domingo, 11 de janeiro de 2009

China já tem acordos de transporte aéreo com 111 países

Nos últimos anos, o setor de aviação civil da China tem ampliado a abertura ao exterior e desenvolvido laços bilaterais de transporte com outros países. Até o final de 2008, a China já tinha acordos de transporte aéreo com 111 nações. Entre eles, 14 estão assinados preliminarmente.

Durante uma reunião nacional sobre o trabalho do setor, o vice-diretor da Administração de Aviação Civil da China, Yang Guoqing, disse que vai ampliar neste ano as relações com África, Centro Asiático, Sul Asiático e América Latina, além de desenvolver cooperações com organizações internacionais e regionais da área.

Fonte: CRI - China Radio International

Reforma do aeroporto desapropria 100 casas em Teresina

A Infraero decidiu desapropriar 100 casas no bairro Itaperu

Projeto vai custar R$ 20 milhões


O vice-governador do Estado, Wilson Martins (PSB), coordenador do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) no Piauí, informou que a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária) decidiu pelo projeto de reforma do aeroporto de Teresina, Petrônio Portella, que resultará na desapropriação de cerca de 100 casas do Bairro Itaperu, na zona Norte da cidade.

Segundo ele, o novo projeto está orçado em R$ 20 milhões e o Governo Federal liberou R$ 3 milhões para elaboração do projeto, que terá de ser licitado. Todos os moradores serão indenizados. Wilson Martins explicou ainda que existem 2 projetos, um voltado para as reformas com obras de infraestrutura e prevendo mudanças urbanísticas como o alargamento da Avenida Santos Dumont e construção de viadutos e passarelas de acesso a avenidas da área, como a Petrônio Portella.

O projeto que vai ser executado foi apresentado pela Infraero, Prefeitura de Teresina, Secretaria Municipal de Transportes e Governo do Estado, através do NEP (Núcleo de Estudos e Projetos) da Vice-Governadoria.

“A proposta hoje aceita pela nova direção da Infraero é que é preciso fazer um aeroporto para 50 ou 60 anos para não dar problema. É um projeto definitivo que prevê desapropriação de famílias e um canteiro de obras com esgotamento sanitário e drenagem de água”, afirmou Wilson Martins.

Wilson Martins afirmou que o PAC também tem recursos, no total de R$ 2,560 milhões, para investimento de abastecimento de água em 62 escolas do Piauí. O Programa Água nas Escolas investe em abastecimento de água, perfuração de poços e sistemas de esgotamento sanitário nas 62 escolas.

Projeto prevê alargamento da Avenida Santos Dumont

Além da desapropriação de famílias, o projeto prevê ainda alargamento da Avenida Santos Dumont e viaduto na região. A previsão do governo é de que as obras vão ter um acréscimo de R$ 20 milhões e serão iniciadas ainda este ano. Wilson Martins informou que havia dois projetos de reforma do aeroporto.

Porém, o que foi aceito pelo ministro Nelson Jobim é o que prevê obras a longo prazo. Ele disse que o projeto está sendo feito em acordo com o Governo do Estado e Prefeitura de Teresina. A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec), Vanessa Neiva, afirmou ontem que foi criada dentro da secretaria a coordenação de turismo que pretende fortalecer e expandir o turismo na capital.

“Esse era um projeto do prefeito e agora a coordenação de turismo foi criada e através dela pretendemos expandir a imagem positiva de Teresina. Vamos trazer e realizar eventos, captar recursos, tudo com o intuito de fortalecer o turismo em nossa capital”, disse Vanessa Neiva.

Fonte: Jornal Meio-Norte

Incidente com voo da Gol em Cumbica

Passageiros de um voo da Gol procedente de Salvador (BA) foram desembarcados na terça-feira (06) na pista após um incidente durante o pouso no Aeroporto de Cumbica (Guarulhos).

De acordo com fontes, a aeronave teve travamento de freios depois de tocar o chão, o que teria também causado um super aquecimento.

Os bombeiros e procedimentos de emergência foram acionados. A Infraero confirmou o incidente e acompanhou o desembarque dos passageiros.

Fonte: Leila Suwwan (O Globo - 06/01)

GOL anuncia estatísticas preliminares de tráfego de dezembro de 2008

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. informa as estatísticas preliminares de tráfego relativas a Dezembro de 2008.

Em comparação a Dezembro de 2007, o tráfego doméstico de passageiros (RPK) diminuiu 1,7%, e a capacidade (ASK) aumentou 5,1%. No mercado doméstico, a taxa de ocupação (load factor) da GOL foi de 68% e no mercado internacional, a taxa de ocupação foi de 49%. A taxa de ocupação total do sistema GOL foi de 65% em Dezembro.

Veja os dados clicando AQUI (em .pdf)

Fonte: Assessoria de Imprensa da GOL

Embraer vende terceiro jato ERJ 135 para o governo da Tailândia

A Embraer assinou contrato com o Royal Thai Army (Exército Tailandês) para a venda de um segundo jato ERJ 135. Este terceiro avião para o Governo da Tailândia será utilizado para transportar autoridades civis e militares e a entrega está programada para 2009.

No final do ano de 2008, a Embraer entregou um ERJ 135 para o Royal Thai Army e outro para a Royal Thai Navy (Marinha Tailandesa). O ERJ 135 é um jato de excepcional qualidade e desempenho e oferece aos clientes militares uma combinação de equipamentos modernos e baixo custo de manutenção. Os aviões serão utilizados na Tailândia para o transporte governamental e em missões de evacuação aeromédica (Medical Evacuation – MEDEVAC, em inglês) pela Royal Thai Navy.

O negócio para as duas primeiras aeronaves foi anunciado em novembro de 2007 e inclui um expressivo pacote logístico, refletindo a expansão da Embraer no segmento de Defesa e Governo na região da Ásia Pacífico. A Tailândia é o primeiro operador militar do Sudeste Asiático a usar as aeronaves ERJ 135 tanto para transporte de autoridades como para missões de evacuação aeromédica. O avião da Royal Thai Navy utiliza a base aérea de U-Tapao e a aeronave do Royal Thai Army tem como base operacional Bangkok.

Sobre o jato ERJ 135

O ERJ 135 é parte da bem-sucedida família ERJ 145, que acumula mais de mil unidades entregues e 14 milhões de horas voadas. Com uma grande comunalidade com o jato ERJ 145, o ERJ 135 pode cumprir uma variada gama de missões. Com base na sua plataforma, a Embraer desenvolveu o jato executivo Legacy 600, uma aeronave com mais de 150 unidades entregues que oferece aos clientes excelente conforto, alta confiabilidade e baixo custo operacional. No segmento de Defesa e Governo, esta plataforma tem cumprido com eficiência missões de transporte governamental e evacuação aeromédica na Bélgica, Grécia, Índia e Nigéria, além do Brasil.

Em virtude das origens e história de sucesso como avião comercial, o jato ERJ 135 oferece ao cliente militar uma combinação de equipamentos modernos, redundância avançada de sistemas e baixo custo de manutenção, além de um alto grau de prontidão. O sucesso da família de jatos ERJ 145 no mercado de aviação comercial regional é marcado pelo constante aumento de eficiência e redução de custos, obtidos por meio de menor freqüência de inspeções e tempo de permanência em solo reduzido. Estas características permitem às aeronaves militares da Embraer baseadas na plataforma ERJ 145 voar mais de três mil horas por ano.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Embraer via aviation.com.br

United Airlines transporta 4,65 milhões de passageiros em dezembro

A United Airlines transportou 4,65 milhões de passageiros em 37.210 vôos regulares durante o mês de dezembro, de acordo com os dados preliminares divulgados pela empresa. O índice de ocupação médio dos aviões da United em dezembro foi de 79,9%. Durante todo o ano de 2008, 63,07 milhões de passageiros usaram os vôos regulares da United. Foram efetuadas 506.635 decolagens. O índice de aproveitamento do ano foi 81,0%.

Os principais dados referentes às operações da United em dezembro são :

Passageiros pagantes, vôos regulares: 4.658.000
Número de decolagens, vôos regulares: 37.210
Índice de ocupação: 79,9%
Passageiros-quilômetro (RPK), incluindo vôos fretados: 13.223.184.000
Assentos-quilômetro oferecidos (ASK): 16.546.282.000
Carga transportada, toneladas-quilômetro: 1.366.618.000

Os números para todo o ano de 2008, de janeiro a dezembro, são:

Passageiros pagantes, vôos regulares: 63.070.000
Número de decolagens, vôos regulares: 509.635
Índice de ocupação: 81,0%
Passageiros-quilômetro (RPK), incluindo vôos fretados: 177.120.712.000
Assentos-quilômetro oferecidos (ASK): 218.640.024.000
Carga transportada, toneladas-quilômetro: 18.745.756.000

Sobre a United

A United Airlines, em conjunto com a United Express, opera mais de três mil vôos diários, servindo mais de 200 destinos a partir de seus centros de conexões em Chicago, Washington, Los Angeles, São Francisco e Denver. Presente na Ásia, Oceania, Europa e América Latina, a United está entre as maiores empresas aéreas internacionais com sede nos Estados Unidos.

A United é membro fundador da Star Alliance, por meio da qual seus clientes podem chegar a 975 destinos em 162 países em todas as partes do mundo.

Os 52 mil funcionários da United residem em todos os estados dos Estados Unidos e em diversos países. Do Brasil, voa diariamente para os aeroportos O’Hare, em Chicago, a partir de São Paulo, e Dulles, em Washington, a partir de São Paulo e Rio de Janeiro.

Em codeshare com a TAM, a empresa oferece vôos de São Paulo e Rio de Janeiro para Miami e Nova Iorque e de Manaus para Miami.

Fonte: United Airlines, Assessoria de Imprensa via aviation.com.br

Pessoas com deficiência não têm acesso a aviões em Porto Velho (RO)

Procurador quer solução urgente.

