sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Embraer pretende construir avião cargueiro, diz presidente da empresa em almoço

Aconteceu na quarta-feira (18) o almoço de confraternização da diretoria executiva da Embraer com a imprensa. Vários veículos de comunicação se fizeram representar, principalmente a imprensa regional.

O encontro festivo foi realizado nas dependências do Nacional Clube, localizado na região do Pacaembu, em São Paulo, com a presença do presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado, e também do vice-presidente Horácio Forjaz.

Em nome da empresa, o presidente Frederico Fleury agradeceu a toda a sua diretoria, funcionários e imprensa, lembrando que esse almoço de confraternização já é o sexto consecutivo promovido pela Embraer. Também alertou sobre notícias infundadas sobre possíveis demissões na fábrica para os próximos dias, dizendo que a diretoria desmentiu publicações recentes de um órgão de imprensa regional.

Também ressaltou a formação de 1.008 alunos e a necessidade de superação por parte dos funcionários, sempre em busca da eficiência e da produtividade. Sobre o momento econômico, o presidente da Embraer enfatizou que a palavra de ordem nas questões internas da empresa é flexibilidade, já que o momento impõe ao Brasil um relativo temor mundial, mas que a Embraer vem atingindo seus objetivos de receita, inclusive com novos contratos na ordem de US$ 7 bilhões.

Sobre projetos em âmbito nacional a partir de 2009, Frederico Fleury anunciou que vem mantendo diálogo com o Comando da Aeronáutica para colocar em pauta o desenvolvimento de um nova aeronave, o C-390, que seria um novo cargueiro. "Estamos conversando com o comando e vamos aguardar o resultado", disse.

Fonte: Agora Vale

Air Europa compra 11 Embraer por 245 milhões de euros

A Air Europa, do grupo espanhol Globalia, anunciou a compra de 11 aviões Embraer 195, por 350 milhões de dólares (cerca de 245 milhões de euros), dos quais cinco deverão ser entregues em 2009 e os restantes seis em 2010.

Os 11 aparelhos, com opção por mais um avião da mesma marca, serão utilizados no curto s médio curso, anunciou o presidente da Globalia, Juan José Hidalgo, citado pela imprensa espanhola.

O primeiro voo do Embraer 195, com capacidade para 122 lugares, está previsto para 8 de Janeiro, entre Madrid e Paris.

Segundo o executivo, este tipo de aparelho é “ideal em tempo de crises”, podendo poupar até 30% dos custos.

Fonte: PressTur (Portugal)

FAB desativa Hospital de Campanha em SC

A Força Aérea Brasileira (FAB) desativou nesta sexta-feira o Hospital de Campanha (HCamp) montado em Itajaí desde a enchente que atingiu vários municípios de Santa Catarina. O atendimento ao público da chamada Operação Santa Catarina teve início no dia 1º de dezembro e, desde então, 2.196 pessoas passaram pelas equipes de médicos da FAB. Todos os pacientes foram encaminhados por postos de saúde de municípios vizinhos.

Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, 37 mil pessoas continuam desalojadas ou desabrigadas no Estado. O número de mortos chegou a 131. Vinte e duas pessoas ainda estão desaparecidas.

A estrutura do HCamp foi montada no pátio de um posto de combustíveis localizado às margens da BR 101. Mais de 80 médicos das áreas de ginecologia, obstetrícia, pediatria, clínica geral e ortopedia trabalharam no local. Além disso, o hospital mantinha uma farmácia que distribuiu mais de 63 mil medicamentos, segundo a FAB.

Nesta sexta-feira, militares começaram a desmontar a estrutura para embarcá-la em aeronaves no aeroporto de Navegantes, no litoral norte de Santa Catarina. Entre várias outras atuações, o mesmo Hospital de Campanha havia sido utilizado este ano no Rio de Janeiro, para atender às demandas de uma epidemia de dengue, e em 2006, durante as operações de resgate do acidente do vôo 1907 da Gol na selva Amazônica.

A secretária de saúde de Santa Catarina, Carmen Zanotto, disse que o objetivo da presença dos militares foi aliviar a estrutura médico-hospitalar catarinense. Em reunião com o major-brigadeiro Raul José Ferreira Dias, comandante do HCamp, ela afirmou que, a partir de agora, o Estado tem condições de absorver a demanda.

Fonte: Terra

Em meio à crise, brasileiros e norte-americanos deixam de viajar

Pesquisa realizada no Brasil revela que 75,4% não vão viajar nesse final de ano; nos EUA, 62% cortaram a despesa

Em meio à crise, brasileiros e norte-americanos apresentam um comportamento em comum: estão cortando gastos com viagens.


De acordo com a pesquisa CNT/Sensus, 75,4% dos brasileiros afirmaram que não vão viajar nessas férias, ante 22,8% que responderam o contrário. Neste último grupo, a escolha é por passeios mais baratos e os dados que comprovam isso são os que mostram que 50% vão viajar de carro e 52,4%, para a praia.

Para se ter uma idéia, apenas 7,2% responderam que irão viajar de avião, enquanto outros 3,5% disseram que a viagem será para o exterior. A maior parte dos que vão viajar respondeu que irá ficar na casa de parentes (52,9%), enquanto apenas 23,9% arriscarão gastar mais e ficar em um hotel.

A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 12 de dezembro, em 136 municípios nas cinco regiões brasileiras, com 2 mil pessoas. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. Do total da população pesquisada, 28,7% responderam que já foram pessoalmente atingidos pela crise e mais da metade (50,5%) disse que não foram atingidos.

EUA

Nos Estados Unidos, uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center revelou que 60% dos norte-americanos estão mudando a maneira de guardar dinheiro ou de investir, por causa da crise, montante superior ao registrado há dois meses, quando a resposta foi dada por 48% dos entrevistados.

Além disso, foi possível observar que 73% dos norte-americanos irão cortar gastos com as férias e 62%, com as viagens, devido à crise financeira internacional. De acordo com os dados, os norte-americanos continuam fazendo uma avaliação bastante fria sobre as condições da economia, tanto em relação à situação nacional quanto em relação ao seu próprio orçamento.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 7 de dezembro, com 1.498 adultos, por telefone.

Fontes: Pew Research Center / InfoMoney

TAM consegue empréstimo de US$ 525 milhões

Em meio à forte crise de crédito internacional, a TAM acaba de obter a terceira parcela de um empréstimo de US$ 525 milhões para financiar a importação de quatro aviões da marca Boeing modelo 777-300 ER, com capacidade para 360 pessoas. A quarta e última parcela do financiamento será desembolsada também neste mês, diz José Maluf, diretor de contratos internacionais da TAM.

A estrutura do empréstimo garantiu conforto aos bancos participantes e custos atrativos e prazos longos para a TAM. O prazo final é de 12 anos, com pagamentos trimestrais. Segundo Maluf, os juros ficaram abaixo da Libor, taxa interbancária de Londres.

Trata-se de um leasing financeiro com seguro do Ex-Im Bank, agência de crédito à exportação do governo dos Estados Unidos, que cobre 85% do risco do empréstimo, de acordo com Paulo César Souza, diretor comercial do Société Générale, que estruturou a operação. " Conseguimos reduzir o custo para a empresa usando de benefícios com os acordos de bitributação do Brasil com outros países " , afirmou ele, sem querer revelar detalhes da estrutura para a concorrência. Os outros dois bancos líderes são Calyon e Natixis.

As duas primeiras partes do empréstimo ingressaram no caixa da empresa em agosto e outubro, quando a TAM recebeu os dois primeiros aviões. O último Boeing 777-300 ER financiado pelos US$ 525 milhões chega ao país em janeiro, diz a TAM.

" Estamos em contato com vários bancos e todos estão fechados para este ano; ninguém quer assumir mais nada " , afirmou Maluf. Por isso, ele vai deixar para o primeiro trimestre do ano que vem a contratação do crédito para a importação de mais um avião dos seis que vai trazer ao país em 2009. " Os outros cinco já têm financiamento contratado " , afirma o executivo.

Segundo ele, apesar dos tempos difíceis, a TAM não encontrou dificuldades em financiar sua frota neste ano. Obteve outros US$ 500 milhões em financiamentos para a importação de nove aeronaves, sempre por meio de empréstimos com a participação das agências de crédito à exportação. " A Airbus se dispõe a nos financiar desde 2005, mas não precisamos recorrer a isso " , diz Maluf.

Segundo Souza, neste momento de alta forte nos prêmios de risco de crédito nos mercados internacionais, os custos das agências de crédito à exportação se tornaram atrativos, pois são mais estáveis e não subiram com a crise. Para os bancos, o seguro das agências dos países ricos permite a redução do risco e da alocação de capital, além de ampliar o retorno.

Para 2009, a prioridade da TAM é manter o caixa elevado, diz Maluf. A empresa não tem nenhum vencimento relevante de dívida externa: seus eurobônus de US$ 300 milhões vencem em 2017. Em seu balanço do terceiro trimestre último, o caixa da empresa era de R$ 2,1 bilhões. A dívida de curto prazo era de R$ 836 milhões e a de longo prazo, de R$ 1,7 bilhão. Como a empresa vai devolver aviões MD-11 e outras aeronaves, essa dívida de curto prazo vai cair e a de longo, crescer, informa Maluf.

