sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Incêndio em aeroporto de Berlim atrapalha tráfego aéreo

Fogo começou em um prédio junto ao setor militar do aeroporto.

Grande contingente de bombeiros trabalha para controlar as chamas.




Um incêndio em um pavilhão do aeroporto de Tegel, em Berlim, causa transtornos no tráfego aéreo que se dirige ao principal aeroporto da capital alemã, informou a polícia nesta quinta-feira (20).

O fogo, que começou em um prédio junto ao setor militar do aeroporto, provocou uma grande nuvem de fumaça que atrapalha a visibilidade dos aviões.

A polícia informou que não foram registrados feridos, e que um grande contingente de bombeiros trabalha para controlar as chamas.

Por enquanto se desconhecem as causas do incêndio, que deve ser extinto em breve, já que neste momento também chove forte em Berlim.

Bombeiros trabalham para apagar incêndio no aeroporto Tegel, em Berlim

Fontes: EFE / Globonews - Foto: Fabrizio Bensch (Reuters)

Funcionários de aeroporto filipino são proibidos de desejar feliz Natal

Segundo gerente, saudação era usada para pedir dinheiro a passageiros.

Aeroporto de Manila já havia dado essa ordem antes, mas ela foi ignorada.

Novembro e dezembro são tradicionalmente meses de pico no aeroporto de Manila

Os funcionários do aeroporto de Manila, nas Filipinas, foram proibidos de desejar um feliz Natal aos passageiros, informou a publicação local “Standard Today”.

A proibição assinada por Alfonso Cusi, gerente geral do aeroporto, diz que “a saudação natalina era uma maneira sutil de pedir dinheiro aos passageiros que chegavam ao país”. Qualquer pessoa pega infringindo a proibição será punida, mas não foram dados detalhes das conseqüências.

Medidas parecidas já foram tomadas em anos anteriores, mas geralmente elas são ignoradas. “Os críticos dessa ação dizem que há outras formas de abordar os passageiros, sem dizer feliz Natal”, escreveu o jornal.

Novembro e dezembro são tradicionalmente meses de pico no aeroporto de Manila.

Fonte: AFP

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Polícia aponta posição de manete como principal causa de acidente da TAM

Perícia não determinou se houve falha mecânica ou humana.

Falta de ranhuras na pista de Congonhas também contribuiu para tragédia.


Após 16 meses de investigação, a Polícia Civil apontou nesta quarta-feira (19) o posicionamento errado de um dos manete do Airbus A-320 da TAM como a principal causa do acidente de julho de 2007, em que morreram 199 pessoas. A liberação de pousos no Aeroporto de Congonhas sem a implantação de grooving (ranhuras) na pista foi outro fator que contribuiu para o acidente, de acordo com a polícia.

Segundo a perícia da caixa preta da aeronave, no momento do pouso do vôo JJ 3054, o manete direito estava em posição de aceleração, enquanto o esquerdo, em processo de frenagem. A perícia não conseguiu apontar, entretanto, se a aceleração foi causada por erro humano ou falha mecânica. "Não podemos afirmar com 100% de certeza que tenha havido erro humano", disse o delegado responsável pela investigação, Antonio Carlos Menezes Barbosa, titular do 27º DP, Campo Belo, na época do acidente.

Mesmo sem conseguir apontar se houve erro humano ou falha no equipamento, o delegado anunciou o indiciamento de dez pessoas ligadas à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), à TAM e à Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) pelo crime de atentado contra a segurança do transporte aéreo. "Estamos apontando pelo nexo de causalidade entre a ação dessas pessoas e o evento", disse o delegado, sem especificar a parcela de culpa de cada indiciado.

Interrogatórios de alguns dos investigados foram marcados para segunda-feira (24). Após serem interrogados, serão formalmente indiciados, segundo Barbosa.

Denise Maria Ayres Abreu (ex-diretora da Anac), Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro (diretor de segurança do vôo da TAM), Abdel El Salam Rishk (ex-gerente de engenharia de operações da TAM), Agnaldo Molina Esteves (funcionário da Infraero) e Esdras Ramos (funcionário da Infraero) foram intimados para prestar depoimento no 15º Distrito Policial (Itaim Bibi).

Brigadeiro José Carlos Pereira (ex-presidente da Infraero), Milton Sergio Silveira Zuanazzi (ex-presidente da Anac), Luiz Kazumi Miyada (superintendente de infra-estrutura aeroportuária da Anac), Marcos Tarcisio Marques dos Santos (responsável pela superintendência da segurança operacional da Anac) e Jorge Luiz Brito Velozo (responsável pela superintendência de segurança operacional da Anac) foram indiciados por cartas precatórias, já que residem fora de São Paulo, e devem ser interrogados por policiais civis de outros estados.

Ninguém ligado à fabricante (Airbus) foi indiciado, porque, segundo Barbosa, não foi possível identificar o responsável por uma brecha de segurança no aparelho. Barbosa disse que um dispositivo poderia ter alertado o piloto do vôo JJ 3054 de que o manete estava em posição errada no momento do pouso, o que poderia ter evitado o acidente. Mas este mecanismo não estava instalado, porque foi considerado "opcional" pela fabricante. A partir de 2008, esse dispositivo passou a ser obrigatório em todo avião que pousa em Congonhas, segundo o delegado.

Mesmo sem ter anunciado a responsabilidade de cada envolvido, o promotor responsável pelo caso, Mário Luiz Sarrubbo, vê falhas da TAM no treinamento de funcionários da Infraero em liberar a pista em condições inseguras e da Anac, na fiscalização do aeroporto.

Indiciamentos

A assessoria de imprensa da Infraero informou que a empresa só vai se pronunciar a respeito da defesa de seus dois funcionários depois que for notificiada oficialmente sobre o indiciamento deles. A empresa disse que não tem o contato de seu ex-presidente, o brigadeiro José Carlos Pereira, e que não vai se pronunciar sobre seu envolvimento.

A assessoria de imprensa da TAM informou que, por enquanto, a empresa não irá se pronunciar. A Anac também disse que não vai se pronunciar porque não recebeu nenhum comunicado oficial sobre o caso. Segundo a agência, as três pessoas citadas como superintendentes não trabalham mais na Anac.

Em nota, o advogado Roberto Podval, que cuida da defesa de Denise Abreu, disse que está “absolutamente perplexo” com o anúncio do indiciamento. “Não há qualquer nexo ou ligação possível de causa e efeito entre o trágico acidente e a atuação de Denise Abreu no colegiado de cinco diretores que dirigia a Anac”, afirmou o advogado na nota.

Roberto Podval diz ainda que todos os fatos técnicos levantados ressaltam “que o acidente não teria ocorrido se os manetes do avião estivessem na posição correta”. Ele termina a nota questionando como Denise Abreu poderia ter interferido na pilotagem do avião.

As conclusões das investigações devem ser comunicadas aos parentes das vítimas do vôo JJ 3054 no próximo sábado (22) pelo delegado.

Fonte: G1

Dez pessoas serão indiciadas por acidente da TAM

Todos vão ser indiciados por atentado contra a segurança do transporte aéreo, o inquérito seguirá para Justiça Federal e a pena máxima para este tipo de crime é seis anos de prisão.

A polícia anunciou nesta quarta (19) que vai indiciar dez pessoas pelo acidente com o Airbus da TAM, que deixou 199 mortos, em julho do ano passado, em São Paulo.



Veio só parte do inquérito. O documento completo tem 16 mil páginas. Em um ano e quatro meses, mais de 300 pessoas foram ouvidas na apuração das causas do maior acidente da aviação brasileira.

E a polícia concluiu: o principal fator que levou à tragédia foi uma das alavancas de controle dos motores, que ficou em aceleração.

"É muito remota a hipótese de ter havido um problema no equipamento", afirmou o delegado Antônio Carlos Barbosa.

Para o delegado, uma série de regras também foi desrespeitada. Vão responder por isso o ex-presidente da Infraero, José Carlos Pereira, e dois funcionários da empresa que liberaram a pista de Congonhas, Agnaldo Esteves e Esdras Ramos.

O ex-presidente da Anac, Milton Zuanazi, a ex-diretora, Denise Abreu, e três funcionários da agência, Luiz Miyada, Marcos dos Santos e Jorge Velozo. E ainda, o diretor de segurança de vôo da TAM, Marco Aurélio Castro, e o ex-gerente de engenharia da empresa, Abdel Salam.

Todos vão ser indiciados por atentado contra a segurança do transporte aéreo e cabe à União julgar. Por isso, o inquérito seguirá para Justiça Federal, e a pena máxima para este tipo de crime é seis anos de prisão.

Os advogados do ex-presidente da Anac, Milton Zuanazi, e da ex-diretora Denise Abreu disseram que não há responsabilidade dos dois no acidente.

Para o ex-presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, o avião, nas condições em que estava, teria problemas em qualquer aeroporto do mundo.

O funcionário da Infraero Agnaldo Esteves e o diretor da TAM Marco Aurélio Castro não quiseram se manifestar.

Jorge Veloso, da Anac, afirmou que o acidente foi uma fatalidade, que está com a consciência tranqüila, que não foi ouvido pela polícia e não teve acesso aos laudos.

Até o início desta edição do Jornal Nacional, a nossa equipe não conseguiu localizar o ex-gerente da TAM Abdel Salam, os funcionários da Anac Luiz Miyada e Marcos dos Santos, e Esdras Ramos, da Infraero.

Fontes: G1 / Jornal Nacional (TV Globo)

Winona Ryder passa mal em vôo de Los Angeles a Londres

A atriz americana Winona Ryder foi internada ontem (19) em um hospital de Londres, pouco após se sentir indisposta a bordo do avião no qual viajava proveniente de Los Angeles e cujo comandante pediu uma "aterrissagem prioritária", informou a emissora britânica "BBC".

A atriz, de 37 anos, foi atendida pelos médicos no aeroporto de Heathrow e levada imediatamente a um hospital do oeste da capital britânica, onde não foram dados detalhes sobre o estado de saúde da protagonista de "Edward Mãos de Tesoura" (1990).

