quarta-feira, 30 de julho de 2008

Avião pousa em rodovia em Pernambuco

Aeronave saiu de São Paulo com destino ao Recife e teria sofrido uma pane elétrica.

Técnicos da Anac vão inspecionar o avião, que seria usado para pulverizar plantação.








Um avião de pequeno porte Piper PA-25 Pawnee, prefixo PR-ARQ (em situação irregular junto a ANAC) fez um pouso de emergência na BR-104, na altura de Agrestina, no interior de Pernambuco, por volta das 15:00 horas desta quarta-feira (30).

O único ocupante do monomotor era o piloto José Miguel Somarriba, que não sofreu ferimentos. Ele contou que a aeronave teve uma pane elétrica e que não conseguia operar por instrumentos. Como o tempo estava ruim e chovia muito, ele resolveu pousar o avião na pista, depois de sobrevoar o local por três vezes para se certificar que não havia veículos passando no local.

Logo depois do pouso na BR, o piloto manobrou a aeronave até o pátio do posto de combustíveis Petroturbo, no Km 83 da rodovia. Muitos curiosos da região foram até o local ver a aeronave, que é do tipo usado para a agricultura. Segundo o piloto, ele havia saído de São Paulo para o Recife, com uma escala em Salvador, onde prestaria serviços para uma empresa de agrícola.

O diretor da usina São José, Frederico Vilaça, confirmou ter contratado a Nova Aviação Agrícola, de São Paulo, para prestar serviços de puverição área nas plantações de cana-de-açúcar, mas informou não saber que o avião estava irregular: “Agora que sei não vou mais pedir os serviços desta empresa”, contou Vilaça.

Ele informou ainda que não tinha como saber das irregularidades porque a usina não fiscaliza os aviões que pousam na área: “Esse trabalho é da Anac”, apontou.

“O monomotor vai ficar no pátio do posto até que técnicos da Agência Nacional de Viação Civil (Anac) façam uma vistoria. Se o avião tiver condições, deve decolar na própria pista. Se não der para levantar vôo, a aeronave será desmontada”, informou o chefe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Agrestina, Antônio Silva.

Fontes: Diário de Pernambuco / JC Online - Fotos: Antônio Silva/PRF - Roberto França (JC) - Modelo da aeronave corrigido em 31/07/08 às 12:49 - Fontes: Leitor Miguel e ANAC

TAM vai demitir 120 funcionários na subsidiária paraguaia

A TAM vai demitir 120 funcionários e incorporar outros 133 no Brasil da sua subsidiária com sede em Assunção, no Paraguai, a TAM Airlines. A companhia aérea informou ainda que realizará alterações na malha aérea da subsidiária, nas rotas que têm a capital paraguaia como origem ou destino.

"A busca de sinergias está em consonância com a estratégia de expansão da nossa presença no mercado internacional e visa promover a otimização de processos", afirmou, em nota, o presidente da empresa, David Barioni Neto, também responsável pela direção-executiva da TAM Airlines e presidente do Conselho de Administração da empresa paraguaia.

A TAM Airlines é, desde março, a nova denominação da TAM Mercosur. A companhia oferece vôos a partir de Assunção para destinos na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Uruguai e dentro do Paraguai.

Fonte: Agência Estado

Sindicato diz que greve da Infraero acabou

Paralisação começou à 0h desta quarta-feira, em 12 terminais aéreos.

Apesar do protesto, não houve registro de graves problemas nos aeroportos.

A greve dos funcionários da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) acabou, segundo a assessoria de imprensa do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina). A paralisação começou à 0h desta quarta-feira (30), quando trabalhadores de 12 aeroportos cruzaram aos braços.

Em assembléias realizadas durante a manhã e no início da tarde, os funcionários aprovaram a proposta feita pela Infraero e decidiram voltar ao trabalho.

Para o presidente da entidade, Francisco Lemos, o resultado da negociação é positivo. "A ampla maioria dos funcionários já aceitou a proposta", disse ele ao G1. "Esse acordo beneficia a categoria e a empresa, que vai poder arcar com os itens negociados. Os passageiros também não foram prejudicados."

Apesar do protesto, os passageiros não enfrentaram graves problemas nos aeroportos. Segundo a Infraero, dos 1.054 vôos programados até as 15h, 37 atrasaram (7,7% do total) e 22 foram cancelados.

Negociação

A categoria exigiu reajuste salarial de 5,5%, aumento no valor do vale-alimentação, participação nos lucros e mudanças no plano de carreira.

De acordo com o sindicato, a contra-proposta feita pela Infraero prevê aumento de 9,09% no valor do vale-alimentação, 5,5% sobre os salários, uma promoção em outubro e uma em janeiro que representam aumento de 7% e um plano de classificação de cargos e salário a ser definido até 30 de abril de 2009.

Fonte: G1

Boeing da Emirates faz pouso de emergência em Budapeste, na Hungria

Na foto, o Boeing 777 da Emirates em Milão

O Boeing 777-31H, prefixo A6-EMS, da Emirates fez uma aterrissagem de emergência logo após a meia-noite (hora local) desta quarta-feira (30), no Aeroporto Internacional de Budapeste, na Hungria.

O avião transportando 380 passageiros estava realizando o vôo entre Londres e Dubai quando sensores no cockpit emitiram um aviso de fumaça, informou o assessor de imprensa do aeroporto, Mihaly Hardy.

O sistema de controle automático do avião tinha assinalado uma emergência, mas o aviso parou assim que o avião aterrissou em segurança, disse ele, acrescentando que um curto-circuito deve ter sido a causa do aviso de fumaça.

Aos passageiros com crianças foram oferecidos alojamentos até a chegada de um avião em substituição para dar continuidade ao vôo.

