terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Iniciado o julgamento de acusados de conspirar para explodir aviões

Da esquerda para direita: Assad Sarwar, Ibrahim Savant, Mohammed Gulzar, Tanvir Hussain, Umar Islam, Abdul Ali, Waheed Zaman e Arafat Waheed Khan. Os oito acusados de conspirar para explodir aviões em 2006

O julgamento de oito fundamentalistas islamitas acusados de conspirar para explodir aviões transatlânticos em 2006 foi iniciado nesta terça-feira em um tribunal de segurança máxima de Woolwich, leste de Londres.

O promotor Peter Wright informou ao júri que os acusados, todos de nacionalidade britânica, tentaram causar a morte de civis "num atentado de dimensões sem precedentes, usando explosivos líquidos ocultos como bebidas gasosas em aviões que partiam de Londres para os Unidos e Canadá".

Os oito acusados, que foram presos em agosto de 2006, negaram as acusações contra eles.

O julgamento deverá durar uns dez meses.

A prisão desse grupo resultou na decisão de todos os aeroportos do mundo de proibir que os passageiros levem líquidos em sua bagagem de mão.

Fonte: AFP

Cientistas usam tecnologia para afastar pássaros de aviões

"Colidimos com pássaros; perdemos empuxo nas duas turbinas. Vamos pousar no Hudson". Essas palavras - enviadas aos controladores de tráfego aéreo em 15 de janeiro, em transcrição divulgada este mês - poderiam ter sido as últimas na vida do piloto Chesley "Sully" Sulenberger. Afortunadamente, o "herói do Hudson" conseguiu conduzir seu jato em um pouso miraculoso nas águas do rio Hudson, em Nova York.

Para proteger futuros voos, os cientistas estão trabalhando com afinco em maneiras de manter os pássaros afastados dos aviões. A maioria dos esforços atuais para evitar colisões com pássaros ocorrem no solo, e se concentram em tornar os aeroportos menos convidativos para os pássaros por meio da remoção de espelhos de água, exterminar os insetos que eles comem, disparar armas de ruído, instalar corujas artificiais e assim por diante.

Mas a próxima fronteira na prevenção de colisões com pássaros é o céu. Radares que perturbam os pássaros, luzes pulsantes e revestimentos reflexivos podem no futuro tornar os aviões mais visíveis para os pássaros, permitindo que se desviem, de acordo com Bradley Blackwell, biólogo especialista em fauna e em colisões com pássaros no Centro Nacional de Pesquisa da Fauna do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, em Sandusky, Ohio.

"Temos de operar no reino suas percepções sensórias e tentar explorar esse fator", disse Blackwell.

Radar doloroso

O mais exótico conceito é usar radar para alertar aos pássaros sobre a aproximação de aviões.

Indícios circunstanciais sugerem que pássaros postados em uma pista de pouso se dispersam subitamente quando o radar meteorológico de um avião é acionado, o que leva alguns cientistas a considerar o uso de radar para repelir pássaros em modo ativo.

Ainda que duvide das informações sobre radar meteorológico, o físico James Genova, do Laboratório de Pesquisa da Marinha, em Washington, sugere que um sinal de radar mais poderoso, sintonizado especificamente para incomodar pássaros, pode se encarregar da tarefa um dia.

Em testes conduzidos uma década atrás em uma base aérea no Ohio, pássaros foram espantados mais cedo pela passagem de um caminhão com o radar ativo do que por um caminhão com radar desligado, diz Genova. Embora suas pesquisas sugerissem que a radiação espanta os pássaros, ele não conseguiu convencer o setor de aviação a respeito.

Blackwell diz que os resultados de Genova, somados a provas circunstanciais posteriores, tornam a idéia "digna de mais estudos", ainda que aparentemente ninguém os esteja realizando.

Piscando luzes direcionadas a pássaros

Luzes disparadas de aviões na decolagem melhoram as chances de evitar colisões com pássaros.

Scott Philiben, engenheiro e vice-presidente da Precise Flight, uma empresa do Oregon que desenvolve tecnologias de segurança no voo, está trabalhando em um sistema de luzes pulsantes que parece reduzir colisões com pássaros semelhantes às que causaram o pouso no rio Hudson.

As luzes de efeito estroboscópico foram desenvolvidas originalmente uma década atrás para tornar aviões mais visíveis uns aos outros. Mas em 2000 um operador canadense de hidroaviões ligou para Philiben e o informou de que o número de colisões com pássaros havia caído depois da instalação do sistema de luzes em seu aparelho.

Philiben contatou o grupo de pesquisa de Sandusky para conduzir experiências em terra.

"Tivemos bons resultados com algumas variedades de pássaros", ele afirmou.

Mas outros pássaros, entre os quais os gansos, considerados responsáveis pela queda do avião no Hudson, não reagem. Cada espécie de pássaro pode reagir apenas a distintos comprimentos de ondas luminosas, segundo os especialistas.

Pintura preventiva?

Revestimento especial ou a incorporação de materiais especiais ao nariz e ao bordo de ataque das asas pode ter efeito semelhante, segundo Blackwell. O sistema produziria luzes em uma série de comprimentos de onda invisíveis à maioria dos seres humanos mas aparentemente irritantes para os pássaros.

"Estamos falando sobre animais capazes de enxergar coisas que os seres humanos não são capazes de nem mesmo imaginar", disse Blackwell. Ele está trabalhando com Philiben para compreender aquilo que os pássaros vêem e a maneira pela qual eles reagem.

Hora de pesquisar

Richard Dolbeer, especialista em colisões com pássaros em Huron, Ohio e recentemente aposentado do Departamento da Agricultura, no qual presidia a comissão de colisões com pássaros, diz que os pesquisadores vêm "testando sem muito afinco" todas essas idéias há mais de uma década. Ronald Merritt, da DeTect, uma empresa da Flórida que se especializa em radares de detecção de pássaros, diz que não existe garantia de que os animais reagiriam de maneira que previna uma colisão.

"Os pássaros evoluíram em uma atmosfera e ambiente nos quais as coisas acontecem lentamente", diz Merritt. "Um jato ocasional voando a 800 km/h é uma grande anomalia... eles não têm como se ajustar a isso".

Novos métodos de ajudar pássaros a sair do caminho podem ser mais necessários do que nunca. À medida que as populações de pássaros continuam a recuperar a profunda queda sofrida nos anos 60 e 70, e que o número de viagens aéreas continua a crescer, o número de colisões com pássaros em voo pode aumentar significativamente, disse Dolbeer.

"Teremos mais pássaros no céu, e teremos mais aviões no céu", ele disse. "Por isso, precisamos trabalhar para evitar colisões".

Fonte: National Geographic via Terra (Tradução: Paulo Migliacci)

Obra do Aeroporto de Jericoacoara começará em julho

No próximo mês de julho, o governador Cid Gomes assinará a ordem de serviço para o início das obras de construção do Aeroporto Internacional de Jericoacoara.

“No próximo mês de julho, o governador Cid Gomes assinará a ordem de serviço para o início das obras de construção do Aeroporto Internacional de Jericoacoara”, localizado no litoral Noroeste do Ceará.

Com a autoridade de quem é o gerente da máquina administrativa do Estado, Arialdo Pinho revela que esse empreendimento, na prática, resume-se à construção de sua pista de pouso, que terá 2.500 metros, mais do que suficiente para a decolagem de aviões de grande porte lotados de passageiros e carregados com suas bagagens.

A estação de passageiros do aeroporto de Jericoacoara será uma construção simples, mas confortável, na qual os turistas desembarcarão de bermudas. Jericoacoara, uma das mais famosas praias do mundo, é um centro turístico que cada vez mais ganha destaque internacional. O projeto da pista do aeroporto de Jeri ficou pronto e será encaminhado nos próximos dias à análise técnica da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Na sua construção, incluindo a compra do terreno já escolhido no município de Gijoca, serão investidos R$ 24 milhões, divididos meio a meio entre o Governo Federal e o Estadual cearense. O Federal já liberou R$ 3 milhões. Arialdo Pinho antecipa: o aeroporto de Jericoacoara ficará pronto em julho de 2010, mês de férias e ano de reeleição. Na inauguração, haverá o pouso de um avião cheio de turistas europeus.

Fonte: Egídio Serpa (AVOL)

'Operação de guerra' coleta imagens de desmatamento na Amazônia

Aviões de reconhecimento da Aeronáutica mediram devastação.

Em 450 horas de voo eles sobrevoaram área de dois Paraguais.


As Forças Armadas têm ajudado o governo brasileiro a descobrir quais são as áreas de maior desmatamento no Brasil. Na última quinta-feira (12), o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), entregou mapas digitais do desmatamento aos prefeitos de 36 municípios mais devastados da Amazônia. O levantamento foi feito por profissionais da Aeronáutica utilizando aviões de reconhecimento do Sipam, que também são usados em operações militares.

Três aviões de reconhecimento R-99B, produzidos pela Embraer, usaram radares para mapear municípios mais desmatados. (Foto: FAB/Divulgação)

Nas comunidades sobre a Amazônia na rede social Orkut, o uso das forças armadas para proteger a floresta é o assunto mais discutido pelos internautas. A maior parte das pessoas defende que o governo brasileiro deveria usar o Exército, a Marinha e a Aeronáutica a serviço da preservação ambiental.

“As Forças Armadas ajudariam muito a frear o desmatamento na Amazônia, até porque eles já fazem treinamentos lá”, defende o internauta Renato Monteiro em debate no Orkut. Já para Nei Duclós, somente usar o poderio militar não ajudaria o meio ambiente: “Forças Armadas não podem ser o foco da defesa. O que nos defenderia na Amazônia seriam políticas públicas focadas na população que existe marginalizada lá.”

