimento que proibia o pouso de aeronaves com reverso travado, a Anac diz que a instrução entrou em vigor em 31 de março de 2008, mesmo tendo sido publicada em seu site meses antes da tragédia.

Fonte: Tahiane Stochero (Diário de S.Paulo) via O Globo

Passageiros da SATA são notificados por SMS

A partir da próxima semana, os passageiros da SATA que se encontrem em lista de espera para um voo, vão receber uma mensagem no celular informando a existência de uma vaga no avião.

Esta é uma das medidas anunciadas por Ricardo Costa, diretor de markting e vendas da empresa de transportes aéreos dos Açores, na sequência de um protocolo pioneiro com o grupo Amadeus, líder mundial no fornecimento ao setor das viagens de soluções superiores de gestão, distribuição e venda de serviços de viagens.

O sistema permite à SATA notificar aos seus viajantes das alterações das suas viagens por SMS, através da nova solução Altéa Automated Customer Contact.

As companhias do grupo SATA são as primeiras em todo o mundo a oferecer aos passageiros este serviço de comunicação de informação sobre os horários de voos.

“Com o Altéa Automate Customer Contact, podemos notificar automaticamente os nossos clientes sobre questões relacionadas com alterações do horário de voo, confirmação da lista de espera ou reacomodação. Assim, os nossos clientes podem receber uma comunicação pontual e personalizada”, frisou Ricardo Costa.

Com a implementação deste serviço, a SATA ganha tempo e eficiência no contato com os passageiros que, atualmente, são efetuados por um membro do Call Center, permitindo também reduzir as obrigações de compensação para a companhia aérea.

Fonte: Luís Pedro Silva (AO Online)

'É muito fácil culpar quem está morto', diz mãe de comandante do voo 3054 da TAM

A mãe do comandante Kleyber Lima, Maria Guedes de Aguiar Lima, disse que não acredita que seu filho possa ter errado os procedimentos de pouso em Congonhas. Ela lembra que o avião tinha dois comandantes e que os dois não iriam errar. O relatório da Aeronáutica, obtido com exclusividade pelo jornal Diário de S.Paulo sobre o acidente com o avião da TAM em Congonhas, que matou 199 pessoas em 2007, mostra que o medo de pousar no aeroporto levou o piloto a falhar, errando a posição do manete . Apontou ainda falhas no sistema de alerta da aeronave, que indica a posição dos manetes, e no sistema de controle, que não entendeu a intenção do piloto de parar.

A investigação aponta falha do seu filho no acidente da TAM. A senhora acredita nisso?

Maria Guedes - Estão querendo colocar a culpa nele, mas meu filho nunca iria errar. Ele atuava há 22 anos como piloto e, pelo amor que tinha por mim e pela vida, não iria errar. Meu filho não era louco de errar.

Como é relembrar a tragédia dois anos depois?

É uma dor enorme, ele pagou com a própria vida pelo trabalho. O avião tinha dois comandantes, nenhum deles iria errar. O problema é do avião. É muito fácil culpar quem está morto.

Seu filho gostava de voar?

Sim, era apaixonado pelo que fazia, adorava voar. Era um piloto experiente. Ele era solteiro porque se dedicava à profissão. Nada faria ele errar. Meu filho nunca colocaria a vida dos passageiros em risco. Não gosto nem de falar nisso porque sofro demais e choro.

Como a senhora lembra do seu filho?

Para mim, lembrar dele é um sofrimento eterno. Dois anos depois da tragédia, é como se ele tivesse morrido ontem. Trouxe o corpo dele aqui para Fortaleza, para senti-lo por perto.

Em agosto de 2007, em depoimento à CPI do Apagão Aéreo, o chefe de equipamento A320 da TAM, comandante Alex Frischmann, havia dito que as informações das caixas-pretas do avião indicavam que, segundos antes da tragédia, o piloto Kleyber Lima tentou como último recurso levar o avião para o gramado localizado na lateral da pista principal de Congonhas. Ele teria usado o steering, um "minivolante", na descrição de Frischman. Enquanto Kleyber tentava esta manobra, o piloto Henrique Stephanini Di Sacco, o copiloto do vôo, assumiu o controle do sidestick, que dá os comandos aos computadores de bordo.

