sábado, 30 de maio de 2009

Falta de combustível extra adia resgate da FAB no Piauí

O helicóptero da FAB só deverá partir hoje para Cocal

Um helicótero da Força Aérea Brasileira (FAB) que deveria voar de Teresina para o município de Cocal, no Piauí, na tarde desta sexta-feira, desistiu da viagem devido à falta de combustível extra para abastecimento na cidade afetada pelo desastre. A aeronave, que foi chamada para resgatar os sobreviventes do acidente na barragem Algodões I, em Cocal, vai esperar até hoje para iniciar as buscas e ajudar na distribuição de alimentos e medicamentos.

O helicóptero, com oito homens a bordo, está parado desde as 13h30 no hangar do governo ao lado do aeroporto de Teresina. O comandante do helicóptero, major Volney Osmari, comunicou o problema à Defesa Civil e a setores do governo. Depois de checar se seria possível abastecer o aparelho na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí, a equipe resolveu embarcar só na manhã do sábado.

"A Petrobras e o governo do Estado vão disponibilizar combustíveis a partir de amanhã direto a Cocal para abastecer a aeronave", informou o comandante. Saindo de Teresina sem combustíveis a bordo, o avião da FAB seria quase inútil. O H-60L Black Hawk consome 600 l por hora. Descontando as duas horas de deslocamento entre Teresina e Cocal, a aeronave teria apenas uma hora de trabalho de resgate na cidade.

O helicóptero militar do 8º Grupo de Aviação com sede em Manaus fará o resgate de pessoas, distribuição de alimentos e água, e demais ações necessárias que estiverem ao seu alcance. Ele tem capacidade para 15 pessoas e suporta 2 t.

A Defesa Civil divulgou no final da tarde de hoje que permanece o número de cinco as vítimas fatais por causa do rompimento da barragem e que quatro pessoas estão desaparecidas.

Fonte: Yala Sena (Terra)

Exército vai comprar novos radares

A ORBISAT anunciou nesse mês a venda de cinco radares de vigilância aérea e terrestre a baixa altura para o Exército Brasileiro e um para o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM), mas não revelou o valor estimado dos dois contratos. O preço médio de mercado de um equipamento similar ao vendido pela ORBISAT varia em torno de US$ 2 milhões a US$ 3 milhões.

Concepção artística do Radar ‘SABER M-60’, desenvolvido pela ORBISAT conjuntamente com o CTEx

O radar objeto das negociações é o "SABER M-60" (Sistema de Acompanhamento de Alvos Aéreos Baseado em Emissão de Radiofreqüência), que foi desenvolvido pela ORBISAT em conjunto com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), e testado pelo Exército. Ele deve atender aos fins específicos do projeto "Amazônia Protegida", cujo objetivo principal é o reaparelhamento dos pelotões de fronteira com equipamentos que permitam efetuar o monitoramento do território brasileiro de uma maneira mais ampla e precisa.

O "SABER M-60" possui alcance de 60 km, fornece informações tridimensionais (azimute, distância e elevação) dos alvos aéreos, além de informações derivadas como velocidade e direção de vôo. Possui capacidade de acompanhar até 40 alvos simultâneos, classificá-los como helicópteros (inclusive o seu tipo) ou aviões, e identificar se é um alvo amigo ou não. O Brasil é considerado um dos cinco países do mundo que dominam o desenvolvimento desse tipo de radar.




Pesando em torno de 250 kg, o "SABER M-60" em função da sua modularidade pode ser transportado por uma viatura leve ou por um helicóptero, como carga interna ou externa. A montagem do radar exige a presença de uma equipe reduzida de três homens, que em um tempo médio de 15 min. Podem prepará-lo para entrar em estado operacional.

De acordo com informações divulgadas pela ORBISAT, a Aeronáutica também tem planos para comprar duas unidades do "SABER M-60". O equipamento já foi inclusive testado na Base Aérea de Santa Maria (BASM), localizada no Rio Grande do Sul. Segundo as projeções de venda da empresa o mercado brasileiro possui potencial para adquirir de 40 a 60 radares do tipo "SABER M-60". O faturamento previsto pela ORBISAT para esse ano gira em torno de R$ 60 milhões, o que representa um acréscimo de 25% em relação ao ano de 2008.

A Orbista da Amazônia S. A., fundada em 1984, é uma empresa de base tecnológica com capital 100% brasileiro, especializada em sensoriamento remoto, radares de vigilância aérea e terrestre e produtos eletrônicos. A sua missão principal é fornecer soluções de mapeamento para o setor privado e órgãos governamentais de todo mundo. A empresa possui unidades em Manaus (AM) (complexo industrial), São José dos Campos (SP) (sede administrativa e divisão de sensoriamento remoto) e Campinas (SP) (desenvolvimento de tecnologia de radares).

Fonte: Jony Santellano (Brasil Wiki!) - Foto: ORBISAT/Divulgação

Presidente da ABIH-RJ divulga artigo sobre o Santos Dumont

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), da Associação Comercial e Industrial do Recreio (Acir) e do Conselho do Rio Convention & Visitors Bureau, Alfredo Lopes, divulga artigo onde fala de problemas no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Confira, na íntegra:

"Despreparo e risco no Santos Dumont

O trade turístico carioca iniciou 2009 demonstrando ampla preocupação com o aumento do número de voos para o Santos Dumont. A apreensão estava focada, naquele momento, no impacto que o deslocamento de frequências provocaria no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim. Mas a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), já havia tomado sua decisão e não recuou.

Hoje, pouco mais de um mês após a nova realidade se confirmar, sofremos as consequências de muitos e novos problemas que surgiram com esse incremento das operações atuais do aeroporto central do Rio.

Embarcar no Aeroporto Santos Dumont transformou-se numa aventura. Filas e uma estrutura que visivelmente não atende às novas demandas tornaram-se o dia-a-dia do aeroporto, em especial nos horários de pico. Só para Brasília, o Santos Dumont oferece hoje 16 opções diárias de vôos, a maioria deslocadas do Aeroporto internacional do Rio que caminha, a passou largos, para deixar de ser a segunda opção de hub do transporte aéreo do Brasil.

E o problema demonstra se agravar drasticamente também em relação à segurança das operações. As pistas encontram-se com problemas, aumentando os riscos em pousos e decolagens. Assim, vemos uma estrutura que funcionava com eficiência e qualidade passar a oferecer riscos e desconforto por uma decisão aparentemente precipitada por parte das autoridades e, com certeza, gananciosa por parte dos empresários do mercado de aviação."

Fonte: Mercado & Eventos

A proeza técnica é o ponto forte de Estação Espacial

Filme em 3D mostra o maior feito recente da exploração do cosmos

O feito tecnológico mostrado em Estação Espacial é impressionante e seu registro cinematográfico, digno de nota. A construção é resultado da associação de 16 países diferentes, reunidos na missão que redundou numa maravilha tecnológica contemporânea. O registro foi feito pelos próprios astronautas, que levaram ao espaço duas câmeras IMAX de 70 mm e captaram as imagens que foram posteriormente montadas. O resultado só é conseguido na tela gigante e com os projetores da sala IMAX, que criam o efeito de três dimensões. Para senti-lo, os espectadores devem colocar óculos especiais, fornecidos antes das sessões.

Deve-se dizer que numa sala IMAX a sensação de 3D é das mais realistas. Os objetos parecem saltar à sua frente e, se você não tomar cuidado, vai se pegar desviando de uma laranja que vem em sua direção solta por um astronauta. Há imagens do interior da estação espacial e da Terra, vista de quase 400 quilômetros de altura. Há também humor e empenho em mostrar a vida cotidiana de quem se aventura no espaço.

Mas existem aspectos menos convincentes. A música grandiosa às vezes enfraquece em vez de reforçar o poder das imagens. Quem montou o filme deveria ter visto 2001 - Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, para observar como se conjuga música e imagem na ausência de gravidade. Quem gosta de ciência também agradeceria por explicações mais detalhadas da parte técnica. O filme impressiona, mas ganharia com mais substância.

Fonte: Luiz Zanin Oricchio (O Estado de São Paulo)

MAIS

Estação Espacial 3D (Space Station 3D, EUA, 2002)
Documentário
Diretor: Toni Myers
História do maior feito tecnológico e científico desde o pouso do homem na Lua - a construção da Estação Espacial Internacional (ISS), uma missão de cooperação global entre 16 nações. Transportados pela tecnologia 3D, o espectador viaja com os astronautas e cosmonautas do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, e do Cosmodrome Baikonur na Rússia, para encontrar sua nova casa a 354 quilômetros acima da Terra.

Malas extraviadas rendem R$ 6 mil de indenização para Roberto Dinamite

Presidente do Vasco ficou três dias em Boston sem as bagagens.

American Airlines recorreu e aguarda julgamento.

A companhia aérea American Airlines foi condenada a indenizar, por danos morais, o presidente do Vasco e deputado estadual Roberto Dinamite (PMDB). A indenização é de R$ 6 mil.

Justiça concedeu sentença favorável a Dinamite

A sentença favorável ao deputado foi publicada nesta sexta-feira (29) no site do Tribunal de Justiça do Rio. De acordo com informações do TJ, durante uma viagem do Rio a Boston (EUA), Dinamite teve as malas extraviadas e resolveu processar a empresa.

A American Airlines já entrou com recurso para anular a decisão, que será julgada pela Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do Rio.

Três dias sem malas

Roberto Dinamite relatou no processo que, durante a viagem ocorrida em 2007, ele só conseguiu recuperar as malas três dias depois do extravio e, mesmo assim, porque resolveu ir ao aeroporto de Boston buscar informações sobre suas bagagens.

