sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Tarifa mínima em voo internacional poderá acabar

A Diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) marcou para o dia 11 de fevereiro, em Brasília (DF), audiência pública sobre a proposta de liberação gradual das tarifas dos vôos internacionais com origem no Brasil. Atualmente, tanto companhias aéreas nacionais quanto estrangeiras são obrigadas a praticar preços mínimos tabelados, "que podem inibir a competição e prejudicar passageiros", considerou a Anac. A proposta da agência é permitir descontos graduais sobre a tabela de referência até a liberação tarifária total em 2010.

De acordo com a Anac, a medida deveria ter entrado em vigor no dia 1º de janeiro de 2009, possibilitando 20% de desconto numa primeira fase, porém foi proibida pela Justiça, "que atendeu a solicitação do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), que representa, entre outras, os interesses da TAM - única companhia brasileira que realiza voos internacionais fora da América do Sul, onde as tarifas já são liberadas desde o ano passado".

Em 2008, o processo de liberação tarifária foi discutido com o setor e a Anac recebeu 14 contribuições por meio de consulta pública pela internet. Disponível no site da Agência por várias semanas, a consulta pública permite que qualquer cidadão ou empresa interessada possa enviar suas sugestões a qualquer hora do dia e de qualquer lugar do Brasil. Numa audiência pública, a única forma de participar exige a presença do interessado, que precisará deslocar-se fisicamente até a cidade do evento no local e hora marcados para poder dar sua contribuição ou crítica à proposta.

"Apesar das facilidades e do caráter mais democrático da consulta pública, a Justiça Federal decidiu, em caráter liminar, que uma audiência pública era necessária para este caso", apontou o cominucado da Anac.

Assim, a Diretoria da Agência revogou a Resolução nº 61 (que formalizava a proposta da Anac que já havia passado pela consulta pública) e agendou a audiência pública para o dia 11 de fevereiro.

Fonte: InvestNews

TJ-MG condena empresa aérea a indenizar casal por alteração em horário de voo

Uma empresa aérea e uma agência de turismo foram condenadas a indenizar um casal em R$ 10 mil por alterar o horário de um voo sem aviso prévio. A decisão é da 12ª Câmara Cível do TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), que ainda estipulou o pagamento de R$ 306 para restituir despesas extras.

De acordo com informações do tribunal mineiro, em outubro de 2006, o casal, que iria para o México, chegou ao aeroporto de Guarulhos com três horas de antecedência. No entanto, receberam a informação de que houve uma antecipação no horário e que o avião já estava de partida. Impedidos de embarcar, eles tiveram que se hospedar em um hotel, motivo de gastos extras.

No dia seguinte, eles voltaram ao aeroporto para embarcar, mas só conseguiram após pagarem uma taxa de R$ 219,19. No retorno das férias, também tiveram transtornos. No local da conexão, seus nomes não estavam na lista e eles tiveram que esperar até que houvesse uma desistência para embarcar para São Paulo.

A empresa aérea, em sua defesa, argumentou que a alteração foi realizada em virtude da malha aérea e que a responsabilidade de avisar sobre a mudança de horário do voo era da agência de viagens. Esta, por sua vez, negou a responsabilidade.

Em primeira instância, a companhia e a agência foram condenadas a indenizar o casal por danos morais em R$ 10 mil, solidariamente, mais R$ 306 pelas despesas extras e ainda indenizar em R$ 10 mil uma instituição de caridade.

O TJ de Minas manteve a indenização de R$ 10 mil para o casal e o ressarcimento dos gastos, mas retiraram a indenização de R$ 10 mil para a instituição.

O relator do caso, desembargador Domingos Coelho, fundamentou que a empresa tem responsabilidade objetiva, o que implica a necessidade de indenizar independentemente de culpa, pois é concessionária de um serviço público.

“Se o bilhete de passagem contém o horário de voo, obriga-se a empresa aérea a cumpri-lo, sob pena de responsabilizar-se pelos danos oriundos de sua inobservância, não lhe se servindo de escusa a mera possibilidade de atraso ou cancelamento do voo por questões técnicas, climáticas, etc”.

Quanto à indenização à instituição de caridade, o relator ponderou que o juiz foi além do pedido inicial, condenando as empresas a indenizar também uma instituição que não figura na relação jurídica material.

Fonte: Última Instância (28/01)

Boeing prevê cortar 10 mil empregos para combater crise

Anúncio foi feito dia 28 pelo presidente da companhia.

Lucro da empresa teve queda de 34% no ano passado.

Hangar da Boeing

A fabricante do setor de aviação Boeing norte-americana prevê suprimir 10 mil empregos ainda este ano por conta da crise, anunciou nesta quarta-feira (28) o presidente da empresa, Jim McNerney, em teleconferência, explicando que o grupo deverá preparar-se para enfrentar as turbulências que estão por vir.

A redução de 10 mil empregos representaria um corte de 6% no quadro de funcionários da Boeing, de acordo com informações de mercado.

O anúncio das demissões ocorreu durante a divulgação do balanço do ano passado da empresa. Em 2008, o lucro da companhia caiu 34% por conta de perdas no quatro trimestre. O lucro da companhia foi de R$ 2,7 bilhões no ano passado, o que equivale a US$ 3,71 por ação.

Fonte: G1 (com informações da France Presse) - Foto: Reuters

Concurso da Infraero terá vagas para Uberaba

Concurso público da Infraero deve liberar vagas para o aeroporto de Uberaba. Segundo o gerente de operações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária na cidade, Lélio Baldo, por enquanto não foi repassado à administração local número de vagas para a região. Mas, segundo ele, as vagas são divididas por regionais, e Uberaba está incluída no grupo da regional Brasília. “O último concurso, realizado no ano passado, foi expirado e, portanto, há necessidade de substituições, principalmente por motivo de aposentadoria”, explica Lélio, destacando que as vagas são para preencher cadastro de reserva.

Questionado sobre funções que estariam necessitando de funcionários no aeroporto de Uberaba, o gerente disse que não tem acesso às situações específicas do quadro de efetivos. No edital de convocação para as inscrições no concurso, também não consta número de vagas para cada regional e nem o direcionamento para os municípios que integram cada grupo.

O prazo de inscrições vai até o dia 11 de fevereiro e a prova está prevista para o dia 29 de março, sendo aplicada nas cidades de Belém/PA, Brasília/DF, Guarulhos/SP, Iauaretê/AM, Manaus/AM, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ e Salvador/BA. Os candidatos de Uberaba, no ato de inscrição, devem optar pela disputa de vagas em Brasília.

As chances serão para cargos de níveis Médio e Superior, com vencimentos iniciais variando de R$ 1.926 a R$ 3.203. São cinco cargos diferentes – Analista Superior II (especialista em navegação aérea); Operador de Estação Aeronáutica; Técnico em Informação Aeronáutica; Meteorologista e Profissional de Tráfego Aéreo – a maioria para Nível Médio.

As inscrições podem ser feitas no site www.concursosfcc.com.br. Taxas são de R$ 64, para cargos de Nível Médio, e R$ 75, para Nível Superior. As disciplinas cobradas nos exames variam de acordo com o cargo disputado pelo candidato, mas serão cobradas nas provas questões de Português, Inglês, Matemática, Legislação da Infraero, conhecimentos específicos das funções e redação. Todas as avaliações da seleção terão 60 questões objetivas.

Fonte: JM Online

Carregadores são acusados de furtar bagagem de voo entre Buenos Aires e SP

Furto foi descoberto durante inspeção de rotina em Ezeiza.

Compartimento de carga tinha malas cortadas e fechos quebrados.

Foto do jornal argentino 'Clarin' mostra o produto do furto

Quatro carregadores foram detidos no aeroporto internacional de Ezeiza, em Buenos Aires, o maior da Argentina, acusados de tentar furtar dinheiro e objetos de valor da bagagem de um avião que viajaria para São Paulo, informou a Polícia de Segurança Aeroportuária nesta quarta-feira (28).

O furto aconteceu na terça-feira e foi descoberto em uma inspeção de rotina, quando a polícia percebeu "manobras incomuns" em um avião.

Os agentes encontraram no compartimento de carga do avião malas cortadas e com os fechos quebrados, e um dos carregadores detidos estava com uma bolsa com joias e um canivete.

No vestiário usado pelos carregadores foram encontrados relógios, joias, notas de euro e dólar, artigos eletrônicos e oito navalhas. Os carregadores eram funcionários de duas empresas terceirizadas.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução

Viajar ao espaço pode causar osteoporose

Um estudo financiado pela NASA diz que astronautas perdem a rigidez dos ossos mais facilmente.

Ao longo de 2008, foram analisados 13 astronautas durante seis meses no espaço: 12 homens e uma mulher, que tiveram os resultados colhidos e analisados dentro de um laboratório orbital. Todos os astronautas perderam pelo menos 14% da força óssea.

Três deles, segundo a NASA, perderam cerca de 30% durante a jornada espacial. Este número coloca o trio no mesmo patamar de uma idosa com osteoporose na Terra, acrescentaram.

O quadril e a coluna são as áreas mais afetadas pelo enfraquecimento ósseo. Grande parte dos viajantes que passam mais de seis meses em missão no espaço necessita de hospitalização e cirurgia nos quadris. Já as fraturas em vértebras da coluna vertebral podem levar a perda de altura, deformidades e forte dor nas costas.

O resultado foi apenas uma prova do que a agência aeroespacial já constata há anos, devido à falta de “luta” dos astronautas contra a gravidade.