Infraero diz que o problema é da TAM, Gol, Trip e OceanAir.

O Ministério Público Federal (MPF) em Rondônia instaurou um procedimento administrativo para apurar as condições de acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida às aeronaves no Aeroporto Internacional Jorge Teixeira, em Porto Velho.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Ercias Rodrigues de Sousa, solicitou da Infraero e das companhias aéreas explicações sobre a acessibilidade, baseando-se em denúncia feita pela Federação dos Portadores de Deficiência de Rondônia.

Segundo essa entidade, o acesso dos deficientes às aeronaves deveria ter sido providenciado até novembro de 2007, mas nenhuma providência foi tomada. O procurador Ercias de Sousa já encaminhou ofícios a Infraero e às companhias aéreas TAM, Gol, Trip e OceanAir.

A Infraero respondeu alegando que a resolução n° 9/2007, Agência Nacional de Aviação Civil, determina que a responsabilidade de assegurar o transporte de passageiros com deficiência é das operadoras de aeronaves ou empresas aéreas, que devem oferecer veículos e equipamentos, como elevadores, para assegurar o embarque e desembarque das pessoas portadoras de necessidades especiais.

Modelo de equipamento exigido / URSUS

Gol promete regularizar

Por sua vez, a empresa Gol respondeu ao MPF que os dispositivos "ambulifts" (plataformas elevatórias) ou "fingers" (pontes de comunicação entre o terminal e a aeronave) somente podem ser providos pela Infraero.

A empresa informou ao Ministério Público que iria adquirir cadeiras de propulsão elétrica que sobem e descem escadas, apropriadas para embarque e desembarque de pessoas com deficiência.

Área interna do aeroporto

As demais companhias aéreas ainda não apresentaram suas explicações. Tanto a Infraero quanto as companhias aéreas estão sendo questionadas novamente para informarem suas providências sobre a acessibilidade às aeronaves.

Fonte: Luiza Archanjo para a Agência Amazônia de Notícias

Sonda finaliza missão deixando um novo olhar sobre Marte

As imagens revelaram pequenas crateras que permitem fazer uma estimativa melhor da idade dos terrenos

Mês passado, a sonda de reconhecimento marciano Orbiter, da Nasa, encerrou sua primeira fase de dois anos, e geólogos de Marte se deleitam em meio a um número generoso de dados.

"Técnica e cientificamente, ela com certeza correspondeu às nossas expectativas," disse Alfred S. McEwen, geólogo planetário da Universidade do Arizona e principal investigador da câmera de alta resolução da sonda.

As imagens revelaram detalhes como texturas onduladas em locais que antes pareciam suaves regiões empoeiradas, e agora os pesquisadores podem verificar pequenas crateras, o que os permite estimar melhor a idade dos terrenos.

Um sensível espectrômetro descobriu rochas feitas de minerais carbonados, que podem ter sido formados quando o jovem Marte possuía um ambiente mais amigável: úmido e talvez quente.

"Isso nos conta algo sobre os primórdios da história de Marte," disse Scott L. Murchie, do Laboratório John Hopkins de Física Aplicada e principal pesquisador do espectrômetro.

A maior parte dos carbonatos foi eliminada por águas ácidas nas épocas seguintes. A sonda vai continuar suas observações, permitindo posteriormente que um lugar seja fotografado mais de uma vez para capturar mudanças na paisagem.

Enquanto isso, os dois robôs marcianos, Spirit e Opportunity, celebram seu quinto aniversário neste mês, superando em muito sua missão de três meses. O Spirit recentemente voltou a se movimentar após ficar parado durante o inverno, enquanto o Opportunity atravessa as planícies em direção a uma cratera de 22 quilômetros de diâmetro chamada de Endeavour, uma jornada que pode levar pelo menos mais dois anos.

Steven W. Squyres, o principal pesquisador dos robôs-exploradores, disse que a notícia foi um marco peculiar em sua vida. "É como comemorar seu aniversário em anos marcianos," disse. "Claro, eu seria mais jovem dessa forma." (Em anos de Marte, Squyres tem 28.)

Fonte: The New York Times via Terra - Tradução: Amy Traduções - Imagem: NASA

Copa Airlines aumenta sua frota

A Copa Airlines, subsidiária da Copa Holdings S/A, anuncia a encomenda de quatro aeronaves Boeing 737-800 para entrega nos próximos três anos. O novo pedido aumenta de 9 para 13 o número de encomendas de aviões Boeing Next-Generation 737, com opções de compra futuras.

“Este novo negócio permite à Copa consolidar sua liderança na América Latina e continuar oferecendo a nossos passageiros produtos atrativos e aeronaves altamente eficientes”, destaca Pedro Heilbron, presidente executivo da companhia aérea panamenha, que opera no Brasil voos a partir de Manaus, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. “Nosso plano de frota é flexível, permitindo substituir aviões à medida que expiram nossos contratos de arrendamento ou para sustentar nosso crescimento futuro.”

Atualmente, a Copa Airlines exibe uma frota de 42 aviões – 27 Boeing Next-Generation 737 e 15 Embraer 190. O Boeing 737-800 tem capacidade para 160 passageiros, sendo 16 na classe executiva e 144 na cabina principal. A cômoda aeronave apresenta amplos espaço interno e compartimentos superiores para bagagem, assentos com apoio ajustável para a cabeça e um sistema de entretenimento com 12 canais de áudio e vídeo.

Fonte: Brasilturis

Nasa descobre misteriosa estática de rádio no espaço

Uma análise detalhada do ruído, diz a Nasa, eliminou como possíveis fontes as estrelas primordiais

Uma misteriosa tela de estática de rádio extremamente alta permeia o Universo e impede que os astrônomos observem o calor emanado das primeiras estrelas a surgir. Um instrumento da Nasa erguido ao céu por balão, o Arcade (sigla em inglês de Radiômetro Absoluto para Cosmologia, Astrofísica e Emissão Difusa), fez a descoberta. Lançado em 2006, o balão que transportava o Arcade subiu a 120 mil pés (36 km). A missão do Arcade era captar o calor das primeiras estrelas a iluminar o Universo. Em vez disso, detectou um enigma.

Ilustração do balão que levou o Arcade a mais de 30 km de altitude (clique sobre a imagem)

O líder da equipe responsável pela missão, Alan Kogut, do Centro de Voo Espacial Goddard da Nasa, disse, em nota da agência espacial, que "o Universo nos pegou de surpresa". "Em vez do sinal fraco que esperávamos encontrar, lá estava esse barulho enorme, seis vezes mais alto do que tinha sido previsto".

Uma análise detalhada do ruído, diz a Nasa, eliminou como possíveis fontes as estrelas primordiais ou outras fontes conhecidas de sinais de rádio. A origem desse fundo cósmico de rádio é um mistério.

Muitos objetos do Universo emitem ondas de rádio. Em 1931, o físico Karl Jansky detectou estática emitida pela Via Láctea. Emissões semelhantes de outras galáxias criam uma estática contínua. O problema, segundo a pesquisadora Dale Fixsen, membro da equipe que trabalhou no Arcade, é que aparentemente não existem galáxias suficientes emitindo rádio para explicar a intensidade captada pelo instrumento.

E o sinal das estrelas primordiais fica escondido atrás dessa cortina de estática. Esse fundo dificulta a detecção das primeiras estrelas, que se teriam formado 13 bilhões de anos atrás.

Fonte: Estadão.com.br - Imagem: Divulgação

Encomenda anual de jatos Boeing cai 53% e fica atrás da Airbus

A Boeing recebeu pedidos de 662 aviões comerciais em 2008, o que representa uma queda de 53 por cento em relação a 2007 e faz a empresa entregar para a Airbus o título de maior fabricante de aviões em vendas. Os números também sinalizam o fim de um boom de três anos sem precedentes nas vendas de aeronaves.

A entrega de aviões da Boeing -que tem um impacto maior no desempenho financeiro imediato da companhia- também caiu 15 por cento, para 375 jatos, devido principalmente a uma greve de funcionários da empresa que paralisou a produção por quase dois meses. A companhia esperava entregar até 520 aviões em 2008.

Os números marcam o primeiro ano desde 2004 em que a Boeing registrou menos de 1.000 pedidos de aviões, sem contar cancelamentos e outras mudanças, em um único ano. Em 2007, a empresa registrou um recorde histórico da indústria de 1.413 pedidos, impulsionada por companhias aéreas ambiciosas do Oriente Médio e da Ásia que esperavam ampliar as suas frotas.

A desaceleração nas encomendas também afeta a Airbus, mas a companhia européia ainda deve superar a Boeing no ano, com 756 encomendas registradas até o final de novembro e mais esperadas para quando a empresa divulgar números anuais este mês.

Fonte: Reuters/Brasil Online via O Globo

Ampliação da pista do Aeroporto de Piracicaba

Pousos e decolagens: Aumento da pista em 300 metros trará mais segurança; obra será solicitada ao DAESP

A Prefeitura de Piracicaba deve formalizar o pedido de ampliação de 300 metros da pista do Aeroporto Estadual Comendador Pedro Morganti (foto) e outras melhorias no local ao DAESP (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), após o término das obras de manutenção do aeroporto, que serão concluídas em fevereiro. A iniciativa tem apoio do Aeroclube da cidade.

De acordo com o Secretário de Turismo de Piracicaba, Omir José Lourenço, as conversas informais sobre a segunda etapa de obras já foram feitas na administração do DAESP.

Para Marcelo Kraide, diretor social do Aeroclube de Piracicaba, a ampliação da pista é necessária para dar mais segurança aos pousos e decolagens das aeronaves de pequeno e médio porte.

