terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Sata Air Açores recebe certificação de qualidade

A transportadora aérea açoriana é a primeira empresa de handling portuguesa a receber a certificação de qualidade ISO 9001:2008

O certificado de qualidade, que foi atribuído à Sata Air Açores pela APCER, vem tornar o serviço de handling da transportadora aérea internacionalmente reconhecido e assegurar a excelência e rigor do serviço prestado na assistência em terra.

De acordo com a transportadora aérea açoriana a atribuição do certificado de conformidade ISO 9001:2008 faz prova da qualidade, empenho e profissionalismo da unidade de negócios de handling.

A atribuição da ISO – International Organization for Standardization – confere às empresas contempladas a garantia de que, no seio destas, haja o mais alto nível de qualidade na prestação dos seus serviços. Mais, as entidades certificadas assumem um claro compromisso para com a satisfação dos clientes e para com a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade.

Assim, e no âmbito desta certifição, todas as áreas que compõem a direcção de Handling da Sata Air Açores foram auditadas. O exigente período de auditoria, que culminou com a atribuição do certificado de conformidade, incidiu sobre as áreas de check-in, embarque, desembarque de passageiros, área de carga e correio, carregamento e descarregamento, serviço de placa. Foram, na totalidade, auditados, por amostragem, trinta e quatro processos no âmbito da assistência a aeronaves e passageiros, nas escalas de Ponta Delgada, Terceira, Santa Maria e Horta.

Para complementar esta certificação, a Sata viu, muito recentemente, reconhecida a eficiência, profissionalismo e simpatia dos seus colaboradores, através da distinção atribuída pelo Conselho Internacional de Aeroportos que classificou o Aeroporto João Paulo II entre os melhores da Europa, no que respeita à eficiência do atendimento e conforto oferecido aos passageiros.

A unidade de handling da Sata Air Açores assiste cerca de dois milhões de passageiros e 16 mil voos por ano.

Fonte: Jornal Diário (Portugal)

Anac realiza fórum sobre helipontos em SP

Capital tem 214 helipontos

Regularização e segurança em pauta



Proprietários de helipontos privados na capital paulista foram convidados pela Agência Nacional de Aviação Civil – Anac para o fórum de debates que será realizado amanhã (quarta, 11) com temário sobre Segurança, Irregularidades e Caminhos para a Regularização. Será das 9 até 17h30 horas, no Auditório da Universidade Anhembi Morumbi. Rua Casa do Ator, 275 - Vila Olímpia.

O seminário vai reunir representantes do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), do Serviço de Proteção ao Vôo, da Infraero, da Prefeitura de São Paulo, da Associação Brasileira de Pilotos de Helicópteros (Abraphe), além de gestores da Anac..

A cidade de São Paulo tem 214 helipontos abertos ao tráfego aéreo, sendo um deles de órgão público (no Palácio dos Bandeirantes, de uso restrito do Governo do Estado) e os demais de uso particular, pertencentes a empresas, bancos, indústrias, hospitais, hotéis etc. Na capital estão 45% dos helipontos paulistas que somam 473 entre públicos e privados.

A capital paulista também registra a maior frota de helicópteros no país: 309, o que corresponde a 61% das 503 aeronaves desse tipo registradas em São Paulo e 26% dos 1.194 helicópteros no Brasil. É o maior tráfego deste segmento em toda a América do Sul.A avenida Paulista, Vila Olímpia e Itaim Bibi são as áreas de maior concentração de tráfego.

Fonte: Agência Estado - Foto: arcoweb.com.br

Rival da Embraer anuncia primeira lista com mais de mil demissões

Bombardier inicia demissões

A principal rival da brasileira Embraer no mercado mundial de aviação regional iniciou o processo de demissão para 1.360 funcionários, alegando a diminuição no número de pedidos. No quadro geral, a empresa franco-canadense tem um total de 30 mil funcionários.

A indústria fechou o ano de 2008 com 378 pedidos, quase 50% a menos em relação a 2007 quando teve 698 encomendas.

As reduções serão levadas a cabo nos próximos cinco meses e afetarão empregados das unidades de Montreal (Canadá), Wichita (Estados Unidos) e Belfast (Grã-Bretanha).

Do total de dispensados, 1010 são trabalhadores temporários ou subcontratados.

Fonte: Agência Estado

Ficha de voo de avião que caiu em rio no Amazonas tinha contradições e omitia peso

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (Cenipa), de Brasília, investiga se o acidente com o avião Bandeirante da empresa Manaus Aerotáxi, que matou 24 das 28 pessoas a bordo, foi provocado por excesso de peso. Segundo o jornal "Hoje", da Rede Globo, a cópia do manifesto de carga do avião, divulgado pela empresa Manaus Aerotáxi, revela uma série de contradições.

Clique aqui e veja imagens do resgate da aeronave

O documento, que é preenchido pelo piloto ou copiloto, informa que 26 pessoas estavam a bordo (20 da mesma família) - duas a menos do que o avião transportava e oito a mais que o número de poltronas do Bandeirantes. Os campos destinados ao cálculo total do peso estão completamente vazios. ( Confira a lista das vítimas )

Anac vai apurar condições de segurança da Manaus Aerotáxi

Em nota divulgada nesta segunda-feira, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informa que está abrindo processo administrativo para averiguar as condições de segurança operacional da empresa Manaus Aerotáxi. De acordo com o órgão, "o prazo para terminar o processo pode variar de 1 a 6 meses, dependendo das dificuldades encontradas na averiguação".

A Manaus Aerotáxi tem cadastrados na Anac 6 aviões: 2 modelos Turbo Commander, 2 Bandeirante (além do acidentado em Manacapuru no último sábado) e 1 Xingu aguardando liberação do Certificado de Aeronavegabilidade

Segundo a Anac, a empresa opera desde 2003 e não havia, até sábado, registros de acidentes da Manaus Aerotáxi. "A mais recente auditoria da ANAC na empresa ocorreu em novembro de 2008 e não foram constatadas irregularidades que comprometessem as operações", diz a nota.

Um dos diretores da Manaus Aerotáxi, Marcos Pacheco, disse, no domingo, que a aeronave não estava com excesso de peso e que o excedente de passageiros era composto por crianças de colo. Uma portaria da Anac de 2000 permite o transporte de até 30% a mais de passageiros crianças com até dois anos. No entanto, havia crianças com mais de 7 anos viajando no colo.

A Anac informou que a obrigação de controlar a quantidade de passageiros é do piloto, o que não retira a responsabilidade da empresa proprietária da aeronave. Ainda assim, especialistas dizem que mais importante do que a quantidade de passageiros é saber o peso que o avião transportava.

O Cenipa está se concentrando na análise da caixa-preta do avião. Uma comissão de três técnicos - um de Brasília e dois de Manaus - está em Manacapuru (AM), local do acidente, e vai tentar recuperar a gravação de vozes da cabine instantes antes da queda do avião. Um relatório preliminar sobre as possíveis causas deve ser divulgado em dez dias. ( Ouça o depoimento de uma das sobreviventes )

O Bandeirante partiu de Coari na tarde de sábado com destino ao Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus. Já estava a aproximadamente 20 minutos de chegar ao destino quando o piloto do avião chamou a torre de controle e avisou que iria voltar para Coari. Segundo a Aeronáutica, o piloto não explicou o motivo e nem mencionou uma suposta chuva forte naquele instante. Antes dos esclarecimentos, a comunicação foi interrompida e o Bandeirante sumiu dos radares.

Reportagem de Jailton de Carvalho, publicada na edição desta segunda-feira do jornal O Globo, mostra que técnicos do Cenipa suspeitam que o desastre foi provocado por pane num dos dois motores do aparelho. O motor teria falhado por problemas com combustível: não se sabe ainda se por falta de querosene ou por adulteração.

Sobrevivente diz que motor parou perto de Manaus

No domingo, peritos do Cenipa estavam no Instituto Médico-Legal de Coari (AM) pesando os corpos encontrados no rio Manacapuru, a 85 quilômetros de Manaus, onde o piloto César Grieger, de 47 anos, tentou fazer um pouso forçado na água. O objetivo é tentar provar o excesso de peso. A passageira Ana Lúcia Laurea, de 43 anos, uma das quatro pessoas que conseguiram sair pela porta de emergência antes de o avião afundar, disse que o problema foi no motor esquerdo.

- A hélice parou a uns 15 minutos de Manaus, e daí em diante o avião só perdeu altitude até o impacto na água.

Outra sobrevivente, Brenda Dias Moraes, 21 anos, explicou como conseguiu evitar a morte por afogamento:

- O avião foi para o fundo muito rápido, e a gente só teve chance porque estava nas últimas poltronas e abriu logo a porta - disse.

Enterro de 22 vítimas é realizado em Coari

Os corpos de 22 das 24 vítimas - que fretaram a aeronave para a festa surpresa de um parente em Manaus - foram enterrados em Coari, de onde partiu a aeronave. A prefeitura da cidade decretou luto oficial de três dias e feriado nesta segunda-feira.

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura de Coari, houve tumulto na chegada dos corpos ao município. As vítimas, quase todas da mesma família, foram veladas em dois ginásios. Uma multidão participou do velório e seguiu em cortejo para o Cemitério Santa Tereza, onde os 22 corpos serão enterrados.

Fontes: Globo News TV / Reuters / Agência Brasil / CBN / Jornal Hoje / O Globo

Avião da Pantanal faz pouso técnico no Aeroporto de Viracopos

A aeronave partiu do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo e tinha como destino a cidade de Marília

Um avião da empresa Pantanal fez um pouso técnico nesta segunda-feira (09), por volta das 9h, no Aeroporto Internacional de Viracopos. A aeronave partiu do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo e tinha como destino a cidade de Marília. A empresa informou que houve uma falha operacional, e que por questões de segurança a rota foi alternada para Campinas, pois não era possível retornar a São Paulo. Por isso é utilizado nesses casos uma rota alternativa onde Viracopos se enquadra.

A empresa afirmou também que não houve o pouso de emergência. Nesses casos é necessário a presença do Corpo de Bombeiros e uma equipe técnica. A rota alternada para Viracopos, segundo a empesa Pantanal, é normal, já que os aviões que partem de Congonhas não podem retornar ao aeroporto e por isso, são utilizadas outras pistas de menor movimento. Os passageiros desceram em Campinas e seguiram no mesmo voo para Marília que partiu da cidade às 17h.

