quarta-feira, 27 de maio de 2009

Passageiros que viveram turbulência em voo TAM tem direito à indenização

A ABRAPAVAA Associação Brasileira de Parentes e Amigos de Vítimas de Acidentes Aéreos, vem acompanhando as notícias veiculadas pela imprensa sobre a turbulência no voo da TAM desta 2a.feira, próximo a SP, vindo de Miami e, gostaria de informar a todos os passageiros sobre seus direitos quanto à indenizações e pagamentos do seguro RETA.

Nossa associação já acompanhou casos semelhantes que resultadaram em acordos com as cias.aéreas, pelo risco a que foram expostos, pelas lesões ocasionadas inclusive, tratamentos médicos e acompanhamentos psicológicos.

Abaixo, algumas colocações de como elaborarem tais ações e como fundamentá-las.

Direitos daqueles quem vivem a experiência de uma turbulência em vôo:

Turbulência é o resultado do deslocamento de massas de ar sobre as aeronaves que modificam bruscamente seu trajeto.

Essa turbulência pode resultar em lesões corporais e até morte pois, o corpo do passageiro pode bater nas estruturas fixas do avião, bem como, podem ser alvo de objetos soltos. Além disto, pode gerar medo que, em alto grau, resulta em danos psicológicos.

Segundo a legislação aplicável, estes danos (material e moral) devem ser ressarcidos pela companhia aérea. O dever de indenizar o dano patrimonial e moral está consagrado no art. 5º da Constituição Federal.

A responsabilidade, neste caso, é objetiva como estabelece ao art. 734 do Código Civil, sem prejuízo da aplicação das normas do Código do Consumidor (especialmente art. 14) que indicam no mesmo sentido.

A reparação se dará através da apuração dos danos materiais causados (tratamentos, perda de capacidade laborativa temporária ou permanente, pensão a dependentes, etc), bem como dos danos morais (psicológicos, estéticos, etc).

Mesmo aquelas não lesionadas fisicamente, poderão reclamar pelo dano moral, se demonstrado que uma pessoa comum (homem médio) sofreria, nestas circunstâncias, razoável e justificado pavor.

As hipóteses descritas implicam também, no pagamento do RETA (Responsabilidade do Explorador da Transportador Aéreo), seguro obrigatório cujo valor, segundo a ANAC é de R$ 40.950,00 (defendemos a tese de que o valor correto é de até R$ 141.105,28).

Portanto, os passageiros e tripulantes (estes últimos por força do parágrafo único do art. 927 do Código Civil) poderão pedir indenização por danos materiais e patrimoniais quando, em decorrência de turbulência previsível (não caracterizado como CAT, p. ex.) sofreram tais danos.

Estaremos à disposição para maiores informações,

Sandra Assali - Presidente da ABRAPAVAA - (11) 5041.3781 e 9204.1324

Site: http://www.abrapavaa.com.br

Dr. Luiz Roberto de Arruda Sampaio - Advogado - (11) 3106.6615/.2378 e 9941.0214

Avião da TAM despencou 1 km durante turbulência em voo

O voo 8095 da TAM despencou quase um quilômetro enquanto atravessava uma zona de turbulência, meia hora antes de chegar ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo. Vinte e duas pessoas ficaram feridas. A vigésima segunda é uma adolescente que desembarcou, viajou para Ribeirão Preto, no norte paulista, e, em casa, passou ma l. Ela teria sofrido fratura. Dois passageiros seguem internados, ambos com fraturas. (Veja fotos)

Passageiros voaram de seus assentos, foram atingidos pelas bagagens, bateram a cabeça no teto da aeronave e viram uma tripulação em pânico.

Especialistas apontam um fenômeno chamado de "turbulência em céu limpo" como a causa mais provável.

- O avião vem sendo sustentado por uma massa de ar constante. No caminho, ele encontra uma corrente de ar quente vindo de baixo para cima e perde o equilíbrio - explica Daniel Horsky, instrutor da escola de aviação CEAB.

Segundo ele, os pilotos são treinados para lidar com esse tipo de problema, que ocorre em cerca de 60 voos por ano no mundo.

A empresária Marilda Torres (foto) ficou ferida, com o olho completamente roxo, como se tivesse levado um soco. Ela contou que tinha levantado para levar uma bandeja até a aeromoça e quando voltou, sentiu a turbulência.

- Era como um elevador caindo bruscamente. Caí e vi minhas pernas voando. Lembro de ver uma mala passando por mim. E acho que uma das rodinhas bateu na minha cabeça. Tentei voltar até o assento, mas não consegui. Fui me arrastando pelo chão.

Marilda diz que rezou para tudo que é "anjo, santo, guias espirituais porque achou que o avião ia cair.

- Tinha certeza que o avião ia cair, explodir, matar todo mundo. Rezei para tudo que é anjo, santo, guias espirituais. Era todo mundo rezando no avião. Acho que passou minha vez (de morrer). Agora tenho mais uns cem anos pela frente - conta.

Segundo ela, quando o avião pousou todos queriam sair logo, mas tiveram de esperar pelos médicos.

- O atendimento foi péssimo. As aeromoças também estavam em pânico. A ambulância não chegava. Tivemos que ir de pé na parte de trás de uma van da Infraero. Tinha umas seis pessoas e até lixo no meio - contou.

Os passageiros do Airbus A330-200 afirmam que não foram avisados sobre a turbulência a tempo de colocar os cintos e muitos estavam em pé quando a aeronave começou a dar trancos. Depois do pouso, o comandante disse a eles que as correntes de ar não apareceram no radar e que houve uma perda de altitude de 600 a 900 metros.

- Foi uma cena dantesca - definiu o advogado Manoel Viana, de 29 anos. Manoel estava com o cinto atado e, por isso, feriu apenas a canela.

- Tinha gente no chão, sangrando. As pessoas gritavam: 'Vou morrer!'.

A empresária Marisa Bourg Garcia, 59 anos, afirmou que o marido - um dos dois feridos graves durante a turbulência - teve de esperar por uma hora e meia no chão do avião até ser removido . Socorrido ao Hospital Albert Eintein, Francisco Celestino Garcia, de 59 anos, teve de ser submetido a cirurgia no fêmur e teve ainda o ombro trincado. A outra vítima internada é a aposentada Ana Maria Bernardes de Lima, de 73 anos, que fraturou o fêmur e duas vértebras e está no hospital Oswaldo Cruz , onde deve ser submetida a cirurgia na quinta. Ela é diabética e tem problemas cardíacos.

Segundo Marisa, inicialmente, teria faltado maca para que ele fosse imobilizado. Depois, segundo explicou a filha do casal, poltronas do avião tiveram de ser removidas para que a maca pudesse ser movimentada sem agravar os ferimentos.

- Parecia um bando de bobos lá dentro. Não havia uma maca que fosse do tamanho do meu marido - afirmou Marisa.

A Infraero negou que a espera tenha sido grande e afirmou que o empresário se recusou a ser levado para um hospital público, como manda o protocolo de atendimento do posto médico do Aeroporto Internacional de Guarulhos, onde o avião pousou. A versão da Infraero é que Garcia foi o primeiro a ser socorrido, logo após a abertura da porta da aeronave porque estava caído no chão.

- A frase que disseram para ele foi: "vamos tirar primeiro os mais graves". Até então, eles não tinham ideia da gravidade dos ferimentos dele. Mas ele esperou numa boa. O problema é que ele estava entre os bancos, quando foram retirá-lo perceberam que teriam de remover os assentos. Isso demorou bastante. O outro problema é que meu pai é muito alto e não tinha maca para o tamanho - disse Alline Garcia Cury, filha do casal.

Fontes: Gio Mendes e Tiago Dantas (Diário de S.Paulo) via O Globo - Foto: Ricardo Bakker (Diário de S.Paulo)

Bristow compra 42,5% da Líder Aviação por US174 milhões

A companhia de serviços de helicóptero Bristow Group fechou acordo para comprar participação de 42,5 por cento na Líder Aviação SA por 174 milhões de dólares, ajudando a expandir suas operações com esse tipo de aeronave no Brasil.

A Líder, por sua vez, comprou uma aeronave grande e outras quatro de porte médio da Bristow avaliadas em cerca de 55 milhões de dólares, informou a empresa.

"Vemos o Brasil como o próximo 'Mar do Norte' em termos de potencial de crescimento em serviços costeiros", disse o presidente-executivo da Bristow, William Chiles, em comunicado.

A participação da Bristow na Líder dará à empresa cerca de 20 por cento de direito a voto na companhia brasileira.

Fonte: Sakthi Prasad (Reuters/Brasil Online) via O Globo

Fumaça de queimadas em MS antecipa manutenção de helicóptero do Ibama

Aeronave consegue funcionar 150 horas sem manutenção do motor.

Equipamento vai passar por revisão diária para evitar falhas no voo.


Fumaça de queimadas leva helicóptero do Ibama para manutenção antecipada

O helicóptero do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) passou por uma manutenção antecipada, na tarde desta segunda-feira (25), por causa da fuligem e da fumaça provocadas pelas queimadas em Corumbá (MS), Pantanal sul-mato-grossense e em Campo Grande.