Um porta-voz da companhia aérea British Airways explicou que "o capitão do vôo BA282 pediu para fazer uma aterrissagem prioritária porque uma passageira requeria atendimento médico" e tocou terra pouco depois de 10h (de Brasília).

"A passageira foi transferida a um hospital local para receber tratamento", disse o porta-voz, que acrescentou que a atriz foi atendida a bordo do avião pela tripulação.

Winona Ryder sofre de transtornos crônicos de medo e angústia, depressões e enxaquecas, segundo ela mesma contou em várias entrevistas.

Fonte: EFE - Foto: jaunted.com

Irlanda: aeromoça ajuda a fazer pouso de emergência

Uma aeromoça de um Boeing 767, que fazia a rota Toronto-Londres, assumiu o controle da aeronave para ajudar o piloto a fazer um pouso de emergência na Irlanda, depois que o co-piloto sofreu uma crise nervosa, revelou nesta quarta-feira um relatório oficial.

O segundo comandante do aparelho começou a "desvairar e falar coisas sem sentido" quando o avião, com 146 passageiros, sobrevoava, em janeiro, o oceano Atlântico, o que obrigou o piloto a tomar a decisão de pousar no aeroporto de Shannon, ao oeste da Irlanda.

A investigação destaca que outra aeromoça ficou ferida ao tentar conter o co-piloto, que, por fim, foi afastado dos controles e imobilizado em um assento da cabine de comando.

Sem assistente a seu lado, o comandante do avião, a dez mil metros de altitude, perguntou: "Há algum membro da tripulação com conhecimentos de pilotagem?.

Por sorte, uma das aeromoças tinha uma licença para pilotar aviões comerciais e sentou-se ao lado do comandante para iniciar a descida e posterior aterrissagem em Shannon, indica o relatório.

Após chegar, o piloto elogiou o trabalho da aeromoça e o co-piloto foi levado ao hospital da localidade de Ennis, no condado de Clare, onde permaneceu internado durante onze dias.

O relatório oficial, elaborado pela Unidade de Investigação de Acidentes Aéreos da Irlanda (AAIU), não especifica o tipo de crise nervosa sofrida pelo co-piloto, mas inclui as opiniões de dois médicos que o trataram e que qualificaram seu estado de "confundido e desorientado".

O piloto explicou que seu colega se tornou "agressivo, reticente a cooperar e incapaz" de desenvolver suas funções, enquanto um passageiro lembra de ter ouvido o co-piloto mencionar no viva voz "Deus".

"Para seu próprio bem e pela segurança do avião, a medida mais apropriada foi retirá-lo de suas responsabilidades e solicitar qualquer atendimento médico disponível a bordo", destaca a investigação.

"Ao perceber que era uma situação difícil, o comandante agiu com tato e conhecimentos e manteve o controle da situação o tempo todo.

Portanto, o comandante e os assistentes de vôo devem ser parabenizados por seu profissionalismo", acrescentou a AAIU.

Fontes: Terra / EFE

Estação Espacial completa uma década e recebe melhorias



Uma missão da Nasa instalou na Estação Espacial Internacional equipamentos para tornar a vida por lá mais confortável. As mudanças acontecem quando a estação completa dez anos em órbita.

Fontes: G1 / Jornal das Dez (Globonews)

Relatório oficial rebaixa à metade o valor da Aerolíneas e da Austral


As negociações entre a Argentina e o grupo espanhol Marsans para a venda das companhias Aerolíneas e Austral sofreram um novo abalo após a publicação de um relatório do Auditor Geral da Nação (AGN) argentino, que acredita que a situação da Aerolíneas Argentinas e da sua subsidiária Austral é muito mais grave do que o admitido pelo grupo Marsans.

Fonte: JetSite

ANAC lança dicas de segurança de vôo para pilotos da Aviação Geral

A Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC começa a distribuir uma cartilha de orientações de segurança para os pilotos da Aviação Geral – aqueles que voam em aeronaves particulares, táxis-aéreos, aviação agrícola etc. O guia “Segurança – práticas para um vôo seguro” reúne uma série de dicas com o objetivo de orientar e reforçar a responsabilidade do piloto no cumprimento das normas de vôo. Ele será distribuído por aeroclubes, escolas de aviação, associações de pilotos, empresas e outras entidades da Aviação Geral. Além disso, poderá ser obtido gratuitamente nas Gerências Regionais da ANAC em sete capitais e está disponível para visualização e download na página da agência reguladora na Internet:

http://www.anac.gov.br/imprensa/dicasANAC.asp

O guia tem 20 páginas e formato pequeno, para facilitar seu uso e transporte. Com linguagem simples e de fácil entendimento, ele foi produzido pela Gerência Geral de Investigação e Prevenção de Acidentes (GGIP) da ANAC e contou com a colaboração do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Aérea Brasileira e da Associação Brasileira da Aviação Geral (ABAG).

Após uma “Mensagem ao Comandante” e uma introdução sobre os acidentes e suas causas mais comuns – de cada quatro acidentes no Brasil, em pelo menos um a regularização do piloto e/ou da aeronave estava vencida junto à ANAC – o guia “Segurança – práticas para um vôo seguro” divide-se em três partes, nas quais traz dicas importantes para a preparação do piloto, da aeronave e do próprio vôo.

O guia chama a atenção do piloto para que ele respeite suas próprias limitações operacionais. Por exemplo, se ele não está habilitado a voar por instrumentos, deve evitar sair do chão em condições meteorológicas adversas. Além disso, recomenda que o piloto recicle periodicamente seus conhecimentos e sua qualificação operacional, através de treinamentos em curvas de grande inclinação e de pousos simulados de emergência, entre outros. O guia reforça também a importância do planejamento do vôo com antecedência e o respeito aos limites da aeronave, principalmente seu peso e balanceamento.

Na preparação do vôo, são vários os alertas do guia: sobre a previsão do tempo, as condições da rota escolhida, os cuidados com o vento de través, o uso adequado da comunicação por rádio, o conhecimento do aeródromo de destino, os obstáculos geográficos em vôos de altitude mínima. Sobre vôos à noite, faz uma recomendação: “Caso não esteja qualificado para vôo noturno, planeje seu vôo para chegar ao destino pelo menos uma hora antes do pôr-do-sol”.

Na última parte, o guia fala dos cuidados que devem ser tomados com a aeronave, especialmente se ela for nova. Destaca que é preciso estudar bem o manual do aparelho, recomenda realizar um vôo com um piloto que conheça bem o equipamento e fala da importância de estar familiarizado com as limitações do motor. Sobre o combustível, traz várias recomendações, entre elas: “Sempre planeje seu pouso com combustível necessário para voar pelo menos mais 30 minutos de cruzeiro sob condições visuais”.

Esse pequeno guia marca o início de uma campanha da ANAC para aumentar as condições de segurança da Aviação Geral, que conta com mais de 10 mil pilotos em atividade nas categorias privado e comercial em todo o país. Serão distribuídos ao todo 12 mil exemplares. Dando continuidade à campanha, nos próximos meses a Agência divulgará cartazes educativos sobre segurança de vôo em todos os pontos de concentração de pilotos da Aviação Geral.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da ANAC

Astronauta perde bolsa no espaço

Enquanto fazia reparos na ISS, bolsa “voa” lentamente ao infinito.

Ela precisou da ajuda de um colega para finalizar o trabalho.



Enquanto a astronauta da Nasa fazia reparos do lado de fora da Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês), a bolsa de ferramentas se perdeu no espaço. Esse foi o primeiro incidente que ocorreu durante esta caminhada espacial, na terça-feira (18).

A bolsa flutuou em direção ao infinito após a explosão de um aplicador de graxa. A astronauta tentava limpar a graxa do uniforme e o acessório escapou. Ela estava no início do trabalho para destravar o mecanismo de rotação de um painel solar.

"Ah, que ótimo!", disse, no momento, a astronauta. Para continuar o conserto, recebeu a ajuda de um colega.

A próxima incursão dos astronautas pelo espaço está marcada para quinta-feira (20). Após o ocorrido, a Nasa avalia possíveis problemas que as futuras missões enfrentarão devido à perda das ferramentas.

Fontes: Jornal Hoje (TV Globo) / Agências Internacionais

GE fornecerá componentes para novo avião A350 XWB da Airbus

O grupo americano General Electric (GE) anunciou nesta terça-feira um acordo com o fabricante europeu de aviões Airbus (grupo EADS) para fornecer componentes para as asas de sua futura nave de longo alcance A350 XWB.

Segundo o contrato, a GE fornecerá materiais compostos e metálicos utilizados na estrutura da parte traseira da asas do A350 XWB.

Os componentes serão concebidos e produzidos na locação britânica de Hamble e na chinesa, de Suzhou, informou a GE.

O A350, que pode transportar, segundo os modelos, entre 270 e 350 passageiros, deve entrar em serviço em 2013.

Fonte: France Presse

Queda de helicóptero no norte do México deixa 2 mortos

A queda de um helicóptero da Procuradoria Geral da República (PGR) mexicana em uma estrada do estado de Chihuahua, norte do México e perto da fronteira com os Estados Unidos, deixou dois mortos, nesta terça-feira (18).

A PGR informou que a aeronave "sofreu um lamentável acidente" ao se enroscar em cabos durante as manobras de pouso no quilômetro 38 da estrada que liga a localidade de Chihuahua e Ciudad Juárez, próximo a El Paso (EUA), na paragem conhecida como Caseta de Sacramento.

A Procuradoria explicou que na queda morreram o piloto Hugo Federico Martínez e o agente federal Miguel Ulises Ventura, por isso teve início uma investigação para esclarecer os fatos.

Fontes: EFE / El Paso Times

Ataque com mísseis dos EUA mata cinco no Paquistão

Nos últimos três meses, as tropas dos EUA perpetraram cerca de 20 ações similares

Pelo menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira (19) em um ataque com mísseis perpetrado por aviões americanos no noroeste paquistanês, informou à Agência Efe uma fonte militar do governo do país.

Vários mísseis lançados por aviões não tripulados atingiram uma casa da localidade de Ghandi Khan Khel, na demarcação de Bannu, pertencente à conflituosa Província da Fronteira Noroeste (NWFP), próxima de área tribal ligada a radicais islâmicos ligados ao Taleban e à Al-Qaeda.