A frota da Pantanal é composta por aeronaves ATR42 com capacidade para até para 50 passageiros, mas foram reconfiguradas para transportar apenas 45 passageiros. São fabricadas pelas empresas Aerospatiale, na França e Alenia na Itália, que participam do consórcio AIRBUS. Os ATR42 operados pela Pantanal são do modelo 320 e utilizam motores canadenses impulsionados por hélices.

Fonte: Cosmo On Line

Inspeção feita há três meses não encontrou irregularidades na Manaus Aerotáxi

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) informou ontem (9), por meio de nota, que abriu processo administrativo para averiguar as condições de segurança operacional da empresa. A investigação deve durar entre um e seis meses, dependendo das dificuldades encontradas na averiguação.

Segundo a nota, a última auditoria na companhia de táxi aéreo foi realizada em novembro de 2008. Na ocasião, os inspetores da agência não encontraram qualquer irregularidade que comprometesse as operações da empresa. Ainda de acordo com a Anac, a Manaus Aerotáxi opera desde 2003 e, até o último sábado, não havia registro de acidente com qualquer um de seus seis aviões, cadastrados junto à agência (dois Turbo Commander; três Bandeirantes – um deles, o envolvido no acidente de sábado - e um Xingu, que aguarda liberação do certificado de aeronavegabilidade.

Fretado por uma agência de turismo, o avião havia decolado da cidade amazonense de Coari com destino à capital Manaus. Segundo a assessoria da própria empresa, ao se aproximar do Aeroporto Brigadeiro Eduardo Gomes, o piloto encontrou o tempo ruim e comunicou à torre que tinha decidido retornar para Coari. Logo depois o avião desapareceu do radar, sendo localizado em um afluente do Rio Solimões, nas proximidades do município de Manacapuru.

Fonte: Agência Brasil

Aeroporto do Porto teve o 5º melhor desempenho entre 84 aeroportos europeus

O Aeroporto do Porto (foto), com um aumento do número de passageiros em 13,7%, para 4,5 milhões, em 2008 teve neste ano o 5º melhor desempenho entre 84 aeroportos com dados provisórios publicados pelo ACI-Europe.

Lisboa posicionou-se na 37ª posição quanto à variação face a 2007, com +1,6%, para 13,6 milhões, e Faro na 47ª, com –0,4%, para 5,44 milhões.

Em variação absoluta do número de passageiros, o Porto teve o 12º melhor resultado, ao ter mais cerca de 546 mil passageiros, Lisboa ficou na 22ª posição, com mais cerca de 214 mil, e Faro ficou na 50ª, com um decréscimo de cerca de 22 mil.

O ranking por total de passageiros no ano (ainda com valores provisórios) coloca Lisboa na 27ª posição, tal como em 2007, imediatamente a seguir a Helsínquia (14,48 milhões), que baixou uma posição, e à frente de Málaga (12,79 milhões), que baixou duas.

Faro surge na 48ª posição, tendo caído uma em relação a 2007, atrás de Girona (5,48 milhões de passageiros), que subiu três posições, e à frente de Lanzarote (5,4 milhões), baixou três posições.

O Porto “salta” sete posições em relação a 2007, passando para a 53ª, imediatamente atrás de Ibiza (4,63 milhões), que baixou uma posição, e à frente de Fuerteventura (4,46 milhões), que baixou uma.

Londres-Heathrow, com 67,056 milhões de passageiros, menos 1,5% que em 2007, o que equivale a uma redução na ordem de um milhão, manteve-se o primeiro aeroporto europeu em número de passageiros, mas menos distante de Paris-Charles de Gaulle, que teve um aumento em 1,6% ou cerca de 958 mil, para 60,85 milhões.

Depois vêm Frankfurt, que teve uma quebra em 1,3% ou cerca de 704 mil, para 53,46 milhões, Madrid, com –2,4% ou menos cerca de 1,2 milhões, para 50,8 milhões, e

Amesterdão, que baixou 0,8% ou cerca de 382 mil, para 47,4 milhões.

A grande alteração no Top10 dos aeroportos europeus ocorreu no ano passado com Roma-Fiumicino e Londres-Gatwick, que trocaram de posições.

Roma subiu da 8ª para a 6ª, por um crescimento em 6,9% ou cerca de 2,26 milhões, para 35,1 milhões, e Londres-Gatwick, por uma queda em 2,9% ou cerca de um milhão, para 34,2 milhões, passou da 6ª para a 8ª posição.

Munique manteve-se como o sétimo aeroporto europeu, com 34,5 milhões de passageiros, +1,7% ou mais cerca de 577 mil que em 2007, Barcelona conservou a 9ª posição, com 30,19 milhões (-8,1% ou menos cerca de 2,66 milhões que em 2007), e Paris-Orly manteve a 10ª, com 26,2 milhões de passageiros (-0,9% ou menos cerca de 238 mil que em 2007).

Os dados da ACI-Europe indicam que mais sete aeroportos europeus tiveram no ano passado mais de 20 milhões de passageiros.

São os casos de Dublin, com 23,466 milhões (+0,8% ou mais cerca de 186 mil que em 2007), Palma de Maiorca, com 22,82 milhões (-1,7% ou menos cerca de 395 mil que em 2007), Londres-Stansted, com 22,35 milhões (-6% ou menos cerca de 1m4 milhões que em 2007), Zurique, com 22,05 milhões (+6,6% ou mais 1,36 milhões), Copenhaga, com 21,47 milhões (+0,6% ou mais cerca de 128 mil que em 2007), Manchester, com 21,4 milhões (-4,3% ou menos cerca de 961 mil que em 2007), e Moscovo, com 20,4 milhões (+9% ou mais cerca de 1,68 milhões que em 2007).

Em número de passageiros, o líder em crescimento em 2008 foi Roma-Fiumicino, com mais cerca de 2,26 milhões que em 2007, seguido de Moscovo, com mais cerca de 1,68 milhões, Zurique, com mais cerca de 1,36 milhões, Berlim, com mais cerca de 1,13 milhões.

Com crescimentos acima do meio milhão, além do Porto, constam ainda Viena, com mais cerca de 976 mil, Paris-Charles de Gaulle, com mais cerca de 958 mil, Milão-Bérgamo, com mais cerca de 740 mil, Bruxelas, com mais cerca de 695 mil, Girona, com mais cerca de 657 mil, Genebra, com mais cerca de 615 mil, Munique, com mais cerca de 577 mil, e Riga, com mais cerca de 530 mil.

Os dados do ACI indicam que no ano passado 45 aeroportos tiveram aumento do número de passageiros face a 2007 e 39 tiveram quedas, entre menos de três mil no caso de Madrid-TOJ, para 34,2 mil, e cerca de 4,65 milhões, no caso de Milão-MXP, para 19,22 milhões.

As outras quedas mais acentuadas foram as de Barcelona, em cerca de 2,66 milhões, para 30,19 milhões, Londres-Stansted, em cerca de 1,4 milhões, para 22,35 milhões, Madrid, em cerca de 1,24 milhões, para 50,8 milhões, Londres-Gatwick, em cerca de um milhão, para 34,2 milhões, e Londres-Heathrow, também em cerca de um milhão, para 67,05 milhões.

Quebras acima do meio milhão de passageiros ocorreram ainda em Manchester (menos cerca de 960 mil, para 21,4 milhões), Málaga (menos cerca de 770 mil, para 12,79 milhões), Frankfurt (menos cerca de 704 mil, para 53,46 milhões), Milão-Linate (menos cerca de 665 mil, para 9,266 milhões), Glasgow (menos cerca de 615 mil, para 8,18 milhões), e Roma-Ciampino (menos cerca de 610 mil, para 4,7 milhões).

Fonte: PressTur (Portugal) - Foto: www.cmm.pt

Comissão da Fifa recebeu relatórios da Infraero

As 12 cidades que serão escolhidas como sedes brasileiras para a Copa 2014 terão melhoramentos gerais, e um setor ganhará evidência: os aeroportos. Todos eles vão merecer uma atenção especial segundo o planejamento apresentado pela Infraero em cada uma das visitas feitas até a semana passada.

O Aeroporto Internacional Augusto Severo, em Natal (RN), é um deles. A Infraero mostrou aos representantes da Fifa os projetos de ampliação, melhoria e construção na capital do Rio Grande do Norte.

O superintendente do Aeroporto de Natal, José Daniel Sobrinho, destacou o aumento da capacidade de passageiros por ano, após a reforma prevista. ”O aeroporto passará de 1,5 milhão para 2,5 milhões de passageiros por ano", anunciou.

Além disso, foi apresentado o projeto de construção do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, que, no caso da escolha de Natal, poderá ter sua construção acelerada para vir a ser utilizado na Copa do Mundo de 2014.

Fonte: Agência Estado

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Piloto de avião evita colisão com helicóptero de presidente indiana

O piloto de um avião da Air India evitou hoje, no último momento, uma colisão com um helicóptero militar que levava uma comitiva da presidente indiana, Pratibha Patil (foto), com o qual se deparou durante os procedimentos para a decolagem.

"Estava a ponto de decolar. De repente, o helicóptero apareceu na frente do avião e puxei os freios de emergência", explicou à imprensa o piloto do voo, A.S. Kohli, citado pela agência "Ians".

O avião da companhia Air India, que fazia a rota entre a cidade financeira de Mumbai e a capital, Nova Délhi (voo IC-866), evitou assim a colisão com o helicóptero, no qual estava a comitiva presidencial, segundo um porta-voz da companhia aérea, Jitendra Bhargava.

Os 170 passageiros e os dez membros da tripulação não tiveram ferimentos, mas a aeronave foi transferida a um hangar porque um dos pneus ficou avariado.

"Não se trata de nenhum milagre. O que se viu aqui foi o rígido treino profissional" do piloto, assegurou o porta-voz da Air India.

O chefe do Governo da região de Maharashtra -cuja capital é Mumbai-, Ashok Chavan, atribuiu o fato a um possível "erro" da torre de controle do aeroporto e pediu que o assunto seja "considerado seriamente, para evitar que, no futuro, ocorram novos incidentes como este", segundo a agência "PTI".