A sujeira compromete o funcionamento do motor da aeronave. O helicóptero terá de passar por manutenção diária para evitar falhas no desempenho de voo. Um equipamento como o que é utilizado nessa operação, consegue funcionar pelo período de 150 horas sem precisar fazer a manutenção do motor.

O fogo já destruiu cerca de 50 mil hectares no estado. Ao todo, 50 focos se espalham pela planície pantaneira em maio. Uma força-tarefa, formada por 40 homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar Ambiental, tenta conter a propagação das queimadas.

Helicóptero do Ibama vai passar por revisões diárias

Além de transportar soldados até a área atingida pelas queimadas, o helicóptero da Brigada Aérea do Ibama capta água do Rio Paraguai para apagar as chamas.

Como a aeronave tem que chegar bem próximo das chamas para jogar água em um foco de incêndio, a fuligem entra no tubo que traz ar para refrigerar o motor e realizar a queima do combustível.

“O Corpo de Bombeiros está combatendo principalmente as áreas mais críticas, onde há uma quantidade maior de incêndios. Eles trabalham em todas as linhas de fogo”, disse Márcio Yule, coordenador do programa de Prevenção de Queimadas do Ibama.

Fonte: G1 (com informações da TV Morena) - Fotos: Reprodução (TV Morena)

Saiba mais sobre crise nuclear na Coréia do Norte

A Coréia do Norte entregou à China um relatório sobre seu programa nuclear, como parte de um acordo para normalizar suas relações com a comunidade internacional.

Leia a seguir, uma cronologia da crise nuclear.

1994:

- 21 de outubro: o governo do então presidente dos Estados Unidos Bill Clinton assina o Acordo de Bases com a Coréia do Norte em Genebra, após cerca de dois anos de negociações.

- Coréia do Norte concorda em congelar e depois desmantelar seu polêmico programa nuclear. Estados Unidos, Coréia do Sul e Japão forneceriam dois reatores de água leve ao país.

1998:

- 31 de agosto: Coréia do Norte afirma ter disparado um foguete com seu primeiro satélite, em meio a relatos de que um foguete Taepodong I voou sobre a principal ilha do Japão, Honshu, e caiu no Mar do Japão.

2002:

- janeiro: em seu discurso ao Cogresso sobre o Estado da União, o presidente George W. Bush classifica a Coréia do Norte, o Irã e o Iraque como o "eixo do mal": países que representam uma séria ameaça a todo o mundo por possuírem armas de destruição em massa e patrocinarem o terrorismo.

- Outubro: enviado do Departamento de Estado americano James Kelly confronta Pyongyang com evidências que Washington afirma apontarem para um programa secreto de enriquecimento de urânio. A Coréia do Norte afirma que tem direito de possuir armas nucleares.

- Dezembro: Coréia do Norte afirma que planeja reativar o reator de Yongbyon, desliga os aparelhos de observação da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) no complexo e expulsa inspetores da agência.

2003:

- Janeiro: Coréia do Norte retira-se do Tratado de Não-Proliferação.

- Agosto: primeira rodada de negociações entre Coréias do Norte e do Sul, China, Japão, Rússia e EUA em Pequim. Coréia do Norte ameaça testar uma bomba nuclear e dispara um novo míssil.

- Outubro: Coréia do Norte afirma ter aumentado sua ''dissuasão nuclear'' com plutônio reprocessado de milhares de bastões de combustível e diz estar disposta a mostrar o feito.

2004:

- Janeiro: Pyongyang permite a visita de um delegação não-oficial dos EUA, incluindo um especialista nuclear, em Yongbyon.

- Fevereiro: Abdul Qadeer Khan, pai da bomba nuclear do Paquistão, admite que passou tecnologia de urânio para Líbia, Irã e Coréia do Norte. Pyongyang diz que é mentira.

- Segunda rodada das negociações entre seis países em Pequim.

- Junho: terceira rodada de negociações. EUA propõem ajuda em combustível e garantias de segurança se Pyongyang encerrar seus programas nucleares.

2005:

- Fevereiro: Coréia do Norte afirma oficialmente pela primeira vez que tem armas nucleares, acrescentando que abandonou as negociações.

- Setembro: os seis países emitem finalmente um comunicado conjunto. Coréia do Norte promete desistir dos programas de armas em troca de ajuda, garantias de segurança e relações diplomáticas.

- Novembro: quinta rodada de negociações em Pequim termina sem progresso. Coréia do Norte protesta contra as medidas repressivas dos EUA contra suas finanças internacionais.

2006:

- Julho: Coréia do Norte dispara sete mísseis em teste na sua costa leste, incluindo o Taepodong-2, de longo alcance.

- Outubro: Coréia do Norte explode o seu primeiro aparato nuclear.

2007:

- 8 de fevereiro: recomeçam em Pequim as negociações entre seis países, uma semana depois do encontro entre autoridades dos EUA e da Coréia do Norte em Berlim para debater o congelamento das finanças.

- 13 de fevereiro: Coréia do Norte concorda em fechar o complexo de Yongbyon e permitir a entrada de inspetores internacionais, como parte de um plano inicial de desarmamento.

- 14 de junho: Começam as transferências de fundos da Coréia do Norte congelados num banco em Macau. Pyongyang havia exigido a medida antes de começar a paralisar seu programa nuclear.

- 20 de junho: O enviado dos EUA Chris Hill vai a Pyongyang e se torna o mais importante oficial de Estado americano a visitar o país comunista desde 2002.

- 16 de julho: inspetores internacionais confirmam que a Coréia do Norte paralisou o reator de Pyongyang, segundo a Agência Internacional de Energia Atômica.

- dezembro: Coréia do Norte descumpre o prazo para dar às seis partes envolvidas nas negociações uma lista de suas instalações e sua capacidade nucleares.

2008

- 26 de junho: Coréia do Norte entrega à China informações sobre seu programa nuclear e EUA anunciam que suspenderão sanções e, após 20 anos, retirarão o país da lista de Estados que apóiam o terrorismo.

Fonte: Reuters

Coreia do Norte faz novo lançamento de míssil

A forte pressão internacional que se seguiu após o teste nuclear e de mísseis realizados na segunda-feira não foi suficiente para que o país desistisse de fazer novos lançamentos na terça e também na quarta-feira (noite de terça-feira em Brasília).

Soldados norte-coreanos participam de evento para celebrar o sucesso do segundo teste nuclear realizado pelo país

Segundo a agência de notícias Yonhap, citando uma fonte não identificada do governo da Coreia do Sul, o país lançou um outro míssil de curta distância, na manhã desta quarta-feira, no mar do Japão. A medida voltou a desagradar mesmo a aliados, como a Rússia, que considerou inevitável que o Conselho de Segurança da ONU aprove "uma resolução contundente" contra o país, enquanto os Estados Unidos ameaçam com sanções próprias, afirmando que o regime comunista deve pagar o preço por seus atos.

Autoridades de Pyongyang, disseram, na terça-fera, que os testes, condenados unanimemente pelo Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), visam "fortalecer a força dissuasiva nuclear para a autodefesa" do país.

Segundo informações de um jornal sul-coreano, satélites espiãos dos Estados Unidos detectaram indícios de que a Coreia do Norte também reativou a planta nuclear de Yongbyon, da era soviética.

O Tesouro dos Estados Unidos disse, na terça-feira, que estuda sanções financeiras próprias contra a Coreia do Norte. Segundo uma autoridade, o país ainda tem acesso limitado ao sistema financeiro internacional, e o Tesouro dos EUA ainda tem "vasta autoridade" para tomar decisões para isolar o país asiático.

- Nós estamos revendo nossas opções com relação a isso - acrescentou a autoridade.

Na terça-feira, a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU), Susan Rice, negou que a comunidade internacional esteja intimidada pela série de testes nucleares e lançamentos de mísseis que vem sendo realizada pela Coreia do Norte desde segunda-feira. E foi além: disse que o governo de Pyongyang vai "pagar" se prosseguir com o que considerou "atos provocadores e desestabilizadores" e que violam resoluções internacionais.

- Se a Coreia do Norte quer continuar realizando testes e provocando a comunidade internacional, deverá pagar um preço, já que a comunidade internacional é clara: isto não é aceitável - disse Rice à rede de TV CNN.

Os testes violam a resolução 1718 da ONU, adotada em outubro de 2006, após o primeiro teste atômico realizado pelo governo norte-coreano, no mesmo ano. A resolução proíbe o regime comunista de conduzir qualquer teste nuclear ou de mísseis.

Potências globais querem novas punições ao país e o presidente dos EUA, Barack Obama, pediu apoio aos vizinhos da Coreia do Norte. Susan disse que as sanções poderiam "tomar formas muito diferentes", incluindo as econômicas.

- Nós estamos unidos, a Coreia do Norte está isolada e a pressão na Coreia do Norte vai aumentar - disse Rice ( Governo brasileiro condenou o teste ).

Fontes: O Globo (com agências internacionais)

Japão vai monitorar possível radiação na atmosfera

Avião da Força Aérea do Japão é preparado para monitorar possível radiação na atmosfera após disparo de mísseis norte-coreanos.

