segunda-feira, 30 de março de 2009

Achado corpo de vítima de helicóptero caído na Turquia

O corpo de um jornalista que estava a bordo de um helicóptero que caiu na semana passada na região central da Turquia foi encontrado hoje no interior de uma caverna coberta de neve perto do local da tragédia, informou a agência de notícias Anatólia. O corpo de Ismail Gunes foi localizado cinco dias depois da queda do helicóptero, provavelmente causada pelo mau tempo nas montanhas da região central do país.

Gunes foi o autor de um telefonema no qual contou ter ficado preso entre as ferragens e com um pé quebrado. Ele relatou ainda que estava congelando e que todos os outros passageiros pareciam ter morrido. Os corpos das outras cinco pessoas que estavam a bordo da aeronave foram encontrados no sábado.

Fonte: AP via Agência Estado

O novo visual da Estação Espacial Internacional

Esta é a primeira fotografia da Estação Espacial Internacional (ISS) depois de finalizada a missão STS-119, do ônibus espacial Discovery, quando foi instalado o seu último segmento central e o quarto conjunto de painéis solares.

A foto foi tirada por tripulantes do Discovery logo depois da desacoplagem com a Estação. O aumento nas dimensões facilita a visualização da ISS a partir do solo, o que pode ser feito com pequenos telescópios.

Além da instalação do último segmento e dos painéis solares, a missão serviu também para testar um equipamento inédito de proteção planetária, que evitará que os astronautas levem microorganismos que poderiam contaminar as areias de Marte, em um futura missão que a NASA espera realizar por volta de 2030.

Fonte: Site Inovação Tecnológica - Foto: NASA

Impasse entre Infraero e Anac ameaça Pampulha

Desencontro entre Infraero e Anac sobre aeronaves maiores para o aeroporto, que não tem infraestrutura adequada, ameaça a expansão socioeconômica da Região Norte de BH

Clique na imagem para ampliá-la

Correspondência do governador Aécio Neves (PSDB) ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, da qual o Estado de Minas obteve cópia, revela que as instituições federais Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divergem frontalmente sobre a destinação do aAeroporto da Pampulha. A Infraero quer manter o impedimento operacional a voos com mais de 50 passageiros, enquanto a Anac estuda eliminar as restrições de infraestrutura do aeroporto para “maximizar o seu aproveitamento”. O governador não quer nem ouvir falar no estudo da Anac, por jogar por terra o seu programa de governo, o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI).

Enquanto a Infraero defende a manutenção das restrições e a operação do aeroporto da Pampulha nos moldes atuais, até que promova os melhoramentos necessários à sua modernização (de quatro a cinco anos), a Anac argumenta que o terminal urbano opera abaixo de sua capacidade, o que justificaria a volta dos voos transferidos para Confins em 2005. “Isso é uma falácia”, afirma o subsecretário de Assuntos Internacionais e Unidade Parceria Público-Privada (PPP) do governo estadual, Luiz Antonio Athayde. “O movimento de aviões é praticamente o mesmo do aeroporto de Confins, que fez 60 mil ciclos (pousos e decolagens) em 2008, contra 58 mil na Pampulha”, informa, para demonstrar que o uso dos dois terminais tem a mesma ordem de grandeza adequada às suas condições operacionais.

A divergência federal e a tendência do governo Lula, já manifestada pelo ministro Jobim, em fechar questão com a Anac, põem sob risco de esvaziamento a execução do projeto de expansão socioeconômica da região geográfica denominada pelo governador e autoridades aeronáuticas de Vetor Norte. No projeto, o governo mineiro já disponibilizou quase R$ 1,4 bilhão em investimentos – mais de R$ 400 milhões na via expressa conhecida como Linha Verde (Centro de BH a Confins) e R$ 948 milhões na Cidade Administrativa, a nova sede do governo estadual, no Bairro Serra Verde. E novos investimentos na região estão previstos este ano para conclusão do contorno norte do aeroporto de Confins, que faz a ligação da MG-010 à MG-424. No local será construída uma interseção com a ligação local de acesso ao aeroporto.

Para Athayde, a infraestrutura da Pampulha não permite o atendimento a voos da malha aérea nacional, feitos, entre outros aviões, por aeronaves como o Boeing 737 e Airbus 320, de 170 a 180 passageiros. “Queremos que a Anac respeite o que assina”, afirma Athayde, citando documento da própria agência, ao qual o EM também teve acesso. Nele, a agência reconhece: “O aeroporto da Pampulha tem severas limitações operacionais para operação frequente de aeronaves com mais de 100 assentos”.

Na mesma carta, a Anac informa, no entanto, que vai respeitar as restrições – o que conflita com a intenção de abrir o aeroporto à malha aeroviária nacional, segundo Athayde. Consultado, o ministro Nelson Jobim não se pronunciou. Por aguardar manifestação de Jobim, o Palácio da Liberdade também preferiu não comentar o assunto.

Fonte: Márcio de Morais (Estado de Minas)

Cientistas questionam danos de sondas na Lua

A maior parte do veículo, uma espaçonave do tamanho de um utilitário, deve ser vaporizada no impacto - Imagem: Reprodução

A colisão no satélite da Terra deve desalojar 220 toneladas de material - Foto: Getty Images

O Satélite de Observação e Sensoreamento de Crateras da Lua (LCROSS) criará um buraco de 30 metros de diâmetro na superfície da Lua - Imagem: Nasa/National Geographic

A poeira levantada pela colisão deliberada entre o veículo orbital lunar chinês Chang'e-1 e a superfície da Lua, em 1° de março, nem bem assentou. Mas cientistas da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa) já estão preparando uma nova sonda que colidirá com o satélite da Terra, na esperança de desalojar a camada de gelo lunar.

A nova missão da Nasa, cujo lançamento está marcado para abril, vai levar adiante uma tradição criada décadas atrás, de perturbar a Lua em nome da ciência - e alguns especialistas estão pedindo mais cautela no futuro.

Conhecida como Satélite de Observação e Sensoreamento de Crateras da Lua (LCROSS), o veículo da Nasa criará um buraco de 30 metros de diâmetro na superfície da Lua, e a colisão deve desalojar 220 toneladas de material.

Impactos violentos como esses não são incomuns - a superfície lunar já está marcada pelos destroços de mais de duas dezenas de veículos orbitais, sondas e veículos lunares lançados desde os anos 60.

Mas à medida que a nova corrida espacial internacional se aquece, surge um crescente movimento cujo objetivo é procurar equilibrar a ambição científica e suas possíveis consequências. "Sempre que você provoca uma colisão, obviamente você destrói alguma área da superfície lunar ao conduzir seu estudo, e isso não é bom", disse Gary Lofgren, curador das amostras lunares da Nasa.

No ano passado, o comitê de pesquisa espacial do Conselho da Ciência impôs novos requerimentos de documentação para manter a credibilidade de futuras descobertas na Lua.

"É necessário compreender que materiais o veículo levou com ele, ante os materiais que foram depositados lá naturalmente", disse Catharine Conley, encarregada de proteção planetária da Nasa.

Simplesmente um ferimento superficial?

O Lunar Reconnaissance Orbiter, uma espaçonave do tamanho de um utilitário, deve ser lançado em 24 de abril, e ao final de sua missão deve enviar o veículo de colisão para se chocar contra a superfície da Lua no começo de agosto. Os telescópios mundiais estarão observando o ponto de impacto para obter imagens dos destroços, e existe uma chance de que os astrônomos amadores consigam ver a nuvem de poeira com seus telescópios caseiros.

Funcionários da Nasa dizem que o LCROSS tem uma função vital para determinar o futuro da exploração lunar. Caso a colisão confirme que existem reservatórios de gelo na Lua, esses recursos de água poderiam servir para sustentar bases que, no futuro, seriam usadas em programas espaciais que podem levar seres humanos a Marte ou mais além.

Quando ao lixo deixado pela colisão, a maior parte do veículo deve ser vaporizada no impacto, disse Grey Hautaluoma, um porta-voz da Nasa, e o combustível do veículo seria ejetado antes do impacto de modo a evitar contaminar os dados obtidos sobre a nuvem de detritos.

Vale o preço?

De acordo com Lofgren, o curador de amostras lunares, quaisquer danos que venham a ser infligidos contra a Lua seriam um preço pequeno a pagar por décadas de resultados propiciados pela ciência lunar.

No momento, restos de naves espaciais ocupam apenas uma pequena porção da superfície da Lua. Além disso, meteoros em geral se chocam com a Lua em velocidade de cerca de 25 quilômetros por segundo, o que causa danos à superfície lunar. Em sua maior parte, os impactos causados por seres humanos atingem a Lua com um décimo dessa velocidade.

"A colisão vai simplesmente espalhar coisas", ele disse. "Não haverá vaporização de materiais. Não haverá derretimento de rochas". E porque a Lua não tem atmosfera ou vento, os detritos não se deslocarão e contaminarão outros locais. "Serão apenas pedaços de metal repousando na superfície", ele disse.

Conley, a encarregada de proteção planetária, apontou que a proteção contra contaminação na Lua - onde nenhuma forma conhecida de vida poderia sobreviver - jamais seria tão severa quanto em planetas potencialmente habitáveis, a exemplo de Marte.

As espaçonaves da Nasa que se dirigem a Marte são meticulosamente esterilizadas, e já estão sendo desenvolvidos planos para quarentena rigorosa de quaisquer amostras marcianas que possam no futuro vir a ser trazidas à Terra.

Fonte: National Geographic via Terra - Tradução: Paulo Migliacci - Imagem: Nasa/National Geographic

domingo, 29 de março de 2009

Mais fotos do acidente no Paraná

Apesar dos prejuízos, ninguém ficou ferido no acidente

Aeronave atingiu duas casas e parou sobre carro

Fonte: G1 - Fotos: Amauri Arrais (G1)

Avião de pequeno porte cai sobre casas em Londrina

Aeronave arrancou fios da rede elétrica e parou em cima de carro.

'Achei que era uma brincadeira', diz dono de casa atingida por avião no PR.

Aposentado havia saído e foi avisado sobre acidente por telefone.

Ninguém ficou ferido.


Um avião Aero Boero AB-115, prefixo PP-GHG, caiu sobre casas no bairro Jardim Primavera, em Londrina (PR), na manhã deste domingo (29). Segundo informações do Corpo de Bombeiros, duas residências foram atingidas. Ninguém ficou ferido.