Dinamite acusou a American Airlines de descaso. Segundo ele, a empresa não prestou assistência e nem deu informações sobre a localização das malas.

A empresa aérea afirmou que agiu de acordo com o contrato de transporte e entregou, posteriormente, a bagagem em perfeitas condições.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução/TV Globo

US Airways iniciará operações no Brasil em dezembro

Companhia aérea será a quinta americana a operar voos internacionais regulares no País.

A US Airways vai fazer sua estreia no Brasil a partir do dia 2 de dezembro. A companhia aérea, que se tornará a quinta americana a operar voos internacionais regulares no País, vai oferecer um voo diário entre o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão) e a cidade de Charlotte, seu principal centro de distribuição de voos domésticos nos Estados Unidos.

De acordo com Newton Vieira, diretor da South Marketing, representante da US Airways no Brasil, a aeronave utilizada será um Boeing 767-200, com capacidade para cerca de 200 passageiros. O avião vai oferecer duas classes: executiva, com em torno de 20 assentos, e a econômica, com cerca de 180 poltronas.

"É a nossa primeira investida na América do Sul. Estamos negociando com a TAM, que como nós pertence à Star Alliance, para termos mais conectividade no mercado brasileiro", afirma Vieira.

Segundo ele, de Charlotte o passageiro brasileiro poderá se conectar com Filadélfia, o principal hub de vôos internacionais da US Airways.

O projeto inicial da US Airways previa voos a partir do Aeroporto Internacional de Guarulhos, conta Vieira. De acordo com ele, no entanto, não havia intervalos de pouso e decolagem (slots) disponíveis no terminal paulista. Mas a US Airways ainda pretende, numa segunda fase, oferecer voos a partir de São Paulo.

Fonte: Agência Estado

Aliado contra o crime no ar

HELICÓPTERO DA RECEITA FEDERAL

Um dos dois Eurocopter EC135 T2 da Receita Federal

O tempo fechado obrigou um dos helicópteros mais modernos do Brasil a pousar em Joinville. A aeronave EC 135 da Receita Federal voltava do Rio Grande do Sul na quarta-feira, mas precisou fazer uma parada antes de seguir para o interior de São Paulo porque o clima esteve nublado nos últimos dois dias. A máquina estava sem radar e os pilotos acharam melhor adiar a viagem.

O helicóptero de fabricação alemã é usado em ações de combate ao contrabando de mercadorias, drogas, armas e munições. Custa cerca de R$ 14 milhões e é equipado com radar de busca, câmera infravermelha, mapas digitais, farol de busca e flutuadores de emergência. Cada hora de voo custa cerca de R$ 4 mil.

“O valor é alto, mas o volume de apreensões que fazemos com o auxílio da aeronave compensa”, afirma o piloto José Ricardo Gomes, 44 anos. Ele explica que as ações em terra são facilitadas quando as equipes da Receita contam com o suporte aéreo. Normalmente, o EC 135 é usado para fiscalizar fronteiras de difícil acesso pela água ou por terra. O modelo tem capacidade para transportar até oito pessoas. Se o tempo permitir, o helicóptero decola hoje.

Fonte: A Notícia - Foto: Luiz Carlos Padilha

Nave Soyuz TMA-15 se acopla com sucesso à ISS

A nave "Soyuz TMA-15", com três tripulantes a bordo, que integrarão a primeira missão de seis membros na Estação Espacial Internacional (ISS), acoplou-se nesta sexta-feira (29) com sucesso ao módulo russo "Zarya" da plataforma orbital.

"O acoplamento ocorreu em regime automático e sem contratempos", disse o porta-voz do Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia, Valeri Lindin, citado pela agência "Interfax".

A manobra aconteceu às 16h34 de Moscou (9h34 de Brasília), como estava previsto.

Aproximadamente uma hora e meia depois do engate da Soyuz com a plataforma, os astronautas abrirão a escotilha.

A nave com o cosmonauta russo Roman Romanenko, o belga Frank de Winne, da Agência Espacial Europeia, e o canadense Robert Thirsk partiu a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, na quarta-feira passada às 14h34 de Moscou (7h34 de Brasília).

Os recém-chegados serão recebidos pela tripulação da 19ª expedição, integrada pelo russo Gennady Padalka, seu colega da Nasa Michael Barrat e o astronauta japonês Koichi Wakata.

A nova missão terá uma duração de 180 dias, durante os quais os cosmonautas receberão na ISS três naves "Progress", realizarão duas caminhadas, desacoplarão e voltarão a acoplar a nave "Soyuz TMA-14" de um módulo a outro da plataforma orbital.

Além disso, deverão acoplar e desacoplar a nave de carga japonesa "HTV-1" e realizar um amplo programa de experimentos científicos.

O diretor da agência espacial russa Roscosmos, Anatoli Perminov, destacou recentemente o caráter singular deste voo, que eleva de três para seis os membros da missão permanente no laboratório espacial.

Ressaltou também que, pela primeira vez, trabalharão na plataforma orbital astronautas de cinco países: Rússia, Estados Unidos, Canadá, Japão e Bélgica.

Fonte: EFE - Foto: NASA

Infraero vai pedir ao Exército que assuma projeto de ampliação do aeroporto de Vitória

A Infraero poderá firmar um convênio com o Exército brasileiro para que as Forças Armadas atuem na elaboração do projeto executivo de pátio e pista do aeroporto de Vitória.

A medida, segundo informou nesta sexta-feira (29) o senador Renato Casagrande, poderia antecipar em alguns meses o cronograma final de entrega das obras de ampliação e modernização do aeroporto.

Este novo cronograma de obras prevê que os trabalhos de conclusão das obras de pátio, pista e terminal de passageiros somente serão concluídos em 2012.

"A Infraero está buscando um convênio com o Exército brasileiro para que eles façam o projeto executivo de pátio e da pista. Isso daria a Infraero um tempo maior, porque eles não teriam que licitar o projeto de pátio e de pista. Ganharão de três a quatro meses de tempo, se eles conseguirem fazer esse convênio. De fato conseguem naturalmente, se não houver nenhum impedimento judicial", disse.

Segundo o senador, a estatal tenta reduzir o tempo de retomada das obras do aeroporto. O primeiro passo foi dado esta semana com a publicação, no Diário Oficial, da rescisão do contrato com o consórcio de empresas que havia vencido a licitação para as obras do aeroporto.

"A rescisão do contrato com o consórcio foi publicada no Diário Oficial da União da última segunda-feira. Agora, se nenhuma outra decisão judicial houver, a Infraero pode contratar a complementação do projeto do pátio e da pista".

O parlamentar disse ainda que conversou com o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro Cleonilson Nicácio, sobre as obras no terminal Eurico Salles. Segundo Casagrande, o presidente da Infraero afirmou que serão implementadas estruturas provisórias para ampliar, até a conclusão das obras, a capacidade das salas de embarque e de desembarque. As instalações começam no mês que vem.

"O brigadeiro Nicácio disse que serão colocadas mais duas esteiras para entrega de bagagens na sala de desembarque. Pra nós é importante porque, se a obra vai ficar pronta em três anos, essa ampliação provisória nos dá mais conforto. Na sala de desembarque, se você tem que pegar uma mala, é um constrangimento", falou.

Ouça a íntegra da entrevista com Renato Casagrande

O senador acredita que o Exército aceitará o pedido feito pela Infraero para confeccionar o projeto executivo. "Vamos começar tudo de novo, não tem jeito. Uma obra que começou errado, sem os detalhes necessários, não tem como ser levada a frente. Agora que nós vamos começar certo, esperamos que termine certo. Nós temos parte do projeto de pista e pátio sem o detalhamento. Precisa do projeto executivo, que poderá ser feito pelo Exército, porque aí vamos ganhar tempo", disse.

Fonte: Gazeta Online

Alemanha: Tribunal decide que ex-refém tem de pagar o transporte aéreo

Os alemães que forem sequestrados no exterior terão que pagar os custos das operações de resgate, segundo uma sentença ditada hoje pelo Tribunal Federal Administrativo, com sede em Leipzig, no leste da Alemanha).

O tribunal rejeitou a ação apresentada por Reinhilt Weigel (foto), de 36 anos, quem em 2006 ficou sequestrada durante dez semanas no norte da Colômbia.

O Estado alemão lhe reivindicou depois os 12.640,05 euros da libertação dela e transporte de helicóptero, a partir do território sob controle da guerrilha Exército de Libertação Nacional (ELN) à capital Bogotá.

Segundo o tribunal, para este tipo de situação extrema, persiste o imperativo de prestação de ajuda consular e também de restituição do valor gerado por essas ações.

O advogado da querelante tinha argumentado que os custos a que se refere a correspondente lei de restituição de despesas afetam questões como roubo, perda da passagem aérea ou do passaporte.

Por parte do Ministério de Exteriores, considera-se, por outro lado, que o consulado tem que agir em auxílio de um cidadão alemão perante qualquer dificuldade em que se encontre, incluindo o sequestro, e, portanto, também rege a obrigatoriedade da restituição dos custos.

A própria litigante mostrou sua decepção com a decisão da Justiça alemã e argumentou que não tem recursos para pagar a quantia, e também que o sequestro deixou nela sequelas físicas que persistirão durante anos.