Foto: Força Aérea do Japão / AP Photos

Turbulência: ‘movimento’ é causado por correntes térmicas

Clique na imagem para ampliá-la

Fortes turbulências costumam acontecer quando o avião passa dentro de nuvens que são chamadas cumulunimbus. Mais leve, o ar quente abaixo do avião sobe, resfria-se e desce novamente. Esse “zigue-zague” vertical de correntes térmicas, que move o avião para cima e para baixo, caracteriza a turbulência. “Quanto maior a intensidade desse movimento, mais forte é a turbulência”, explica o coordenador do curso de piloto e aeroclube do Estado de Minas Gerais, José Ernani Assis.

As cumulusnimbus podem se estender entre 5 km e 10 km e provocar ventos fortes e descargas elétricas.

As turbulências são classificadas como leve, média e grave. Essa última pode ocasionar, inclusive, a queda do avião. “A turbulência pela qual passou o avião da Tam esteve entre média e severa”, explica Assis.

Fonte: Renata Medeiros (O Tempo - com agências)

Passageiros de voo da TAM com turbulência relatam terror

Pânico. Algumas pessoas caíram no corredor e outras bateram a cabeça com força no teto da aeronave

Muitos reclamaram que o aviso para colocar o cinto não foi dado a tempo


A aeronave envolvida no incidente
Airbus A330-223 - prefixo PT-MVN
Clique na foto para ampliá-la - Foto: Jerome Mervelet


Passageiros do voo 8095 da Tam, que seguia de Miami (EUA) para São Paulo, relataram ontem os momentos de pânico que viveram quando a aeronave passou por uma forte turbulência na noite de anteontem, meia hora antes de pousar no aeroporto de Guarulhos (SP). Vinte e um deles ficaram feridos - oito foram encaminhados a hospitais. Duas pessoas permaneciam internadas ontem. Segundo a companhia aérea, elas sofreram fraturas, mas não correm risco de morte. A Aeronáutica começou ontem a investigar as causas do incidente.

Os passageiros contaram que, pouco antes de chegar a São Paulo, por volta das 19h35, receberam um aviso de turbulência. Logo após o alerta, o avião com 154 passageiros fez duas descidas muito bruscas, e algumas pessoas não conseguiram prender os cintos de segurança. Algumas caíram no corredor e outras bateram com a cabeça no teto da aeronave.

"No momento em que o piloto deu o aviso do cinto, o avião já deu uma caída muito feia. Quando ele caiu de uma vez, todo mundo bateu a cabeça em cima. Estragou a parte de porta-malas do avião toda. Na hora em que ele parou de cair, as pessoas voltaram para o chão. Não sei dizer quanto tempo ele ficou caindo. A impressão é que foi a vida inteira", contou o corretor de seguros Marcelo Garcia.

A empresária Marilda Torres, 56, ficou com o olho roxo e sofreu cortes no supercílio e no nariz. Ela contou que ia para o fundo do avião levar sua bandeja de comida na hora da turbulência. "A menina (comissária de bordo) tinha esquecido de pegar minha bandeja. De repente, o avião "caiu" mesmo. Eu subi, mas acho que as pessoas me seguraram. Não cheguei a bater no teto do avião. Acho que uma mala caiu por cima de mim."

Clique na imagem para ampliá-la

A aposentada Ana Maria Bernardes de Lima,73, fraturou o fêmur e duas vértebras. Ela está internada no hospital alemão Oswaldo Cruz, na capital, e deve passar por uma cirurgia amanhã. A aposentada contou às filhas que tinha acabado de desatar o cinto para ir ao banheiro quando houve a primeira turbulência.

Ontem uma garota, menor de idade, foi encaminhada para o Hospital de Ribeirão Preto, onde ela mora. Segundo a Tam, a criança não está na lista dos feridos informada anteontem e é acompanhada por um médico, com suspeita de fratura.

Demora

Alline Garcia Cury, filha do empresário Francisco Celestino Garcia, 59, que continua internado, disse que o pai ficou uma hora e meia no chão da aeronave, após o pouso, esperando ser removido para uma ambulância. "A frase que (os bombeiros) disseram para ele foi: ‘Vamos tirar primeiro os mais graves’. O problema é que ele estava entre os bancos e, quando foram retirá-lo, perceberam que teriam de remover os assentos. Isso demorou bastante. O outro problema é que meu pai é muito alto e não tinha maca para o tamanho dele", disse. Ele usa prótese e, após sofrer deslocamento de bacia, foi submetido a uma cirurgia que durou cinco horas.

Passageiros do voo 8095, da empresa aérea TAM, deixam o Hospital Geral de Guarulhos, em São Paulo - Foto: Werther Santana (Agência Estado)

OAB: aviso deve ser dado antes

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo, José Eduardo Tavolieri disse que, se o aviso para atar os cintos só foi dado depois da primeira perda de altitude, como dizem os passageiros, a Tam pode ser responsabilizada.

Fonte: O Tempo

TAM diz que responsabilidade de tirar passageiros feridos de avião é da Infraero

A TAM informou, na tarde desta terça-feira, que a responsabilidade por retirar passageiros feridos de uma aeronave é da autoridade aeroportuária - no caso brasileiro, da Infraero. Na noite de segunda-feira, o voo JJ8095, que decolou de Miami às 12h11m (horário de Brasília) com 154 passageiros a bordo, foi atingido por uma forte turbulência, que deixou inicialmente 21 passageiros feridos. Na tarde desta terça-feira, o número de feridos subiu para 22 depois que uma menor de idade que estava no voo, passou mal e foi encaminhada para atendimento médico, em Ribeirão Preto, interior paulista, onde uma fratura foi constatada.

A família de uma das vítimas, o empresário Francisco Garcia, reclamou da demora para que ele fosse retirado da aeronave. Segundo a família, o empresário ficou quase 90 minutos no chão da aeronave à espera de remoção, já que não havia maca apropriada para a altura dele e porque ele precisou ser retirado de um vão entre os assentos. De acordo com a companhia aérea, ela não poderia retirá-lo da aeronave por determinação do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). A TAM afirma que o Cenipa determina que a Infraero faça o resgate.

A empresa afirmou ainda que a menor de Ribeirão Preto está sendo acompanhada por um funcionário da TAM. Segundo a companhia, as causas do incidente estão sendo apuradas.

Fonte: Fabiana Parajara (O Globo)

Embraer entrega 100º Super Tucano

Força Aérea Brasileira recebe aeronave de treinamento avançado

100º Super Tucano da FAB

A Embraer entregou em São José dos Campos, Estado de São Paulo, o 100º avião Super Tucano. A FAB – Força Aérea Brasileira -, que estabeleceu os requisitos técnico-operacionais para o turboélice, por ela designada como A-29, encomendou a produção de 99 unidades e agora recebe a aeronave comemorativa.

De um total de 169 aviões comercializados até o momento, o fabricante brasileiro tem encomendas das Forças Aéreas do Chile, Equatoriana e Dominicana. Nas Forças Aéreas do Brasil e Colombiana, o Super Tucano opera atualmente com sucesso na vigilância do espaço aéreo e em missões operacionais.

Fonte: Tiago Dupim (Avião Revue) - Foto: divulgação

Milionário britânico persegue ladrão de helicóptero

CURIOSIDADE

Ladrão fugiu de van mas foi seguido por Jeremy Taylor, que conseguiu recuperar mercadoria roubada de depósito.

Um milionário britânico perseguiu, em seu helicóptero Augusta 119 Koala de £1.9 milhão, um ladrão, depois de flagrá-lo entrando em um dos depósitos de sua empresa, em Norfolk, no leste da Inglaterra.

Jeremy Taylor, 38 (foto: EDP24), havia decolado das proximidades do local alguns minutos antes para uma viagem de negócios à Irlanda do Norte, no dia 2 de maio, quando percebeu que os portões do depósito estavam abertos e que uma van estava estacionada no local.

Ao perceber que havia sido flagrado, o ladrão saiu em disparada, mas o milionário conseguiu segui-lo de helicóptero durante duas horas por uma distância de quase 80 quilômetros.

"Eu sabia que alguma coisa estava errada e pensei: 'você não vai escapar'. De maneira nenhuma eu iria perder aquela van de vista", disse Taylor ao jornal local EDP.

"Foi difícil para o piloto guiar o helicóptero e observar os movimentos que ele fazia. Todas as vans brancas são parecidas daquela altura".

Helicóptero Augusta 119 Koala similar ao do milionário - Foto: Elicoteri e Aeroplani - clique na foto para ampliá-la

Após percorrer ruas movimentadas da cidade, o ladrão deixou a van em um bosque e, de seu helicóptero, o milionário conseguiu acionar a mãe e irmã, que se uniram à caça ao ladrão.

As mulheres foram até o local, esvaziaram os pneus e anotaram o número da placa. Horas depois, o milionário encontrou, na van, material roubado de sua empresa, como ferramentas, galões de diesel e baterias de trator.

Com o número da placa, a polícia conseguiu encontrar o endereço do ladrão, um homem de 28 anos, que foi preso em casa. Na semana passada ele foi condenado por roubo e vai cumprir 12 meses de prisão.