Fonte: Tahiane Stochero (Diário de S.Paulo) via O Globo

Avião da FAB com grupo de deputados tem duas panes

Panes ocorreram em solo quando parlamentares iam visitar locais atingidos por enchentes no Piauí

Um avião do tipo Xingu, da Força Aérea Brasileira (FAB), teve duas panes elétricas quando levava os deputados da Subcomissão Permanente de Defesa Civil da Câmara Ademir Camilo (PDST-MG) e José Carlos Vieira (DEM-SC) e o secretário nacional de Defesa Civil, coronel Wilson Pereira, para visitar locais atingidos pelas recentes enchentes. Todos ficaram aliviados porque as panes ocorreram em solo.

Segundo informações do deputado José Carlos Vieira, a aeronave deu a primeira pane em uma escala que fizeram em Petrolina (PE). Ele disse que no avião ainda vinham o piloto, um copiloto, que é mecânico, e um outro mecânico. Em Teresina, a aeronave deu outra pane. Eles solicitaram que viesse uma outra aeronave da FAB para dar suporte a missão de visitar Teresina, Cocal e São Luis, cidades alagadas pelas enchentes.

"Era essencial que fôssemos a Cocal. Estava tudo atrasado por causa da pane na aeronave. Ela tinha sido recuperada e houve uma pane elétrica pela segunda vez, ainda bem, em solo. Ficamos retidos, mas aproveitamos para fazer contatos" , contou o deputado Ademir Camilo.

Segundo o deputado José Carlos Vieira o problema na aeronave era que não passava contato da bateria para o setor elétrico. "O avião não deu partida aqui. Em Petrolina (PE) detectaram o problema. Os dois mecânicos deram um jeito. Aí veio outro avião da FAB para dar suporte. A visita em Cocal era primordial", disse o deputado Ademir Camilo.

Fonte: Luciano Coelho (O Estado de S. Paulo)

Aeronaves se envolvem em acidente no Aeroporto de Manaus

Passageiros vindos de Belém tomaram um grande susto na hora que aeronave estava taxiando em Manaus

Ao manobrar no estacionamento de aeronaves, no terminal 2 do Aeroporto Eduardo Gomes, um avião da Trip Linhas Aéreas tocou a asa de uma aeronave da Total Linhas Aéreas, parada no pátio. O Seripa investigará o incidente, que poderia ter proporção maior por causa dos tanques de combustível, localizados nas asas dos aparelhos.

Por volta das 10h40 de ontem, ao manobrar na área do pátio do estacionamento de aeronaves, no terminal 2 do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, (o Eduardinho), o piloto da aeronave ATR 72, de prefixo PR-PTK da Trip Linhas Aéreas que, vinha de Belém (PA) com aproximadamente 32 passageiros, tocou na asa de outro avião ATR 42 , de prefixo PP-TTM, da Total Linhas Aéreas, que estava parado no pátio e sem passageiros, segundo informou a assessoria da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

O incidente, que não foi considerado grave causando apenas danos materiais, foi suficiente para convocar toda a equipe de prevenção de acidentes do aeroporto para o pátio, além de interromper os procedimentos de pouso e decolagem do Eduardinho por um período de, aproximadamente, três horas.

A assessoria da Infraero não soube precisar qual o destino da aeronave que estava parada, mas confirmou que houve danos nas duas aeronaves. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) foi acionado para investigar o incidente que poderia ter uma proporção maior por conta de os tanques de combustíveis estarem localizados nas asas dos aviões.