Fontes: EFE / Agência Lusa - Foto: AP

sexta-feira, 29 de maio de 2009

A outra face de um homem de suce$$o

Houve uma época em que o self-made man Nenê Constantino, em roda de amigos, se vangloriava ao dar a receita do seu sucesso profissional, que começou como ajudante de caminhão para se tornar o maior do ramo de transportes no país, com uma frota de ônibus, além de ter fundado a Gol. Garantia que o segredo de todo o seu êxito consistia em uma receita muito simples: basta manter os pés no chão e os pneus no asfalto. Esqueceu de revelar que também costumava lançar mão da violência, recrutando pistoleiros para eliminar aqueles que contrariassem seus interesses.

Chegando aos 80 anos, o empresário, dono da maior frota de ônibus do Brasil e da segunda maior empresa aérea, nos últimos anos, deixou de ocupar espaço nas editorias de economia e virou personagem do noticiário policial. Suspeito de ser o mandante do assassinato de dois homens, foi indiciado pela polícia, tendo sua prisão decretada na quarta-feira, dia 21. Na noite da quinta-feira, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal negou um habeas corpus para que respondesse ao processo em liberdade. Seu genro e sócio, também acusado de ter participado do complô, foi preso, mas libertado dois dias depois.

Nenê, por decisão da desembargadora Sandra De Santis, “em face do precário estado de saúde do paciente”, responderá em liberdade domiciliar.

Acusado de encomendar os assassinatos de Márcio Leonardo de Sousa Brito, de 27 anos, que liderava mais de 100 invasores de uma enorme área da garagem Pioneira, uma das suas empresas, na QI 25, em Taguatinga Norte, além do caminhoneiro Tarcísio Gomes, 47 anos, em outubro e fevereiro de 2001, foi, a partir daí, que um Nenê Constantino diferente emergiu. Não se exercitava apenas mantendo os pés no chão e os pneus no asfalto. Também apreciava a lei do gatilho para resolver desavenças.

Por que tanta ira para encomendar esses crimes? De acordo com as investigações, uma das vítimas liderava um grupo que se recusava a deixar as moradias construídas nos lotes em que o terreno pertencente ao empresário foi transformado. Como um “capo di tutti capi”, o empresário, em liberdade, passou a intimidar testemunhas. De acordo com o promotor Bernardo de Urbano Resende, do Tribunal do Júri de Taguatinga, foram interceptadas conversas telefônicas muito comprometedoras, no final do ano passado.

Uma das testemunhas, a viúva de um ex-rodoviário, mais conhecido como Padim, teria recebido uma casa em Águas Lindas (GO), além da promessa de emprego a um filho, para afirmar que as duas mortes foram praticadas pelo seu então marido, que também era empregado da Planeta, outra empresa de Constantino, e que morreu de cirrose. O empresário, uma fera nos negócios, também demonstrou ferocidade nos seus métodos para afastar aqueles que atrapalham o seu caminho, no chão ou no asfalto.

Antes de vir à tona esse caso, que é muito grave, ele protagonizou uma cena de fúria assassina que estarreceu o país, em 25 de outubro de 2007, na Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deco), onde prestaria depoimento a respeito de uma investigação da Operação Aquarela, deflagrada pela Polícia Civil do DF, na qual o ex-governador Joaquim Roriz recebera um cheque de R$ 2,2 milhões, do Banco Regional de Brasília, de Nenê Constantino e que, segundo ele, serviria para comprar uma bezerra de R$ 300 mil e também ajudar financeiramente um primo.

Irritado com a presença de um fotógrafo, Alan Marques, da Folha de S. Paulo, que registrava o empresário na delegacia, agrediu-o, e, não satisfeito, pegou uma enorme pedra, perdendo completamente o controle. Demonstrou a intenção de praticar uma violência maior, que não chegou a consumar.

Apesar da truculência só agora revelada, Nenê Constantino tem uma privilegiada visão empresarial. Já era o maior proprietário de ônibus no país, com 40 empresas de transporte coletivo, possuindo mais de 10 mil veículos, quando resolveu, em 2001, investir no transporte aéreo (naquela época, só em São Paulo, seus ônibus transportavam 10% dos mais de 90 milhões de passageiros). Como uma espécie de Tio Patinhas, despojado, sempre usou relógios de plástico, comprado em camelô, e, durante muitos anos, circulava em Brasília dirigindo um LTD Galaxie, um calhambeque dos anos 70.

Há 10 anos, a sua fortuna, antes da Gol, era avaliada em R$ 1 bilhão. Consta que sua decisão de fundar a empresa aérea tinha como único objetivo concorrer com o arquiadversário e inimigo pessoal, Wagner Canhedo, na época, dono da Vasp, que concorria com ele no setor de transporte coletivo no Distrito Federal. Sempre sorridente, bonachão, é difícil, para as pessoas que o conhecem, assimilar a cruel realidade que as investigações policiais estão revelando, com fortes ingredientes de um folhetim eletrônico, no qual o vilão é descoberto só no final.

Nenê Constantino também tinha uma porção do rei Midas, transformando em ouro o que tocava. Tudo dava certo para ele, a começar pela primeira empresa conquistada, de bandeja, em Patrocínio, sua cidade natal. Depois de abandonar os estudos sem completar o primário, optando por trabalhar no pequeno armazém de um irmão mais velho, não demorou muito e passou a viajar para São Paulo, na boleia de um caminhão, comprando mercadorias para abastecer o negócio do irmão.

Sempre atento e de prontidão para os negócios, poucos anos depois, surgiu uma oportunidade de conseguir a concessão da linha rodoviária ligando Araguari a Patrocínio e Belo Horizonte, que pouco interesse despertara pelo fato de as estradas se encontrarem sem qualquer manutenção, com enormes crateras nos trechos. Comprou um ônibus para pagar a prazo e passou a ser empresário no setor de transporte coletivo. Aquele era um pequeno empresário que, com audácia, passou a comprar grandes empresas sem tirar um tostão do bolso.

Como algumas grandes fortunas no Brasil, empresas de seu grupo cresceram com monumentais dívidas de impostos. Para não recolher os tributos nos caixas, a desculpa frequente sempre foi a falta de repasse do dinheiro das passagens por parte da SPTrans, uma estatal responsável pelo gerenciamento do transporte público de São Paulo.

Antes de ocupar espaço na mídia nacional por protagonizar fatos policiais, Nenê Constantino e família chegaram a entrar para o fechadíssimo ranking dos biliardários da revista “Forbes”, donos de uma fortuna calculada em US$ 1,1 bilhão, apurado em 2006, com mais de 30 empresas de ônibus, a compra da Companhia Providência, bem como a participação na BR Vias, além do controle da Gol. A roleta começou a girar contra em 2007, com as empresas encontrando dificuldades, ao mesmo tempo em que o patriarca se envolvia em assuntos policialescos. Em 2008, o valor de mercado das empresas Gol e Providência despencou 36,7% em quatro meses. A queda registrada foi de R$ 9,8 bilhões para R$ 6,2 bilhões. A queda dos lucros também foi gigantesca: 65% em 2007.

Com a megalomania de atingir o topo, aventurou-se ao comprar a Varig, na ilusão de retomar o prestígio que a empresa aérea teve no passado, mas pagou um preço altíssimo por essa aventura. Para piorar a situação, a aviação comercial entrou em crise, com a redução das decolagens em Congonhas, mantendo rotas deficitárias.

O envolvimento do fundador de todo o grupo em casos policiais, principalmente a Gol, uma empresa que requer fé pública, tem sido prejudicial, causando fortes turbulências e inquietando seus investidores na Bolsa.

Fonte: Revista Brasilia Em Dia - Fotos: Wilson Dias (Abr) / Alan Marques (Ag. Folha)

Pilotos da Portugália voltam à greve

Os pilotos da Portugália vão fazer greve durante dez dias consecutivos, a partir de 4 de Junho. À Renascença, a TAP, proprietária da companhia aérea, confirma a paralisação e mostra-se bastante surpreendida.

A TAP já recebeu o pré-aviso de greve dos pilotos da Portugália e está a preparar um plano para minimizar os efeitos deste protesto.

Uma fonte da companhia garantiu que todos os passageiros da Portugália irão ter uma solução caso o seu voo seja cancelado.

O Sindicato dos Pilotos, apesar de não querer gravar declarações, confirma que a decisão de partir para um período tão prolongado de greve, já a partir do próximo dia 4 de Junho e por dez dias, foi aprovado ontem à noite em assembleia geral. Logo depois da reunião o pré-aviso de greve foi enviado para a administração da Portugália.

Entretanto, hoje, numa carta enviada a todos os sócios do Sindicato, a direcção desta estrutura escreve que “após uma ronda de negociações sem sucesso, que incluiu três reuniões com a administração” decidiram partir para a greve.

Uma fonte da companhia confirmou os encontros e disse que “à partida estava tudo a correr bem” e que “nada apontava para este desfecho”.

Os pilotos da Portugália exigem mais períodos de descanso e que há relativamente pouco tempo efectuaram seis dias de greve.

Na altura a administração falou em prejuízos elevadíssimos e que a manterem-se poderiam levar a empresa à falência.

Fonte: Paulo Neves (Rádio Renascença - Portugal)

Seae e Anac estreitam cooperação em defesa do usuário de transporte aéreo

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae), do Ministério da Fazenda, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) assinaram hoje (28) acordo de cooperação técnica com o objetivo de estreitar o relacionamento nas ações conjuntas de prevenção e repressão a infrações de ordem econômica.

O acordo também abrange a promoção da concorrência de atividades inerentes aviação civil e de infraestrutura aeronáutica e aeroportuária, bem como o intercâmbio de informações sobre regulação e fiscalização econômica e financeira em empresas de serviços de transporte aéreo.

Os dois órgão já trabalham em estreita colaboração, uma vez que cabe Seae a fiscalização das agências regulatórias, e o diretor de Serviços Aéreos e Relações com Usuários da Anac, Marcelo Pacheco dos Guaranys, é funcionário de carreira da secretaria. O que houve agora foi uma formalização da cooperação já existente.