Fontes: BBC via G1 / Sunday People

Passageiro que perdeu a conexão e teve mala extraviada ganha R$ 5 mil de indenização

Um passageiro que perdeu uma conexão internacional da British Airways e teve a bagagem extraviada ganhou o direito a uma indenização de R$ 5 mil. Em outubro de 2007, Jonny Isaac Haiat embarcou no Rio rumo a Tel Aviv, em Israel, e deveria fazer conexão em Londres. No entanto, ele ficou retido no avião durante cinco horas por falta de traslado interno e acabou perdendo o voo para Israel, tendo que embarcar em outra companhia aérea.

Com a confusão, sua mala foi extraviada e o autor da ação, que seria padrinho do casamento do primo logo após o desembarque no país estrangeiro, foi obrigado a comprar todos os objetos de uso pessoal e roupas, além do terno que usaria na cerimônia.

O relator do processo, desembargador Marco Aurélio dos Santos Fróes, manteve sentença da 48ª Vara Cível da Capital. Ele afirmou que "em uma viagem, normalmente levamos em nossa bagagem coisas que nos são caras, que necessitamos; a ausência destas causa um grande desconforto, razão esta que justifica a fixação dos danos morais".

Fonte: O Globo

Aeronáutica elabora no Piauí plano de convivência com urubus para aeroporto

Comissão faz inspeção no entorno do aeroporto.

O major da Aeronáutica Rubens Ribeiro participa em Teresina da elaboração de um plano de convivência do aeroporto Petrônio Portela com os urubus, na prevenção de acidentes com as aeronaves que pousam e decolam diariamente no local.

O problema é mundial. O major afirmou, em entrevista ao Notícia da Manhã, que existe a possibilidade de convivência das aves no entorno dos aeroportos. Porém, essa convivência deve ser bem gerida. “Temos que cuidar dos abatedouros, principalmente os abatedouros de frango, comida preferida dos urubus. Mas é possível que eles permaneçam na área de segurança do aeroporto. Precisamos contar com a população para não haver deposição de lixo na área”, explicou.

O major ressaltou ainda que é necessário um sistema público de coleta de lixo eficiente, além de conscientizar a população para evitar que restos de comida atraiam os urubus, principais responsáveis pelas colisões com as aeronaves. "O impacto de uma ave num avião é significativo e pode inviabilizar o vôo, dependendo do local onde ela colida", informou.

Uma comissão está fazendo inspeções na área e estudos ambientais para estabelecer as ações necessárias.

Fonte: Leilane Nunes (CidadeVerde)

Com problemas, avião da TAM não decola em Aracaju (SE)

Uma pane nos motores de um avião da TAM impediu que o voo marcado para as 5h30 da manhã de terça-feira (26) decolasse.

Os passageiros só foram avisados sobre o problema quando já estavam dentro da aeronave. “O piloto informou o problema pelo rádio e pediu que todos descessem do avião”, informou o deputado federal, José Carlos Machado, em entrevista concedida a uma emissora de rádio. Além dele, o deputado federal Eduardo Amorim, também estava entre os passageiros, no voo com destino de Aracaju para Brasília.

Fábio Hugo da Silva mora vizinho ao Aeroporto Santa Maria e disse que por volta das 4h30 da madrugada ouviu um barulho estranho. “Ouvimos um barulho diferente. Parecia que eles estavam testando os motores da aeronave”, informou. Segundo ele, essa é a primeira vez que ocorre isso”, disse ele. Os passageiros viajaram para Brasília num outro voo, que decolou às 8h30.

Fonte: Moema Lopes (Emsergipe.com)

Heliponto do Barigui em Curitiba (PR) volta a funcionar

O antigo heliponto do parque Barigui (foto acima) voltará à ativa nos próximos meses. Os curitibanos ou os turistas que quiserem conhecer a cidade pelos ares poderão contar com o novo serviço de sobrevoo panorâmico. A iniciativa é da empresária Valdirene Freitas e do comandante Paulo Brites Martins que acreditam este ser um nicho pouco explorado na capital, mas com potencial para grande desenvolvimento.

“Depois do sucesso dos ônibus de dois andares, que levaram muitos moradores para passear pela cidade, a possibilidade de ver Curitiba por cima vai atrair a atenção das pessoas com certeza”, afirma Valdirene. Os pontos mais interessantes, segundo ela, para observação são os parques, os prédios e, claro, a casa de quem contratar o serviço.

Mas a curiosidade dos clientes vai mais longe. Muitos que utilizam o serviço esporadicamente pela Helisul Táxi Aéreo pedem para conhecer áreas mais afastadas, como a Serra do Mar, o litoral, regiões de florestas conservadas. Um trajeto que de carro dura uma hora, em um helicóptero é feito em 20 minutos.

A aeronave que levará os visitantes para voar é um modelo Jet Ranger Bell com capacidade para carregar 04 pessoas, além do piloto. E quem tem medo de altura, pode ficar tranqüilo, o helicóptero é um dos mais seguros veículos aéreos que existem. “É certo que será uma experiência bem inusitada. Mesmo quem está acostumado a voar de avião vai se divertir, pois é uma sensação completamente diferente”, comenta o Comandante Paulo.

Serviço:

Helisul Taxi Aéreo
Fone: 41 3521-3636
Site: www.helisul.com

Fonte: Vero Pacheco (Paranashop) - Foto: Michel Willian (SMCS)

TAP vai voar três vezes por semana para Ilha de São Vicente (Cabo Verde)

A TAP Air Portugal começará a voar três vezes por semana para a ilha de São Vicente assim que o novo aeroporto for homologado e receber voos noturnos, disse ontem à Agência Lusa o delegado da empresa em Cabo Verde.

Luís Garcia adiantou que tal poderá acontecer já a partir de Agosto, pois estão em curso as homologações e finalizações dos aspectos técnicos no remodelado aeroporto de São Pedro, próximo do Mindelo, estando já entregue o respectivo pedido às autoridades da aviação civil de Cabo Verde.

Assim que começar a operar para a ilha de São Vicente, com a TACV como prestadora de serviços, a transportadora aérea portuguesa ficará com 13 a 14 voos semanais para Cabo Verde - voos diários para a ilha do Sal e quatro semanais para a capital, Cidade da Praia (ilha de Santiago).

"Nós podíamos começar já a voar, mas o impedimento que existe tem a ver com a homologação do aeroporto e a possibilidade de efectuar voos nocturnos, altura do dia em que temos essa disponibilidade", afirmou à Lusa Luís Garcia, sublinhando que, numa primeira fase, está prevista a utilização de um Airbus A319, de 124 lugares.

Segundo o delegado da TAP em Cabo Verde, a decisão da transportadora portuguesa foi tomada após a realização de um estudo de viabilidade, tendo-se chegado à conclusão que "há espaço e mercado" para voos directos Lisboa/Mindelo.

"Da previsão inicial de estudos que foram feitos para a época alta, avançaremos com três frequências semanais. E é nossa intenção, já manifestada às autoridades, de avançarmos em Agosto deste ano, se houver condições técnicas para isso", sublinhou.

"Na actual conjuntura, o que interessa a Cabo Verde são nichos de tráfego que não se confinam a uma ilha ou turistas que pretendem visitar, em média, três ilhas", sustentou, lembrando que a ilha de São Vicente "abre as portas" a outras duas - Santo Antão e São Nicolau, cujas belezas naturais são ideais para diferentes actividades.

Entre elas, destacou Luís Garcia, figuram a pesca desportiva, "um dos paraísos mundiais", o montanhismo, o trekking, a par do turismo rural.

Assim que o aeroporto de São Vicente for aberto ao tráfego internacional, cabo Verde passará a dispor de quatro com essas características - Sal, Santiago e Boavista.

No que diz respeito à Boavista, e por ser um mercado tradicional de voos charter, a TAP não está, para já, interessada em ligá-la por avião a Lisboa, disse Luís Garcia.

Fontes: Diário Digital / Agência Lusa

Aeronáutica investiga queda de helicóptero

Na noite de sábado, 22, um helicóptero que saiu de Montes Claros explodiu e caiu a 517 quilômetros na cidade de Vitória da Conquista, no estado da Bahia. Segundo o capitão Bahia, do corpo de bombeiros de Vitória da Conquista, o helicóptero preto Robinson R44 Raven II, prefixo PR-NDF, saiu de Montes Claros com destino a Vitória da Conquista e caiu em uma plantação de mandioca, na fazenda Quati, povoado de Simão.

A aeronave decolou de Montes Claros, ela explodiu depois de bater no chão do povoado. Os bombeiros informaram que o helicóptero transportava duas pessoas, identificadas como: Luiz Eduardo Sampaio Moura, 47 anos, empresário, dono da empresa Norte Mineira de Algodão e do resort Pedra do Sonho, no balneário Bico da Pedra, em Janaúba. Ele estava com o piloto Tiago Henrique Silva Marinho 22 anos.

EMPRESÁRIO

O empresário sergipano Luiz Eduardo (foto), nascido em Aracaju, casou-se na família da educadora Conceição Mendonça, tradicional em Montes Claros, para onde se transferiu há cerca de 30 anos. É reconhecido como um dos maiores intermediários na compra e venda de algodão, do Brasil.