Atualmente a pista tem 1.200 metros. Com a ampliação, passaria a ter 1.500 metros. "Esses 300 metros permitirão, numa emergência, arremeter o pouso e numa aterrissagem - com algum problema na aeronave - haveria condições do avião percorrer mais a pista, inclusive nas decolagens", disse.

O aumento da pista é somente uma das medidas que serão pleiteadas. "O objetivo é também fazer uma reforma de ampliação do pátio de estacionamento das aeronaves e mudanças no local de atendimento, para receber as pessoas no embarque e desembarque", afirma Kraide.

Atualmente, a estrutura para recepcionar os viajantes não é das melhores. "Frequentam o local empresários e pessoas importantes que vem a Piracicaba e região. O aeroporto não oferece conforto adequado", disse. "A gente ouve comentários de que Piracicaba não tem um aeroporto, mas um campo de aviação por causa da falta de equipamentos adequados, como banheiros", completa o diretor.

O secretário de Turismo afirma que seria muito importante para a cidade modernizar toda a estrutura do aeroporto. "Essa seria a segunda etapa de obras. A primeira já está sendo concluída e obtivemos também uma grande conquista, que foi a permissão para voos noturnos", conta.

Segundo Lourenço, devem estar sendo elaborados estudos para a ampliação da pista pelo DAESP, porém informa que não há nada oficial anunciado pelo departamento.

O diretor da administração regional de Sorocaba do DAESP, Edivar Thadeu de Oliveira, concorda que a ampliação da pista trará mais segurança para o aeroporto.

"Hoje, com 1.200 metros, há restrição de uso por alguns tipos de aeronaves e com a ampliação isso não ocorrerá mais e também dá mais espaço para os pousos e as decolagens", afirma.

Oliveira disse que não tem conhecimento se há avaliação sobre essa proposta no DAESP. "Não sei se há estudo técnico de viabilidade no departamento para a ampliação da pista. Já ouvi falar da vontade de realização dessa obra no aeroporto de Piracicaba", disse.

A estimativa, segundo Marcelo Kraide, é que a ampliação da pista e as outras melhorias custem cerca de R$ 8 milhões. Outra mudança, que não está nesse orçamento e que seria realizada pela Prefeitura, é a construção de um novo acesso ao aeroporto a partir da Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304), bem como da entrada pela avenida Comendador Pedro Morganti (Estrada do Monte Alegre).

REFORMA

As obras que estão sendo feitas no Aeroporto Estadual Comendador Pedro Morganti de Piracicaba devem ser concluídas na primeira quinzena de fevereiro, segundo o diretor da administração regional de Sorocaba do DAESP, Edivar Thadeu de Oliveira.

A Gazeta apurou que os serviços terminariam ainda neste mês, se não chovesse mais. A administradora do aeroporto, Edite Ferreira Murbach, informou que estão sendo executadas as obras da pista de acesso aos hangares, drenagem do terreno, terraplanagem e serviços complementares.

O secretário Omir José Lourenço informou que essa obra foi orçada em R$ 1,6 milhão e houve uma complementação para o balizamento da pista, que garantirá a continuidade dos voos noturnos.

NÚMERO

1.200 metros é o tamanho atual da pista do Aeroporto de Piracicaba.

Fonte: Adriana Ferezim (Gazeta de Piracicaba) - Foto: DAESP

Frota comercial regular brasileira fica mais jovem

No ano de 2008, a frota comercial regular brasileira passou para uma média de 8,6 anos, quase dois anos menos que em 2007

O PT-MUA foi o primeiro a chegar dos oito Boeing 777-300ER encomendados pela TAM em 2007

O ano que passou foi de grandes mudanças no mercado da aviação comercial em todo o mundo. No Brasil, a crise também repercutiu na forma de empresas cancelando suas rotas internacionais, com a conseqüente devolução de aviões (OceanAir e Varig) e outras suspendendo temporariamente as suas atividades (Puma e Rico).

Por outro lado, empresas continuaram a adquirir aviões (Air Minas, NHT, Passaredo e Webjet, além, logicamente, da Gol e da TAM). Houve uma importante fusão (Trip e Total), mas o fato mais significativo de 2008 foi o início das atividades da Azul, primeira companhia aérea brasileira a operar com aeronaves E-Jet da Embraer.

Todos esses acontecimentos levaram a uma importante mudança na nossa frota e à incorporação de aviões novos (Gol, TAM e Azul) fez com que a sua idade caísse mais do que a média nos últimos anos, ficando em 8,6 anos, comparados aos 10,2 de 2007, aos 11,2 de 2006 e aos 11,9 de 2005.

Fonte: Avião Revue - Foto: Boeing

Thai Airways quer adiar entrega de seis A330 devido à escassez de fundos

A transportadora aérea Thai Airways disse hoje que vai solicitar à Airbus o adiamento da entrega de seis aviões A330 devido à escassez de fundos da companhia, que registou prejuízos de 139,2 milhões de euros até Setembro de 2008.

A empresa deveria receber as seis aeronaves no final do ano mas a desaceleração da economia mundial e o bloqueio dos aeroportos da capital tailandesa no final de 2008 prejudicaram ainda mais as contas da empresa.

Os prejuízos líquidos da Thai Airways nos primeiros três trimestres do ano totalizaram 6,61 mil milhões de baht (139,2 milhões de euros), contra um lucro líquido de 2,53 mil milhões de baht (53,7 milhões de euros) no mesmo período de 2007.

A Thai Airways referiu no final de 2008 que as perdas do deveriam atingir os 20 mil milhões de baht depois da ocupação dos aeroportos internacional e doméstico de Banguecoque que paralisou o movimento de aviões entre o final de Novembro e meados de Dezembro em protestos governamentais.

O protesto, que obrigou pelo menos 350.000 a permanecer no país, teve um impacto negativo na economia de 290 mil milhões de baht (6,15 mil milhões de euros) nas contas do banco central da Tailândia.

Para tentar convencer o fabricante europeu de aviões a adiar a entrega dos seis A330, os donos da Thai Airways encarregaram a administração de contactos com a Airbus.

Fonte: Agência Lusa (Portugal)

TAM Linhas Aéreas recebe o quarto Boeing 777-300ER

A TAM recebeu na quinta-feira (08) a quarta aeronave Boeing 777-300ER, que vai operar na rota São Paulo – Londres a partir deste mês. Na próxima semana será incorporada também mais uma nova aeronave Airbus A330 que permitirá à companhia operar vôos extras para Miami durante a alta temporada.

Para atender ao aumento da demanda no mercado doméstico durante o período de festas de fim de ano, foi antecipado o recebimento de três aeronaves Airbus da família A320, que já estão integradas à malha aérea da companhia. A medida se somou a um eficiente plano de contingência preparado pela companhia, permitindo à TAM alcançar o maior índice de pontualidade durante esse período no total dos vôos operados pelas companhias brasileiras, segundo levantamento da Infraero.

Com a incorporação das duas aeronaves wide bodies (B777 e A330) à malha aérea, a frota total da TAM é ampliada para 129 aeronaves, sendo 122 modelos da Airbus (20 A319, 81 A320, 3 A321, 16 A330 e 2 A340), 4 B777-300ER e 3 B767-300.

O plano de frota da companhia também foi alterado com a redução de uma aeronave B767-300. Apesar da revisão do plano de frota, as estimativas da companhia para o aumento da oferta de assentos em 2009 tanto no mercado doméstico como no internacional estão mantidas em 8% e 20%, respectivamente, medidos em ASKs (assento disponível por quilômetro). Foi igualmente mantida a estimativa de crescimento entre 5% e 9% na demanda do mercado doméstico.

Fonte: Aviação Brasil

Continental Airlines inicia 2009 com voo movido a biocombustível

A Continental Airlines realizou em 7 de janeiro o primeiro voo de demonstração de uma companhia aerea americana utilizando biocombustível.

O voo, que foi operado sem passageiros, foi movido por um combustível feito a partir de uma combinação de componentes que incluem derivados das plantas alga marinha e pinhão-manso, fontes sustentáveis, de segunda geração, que não apresentam nenhum impacto para plantações de alimento ou fontes de água, além de não contribuírem para o desmatamento.

Pilotos após o voo de demonstração

Para realizar o projeto, a Continental fez parcerias com as empresas Boeing; com a CFM International, companhia pertencente aos grupos General Electric Company e Snecma; com a desenvolvedora de tecnologias de refinamento UOP, da companhia Honeywell; e com as provedoras de óleo Sapphire Energy (alga) e Terrasol (pinhão).

O voo de demonstração com biocombustível foi o primeiro operado por uma companhia aerea comercial utilizando a alga marinha como fonte de combustível e o primeiro utilizando uma aeronave bimotor: um Boeing 737-800 equipado com motores CFM56-7B, da CFM International.

O combustível usado em um dos dois motores CFM é uma mistura formada por 50% de combustível tradicional para jatos e 50% do biocombustível feito com alga e pinhão-manso.

Operado sob um certificado experimental especialmente emitido, a aeronave foi tripulada por pilotos de teste da Continental, licenciados pela Administração Federal de Aviação americana (FAA). Sem passageiros a bordo, o plano de teste consistiu na operação do motor 2 (direito), com a mistura especial de combustível, incluindo aceleração e desaceleração, desligamento e re-ligamento do motor durante o voo e outras manobras que fazem parte de procedimentos normais e atípicos. A operação durou cerca de duas horas. Uma série de parâmetros foram registrados e uma análise de motor pós voo contribuirão para definições que devem mostrar que o biocombustível é um substituto para combustível regular, sem nenhuma degradação de desempenho ou segurança, além de redução na emissão de carbono.

A Continental, junto com a Boeing, UOP e CFM, trabalharam por mais de nove meses em pesquisas, produção e testes do biocombustível, incluindo testes em laboratório e do motor funcionando no solo, para assegurar a conformidade com os rigorosos requerimentos de desempenho e segurança da aviação.