Fonte: Cristiane Perini Lucchesi (Valor Econômico)

Passageiro de vôo vindo de Luanda pode estar com malária

Um passageiro de um vôo fretado vindo de Luanda, capital da Angola, está sob suspeita de malária. O avião desembarcou na tarde desta sexta-feira (19) no Aeroporto dos Guararapes, no Recife.

Os 247 passageiros, todos brasileiros, retornavam no vôo 7411, da Angola Airlines. Funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com o objetivo de identificar possíveis infectados, coletaram amostras de sangue de todos os passageiros.

Apesar da cautela, segundo a Anvisa, apenas um passageiro mostrou sintomas semelhantes ao da doença, apresentando febre alta. O material foi encaminhado ao laboratório e o resultado deve ser divulgado até terça-feira (23).

Fonte: pe360graus.com

Tam cria vôos extras para Recife e Natal

A Tam inicia vôos extras de São Paulo para Recife e Natal com o propósito de atender à demanda da alta temporada. As operações começaram hoje (19/12) e vão até o dia 10 de janeiro.

O vôo para Recife parte do Aeroporto Internacional André Franco Montoro (Guarulhos) diariamente, às 23h55, e chega à capital pernambucana à 1h55 (horário local). No sentido inverso, a decolagem ocorre às 2h50 (horário local), e a aterrissagem em São Paulo, às 7h. Na rota entre a capital paulista e Natal, o vôo extra também sai do Aeroporto Internacional André Franco Montoro (Guarulhos) diariamente, às 10h45, e chega ao destino às 13h (hora local). No retorno, deixa a capital do Rio Grande do Norte às 13h40 e pousa em São Paulo às 18h.

Fonte: Mercado & Eventos

MP vai à Justiça contra decisão de TAM e Gol de manter apenas dois vôos com saída de Roraima

O Ministério Público Federal em Roraima protocolou ação civil pública com pedido de liminar contra as companhias aéreas TAM e Gol, para que voltem a manter quatro vôos diários no estado. Atualmente são mantidos apenas dois vôos, um de cada companhia. A decisão foi tomada após denúncias de tumulto de pessoas que, com uma maior demanda no final de ano, não conseguem embarcar no aeroporto. A ação também é assinada pelo Ministério Público Estadual.

Desde setembro, alegando falta de demanda, as empresas aéreas cancelaram dois dos quatros vôos diários. Com a decisão, quem precisa sair de Roraima por via aérea passou a ter somente uma opção pela tarde e uma outra de madrugada. De acordo com a ação, passageiros que programaram suas férias para viajar e doentes que precisam de tratamento em outros estados não conseguem embarcar porque não há vagas.

Na opinião do procurador da República Leandro Antunes, autor da ação, as empresas aéreas têm o dever constitucional de prestar um serviço público adequado e a retirada dos vôos não reflete a realidade do estado de Roraima, localizado no extremo norte do país.

"Está comprovado nessa ação que há demanda mais do que suficiente para os quatro vôos diários", destaca o procurador da República.

Segundo a ação, é indiscutível a necessidade urgente de mais vôos neste período do ano, e a restrição imposta pelas empresas aéreas, que diminuíram a quantidade de vôos e conseqüentemente de passagens, além de dificultar a integração nacional causa instabilidade política no estado de Roraima, acentua o sentimento de isolamento e ainda ofende os direitos daqueles que desejam embarcar e não conseguem. A ação destaca ainda que, um bilhete no trecho Boa Vista-Manaus, que antes era comercializado a R$ 250, hoje custa cerca de R$ 1.200.

Na ação, o MP Federal e Estadual pedem que as empresas TAM e Gol voltem a ter dois vôos diários cada, no período compreendido entre 20 de dezembro a 30 janeiro de 2009, para atender a alta temporada, sob pena de multa diária no valor de R$ 200 mil por cada dia de descumprimento.

Fonte: O Globo

Rússia oferece 10 aviões MIG-29 ao Líbano

A oferta é vista como uma tentativa de Moscou conquistar influência em zonas de importância estratégica mundial.

O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa do Líbano, que revelou estar em aberto a possibilidade de o país vir a adquirir tanques e material de artilharia de fabrico russo.

Os 10 aviões MIG-29 são um importante contributo para a renovação da antiquada força aérea libanesa, mas são sobretudo uma provocação aos EUA.

É que Washington é o principal parceiro militar do Líbano, mas tem adiado a implementação dos planos de ajuda à restruturação das forças armadas libanesas.

Oficialmente, a Rússia justifica a doação com o objectivo de estabilizar o país, abalado por constantes conflitos nas últimas décadas, mas o gesto está a ser interpretado como uma tentativa de ressurgimento da influência russa em zonas tradicionalmente dominadas pelos americanos.

Fonte: TV NET (Portugal)

Aeroporto de Donington pode fechar durante o GP da Inglaterra

Para que Donington Park receba o GP da Inglaterra de Fórmula 1 de 2010, o aeroporto de East Midlands (foto), que fica próximo à pista, terá seus horários de vôos modificados, para não causar transtornos à corrida.

“Estamos trabalhando com eles (administração do aeroporto), para que seja diminuído o tráfego aéreo nos dias de competição. Não queremos que feche totalmente, mas que os pousos e decolagens parem no momento da corrida”, disse o chefe do circuito, Simon Gillett.

Um porta-voz do aeroporto negou que o aeroporto será fechado nos dias do evento. “Estamos conversando com Donington, mas em nenhum momento falamos que fecharemos o aeroporto”, disse.

Fonte: José Barone (F-1 na Web)

Avião de Evo Morales realiza pouso de emergência na Bolívia

O avião no qual viajava na noite dessa quinta-feira (18) o presidente boliviano, Evo Morales, teve de realizar um pouso de emergência no aeroporto de Cochabamba, 45 minutos após ter decolado da cidade de Tarija, sul do país, com destino à capital La Paz, informou a Radio Erbol.

A aeronave FAB-001 foi então submetida a um controle por parte dos técnicos do aeroporto de Cochabamba e cerca de 20 minutos após o pouso retomou sua viagem em direção a La Paz.

Segundo informações preliminares da Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares para a Navegação Aérea da Bolívia (Aasana), o pouso de emergência da aeronave presidencial ocorreu devido a uma falta de combustível. O chefe de Comunicações da Força Aérea Boliviana, coronel René Terrazas, sustentou também que se tratou de um "simples reabastecimento de combustível", "o que geralmente é feito na plataforma dos aeroportos".

Não é a primeira vez que Morales tem problemas com aeronaves que o transportam. Em março de 2006, um helicóptero no qual viajava realizou com dificuldade um pouso de emergência na região de Chapare, norte de Cochabamba.

Fonte: ANSA (19/12/2008)

Polícia obtém autorização judicial para usar avião de traficantes

Aeronave foi apreendida em outubro do ano passado.

Quatro traficantes foram detidos na época com 210 kg de cocaína.


Um avião apreendido que era de traficantes de drogas será utilizado pela Polícia Civil para combater a violência no interior de São Paulo. A aeronove tem seis lugares, autonomia de vôo de quatro horas e meia e alcança 300 quilômetros por hora.

O avião foi apreendido em outubro do ano passado. Trazia da Bolívia 210 quilos de cocaína. Um paraguaio, um colombiano e dois brasileiros foram presos na época. Com a autorização da Justiça, a partir de agora, a aeronave vai ajudar no combate à criminalidade em 79 cidades da região de Sorocaba, a 99 km de São Paulo.

Fontes: G1 / TV Tem

Embraer confirma venda de 24 aviões militares ao Equador

O vice-presidente de Defesa e Governo da Embraer, Luiz Carlos Aguiar, afirmou nesta quinta-feira (18) que a venda de aviões militares produzidos pela empresa para o governo equatoriano está confirmada. Independentemente das tensões diplomáticas envolvendo Brasil e Equador, Aguiar disse que o contrato firmado em julho está mantido e que a exportação dos 24 Super Tucanos foi previamente autorizada pelo governo brasileiro.

“Não há problema algum”, afirmou Aguiar nesta quinta (18) em São Paulo. O executivo não quis fazer comentários sobre o processo de financiamento das aeronaves que será feito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES). Aguir explicou que o contrato de vendas de equipamentos bélicos prevê a confidencialidade de algumas informações, uma delas e a forma de pagamento, porém afirmou que tudo está dentro do que foi acertado entre empresa e o governo do Equador.

Segundo o executivo, os aviões serão entregues a partir do ano que vem.Também em 2009, a Embraer entregará 12 Super Tucanos ao Chile. Já em 2010, será feita a entrega de outros oito Super Tucanos à República Dominicana.