Fundou o resort Pedra do Sonho, na represa Bico da Pedra, em Janaúba, e tinha outros grandes negócios imobiliários, no sul da Bahia. Estrategista no mercado de algodão era conhecido por sua ousadia nos negócios e nos gostos.

Ficou conhecido em Montes Claros por causa da sua casa em um condomínio fechado, logo identificada como Casa da Ferrari, por manter na garagem um modelo desta marca italiana famosa. No começo da carreira, foi gerente de seguros do Banco Itaú em Montes Claros.

VELÓRIO

Comoção durante o velório do empresário. Amigos e familiares se reuniram para se despedir. O pai e a irmã de Luiz Eduardo chegaram ao local pela manhã. A última homenagem foi com música.

O corpo do empresário chegou em Montes Claros na noite de sábado. Ainda no aeroporto a viúva, Maria Tereza Moura, recebeu o apoio da família e dos amigos.

INVESTIGAÇÃO

A Aeronáutica começar nesta semana, a investigar as causas do acidente de helicóptero. Existe a possibilidade de a explosão ter acontecido devido a uma falha mecânica durante um temporal. Há cerca de um ano, outra aeronave pertencente ao empresário caiu a seis quilômetros de Goiânia e matou seus dois pilotos. Uma pane seca, motivada por falta de gasolina, acidentou o avião - concluíram as investigações.

Fontes: O Norte de Minas / A Província

Lan Airlines conclui processo de implantação da Premium Business em seus voos internacionais

A Lan acaba de anunciar que em todos os seus voos de longa distância – para Estados Unidos, Canadá, México, Caribe, Europa, Pacífico Sul, Nova Zelândia e Austrália – já está implantada a classe Premium Business.

A nova Premium Business possui assentos com cama full flat reclináveis em 180°, muito confortáveis para dormir na posição totalmente horizontal (foto). Entre os assentos há divisórias que proporcionam maior privacidade e tranquilidade. E para maior conforto, travesseiro e manta são de material muito leve. Tudo pensado para brindar o passageiro de negócios com o que ele mais valoriza em suas viagens de longa distância: excelentes condições para seu descanso. O passageiro também tem à disposição um serviço de alto nível, a bordo, com menus baseados em produtos nobres, elaborados por chefs internacionais e carta de vinhos selecionados.

A classe Econômica, por sua vez, foi totalmente renovada para oferecer mais prazer na viagem. Novos assentos foram incorporados, com maior grau de reclinação, cada um com telas individuais de alta resolução. Em ambas as classes a LAN oferece um sistema de entretenimento de última geração que coloca a companhia entre as que oferecem maior variedade de programação do mundo. São 44 filmes mensais, 95 canais das séries 550 CD e 14 jogos, dois deles com a modalidade multiplayer, que permite jogar com outros passageiros do avião.

A nova Premium Business e a redesenhada classe Econômica também estão em alguns voos dentro da América do Sul, uma vez que a frota de aviões de longo alcance da LAN – integrada por 25 Boeing 767-300 e 5 Airbus A340 – também operam diversas rotas que conectam cidades dentro da região.

Fonte: Aviação Brasil - Foto: divulgação

Grupo queria entregar celulares a presos com helicóptero de aeromodelismo

Quatro pessoas foram detidas em carro que estava próximo a presídio.

Flagrante foi feito no domingo em Presidente Venceslau, em SP.




Depois de apreender pombos correios tentando entrar em presídios com celulares, agora a polícia flagrou na noite deste domingo (24) um grupo que tentava cometer esse crime usando um mini-helicóptero Thunder Tiger 12 V, controlado por controle remoto. Celulares e dinheiro também foram apreendidos próximo à Penitenciária de Segurança Máxima de Presidente Venceslau, a 611 km de São Paulo. Quatro pessoas foram presas.

O plano do grupo, de acordo com a polícia, era entregar os celulares e o dinheiro aos presos. Ele começou a dar errado quando o carro alugado por eles foi parado pela Polícia Militar numa estrada próxima à penitenciária. Durante a vistoria no veículo, os policiais encontraram o aeromodelo, 14 celulares e quase R$ 1 mil em dinheiro. Tudo fazia parte de uma audaciosa estratégia. As quatro pessoas que estavam no carro, entre elas um jovem de 17 anos, foram detidas.

Em depoimento, o adolescente confessou que recebeu R$ 10 mil para comprar o aeromodelo, os celulares e alugar o carro. Contou também que receberia mais R$ 10 mil se conseguisse pousar o helicóptero dentro do presídio. Só não revelou para quem seriam os telefones.

Na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau estão alguns dos presos mais perigosos do estado. Entre eles, os principais chefes da quadrilha que age dentro e fora dos presídios. Os três adultos foram indiciados em flagrante por formação de quadrilha. Segundo a polícia, com a entrega dos telefones, eles ajudariam os presos a cometer crimes e a dar ordens para outros bandidos que estão soltos. O menor foi encaminhado ao Conselho Tutelar do município.

O pequeno helicóptero seria dirigido por meio de um controle remoto

Fontes: G1 / Bom Dia São Paulo (TV Globo) / Terra - Foto: divulgação (PM/SP)

Teorias da Conspiração

A chegada do Homem à Lua foi sem dúvida o maior feito da Humanidade no século XX. A 20 de Julho deste ano comemora-se os 40 anos desse acontecimento assombroso!

Por: Carlos Oliveira*

Não percebo como há pessoas que duvidam deste feito, em face de todas as evidências - desde rochas, passando pela parte de baixo dos módulos lunares que lá foram deixados, e acabando nos refletores que foram lá colocados pelos astronautas e que permitem diariamente saber com precisão a distância a que a Lua está, entre muitas outras provas.

É curioso que quem duvida, por ignorância ou assumindo ignorância da parte dos seus leitores/ouvintes, assume que só esteve lá uma missão - foram 6 missões, com 12 homens ao todo!

Neil Armstrong foi o primeiro a pisar a Lua: o argumento da falta de estrelas nas fotos é um disparate

É também curioso que quem duvida tenha como principal argumento a falta de estrelas nas fotos. É um disparate de argumento - mas é só um entre muitos, e até há piores! Qualquer pessoa com uma máquina fotográfica pode ir até lá fora e tirar uma foto ao céu estrelado e depois digam-me quantas estrelas aparecem.

Harrison Schmitt recolhe pedras lunares: missão Apolo 17

Quanto ao não se ir agora lá – outro argumento sem sentido -, não é necessário inventarem-se teorias da conspiração. Sabe-se perfeitamente a razão para não se ir lá.

Como se costuma dizer: "já se tem a t'shirt, para quê voltar?" Foi-se lá por motivos políticos, esses motivos políticos desapareceram, tendo sido os motivos científicos a concentrarem-se na área à volta da Terra, mais precisamente nas experiências científicas na Estação Espacial Internacional. Para ir à Estação Espacial Internacional não é preciso um "embalo" tão grande - daí que os lançadores tipo Saturn V deixaram de ser necessários. Preferiu-se fazer os vaivéns espaciais - mas estes não têm poder para ir à Lua.

Ou seja, deixou-se de ir à Lua por motivos concretos, científicos, que fez com que deixasse de ser necessária a tecnologia mais "potente". Mas ela existe! Só não é precisa! Quando fôr precisa de novo, será novamente feita, melhor e mais moderna. Esperem pelos Chineses e pelo programa americano Constellation.

Apolo 15: guiando na Lua

Também acho interessante provavelmente terem um forno microondas na cozinha e mesmo assim duvidarem que o Homem foi à Lua. Com que objetivo pensam que o microondas foi desenvolvido? Sem a NASA e o programa lunar, essa era uma das tecnologias que não teriam em casa – entre outras!

O que considero completamente irracional é haver tantas provas de que fomos à Lua, é não haver um cientista que pense o contrário, e no entanto ainda haver gente que pensa que não fomos, só porque sim e apresentando argumentos ridículos.

Será que pensam que a ciência mente? Se é assim, então deixem de entrar na net (feita com base na ciência), não andem de carro (que trabalha devido a processos científicos), etc.

Ou será que pensam que os cientistas são mentirosos? Se é assim deviam deixar de ir a médicos (que são cientistas por natureza), e deviam ligar-se a grupos que dizem que a Terra não é redonda – estes também acreditam que todas as imagens tiradas por astronautas fora da Terra são falsas, não têm inteligência suficiente para perceberem que estão constantemente a utilizar tecnologia por satélite, e simplesmente não conseguem abrir os olhos durante um eclipse (quando se vê a sombra da Terra e ela é redonda).

Charles M. Duke Jr recolhendo amostras durante a missão Apolo 16

Aristóteles provou que a Terra é redonda há mais de 2300 anos, e no entanto ainda há quem, no século XXI, não acredite e pense que ela é plana; quando, como eu disse atrás, basta abrir os olhos. Esta falta de pensamento racional estende-se a outras áreas – como por exemplo, a quem não acredita que o Homem foi à Lua.

Para concluir: todos os pensam que o Homem não foi à Lua, assumem obviamente que todos os cientistas estão a mentir. Ao fazê-lo, devem então pôr a hipocrisia de lado e deixar de ir aos cientistas ou de confiarem na ciência quando precisam (por exemplo, na net, na doença, etc); mas aconselho-vos a irem ainda mais longe! Como diz Richard Dawkins: convido todos esses que duvidam da ciência e dos conhecimentos dos cientistas para subirem ao topo de um edifício de 20 andares e atirarem-se cá para baixo.