O militar aposentado Noel Patrocínio, de 52 anos, foi um dos moradores de Londrina (PR) que teve a casa atingida pelo avião de pequeno porte, neste domingo. Ele ficou sabendo do acidente por telefone e chegou a pensar era um trote.

“Eu não estava em casa na hora que aconteceu e me ligaram. Até achei que era uma brincadeira”, afirmou o aposentado. “Mas sempre passam aviões bem pertinho.”

Duas casas foram atingidas pela a aeronave, que arrancou fios de energia elétrica e parou em cima de um carro. Uma terceira residência teve a antena parabólica arrancada, mas não sofreu danos estruturais.

Patrocínio contou que no momento do acidente estavam na casa a mulher dele, Silveria Maria do Nascimento, a enteada e o neto. A mulher ficou muito assustada com o acidente e precisou de atendimento médico.

“Ela ficou muito nervosa. Chegou a ser levada para o hospital, mas tomou só um soro”, disse.

Integrantes do aeroclube de Londrina já entraram em contato com os moradores para negociar o ressarcimento dos prejuízos.

Fontes: G1 / Terra - Fotos: Roberto Custódio (Jornal de Londrina) - Atualizado em 29/03/2009 às 21:09 hs.

sábado, 28 de março de 2009

Risco nas pistas de pouso do Interior do Ceará

Pista de pouso em Tianguá: aviões disputam espaço com motos

A maioria das pistas de pouso e decolagem do Interior do Ceará não tem homologação da Anac e apresentam riscos aos aviões que delas fazem uso. Segundo pilotos ouvidos pelo O POVO, estes aeródromos são utilizados por falta de opção no Estado.

Há duas semanas, o experiente piloto de linha aérea, José Demontiex de Brito Teles, 56 anos, teve uma surpresa quando tentava aterrissar no aeródromo de Camocim, que está sob administração do Governo do Estado. Por causa de uma vaca que andava calmamente na pista, o piloto foi obrigado a arremeter três vezes a aeronave para, enfim, pousar. Nos seus 34 anos de experiência na aviação, o comandante Teles, como é conhecido, fala com propriedade sobre as condições dos terminais aéreos no Interior do Ceará. Conta que esta não foi a única vez que se viu em situação de risco na hora de pousar nas pistas cearenses.

“Há dois anos, eu quase atropelei um casal que estava andando de moto em uma pista. Isso acontece quase todos os dias, porque muitos aeródromos daqui são totalmente abertos, sem cercamento e fiscalização. Então entra vaca, criança, o povo aprendendo a andar de moto, o que representa perigo tanto para a tripulação quanto aos que se encontram em solo”, constata.

Segundo o comandante Teles, que há décadas voa pelo Interior do Ceará, a grande maioria das pistas de pouso e decolagem no Estado não estão em boas condições de uso e não possuem asfalto, mas sim cascalho, grama e terra batida.

Não homologadas

Por falta de investimento em infraestrutura e segurança, muitas delas estão sem homologação de uso da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ou seja, teoricamente, estão impróprias para pousos e decolagens. Mas na prática, elas são utilizadas diariamente com conhecimento dos próprios pilotos e empresas atuantes no setor. “Não temos opções, já que não há investimentos nestas pistas. A Infraero, por exemplo, só quer investir em grandes aeroportos onde têm mais lucratividade. É uma empresa pública com fins lucrativos”, queixa-se.

Além dos problemas de pista, o piloto aponta a falta de planejamento dos aeródromos cearenses. “Próximo ao aeroporto de Sobral, por exemplo, colocaram duas grandes antenas de transmissão, que restringiu a capacidade de pousos e decolagens. Aqui no Ceará, falta planejamento e fiscalização”, afirma.

Para o piloto de aviação executiva P.I., que preferiu não se identificar, a Anac sabe do uso de pistas não homologadas pelo Interior cearense, mas não possui efetivo para fiscalizar. Ele também confirma que a maioria das pistas do Estado não possuem autorização para pousos e decolagens.”Nestas pistas não há condições alguma de aterrissar ou decolar à noite, por exemplo, pois não têm iluminação. É muito perigoso, pois a visibilidade é ruim e pode ‘aparecer’ um animal ou criança no caminho”, explica. (Sandra Nagano)

EMAIS

- O Ceará possui 19 aeródromos (pista de pouso) homologados pela Anac, sendo seis privados e 13 públicos.

- Sete são administrados pelo Governo do Estado: Aracati, Camocim, Crateús, Iguatu, Campos Sales, Quixadá e Sobral

- O Aeroporto Internacional Pinto Martins foi transferido às mãos da Infraero, em 1974, pelo então Ministério da Aeronáutica

- O Aeroporto de Juazeiro do Norte é administrada pela Infraero, sob convênio com o Governo do Estado.

- A Infraero é uma empresa pública nacional, vinculada ao Ministério da Defesa, que administra 67 aeroportos. Somente nos cinco maiores aeroportos brasileiros em lucratividade, a empresa teve juntos um superávit de R$ 609,3 milhões.

- A principal fonte de lucratividade da Infraero são as chamadas concessões de box, via licitação comercial (vence o maior preço)

- O maior aluguel no Aeroporto Pinto Martins neste ano deverá ser de um restaurante, no valor de R$ 45 mil por mês

Fonte: O Povo Online

Discovery aterrissa na Flórida após missão de 13 dias

O ônibus espacial americano Discovery aterrissou neste sábado no Kennedy Space Center, na Flórida, depois de uma missão de 13 dias na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).




O retorno à Terra foi atrasado em algumas horas devido ao mau tempo, mas ocorreu em segurança. Entre os astronautas que desembarcaram na Flórida está Sandra Magnus, que passou quatro meses na ISS.

A missão do Discovey começou em 15 de março. Os sete astronautas a bordo do ônibus espacial instalaram o último conjunto de painéis de energia solar na ISS.

O objetivo é aumentar a capacidade energética para permitir que mais astronautas possam permanecer na estação.

Na quinta-feira, os astronautas passaram cinco horas inspecionando a superfície externa do Discovery, com um sistema a laser e uma câmera acoplados a um braço robótico de 15 metros, para verificar as condições do escudo antitérmico da nave.

Também neste sábado, a nave russa Soyuz foi acoplada à ISS. A bordo estavam astronautas e o bilionário americano Charles Simonyi, que faz sua segunda viagem como turista espacial.

O próximo vôo tripulado da Nasa (a agência espacial americana), com o ônibus espacial Atlantis, está programado para 12 de maio.

A aterrissagem, às 16h14 (de Brasília), aconteceu uma hora e meia depois do previsto inicialmente, já que a presença de ventos e de nuvens atrasaram o retorno da nave. Um dos objetivos da missão à Estação Espacial Internacional (ISS) foi a instalação de novos painéis solares na plataforma.

Fontes: BBC Brasil via O Globo / Jornal Nacional via G1 - Foto: Joe Skipper (Reuters) - Atualizado com a foto em 29/03/09 às 10:58 hs.

Mais de R$ 500 mi para aeroportos do CE

A Infraero investirá cerca de R$ 500 milhões na construção de novo um terminal de passageiros e a reforma da atual estrutura. Já o Governo do Estado deve investir nos aeroportos de Aracati, Tauá e na construção de novos, em Jericoacoara e São Benedito

A Copa de 2014 já vem alavancado os investimentos nos aeroportos brasileiros. Afinal, estas são as portas de entrada de muitos turistas estrangeiros. E, como a primeira impressão é a que fica, a maioria das obras visam melhorias nos terminais de passageiros. No Ceará, os investimentos nos aeroportos já ultrapassam meio bilhão de reais. O montante maior, de R$ 500 milhões, será desembolsado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para obras de ampliação no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza.

A construção do novo terminal de passageiros do aeroporto da capital cearense tem início previsto em 2011 e deve ser concluída em 2014, segundo a assessoria de imprensa da Infraero. As obras estão estimadas em R$ 500 milhões e se dividirão em dois blocos: A e B. O primeiro será a ampliação do atual terminal, que passará da capacidade de 3 milhões para 5 milhões de passageiros/ano. O bloco B será a construção do novo terminal, que terá capacidade de 8 milhões de passageiros/ano. Com os dois blocos concluídos, o aeroporto de Fortaleza terá capacidade total de 13 milhões de passageiros/ano.

Atualmente, a Infraero discute com o Governo do Ceará a possibilidade da empresa administrar a infra-estrutura física do Aeroporto de Juazeiro do Norte, assim como acontece no aeroporto Pinto Martins. Hoje, a responsabilidade das obras é do Estado. Neste ano, estão previstos apenas investimentos na área administrativa pela Infraero no valor de R$ 1,3 milhão.

Novos aeroportos

O Ministério do Turismo garantiu US$ 148 milhões (cerca de R$ 331 milhões) do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) para o Ceará. Parte destes recursos devem ser alocados para obras de reforma do Aeroporto Regional de Aracati, que deve custar no total R$ 18,7 milhões, já contratados.

Estão em andamento as obras de reforma da pista de pouso e decolagem, pátio de estacionamento e urbanização das vias de acesso ao estacionamento de veículos. Também estão previstas a construção do Serviço de Combate a Incêndio, da sinalização (ou balizamento) noturno, do terminal de passageiros e do hangar. De acordo com o Departamento de Edificações e Rodovias do Ceará (DER-CE), responsável pelo Plano Aeroviário do Governo do Estado, o intuito é transformar o aeroporto de Aracati em uma potencial porta de entrada para turistas e levar à região a malha de voos regulares de grandes companhias aéreas.

Parte dos recursos do Prodetur, também serão direcionados para o projeto de construção do aeroporto de Jericoacoara, no litoral Oeste, que ainda estaria em elaboração. Segundo o gerente de programa aeroportuário do DER-CE, Alberto Gonçalves, o projeto ainda não chegou ao órgão já que está sob responsabilidade da Secretaria Estadual de Turismo. Gonçalves, entretanto, adianta que o DER já estuda a construção de um aeroporto regional de São Benedito, na Serra da Ibiapaba.