Fontes: Xinhuanet / ASN - Foto: Marco Toso - SpotIT (Airliners.net)

Avião ERJ-170 sai da pista em aterrissagem nas Ilhas Salomão

Na foto, o ERJ 170, VH-SWO na Austrália em 2007

Um avião de fabricação brasileira, o jato Embraer EMB 170-100 LR, prefixo VH-SWO, da empresa aérea SkyAirWorld passou por um incidente ao aterrissar no Aeroporto Internacional Honiara, nas Ilhas Salomão, na domingo (27) à noite.

Devido às más condições meteorológicas, o jato ultrapassou os limites da pista molhada e só parou sobre a grama.

Acredita-se que o avião estava transportando cerca de 40 passageiros. Um passageiro, falando na condição de não ser identificado por causa de sua própria posição profissional, disse: "Isso aconteceu muito rapidamente. Foram vários solavancos fortes que abalaram a aeronave até ela parar na grama."

"Não creio que os passageiros compreenderam a gravidade do problema, até que desembarcaram do avião. Havia lama nas rodas. Estamos gratos por sair da aeronave em segurança."

Ele disse que o clima era muito ruim e que a tripulação teve dificuldade na aterrissagem. "A tripulação deve ser felicitada pelos seus esforços", disse ele sobre os pilotos do avião.

O director da Aviação Civil, Bill MacGregorR confirmou o incidente. Ele disse que a área esquerda da pista estava inundada. Ele disse que o avião tocou baixo e deslizou sobre a pista até parar na grama, e que atingiu duas luzes de sinalização da pista.

O avião ficou no local aguardando novos pneus, porque dois deles ficaram danificados. O jato havia abandonado sua primeira tentativa de aterrissagem durante a tempestade de domingo a noite.

O incidente ocorreu em sua segunda tentativa, por volta das 20:00 (hora local).

Os pilotos devem ter insistido na aterrissagem em Honiara em razão de o aeroporto mais próximo ser o da Ilha Santo, em Vanuatu, o que geraria um gasto demasiado de combustível.

O Aeroporto Internacional de Honiara tem um limitado número serviço de auxílio à navegação e os controladores de tráfego aéreo não têm recursos para ajudar pilotos a aterrissar em condições climáticas adversas.

Fontes: Solomon Star / Pacific Magazine / ASN - Foto: Patrick Hill (Airliners.net)

Funcionários de oito aeroportos voltam ao trabalho, diz sindicato

Funcionários da Infraero continuam parados em 4 aeroportos, diz sindicato.

Paralisação começou à 0h desta quarta-feira, em 12 terminais aéreos.

Presidente diz que 'ampla maioria' dos funcionários já aceitou proposta.

Funcionários da Infraero haviam iniciado greve à 0h desta quarta

Funcionários de quatro aeroportos brasileiros permanecem de braços cruzados no início da tarde desta quarta-feira (30), segundo a assessoria de imprensa do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina). A paralisação começou à 0h, em 12 terminais aéreos, mas os trabalhadores de oito unidades já aprovaram a proposta feita pela empresa e voltaram ao trabalho.

Em Porto Alegre, Manaus, Fortaleza e no Santos Dumont, no Rio, as assembléias devem ser realizadas nesta tarde. O sindicato diz que a orientação é para aprovação da proposta.

Para o presidente da entidade, Francisco Lemos, o resultado da negociação é positivo. "A ampla maioria dos funcionários já aceitou a proposta", disse ele ao G1. "Esse acordo beneficia a categoria e a empresa, que vai poder arcar com os itens negociados. Os passageiros também não foram prejudicados."

Negociação

A categoria exigiu reajuste salarial de 5,5%, aumento no valor do vale-alimentação, participação nos lucros e mudanças no plano de carreira.

De acordo com o sindicato, a contra-proposta feita pela Infraero prevê aumento de 9,09% no valor do vale-alimentação, 5,5% sobre os salários, uma promoção em outubro e uma em janeiro que representam aumento de 7% e um plano de classificação de cargos e salário a ser definido até 30 de abril de 2009.

Apesar da greve , o movimento nos aeroportos brasileiros foi considerado normal nesta manhã. Balanço da Infraero aponta que, dos 787 vôos marcados até as 12h, 103 atrasaram (13,1% do total) e 30 foram cancelados (3,8%).

Fonte: G1 - Foto: Reprodução (Globo News)

Nasa treina em dunas de areia para futura missão na Lua

Solo da região do lago Moses lembra a poeira encontrada na superfície lunar.

Astronautas testaram os trajes espaciais, o jipe e a base móvel que serão usados.

O solo é arenoso. O vento é forte. Ao fundo, dois astronautas com roupas especiais dirigem seu jipe lunar. Mas não estamos na Lua. Isso tudo acontece em dunas de areia localizadas no centro do estado americano de Washington. Para a Nasa, o local perfeito para treinar para futuras missões ao satélite.

A agência espacial americana passou duas semanas nas dunas do lago Moses para fazer testes de campo dos equipamentos que serão usados quando astronautas voltarem à Lua. Isso porque o solo da região, macio e com uma consistência de poeira, lembra o lunar.

O único (e grande) problema que o lago fica na Terra e, por isso, não há como simular a gravidade lunar - um sexto da terrestre.

O 'astronauta' de Washigton com o jipe que pode ser levado à Lua

A base lunar móvel ATHLETE, que parece uma aranhona gigante, também foi testada

Os trajes lunares também foram colocados à prova

Fonte: G1 - Fotos: AP

United fará Rio - Washington e substitui aeronave em Sâo Paulo

A United Airlines anunciou duas importantes mudanças em seus serviços para o Brasil durante o próximo período de alta temporada. Uma é a antecipação para 2 de setembro do reinício do seu vôo sazonal que liga sem escalas o Rio de Janeiro a Washington. Outra é a substituição do avião Boeing 767 pelo Boeing 777, que oferece 65 lugares a mais, no serviço sem escalas entre São Paulo e Washington, a vigorar durante o mesmo período. Esta depende da aprovação das autoridades aeronáuticas locais.