A medida serviu para colher dados precisos e buscar soluções eficazes para os astronautas manterem uma vida saudável na Terra. Para diminuir os efeitos de degradação óssea e se reabilitar, os astronautas devem se exercitar pelo menos duas horas todos os dias, após regresso ao planeta de origem.

Fonte: Guilherme Pavarin (INFO Online) - Foto: Wikicommons

Aeroporto de Zurique estima em mil os jatos de empresários que estão em Davos

Fundador do fórum, Klaus Schwab, pediu discrição a empresários.

Mas número de voos cresceu, informou porta-voz do aeroporto.


“Moldando um mundo pós-crise” é o mote da edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça.

Para muitos, isso significa adotar medidas que permitam a volta do crescimento econômico nos países atingidos pelo grande abalo financeiro que o mundo atravessa.

Os empresários que vieram até os Alpes para debater essas medidas, no entanto, não economizaram com elevados gastos de transporte, já que grande parte chega ao evento a bordo de milionários jatos particulares.

Apesar do apelo do fundador do fórum, Klaus Schwab, para que os líderes empresariais fossem mais discretos na edição deste ano, sem esbanjar suas riquezas, o número de voos privados para Davos cresceu entre os anos de 2008 e 2009, de acordo com o jornal "News".

O diário afirma que o principal aeroporto do país, em Zurique, contabiliza mil aterrissagens durante esta semana, por conta do encontro em Davos.

“Isso é mais do que nos anos anteriores”, afirma o porta-voz do aeroporto, Marc Rauch”.

Fonte: Tobias Jung (G1)

Galeão moderniza sistema de informações

O Terminal de Passageiros 1 do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão-Antonio Carlos Jobim conta com novos monitores informativos. Eles estão instalados em posições estratégicas para melhor visualização dos passageiros e usuários: nos 21 portões de embarque, 11 esteiras de restituição de bagagem e em seis pontes de embarque. Todos são em LCD de 26 polegadas. O investimento é da ordem de R$ 2.280 mil. Até maio, o Galeão deverá dispor de 400 novos monitores, em ambos os terminais.

O Sistema Integrado de Soluções Operacionais (SISO), em fase de implantação, otimiza o tempo/resposta das atualizações de informações. A nova tecnologia agiliza, ainda, a inclusão de logomarcas de novas empresas que vierem a operar no aeroporto.

Nesse mês, em que comemora 32 anos de existência, o Galeão conquistou a manutenção de sua Certificação ISO 9001:2000, que atesta a eficiência do Sistema de Garantia da Qualidade do aeroporto. Essa é a segunda vez consecutiva que o Galeão mantém a certificação, emitida pelo Bureau Veritas Certification às organizações que desejem alcançar um status internacional de qualidade.

Fonte: Brasilturis - Foto: Revista Flap

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Carga nacional garante aumento de movimentação de Guarulhos no último ano

De janeiro a dezembro de 2008, o Terminal de Logística de Cargas (Teca) do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos (foto) registrou movimentação de 302,66 mil toneladas de cargas seja importadas, exportadas, ou transportadas apenas nacionalmente. O valor é 2,79% maior que as 294,42 mil toneladas movimentadas no mesmo período em 2007.

A carga nacional foi que manteve o crescimento na movimentação do Teca do aeroporto. Em 2007, a movimentação interna chegou a 51,36 mil toneladas em produtos. Já em 2008, o volume de mercadorias subiu quase dez mil toneladas, chegando a 61,83 mil toneladas, aumento de 19,31%.

Já nas importações e exportações, houve ligeira queda de 0,7% na movimentação. A inversão da curva de crescimento no transporte internacional de mercadorias pelos Terminas de Cargas aconteceu no segundo semestre de 2008, quando a crise financeira mundial teve início.

Volumes movimentados - Foram movimentados 5,7 milhões de volumes pelo terminal do aeroporto, o que representa um crescimento de 0,9% em relação a 2007. A média mensal foi de 477 mil itens, ou 20 mil toneladas.

Em todo o ano, 130.213 toneladas de cargas tiveram acesso ao setor, ou 2,7 milhões de volumes. Somente em dezembro, foram 7.087 toneladas de cargas importadas. O terminal de exportação registrou recuo de 2,47% na tonelagem de cargas manipuladas em 2008. Ao longo do ano, 111.163 toneladas de materiais foram processadas pelo setor, das quais 7.025 somente em dezembro. O índice significa um montante de 3 milhões de volumes processados, 4,6% a menos que em 2007.

Dentre os 33 terminais de logística de carga administrados pela Infraero, o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos é o mais movimentado da rede, seguido pelos terminais de Viracopos (Campinas), Galeão (RJ) e Manaus (AM).

Fonte: Mercado & Eventos - Foto: cargonews.com.br

Preços do bilhete aéreo subiram 36% em 2008

As tarifas aéreas subiram 36,15% de janeiro a novembro do ano passado, segundo cálculos da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Trata-se da primeira alta na comparação anual desde 2005.

Na avaliação do órgão regulador, o aumento de preços é reflexo da falta de concorrência no setor. TAM e Gol representam mais de 90% do mercado doméstico. A inflação do período foi de 5,6%.

A agência considerou a variação do “yield” médio (indicador da aviação que relaciona o preço médio pago por quilômetro voado), que chegou a R$ 0,61 no ano passado, em mais de 50 rotas, como a ponte aérea Rio -São Paulo e voos realizados a partir de Congonhas. Segundo a Anac, as tarifas praticamente voltaram ao patamar de 2002.

Para Marcelo Guaranys, diretor da agência, além da variação do preço do querosene de aviação e da valorização do dólar, o resultado mostra que o setor precisa de mais concorrência. "Em 2002, o setor ainda sofria os efeitos da entrada da Gol no mercado. Depois disso, diversas empresas pararam de operar e as outras companhias correram para tentar ocupar esse espaço.

Esse movimento chegou ao fim em 2007 e com a alta do combustível as empresas começaram a repassar para os preços." Guaranys ressalta que, como a agência não pode regular tarifas, os instrumentos para minimizar a alta de preços são as novas regras para o uso do aeroporto de Congonhas, a abertura do Santos Dumont e a liberação dos preços de passagens em voos internacionais.

Impacto do petróleo

O presidente do Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias (Snea), José Márcio Mollo, diz que os dados não mostram a concentração do setor.

"Não sei se os números estão certos, mas o mercado já era concentrado antes disso e houve queda de preços. O que teve impacto foi a alta do petróleo", disse Mollo. Em 2007, o "yield" caiu 28,10%.

"Falta concorrência no país. Se houvesse uma disputa real, mesmo em um cenário mais complicado as empresas buscariam outra forma de resolver o problema", afirma Paulo Bittencourt Sampaio, consultor em aviação. Segundo ele, em 2009 as empresas menores estão mais preparadas para enfrentar a crise porque algumas dispõem de uma parcela expressiva de frota própria.

Para a equipe de análise da Planner, o "yield" deve voltar a cair no segundo trimestre por conta da baixa temporada e da política de descontos agressivos das companhias.

Além disso, no começo do ano o preço do querosene de aviação teve queda de 16,76%. No ano passado, o querosene chegou a subir 35% até julho, mas encerrou o ano com queda de 3,71%. Segundo a Planner, a correlação entre a alta do preço do combustível e das passagens é ainda maior em voos que saem de Congonhas.

Fonte: Folha News via UAI

British Airways quer reduzir emissões de CO2 em 50% até 2050

A British Airways anunciou que pretende reduzir em 50% as suas emissões de CO2 até 2050, um objectivo que prevê a redução dos 16 milhões de toneladas emitidos em 2005, para cerca de oito milhões num período de 11 anos.

A meta foi traçada por Willie Walsh, chefe executivo da companhia aérea britânica, que a anunciou na cidade indiana de Hyderabad, para onde a British Airways vai passar a voar, a partir de Londres-Heathrow.

“Algumas pessoas dizem que em tempos de crise económica, como a actual conjuntura, podemos deixar de lado os assuntos ambientais. Não poderia discordar mais. Reduzir para metade as emissões CO2, até 2050, será um objectivo extremamente importante.

Mas será um desafio que iremos concretizar”, afirmou Walsh.

Para atingir o objectivo a companhia vai investir em aviões “amigos do ambiente”, combustíveis alternativos, voos mais eficientes e no alargamento do esquema de troca de emissões, da Europa para todo o mundo.

“Já há algum tempo que as alterações climáticas constituem uma prioridade para nós.

Há mais de uma década, tornámo-nos a primeira companhia aérea a anunciar objectivos de eficiência energética – e temos alcançado uma melhoria, desde então, de quase 30%”, lembrou o responsável.

Recorde-se que a British Airways tem estado envolvida num processo de pesquisa de combustíveis para a diminuição das emissões de carbono dos aviões, encontrando-se actualmente a trabalhar com a Rolls-Royce na produção combustíveis alternativos.

Fonte: Turisver (Portugal)

Citigroup desiste de receber avião particular para não irritar Washington

O grupo bancário americano Citigroup, que ganhou 45 bilhões de dólares do Estado federal, desistiu nesta terça-feira de receber um novo jato particular, um projeto que chegou a provocar a ira de Washington.

Sem confirmar claramente uma mudança de decisão, uma porta-voz do Citigroup destacou nesta terça-feira à AFP que o grupo "não tem qualquer intenção de receber um novo aparelho".

Na véspera, o Citigroup informara em breve declaração ter instalado em 2005 um programa de redução de sua frota de jatos, de cinco para dois, através da venda dos aparelhos existentes e da compra de novos aviões que consumam menos combustível.

"Recusar a recepção um aparelho encomendado significa pagar uma multa de milhões de dólares", alegou o banco na noite de segunda-feira, antes de voltar atrás poucas horas depois.