Além disso, há investimentos previstos para a reforma do aeródromo de Tauá, orçada em R$ 3,4 milhões. Os recursos para a obra serão do Governo do Estado. (SN)

Fonte: O Povo Online

Presidente russo voa num caça-bombardeiro SU-34

Presidente russo Dmitry Medvedev acena dio cockpit de um caça russo na base aérea de Kubinka, Moscou

O presidente russo, Dmitri Medvedev, conheceu uma meia hora de "sensações indescritíveis" ao voar neste sábado num caça-bombardeiro Soukhoï 34 (SU-34), uma experiência que repete uma anterior, realizada por seu predecessor, o atual primeiro-ministro Vladimir Putin.

"As sensações são indescritíveis!", extasiou-se, após o voo, o presidente russo, em entrevista à televisão.

"O aparelho é magnífico, obediente e potente", acrescentou.

O presidente russo fez a façanha a partir da base aérea de Koubinka, na região de Moscou, a qual visitou para uma inspeção.

Os clichês de Vladimir Putin num caça SU-27 estão entre os mais célebres do ex-chefe de Estado russo. Em 2000, quando era presidente interino, em seguida à demissão de Boris Yeltsin, ele havia pousado no aeroporto de Grozny, na Chechênia, então varrida por um conflito armado.

Fonte: AFP

Rio sedia Campeonato Mundial de Aviões de Papel

CURIOSIDADE


Dobrar uma folha de caderno, fazer duas orelhas e jogá-la ao vento é coisa para profissional. Duvida? Na próxima terça-feira, o Rio de Janeiro será o palco do Campeonato Mundial de Aviões de Papel. Na cidade, acontecerá uma das classificatórias brasileiras. Também estão previstas competições em São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco e Rio Grande do Sul. Os melhores vão representar o Brasil na finalíssima, em maio, no hangar 7 do Aeroporto de Salzburg, na Áustria.

Para saber quem vence a disputa, os jurados levam em consideração a distância e o tempo de voo do aviões de papel. Até o momento, os universitários paulistas Leonard Ang e Everton Batista são os melhores brasileiros no ranking mundial. Leo manteve seu avião no ar durante 17 segundos e 70 centésimos e lidera na modalidade tempo de voo. O equipamento de Everton alcançou 49 metros e tem a maior marca da categoria distância. (Veja o vídeo de uma etapa da competição)

No total, serão 85 países participantes do Mundial de Aviões de Papel. A última edição, realizada em 2006, teve entre os campeões o engenheiro brasileiro Diniz Nunes, ouro na modalidade tempo de voo. (Veja outro vídeo da competição)

Serviço:

Campeonato Mundial de Aviões de Papel

Dia 31 de março, às 14h

Fundição Progresso

Rua dos Arcos, 24, Lapa

Fonte: Extra Online - Foto: Divulgação

Primeiro simulador de voo da CAAC começa a funcionar no Centro de Treinamento Hua-Ou

Novas instalações ajudam a aumentar a capacidade de treinamento em 25% .

A Administração da Aviação Civil da China (CAAC) começou a operar um simulador de voo (Full Flight Simulator – FFS) de aeronaves A320 da Airbus, adquirido da Thales, em uma nova ala do Centro de Treinamento em Aviação Hua-Ou, uma joint-venture entre a Airbus e a China Aviation Supplies Holding Company (CAS), em Pequim.

Para celebrar a inauguração da nova ala e o início da operação do simulador, foi realizada uma cerimônia no centro de treinamentos no dia 24 de março.

Raymond Lim, Gerente Geral do Centro de Apoio e Treinamento em Aviação Hua-Ou e o capitão Jiang Huiyu, Diretor Geral do Departamento de Normas de Voo da CAAC, assinaram um contrato de parceria para a operação do FFS e do simulador Thales Formation System Trainer (TFTS) configurado para as aeronaves A320, ambos pertencentes à CAAC. É a primeira vez que o departamento compra o seu próprio FFS, que será o padrão de referência para o treinamento de seus inspetores, responsáveis por garantir que todos os simuladores FFS da aeronave A320 em uso na indústria chinesa de aviação atendam às normas estabelecidas para oferecer ao piloto o nível de treinamento exigido.

A nova ala do centro Hua-Ou tem quatro novas salas de aula, uma oficina de treinamento estrutural, uma nova seção de simulação e uma nova sala de treinamento de comissários. As novas instalações poderão atender 20% mais pilotos e 33% mais engenheiros mecânicos por ano, aumentando a capacidade total do centro em 25%.

“Segurança sempre foi a nossa prioridade e pilotos e engenheiros qualificados são imprescindíveis para garantir a segurança do tráfego aéreo. O Centro de Treinamento em Aviação Hua-Ou tem desempenhado um papel importante no treinamento de pilotos, engenheiros e tripulantes qualificados na China. Temos a convicção de que os especialistas do centro utilizarão todas as facilidades oferecidas para contribuírem ainda mais para a segurança aérea,” disse Li Jian, Vice-Ministro da CAAC.

“Como acionista do Centro de Treinamento em Aviação Hua-Ou, a CAS aumentará a sua parceria com a Airbus para desenvolver ainda mais o centro e aumentar a sua capacidade de treinamento”, afirmou Li Hai, Presidente da CAS e Chairman do Centro de Apoio e Treinamento à Aviação.

“Estamos orgulhosos por termos sido escolhidos pela CAAC como base para o seu primeiro simulador. Isso comprova a sua confiança em nossa capacidade e profissionalismo. Com esse projeto, a CAAC e o centro Hua-Ou estabeleceram uma nova forma de parceria. A ampliação do centro de treinamento e a construção de novas instalações nos permitirão responder com mais eficiência às necessidades de treinamento de nossos clientes e dos operadores de aeronaves da Airbus da China”, afirmou Peter Steffen, Vice-Presidente de Atendimento ao Cliente e Operações Internas da Airbus China.

O Centro de Treinamento Hua-Ou foi inaugurado em 1997. Em abril de 2006, a China Aviation Supplies Holding Company (CAS) e a Airbus anunciaram a renovação do contrato com o Centro de Apoio e Treinamento por mais duas décadas.

Centro de Treinamento Hua-Ou - Inaugurado em 1997, o Centro de Treinamento Hua-Ou faz parte da rede mundial de treinamento da Airbus. O centro está capacitado para oferecer treinamento para tripulantes, mecânicos, engenheiros e comissários de bordo de companhias aéreas que operam aeronaves Airbus.

Desde que recebeu o primeiro grupo de pilotos para treinamento em outubro de 1997, o centro já treinou funcionários de mais de 30 companhias aéreas. Mais de 17 mil profissionais, incluindo pilotos, engenheiros de manutenção e comissários de bordo, já foram treinados no centro.

Agora, com o início da operação do novo A320 Full Flight Simulator (FFS), o Centro de Treinamento Hua-Ou passa a três simuladores de voo FFS, sendo dois para aeronaves de corredor único da Família A320 e um para a aeronave de longo alcance A330/A340. No final do ano, um novo A330/A340 Full Flight Simulator conversível da série CAE 7000 entrará em operação no centro de treinamento para substituir o atual simulador do modelo.

Os novos FFS e TFST - O novo Full Flight Simulator (FFS) e o Thales Formation Systems Trainer (TFST) para aeronaves A320 foram desenvolvidos de acordo os padrões de fabricação 1.5.0, nível D da Airbus. O FFS é baseado no sistema Thales C2000X, que utiliza tecnologia comprovada de última geração, e está equipado com motor CFM 56-5B4, em substituição ao motor IAE V2527-A5. O equipamento também possui o sistema Flight Crew Debrief e uma estação de operação Forward Facing Instructor.

O sistema de movimento utilizado é o revolucionário Thales eM2K com 6 graus de liberdade elétrica, usando transmissão e compensação de massa hidráulica, que dispensa a presença de uma unidade de energia hidráulica e da tubulação e itens relacionados, como água refrigerada. A utilização do sistema reduz cerca de 80% os custos operacionais gerados pelos sistemas de simulação de movimento hidráulicos tradicionais e consome 90% menos combustível.

Outro destaque do FFS é o sistema de projeção - o FFS possui sistema visual EP 1000CT (3), canal baseado em PC e projetores LCoS.

O TFST é um equipamento de treinamento de nível básico de aeronaves, que oferece uma simulação completa de sistemas dentro da sala de aula. O simulador reproduz precisamente todos os detalhes relacionados à operação de uma aeronave, por meio de softwares de fornecedores reconhecidos e modelos de simulação de sistemas totalmente integrados.

Fonte: Portal Fator Brasil

Greve: Passageiros da PGA foram transferidos para a TAP

A greve dos pilotos da Portugália Airlines provocou cancelamento de voos, mas os passageiros foram transferidos para a TAP.

A greve dos pilotos da PGA, Portugália Airlines, iniciada às 00:01 de hoje, provocou uma percentagem "significativa" de voos cancelados, mas os passageiros foram todos transferidos para voos da TAP, assegurou uma fonte da TAP.

"Houve alguns voos que foram realizados, mas os passageiros dos que foram cancelados, foram todos transferidos para voos da TAP", referiu hoje a fonte da TAP.

"Está tudo muito tranquilo, claro que com alguns atrasos", adiantou.

Sexta-feira, a TAP, que é detentora da totalidade do capital da PGA, anunciou que ia adoptar medidas extraordinárias para assegurar que a greve, de 24 horas, dos pilotos não afectaria o transporte dos passageiros.

"Para protecção dos passageiros", a TAP liderada por Fernando Pinto tomou algumas medidas "como substituir aviões da PGA por aparelhos da TAP" e "colocar passageiros noutros voos" da transportadora aérea nacional, referiu a fonte da TAP na sexta-feira.

A greve dos pilotos da PGA foi convocada pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC).

Os pilotos da PGA reivindicam a adopção de um Regulamento de Utilização "responsável e seguro", que inclua "tempos de repouso, folgas, férias e tempos máximos de trabalho que reduzam os riscos operacionais associados à fadiga acumulada".

De acordo com uma nota do SPAC divulgada sexta-feira, "perante a ausência de resposta da administração da PGA à proposta apresentada em Dezembro passado" os pilotos decidiram avançar com a greve, que também está pré-marcada para 04 de Abril e 13 de Junho.

A PGA conta com 150 pilotos e uma frota de 16 aviões.