Sobre a Continental

A Continental Airlines (www.continental.com) é a quinta maior companhia aerea do mundo. Junto com a Continental Express e a Continental Connections, opera mais de 2.500 voos diarios pelas Américas, Europa e Ásia, servindo 134 destinos domésticos e 131 internacionais. São alcançados mais de 675 destinos adicionais por meio de alianças com companhias parceiras. Com mais de 43 mil profissionais em todo o mundo, a Continental conta com centros de conexões em Nova York, Houston, Cleveland e Guam, transportando aproximadamente 69 milhões de passageiros por ano. É reconhecida constantemente por seu desempenho operacional e cultura corporativa. Em 2008, pelo quinto ano consecutivo, foi nomeada pela revista FORTUNE como a “Companhia Aerea mais Admirada do Mundo”.

Fonte: Farol Comunitário - Foto: Divulgação

EADS/Airbus conclui estratégia de reorganização aeroestrutural

Com a recente aquisição da unidade de produção de peças e componentes de asas da Airbus em Filton, UK, pela GKN Aerospaces, a EADS / Airbus concluiu a sua estratégia de reorganização aeroestrutural.

A iniciativa combina a venda de atividades e fábricas não ligadas ao negócio central da Airbus, com o objetivo de estabelecer uma rede forte de fornecedores, possibilitando à empresa concentrar-se em sua atividade principal de arquiteta e montadora de aeronaves.

A venda da planta de Filton para a GNK segue a bem sucedida transferência de controle da fábrica alemã de Laupeheim para a Diehl/Thales em 1º de outubro de 2008. Antes disso, o processo de venda de ações das plantas da Airbus em Nordenham e Varel e da antiga fábrica da EADS em Augsburg, todas na Alemanha, para criar a nova empresa Premium AEROTEC Gmbh, também foi finalizado. Um processo semelhante foi realizado na França, onde Meaulte e St. Nazaire Ville agora pertencem à Aerolia. Tanto a Premium AEROTEC quanto a Aerolia iniciaram suas operações em 1º janeiro sob controle da EADS e estão bem posicionadas para se tornarem grandes players do mercado mundial, principalmente na área de aeroestruturas de plástico reforçados com fibra de carbono (Carbon Fibre Reinforced Plastics - CFRP).

Todas as empresas não só estarão significantemente envolvidas no programa A350 XWB, como também estarão comprometidas com as metas do Power 8 da EADS/Airbus. A Aerolia, por exemplo, já decidiu ampliar a empresa e investir em uma nova planta na Tunísia.

“As novas empresas estão preparadas para se tornar parceiras de longo prazo da Airbus e importantes players no mercado mundial de aeroestrutura. Nossa visão de estabelecer uma rede reforçada de fornecedores de cabines, asas e aeroestruturas, está se realizando, e nós podemos nos concentrar em nosso negócio principal como arquitetos e montadores de aeronaves", afirmou Fabrice Brégier, Diretor Executivo de Operações da Airbus. “A venda das fábricas está refletindo positivamente no nosso programa de reestruturação Power 8. Com a Premium AEROTEC e a Aerolia, estamos convencidos de que criamos empresas fortes e atrativas para potenciais parceiros no futuro”.

Fonte: Aviação Brasil (07/01)

Manter ônibus espacial antigo custará US$ 3 bi por ano

Obama tinha sugerido adiar aposentadoria da nave até que substitutas tivessem sido desenvolvidas

O chefe da Nasa disse que custará US$ 3 bilhões extras ao ano para manter o ônibus espacial voando depois da data prevista para sua aposentadoria, no ano que vem. Além disso, aumentaria o risco de acidentes mortais.

O administrador da Nasa, Michael Griffin, disse a um grupo industrial nesta quinta-feira, 8, que a agência avaliou quanto custaria para manter a nave voando depois de 2010. O presidente George W. Bush quer substituir a nave com uma nova pra ir à Lua, mas isso significaria cinco anos dependendo da Rússia para levar astronautas para a Estação Espacial Internacional (ISS).

O presidente eleito Barack Obama propôs adiar a aposentadoria da nave. Griffin disse que voar com as naves até que as substitutas estejam prontas em 2015 custará US$ 15 bilhões adicionais em cinco anos.

Fonte: AP

Azul vende bilhetes 36% mais baratos que ônibus

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras informou na quarta-feira (07) que colocou a venda 10 mil bilhetes com preços até 36% mais baratos do que as passagens de ônibus, para diversos destinos a partir de Vitória, Curitiba e Campinas.

As passagens serão vendidas em até seis vezes sem juros. Com a operação será possível sair de Curitiba com destino a Campinas por R$ 51, para trecho ida e volta. Ao passo que a passagem de ônibus custa R$ 55.

Além deste, a promoção também inclui outros destinos como Curitiba/Salvador por R$ 239; Curitiba/Vitória por R$ 129 e Curitiba/Porto Alegre que sai no valor de R$ 79.

Já nos voos de Vitória para Campinas, as passagens estão com o mesmo preço cobrado pelas empresas de ônibus, R$ 119. De Vitória a Salvador o valor é de R$ 159; Vitória/Porto Alegre a passagem sai por R$ 209, enquanto que de Vitória para Curitiba sai por R$ 129.

A Azul informou ainda que a promoção é válida para embarque até 27 de fevereiro, porém as compras devem ser feitas até 31 de janeiro. O objetivo da empresa com a promoção é elevar o número de pessoas viajando de avião pelo país.

Em comunicado, Pedro Janot, presidente da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, afirmou que a expectativa de vendas é grande porque o tempo e o preço representam excelente custo- benefício.

Fonte: InvestNews

Encontrados corpos e destroços de avião que caiu no Rio de Janeiro



O Corpo de Bombeiros localizou, no início da tarde da quarta-feira (07), três corpos em estado de decomposição junto aos destroços do avião monomotor Beechcraft Bonanza BE-35, prefixo PT-JKU, que decolou em Belo Horizonte no último dia 30 com destino ao Rio de Janeiro e desapareceu na Serra da Concórdia, região sul-fluminense. O ponto exato da queda fica em uma região de mata fechada, próximo à divisa do Rio de Janeiro e Minas Gerais, na cidade de Valença.

Monomotor Bonanza, com três pessoas, saiu de BH para o Rio no dia 30

De acordo com informações do batalhão de Barra do Piraí, que auxilia nas buscas, um helicóptero saiu da capital fluminense em direção à região para ajudar na retirada dos corpos.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), as passageiras Irene Maria Barbosa e Elisa Barbosa Pereira e o piloto Antônio Pereira da Mata estavam a bordo.

Nos últimos dias, as buscas foram dificultadas devido ao mau tempo e as chuvas. Uma equipe de 50 bombeiros dos municípios de Valença, Barra do Piraí e Vassouras, e também do Grupamento Florestal de Magé, estavam mobilizados desde o desaparecimento da aeronave.

O Comando da Aeronáutica, por meio do órgão regional do Cenipa no Rio de Janeiro, Seripa 3 (Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), iniciou as investigações para apurar os fatores que contribuíram para o acidente.

Fontes: O Globo / Terra / JB Online - Foto: Júlio Jorge Borges/Divulgação - Vídeo: Globo News

Bimotor sai da pista e fecha Campo de Marte

O Aeroporto Campo de Marte, na capital paulista, ficou fechado das 15h50 às 17h15 da quarta-feira (07) por conta de um acidente com um bimotor Cessna 550 Citation, da empresa Helimarte. Segundo a Infraero, ele saiu da pista quando taxeava e atolou uma das rodas na grama. Não houve feridos.



A Helimarte informou que o acidente não causou danos à aeronave. Ela transportava o piloto, o co-piloto e um mecânico. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a documentação do bimotor está regular.

Uma viatura do Corpo de Bombeiros foi utilizada para remover o bimotor. A Infraero disse inicialmente que a aeronave seria da TAM, mas retificou o dado. A empresa também negou a informação.

O aeroporto opera exclusivamente com aviação geral, executiva, táxi aéreo, escolas de pilotagem como o Aeroclube de São Paulo e Serviço Aerotático das Polícias Civil e Militar. O terminal também abriga a maior frota de helicópteros do Brasil.


Fontes: Terra / TV Globo - Fotos: Grizar Junior (Futura Press)

Ditadores com asas

Por Sergio Ramírez*

Os ditadores, salvadores da pátria, presidentes perpétuos e líderes imarcescíveis dos países mais pobres do mundo, têm por luxo preferido os aviões privados. Talvez este hobby não seja nada mais que o paradigma de uma velha regra, aquela de que o céu das ostentações, enfeitado com nuvens irisadas, está sempre colocado, de maneira conveniente, muito longe do inferno terreno da miséria. Sobre as capitais desprovidas de tudo, seus edifícios governamentais decrépitos, seus mercados amontoados e seus baldios, se erguem em majestoso vôo as ultramodernas naves gigantescas compradas de fábrica; levando os escolhidos da providência, os seus séquitos íntimos e as suas famílias, filhos, netos, não importa que sejam crianças em fase de amamentação, tios, irmãos, sogras ou primos distantes, para que provem a vertigem doce das verdadeiras alturas do poder.

Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Nicarágua, Daniel Ortega

O Xá do Irã, pioneiro destes gostos, dispunha de uma frota familiar de aviões Boeing equipados como hotéis seis estrelas, que tinham as pias e as maçanetas dos lavabos feitos de ouro puro; quadros de Degas e Picasso pendurados nos painéis divisórios, e os pisos cobertos de tapetes persas feitos à mão, desses que levava a vida inteira de uma pessoa para terminar, ou a vida de varias gerações. Hoje em dia marcas como Gucci ou Valenciaga preparam e decoram completamente o interior desses aviões oficiais, das camas aos vasos sanitários.