Juntas, as duas inovações significam que a oferta de assentos da United entre o Brasil e os Estados Unidos terá um aumento de 64% no período da alta temporada do Hemisfério Sul, entre setembro e março, quando é maior a procura pelos serviços da empresa. O terceiro vôo diário da United, que liga sem escalas São Paulo a Chicago, será mantido sem alterações.

“A United está pondo em prática um sólido projeto de expansão da sua rede internacional e o Brasil é parte importante desses planos”, declarou o gerente de Vendas para o Brasil, Luiz Camillo. “O aumento da demanda que se reflete nessas mudanças é resultado, em grande parte, da satisfação que nossos esforços estão obtendo entre nossos clientes neste país”.

O vôo sem escalas entre Washington e Rio de Janeiro, o United 873, sairá da capital norte-americana diariamente às 22h08, a partir de 2 de setembro, chegando ao Galeão às 8h55 do dia seguinte. O vôo de volta, o United 874, sairá do Rio de Janeiro diariamente às 21h35, a partir de 3 de setembro, chegando a Dulles às 6h37 do dia seguinte, em horários locais.

Nas mesmas datas, os vôos sem escalas entre Washington e São Paulo começarão a ser operados com aviões Boeing 777, com maior capacidade de passageiros e carga. O vôo United 861 partirá diariamente de Washington às 22h03, chegando a Cumbica às 8h20. O vôo de volta, United 860, sairá de São Paulo às 22h10, para chegar a Washington às 6h32 do dia seguinte.

Esses horários ficarão em vigor, em princípio, até 28 de março de 2009. Durante o período, ficará suspensa a extensão para o Rio de Janeiro do vôo entre Washington e São Paulo.

Os vôos entre o Rio de Janeiro e Washington e entre São Paulo e Chicago serão operados no período por aviões Boeing 767. Entre São Paulo e Washington, será usado o Boeing 777, com 12 lugares na United First, 49 na United Business e 197 na United Economy, sendo 83 no setor Economy Plus.

“Todos os Boeings 767 e 777 da United estão passando por uma ampla reforma interna, que inclui sistemas de entretenimento on demand e, na primeira classe e na executiva, poltronas que reclinam totalmente, transformando-se em camas”, destacou Camillo. “A United Airlines é uma das grandes linhas aéreas do mundo, com muitas décadas de tradição, e isso se reflete na qualidade de seus serviços e no conhecimento do que realmente importa ao passageiro, levando a uma preferência que se reflete no aumento da demanda, como estamos observando agora no Brasil”.

Os aeroportos Dulles, em Washington, e O’Hare, em Chicago, servidos pela United em seus vôos para o Brasil, são importantes centros de conexões da empresa, com centenas de vôos diários partindo para dezenas de destinos em toda a América do Norte, Extremo Oriente, Caribe, Europa e Oriente Médio. Os horários são coordenados de forma a facilitar as conexões para os destinos mais procurados.

Fonte: Aviação Brasil

Avião cai em vala de água no Rio de Janeiro

Até o final da tarde de terça-feira, avião permanecia no mesmo local, atraindo curiosos

Um avião modelo Seneca, de pequeno porte, que teve o prefixo coberto, não conseguiu decolar na noite de segunda-feira (28) na pista do aeroporto Bartholomeu Lyzandro, em Campos. Ele teve a hélice do trem de pouso direita e o motor quebrados ao cair em uma vala de escoamento de água, quando tentava chegar à pista principal de vôo. De acordo com a Infraero, os dois tripulantes saíram ilesos.

O vôo de volta para o Rio de Janeiro aconteceria às 20h mas, ao deixar a pista de acesso do hangar em direção à principal, com o propósito de decolar, o piloto, cujo nome não foi divulgado, teria perdido o controle e caído na vala.

De acordo informações extra-oficiais, o avião teria sido fretado pela empresa Jade Táxi Aéreo, já que a aeronave que costuma fazer o vôo Rio-Campos-Rio apresentou problemas na última sexta-feira. O percurso é feito por, pelo menos, duas vezes por semana.

Assim como o avião, os tripulantes também teriam sido substituídos e não conheciam com exatidão a pista de vôo do Batholomeu Lyzandro. Essa teria sido a discussão ontem, no aeroporto, entre funcionários e pilotos.

A direção do aeroporto e a empresa Jade Táxi Aéreo não deram maiores esclarecimentos sobre o caso. Também não foi autorizada a aproximação da imprensa na pista de vôo. Por isso, para que imagens do avião pudessem ser feitas com maior nitidez, cinegrafistas e fotógrafos percorreram quase dois quilômetros fora da área do aeroporto, pelo bairro da Codin.

Para um piloto de ultraleve, que pediu para não ser identificado, a pista de acesso dos hangares para à pista principal deveria ganhar mais largura, como forma de proporcionar mais segurança.

— Para quem não conhece a pista, pode ser um problema muito grave, que deveria ser reestudado pelas autoridades no assunto — alertou o piloto de ultraleve.

Até o final da tarde de ontem, o avião não havia sido retirado do local do acidente, o que chamou a atenção de curiosos. Alguns chegaram até a espalhar boatos, como por exemplo, de que teriam pessoas consideradas “importantes” no avião, além dos dois tripulantes. Outras já diziam que “deve ser algum boicote político”, mostrando que boatos não faltaram.