Fonte: DCI

Novo acidente aéreo é questão de tempo, afirma presidente interino da Infraero

Cleonilson Nicácio Silva assume hoje interinamente a presidência da Infraero

Para ele, tragédias sempre ocorrerão porque "todos são humanos e erram" e, por isso, funcionários citados em inquérito terão apoio jurídico


ANDREA MICHAEL
ANDREZA MATAIS
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

O diretor de operações da Infraero, brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva, assume hoje interinamente a presidência da empresa no lugar de Sérgio Gaudenzi, que se demitiu por discordar da decisão do governo de privatizar os aeroportos.

Nicácio evita a polêmica, mas não se furta de outra. Ele diz que sua gestão dará "todo suporte jurídico" aos quatro funcionários da Infraero apontados pela polícia de SP entre os responsáveis pelo acidente da TAM. E que "é questão de tempo" para que tragédias voltem a ocorrer, porque errar é humano. Leia trechos da entrevista.

FOLHA - O sr. assume a Infraero enquanto o governo discute a concessão dos aeroportos para a iniciativa privada. Qual a sua posição?

CLEONILSON NICÁCIO DA SILVA - A Infraero é a terceira maior do mundo em embarque e desembarque de passageiros. Devemos chegar neste ano a 120 milhões. Crescemos à média de 10% ao ano. É uma empresa sadia. Agora, mudança de modelo não é da nossa alçada, é assunto de governo, que é o acionista único e principal da empresa.

FOLHA - O sr. no comando seria um obstáculo à privatização?

NICÁCIO - Não. Vou ficar na empresa por um período de transição, meu tempo é limitado [pelas regras da Aeronáutica, em julho de 2009 ele tem que retornar para a ativa] e continuarei fazendo o que sempre fiz.

FOLHA - Como o sr. avalia o caso do acidente da TAM, em que servidores da Infraero foram responsabilizados pela polícia de São Paulo?

NICÁCIO - Sou aviador, pilotei Boeing 737, voei com o papa, com o presidente e sei a responsabilidade, tanto da pessoa mais simples, que é o caso dos dois garotos em Congonhas [que liberaram a pista no dia do acidente, após medição] quanto do piloto. Ninguém brinca com a vida, até porque, quando se está no avião, o primeiro a morrer é o piloto. O pára-choque do avião é a cabeça do piloto. Sempre ocorreram e sempre ocorrerão acidentes aeronáuticos. E não acabou. Quem acha que nunca vai haver um acidente igual ao da TAM, da Gol, da Vasp, isso é questão de tempo.

FOLHA - Mas a investigação policial apontou culpados...

NICÁCIO - A polícia faz o que ela quer. A da Aeronáutica não tem o caráter de buscar o culpado.

FOLHA - O que será feito com relação aos funcionários da Infraero apontados no inquérito da polícia?

NICÁCIO - Daremos suporte jurídico porque temos certeza de que não estão errados. Todos são humanos, todos erram.

FOLHA - Como vai ser a operação Feliz 2009?

NICÁCIO - Vamos reforçar todos os aeroportos geradores e receptores de tráfego. Nos principais, o desembarque será mais rápido. Haverá pessoas para liberar o fluxo de bagagens.

Fonte: Jornal Folha de S.Paulo

Angola: Aeroporto de Luanda vai beneficiar de remodelação profunda

O Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, vai ser alvo de uma remodelação profunda ao mesmo tempo que as obras do novo aeroporto internacional deverão ser retomadas em breve, informou o jornal Apostolado.

O jornal adianta que as obras no actual aeroporto de Luanda vão ficar a cargo da empresa portuguesa Somague, com o contrato de adjudicação a envolver uma verba na ordem de 74 milhões de dólares.

Actualmente, o aeroporto 4 de Fevereiro tem capacidade para receber apenas 1,2 milhões de passageiros, o que é insuficiente perante a crescente procura.

No âmbito do projecto de ampliação e remodelação (onde a empresa brasileira Odebrecht também irá tomar parte), o aeroporto verá aumentada a área de recepção de bagagens e de balcões de atendimento e ainda a capacidade das salas de embarque.

A área de entrada e saída dos aviões também verá as suas condições melhoradas. No exterior do edifício, o parque de estacionamento que serve o aeroporto terá uma lotação maior.

Ao todo, o projecto em questão deve demorar o período de um ano até estar concluído.

Esta solução é, porém, transitória, já que a ideia de um novo aeroporto, cujas obras já se haviam iniciado mas que foram entretanto interrompidas, volta a ver a luz do dia.

As obras do novo aeroporto devem ser retomadas em breve, como foi adiantado durante a visita do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, à comuna de Bom Jesus, local que irá albergar o aeroporto internacional, a quarenta quilómetros da capital.

Fonte: MacauHub - Foto: AngolaPress

OceanAir lança este mês serviço de web check-in

Para facilitar o embarque dos passageiros, a OceanAir acaba de introduzir uma inovação nos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio: o web check-in, destinado a viajantes adultos sem bagagem ou com apenas bagagem de mão. O novo sistema permite ao passageiro que efetue seu próprio check-in e imprima seu cartão de embarque antecipadamente na residência ou escritório.

O sistema agiliza os procedimentos de embarque, sobretudo para os passageiros em viagens de negócios, na chamada Hiper Ponte Aérea, e também para aqueles que desejam aproveitar o verão carioca. No entanto, o novo serviço pode ser utilizado para qualquer destino coberto pela malha aérea da OceanAir, sempre que se embarcar de Congonhas ou Santos Dumont. "Nossa expectativa é beneficiar cerca de 40% dos passageiros que utilizam esses dois aeroportos", afirma Renato Pascowitch, diretor executivo da OceanAir, que faz parte do grupo Sinergy, controlador da Avianca, tradicional companhia aérea comercial mundial.

Fonte: DCI

Capacidade aérea para Faro baixa 21% no inverno e easyJet reduz oferta de voos em 25%

A oferta de voos de e para o Aeroporto de Faro regista uma queda de 21% em número de lugares no Inverno IATA, que vai de finais de Outubro a finais de Março, segundo informação do próprio Aeroporto, na qual é ainda referido que a low cost easyJet, número um em número de ligações e de passageiros, faz uma redução de 25% na oferta de voos regulares.

Apesar desde decréscimo, a easyJet mantém o primeiro lugar, diz a mesma informação, que assinala a subida da Ryanair à posição, com a realização de mais 13 voos por semana que na época homóloga de 2007/2008.

Este crescimento da Ryanair ocorre, designadamente, pela introdução de quatro novas rotas, com as quais eleva para nove as origens/destinos em Faro — Bruzelas-Charleroi, Dusseldorf-Weeze, Dublin, East Midlands, Frankfurt, Glasgow, Liverpool, Londres e Shannon — e prevê aumentar em 160 mil o número de passageiros transportados anualmente.

Outra companhia que também a actividade em Faro é a Transavia, que tem mais sete voos por semana.

A informação do Aeroporto especifica, em relação à queda prevista em 21% do número de lugares oferecidos neste Inverno pelo conjunto das companhias que operam para Faro, que esse decréscimo ocorre por uma redução em 19% em voos regulares, que representarão 90% do total da oferta, com um total de 173 partidas por semana para 35 aeroportos, e um decréscimo em 31% em voos charters.

O Aeroporto indica ainda que as ligações com o Reino Unido, primeira origem/destino de voos em Faro, terão um decréscimo da oferta de lugares em 9%, para 611.504 (54% do total), com uma média de 95 voos regulares por semana.

Este dado leva à conclusão que a redução da oferta de lugares de avião no Aeroporto de Faro nesta época do Inverno IATA é em cerca de 300 mil, para 1,13 milhões.
A redução nas ligações com o Reino Unido é em cerca de 60 mil.

Balanço do Verão IATA

O Aeroporto de Faro estima que ajustado de efeitos de calendário teria registado crescimentos em 0,8% em número de movimentos de aviões (aterragens e descolagens) e em 1,1% em passageiros comerciais locais (exclui os trânsitos) no Verão IATA de 2008 (de Abril a Outubro).

O ajustamento, justifica-se, segundo a informação do Aeroporto, por este ano o Verão IATA ter tido menos uma semana que no anterior, o que, associado à instabilidade nos mercados financeiros e à subida dos preços do petróleo, levou a que o balanço real acabe por ser uma descida em 2,4% no número de movimentos e uma redução em 2,4% em número de passageiros.

A informação do Aeroporto evidencia que essa queda ocorreu por um decréscimo em 20,8% nos voos charter, que o crescimento em 3,7% em voos regulares “foi insuficiente para compensar”.

Do mesmo modo, a informação indica que no Verão se verificou uma concentração nas companhias com maior peso no tráfego, ao referir que as cinco principais cresceram em conjunto acima dos 8% em número de passageiros, destacando a easyJet, com +38,4%, e a Transavia, com +14,8%.

O Aeroporto assinala ainda “o aumento da eficiência comercial das companhias aéreas, traduzido por um aumento global do loa factor em 1,3 p.p.”.