Nos últimos três meses, as tropas dos EUA perpetraram cerca de 20 ataques similares, mas sempre na área de fronteira com o Afeganistão. "Desta vez (os EUA) chegaram muito longe", comentou à Efe uma

fonte de inteligência , que acrescentou que os aviões não tripulados utilizados pelos americanos podem voar até 24 horas seguidas sem a necessidade de uma parada técnica.

As autoridades paquistanesas condenaram em público estas ações em repetidas ocasiões, mas uma fonte militar local confessou à Efe recentemente que Estados Unidos e Paquistão compartilham informação de inteligência para perpetrar estes ataques.

Fonte: EFE

China trabalha na construção de seu primeiro porta-aviões militar

A China trabalha na montagem de seu primeiro porta-aviões de guerra, que poderia ser utilizado no Mar da China Meridional para proteger as rotas de seus petroleiros e seus territórios na região, segundo uma fonte militar citada hoje pela imprensa local.

O porta-aviões e seus navios de apoio devem ser construídos em Xangai (leste) e em outros dois importantes estaleiros do norte do país, disse ao diário independente "South China Morning Post" um especialista militar chinês estabelecido em Xangai.

Este especialista, que pediu para não ser identificado, disse que visitou um desses estaleiros no começo do ano, e explicou que durante essa visita viu o casco de um navio de guerra em construção.

Pessoas que trabalhavam no local lhe disseram que o casco pertencia a um navio que faria parte do futuro grupo de combate de porta-aviões do gigante asiático.

"Não sei se o casco que vi é o corpo principal do porta-aviões ou o casco de um dos navios de apoio", afirmou o especialista.

"Posso dizer que o novo porta-aviões será convencional e pequeno (comparado com os porta-aviões nucleares americanos) e não poderá abrigar mais de 60 aviões", indicou.

O especialista afirmou ainda que o porta-aviões chinês deve ficar pronto em quatro anos ou mais, e que "fornecerá a cobertura aérea que a China necessita para a frota, especialmente em razão de disputas territoriais com outros países no Mar da China Meridional".

A fonte disse também que a comunidade internacional não deveria se surpreender com a construção do porta-aviões, já que "não é surpresa para ninguém que a China queira construí-lo, até mesmo porque a Índia já tem quatro dessas embarcações".

Fonte: EFE

Queda de helicóptero da ONU no Haiti deixa 2 mortos

A queda de um helicóptero Ranger que vinha de Miami, Estados Unidos, em Saint Marc, no norte do Haiti, deixou dois mortos, informou à Agência Efe fontes policiais.

O acidente ocorreu por volta das 9h (12h de Brasília), desta terça-feira (18) quando a aeronave, que transportava medicamentos, caiu em uma área desabitada e de difícil acesso, disseram autoridades locais que foram ao lugar a um correspondente de uma emissora pública haitiana.

Apesar de as primeiras informações afirmarem que o helicóptero pertencia à Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), o inspetor-geral da Polícia haitiana, Fritz Jean, disse à Efe que se tratava de um aparelho particular procedente de Miami, que voava com destino desconhecido.

Entre os destroços da aeronave foi encontrado um documento que confirma que duas pessoas viajavam no aparelho, explicou à Efe uma fonte da Secretaria de Segurança Pública por telefone do local.

O helicóptero, de pequeno porte, caiu após ser ouvido um barulho, indicou a emissora pública local, que citou depoimentos coletados na zona, segundo os quais a aeronave teria sofrido uma explosão antes de cair nas proximidades da localidade de Lubin.

O correspondente da emissora indicou que várias partes dos corpos dos ocupantes e restos do aparelho foram vistos em uma área de lodo onde caiu o helicóptero, o que foi corroborado por autoridades locais.

A fonte da Secretaria de Segurança Pública destacou que no lugar se reuniu um grande número de pessoas, e mostrou preocupação com a tensão que estava sendo gerada, pelo que fez um apelo à Polícia para que reforce a proteção e pediu à imprensa para divulgar a emergência.

Segundo a fonte, será preciso encontrar a caixa-preta do aparelho para estabelecer as circunstâncias do acidente. Além disso, espera-se a chegada ao lugar de técnicos do Escritório Nacional de Aviação Civil (OFNAC) para fazer as investigações necessárias.

Uma delegação da Minustah acompanhada por membros do Governo chegou por volta de 12h (hora local) à região a bordo de um helicóptero.

Fonte: EFE

Novo jumbo da Boeing sofre atraso

Encomendas da maior aeronave da Boeing, o 747-8, podem ser adiadas em quase um ano

Segundo a agência de notícias Reuters, a Boeing vai atrasar em alguns meses as entregas da nova versão do seu jumbo 747. A companhia alega que os motivos do atraso são limitações de recursos de engenharia e também a recente greve de operários, que durou 58 dias.

A Japan Airlines Cargo e a Cargolux Airlines, de Luxemburgo, que receberiam o novo 747-8 nos últimos meses de 2009, tiveram as entregas adiadas para o segundo trimestre de 2010. As encomendas das aeronaves foram feitas em 2005.

A Lufthansa, que encomendou a versão para passageiros do 747-8, chamada de Intercontinental, com capacidade para 467 passageiros, também vai sofrer com o atraso e receberá a aeronave, prevista para o final de 2010, somente no segundo trimestre de 2011.

Fonte: Fernando Fischer (Avião Revue) - Imagem: Divulgação

Bagagem extraviada: longa espera, na esteira e na Justiça

Quem tem parte de seus pertences furtados antes de a mala chegar à esteira pode se preparar para uma longa espera por solução. A primeira reclamação deve ser feita diretamente à companhia aérea e todas elas são unânimes ao dizer que o passageiro deve conferir sua bagagem antes de sair da sala de desembarque. É possível até imaginar a cena: centenas de passageiros, recém-chegados de 10 horas de vôo, abrindo malas no salão de desembarque para conferir o conteúdo. Absurdo, não? Mas é exatamente isso que o que recomendam TAM e Gol. (Confira as orientações do Guia do Passageiro da Anac sobre extravio e danos de bagagem)

"É recomendado que sempre o cliente verifique a bagagem no momento do recebimento, ainda na sala de desembarque. Dessa forma a Companhia consegue ajudar o passageiro e oferecer toda a assistência necessária", informa a Gol, em resposta encaminhada ao site do GLOBO, sobre os procedimentos em casos de furto de objetos de dentro das bagagens.

A mesma política é adotada pela TAM, que afirma ainda não aceitar reclamações posteriores.

De acordo com as empresas, pelo contrato firmado com a Anac, o recebimento da bagagem, sem protesto, faz presumir o seu bom estado, segundo o artigo 33 do documento. Um parágrafo único dessa cláusula ainda afirma que "o protesto, nos casos de avaria ou atraso, deve ser feito em documento específico ou por qualquer comunicação escrita encaminhada ao transportador".

Ou seja, o passageiro não deve se iludir de que conseguirá resolver o problema por meio do telefone de atendimento ao cliente. Nenhuma empresa aceita reclamação sem ser por escrito.

Se a mala extraviar, o passageiro também deve ser cauteloso no recebimento da bagagem. Normalmente, ela é enviada para a casa do passageiro, mas deixar que o porteiro ou outra pessoa a receba não é uma boa idéia. Novamente porque qualquer problema tem que ser relatado imediatamente, na presença do representante da empresa.

A primeira providência é não levar nada de alto valor na mala a ser despachada. Pela Convenção de Montreal, de 2006, a indenização máxima é de US$ 1.200. O Brasil e outros 85 países são signatários dela, mas 94 países ainda utilizam a Convenção de Varsóvia, de 1929, que estipula o valor da indenização em apenas US$ 20 por quilo de bagagem extraviada.

Argentina e Chile - dois destinos muito procurados pelos brasileiros - estão na lista da Convenção de Varsóvia. Estados Unidos, Canadá, México, China, Japão, União Européia e Noruega ratificaram o acordo de Montreal.

Para receber acima do valor estipulado nas convenções, só resta recorrer à Justiça. E isso pode levar anos. Em relato ao Eu-repórter, a leitora Maria de Lourdes dos Santos Fraga contou que desde 2005 tenta obter ressarcimento pelo conteúdo de uma mala extraviada em 2005, quando retornava de Funchal (Ilha da Madeira-Portugal) num vôo da Varig. A mala dela não chegou ao Aeroporto Tom Jobim, no Rio, e ela esperou os 30 dias solicitados pela Varig para localizar a mala, que não apareceu. O valor proposto pela empresa para ressarcir o prejuízo, diz ela, foi pouco menos de R$ 600, equivalentes a 21 quilos.

O reembolso proposto pela empresa, na época, era de quase R$ 600, equivalentes aos 21 quilos da bagagem.

"Não aceitei e, em fevereiro de 2006, morando em Salvador, entrei no Procon e no Juizado de Pequenas Causas. Já tive duas audiências, mas não houve acordo".

Segundo Maria de Lourdes, as passagens de ida e volta foram compradas na Varig, que fazia o vôo até Lisboa. O restante do percurso era feito pela TAP.

"Por orientação da própria Varig aguardei o prazo de 30 dias e ela reconheceu que a mala foi extraviada, agora, na Justiça, não quer assumir o extravio tentando culpar a TAP pelo desaparecimento", diz ela.

A audiência final deveria ter ocorrido em janeiro de 2008, mas o local agendado para o encontro entrou em obras e ele foi cancelado.

"Já estamos em novembro de 2008 e até hoje estou no aguardo da nova data para audiência", diz ela, que passou três meses em Portugal e ficou sem qualquer lembrança da viagem, pois todas as fotos e os suvenires estavam na mala desaparecida.

"Consulto quase todos os dias o site na justiça de Salvador na expectativa de marcarem a nova data de audiência. Tenho a esperança de ganhar esta causa.", diz ela.

Problemas também em vôos domésticos

Passageiros de vôos nacionais também enfrentam problemas. O leitor Paulo Soares, por meio do Eu-repórter, afirmou que teve uma mala extraviada num vôo entre Rio e São Luís (MA) . No aeroporto de São Luís, como a mala não chegou, foi orientado que poderia gastar até R$ 100 em roupas e que o valor seria reembolsado pela empresa.