Fonte: Folha da Manhã (Campos dos Goytacazes) - Foto: Paulo S. Pinheiro

Iberia e British Airways dão o primeiro passo para fecharem acordo de fusão

A Iberia e a British Airways esperam completar seu processo de fusão nos próximos meses, em um período de tempo menor que um ano, anunciaram o presidente da aerolínea espanhola, Fernando Conte, e o conselheiro da britânica, Willie Walsh, em entrevista conjunta em Madri para explicar o processo, anunciado nesta terça-feira e já aprovado pelos respectivos conselhos de administração.

A nova companhia será a terceira aerolínea do mundo, com uma frota de mais de 450 aviões e mais de 200 destinos em 100 países.

- Somos duas empresas complementares em nossas redes e isso nos dá um 'plus' de desenvolvimento em um contexto econômico como o atual - afirmou Willie Walsh, da British.

Segundo Conte, 'hoje demos o primeiro passo para chegar a uma fusão entre ambas as companhias, faltando agora estudar uma maneira pela qual ela será realizada'.

Walsh, por sua vez, disse que não poderiam dar maiores detalhes da operação, apenas afirmar 'que estamos diante de um dia histórico para o setor em nível mundial', confirmando que a negociação será concluída em menos de um ano.

A operação será feita mediante a constituição de uma nova sociedade na qual estarão os acionistas de ambas as companhias, que manterão suas marcas, e será cotada tanto na Bolsa de Madri como na de Londres.

Segundo Conte, o processo será completamente diferente da realizada pela Air France e KLM, em 2004, que consistiu em uma ampliação de capital da aerolínea francesa para comprar ações da holandesa, enquanto que no caso da British e da Iberia, 'será criada uma nova sociedade com os acionbistas de ambas as companhias aéreas'.

A participação de cada uma nas ações da nova companhia é algo que 'ainda será analisado, já que não se sabe qual é a equação a ser apliacada na troca de títulos'.

O que está claro é que a capitalização acionária da british Airways é superior a da Ibéria, embora ambas as diretorias acreditam que a Caja Madrid continuará sendo um acionista de referência, já que possui 23,42% do capital da empresa espanhola.

Walsh manifestou sua confiança de que a Caja Madrid 'continue conocsco' porque sua participação 'é muito importante' tanto para a Ibéria como para a British.

Embora não se tenha uma data para a consolidação da operação, Conte e Walsh anteciparam que, ao se manter as duas marcas exisitrão três conselhos de administração diferentes, um por cada sociedade, mais o que será criado com a nova empresa.

Cada marca manterá seu própria governança corporativa, disse Conte, 'porque o dia a dia das empresas será como agora'.

Veja a foto: Avião da Iberia no aeroporto de Barajas, em Madri/EFE Segundo ele, será possível atuar de aeroportos tão impostantes como os de Heathrow (Londres) e Madri, cum uma presença global imbatível.
A operação é diferente da anunciada há 18 meses, quando se falou da possibilidade da British Airways e o fundo TPG formularem uma oferta de compra pela Iberia.

- Agora estamos falando de uma fusão, não de uma venda ou compra - disse Conte.

Segundo Walsh, esta não é uma atuação pela sobrevivência, já que ambas as companhias são fortes.

- Trata-se de criar uma empresa muito mais forte que nos dê sinergia em muitos campos e que nos permita cortar custos em diferentes operações - afirmou,

As relações com a American Airlines, companhia americana com a qual ambas estão negociando para chegar a acordos pontuais, 'não serão afetadas por esta fusão, mas seguirão adiante e podem até mesmo melhorar no futuro", disse Conte.

Fonte: EFE

Inventor americano apresenta 'foguete particular' de US$ 100 mil

Com duas turbinas, equipamento é capaz de atingir 2.400 metros de altura.

'Foguete' tem autonomia para 30 minutos de vôo.

Piloto apresenta o Martin Jetpack, máquina para vôo individual dotada de duas turbinas, motor de quatro cilindros em V e capaz de voar por 30 minutos a 2.400 metros de altura.

O inventor Glenn Martin posa com o veículo, que será vendido por US$ 100 mil - ou cerca de R$ 160 mil - nos EUA.

Fonte: G1 - Fotos: Andy Manis (The New York Times)

Funcionários da Infraero entram em greve

Movimento nos aeroportos deve ser afetado a partir das 4h, diz sindicato.

Trabalhadores fazem assembléia às 8h30 para avaliar contraproposta da Infraero.


Os funcionários da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), estatal que administra os principais aeroportos do país, estão em greve desde as 0h desta quarta-feira (30).

Segundo o diretor de imprensa do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, Jorge Luiz, pararam às 0h os trabalhadores das áreas de segurança, manobra, navegação aérea, segurança e manutenção.

O movimento, segundo Luiz, só deve ser afetado a partir das 4h, horário em que aeroportos como o Galeão, no Rio, e Cumbica, em São Paulo, são abertos. A paralisação deve afetar os setores de controle de vôo e de pista, além do despacho e recebimento de cargas.

O diretor garante que, pelo menos, 30% dos 11.500 funcionários seguirão no trabalho.

A categoria pede reajuste salarial, aumento no valor do vale-alimentação, participação nos lucros e mudanças no plano de carreira. Às 8h30 desta quarta, assembléias em alguns aeroportos vão avaliar a contraproposta feita pela empresa.

Aeroportos

Veja a lista dos aeroportos onde os funcionários prometem parar:

Em São Paulo - Ficam prejudicadas operações nos aeroportos de Congonhas e Campo de Marte, na capital; no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Região Metropolitana; no Aeroporto de Viracopos, em Campinas; no aeroporto de São José dos Campos.