Relativamente às origens/destinos, a informação do Aeroporto de Faro assinala apenas que a quota de mercados das ligações com a Grã Bretanha atingiu 59,8% e que os voos de e para a Holanda tiveram um aumento do tráfego de passageiros em 2,8%.

Fonte: PressTur (Portugal)

Tripulantes de cabine da TAP suspendem greve de dois dias

Os tripulantes de cabine da companhia aérea portuguesa TAP decidiram, em assembléia geral, suspender a greve anunciada para este sábado e para 27 de dezembro.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Vôo da Aviação Civil propôs a suspensão dos dois dias de paralisação, uma decisão anunciada depois de nesta madrugada ter alcançado um acordo com a administração da TAP, num encontro onde também estiveram presentes o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, e o vice-ministro, Paulo Campos.

Nessa reunião, o governo e a administração da TAP assumiram o compromisso de iniciar "um processo de negociações objetivo, estruturado e calendarizado, segundo princípios previamente definidos e acordados pelas duas partes".

Durante a assembléia geral, que foi realizada nesta tarde, os tripulantes de cabine aprovaram uma moção em que estabelecem que, caso as negociações fracassem, poderão apresentar um novo pré-aviso de greve "para data mais oportuna", que pode ter a duração de até três dias.

Em declarações aos jornalistas, a presidente do sindicato, Cristina Vigon, disse que a intervenção de Mário Lino "garante que as negociações poderão decorrer com eqüidade e simetria".

Reivindicações

Nas negociações já realizadas, e mediadas pelo governo, os tripulantes de cabine e a TAP já chegaram a acordo quanto ao pagamento de horas extraordinárias, que segundo a presidente do sindicato "não eram pagas há quatro anos".

O conjunto das reivindicações também inclui a atualização salarial no nível da inflação. "Pretendemos que tudo o que perdemos ao longo destes anos seja, de alguma forma, reposto", disse Cristina Vigon, evitando divulgar valores para os aumentos.

A presidente do sindicato disse ainda que outra das reivindicações dos tripulantes de cabine é alta da componente fixa do salário,que atualmente pesa 48% da remuneração total, para cerca de 80%.

O início das negociações entre a TAP e o sindicato está agendado para a primeira semana de janeiro.

Se esta greve de dois dias se concretizasse, no sábado e em 27 de dezembro, a paralisação custaria cerca de 10 milhões de euros (R$ 33,69 milhões), segundo as contas do presidente da TAP, Fernando Pinto.

A TAP acumulou prejuízos superiores a 170 milhões de euros (R$ 572,72 milhões) até outubro deste ano.

Fonte: Agência Lusa

Neve suspende mais de 650 vôos em Nova York

Bonecos de neve já podem ser vistos na cidade.

Central Park está totalmente coberto.




Mais de 650 vôos foram suspensos nos aeroportos de Nova York, em sua maioria no aeroporto de Newark, devido a uma forte nevasca que se espera que deixe mais de 30 centímetros de neve em Manhattan.

Responsáveis dos respectivos aeroportos detalharam hoje que cerca de 420 vôos foram cancelados no de Newark, outros 150 no de LaGuardia e cerca de 100 no JFK, enquanto os atrasos médios superavam as duas horas.

Trata-se da primeira nevasca forte desta temporada, por isso que as autoridades iniciaram diferentes medidas para tentar mitigar seus efeitos, entre eles, a disposição de até 193.000 toneladas de sal para espalhar por estradas e calçadas.

Pedestres caminham pelo Central Park durante nevada, em Nova York

Boneco de neve já foi feito no Central Park, em Nova York

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, detalhou hoje em entrevista coletiva que na cidade se esperava que caíssem até 12 polegadas de neve (30,5 centímetros), seguidas de chuva, por isso que também máquinas para remover a neve foram mobilizadas.

Durante as primeiras horas do dia esteve nevando com força em toda Nova York e em algumas partes do norte de Manhattan, assim como dos outros quatro condados que compõem Nova York, de modo que a neve começou a se acumular nas calçadas.

Os serviços de meteorologia advertiram que, embora as condições tenderão a melhorar amanhã, no domingo se espera a chegada de uma nova tempestade para dar as boas-vindas ao inverno, que oficialmente começa no dia 21 de dezembro.

Fontes: G1 / Jornal Nacional (TV Globo) / Agências Internacionais - Fotos: Lucas Jackson (Reuters)

Uzbekistan Airways assina contrato de compra de quatro Airbus A320

A companhia aérea nacional do Uzbequistão, a Uzbekistan Airways, assinou um contrato de compra de quatro aeronaves A320, dando continuidade ao processo de modernização da frota de médio alcance da companhia, que já havia adquirido seis aeronaves do mesmo modelo em junho de 2007, totalizando um pedido de 10 aviões.

As aeronaves A320 da Uzbekistan Airways terão uma cabine completamente renovada, oferecendo mais conforto aos passageiros com um ambiente moderno e mais claro. Elas serão utilizadas na malha expandida de destinos internacionais e domésticos da companhia, que atualmente opera três aeronaves A310 nas rotas para a Europa e leste da Ásia.

“Ficamos felizes por ver que, mais uma vez, a Uzbekistan Airways, uma das principais companhias aéreas da região da CEI, demonstrou sua confiança na família A320. Essa aeronave, que é uma das mais vendidas no segmento de corredor único, traz a mais moderna tecnologia e o melhor custo-benefício para os clientes. Sem dúvida seu desempenho contribuirá para o futuro crescimento da companhia", afirmou John Leahy, Diretor Executivo de Operações de Clientes da Airbus.

A Uzbekistan Airways foi fundada em 1992 e iniciou suas operações com rotas internacionais para Londres, Frankurt, Nova Delhi, Carachi, Kuala-Lumpur, Tel-Aviv e Pequim. Como reconhecimento por sua performance, a companhia já recebeu o Diploma do Fundo Internacional para Segurança na Aviação e um certificado da Associação Internacional de Aeroportos, além do “Euromarket-2000". Atualmente, a Uzbekistan Airways opera vôos regulares para mais de quarenta cidades na América, Europa, Oriente Médio, Sudoeste da Ásia, Ásia Central e países da CEI, e planeja aumentar o número de destinos nos próximos anos.

Fonte: Aviação Brasil

Empresa deve indenizar nos casos de extravio de bagagem, orienta Procon

Já imaginou ter sua bagagem extraviada em plena viagem de férias? Com o aumento de passageiros e malas nas rodoviárias e aeroportos de todo país durante os meses de dezembro e janeiro, o número de reclamações tende a crescer. A Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon-MT) registrou 25 ocorrências sobre extravio de bagagens em 2008. Confira quais as recomendações do órgão diante desta situação.

A bagagem é considerada extraviada quando não for entregue no ponto de destino. O consumidor deve tomar o cuidado de identificar todas as malas com nome, endereço e telefone. Dessa forma, facilita a localização. Caso a bagagem não seja encontrada, a companhia deve ser comunicada no ato do embarque. A empresa terá, então, 30 dias para encontrar os pertences ou indenizar o consumidor.

Existem algumas resoluções tanto da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) quanto da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que estabelecem um valor máximo para efeitos de indenização, no entanto, o Código de Defesa do Consumidor (CDC art.6º) traz como direito básico do consumidor "a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos".

Para que o valor integral da bagagem seja ressarcido, o Procon-MT recomenda que quando objetos de valor, como notebooks e jóias forem transportados, o passageiro preencha o formulário com uma declaração dos valores contidos na mala no embarque. Neste caso, a companhia poderá solicitar a verificação o conteúdo da bagagem.

"O consumidor deve guardar os comprovantes de embarque e de bagagem, pois eles juntamente com o documento de identificação, são provas que os pertences do consumidor foram entregues no balcão da empresa", alerta a superintendente de Defesa do Consumidor, Gisela Simona Viana de Souza.

Antes de viajar, o consumidor pode checar o Cadastro de Reclamação Fundamentadas e verificar quais as empresas que desrespeitaram a legislação consumerista. A lista com as empresas mais reclamadas está disponível no site www.procon.mt.gov.br e também na sede do Procon-MT.

Fonte: 24 Horas News (MT)

Nevada no nordeste dos EUA atrapalha tráfego aéreo

Na foto, o Aeroporto de Newark, em Nova York

O nordeste dos Estados Unidos estava, nesta sexta-feira, sob uma tempestade de neve, que atrapalhou o tráfego aéreo, sobretudo, em Nova York, de acordo com a agência de Aviação Federal americana.

No estado de Massachusetts, o governador Deval Patrick dispensou os funcionários dos serviços não urgentes e fez um apelo por rádio para que a população evite viajar de carro.

De acordo com o site da Aviação Federal, os três aeroportos de Nova York (JFK, La Guardia e Newark) sofriam importantes atrasos nas chegadas e partidas. Uma densa névoa envolvia a cidade, levando as autoridades a advertir os motoristas sobre o perigo que podem correr na direção, devido ao excesso de gelo nas ruas.

Os aeroportos de Detroit (Michigan, norte) e de Chicago (Illinois, norte) também registravam atrasos, ainda que menores.