A Anac e a secretaria trocam mensagens diárias sobre os trabalhos de cada uma no acompanhamento da atividade aérea, e o acordo firmado hoje determina que essa troca contínua de informações seja acentuada, de modo a uniformizar conceitos e procedimentos na aplicação da legislação do setor: leis 8884/1994 e 11.182/2005.

Assinado pelo titular da Seae, Antônio Henrique Silveira, pela diretora-presidente da Anac, Solange Paiva Vieira, e pelo diretor Marcelo Guaranys, o acordo tem vigência de 24 meses e pode ser prorrogado por igual período, mediante termo aditivo, desde que haja entendimento prévio com antecedência mínima de 30 dias.

Fonte: Agência Estado

Ministério da Saúde confirma 16º caso de nova gripe no Brasil

O paciente, de São Paulo, está internado e passa bem.

Até as 18h desta sexta (29), eram 15 casos.


Subiu para 16 o número de casos confirmados de influenza A no Brasil. Mais cedo, o Ministério da Saúde havia confirmado 15 pacientes. O novo caso da doença foi registrado em São Paulo. O paciente passa bem, segundo o ministério.

A confirmação do novo caso de gripe foi dada duas horas e meia após o Ministério da Saúde ter anunciado o 15º caso no país, de um paciente do Rio de Janeiro, que tem convívio com outro infectado que veio dos Estados Unidos. O paciente do Rio está internado, mas também passa bem.

O Ministério informou ainda que está monitorando 20 casos e que existem 18 casos suspeitos.

Segundo o Ministério, dos 16 casos confirmados, 12 são de pessoas que vieram de fora do Brasil, sendo oito dos EUA, três do México e um da Europa.

Os casos da nova griope no país foram registrados nos estados de São Paulo (7), do Rio de Janeiro (5), Santa Catarina (2), Minas Gerais (1) e Rio Grande do Sul (1).

Casos no mundo

O número de pessoas contaminadas pelo vírus influenza A (H1N1) no mundo aumentou para 15.510, segundo o último boletim da Organização Mundial da Saúde, divulgado nesta sexta-feira (29) -um aumento de mais de 2 mil casos em relação aos números de quarta, quando 13.398 casos haviam sido diagnosticados.

De acordo com a agência da ONU, 53 países registraram casos da epidemia, que já matou 99 pessoas.

Fonte: G1

Bolívia tem primeiros casos de gripe suína

O Centro Nacional de Doenças Tropicais (Cenetrop) da região de Santa Cruz detectou os dois primeiros casos de gripe suína na Bolívia, que ainda devem ser confirmados pelo Centro de Doenças de Atlanta (EUA), informou o jornal El Deber.

O Cenetrop informou que uma mulher de 39 anos e o filho foram detectados na segunda-feira com sintomas de gripe e febre alta, quando chegaram a Santa Cruz pelo aeroporto internacional de Viru Viru, 900 km ao leste de La Paz, procedentes dos Estados Unidos.

Fonte: AFP

Alagoas cresce em desembarques entre janeiro e abril

O mês de abril é considerado baixa temporada, mas os números divulgados pela Infraero, nesta semana, revelam que o fluxo de passageiros no aeroporto Zumbi dos Palmares (foto acima), em Maceió, continuam crescendo. Segundo os dados, Maceió recebeu, de janeiro a abril, um total de 360.926 passageiros em voos regulares nacionais e internacionais, o que equivale a um aumento de 1,5% em relação ao igual período do ano anterior, que teve 355.465 passageiros no mesmo período. Já na média brasileira, houve uma queda total de 0,4% nos desembarques.

O fluxo nacional, que compreende os passageiros de voos dentro do país para Maceió, teve um aumento de 3,1% em relação ao mesmo período do ano passado, contabilizando 351.670 passageiros desembarcados até abril, contra 341.163 em 2008. Esse crescimento também é maior que a média brasileira, que apresentou um aumento de apenas 0,2% no fluxo de passageiros nacionais em igual período.

Já no fluxo internacional para Alagoas houve uma queda de 35%, com 9.256 passageiros desembarcados no aeroporto de Maceió no período. Em 2008 este número foi maior – 14.302 passageiros desembarcados – e essa queda deve-se a não operação dos voos fretados do Chile e Argentina. Porém, Alagoas recebeu voos de Portugal durante o mês de abril, e também da Itália.

Entretanto é importante lembrar, de acordo com o secretário de Turismo de Alagoas, Virginio Loureiro, que o estado recebe estrangeiros vindos de Recife, Salvador e São Paulo, já que a Infraero contabiliza apenas os passageiros internacionais que entram diretamente no aeroporto Zumbi dos Palmares.

Fonte: Mercado & Eventos - Foto: Danilo_SL

Polícia desativa transmissor de rádio que prejudicava comunicação em Congonhas

Transmissor foi desativado na Zona Norte de SP na noite da quinta (29).

Outra rádio pirata que interferia no aeroporto foi fechada na Zona Leste.



A polícia desativou, na noite desta quinta-feira (28) na Zona Norte de São Paulo, o transmissor de mais uma rádio pirata. O equipamento também atrapalhou o controle de tráfego aéreo no Aeroporto de Congonhas, Zona Sul da capital paulista.

Policiais civis e fiscais da Anatel localizaram o transmissor da rádio pirata escondido no alto da Serra da Cantareira. Para chegar ao local, o grupo pegou uma estrada de terra e andou no meio da mata. O equipamento estava dentro de uma caixa blindada, lacrada com correntes e cadeados.

O aparelho tinha potência suficiente para fazer o sinal da rádio ser ouvido em toda a cidade. A emissora clandestina tinha sido fechada duas semanas atrás, mas não ficou muito tempo fora do ar. “Eles conseguiram montar um novo estúdio e colocar novamente a rádio no ar”, disse o delegado responsável pelo caso, César Camargo. Ninguém foi preso.

Também na quinta, uma rádio pirata havia sido fechada, na Zona Leste. Segundo a polícia, a rádio atrapalhou a chegada de pelo menos cinco voos à capital paulista na noite desta quarta-feira (27).

Fonte: G1 (com informações do Bom Dia São Paulo)

Embaixada do Brasil aguarda informações sobre passageiros angolanos recambiados

O embaixador brasileiro, Afonso Cardoso, disse, ontem, à imprensa que, até ao momento, aguarda informações das autoridades do seu país sobre as razões que estiveram na base do impedimento à entrada no Brasil de 22 angolanos, pelos serviços migratórios.

De acordo com o embaixador, até ontem a embaixada verificou os vistos de 17 angolanos que estavam entre o grupo dos recambiados e confirmou que foram obtidos de forma lícita, através dos serviços da Embaixada.

O embaixador referiu que, por este motivo, não podia, ontem, adiantar as razões que estiveram na base da negação dos serviços de migração brasileiros.

Grupo de cidadãs viajava em negócios

Um total de 22 cidadãs angolanas viram a sua entrada recusada na República Federativa do Brasil, por alegado visto falso.

As cidadãs angolanas chegaram, terça-feira, ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, de onde foram encaminhadas para a Direcção Nacional de Investigação Criminal (DNIC).

Na sua maioria são senhoras, com idades entre os 22 e os 48 anos, que viajavam em negócios para São Paulo, tendo 12 delas feito a rota Luanda/Joanesburgo/São Paulo e um segundo grupo a rota Luanda/Brazzaville/São Paulo.

Autoridades migratórias podem recusar entrada

Apesar dos vistos terem sido obtidos de forma lícita, Afonso Cardoso esclareceu que quem decide a entrada no país é a autoridade migratória, considerando vários outros elementos, que neste caso ainda não são do conhecimento da Embaixada.

O diplomata deu a conhecer que, nos cinco primeiros meses deste ano, a Embaixada do Brasil em Angola concedeu mais de 13 mil vistos, entre os quais de turismo, negócios e de estudo.

Afonso Cardoso explicou que quaisquer que tenham sido as razões do impedimento da entrada no Brasil, elas vão ser tornadas públicas.

Por este motivo, reforçou que nada tem a ver com a ida ao Brasil de angolanos, uma vez que o seu país os recebe de forma aberta.

A título de exemplo, argumentou, no final de 2008, houve alturas em que, semanalmente, foram concedidos mais de mil vistos de curta duração a nacionais angolanos.

Afonso Cardoso acrescentou que com a finalidade de facilitar a vida das pessoas, o Brasil decidiu unilateralmente conceder vistos de turismo e negócio válidos por 365 dias e múltiplas entradas, desde que se obedeça aos requisitos que este tipo de visto implica.

Entre estes requisitos, adiantou, estão a estadia no país por um período de até 90 dias cada vez que a pessoa se desloca ao Brasil ou, no máximo, 180 dias por ano.

Com isso pretende-se facilitar a concessão de vistos entre os dois países e a circulação de cidadãos, o comércio, bem como tornar as relações mais ricas.

Neste sentido, tranquilizou as pessoas que queiram deslocar-se ao Brasil, referindo que desde que cumpram os procedimentos necessários os vistos serão concedidos.

Fonte: Jornal de Angola

Luciano Huck compra avião de US$ 6 milhões, informa revista

Jato executivo tem capacidade para quatro passageiros, além do piloto e co-piloto

O apresentador Luciano Huck acaba de comprar, por US$ 6 milhões (cerca de R$ 12 milhões), um jato executivo Premier 1, informa a revista "Veja". A aeronave, fabricada pela americana Raytheon, tem capacidade para quatro passageiros, além do piloto e do co-piloto.