O piloto da aeronave da Trip disse às equipes técnicas que acabou tocando na aeronave parada, mas assegurou que viu as faixas de orientação sinalizadas no chão do pátio e disse que estava ‘taxiando’ dentro das faixas. A investigação deve confirmar, hoje, a informação com a ajuda das filmagens internas do aeroporto.
Outros pontos que também devem ser avaliados pelos técnicos é se a outra aeronave estava estacionada corretamente obedecendo às devidas distâncias, já que uma é maior que a outra, e se o funcionário da Infraero que fica no pátio do estacionamento estava dando a orientação correta.

Fonte: Sídia Ambrósio (Em Tempo)

Medo da pista de Congonhas fez piloto da TAM errar pouso



Uma falha do piloto, causada pela pressão de ter que aterrissar em pista escorregadia no Aeroporto de Congonhas , é um dos principais motivos para explicar o acidente do Airbus A320 da TAM, em 17 de julho de 2007, segundo relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Morreram 199 pessoas. O documento lista fatores que contribuíram para a tragédia, entre eles o fato de um dos manetes (controle da potência dos motores) estar acelerando e o outro, freando. A TAM informou que só se manifestará depois da divulgação oficial do relatório.

Fontes: G1 / Diário de S.Paulo

TAM e Gol não cobrarão multa para cancelamentos por causa da gripe

As principais companhias aéreas com voos entre Brasil, Chile e Argentina estudam novas políticas para cancelamento de viagens aos países afetados pela gripe suína, depois que o governo brasileiro recomendou que as viagens para as regiões afetadas pelo vírus H1N1 sejam adiadas.

A TAM já decidiu que não irá cobrar multa por cancelamento ou taxa de remarcação de passageiros com destino a Chile ou Argentina.

Na Gol, só estão isentos da cobrança por desistência ou remarcação os passageiros que compraram passagens para Chile e Argentina anteriormente a 24 de junho. Segundo a empresa, os clientes deverão "arcar apenas com eventuais diferenças tarifarias em caso de remarcação".

Já a Lan ainda não definiu sua política para o caso de cancelamento de viagens, mas diz que não haverá multa para quem preferir mudar a data da viagem.

A assistente de direção do Procon-SP, Valéria Cunha, esclarece que a fundação considera "descabida a aplicação de multa" no caso de cancelamento, porque deixar de viajar, neste momento, é uma recomendação do governo federal diante de um problema de saúde pública.

De acordo com ela, os consumidores que cancelarem e forem multados devem recorrer ao Procon, que acionará os órgão de Defesa do Consumidor responsáveis.

Valéria ressalta, no entanto, que desde o início da epidemia as agências de viagens e companhias aéreas não manifestaram oposição e isso deve ser mantido.


Leia também: Agências de viagens temem cancelamentos

Veja as recomendações do Procon:

Como regra básica, para cancelar um contrato, o consumidor deve fazê-lo, preferencialmente, por escrito com cópia protocolada. Se optar por telefone, anote data, horário, nome do atendente, número do protocolo de atendimento e solicite que lhe enviem um comprovante da rescisão contratual.

Pacotes de viagens

Cancelamentos de pacotes de viagens feitos pelo consumidor devem ser comunicados às agências com a maior antecedência possível. Normalmente a empresa destina parte dos valores pagos pelos consumidores para os hotéis e meios de transportes como sinal e reserva de vaga, portanto, em situações normais, excetuando a parte aérea, o agente de turismo poderá reter percentuais proporcionais ao prazo em que a empresa foi informada do cancelamento.

Passagens aéreas

Quanto à parte aérea, eventuais restituições dependerão do tipo de passagem contratado. De acordo com o tipo de passagem e a empresa aérea, para remarcar ou alterar destino, poderá ser cobrada multa ou complementação tarifária, ou ainda, os dois.

O bilhete de tarifa "cheia", costuma ter um valor alto, validade por um ano, podendo ser remarcado. Porém, para esta remarcação acontecer, algumas empresas, em situação normal, estabelecem multa, que só poderá ser cobrada desde que devidamente informada ao consumidor.