Em Milwaukee (Wisconsin, norte), o aeroporto internacional Mitchell fechou "até nova ordem", acrescentou a agência federal.

Em Nova York, a Meteorologia prevê mais de 12 cm de neve.

Fonte: France Presse - Foto: blog.nj.com

Concurso Airbus “Fly Your Ideas” registra número impressionante de participantes

Está comprovado que a competição “Fly Your Ideas”, lançada pela Airbus em 14 de outubro de 2008, é um grande sucesso. O concurso desafiou equipes de alunos do mundo inteiro a encontrar idéias inovadoras para moldar o futuro da aviação e desenvolver idéias ecos-eficientes para melhorar ainda mais o nosso segmento e registrou uma participação impressionante. Mais de 2.350 alunos e 225 equipes de 130 universidades completaram a primeira rodada da competição.

A diversidade geográfica dos participantes é incrível, com a participação de alunos de 82 países do mundo, incluindo países desenvolvidos e economias em desenvolvimento. Em termos de número de equipes participantes, os 10 principais países presentes são a China, Singapura, Reino Unido, França, Alemanha, EUA, Canadá e Hong Kong.

O 1º round da competição está encerrado. Especialistas da Airbus de várias áreas, como P&T, meio ambiente, engenharia e marketing, selecionaram 86 propostas que irão para o 2º round.

As propostas dos alunos abordam uma grande variedade de assuntos, como novos materiais, produtos e/ou processos, desempenho da aeronave, de produção, desempenho organizacional e operacional. Os detalhes sobre as equipes vencedoras e suas propostas serão publicados no site “Fly Your Ideas” em 1º de janeiro de 2009, após início da segunda rodada. Na próxima fase, funcionários da Airbus trabalharão com as equipes selecionadas no desenvolvimento das propostas.

“Estamos contentes com a resposta que recebemos das universidades que nos apóiam e dos alunos participantes. Isso confirma que, independentemente de onde você esteja no mundo, a inovação que está no coração de nosso segmento pode inspirar o melhor em termos de pensamento criativo", afirmou Patrick Gavin, Vice-Presidente Executivo de Engenharia da Airbus e patrono da competição. “Isso também destaca o interesse da geração mais jovem em enfrentar problemas ambientais. O desafio “Fly Your Ideas” dá uma oportunidade rara aos alunos influenciarem o futuro da aviação sustentável. A qualidade das propostas tem sido excepcionalmente alta. Esperamos trabalhar em parceria com as equipes vencedoras para desenvolver ainda mais as suas idéias inovadoras", completa.

A competição foi aberta a alunos de graduação, mestrado ou PhD de qualquer disciplina – de marketing a engenharia, administração, ciências, filosofia, design – de faculdades e universidades do mundo inteiro.

As equipes passarão por etapas desafiadoras e competitivas, terminando com uma final ao vivo no Le Bourget Airshow em junho de 2009. A equipe cuja idéia representar o maior potencial de desenvolvimento receberá o prêmio principal de €30 mil. A Airbus é uma empresa do grupo EADS.

Site: http://www.airbus-fyi.com/ .

Fonte: Portal Fator Brasil

Pantanal demite e pede recuperação

A Pantanal Linhas Aéreas demitiu cerca de 50% do seu quadro de funcionários na última quinta-feira (18) e entrou com pedido de recuperação judicial. Segundo um funcionário da empresa, que pediu para não ter o nome divulgado, o corte atingiu mais de 200 trabalhadores que atuam na Capital e deve chegar às bases do interior de São Paulo, como Bauru, Presidente Prudente, Araçatuba e Marília, além de Juiz de Fora (MG).

A reportagem entrou em contato várias vezes na útlima qui com a sede da empresa em São Paulo, no entanto, a telefonista informou que, por ser período de férias, não seria possível contato com membros da administração.

A Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) explicou que a empresa não precisa necessariamente comunicar a agência para fazer o pedido de recuperação judicial e, até ontem, nenhuma informação sobre o assunto havia sido divulgada.

Segundo o gerente da Pantanal em Araçatuba, Luiz Carlos Barbosa, por enquanto nenhum funcionário da empresa no município foi demitido. "Aqui não tivemos nenhuma alteração, está tudo normal", disse. Sobre o pedido de recuperação judicial, Barbosa respondeu apenas que faz parte do projeto de reestruturação da empresa e que as demissões devem atingir mais a parte interna e administrativa. "A empresa estava aguardando uma permissão do governo, que saiu agora, por isso devem estar fazendo isso agora", disse. A Pantanal possui nove funcionários em Araçatuba.

PASSAGENS

Os vôos também não devem ser alterados. "A Pantanal mantém os vôos diários para a capital paulista e as vendas de passagens até dezembro de 2009", afirmou. De acordo com o funcionário da Capital, que está entre os demitidos pela empresa na manhã de ontem, há informações de que a recuperação judicial é patrocinada por empresa terceirizada.

A empresa estaria ainda, há algum tempo, arcando com as despesas de combustível para o abastecimento das cinco aeronaves que operam pela Pantanal. O funcionário era aeroviário e trabalhava na sede da companhia em São Paulo.

Ele conta que foram demitidos, apenas na matriz, secretárias da diretoria, gerente do RH (Recursos Humanos), assistentes jurídicos, funcionários da reserva, estatística, câmbio, de um departamento chamado Receita, informática, financeiro, entre outros, que correspondem a 50% do quadro total.

O funcionário forneceu o nome do escritório responsável pela recuperação judicial da Pantanal. No escritório Sérgio Müller & Associados, uma funcionária confirmou o processo de recuperação judicial e disse que um dos advogados entraria em contato com a reportagem assim que chegasse na empresa para explicar o processo, o que não ocorreu até o fechamento desta edição.

REORGANIZAÇÃO

Em página na internet, a Sérgio Müller & Associados se identifica como uma das mais qualificadas bancas atuantes em Direito Empresarial e Recuperação de Empresas no sul do País, especializada em reorganização de empresas e negócios societários.

Dificuldade se tornou pública em março

As dificuldades financeiras da Pantanal se tornaram públicas em março, quando a Anac suspendeu os vôos da empresa por não ter renovado o Cheta (Certificado de Homologação de Empresa do Transporte Aéreo), alegando que a companhia teria deixado de apresentar documentos de sua situação técnica, operacional, jurídica e fiscal.

A Pantanal também estaria passando por uma crise financeira. A empresa conseguiu na Justiça liminar para manter todos os seus vôos. A liminar obrigou a Anac a prorrogar a concessão até o julgamento de outra ação da Pantanal contra a União.

DEPÓSITO

Nessa ação, a Pantanal tentava obter as certidões que atestassem sua regularidade com a Receita e a Previdência. A companhia depositou judicialmente o valor dos débitos com a União. Na época, a Pantanal também entrou na Justiça com pedido de preservação de direito para que pudesse entrar com pedido de recuperação judicial. O objetivo era ganhar tempo para se preparar para o pedido de recuperação. A.G.

Fonte: Folha da Região

Empresas aéreas se comprometem a não fazer overbooking

As quatro maiores companhias aéreas do Brasil - TAM, Gol/Varig, OceanAir e Webjet - enviaram documentos à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) com o compromisso de assegurarem a qualidade da prestação de serviços aos passageiros durante o fim de ano e o início de 2009, inclusive o de não praticar overbooking - venda de bilhetes acima da capacidade da aeronave. As empresas terão planos de contingência para atender eventuais necessidades. O acordo, chamado de Operação Feliz 2009, é coordenado pelo Ministério da Defesa e começa hoje.

A TAM terá três aviões reserva tripulados durante 24 horas e outros dois durante o dia, até 22h, posicionados em Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, e no Aeroporto Antonio Carlos Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro. A Gol/Varig terá um avião e tripulação reserva em Guarulhos e mais tripulação sob aviso nas bases de Congonhas, Galeão e Brasília. A OceanAir vai deixar uma aeronave posicionada em Congonhas, uma em Guarulhos, além de uma no Recife (PE) e outra no Santos Dumont, na capital fluminense, no período da tarde. No Galeão, também haverá uma aeronave reserva da Webjet, com tripulação.

De hoje até o dia 7 de janeiro, durante a Operação Feliz 2009, a ANAC irá reforçar as informações aos passageiros sobre seus direitos e deveres. Nos aeroportos de Guarulhos, Congonhas, Galeão e Brasília, a agência distribuiu 40 painéis de lona (banners) com dois dizeres: "Problemas? Saiba como reivindicar seus direitos" e "Passageiro, faça a sua parte".

Também será distribuído o Guia do Passageiro, que reúne várias orientações sobre bagagem, identificação do passageiro, atrasos e cancelamentos, passageiros com necessidades especiais etc. Outras duas cartilhas, Acessibilidade nos Aeroportos e Dicas para um Vôo Tranqüilo, também serão lançadas.

Fonte: Agência Estado - Imagem: Glauco

Plano de defesa beneficia indústria, diz executivo

O vice-presidente de Defesa e Governo da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), Luiz Carlos Aguiar, apoiou ontem a recém-anunciada Estratégia Nacional de Defesa. Segundo Aguiar, o plano abrirá uma oportunidade para o desenvolvimento da indústria nacional.