As informações publicadas pela imprensa sobre a compra de um Falcon 7X levaram o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, a comentar a aquisição em termos poucos amenos.

O presidente Barack Obama "considera que a utilização do dinheiro dos contribuintes deve ser monitorada com grande atenção, sobretudo quando se trata de injetar fundos nos bancos para que possam emprestar dinheiro", afirmou Gibbs.

O senador Carl Levin, do Michigan, feudo das grandes montadoras de carros americanas, foi além: "Permitir ao Citigroup comprar um avião caro, ainda mais de um construtor estrangeiro (no caso, o francês Dassault), num momento em que as montadoras de carros do país são obrigadas a vender os deles, constitui uma diferença de tratamento ridícula", disparou.

O Citigroup havia respondido inicialmente que "para as aquisições previstas de aparelhos, os fundos do plano de apoio ao sistema financeiro não serão utilizados". Além disso, "os lucros obtidos com a venda de nossa frota existente devem exceder o custo da substituição de aparelhos", chegou a anunciar o banco.

Fonte: AFP

Nasa transporta novo foguete para local do primeiro teste

Caminhão de carga pesada retira foguete de teste Ares I-X do Centro de Pesquisas Langley, na Virginia

O novo foguete Ares I - pertencente ao programa Constellation, que deve levar o homem novamente à Lua até 2020 - será testado pela primeira vez ainda no verão deste ano (inverno no Brasil), informa em seu site a Nasa, agência espacial americana. Apesar de ainda não ter a data exata, a Nasa transferiu o foguete de testes - batizado de Ares I-X - nesta terça-feira em um avião de carga C-5 do Centro de Pesquisas Langley, em Hampton, na Virginia, até o Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

O primeiro teste servirá para avaliar o desempenho do equipamento nas fases de desacoplamento e recuperação do sistema de pára-quedas após o lançamento, explicou a Nasa. O Ares I-X subirá cerca de 40,2 km em uma simulação que deve durar em torno de dois minutos.

Segundo a agência, este primeiro passo é importante para verificar a estabilidade do foguete e recolher informações para o desenvolvimento dos sistemas de segurança.

O Ares I é parte de um novo sistema de espaçonaves que está sendo desenvolvido para substituir os envelhecidos ônibus espaciais. Ele e a cápsula Orion terão por objetivo viajar à Lua e ainda mais longe.

Obstáculos

Desde o início, o desenvolvimento do projeto tem sido uma batalha para a Nasa. De acordo com o The New York Times, problemas técnicos prejudicam o programa do Ares I, o primeiro dos novos foguetes em construção, causando atrasos e elevação de custos.

O jornal informa que para alguns críticos, o projeto enfrenta problemas sérios de inviabilidade, enquanto outros argumentam que complicações técnicas surgem no desenvolvimento de qualquer espaçonave, especialmente em projetos de grande porte como esse.

Fonte: Terra - Foto: Sean Smith/Nasa (Divulgação)

TCU julga pedido de rigor nas obras do Aeroporto de Macapá (AP)

O Tribunal de Contas da União analisou, em sessão do plenário, nesta quarta-feira, 28, o pedido da deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) para que haja maior rigor nas contas das obras do Aeroporto Internacional de Macapá, com a devida punição dos responsáveis pela má gestão dos recursos públicos. O pedido foi protocolado pela deputada socialista em audiência com o então presidente do TCU, ministro Walton Alencar Rodrigues, em novembro passado. A obra está impedida de receber novos recursos por determinação do próprio Tribunal, que constatou o desvio de R$ 50,9 milhões dos R$ 112,8 milhões contratados para a obra.

A deputada Janete Capiberibe é favorável à reforma e ampliação do Aeroporto, que considera inadequado para impulsionar o desenvolvimento do Amapá, mas repudia a má gestão dos recursos públicos que faltam noutras áreas, como saneamento e saúde.

“Defendemos a construção do Aeroporto Internacional de Macapá. É fundamental para nossa relação com o Brasil e com o mundo. Importante para o desenvolvimento econômico, especialmente do turismo. Mas não queremos que esta obra seja mais um ralo por onde o dinheiro público desapareça”, afirmou a deputada Janete Capiberibe.

Mamata

O contrato para reforma e ampliação do aeroporto de Macapá foi assinado em novembro de 2004. A previsão era que a obra fosse concluída em 30 meses, devendo se encerrar em meados de 2007. O TCU constatou que dos R$ 112,8 milhões contratados para a reforma do aeroporto, quase a metade – R$ 50,9 milhões – foi desviada. Em relação a dois contratos para as obras no aeroporto, o TCU afirma que o desembolso não é compatível com as obras realizadas, isto é, foram pagas obras nunca feitas, há desobediência explícita às recomendações do Tribunal e além de demais irregularidades graves na administração do contrato.

Depois da Operação Navalha, a Gautama transferiu a obra para a Beter, que recentemente entrou em recuperação judicial. Agora, a obra só poderá ser retomada depois de saneadas as irregularidades e feita uma nova licitação.

Navalha

A Gautama, que venceu a licitação para construir o Aeroporto de Macapá, foi pega na operação Navalha, da Polícia Federal, por desvio de recursos públicos. Em julho deste ano, o jornalista Ricardo Noblat publicou trechos de matéria de Expedito Filho, da revista Veja, em sua coluna na Internet: “Uma das novidades é a citação freqüente do nome da senadora Roseana Sarney, candidata ao governo do Maranhão pelo PMDB. A parlamentar é apontada como beneficiária de dinheiro supostamente pertencente ao empreiteiro” Zuleido Veras, cuja agenda pessoal está entre os documentos apreendidos pela Polícia Federal na operação desencadeada em maio de 2007. Noblat dá detalhes do que estava na agenda de Zuleido: “Em uma das anotações, datada do dia 16 de agosto de 2006, em plena campanha eleitoral, o nome de Roseana aparece associado à quantia de 200.000 reais. Em 14 de julho de 2006, sob a rubrica “campanha política”, o estado do Maranhão aparece como recebedor de 1 milhão de reais”.

Em 25 de maio de 2007, a Folha de São Paulo publicou notícia dizendo que a reforma no Aeroporto de Macapá resultou de pedido pessoal do senador José Sarney (PMDB/AP) ao presidente Lula.

As pistas seguidas pela Polícia Federal são reveladoras. Em 03 de junho do mesmo ano, O Estadão publicou reportagem revelando que a “Gautama e OAS se uniram para levar R$ 540 milhões do Maranhão”. O jornalista Fausto Macedo escreveu que “No rastro de Zuleido Veras, apontado como pivô da máfia das obras, a Polícia Federal mira um negócio de R$ 540 milhões - em valores atualizados - no Maranhão que ele dividiu com a Construtora OAS. Foi no governo Roseana Sarney (hoje no PMDB, na época no PFL)”. Mais adiante, relata: “Os federais descobriram, então, que, em parceria com a OAS, a Gautama chegou bem antes por lá, quando o Maranhão ainda era domínio quase exclusivo do clã Sarney”.

Blindagem

Para o Tribunal de Contas da União, as construções aeroviárias são as mais rentáveis do país para as empreiteiras, que se recusam a apresentar o projeto executivo, o que impede a previsão orçamentária das obras e facilita o superfaturamento. Atividades simples, como a remoção de entulhos, chegam a custar 10 vezes mais nas obras aeroviárias do que nas rodoviárias, sem motivo aparente e comprovação devida. Além disso, as análises do Tribunal de Contas esbarram na resistência para acessar outros documentos das obras.

Fonte: Portal Corrêa Neto - Foto: Dani Duarte.com

Alitalia processa participante do "Big Brother" italiano

A Alitalia abriu um procedimento disciplinar contra uma de suas aeromoças, que participa do reality show "Big Brother" na Itália, por se ausentar do trabalho.

Os problemas para Daniela Martani começaram na sexta-feira passada, quando a companhia iniciou o procedimento contra ela por não ter se apresentado no aeroporto de Roma para um voo entre a capital italiana e Tóquio.

A participante (foto) tomou conhecimento do processo ontem durante a exibição do programa, e a apresentadora do "Big Brother" lhe ofereceu a possibilidade de deixar o reality show para resolver seus problemas trabalhistas.

Martani, que ganhou destaque nacional quando seu rosto apareceu nos protestos dos funcionários da Alitalia, tinha solicitado antes de entrar no programa uma licença temporária remunerada do trabalho.

A participante assegurou que seus protestos contra a companhia aérea eram sinceros, assim como seu sonho de trabalhar na televisão.

No entanto, o famoso jornalista italiano Alfonso Signorini disse que Daniela Martani deixou de ser uma "Che Guevara" para se tornar uma "Ivana Trump", e acrescentou que a licença temporária remunerada seria "uma vergonha nacional".

A polêmica chegou ao ponto de o senador Maurizio Gasparri assegurar hoje que o procedimento aberto pela Alitalia contra a participante do "Big Brother" é "justo" porque ninguém deve ter privilégios no país.

Fonte: EFE via G1 - Foto: dgmag

Embraer entrega jato 195 à Air Dolomiti

A Embraer entregou na terça-feira (27) o primeiro jato Embraer 195 à Air Dolomiti, companhia aérea regional do norte da Itália pertencente à Lufthansa. O negócio com a Lufthansa foi anunciado em junho de 2007, abrangendo 30 pedidos firmes do jato Embraer 190, com a opção de receber qualquer aeronave da família dos E-Jets.

O Embraer 195 da Air Dolomiti é configurado com 116 assentos em classe única, com uma divisão móvel, e será utilizado para ligar a malha aérea italiana da Air Dolomiti ao centro de operações da Lufthansa em Munique, Alemanha.