Mapa mostra rio em Vila Rica (MT). Além de servir para conter desmatamento, levantamento realizado pelo Sipam pode ajudar prefeitos a conhecerem melhor suas cidades. (Foto: Sipam/Divulgação)

A geração de mapas dos municípios utilizando pilotos e tecnologia da Aeronáutica atende aos anseios dos dois internautas. Além de servir para mostrar as áreas de floresta mais ameaçadas, os mapas também ajudarão os prefeitos a planejar ações para melhorar a infraestrutura dos municípios, como a construção de estradas.

Área de dois Paraguais

Não foi tarefa das mais simples obter os dados dos municípios mais ameaçados. A área total mapeada foi de cerca de 800 mil quilômetros quadrados, o equivalente a duas vezes o Paraguai. “Nunca havíamos feito uma missão em alta definição em uma área tão extensa”, relata Wougran Soares Galvão, diretor de Produtos do Censipam, órgão que gerencia o Sipam.

Pilotos da Aeronáutica passaram 450 horas no ar para rastrear municípios. (Foto: FAB/Divulgação)

Toda a região foi sobrevoada com aeronaves R-99B, fabricada pela Embraer e especializada em missões de reconhecimento e vigilância. Pilotos da Força Aérea Brasileira completaram 450 horas de voo para cobrir toda a região. “O custo do projeto, só calculando o gasto das aeronaves e coleta de dados, foi de R$ 3,7 milhões”, conta Galvão.

O sinal dos radares foi armazenado em fitas, que foram enviadas para um centro do Sipam em Manaus. Lá, um software desenvolvido pela Aeronáutica processou os dados, que foram transformados em mapas de alta resolução, que mostram em detalhes todas as características dos municípios, como estradas, plantações, rios e florestas.

Fonte: Iberê Thenório (Globo Amazônia)

Portugueses 'discriminados' na licitação do aeroporto de Alcochete

Os grandes concursos para a construção do novo aeroporto de Alcochete vão começar.

Dia 26 termina o prazo para a entrega das propostas para o estudo de impacte ambiental. E a Nemus, a empresa que tinha ganho o concurso da Ota, acusa a Naer de a ter afastado do projecto

Portugueses da Nemus acusam Naer de omissão

A Naer-Novo Aeroporto alterou os critérios do concurso para o estudo de impacto ambiental do aeroporto a construir no Campo de Tiro de Alcochete prejudicando as empresas portuguesas, acusa a Nemus, empresa que venceu os estudos para a Ota, e que agora, segundo as novas normas, não "reúne condições para ser convidada".

A Nemus acusa a Naer de, com os novos critérios, estar "a beneficiar as empresas estrangeiras". Mas a empresa responsável pelo novo aeroporto contrapõe, defendendo que as alterações foram publicadas atempadamente em Diário da República. Em causa está um estudo que tem como tecto 1,5 milhões de euros, um valor cobiçado por nacionais e estrangeiros, sobretudo espanhóis.

Em declarações ao DN, responsáveis da Nemus, empresa vencedora para desenvolver o estudo de impacto ambiental da Ota, consideram que com a mudança para Alcochete deveria ficar automaticamente pré-qualificada, mas a verdade é que "não figura entre as empresas convidadas, apesar de estar pré-qualificada desde Maio de 2008".

A situação é tanto mais grave quando entre o lote das empresas convidadas para o estudo em Alcochete estão empresas que na altura da Ota ficaram em último lugar no concurso, como seja a IDOM e o consórcio classificado em segundo lugar, o DHV & FBO, denuncia.

A empresa, 100% portuguesa, "estranha" que de entre os consórcios seleccionados para a última fase do concurso do estudo de impacto ambiental do aeroporto na Ota, e que simultaneamente foram pré-qualificadas para o aeroporto em Alcochete, não tenha sido "convidada".

Fonte da Nemus explica que a Naer não enviou comunicação às empresas das alterações impostas para o concurso, entre as quais que o volume de negócios dos últimos três anos deveria ser superior a três milhões de euros, e a realização de três estudos de impacto ambiental nos últimos cinco anos, com valor conjunto de adjudicação superior a 300 mil euros, ou de um estudo com valor superior a 200 mil euros.

Ao fazer estas alterações, acusa, a Naer excluiu as empresas portuguesas, que só teriam possibilidade de ficarem no lote das convidadas se formassem consórcios. A Nemus regista um volume de negócios de 1,2 milhões de euros.

A Naer considerou que só a Aeroconsult, a DHV, a IDOM e a CH2M Hill Espanha reuniam condições para realizar o estudo de impacte ambiental. À excepção do último, todos os agrupamentos incluem empresas portuguesas.

Mas a empresa do novo aeroporto garante que não fecha a porta à Nemus, lembrando que ainda pode ser chamada para a "prestação de serviços a contratar".

Fonte: DN Online (Portugal)

TAP é única das 5 grandes em Lisboa a crescer

Low cost “afundam” 15%

A TAP foi a única das cinco maiores companhias que operam de e para Lisboa que teve aumento do número de passageiros em Janeiro, mês em que o segmento low cost foi o que mais acentuou a queda no aeroporto da capital portuguesa, com uma queda na ordem de 15%.

Dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam que o Aeroporto de Lisboa teve em Janeiro uma queda do número de passageiros de voos comerciais em 3,9%, para 874.339, com quedas em 1,2% por parte das companhias de rede, classificadas pelo Aeroporto como “tradicionais”, e em 14,7% por parte das low costs.

A queda das companhias de rede ocorre pela descida em 9,8% nas transportadoras estrangeiras e uma queda da SATA na ordem de 4,3% em voos regulares (estimativa do PressTUR), que anulam o crescimento da TAP, em 2,1%.

A evolução das “tradicionais” e das low cost em Janeiro é a indicada no balanço operacional do Aeroporto de Lisboa, que considera como low cost a Brussels Airlines, companhia de rede belga, membro da AEA actualmente em processo de adesão à Star Alliance.

Considerando a Brussels Airlines (-1,3% em Janeiro) entre as companhias de rede, a queda deste segmento reduz-se para a ordem dos 9,4% e a descida por parte das low cost acentua-se para cerca de 15,6%.

A queda do tráfego em Lisboa no mês de Janeiro foi acentuada ainda por uma quebra em 25,3% nos voos charter, mas que no conjunto do tráfego comercial de e para a capital portuguesa tem um impacto pequeno.

A queda do movimento de passageiros em Lisboa no mês de Janeiro, de acordo com estes dados a que o PressTUR teve acesso, mostra que a capital portuguesa não escapou à tendência negativa que se verifica na aviação comercia, mas teve uma queda significativamente mais branda, designadamente quando se compara com as “vizinhas” Madrid e Barcelona, onde ocorreram descidas em 18,5% e em 21,7%, respectivamente.

A evolução nas duas metrópoles espanholas reflecte em parte significativa o efeito do desvio de movimento da aviação para o comboio de alta velocidade nas ligações domésticas, designadamente nas ligações entre Madrid e Barcelona, que agrava a queda, mas segundo dados da AENA, para o conjunto dos aeroportos espanhóis, em voos internacionais houve uma queda em 11,9% (clique para ler: Aeroportos espanhóis têm quedas a dois dígitos de passageiros, voos e carga).

Outro factor a fazer a diferença foi o crescimento da TAP conseguido em Janeiro, como já tinha sido adiantado ao PressTUR pelo porta-voz da companhia, que indicou um aumento do número de passageiros em 2,5%, para cerca de 617 mil, com crescimentos em 2,7% nos voos intra-europeus, 4,7% nas linhas do Brasil e 13% nas de África (clique para ler: TAP mantém crescimento em Janeiro. Companhia transporta +16 mil passageiros).

Em Espanha, pelo contrário, a Iberia, companhia líder teve em Janeiro uma queda acentuada.

A companhia apenas divulga a evolução do tráfego medido em passageiros x quilómetros, indicador em que teve uma queda de 12% em Janeiro, mas segundo a imprensa espanhola, que cita dados da AENA, a Iberia teve uma quebra de 27,5% em número de passageiros, o que equivale a menos cerca de 524,5 mil, para 1,379 milhões.

Fonte: PressTur (Portugal)

Empresas são condenadas por não cumprimento integral de pacote turístico

Por decisão da juíza do 4º Juizado Especial Cível de Brasília, a CVC Turismo Operadora Brasília e a Mundial Turismo Operadora e Agência de Viagens terão de pagar cerca de R$ 4,5 mil, a título de indenização por danos materiais, a um casal que se sentiu prejudicado com a prestação ineficiente de serviços de turismo. Ainda na decisão, a juíza condenou as empresas a pagarem R$ 2 mil de indenização por danos morais, sob o argumento de que o casal ficou frustrado por não usufruir do pacote turístico adquirido. Da decisão, cabe recurso.

Segundo o processo, o casal adquiriu um pacote de viagens para os Lagos Andinos, em junho de 2008, que contemplava a seguinte rota: Buenos Aires/Bariloche/Peulla/Puerto Veras/Santiago. Pelo pacote, o casal desembolsou R$ 9.862,99, sendo R$ 2.236,75 de entrada, mais nove prestações de R$ 847,36. Na viagem de ida, São Paulo/Buenos Aires, a rota do avião foi alterada, e o casal teve que desembarcar em Córdoba, ficando nesta cidade até o dia seguinte (29 de junho), chegando em Buenos Aires somente às 23h. No outro dia, não puderam aproveitar o city tour, pois estavam cansados do dia anterior, e também porque partiriam para Bariloche no dia seguinte (1º de julho).

No dia de embarcar para Bariloche (1º de julho), o casal desistiu do pacote turístico, ocasião em que saiu do hotel e procurou um outro, onde ficou até o dia 3 de julho, quando conseguiu vôo de volta para o Brasil.

Para a juíza da causa, ficou evidente no processo que os autores sofreram aborrecimentos e contratempos na breve viagem que realizaram para conhecer os Lagos Andinos, já que ficaram em cidade não prevista em contrato por um dia, motivo pelo qual não conheceram Buenos Aires por meio de city tour. "Neste ponto, verifico que a CVC alegou ocorrência de caso fortuito em razão do mau tempo. Sem razão", justificou a magistrada.