Durante encontro com jornalistas, Aguiar ressaltou o fato de constar da estratégia a intenção de dar prioridade a empresas nacionais na venda de armas e equipamentos às Forças Armadas do país. "Com isso, poderemos ganhar mais espaço nesse segmento", disse o executivo.

Ainda de acordo com Aguiar, a estratégia também aponta as formas e direções para expansão da defesa nacional. Ciente disso, a indústria bélica poderá desenvolver novos produtos para sanar as futuras necessidades das Forças Armadas.

Aguiar disse também que é a primeira vez que a defesa é vista como uma questão de Estado no Brasil. Para ele, isso é um avanço considerável, já que investimentos nesse assunto poderão ser feitos e planejados a longo prazo.

Fonte: Agência Brasil

Embraer fecha 2008 com US$ 7 bilhões em vendas

A restrição ao crédito no mercado internacional começa demonstrar seus efeitos em empresas de perfil exportador no Brasil. Uma delas é a Embraer, que sentiu uma redução da demanda por aeronaves depois de setembro. Apesar disso, a companhia considera que teve um bom ano de vendas e vai encerrar 2008 com mais de 200 unidades entregues. Segundo o presidente da companhia, Frederico Curado, a Embraer fechou contratos para vendas de aviões cujo valor chega a US$ 7 bilhões, soma superior à previsão feita pela companhia no início deste ano.

Para 2009, disse o vice-presidente de aviação executiva da Embraer, Luiz Carlos Affonso, a empresa espera vendas menores e conseqüentemente redução no backlog, ou seja, os pedidos que estão em carteira. Segundo dados da companhia, até esses contratos até o final do terceiro trimestre de 2008, somavam US$ 21,6 bilhões.

Curado afirmou que há clientes pedindo adiamento de entrega. O executivo explicou que seus clientes estão predominantemente no exterior e que são empresas que dependem de acesso a crédito de longo prazo, capital que não estão encontrando em função da recessão já detectada em países da União Européia e nos Estados Unidos, mercados que responderam, até o terceiro trimestre de 2008, por 17,23% e 45,11% da receita obtida pela companhia, respectivamente. "Houve casos de clientes que já haviam feito depósitos e tiveram que desistir da aquisição", revelou.

Apesar desse cenário, o presidente da Embraer afirmou que a empresa não inclui financiar seus clientes em seus planos para 2009. Segundo ele, o trabalho se dá com análise individual de cada caso e dependendo da decisão, poderá realizar empréstimo-ponte de curto prazo.

Curado diz que olha com muita preocupação para o cenário externo e as fontes de financiamento. Segundo ele, existiam cerca de 30 instituições financeiras que trabalhavam com aviação e que agora esse número não passa de oito.

Cenário positivo

Para o analista de transporte do Santander, Caio Dias, o ano que vem será desafiador para a empresa, já que a atividade aeronáutica é sensível à conjuntura econômica mundial. "Apesar disso, a perspectiva para a Embraer é positiva, em tempos de crise as empresas aéreas buscam mais eficiência operacional, que pode ser obtido pela renovação de frota", disse ele.

"A crise chegou em uma hora positiva para a empresa, pois a carteira de pedidos é confortável e como a receita é contabilizada apenas na entrega da aeronave, a empresa tem muita gordura para queimar", afirmou. A receita da empresa deverá cair um pouco já que a previsão de entregas foi reduzida e a Embraer contabiliza nos resultados apenas quando há a entrega da aeronave, pois o pagamento é feito nessa ocasião.

Outro fato citado pelo analista é o tipo de produto da Embraer, cuja capacidade está situada em 100 lugares por aeronave. Dias explica que a retração da economia gera uma queda natural na demanda por assentos. Aeronaves Boeing ou Airbus que cuja capacidade é mais elevada aumentam os custos operacionais, o ideal para essas empresas seria lançar modelos menores no mercado.

Porém, essa não é uma atividade simples. Segundo, o vice-presidente de Aviação Comercial para a América Latina da Embraer, Alex Glock, que assumirá a partir de 2009 a regional que atua no Sudeste Asiático, é mais fácil para uma empresa desenvolver um avião e aos poucos aumentá-lo do que o caminho inverso. "Foi assim que conseguimos aumentar nosso portfólio de produtos e alcançar essa posição confortável com aeronaves que permitem melhor custo de operação", disse.

Outro assunto que Curado abordou durante o encontro com jornalistas foi a possibilidade de demissões em função da retração de pedidos. Ele disse que a Embraer não está pensando nesse assunto atualmente, mas há o monitoramento da situação e que se for necessário, em 2009, para garantir a sobrevivência da empresa no longo prazo, isso será feito.

Para 2009 o orçamento demorou cerca de 45 dias para ficar pronto, mesmo sem revelar os números, o executivo disse que os investimentos serão mantidos, pois a empresa pensa também em longo prazo. No início de 2008 a empresa havia divulgado que investiria cerca de US$ 1 bilhão até 2009. Até setembro, a empresa já havia aplicado US$ 244 milhões em pesquisa e desenvolvimento e US$ 163 milhões em imobilizado.

Fonte: DCI

'Caos aéreo é passado', diz novo presidente da Infraero

O presidente interino da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), tenente brigadeiro-do-ar Cleonilson Nicácio Silva, assumiu hoje o comando da estatal na véspera do início da "Operação Feliz 2009" demonstrando otimismo. "Caos aéreo é passado", afirmou o novo presidente. A operação foi montada pelo Ministério da Defesa, Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Comando da Aeronáutica e companhias aéreas para funcionar até janeiro, período de alta temporada, na tentativa de evitar transtornos aos passageiros nos aeroportos. "É possível que haja algum tempo de espera aos usuários devido ao fluxo grande de passageiros, mas medidas estão sendo tomadas para que isso não seja excessivo", declarou o brigadeiro.

A operação consiste em uma reorganização da malha aérea, aumento do número de funcionários da Infraero nos aeroportos para dar informações aos passageiros, maior contato entre as autoridades e as companhias aéreas para que haja monitoramento fino dos horários dos pousos e decolagens e compromisso das empresas aéreas de que haverá aviões disponíveis em caso de emergências.

Nicácio Silva evitou revelar sua opinião sobre a privatização isolada de aeroportos da rede Infraero. "Nessa interinidade, meu objetivo é gerir a Infraero da melhor maneira possível, mostrando que ela é uma das melhores empresas do ramo do mundo. A decisão quanto ao modelo de gestão dessa infra-estrutura aeroportuária eu deixo para as autoridades responsáveis, que são o Ministério da Defesa e a Presidência da República", afirmou o novo presidente da estatal em entrevista coletiva após tomar posse no cargo. E completou: "Eu não pretendo de forma nenhuma alimentar polêmicas sobre o assunto".

Na solenidade de transmissão de cargo, o presidente demissionário da Infraero, Sérgio Gaudenzi, deixou claro em seu discurso que optou por se demitir do cargo por não concordar com a decisão do governo federal de caminhar para a concessão à iniciativa privada dos aeroportos mais rentáveis do País. Os primeiros na fila que podem ser privatizados são os aeroportos do Galeão (RJ) e Viracopos, em Campinas (SP). O brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva era diretor de Operações da Infraero desde agosto do ano passado, quando Gaudenzi assumiu a presidência. Ele é militar da Aeronáutica ainda da ativa e, para assumir o posto na estatal, pediu afastamento temporário de dois anos. O prazo da licença vencerá em julho de 2009.

Fonte: Agência Estado

TAP apenas garante voos para Regiões Autónomas durante greve de sábado

O porta-voz da TAP anunciou, esta quinta-feira, que apenas estão garantidos os voos entre o Continente e as Regiões Autónomas no sábado, o primeiro dos dois dias de greve dos comissários e assistentes de bordo.

Em declarações à TSF, o porta-voz da TAP admitiu que a companhia apenas garante voos para as ilhas da Madeira e dos Açores e para alguns destinos em África, «com alguns ajustes horários».

Quanto aos voos para destinos como o Brasil, Estados Unidos ou Europa, «infelizmente não estamos em condições» de dar garantias, pelo que «poderá haver alguns cancelamentos», acrescentou António Monteiro.

Antecipando alguma agitação entre os passageiros, António Monteiro aconselhou os clientes da companhia a contactarem os serviços de apoio da empresa, evitando deslocar-se ao aeroporto, e recomendou-lhes «paciência».

A TAP apela aos passageiros para que se informem da situação dos seus voos através do telefone 707205700, do site www.flytap.com, ou do agente de viagens.

Apesar de se prever constrangimentos para sábado, dia da greve dos tripulantes de cabine, a TAP espera que a greve de sexta-feira, dos técnicos de manutenção, não afecte as operações de voo.

Entretanto, em declarações à TSF, Óscar Nunes, do sindicato que representa esses técnicos, relembrou que a greve visa lutar «pelo princípio da actualização salarial», numa altura em que a administração da TAP aposta num «simulacro de negociação» com os sindicatos.