"É uma honra entregar o primeiro jato Embraer 195 à Air Dolomiti", disse Mauro Kern, vice-presidente executivo da Embraer para o mercado de Aviação Comercial. "A Air Dolomiti é um dos principais integrantes da família de companhias aéreas regionais da Lufthansa e estamos orgulhosos de ver nossos E-Jets assumindo papel de destaque no programa de modernização da frota da empresa."

A nova aeronave fará parte da frota regional da Lufthansa, servindo como base para as operações tanto em rotas europeias como em voos de conexão para viagens de longo alcance. A chegada do Embraer 195 à Air Dolomiti coincide com a desativação de jatos mais antigos.

"Temos a satisfação de receber nosso primeiro de cinco jatos Embraer 195 e estamos ansiosos para introduzi-lo em nossa malha aérea europeia, oferecendo aos nossos clientes um produto novo e de qualidade superior", afirmou Michael Kraus, CEO da Air Dolomiti. "O Embraer 195 incorpora várias tecnologias avançadas. É economicamente eficiente e possui um nível de conforto incomparável."

Fonte: InvestNews

Anac aprova mudanças para documentação e vistorias

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou na terça-feira (27) que aprovou algumas mudanças em procedimentos para documentação de aeronaves e vistorias técnicas.

A Anac vai emitir Certificados de Aeronavegabilidade (CA) com validade de 60 dias, substituindo os antigos certificados provisórios. Além disso serão implantados novos procedimentos para a renovação do Certificado de Aeronavegabilidade de aeronaves de aviação geral e táxi-aéreo e para a realização de vistoria técnica inicial para aeronaves de qualquer categoria.

O Certificado é um documento obrigatório que comprova que a aeronave está em condições de operar com segurança e cumpre os regulamentos da aviação civil brasileira.

De acordo com a agência, o objetivo das alterações é adequar os procedimentos às provisões do Código Brasileiro de Aeronáutica. Outro ponto, é que as mudanças irão trazer mais produtividade e eficiência ao trabalho dos inspetores.

Fonte: InvestNews

Mais informações sobre o avião que caiu em lavoura do MS

Foto: Jovem Sul News

Foto: rmtonline.globo.com

O avião agrícola Neiva EMB-202 Ipanema, prefixo PT-UKA, que caiu segunda-feira (26)na fazenda Kasper, a 20 quilômetros de Chapadão do Sul, na região Nordeste do Estado de Mato Grosso do Sul, já esteve envolvido em outro acidente no mesmo local um ano antes, no dia 25 de janeiro de 2008.

Naquela ocasião, o trem de pouso enroscou no fio de alta tensão. O piloto, Milton Serrano Manzano foi levado para a Santa Casa de Campo Grande. O monomotor pertence a empresa Tenoar Aviação Agrícola e era alugado pelo produtor rural, dono da plantação para serviço de pulverização.

Fonte: TV Morena

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Avião de carga da Fedex sai da pista e deixa dois feridos nos EUA

Foto: KLBK

Foto: Geoffrey Mcallister

Um avião de carga da FedEx / Empire Airlines pegou fogo ao sair da pista nesta terça-feira (27), pouco depois de aterrissar em Lubbock (Texas, Estados Unidos), e os dois pilotos ficaram feridos, informaram fontes da companhia.

O avião, um ATR-42-320, prefixo N902FX, proveniente de Fort Worth, Texas, derrapou na pista, que estava coberta de neve, sua asa direita tocou o chão e pegou fogo, explicou a porta-voz da Fedex Sandra Muñoz, à AFP.

Assista a reportagem da WAFB: CLIQUE AQUI

Os dois pilotos, que eram as únicas pessoas a bordo da aeronave, conseguiram sair a tempo. "Estamos muito satisfeitos porque a tripulação conseguiu sair do avião", que pertence à Fedex, mas é alugado pela Empire Airways, disse a porta-voz.

"Foram transferidos para o hospital e aparentemente tem ferimentos leves", acrescentou.

Fonte: AFP

OceanAir lança promoção nos voos entre São Paulo e Salvador

A companhia aérea OceanAir lançou promoção válida até o dia 31 de janeiro, com tarifas a patir de R$ 473 para voos ilgando São Paulo (por meio do aeroporto de Guarulhos) a Salvador.

As tarifas são referentes ao bilhete de ida ou volta e não acumulam pontos no programa de milhagem da companhia. As reservas podem ser feitas pelo site da empresa (www.oceanair.com.br ) e agentes de viagem autorizados.

Brasileiros detidos em aeroporto espanhol relatam maus-tratos

Pelo menos cinco brasileiros que foram detidos no último domingo pelas autoridades de imigração do aeroporto de Barajas, em Madri, relataram com exclusividade à "TVEFE" que estão sofrendo maus-tratos.

Eles faziam parte de um grupo de 20 brasileiros que foram impedidos de entrar na Espanha no último domingo. Entre as cinco pessoas que ainda permanecem no aeroporto há uma criança de apenas 9 anos.

Este é o caso da universitária baiana Kauyna do Carmo Oliveira, de 21 anos, que está detida em uma sala do aeroporto e que reclama do tratamento recebido e da falta de informações.

"Passei por Madri só para fazer uma conexão, meu destino final era a Itália, onde mora minha mãe. Os policiais disseram que minha carta convite não tinha o selo oficial e que, por isto, não era válida para entrar no país", declarou Kauyna por telefone.

"Foi muita humilhação. É muito triste saber que não vou poder ver minha mãe. Eles nos tratam muito mal, são grossos e gritam conosco", afirma Kauyna.

A estudante baiana Dayse Santana, de 20 anos, também está retida no aeroporto de Madri. Ela conta que está sem escovar os dentes e sem trocar de roupa desde domingo, pois as autoridades espanholas retiveram suas malas, seu celular e sua máquina fotográfica.

"Durante o interrogatório eles perguntavam as coisas no maior cinismo e não nos deixavam responder. No primeiro dia eu só chorava e eles gritavam. Como eu não entendo espanhol ficava ainda mais nervosa", declarou Dayse à "TVEFE".

Dayse contou que ia passar duas semanas com suas irmãs que moram na Espanha, mas foi impedida de entrar no país porque, segundo as autoridades do aeroporto, ela não tinha uma carta convite, um dos documentos exigidos.

Segundo informações dos próprios turistas, os cinco brasileiros ainda retidos em Barajas seriam mandados de volta ao Brasil ainda nesta terça.

Já a Polícia espanhola informou à "TVEFE" que eles não foram autorizados a entrar na Espanha porque não apresentaram todos os documentos exigidos pela lei. Os policiais não especificaram que documentos seriam estes.

Por e-mail, o Consulado do Brasil em Madri esclareceu que não tem como reverter qualquer decisão de recusa de admissão na Espanha, pois é "de competência exclusiva das autoridades locais de imigração".

O Consulado brasileiro também afirmou que a Espanha, como fronteira externa do Espaço Schengen, deve cumprir as normas da Comissão Europeia (CE) ao decidir permitir ou não a entrada de estrangeiros.

Para evitar novos episódios como este o site do Consulado brasileiro em Madri disponibiliza um link no qual especifica a documentação necessária para entrar na Espanha como turista (http://consuladobrasil.es/requisitos).

Em 2008, os brasileiros lideraram a relação de estrangeiros barrados pelas autoridades da Espanha em sua chegada ao país pelo aeroporto de Barajas, em Madri.

Segundo informações oficiais, 2.500 brasileiros foram impedidos de entrar no país pela capital espanhola durante o ano passado, menos que os 2.764 barrados em 2007.

Fonte: EFE via Abril

Buraco na fuselagem de avião da Trip assusta passageiros

Clique sobre as fotos para ampliá-las

Um buraco na fuselagem do avião obrigou um voo da Trip Linhas Aéreas a pousar em Tocantins e assustou os passageiros no último dia 21, conta o leitor Edson Santos. Segundo ele, houve um forte barulho, seguido de muita turbulência. Logo depois, os passageiros puderam ver piloto e co-piloto fazerem uma verificação da parte externa do avião pelas janelas laterais. Passados 10 minutos, a aeronave, procedente de Carajás (PA), de onde partiu às 14h15, pousou em Araguaína (TO), às 15h.

Depois do susto, no entanto, teve início o drama dos passageiros para seguir viagem a Brasília, destino final do internauta. Só após uma hora parados no aeroporto eles foram informados de que o avião não tinha condições de voo e que outra aeronave, vinda de Belo Horizonte, estava prevista para partir para Araguaína às 19h.

- Por volta das 17h, alguns passageiros retornaram à pista para tirar fotos da avaria causada na aeronave. Somente então foi possível ver o tamanho do estrago ocorrido na fuselagem da aeronave - conta o leitor.

Segundo Edson, mais três horas se passaram sem que a Trip desse qualquer assistência aos retidos:

- Após várias reclamações, foi servido um lanche de péssima qualidade. A Trip não deu hospedagem adequada aos passageiros, conforme manda Lei 7.565, e tivemos que ficar acomodados em cadeiras do próprio aeroporto. Depois de uma permanência de 8 horas em Araguaína, o voo proveniente de Belo Horizonte pousou. Cerca de 20 minutos após este pouso, o voo Trip 5603 finalmente prosseguiu viagem para Brasília, onde só chegou por volta das 2h do dia 22 de janeiro.

Empresa aérea diz que carenagem se soltou

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a empresa aérea disse que durante o voo a carenagem do avião se soltou, mas o problema não ofereceu risco aos passageiros. No entanto, o avião teve que pousar em Araguaína para fazer uma manutenção não programada.