Mesmo para verificação da ocorrência de mau tempo, entende a julgadora que a CVC deveria ter provado tal fato, mas não o fez, nem se desincumbiu deste ônus, motivo pelo qual rejeitou esse argumento. "Pelos documentos juntados à contestação, a CVC atribui os imprevistos também à crise da empresa Aerolineas Argentinas, fato que não tem correlação com a alegação expendida", assegurou a juíza. Devidamente citada, a Mundial Turismo Operadora e Agência de Viagens compareceu à audiência de conciliação, mas não apresentou contestação, aplicando a juíza confissão ficta acerca dos fatos.

Por fim, entende a magistrada que ficou demonstrado o defeito na prestação do serviço por parte das rés, que não asseguraram aos autores tranquilidade e conforto no usufruto do pacote turístico adquirido. "Entendo presente o nexo causal, eis que os aborrecimentos suportados pelos autores foram causados pela má prestação do serviço por parte dos réus. Patente a responsabilidade civil dos requeridos, os quais devem indenizar integralmente os autores", concluiu a magistrada.

Por força da decisão, do valor referente aos danos materiais (R$ 4.420,71) devem ser deduzidas as seguintes quantias: passagem aérea no trecho São Paulo/Buenos Aires; diárias de hotel de 28 de junho a 1º de julho de 2008 e o transfer para o hotel em Buenos Aires, já que os autores usufruíram de parte dos serviços prestados.

Fonte: TJDF via Agência Brasil

Acidente de helicóptero de resgate mata 2 na Polônia

Duas pessoas morreram e outra ficou gravemente ferida devido à queda hoje (17) do helicóptero Mi-2 Plus, prefixo SP-SXF, registrado para Polish Medical Air Rescue, que estava indo socorrer os feridos em uma colisão registrada em uma estrada da região polonesa de Silésia, atingida pelo mau tempo.

As condições meteorológicas adversas, com fortes nevascas, podem ter sido a causa que o aparelho tenha caído nas cercanias da localidade de Budziszow Wielki, no sudoeste da Polônia, segundo as primeiras informações.

A pessoa que ficou ferida conseguir avisar sobre o acidente e notificar a posição, o que permitiu uma rápida reação dos serviços de emergência locais.

O aparelho voava para ajudar os feridos em um acidente na estrada na região de Silésia, no qual foram envolvidos vários veículos e nove pessoas ficaram feridas, entre elas uma mulher grávida.

O gelo e a neve foram as causas desta batida múltipla que envolveu carros, caminhões e um ônibus.

Fontes: EFE / ASN

Aeroportos espanhóis têm quedas a dois dígitos

Os aeroportos espanhóis tiveram em Janeiro quedas de 17%, 18,1% e 15%, respectivamente, em número de passageiros, número de voos e carga aérea, segundo informação da AENA, empresa gestora das infra-estruturas.

A informação da AENA especifica que dos 11,083 milhões de passageiros embarcados e desembarcados em Janeiro, 6,268 milhões foram de voos internacionais, menos 11,9% que no mês homólogo de 2008, e 4,677 milhões de voos domésticos, em queda de 23,2%.

O aeroporto de Madrid – Barajas, nº 1 em Espanha e nº 4 na Europa, teve uma queda do número de passageiros em 18,5%, para 3,138 milhões, e Barcelona – El Prat, nº 2 em Espanha e nº8 na Europa, baixou 21,7%, para 1,625 milhões.

A informação indica ainda quedas de 6,1% em Gran Canaria, para 859,28 mil, 8,3% em Palma de Maiorca, para 730,86 mil, 12,3% em Tenerife Sur, para680,9 mil, e 18,9% em Málaga, para 566,96 mil.

Em número de voos, a AENA indica dos 150.281 movimentos (aterragens e descolagens) em Janeiro passado, 73.128 foram de voos domésticos, menos 16,6% que um ano antes, e 58.722 de voos internacionais, em queda de 16,5%.

O Aeroporto de Madrid teve uma queda de 16,6%, para 33.185 movimentos, Barcelona – El Prat teve 20.447 movimentos, em baixa de 22,3%, Gran Canaria teve 9.448, em baixa de 6,8%, Palma de Maiorca teve 8.717, em baixa de 6,7%, Málaga teve 6.606, em baixa de 21,1%, e Valência teve 5.792, em baixa de 25,5%.

Em relação ao transporte aéreo de carga, a AENA especifica que das 41,2 mil toneladas em Janeiro, 27,92 mil foram transportadas em voos internacionais e 13,29 mil em voos domésticos, verificando-se quedas em 14,4% e 16,3%, respectivamente.

Madrid

Barajas teve uma queda em 14,9%, para 21,86 mil toneladas, Barcelona – El Prat baixou 14,6%, para 6,29 mil toneladas, Gran Canaria baixou 19,1%, para 2,48 mil toneladas, e Saragoça baixou 69,4%, para 2,35 mil toneladas.

Fonte: PressTur (Portugal)

Trip amplia malha aérea em março

As cidades de Aracaju (SE), Petrolina (PE), Lençóis (BA) e Bonito (MS) serão incluídas na malha aérea da Trip Linhas Aéreas a partir de março.

Segundo o gerente da companhia, Claudio Santos, as rotas começarão a ser operadas entre os dias 16 e 28 de março. "Passaremos a voar para 68 destinos diferentes e nossa meta é fechar o ano com 81 novos destinos disponíveis em nossa malha", afirmou Santos.

Fonte: Mercado & Eventos

Queda de helicóptero mata 14 pessoas no Chile

Região do acidente é de difícil acesso

A queda de um helicóptero em Chanco, 440 quilômetros ao sul de Santiago, causou a morte de 14 pessoas, informou o jornal El Mercurio. O acidente aconteceu por volta de 17h (de Brasília) de domingo (15), quando funcionários da Celco foram ao setor de La Vega para combater os incêndios que afetam a região. A confirmação foi feita pela intendente interina região de Maule, María del Carmen Pérez, e pelo promotor de Cauquenes, Héctor de la Fuente.

Pérez afirmou não ter informações sobre os mortos, mas explicou que membros das equipes de Bombeiros e Carabineiros e o encarregado de emergência regional foram ao local do acidente, que é de difícil acesso. Em entrevista à Radio Cooperativa, o diretor interino da Corporação Nacional Florestal (Conaf) em Maule, Dante Bravo, assegurou que os brigadistas deviam ter "entre 18 e 30 anos", e "muitos deles eram pais de família".

Bravo afirma que os mortos estavam combatendo desde sexta-feira um incêndio florestal de 310 hectares que afetava vários prédios de diferentes empresas, entre elas a Celco, tarefa na qual trabalhava um total de 96 pessoas com dois helicópteros.

— Ao fim do dia, (o helicóptero) aparentemente caiu em algum setor das colinas — explicou Bravo.

O helicóptero era o Bell UH-1H Iroquois (205) da Flight Service Helicopteros.

Fontes: EFE / ASN

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Petróleo derruba preços de passagens aéreas

O excesso de oferta de assentos nos aviões em meio à queda de demanda, a queda no preço do petróleo e a concorrência acirrada entre as duas maiores empresas aéreas do país, com agressivas promoções na alta temporada, produziram um efeito incomum nos preços das passagens aéreas. Levantamento exclusivo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que os preços dos bilhetes junto ao consumidor caíram 3,41% em janeiro em relação a dezembro, no âmbito do Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), a terceira queda mais intensa no mês de janeiro desde o início do Plano Real, em 1994.

A ocorrência de bilhetes mais baratos também pôde ser detectada em dezembro, quando o recuo nos preços das passagens foi de 0,45% na comparação com novembro - o mais forte dos últimos 11 anos para um mês de dezembro. Na análise de economistas da FGV, após enfrentarem uma crise que durou mais de um ano, as empresas aéreas foram surpreendidas no final de 2008 com o cenário de turbulência internacional, que levou a um ambiente de demanda fraca e preços mais baixos para querosene de aviação, item que representa pelo menos 40% dos custos do setor. Isso ajudou a manter mais baixos os preços das passagens.

Fonte: Monitor Mercantil Digital

Acidente com helicóptero deixa dois feridos em aeroporto do Rio

Um helicóptero, modelo Robinson R22, prefixo PT-HVD, para dois ocupantes, caiu no início da tarde desta segunda-feira (16), no Aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Dcea), a aeronave caiu quando se aproximava da cabeceira da pista em manobra de pouso.



Ainda de acordo com o Dcea, o helicóptero já foi removido e o aeroporto está aberto para operações de pouso e decolagem.

Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), responsável pelo Aeroporto de Jacarepaguá, o helicóptero pertence a uma empresa de curso de vôo e realizava aula prática no momento da queda.

As duas vítimas foram conduzidas para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, com ferimentos leves. Uma delas quebrou o braço. O Aeroporto de Jacarepaguá é usado por pequenas aeronaves, principalmente para vôos de instrução e por aviões que exibem faixas de propaganda.

Fontes: DCI / RJTV (TV Globo)

Identificado piloto de helicóptero que caiu no Aeroporto de Jacarepaguá

Foi identificado como Marcos Antônio Gonçalves Coelho o instrutor do helicóptero que caiu esta tarde no Aeroporto de Jacarepaguá. A aeronave realizava um voo de instrução, e caiu quando se preparava para pousar.

Além de Marco, um aluno identificado apenas como Fontes estava no helicoptero. Os dois foram levados ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, o instrutor sofreu uma fratura no cotovelo, passou por uma cirurgia e passa bem. Já o aluno, que não sofreu fraturas, foi liberado assim que chegou ao hospital.