Fonte: Expresso (Portugal)

Aérea Sol investe R$ 1 milhão em estruturas

No aeroporto de Cascavel (PR), seguem em ritmo acelerado as obras de construção da sede administrativa, hangar, oficinas e call center da Sol Linhas Aéreas, a mais nova empresa de aviação aérea regional do Brasil. Segundo seu presidente, Marcos Solano Vale, a estrutura, que demanda recursos da ordem de R$ 1 milhão, deve estar concluída nos próximos dias.

A exemplo das principais lideranças regionais, Marcos Solano entende que a solução definitiva para os problemas de infra-estrutura aeroportuária só virá com a construção efetiva do novo Aeroporto Regional.

“Os investimentos que estamos realizando agora, entretanto, são imprescindíveis e inadiáveis para que possamos iniciar os vôos regulares”, diz o empresário. que acaba de apresentar a nova estrutura ao prefeito Edgar Bueno, acompanhado pelo presidente da Cettrans, Jorge Lange e secretário de Obras, Paulo Gorski.

Além de efetuar o asfaltamento da área de acesso, numa extensão de dois mil metros quadrados, a Sol Linhas Aéreas está concluindo um prédio de 800 metros quadrados, que abrigará oficina de manutenção, área administrativa e operacional da empresa. O atendimento aos clientes-passageiros será realizado nas áreas públicas do aeroporto, administradas pela Cettrans.

Prefeito reafirma compromisso

Em sua visita ao canteiro de obras da Sol Linhas Aéreas, o prefeito Edgar Bueno reafirmou decisão de também investir em melhorias estruturais do atual aeroporto. Segundo ele, a pista será ampliada dos atuais 1.600 para 2.022 metros de extensão e de 30 para 45 metros de largura. A Prefeitura também construirá um novo e mais confortável terminal de embarques. “Para iniciar as obras, só dependemos de autorização das autoridades aeroportuárias”, disse o Prefeito.

Ainda durante a visita, Edgar Bueno disse que a chegada da nova empresa de transporte aéreo, liderada por empreendedores cascavelense, vai beneficiar toda a comunidade regional. “Existe uma carência muito grande a ser atendida nesta área. Temos potencial para ampliar de 6 mil para 10 mil usuários ao mês, com facilidade. Com esta empresa, todos serão beneficiados”, disse.

Primeiras rotas

A Sol Linhas Aéreas vai operar inicialmente com aeronaves turbo-hélice adquiridas junto à Let Aircraft Industries, maior indústria de aviões da República Tcheca e uma das maiores do mundo. Segundo Marcos Solano, as operações serão iniciadas, tão logo sejam concluídas as obras de infraestrutura no aeroporto de Cascavel e realizada vistoria e liberação por parte das autoridades aeronáuticas.

“Iniciaremos pela rota Cascavel-Curitiba-Foz, com três vôos diários. Na seqüência estenderemos o atendimento a outras cidades do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Mato Grosso do Sul e Paraguai”, afirma o empresário Marcos Solano Vale.

“A Sol Linhas Aéreas nasceu como uma contribuição ao desenvolvimento e integração regional. Nosso objetivo é oferecer alternativas de vôos compatíveis com a demanda, por um preço justo, com conforto, segurança e pontualidade”, resume o empresário.

Fonte: H2Foz

ABSA Cargo Airline investe no mercado doméstico

Empresa passa a dedicar uma aeronave B767-300F para atender com padrão diferenciado clientes que operam na rota São Paulo – Manaus – São Paulo.

Competitividade é a palavra de ordem em todo o mundo no momento. Na ABSA Cargo Airline, empresa de carga aérea de bandeira brasileira, atuar com maior eficácia, agregando valor aos serviços prestados para seus diferentes clientes, é um compromisso constante. Alinhada a essa determinação, a ABSA retomou, em meados do ano passado, os voos nacionais, passando, assim, a oferecer mais uma opção para as empresas usuárias desse tipo de modal no país.

A empresa passou a dedicar, exclusivamente ao segmento doméstico, uma aeronave Boeing 767-300F com capacidade para transporte de 57 toneladas de carga. As operações foram iniciadas na segunda quinzena do mês de março ligando, de terça a sábado, as cidades de São Paulo e Manaus. “A disponibilidade de uma aeronave de alto desempenho significa maiores índices de competitividade e segurança em todos os aspectos – capacidade de transporte, confiabilidade quanto à programação e cumprimento dos voos, bem como toda a qualidade já atestada nas demais rotas atendidas por uma aeronave com este desempenho”, destaca Felipe Meyer, Diretor Comercial da empresa.

A demanda no mercado interno tem se mantido aquecida nos últimos anos e com forte tendência a se expandir à medida que a economia retome seu ritmo. A rota São Paulo – Manaus – São Paulo concentra boa parte deste fluxo devido a condição geográfica da capital amazonense, quarta cidade brasileira em Produto Interno Bruto, e ao grande número de indústrias instaladas no Pólo Industrial da Manaus, a maioria voltada ao segmento eletroeletrônico, naturalmente demandante do modal aéreo.

A ABSA projeta uma movimentação de aproximadamente 20 mil toneladas na sua nova oferta de rota, a São Paulo – Manaus – São Paulo até o final de 2009. “Nossa meta é alcançar 30% de participação neste mercado no primeiro ano de operação. É a primeira vez, após anos, que os usuários deste serviço contarão com voos operados em horários fixos e adequados às suas necessidades e, melhor, utilizando uma aeronave nova, genuinamente cargueira e extremamente eficiente”, afirma Alexandre Silva, Gerente Regional de Vendas.

A empresa

A ABSA Cargo Airline está sediada no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP) e mantém filiais nos principais aeroportos do país. Em atividade desde 1995, a ABSA começou a operar voos regulares cargueiros em 2001e conta atualmente com uma equipe de cerca de 300 funcionários. A frota própria da ABSA Cargo Airline conta com dois cargueiros Boeing 767-300F, com capacidade para transportar até 57 toneladas por viagem, incluindo itens como produtos perecíveis, animais vivos e artigos controlados. Em cooperação com as suas parceiras de Aliança Estratégica, a ABSA oferece no mercado brasileiro uma extensa e variada malha de destinos em toda América Latina, Estados Unidos, América Central, Europa, Oceania e Ásia. www.absacargo.com.br

Fonte: Portal Fator Brasil

Teste de viagem

Embarcamos na rota Campinas–Curitiba–Campinas da Azul, a R$ 51 por trecho
O VOO Campinas-Curitiba-Campinas pela Azul (11/3003-2985, voeazul.com.br), com ida em 7 de fevereiro e volta em 8 de fevereiro, por R$ 137,04 (incluindo R$ 35,04 de taxas de embarque), na classe econômica.

COMPRA DO BILHETE - BOM

Foi feita pelo site da Azul, que tem navegação bastante clara. Sem motivo aparente, o cartão de crédito foi recusado na primeira tentativa e aceito na segunda. Inseguro, liguei para o call center da empresa e fui atendido imediatamente. Uma funcionária confirmou a compra e se ofereceu para marcar os assentos.

CHECK-IN - BOM

Rápido e tranquilo em Viracopos e no Afonso Pena (os dois aeroportos tinham pouco movimento).

PONTUALIDADE - BOM

O voo de ida partiu minutos depois das 14h, o horário marcado, mas pousou com quase meia hora de atraso devido ao mau tempo em Curitiba. Na volta a aeronave estava pronta para sair na hora, às 15h30, mas decolou perto de 16h - aparentemente porque teve de esperar a partida de outros aviões. Mesmo assim, pousamos em Campinas com atraso de apenas dez minutos em relação ao horário previsto.

CONFORTO - ÓTIMO

Em média, o espaço entre os assentos da classe econômica da Azul é 5 centímetros maior do que na concorrência (parece pouco, mas faz uma diferença enorme). E as fileiras só têm lugares de janela e corredor, sem o aperto da "poltrona do meio". Revestidos de couro, os assentos são muito confortáveis.

COMIDAS E BEBIDAS - REGULAR

Na porta do avião, uma gentileza: cada passageiro recebeu um copo d'água. O serviço de bordo tinha suco, água e refrigerante. Todos vieram quentes. Os passageiros ganharam um copo com gelo, mas tiveram de se virar sozinhos para despejar a bebida dentro dele - algo bem difícil no caso dos sucos, cuja embalagem devia ser espremida para que o conteúdo saísse pelo buraco do canudinho. Para comer, batata frita e biscoito wafer à vontade.

TRIPULAÇÃO - BOM

Atenciosa e simpática. Na ida e na volta, o comandante se comunicou diversas vezes com os passageiros, falando sobre o voo em tom bem mais informal do que nas outras companhias.

Por: Fábio Peixoto (Viajem Aqui) - Foto: divulgação

Copa Airlines lança tarifas internacionais de US$ 269 a partir de Manaus

Passageiros têm tarifas mais baratas para dez destinos da América do Sul.

A Copa Airlines traz mais uma vantagem para os viajantes de Manaus: tarifas mais baratas para dez cidades da América do Sul (Lima, Santa Cruz de la Sierra, Quito, Guayaquil, Bogotá, Medellín, Cali, Cartagena, Barranquilla e San Andrés). Os bilhetes em classe econômica para esses destinos custam a partir de US$ 269 (ida e volta), e ainda podem ser parcelados em até cinco vezes sem juros no cartão de crédito.

Quatro vezes por semana (às segundas, quartas e quintas-feiras e domingos), os aviões decolam do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, com saídas sempre às 17h. Todas as frequências têm conexão imediata na Cidade do Panamá, centro geográfico das Américas, com uma vantagem adicional - o passageiro não precisa passar pela fila de imigração nem pela alfândega, além de ter a bagagem despachada até o destino final.

A promoção vale para compras até 23 de abril e viagens realizadas até 30 de junho, para permanência máxima de 60 dias, e está sujeita a alterações sem aviso prévio.

A Copa Airlines opera estas freqüências com aeronaves Embraer 190AR, cuja capacidade é de 94 passageiros - 10 na classe executiva e 84 na econômica. www.copaair.com ou ligue 0800-771-2672.

Fonte: Portal Fator Brasil

Nave russa com nova tripulação e turista espacial se acopla à ISS

A nave "Soyuz TMA-14", que leva a bordo a nova tripulação permanente da Estação Espacial Internacional (ISS) e o magnata da informática Charles Simonyi, que faz turismo espacial, se acoplou hoje com sucesso à plataforma orbital.