"Na parte baixa da aeronave, a carenagem se soltou, não oferecendo risco aos passageiros e a aeronave foi retida para troca da peça que foi efetuada em duas horas. Por conta disso, os passageiros aguardaram no próprio aeroporto até que outra aeronave fosse deslocada para atendê-los", diz um trecho do comunicado da empresa.

"A empresa esclarece ainda que mantém programas sistemáticos para manutenção das aeronaves seguindo critérios determinados pela legislação brasileira, bem como orientações dos fabricantes. A TRIP, inclusive, possui índice de 99% de 'despachabilidade', o que significa que suas aeronaves registram índices mínimos de paradas não programadas para manutenção.

Anac apura causas de buraco na fuselagem

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que já foi pedido um relatório técnico para apurar as causas do problema. Se ficar provado que o buraco na fuselagem da aeronave foi decorrente de falha na manutenção, a empresa pode ser autuada.

A Anac ressaltou que apenas dois passageiros reclamaram da falta de assistência por parte da companhia aérea e aproveitou para lembrar que os usuários que passarem por algum tipo de problema podem reclamar à agência reguladora por meio do site ou dos telefones (61) 3366-9303 e (61) 3366-9307.

Fonte: O Globo (com informações e fotos do leitor Edson Santos)

Dados da Aeronave:

Operador: Trip Linhas Aéreas
Prefixo: PR-TTI

Fabricante: AEROSPAT. ALENIA
Modelo: ATR-72-212
Número de Série: 454
Tipo ICAO : AT72
Tipo de Habilitação para Pilotos: AT72
Classe da Aeronave: Avião de 2 Motores turbo helice
Peso Máximo de Decolagem: 22000 - Kg
Número Máximo de Passageiros: 066

Categoria de Registro: SERVICO TRANSPORTE PUBLICO REGULAR DOM/REG
Número dos Certificados (CM - CA): 16732
Situação no RAB: SUBARRENDAMENTO OPERACIONAL/HIPOTECA
Data da Compra/Transferência: 290505
Data de Validade do CA: 14/06/11
Data de Validade do RCA: 11/03/09
Data de Validade do Seguro: 31/08/09
Situação de Aeronavegabilidade: Normal

Fonte: ANAC

Unidade do Procon no Aeroporto do Recife tem permanência prorrogada até março

Turistas e usuários de transporte aéreo que passam pelo Aeroporto Internacional dos Guararapes Gilberto Freire, em Recife, contam desde dezembro de 2008, com um importante subsídio a seu favor. Trata-se de uma unidade do Procon Pernambuco no local, o Procon-Aeroporto.

Visando orientar os passageiros sobre seus principais direitos através da distribuição de folders educativos, a unidade recebe reclamações e denúncias contra as empresas aéreas, fornece informações técnicas sobre o Código de Defesa do Consumidor e ainda soluciona algumas ocorrências de imediato.

A iniciativa de manter um Órgão de Defesa do Consumidor em um aeroporto é pioneira no Brasil. E foi devido à elevada demanda de serviço, que a unidade
teve o prazo de permanência prorrogado.

A previsão do Procon era ficar no aeroporto durante um mês, ou seja, de 23/12/2008 a 23/01/2009. No entanto, esse prazo foi estendido até março de 2009, em virtude do aumento de fluxo de passageiros com o período carnavalesco. A expectativa do Órgão é firmar um convênio com a Infraero para criar uma unidade permanente no aeroporto.

O Procon-Aeroporto continuará funcionando de segunda à sexta, das 8h às 17h, no 1º andar, próximo ao saguão de embarque.

O serviço prestado pelo Procon-Aeroporto tem agradado tanto aos passageiros que o e-mail do Órgão vem recebendo, diariamente, dezenas de mensagens de agradecimento. O balanço feito durante um mês de funcionamento superou as expectativas. Foram 297 ocorrências solucionadas de imediato pela equipe de fiscalização do Procon Pernambuco no aeroporto, com 17 reclamações feitas através de Carta de Informação Preliminar (CIP) e lavrados 7 autos de infração contra empresas aéreas nesse período.

Fonte: Blog do Jamildo (JC Online)

28/01/1986: Ônibus espacial Challenger explode



Terça-feira, 28/01/1986

Todos os sete tripulantes da Challenger morreram, entre eles uma professora escolhida para participar da missão depois de testes. Familiares assistiam à decolagem no cabo Canaveral e viram a explosão.

Avião agrícola cai perto de Chapadão do Sul (MS); piloto fica ferido

O avião era pilotado por Oscar Mori Filho, de 51 anos, que sofreu cortes no braço esquerdo e na cabeça, escoriações e fratura na clavícula

Um avião agrícola Neiva EMB-202 Ipanema, prefixo PT-UKA caiu às 10h30 desta segunda-feira na fazenda Kasper, a 20 quilômetros de Chapadão do Sul (região Nordeste do Estado de Mato Grosso do Sul). O avião era pilotado por Oscar Mori Filho, de 51 anos, que sofreu cortes no braço esquerdo e na cabeça, escoriações e fratura na clavícula.

Ele foi resgatado, consciente, pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Regional de Chapadão do Sul.

O avião pulverizava a lavoura quando sofreu uma pane no motor, perdeu altura, chegou a se arrastar por 50 metros e tombou. A velocidade já estava baixa neste momento.

Um funcionário da Fazenda Reunidas, que achou o avião, contou que havia passado 40 minutos antes no local e o viu voando normalmente, quando retornou percebeu o monomotor caído e encontrou o piloto consciente.

Oscar Mori tem 20 anos de experiência de vôo.

2ª caso em um ano

Há um ano, no dia 24 de janeiro de 2008, ocorreu outro acidente na mesma lavoura. A distância em relação ao acidente de hoje é de 100 metros. Daquela vez a aeronave era pilotada por Milton Serrano Manzano, que também sobreviveu à queda.

Fontes: Campo Grande News via Jornal Hoje MS de Três Lagoas / ANAC

Especialistas tentam identificar aves que derrubaram avião

A pesquisadora Carla Dove examina documento sobre aves atingidas por aeronaves, no Museu Nacional de História Natural, em Washington

Pistas obtidas nos destroços do voo 1549 da US Airways, que fez um pouso de emergência no rio Hudson, em Nova York, em 15 de janeiro, estão sendo encaminhadas à melhor equipe de investigação do mundo: as caixas pretas do avião ao Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos Estados Unidos, as turbinas aos especialistas da fábrica e uma pena de pássaro a um museu da Smithsonian Institution.

O Museu Nacional de História Natural, em Washington, dificilmente seria lembrado em conexão com um acidente que resultou na perda de potência pelas duas turbinas de um jato de passageiros voando a cerca de mil metros de altitude. Mas pouco adiante da seção que abriga o elefante empalhado que recebe a multidão de crianças visitantes, no final do corredor que serve como parada para as bicicletas dos funcionários, fica o Laboratório de Identificação de Penas, no qual uma equipe de quatro especialistas recebe amostras de 4,6 mil colisões entre aviões e pássaros a cada ano. As amostras costumam chegar em sacos plásticos lacrados e incluem pés de aves, penas inteiras e porções mutiladas dos corpos dos pássaros envolvidos em colisões.

Identificar corretamente a espécie de pássaro envolvida em uma colisão com um avião pode ser importante, diz Carla Dove, diretora do laboratório. "Se as pessoas conhecem a causa do problema, é possível fazer alguma coisa a respeito", ela disse. "Se o problema em sua casa são baratas, não adianta chamar um exterminador de ratos". Uma das providências essenciais para reduzir o número de colisões com pássaros é transferir a espécie causadora do problema, ela diz. Isso pode envolver aparar a vegetação em certa área ou drenar um lago freqüentado por determinado tipo de patos.

As penas e outras porções dos corpos dos pássaros são comparadas a uma coleção de 620 mil amostras de pássaros, algumas das quais recolhidas por pioneiros como Charles Darwin e John James Audubon. Outro colaborador foi o presidente norte-americano Theodore Roosevelt, que colecionava pássaros na região em que vivia sua família, Oyster Bay, em Long Island, antes de se tornar caçador de animais de grande porte. E, caso as penas não sejam suficientes para determinar a espécie, os restos vão para a seção de DNA, que conta com um imenso banco de dados. Usando esses dois recursos, o índice de sucesso na identificação de pássaros que colidiram com aviões é de 99%.

Nos casos de colisões que recebem mais destaque, os dois métodos de identificação são empregados - penas e DNA. Uma colisão com pássaros sobre o Bronx reportada pelo piloto minutos depois que o voo 1549 decolou do aeroporto La Guardia, em Queens, pode ter causado a paralisação das duas turbinas e o pouso de emergência no Hudson, ao qual sobreviveram todos os 155 passageiros e tripulantes. Uma pena foi descoberta presa a uma das asas do avião.

Os pesquisadores do museu não podem falar sobre seu trabalho na investigação do acidente da US Airways, mas falaram sobre outros casos. Em uma mesa do laboratório, iluminada em tom neutro, Dove abriu uma sacola plástica que continha algumas penas marrons e brancas recolhidas em uma recente colisão com pássaros de um avião militar norte-americano que opera da base de Rota, na Espanha. Em campo, os pesquisadores haviam identificado a espécie como uma coruja da espécie Asio otus, mas Dove constatou no museu que a identificação não procedia. Comparando as penas com as de uma outra espécie de coruja, a Bubo bubo, ou coruja-águia, ela apontou: "Veja como elas são mais parecidas".