Derrocado o Xá há muitos anos, seu exemplo não apenas perdura, mas também se multiplica. O ditador da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, estreou em 1995 um Boeing BBJ com camas de água e luzes de cabaré, e o presidente Umaru Yar´Ardua, da Nigéria, tem um Boeing 737-700 equipado com salões de recepção, dormitórios, uma sala de ginástica e uma sala de jantar, com um chefe francês sempre a bordo. A lista se estende como se estendem os abismos da mendicidade e o desamparo nos países que governam.

Este é o poder que voa com asas de titânio e fibra de carbono. A miséria não é a mesma rente à terra, sem água corrente nem eletricidade, com as águas negras correndo sobre as ruas sem pavimento, que a 35.000 pés de altura, com o tapete mágico à propulsão a jato voando sobre um suave colchão de espumantes nuvens, em direção à Ibiza ou a Monte Carlo, até Malabo ou Lagos. De Caracas ou de Manágua, até Trípoli ou Teerã.

Nursultán Narzalbayev, que sem nenhuma inibição passou de líder supremo do Cazaquistão, sob o regime soviético, a presidente perpétuo sob as novas regras capitalistas, voa em um Boeing 767 de 200 milhões de dólares. Quanto mais altura se alcança, mais imperador se é. Não pesam as asas, como também não pesam ao seu par Kurbanguly Berdymukhamedov, presidente de Turcomenistão, que tem outro Boeing 767, mas que também voa alto na terra: seu retrato está impresso nas notas de dinheiro e também nos rótulos das garrafas de vodka, e pode-se vê-lo em tamanho monumental em todas as avenidas e praças, vigilante zeloso da paz e do sonho de seus concidadãos.

O presidente do Egito, Osni Mubarak, faraó dos faraós, utiliza um Airbus A-340, sua pirâmide voadora. Seu vizinho, Muamar al Gadafi, isento agora de toda culpa por seus antigos inimigos ocidentais, prefere também, para as suas viagens celestiais, um Airbus A-340, que custa 200 milhões de dólares, que não são nada, pois mais areias tem o deserto onde se erguem as torres dos seus poços de petróleo.

Subir aos céus em um avião de luxo, à sua disposição o tempo todo, também não é nada para o presidente Hugo Chávez, quem acumula horas de vôo pelo mundo, porque tem uma missão redentora a cumprir, qualquer que seja a parte do globo onde seja requisitado, e assim vai do Kuwait a Pequim, Moscou, La Havana, Caracas, La Paz, Brasília, às vezes a Manágua, a bordo do seu reluzente Airbus A-319-ACJ, de 70 milhões de dólares, preparado ao seu gosto.

Mas há magnatas e magnatas, e o manto de ouro não se ajusta a todos; há asas, e há asinhas, como no céu, onde as têm grandes os arcanjos, e pequeninas os serafins. Dessa maneira, quem não tem avião, mas o aluga cada vez que viaja ao exterior, é o presidente da Nicarágua, o comandante Daniel Ortega, porque tem como regra jamais subir em um avião de linha comercial.

E não aluga um avião de poucos lugares, como se poderia acreditar, e sim um de grande envergadura: às vezes um Boeing 707 registrado em Mali, África, com capacidade para 150 passageiros; e às vezes um Boeing 737, da companhia Global Air. Valor pago por hora de vôo: 4.000 dólares (50% da população da Nicarágua vive com menos de 1 dólar por dia, segundo as Nações Unidas).

Os assentos são preenchidos cada vez mais por filhos, netos, babás, namoradas e namorados dos seus filhos, que segundo os boletins oficiais cumprem funções úteis para a Nicarágua. "Não vão para se divertir nas discotecas, e sim para trabalhar", explica o próprio presidente. O aluguel do avião, alega, além do mais, não custa nada ao estado da Nicarágua, pois é pago pelo governo da Venezuela, com os fundos da ALBA (A Alternativa Bolivariana para as Américas), com o que, se for assim, o pecado do luxo para um dos ilustres militantes do socialismo do século XXI seria perdoado pela própria consciência. Não pago, não peco.

* Sergio Ramírez é autor de mais de 30 livros entre novelas, contos, ensaios e memórias. Sua obra foi traduzida para 17 idiomas e tem ganhado prêmios como o Alfaguara, o Dashie Hammett e o Prêmio Laure Bataillon 1998 de melhor livro estrangeiro traduzido na França. Foi vice-presidente da Nicarágua.

Fonte: Terra Magazine - Foto: AP

Avião da TAM que ia do Recife para o Rio de Janeiro volta logo após decolar

Um avião da TAM que partiu do Recife durante a madrugada da quarta-feira (07), com destino ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, teve que voltar ao aeroporto dos Guararapes logo depois de decolar.

De acordo com a Infraero, que administra o aeroporto, ainda não se sabe o motivo do retorno do avião, que voltou a levantar voo meia hora depois de ter retornado.

Fonte: pe360graus.com

Bilionário projeta colônia para aposentados em Marte

Foguete que servirá para abastecer estação espacial da Nasa poderá levar aposentados para sua casa no planeta vermelho

Uma casa em Trancoso, na Bahia, ou em Miami, nos Estados Unidos, pode parecer a melhor opção para quem quer se aposentar e viver tranquilo. Para o bilionário sul-africano Elon Musk, o melhor lugar está a 78 milhões de quilômetros: Marte.

O planeta vermelho é o destino de um empreendimento da empresa SpaceX, que já fechou com a Nasa a possibilidade de usar seu foguete Falcon 9 para levar suprimentos para a estação espacial internacional. O acordo, anunciado em dezembro, renderá US$ 3,5 bilhões aos cofres da empresa.

O Falcon 9 poderá carregar até cinco toneladas de carga ou tripulação de até sete astronautas. A espaçonave tem um módulo chamado Dragon, do tamanho de uma espaçosa SUV, que pode levar seis pessoas com bastante conforto. A idéia é realizar o primeiro teste da espaçonave até março. Se tudo correr de acordo, a espaçonave começaria a “trabalhar” para a Nasa um ano depois.

Mas o grande projeto de Musk é mesmo a colonia de férias em Marte. “Se conseguirmos diminuir o custo de mudança para Marte abaixo de uns US$ 2 milhões, seria um negócio com enorme potencial”, disse o bilionário ao jornal Sunday Times. “E nem precisa ser tanta gente. Estamos falando de 10 mil a 20 mil pessoas entre os seis bilhões que vivem na Terra. Em vez de comprar uma casa enorme ou se mudar para a Flórida, elas iriam para Marte”.

Para quem acha que não passa de loucura, é bom olhar primeiro para o histórico do empresário. Musk ficou milionário desenhado o sistema de pagamento PayPal, usado por sites como eBay, e que domina aproximadamente 10% do mercado de e-commerce.

Musk também é dono da Tesla, uma empresa que desenha e produz carros elétricos, como o Model S, que deve chegar ao mercado americano ao custo de US$ 60 mil. Sua fortuna pessoal está avaliada em US$ 325 milhões, mas juntando as três empresas, Musk entra com facilidade no fechado clube dos bilionários.

Vista de Marte e detalhe da espaçonave Falcon 9, da SpaceX: sonho de bilionário pode levar 10 mil a 20 mil pessoas para viver no planeta vermelho

O projeto mais ambicioso de Musk, a SpaceX, deve contar com apoio do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama. Ele já adiantou, durante a campanha, que apóia a abertura do espaço a empresas privadas, como a de Musk e a Virgin Galactic, de outro milionário excêntrico, Richard Branson. “Empresas como a SpaceX serão maioria dentro de dez anos”, garantiu.

Nem a crise é capaz de levantar barreiras aos projetos de Musk. “Nós vamos crescer no mínimo entre 30% e 50% até o final de 2009”, garantiu. “E se não fosse pela crise, nosso crescimento seria ainda mais rápido. E chegaríamos mais cedo a Marte”.

Fonte: Época Negócios

Governo federal confirma recursos para novo aeroporto em Mato Grosso

Avião da Cruiser Linhas Aéreas no primeiro vôo da empresa no Aeroporto de Matupá em 03/05/2006

A pista do aeroporto de Matupá (extremo norte de Mato Grosso, 200 km de Sinop) será pavimentada este ano com recursos da Secretaria de Infra-estrutura e o convênio já foi publicado no Diário Oficial da União.

A pista terá 1.750m x 30m de extensão e largura e contará com terminal de passageiros, além de iluminação noturna. Serão investidos R$ 6, 7 milhões sendo R$ 4, 8 milhões do governo federal, R$ 1 milhão do governo estadual e contrapartida da prefeitura.

Não foi confirmado quando as obras iniciarão.

O projeto do novo aeroporto de Matupá prevê a operação de aeronaves médias, como o Airbus A-319, projetado para realização de rotas curtas, bastante utilizado em trechos domésticos. Matupá é a principal base política do vice-governador Silval Barbosa (PMDB).

Fonte: Só Notícias (06/01) - Foto: A Notícia Digital

Já viu a explosão de uma estrela?

Astrônomos do MIT criaram o primeiro modelo 3D

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) criou o primeiro modelo 3D dos momentos seguintes à explosão de uma estrela, imagens que são fundamentais para o estudo dos corpos celestes e que deixam até os mais leigos curiosos, informa a BBC.

Para este efeito, os astrónomos do MIT utilizaram as informações obtidas por dois telescópios da NASA (o Chandra e o Spitzer) e por outros telescópios colocados na superfície da Terra.

«O modelo oferece uma visão surpreendente da explosão original de uma estrela», garantiu Haley Gomez, da Universidade de Cardiff, País de Gales.

O holograma recriou a supernova (o corpo celeste de luz que surge após a explosão de uma estrela) Cassiopeia A, que terá surgido após a explosão de uma estrela, há 330 anos.