A nave se acoplou às 16h05 (10h05 de Brasília) em regime manual e aproximadamente dentro de uma hora e meia os astronautas abrirão a escotilha e passarão ao laboratório orbital, informou o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.

Ali, serão recebidos pela tripulação que deixa o complexo espacial, formada pelo russo Yuri Lonchakov, o americano Michael Fincke e o astronauta japonês Koichi Wakata, que chegou há poucos dias a bordo da nave americana "Discovery".

A "Soyuz" não conseguiu se acoplar em regime automático, como é habitual, após uma falha no sistema. Por isso, o CCVE ordenou, a partir da Terra, ao comandante da nave, o astronauta russo Gennady Padalka, que fizesse a operação manualmente.

"A decisão foi tomada quando faltavam menos de 100 metros até a ISS. O sistema automático deu um sinal de intermitência em um dos motores da nave", afirmou Vitaly Lopota, chefe da corporação Energia, que fabrica as naves "Soyuz", segundo a agência oficial "Itar-Tass".

Em seguida, "quando o comandante, Padalka, estimou que os motores trabalhavam com normalidade, decidimos não permitir um maior deslocamento da nave e demos permissão para a manobra manual".

"Tudo correu de maneira fluente, não houve uma situação de descontrole" na direção da nave.

Os novos tripulantes da 19ª expedição são Padalka, Simonyi, que faz sua segunda viagem à ISS e permanecerá dez dias na estação, e o astronauta americano Michael Barratt.

Simonyi, que pagou US$ 35 milhões pela passagem ao espaço, voltará à Terra em 7 de abril a bordo da "Soyuz TMA-13" junto à tripulação que deixa a plataforma, integrada pelo russo Yuri Lonchakov e o americano Michael Fincke.

Em sua estadia na plataforma orbital, o turista espacial, que viajou à ISS em abril de 2007, deve fazer uma série de experiências científicas, entre elas a de medir a contaminação radioativa da estação espacial através de um dosímetro.

Os resultados das pesquisas do turista servirão para melhorar os sistemas de defesa da Estação frente à radiação cósmica.

Além disso, entre as experiências encomendadas pelas agências espaciais europeia e russa, Simonyi estudará os efeitos dos voos espaciais sobre a osteoporose e as dores de costas.

Padalka, Barratt e Wakata ficarão mais seis meses no espaço, o primeiro deles como comandante da plataforma, enquanto seu colega da Nasa (agência espacial americana) atuará como engenheiro da bordo.

Durante a missão, a nova tripulação da ISS fará duas caminhadas, segundo o programa russo, receberá dois cargueiros "Progress" e outras naves pilotadas "Soyuz" e ônibus espaciais, assim como o primeiro aparelho de carga japonês HTV, e realizará 43 experiências científicas.

Aos três integrantes da expedição número 19 se somarão, em maio, outros três astronautas para formar a primeira tripulação ampliada de seis pessoas, o que coloca fim, ao menos por enquanto, à presença de turistas espaciais na plataforma orbital.

Além disso, as naves "Soyuz" serão o único veículo de rodízio de tripulação da ISS depois que as naves americanas foram retiradas de serviço, em 2010.

Fonte: EFE via G1

Atenção a episódios de risco

AERÓDROMOS, AEROCLUBES E AEROPORTOS

Ações implementadas para o controle de entrada e saída de pessoas é uma forma de reduzir situações de risco

O episódio registrado em Goiânia (GO), quando um jovem seqüestrou um avião e levou sua filha de cinco anos para o vôo da morte, ameaçando também a população da cidade, foi uma fatalidade extrema. No entanto, evidencia a necessidade de buscar formas para garantir a segurança de aeroclubes, aeródromos e aeroportos de pequeno porte, uma vez que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) executa com rigor as estratégias nos grandes e médios aeroportos. O fato é que a existência do chamado “elemento surpresa” pode desestruturar ações voltadas para eventos previsíveis, alarmando a necessidade de mais rigor e atenção em episódios ilegais e de risco.

Antigo Pinto Martins: do Terminal de Aviação Geral de Fortaleza, no bairro Vila União, sai grande parte dos vôos de aviação geral, executiva e táxi aéreo. Lá, acesso à área onde ficam estacionados os aviões é restrito (Foto: Adriana Pimentel)

O ex-diretor da Anac e do Departamento de Aviação Civil (DAC), brigadeiro Allemander J. Pereira Filho, disse que o episódio de Goiânia é triste, mas serve como um alerta. Para ele, existe dificuldade de se implementar processos relacionados à proteção da aviação civil contra atos ilícitos nos quase 2.000 pequenos aeroportos e aeródromos públicos e privados espalhados pelo País, onde operam aeronaves leves e da aviação em geral, em táxi-aéreo, vôos privados e de instrução.

Apesar de toda essa preocupação, pelo menos em Fortaleza, os responsáveis por aeródromos privados, aeroclubes e aeroportos menores destacam que as estratégias de segurança que vêm sendo aplicadas são suficientes para barrar a ocorrência de situações que possam ser causadas por pessoas estranhas aos locais.

Do Terminal de Aviação Geral de Fortaleza, instalado no antigo aeroporto, no bairro Vila União, que opera com aviação de pequeno porte, saem grande parte dos vôos de aviação geral, executiva e táxi aéreo. Apesar da pouca movimentação de pessoas e da reduzida presença de barreiras de segurança visíveis, a reportagem observou que é muito difícil uma pessoa que não seja encaminhada pelas empresas que operam no terminal ser levada até a área do pátio onde ficam estacionados os aviões.

Em fase inicial, programa observou muitos pilotos sem habilitação para o tipo de aeronave (Foto: Silvana Tarelho)

Mesmo com o portão de embarque aberto, as portas que dão acesso à área de aeronaves são cegas e ficam permanentemente fechadas, a não ser que sejam abertas por funcionários. Lá, geralmente os passageiros embarcados nos vôos particulares são encaminhados e levados aos aviões pelas próprias empresas. Um funcionário, que não quis se identificar, disse que é praticamente impossível que uma pessoa que não seja levada pelas empresas que operam no terminal ou que tenha passado por cadastro prévio tenha acesso de forma indiscriminada à área das aeronaves.

A informação foi confirmada pelo sócio-gerente da Easy-Air, Disraeli Ponte. “O táxi-aéreo se responsabiliza pelo passageiro que embarca. Até mesmo o piloto só tem acesso à área dos aviões após passar por cadastro”, explica. Além disso, Ponte ressalta que as portas dos aviões são trancadas com cadeados e que até chegar a aeronave, o passageiro é acompanhado por um funcionário da empresa. “Trata-se de uma área de risco pelo pouso e decolagem. Por isso a necessidade das normas de segurança serem executadas”, considera.

No Aeródromo Feijó, que fica no Siqueira e atua na formação de pilotos esportistas, a entrada de pessoas também é limitada. Conforme Socorro Feijó, presidente do Aerofeijó, como é conhecido, somente os proprietários dos aviões têm acesso aos hangares. “Dentro da área da pista e dos hangares, apenas os pilotos e proprietários dos aviões entram. Por sermos privados, não é possível um visitante chegar lá e ter acesso a um avião”, disse, destacando que há controle dos vôos, horários de decolagem e aterrissagem, além dos pilotos e passageiros embarcados.

Outro espaço privado é o Clube de Aviação Desportiva Catuleve, em Aquiraz. O presidente, Ari Josino, destaca que lá nunca aconteceu situação perigosa causada por terceiros. “As regras de segurança são muito bem definidas”.

FIQUE POR DENTRO
Matéria denunciou falta de estrutura física ideal

No Ceará, existem, de acordo com o Departamento de Edificações e Rodovias (DER), 69 aeroportos e aeródromos cadastrados, dos quais 21 têm a situação física comprometida. O problema foi denunciado em matéria do caderno regional , do Diário do Nordeste, em 26 de maio do ano passado. Esses equipamentos são pistas de pouso administradas pelos próprios municípios e que geralmente não têm vigias ou torres de comando. Os aeródromos do Interior do Estado, conforme o presidente do Aeroclube do Ceará, comandante Amaury Costa, nunca têm aeronaves estacionadas e, geralmente, são ponto de pouso e partida, não representam risco quanto ao apoderamento de aeronaves.

A reportagem apurou junto a pilotos que o pouso nesses locais é feito sem o auxílio de qualquer instrumento, como rádios, mas que a aterrissagem conta principalmente com a habilidade do piloto.

DECOLAGEM CERTA
Projeto detecta pilotos irregulares

Um programa que permite verificar, no momento da liberação do plano de vôo, toda a documentação obrigatória para pilotos e aeronaves, a fim de garantir a segurança do vôo. Trata-se do inédito Programa Decolagem Certa, já iniciado em fase experimental, desde abril de 2008, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nos Aeroportos de Congonhas, Guarulhos e no Campo de Marte, que respondem por cerca de 50% do tráfego aéreo nacional da Aviação Geral e táxi-aéreo, e também nos aeroportos de Salvador (BA), Recife (PE) e Fortaleza (CE).

Dados fornecidos pela Anac, relativos à sua Gerência Regional nos estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Sergipe, de abril de 2008 a janeiro último, mostram que o programa, mesmo em fase experimental, conseguiu observar várias situações irregulares. Entre as de maior ocorrência nesses estados nordestinos, estão pilotos sem habilitação para o tipo de aeronave, pilotos com habilitação e certificado de capacidade física vencidos, além de aeronave com inspeção de manutenção vencida.

A previsão da Anac é implantar o programa em âmbito nacional nos aeroportos públicos a partir de maio e a assessoria de imprensa do órgão destaca que o programa não tem qualquer ligação com o episódio de Goiânia. Com o Decolagem Certa, a verificação de todos os documentos obrigatórios será feita na sala de Serviço de Informação Aeronáutica no momento em que o comandante da aeronave entregar o plano de vôo com a rota pretendida. Ao incluir o plano de vôo no sistema informatizado da Aeronáutica, o operador do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) digitará a matrícula da aeronave e o número do Certificado de Habilitação Técnica (CHT) do piloto.

Em poucos segundos, será mostrado na tela do computador se toda a documentação está válida e de acordo com as regras da Anac. Caso contrário, para manter a segurança, o comandante será informado e orientado a regularizar a situação junto à Anac. Antes da implantação do programa, a checagem desses documentos era feita por amostragem em ações de fiscalização.