É esse o trabalho dos ornitologistas forenses. A investigação de colisões entre aviões e pássaros na verdade é uma empreitada relativamente recente para o museu. "Começamos a recolher exemplares antes mesmo que existissem aviões", disse Marcy Heacker, uma das investigadoras do museu, em referência à vasta coleção de amostras de pássaros que a instituição abriga. Mas desde uma colisão acontecido em 1960 no aeroporto Logan, em Boston, envolvendo um Lockheed Electra da Eastern Airlines e um bando de estorninhos, os investigadores de segurança aérea têm recorrido à ajuda do museu.

A maioria das amostras de pássaros vem da marinha e da força aérea; o Departamento da Defesa deseja que cada colisão entre pássaros e aviões militares seja investigada. Os aviões militares são mais vulneráveis a colisões com pássaros porque voam freqüentemente a baixa altitude, e muitos deles têm apenas um motor. As colisões entre aviões militares e pássaros muitas vezes acontecem em lugares distantes como o Iraque e o Afeganistão, mas o laboratório, que armazena espécimes de cerca 85% das espécies mundiais de pássaros, está preparado para essas tarefas. As grandes linhas aéreas norte-americanas também enviam amostras recolhidas em todo o país, em aeroportos de pequeno e grande porte, diz Dove.

As quedas causadas por colisões com pássaros são intermitentes no caso de aviões de menor porte e raras entre os jatos comerciais. Os registros do governo mostram cinco colisões entre pássaros e jatos de passageiros nesta década, excluído o voo 1.549, que causaram danos sérios. Penas recolhidas intactas podem ser comparadas a amostras. Se restar apenas penugem, os pesquisadores utilizam microscópios com poder de ampliação de 100 vezes para estudar o padrão dos nódulos nas estruturas microscópicas de penas, a fim de identificá-las.

O prazo de trabalho requerido é muito curto, mas ocasionalmente o laboratório encontra problemas. A geneticista Faridah Dahlan testou uma amostra, um ano atrás, e constatou que ela aparentemente provinha de um cervo. Podem acontecer colisões entre aviões e cervos, mas um telefonema ao piloto confirmou que o incidente haviam acontecido a 450 m de altitude, de modo que foram necessárias investigações posteriores. Por fim, o laboratório conseguiu descobrir, com base em um pequeno pedaço de pena, que o animal envolvido na colisão era um abutre negro que, aparentemente, tinha pedaços de um cervo em seu estômago.

Dahlan afirma que obter DNA de pequenas amostras de corpos de pássaros não é um grande desafio, e conta que, em seu emprego anterior, "eu identificava formigas". Mas o banco de dados de DNA de pássaros não é tão bom quanto o que contém amostras de DNA humano. Em um acidente como o do voo 1.549, o laboratório usualmente é capaz de identificar se havia mais de uma espécie de pássaro envolvida, mas talvez não seja capaz de determinar exatamente quantos pássaros colidiram com o avião.

Mais recentemente, o laboratório está estendendo suas atividades para outras áreas que não apenas colisões entre aviões e pássaros ¿recentemente, analisou o conteúdo do estômago de uma serpente birmanesa apanhada na região pantanosa dos Everglades, na Flórida, a fim de determinar que espécie de pássaros a cobra estava usando como alimento. O laboratório também identifica pássaros mortos em colisões com moinhos de vento. Caso os restos provenham de um morcego, o laboratório de mamíferos adjacente ajuda no trabalho.

O espaço do laboratório está repleto de estantes, e estas estão ocupadas por gavetas que abrigam todo tipo de amostra. Há ovos de avestruz, quase do tamanho de um melão, e ovos de rouxinol que são pouco maiores que um drops. Os espécimes contêm carne, ossos e penas, e são preservados sobre uma camada de algodão. Ao contrário dos que estão expostos no museu, eles não têm olhos de vidro. Ficam guardados em recipientes que se parecem com caixas de pizza mas na realidade são embalagens especiais para uso em museu, resistentes a ácidos. Um dos espécimes, um limoso do Hudson, tem uma etiqueta que informa que ele foi recolhido na ilha leste das Falklands em 1833. A letra é provavelmente de Darwin, diz Dove. A coleção também inclui um pássaro que pode já estar extinto, o picapau de bico de marfim, e de outros animais que certamente se extinguiram, como o pombo passageiro e o periquito da Carolina.

E da mesma maneira que Darwin nem imaginava que os pássaros que recolhia poderiam servir ao estudo de colisões entre aviões e aves, os atuais pesquisadores de pássaros acreditam que o futuro encontrará diferentes usos para sua biblioteca e coleção. Ela já serve para recolher dados que podem indicar alterações climáticas, diz Dove; os pássaros estão colidindo com aviões em locais e épocas do ano em que não estariam presentes alguns anos atrás.

Com anos de experiência, a equipe de investigação faz uma idéia clara e quase instantânea da espécie de penas que lhes chegam às mãos. Ao contemplarem a pena do chapéu que eu estava usando, rapidamente concluíram que era meio pena de galinha e meio pena de pavão, tingida.

Fonte: The New York Times - Tradução: Paulo Migliacci via Terra

Movimento de passageiros em Porto Alegre cresceu 11%

Em 2008, o Aeroporto Internacional de Porto Alegre - Salgado Filho (RS) registrou um aumento de 11,19% na movimentação de passageiros, em relação ao ano de 2007. Cerca de 500 mil passageiros a mais embarcaram/desembarcaram em Porto Alegre no último ano: foram 4.941.952 contra os 4.444.748 de 2007.

O mês que apresentou maior crescimento, ao ser comparado com os dados de 2007, foi agosto. Foram 22,13% a mais, totalizando 414.961 passageiros. Já o mês que registrou o maior número de passageiros pela via aérea foi maio, quando 455.217 passageiros saíram ou chegaram à capital gaúcha. Dentre os 12 meses do ano, apenas outubro teve queda na movimentação, com percentual abaixo de 1%.

O aumento no número de passageiros no Salgado filho acompanha a tendência anual registrada nos aeroportos do Sul do País, administrados pela Infraero. De acordo com o superintendente da Regional Sul, Nilo Sérgio Reinehr, o efeito da crise econômica do final do ano passado não chegou a impactar no número de passageiros. "Muitos viajam regularmente a negócios ou já tinham adquirido as passagens aéreas", explica. Ela também justifica que houve um aumento na oferta de voos, com o início das operações de novas companhias aéreas e também com as facilidades oferecidas pelas já existentes.

Fonte: Mercado & Eventos - Foto: paolapoa

São Paulo ganha mais rotas a partir de março

Turkish Airlines e a israelense El Al iniciam operações no País

O ano de 2008 foi animado em termos de novos voos para o Brasil. Depois de sete anos longe dos aeroportos brasileiros, a Korean inaugurou a rota São Paulo-Los Angeles-Seul. No cenário doméstico houve a criação de uma nova companhia aérea, a Azul. Para 2009 há mais lançamentos programados, mesmo com a crise pairando sobre a economia mundial. Confira algumas das novidades:

Israel

Apesar dos conflitos entre Israel e Hamas, a promessa deste ano é o voo direto São Paulo- Tel-Aviv, que será operado pela El Al (www.elal.co.il). O diretor-geral para a Europa e vice-presidente da empresa, Izy Cohen, disse, semana passada, que a frequência deve estreitar as relações comerciais de Israel com o Brasil e com toda a América Latina. Ele espera que Tel-Aviv possa servir como escala para viagens à Jordânia e ao Egito.

Segundo Cohen, o horário dos voos (saindo às 22 horas de Tel-Aviv e às 19h30 de São Paulo) foi criado de olho no mercado executivo. Mas o turismo religioso deve representar uma importante parcela de passageiros. As aeronaves partirão de São Paulo aos domingos, terças e quintas-feiras e, de Tel-Aviv, aos sábados, segundas e quartas-feiras. A previsão é que os bilhetes possam ser adquiridos a partir de 1º de fevereiro e que o primeiro Boeing 777 parta da cidade israelense em 2 de maio.

Turquia

A partir de 22 de março, a Turkish Airlines (www.thy.com) deve inaugurar uma rota entre São Paulo e Istambul, com conexão de uma hora e meia em Dacar, no Senegal. O voo será operado duas vezes por semana, saindo da capital paulista às segundas e às quintas-feiras.

Até Istambul sairá de SP 2 vezes por semana, com escala com uma hora e meia em Dacar, no Senegal

Estados Unidos

A crise econômica também parece não ter afetado os planos da Delta Airlines (pt.delta.com)no Brasil. A companhia anunciou, no ano passado, voos partindo de Atlanta e Los Angeles para Manaus, Fortaleza, Recife - já operantes - e São Paulo, cuja frequência deve ser iniciada em 22 de maio. Serão três saídas semanais - às segundas, quartas e sextas-feiras. De Los Angeles, as aeronaves partirão sempre às terças, quintas-feiras e sábados.

Brasil

A Azul (www.voeazul.com.br), que começou suas operações em meados de dezembro, deve concentrar as novidades nos voos domésticos. A empresa já conta com quatro rotas, todas partindo do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP): Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e Vitória (ES). A empresa tem previsão de anunciar novas rotas a partir de março, mas os destinos ainda não foram divulgados.

Para os passageiros que saem da capital, a empresa oferece um serviço de ônibus partindo do Shopping Villa-Lobos. São nove horários, a partir das 4h30 até as 18h30. No sentindo inverso, também são nove horários, das 6h30 às 21 horas. Até 28 de fevereiro, o serviço será gratuito.