"Encaminhei tudo o que me foi pedido para providenciarem o reembolso, com base no valor das notas fiscais, mas nunca recebi esse pagamento. E lá se vai mais de um ano", diz ele.

Fonte: Fabiana Parajara e Wagner Gomes (O Globo)

Finep vai investir 31,5 milhões de reais no programa Cbers

Imagens de Satélite e Sensoriamento Remoto

A diretoria da Finep, reunida na semana passada na sede da agência no Rio, aprovou 11 novos projetos que vão receber recursos não-reembolsáveis.

O maior aporte, no valor de cerca de 31,5 milhões de reais, será destinado à Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologias Espaciais, vinculada ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), para o desenvolvimento do Programa Cbers.

O programa de satélite sino-brasileiro é fruto de um acordo fechado entre os dois países há vinte anos para projetar, desenvolver, lançar e operar satélites em conjunto. A missão de desenvolver e construir satélites no Brasil cabe ao Inpe, órgão do MCT.

O Cbers fez do Brasil o maior distribuidor de imagens de satélite do mundo. Além dos usuários brasileiros, as imagens do satélite são fornecidas gratuitamente para países da América do Sul e África.

Fonte: MundoGeo

Região centro-oeste de MG vai contar com aeroporto 24 horas

No mapa, a localização do município de Oliveira, em Minas Gerais

Dentro dos próximos 80 dias, o aeroporto de Oliveira, no centro-oeste de Minas Gerais, será liberado para balizamento noturno, portanto, em condições de operar as 24 horas do dia. As obras estão sendo feitas com recursos do Proaero (Programa Aeroportuário de Minas Gerais) e os investimentos para reforma e melhorias na pista, balizamento noturno e a construção do terminal de passageiros chegam a R$ 2,2 milhões.

O secretário-adjunto de Transportes e Obras Públicas do Estado, João Fleury, afirmou que, com a conclusão das obras, haverá repercussão positiva na economia da região, possibilitando o desenvolvimento do comércio e das indústrias. “A melhoria dos aeroportos regionais reflete na área econômica e no transporte de passageiros. Além disso, o aeroporto em operação 24 horas facilita o contato com os grandes centros urbanos e escoamento da produção”, comentou.

Localizado na microrregião do Alto do Rio Grande, o aeroporto Engenheiro Pinheiro Campos foi o primeiro aeroporto do Centro-Oeste a receber obras de melhorias. Ele deverá atender à população de 22 municípios da região. A pista tem 1.180 metros de extensão e 20 metros de largura e com as obras será possível a operação, por instrumentos, de aeronaves de pequeno e médio porte da aviação comercial em geral. A administração e a operação do aeroporto de Oliveira será feita pela prefeitura municipal, através de um convênio a ser firmado com o Governo de Minas e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Também estão previstas obras em outros terminais aeroportuários da região. Segundo o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Fuad Noman, estão sendo feitos projeto de engenharia para obras nos aeroportos de Nova Serrana, Campo Belo, Bambuí, Formiga, Lagoa da Prata e Martinho Campos. Estão abertas licitações para obras de reforma e melhoramento dos aeroportos de Piumhi e Divinópolis e a construção do aeroporto no município de Cláudio.

Proaero

O Proaero visa construir no Estado uma rede de aeroportos de pequeno e médio porte, com o objetivo de impulsionar a aviação regional e sub-regional, melhorando as condições de transporte de carga e passageiros. Atualmente, Minas Gerais possui uma rede de 151 aeroportos públicos, classificados pelo tipo de pista, sendo 45 pavimentadas e com operação visual diurna, 25 pavimentadas e com operação visual noturna e 81 não pavimentadas.

Além disso, outro objetivo é a redução da distância média da sede de um município, por meio de rodovia pavimentada, a um aeroporto. A meta do Proaero, até 2011, com a conclusão das obras previstas no programa, será de ter 92% dos municípios mineiros localizados a uma distância média de 80 quilômetros de um aeroporto público com funcionamento diurno e noturno. Em 2006, havia 151 aeroportos públicos mineiros e, em 2011, serão 163 aeroportos públicos em operação.

Segundo o gerente executivo do Proaero, Júlio César Diniz, Minas passa por um processo de crescimento e os aeroportos facilitam e ampliam o acesso ao turismo, educação, saúde, agronegócio. “Com os investimentos, melhoramos os aspectos econômicos do Estado aproximando as regiões, além de acompanhar o crescimento da aviação regional, interligando tanto o Estado quanto seu entorno”, finalizou.

Fonte : Jornal de Turismo - Mapa: wikimedia.org

Novo dispositivo da Nasa recicla urina para astronautas

Foto: Dispositivo recicla todo tipo de líquido, inclusive urina

A Nasa levou em sua missão com a Endeavour, que partiu no sábado, um novo dispositivo para a Estação Espacial Internacional (EEI) que recicla líquidos, incluindo urina.

O novo sistema, que vai ajudar a preparar a estação para uma tripulação maior de seis pessoas, destila, filtra, ioniza e oxida líquidos, o que vai "fazer com que o café de ontem seja o café de hoje", segundo um astronauta.

O novo sistema de reciclagem de líquidos custou US$ 250 milhões à Nasa. Mas o objetivo principal da agência americana não é ambiental.

Com os ônibus espaciais se aposentando dentro de dois anos, a Nasa precisará de outra forma de garantir que a tripulação na Estação Espacial tenha fornecimento de água potável.

"Quando os ônibus espaciais se aposentarem, nosso belo sistema de entrega de água será encerrado", disse Sandra Magnus, astronauta da Endeavour, que vai ficar na estação durante quatro meses.

"E também teremos seis pessoas na estação, então nossas exigências (em termos) de água vão aumentar", acrescentou.

Gravidade zero

A Nasa não tem planos de usar o novo sistema imediatamente, os engenheiros querem analisar amostras para ter certeza de que a reciclagem de líquidos funciona de forma adequada em gravidade zero.

O sistema passou por vários testes na Terra. Os líquidos reciclados foram provados sem que os voluntários soubessem o que eram antes - um dos testes comparava a urina reciclada à água de torneira reciclada.

"Algumas pessoas podem achar que é muito nojento, mas, se for feito da forma correta, você processa água que é mais pura do que a que bebe na Terra", disse a astronauta Heidemarie Stefanyshyn-Piper, que viajou na Endeavour.

O comentário mais freqüente foi a respeito de um leve gosto de iodo na água, segundo Bob Bagdigian, que supervisionou o desenvolvimento do sistema de reciclagem de líquidos para a Nasa.

O iodo é acrescentado no estágio final do processo para controlar a proliferação de micróbios.

"Fora isso, (a água) é tão refrescante como qualquer outra", afirmou Bagdigian. "Tenho um pouco em minha geladeira. Acho que tem um gosto bom."

Maio

Os planos da Nasa de dobrar a tripulação da Estação Espacial Internacional de três para seis pessoas devem ser colocados em prática em maio de 2009.

O ônibus espacial Endeavour também levou para a estação compartimentos para dormir, mais equipamentos de ginástica, uma cozinha compacta e, mais importante, um segundo banheiro.

"Com seis pessoas, você realmente precisa de uma casa de dois banheiros", afirmou Magnus. "É bem mais conveniente e mais eficiente."

Os astronautas também planejam trabalhar no sistema de energia solar da estação. Quatro caminhadas espaciais estão previstas para iniciar os concertos necessários para virar os painéis solares em direção ao Sol.

A viagem é a quarta e última missão do ano. No total, a Nasa planeja outras dez viagens antes que a frota de ônibus espaciais seja aposentada em 2010.

Fonte: BBC Brasil

Helicóptero voa baixo e derruba placas, que ferem criança no Distrito Federal

Segundo a Aeronáutica, piloto teria dito que gravava um comercial.

Três carros foram danificados no acidente na cidade-satélite de Ceilândia.



Um helicóptero que voava baixo arrancou placas de ferro de duas lojas em Ceilândia, cidade próxima a Brasília, nesta segunda-feira (17). As placas caíram sobre um garoto, que torceu a perna, e em três carros, que foram danificados.

Imagens feitas com um celular mostram que o helicóptero voava baixo e o momento em que as placas se soltaram. Segundo testemunhas, o vento provocado pela aeronave era muito forte.

O helicóptero supostamente pertence a uma empresa do Grupo Amaral. Segundo a aeronáutica, o piloto teria dito que estava voando baixo para a gravação de um comercial.

De acordo com Luiz Cláudio Magalhães, tenente-coronel da aeronáutica, “se ele estava voando mais baixo do que o autorizado ele vai ser responsabilizado“.

O Grupo Amaral confirmou que tinha um helicóptero naquela região para gravar um comercial, mas disse que teria sido outra aeronave que causou o acidente.

Fontes: G1 / DFTV (TV Globo)

Azul define suas primeiras rotas de vôo

A companhia aérea Azul escolheu o aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), como base inicial de suas operações. A empresa pretende realizar vôos diretos do aeroporto para Porto Alegre, Salvador, Curitiba e Vitória.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) ficou de avaliar na terça-feira (18), em reunião de diretoria, o contrato de concessão da Azul. A empresa já solicitou cinco freqüências diárias para as rotas Campinas-Porto Alegre e Campinas-Salvador. A companhia precisa da aprovação dos horários de trânsito (hotrans) para começar a vender passagens, o que deve ocorrer na primeira semana de dezembro.

A empresa nasce em 15 de dezembro com cinco jatos Embraer, sendo dois do modelo 190 e três do 195. Quando receber um terceiro 190, previsto para o início de janeiro, a empresa deve iniciar os vôos Campinas-Curitiba e Campinas-Vitória, com quatro freqüências diárias cada.

A Azul fez uma encomenda de 40 jatos 195, com outras 36 opções. Os 190 que estão sendo incorporados eram da JetBlue, empresa que tem em comum com a Azul o fundador David Neeleman, empresário americano nascido no Brasil, que está reduzindo sua malha diante das dificuldades do setor nos EUA. A expectativa da Azul é de finalizar 2009 com 16 aviões. A empresa espera receber 42 aeronaves até o final de 2012.