As Forças Aéreas indianas já abriram uma investigação para esclarecer em quais circunstâncias os aparelhos se encontrariam frente à frente na pista, mas já asseguraram que o piloto militar estava seguindo as instruções dos controladores.

Fontes: EFE via G1 / Thaindian News

A primeira viagem de Obama no Air Force One

O presidente americano, Barack Obama, tomou pela primeira vez, na quinta-feira (05), o "Air Force One", o famoso Boeing 747 presidencial azul e branco.

O presidente americano, Barack Obama, desembarca do Air Force One, em Newport News, Virgínia

Obama também fez, no mesmo dia, seu primeiro vôo a bordo do helicóptero verde "Marine One", da Casa Branca para a base aérea Andrews, perto de Washington.

O presidente foi até a cabine de imprensa de seu novo avião, antes da decolagem rumo à Virgínia, onde falaria para membros democratas da Câmara de Representantes.

"Tenho um superjaqueta, então pensei em vir aqui mostrar para vocês", brincou Obama, mostrando o selo presidencial e as palavras "Air Force One" e "Barack Obama."

"O que vocês acham desse avião fantástico? Não é ruim", gracejou mais uma vez, acrescentando que foi convidado uma vez para conhecer a aeronave presidencial, quando George W. Bush ainda estava no cargo.

Ele descreveu, com entusiasmo, a visão da capital, de helicóptero, no pôr-do-sol: "espetacular!".

Fonte: AFP

Gisele Bündchen é barrada pelos inspetores de segurança do aeroporto de Los Angeles

Modelo teve que mostrar produtos de higiene e botas que carregava na bagagem

Gisele Bündchen foi barrada pelos inspetores de segurança do aeroporto de Los Angeles ontem. O site Just Jared disse que a modelo teve que mostrar que carregava em sua mala de viagem.

Ela mostrou vários produtos de higiene, cremes pra pele e uma bota, numa boa, sem reclamações.

Fonte: ClicRBS

Nota do Autor: Seria bom ver as "otoridades" brasileiras não dando "carteiradas" em nossos aeroportos e passando pela mesma rotina a que nós, simples mortais, somos submetidos.

Itamaraty negocia com europeus para evitar deportações

Itamaraty quer contornar causa da proibição ao ingresso de brasileiros

O Itamaraty negocia com Inglaterra, França, Portugal e Itália a criação de mecanismo bilateral para evitar o veto à entrada de brasileiros nesses países e estimular a cooperação entre as autoridades de migração. Iniciativa semelhante foi posta em prática no ano passado entre o Brasil e a Espanha, como parte da solução do incidente causado pela onda de deportações a partir do aeroporto de Barajas, em Madri.

O mecanismo bilateral estabeleceu uma linha direta entre as autoridades dos aeroportos espanhóis e os consulados do Brasil para destravar o ingresso de brasileiros. Somado à crise financeira internacional e à desvalorização do real, esse mecanismo contribuiu para a redução substancial de casos de proibição do ingresso de brasileiros - de 428, em janeiro de 2008, para 124, no mês passado.

Segundo o embaixador Oto Agripino Maia, subsecretário das Comunidades Brasileiras no Exterior do Itamaraty, o governo prepara ainda um folheto com informações básicas para brasileiros sobre as exigências dos principais países de destino turístico e de negócios.

O material deverá ser distribuído pela Polícia Federal (PF), agências de turismo e companhias aéreas. Com a iniciativa, o Itamaraty pretende contornar a principal causa da proibição ao ingresso de brasileiros - problemas de comunicação e falta de documentos exigidos pelo país.

Fonte: Terra - Foto: mochilaosemfronteiras.com

Aeroporto de Marabá (PA) se previne contra acidentes com aves

O aeroporto de Marabá (foto), por onde transitam em média 21 mil passageiros por mês, vem trabalhando um programa de prevenção de acidentes envolvendo aves, que vem dando certo no município. Nos últimos seis anos não houve nenhum acidente ou incidente causado por animais.

Neste período de chuvas os cuidados são mais intensos, pois as aves migram com grandes bandos à procura de um lugar mais aquecido e como a pista do aeroporto não tem um movimento contínuo proporciona esse tipo de conforto. Isso é sinal de perigo para as aeronaves que vão pousar e decolar, fazendo com que a Infraero tenha vigilância redobrada.

O superintendente do aeroporto de Marabá, Enock Gama Filho, falou que vem trabalhando em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e também com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já que esses são órgãos competentes na área do meio ambiente. “Solicitamos vistorias periódicas desses órgãos nas nossas áreas justamente para prevenir acidentes”, afirma.

A Infraero, preocupada com essa situação, implantou não só em Marabá, mas em toda região Norte, um plano de perigo aviário para se prevenir. Essa semana o coordenador de Meio Ambiente da Infraero, Franney Oliveira, visita o aeroporto de Marabá, junto com a bióloga da Regional Norte, Rocheli Morais, e vão percorrer todos os aeroportos do Norte para verificar as ocorrências de acidentes e informar como agir em caso de acidentes ou incidentes.

Enock ainda falou que esses incidentes com aves não são só preocupantes para a Infraero, mas também para o município. Ele lembra que a prefeitura precisa manter um trabalho rigoroso na limpeza da cidade para não deixar lixo próximo ao aeroporto.

Ampliação

Nos próximos 60 dias será ampliada a sala de embarque do aeroporto, colocando 200 cadeiras, assim como o recinto será climatizado. Segundo Enock, os recursos já estão liberados, mas faltam alguns detalhes de memoriais descritivos para dar início às obras.

“Até o início de março estaremos entregando a readequação do terminal de passageiros climatizado e ampliado, a área atual de embarque para melhoria e conforto dos nossos usuários”, articulou Enock.

Fonte: Diário do Pará - Foto: www.panoramio.com

Empresa NetJets pretende comprar aeroportos na Europa

A empresa privada de aviões de Warren Buffet pretende adquirir o controle dos aeroportos mais pequenos na Europa com o objetivo de melhorar o acesso às pistas de decolagem e reduzir o número de horas de viagem dos seus clientes executivos.

“Se houver uma boa oportunidade para comprar um aeroporto, poderemos fazê-lo”, disse o CEO da NetJets da Europa, Bill Kelly em entrevista telefônica à Bloomberg sem identificar potenciais alvos.

A NetJets não tem interesse em tornar-se uma empresa de aeroportos e a sua motivação é meramente melhorar o acesso às pistas de descolagem, acrescentou o responsável.

O tráfego aéreo de passageiros caiu pelo quarto mês consecutivo, em Dezembro, devido à recessão e à crise financeira. A contração econômica afetou a NetJets Europe, levando a uma queda nos voos privados da empresa de um máximo de 20% desde Outubro, disse também Bill Kelly.

“Certamente que 2009 vai ser duro”, disse o responsável em entrevista dia 30 de Janeiro.

Fonte: Jornal de Negócios Online

Voo do Gol faz pouso de emergência em Manaus

Passageiros do voo 1643 da Gol Linhas Aéreas informaram que a aeronave da empresa, um Boeing 737, apresentou problemas durante a chegada a Manaus ontem (08), por volta de 11h30 e precisou fazer um pouso de emergência no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, zona Oeste de Manaus.

A aeronave saiu de Brasília e seguia para Santarém, no Pará. De acordo com informações do jornal Diário do Amazonas, o Corpo de Bombeiros de Manaus chegou a ser acionado por funcionários da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), às 11h40, mas o pouso foi feito sem maiores problemas.

Fonte: Portal Amazônia (com informações do Diário do Amazonas)

Bomba da Segunda Guerra Mundial fecha aeroporto de Miyazaki

Operações ficaram suspensas durante duas horas e 45 minutos, até que a bomba fosse desativada



Uma bomba não detonada da Segunda Guerra Mundial causou atrasos e cancelamentos de voos no aeroporto de Miyazaki, em Kyushu, nesse domingo (8). Durante duas horas e 45 minutos, as operações ficaram suspensas enquanto militares desativavam o projétil de 250 quilos, 1,2 metro de comprimento e 35 centímetros de diâmetro. Segundo a agência de notícias Kyodo, a bomba foi encontrada no dia 24 de janeiro numa área de construção.

A operação para desarmar e retirar a bomba deveria terminar em uma hora, mas durou mais que o previsto. Além dos cancelamentos de voos, todos domésticos, 1.700 pessoas que estavam nas instalações do aeroporto tiveram que ser retiradas do local.

Fonte: EFE via ipcdigital.com

Piloto-herói e tripulação receberão as chaves da cidade de Nova York

O piloto Chesley Sullenberger (foto), que salvou os 155 ocupantes de seu avião ao pousar de emergência - de forma espetacular - no rio Hudson em 15 de janeiro, receberá as chaves da cidade da cidade de Nova York, ao lado da tripulação, informou a imprensa local.

O prefeito Michael Bloomberg homenageará Sullenberger e sua tripulação com uma cerimônia na prefeitura na tarde desta segunda-feira

Na sexta-feira passada, o comandante deu sua primeira grande entrevista e falou da sensação horrível que teve quando percebeu que pássaros haviam colidido com a turbina do aparelho, o que ocasionou o acidente.

"Foi uma sensação horrível, uma sensação na boca do estômago, de estar despencando, a pior que já senti na minha vida", declarou o comandante Chesley Sullenberger ao canal NBC, ao comentar o acidente. Percebi na mesma hora que a coisa era muito ruim".

As turbinas do Airbus A-320 sofreram o impacto de bando de pássaros logo depois da decolagem do aeroporto de LaGuardia.

Sullenberger calmamente entrou em contato com a torre de controle e, numa manobra espetacular, conseguiu pousar em segurança nas águas geladas do rio Hudson, em meio a uma área urbana densamente povoada.

Todos os 150 passageiros e cinco tripulantes ficaram em cima da asa do avião à espera de socorro, que aconteceu rapidamente graças às barcas circulando nos arredores.

Depois disso, Sullenberger virou herói. Ele recebeu homenagens no Superbowl, a grande final da liga de futebol americano, e foi convidado de honra na cerimônia de posse do presidente Barack Obama.