O bilhete pode ainda, ser endossado, com o embarque do consumidor em outra companhia aérea. Após acabar a validade, caso o bilhete não tenha sido usado, poderá ser reembolsado, tendo o consumidor que se dirigir à empresa aérea ou agência que lhe vendeu.

Quando se tratar de passagem com tarifas promocionais, o consumidor deve estar ciente de que elas possuem diferenças das convencionais. Ela tem prazos mínimo e máximo de estada e pode haver taxa extra para fazer mudanças ou cancelar reserva. Por isso, é importante verificar a validade, as restrições para cancelamento e reembolso, e alterações de data, além dos prazos de estadas. Todas essas informações devem constar no bilhete.

"Voo Charter" é um serviço de transporte aéreo não regular, com normas específicas, devendo ser respeitadas as condições estabelecidas no contrato de prestação de serviço. Quaisquer restrições quanto a utilização do bilhete de passagem deverão estar claramente expressas no referido bilhete ou no contrato.

Sempre que mudar o itinerário e a viagem após ter voado o primeiro trecho, o passageiro deve comunicar à companhia aérea ou fazê-lo por meio da agência que emitiu a passagem. Se fizer a mudança sem aviso prévio, o não comparecimento a uma das etapas da rota original significa que o cliente desistiu da viagem ou daquele roteiro.

A atenção deve ser redobrada se a passagem for adquirida por telefone ou via internet. Nesse caso, o consumidor possui sete dias para cancelá-la.

Dúvidas ou reclamações podem ser sanadas nos postos de atendimento pessoal da Fundação Procon-SP dentro do Poupatempo Sé, Poupatempo Santo Amaro e Poupatempo Itaquera. Reclamações por fax devem ser encaminhadas ao telefone (11) 3824-0717. O telefone 151 funciona somente para o esclarecimento de dúvidas.

Fonte: Fabiana Uchinaka (UOL Notícias)

Corpo de tripulante brasileiro será enterrado nesta quinta no Rio

Comissário Lucas Gagliano veio ao Brasil para o enterro do pai.

Sepultamento será às 16h no Cemitério São João Batista.


Foto: Lucas esteve no Brasil para o enterro do pai, que faleceu 15 dias antes da tragédia do voo 447.

Vai ser enterrado às 16h desta quinta-feira (25)no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, o corpo do brasileiro Lucas Gagliano, comissário de bordo do voo AF 447 da Air France. O velório, segundo o cemitério, acontece na capela 3.

Lucas morava na França, mas veio ao Brasil para o enterro do pai. Depois de 15 dias no país, ele embarcou no voo 447. Segundo Jorge Luís, tio de Lucas, o jovem era apaixonado por aviação.

O Airbus da Air France que partiu do Rio no dia 31 de maio em direção a Paris caiu sobre o Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo.

Na última terça-feira (23), foi enterrado o corpo do engenheiro Luis Cláudio Alves de Monlevad, de 48 anos, também passageiro do 447, em Barra Mansa, no Sul Fluminense.

Fonte: G1 (com informações da TV Globo) - Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Identificados corpos de piloto e tripulante do voo AF 447

A Air France afirmou nesta quinta-feira que o corpo do piloto e de outro tripulante do Airbus 330, que caiu em 31 de maio, foram identificados entre os corpos resgatados pelas operações de busca.

Em uma nota à imprensa, o diretor-geral da companhia aérea, Pierre-Henri Gourgeon, prestou suas condolências às famílias dos funcionários da empresa.

A nota, de apenas dois parágrafos, não fornece o nome das duas vítimas. Segundo órgãos da imprensa francesa, o piloto seria Marc Dubois, de 58 anos. De acordo com a Air France, o piloto do Airbus 330 tinha 11 mil horas de voo. Dessas, segundo a Air France, 1,7 mil tinham sido acumuladas em aviões Airbus A330 e A340.

Segundo Jean Serrat, presidente da associação de pilotos PNT 65 - que defende a possibilidade de pilotos trabalharem além do limite legal de 60 anos, fixado pela lei francesa-, Dubois estava a dois anos da aposentadoria e era membro da associação.