A Azul nasce antes e com mais musculatura do que o previsto no plano de negócios original. Mesmo assim, a oferta ainda é muito pequena diante do tamanho das líderes Gol e TAM, que operam com aviões de 160 a 180 lugares, enquanto os da Azul terão até 118. Com seis aviões voando uma média de 9 horas e 15 minutos por dia, a Azul terá uma oferta de assentos por quilômetro de 106 milhões mensais, equivalente a 55% da oferta de outubro da WebJet, segundo cálculos do consultor Paulo Bittencourt Sampaio.

A WebJet, que detém 3,27% do mercado, opera 9 Boeings 737-300 e deve chegar a 11 até dezembro. Já a TAM vai encerrar o ano com 101 Airbus no mercado doméstico (de uma frota total de 125 jatos), e receberá outros três jatos em 2009 só para vôos domésticos. A Gol pretende ampliar sua frota de 104 Boeings 737, modelos 300, 700 e 800, para 108 aeronaves (700 e 800). Os aviões são usados no mercado doméstico e na América do Sul.

"Nessa fase inicial, pelo porte e pela malha, a Azul não concorre diretamente com TAM e Gol, pois está criando rotas alternativas", afirma Sampaio.

Fonte: Último Segundo (IG)

Alitalia dá primeiro sinal verde a oferta de compra

A Comissão de Vigilância encarregada de avaliar a oferta apresentada pelo consórcio de empresários para comprar a empresa aérea italiana Alitalia aceitou a proposta, segundo anunciou ontem (19) o comissário extraordinário da companhia aérea Augusto Fantozzi.

Ele ressaltou que, após o sinal verde da Comissão, o negócio terá que ser autorizado pelo ministro de Desenvolvimento Econômico italiano, Claudio Scajola.

O jornal econômico "Il Sole 24 Ore" publicou hoje que o consórcio Companhia Aérea Italiana (CAI) poderia ter aumentado em 400 milhões de euros sua oferta inicial pela Alitalia, chegando a 1 bilhão de euros.

A oferta inicial da CAI previa pagar pela parte rentável da Alitalia -ativos e rotas- 275 milhões de euros, enquanto outros 625 milhões seriam utilizados para aliviar a dívida da companhia aérea, que em 31 de agosto chegava a 1,219 bilhões de euros.

A este valor se somariam posteriormente 57 milhões de euros pela sociedade Alitalia Serviços; 7 milhões pela Alitalia Airport; 19 milhões por Alitalia Express; e 17 milhões pela companhia aérea a baixo custo Volare.

A oferta contemplava, além disso, um primeiro adiantamento de 100 milhões de euros. no momento em que se feche a operação, o que a CAI prevê para 30 de novembro.

O plano da CAI se baseia na fusão com a outra companhia aérea nacional, Air One, para criar uma nova companhia aérea que terá 12.500 trabalhadores (1.550 pilotos, 3.300 assistentes de vôos e 7.650 entre técnicos, empregados e executivos).

Para isso, se prevê o corte de 3.250 empregos e a não-renovação dos cerca de 2.000 contratos temporários.

Por outra parte, fontes aeroportuárias confirmaram hoje o cancelamento, como já tinha anunciado Fantozzi, de 100 vôos diários da Alitalia, principalmente do aeroporto romano de Fiumicino, até 1º de dezembro, quando a companhia aérea passará às mãos da CAI.

Fonte: EFE

Polícia indicia funcionários da American Airlines por injúria a sambista

Sambista e a mulher dizem que foram xingados por comissários de bordo.

Polícia diz que já identificou os dois tripulantes suspeitos no caso.




A Polícia Federal abriu inquérito nesta terça-feira (18) para investigar o suposto ato de racismo sofrido pelo cantor e compositor Dudu Nobre e por sua mulher Adriana Bombom no vôo 951, da American Airlines, vindo de Nova York. Segundo os investigadores, os dois tripulantes suspeitos de terem xingado o músico e sua esposa já foram identificados e indiciados.

De acordo com a polícia, uma aeromoça foi indiciada por injúria, e um comissário de bordo vai responder por injúria preconceituosa e lesão corporal.

Na noite de segunda-feira (17), Dudu Nobre e Adriana Bombom registraram queixa contra um comissário de bordo que os teria xingado, chamando-o de macaco e sua mulher de estúpida.

“O comissário veio vindo, já armando pra cima de mim e gritando: ‘vem macaco, vem macaco, vem brigar comigo’”, contou o sambista.

Em nota oficial, divulgada no fim da tarde desta terça-feira (18), o diretor comercial da empresa no Brasil, Dilson Verçosa Júnior, diz que "nenhuma reclamação oficial foi feita diretamente à companhia, a American só ficou sabendo deste incidente pelos jornais na manhã de 18 de novembro, e já está realizando uma investigação interna para saber o que realmente aconteceu".

Segundo a PF, ninguém da tripulação ainda foi ouvido. A empresa aérea disse que está realizando uma investigação interna para saber o que houve durante a viagem.

Desembarque na PF

Na viagem de volta dos Estados Unidos, o sambista Dudu Nobre e sua mulher, Adriana Bombom, aterrissaram na delegacia da Polícia Federal, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro. O casal fez queixa de agressão e racismo contra tripulantes do vôo.

Segundo Adriana, um comissário teria chamado seu marido de macaco no desembarque; e ainda, numa discussão, o tripulante teria cravado uma caneta no ombro de Júnior, produtor de Dudu Nobre.

Problemas durante todo o vôo

Rainha de bateria da Portela, Adriana contou que desde o início do vôo, que partiu de Nova York, ela teria sido alvo do preconceito da tripulação. A comissária da primeira classe teria debochado que teve dificuldades para abrir a porta do banheiro do avião.

“Desde o início eles estavam de implicância. Durante todo o vôo, essa mulher me perturbou. Mas não quis fazer alarde para não criar confusão. Fui levando. Quando o avião pousou em São Paulo, demoramos um pouco a descer, porque eu estava calçando o sapato das crianças. Aí, a mulher me chamou de estúpida, em inglês. Dudu ouviu e resolveu comprar minha briga”, contou a passista.

Segundo Adriana, houve discussão e um comissário, que ela identificou como sendo um chileno chamado Carlos, começou a imitar macaco e a xingar Dudu Nobre.

“Houve briga, mas o Dudu evitou bater no cara para não perder a razão. Eles ficaram discutindo e aí surgiu o piloto e co-piloto. Nessa confusão toda, o tal comissário pegou uma caneta e enfiou no braço do Júnior. Ele queria acertar o pescoço do Júnior, mas não conseguiu”, disse Adriana, contando que, para não perder o vôo de conexão para o Rio, decidiram registrar o caso no aeroporto Tom Jobim.

Comissário teria agredido produtor

Júnior, que teve a camisa rasgada e o ombro machucado, foi encaminhado para fazer exame de corpo de delito. Adriana disse que, segundo ouviu de brasileiros que trabalham na American Airline, o comissário envolvido no caso já teria sido demitido depois de reclamações de passageiros.

“Não dá para dizer que não vou mais viajar pela American. A companhia não tem culpa. Mas deveria dar uma formação melhor para os funcionários, principalmente para quem tem de lidar com o público. Nunca passei por isso na minha vida. Fiquei muito triste. A gente sai do país da gente, gasta no país deles e ainda é esculachado desse jeito. Isso é um absurdo”, reclamou Bombom.

O casal passou duas semanas nos Estados Unidos. Dudu Nobre fez apresentações em Miami e Nova York, enquanto Bombom passeou com as filhas na Disney.

Fontes: G1 / Jornal da Globo

Governo de SP estuda concessão de aeroportos regionais, diz Serra

'O Estado não tem vocação para criar uma Infraero paulista', afirmou.

O governador defendeu a privatização do aeroporto de Viracopos.


O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), informou que o governo está estudando a possibilidade de licitar alguns aeroportos regionais no interior do Estado. "Há uma idéia sim em São Paulo de fazer concessões de alguns aeroportos no interior para a área privada poder inclusive fazer obras necessárias", revelou Serra, sem citar números, após cerimônia de inauguração do Posto Avançado de Conciliação Extraprocessual do Trabalhador (Pacet).

O governador avaliou que o Estado possui uma ampla rede de aeroportos pouco explorados. "E o Estado não tem vocação para criar uma Infraero paulista", pontuou. Segundo ele, a idéia é fazer "concessões bem feitas", que impliquem investimentos por parte das empresas que receberem as concessões. "Às vezes, esticar uma pista, construir hangares, terminais de carga", citou.

Serra afirmou que a idéia ainda está sendo estudada pelo governo, mas demonstrou sua disposição de concluir rapidamente o processo. "Eu espero proximamente poder anunciar", disse.

Viracopos

O governador aproveitou a ocasião para fazer uma defesa da privatização do aeroporto de Viracopos (Campinas), que está sendo avaliada pelo governo federal. "Viracopos pode ser 30 vezes maior do que hoje em volume de passageiros", afirmou.

Ele disse que "estimularia" também o governo federal com relação à concessão do terceiro terminal do aeroporto de Cumbica (Guarulhos). Em uma cobrança ao governo federal, Serra disse que a licitação "fica se arrastando, os meses, os anos vão passando e não acontece nada".

Pacet

Serra inaugurou nesta terça-feira (18) o Pacet, em companhia do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e dos secretários do Trabalho estadual, Guilherme Afif Domingos, e municipal, Nelson Costa. A iniciativa pretende ajudar trabalhadores endividados que têm restrições cadastrais junto ao Sistema Central de Proteção ao Crédito (SCPC) a resolverem suas pendências de crédito e limparem seus nomes.

No local, serão realizadas audiências de conciliação com os credores, de forma a evitar que as dívidas transformem-se em processos judiciais e sobrecarreguem o Judiciário, explicou Serra. "Para escapar do calvário das dívidas, o trabalhador só podia recorrer à Santa Edwiges", disse Serra, em referência à santa protetora dos pobres e endividados.