Das duas uma: ou os cientistas são mentirosos e subsequentemente a gravidade não existe e a pessoa poderá voar sem problemas; ou então será menos uma pessoa no mundo com ideias disparatadas. Qualquer que seja a resposta, o mundo fica a ganhar!

* Estudante de doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas em Austin nos EUA. Carlos Oliveira é professor nesta mesma Universidade e colaborador de Ciência Hoje.

Fonte: Ciência Hoje (Portugal) - Fotos: NASA

Nasa relança filme sobre primeiros passos do homem na Lua

Moonwalk One (Caminhada Lunar Um) será relançado pela Nasa para comemorar os 40 anos da chegada à Lua

O filme oficial da missão Appolo 11 em 1969, Moonwalk One, (Caminhada Lunar Um, em tradução livre) será relançado pela Nasa para comemorar os 40 anos da realização dos astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin. O filme possui as cenas dos primeiros passos do homem na Lua, cortadas com clipes e entrevistas com algumas das pessoas que ajudaram a tornar a missão um sucesso - incluindo as mulheres que costuraram as roupas dos astronautas.

O filme original recebeu honrarias no festival de Cannes de 1970, quando foi lançado, e foi exibido em vários cinemas nos EUA, mas essa gravação passou as últimas três décadas e meia escondida embaixo da mesa do diretor Theo Kamecke.

Agora, restaurado digitalmente, Moonwalk One deve ser lançado no próximo mês para marcar as quatro décadas do desembarque da Apollo 11.

Em entrevista publicada no jornal The Guardian , o diretor Theo Kamecke hoje com 71 anos, falou sobre a realização do vídeo original. "Eu queria fazer um filme que tivesse uma espécie de qualidade épica que capturasse o sentido da vida sobre a Terra enquanto nossa espécie se afastava dela."

O filme também contém fotos de pessoas comuns, assistindo à aterrisagem da nave na Lua. "Em todo o mundo, as pessoas ficaram coladas às telas de suas televisões apenas pensando sobre esse momento em que algo mudou. Eles não sabiam exatamente o quê, mas algo havia mudado naquele momento", disse ele.

Fonte: Terra - Foto: NASA/Telegraph

IML da BA termina identificação de corpos de vítimas de queda de avião

Avião bimotor King Air B350, prefixo PR-MOZ; 14 pessoas que estavam na aeronave morreram na tragédia

O Departamento de Polícia Técnica da Bahia concluiu nesta terça-feira a identificação das vítimas do acidente aéreo que matou 14 pessoas na última sexta-feira (22), em Trancoso, litoral sul do Estado.

Os cinco dos 14 corpos que aguardavam a chegada das amostras genéticas de familiares para realização do exame de DNA foram identificados às 17h, segundo o departamento. Eles irão permanecer no IML (Instituto Médico Legal) até que sejam tomadas as providências necessárias para a liberação e o translado.

As 14 vítimas foram identificadas através de exames de DNA, antropologia e odontologia legal, de acordo com o departamento. Os trabalhos de identificação começaram desde a noite do acidente.

De acordo com o diretor do órgão, Raul Barreto, 35 peritos estavam envolvidos no processo. "A perícia de local, o cuidado com a coleta do material e todo o empenho da nossa equipe, tanto de Porto Seguro quanto de Salvador, foram fundamentais para a realização das
identificações", disse o diretor.

Caixa preta

A caixa-preta do avião, um bimotor King Air B350, prefixo PR-MOZ, será analisada em São Paulo, segundo informou nesta segunda-feira (25) a FAB (Força Aérea Brasileira).

O motor da aeronave, que já está no Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), em Recife (PE), será encaminhado nos próximos dias ao CTA (Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial), em São José dos Campos (a 97 km de São Paulo), onde será analisado.

O equipamento foi localizado no sábado (23).

Fonte: Folha Online - Foto: Allan Martins Antunes (Airliners.net)

Peças de avião que caiu na Bahia já estão em São José dos Campos, em São Paulo

Foram trazidas para São José dos Campos as peças do avião que caiu na semana passada, no sul da Bahia, provocando a morte de 14 pessoas. O relatório deve ficar pronto em 14 dias. As causas do acidente serão investigadas pelo CTA. O acidente foi na última sexta-feira. A aeronave, de fabricação americana, caiu em Trancoso, no Sul da Bahia. Todos os 14 ocupantes morreram. Nesta segunda, por volta das seis da tarde, um avião bandeirante trouxe para São José dos Campos um motor e uma hélice da aeronave acidentada.

Outro motor, e outra hélice, devem ser trazidos para o CTA em dois dias. As peças serão desmontadas e analisadas pelos técnicos do CTA. O relatório esse que será enviado ao Ceripa II, o Centro Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, do Nordeste, que foi quem pediu o laudo do CTA.

Fonte: VNews via O Globo - Foto: José Souza (EFE)

terça-feira, 26 de maio de 2009

China vai mostrar a mais nova tecnologia de guerra do país nos 60 anos da República Popular

Uma bela ilustração de um J-10 armado com 4 misseis PL-12 e 2 PL-9 (copia do Python III israelense) - Foto: Blog Campo de Batalha Aérea - clique na imagem para ampliá-la

A Força Aérea chinesa mostra dia 01 de Outubro, nas celebrações do 60º aniversário da fundação da República Popular, a mais nova tecnologia de guerra do país, revelou hoje o Beijing News.

No desfile militar previsto para o centro da capital, a China vai mostrar os novos aviões de combate e mísseis terra-ar, disse o Beijing News citando Wei Gang, chefe do departamento de armamento da força aérea chinesa.

Entre os aviões que serão mostrados no desfile militar está a quarta geração do avião de combate J-10 que raramente é visto em público.

A força aérea chinesa tem vindo a beneficiar nos últimos anos de reforços orçamentais que têm permitido a substituição de aviões obsoletos por aeronaves mais sofisticadas.

Como no passado, os soldados, tanques, mísseis e outro material de guerra irão desfilar na Avenida da Paz Celestial a 01 de Outubro antes de reunirem em frente do retrato de Mao Zedong na praça de Tiananmen.

As paradas militares na China com a revelação do potencial bélico do país são desfiles idênticos aos protagonizados na praça Vermelha de Moscou, na antiga União Soviética.

Há 20 anos, no 40º aniversário da República Popular da China, em 1989, o desfile militar foi cancelado devido aos confrontos alguns meses antes entre estudantes e militares que culminou com o massacre da praça de Tiananmen (Praça da Paz Celestial).

Fonte: Agência Lusa

MAIS

Imagens do J-10:

Clique sobre a imagem para ampliá-la

Mais sobre o Chengdu J-10: clique AQUI.

White eleva frota para seis aviões

Nesta quarta-feira (27) a White irá receber o primeiro avião Airbus A320 (CS-TQK), que já foi incorporado à sua frota operacional, destinando-se exclusivamente ao serviço Charter de médio curso.

Com capacidade para 180 lugares, o A320 CS-TQK irá realizar o seu primeiro voo White no dia 1 de Junho de 2009, efetuando a ligação Lisboa / Tenerife e Porto / Tenerife, uma operação contratada pelo Operador Turístico Soltour.

Com a nova aeronave, a White terá a operar seis aeronaves: três Airbus 310-300, um A320 e dois Airbus 319 CJ executivos, símbolo do crescimento e consolidação da White no mercado onde atua.

Fonte: Fly White

MPF acusa ex-funcionários da Infraero de improbidade

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou hoje que entrou com uma ação na Justiça contra dois ex-funcionários da Infraero por improbidade administrativa. O ex-superintendente Pedro Gilson Azambuja e o ex-gerente comercial Wellington Grizzi Nunes são acusados de prorrogar, sem licitação, contratos de concessão de áreas do Aeroporto Galeão, na zona norte do Rio de Janeiro. As empresas favorecidas, a Localiza e a Cafés Finos, também foram denunciadas.

Segundo o MPF, a Localiza obteve o direito de ocupar uma área comercial no aeroporto de dezembro de 1987 a dezembro de 2002. A Café Finos, até julho de 2003. Apesar do fim dos contratos, as empresas permaneceram ocupando as áreas irregularmente. Somente em outubro de 2004, de acordo com o MPF, os dois ex-funcionários da Infraero e as empresas providenciaram um termo aditivo de prorrogação. A ação tramita na 12ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Estado

Avião da FAB faz pouso forçado no Campo dos Afonsos (RJ)

Aeronave aterrissou com o trem de pouso recolhido.

Ninguém ficou ferido.




Um avião Bandeirante da Força Aérea Brasileira (FAB) fez um pouso de emergência no início da tarde desta terça-feira (26) na Base Aérea do Campo dos Afonsos, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A aeronave, modelo C-95, matrícula FAB 2332, aterrissou por volta das 12h05 com o trem de pouso recolhido. Não houve ferido.

Em nota oficial, a Força Aérea Brasileira informou que o Terceiro Seviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 3) iniciou as investigações para identificar os fatores que contribuíram para o acidente.