Serrat, que conheceu Dubois em 1988, disse à BBC Brasil que ele havia se tornado piloto de voos de longa distância em 2005 e começado a pilotar o modelo de Airbus 330 em 2007. Ainda segundo Serrat, o comandante morava nos arredores de Paris e começou sua carreira na companhia Air Inter, uma filial da Air France que foi, posteriormente, incorporada em uma fusão.

"O que Marc Dubois mais gostava de fazer, acima de tudo, era pilotar aviões. Para ele, pilotar um avião não era trabalho", disse Serrat.

O Airbus da Air France transportava 228 pessoas de 32 nacionalidades, entre passageiros e tripulantes. O voo deixou o Rio de Janeiro com destino a Paris no dia 31 de maio às 19h30 (horário de Brasília). Às 22h48, o avião saiu da cobertura do radar de Fernando de Noronha.

As equipes de busca recolheram 50 corpos de vítimas, além de destroços e bagagens, até o momento, mas os trabalhos continuam e não têm data para serem encerrados.

O BEA, órgão francês que investiga as causas do acidente, informou, nesta quinta-feira, que divulgará o primeiro relatório preliminar sobre o acidente no dia 2 de julho.

Enquanto isso, prosseguem também as buscas pelas caixas pretas, cujos sinais são emitidos por no mínimo 30 dias, de acordo com o BEA.

Em nota na quarta-feira, o Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informaram que não foram localizados mais corpos de vítimas do voo 447 da Air France.

Fonte: Daniela Fernandes (BBC Brasil) via UOL Notícias

Dois morrem em queda de pequeno avião na Espanha

O avião envolvido no acidente, fotografado em 07/03/08 no Aeroporto Logrono-Agoncillo, na Espanha - Foto: Emilio Lafuente (Airliners)

O avião acidentado no jardim da vivenda - Foto: Jordi Roviralta

Os dois ocupantes do avião Vulcanair P.68 Observer 2, prefixo EC-IPG, da Escola de Pilotos Gavina perderam a vida na queda da aeronave sobre o jardim de uma vivenda na localidade de Sant Pere de Vilamajor, em Vallès Oriental, na província de Barcelona, Espanha, na terça-feira (23).

O aparelho atingiu o solo ficando a apenas seis metros da vivenda depois que seu motor parou de funcionar caindo em espiral.

O acidente ocurreu às 10:45 (hora local) na altura do quilômetro 45 da Rodovia BP-5107. Os bombeiros conseguiram apagar o pequeno incêndio que se iniciou após a queda.

Na aeronave viajavam duas pessoas que faleceram na hora. O acidente não causou danos à estrutura da casa, nem lesões a nenhum dos ocupantes da vivenda.

E Escola de Pilotos a que o avião pertencia, fica localizada na Rodovia de Bellaterra, próxima do aeródromo de Sabadell, onde várias empresas oferecem cursos de pilotagem.

Uma porta-voz da escola explicou que os dois pilotos teriam larga experiência em voos comerciais, já que havíam trabalhado durante anos em línhas aéreas. Um deles, com mais de 8.000 horas de voo, estava realizando um exame de verificação da habilitação de voo com aparelhos bimotores, um trâmite para os pilotos.

O secretário municipal de obras e serviços de Sant Pere de Vilamajor, Pere Curto, informou que na casa havia entre três e quatro pessoas, que levaram um susto monumental, mas escaparam ilesas. Segundo o secretário, vários vizinhos disseram que puoco antes do acidente o motor da aeronave parou — como fazem muitos aviões que sobrevoam a região praticando —, mas que conseguiu voltar a subir, caindo ao solo.

Em sua queda vertical, a aeronave deu duas voltas em espiral até impactar em um jardím de uns 150 metros quadrados, situado a seis metros do trecho da vivienda principal.

Uma asa chocou-se contra um alpendre da vivenda e causou um pequeno incendio, que chegou a atingir um sofá dentro da casa, mas que pode ser apagado rapidamente, primeiro pelos próprios vizinhos e, logo em seguida, com a ajuda dos bombeiros.