Segundo o governador, a iniciativa é ainda mais importante neste momento de crise financeira. Segundo o secretário estadual do Trabalho, Guilherme Afif Domingos, a inadimplência "começa a preocupar agora". Ele disse ver sinais de aumento da inadimplência, em meio à restrição ao crédito.

Fonte: Agência Estado

Avião colide com pássaro e aterrissa de emergência na Suécia

Um avião com 63 pessoas a bordo perdeu pressão do ar após um objeto atingir seu pára-brisas e foi forçado a fazer uma aterrissagem de emergência no Aeroporto Landvetter da Suécia, na terça-feira (18).

Birgitta Eckermark, porta-voz da aviação civil, disse que o jato Avro RJ 100 aterrissou no aeroporto com segurança, em Goteborg, no sul da Suécia. Ela diz que nenhum dos 59 passageiros e quatro tripulantes ficou ferido no incidente.

O vôo da Brussels Airlines estava à caminho de Bruxelas, na Bélgica a partir do Aeroporto Bromma, em Estocolmo. Eckermark afirmou que o piloto disse ter visto um objeto colidir contra a janela e decidiu dar meia volta e fazer uma aterrissagem de emergência depois da pressão da cabine começar a cair.

Fonte: Associated Press

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Avião com cinco turistas aterrissa de emergência próximo as Linhas de Nazca, no Peru

O Cessna aterrissando no aeródromo de Nazca, no Peru

Falhas mecânicas obrigaram a aeronave, contratada para sobrevoar as Linhas de Nazca, a aterrissar na altura do quilômetro 442 da Rodovia Panamericana Sur

Dois turistas espanhóis, dois suiços e um brasileiro passaram por um susto na segunda-feira quando o pequeno avião em que voavam ao longo do Nazca teve que fazer uma aterrissagem de emergência no meio da Panamericana Sur.

De acordo com Jose Rosales, um correspondente do El Comercio na Ica, o incidente ocorreu pouco antes do meio-dia.

O avião Cessna 206, propriedade da empresa Nazca Airlines (Aero Palpa) com prefixo OB-1117, era pilotado por Andy Chavarry, que junto com os turistas, saiu ileso do incidente.

Funcionários da Direcção Geral da Aviação Civil que chegaram na região, relataram que o avião tinha problemas mecânicos durante o vôo e, por isso, teve de que aterrissar de emergência.

Tanto os turistas, quanto o piloto do avião, foram posteriormente transferidos para Nasca em um ônibus da empresa acima mencionada.

Fonte: El Comercio (Peru) - Foto: Aeromedia

Dólar alto faz Gol ter prejuízo de R$ 399,7 milhões no trimestre

Despesas com juros na companhia aérea aumentaram R$ 63,2 milhões em relação ao terceiro trimestre de 2007

A Gol teve um resultado financeiro negativo em R$ 399,795 milhões no terceiro trimestre de 2008, contra uma receita financeira líquida de R$ 31,591 milhões no mesmo intervalo do ano passado. Segundo a empresa, a reversão foi motivada, principalmente, pelo aumento de despesas com juros e variações monetárias e cambiais.

Em seu demonstrativo do resultado financeiro referente ao período de julho a setembro, a Gol explicou que as despesas com juros aumentaram R$ 63,2 milhões em relação ao terceiro trimestre de 2007, devido, sobretudo, ao aumento de empréstimos e financiamentos. A receita financeira diminuiu R$ 57,6 milhões na mesma base de comparação, devido a um menor volume de caixa e aplicações financeiras.

A perda com variação cambial foi de R$ 261,8 milhões, sem efeito caixa, e deve-se aos passivos líquidos da companhia denominados em moeda estrangeira. O impacto líquido dos ganhos de hedge cambial e das perdas em hedge de combustível no trimestre foi negativo em R$ 48 milhões.

A empresa informou ainda que em 30 de setembro de 2008 possuía hedges de, aproximadamente, 3% do consumo de combustível do quarto trimestre. "A companhia não possuía hedges contratados para o consumo do primeiro trimestre de 2009 em diante", disse a Gol.

A companhia aérea ressaltou ainda que ao final de setembro tinha contratados derivativos de câmbio suficientes para proteger 46%, 25% e 12% de suas obrigações de caixa do quatro trimestre de 2009 e primeiro e segundo trimestres de 2009, respectivamente.

"A política de gestão de riscos da companhia proíbe explicitamente a realização de apostas direcionais e transações especulativas com derivativos, e requer diversificação de transações e de contrapartes", enfatizou a empresa.

Ao final do terceiro trimestre de 2008, a Gol registrava uma liquidez total de cerca de R$ 2,4 bilhões, composta por caixa e disponibilidades em R$ 723,8 milhões, contas a receber de R$ 379,2 milhões, R$ 621,8 milhões em depósitos com empresas de arrendamento e R$ 668,3 milhões depositados com a Boeing como adiantamento para aquisição de aeronaves.

Fonte: Agência Estado

Boeing termina teste destrutivo na caixa da asa do 787 Dreamliner

A Boeing completou no último dia 15 o teste destrutivo da caixa de material composto da asa do 787 Dreamliner, a primeira construída para um avião comercial da Boeing. Esse teste é parte do processo de certificação de todos os novos aviões.

“A conclusão bem sucedida do teste de destruição da caixa da asa marca uma etapa importante trazida pela inovação embarcada no 787”, diz Mark Jenks, vice-presidente de Desenvolvimento do 787. “Além de determinar a força que pode ser empregada nas asas, o teste nos ajuda a testar os métodos analíticos que usamos para calcular a capacidade de carga que poderemos suportar”, conclui.

A caixa da asa é uma estrutura rígida e que suporta, suspensa, presa apenas por uma das extremidades, as asas, conectando-as à fuselagem. Além disso, suporta também a estrutura do trem de pouso, os controles de superfície e as turbinas. Esta etapa do teste representa uma parte da seção da asa, que começa aproximadamente no centro da aeronave e termina, aproximadamente, no meio da extensão da asa – cerca de 50 pés (12,5 metros). Esse pedaço mede em torno de 18 pés (5,5 metros) em seu ponto mais largo.

Os painéis superiores e inferiores das superfícies, bem como os mastros das asas, são inteiramente feitos do mesmo material composto que está sendo usado na fuselagem. Os reforços das asas são de alumínio monolítico, e, cada equipamento, de um único pedaço de placa de alumínio.

Para cumprir as exigências da certificação, as asas devem suportar cargas uma vez e meia, ou 150%, superior às mais elevadas cargas aerodinâmicas que um jato 787 poderia encontrar em toda a sua vida.

A caixa da asa testada pesa 55.000 libras (24.948 quilos), incluindo o conjunto de testes, composto pelo hardware e os instrumentos. Foi projetada e construída pela equipe da Boeing, da Mitsubishi Heavy Industries e pela Fuji Heavy Industries.

O teste estrutural continuará em dois 787 completos, como parte do processo de certificação do avião. Esses testes demonstrarão mais sobre o desempenho da estrutura através de múltiplos ciclos de vida – com cargas operacionais normais - e testarão as estruturas além dos pontos esperados quando a aeronave estiver em serviços.

Fonte: Aviação Brasil

Veterano soviético que abateu avião de McCain continua a odiar o candidato derrotado

Iúri Truchetchkin, tenente-coronel soviético na reserva, reconheceu que foi ele que, em 1967, abateu o avião tripulado por John McCain durante a guerra do Vietname e não esconde que continua a odiar o candidato derrotado ao cargo de presidente norte-americano.

"Felizmente, ele não se tornou presidente. Ele odiava os russos. Ele sabia que o seu avião foi abatido por um míssil russo", declarou o veterano ao diário russo Moskovskii Komsomolets, que o encontrou internado num hospital militar de São Petersburgo.

Não obstante a União Soviética ter sempre negado a presença de militares no Vietname, Truchetchkin, agora com 70 anos, está convencido de que não só não deve esconder nada, mas também não deve ter vergonha de ter participado na guerra contra os Estados Unidos.

O veterano recorda bem o dia em que abateu o avião de McCain. Com outros militares soviéticos, ele devia defender a ponte estratégica Ham Jong do ataque de dois aviões americanos Phantom F-4.

"Um avião deu a volta a uma colina e outro voou por cima da ponte. Nós disparámos contra o segundo", declarou Truchetchkin.

Truchetchkin trouxe para a URSS, como troféu, os documentos do piloto e fotografias que conseguiu fazer ilegalmente, pois os oficiais soviéticos estavam proibidos de fotografar no Vietname. Os documentos perdeu-os, mas conserva fotografias de McCain.

O veterano reconheceu-o quando viu uma reportagem televisiva sobre as eleições presidenciais norte-americanas.

Segundo a biografia oficial de McCain, o seu avião foi abatido a 6 de Outubro de 1967. Passou na prisão cinco anos e meio, tendo sido libertado após a assinatura do acordo de paz entre os Estados Unidos e o Vietname, em 1973.

Fonte: Oje (Portugal)

Força Aérea de Portugal recebe novo avião

A Força Aérea Portuguesa recebe hoje a primeira de 12 aeronaves C-295 compradas a Espanha e que vão substituir os antigos aviocar.

O ministro da Defesa e o chefe de Estado-Maior da Força Aérea deslocam-se pessoalmente a Madrid para receber o primeiro avião de transporte táctico. O negócio de aquisição está avaliado em 275 milhões de euros e está previsto na lei de programação militar.

Até final do ano vão chegar mais duas aeronaves, em 2009 a Força Aérea recebe mais sete e em 2010 os restantes dois aparelhos. O contrato de aquisição vale 275 milhões de euros e inclui todos os equipamentos, produtos e serviços associados.

Este contrato com o consórcio espanhol EADS foi assinado em Fevereiro de 2006 pelo então ministro da Defesa Luís Amado. O negócio inclui a construção da fuselagem da aeronave na OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal em Alverca e já se encontra em plena execução.

Das 12 aeronaves compradas, sete vão estar configuradas para transporte táctico e as restantes para vigilância e patrulha marítima.

Com capacidade para 71 tropas equipados e 9 250 quilos de carga, estes aviões representam um aumento de capacidade face ao seu antecessor, o aviocar C-212.
A aeronave c-295 é operada actualmente por onze Forças Áreas em todo o mundo.