No Rio de Janeiro - Ficam prejudicadas operações nos aeroportos Santos Dumont, Galeão e Jacarepaguá, na capital, e no aeroporto de Campos.

Entram em greve também funcionários da Infraero nos aeroportos de Campo Grande, Cuibá, Fortaleza, Porto Alegre, Vitória, Imperatriz (no Maranhão) e Londrina (no Paraná).

Infraero

Em nota oficial, a Infraero afirmou que "está preparada para operacionalizar" os aeroportos.

Veja a íntegra da nota:

"Com relação às últimas negociações com o Sindicato Nacional dos Aeroportuários – SINA, a Infraero esclarece que nesta terça-feira (29/07) deu continuidade às tratativas a fim de reavaliar os pleitos solicitados pela categoria.

A Infraero ressalta que sempre negociou com as lideranças sindicais da casa e que a diretoria nunca se furtou ao diálogo a fim de obter uma melhor proposta que atendesse aos funcionários e a Empresa. “Acredito que as negociações levadas a cabo entre nós atingiram os seus objetivos”, diz o presidente da estatal, Sergio Gaudenzi.

Ainda segundo o presidente, a situação caminha para a tranqüilidade.

“Nós concluímos mais uma etapa e não restam mais pendências. Quero tranqüilizar os passageiros que utilizam os aeroportos administrados pela Infraero e lembrar que a empresa está preparada para operacionalizar plenamente os aeroportos. Todas as providências nesse sentido já foram adotadas”, afirma Gaudenzi."

Fonte: G1

Exame de DNA confirma que corpo encontrado no Rio é de padre desaparecido

A 123ª Delegacia de Polícia de Macaé confirmou nesta terça-feira (29) que os restos mortais encontrados a 100 quilômetros da costa de Maricá (região dos Lagos) são mesmo do padre Aderli de Carli, desaparecido desde o dia 20 de abril. A confirmação veio através de um exame de DNA feito pelo Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro.

As duas pernas e quadril encontrados por uma rebocadora da Petrobras no último dia 3 de julho serão entregues aos familiares do padre, que providenciarão o enterro. Data e local ainda não foram divulgados.

Na manhã do dia 20 de abril, Aderli de Carli alçou vôo de Paranaguá (PR) suspenso por cerca de 1.000 balões de gás hélio. Seu destino final era Dourados (MS). O padre tinha como objetivo bater o recorde de 20 horas voando nesta modalidade. Ventos fortes e o mau tempo desviaram o padre de seu percurso levando-o à costa catarinense.

Aderli voava com roupa térmica, dois aparelhos celulares e um GPS - localizador via satélite. Chegou a fazer contato no momento de sua queda, na região do Balnerário de Penha, mas não deu mais notícias. O padre não sabia fazer uso do GPS.

Depois da queda no mar e a morte provável por hipotermia, os restos mortais do padre foram levados pela corrente marítima de Santa Catarina até o litoral do Rio de Janeiro. Os restos mortais foram levados para o Instituto Médico Legal de Macaé, onde o irmão de Carli esteve para o exame de DNA. A Polícia do Rio enviará o resultado do exame para o Paraná.

LEIA MAIS: "Poderemos fazer enterro digno", afirma irmão do padre

Fonte: UOL Notícias

Rádios piratas: um problema sem solução no país

Este ano, a Anatel apreendeu equipamentos e fechou 750 rádios piratas no país.

Elas interferem no trabalho dos controladores de vôo dos aeroportos e podem provocar acidentes graves.




Uma operação da Polícia Civil de São Paulo tirou nesta terça-feira (29) do ar uma rádio pirata que interferia no trabalho dos controladores de vôo dos aeroportos do estado, mas o problema, que pode provocar acidentes graves, está longe de uma solução, como contam os repórteres Wilson Araújo e César Galvão.

A cada um minuto e meio, um avião pousa e outro decola nos dois maiores aeroportos de São Paulo. Nas rotas de Congonhas e Guarulhos, a mesma rádio pirata bloqueia a comunicação entre os pilotos e a torre de controle.

Rádio“Esta é a sua rádio.”
Piloto“Controle, o 7453 está recebendo uma rádio.”
Controlador“Ok, 7453. O senhor consegue anotar algum número da rádio?”
Piloto“103,1.”

As emissoras clandestinas ficam em pontos altos, instaladas em casas simples. Uma denúncia trouxe a polícia até o local. Na casa, só havia um transmissor. A programação era gravada e transmitida pelo computador. Ninguém foi preso, mas a antena foi derrubada e a rádio saiu do ar.

Rádio pirata não é um problema só do Brasil. Nos Estados Unidos, existem centenas. Mas elas usam freqüências mais baixas que não interferem na comunicação dos aviões. Já na Inglaterra, do ano passado para cá, donos de 881 rádios clandestinas foram processados. Aqui, quem é pego transmitindo sem licença paga fiança e volta para a rua.

“A pena sendo branda estimula novas rádios piratas e o problema se agrava a cada dia”, afirma o delegado Luís Storni.

Este ano, a Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, apreendeu equipamentos e fechou 750 rádios piratas no país.

O depósito da Anatel guarda equipamentos apreendidos há mais de nove anos, que só podem ser destruídos quando a Justiça liberar. Os processos são mais lentos do que as transmissões clandestinas. Quando uma rádio pirata é retirada do ar em São Paulo, no dia seguinte já aparece outra, usando a mesma freqüência.

“A legislação é um ponto fundamental para que a gente tenha condições de fazer um combate eficaz a essas rádios clandestinas”, defende José Joaquim de Oliveira, gerente de fiscalização da Anatel.

As interferências são tão freqüentes que os controladores de vôo percebem quando pilotos estrangeiros se confundem na hora de pousar.