Fonte: France Presse via G1

TGV ganhou preferência dos espanhóis em detrimento do avião

O número de passageiros de comboios de alta velocidade em Espanha aumentou 25% em 2008, em detrimento do número de passageiros de avião em viagens domésticas, que caiu 7,5%, segundo o instituto espanhol de estatísticas.

As viagens domésticas de avião caíram para 41,07 milhões, enquanto as viagens de comboio de alta velocidade aumentaram para mais de 23,2 milhões, noticiou hoje o site de turismo “Presstur”.

A imprensa espanhola diz ainda que a utilização de transportes interurbanos caiu 0,2% para 1,8 milhões de passageiros.

Por outro lado, os comboios em Espanha transportaram em Dezembro mais 26,8% de passageiros em 2008, face a 2007, para cerca de 1,9 milhões, enquanto os passageiros de avião caíram 16,2% para 2,7 milhões.

Fonte: Jornal de Negócios Online (Portugal)

Terra-natal de Carmen Miranda quer nome da diva em avião da TAP

A Câmara de Marco de Canaveses (cidade portuguesa no Distrito do Porto), terra-natal de Carmen Miranda, propôs à TAP Air Portugal que batize um dos seus aviões com o nome da artista que nasceu há cem anos, a completar nesta segunda-feira (09).

Manuel Moreira, presidente da Câmara, disse à Lusa que a sua autarquia aguarda ainda a resposta ao pedido formulado à transportadora aérea portuguesa.

O autarca anunciou que as comemorações do centenário do nascimento da cantora e atriz vão prolongar-se por seis meses e incluem o lançamento de um selo comemorativo da efeméride, em colaboração com os CTT - Correios de Portugal.

A atribuição póstuma da medalha de Mérito Municipal a Carmen Miranda, um desfile de escolas de samba, conferências com a presença do ministro da Cultura e os embaixadores de Portugal no Brasil e de Brasília em Lisboa integram ainda o programa.

No âmbito das comemorações, a autarquia perspectiva ainda a realização de uma gala musical num palco flutuante sobre o rio Tâmega, estando a negociar a transmissão do espectáculo com uma cadeia de televisão.

"É uma diva, um verdadeiro ícone ainda no Brasil e em Hollywood, uma figura natural da nossa terra, que muito nos orgulha", disse o autarca.

Carmen Miranda (Maria do Carmo Miranda) nasceu a 09 de Fevereiro de 1909 em Várzea da Ovelha, Marco de Canaveses, mas passou grande parte da sua vida do outro lado do Atlântico, entre o Brasil e os Estados Unidos.

Com pouco mais de vinte anos, Carmen Miranda era já uma vedeta no Brasil, tanto na música como no cinema, chamando a atenção de Hollywood, onde chegou a ser uma das actrizes mais bem pagas.

Muitas vezes encarnou uma personagem folclórica, tropical e garrida, de pronúncia acentuada, em musicais na era do Technicolor, sendo conhecidas as interpretações de canções como "Tico-tico no fubá" ou "O que é que a baiana tem?".

Carmen Miranda morreu nos Estados Unidos a 05 de Agosto de 1955, com 46 anos, vítima de ataque cardíaco, depois de ter participado num programa televisivo.

Quando o corpo foi trasladado para o Rio de Janeiro, a cerimónia foi acompanhada por cerca de meio milhão de pessoas.

Fonte: Jornal de Notícias (Portugal) - Foto: Divulgação

Relatório preliminar sobre acidente com avião em Amazonas deve sair em 10 dias

Um relatório preliminar sobre as possíveis causas do acidente com o avião Bandeirante que caiu num rio próximo ao município de Manacapuru, a 68 quilômetros de Manaus, deve ser divulgado em dez dias. Segundo a tenente Gabriela, do Comando da Aeronáutica de Manaus, durante esse período os investigadores do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) que estão na região devem analisar o local do desastre e a aeronave, além de ouvir os quatro sobreviventes.

De acordo com a tenente, os investigadores têm até um ano para fechar o relatório final do acidente, mas ela acredita que deva ser concluído bem antes disso. Entre as possíveis causas , além do excesso de peso, já que o avião transportava oito pessoas acima da lotação máxima permitida, estão a falta de combustível e o uso de querosene adulterado. Um dos sobreviventes disse que uma das hélices da aeronave parou de funcionar antes da queda.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros do Amazonas, coronel Antônio Dias, a queda do avião ocorreu entre as 13h e 14h de sábado, próximo à ilha de Monte Cristo, na região do município de Manacapuru. A aeronave teria embicado na água e, por isso, apenas quatro passageiros que estavam sentados mais atrás, incluindo uma criança de 9 anos, conseguiram sair pela saída de emergência.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a obrigação de controlar a quantidade de passageiros é do piloto, o que não retira a responsabilidade da empresa proprietária da aeronave. Ainda assim, especialistas dizem que mais importante do que a quantidade de passageiros é saber o peso que o avião transportava.

O vice-presidente da Manaus Aerotaxi, Marcos Pacheco, disse que o excedente de passageiros era composto por crianças de colo. Uma portaria da Anac de 2000 permite o transporte de até 30% a mais de passageiros crianças com até dois anos. No entanto, havia crianças com mais de 7 anos viajando no colo.

Fonte: Agência Brasil

Nasa adia missão do Discovery na ISS

O ônibus espacial Discovery pronto para o lançamento no centro espacial Kennedy, em Cabo Cañaveral, Flórida

A missão do ônibus espacial Discovery na Estação Espacial Internacional (ISS) foi adiada até 19 de fevereiro para testes adicionais em uma válvula de controle, informou a Nasa.

O Discovery estava programado para decolar de Cabo Canaveral (Flórida) em 12 de fevereiro, mas durante uma revisão os funcionários da Nasa decidiram adiar o lançamento para não antes de 19 de fevereiro, informou a agência espacial americana.

A válvula, uma das três que canalizam o hidrogênio dos motores da nave até o tanque de combustível externo, precisa de mais análises e testes de impacto de partículas.

As válvulas dos ônibus espaciais são especialmente revisadas desde que uma delas foi danificada no Endeavour após uma missão de 16 dias na ISS em novembro de 2008.

Fonte: AP

Minas Gerais trabalha para consolidar Confins como primeiro aeroporto-indústria do país

Acordo assinado com embaixador dos EUA no Brasil, Clifford Sobel, garante recursos para execução de plano de negócios destinado a atrair empresas para o Aeroporto de Confins


O Governo de Minas apresentará em setembro deste ano o plano de negócios para atração de indústrias de alta tecnologia para o entorno do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, região metropolitana de Belo Horizonte. Os recursos para a execução do plano foram assegurados em acordo assinado pelo governador Aécio Neves e o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel, em Brasília.

Serão US$ 573 mil, financiados pela Agência para o Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos (USTDA), a fundo perdido. O plano de negócios, que deverá estar concluído em setembro, será fundamental para consolidar Confins como o primeiro aeroporto indústria do Brasil. O objetivo é atrair empresas de alta tecnologia, em especial do setor aeroespacial, para o entorno do Aeroporto Internacional, informa a agência de notícias do governo de Minas Gerais.

O estudo fará um levantamento detalhado sobre todas as condições da região do aeroporto, desde a capacidade de operação do aeroporto, até levantamentos sobre meio ambiente, solo, localização geográfica em relação ao Brasil e América do Sul. Também serão levados em conta as condições das rodovias e toda a infra-estrutura do entorno de Belo Horizonte.

Durante a assinatura do acordo, o governador Aécio Neves ressaltou que o plano de negócios irá permitir a atração de investimentos de forma dirigida e mais eficiente, além de potencializar o Aeroporto de Confins como um centro de distribuição de vôos domésticos.

“Essa é uma nova estratégia importante para o desenvolvimento de Minas. Há dois anos não tínhamos nenhuma partida internacional de Belo Horizonte e hoje já são 54. E fazer de Confins um ponto de distribuição de vôos domésticos é muito importante para a atração de novos vôos internacionais. A localização geográfica de Confins favorece muito isso”, disse o governador.

Escritório no Brasil

Durante a solenidade, o embaixador Clifford Sobel afirmou que a USTDA planeja abrir seu quinto escritório mundial no Brasil. Segundo ele, a intenção é de que o escritório brasileiro da agência seja instalado em Minas Gerais. “Estamos muito felizes por mais esse projeto. É um exemplo de relacionamento contínuo que pretendemos ter com o Brasil e neste caso, com Minas Gerais”, disse.

Sobel destacou também a importância da parceria já feita entre Minas Gerais e a Agência norte-americana. O financiamento do plano de negócios para Confins é a terceira dotação de recursos feita pela USTDA ao Governo de Minas Gerais. Em setembro do ano passado foram assinados dois outros acordos, também na forma de financiamento a fundo perdido, no valor de US$ 660 mil.

Desse montante, US$ 425 mil foram destinados para implantação de um data center no Centro Administrativo do Governo de Minas. O projeto já está em execução, assim como as obras do centro, com conclusão prevista para o início do próximo ano.

A outra parte dos recursos – US$ 241 mil – está sendo investida na revisão do Proaero, programa de adequação, ampliação e melhoria na malha aeroportuária em todo o Estado de Minas. O objetivo do programa é que nenhuma das 853 cidades mineiras estejam a mais de 100 quilômetros de distância de um aeroporto com balizamento.

Aeroporto-indústria

Credenciado pela Refeita Federal em 2005, o aeroporto de Confins é o primeiro aeroporto industrial do país. O processo teve início em Minas Gerais com a operação da Clamper Indústria e Comércio no recinto do terminal de cargas do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, como um projeto-piloto. A Clamper produz equipamentos eletrônicos (protetores contra surtos elétricos, para proteção de instalações de escritórios, indústrias e residências).

O aeroporto industrial oferece tratamento tributário diferenciado, com suspensão dos impostos federais e estaduais, tanto para a importação de componentes como para a exportação de produtos acabados de alto valor agregado.

Em 2006, a Gol Linhas Aéreas inaugurou o seu centro de manutenção de aeronaves no terminal de cargas do Aeroporto Tancredo Neves, em Confins, utilizando tecnologia da Boeing. Menos de dois anos depois, a companhia anunciou a duplicação do centro de manutenção, dos atuais 47,7 mil m² para 91 mil m², com investimento de R$ 78 milhões e geração de 650 empregos diretos.