A verificação de documentos obrigatórios é essencial para a segurança de vôo. Para que um avião ou helicóptero estejam aptos a voar, é necessário que a aeronave esteja em dia com o Certificado de Aeronavegabilidade, que tenha feito a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) nos últimos 12 meses, e que tenha o seguro aeronáutico em dia e a matrícula autorizada pela Anac, entre outros.

NOVA SEDE
Aeroclube do Ceará poderá ser em Caucaia ou no Eusébio

Depois de ceder espaço para construção do antigo e novo Aeroporto Pinto Martins, o Aeroclube do Ceará, instituição que existe desde 1929 e é a principal escola de formação de profissionais da aviação civil no Norte e Nordeste do País, terá uma nova sede. O local, ainda passando por estudos de impacto ambiental, poderá ser no Eusébio, próximo à BR-116, ou em Caucaia, na altura do quilômetro 10 da BR-020, ambos na Região Metropolitana de Fortaleza. A informação é do presidente do Aeroclube, comandante Amaury Costa.

“Com a construção do Aeroporto Internacional, o Aeroclube cedeu uma área e o Governo do Estado se comprometeu a relocalizá-lo em outra”, disse Amaury Costa. O Aeroclube ainda opera na pista do Aeroporto Internacional Pinto Martins e isso causa uma certa limitação às atividades realizadas, conforme ele. “O Aeroclube é a principal escola de formação de pilotos, comissários de vôo e mecânicos de aviões da aviação civil. Só em 2008, formamos mais de 600 profissionais”, explica.

O presidente do Aeroclube, destaca, entretanto, que só após as análises dos estudos de impacto ambiental é que será possível definir onde será o novo aeroclube. “Será certamente um aeródromo alternativo para Fortaleza”, disse. Além da formação de profissionais, o Aeroclube também realiza vôos panorâmicos em Fortaleza, levando até três pessoas, por cerca de R$ 100,00, cada.

NORMAS DE SEGURANÇA
Agência Nacional faz inspeções periódicas


Conforme informações repassadas pela assessoria de imprensa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o administrador de cada aeródromo é o responsável primário por manter a segurança e cabe ao órgão fiscalizar se os requisitos são cumpridos. Todos os aeroportos e aeroclubes nacionais, os grandes e os pequenos, os instalados nas capitais e grandes cidades e os do Interior são fiscalizados, segundo a Anac.

A nota diz que existe um programa de inspeção anual realizado pela Anac em todos os aeroportos e aeródromos e as exigências variam de acordo com as características e tamanho de cada um. Nessas inspeções, são avaliados vários itens, como condições de pista, sinalização, equipamentos de combate a incêndio, entre outros.

Quanto ao controle de acesso às áreas restritas – também inspecionados pela Anac– os aeroportos com aviação regular que operam com aeronaves com mais de 60 assentos precisam ter detector de metal e Raio X, conforme o órgão. Já os aeródromos menores – como os aeroclubes – precisam ter algum tipo de controle de acesso, que , de acordo com a agência, pode ser vigilância armada, ou algum tipo de registro dos freqüentadores, ou um portão de acesso exclusivo.

Segundo a nota, cabe ao administrador decidir qual o tipo de controle irá adotar, mas é preciso ter algum. Informa também que essas normas estão de acordo com regras internacionais preconizadas pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI).

No caso de Luziânia, conforme a asessoria de imprensa, a Anac enviou inspetores ao aeroclube e abriu um processo administrativo para averiguar se as normas de segurança foram descumpridas.

A Anac informou também que as regras de segurança são padronizadas mundialmente pela OACI, da qual o Brasil faz parte. O País adotou um Plano Nacional de Segurança Aérea com várias medidas para impedir atos ilícitos, que, por questões de segurança, não podem ser divulgadas.

HISTÓRIA

- Dois episódios de seqüestro de aviões para Cuba envolvendo cearenses já aconteceram no Brasil

- Em 29 de novembro de 1969, o cearense Cláudio Alencar Cunha seqüestrou um avião da Cruzeiro do Sul para viver na ilha de Fidel Castro. Sem ligação com partidos políticos, passou vários dias preso sob investigação do governo cubano que desconfiava de seu envolvimento com a CIA.

- Na noite de 3 de fevereiro de 1984, três jovens cearenses seqüestraram o airbus 300 da Varig-Cruzeiro do Sul, de prefixo PP-CLB. O avião fazia a rota Fortaleza/ São Luis/ Belém/ Manaus e foi seqüestrado a partir de São Luís para Cuba, com 158 passageiros a bordo.

Fonte: Paola Vasconcelos (Diário do Nordeste)

Voluntários ficarão presos três meses em experimento para viagem a Marte

Seis voluntários vão viver em contêineres de metal em Moscou

A partir da próxima terça-feira seis voluntários vão ser trancados por três meses em contêiners de metal em Moscou, na Rússia, em uma experiência preparatória para eventuais viagens espaciais para Marte.

Uma das preocupações das futuras missões é se certificar que os astronautas conseguem suportar longos períodos de confinamento já que, com a tecnologia de hoje, uma viagem para Marte, ida e volta, levaria cerca de 2 anos.

Cerca de seis mil voluntários de 40 países tentaram uma das seis vagas do experimento Mars 500, que paga cerca de US$ 6,5 mil (cerca de R$ 14.750) por mês a cada um.

Mas, apesar da boa remuneração, de acordo com Sergei Ryazansky, o comandante do experimento, estes três meses "não vão ser divertidos".

Pouco conforto

Os voluntários vão ficar com sensores eletrônicos atrelados ao corpo todo o tempo, sem comunicação com o mundo exterior e comendo comida de bebê congelada e barras de cereais.

A experiência vai analisar as dificuldades psicológicas do isolamento prolongado.

Entre os voluntários de Rússia, Alemanha e França estão militares e pilotos de avião.

Cada um pode levar uma pequena mala com objetos pessoais, livros e DVDs, mas de forma geral, os aposentos são extremamente funcionais, sem janelas, apertados e pouco ventilados.

Os poucos objetos de conforto incluem uma TV, uma chaleira e uma geladeira.

Eles vão trabalhar dez horas por dia, conduzindo experimentos científicos e garantindo o bom funcionamento das máquinas.

Projeto maior

"Você tem que lidar com o ambiente", diz o voluntário francês Cyrille Fournier.

Os voluntários podem deixar o experimento a qualquer momento que desejem, mas vão ser desestimulados a fazê-lo, já que uma desistência pode pôr em risco o projeto.

"Todo integrante entende que a meta é chegar ao final", diz Sergei Ryazansky.

Se o projeto for bem-sucedido, no ano que vem deve ter início outra experiência similar, mas desta vez os voluntários devem ficar trancados por um tempo maior, 520 dias.

Fonte: BBC Brasil

Portugal: F-16 caiu por causa de falha em software

Sistemas de controle de voo com problemas de software

Um problema no software dos sistemas de controle de voo esteve na origem da queda do F-16 das Forças Armadas Portuguesas no pinhal de Leiria, no passado dia 28 de Janeiro, conclui a Lockheed, fabricante dos caças, segundo noticia o Diário de Notícias.

O relatório final não está ainda finalizado.

O piloto do avião, João Pereira, ejectou-se antes da queda, não tendo sofrido qualquer problema. Não houve danos.

Fonte: TVi 24 (Portugal)

Anac diz que não punirá empresa americana cujo avião deixou cair turbina sobre Manaus

A Agência Nacional de Aviação (Anac) informou que não vai punir a empresa americana Arrow Cargo, empresa dona do avião cuja turbina despencou quinta-feira em Manaus, por ter deixado de registrar que transportava mercadoria em território brasileiro. A empresa, segundo a Anac, será somente advertida por não ter feito o registro do manifesto de carga. Três minutos após a decolagem, com destino à Colômbia, parte da turbina pesando 250 quilos caiu, destruindo 20 casas.

A agência informou que a Arrow Cargo tem credenciamento para transportar carga em território brasileiro desde 2002 e vem renovando o certificado de credenciamento periodicamente. Em nota, a Aeronáutica havia afirmado anteontem que o avião da Arrow Cargo não tinha autorização para transportar cargas em território brasileiro. Mas a Anac disse que a FAB referia-se apenas à falta do registro de manifesto no dia do incidente.

A prefeitura de Manaus informou que vai elaborar um relatório com os prejuízos. O levantamento será entregue à Arrow Cargo até segunda-feira. Quem dirá quanto será pago a cada família é a própria empresa.

Fonte: O Globo

Curitiba recebe réplica de avião de Santos Dumont no aniversário

A “libélula”, apelido dado por Santos Dumont ao projeto, marca comemorações do 316ª aniversário da capital paranaense

No dia de seu aniversário (29), a cidade de Curitiba ganhará uma homenagem especial. Uma réplica do Demoiselle, avião projetado por Santos Dumont após o voo do 14 Bis, estará disponível para visitação no bairro Ecoville. Única no mundo confeccionada com os mesmos materiais utilizados pelo aviador e que conseguiu levantar voo, a réplica estará em exposição por um período inicial de quatro semanas, em frente ao plantão de vendas do Edifício Santos Dumont, da Construtora Hugo Peretti. A visitação será aberta ao público diariamente, das 9h às 17h, com entrada franca.

A réplica do Demoiselle foi construída na ocasião da comemoração dos 100 anos do primeiro voo original, realizado em Paris por Santos Dumont, em 1907. O piloto e instrutor de voo paranaense Fábio Almeida, hoje com 42 anos, foi o responsável pela execução do projeto, feito em seda japonesa, bambu, cordas de piano e uma estrutura metálica, tal como foi o Demoiselle de Dumont. Durante três anos, Almeida dedicou-se a este projeto sem saber qual seria o resultado final e se o objetivo – de colocar o Demoiselle para voar novamente – seria alcançado.

“A expectativa para saber se ele voaria era grande. Muitos outros admiradores de Dumont já desenvolveram este projeto, mas sempre usando materiais alternativos ou mudando o posicionamento de alguns componentes para que a máquina voasse, inclusive franceses e alemães. Acredito que somente um brasileiro seria capaz de fazer o Demoiselle voar novamente, e foi o que aconteceu”, conta o entusiasta e idealizador do projeto. Ele afirma, ainda, que os aviões projetados hoje usam exatamente os mesmos princípios idealizados por Dumont - há mais de 100 anos - na concepção do Demoiselle quanto ao posicionamento de suas partes, como motor e asas. Este foi o primeiro avião capaz de fazer manobras e apresentava as características do que hoje conhecemos como ultraleve.