Por seu lado, Paulo Brehm, da Associação de Agências de Viagens e de Turismo, considerou que esta paralisação vem em má altura, porque existe muito tráfego aéreo no Natal, epoca em que os familiares procuram reunir-se.

«Além disso, estamos a viver uma crise económica», pelo que «esta greve afecta não só a TAP, mas também outros sectores», como o do Turismo, acrescentou.

Fonte: TSF Rádio Notícias (Portugal)

"Não estou qualificado para aterrissar este avião"

Piloto teve de fazer regressar passageiros quando estava a chegar para Paris porque não sabia aterrissar com nevoeiro

Um avião de passageiros foi forçado a regressar ao aeroporto de origem a poucos minutos de aterrar em Paris porque um piloto com 30 anos de experiência não tinha qualificação para aterrar com nevoeiro.

A informação foi dada aos passageiros através do sistema interno do avião, quando o voo da Flybe se aproximava do aeroporto Charles de Gaulle. Segundo a agência Reuters, as palavras do piloto foram as seguintes, antes de regressar a Cardiff: «Não estou autorizado a aterrar este avião».

Um porta-voz da companhia low-cost acrescentou que «tratava-se de um piloto muito experiente, com mais de 30 anos na aviação comercial, capaz de dirigir vários tipos de aviões». Mas, havia problemas na sua qualificação: «Tinha sido transferido recentemente de um Bombardier Q300 para um Bombardier Q400, o que requer um tipo de treino diferente para condições de visibilidade difícil. Percebendo esta limitação, o capitão regressou rapidamente para Cardiff, numa decisão que tem o total apoio da empresa».

Fonte: IOL Diário (Portugal)

Gaudenzi reafirma crítica à privatização de aeroportos

O ex-presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) Sérgio Gaudenzi (foto) criticou hoje a opção de privatização isolada de aeroportos, que está sendo adotada pelo governo federal. Em discurso, durante uma rápida solenidade de transmissão de cargo ao presidente interino da estatal, tenente-brigadeiro do ar, Cleonilson Nicácio Silva, Gaudenzi afirmou que a privatização isolada de aeroportos vai afetar o equilíbrio que permite à Infraero manter os aeroportos médios e pequenos em locais pobres e isolados do Brasil. "Sempre acreditei que o melhor caminho para o crescimento da empresa e o cumprimento de sua missão de integração no País é a abertura de capital", afirmou Gaudenzi, em seu discurso.

A solenidade foi discreta e durou pouco mais de meia hora, na sede da estatal, em Brasília, com a presença de funcionários da Infraero. Gaudenzi revelou que, em sua carta de demissão ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que não seria a pessoa mais indicada para conduzir essa etapa de privatização, por discordar da alternativa. "Escrevi ao ministro que não poderia fazê-lo com entusiasmo, por discordar da tese", afirmou.

Já o presidente interino da Infraero fez um discurso curto e não mencionou sua posição sobre a política de privatização dos aeroportos. Limitou-se apenas a agradecer o convívio com Gaudenzi e lembrou que a presidência do antecessor foi marcada pelas ações de recuperação de imagem da Infraero, abalada pelo caos aéreo e pelos dois trágicos acidentes da Gol e da TAM, ocorridos em 2006 e 2007.

Fonte: Agência Estado

Aeroporto Campo de Marte tem movimento recorde em SP

Quinto maior aeroporto brasileiro, o Campo de Marte, em São Paulo, ocupou o vácuo deixado na aviação depois das restrições a pousos e decolagens em Congonhas, na zona sul, e assumiu boa parte das operações de aviões de pequeno porte. Entre janeiro e outubro deste ano, houve um aumento de 23,10% nessa área com relação ao mesmo período de 2007. Já o número de pousos e decolagens de helicópteros, cresceu apenas 3%. Mesmo assim, o Campo de Marte deve encerrar este ano com recorde de movimento e chegar perto de 112 mil pousos e decolagens.

No ano passado, foram 93.248 procedimentos no aeroporto. A mudança de perfil é reflexo das restrições que ocorreram em Congonhas depois da reforma das pistas, iniciada em fevereiro de 2007, e do acidente com o avião da TAM, em julho do mesmo ano. O número de slots (pousos e decolagens) por hora em Congonhas foi reduzido de 48 para 34. Naquela época, dez desses slots eram destinados à aviação geral.

Localizado numa região estratégica para empresários e executivos, perto da Avenida Paulista e do centro, o Campo de Marte virou a melhor opção para a aviação geral e o reflexo é visível, sobretudo nos horários de pico. No dia 3 de outubro, uma sexta, 57 aeronaves pousaram ou decolaram no aeroporto entre as 17 horas e 17h59, segundo relatório da Infraero. Com isso, a média de pousos e decolagens de aviões no Campo de Marte está em 8,5 por hora.

Fonte: Jornal da Tarde - Foto: www.usp.br

Vizinhos de Congonhas fazem laudo de imóveis

Moradores do Jardim Aeroporto, na zona sul de São Paulo, vão encomendar laudos preventivos de especialistas em avaliação de imóveis para evitar serem pegos de surpresa caso suas casas sejam desapropriadas pela Prefeitura de São Paulo para a ampliação das pistas do Aeroporto de Congonhas. A Prefeitura estima que 2.000 imóveis devem ser desapropriados para a obra, a um custo de R$ 400 milhões.

Eles pretendiam entrar com uma ação popular na Justiça, mas foram orientados por advogados a pagar os laudos e depois contestar a avaliação do município se a desapropriação se concretizar. “Se ingressássemos com a ação, poderíamos perder porque o município pode alegar interesse público na área”, afirma Alice Teixeira Ferreira, de 66 anos, professora universitária e moradora da rua Almeida Ferraz, atrás de Congonhas. A casa em que a professora mora há 27 anos vale entre R$ 200 mil a R$ 300 mil, segundo ela. “É um terreno grande, com quintal e jardim. Não é justo receber depois um valor subavaliado”, diz.

Mesmo sem haver definição das casas que serão desapropriadas, os vizinhos dela pensam em seguir o mesmo caminho. “Embora não saibamos exatamente quais imóveis serão desapropriados, pensamos em contratar laudos para nos precaver”, afirma a aposentada Benedita Oliveira Oruê, de 82, que mora há 40 anos no bairro. “Vão querer pagar pelo valor do terreno, não é justo. É uma casa grande. Vale no mínimo R$ 300 mil”, afirma Benedita.

Fonte: Jornal da Tarde

Flagrante de tráfico de drogas em aeroporto de SP

O mês de dezembro já bateu todos os recordes de prisões de passageiros com cocaína no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.Vinte pessoas transportando 119 quilos da droga.



Fim de ano, aeroporto cheio. E o olhar atento do policial federal. Ele é um dos agentes treinados para identificar suspeitos na fila do embarque internacional.

Este mês de dezembro tem sido o mais trabalhoso dos últimos oito anos. Vinte presos até agora.
Dez homens e dez mulheres, que carregavam 119 quilos de cocaína.

O depósito está abarrotado. De janeiro até agora mais de 900 quilos só de cocaína já foram apreendidos no Aeroporto Internacional de São Paulo. Quase 50% mais do que no ano passado.

Era droga em poder das mulas. Os transportadores a serviço do tráfico. Também levam cocaína no estômago, em garrafas de vinho, em latas de cerveja, em spray de cabelo, na caixa de sabão em pó, na goma da toalha e recheando bagagens de mão.

Passageiros de países pobres do Leste Europeu representam quase a metade dos flagrantes de tráfico em dezembro. Eles são contratados por quadrilhas internacionais para vir ao Brasil buscar cocaína e entregar a droga em países ricos da Europa, onde o consumo aumenta consideravelmente nesta época, por causa das festas de fim-de-ano.

Para despistar a polícia, uma nova rota passando pelo Oriente Médio. Quatro mulas foram presas tentando embarcar para Dubai, nos Emirados Árabes. De lá, seguiriam para Portugal e Espanha.

No embarque de um vôo direto para a Espanha. Alin Florim Cioaca, romeno de 29 anos, foi tirado da fila. Ele passa pela checagem da mala. Mas é flagrado na revista pessoal.

A polícia encontra dois pacotes de cocaína na cintura.

Policial - Tem mais?

Alin- Não, não tenho mais.

Policial - Certeza?

Alin- Certeza.

Policial - Sapato, dentro?

Alin- Não tenho nada.

São duzentos gramas. Alin diz apenas que pegou a cocaína em Curitiba e entregaria em uma boate de Madrid. Como a maioria das mulas apanhadas em flagrante, ele não revela o nome do patrão.

Alin - Me telefonou e me disse: deixa para mim o dinheiro, te deixo isso e mais nada.

“Para o traficante, a mula é muito confortável porque ele fica oculto e quem paga a pena é a mula. Ela sabe que está fazendo uma coisa errada, mas não imagina as conseqüências, que ela só vai sentir depois que é presa”, explica o delegado federal Mario Menim Jr.