Ações coordenadas

O Governo de Minas está implementando uma série de ações coordenadas, em parceria com o Governo Federal e entidades do meio acadêmico, para o desenvolvimento sustentável do setor aéreo em Minas, com a formação em larga escala de mão-de-obra especializada, difusão e absorção de tecnologias específicas e atração de novos investimentos privados na cadeia da indústria aeronáutica.

Em setembro do ano passado, o Estado e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) assinaram um protocolo de intenções para a criação do Pólo de Aviação Civil de Minas Gerais, que atenderá a demanda crescente por trabalhadores qualificados. O pólo contará com a participação efetiva de entidades de ensino técnico e superior.

Também em 2008, o governador assinou convênio com a Infraero para a construção do Aeroporto Industrial, em Confins. Nesta primeira etapa da obra, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, investirá R$ 10 milhões. Os recursos, que já estão assegurados no orçamento do projeto estruturador “Inserção competitiva das empresas mineiras no mercado internacional”.

Agência

A USTDA (U.S. Trade and Development Agency) é uma agência de fomento do governo federal norte-americano, que tem por objetivo fornecer apoio econômico ao planejamento de projetos de infra-estrutura na América Latina e outras regiões do mundo. Sua missão principal é financiar, a fundo perdido, estudos de viabilidade (“feasibility studies”) em projetos nos setores de energia, transportes, telecomunicações, meio ambiente, entre outros.

Fonte: Portugal Digital - Foto: santanafm.com.br

NASA oferece vôos gratuitos em gravidade zero

Pequenos projetos tecnológicos podem se inscrever para realizar testes no espaço

A NASA está oferecendo vôos espaciais gratuitos para qualquer pessoa ou grupo que possua um projeto viável relacionado a tecnologias espaciais.

De acordo com o blog de ciência do site Slashdot, a NASA irá custear todas as horas de vôo para os projetos aprovados, ficando quaisquer outras despesas a cargo da equipe dona do projeto.

A iniciativa, de nome Facilitated Access to the Space Environment for Technology Development and Training (Acesso Facilitado ao Ambiente Espacial para Desenvolvimento de Tecnologias), ou FAST, visa impulsionar o desenvolvimento de pesquisas de tecnologias emergentes através de testes em ambientes com gravidade reduzida. Esse tipo de teste é essencial na pesquisa aeroespacial.

O ambiente de gravidade zero é costumeiramente gerado a partir de uma aeronave (normalmente, um avião) que voa repetidamente em trajetória parabólica, criando breves momentos de gravidade zero durante os períodos de descida.

A aeronave também poderá simular ambientes gravitacionais de outros corpos celestes, como a Lua e Marte, noticiou o site Tech fragments.

O site que leva a essas e outras especificações do projeto é: ipp.nasa.gov/ii_fast.htm.

Fonte: Stella Dauer (geek.com.br)

Egyptair firma parceria com Lufthansa

As companhias aéreas Egyptair, do Egito, e a Lufthansa, da Alemanha, assinaram um acordo de cooperação para melhorar a qualidade dos serviços aéreo e de bordo da empresa egípcia. A informação foi anunciada na semana passada pelo presidente do conselho de administração da Egyptair, Tewfic Assi, durante um encontro com jornalistas realizado após a assinatura.

“Estamos extremamente satisfeitos em poder assinar este contrato com a Lufthansa por causa da excelência de seu modelo”, afirmou o ministro egípcio de Aviação, Ahmed Shafic. “A Egyptair já obteve resultados remarcáveis no decorrer de inúmeros projetos mantidos anteriormente com o Grupo Lufthansa e até agora só nos felicitamos destes trabalhos. Além disso, a Lufthansa Services, do Grupo Lufhansa, possui um grande número de clientes e por isso, poderão nos ajudar nos trabalhos de marketing na Europa” acrescentou o ministro.

Com o acordo, os passageiros da Egyptair poderão ser beneficiados com a qualidade de serviços oferecidos pela companhia alemã. “A Lufthansa Services assegurará, daqui para frente, aos voos da Egyptair, todos os serviços aéreos, dentre os quais estão também os de alimentação e bebidas. Este será o primeiro catering da Lufthansa estabelecido fora da Alemanha em quase 30 anos”, disse o vice- presidente de operações da Lufthansa Services, Thomas Nagel.

De acordo com ele, a Lufthansa Services é considerada uma das empresas lideres de serviços aéreos. “Desde a adesão (da Egyptair) a Star Alliance (rede mundial de companhias aéreas) em agosto do ano passado, a empresa vem buscando desenvolver e melhorar, não somente seus equipamentos, mas também a qualidade de todos os seus serviços” disse Assi. “O que nos satisfaz hoje é que estamos coroando esforços de mais de quatro anos para persuadir a Lufthansa Services a cooperar com a Egyptair na realização de suas ambições”, acrescentou.

O acordo estabelece ainda a criação de uma empresa conjunta entre a Lufthansa e a Egyptair. Esta será criada com um investimento de US 10 milhões, sendo 70% do capital da Egyptair In-flight Services e 30% da Lufthansa Services. Segundo informações da empresa egípcia, a nova companhia vai se chamar LSG Sky Chefs-Egypt e seus produtos terão a marca da Lufhansa Services por causa de sua reputação internacional.

A LSG Sky Chefs-Egypt, que será lançada em escala mundial, vai suprir a demanda de serviços dos voos das empresas da Star Alliance, incluindo os da Egyptair. A nova empresa iniciará seus trabalhos, provisoriamente, no terminal 2 do Aeroporto Internacional do Cairo até que as instalações destinadas as empresas da Star Alliance, no Terminal 3, possam ser ocupadas.

”O Aeroporto Internacional do Cairo é o segundo maior do continente africano e o Egito representa um dos mercados mais importantes para a Lufthansa no continente, sendo também um dos mais dinâmicos e de crescimento mais rápido na África do Norte”, disse Nagel.

Fonte: DCI

Embraer vai ajudar nas investigações sobre acidente no AM

Empresa é a fabricante do avião que caiu em um rio no sábado

Aeronave saiu de Coari com destino a Manaus e caiu no Rio Manacapuru

A Embraer deve ajudar nas investigações sobre o acidente aéreo que causou a morte de 24 pessoas em Manaus. A empresa é a fabricante da aeronave EMB-110 Bandeirante e colocou uma equipe especializada à disposição do órgão investigador do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Em comunicado, a empresa diz que lamenta profundamente o ocorrido e que acompanha com atenção a evolução dos acontecimentos.

A Aeronáutica investiga se o avião estava com sobrepeso durante a decolagem. A apuração é realizada pelo Cenipa. O turboélice poderia se manter no ar com um só motor, desde que o limite de peso não fosse excedido. A aeronave estava certificada para transportar 19 pessoas, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e estava com 28 pessoas, incluindo dois tripulantes. Somente quatro pessoas sobreviveram, incluindo dois irmãos.

Segundo a Aeronáutica, o avião sofreu pane em um dos motores e o piloto César Grieger tentou um pouco forçado no rio, a 500 metros da pista do Aeroporto de Manacapuru, a 102 quilômetros de Manaus. Esse foi o segundo maior acidente aéreo do Amazonas. O aparelho prefixo PT-SEA, caiu por volta das 16 horas do sábado. Ele seguia de Coari para a capital amazonense.

O acidente

O avião caiu por volta das 15 horas de sábado no Rio Manacapuru, próximo da Ilha de Monte Cristo. Apenas quatro sobreviventes foram encontrados. Os demais passageiros, o piloto e o copiloto ficaram presos dentro do avião, a 5 metros de profundidade.

O voo seguiria de Coari para Manaus (a uma hora de distância) e foi fretado pela empresa Manaus Táxi Aéreo. A queda ocorreu no meio do caminho, mais precisamente na área de uma comunidade chamada Santo Antônio, logo após o piloto entrar em contato com a torre do Aeroporto de Manaus e informar que voltaria para Coari por causa da forte chuva e da pane. Neste momento, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo da capital amazonense (Cindacta-4) perdeu contato com a aeronave.

Fonte: estadao.com.br

Avião que caiu em Manaus já pertenceu a Nordeste Linhas Aéreas

Outro avião cai com o mesmo problema: falta de combustível. Dessa vez foi perto de Manaus. Um bandeirante, o PT-SEA.

A curiosidade do caso é que o avião já pertenceu a Nordeste Linhas Aéreas e é muito velho.

Pertencia a empresa Manaus Aerotáxi e estava muito além da capacidade máxima de ocupantes , que é de 16 a 18 ocupantes.

Mais um exemplo do pouco caso com que a ANAC trata a aviação civil?

Fonte: Blog de Jamildo (JC Online)

Nave russa enviará maçãs e requeijão para tripulantes da ISS

Após ter sido acoplado com os estágios inferiores do foguetão lançador 11A511U Soyuz-U nas instalações do edifício de integração e montagem da Área 31, o conjunto foi transportado no dia 8 de Fevereiro para a Plataforma de Lançamento PU-6 (17P32-6) do Cosmódromo GIK-5 Baikonur

A próxima nave "Progress" a ser lançada transportará à Estação Espacial Internacional (ISS) não só as porções habituais de comida para a tripulação, mas também maçãs, laranjas e mais de 50 porções de requeijão, revelou hoje o Instituto de Problemas Biomédicos russo.

"Os cosmonautas pediram mais maçãs e requeijão, por isso enviaremos à estação 5,5 quilos de maçãs frescas e 52 porções de requeijão com nozes, groselha e purê", disse Aleksandr Agureyev, responsável do departamento de alimentação deste instituto da Academia de Ciências da Rússia.

Além disso, os cosmonautas poderão fazer frente à falta de vitaminas durante sua estadia de seis meses na plataforma orbital com mais de um quilo de cebolas, 2,5 de alho e três de laranja, acrescentou, segundo a agência oficial "Itar-Tass".

O único russo da tripulação, Yuri Lonchakov, receberá também doces e frutas secas da família, que poderá dividir com seus colegas da Nasa (agência espacial americana), Michael Fincke e Sandra Magnus.