Fonte: Marcelo Gomes (Extra)

Pássaro causa avarias em pequeno avião em Fort Lauderdale, na Flórida

Um pássaro causou avarias em um pequeno avião Cessna, nesta tarde, fazendo com que o piloto realizasse um pouso de emergência, minutos após levantar voo no aeroporto de Fort Lauderdale.

O piloto do Cessna 402C, único ocupante da aeronave, sofreu pequenos ferimentos e, aparentemente, está bem, segundo informou o porta-voz do aeroporto, Greg Meyer.

O pássaro colidiu com a aeronave no início da tarde desta segunda-feira (16), pouco depois de decolar, em direção às Bahamas.

- O piloto viu o pássaro voando à distância, desviou a aeronave e o pássaro fez o mesmo movimento do avião – explicou Dave Donovan, presidente da empresa charter Air Flight, proprietária da aeronave.

O piloto descreveu o pássaro como do tamanho de um peru, com cerca de 25 libras.

O nome do piloto não foi revelado.

Fonte: Gazeta Brazilian News

Licitação de aeroportos paulistas exigirá investimentos de R$ 124,5 milhões

Os aeroportos paulistas que serão levados a leilão ainda neste semestre exigirão investimentos de R$ 124,5 milhões dos vencedores da disputa, segundo modelagem proposta pela Secretaria dos Transportes ao Comitê Gestor de Parcerias Público-Privadas (PPP) do Estado. As empresas que vencerem a concorrência administrarão os empreendimentos por um prazo de 15 anos.

Conforme a ata da reunião em que o comitê discutiu o assunto, publicada no início do mês no Diário Oficial do Estado, 30 aeroportos agrupados em cinco lotes serão ofertados. Cada grupo contará com um aeroporto maior, como Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, e outros menores. O critério de seleção para o parceiro privado será o menor valor de contraprestação a ser paga pelo Estado.

O projeto prevê que as receitas operacionais devem fazer frente às despesas de operação, manutenção, administração, tributárias e aos investimentos de ampliação e modernização nos aeroportos principais. Já os investimentos nos aeroportos menores ficarão a cargo do Estado.

A aprovação da modelo do projeto de PPP, no entanto, depende ainda da formalização de garantia de cumprimento das obrigações por parte do Estado e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) após as transferências para iniciativa privada.

Os conselheiros do comitê recomendaram ainda que a modelagem proposta pela Secretaria dos Transportes fosse complementada com a avaliação do impacto nos limites do Estado e com o plano de garantias, para aprovação final e a sua consequente inclusão no Programa Estadual de PPP. A avaliação será feita na próxima reunião do Conselho, ainda sem data marcada.

Fonte: Agência Estado

Gago Coutinho: Sociedade de Geografia comemora 140 anos do seu nascimento

Imagem: brasilcult.pro.br

A Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL) celebra terça-feira os 140 anos do nascimento do almirante Gago Coutinho, 'por ter sido um homem que tanto dedicou à SGL e à história das descobertas portuguesas', numa cerimónia onde estará o Presidente da República.

Depois de um colóquio referente ao espólio do Almirante, que terá lugar na SGL com a presença de Aníbal Cavaco Silva, vai ser inaugurada uma mostra que exibirá parte relevante e significativa das suas doações à instituição, ao longo do seu percurso.

Para Luís Aires-Barros, presidente da SGL, é importante assinalar os 140 anos do nascimento de Gago Coutinho e os 50 anos da sua morte por várias razões, mas, principalmente, por ter sido um cartógrafo, um geodata, um homem da Geografia e das descobertas.

'Gago Coutinho foi um homem do campo, do terreno, das descobertas, que percorreu cinco mil quilómetros a pé, com uma grande bagagem do ponto de vista matemático e cartográfico', sintetiza.

Luís Aires-Barros salienta ainda o papel do Almirante enquanto sócio da SGL, durante 57 anos, à qual doou parte da sua biblioteca e um vasto espólio material.

Ainda neste colóquio, vai ser entregue o Prémio Internacional Almirante Gago Coutinho, no valor de 2.500 eur os, destinado a premiar trabalhos originais de investigação no âmbito das Ciências da Terra, que contribuam para o avanço do conhecimento nessa área científica.

Carlos Viegas Gago Coutinho nasceu a 17 de Fevereiro de 1869, em Lisboa, e morreu a 18 de Fevereiro de 1959, também em Lisboa.

Seguiu a carreira de marinheiro e aos 17 anos de idade alistou-se na Marinha, entrando para a Escola Naval, onde concluiu o curso em 1888.

Entre 1898 e 1918 dedicou-se maioritariamente à função de geógrafo de campo e descobriu novos métodos de exploração de delimitação de fronteiras.

Neste percurso, foi ganhando gosto pela aviação e tentou adaptar à aeronavegação os processos e instrumentos da navegação marítima.

É nesse percurso que conhece Sacadura Cabral, que viria a ser o seu companheiro de obras e feitos. Em 1922 realizou com ele a primeira viagem aérea entre Lisboa e o Rio de Janeiro (Brasil).

Foi um investigador persistente dos Descobrimentos, contribuindo para definir e contar as rotas portuguesas pelo mundo, bem como técnicas náuticas utilizadas nas caravelas portuguesas.

A partir de terça-feira, e durante 15 dias, parte das suas contribuições nestes campos poderão ser vistas na SGL.

1922 - Sacadura Cabral e Gago Coutinho

Fonte: Correio do Minho (Portugal)

LEIA MAIS: acesse também: http://gagocoutinho.wordpress.com/

United Airlines bonifica funcionários

A United Airlines, principal subsidiária da UAL Corporation, informou hoje que espera ter alcançado, em janeiro, o melhor índice de pontualidade de seus voos. Com isso, entrou em vigor este mês, um novo plano de incentivos, fazendo com que os funcionários que lidam diretamente com o público e a outras categorias da empresa recebam automaticamente US$ 100 em bonificação.

Os dados oficiais serão divulgados apenas no início de março, porém, de acordo com a empresa, cerca de 80% dos voos operados partiram e chegaram no horário em janeiro. No período, a United completou 98% dos voos programados.

Em comunicado, John Tague, vice-presidente executivo e principal encarregado de operações, afirmou que os dados demonstram a qualidade obtida em janeiro e o esforço de toda a equipe em oferecer um serviço seguro, pontual e cortês.

Fonte: InvestNews

Tripulação de voo sul-africano é detida em Londres com cocaína

Agentes da alfândega britânica detiveram nesta segunda-feira, no aeroporto londrino de Heathrow, os 15 membros da tripulação (incluindo o piloto) de um voo da empresa South African Airways por levar no avião um carregamento de cocaína estimado em 250 mil libras.

Foi o segundo incidente desse tipo em um mês, informou um porta-voz.

Fontes: France Presse / Telegraph.co.uk

Imagens mostram casa em chamas logo após queda de avião que matou 50

Vizinho filmou o local antes mesmo da chegada das equipes de emergência.

Acidente da última quinta ocorreu no subúrbio de Clarence, em Buffalo.




A Associated Press teve acesso a um vídeo com imagens tomadas logo depois do acidente que matou 50 pessoas na última quinta-feira (12) em um subúrbio da cidade de Buffalo, no estado norte-americano de Nova York.

O vídeo mostra a casa atingida pela aeronave em chamas logo após o choque e antes da chegada da polícia e dos bombeiros.

A cauda do avião pode ser vista sobre os escombros da casa no subúrbio de Clarence.

As imagens foram feitas pelo vizinho Sam Merlo, que estava em seu quarto quando ouviu o estrondo provocado pela queda. Ele correu para o local e gravou as imagens.

Investigação

O avião acidentado da Continental voava no piloto automático, apesar das condições meteorológicas adversas, informou no domingo o Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, em inglês).

O porta-voz do órgão federal americano, Steve Chealander, confirmou, em entrevista coletiva, que a aeronave estava no piloto automático, algo que o Conselho ressaltou que "não recomenda quando as condições climatológicas são adversas".

No entanto, explicou Chealander, "isso não é uma violação. Nós fazemos uma recomendação, mas corresponde à Autoridade Federal da Aviação Civil (FAA) e às companhias aéreas decidir as regras. Algumas já as mudaram".

Segundo os responsáveis pela investigação, que encontraram na sexta-feira as caixas-pretas do aparelho, o rápido acúmulo de gelo nas asas do avião, um bimotor Q400 Bombardier com 74 lugares, fez a aeronave perder capacidade para continuar voando.

O porta-voz do NTSB ressaltou que os pilotos em muitas ocasiões "decidem voar de forma manual para perceber antes qualquer tipo de situação que, com o automático, demora-se mais. O NTSB recomenda aos pilotos que desliguem o automático quando há muito gelo".

Chealander lembrou também que os fortes ventos de quinta-feira em Nova Jersey atrasaram a saída do avião. Ele explicou que os inspetores desse organismo seguem retirando os restos mortais das vítimas e da aeronave, e que ainda restam dias de trabalho na área.

Fonte: G1 (com agências internacionais)

'Caveirão' bate em helicóptero do governo do estado dentro de batalhão da PM

Clique sobre a imagem para ampliá-la e saber mais sobre o "Caveirão"

Um helicóptero do governo do estado teve parte da hélice atingida por um veículo blindado da PM, conhecido como Caveirão, na manhã desta segunda-feira, no pátio do Batalhão de Choque, no Centro do Rio. De acordo com a assessoria do governo do estado, no momento da batida, a aeronave modelo Esquilo estava estacionada e desligada, aguardando a chegada do vice-governador, Luiz Fernando Pezão. Não havia ninguém no interior do helicóptero. Pezão embarcaria para encontrar com o governador Sérgio Cabral na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, para participar do lançamento da Unidade de Polícia Pacificadora.

O blindado, que pertence ao 16º BPM (Olaria), passava por reparos no Centro de Manutenção de Material da PM, que funciona no Batalhão de Choque. Segundo a assessoria do governo do estado, ao fazer uma manobra de teste no pátio do batalhão, o condutor provavelmente errou o cálculo e atingiu a ponta de uma das pás da hélice do rotor principal. Um outro helicóptero foi providenciado para transportar o vice-governador.