Huck já tem um helicóptero, um Robinson 44, comprado há três anos.


Fonte: pe360graus.com - Fotos: finesthotels.net

A320 "Diáspora" já foi entregue à SATA

A SATA já recebeu o novo airbus A320 que foi batizado de "Diáspora"

O novo A320-214 da SATA, prefixo F-WWDC (cn 3891) em voo de teste em Toulouse - France
Foto: Terence Li - clique sobre a imagem para ampliá-la

O "Diáspora" foi entregue ao presidente da SATA, Gomes de Menezes, pelo vice-presidente da Airbus, Chris Buckley, numa cerimónia simbólica.

Na cerimónia que decorreu esta sexta-feira, o presidente da SATA não escondeu a sua emoção em receber este novo aparelho. O vice-presidente da Airbus afirmou que a companhia açoriana goza de boa reputação na Europa e na América do Norte e que este negócio foi muito importante para a Airbus.

O "Diáspora" voa agora para Lisboa e no 3 de Junho realiza o seu primeiro voo oficial entre Ponta Delgada e Frankfurt. O AO online falou com os pilotos que vão realizar este voo inaugural que se mostraram muito satisfeitos e honrados com o facto.

O A320 "Diáspora" à entrada no espaço aéreo português será escoltado por dois F16 da Força Aérea Portuguesa, que saem da Base Aérea de Monte Real. O AO online sabe que esta escolta é motivo de grande orgulho para a administração da SATA.

A aeronave foi adquirida pela transportadora aérea regional à ILFC, a maior cliente da Airbus, em sistema de "leasing".

Ao todo a ILFC possui 600 aeronaves, sendo que esta é a precisamente a última adquirida no ano em que a Airbus assinala dez primaveras e em que a SATA assinala o seu quinto aniversário de relacionamento comercial com a construtora francesa de aviões.

Fonte: Paulo Simões e Ana Melo (AO Online)

Airbus e Boeing na corrida pela renovação da frota da companhia açoriana SATA

A SATA iniciou um agressivo plano de renovação da frota de aviões este ano para aumentar a competitividade e optimizar a operação. Depois da compra de seis modelos da Bombardier e do reforço da linha de A320, com a compra de mais um aparelho da Airbus, está a planear a substituição de mais quatro A310.

Esse processo deverá iniciar-se em 2011, estando já a ser estudada qual a melhor solução, se a fabricante europeia, se a concorrente norte-americana Boeing.

Até agora, a companhia estatal açoriana já investiu mais de 90 milhões de euros na compra de novos aviões. Mais especificamente, 11,2 milhões em dois Bombardier Q200, que foram entregues há cerca de quinze dias, e 80 milhões de euros em quatro Bombardier Q400, cuja chegada é esperada para o primeiro trimestre de 2010. O novo A320, que se estreia amanhã e que se vai juntar a um grupo de outros três que a SATA já detinha, foi comprado em regime de leasing¸ efectuando-se um pagamento mensal pela sua utilização, que a transportadora preferiu não revelar.

Estes novos aparelhos foram adquiridos para substituir uma frota de cinco aparelhos com alguns anos de operação, composta pelos modelos Dornier e BAE ATP, que já foram, aliás, descontinuados pelos fabricantes. António Gomes de Menezes, presidente executivo da empresa, explicou, na conferência de imprensa de apresentação da nova identidade visual da SATA, que este processo tem como objectivo impulsionar "a refundação da imagem, num mercado hiper competitivo, graças à agressividade das low-cost e ao aproximar das companhias tradicionais ao modelo de baixo custo". Além disso, trará "mais eficiência e melhor serviço", acrescentou.

À margem do encontro com os jornalistas, o gestor avançou ao PÚBLICO que o plano de investimentos em novos aviões não vai ficar por aqui. Os quatro A310 que a SATA actualmente detém vão ser substituídos no curto prazo, uma vez que a Airbus deixou de fabricar este modelo e que já não se adequam à operação da companhia açoriana. "Não será ainda em 2010, mas podemos pensar num começo de substituição a partir do ano seguinte", revelou Gomes de Menezes

A dúvida está no tipo de aparelho que será comprado para substituir o A310, uma vez que, tanto a fabricante europeia, como a Boeing possuem alternativas que interessam à transportadora pública. A primeira com o modelo A330, que ganha vantagem em dimensão, espaço de carga e possibilidades de manutenção em Portugal (via TAP, que é certificada pela Airbus); e segunda com o 757, que tem um preço bastante mais atractivo. "Encomendámos estudos às duas empresas para perceber qual é a hipótese mais viável", afirmou o presidente executivo da SATA.

Trata-se de um plano ambicioso, numa altura em que a empresa tenta recuperar de prejuízos de perto de três milhões de euros, em 2008, causados pela subida do petróleo e pelo abrandamento do tráfego. Motivo que não foi suficiente para que travasse o projecto de lançamento da nova imagem, que vai passar a estar presente no revestimento dos novos aviões, sendo depois incorporada na frota mais antiga.

A transportadora açoriana está a tentar negociar a venda de dois aparelhos ATP próprios que vão ser substituídos. Os restantes vão retornar às empresas de leasing aos quais foram adquiridos. Já há interessados em comprar, mas as conversações ainda não estão concluídas. Se o negócio de concretizar, poderá significar um encaixe financeiro importante para a SATA, facilitando o regresso aos lucros.

Fonte: Raquel de Almeida Correia (O Público - Portugal)

Pilotos do Legacy são denunciados por homicídio e atentado à segurança

Os pilotos do jato Legacy, os americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino - que se envolveram no acidente que resultou na queda de um avião da Gol e na morte de 154 pessoas, em 29 de setembro de 2006 -, foram denunciados por crime de homicídio e atentado contra a segurança do transporte aéreo nacional nesta quinta-feira. A nova denúncia foi enviada para a Justiça Federal pelo Ministério Público Federal do Mato Grosso (MPF-MT). Os pilotos estrangeiros já respondiam a processo por homicídio culposos (sem a intenção de matar).

Joseph Lepore e Jan Paul Paladino

Assinada pelos procuradores da República Analícia Ortega Hartz Trindade e Thiago Lemos de Andrade, a denúncia considera dois laudos periciais que identificaram a ocorrência de condutas que podem ter sido determinantes para causar o acidente. Feitos pelo perito Roberto Peterka, os laudos foram entregues ao MPF em março deste ano pelo advogado da assistência da acusação, Dante Daquino, contendo estudo e análise do relatório sobre o acidente, feito pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), em dezembro de 2008.

De acordo com os documentos, são apontadas duas falhas: uma, indica que os pilotos omitiram a informação de que o Legacy não tinha autorização para voar em área considerada de espaço aéreo especial; a outra, diz que eles não haviam acionado o sistema anti-colisão, instrumento que traz informações ao piloto sobre a proximidade de outras aeronaves no espaço aéreo próximo.

Segundo a procuradora Analícia, a denúncia pode acelerar o processo de análise pela Subseção da Justiça Federal em Sinop (MT) das novas provas apresentadas.

O acidente entre as aeronaves ocorreu quando o avião da empresa área Gol fazia o vôo 1907, cujo itinerário iria de Manaus (AM) até Brasília (DF), e foi atingido pelo jato executivo Legacy, que seguia de São José dos Campos (SP) para Manaus. A ponta da asa esquerda do Legacy tocou o boeing a 37 mil pés de altura, desestabilizando a aeronave, que levava 154 pessoas, e resultando na queda do avião e na morte de todos ocupantes. Os pilotos do jato saíram ilesos.

Fonte: Terra - Foto: Reprodução/TV Globo

Vendaval assusta passageiros em aterrissagem no aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande (MT)

A chuva e o forte vento, atípicos para esta época do ano em Cuiabá, provocaram um grande susto nos passageiros do voo 1935, da Gol, que saiu de Brasília às 15h55min da tarde desta quinta-feira (28).

O piloto do Boeing 737 teve que arremeter (abortar a aterrissagem) próximo a cabeceira da pista. Depois da manobra, a aeronave ficou sobrevoando Cuiabá e Várzea Grande por cerca de 10 minutos. O piloto informou aos passageiros que abortou a aterrissagem pelo risco que ela causaria em razão da forte corrente de vento

Numa segunda tentativa, o piloto pousou mesmo assim com muita dificuldade, pois o forte vento fez com que o avião, na frenagem, deslizasse para os lados da pista. A manobra do piloto foi aplaudida pelos passageiros, quando o avião parou próximo ao terminal de desembarque.

No voo estavam mais de 100 passageiros. Entre eles os deputados federais Carlos Abicalil (PT), Homero Pereira (PR) e Valtenir Pereira (PSB). Estavam também no voo, o advogado do Grupo Amaggi, José Antonio Guilhen; o também advogado Agnaldo Carvalho, que pleiteia uma vaga de desembargador no Superior Tribunal de Justiça, uma das diretoras do Supermercado Comper e o jornalista Marcos coutinho, sócio-proprietário, do Olhar Direto.

Fonte: Olhar Direto

Etanol: avião experimental americano será usado em cursos de treinamento

Biocombustíveis são excelentes alternativas para combustíveis de aviação. Com este pensamento, o presidente do Conselho de Biomassa e Novos Usos dos Estados Unidos, Bill Holmberg, vem apostando firme no etanol.

Ele participa de um empreendimento que colocará no ar uma aeronave abastecida com etanol e que ficará baseada no primeiro aeroporto verde do mundo, na República Dominicana, com apoio do presidente do país, Leonel Fernández Reyna.