Fontes: G1 / RJTV (TV Globo)

Atlantis será aposentada em 2010, diz NASA

O ônibus espacial Atlantis, que completou a quinta reparação do Hubble, deverá ser aposentado em 2010, disse a NASA.

O Atlantis, que executou o seu primeiro voo em 1985 numa missão de fins militares de alto nível, deveria ser originalmente aposentado em 2008, segundo a NASA, entretanto, a mesma NASA decidiu acrescentar 2 anos ao tempo de vida do ônibus espacial.

O Atlantis executou 29 viagens ao espaço, passou 220.40 dias no espaço, descrevou 3.468 órbitas completas, e voou 89.908.732 milhas náuticas (166,510,972 km).

O Atlantis retornou da sua última missão ao Hubble na manhã de o domingo na Base Edwards da Força Aérea dos Estados Unidos após 11 dias de trabalhos no espaça e 2 dias de espera. O Atlantis adiou a sua chegada, que estava prevista para a sexta-feira (21), devido ao mau tempo que se fazia sentir no Atlântico Norte e na costa da Flórida. A Base Edwards na Califórnia acabou sendo ativada invês do Centro Espacial Internacional.

Entretanto, o Atlantis já rumou de volta ao Centro Espacial Internacional na Flórida.



Fonte: IBTimes Brasil

Folha de S.Paulo deve pagar R$ 139 mil a ex-diretor da Anac

O jornal Folha de S. Paulo e a jornalista Renata Lo Prete foram condenados a pagar R$ 139,5 mil de indenização por danos morais ao ex-diretor presidente da Agência Nacional de Aviação Comercial (Anac), Milton Zuanazzi. A condenação foi imposta pela Vara Cível do Foro Regional da Tristeza, em Porto Alegre, e cabe recurso. As informações são do Portal Imprensa.

A ação foi movida em razão de uma reportagem publicada em julho de 2007, na coluna "Painel", editada por Renata. O texto acusava Zuanazzi de manter "relações promíscuas" com as empresas do setor, além de ser um dos responsáveis indiretos pelo acidente com o voo 3054, da empresa aérea TAM, em que 199 pessoas morreram.

Na sentença, a juíza Maria Lúcia Rodrigues observou que o fato da reportagem ter sido publicada logo após a queda do avião da TAM "vincula o desastre à atuação da Anac e a uma suposta ligação escusa de seus dirigentes com as empresas aéreas”.

A juíza afirmou que "o texto induz à crença de que entre as causas do grave acidente estaria a corrupção dos agentes da Anac”. “Uma notícia assim veiculada torna-se ainda mais grave quando dirigida a um leitor tomado pela comoção que aquela tragédia sem precedentes na história da aviação brasileira causou", concluiu a juíza.

Segundo a reportagem publicada três dias após o acidente, Zuanazzi seria o encarregado dentro da Anac, de defender os interesses da empresa GOL. "No mapa da Anac, a diretora Denise Abreu é TAM, enquanto Zuanazzi e o diretor Leur Lomanto são GOL", afirmava a a coluna.

No processo, segundo informa o site Coletiva.Net, o ex-diretor da Anac argumentou que, ao contrário do que foi apresentado no jornal, a Infraero foi a responsável por liberar a pista que contribuiu para o acidente do voo 3054; e não ele. Zuanazzi salientou, ainda, que a Folha produziu contra ele acusações que não poderia sustentar na intenção de eleger um culpado pela crise aérea.

A Folha, por outro lado, alegou que a coluna tratava apenas de questões referentes à Anac, e não a Zuanazzi, "que somente exercia o cargo de presidente daquela agência".

O jornal lembrou, ainda, que após os acidentes com os aviões da Gol e da TAM, todos os meios de comunicação se empenharam na cobertura do caos aéreo, o que gerou ampla "vigilância" aos responsáveis pelos órgãos de fiscalização. Além disso, segundo a defesa da Folha, parte dos depoimentos foi prestada por parlamentares do governo e da oposição - então integrantes da CPI do Apagão Aéreo - e que seus nomes não seriam revelados por resguardo do sigilo das fontes.

Fonte: Revista Consultor Jurídico - Foto: O Globo

Voos de Uberaba para São Paulo devem começar em junho

Os voos da Air Minas Linhas Aéreas saindo de Uberaba com destino ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, começam a operar no dia 15 de junho. É o que garante fonte fidedigna. Segundo informações, os voos terão início na terceira segunda-feira de junho, dia 15, com preços de R$ 279 até R$ 319. A previsão é que os voos sairão às 6h20 chegando a Guarulhos às 7h20, e o retorno Guarulhos-Uberaba tem previsão de saída às 19h, chegando ao Aeroporto Mário de Almeida Franco às 20h.

O início das operações estava previsto anteriormente para o dia 11 de maio, mas as previsões não se confirmaram.

Na semana passada, a reportagem do Jornal de Uberaba conversou com o superintendente do Aeroporto de Uberaba - Mário de Almeida Franco, João Itacir. Ele garantiu que a Air Minas já estava autorizada para iniciar os voos e que a aeronave estava em processo de homologação junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Disse, ainda, que o presidente da empresa, Urubatan Helou, estará em Uberaba nos próximos dias para fazer o anúncio de que as operações iniciarão. Ainda segundo informações, o presidente da empresa estará em Uberaba dia 4 de junho para confirmar o início das operações.

A reportagem do JU tentou comprar uma passagem em diversas datas anteriores ao dia 15 e a mensagem era de que "no momento não existem lugares disponíveis para esta data e trecho. Selecione outra data". A reportagem selecionou o dia 15 de junho e a passagem foi disponibilizada no valor de R$ 279.

Assim, a data foi confirmada, além da informação de que os voos serão feitos pela aeronave EMB 120 Brasília, que comporta 30 passageiros.

Fonte: Maria das Graças Salvador (Jornal de Uberaba)

Empresa portuguesa desenvolve tecnologia para Agência Espacial Europeia e NASA

A Critical Software, empresa portuguesa com sede em Coimbra, desenvolveu o sistema operativo utilizado pelos satélites Herschel e Planck, que a Agência Espacial Europeia (ESA) utiliza numa das suas mais complexas missões actualmente.

A empresa revelou que integrou o consórcio industrial europeu, liderado pela Thales Alenia Space, que desenvolveu o sistema operativo dos computadores dos dois satélites. O objectivo do projecto era adaptar e qualificar o sistema operativo dos computadores desses dois satélites para uma missão que é considerada das mais complexas de sempre da ESA.

O software básico que controla o hardware mais crítico e o computador em si é baseado num sistema operativo de tempo real que a empresa portuguesa adaptou e qualificou especificamente para estas missões.

Segundo a Critical Software, “as missões Herschel e Planck são as missões mais complexas alguma vez desenvolvidas pela ESA” e a empresa portuguesa “foi chamada numa fase difícil do desenvolvimento”.

Os recursos que podem ser lançados para o espaço são sempre limitados e o sistema operativo utilizado excedia os recursos de memória e de processamento disponíveis no computador de bordo de cada satélite. Chamada a criar uma nova solução, a Critical Software diz que “conseguiu resolver o problema, adaptando e optimizando o sistema para que este cumprisse com os constrangimentos que existiam, sem comprometer a sua fiabilidade”, evidenciando assim o seu conhecimento em sistemas espaciais complexos.

Segundo a Critical Software, os dois satélites representam “importantes feitos alcançados pela tecnologia europeia”. Ambos vão ter de enfrentar uma via-gem de quatro meses a partir da Terra, para uma órbita que se situa a aproximadamente 1,5 milhões de quilómetros da Terra.

A Critical Software é uma empresa internacional que desenvolve soluções para o suporte a sistemas críticos. Entre os seus clientes contam-se também a NASA, a agência espacial norte-americana.

Fonte: Mundo Português

Viatura do Corpo de Bombeiros tomba no Aeroporto de Campo Grande (MS)

Uma viatura do Corpo de Bombeiros, usada para combater incêndios, tombou na na noite de segunda-feira, por volta das 21h30m, no Aeroporto de Campo Grande (foto acima). Dentro do veículo estavam dois bombeiros que deveriam acompanhar a aterrissagem de uma aeronave da empresa Gensa táxi aéreo, que tinha apresentado problemas no trem de pouso.

A capotagem aconteceu em uma curva acentuada na pista de pouso. Segundo a polícia, a viatura pertence ao grupo de combate a incêndio que fica no aeroporto. Após o acidente, um dos bombeiros foi encaminhado ao hospital por uma ambulância da base aérea. Ele já recebeu alta e passa bem. O outro bombeiro saiu ileso. O avião conseguiu pousar normalmente.

Fonte: TV Morena via O Globo - Foto: pmcg.ms.gov.br

TAP vai reforçar ligações com a África

A transportadora aérea vai passar a ter três voos semanais para a ilha de São Vicente, em Cabo Verde, reforçando a presença estratégica no continente africano.

Luís Garcia, delegado da TAP no país, adiantou à Lusa que este aumento poderá acontecer já a partir de Agosto, estando em curso os respectivos pedidos de autorização junto das autoridades de aviação civil de Cabo Verde.