Nesta deslocação, Nuno Severiano Teixeira, vai manter uma reunião bilateral com a ministra da Defesa Espanhola, Carmen Chacón, que também vai estar presente na cerimónia de entrega da aeronave.

Fonte: Rádio Renascença (Portugal)

Passaredo: bom momento no ar

Aviação regional

Passaredo vai investir US$ 75 mi até ano que vem e projeta participação de 0,7% do mercado nacional

A Passaredo Linha Aéreas, de Ribeirão Preto, anunciou ontem, durante a apresentação da nova identidade visual da empresa, investimento de US$ 75 milhões na aviação regional. Até o final do ano que vem, a frota da companhia deve saltar de seis para 11 aeronaves e a capacidade de passageiros anual deve subir de 200 mil para 480 mil usuários. Com a medida, a participação nacional da Passaredo, hoje calculada em 0,2%, deve chegar em 2009 a cerca de 0,7% do mercado.

Um contrato de arrendamento operacional permitirá que dois jatos ERJ 145 (capacidade para 50 passageiros), da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), já comecem a operar a partir de maio. No segundo semestre do ano que vem outros três jatos do mesmo modelo serão adquiridos também pelo sistema de leasing. O comandante José Luiz Felício Filho, presidente da Passaredo, disse não temer a atual crise financeira mundial, pois o projeto de expansão tem sido feito com cautela. “A empresa se preparou desde o início do ano, chegamos a refazer o plano por conta da alta do dólar, inclusive com cenários piores, e o modelo se mostrou viável”, disse..

Este ano, a empresa já havia triplicado a frota inicial, chegando a seis aeronaves bimotor EMB-120, cuja capacidade é de 30 passageiros cada. As aquisições garantiram alta de 110% no número de passageiro da empresa em outubro em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) —o índice teve queda de 3,9% na média nacional.

Para Felício Filho, a explicação para o bom momento é resultado das novas políticas governamentais para desenvolver o transporte aéreo regional. “A Passaredo cresceu mais por atender regionalmente cidades que antes tinham que fazer conexão em São Paulo, e agora tem a opção de fazer vôos diretos”, afirmou.

Ecoturismo é aposta da empresa

O Ecoturismo será a próxima aposta da Passaredo. De acordo com José Luiz Felício Filho, presidente da companhia, a idéia é aproveitar nichos de mercado que ainda não estão superexplorados. “Não poderia colocar uma linha para Porto Seguro, mas a Chapada Diamantina e outros pontos de turismo de aventura são viáveis. Temos equipamento perfeito para o ecoturismo, que tem uma demanda menor de passageiros", disse. O comandante afirmou que a disponibilidade para a Chapada Diamantina já existe a partir de janeiro, mas o vôo vai depender da Bahia Tur, empresa com quem está sendo negociada a rota. Quanto aos demais fretamentos, Felício Filho afirmou que hoje a demanda é mais corporativa que turística. “Fretamentos têm saído mais para grupos específicos: empresas, times de futebol, bandas musicais etc”, afirmou o comandante. (DC)

CRESCIMENTO

19 é o total de vôos diários com saída de Ribeirão pela Passaredo

Fonte: Gazeta de Ribeirão

Com Varig, Gol reduziu 10 vôos diários entre SP e RJ

O presidente da Gol, Constantino de Oliveira Júnior, afirmou hoje que a companhia reduziu 10 vôos por dia na rota entre São Paulo e Rio de Janeiro por conta da integração das malhas da companhia com as da Varig. Em teleconferência para comentar os resultados financeiros do terceiro trimestre, o executivo explicou que agora o grupo mantém vôos a cada meia hora entre as duas cidades.

O executivo ressaltou ainda que a otimização dos vôos permitiu a criação de novas rotas entre cidades previamente não conectadas, como partidas do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para Londrina e para Caxias do Sul (RS). A empresa também aumentou a freqüência de vôos entre destinos considerados de alta demanda como Congonhas/Vitória; Galeão, no Rio, a Brasília; e Confins, em Belo Horizonte, a Curitiba.

A diretora-financeira e de Relações com Investidores da empresa, Anna Cecília Bettencourt, ressaltou que o desempenho da empresa em outubro ainda não reflete a nova malha, mas a expectativa é de uma melhora na taxa de ocupação já a partir de novembro por conta das mudanças realizadas na malha.

A previsão da empresa é de que a integração das malhas da Varig e da Gol deverá contribuir para que a empresa eleve sua taxa de ocupação média no quarto trimestre de 2008 para uma faixa de 63%, ante 60% mantida entre julho e setembro.

O presidente da Gol afirmou ainda que a projeção de crescimento de 6% na demanda doméstica em 2009 leva em consideração o atual cenário econômico e que se houver mudanças estruturais importantes nesse panorama, a companhia poderá fazer uma revisão na estimativa de resultados.

O executivo destacou ainda que a companhia está promovendo uma melhoria dos serviços de bordo, principalmente, dos vôos de maior duração, além de ter ampliado o programa de fidelidade da Varig também para os usuários da Gol, ações que devem
aumentar a atratividade dos serviços oferecidos pela empresa.

Varig

A Gol espera alcançar integralmente as sinergias decorrentes da integração com a Varig no quarto trimestre do ano que vem. A partir de então, o grupo estima ter economias de custos ao redor de R$ 180 milhões por ano graças à integração das malhas de vôos e dos serviços.

Das sinergias previstas pela combinação das atividades de Gol e Varig, a maior parte, ou R$ 105 milhões anuais, virá da integração das malhas de vôos. Outros R$ 55 milhões serão possíveis pela união dos estoques e dos serviços das duas marcas. Além disso, R$ 20 milhões serão economizados na área de tecnologia da informação.

Fonte: Agência Estado

Piloto supostamente sequestrado derruba seu avião

Um homem ficou gravemente ferido na queda de um pequeno avião em uma fazenda na costa oriental de Falcón, a uns dois quilômetros da rodovia nacional Morón-Coro, que liga Los Indios a Caracas, na Venezuela, no último domingo (16).

O acidente aconteceu por volta das 6:30 da manhã (hora local) quando os moradores da região escutaram uma explosão no interior de Guaremal na fazenda onde o avião caiu.

Lisandro Rodríguez, da Proteção Civil do Município de Silva, informou que trabalhadores rurais conseguiram resgatar vivo Jorge Luis Enrique Villabal, 36 anos, de nacionalidade venezuelana, que era o piloto da aeronave.

Villabal relatou aos salva-vidas que "um colombiano o teria sequestrado em Maracaibo e ele estava pilotando a aeronave e assim decidiu aterrissar em qualquer lugar", disse un testigo.

Na aeronave, que ficou calcinada em sua totalidade, não foi possível visualizar o prefixo para sua identificação, mas aparentemente é um Beechcraft.

Do sequestrador de origem colombiana não foi capaz de se saber alguma coisa, como se ele morreu durante a manobra de aterragem, porque o fogo destruiu tudo em seu caminho. As autoridades esperam para realizar a perícia e determinar se havia ou não um segundo passageiro.

Jorge Luis Enrique Villabal, foi tratado pelos médicos do CDI Boca de Aroa e transferidos no período da tarde, em condições delicadas, para o hospital Príncipe de Carabobo Lara, uma vez que tem queimaduras em 70% do seu corpo.

Fonte: El Universal (Venezuela)

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Funcionários da Infraero fazem novo protesto contra a privatização

Cerca de 40 pessoas se reuniram no Aeroporto Tom Jobim.

Eles usaram faixas e cartazes para criticar Cabral.




Cerca de 40 funcionários da Infraero fizeram um protesto, na manhã desta terça-feira (18), no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, subúrbio do Rio.

A manifestação é contra a privatização do aeroporto e a possível demissão de 600 funcionários, o que representa 50% do efetivo que trabalha no Galeão.

Com faixas e cartazes, eles criticaram o governador Sérgio Cabral, que defende o projeto.

Os funcionários acreditam que, com a privatização, alguns serviços como o uso de carrinhos de bagagem e a limpeza do local passem a ser cobrados aos passageiros. No dia 26 de setembro, a Infraero já tinha protestado contra a privatização.

Fontes: G1 / Globonews

Pilotos britânicos ameaçam greve por causa de carteira de identidade

Os pilotos das companhias aéreas britânicas ameaçam entrar em greve em protesto contra a decisão de transformar o pessoal aéreo no primeiro a receber as polêmicas carteiras de identidade que o Governo trabalhista quer introduzir no Reino Unido.

A Associação de Pilotos de Companhias Aéreas Britânicas, que representa 10 mil pilotos e engenheiros de vôo, se nega a transformar seus membros em "porquinhos-da-índia" desse projeto, que desperta uma forte oposição no Reino Unido, informou hoje o jornal "The Independent".

O Ministério do Interior afirma que as carteiras de identidade servirão para melhorar a segurança nos aeroportos britânicos, e facilitarão a concessão de permissões de trabalho a seus titulares.

O Governo publicará nesta sexta-feira uma norma que obrigará o pessoal de vôo que trabalha nos aeroportos de Manchester e London City a aceitar as carteiras de identidade como condição para receber passes de segurança.

A partir de 2010, as autoridades querem introduzir as carteiras de identidade para todos os jovens britânicos.

O secretário-geral da Associação de Pilotos de Companhias Aéreas Britânicas, Jim McAuslan, anunciou que entrará em contato com os membros desse sindicato sobra a possibilidade de entrar em greve caso o Governo insista em levar seu projeto adiante.

"Pode ser que optemos pela greve. Queremos que o Governo analise obrigatoriedade em seu projeto. No começo foi dito que as carteiras de identidade seriam voluntárias, mas parece que quem não a aceitar não obterá permissão para voar", disse McAuslan.

A Associação Britânica de Transporte Aéreo, que representa as principais companhias aéreas do país, qualificou o plano do Governo como uma "duvidosa iniciativa de relações públicas que não apresenta benefícios reais".

Fonte: EFE

Dudu Nobre e Adriana dão queixa de racismo contra comissário de bordo

Sambista foi xingado de macaco, acusa Adriana Bombom.