Esta réplica tem sete metros de comprimento, seis de largura – asa – e três metros de altura. Segundo Almeida, o motor de 35 HP corresponde à potência de um carro 1.0, permitindo que uma pessoa embarque e voe na réplica, que já tem duas horas de voo acumuladas. O projeto de Santos Dumont não foi patenteado, sendo disponibilizado para o mundo todo, pois a intenção do aviador era a de divulgar largamente suas ideias, para que todos pudessem construir e aprimorar o seu modelo, construindo assim a história da aviação. Hoje, seus projetos estão disponibilizados para acesso livre na Internet.

SERVIÇO:

Exposição da Réplica do Avião Demoiselle, de Santos Dumont

Edifício Santos Dumont

DATA: De 29 de março a 29 de abril

Horário: Diariamente, das 9h às 17h. Entrada Franca.

Endereço: Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 2.579 – Ecoville – em frente ao plantão de vendas do edifício Santos Dumont.

Telefone: (41) 3285-8586

Fonte: Bem Paraná - Foto: Divulgação

Gol e TAM fazem promoções para o fim de semana

Promoções à vista para quem estiver planejando viajar nas próximas semanas. TAM e Gol estão com ofertas de ocasião para quem fizer sua compra até domingo, e, no caso da Gol, para viagens até meados de maio. As ofertas inlcuem, além de destinos no Brasil, passagem para Buenos Aires.

A TAM, que obteve na última quarta-feira autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para ampliar sua oferta de destinos a partir do aeroporto Santos Dumont, no Rio, vai começar no dia 17 de abril, a operar vôos diários de lá para Recife e Salvador. A companhia já está vendendo bilhetes para os dois destinos, com tarifas promocionais. Para o voo Rio-Recife, partindo do Santos Dumont, o bilhetes sai a R$ 379 (ida e volta). Já para a viagem do Rio a Salvador (pelo Santos Dumont), a venda de bilhetes começa neste sábado, com tarifas a partir de R$ 279 (ida e volta).

A tarifa promocional para os dois destinos exige que a compra do bilhete de ida e volta seja feita com 14 dias de antecedência da data de início da viagem e permanência de no mínimo três noites no destino. As tarifas promocionais são válidas até domingo, dia 29. A partir desta data, os bilhetes poderão sofrer alteração de preços. A compra pode ser feita no site da TAM

A Gol promove neste fim de semana um 'Feirão de Passagens', promoção com a venda de bilhetes que podem ser parcelados em até 12 vezes nos cartões de crédito, com parcela mínima de R$ 35. De acordo com a companhia, as tarifas oferecidas são as mesmas cobradas por empresas de ônibus. O trecho São Paulo-Curitiba, por exemplo, está sendo vendido a partir de R$ 79, enquanto a ligação Rio-Porto Alegre sai a R$ 149.

O bilhete para o voo entre São Paulo e Buenos Aires é vendido a partir de R$ 179 por pessoa. Já o trecho São Paulo-Salvador está sendo oferecido por a partir de R$ 189. A ligação Brasília-Fortaleza é vendida a partir de R$ 199. A promoção é válida para compra de bilhetes das 19h30m desta sexta-feira até as 6h da segunda-feira. O cliente poderá voar do dia 31 de março a 14 de maio de 2009 para os 800 voos operados pela companhia. Os bilhetes podem ser comprados no site da Gol (www.voegol.com.br), pela central telefônica ou agencias de viagem credenciadas.

Fonte: Érica Ribeiro (O Globo)

Astronautas dos EUA estão prontos para voltar à Terra

Discovery se prepara para voltar à Terra hoje

Com sua missão quase completa, os astronautas do ônibus espacial Discovery verificaram ontem os sistemas de voo da nave para assegurar um retorno seguro à Terra. O Discovery e seus sete tripulantes devem chegar na tarde de hoje, encerrando uma missão de duas semanas que instalou um novo conjunto de painéis solares na estação espacial internacional. A expectativa é de tempo bom durante a aterrissagem.

"Nós manteremos nossos dedos cruzados", disse o comandante da aeronave, Lee Archambault. Os astronautas fizeram a verificação de acordo com uma lista de pré-aterrissagem. O Discovery teve de deixar a estação espacial na quarta-feira para que a nave russa Soyuz possa atracar hoje. A Soyuz leva uma nova tripulação para a estação espacial.

Eles também disseram "aloha" aos estudantes de uma escola em Honolulu, onde o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estudou 30 anos atrás. O astronauta Richard Arnold II, um ex-professor, disse aos estudantes que era gratificante ver a estação espacial depois de todo o trabalho. "Nós vimos os painéis solares que instalamos se abrindo." O astronauta John Phillips acrescentou: "Estamos todos muito orgulhosos por trazer energia extra para a estação".

A nova carga de energia na estação é necessária para a realização de experimentos científicos que devem ser realizados assim que a tripulação local dobrar de três para seis astronautas, o que deve acontecer na primavera (boreal). Um novo tripulante foi levado pelo Discovery, um astronauta japonês que substituiu Sandra Magnus. Ela volta para casa depois de quatro meses e meio em órbita.

Teste

Durante a reentrada, o Discovery vai testar uma placa térmica que propositadamente apresenta um defeito. A placa tem uma protuberância. A Agência Espacial Norte-americana (Nasa, na sigla em inglês) quer medir a quantidade de perturbação no fluxo de ar hipersônico sobre a protuberância de um quarto de polegada e determinar a quantidade de aquecimento. A placa experimental, colocada sob a asa esquerda, será exposta a uma temperatura de quase 1.649ºC durante a descida.

Segundo a Nasa, as placas nesta área têm espessura de 7,6 centímetros e a agência não está preocupada sobre possíveis danos na fuselagem. Um problema na asa esquerda provocou a destruição do ônibus espacial Columbia em 2003 e a morte de todos os sete astronautas. Um avião da Aeronáutica vai voar por baixo do Discovery quando o ônibus espacial estiver se dirigindo para o Golfo do México, a caminho da Flórida, e irá monitorar o calor na traseira da nave com uma câmera infravermelha. Este novo tipo de placa foi desenvolvido como um possível melhoramento para ônibus espaciais, que devem ser aposentados até o final do ano que vem.

Fontes: AP / Agência Estado - Foto: NASA

TAM compartilha voo com Lufthansa

A TAM informou ontem que domingo (29) vai entrar em operação um novo voo compartilhado entre a empresa e a Lufthansa. Os passageiros da companhia alemã vindos da Europa terão mais comodidade nas suas conexões em São Paulo/Guarulhos com destino a Santiago, Chile, trecho que irão voar pela TAM.

Além disso, de acordo com a empresa, está em andamento um acordo com a Swiss, companhia do grupo Lufthansa, também para o voo da TAM de São Paulo para santiago, que vai servir passageiros de Zurique. Esta operação ainda não há previsão de data para entrar em vigor.

Em comunicado, Castello Branco, vice- presidente comercial e de planejamento da TAM, afirmou que este acordo atesta a excelência em serviços que norteia a condução do negócio da TAM.

Fonte: InvestNews

F-16 intercepta avião com suspeita de tráfico de droga em Portugal

Um caça F16 da Força Aérea Portuguesa obrigou hoje uma avioneta a aterrar no aeródromo da Praia Verde, no Algarve, por suspeita de tráfico de droga.

Após a aterragem na pista de terra batida com 730 metros de comprimento, o piloto do avião ligeiro pôs-se em fuga, o que precipitou a operação de caça ao homem na freguesia de São Bartolomeu, perto de Monte Gordo, no concelho de Vila Real de Santo António.

A avioneta foi interceptada por suspeita de transportar droga proveniente da costa do norte de África.

O aparelho tinha levantado voo algures na costa norte-africana e a sua trajectória estava a ser seguida por um F16 da esquadra de Monte Real, Leiria, depois de ter sido recebido um alerta do sistema de defesa aéreo de Espanha.

Contactado pela Renascença, o Tenente Coronel António Seabra, da Força Aérea, explica que a aeronave não tinha plano de voo e que tinha origem do norte de África.

Este responsável das relações públicas da Força Aérea explica que os procedimentos neste tipo de casos passam por “avisar de imediato as autoridades policiais, que depois fazem o acompanhamento no terreno”.

Fonte: Gastão Costa Nunes (Rádio Renascença)

Radar AESA para o caça Gripen NG

Saab e SELEX Galileo cooperam no desenvolvimento de um radar de varredura eletrônica ativa (AESA) para o programa do Gripen NG.


O radar AESA APG-79

As duas empresas assinaram um documento delineando os termos do futuro contrato de parceria.

O contrato, que inicialmente visa o programa do caça brasileiro, representa o começo de uma colaboração a longo prazo entre duas unidades de negócio da Saab – Saab Aerosystems e Saab Microwave Systems – e a SELEX Galileo.

O Gripen NG é uma versão muito mais avançada do caça multiemprego Gripen C/D, já comprovado em serviço. Projetado para combater no ambiente bélico centrado em rede do Século XXI, o Gripen com seu desenho flexível e modular é o objeto da integração de contínuos avanços e aperfeiçoamentos, ambos de baixo risco e economicamente eficientes.

O programa do Gripen NG abrange o desenvolvimento de todos os principais sensores e aviônicos, incluindo comunicações de dados, sistemas de autoproteção, integração de armas, além de aperfeiçoamentos na estrutura do avião e no sistema de propulsão.

O radar AESA, desenvolvido em conjunto, se baseará no radar Vixen AESA da SELEX Galileo, utilizando funcionalidades do programa Vixen, no PS-05/A e em outros programas das duas empresas.

A Saab atende ao mercado global com produtos, serviços e soluções de classe mundial, abrangendo defesa militar e segurança civil. A Saab mantém operações e funcionários em todos os continentes e constantemente desenvolve, adota e aprimora novas tecnologias para atender à evolução das necessidades de seus clientes.

A Saab atende ao mercado global, oferecendo soluções, produtos e serviços de classe mundial, nas áreas de defesa militar e segurança civil. A Saab mantém operações e funcionários em todos os continentes e constantemente desenvolve, adota e aperfeiçoa novas tecnologias, atendendo às diferentes necessidades de seus clientes.