É exatamente o caso do romeno Alin Florin.

Policial -Olha, isso é tráfico internacional. Você está preso. São 5 anos, no mínimo.

Alin -(Pausa)... Por isso?!

Policial - Por isso. É a lei.

Reportagem de César Tralli

Fontes: G1 / Jornal Nacional (TV Globo)

Caça-bombardeiro cai na Rússia, mas seus dois pilotos sobrevivem

Acidente ocorreu em Voronej, a cerca de 480 quilômetros.

Causas ainda são desconhecidas.


Um Su-24

Um caça-bombardeiro Su-24 caiu nesta sexta-feira (19) na região russa de Voronej, a cerca de 480 quilômetros ao sul do Moscou, mas seus dois pilotos saíram com vida, informou a Força Aérea da Rússia.

Um porta-voz da aviação, citado pela agência oficial "RIA Novosti", disse que o acidente, cujas causas por enquanto são desconhecidas, ocorreu às 13h45 de Moscou (8h45 de Brasília).

O avião, que fazia um vôo de instrução, caiu a 38 quilômetros ao sudeste de Voronej, sem causar danos em terra.

Os dois pilotos, que saltaram do avião com pára-quedas antes que ele se chocasse contra o solo, foram "resgatados pelos serviços de salvamento e transferidos a um centro médico para serem examinados", disse o representante da Força Aérea russa.

Fonte: EFE

Crise faz companhia aérea japonesa ANA adiar decisão de compra de novos aviões

A All Nippon Airways (ANA), segunda maior companhia aérea japonesa, anunciou nesta sexta-feira que decidiu adiar sua decisão de compra dos modelos de aviões gigantes A380 e Boeing B747-8, em conseqüência da crise econômica mundial.

A ANA organizou no meio do ano um comitê encarregado de decidir se a companhia precisava de aviões gigantes - e, neste caso, qual modelo deveria ser adquirido.

"A ANA decidiu adiar" sua decisão sobre os superjumbos, "diante das mudanças inesperadas em seu ambiente operacional por causa da crise financeira de setembro", explicou em um e-mail o porta-voz da companhia, Rob Henderson.

A Airbus já contava com um contrato com a ANA para introduzir seu modelo A380 no mercado japonês, praticamente dominado pela concorrente americana Boeing.

O presidente executivo da ANA, Mineo Yamamoto, disse na semana passada que a empresa pretende reduzir em 20% sua previsão de investimentos para evitar riscos financeiros.

Fonte: France Presse

Após quatro anos de alta, Embraer prevê menos pedidos em 2009

Países desenvolvidos, principais clientes, devem reduzir encomendas.

Empresa reagirá 'da forma mais eficiente possível', disse presidente.


O desaquecimento econômico tido como certo para 2009 deverá derrubar o valor da carteira de pedidos firmes da Embraer pela primeira vez em quatro anos.

Com os compradores de aviões receosos sobre o futuro, a fabricante brasileira já trabalha com um cenário de mais entregas e menos encomendas no próximo ano. Até então, essa relação era inversa.

A expectativa foi manifestada nesta quinta (18) pelo presidente da Embraer, Frederico Curado, que afirmou ter preocupação com o cenário de demanda para 2009, especialmente dos países desenvolvidos, maiores clientes da empresa.

Também é esperada redução no apetite dos países emergentes, porém ainda não se sabe em que intensidade.

Atualmente, a Embraer tem US$ 21 bilhões em pedidos firmes, valor que vem crescendo fortemente desde 2005, mas que deverá recuar no próximo ano. "2009 será um ano de consumo do backlog", disse Curado, referindo-se à diminuição do valor da carteira de encomendas firmes.

Além dos pedidos em queda, a Embraer poderá ter problemas com as entregas programadas para o próximo ano, devido às dificuldades que alguns clientes, já com posição firme, estão enfrentando na obtenção de crédito. Nesses casos, a empresa brasileira vem se esforçando para remanejar prazos, com o objetivo de dar maior fôlego aos compradores.

Curado não deu detalhes sobre a estratégia a ser adotada pela companhia para enfrentar o que será um ano "de dificuldades". Disse apenas que a Embraer tentará reagir "da forma mais eficiente possível", o que deu margem a novos questionamentos sobre eventuais demissões.

O executivo respondeu prontamente que não há qualquer decisão tomada a esse respeito, porém não descartou totalmente as dispensas. "Se eu tivesse certeza que não ia fazer (demitir), diria", ponderou Curado. "Só vamos tomar uma decisão drástica se estiver em risco a sobrevivência da empresa", completou ele.

Perguntado se a Embraer poderia usar parte do caixa para financiar seus clientes durante a crise, Curado rechaçou totalmente a possibilidade. Segundo ele, esse tipo de operação representaria pouco em termos de volume, devido ao elevado preço dos aviões. Além disso, a companhia comprometeria seu caixa, atitude pouco recomendável em tempos de incerteza.

Outra possibilidade observada pela companhia seria aceitar aviões usados para estimular a troca por novos modelos. No entanto, essa alternativa é considerada apenas para o longo prazo, quando as condições de mercado e o cenário de demanda estiverem mais claros, segundo informou o vice-presidente de Aviação Executiva da Embraer, Luis Carlos Affonso.

Fonte: Valor OnLine

Polícia prende integrante de quadrilha de roubo de aviões

Suspeito foi preso na casa da mãe dele em Cáceres.

Investigação busca localizar outro fugitivo do grupo.

Agentes da Polícia Civil prenderam um integrante de uma quadrilha suspeita de tentar roubar dois aviões no aeroporto da cidade de Água Boa (MT), em agosto deste ano. O suspeito foi preso na casa da mãe dele, localizada em Cáceres (MT), nesta quinta-feira (18).

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o roubo foi impedido por agentes da Polícia Federal, que conseguiram prender quatro assaltantes. Outros dois integrantes fugiram após troca de tiros com os policiais.

A polícia segue com investigações para tentar localizar o outro fugitivo.

Fontes: G1 / TV Centro América

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Aeroporto de Atenas está parado

O aeroporto de Atenas está parado. Em plena quadra natalícia, os controladores de tráfego aéreo convocaram uma greve em nome de maiores aumentos salariais. Os trabalhadores juntam-se assim aos jovens que, nas duas últimas semanas, encheram as ruas da capital grega em protesto contra a violência policial e contra a política do Governo.

Ao Rádio Clube, o embaixador português, em Atenas, explicou que a violência desapareceu das ruas. No entanto, Alfredo Duarte Costa admite que os protestos se continuam a ouvir.

A vaga de manifestações começou no dia 6 de Dezembro, quando um jovem de 15 anos foi atingido mortalmente por um polícia.

Fonte: Rádio Clube (Portugal)

Ameaça de greve ronda o céu do Brasil

O setor aéreo brasileiro está em estado de greve. Uma assembléia nacional, realizada na noite da última terça-feira, rejeitou a proposta de 7,2% de reajuste salarial feita pelo Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) e o indicativo de greve de aeronautas e aeroviários permanece para os dias 24 e 25 de dezembro.

De acordo com José Geraldo Lima, coordenador regional do Sindicato Nacional dos Aeroviários, embora os trabalhadores tenham reivindicado 13% no início das negociações, a categoria chegou a propor 9% de reajuste para desistir da greve, mas o percentual não foi acatado pelo patronal. "Portanto, a posição nacional é que haja a paralisação, caso os patrões não retomem as discussões com o setor", afirma.

Lima esclarece que, para fortalecer o movimento, a paralisação será conjunta entre a categoria dos aeronautas, que compreende pilotos, comissários e aeromoças; com a dos aeroviários, composta pelo ‘serviço de solo’, como os mecânicos, por exemplo.

Em Belém, há cerca de 400 trabalhadores na ativa, nas duas principais empresas aéreas. "As empresas estão ganhando dinheiro, os vôos continuam lotados, mas nada é repassado para os trabalhadores". No ano passado, o reajuste salarial foi de 5%, mas só o índice da inflação, segundo ele, já não agrada os trabalhadores.

Segundo Lima, se as negociações permanecerem interrompidas, a paralisação deve ser iniciada primeiramente no sudeste e sul e apoiada, em seguida, nas demais regiões do país. "Rio e São Paulo estão fazendo mobilizações e nós aqui também pretendemos fazer algum tipo de manifestação nesta sexta-feira, no aeroporto", informa. O coordenador esclarece que os passageiros deverão receber uma correspondência informando sobre a possível paralisação.

Na página do Snea, na internet, o sindicato informa sobre um acordo firmado com o Sindicato dos Aeroviários do Amazonas (Sindamazon), no último dia 10, prevendo o reajuste salarial de 7,2%, índice que também reajusta o vale-refeição e a cesta básica desses trabalhadores. Segundo o texto, "o Snea considera que o reajuste obtido representa o maior esforço que as empresas aéreas poderiam fazer, neste momento, sem comprometer a saúde financeira, em época de grandes incertezas".

Fonte: Diário do Pará