Companhia diz que está investigando incidente entre tripulação e artistas.

Dudu Nobre e Adriana Bombom dizem que sofreram preconceito em vôo vindo de Nova York

Na viagem de volta dos Estados Unidos, o sambista Dudu Nobre e sua mulher, Adriana Bombom, aterrissaram na delegacia da Polícia Federal, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro.

O casal desembarcou na noite de segunda-feira (17) fazendo queixa de agressão e racismo, sofridos, supostamente, num vôo da American Airlines.

Segundo Adriana, um comissário teria chamado seu marido de macaco no desembarque; e ainda, numa discussão, o tripulante teria cravado uma caneta no ombro de Júnior, produtor de Dudu Nobre.

A assessoria da American Ailines informou que só tomou conhecimento do incidente na manhã desta terça-feira (18). A empresa está averiguando o que ocorreu no vôo 951 entre a tripulação e os passageiros.

Problemas durante todo o vôo

Rainha de bateria da Portela, Adriana contou que desde o início da vôo, que partiu de Nova York, ela teria sido alvo do preconceito da tripulação.A comissária da primeira classe teria debochado que teve dificuldades para abrir a porta do banheiro do avião.

“Desde o início eles estavam de implicância. Durante todo o vôo, essa mulher me perturbou. Mas não quis fazer alarde para não criar confusão. Fui levando. Quando o avião pousou em São Paulo, demoramos um pouco a descer, porque eu estava calçando o sapato das crianças. Aí, a mulher me chamou de estúpida, em inglês. Dudu ouviu e resolveu comprar minha briga”, contou a passista.

Segundo Adriana, houve discussão e um comissário, que ela identificou como sendo um chileno chamado Carlos, começou a imitar macaco e a xingar Dudu Nobre.

“Houve briga, mas o Dudu evitou bater no cara para não perder a razão. Eles ficaram discutindo e aí surgiu o piloto e co-piloto. Nessa confusão toda, o tal comissário pegou uma caneta e enfiou no braço do Júnior. Ele queria acertar o pescoço do Júnior, mas não conseguiu”, disse Adriana, contando que, para não perder o vôo de conexão para o Rio, decidiram registrar o caso no aeroporto Tom Jobim.

Comissário teria agredido produtor

Júnior, que teve a camisa rasgada e o ombro machucado, foi encaminhado para fazer exame de corpo de delito. Adriana disse que, segundo ouviu de brasileiros que trabalham na American Airline, o comissário envolvido no caso já teria sido demitido depois de reclamações de passageiros.

“Não dá para dizer que não vou mais viajar pela American. A companhia não tem culpa. Mas deveria dar uma formação melhor para os funcionários, principalmente para quem tem de lidar com o público. Nunca passei por isso na minha vida. Fiquei muito triste. A gente sai do país da gente, gasta no país deles e ainda é esculachado desse jeito. Isso é um absurdo”, reclamou Bombom.

O casal passou duas semanas nos Estados Unidos. Dudu Nobre fez apresentações em Miami e Nova York, enquanto Bombom passeou com as filhas na Disney.

Fonte: G1 - Foto: Reprodução (TV Globo)

Polícia deve concluir inquérito sobre acidente da TAM na próxima semana

Laudo do IC sobre acidente foi entregue na tarde desta segunda.

Inquérito deve chegar perto de 17 mil páginas, segundo polícia.


A Polícia Civil de São Paulo deverá concluir até a próxima semana o inquérito sobre o acidente envolvendo um Airbus A320 da TAM que deixou 199 mortos em julho de 2007. Na tarde desta segunda-feira (17), o laudo do Instituto de Criminalística (IC) foi entregue ao delegado Antônio Carlos Menezes Barbosa, titular do 15º Distrito Policial, que preside o inquérito.

“O laudo é a última peça que falta para fechar esse quebra-cabeça”, disse o delegado. O inquérito tem, até agora, aproximadamente 13.600 páginas. Somando com o laudo do IC, o número de páginas deve chegar perto de 17 mil.

O delegado não divulgou detalhes sobre a investigação, mas afirmou que haverá indiciados. “Há um consenso de que o crime foi o de atentado contra a segurança do transporte aéreo.” Ele afirmou que acredita que os indiciados poderão, caso condenados, cumprir penas de, no máximo, seis anos de prisão.

Laudo do IC

Dez pessoas podem ser denunciadas à Justiça como responsáveis pelo acidente, segundo o promotor responsável pela investigação, Mário Luiz Sarrubo. Devem ser responsabilizados funcionários da Infraero, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da TAM, de acordo com o promotor.

Como o laudo de perícia do Instituto de Criminalística foi concluído neste mês, o delegado Antônio Carlos Barbosa deve enviar o inquérito ao Ministério Público nos próximos dias, para que Sarrubo envie o documento de acusação formal à Justiça.

A Infraero informou na sexta-feira (14) que não iria se pronunciar até receber oficialmente o laudo. A assessoria de imprensa da TAM disse na mesma data que "não tem ciência do laudo e não vai comentar investigações em andamento". A Anac informou, por sua assessoria de imprensa, que não vai se pronunciar por não ter sido notificada oficialmente.

Sarrubo vê falhas da TAM, no treinamento de funcionários, da Infraero, em liberar a pista em condições inseguras e da Anac, na fiscalização do aeroporto. Segundo a Promotoria, a Anac deveria ter seguido norma do órgão que proíbe pousos de aviões com freios inoperantes. O freio reverso do Airbus A320 não estava funcionando, conforme apontou a perícia.

Da mesma maneira, a TAM deveria ter treinado os funcionários para pousos com os reversores inoperantes e a Infraero deveria ter proibido que o vôo 3054 pousasse em Congonhas por falta de segurança na pista, segundo Sarrubo. A chuva do dia agravou o risco do pouso.

"Nós temos aí a não observância de algumas normas internacionais de segurança", afirmou o promotor ao G1 na sexta-feira (14). O promotor quer denunciar os envolvidos pelo crime de atentado contra a segurança de transporte aéreo.

Fonte: G1

Azul encomenda avião menor para voar no Santos Dumont

A Azul alterou sua encomenda à Embraer para ter mais aviões adequados à operação no Santos Dumont, aeroporto carioca que tem duas das pistas mais curtas do mundo. A companhia aérea novata, que inicialmente compraria apenas jatos do modelo 195, incluiu no seu pedido aviões do modelo 190, ligeiramente menores.

Se fosse hoje, a empresa não poderia operar no Santos Dumont porque o aeroporto está restrito para vôos a Congonhas, em São Paulo, e uso de avião turboélice. A limitação foi criada para estimular o uso do Galeão, mas não tem fundamentos técnicos. A Azul, que fará seu primeiro vôo comercial em 15 de dezembro, conta com a abertura do aeroporto em breve, uma vez que a própria Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é contra as atuais limitações. Nesta semana, a Anac abre uma consulta pública sobre o assunto.

" A possibilidade de usar o 190 só surgiu depois que o Santos Dumont entrou na equação " , diz Adalberto Febeliano, diretor de relações institucionais da empresa. Segundo ele, a Azul não planejava voar no aeroporto carioca quando foi criada, em março. A perspectiva só mudou em meados deste ano quando o governo acenou com a possibilidade de abrir completamente o local.

Com plano de servir 22 cidades a partir do aeroporto central do Rio de Janeiro, a Azul fez os cálculos e concluiu que teria limitações para usar o Embraer 195. Como as pistas do Santos Dumont são curtas - a maior mede 1.323 metros, contra 3.180 metros da menor pista do Galeão, por exemplo -, há restrição técnica quanto ao peso dos aviões. Para adequar o 195, a Azul teria que voar com parte das 118 poltronas vazias ou fazer apenas vôos curtos, em que os jatos podem decolar com menos combustível e, portanto, mais leves.

Já com o modelo 190, que transportará até 106 passageiros, a Azul poderá vender todos os assentos e também partir do Rio para destinos mais longínquos, como algumas capitais nordestinas. A possibilidade de fazer vôos mais longos pode ser uma vantagem competitiva, à medida que empresas como TAM e Gol, cujos aviões levam mais de 140 pessoas, teriam dificuldades de fazer os mesmos trajetos devido ao peso dos jatos.

Até o fim de 2009, a Azul terá dez aviões 190 e mais seis jatos 195, num total de 16. A Azul já tem dois aviões 190 que alugou da americana JetBlue e receberá sete aeronaves novas até janeiro, sendo cinco 195 e dois 190. " Não deu tempo de converter esses 195 em 190 porque já estavam sendo fabricados " , diz Miguel Dau, vice-presidente de operações da Azul. A aérea tem 40 pedidos firmes e mais 36 opções com a Embraer.

Por ter localização privilegiada na capital carioca, o Santos Dumont é tão atraente quanto Congonhas. Segundo Alexandre Gomes de Barros, diretor da Anac, a agência também vai levar à consulta pública uma regra para distribuir novos horários de vôo no aeroporto. Com a perspectiva de sua abertura completa, TAM e Gol já pediram mais espaço e empresas como a WebJet, cuja sede é no Rio, também têm interesse em crescer no local.

Fonte: Roberta Campassi (Valor Econômico)

Sete pessoas morrem em acidente aéreo no Canadá

Imprensa revelou que a aeronave era um avião comercial.

Sobrevivente caminhou 2 km do local do acidente até a costa da ilha.


Sete pessoas morreram e uma sobreviveu na queda de um avião em uma ilha da costa oeste do Canadá, informaram as autoridades locais nesta segunda-feira (17).

A aeronave Grumman Goose transportava oito passageiros quando caiu em Thormanby, pequenha ilha 50 km ao noroeste de Vancouver, segundo o major Mitch Leenders, do centro de coordenação de resgates.

Leenders informou que o sobrevivente caminhou quase dois quilômetros do local do acidente até a costa da ilha, onde foi encontrado por um barco da Guarda Costeira.

A imprensa revelou que a aeronave era um avião comercial da companhia Pacific Coastal que transportava funcionários de um projeto hidrelétrico em uma costa remota da província canadense de Columbia Britânica.

Fonte: France Presse - Foto: Jonathan Hayward (The Canadian Press)