Recentemente, o Dr. Max Schauck, professor da Baylor University, no Texas/EUA, se juntou a uma equipe formada por Gus Glascock e a companhia Mars Candy, para fabricar etanol de resíduos do açúcar, usado no combustível da Pitts Special, de Shauck. Schauck colocou o Pitts e outras aeronaves em shows aéreos com etanol através da América, incluindo Oshkosh e o Paris air Show. Ele e sua esposa, Grazia Zanin, quebraram o recorde através do Atlântico, Nova York a Paris na pequena aeronave Velocity.

Shauck e Grazia são os principais proprietários da empresa The Spirit of Hispaniola, da República Dominicana, agora dona do Cessna 152s modificado para voar com etanol. O trabalho é conduzido por uma equipe formada por Holmberg, o empresário dominicano Omar Bros, dono da ICM, e Dave Vander Greind. A aeronave será usada em vôos de cursos de treinamento na República Dominicana e será o foco da apresentação que Holmberg fará durante o Ethanol Summit, no World Trade Center, em São Paulo. Ele participará da seção Salas Temáticas/Tecnologia: Biocombustíveis na Aviação: Avaliando as Perspectivas, dia 1 de junho às 14h.

As informações partem da assessoria de imprensa da Unica - União da Indústria da Cana-de-Açúcar.

Fonte: Agência Safras via Último Segundo - IG

TAP comemora 60 anos de voos para o Reino Unido

Fez esta semana 60 anos, no dia 27 de Maio, que a TAP realizou em 1949 o primeiro voo comercial regular entre Portugal e o Reino Unido, de Lisboa via aeródromo de Northolt, em West London, num avião DC4 Skymaster com capacidade para 44 passageiros e equipado com quatro motores radiais Pratt & Witney R-200.

Em comunicado, a TAP relembra que “naquela época, o voo realizava-se a uma altitude de cruzeiro de apenas 22 mil pés e a uma velocidade média de 365 km/h. Hoje, o mesmo serviço é assegurado por uma moderna frota de Airbus A320, aviões que voam a uma velocidade de cruzeiro de 900 km/h, transportando praticamente quatro vezes mais passageiros”.

Entre Portugal e o Reino Unido, a TAP opera actualmente 72 voos por semana, dos quais 44 são entre Lisboa e Londres, com cinco frequências diárias Lisboa / Londres Heathrow, um voo diário Lisboa / Londres Gatwick e, às quintas-feiras e domingos, duas frequências suplementares Lisboa / Londres Heathrow. Adicionalmente, a TAP voa ainda duas vezes por dia entre o Porto e Londres Gatwick, uma vez por dia entre o Porto e Londres Heathrow e também, diariamente, entre o Funchal e Londres Gatwick.

Fonte: Ambitur Online (Portugal)

Comemorando 40 anos, Embraer resgata parte da sua história e recupera avião

Aniversário da Embraer

Um grupo de alunos trabalhou mais de um ano para dar vida a um avião que tem mais 20 anos


A Embraer está completando 40 anos. Para comemorar a data, decidiu resgatar parte de sua história e convidou um grupo de estudantes para restaurar um avião que foi um marco na empresa.

Alunos do Senai de São José dos Campos comemoram restauro do protótipo


Um grupo de alunos trabalhou mais de um ano para dar vida a um avião que, agora, parece novo, mas tem mais de 20 anos. O CBA-123 foi criado na década de 80, em parceria com a Argentina. As três unidades produzidas não chegaram a ser comercializadas.

Jovens alunos do Senai participaram do processo de restauração. A restauração do protótipo é para comemorar os 40 anos da empresa. A aeronave não chegou a ser comercializada, porque o custo de produção era alto e a margem de lucro seria pequena.

Quando o modelo foi desenvolvido, a principal bandeira era a inovação tecnológica, com destaque para o motor, com as hélices viradas para trás. Não por uma questão estética, mas desse jeito, o barulho era muito menor.

Apesar da vantagem, o sistema não pegou. Já o bico, o sistema hidráulico e a fuselagem foram aproveitados. O CBA-123 é o irmão mais velho do ERJ-145.

O avião vai ficar exposto aos funcionários da empresa por três semanas e depois será levada ao Museu Aeroespacial no Rio de Janeiro. Um segundo protótipo está sendo restaurado e deve ficar pronto em agosto, para as comemorações dos 40 anos da empresa. Essa outra aeronove vai ser entregue para o Memorial Aeroespacial Brasileiro, em São José dos Campos.

Fontes VNews / Agora Vale - Foto: Lucas Lacaz Ruiz (A 13)

Coreia do Norte lança novo míssil de curto alcance

Míssil foi lançado na costa leste, segundo agência sul-coreana.

Pyongyang chamou Conselho de Segurança da ONU de 'hipócrita'.


A Coreia do Norte realizou nesta sexta-feira (29) mais um lançamento de um míssil de curto alcance nas águas da costa leste, informou a agência sul-coreana 'Yonhap'. Esse é o terceiro dia em que o país comunista lança mísseis, depois do teste nuclear feito na última segunda-feira e que provocou alerta na comunidade internacional.

O país de Kim Jong-il anunciou nesta sexta-feira que agirá por 'legítima defesa' se for provocado pelo Conselho de Segurança da ONU. O grupo de países está considerando atuar com sanções ao regime comunista por causa do teste.

Saiba por que a Coreia do Norte é motivo de preocupação

Barco pesqueiro passa por navios militares sul-coreanos nesta sexta-feira (29) próximo à Ilha de Yeonpyeong, no Mar Vermelho, perto da fronteira das Coreias

"Se o Conselho de Segurança fizer outras provocações, será inevitável que tomemos medidas de autodefesa. [...] Há um limite para nossa paciência. O teste que realizamos é o de número 2.054 na Terra. Os cinco membros permanentes do Conselho conduziram 99,99% do total de testes nuclares", afirmou o ministro das Relações Exteriores em um comunicado divulgado pela agência oficial do país. O texto chama o Conselho de Segurança de "hipócrita".

"Qualquer ação hostil do Conselho de Segurança da ONU vai significar a anulação do armistício", acrescentou o porta-voz, referindo-se à trégua que encerrou a Guerra das Coreias de 1950-1953. O governo de Pyongyang já havia afirmado que o acordo estava morto.

O porta-voz disse que o país, como Estado soberano, tem direito de realizar testes nucleares e de mísseis sem violar os protocolos internacionais.

O secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que a situação não é uma crise e seu país não enviará tropas extras para a região.

Fonte: G1 (com agências internacionais) - Foto: AFP

FAB diz ter alertado tráfego aéreo sobre área de instabilidade enfrentada por avião da TAM

Os pilotos do Airbus A-330 da empresa aérea TAM que, na noite de segunda-feira (25), foi atingido por uma forte turbulência quando se preparava para pousar no aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), foram alertados sobre a presença de uma área de instabilidade meteorológica na região.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a FAB (Força Aérea Brasileira) informa que, no dia do incidente, o Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) divulgou duas mensagens avisando a todo o tráfego aéreo sobre o mau tempo. A prática é comum e o Comando da Aeronáutica conta com 125 centros meteorológicos e uma equipe de 700 profissionais espalhados pelo país para fornecer informações sobre o clima para aviação.

No segundo alerta divulgado na segunda-feira, válido para o período das 19h às 23h, o Decea comunicava sobre a ocorrência de trovoadas e a presença de nuvens cujo topo atingiriam 41 mil pés (12,5 km), movendo-se a uma velocidade de 12 km por hora. A aeronave pousou em Guarulhos às 19h35, com 154 pessoas a bordo.

Vinte e um ocupantes do avião ficaram feridos. Oito deles tiveram que ser encaminhados a hospitais. Ainda não se sabe se o problema poderia ter sido evitado, mas desde a última terça-feira (26) a FAB está coletando informações relativas ao incidente.

Após a análise de todos os dados, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) irá divulgar as causas do incidente e apresentar novas recomendações de segurança para evitar ocorrências semelhantes.

Fonte: Agência Brasil via Folha Online

Avião bimotor faz pouso de emergência em Teixeira de Freitas (BA)

Um avião bimotor fez um pouso de emergência por volta das 12h desta quinta-feira (28), em Teixeira de Freitas, no Sul do Estado da Bahia.

Localização do município de Teixeira de Freitas, na Bahia

O bimotor Piper PA-31 Navajo estava se preparando para pousar quando o piloto percebeu que o painel de controle da aeronave não indicava que o trem de pouso estava aberto, assim não haveria condições de um pouso com total segurança.

O piloto acabou fazendo uma aterrissagem de emergência na própria pista do aeroporto. Além dele, estavam na aeronave o co- piloto e um empresário de Teixeira de Freitas, que não tiveram ferimentos. Após descer da aeronave com o trem de pouso aberto, o piloto constatou que o problema era na parte elétrica do painel do avião.

Fonte: correio24horas.globo.com (com informações da TV Santa Cruz) - Mapa: Darlan P. de Campos (Wikimedia)

MT participa de evento de combate aéreo a incêndios em florestas

O 4º simpósio internacional sobre prevenção e combate aéreo a incêndios em campos e florestas realizado na semana passada na cidade de Botucatu – SP, discutiu as adequações do uso de aeronaves no combate aéreo a incêndios. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente participou do evento, através da Coordenadoria de Gestão do Fogo, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar e o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

A discussão chegou num momento fundamental para a sociedade brasileira, onde a demanda por soluções para o problema dos incêndios florestais cresce a cada dia, na medida em que se multiplicam os casos de devastação pelo fogo. O uso da correta tecnologia de prevenção e combate aéreo aos incêndios tem um papel fundamental neste contexto, garantindo a preservação de áreas nativas e cultivadas em geral.