Fonte: Marcelo Gomes (Extra) - Imagem: Abril.com

Europa lança programa para monitorar o lixo espacial

Apresentado em janeiro, plano ganha urgência após colisão de satélites da última semana

Temendo pela multidão de satélites na órbita da Terra, a Agência Espacial Europeia (ESA) lançou um programa para monitorar destroços no espaço e criar um conjunto de normas para evitar futuras colisões sobre o planeta, disse um representante da entidade.

O programa, de US$ 64 milhões, chamado Consciência Situacional do Espaço, tem por objetivo aumentar a informação disponível para os cientistas na Terra a respeito dos cerca de 13 mil satélites e outros objetos artificiais que orbitam o planeta, disse o especialista em lixo espacial da ESA, Jean-Francois Kaufeler.

O programa havia sido lançado em janeiro. Em 10 de fevereiro, a colisão de dois satélites gerou lixo espacial que poderá circular o planeta ou ameaçar outros satélites por até 10 mil anos.

"O que esse último acidente mostra é que precisamos fazer muito mais. Precisamos receber dados muito mais precisos, para podermos evitar futuras colisões", disse Kaufeler, a respeito da colisão.

O choque ocorreu a 800 km de altitude, sobre a Sibéria, e envolveu um satélite russo abandonado e um satélite comercial de comunicações ainda ativo.

Um elemento essencial do programa é aumentar a quantidade de informações compartilhadas entre as diversas agências espaciais, incluindo a Nasa e a Roscosmos, da Rússia.

Kaufeler também disse que outro aspecto a analisar é o estabelecimento de um padrão internacional para a descrição, rastreamento e, se necessário, remoção dos dejetos orbitais. Autoridades dos EUA e da Rússia trocaram farpas sobre a responsabilidade da colisão da semana passada.

Especialistas vão se reunir nesta semana em Viena, Áustria, para um seminário das Nações Unidas sobre como evitar colisões futuras. Em março, ocorre uma conferência europeia sobre o tema.

Veja a colisão (site Satellite Tracker)



Fonte: AP via estadão.com.br

Após colisão de satélites, Hubble está em perigo

O telescópio Hubble está no caminho dos pedaços que sobraram do acidente entre dois satélites na semana passada, conforme divulga a edição online da Exame Informática.

Após a colisão dos satélites russo e americano na passada semana, ficaram cerca de 500 a 600 destroços, alguns com dez centímetros, em órbita a 780 quilómetros de altitude, segundo os responsáveis da NASA alguns destes destroços poderão chocar com o telescópio Hubble.

Qualquer embate, por mínimo que seja, pode afectar a missão do telescópio, que não tem quaisquer medidas evasivas, como propulsão para alterar a sua trajectória.

Em Maio, será dirigida uma última missão ao Hubble para prestar assistência ao telescópio.

Fonte: PNN Portuguese News Network

Aeromoça que deixou 'Big Brother' italiano é demitida, diz TV

Daniela Martani disse não ter sido informada.

Ela pode entrar em outro programa de reality show.


A aeromoça italiana que abandonou o ‘Big Brother’ (‘Grande Fratello’, em italiano) para não perder o emprego foi despedida, informou a rede de TV Canal 5, a mesma que transmite o programa na Itália. Outros meios de comunicação informam que ela teria recebido uma licença da empresa aérea.

Daniela Martani disse não ter sido comunicada ainda sobre a demissão. Porém, caso ela seja confirmada, ela não deve ficar muito tempo desempregada. Ainda segundo o Canal 5, ela deve participar de outro programa de reality show a partir de março.

A aeromoça Daniela Martani dá entrevista após se ver forçada a sair do 'Big Brother' italiano, nesta terça (3)

A aeromoça da Alitalia, que ganhou o apelido de "Pasionaria" após seu rosto ter aparecido na imprensa durante os protestos dos trabalhadores na época da venda da empresa, abandonou o programa depois que a companhia aérea a advertiu de que seria demitida se não fosse trabalhar. Ela já não teria se apresentado no aeroporto Fiumicino, de Roma, para um voo entre a capital italiana e Tóquio.

Daniela Martani tinha pedido para tirar licença antes de entrar para o "Big Brother".

Ao sair do Big Brother, a aeromoça afirmou que não trocaria o emprego pelo programa, porque sempre quis trabalhar nesta área e por respeito aos 3 mil funcionários que haviam sido demitidos na venda da empresa.

“Meus advogados e eu não recebemos nenhuma comunicação. Farei mais declarações quando tiver algo em mãos”, afirmou ela para o jornal italiano ‘La Stampa’.

Fonte: G1 - Foto: Tiziana Fabi (AFP)

Cuba: Aeroporto de Havana vai ser modernizado e ampliado à espera de aumento de voos dos Estados Unidos

O governo cubano vai modernizar o aeroporto internacional Jose Marti (foto), em Havana e ampliar o terminal destinado a voos dos Estados Unidos, preparando um crescimento do tráfego a partir de Miami, anunciou hoje o Instituto da Aeronáutica Civil de Cuba (IACC).

"Vamos avançar este ano com o programa de investimento dedicado à construção e extensão das instalações aeroportuárias", anunciou o presidente do IACC, Rogelio Acevedo, citado pelo jornal oficial Granma.

Parte substancial do projecto será a ampliação do terminal que recebe os voos provenientes dos Estados Unidos, especialmente de Miami, onde reside uma comunidade de mais de um milhão de cubanos.

Aos planos do governo cubano não serão estranhas as posições assumidas pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que desde a campanha eleitoral tem vindo a defender o levantamento de restrições impostas às viagens até Cuba de cidadãos cubanos residentes nos Estados Unidos, no quadro do embargo que Washington mantém contra o regime cubano desde 1962.

Recentemente, em mais um sinal de aproximação, um grupo de senadores norte-americanos propôs também um projecto de lei sobre o levantamento da interdição de deslocações a Cuba por cidadãos norte-americanos.

Fonte: Agência Lusa (Portugal) - Foto: Mike Souter

Seguem em órbita os satélites de Rússia e EUA que se chocaram

"Tudo indica que a colisão não foi frontal", diz analista

Os satélites russo e americano que se chocaram na terça-feira da semana passada sobre a Sibéria não sofreram danos graves e continuam na órbita da Terra, informou hoje o analista militar russo Igor Lisov à agência Interfax.

— Tudo indica que a colisão não foi frontal e que os satélites bateram de raspão, pois praticamente não sofreram danos e, após o choque, mantiveram-se em uma órbita estável, embora distinta à inicial — afirmou.

Ele não descartou que as baterias solares ou que outros elementos de ambos os satélites tenham se enganchado, mas ressaltou que, em qualquer caso, o número de fragmentos como resultado da colisão deve ser "consideravelmente inferior" ao estimado anteriormente. Segundo fontes oficiais, meios de observação do espaço cósmico detectaram e seguem o movimento de 38 grandes fragmentos resultantes da colisão, apesar de a Nasa, agência espacial americana, afirmar que houve cerca de 600 fragmentos.

Segundo Lisov, o comando estratégico dos Estados Unidos ainda não incluiu esses fragmentos em seu catálogo de objetos cósmicos. A colisão aconteceu no último dia 10, entre um aparelho espacial americano Iridium-33 e um satélite militar russo Cosmos-2251, este último fora de funcionamento, a uma altura de aproximadamente 800 quilômetros sobre a Sibéria.

Em consequência do choque, os fragmentos dos aparelhos se dispersaram, a uma altura entre 500 e 1.300 quilômetros, segundo fontes russas. Diversos meios de comunicação americanos informaram hoje sobre estranhas "bolas de fogo" cuja queda foi detectada no Texas (EUA), o que motivou a suspeita de que fossem fragmentos dos satélites. No entanto, especialistas russos consultados pela Interfax consideraram improvável esta hipótese e afirmaram que foi um meteorito o que caiu nos EUA.

Fonte: EFE via Diário Catarinense

Aeroporto de Campinas (SP) terá capacidade ampliada em mais de 30 vezes

Viracopos vai suprir demanda que Cumbica, mesmo com mais um terminal, e Congonhas não conseguem suportar

Previsão em estudo de impacto ambiental aponta que fluxo de passageiros em SP deve ir de 34 milhões para 115 milhões até 2025

RICARDO SANGIOVANNI
DA REPORTAGEM LOCAL


A Infraero (estatal que administra aeroportos) pretende investir R$ 6,4 bilhões até 2025 para tornar o aeroporto de Viracopos, em Campinas, o mais movimentado do país. A expectativa é ampliar em mais de 30 vezes a capacidade do aeroporto, habilitando-o a receber 61 milhões de passageiros por ano até 2025 - ou 4,6 vezes o total de passageiros que passou por Congonhas no ano passado.

Estimativa da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) prevê para 2025 um movimento de 115 milhões de passageiros por ano em Cumbica (Guarulhos), Congonhas e Viracopos. No ano passado, Viracopos foi responsável por apenas 1,08 milhão dos 34 milhões de passageiros dos três aeroportos.

Entretanto, tanto Congonhas quanto Cumbica já funcionam com saturação e nem o terceiro terminal que será construído em Guarulhos dará conta da demanda prevista.

Por isso, a Infraero quer expandir Viracopos, hoje utilizado principalmente para cargas. O Ministério da Defesa, porém, mantém o plano de construção de um terceiro aeroporto na Grande São Paulo, ainda sem prazo e local definidos.

O plano de expansão consta do Estudo de Impacto Ambiental para a ampliação de Viracopos, que, pelo projeto, ganhará uma segunda pista, um novo terminal de passageiros 13 vezes maior que o atual e um pátio de aeronaves com o dobro do tamanho até 2015, data prevista para o fim da primeira e principal fase da expansão.