Rádio“Essa é a sua rádio, 103,1.”
Controlador“O americano que está na final não deve estar entendendo nada.”

Fonte: Jornal Nacional (TV Globo)

Governo admite que a situação das Aerolíneas Argentinas é crítica

Empresa possui passivo de US$ 890 milhões.

Segundo associação, existem poucos aviões disponíveis.


O governo argentino admitiu nesta terça-feira (29) que a situação da empresa de aviação Aerolíneas Argentinas, cujo controle foi retomado pelo Estado há uma semana da espanhola Marsans, é crítica.

A declaração foi feita pelo secretário de Transporte, Ricardo Jaime, diante da continuação dos atrasos e cancelamentos de vôos domésticos e internacionais por falta de aviões disponíveis e overbooking.

Dívida

No entanto, apesar disso tudo e de um passivo de US$ 890 milhões que a coloca à beira da falência, o funcionário negou a possibilidade de permitir que a companhia aérea feche as portas.

"Dentro da gravidade, a situação já está um pouco melhor", afirmou. "Se outras empresas oferecerem ajuda para trasladar os passageiros nesta conjuntura, será bem-vinda", acrescentou.

Frota parada

Para Ricardo Cirieli, secretário-geral da Associação de Pessoal Técnico Aeronáutico (APTA), existe não um excedente de passageiros e sim uma falta de aviões.

"O problema é a falta de investimento na área da manutenção, é ter 60% da frota parada porque o grupo Marsans não comprou reposições", criticou.

Diego Sierra, do sindicato que reúne os pilotos da subsidiária Austral assegurou que a colaboração é total par enfrentar a a reprogramação de emergência feita para tirar a empresa do atoleiro.

Atrasos

Novos atrasos de vôos continuavam prejudicanto o trânsito milhares de passageiros em Buenos Aires, numa situação que teve início neste fim de semana.

O problema afeta os estrangeiros que se encontram no país em férias e dependentes das conexões domésticas. Os vôos para o Brasil e a Europa são os mais prejudicados pelos atrasos e cancelamentos.

"Houve uma excessiva venda de passagens ante a escasez de aviões disponíveis para a temporada de inverno", informou neste domingo o novo presidente das Aerolíneas Argentinas-Austral, Julio Alak, designado na semana passada pelo governo de Cristina Kirchner.

Entre os passageiros retidos no aeroporto de Ezeiza estão muitos turistas brasileiros, que se queixam da falta de informação e, principalmente, das dificuldades de acomodação e alimentação.

Os vôos domésticos também sofrem com o caos generalizado e que atinge também o aeroparque "Jorge Newbery". O início do recesso escolar de inverno faz com que muitas famílias aproveitem para viajar para centros de esqui.

Os problemas que alteraram o programa dos vôos começaram em meados da semana passada, apesar de, num primeiro momento, terem sido atribuídos à neblina e a certas interferências de radioemissoras clandestinas nas comunicações entre a torre de controle e as aeronaves.

Reestatização

Governo argentino assinou na segunda-feira da semana passada o acordo de reestatização das companhias Aerolíneas Argentinas (AA) e Austral, em crise depois de sete anos em poder do grupo espanhol, com um passivo de US$ 890 milhões.

A iniciativa de voltar a estatizar soma-se às empreendidas durante o governo do presidente peronista social-democrata Néstor Kirchner (2003-2007), com as empresas de água potável, correios e estradas de ferro, entre outras.

Apenas 32 dos 56 aviões da frota total de ambas as companhias estão em condições de voar, segundo o sindicato da Associação de Pilotos, que denunciou um processo de esvaziamento.

Fonte: France Presse

Emirates recebe primeiro superjumbo A380 e fecha a compra de mais 60 aviões da Airbus

A Emirates Airlines, de Dubai, assinou cartas de intenção para a compra de 60 aeronaves da fabricante européia Airbus. Pelo acordo, ela deverá adquirir 30 unidades do modelo A350XWB e 30 do A330-300. Considerando os preços de tabela, a transação pode alcançar valor total de US$ 13,45 bilhões.

O acordo foi fechado hoje, durante a entrega do primeiro superjumbo A380 à companhia de Dubai. As cartas foram assinadas pelo presidente do conselho e executivo-chefe da Emirates, xeque Ahmed Bin Saeed Al Maktoum, e pelo presidente e executivo-chefe da Airbus, Tom Enders, no centro de entregas do A380, em Hamburgo, Alemanha.

No último Airshow de Dubai, ocorrido em novembro do ano passado, a Emirates havia acertado a compra de 70 aeronaves A350XWB, com opções para mais 50 unidades. O acordo de hoje representa a transformação de parte dessas opções em pedidos firmes, elevando para 100 o número de A350 adquiridos pela Emirates.

Dubai tem a intenção de atrair 15 milhões de visitantes por ano a partir de 2012 e a Emirates está se preparando com seus planos de expansão, disse o xeque Ahmed. O A350XWB e o A330 permitirão que a Emirates aumente sua operação utilizando aeronaves modernas e eficientes no uso de combustíveis e, em conjunto com o A380, serão peças-chave para que alcancemos nossos objetivos, acrescentou.

A Emirates continua a impressionar com seu ritmo de crescimento. Estamos honrados com a confiança que a Emirates deposita na Airbus e estamos muito felizes que a visão e a inovação que são as marcas registradas do A330, do A350 e de todos os aviões da Airbus possam ajudar a sustentar o crescimento e o sucesso da Emirates, afirmou Enders. Esses pedidos e a entrega do primeiro A380 (à Emirates) fazem desse um dia verdadeiramente notável na história das duas companhias, completou.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Pequeno avião faz pouso de emergência na Áustria

Na segunda-feira (28) à tarde um avião SAAB 91A Safir, prefixo OO-JEN, realizou uma aterrissagem de emergência no aeroporto Hohenems, na Áustria.