O lançamento do "Progress M-66" está previsto para o próximo dia 10.

Fonte: EFE via Abril.com - Foto: zenite.nu/orbita

Telepresença vai evitar 2,1 mi de viagens de avião por ano em 2012

Alta qualidade de imagem e som da telepresença e crise farão com que setor de aviação deixe de lucrar US$ 3,5 bi anualmente


Pessoas que aparecem no fundo da imagem não estão presentes na cena, são representações digitais do sistema de telepresença, que também reproduz o ambiente e as vozes de maneira realista

A indústria aeronáutica se junta à fonográfica e outras atingidas duramente pela massificação de serviços de comunicação online.

Estudo divulgado pelo Gartner nesta sexta-feira (06/02) afirma que 2,1 milhões de assentos em aviões serão perdidos por ano em 2012 pela popularização de equipamentos de telepresença.

A falta de necessidade de executivos em estar fisicamente nas reuniões, alimentada pela alta definição de som e imagem entregue por equipamentos, fará com que o setor deixe de faturar 3,5 bilhões de dólares anualmente.

A constatação faz parte de um apanhado de 10 previsões do Gartner que deverão começar no decorrer de 2009 no mercado de tecnologia e atingir maturidade nos próximos três anos.

Entre os cenários indicados pelo Gartner, estão o aumento na receita de integração de sistemas por cloud computing, a derrocada de um terço do setor de Business Process Outsourcing (BPO) e a queda de 40% no número de empregados que terão abandonado um ramal fixo na empresa.

Entre os assuntos que interessam aos usuários finais, o Gartner prevê que, em 2012, os fabricantes de hardware reciclarão apenas um quinto dos PCs vendidos e que uma fatia maior dos celulares vendidos no mundo todo custará menos de 300 dólares.

Por fim, uma previsão nada animadora para o crescente mercado de web móvel: até 2012, as operadoras não oferecerão mais planos de acesso ilimitado pelo pagamento de uma mensalidade, diz o Gartner.

Fonte: computerworld.uol.com.br - Foto: Divulgação

Sobre a Telepresença

Um sistema que permite a realização de reuniões com pessoas que estão distantes como se elas estivessem realmente presentes no local já é comercializado no Brasil.

A telepresença, tecnologia que combina áudio e vídeo através de uma rede de protocolo de internet (IP), proporciona uma experiência realista ao reproduzir em tamanho real a imagem de pessoas que estão distantes, mas participando de forma virtual de uma reunião.

Além do tamanho, as imagens também são ambientadas para que a pessoa realmente pareça fazer parte do lugar – ela aparece sentada na mesa de reunião do grupo, por exemplo, e sua voz é direcionada, deixando a interação mais realista. O sistema funciona em uma sala na qual é instalado um ramal. Quando é completada uma ligação para esse aparelho de telefone, ele é identificado de maneira automática e a transmissão começa. A sala também é equipada com câmeras de alta definição, que funcionam sem interferência do usuário.

O produto é disponibilizado no Brasil pela operadora Embratel, com sistema da empresa de tecnologia Cisco. Não foi divulgado preço do equipamento; segundo os fabricantes, ele varia de acordo com as necessidades e a estrutura de cada empresa.

Fonte: G1

Sobre o Gartner Group

O Gartner Group é uma empresa de consultoria fundada em 1979 por Gideon Gartner.

A Gartner desenvolve tecnologias relacionadas a introspecção necessária para seus clientes tomarem suas decisões todos os dias. A Gartner trabalha com mais de 10.000 (dez mil) empresas, incluindo CIOs e outros executivos da área de TI, nas corporações e órgãos do governo. A companhia consiste em Pesquisa, Execução de Programas, Consultoria e Eventos. Fundada em 1979, por Gideon Gartner, a empresa mantém sua sede em Stamford, Connecticut, Estados Unidos, e tem mais de 3.700 (três mil e setecentos) associados, incluindo analistas, pesquisadores e consultores em mais de 75(setenta e cinco) países pelo mundo.

Fonte: Wikipédia

Google e Nasa fundam Universidade da Singularidade, destinada a estudar o futuro

A Singularidade , uma das mais polêmicas teorias tecnológicas, acaba de ganhar apoio oficial de duas das maiores instituições da área: o Google e a Nasa. A dupla seu uniu para fundar a Universidade da Singularidade , com o objetivo de garantir que nossos líderes guiem o avanço das tecnologias de modo a beneficiar a humanidade. E ensinar aos robôs do futuro o slogan do Google: "Don't be evil".

Site da Universidade da Singularidade

A instituição será coordenada por Ray Kurzweil, controversa figura conhecida por sua posição extremamente otimista em relação ao futuro. Entre as teses defendidas por Kurzweil está a de que a inteligência artificial irá superar a capacidade humana de raciocinar antes da metade deste século. A Universidade ficará sediada num Centro de Pesquisa da Nasa próximo ao Googleplex, a portentosa sede do Google.

A instituição oferecerá cursos em dez áreas do conhecimento: Estudos do Futuro; Redes e Sistemas de Computação; Biotecnologia e Bioinformática; Nanotecnologia; Medicina e Neurociência; Inteligência Artificial, Robótica e Computação Cognitiva; Energia e Sistemas Ecológicos; Espaço e Física; Política, Leis e Ética; e Finanças e Empreendedorismo.

O termo "singularidade" - popularizado após a publicação em 2005 do livro "A Singularidade está próxima", de Kurzweil - representa um período de grande avanço tecnológico. Os que defendem a proximidade da singularidade tecnológica baseiam suas crenças na aceleração das descobertas científicas em diversas áreas do pensamento, como a informática, astronomia, nanotecnologia e biotecnologia.

Assim sendo, em breve as máquinas passariam a ter a capacidade de corrigir seus próprios erros utilizando inteligência artificial. Essa perspectiva, no entanto, deixa outros pensadores apreensivos com as escolhas morais que uma máquina com capacidade de "pensar" possa tomar...

O tema da inteligência artificial, e as questões éticas inerentes a ele, já foi discutido em diversos livros e filmes, a maioria questionando o risco de criarmos máquinas capazes de simular emoções e o pensamento humano. Desde Blade Runner , em que robôs com aparência humana batizados de Replicantes são escravizados; até Matrix , em que as máquinas ocupam o papel de carrasco transformando a nossa espécie em mera bateria orgânica presa a uma realidade virtual.

Fonte: O Globo - Foto: Reprodução

Air France perde 1,9% dos passageiros em janeiro

A Air France, maior companhia aérea da Europa, afirmou nesta segunda-feira que o número de passageiros transportados em suas aeronaves caiu 1,9% em janeiro. A quantidade de transportes de cargas realizada pela empresa também sofreu recuo de 23 no mesmo período.

De acordo com a aérea, a recessão global foi responsável pelo mau resultado, provocando ainda a redução no número de viagens de negócios e no comércio internacional. A porcentagem de assentos preenchidos nas aeronaves foi de 76,6%, 0,5 ponto percentual abaixo do registrado no mesmo período do ano passado.

Em 20 janeiro, a companhia já alertou que deve apresentar prejuízo no quatro trimestre de 2008 (terceiro trimestre de seu ano fiscal). De acordo com estimativas da Associação Internacional de Transportes Aéreos, a crise global vai provocar um encolhimento de 3% no número de passageiros em viagens de avião. Isso deve acarretar, segundo a entidade, um prejuízo combinado de US$ 2,5 bilhões às companhias aéreas.

Fonte: InvestNews

Ataque aéreo israelense em Gaza

Um palestino morreu hoje, em consequência de um ataque da aviação israelense no norte da Faixa de Gaza, quando tentava em território israelense.

Médicos locais e as Forças Armadas de Israel confirmaram a morte dele.

O morto, Khaled al Kafarna, de 22 anos, foi encontrado nas imediações da fronteira norte de Gaza, cerca da população de Beit Hanoun.

Segundo eles, Al Kafarna foi atingido por um foguete disparado por um helicóptero ao redor da meia-noite e que, aparentemente, tratava de infiltrar-se no território israelense.

O Exército israelense disse que está investigando o fato.

A força aérea israelense também atacou de madrugada uma delegacia de Polícia do Hamas na localidade de Khan Yunes, no sul da faixa.

Um porta-voz militar israelense especificou que a Força Aérea de seu país atacou duas "posições do Hamas, uma na população de Beit Lahia, ao norte de Gaza e outra em Khan Yunes, no sul da faixa".

Ontem, milicianos palestinos dispararam desde a faixa litorânea dois foguetes contra o território israelense, sem conseguir atingir ninguém.

"Como única autoridade da Faixa de Gaza, o Hamas tem completa responsabilidade pelas atividades terroristas que surgem das zonas sob seu controle", mencionou um comunicado do Exército israelense divulgado após os ataques da madrugada.

Fonte: EFE via G1

British Airways congelará salário de funcionários

A companhia aérea britânica British Airways (BA) congelará o salário de seus 42 mil funcionários e buscará baixas voluntárias em determinados departamentos para reduzir custos e voltar a registrar lucro, informa hoje o jornal The Daily Telegraph.

Na sexta-feira, a BA informou que tinha registrado uma perda líquida de 127 milhões de libras (€ 146 milhões) nos nove meses até 31 de dezembro, devido à crise econômica e à desvalorização da libra.

"Não há muito que possamos fazer sobre as divisas e o combustível (a alta do preço), por isso devemos olhar os custos", afirmou o diretor-executivo da BA, Willie Walsh, em declarações recolhidas pelo jornal. "Estamos examinando todos os aspectos dos custos e falando com os empregados e os sindicatos", acrescentou.

Apesar de seu anúncio de perdas - frente aos ganhos de 642 milhões de libras (€ 740 milhões) conseguidos no mesmo período de 2007 -, a BA fechou o pregão da sexta-feira com alta de 10,5%, para 141 pence, após confirmar que seguem as negociações com a Iberia para uma possível fusão.

Fonte: InvestNews (com agências internacionais)

Vibrações em excesso podem encurtar vida da Estação Espacial

Maioria das nações que ajudaram a construir a ISS querem mantê-la em funcionamento até 2020

A Nasa começou a investigar ontem se os movimentos da Estação Espacial Internacional (ISS) no mês passado causaram danos estruturais que poderiam diminuir a sua vida útil. As informações são do jornal USA Today.