«Os astrónomos e o público em geral estão habituados a ver imagens achatadas, com duas dimensões. Agora nós podemos visualizar um objecto a 11 mil anos-luz através de ângulos diferentes», explicou.

No vídeo podemos ver a maior descoberta destes especialistas: já se sabia que as estrelas emanavam jactos quando explodiam, mas descobriu-se o formato destes jactos, uma espécie de discos.

VEJA O VÍDEO:



Fonte: IOL Diário (Portugal)

Começa a reconstrução de casas atingidas por avião em Recife

As famílias que tiveram as casas destruídas pela queda de um avião da banda Calypso, no último mês de novembro, no bairro de San Martin, começaram o ano com uma notícia boa. Todos os sete imóveis atingidos pelo bimotor vão ser reconstruídos e reformados a partir desta terça-feira (06).

De acordo com o engenheiro Carlos Augusto, que é também o diretor da construtora contratada pela banda, nesta primeira semana vão ser feitos os trabalhos de retirada de entulhos. “Vamos fazer todo o levantamento de material, contratação de profissionais para depois sabermos o total do orçamento”, afirmou.

O engenheiro disse ainda que parte dos pedreiros que vão trabalhar na obra é da comunidade de San Martin. “Isso foi um pedido de Joelma e Chimbinha para dar oportunidade de trabalho para os moradores da comunidade”, contou Carlos.

Nos próximos 45 dias, prazo estimado pela construtora, as casas vão receber teto e paredes novas, pintura, eletrodomésticos e móveis.

Acidente

A aeronave que caiu em San Martin saiu de Teresina (PI), onde a banda fez um show na noite do dia 22 de novembro do ano passado. O acidente causou a morte de Gilberto Silva, 46 anos, produtor da banda Calypso, e do piloto Eurico Pedrosa Neto, 47. Outros oito passageiros ficaram feridos. Segundo testemunhas, o piloto realizava manobra de pouso.

Fonte e imagem: Edilson Segundo (diariodepernambuco.com.br / D.A Press) - 06/01

Helicóptero explode e uma pessoa morre em Itupeva

Outras cinco pessoas ficaram feridas no acidente.

Empresário ficou preso nas ferragens e morreu carbonizado.


Imagens do circuito interno da fazenda

Um empresário morreu e cinco pessoas ficaram feridas na explosão de um helicóptero ocorrida na tarde desta segunda-feira (5) em Itupeva, a 73 km de São Paulo. O piloto e o copiloto da aeronave foram levados para um hospital do município com ferimentos graves.

O helicóptero saiu de Paraty, no Rio, às 15h30 desta segunda. O acidente aconteceu por volta de 17h, quando o piloto se preparava para pousar em uma fazenda de Itupeva. A cerca de 20 metros do solo, o helicóptero explodiu e pegou fogo. Além do piloto e do copiloto, estavam na aeronave um casal, a filha adolescente e uma amiga.

Segundo a polícia, o empresário ficou preso nas ferragens e morreu carbonizado. A mulher e as duas adolescentes tiveram ferimentos leves. O empresário que morreu no acidente era dono de uma fábrica de barcos e lanchas.

A aeronave era o Agusta A-109C, prefixo PT-YFP.

Destroços de helicóptero que caiu em Itupeva na segunda-feira (5)

Fonte: G1 - Foto: Reprodução (TV TEM)

Dois mortos em queda de avião no Canadá

Um pequeno avião com quatro pessoas a bordo caiu na última terça-feira (6), na província de Quebec.

O avião estava indo para Saint John, na província de Nova Brunswick quando reportados como desaparecidos em torno de 5:30 (hora local), logo após deixar o aeroporto, em Quebec.

As equipes de resgate informaram que uma pessoa da aeronave comunicou-se por rádio e eles descobriram a localização do avião, a cerca de 65 milhas a sudeste da cidade de Quebec.

Na queda morreram o piloto Jesse Barrie, 27, e o passageiro Jeff McClymont, 26, segundo informações da polícia.

Os dois sobreviventes: Stephanie Shipley, 20, e Danny Weiher, 21, foram internados em estado grave, mas estável. no Hospital Menino Jesus, na cidade de Quebec

A aeronave era um monomotor Piper Cherokee 140, prefixo C-FRZH, fabricado em 1968. Segundo o site da Transport Canada o avião é propriedade do pai da vítima, William Barrie.

Os investigadores do Transportation Safety Board investigam a causa do acidente.

Fontes: CBCNews / The Star Phoenix (Canadá)

Monomotor faz pouso forçado no interior do Ceará

Um monomotor fez um pouso forçado no fim da tarde da última terça-feira (6), na localidade de Sítio Alegre, no município de Morrinhos, no Litoral Oeste do Ceará.

A aeronave ia para o município de Sobral, na região Norte. De acordo com testemunhas, o piloto informou que decidiu pousar depois que o GPS, aparelho utilizado para auxiliar na localização do destino, desligou.

Como não sabia concluir a rota, ele decidiu fazer o pouso forçado. Só o piloto estava no monomotor que foi deixado no local do pouso. O piloto seguiu viagem para Sobral em outro transporte.

Fonte: Verdes Mares

Gol reestrutura operação e adota o Smiles, da Varig

Quem voar de Gol vai poder acumular milhas no programa Smiles, da Varig. O acúmulo das milhas começa a valer a partir do dia 16 e a conversão em passagens, a partir de 16 de novembro.

Com 5,9 milhões de participantes, o Smiles é, basicamente, o que restará da Varig quando estiver concluída a reestruturação do grupo Gol, além de alguns aviões pintados de azul.

Com a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para a fusão das duas empresas, o grupo Gol decidiu manter, no mercado doméstico, apenas a bandeira Gol. A marca Varig será mantida nos vôos para América Latina (Bogotá, Caracas, Santiago e Buenos Aires).

A despedida da marca, contudo, será gradual - por motivos de logística. Como custa caro tirar um avião de operação para fazer a nova pintura, isso será feito na medida em que eles tiverem de parar para manutenção. Da frota de 104 Boeings 737 do grupo, 35 ainda exibem as cores da Varig.

Independentemente da pintura externa, a experiência de voar em um ou outro avião, seja no doméstico ou no internacional, será absolutamente a mesma, explica o presidente da Gol, Constantino de Oliveira Junior. Os uniformes estão sendo padronizados e a tripulação de um já voa no outro. O empresário nega, contudo, que esteja acabando com a Varig. "É cedo para considerar isso."

Com a unificação dos serviços das duas empresas, a nova Gol ganha alguns atributos. Além do Smiles, o serviço de bordo será incrementado. Na Ponte Aérea Rio-São Paulo, o famoso hambúrguer de picanha da Varig vai entrar no cardápio da nova Gol. E a barrinha de cereal vai desaparecer. "O tipo de serviço de bordo vai variar de acordo com a rota e o tempo de vôo", explica Junior.

O empresário acredita que a Gol se mantém fiel ao modelo de baixo custo, apesar das mudanças. "Não é uma grande mudança, mas uma adaptação. Várias companhias de baixo custo possuem programas de milhagem." A empresa pretende transformar o Smiles em uma unidade de negócios. "O Smiles vai gerar receita para cobrir os custos do programa."

A configuração dos aviões da "nova Gol" será a mesma usada hoje nos aviões da Gol, com a distância de 31 polegadas entre as poltronas. Nos vôos para a América Latina, Varig e Gol passam a voar com duas classes. A classe Confort terá mais espaço entre as poltronas e acumulará 25% a mais de milhas.

Apesar de o grupo ter optado por manter o cheta (certificado emitido pela Anac) da Varig, nem mesmo o código RG, que antecede o número dos vôos, será mantido. A partir de dezembro, todos os vôos começarão com o código G3, da Gol.

A nova campanha publicitária, assinada pela Almap BBDO, reflete essa nova realidade: a marca Varig simplesmente não aparece. A compra da Varig, em março do ano passado, já custou R$ 1,2 bilhão à Gol - somando o valor da aquisição mais prejuízos. O presidente da Gol acredita que os efeitos da reestruturação, que já vem sendo implementada há alguns meses, começarão a ser sentidos no balanço do terceiro trimestre, com o fluxo de caixa passando a ser positivo no final do período.

A economia com a fusão é estimada em R$ 180 milhões. Serão 500 funcionários demitidos. "Quando compramos a Varig, tínhamos 12 mil funcionários e a Varig, 1.980. Hoje temos 16,5 mil e vamos reduzir para 16 mil", explica Junior.

A empresa está reformulando a sua malha, eliminando sobreposições de horários entre as duas empresas. Para Junior, a nova malha, que entra em vigor no dia 19, será decisiva para recuperar participação de mercado. A empresa perdeu dois pontos desde julho, chegando a 39,88% em setembro. "Vamos recuperar em outubro, mas principalmente em novembro e dezembro."

Para o consultor de aviação Paulo Sampaio, a nova malha da Gol é "bem mais eficiente". "E, com o Smiles, acredito que a Gol vai voltar a crescer."

Fonte: jornal O Estado de S.Paulo via IG

Homem pode voltar a pisar na Lua até 2020

Quatro décadas após o homem chegar à Lua, pesquisadores da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) estão desenvolvendo um novo sistema de transporte de astronautas para o espaço. O equipamento a ser utilizado foi inspirado nos moldes do programa Apollo, que levou astronautas ao solo lunar em 1969. As infomações são do El Pais.

Batizado de Constellation (constelação, em inglês), o programa que pretende levar o homem novamente à Lua até 2020 será testado no segundo semestre deste ano, quando está previsto um vôo experimental.

Presa à ponta de um foguete, do qual se desprende em órbita, a cápsula Orion permitirá o transporte de tripulação e carga para estações espaciais e missões à Lua.