O avião, que transportava o piloto, de 49 anos, e um passageiro não conseguiu atingir a velocidade necessária durante a decolagem e não ganhando altitude suficiente, o piloto decidiu retornar e realizar uma aterrissagem de emergência.

O avião ultrapassou a pista e, cerca de 100 metros depois, parou em um pasto. O avião teve danos significativos na carenagem do motor e na hélice.

Fontes: Vol (Áustria) / ASN - Foto: VN/Uher

Três morrem em acidente aéreo em Arlington, Washington (EUA)

Três pessoas morreram no domingo (28) a noite, na queda do avião monomotor Cessna 172N Skyhawk, prefixo N75558, na região de Bald Mountain, área ao norte do Lago de Cavanaugh, a nordeste de Arlington, Washington (EUA).

A policial local identificou as vítimas como: Brenda L. Houston, 47 (piloto), sua filha de 10 anos de idade, Elizabeth M. Crews e o Dr. Virgílio Becker, 54.

Um porta-voz da United Airlines informou que Brenda L. Houston era uma veterana na pilotagem de 737 para a companhia aérea e estava em férias no momento do acidente.

"Eu perdi meu bebê", disse Tom Crews, marido de Houston e pai da menina. "Mas ela está com sua mãe. Amava voar com a mãe e as duas estão voando juntas. Elas estão felizes. Nós perdemos metade da nossa família."

Kim Martin, porta-voz para da Whidbey Island Naval Air Station, disse que a tripulação de um Knighthawk realizou a operação de busca e salvamento teve que utilizar óculos de visão noturna para ajudar a localizar o local do acidente.

Um médico foi baixado a partir de um helicóptero ao local do acidente e encontrou os três corpos.

A área onde caiu o avião é uma acidentada área arborizada de exploração madeireira e as estradas mais próximas passam a cerca de uma milha do local do acidente.

A NTSB vai investigar o acidente.

Fontes: Komonews / ASN

Autoridade para abater avião civil sem cobertura legal

Emergência aérea. Seria o primeiro-ministro a dar a ordem de abate

Lei não prevê polícia aeronáutica para aparelhos civis


O despenhamento, domingo, de uma pequena aeronave ao largo do cabo da Roca, num voo fatal que em parte foi acompanhado por dois caças F-16 da Força Aérea, criou uma dúvida: e se o avião descomandado se tivesse dirigido a um sítio populoso em vez de para o mar? Teria sido necessário abatê-lo no ar para evitar perdas maiores? E quem teria a última palavra neste processo decisório?

A resposta é vaga. O coronel Alpedrinha Pires, presidente da AOFA (Associação dos Oficiais das Forças Armadas), disse ontem ao DN que as Forças Armadas têm todos os procedimentos já estudados. Mas há um problema grave: "Estes procedimentos não têm cobertura legal."

Isto porque, segundo explicou, a lei não prevê a existência de uma polícia aeronáutica que exerça autoridade no ar sobre aviões civis (mas prevê, por exemplo, uma Polícia Marítima).

As Forças Armadas, por outro lado, não podem exercer funções de segurança em território nacional (isso está reservado às forças de segurança). "Na nova lei de segurança interna [aprovada há poucas semanas no Parlamento] nada está definido", prosseguiu o coronel.

Isto faz com que, mesmo sendo dada uma ordem a um piloto da Força Aérea para abater um avião civil - e essa ordem só poderia vir do primeiro-ministro ou de quem o substitua -, esse mesmo piloto poderia sempre recusar. Os regulamentos prevêem a hipótese de um militar recusar uma ordem se considerar que levá-la à prática implicará cometer um crime. E abater um avião civil quando não há cobertura legal para isso seria sempre, pelo menos formalmente, um crime - por mais que isso implicasse eliminar uma vida para salvar dezenas ou centenas de outras.

Já há pelo menos um ano que os militares discutem estes cenários. Em Julho do ano passado, face à notícia de que a Alemanha discutia uma lei que permitiria ao Governo decretar o abate de aviões civis se estes representassem uma ameaça terrorista, um oficial da Força Aérea dizia ao DN que "algo tem de ser feito".

Entretanto, surgiu a nova lei de segurança interna. O problema, aparentemente, continuou por resolver. O general Leonel Carvalho, secretário-geral do Gabinete Coordenador de Segurança, protestou pelo facto de o diploma não prever um papel para os militares na segurança dentro das fronteiras. Em vão.

Fonte: Diário de Notícias (Portugal)

Piloto de caça russo morre em acidente perto do Pacífico

Um Su-27 semelhante ao acidentado

Um piloto russo morreu nesta terça-feira (29) na queda de um caça Sukhoi Su-27 no extremo leste do país, informou um porta-voz da Força Aérea da Rússia.

O segundo piloto do avião escapou com vida ao ejetar-se pouco antes de o caça atingir o solo, de acordo com agências de notícias russas.

As equipes de salvamento encontraram o avião destruído em uma região próxima da cidade de Ussurisk, ao norte de Vladivostok, principal porto russo no Pacífico.

O Su-27 é considerado um dos mais confiáveis aviões de guerra russos.

O último acidente sofrido por um aparelho desse modelo ocorreu em agosto de 2005, e foi devido a uma falha no sistema de navegação.

Na ocasião, o caça caiu no território da vizinha Lituânia, o que provocou um incidente diplomático entre os dois países.

O Su-27, em serviço desde 1984, é equipados com 10 mísseis ar-ar.