Na busca por uma melhor posição para receber uma nave espacial robótica, engenheiros russos usaram foguetes para alterar a localização da Estação. De acordo com relatórios diários sobre as condições da ISS, o uso dos foguetes causou movimentos abruptos e maior vibração do que o habitual. Esses movimentos podem ter causado danos à Estação, segundo a porta-voz da NASA, Kelly Humphries. O adequado, de acordo com ela, teria sido mover a ISS de forma gradual.

"Sempre que você transmitir uma vibração para a Estação, ela tem implicações potenciais para os painéis solares e as ligações entre as peças da estação", disse Humphries.

A longevidade da Estação é um ponto sensível. A Nasa não tem planos de fazer uso do laboratório em órbita, que custa aproximadamente US$ 100 bilhões, depois de 2015. Mas muitas das outras 13 nações que ajudaram a construir e operar o posto avançado da ISS querem mantê-lo em funcionamento até 2020.

Humphries afirma que a Estação foi construída com resistência estrutural extra e a presente análise seria "apenas para ter certeza de que a margem dessa resistência não foi diminuída."

A Nasa poderá decidir nesta terça-feira se desistirá da segunda tentativa de mover a Estação que estava planejada para amanhã ou se irá realizá-la com um conjunto de foguetes diferente do que foi utilizado anteriormente, disse Humphries.

Os foguetes que foram usados estão no exterior de uma parte da ISS que serve como cozinha e sala de jantar. Há também um conjunto de foguetes que está temporariamente parado na Estação. Estes poderiam ser usados no lugar dos outros, caso os engenheiros verifiquem que o problema possa ocorrer novamante.

Os foguetes também são usados para mover a ISS para longe do caminho de detritos que poderiam perfurar seu escudo exterior.

Equipamentos no interior da estação também estão dando dores de cabeça à NASA. Novos equipamentos para a conversão de urina em água potável - necessárias para manter uma tripulação de seis pessoas - falhou, de acordo com os relatórios diários sobre a Estação.

Próximas visitas

O ônibus espacial Discovery está programado para ser lançado no dia 12 de fevereiro para transportar novos painéis solares à Estação. Sua visita não deve ser afetada pela mudança de localização da ISS, afirma Kelly Humphries.

A Estação também precisará ser deslocada em março para que possa receber uma nave espacial russa transportando dois novos residentes. Isso permitirá a volta para casa de dois tripulantes que agora estão a bordo da ISS.

Fonte: Terra - Foto: Nasa/Getty Images

Gol registra crescimento de voos domésticos

O mercado de aviação doméstica está mais aquecido nessa temporada de verão, uma vez que os turistas não saíram do País por conta da oscilação do dólar. As estatísticas preliminares de tráfego divulgadas pela Gol Linhas Aéreas Inteligentes confirmam o cenário, já que a companhia fechou janeiro passado com um incremento de mais de 4% no tráfego doméstico, na comparação com o mesmo mês de 2008. A taxa de ocupação dos voos também cresceu 0,9% no período, ficando em 71%, enquanto a capacidade para passageiros aumentou 2,7%, nas rotas nacionais.

Já no mercado internacional, foi verificada uma queda de 53% no tráfego, com recuo de quase 6,9%, na ocupação que ficou na casa do 57% nos primeiros 31 dias do ano.

Vale ressaltar que estas quedas acentuadas se deram porque a empresa deixou de operar algumas rotas para fora, no último ano, o que levou a uma queda de 48% nos assentos.

Voos extras

Ao perceber o verão aquecido no mercado doméstico, a TAM Linhas Aéreas informou que vai operar 21 voos extras no período do Carnaval. Serão incrementadas as rotas para o Nordeste - Salvador (BA), Recife (PE) e Porto Seguro (BA), com origem nos aeroportos de Guarulhos, Campinas , Rio de Janeiro (Galeão), Belo Horizonte (Confins) e Brasília - de 18 de fevereiro, ao dia 21. E foram programadas mais opções para o retorno dos clientes.

Fonte: DCI

ESA e NASA querem ir aos satélites Titã, Europa e Ganimedes

As agências espaciais europeia e norte-americana estão a estudar missões conjuntas aos satélites de Júpiter e Saturno em 2020.

Enviar uma nave não tripulada até à órbita de Saturno, que lançaria por sua vez uma nave mais pequena suspensa por um balão de ar quente para aterrar na superfície de um lago de metano de Titã, o maior satélite do planeta gasoso, é um dos projectos conjuntos que a Agência Espacial Europeia (ESA) e a NASA estão a estudar para 2020.

A missão deixaria a Terra num foguetão norte-americano Atlas e demoraria nove anos a chegar a Saturno, sendo a ESA (organização a que Portugal pertence) responsável pela construção da nave mais pequena e do balão que irão aterrar em Titã, e a NASA pela nave de 1600 quilos de peso que ficará em órbita à volta do satélite.

Para além de Titã, outros satélites de Saturno, como Enceladus, seriam igualmente estudados pela nave das duas agências espaciais. Titan Saturn System Mission (TSSM) é o nome desta missão conjunta ESA/NASA.

A outra missão, conhecida por The Europa Jupiter System Mission (EJSM), pretende estudar o interior de dois dos quatro maiores satélites de Júpiter: Europa e Ganimedes. Neste caso, caberia à ESA construir o Júpiter Ganymede Orbiter (JGO) e lançá-lo num foguetão europeu Ariane, e à NASA o Júpiter Europe Orbiter (JEO) e transportá-lo num foguetão Atlas. No final da missão as duas naves despenhar-se-iam na superfície dos satélites que estudaram.

Outros projectos conjuntos das duas agências estão também em discussão neste momento, como um telescópio espacial de Raios X de nova geração, conhecido por International X-Ray Observatory (IXO), ou uma missão para estudar as ondas gravitacionais no espaço, a Laser Interferometer Space Antenna (LISA).

Do lado europeu, estes projectos integram-se no Programa Visão Cósmica da ESA até 2025 e a organização a que Portugal pertence já tem 650 milhões de euros disponíveis para o efeito.

O editorial de 22 de Janeiro passado da revista científica britânica 'Nature' considera que "Titã é um objectivo mais apelativo que Europa para a próxima grande missão às luas dos planetas exteriores do Sistema Solar, apesar de Europa ter sido até há pouco tempo claramente a favorita, devido a possibilidade de o seu oceano coberto por uma capa de gelo ser um dos mais promissores do Sistema Solar para se encontrar vida fora da Terra".

Só que a missão em estudo pela ESA e pela NASA não prevê qualquer aterragem no satélite de Júpiter, ao contrário de Titã e dos seus lagos de metano.

Fonte: Expresso.pt (Portugal)

Salgado Filho: controladores de voo trabalham duas horas e descansam no mínimo meia

De olho na tela preta e verde do radar, o sargento Saulo Pessetti, 30 anos, está encerrando a segunda hora de trabalho do dia. É a senha para uma hora de descanso em confortáveis poltronas em uma sala ao lado do setor de controle de radar, no prédio do Antigo Salgado Filho. Controladores de voo precisam trabalhar duas horas e descansar no mínimo meia porque o olhar tem de ser aguçado e o raciocínio, rápido, para orientar os pilotos da área de controle de Porto Alegre, que inclui todos os aviões voando até 15 mil pés na região metropolitana e Serra, até um raio de 120 quilômetros. Quando Pessetti chega em casa, ao final do turno de sete horas, sente alívio por tudo ter dado certo, como todos os dias até hoje.

— Não dá para pensar muito no que pode acontecer no dia seguinte porque nunca acontece a mesma coisa duas vezes — diz o controlador.

É impossível conversar com alguém a serviço da aviação que não cite a preocupação com segurança em algum momento. Fiscais de pátio, mecânicos, comissários, funcionários de balcão: em alguma hora da conversa, surgirá um comentário qualquer com o objetivo de tranquilizar o interlocutor, como este de Pessetti.

— Se as pessoas conhecessem melhor a organização do nosso trabalho, sentiriam mais confiança em voar.

O trabalho de Pessetti é coordenado com outras tantas funções: o plano de cada voo é submetido pelas companhias aéreas duas horas antes, passando pelo crivo da Aeronáutica, que fornece análises meteorológicas, dados sobre os aeroportos, rotas e eventuais equipamentos inoperantes.

Pelo controle de Porto Alegre, passaram em média 240 voos por dia em 2008. Enquanto Pessetti olha fixo para a tela escura, em que cada avião é um ponto e um número, dois andares acima, no envidraçado topo da torre de controle, o sargento Cândido Chiesa tem raros momentos com os olhos parados. É dele a tarefa de autorizar pousos e decolagens, e seu território é a pista: quando a aeronave deixa de ser apenas um ponto no radar e torna-se visível a olho nu, Chiesa é seu guardião. Ainda a quilômetros de Porto Alegre, um risco brilhante sobrevoando o Delta do Jacuí, o Embraer se aproxima, e o sargento percorre com o olhar a pista para certificar-se de que está livre. Chiesa é brincalhão e tenta sacanear o repórter: "a gente tem de olhar se o avião está pousando com as rodinhas, por exemplo", mas quando o jato já está perto o bastante para se identificar o formato de um avião, ele muda. Braços cruzados, cenho franzido, instruções rápidas pelo rádio, alterna o olhar entre o avião e a pista, até a aeronave encostar no chão quase sem levantar poeira.

— Esses caras pousam bem para caramba — elogia.

Ao sair da pista para o pátio, a aeronave passa a ser responsabilidade do Centro de Operações Aeronáuticas da Infraero. É o centro nervoso do aeroporto, responsável por posicionar as aeronaves, definir quais serão as salas de embarque, acionar procedimentos de emergência, explica o fiscal de pátio Marcius Stevanin. Escuta três frequências de rádio — a do solo, a de "perto" (aviões de duas a seis milhas de distância) e a de "longe" (aeronaves até 10 milhas), para saber, o quanto antes, se há algum problema. Com dezenas de aeronaves indo e vindo, a tarefa é puxada. E, como todo o resto, Marcius prefere justamente os horários de pico.