A bordo, serão utilizadas tecnologias computadorizadas, novos sistemas de propulsão, proteção térmica, ejeção de tripulantes e escape em caso de emergência, o que garante maior segurança aos astronautas. Também serão incorporados painéis solares para permitir a permanência em órbita durante longos períodos.

A Orion levará astronautas até o superfície lunar enquanto o foguete Ares V ficará em órbita à espera do reembarque da equipe para o retorno à Terra.

A cápsula deverá levar até seis astronautas para a Estação Espacial Internacional e até quatro astronautas para a Lua.

Fonte: Terra

Gol teve 37% de vôos com atraso no período de festas

A dificuldade de integrar as operações da Varig, num período de intenso movimento nos aeroportos, fez com que a Gol tivesse o maior índice de atrasos em relação a outras empresas durante as festas de fim de ano.

Conforme levantamento fornecido ontem pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), com base nos dados da Infraero, a Gol encerrou o período das festas com 37,4% dos seus vôos atrasados em mais de 30 minutos, quase o triplo da porcentagem de atrasos registrada pela TAM e o dobro da média das outras companhias aéreas. Os números se referem a 67 aeroportos administrados pela Infraero.

Na média entre os dias 19 de dezembro e 4 de janeiro, a TAM teve 12,5% seus vôos atrasados e o restante das empresas - inclui Webjet, OceanAir, Trip e Azul, além de outras brasileiras e internacionais - registraram demora em 16,2% das operações. Em todo esse período de 17 dias, um quinto de todos os vôos decolou pelo menos meia hora depois do horário.

Em entrevista, ontem, ao Valor o vice-presidente de marketing e serviços da Gol, Tarcisio Gargioni, disse que o principal problema da empresa foi a lentidão no atendimento aos passageiros devido às falhas no sistema de check-in. As dificuldades foram geradas pela falta de integração total entre os sistemas da Gol e da Varig. A Gol comprou a Varig em março de 2007, mas as duas empresas só foram autorizadas a fundir todas as suas operações, inclusive a malha de vôos, a partir do segundo semestre do ano passado.

"Existe um cronograma para a integração dos sistemas e ele está sendo cumprido. Até o dia 18 de janeiro, estará completo", diz o executivo, em referência à data estabelecida como limite pela Anac para que a Gol resolva as falhas. Caso contrário, terá novas autorizações de vôo suspensas. Inicialmente, a Gol havia se comprometido a terminar a integração até 19 de dezembro.

Em reunião com a Anac, no dia 26, a empresa citou que seus aviões estavam ficando em solo mais tempo do que o previsto inicialmente. Como a malha aérea de empresas como TAM e Gol prevê linhas com muitas conexões, atrasos em um local podem gerar reação em cadeia. A Anac exigiu que a Gol reveja o tempo de solo necessário para aeronaves nos aeroportos do Galeão e Brasília para adequar sua malha aérea, ou terá seus operações suspensas nesses locais.

Gargioni frisa que a concentração de atrasos foi no Natal - até 60% dos vôos atrasaram entre o dia 19 e 23 de dezembro -, mas que no Réveillon boa parte das dificuldades foi sanada. "Consertamos a falha do sistema, ampliamos a jornada de trabalho dos funcionários nos aeroportos e dobramos de dois para quatro o número de aviões de reserva", diz. No fim do ano, o máximo de atrasos ocorridos foi de 14,7%, no dia 30.

Os atrasos voltaram a crescer nos dias 3 e 4 de janeiro, chegando a quase 28% do total, acima da média de 20% de todas as empresas. "Foram dias específicos, com concentração muito grande de pessoas voltando de todos os lugares. Muitas chegaram ao aeroporto com pouca antecedência para embarcar", afirma Tarcísio.

Fonte: Roberta Campassi (Valor Econômico - 06/01)

Nova companhia aérea de luxo inicia operações entre Kuwait e Dubai

A Wataniya Airways, nova companhia aérea de luxo no Médio Oriente, vai iniciar operações no dia 24 de Janeiro, com dois voos por dia entre o Kuwait e o Dubai.

Baseada no Kuwait, a nova companhia vai operar com quatro aeronaves Airbus A320 com 122 lugares, a mais baixa densidade usada neste modelo, habitualmente com 145 lugares.

Os aviões da Wataniya têm duas classes, primeira e económica “Premium”, e caracterizam-se por equipamentos exclusivos como os assentos da marca Recaro, semelhantes aos usados em veículos desportivos de luxo, e tecnologia de ponta a bordo para os passageiros, desde ligação a leitores de MP3 até ao envio de SMS em voo, passando por um sistema de entretenimento definido como “home theatre”.

Criada para servir clientes de negócios e de prestígio do Kuwait, a Wataniya Airways irá operar voos ponto a ponto a partir deste Emirado, para outras localizações no Golfo Pérsico, o Dubai é a primeira.

A base da companhia é no Royal Terminal, o maior terminal privado do Médio Oriente, inaugurado em Maio do ano passado, e que se caracteriza pelo luxo das instalações.

A companhia tem bilhetes à venda desde Novembro, pela sua central de reservas, pelo site www.wataniyaairways.com, e agências de viagens. A Wataniya está presente nos GDS da Travelport (Galileo e Worldspan), com a qual assinou recentemente um acordo por vários anos.

Fonte: Turisver - editado (06/01) - Foto: Yannick Delamarre - Toulouse

sábado, 10 de janeiro de 2009

Pequenos produtores já usam aviação agrícola

Aviação agrícola para pulverização já é utilizada por pequenos e médios produtores

O relógio ainda não marca 6 horas da manhã e o pequeno avião rompe o silêncio do fim da madrugada pilarense rumo a mais um dia de trabalho. Na rota estão diversas plantações de milho, que precisam ser pulverizadas.

Na última década, tem sido considerável o aumentado da utilização da aviação agrícola em pequenas e médias propriedades, antes restritas a grandes áreas.

Segundo Marcelo Aparecido de Lima, da APC Serviço Especializado Ltda, a região de Pilar do Sul, no sudoeste do estado de São Paulo, "descobriu" a aviação agrícola há cerca de 3 anos. Hoje, o serviço é usado, principalmente, nas plantações de milho e feijão. "A partir de abril (de 2009) existirá uma grande demanda nas plantações de cana-de-açúcar," anuncia o comandante.

Entre as vantagens do uso da aviação agrícola para a pulverização de plantações, estão a rapidez, otimização de custos, conservação da cultura e do solo (os tratores compactam o solo e danificam as plantações) e a variedade de culturas a serem atendidas (milho, feijão, cana-de-açúcar, soja, trigo, eucalipto etc).

Como desvantagens, estão as restrições topográficas e climáticas, além da fiação elétrica, que exigem atenção redobrada dos pilotos. Alguns fatores devem ser observados para que a aplicação tenha êxito, como a temperatura máxima a 30ºC; umidade relativa do ar a 55%, no mínimo; velocidade máxima do vento a dez quilômetros por hora. Já a pista deve ter uma largura entre 15 e 20 metros e uma área de rolamento ideal com 900 metros.

O custo do trabalho prestado pelos aeroagrícolas gira em torno de R$ 25,00 a R$ 35,00 por hectare, levando em consideração a distância do município, a distância entre a pista de pouso e a área a ser pulverizada e o tamanho da plantação. Fica a cargo do produtor rural o fornecimento de água e dos defensivos para realizar a pulverização.

Fonte: Capital News com informações do Campo News - Foto: Divulgação (06/01)

Obama faz primeiro voo a bordo de avião oficial dos Estados Unidos

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, realizou domingo (4) a sua primeira viagem a bordo de um dos aviões da frota destinada para o transporte da cúpula do governo americano. Segundo o jornal "The New York Times", o avião tinha as características do avião presidencial, o Air Force One, como o distintivo em azul e branco com as palavras "Estados Unidos da América".

"Qualquer avião da frota SAM (Missão Aérea Especial) da Força Aérea possui o distintivo e torna-se Air Force One apenas quando o presidente está a bordo e, por mais 16 dias, este posto ainda pertence a George W. Bush", explica o jornal.

Barack Obama embarca em avião oficial da Força Aérea americana em Chicago rumo a Washington, onde toma posse no próximo dia 20

Conforme o "NY Times", os assessores de Obama, incluindo David Axelrod, e o secretário de Imprensa, Robert Gibbs, chegaram antes do presidente eleito à aeronave e mostraram estar "animados com o privilégio de voar pela primeira vez em um avião tão famoso". Obama e sua equipe seguiram de Chicago, onde estava a sede do governo de transição, para Washington, onde ocorrerá a posse, em 20 de janeiro próximo.

Quando chegou ao avião, Obama posou para fotos e confessou ter ficado emocionado em deixar a casa em Chicago, vazia, para trás.

No avião, um Boeing 757-200, Obama conheceu o coronel Scott Turner da Força Aérea e Reggie Dickson, que será piloto e chefe do serviço de bordo do Air Force One, depois que Obama tiver tomado posse. No trajeto entre o Chicago e Washington, Obama comeu um cheeseburguer e batatas fritas preparados por Dickson.

Pelas próximas duas semanas, Obama, a mulher, Michelle, e as filhas, Malia, 10, e Sasha, 7, irão morar no luxuoso hotel Hay-Adams, próximo da Casa Branca, para onde eles irão mudar no próximo dia 20. "São só mais duas semanas em um hotel. Eu sei bem como é isso", disse Obama na noite de domingo.

Michelle e as filhas não voaram no avião oficial americano porque chegaram a Washington no sábado (3). Nesta segunda-feira, as meninas começaram a estudar na Escola Sidwell Friends, onde também estudou a filha do último presidente democrata, Bill Clinton (1993-2001).

Fonte: Folha Online - Foto: Tannen Maury (EFE) - (05/01)

Companhia aérea marroquina adquire novo Boeing 737-800

A Royal Air Maroc (RAM) recebeu um novo Boeing 737-800 no quadro dum investimento global de mais de dois biliões de dólares americanos durante o período 2007-2013, anuncia um comunicado da companhia aérea marroquina publicado domingo em Rabat.