A área prevista para a ampliação é de 27 milhões de metros quadrados - mais de três vezes a atual e equivalente a duas vezes a de Cumbica ou 16 vezes a área de Congonhas. A previsão é de início das obras em setembro deste ano, com conclusão da segunda pista para pousos no final de 2011.

Segundo o estudo, as cerca de 3.700 pessoas que vivem na área prevista para a ampliação terão de ser indenizadas. A maioria das propriedades é de famílias de baixa renda. Empresas de mineração, chácaras de fim de semana e até um local histórico -a área remanescente da colônia alemã de Friburgo - estão na área da ampliação.

O relatório, disponível desde meados de janeiro para consulta pública em sete prefeituras de municípios afetados direta ou indiretamente pela expansão -Campinas, Paulínia, Jaguariúna, Sumaré, Hortolândia, Valinhos e Vinhedo-, será discutido em audiência pública na Câmara Municipal de Campinas na quinta-feira.

A audiência é um dos passos para a obtenção do licenciamento ambiental do projeto, que a Infraero espera obter da Secretaria Estadual do Meio Ambiente a tempo de iniciar as obras no prazo estabelecido.

Dos 35 impactos ambientais contabilizados em decorrência da expansão, 28 são considerados negativos e requerem medidas de compensação por parte da Infraero -porém, além da valorização imobiliária no entorno do aeroporto, nenhum outro é considerado de "alta relevância", segundo o relatório.

Iniciativa privada

A ampliação deverá ser custeada com verbas da própria estatal e do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal. Segundo a Infraero, o plano de ampliação está sendo levado adiante independentemente da possibilidade de concessão do aeroporto à iniciativa privada, anunciada pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, no ano passado.

Jobim deverá receber da Anac, até meados de junho, um modelo de concessão de aeroportos que está sendo elaborado pela agência e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A sugestão será encaminhada ao presidente Lula, a quem cabe tomar a decisão final.

Ampliação ameaça 35 famílias de comunidade rural alemã

DA AGÊNCIA FOLHA, EM CAMPINAS

"O que nos deixa mais chocados é essa agonia de não saber o que vai acontecer. Não sabemos nem quanto tempo darão para a gente sair daqui."

A frase do produtor rural Gerson Schäfer, 54, resume a preocupação de cerca de 35 famílias da comunidade de imigrantes alemães e seus descendentes da colônia de Friburgo, que terão de deixar a área para a ampliação de Viracopos.

Friburgo é um bairro com cultivo de uvas, gado e feijão, entre outros, formado em meados do século 19 por alemães da região de Schleswig-Holstein.

Há dois decretos -um de 2006 e outro de 2008- da Prefeitura de Campinas que tornam parte do entorno de Viracopos como de utilidade pública. A maior parte dos 4.000 m2 da sede da colônia estão dentro do primeiro decreto.

A comunidade chegou a ter mais moradores, mas com a crise da cafeicultura muitos deixaram o local, no início do século 20. Diversas famílias ainda visitam a colônia para assistir aos cultos na Igreja Evangélica de Confissão Luterana, fundada em 1933, e homenagear os mortos na Associação Funerária do Friburgo, fundada em 1887. Com a ampliação, a igreja pode ser destruída.

"Fizeram um malabarismo para não atingir o cemitério, mas a igreja terá de ser destruída. As pessoas não entendem que tudo isso tem um valor histórico", diz Schäfer.

Fonte: Folha de S.Paulo

Chinesa perde voo, dá escândalo e vai parar no YouTube

Mulher gritou e se jogou ao chão depois de perder voo.

'Surto' de passageira teve mais de 1 milhão de visitas no site de vídeos.



O ataque histérico de uma mulher que perdeu seu voo no Aeroporto Internacional de Hong Kong é o mais novo vídeo a virar "sucesso" no YouTube.

As cenas mostram a passageira gritando e se jogando ao chão depois de perder o voo, enquanto funcionários e outros passageiros tentam contê-la.

O fato foi gravado por curiosos e chegou ao YouTube no dia 12 de fevereiro, somando mais de 1,3 milhão de visitas até o momento. Hoje já existem novos cadastros no YouTube com o mesmo vídeo, que tem cerca de três minutos de duração, reproduzido por outros usuários.

A companhia aérea Cathay Pacific informou que já havia fechado as portas da aeronave e descarregado as bagagens da mulher, que não teve a identidade revelada. Dessa forma, ela não conseguiu pegar o vôo para San Francisco (EUA) e perdeu a paciência.

A empresa não revelou detalhes do incidente, mas informou que a passageira foi colocada em outro voo para Los Angeles, mais tarde, sem qualquer custo extra.

Fontes: G1 / Reuters

Balão de teste quebra recorde de autonomia de voo

Um balão de teste da Agência Espacial Americana (Nasa) que flutua nas brisas estratosféricas por sobre a Antártida bateu o recorde de autonomia de vôo para balões, em 8 de fevereiro. A marca anterior havia sido estabelecida em, 2005, quando um balão se manteve em voo durante 42 dias como parte de uma experiência sobre raios cósmicos.

"Foi um vôo soberbo", diz David Pierce, diretor do programa de balões da Nasa no Centro de Voo Espacial Goddard, em Wallops, Virgínia. "Estamos provando que balões são uma plataforma viável".

Os balões há muito vêm sendo uma maneira barata de os cientistas colocarem instrumentos em voo acima de 99% da atmosfera, que perturba a maior parte das experiências científicas: perto do limiar do espaço, mas sem as despesas geradas pelos foguetes e pelo tempo longo de desenvolvimento dos satélites.

O calcanhar de Aquiles, porém, é o de que as experiências estão limitadas há alguns dias ou poucas semanas, antes que os balões comecem a vazar hélio e caiam de volta à Terra.

Mas voos de 100 dias são a meta declarada para o estilo de balão testado com esse mais recente protótipo. Os revestimentos plásticos ultrafinos que envolvem esses balões de "superpressão" os selam à ação da atmosfera.

O balão em forma de abóbora suporta as diferenças de pressão causadas pela oscilação diária de temperaturas por meio de cristas ou "tendões" que detêm sua expansão. A maioria dos balões convencionais, cujas formas se assemelham às dos usados para transportar pessoas, estão abertos à atmosfera e flutuam em termos de altitude quando dia e noite se alternam.

Isso restringiu vôos longos de balões convencionais às regiões polares nas quais dia e noite duram meses. Mas mesmo lá, os balões podem apresentar variações de altitude da ordem de milhares de metros - e isso acarreta dificuldades de cálculo para os astrônomos.

Voando alto

Os balões de superpressão, portanto, oferecem não só dados adicionais recolhidos em seu tempo de voo mais longo como estabilidade maior e, por sua vez, o potencial de cobrir outras regiões da Terra, já que podem voar em torno do planeta em latitudes médias em qualquer momento do ano.

Isso abriria à observação regiões do céu antes indisponíveis para telescópios transportados em balão, bem como regiões do espectro - a saber, os raios-gama e raios-X - que não podem ser estudadas de maneira tão efetiva nos pólos devido ao forte fundo de raios cósmicos dotados de cargas elétricas que se afunilam em função da ação do campo magnético terrestre.

Em julho, a Nature destacou o potencial dos balões de superpressão como alternativa mais barata aos foguetes e satélites, como o comprovava um teste de um dia de duração de um balão de superpressão de menor porte.

O teste atual, que estabeleceu novo recorde, envolve um balão cerca de três vezes maior que o original, e significa que a realização das ambições iniciais está cada vez mais próxima, diz Pierce.

O balão de teste foi lançado da Estação McMurdo, em 28 de dezembro, para o céu claro de inverno que se estende por sobre a perfeita plataforma de lançamento da Geleira de Ross.

O balão carrega o pacote normal de instrumentação de teste, com câmeras, rádios e medidores de pressão e temperatura. Também carrega sensores de teste para um programa de física espacial conhecido como "BARREL", que estuda perdas relativistas de elétrons, mas não está executando experiências reais.

Os últimos componentes da equipe de balões da Nasa deixaram a estação McMurdo na semana passada, mas o balão continua a voar em círculos preguiçosos sobre o continente, a 33,8 mil metros, diz Dwayne Orr, subdiretor da central de balões da Nasa em Palestine, Texas, e líder da equipe que coordenou as temporada passada de testes com balões na Antártida.

Orr diz que a oscilação de altitude do aparelho foi de apenas 700 metros, até agora. "O voo vem sendo um tédio, e é exatamente isso que queremos de um balão".

De volta à terra

O balão não atingirá a meta de 100 dias neste vôo, porque Pierce quer que ele pouse sobre o continente, para que a equipe possa recuperá-lo na próxima temporada de verão.

Os ventos de vórtice polar que propelem o balão em círculos começaram a se dispersar, e o balão vai terminar por sair do curso. E assim, provavelmente pelo final do mês, os engenheiros o farão descer ao acionar um controle remoto que abre um orifício no balão, e aciona um paraquedas.

Mas continua a haver planos de ampliar o tamanho e a duração dos voos de balões de superpressão. Um deles deve ser lançado da Suécia em junho, e pelo final do ano a equipe da Nasa retornará à Antártida com um balão de teste duas vezes maior.

Em 2010, os testes envolverão balões três vezes maiores, capazes de carregar uma tonelada de instrumentos por 100 dias. Considerando que o custo total de lançamento dos balões é de cerca de US$ 1 milhão, ante dezenas de milhões de dólares para um satélite, os voos de balões de superpressão representam uma pechincha científica.

Em conferência sobre astronomia no mês passado, Jon Morse, diretor da divisão de astrofísica da Nasa, falou sobre os planos de revigorar o programa de balões da agência, e Pierce diz que começa a perceber os efeitos. "Nosso orçamento está crescendo e temos forte apoio da direção da Nasa. Teremos novas cargas. E ainda mais voos".