— Eu gosto é de ver o bicho pegar. É quando tu vê a coisa toda funcionar como um relógio. Ficar parado atrofia o cérebro — diz.

Há um rodízio entre os fiscais. Marcius também trabalha na pista e sinaliza aeronaves — aquilo de ficar fazendo gestos para "estacionar" os aviões corretamente. Foi quando teve a "inesquecível oportunidade" de sinalizar o avião da banda de metal Iron Maiden, da qual é fã, o que rendeu autógrafo e fotos com o vocalista Bruce Dickinson e o baixista Steve Harris que não saem do celular. Jogar em todas as posições também rende situações difíceis. A pior delas foi no dia do acidente da TAM em Congonhas, quando a tragédia foi acompanhada do desespero de parentes de vítimas que tentavam entrar no COA para obter mais informações. Marcius passou meses trabalhando mais tenso, com atenção redobrada.

— A gente sempre acha que não vai acontecer. O que houve afetou todo mundo, mas depois disso tu ficas mais atento, fazendo de tudo para dar tudo certo.

Fonte: Rodrigo Muzell (Zero Hora) - Foto: Silvio Tobolski

Salgado Filho: carregamento de malas é um dos momentos mais delicados do embarque

Por 24 horas, Zero Hora acompanhou a rotina do aeroporto gaúcho por onde circulam 30 mil pessoas todos os dias

Às 4h de quarta-feira passada, Junior Alexandre Silva de Oliveira, 20 anos, era o primeiro funcionário de companhia aérea a posicionar os cavaletes para o check-in no segundo andar do terminal. Sozinho em frente ao guichê da Ocean Air, dava início ao processo de embarque no primeiro voo do dia, para Juazeiro do Norte, com escalas em Guarulhos e Brasília. Uma hora depois, estava na pista conferindo a entrada dos passageiros, o embarque de mantimentos e auxiliando no que fosse preciso a equipe de manutenção.

Pouco depois das 5h, o sol começa a querer aparecer, mas um pelotão trabalha como se fosse quatro da tarde: cerca de 30 pessoas se envolvem no trabalho de solo — abastecer a aeronave com combustível, limpá-la e organizar a comida. Quatro mecânicos revisam o avião seguindo uma ficha de procedimentos. Ivo Persson, mecânico há 32 anos, é um deles. Começou na Varig e já trabalhou em Miami, em uma função que considera tão crítica quanto a de um médico. É dele a tarefa de reportar qualquer problema mecânico. A manutenção é a parte mais cara da aviação, diz Persson, e a responsabilidade é dele de dizer se um avião pode ou não levantar voo.

— São vidas humanas em risco. Se não estiver tudo conforme o livro de normas, o avião não sai — assegura.

Metros adiante, a barriga do Fokker MK-28 está aberta e, ali, uma cena que costuma dar calafrios nos passageiros que despacharam objetos que quebram: as malas estão sendo colocadas na aeronave. Como é o primeiro voo, a equipe carrega o avião com ritmo, mas não com pressa — em português claro, não arremessa longe a bagagem. Felipe Melo cansa de sofrer represálias quando os colegas de aula lembram que é ele o responsável pelo trabalho.

— O pessoal pega no pé, diz que eu sou maloqueiro e jogo as malas longe. Mas a gente tem cuidado, as pessoas acham que esse trabalho é fácil — conta.

Fácil, não é. Dependendo do tipo de avião, é preciso carregar parelho os compartimentos, senão a aeronave empina. Normalmente, a equipe tem de 20 a 25 minutos, no máximo, para colocar a bagagem no avião — atrasos são descontados da empresa de Felipe, que é terceirizada. Ele reconhece que "acidentes acontecem", e aconselha: as etiquetas de "frágil" devem ser usadas, porque funcionam.

— Olha ali aquela prancha de surfe. Essa é frágil, e vamos deixar bem na frente para não ter tanto risco — explica.

Com os passageiros no avião e a porta fechada, a tarefa de levar o voo adiante agora é da equipe de comissários e piloto. Junior volta ao terminal, walkie-talkie na mão, e aguarda o final do embarque. Dois funcionários da companhia se encarregam de pegar os bilhetes, inserindo os números de cada um no computador para controlar a lotação. Nesse horário, 6h, além da cara de sono dos passageiros, é preciso cuidar dos que realmente não acordaram ainda — acontece seguido de alguém errar a bifurcação do corredor que leva ao avião e acabar num voo diferente. Então é "bom dia, obrigado, primeiro portão à esquerda" até que todos saiam da sala de embarque. Quase todos: há quatro atrasados, que fazem o embarque ser encerrado às 6h18min. Agora, é tocar para o próximo voo, diz Junior, terceiro da família Oliveira a trabalhar no Salgado Filho — um irmão era funcionário da Gol e o pai trabalha na Infraero.

— E tenho ainda outro primo numa loja lá embaixo — lembra.

Fonte: Zero Hora - Foto: wikimedia.org

Avião com 6 a bordo cai na costa de Porto Rico

Testemunhas disseram que a aeronave explodiu antes de cair.

Equipes de resgate buscam sobreviventes.

Um monomotor com seis pessoas a bordo caiu no Oceano Atlântico na costa norte de Porto Rico, informou nesta segunda-feira (9) Ricardo Castrodad, porta-voz da Guarda Costeira dos EUA.

As autoridade localizaram os destroços próximo à cidade de Quebradillas, e helicópteros e barcos estão à procura de sobreviventes.

O piloto e os cinco passageiros são norte-americanos.

Testemunhas disseram que o avião explodiu pouco antes de cair, no anoitecer de domingo, segundo a polícia.

O avião é um Cessna 206 da Tropical Aviation e viajava da República Dominicana até San Juan, capital de Porto Rico, segundo a Guarda Costeira.

Fontes: AP via G1 / International Herald Tribune

'Não conseguia ver nada à minha frente', diz sobrevivente de acidente no AM

Aeronave com 28 pessoas caiu em rio no sábado.

Dezessete vítimas são veladas em ginásio de Coari.



São três as hipóteses investigadas pela Aeronáutica para a queda de um avião de pequeno porte, no Amazonas, no sábado (7): falta de combustível, querosene adulterado e excesso de peso. Ao todo, 24 pessoas morreram. Uma família havia fretado a aeronave para ir a uma festa. Quatro passageiros sobreviveram.

Os corpos dos mortos chegaram a Coari (AM) no fim da tarde de domingo (8). Durante toda a madrugada desta segunda-feira (9), centenas de pessoas acompanharam o velório coletivo. Dezessete das 24 vítimas estão sendo veladas no ginásio de esportes da cidade. O enterro será pela manhã.

O acidente ocorreu na tarde de sábado. O avião bandeirante decolou de Coari às 13h (horário local) com destino a Manaus. Uma hora depois, o piloto entrou em contato com a torre de controle de Manaus e avisou que ia voltar por causa da forte chuva. Em seguida, o avião desapareceu dos radares do centro de controle aéreo.

Sobreviventes dizem que, logo depois deste contato, uma das hélices parou de funcionar e o avião começou a perder altitude. Como havia uma pista de pouso a cerca 500 metros do local do acidente, o piloto pode ter tentado um pouso forçado, mas não houve tempo. O avião caiu no Rio Manacapuru e afundou rapidamente.

Sobrevivente

Brenda Dias Moraes conseguiu abrir a porta de emergência quando o avião já estava submerso: “Antes de cair eu já estava olhando a porta de emergência, mas o que me segurou foi Deus. Eu vi muita gente gritando: ‘abre a porta de emergência’. Não conseguia ver nada à minha frente. Eu tenho certeza que eu fui guiada."

Os outros três sobreviventes foram ajudados pelo pescador Edmilson Viana, que estava perto do local do acidente. “A vontade foi grande para resgatar mais vivos. Não pude fazer nada, porque não tive fôlego”, conta.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos já começou a apurar as causas do acidente. Já foi encontrada a caixa CDL, que registra as gravações de voz na cabine e será analisada por um técnico que chega nesta segunda de Brasília. O depoimento dos sobreviventes será fundamental.

Ana Lúcia Lauria relembra junto à família dos momentos de agonia ao tentar sair do avião debaixo d’água. “Quando eu abri os olhos e me soltei do cinto de segurança, vi que todas as cadeiras estavam para frente. Virei na direção do quadrado que consegui ver, da claridade do dia. Me dirigi por ali e saí do avião”, lembra.

"É um nascimento na extensão da palavra, embora o coração esteja apertado em saber que tantos outros que infelizmente deixaram suas vidas neste acidente", comenta o marido da sobrevivente, Marcos Buchidid.

Capacidade

A aeronave tinha capacidade para 18 passageiros e dois tripulantes, mas 28 pessoas estavam a bordo. Segundo o vice-presidente da Manaus Táxi Aéreo, Marcos Pacheco, empresa que era dona da aeronave, o excedente era de crianças de colo e por isso não teria causado sobrepeso. Ele afirmou ainda que como o voo era fretado, não tem como controlar a quantidade de passageiros que embarcou no avião. “É complicado ter o controle, porque é como alugar um carro. Você manda o operacional e a pessoa utiliza dentro dos limites pré-estabelecidos”, diz Pacheco.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o piloto é o responsável pelo controle da quantidade de passageiros, o que não isenta a responsabilidade final da empresa aérea dona do avião. Ainda de acordo com a agência, podem ir no colo passageiros com até 2 anos.

Entre as vítimas há crianças de 14, 12, 7 e 6 anos de idade. Para o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, no entanto, mais importante que o número de passageiros é o peso da aeronave. “Em um primeiro momento, o que interessa para gente é conhecer o peso com o qual a aeronave estava voando. Isso é que é o fator limitador. A partir daí, a gente pode até depois ver se houve excesso de passageiros ou não, mas o relevante é o peso”, explica o vice-chefe do Cenipa Fernando Camargo.

Um especialista de Brasília chegou ao local na noite de domingo. A caixa-preta já está com os peritos. Ela foi encontrada intacta. Se não puder ser decodificada no Brasil, deve ser enviada a uma agência de investigação de acidentes aeronáuticos nos Estados Unidos.

Também é aguardado um engenheiro da fabricante do avião. Ele vai acompanhar o desmonte da aeronave.

Fontes: G1 / Bom Dia Brasil (TV Globo)