Fonte: La Vanguardia (Espanha) - Tradução: Jorge Tadeu

Angola vai criar em breve novas áreas de controle de tráfego aéreo

A Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENANA) de Angola esta projetando, para princípio de 2010, a instalação de quatro novas áreas de efetivo controle de tráfego aéreo com as condições semelhantes as existentes no aeroporto de Luanda, anunciou (ontem), o diretor de navegação aérea da referida instituição.

De acordo com Nzakimuena Manuel, nas regiões dos aeroportos de Cabinda, Huambo, Huila e Benguela, registram-se atualmente uma complexidade no tráfego aéreo, dai que nestas zonas a ENANA vai instalar novos equipamentos para garantir uma melhor navegação aérea.

Tal medida enquadra-se igualmente no programa de modernização e melhoria de serviços levado a cabo pela empresa já a partir do ano económico em curso, sendo os elementos de destaque as obras de reabilitação e ampliação que certos aeroportos estão a beneficiar.

Atualmente maior parte das informações de controle da navegação aérea no país são efetuadas a partir da FIR (Flight, Information, Region – Região de Informação de Voos) de Luanda, dai que há necessidade de se reequipar alguns aeroportos e introduzir novos serviços nos mesmos.

Para o caso do aeródromo Albano Machado, situado na cidade do Huambo, que se pretende que seja o espaço alternativo ao Aeroporto Internacional de Luanda, o engenheiro deu a conhecer que o mesmo terá que ter iguais equipamentos que permitam exercer um efetivo trabalho de controle de tráfego aéreo naquela região.

Segundo o diretor, a sua instituição está também a se preparar para melhorar as condições de navegabilidade aérea nos aeroportos que futuramente receberão voos noturnos, para que haja maior garantia nas operações a serem realizadas pelas companhias de aviação.

No entender do responsável, o fato de muitos aeroportos do país não receberem voos noturnos aumenta igualmente o congestionamento de aeronaves no de Luanda, visto que os aviões saem e chegam a Angola maioritariamente através da capital
do país.

Contudo, com a possibilidade de dentro em breve alguns aeroportos passarem a receber voos as noites, o aeroporto de Luanda vai sentir-se desafogado com a situação do grande fluxo de aeronaves, assim como o congestionamento que se registra para o parqueamento das mesmas na pista.

Fonte: Angola Press

TAM investe em equipamento para testes

O Centro Tecnológico da TAM, localizado em São Carlos, no interior do Estado de São Paulo, iniciou a operação de seu segundo ATEC Series 6, equipamento criado pela EADS Test & Services para testes e reparos de componentes e sistemas eletrônicos de aeronaves Airbus e Boeing. A TAM é a única companhia aérea no Brasil a operar três ATECs simultaneamente, sendo dois ATECs Series 6 de última geração e um ATEC 5000.

“Decidimos investir na incorporação deste segundo ATEC Series 6 para acompanhar o crescimento da frota da TAM e aumentar nossa capacidade para a realização de serviços de manutenção, tanto em nossas próprias aeronaves como para terceiros, incluindo modelos de aviões que a TAM não opera”, afirma o vice-presidente de MRO (Maintenance, Repair and Overhaul) da TAM, Ruy Amparo.

Os ATECs Series 6 tem capacidade para testar cerca de 330 diferentes componentes, incluindo os sofisticados computadores responsáveis pelo Gerenciamento de Alertas de Voo, Alertas de Aproximação de Solo, Controles de Direção e Freios, Controles do Sistema de Combustível, Controles de Pressurização Interna e Detecção de Fumaça a Bordo.

O Centro Tecnológico da TAM em São Carlos é certificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pela European Aviation Safety Agency (EASA) para realizar todas as grandes manutenções programadas (checks C e D) em aeronaves Airbus A319/A320/A321 e A330, tanto de sua frota como de terceiros, além de aviões Fokker-100.

Fonte: Brasilturis