O objetivo do evento é de promover a capacitação no combate aéreo a incêndios florestais no Brasil. Mais de 150 profissionais do Brasil e exterior, composto por pilotos agrícolas, engenheiros florestais, bombeiros, empresários e representantes de empresas reflorestadoras, participaram de várias palestras com especialistas.

De acordo com o major bombeiro Vladimir Leonardo Zanca, temas como as relações custo-benefício, novas tecnologias e falta de infra-estrutura foram debatidos por profissionais da área. “O fator indiscutível da diretriz norteadora é fazer com que o uso de aeronaves permita diminuir o tempo entre a detecção do foco de fogo e as ações de combate, minimizando os danos ambientais e reduzindo os custos da atuação” disse.

O Estado de Mato Grosso necessita com urgência de métodos eficientes para combater incêndios em campos e florestas, milhares de hectares são queimados anualmente. O tenente Flávio Gledson Vieira Bezerra disse que para tentar conter o avanço das queimadas e dos incêndios florestais, o governo do Estado busca a implementação de soluções que sejam eficientes para esse tipo de devastação. “E uma das alternativas usadas em outros países tanto para a prevenção quanto para o combate é o uso de aeronaves” conclui.

O evento compreende o 3º Congresso Brasileiro da Ciência Aeroagrícola, 4º Simpósio Internacional sobre Prevenção e Combate Aéreo a Incêndios em Campos e Florestas no Brasil e o 4º Curso Brasileiro de Capacitação em Combate Aéreo a Incêndios em Campos e Florestas para Pilotos Agrícolas, oferecendo o modelo de trabalho que já conta com 71 pilotos capacitados no efetivo combate aéreo a incêndios no país.

Fonte: Eneídes Martins (Bombeiros/MT) via 24 Horas News - Foto: aerofogo.com.br

Reforma do Santos Dumont ainda vai demorar mais de um ano

O Aeroporto Santos Dumont precisará de pelo menos um ano e dois meses para ficar com sua área operacional completamente reformada. A informação foi repassada pela Infraero, que administra o terminal, ao Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea). A reforma das duas pistas, que precisam ter sua camada porosa de asfalto trocada, tem previsão de dois meses e segundo a Infraero começaram nesta semana. A Infraero não confirmou ao Globo as previsões.

Conforme noticiado ontem, esta camada está com o prazo de validade vencida desde dezembro de 2007 . O nível de atrito com os pneus da aeronave está abaixo do recomendado para pista molhada, segundo o sindicato dos Aeronautas.

Ele deve ser de 0,61, mas estaria em 0,48. A Infraero informa que a média da última medição foi de 0,58 e a Agência Nacional de Aviação Civil diz que em março a medição foi de 0,87.

Fonte: Dimmi Amora (O Globo) - Foto: Genilson Araujo

Inaugurada a nova empresa aérea SOL

As rotas iniciais abrangem as cidades de Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu e Maringá.

Prefeitos da região oeste, deputados estaduais e federais prestigiaram na noite desta quinta-feira (28), o lançamento da mais nova empresa de transporte aéreo regional. A Sol Linhas Aéreas já está com o Centro de Operações construído no Aeroporto Municipal de Cascavel e os vôos estão previstos para iniciar em junho. As rotas iniciais abrangem as cidades de Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu e Maringá.

Com a chegada da nova empresa aérea na cidade, voltam às reivindicações em torno da construção de um aeroporto regional.

“O Aeroporto de Cascavel precisa urgentemente de um terminal de passageiros, que a gente chama de TPS. Desde maio do ano passado, quando nos decidimos que iríamos implantar a companhia em Cascavel, procuramos a administração para ver o que estava em vista, em relação a esse aeroporto ou que fosse no Aeroporto Regional. Pois, para pousar não é problema, mas é claro que a estrutura de passageiro precisa ser melhorada urgentemente”, declarou o presidente da empresa, Marcos Solano Vale.

Fonte: Luana Monteiro (CGN Notícias)

STF limita pagamento de dívida trabalhista

O STF (Supremo Tribunal Federal) negou, por maioria de votos, um pedido do PDT que questionava a constitucionalidade de duas normas da nova Lei de Falências, editada pelo governo federal e aprovada pelo Congresso em 2005.

O Supremo legitimou, por exemplo, o entendimento previsto no texto da lei de que uma empresa que adquire parte ou a totalidade de outra empresa falida não deve herdar suas dívidas trabalhistas.

Esse é o caso da Gol Linhas Aéreas, que, ao comprar a Varig, teve que responder por ações propostas por ex-funcionários da companhia aérea falida. A decisão, portanto, pode ser considerada uma vitória para a Gol.

Procon entra com Ação Civil Pública contra empresas aéreas no Amapá

O Instituto de Defesa do Consumidor (Procon/AP) entrou ontem (28), na Segunda Vara Cível de Macapá, com uma Ação Civil Pública contra as empresas aéreas TAM Linhas Aéreas e GOL Linhas Aéreas Inteligentes. O motivo da medida seria uma cobrança indevida de uma taxa de manutenção. Se o pedido do Procon for favorável ao órgão, a sentença será extensiva para todo território brasileiro.

Conforme o Procon, a taxa que varia entre R$ 30 e R$ 40, cobrada pelas companhias aéreas no momento da emissão dos bilhetes de passagens é abusiva e indevida. A Ação Civil Pública em desfavor das empresas pede a restituição dos valores dobrados a cada consumidor que viajou em 2008 e 2009.

-Nós abrimos uma investigação preliminar, somente as agências de turismo podem cobrar o serviço, esta taxa é ilegal. Estamos confiantes na aplicação da Lei e alertamos os consumidores para guardar os comprovantes de compra dos bilhetes, disse a titular do Procon, Alba Nize Colares.

Fonte: TV Amapá via Notícias 24 Horas

Caxias do Sul figura nos próximos destinos da Azul Linhas Aéreas

Informação foi divulgada em site, mas não foi confirmada pela empresa

A revista eletrônica Melhores Destinos divulgou em seu site que Caxias do Sul consta entre os próximos cinco destinos que a companhia área Azul irá operar. A matéria aponta julho como a estreia da empresa no aeroporto regional. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Azul Linhas Aéreas não confirmou o dado, dizendo que não tem novas informações sobre futuras rotas.

O diretor do Departamento Aeroportuário do Estado (DAP), Fernando Magalhães Coronel, informou que a entidade não foi comunicada pela empresa sobre essa intenção. Porém, ressalta que a operação é bem vista pois favorece o desenvolvimento da malha aérea gaúcha. E acrescenta que a comunicação, se e quando for feita, é uma apenas uma formalidade. O diretor do aeroporto regional Hugo Cantergiani, Henrique Elustondo, se mostrou surpreso.

— Não fomos comunicados nem procurados para dar qualquer andamento a esse respeito, mas regozijo com a notícia — declarou.

O presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, Milton Corlatti, afirma que desde o ano passado há contatos com a empresa Azul reivindicando a inclusão de Caxias do Sul na malha aérea da empresa.

— A última resposta que tivemos é que eles estão avaliando a possibilidade — conta Corlatti.

Fonte: Bibiana Ribeiro Mendes e Martha Caus (Pioneiro)

Nos bastidores da Iberia

Por detrás dos 186 aviões, ou dos mais de mil voos diários para 43 países, a complexa estrutura da companhia aérea espanhola Iberia inclui ainda uma importante área de manutenção, de 2,5 milhões de metros quadrados, e um centro de formação aeronáutica.

A nona maior empresa do mundo em manutenção e engenharia, as instalações da Iberia Manutenção, espalham-se por sete hangares, um dos quais permite receber oito aviões entre A320 e A430 de cada vez.

A cada hangar correspondem as oficinas de suporte, como motores e bancos de prova, pneus, ou saídas de emergência insufláveis.

No hangar seis está em revisão um dos aviões da Iberia e o seu interior está praticamente vazio, despido de assentos, o que permite perceber o seu tamanho e todo o trabalho que envolve a sua transformação.

Mas o avião não está sozinho naquele hangar. Outros dois, de outras companhias aéreas, estão também ali a serem tratados.

A Iberia Manutenção tem cem clientes na Europa, América, África e Ásia, entre as quais, a TAP, Continental, Lufthansa, British, Spanair, China Southern, e emprega cerca de quatro mil trabalhadores.

Percorrer alguns dos hangares da Iberia Manutenção permite ter a noção da imensidão de trabalho que é feito, com os espaços divididos por secções com peças distintas, desde pneus, a caixas com máscaras de oxigénio, até a filas de assentos que estão a ser preparados para serem postos nos aviões.

Outro hangar que cativa a atenção é o dedicado à pintura do avião. Num enorme espaço, coberto por um pano, um avião aguarda a sua pintura, que será feita através de jatos.

Infelizmente, a visita deve prosseguir e não se pode assistir à pintura.

O imenso espaço onde se encontra a área de manutenção da Iberia engloba igualmente o centro de instrução e formação aeronáutica.

No centro, além da Iberia, várias outras companhias dispõem de salas de formação, como a Spanair, ou Air Nostrum, mas a grande atracção são os simuladores de voos.

O simulador de voo dispõe de diversas versões, dependendo do tipo de avião a que se destina, como A320, ou A330, por exemplo.

Uma enorme caixa, suportada por um mecanismo de braços que vai dar a sensação de voo, tem no seu interior um cockpit, cujos vidros são monitores de computador, que recriam os mais diversos ambientes, pistas de aeroportos das mais diferentes cidades, onde os pilotos praticam descolagens e aterragens, com as mais diferentes condições atmosféricas.