Há, ainda, que aguardar pela conclusão da remodelação do aeroporto de São Pedro, próximo do Mindelo. "Nós podíamos começar já a voar, mas o impedimento que existe tem a ver com a homologação do aeroporto", acrescentou Luís Garcia.

Segundo o delegado da TAP no país africano, a decisão da companhia de aviação estatal foi tomada após a realização de um estudo de viabilidade, tendo-se chegado à conclusão que "há espaço no mercado" para voos directos entre Lisboa e Mindelo.

"Na actual conjuntura, o que interessa são nichos de tráfego que não se confinam a uma ilha. Os turistas pretendem visitar, em média, três ilhas", explicou, lembrando que o reforço para São Vicente "abre portas" a outras duas ilhas: Santo Antão e São Nicolau.

No que diz respeito à ilha da Boavista, por se tratar de um mercado tradicional de voos "charter", a TAP não está, para já, interessada numa ligação, disse Luís Garcia.

Fonte: Raquel de Almeida Correia (Público - Portugal)

Morre o piloto da aeronave que caiu na Ilha da Madeira, em Portugal

O ferido grave do acidente da aeronave que se despenhou domingo no aeroporto da Madeira morreu hoje, no Hospital de S. João, no Porto, disse à Lusa fonte hospitalar.

O homem encontrava-se em estado «muito reservado», com queimaduras em 70 por cento do corpo, explicou a mesma fonte, afirmando que o óbito ocorreu por volta das 14:00 de hoje.

O co-piloto da TAP, que se encontrava ao comando da aeronave na altura do acidente, foi, na segunda-feira, transferido para o Hospital de S. João, no Porto, vindo do Hospital Central do Funchal.

O homem era, também, proprietário da aeronave que se despenhou.

O outro sinistrado do acidente de domingo tem 49 anos e é mecânico de aeronaves, sofreu queimaduras ligeiras, mas, de acordo com o director clínico do Hospital Central do Funchal, Miguel Ferreira, «em princípio, não corre risco de vida».

Em comunicado, a direcção regional dos Aeroportos da Madeira precisou que o acidente ocorreu às 18:56 de domingo, durante a aterragem da aeronave.

«Após intervenção do serviço de socorro do Aeroporto da Madeira, os dois feridos foram evacuados para o Hospital Central do Funchal», numa operação que contou com o apoio da Equipa Medica de Intervenção Rápida, acrescentou a mesma fonte.

O aparelho envolvido neste acidente era um avião privado de acrobacias, modelo Zlin 142.

Fontes: Diário Digital / Ag. Lusa - Foto: João Franco

Aeroportos terão R$ 5 bilhões para Copa 2014, diz Infraero

No ar, a questão do transporte para a Copa do Mundo de 2014 ainda é uma incógnita.

No solo, e no tempo em que aviões e turistas vão gastar nele, a questão parece mais adiantada. Passa por promessas de investimentos bilionários nos aeroportos do país e, se for o caso, uma dose de improvisação para evitar, em pleno Mundial, a repetição dos apagões aéreos que pararam os aeroportos brasileiros em 2007.

A Infraero, estatal responsável pelos aeroportos do país, afirma ter um detalhado plano de investimentos nos aeroportos das cidades que vão abrigar os jogos do Mundial.

A empresa considera que essas obras serão suficientes para adequar o país à demanda de passageiros na Copa. Mas também tem um plano B.

"Caso seja necessário, procedimentos operacionais diferenciados podem ser implementados durante a realização dos jogos, visando dar maior celeridade, conforto e segurança aos usuários", diz a empresa, por meio de sua assessoria. A nota não esclarece quais normas de operação podem ser alteradas durante o torneio.

Pelos planos da Infraero, não vai faltar dinheiro para equipar os aeroportos do país que vão servir os torcedores em 2014. Estão programadas obras que vão custar mais de R$ 5 bilhões em 14 aeroportos brasileiros.

O plano ainda prevê desde construções de terminais inteiros, como o terceiro de Cumbica, até obras mais simples, como a montagem de novas pontes de embarque em Recife. Algumas dessas melhorias estão previstas para serem entregues poucos meses antes da Copa.

A Infraero diz que esses investimentos não vão acarretar aumento nas taxas de embarque do país, que já estão entre as mais caras do mundo. Em Cumbica, a tarifa para voos internacionais é de US$ 36, o equivalente a R$ 73.

Fonte: Paulo Cobos (Folha Online)

Justiça do Trabalho bloqueia R$ 10 milhões em bens dos fundadores da BRA

Decisão quer garantir o pagamento da rescisão de 1,1 mil trabalhadores.

Empresa parou de voar em 2007 e está em recuperação judicial.


O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Brasília determinou o bloqueio de bens dos fundadores da BRA Transportes Aéreos como forma de garantia do pagamento dos direitos trabalhistas referentes à rescisão contratual de 1,1 mil trabalhadores. A empresa paralisou suas operações em novembro de 2007 e passa, desde então, por processo de recuperação judicial. A Procuradoria do Trabalho no DF foi notificada da decisão na segunda-feira (25).

De acordo com a sentença da juíza Audrey Choucair Vaz, os bens de Walter e Humberto Folegatti, sócios da BRA, ficarão indisponíveis até o limite de R$ 10 milhões.

O G1 entrou em contato com o escritório de Humberto Folegatti e foi informado de que ele está viajando. A secretária disse que tentaria entrar em contato com Folegatti e retornaria a ligação, mas ele não foi localizado. O atual presidente da BRA, Danilo Amaral, disse ao G1 que Humberto não é mais acionista nem administrador e o bloqueio não tem nehum efeito na companhia porque atinge bens pessoais.

"Nós como empresa estamos num plano de recuperação e devemos pagar as dívidas trabalhistas no prazo legal", exlicou Danilo Amaral. O prazo, segundo ele, é de um ano a partir da aprovação do plano de recuperação da BRA, assinado em novembro do ano passado.

Amaral informou também que a companhia voltou a voar em 7 de abril deste ano só para voos fretados. "Inclusive está com a delegação do time do Grêmio [que joga contra o time da Venezuela pela taça Libertadores na quarta-feira (27)] em Caracas ", explicou. Segundo ele, a empresa está esperando autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para voltar a operar vôos charter para comercializar pacotes no período de alta temporada.

Sentença

Entre os bens bloqueados estão empresas, imóveis e veículos. “O valor foi fixado a partir das declarações da empresa ao Ministério Público do Trabalho, no sentido de que sua dívida trabalhista era de aproximadamente R$ 8,5 milhões, o que obviamente não considerava multas pelo atraso no pagamento”, destaca trecho da decisão.

A juíza observou que a indisponibilidade dos bens é provisória, ficando limitada ao dia 30 de junho de 2010, prazo, segundo ela, hábil para a propositura de ações trabalhistas individuais.

“Após esse prazo, em relação ao eventual dinheiro obtido e depositado em juízo nesta ação, o valor remanescente, assim considerando como a sobra após os pedidos de reserva ou transferência por outras ações judiciais, será devolvido às rés [no caso os sócios da BRA]”, acrescentou a magistrada responsável pelo caso.

O bloqueio dos bens atende a uma ação cautelar protocolada pelos procuradores do Trabalho Alessandro Santos Miranda e Ludmila Reis Brito Lopes em novembro de 2007. Eles haviam ingressado com o pedido para evitar “danos irreparáveis” aos funcionários da BRA.

Apesar de bloquear os bens dos sócios da empresa, a juíza negou pedido de bloqueio de bens da própria BRA, como aviões e créditos junto a operadoras de cartões de crédito. “Se decretada a indisponibilidade dos bens da reclamada nesta ação cautelar [a BRA], estaria comprometido o plano de recuperação judicial, e consequentemente, a efetiva recuperação da empresa”, justificou.

Fonte: Diego Abreu (G1)

Aeronáutica investiga turbulência em voo da TAM

Forte turbulência durante voo Miami - São Paulo deixou 21 feridos.

Avião transportava 154 passageiros.


O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), do Comando da Aeronáutica, começou a investigar o incidente ocorrido com o vôo JJ 8095 (Miami – São Paulo) da TAM em que uma forte turbulência deixou 21 pessoas feridas na noite de segunda-feira (25). O avião, um Airbus A-330, transportava 154 passageiros.

Apesar dos transtornos causados aos passageiros, o consultor aeronáutico Jorge Barros, de 50 anos, disse ao G1 que em tese não havia como o piloto evitar a zona de turbulência. Isso porque o pouso estava marcado para um horário de pico e provavelmente deveriam ter poucas rotas alternativas, lembrou Barros. "É comum o piloto identificar o risco, mas não ter margem para o desvio", afirmou.

Ex-investigador de acidentes aéreos do Cenipa, Barros lembrou também que o cinto de segurança deve estar afivelado em pousos, decolagens e ao passar por áreas de turbulência. Pela experiência adquirida na análise de acidentes áereos, ele afirma categoricamente que o cinto não era usado pelos passageiros feridos lançados contra o teto da aeronave. "É óbvio pra mim que um passageiro que bateu com a cabeça no teto estava sem cinto", declarou.

Fonte: G1 - Foto: reprodução da TV Globo