Fonte: estadao.com.br

As perspectivas do caça russo da quinta geração

O T-50 (Su47) - Clique sobre a imagem para ampliá-la

O processo de desenvolvimento e construção do caça russo da quinta geração destinado para as Forças Aéreas da Rússia, desde há vários anos, é um dos temas militares de maior interesse. O novo avião elaborado no âmbito do Programa PAK FA deve, em perspetiva , substituir os caças da quarta geração Su-27 e Mig -29, que constituem hoje a força de choque principal da Força Aérea da Rússia.

Recentemente , o vice-presidente do governo russo, Serguei Ivanov, falou sobre a necessidade de acelerar a fabricação do novo avião de combate. A decisão da criação do novo caça foi tomada no início dos anos 2000 e , na época, as empresas principais de construção de aviões : Sukhoi, Mikoian e Yakovlev, apresentaram seus planos de desenvolvimento do projeto.

Finalmente foi o consórcio aeronáutico Sukhoi que ganhou o concurso e foi eleito pelo Governo como o agente geral do PAK FA-T50. Inicialmente , os expertos e as fontes competentes indicaram que o primeiro vôo de teste do aparelho russo seria realizado entre os anos 2008 e 2010, mas nos finais do ano passado , o comando da Força Aérea da Rússia revelou o primeiro vôo do T-50 ser marcado para o agosto de 2009.

Um pouco antes a documentação de Sukhoi, aprovada pelo governo, foi enviada para a fabrica da empresa situada na cidade Komsomolsk do Amur ( Extremo Oriente do pais). Segundo as fontes oficiais, a fábrica em Komsomolsk atualmente instala uma cadeia de produção de novos aviões e já construi os três prototipos do modelo T-50 em estaleiros especiais. Estes aviões participarão em diversos testes a serem realizados durante cinco ou seis anos seguintes.

Depois de acabar a segunda fase – a de certificação por parte de várias entidades russas, começará a fabricação em série do avião, provavelmente, no início do ano 2015.

As fontes não oficiais informam que o avião da quinta geração russo seria o aparelho da categoria pesada, com peso de cerca de 30 toneladas, ao corresponder ao peso do atual Su-27. O radar e o armamento a bordo seria elaborado e construído pelo Instituto Tikhomirov, que fabrica o radar Irbis para o caça Su-35 BM da geração intermédia (IV+++).

O armamento do T-50 seria desenvolvido na base do equipamento instalado no Su-35.

Quanto à forma de visão exterior, praticamente não há informações. Algumas fontes de imprensa indicam que seria muito semelhante à do caça norte-americano Raptor F-22.

De acordo com a imprensa russa especializada, o T-50 será um caça com velocidade do avião supersônico de entre 1,58 e 2, 5 Mach, equipado por um propulsor da variante vectorial que lhe assegurará a alta capacidade de manobra.

Seria utilizada a tecnologia Stealth para garantir a sua invulnerabilidade. A navegação , controle de armamento, possibilidades de ataque e defesa deveriam ser totalmente omputadorizados .

A introdução na Força Aérea russa do avião da quinta geração será acompanhada por criação de um sistema adicional logístico, destinado para ampliar as possibilidades de combate da Força Aérea russa. Se trata dos sistemas de abastecimento e apoio terrestre, aéreo e orbital , defesa rádio-eletrônica.

O desenvolvimento desta parte do projeto continua a ritmos diferentes, devido à crise financeira mundial que abrangeu também a Rússia. Segundo os expertos, esses sistemas têm uma importância principal para o sucesso do projeto PAK FA, pois, sem as quais os aviões virão brinquedos de alto custo e de produção complicada, e não aumentarão o potencial da Força Aérea russa.

Fonte: Iliá Krámnik (RIA Novosti) - Tradução Lyuba Lulko via Pravda - Imagem: dissidentex.files

ITB terá dia voltado para aviação

A indústria da aviação mundial irá enfrentar grandes desafios em 2009, com acentuada flutuação dos preços do petróleo e custos de combustível, as crises dos mercados de capitais, a super lotação e a questão da protecção do clima. Durante o Dia da Aviação, que acontece em 13 de março, a ITB Berlim terá uma convenção com a presença de representantes das companhias aéreas e fabricantes de aeronaves para discutir questões atuais relativas à indústria da aviação internacional.

Stefan Lauer, membro da diretoria do Grupo Lufthansa, dará início ao evento e vai apontar a posição da Lufthansa na aviação do futuro. Ele vai dar respostas às perguntas sobre a base para o sucesso do grupo, bem como proporcionar insights sobre os planos estratégicos para o fortalecimento de sua posição na aviação internacional.

Já o "Painel de combustível e de emissões" será um dos focos da ITB Aviation Day, com debates entre especialistas em aspectos como bio-combustível, os novos sistemas de propulsão e a proteção do clima. Outro tema que fará parte de um painel com analistas será a crise dos mercados de capitais. O último evento do Dia da Aviação ITB irá analisar como a questão do baixo custo e bons serviços pode ser bem sucedida.

A ITB Berlim 2009 acontece a partir de quarta-feira, dia 11, até domingo, dia 15, e será aberta aos visitantes do trade da quarta-feira à sexta-feira. Mais detalhes podem ser obitidos pelo site: www.itb-convention.com.

Fonte: Mercado & Eventos

S&P põe British Airways sob vigilância negativa

A agência internacional de avaliação de risco Standard & Poor's (S&P) colocou hoje sob vigilância com "implicações negativas" a classificação "BBB-" (qualidade aceitável) da companhia aérea britânica British Airways (BA).

Em comunicado emitido de sua sede em Londres, a S&P tomou a decisão após a BA advertir, ontem, que prevê fechar o ano fiscal 2008-2009 com perdas operacionais de 150 milhões de libras (cerca de 158 milhões de euros).

A companhia aérea justificou essa projeção pelo enfraquecimento do negócio como consequência da recessão econômica, assim como pela queda da libra, que nas últimas semanas caiu em relação ao euro e ao dólar.

"As condições do mercado para as companhias aéreas européias caíram de forma significativa nos últimos tempos e o contexto do negócio é muito sombrio", afirmou Standard & Poor's.

A S&P admitiu que "a profundidade e a duração da desaceleração é incerta", apesar de ressaltar que a "recuperação levará tempo" e que é "improvável" uma melhora do setor da aviação em 2009.

Fonte: EFE

Ex-presidente da Embraer defende privatização dos aeroportos

Ozires Silva fez críticas ao atual modelo estatal de administração da malha aeroviária do país

"É absolutamente ridículo que as três mais importantes linhas aéreas do Brasil só visitem 44 cidades, num universo de 5,5 mil municípios". A declaração foi dada nesta terça-feira (27) em Vitória pelo ex-ministro de Infra-estrutura, Ozires Silva, considerado uma das maiores autoridades brasileiras em aviação civil.

Na capítal capixaba, onde veio para participar de um Simpósio Nacional de Ensino de Física, o também ex-presidente da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) fez críticas ao atual modelo estatal de administração da malha aeroviária do país e defendeu a privatização dos aeroportos como solução para o atual cenário.

Em relação ao aeroporto Eurico Sales, em Vitória, Ozires Silva disse não ter muito conhecimento a respeito dos motivos que levaram o Tribunal de Contas da União (TCU) a embargar as obras de ampliação e modernização. Mas acredita que o problema possa estar relacionado ao engessamento das licitações exigidas pela legislação brasileira.

"Eu não conheço os problemas específicos de Vitória, mas isso tudo é fruto da legislação. O TCU não poderia embargar a obra se não tivesse uma legislação básica que o apoiasse. A legislação é um concreto que está segurando o desenvolvimento da aviação civil. Estamos na terra de Santos Dumont, dizer que o Brasil tem uma aviação menor do que necessita é uma pena", disse o ex-ministro.

O ex-ministro foi taxativo ao afirmar que os problemas da aviação civil podem ser solucionadas com a privatização de todos os aeroportos brasileiros. Silva avalia que o quadro técnico da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) é bom, mas o órgão também está engessado.

"Como a Infraero é uma companhia estatal, até para comprar uma caixa de fósforo (sic) tem que fazer concorrência pública. Ela perdeu a dinâmica devido à restrição da legislação. A Infraero tem bons quadros técnicos, mas perdeu a agilidade necessária para responder a um objeto que voa a 900 km/h. A solução para a operação dos aeroportos brasileiro seria passá-la à iniciativa privada, caso houvesse interesse", avaliou o ex-presidente da Embraer.

Para se ter uma dimensão dos problemas da malha aeroviária brasileira, Ozires fez comparações com o modelo americano, guardadas as devidas proporções. O problema da pouca oferta de vôos foi destacado como grave para o Brasil.

"Para se ter uma ideia, no ano passado 900 milhões de americanos voaram nos EUA. Aqui no Brasil não chegamos a 50 milhões de brasileiros que voaram neste mesmo período. Você pode atribuir isso à renda per capita brasileira que é menor que a americana e ao nível de desenvolvimento. Mas o que se nota é que há uma insuficiência de oferta. Ela excede apenas nas cidades que geram mais tráfego. Não há iniciativa de estimular novos trajetos."

Ozires Silva ministrou, nesta terça, uma palestra sobre empreendedorismo para universitários que participam do Simpósio Nacional de Estudo da Física, na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Formado em engenharia pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Silva foi ministro de Infra-Estrutura, presidiu a Embraer e a Varig. Atualmente integra o Conselho Brasileiro para o Desenvolvimento da Ciência.

Fonte: Gazeta Online - Foto: Guido Nunes

TAM entra nas rotas da Azul em Campinas

A chegada da Azul está fazendo a concorrência se movimentar. A TAM começa a operar, no dia 6 de fevereiro, dois voos diários de Campinas para Salvador e outros três de Campinas para Porto Alegre - as duas rotas inaugurais da nova companhia.