Fonte: Nature News via Terra - Tradução: Paulo Migliacci

Caem detritos de satélites no Texas



Há objetos raros a caírem do céu no Texas… Não, os Deuses não estão loucos… São apenas os detritos provocacos pela colisão de dois satélites no espaço na quinta-feira.

É nisso que acreditam as autoridades norte-americanas, que alertaram os pilotos da força aérea do perigo de encontrar os restos dos satélites em pleno voo

Um jogador de Golfe explica que ficou de boca aberta a olhar para o céu, estava à espera de mais, de ver mais detritos e qum sabe algumas explosão, mas nada.

Até agora, em terra, não houve prejuízos materiais nem humanos na sequência da queda dos detritos, o fenómeno inédito serve para animar dois dedos de conversa.

O chefe da Missão russa de controlo advertiu para o facto destes detritos poderem ser perigosos, pelo menos para os aviões. O responsável afirmou ainda que nuvens de detritos vão rondar a Terra e ameaçar muitos outros satélites durante vários anos.

Fonte: EuroNews (Portugal)

Avião de NY caiu 245 metros em 5 segundos

Segundo autoridades americanas, aeronave voava no piloto automático antes de acidente.

O avião que caiu em cima de uma casa no Estado de Nova York, na última quinta-feira, despencou cerca de 245 metros em apenas cinco segundos, de acordo com o Conselho Nacional de Segurança no Transporte dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês).

Segundo o porta-voz da entidade, Steve Chealander, o Bombardier Dash 8 caiu de uma altitude de 1,8 mil pés (548 m) para 1 mil pés (304 m) pouco antes do impacto.

A aeronave operada pela Colgan Air para a Continental Airlines havia partido de Newark, em Nova Jérsei, e fazia seu procedimento de descida em Buffalo, em Nova York, quando caiu no subúrbio de Clarence Center, a 16 km do aeroporto.

O acidente matou todas as 49 pessoas a bordo, além de uma em terra.

Em entrevista coletiva no domingo, Chealander afirmou ainda que o avião estava no piloto automático até pouco antes da queda e que não foram encontrados sinais de que havia um grande acúmulo de gelo na aeronave o momento do acidente.

Uma análise inicial da caixa-preta do avião mostrou que a tripulação teria reclamado desse acúmulo nas asas.

Nessas condições, a Bombardier recomenda que não seja usado o piloto automático.

Mas na entrevista, o porta-voz do NTSB disse que não há provas de que o piloto do voo da Continental Connect tenha cometido algum erro.

Os pilotos não comunicaram o controle de tráfego aéreo sobre qualquer problema durante o voo, e a gravação das conversas se mostrou normal até pouco antes do acidente.

Neste momento, segundo Chealander, foi ouvida uma conversa na qual os pilotos reclamavam da neve e da neblina. Em seguida, eles pediram permissão para aterrissar.

Mas investigações preliminares indicam que a aeronave não estava direcionada ao aeroporto onde deveria pousar.

O estudo da caixa-preta também revelou que o avião "rolou" e foi "arremessado" várias vezes segundos antes de se chocar com a casa.

Fonte: BBC Brasil - Foto: Stan Honda (AFP/Getty Images)

Avião chinês de passageiros faz pouso de emergência

Um avião da companhia aérea chinesa Shenzhen Airlines, que partiu da capital Pequim, fez um pouso de emergência no aeroporto de Zhengzhou, no centro do país, após detectar vazamento de combustível de um dos seus motores, informou nesta segunda a empresa.

O Boeing 737 saiu de Pequim às 14h30 com destino a Shenzhen, mas aterrissou cerca de 1 hora depois no aeroporto de Zhengzhou, depois que um tripulante descobriu que o motor esquerdo estava com um vazamento de combustível, disse a companhia em um comunicado.

A nota da empresa acrescenta que o pouso não causou danos ao avião e aos passageiros, mas não informou quantas pessoas estavam na aeronave no momento do incidente.

Depois de um exame inicial, a equipe de reparo disse que um problema com a vedação do anel de selo do motor teria causado o vazamento.

A maioria dos passageiros teria chegado ao seu destino original, a cidade de Shenzhen, ainda hoje, enquanto alguns foram transferidos a outros vôos, segundo a empresa.

Fonte: Agência Xinhua via Terra

Singapore Airlines vai reduzir frota em 17%

A companhia aérea Singapore Airlines (SIA) anunciou nesta segunda-feira que vai suprimir 17% da frota em um ano, em consequência da desaceleração econômica que afeta o número de passageiros.

A companhia vai retirar do mercado 17 aviões no ano fiscal que vai de abril de 2009 a março de 2010. No dia 1º de fevereiro, a companhia tinha 102 aeronaves em sua frota. "A queda no transporte aéreo foi forte e rápida", resumiu Chew Choon Seng, diretor-geral da empresa.

A SIA não comentou se haverá demissões com a redução na frota.

Fonte: InvestNews

Anac convoca Air France para atuar em sua defesa

A diretora-geral da Air France no Brasil, Isabelle Birem, escolheu uma estranha forma para comemorar o quinto aniversário da aprovação da aquisição da KLM pela Comissão Europeia. Cinco anos depois da histórica data, em um mesmo 11 de fevereiro, ela pousou em Brasília para participar da audiência pública na sede da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Aliou-se à agência na defesa da liberação das tarifas aéreas internacionais, medida que pode gerar evasão de divisas e afetar empresas nacionais, e se envolveu em uma grande polêmica. A mesma empresa condenada no ano passado na Justiça norte-americana a pagar multa milionária por formação de cartel, tenta no Brasil agir como "defensora do consumidor".

Funcionando como aliada incondicional da Anac, a representante legal da Societé Air France e da KLM/Cia. Real Holandesa de Aviação, Isabelle Birem, demonstrou ter conhecimento prévio das regras da audiência, já que foi a única que chegou com uma apresentação em power point, já cronometrada para os sete minutos que lhe foram designados "apenas na hora" pela mesa diretora da audiência. Quando começou a falar, sua palestra já estava previamente instalada no computador da agência. Funcionou como uma aliada incondicional da Anac. "Por coincidência", no mesmo dia que a nova Alitalia, empresa caçula do grupo, recebia autorização da própria agência para o seu funcionamento jurídico no Brasil. Tudo concedido em prazo supersônico.

Madame Birem conseguiu uma proeza. Foi opositora dos maiores sindicatos de trabalhadores da aviação: Sindicato Nacional dos Aeronautas, Sindicato dos Aeroviários, Sindicato Nacional das Empresas Aéreas e de representantes dos setores do turismo, da área acadêmica (entre eles um ex-diretor da própria Anac), além da maior companhia aérea brasileira, a TAM, com quem teve voos compartilhados e que foi transformada em neo-adversária pelos franceses.

Fonte: Gazeta Mercantil

Evite dano, extravio e furto de bagagem

De partida para as férias de verão em Porto Seguro, na Bahia, a contadora Romilda Araújo preparou as malas e embarcou para o que acreditava ser uma semana de descanso. Os problemas começaram antes mesmo do início da hospedagem. “Quando fui pegar a minha mala, cadê? Tinha desaparecido. E, o pior, com dinheiro e outras coisas de valor dentro”, conta. Em menos de um dia a bagagem foi recuperada, mas para a surpresa de Romilda, o cadeado estava arrombado e, além do dinheiro, a máquina fotográfica tinha desaparecido. “Assim que percebi o ocorrido, fui a uma delegacia prestar queixa e comuniquei o fato à agência de viagem. Queria o ressarcimento dos objetos roubados”, lembra.

Situações como a de Romilda são cada vez mais frequentes e, não raro, as companhias de viagem, sejam de transporte aéreo, rodoviário ou ferroviário, se eximem de qualquer responsabilidade sobre objetos de valor ou frágeis acomodados em bagagens despachadas. A recomendação é para que câmeras fotográficas e outros eletrônicos, dinheiro, documentos e objetos frágeis sejam transportados na bagagem de mão, como orientado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Mas isso não impediu Romilda de entrar com uma ação no Juizado Especial Cível. “Consegui uma indenização de R$ 1,5 mil por danos materiais”, afirma. O advogado de defesa do consumidor Jáder Gomes explica que, desde que haja indícios de furto na bagagem, o passageiro pode, sim, recorrer ao Poder Judiciário. “Além disso, o inciso VIII do art. 6º do Código de Defesa do Consumidor prevê a inversão do ônus da prova, ou seja, em vez de a parte prejudicada ter que provar os danos sofridos, a empresa deverá provar que o consumidor não foi prejudicado”, esclarece.

O fato de instruírem os passageiros sobre o que deve ou não ser carregado na mala não garante à empresa de transporte isenção da culpa sobre os danos ocasionados às bagagens durante o deslocamento. “A empresa tem responsabilidade total sobre a bagagem. Assim que o consumidor percebe algum problema, seja furto ou mesmo danos de objetos no interior da mala, deve comunicar imediatamente à empresa, de preferência com uma reclamação formal escrita”, explica a advogada do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) Maíra Feltrin.

Indenização

Mesmo seguindo à risca todas as determinações de transporte de bagagens, Juliana Campos não se livrou das dores de cabeça. “Tudo que era de valor estava comigo e, por isso, achei que estaria resguardada de qualquer problema, seja de danos ao conteúdo da mala ou mesmo furto”, explica. Mas não foi o que ocorreu. Depois de 40 dias de extravio da bagagem, Juliana recebeu as malas violadas e com um prejuízo de cerca de R$ 4 mil em objetos roubados. “Levaram roupas, tênis, CDs e vários outros objetos. Comuniquei à companhia áerea, mas eles querem me pagar uma indenização de R$ 400. Vou entrar na Justiça”, afirma.