É fácil uma pessoa alhear-se do facto de que está dentro de uma máquina, para imaginar que está mesmo dentro de um cockpit de avião, pronta a aterrar, ou a descolar, mesmo que os pilotos estejam com jeans.

Aterragem bem sucedida, está na hora de regressar a Lisboa, desta vez num avião real.

Até ao momento de embarcar, as salas VIP da Iberia no aeroporto de Barajas permitem um verdadeiro descanso, ou relaxe.

Salas para descansar, com espreguiçadeiras, chuveiros, pontos de internet, um bar com provas de vinho espanhóis, jornais, num espaço de design, são algumas das ofertas que os lounges Dali, Goya e Velázques oferecem aos passageiros.

No edifício central situa-se a sala Dali, que oferece serviços para voos nacionais, europeus Schengen e pontes aéreas, enquanto no edifício satélite, está a sala Goya, que oferece serviço a uma série reduzida de voos nacionais e europeus Schengen, e a Velázquez para os restantes voos internacionais.

Fonte: PressTur (Portugal)

Estrangeiro espera mudança da lei para investir em aéreas

Os investimentos estrangeiros no setor aéreo brasileiro tendem a avançar nos próximos anos, com possibilidade da aprovação de uma lei que permitiria a participação de capital externo em até 49% nas empresas do País - hoje limitada a 20% -, legislação vista com bons olhos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e que, se implantada, contará com a anuência das companhias nacionais ouvidas pelo DCI.

Mesmo com a atual limitação prevista na lei federal, tanto a aviação executiva quanto a comercial têm assistido a esse tipo de negociação dentro do setor, como no caso da Trip Linhas Aéreas, de aviação regional, que até 2010 terá 20% do seu capital associado com a holding norte-americana SkyWest Inc. Outro exemplo nesse sentido foi a venda de 20% do capital da Líder Aviação, de voos executivos, ao também norte-americano Bristow, gigante do segmento de helicópteros.A companhia Azul Linhas Aéreas, de David Neeleman, que inicia a consolidação das operações no Brasil, também tem uma pequena parte de seus aportes vinda de executivos de fora, e o próprio Neeleman, que é brasileiro, fundou outras companhias nos Estados Unidos.

Com o momento conturbado pelo qual passa a aviação mundial, com forte queda da demanda de passageiros devido à crise, o Brasil está longe de dar grandes saltos em 2009, porém ainda apresenta fôlego no mercado interno. De acordo com especialistas, isso acontece pela possibilidade de se abrirem mercados regionais mal explorados, o que pode facilitar a entrada de investimentos externos.

Para José Mario Caprioli, presidente da Trip Linhas Aéreas, que recebeu ontem do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social financiamento de R$ 199,2 milhões para adquirir quatro aeronaves ERJ-175 da Embraer, uma possível ampliação do patamar de investimentos seria positiva no País. "O aéreo é um setor em que sempre há demanda por capital, e tudo o que venha a facilitar sua entrada é positivo" opinou, acrescentando que outros países têm feito uma abertura maior do que 20%, sendo esta uma tendência observada mundialmente.

Caprioli falou que, independentemente do momento que o Brasil está vivendo, a transferência de passageiros do modal rodoviário para o aéreo é um processo que ainda está amadurecendo por aqui, restando muito mercado a ser explorado, o que pode atrair a atenção de investidores. Caprioli disse, ainda, que, na Trip, a participação da SkyWest está em 16% hoje, o que significa um aporte de US$ 20 milhões, cifra que deve saltar para US$ 30 milhões em fevereiro do próximo ano. "A partir de 2011, pode ser que tenhamos novas demandas de capital, que podem ser resolvidas de várias maneiras, inclusive uma maior participação de capital de fora poderia ser uma delas, caso seja possível", revelou, ressaltando que não há nada fechado nesse sentido, ainda.

A Trip apresentou seus resultados financeiros no mês passado, quando anunciou faturamento de R$ 322 milhões em 2008, o que representa um avanço de 275%, na comparação com o ano anterior. Para 2009, a companhia prevê passar da casa dos R$ 500 milhões, além de incorporar 10 novas aeronaves, cinco da Embraer e as cinco restantes, da francesa ATR. A empresa ampliou substancialmente a operação depois que comprou a Total Linhas Aéreas.

Executiva

No setor de aviação executiva, incluindo negócios com operações de helicópteros, fretamento, gerenciamento e manutenção de aeronaves executivas e também de sua comercialização, a mineira Líder Aviação comunicou ao mercado que a Bristow passou a deter 20% das ações ordinárias com direito a voto e 65% das ações preferenciais sem direito a voto, totalizando 42,5% do capital total da Líder Aviação Holding. "Continuamos a mesma empresa, com igual direção e equipe, e estamos certos de que a parceria abrirá novas oportunidades", disse Eduardo Vaz, que é presidente da Líder.Em termos práticos, o negócio fechado pela Líder com a Bristow, que é especializada em helicópteros para a indústria do petróleo, deverão incrementar a atuação da empresa nas operações com helicópteros voltadas à industria do petróleo, setor em que a Líder tem interesse de encorpar sua operação, conforme revelou matéria apurada pela reportagem em julho passado.

A estrutura da Líder conta com uma frota de 48 helicópteros e 27 aviões que estão divididos entre cinco unidades de negócios, o que garante a presença da empresa em 22 aeroportos do Brasil. Os números da transação comercial fechada entre Líder e Bristow estão dentro do que prevê a atual legislação, com o que a operação foi aprovada pela Anac. O projeto de lei que poderá mudar o cenário, permitindo participação maior de estrangeiras, chegará ao Congresso Nacional provavelmente no segundo semestre deste ano, disseram fontes do setor, colocando que os órgãos governamentais envolvidos que estarão envolvidos no processo, como o Ministério da Defesa, a Secretaria de Aviação Civil e a Anac, são simpáticos a causa.

Cargas

A líder do mercado brasileiro de aviação comercial, TAM Linhas Aéreas, segue em busca da diversificação das receitas, e, no setor de carga aérea, o braço logístico da empresa, a TAM Cargo, inaugurou um terminal de cargas em Santarém, no Pará, meses depois de inaugurar um terminal em Manaus (AM). "A Região Norte é bastante estratégica para o nosso negócio", colocou Carlos Amodeo, diretor de Cargas da TAM. A nova área terá 350 metros quadrados e capacidade para movimentar 330 toneladas por mês.

Fonte: DCI

Com helicóptero, PRF realiza mais de 560 resgates em dois anos

Divisão de Operações Aéreas é cada vez mais usada em acidentes

Foto: Helicóptero que atende a Região Metropolitana de Curitiba é praticamente uma UTI aérea

Segurança, rapidez e maior agilidade no socorro às vítimas de acidentes graves nas rodovias federais que cortam a Grande Curitiba. Isso acontece desde 2007, quando a Polícia Rodoviária Federal (PRF) implantou a Divisão de Operações Aéreas (DOA) que, entre outras atribuições, transporta os casos de urgência para o hospital mais próximo. E esse socorro fica evidente nos números. Desde que foi implantado, o número de atendimentos só cresce. Só nos primeiros 138 dias deste ano já foram 176 transportes realizados, ou 32% do total computado desde novembro de 2007, quando o DOA foi lançado. Desde aquele ano foram 561 atendimentos no total.
A soma deste ano já é bem mais da metade de todos os socorros prestados em todo o ano passado. 2008 fechou com 334 procedimentos de transporte de feridos nas estradas federais. Se a média de socorro neste ano permanecer como agora, 2009 pode fechar com algo em torno de 500 ocorrências.

Segundo o comandante da divisão, inspetor Jairo Schmidt, o percentual de atendimento cresceu pois tanto as equipes operacionais terrestres da PRF, como o Corpo de Bombeiros e as unidades móveis de atendimento médico — Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) —, que geralmente eram os primeiros a chegar aos locais de acidentes, passaram a acionar a DOA como primeiro atendimento. A PRF e as unidades móveis têm uma parceria em todo o Brasil, em que é cedido um médico e um enfermeiro para a tripulação da DOA, que conta também com um operador de equipamentos sociais além do piloto.

A rapidez da chegada ao local do acidente é imprescindível. A hora de ouro (golden hour), a primeira após o acidente é vital para a vítima. Segundo estatísticas, quando o atendimento é feito dentro desse tempo a taxa de sobrevivência chega a 80%. Quanto mais precoce a vítima for estabilizada, maiores serão as possibilidades de recuperação.
A velocidade e agilidade no atendimento da DOA se deve a aeronave utilizada pela Divisão. Com velocidade de 250 km/h e até quatro horas de autonomia, o helicóptero H03, de fabricação americana, opera na PRF em duas funções: aeromédica e operacional (patrulhar e monitorar rodovias).

Na versão aeromédica a aeronave conta com suporte avançado de atendimentos de urgência, equipada com desfibrilador, cilindros de oxigênio e todo o aparato necessário para a assistência ao acidentado, o que configura praticamente como uma UTI aérea. Com os equipamentos do H03 é possível, inclusive, a realização de uma cirurgia de emergência em pleno vôo.

A DOA já realizou um total de 32 atendimentos em um único dia — 27 vítimas com ferimentos leves e cinco em estado greve. E também participou dos resgates durante a enchente de Santa Catarina no final do ano passado. Para Schmidt o socorro mais tocante foi o de uma senhora de 70 anos, ilhada depois da tempestade, que sem o resgate não teria sobrevivido.

Fonte: Maria Clara Oliveira (Bem Paraná) - Foto: Jonas Oliveira