O novo aparelho foi entregue na sexta-feira passada, segundo o comunicado.

A RAM, uma das mais importantes companhias aéreas de África, possui uma frota de 44 aparelhos, incluindo os afectados à sua filial Charters Atlas Blue.

A companhia tinha recebido em 2006 um Boeing 767-300 e três Boeing 737 de nova geração. Este novo aparelho é uma das três variantes da nova geração Boeing 737, que compreende o B737-600, o B737-700 e o B737-800.

Fonte: Panapress (África) - (05/01)

Alemanha: passageiros esperaram oito horas dentro de avião no aeroporto de Frankfurt

Passageiros de um voo para Cuba da transportadora alemã Condor esperaram oito horas dentro do avião no aeroporto de Frankfurt pela descongelação dos motores da aeronave enquanto a tripulação foi substituída por ter excedido o horário, foi hoje noticiado.

Uma porta-voz da Condor, subsidiária da Lufthansa, a principal transportadora aérea alemã, confirmou hoje o incidente, ocorrido segunda-feira, atribuindo-o a “uma série de circunstâncias infelizes”.

Devido à neve e às temperaturas glaciais, o avião, já com os 206 passageiros a bordo, esteve duas horas na fila para descongelar os reactores, e ao cabo desta espera a tripulação exigiu ser substituída porque, tempo de voo incluído, teria de trabalhar mais de 10 horas seguidas, o que é contra os regulamentos.

Para os tripulantes saírem, no entanto, o avião voltou à zona de embarque, perdendo o seu lugar na fila, e teve depois de se colocar atrás de todas as outras aeronaves que esperavam para ser descongeladas.

Um passageiro disse à imprensa alemã em Frankfurt que, durante as oito horas que tiveram de permanecer a bordo, os passageiros não foram autorizados a moverem-se livremente, fumar ou a carregar os telemóveis, por exemplo.

Esta versão foi contrariada pela porta-voz da Condor, Nina Kreke, que garantiu que os passageiros “puderam levantar-se e andar o tempo todo, excepto durante o abastecimento com combustível e enquanto a tripulação foi substituída”.

A queda de neve ocorrida na segunda-feira estava ainda hoje a afectar o tráfego aéreo no maior aeroporto da Alemanha, onde algumas partidas e chegadas registaram atrasos de duas horas de atraso.

Fonte: Agência Lusa (Portugal) - (05/01)

Índia compra 8 aviões de reconhecimento da Boeing por US$ 2,1 bilhões

O Boeing P-8I

A Índia assinou um acordo com a Boeing para comprar oito aviões de reconhecimento marítimo pelo valor de US$ 2,1 bilhões, o que representa o maior contrato na área da Defesa entre o gigante asiático e uma empresa americana, informou hoje uma fonte da Marinha indiana.

O acordo foi assinado no dia primeiro de janeiro em Nova Délhi por representantes do Ministério de Defesa da Índia e pelo diretor da Boeing no país, Vivek Lall, acrescentou a fonte, citada pela agência "PTI".

O Governo indiano deu sinal verde para o contrato na última reunião do comitê de segurança após várias negociações entre as duas partes.

A aquisição dos oito Boeing-P 8I será realizada através de um contrato comercial direto.

O "acordo de uso final" compromete a Índia a informar os Estados Unidos sobre que uso farão dos aviões logo que forem comprados, algo que ainda depende de negociação, acrescentou a fonte.

A Marinha indiana receberá o primeiro aparelho entre 2012 e 2013 e o resto do pedido será entregue em várias fases entre 2015 e 2016.

O contrato também prevê um pedido adicional de mais oito aparelhos para substituir a frota de Tupolev-142 M da qual a Índia dispõe atualmente.

Os Boeing-P 8I estão equipados com torpedos e bombas de profundidade, têm uma categoria operacional de mais de 600 milhas náuticas e sua aquisição na Marinha indiana tem o objetivo de aumentar sua capacidade de reconhecimento marítimo.

Em fevereiro de 2008 a Índia já acertou com a americana Lockheed Martin a aquisição de seis aviões de transporte Hércules C-130J por cerca de US$ 1,1 bilhão.

Fonte: EFE via G1 - Imagem: Boeing Image (05/01)

Companhias espaciais crescem com ajuda do governo dos EUA

A agência aeroespacial americana planeja aposentar sua frota de ônibus espaciais em 2010, mas a nova geração de espaçonaves provavelmente não estará pronta para levar astronautas à Estação Espacial Internacional e além antes de 2015. Durante a pausa de vôos americanos, os Estados Unidos vai depender da Rússia para levar astronautas até estação.

Enquanto a Nasa se aproxima da interrupção, um conjunto de companhias conhecido como a nova indústria espacial tem crescido. Mas nenhuma está pronta para a tarefa de levar astronautas até a estação.

A companhia mais conhecida, Virgin Galactic, há anos se mantém nas manchetes graças a seu fundador, Richard Branson. Mas o veículo que planeja usar, o SpaceShipTwo, foi desenvolvido apenas para simples vôos suborbitais que dão a turistas paisagens espetaculares e alguns minutos de ausência de peso.

Porém, outras companhias tentam avançar até a órbita, e recebem o apoio da Nasa.

Com centenas de milhões de dólares em financiamento por meio do programa Serviços de Transporte Comercial Orbital, a agência espacial pôs em movimento os planos de duas companhias que desejam oferecer serviços de carga para estação.

Na semana passada, a Nasa anunciou que a Space Exploration Technologies, de Hawthorne, Califórnia, e a Orbital Sciences, de Dulles, Virgínia, venceram licitações de US$ 3,5 bilhões para começarem a entregar cargas à estação até 2010.

O administrador da Nasa, Michael D. Griffin, já se declarou um entusiasta da abertura do espaço ao setor privado. Em discurso este mês, disse, "a Nasa não apenas deve, mas precisa perseguir e cultivar parceiras apropriadas com o emergente setor espacial comercial quando o escopo dessas firmas puder suprir nossas necessidades."

A Space Exploration Technologies, conhecida como SpaceX, planeja ir além do que a mera entrega de provisões à estação. Seu fundador, Elon Musk, afirma que seus foguetes podem ajudar a Nasa a compensar sua interrupção de vôos tripulados a partir de 2011. A companhia conseguiu colocar em órbita um projeto de foguete com um propulsor na quarta tentativa; ela planeja lançar seu foguete maior, com nove propulsores, para a entrega de cargas no próximo ano.

Em entrevista na espaçosa sede da SpaceX, onde engenheiros e construtores projetam e criam quase todas as partes do foguete, Musk disse que sua companhia era uma expressão de sua forte crença de que deixar a Terra seria a próxima fase da existência humana.

"O importante para o futuro da vida é encontrar um segundo planeta onde ela possa se sustentar e crescer," disse. Seus foguetes de carga foram projetados desde o início com o intuito de cumprir as exigências da Nasa para vôos espaciais tripulados, incluindo a margem de segurança de 40% que a agência exige em veículos de lançamento com humanos. (O lançamento de satélites exige uma margem de segurança de 25%.

"Falta apenas uma coisa importante" para transformar a nave de carga numa de tripulação, disse, "e é a torre de escape," que poderia salvar a tripulação na ocasião de uma emergência durante o lançamento.

A Nasa, entretanto, ainda teria que financiar uma iniciativa que estendesse o atual contrato de carga a lançamentos tripulados. Griffin já assinou acordos de longo prazo com os russos para fornecerem os vôos à estação depois de 2011, mas em entrevista em novembro, disse que a agência não poderia apostar seu futuro na esperança de que as companhias desenvolveriam um sistema de lançamento tripulado antes dos ônibus espaciais serem aposentados.

Apesar de alegar ser "o maior fã que Elon tem," disse, "não podemos planejar o sustento da Estação Espacial Internacional e seus seis tripulantes em torno da aposta de que a SpaceX vai ter sucesso até 2011."

Em discurso este mês, ele disse que enviar carga para estação era "nossa necessidade mais crítica" para a manutenção da estação, e que financiar o envio de pessoas em naves privadas não estava nas prioridades dos próximos anos.

Ainda é incerto se Griffin continuará no comando da Nasa sob o governo Obama. Entretanto, não importa quem fique responsável, os parceiros internacionais da estação vêem com desconfiança a idéia de usar naves da iniciativa privada para o lançamento de pessoas.

Marco Caporicci, oficial da divisão de espaçonaves tripuladas da Agência Espacial Européia, chamou a promessa da SpaceX de lançar pessoas em órbita tão cedo de "não realista." Ele disse que não conseguia imaginar o lançamento de astronautas em "um sistema não comprovado" e que a companhia precisaria se esforçar muito para provar que seu veículo era seguro e confiável. "Você sabe o que significa perder uma tripulação de ônibus espacial," disse. "Nenhuma agência ou governo quer passar por essa experiência de novo."

Essas afirmações enfurecem aqueles que confiam nos foguetes privados em desenvolvimento. Charles Lurio, que publica um periódico online sobre o progresso da indústria nascente, disse, "é completamente insano afirmar que existe uma lei inerente ao universo, ou à criação de espaçonaves, que dita que você precisa ter uma entidade governamental para conseguir ter sucesso."

Musk disse se sentir feliz quando as pessoas afirmam que ele está tentando o impossível. Ele foi um dos fundadores do PayPal, o serviço de pagamentos online, que também foi considerado algo impossível de se criar. Os que duvidam de sua habilidade de chegar a seu objetivo, disse, verão que estão errados.

"Você verá," disse, "eles vão moderar essa negatividade com o tempo."

Fonte: The New York Times via Terra - Tradução: Amy Traduções (05/01)