Até então, a TAM só ligava o interior de São Paulo a Salvador e Porto Alegre por meio de voos com conexão. E antes mesmo da estreia da Azul, em 15 de dezembro, a Gol anunciou promoções bastante agressivas para essas mesmas rotas.

Para a Azul, que oferece quatro ligações diárias para cada um desses destinos, a resposta dos concorrentes não surpreende. "Já estávamos aguardando esse tipo de reação em todas as nossas rotas. Estamos preparados para isso. Nosso plano de negócios leva em conta essa reação", afirma o diretor de relações institucionais da Azul, Adalberto Febeliano.

A TAM informou apenas que sua "malha aérea doméstica é ajustada periodicamente para atender às variações de mercado de acordo com as mudanças de alta e baixa temporada". A Gol/Varig, por sua vez, informou que as tarifas promocionais de alta temporada não se restringem aos voos para Campinas, mas incluem 45 destinos em todo o País. Entretanto, quando lançou a promoção, os descontos para os voos que viriam a ser operados pela Azul foram os que receberam maior destaque no site da empresa.

Ao menos na estreia, a tarifa mais barata da TAM vai acompanhar a menor tarifa da Azul, R$ 219. Na Gol, contudo, o bilhete mais barato sai a R$ 209. De acordo com Febeliano, antes de a Azul começar a operar nessa rota, o bilhete da Gol começava em R$ 240 e o da TAM (com conexão) começava em R$ 300.

Situação parecida vive a rota Campinas-Porto Alegre, segundo Febeliano. Nas três companhias, o bilhete mais barato custa R$ 129. Antes da estreia da Azul, observa Febeliano, a Gol cobrava R$ 180 e a TAM, R$ 220, também por meio de um voo com conexão.

A Azul acredita que essa movimentação da concorrência deverá se repetir nas rotas de Campinas para Curitiba e para Vitória, inauguradas há duas semanas.

A chegada da Azul no mercado brasileiro também alterou o relacionamento de TAM e Gol com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - que defende medidas para estimular a concorrência. No fim do ano passado, as duas líderes fizeram uma representação formal contra a direção da Anac, por suposto favorecimento à Azul.

Entre outras coisas, argumentavam que a Anac tinha liberado autorizações de voo em tempo recorde para a Azul. A agência rebateu dizendo que a própria TAM já recebera autorizações de voo em prazos semelhantes.

Fonte: Agência Estado via IG

Crise leva principais companhias aéreas japonesas a cortar voos

As duas principais companhias aéreas japonesas, Japan Airlines (JAL) e All Nippon Airlines (ANA), diminuirão a quantidade de voos nacionais e internacionais devido à crise, assegura hoje o jornal econômico "Nikkei".

No total serão 22 as rotas afetadas em 2009, entre elas um voo internacional Osaka-Londres da JAL e dois da ANA para a China saindo do aeroporto de Nagóia.

De acordo com o jornal "Nikkei", com as novas medidas, ambas as companhias aéreas terão cortado juntas, desde 2007, 40 rotas até o fim de 2009, aproximadamente 10% do total.

Se anteriormente a razão havia sido a alta do preço do combustível, agora a causa é a crise econômica que derrubou a demanda por passagens no mundo todo.

Em novembro a média de ocupação dos aviões das duas companhias japonesas caiu 70%, segundo o "Nikkei".

A ANA e a JAL planejam fazer ainda esta semana o anúncio desses novos cortes em suas rotas.

Fonte: EFE via G1

Quase um milhão de passageiros desembarcou em Maceió em 2008

A Infraero divulgou na última sexta-feira, 23, a movimentação nos aeroportos brasileiros até dezembro de 2008. Segundo os dados, o fluxo de passageiros continua aumentando no aeroporto Zumbi dos Palmares. Maceió recebeu, no total, de janeiro a dezembro de 2008, 957.744 passageiros, um aumento de 2,1% em relação ao mesmo período do ano passado, acima da média nacional de 1,4%. Em 2007, o número ficou em 937.305 mil.

Já o fluxo nacional, que compreende os passageiros de vôos dentro do país para Maceió, teve um aumento de 1,9%, com quase 935 mil passageiros, contra 917 mil desembarques em 2007. Esse crescimento também é maior que a média brasileira, que teve uma variação de 1,0% em relação a 2007.

Em relação aos desembarques internacionais regulares, foram quase 23 mil passageiros desembarcados no aeroporto de Maceió, contra 20.135 no mesmo período de 2007, um aumento de 13,2%, enquanto no Brasil esse crescimento foi de 4,4%.

Segundo a secretária adjunta estadual de Turismo, Danielle Novis, os dados comprovam o crescimento por qual o turismo de Alagoas está passando e lembra que os dados da Infraero consideram apenas os vôos regulares. "Ainda temos os 26 charters da CVC durante esta temporada, que trazem mais de quatro mil passageiros por semana, além dos vôos fretados da Argentina e Itália, sem deixar de mencionar o fluxo regional, em que os turistas dos estados próximos utilizam o transporte terrestre", destaca Novis.

Fonte: Alagoas em Tempo Real - Foto: arcoweb.com.br

Delta Air Lines tem prejuízo de US$ 1,4 bi no trimestre

A Delta Air Lines Inc registrou prejuízo líquido de US$ 1,44 bilhão no quarto trimestre de 2008, ante prejuízo de US$ 70 milhões no mesmo período do ano anterior.

O resultado da companhia foi afetado por encargos de US$ 970 milhões relacionados à fusão com a Northwest Airlines, completada em outubro passado. A transação tornou a Delta a maior companhia aérea do mundo. O executivo-chefe da companhia, Richard H. Anderson, disse que "apesar do difícil ambiente econômico, esperamos ser solidamente rentáveis em 2009, com a queda nos custos do combustível e sinergias geradas pela fusão". A companhia também informou que seus resultados no trimestre foram afetados pela forte oscilação nos preços da querosene de aviação.

A receita operacional do período saltou 43%, para US$ 6,71 bilhões, como resultado da fusão com a Northwest Airlines. A companhia, contudo, considera ser mais significativo comparar os resultados trimestrais em uma base combinada, que inclui os resultados da Northwest nos três meses completos em dezembro de 2007 e em dezembro de 2008. Nessa base, a receita caiu 0,3% para US$ 7,77 bilhões. Richard Anderson disse no início deste mês que a desaceleração da economia global não alterou as perspectivas estabelecidas com a compra da Northwest.

A companhia continua com o objetivo de gerar US$ 2 bilhões em cortes de custos até 2012 por meio de medidas como a otimização da frota de aeronaves. A receita por milha percorrida por passageiro, caiu 3,1% no quarto trimestre, na medida em que a capacidade de transporte da empresa caiu 4,2%. A Delta, assim como outras companhias aéreas, tem reduzido a capacidade nos Estados Unidos para cortar custos, eliminando algumas rotas menos procuradas. A empresa disse que irá reduzir a capacidade entre 6% e 8% em 2009 porque a recessão global tem enfraquecido a demanda por viagens aéreas. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

UE detecta problemas de concorrência com compra da Brussels pela Lufthansa

Decisão adiada para 10 de Junho

As autoridades europeias da concorrência anunciaram na segunda-feira que vão examinar aprofundadamente a compra da Brussels Airlines pela Lufthansa, depois de uma primeira análise ter indicado que o grupo terá o monopólio nas ligações entre Bruxelas e as cidades alemães de Frankfurt, Hamburgo e Munique.

A Comissão Europeia concluiu ainda que a compra da Brussels pela Lufthansa reduzirá a concorrência na rota entre Bruxelas e Berlim e nas ligações da capital belga com as cidades suíças de Zurique e Genebra.

“Num período de consolidação no sector europeu da aviação, a Comissão tem que garantir que os consumidores continuarão a ter opções competitivas quanto a serviços aéreos, tanto no que respeita a tarifas como rotas”, comentou a Comissária Europeia da Concorrência, Neelie Kroes.

Já nos primeiros dias deste ano, a Comissão Europeia tinha adiado o prazo para se pronunciar, que inicialmente terminava a 12 de Janeiro, prolongando-o para anteontem (clique para ler: Comissão Europeia prolonga análise da compra da Brussels para Lufthansa).

Lufthansa e Brussels já reagiram a este novo adiamento de uma decisão, a primeira destacando que espera que o processo avance rapidamente e a segunda sublinhando a qualidade da solução encontrada, que “é a melhor para garantir um futuro saudável”.

A Comissão indicou que tomará uma decisão final até 10 de Junho.

Fontes da aviação citadas pelas agências internacionais comentaram que é de esperar que a Comissão Europeia aprove a compra da Brussels com condições, designadamente ao nível de cedência de slots (faixas horárias de aterragem e descolagem nos aeroportos).

O negócio foi anunciado em Setembro, envolvendo um investimento pela Lufthansa estimado em 250 milhões de euros (clique para ler: Lufthansa assina acordo para comprar holding da Brussels Airlines).

As agências internacionais destacam que o interesse para a Lufthansa é que a compra da Brussels reforçará significativamente a sua posição num mercado com forte componente de tráfego premium (classe executiva e primeira classe), uma vez que Bruxelas sedia importantes organizações internacionais, a começar pela própria União Europeia e a NATO.

Além da Brussels, a Lufthansa, que já comprou a Swiss e exerceu a opção de compra da maioria da BMI – British Midland, elevando a sua posição para 80%, foi a opção escolhida pelo governo austríaco para vender a participação de 41,56% na Austrian Airlines e alegadamente mantém conversações para comprar o grupo escandinavo SAS.

Fonte: PressTur (Portugal)