Fonte: Portal Fator Brasil - Foto: defenseindustrydaily.com

Empresa chinesa arrenda aeronave para 122 pessoas

A chinesa Chongqing Airlines recebeu a primeira das três aeronaves A319 adquiridas por meio de um contrato de arrendamento com a ILFC, em uma cerimônia de entrega realizada em Hamburgo, na Alemanha.

A aeronave acomodará 122 passageiros em uma configuração de duas classes, dos quais 8 em poltronas de primeira classe. A empresa, que está localizada em Chongqing, no centro de região sudeste da China, a mais populosa do país, planeja operar a aeronave A319 em voos para os destinos turísticos mais populares da região.

A Chongqing Airlines foi fundada em outubro de 2007, juntamente com a China Southern Airlines e a Chongqing International Invest Co. Atualmente, a empresa opera quatro aeronaves A320. De março a maio de 2009, a empresa receberá três novas aeronaves A319 arrendadas. A nova aeronave ajudará a Chongqing Airlines a ampliar a sua rede e inaugurar novas rotas no país.

Fonte: InvestNews

Aeroporto de Rio Branco perde título de internacional

Uma Resolução baixada no dia 20 de março deste ano pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) excluiu o aeroporto de Rio Branco do rol dos aeroportos internacionais do Brasil. A diretora-presidente da ANAC, Solange Vieira Paiva foi quem assinou o documento, publicado no Diário Oficial da União sob o número 54, S/1, P.8.

Um dos principais motivos da decisão tomada pela ANAC, segundo informou um funcionário da Infraero que pediu para não ter a indenidade revelada, seria as péssimas condições da pista de pouso do aeroporto, que não oferece condições para que aeronaves como as da Gol com 187 passageiros, e da TAM para 174 passageiros, operem em segurança.

O aeroporto de Rio Branco tem uma importância econômica e social muito grande para a população acriana. Somente no ano passado cerca de 300 mil pessoas viajaram em aeronaves que fazem pouso em sua pista

Apesar de nunca ter oficializado as ameaças de mandar fechar o aeroporto, a ANAC mandou suspender a venda e a marcação de passagens em novembro do ano passado. “Esse aeroporto não em condições nenhuma de funcionar, imagine de ter título de internacional”, revela o funcionário que pede mais uma vez a preservação da sua identidade.

O superintendente da Infraero no Acre, Jailson Mendes de Araújo não foi encontrado para falar sobre a decisão da ANAC.

Abaixo a Resolução baixada pela Agência Nacional de Aviação Civil.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL
RESOLUÇÃO Nº 76, DE 17 DE MARÇO DE 2009.


Exclui o Aeroporto de Rio Branco do rol dos aeroportos internacionais do Brasil.

A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no uso das competências que lhe conferem os arts. 8º, inciso XXI, e 11, inciso V, da Lei nº 11.182, de 27 de setembro de 2005, 4º, inciso XXI, e 24, inciso VIII, do Anexo I do Decreto nº 5.731, de 20 de março de 2006, e 9º, inciso VIII, do Regimento Interno aprovado pela Resolução nº 71, de 23 de janeiro de 2009, considerando o disposto nos arts. 22, parágrafo único, da Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986, e 5º c/c 8º, § 2º, da mencionada Lei n 11.182, e tendo em vista o deliberado na Reunião de Diretoria de 17 de março de 2009,

RESOLVE:

Art. 1º Excluir, do rol dos aeroportos internacionais do Brasil, o Aeroporto de Rio Branco (AC), identificado junto à Organização de Aviação Civil Internacional - OACI pelo código SBRB.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

SOLANGE PAIVA VIEIRA
Diretora-Presidente

Fonte: Ac 24 horas - Foto: www.daniduarte.com

Conselho Internacional dos Aeroportos inaugura escritório regional em SP

O escritório regional para América Latina e Caribe do Conselho Internacional dos Aeroportos (ACI-LAC) será inaugurado às 11 horas desta segunda-feira, dia 30, no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos. A Infraero foi uma das empresas fundadoras da associação, considerada “a Voz dos Aeroportos”, em 1990.

Antes de Guarulhos, o escritório da ACI-LAC foi localizado em Caracas (de 1990 a 2003), na Venezuela, e na cidade de Mérida (de 2003 a 2008), no México, última localidade.

O presidente da Infraero, Cleonilson Nicácio, o diretor de Engenharia da empresa, Paulo Sérgio Ramos Pinto, e o presidente da ACI-LAC, Miguel Southwell, já confirmaram presença no evento.

Também foram convidados o ministro da Defesa, Nelson Jobim, o secretário de Aviação Civil do Ministério da Defesa, Jorge Godinho, a presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Vieira, e o presidente da ACI mundial, Jim Cherry.

Fonte: Brasilturis

sexta-feira, 27 de março de 2009

Morre piloto de caça americano que caiu na Califórnia

O piloto do caça americano F-22 Raptor que caiu no deserto de Mojave, na Califórnia, foi declarado morto no hospital da localidade de Victorville, informou ontem a imprensa.

O acidente, cujas causas ainda não foram determinadas, aconteceu ontem, por volta das 10h (14h de Brasília), a cerca de 50 quilômetros da base Edwards, que a Força Aérea americana mantém no sul da Califórnia.

O piloto, de 49 anos, identificado como David Cooley e com mais de duas décadas de experiência na Aeronáutica, estava internado no hospital Victor Valley Community, em Victorville.

Segundo as autoridades militares, o avião partiu da base Edwards numa missão de treino.

"Uma aeronave que voa de Edwards o faz para avaliar sua estrutura, sua propulsão, sua aviônica e a eletrônica de combate, tudo com o objetivo de assegurar a adequação dos sistemas de armas às suas missões", disse o porta-voz da Força Aérea, Vince King.

Em 2004, um caça F-22 caiu na base aérea de Nellis, no estado de Nevada, desencadeando a revisão de todos estes modelos num prazo de duas semanas.

A investigação aberta na ocasião não encontrou indícios de problemas no design ou no sistema do F-22. O piloto envolvido nesse primeiro acidente sobreviveu ao ejetar seu assento.

Fonte: EFE via G1

Brasil oferece aviões militares a Moçambique

O Governo brasileiro vai oferecer aviões P-27 à Força Aérea moçambicana e ajudará a criar uma unidade para operações de manutenção de paz no exército de Moçambique, anunciou hoje o ministro da Defesa, Nelson Jobim.

"Vamos providenciar a transferência do P-27, um avião utilizado no Brasil para treinos militares", disse Nelson Jobim aos jornalistas, no final de uma audiência concedida pelo presidente moçambicano, Armando Guebuza.

"Verificarei a possibilidade de mandar mais alguns aviões. Estamos a fazer uma mudança na Força Aérea brasileira, estamos a substituir os P-27 pelos Super Tucanos. Com isso, queremos ver quais os aviões que podemos mandar para cá" (Moçambique), afirmou Nelson Jobim.

O governante brasileiro indicou que nos próximos dias dois oficiais e igual número de mecânicos moçambicanos vão deslocar-se ao Brasil para se familiarizarem com o avião que as autoridades de Defesa brasileiras pretendem transferir para a Força Aérea moçambicana.

Contudo, a vinda destes aviões depende da aprovação da proposta pelo Congresso brasileiro, sublinhou o titular da pasta da Defesa do Brasil, que hoje efectuou uma visita de algumas horas a Moçambique, para estreitar laços de cooperação no domínio da defesa.

Nelson Jobim e o seu homólogo de Moçambique, Filipe Nyussi, rubricaram um acordo de cooperação, que destaca a formação de oficiais moçambicanos na área da pilotagem.

"Firmámos um acordo que fará com que os objectivos se optimizem: dentro de 30 dias chegará a Maputo um grupo de oficiais brasileiros para começar a implantação de uma unidade de operação de paz no Exército de Moçambique", exemplificou Jobim.

Segundo o governante, a unidade de operações de paz no Exército de Moçambique, que o Brasil ajudará a estabelecer, será composta por 700 homens, que deverão integrar o contingente de paz em África.

Fonte: Diário Digital (Portugal)

TRIP Linhas Aéreas inicia operações em Sergipe

Companhia de aviação regional vai oferecer voos a partir de Aracaju para Salvador (BA) e Recife (PE).

A TRIP Linhas Aéreas – controlada de forma igualitária pelos grupos Caprioli e Águia Branca e líder na aviação regional –, inicia suas operações em Sergipe a partir do dia 13 de abril, com a rota Salvador – Aracaju – Recife / Recife – Aracaju – Salvador. Os trechos estarão disponíveis de Segunda-feira a Sábado (ida), às 7h, e de Domingo a Sexta-feira (volta), às 21h20. As passagens já podem ser adquiridas no site www.voetrip.com.br.

Aracaju é a primeira cidade de Sergipe em que a TRIP passa a operar. Essa atuação no Estado dá continuidade ao plano de expansão da companhia no Nordeste brasileiro, uma das regiões foco dos investimentos em 2009. Com a nova malha, a TRIP está presente em nove cidades na região: Aracaju, Salvador, Vitória da Conquista, Petrolina, Lençóis, Natal, Recife, Natal e Arquipélago de Fernando de Noronha.

Com voos diretos a partir de Aracaju para outras duas importantes capitais, a TRIP pretende facilitar as interligações entre as cidades, bem como acesso a outros destinos por meio de conexões. “Temos opções de voos regionais que vão atuar de forma complementar a esta rota, como por exemplo, Natal (RN) e Fernando de Noronha (PE), permitindo assim maior distribuição e capilaridade da malha aérea”, explica Evaristo Mascarenhas, diretor de marketing e vendas da TRIP.

O ATR 72-500, com capacidade para 68 assentos, é uma aeronave de concepção moderna e segura, turbo-hélice de última geração, fabricado pelas empresas Aeroespatiale (França) e a Alenia (Itália), que fazem parte do consórcio Airbus. Com baixo nível de ruído e emissão de gases, segue os mais modernos padrões ambientais. É equipada ainda com a nova “Elegance Cabin”, com amplo espaço interno e com inovações tecnológicas em comunicações e ferramentas de navegação. Suas características fazem desse avião o equipamento turbo-propulsor mais moderno da atualidade, utilizados por mais de 60 empresas aéreas em todo o mundo.

Fonte: Portal Fator Brasil