Foto: Juliana ficou 40 dias sem malas. Depois, vieram sem roupas, tênis e CDs

Para se resguardar de eventuais problemas como esses, a advogada da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste) Maria Inês Dolci recomenda que os passageiros registrem os objetos dentro da mala junto à empresa, antes do embarque. “Esse documento é muito importante para provar que o material defeituoso ou furtado realmente estava dentro da mala, facilitando o processo posteriormente”, explica. Na declaração é especificado o modelo, valor do bem (desde que apresentada nota fiscal) e outras características que o identifiquem em um eventual caso de furto ou dano. “É importante juntar todas as provas. Se o problema for identificado ainda dentro do aeroporto, rodoviária ou estação, melhor. Se não for assim, é bom tirar fotos e contatar a empresa imediatamente”, explica.

Na hora do embarque, outras precauções podem ser tomadas para evitar constrangimentos e atrasos na viagem. Isso porque, no transporte aéreo, alguns objetos são proibidos e não podem ser carregados na bagagem de mão (veja quadro). “Objetos pontiagudos, metálicos, cortantes, líquidos como xampu e perfume devem ser despachados. Caso contrário, terão de ser removidos antes do embarque”, explica Maria Inês. As restrições no transporte rodoviário e ferroviário são pequenas e se limitam ao volume da mala, não havendo qualquer impedimento quanto a objetos carregados.

Fonte: Paula Takahashi (Estado de Minas) - Foto: Beto Magalhães (EM/D.A Press)

TAP comprou combustível mais caro que o valor de mercado

A TAP pagou o combustível em 2008, em média, a mais 6,5% do que o preço de mercado. Em oito dos 12 meses do ano, a companhia aérea de bandeira comprou o combustível para avião a um valor mais elevado do que a cotação de mercado.

Fonte oficial da companhia explicou ao Negócios que a diferença de um mês e meio entre as compras de combustível da transportadora justifica que quando a cotação do petróleo está a subir ganha alguma vantagem neste desfasamento, enquanto quando está a descer perde essa vantagem.

Os primeiros meses do ano passado ainda foram positivos para a TAP. De Janeiro a Maio a companhia ainda comprou o "jet fuel" abaixo da cotação. No entanto, quando o preço começou a subir no mercado, a transportadora aérea começou a perder vantagem.

Fonte: Jornal de Negócios Online (Portugal)

Queda de avião de treinamento iraniano deixa 5 mortos

A queda de um avião de treinamento iraniano, um HESA Iran-140, nas proximidades da cidade de Isfahan deixou ontem (15) cinco mortos, informou a televisão pública do Irã.

A emissora destacou que o avião fazia manobras de aproximação para aterrissar quando, por causas desconhecidas, caiu e pegou fogo em seguida.

Os cinco ocupantes do aparelho - o piloto e quatro alunos - morreram na queda, informou a fonte, que ressaltou que foi aberta uma investigação para esclarecer o acidente.

Fontes: EFE via G1 / ASN

domingo, 15 de fevereiro de 2009

United tortura passageiros em Cumbica

Os passageiros do voo 860 da United Airlines, que deveria decolar do Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica) às 23h50 do sábado, 31 de janeiro último, com destino a Washington DC (EUA), jamais poderiam imaginar o que os aguardava ao embarcarem no Boeing 777-200 da companhia norte-americana, por volta das 23h30.

Inicialmente, o embarque transcorreu normalmente, mas com todos os passageiros embarcados, por volta das 00h15, o comandante avisou que a aeronave apresentava um problema técnico, num sistema hidráulico, que acarretaria um atraso – para que fosse retificado. Bem mais tarde, foi informado que a United não tinha no Brasil a peça com problemas, mas fora feito o contato com uma companhia brasileira (a TAM), que possuía a peça e a iria ceder, para instalação no avião da United.

Enquanto tudo isso ocorria, os passageiros foram mantidos dentro da aeronave, sem que a tripulação oferecesse nenhuma bebida (nem água), nem alimentação.

Curiosamente, por volta das 01h20, a própria tripulação alimentou-se, inclusive com refeições quentes. O jornalista de ASAS à bordo viu também os tripulantes beberem sucos e refrigerantes, sem que nada fosse oferecido aos passageiros!

Eram cerca de 02h30 (os passageiros estavam embarcados há cerca de três horas!), no meio da madrugada, quando a tripulação avisou que os passageiros deveriam deixar a aeronave, mas permanecer na área de embarque, perto do portão. A sala VIP da United foi mantida fechada, e nenhuma comodidade foi oferecida – apesar de haver muitas crianças, alguns bebês, e também idosos à bordo. Alguns se acomodaram no chão, tentando cochilar. Uma funcionária de terra da United anunciou que fora contatado o serviço de catering, mas este levaria 15 minutos (!) para atender os passageiros...

Vale dizer que, de madrugada, não existe sequer um café que fique aberto na área de embarque, no maior aeroporto internacional do Brasil.

Os passageiros foram reembarcados por volta das 03h00 – apenas para serem novamente convidados a deixar a aeronave (desta vez, em definitivo), por volta das 04h00. O voo fora cancelado.

Apesar do anúncio dentro da aeronave dizendo o contrário, não havia nenhum funcionário da companhia aérea prestando orientação real aos passageiros no caminho de saída. Alguns funcionários postaram-se na área de táxis, num arremedo de apoio, e logo formou-se um grande tumulto. A United providenciara hotel para o pernoite, mas o transporte tornou-se um caos, pois a companhia acionava táxis de um em um, de uma única empresa, com a qual tem acordo. Para se ter idéia, o jornalista de ASAS conseguiu embarcar num táxi por volta das 05h00 (com o sol nascendo!), e chegou à sua residência apenas às 06h15, aproximadamente.

A United ainda pediu que os passageiros contatassem a reserva no dia seguinte (domingo), para conferir seu voo – pois não podia garantir lugar para todos no vôo seguinte, o mesmo UA 860, às 23h50 de 1º de fevereiro.

A reportagem de ASAS apurou que o problema no Boeing 777-200 da companhia norte-americana foi tão sério que a aeronave permaneceu no Brasil no dia 1º de fevereiro, e retornaria aos EUA apenas com a tripulação.

Fonte: Revista Asas, 12 de Fevereiro de 2009

Avião acidentado nos EUA não mergulhou, mas caiu "de barriga" sobre casa

O avião acidentado em Buffalo (Nova York) não mergulhou, mas caiu "de barriga" sobre a casa, informou ontem um porta-voz do Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB) dos Estados Unidos.

A posição em que a parte dianteira e a cauda do avião estavam indica que o piloto se dirigia em direção ao aeroporto internacional dessa cidade, a apenas 10 quilômetros, do lugar do acidente, diz a fonte.

Os investigadores, que já encontraram na sexta-feira as caixas-pretas do aparelho, indicaram também que a rápida acumulação de gelo nas asas do avião, um bimotor Q400 Bombardier, fez com que ele perdesse sua capacidade para continuar voando.

O avião transportava 49 pessoas que morreram no acidente. Um ocupante da residência também morreu.

Os estados do norte do país, como o de Nova York e a cidade de Buffallo, próxima às cataratas do Niágara e à fronteira com o Canadá, sofreram condições climatológicas muito adversas durante as últimas semanas, com neve e chuva gelada, assim como ventos muito fortes.

Fonte: EFE via G1

Avião que caiu estava com piloto automático ligado

Um funcionário federal do setor de aviação afirmou neste domingo que o avião que caiu em uma casa em Buffalo, no Estado americano de Nova York, matando 50 pessoas, estava com o piloto automático ligado. O uso dessa tecnologia naquele contexto viola a política da companhia aérea.

Steve Chealander, membro da Diretoria Nacional de Segurança nos Transportes, afirmou que a Colgan Air recomenda aos pilotos que voem sem o piloto automático em condições meteorológicas ruins e com neve. A empresa afirma que os pilotos devem conduzir manualmente a aeronave, em caso de neve pesada.

O piloto do avião acidentado informou sobre gelo "significativo" em suas asas e para-brisas, pouco antes do acidente na noite de quinta-feira. Chealander disse que a investigação preliminar aponta que o piloto automático ainda estava ligado, quando o avião colidiu.

Fonte: estadao.com.br

Aeroclube quer popularizar passeios

Os vôos são realizados diariamente, do nascer ao pôr-do-sol, em dias de céu aberto; o passeio dura até 45 minutos

A direção do Aeroclube de Bauru pretende popularizar os passeios de planador sobre a cidade. “Desenvolvemos essa atividade há vários anos, mas só agora tivemos condições de divulgá-la ao público”, explica o presidente da entidade, Fábio Freire Lara.

Ele salienta que os vôos, além de servirem para levar visitantes ao Aeroclube, ajudam a atrair novos alunos para os cursos de aviação civil da entidade. Os passeios de planador são abertos a pessoas de todas as idades.

O vôos são realizados diariamente (de segunda a segunda), do nascer ao pôr-do-sol (as condições para que o planador permaneça no ar costumam ser melhores depois das 10h). Os passeios só não ocorrem em ocasiões chuvosas.

A direção do Aeroclube recomenda que pessoas hipertensas ou que sofram de problemas cardiácos não façam o vôo panorâmico. A entidade tem dois pilotos à disposição daqueles que desejarem fazer o passeio.

“Nossa intenção, no futuro, é aprimorar essa atividade, para que se torne realmente um passeio inesquecível para aqueles que visitem o Aeroclube”, diz Lara. Para fazer o passeio de planador, é importante que a pessoa se lembre de usar filtro solar, o que evita queimaduras na pele. Os organizadores recomendam também que se use camisetas de mangas longas e bonés.

Serviço

Interessados em obter informações sobre os passeios de planador oferecidos pelo Aeroclube de Bauru podem entrar em contato pelo telefone (14) 3223-1800. O Aeroclube fica na alameda Doutor Octávio Pinheiro Brisolla, 19-100.

Fonte: Rodrigo Ferrari (Jornal da Cidade de Bauru)