Fonte: La Opinión - Foto: Dmitry A. Mottl

Avião perde a hélice e se acidenta em pouso de emergência na Espanha

Duas pessoas sairam ilesas de um acidente com um pequeno avião ocorrido próximo a La Viñuela (Málaga),na Espanha, depois que a aeronave em que viajavam cair numa área rural ao perder a hélice em pleno vôo, nesta terça-feira (29).

Segundo informou o porta-voz do Consorcio Provincial de Bomberos, o acidente ocorreu por volta das 19:30 (hora local), quinze minutos depois da decolagem no Aeródromo Leoni Benabú, localizado no município de Velez-Málaga.

Imediatamente duas viaturas dos bombeiros, as tropas do serviço de emergência e uma patrulha da Guarda Civil deslocaram-se para o local, e foi constatado que nenhum dos dois ocupantes da aeronave, que deixaram o avião por conta própria, sofreram ferimentos.

O piloto do avião, Oliver Tree, explicou que logo após a decolagem viu a hélice soltar-se do aparelhos e, em seguida, desligou o motor e começou a planejar o local mais fácil para realizar a aterrissagem.

No entanto, o terreno acidentado impediu que a aterrissagem de emergência fosse concluída com sucesso e terminou com o avião, que também perdeu uma roda na manobra, imersos em um declive e com danos significativos em seu motor e na fuselagem.

Fonte: La Opinion (Espanha) - Foto: AP

Avião se acidenta na Guatemala sem deixar vítimas

Um avião Cessna, que realizava um vôo instrução com três pessoas a bordo, caiu na terça-feira (29) nas cercanias do parque ecológico La Cerra, ao sul da Cidade da Guatemala, capital do país de mesmo nome, sem deixar vítimas.

O coronel Jorge Ortega, porta-voz do Departamento de Información y Divulgación del Ejército (DIDE), informou que a aeronave, modelo Cessna 150, prefixo TG-MYR, caiu nas imediações de San Miguel Petapa, por razões ainda desconhecidas.

"As duas pessoas a bordo, o piloto-instrutor e um aluno, sobreviveram ao acidente. Uma unidade da Força Aérea realizou o resgate", informou Ortega.

Fontes da Direção Geral da Aeronáutica Civil da Guatemala, identificaram o piloto como Rolando Soto e o seu aluno como Raúl Dacaret.

O acidente causou temor entre os vizinhos do lugar, já que a aeronave caiu em uma zona montanhosa ao lado de um suburbio residencial.

Fontes: Rádio Emissoras Unidas / Prensa Libre (Guatemala)

Pequeno avião faz pouso de emergência em Indianápolis (EUA)

Os passageiros de um pequeno avião Beechcraft Super King Air 200 (BE20), prefixo N44US, quando o trem de pouso apresentou falha e a aeronave teve que realizar uma aterrissagem de emergência no Aeroporto Internacional de Indianapolis, na segunda-feira (28) a noite.

O avião havia decolado de Ypsilanti, em Michigan.

Os seis passageiros a bordo não se feriram, mas o nariz do avião e as hélices ficaram com danos.

Fonte: WTRH

terça-feira, 29 de julho de 2008

Helicóptero cai na Inglaterra

Os ocupantes de um helicóptero escaparam com pequenas lesões após a queda da aeronave ao lado de um clube de golfe, em East Sussex, Inglaterra.

O helicóptero caiu ao lado do Peacehaven Golf Club, em Newhaven na segunda-feira (29). O piloto e passageiros foram retirados do helicóptero logo depois que ele caiu.

Os investigadores da Air Accidents Investigations Branch (AAIB) abriram um inquérito para investigar o que causou o acidente.

Fonte: BBC - Foto: Kent News

Pentágono propõe vender seis Hércules ao Iraque por US$ 1,5 bilhão

O Pentágono propôs ao Congresso americano que aprove a venda de seis aviões de carga do modelo C-130J ao Governo iraquiano, assim como o equipamento e o serviço de manutenção por um valor de US$ 1,5 bilhão.

A Agência de Cooperação de Defesa do Pentágono comunicou na última sexta-feira ao Congresso a possibilidade desta venda em uma nota oficial feita pública hoje.

Junto com os seis aviões Super Hércules, o Governo iraquiano expressou interesse em comprar 24 motores fabricados pelo grupo Rolls-Royce, segundo o comunicado enviado ao Congresso.

A Força Aérea iraquiana prevê usar os C-130J para transferir suas tropas e para realizar operações humanitárias, explica a nota.

O Pentágono considera que "a compra de novos meios de transporte aéreo dará aos iraquianos a capacidade de operar junto com as tropas americanas, as da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e as da coalizão em todo tipo de missões".

Além disso, em outro comunicado, o Pentágono notificou o Congresso sobre outra possível venda de veículos de segurança blindados no valor de US$ 206 milhões.

Estas duas notificações não significam que as vendas já estejam acordadas, já que este é apenas o passo prévio que a lei exige quando se trata de comercializar armas entre Governos.

Fonte: EFE

Proposta cria certificação para aviões especiais

O Projeto de Lei 3495/08, do Poder Executivo, cria uma nova categoria de certificação de aviões: o certificado de aeronavegabilidade especial. Conforme o projeto, esse certificado será concedido a aeronaves com características especiais para uso em missão policial de segurança pública, de defesa civil ou de fiscalização; a aviões em processo de homologação; aos destinados à pesquisa e ao desenvolvimento; e àqueles fabricados ou montados por construtor amador.

Segundo a proposta, a autoridade competente pela emissão do certificado de aeronavegabilidade especial deverá considerar o nível de segurança compatível com o tipo de operação pretendida e indicar no certificado as operações permitidas, as restrições e as limitações aplicáveis.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirma na mensagem enviada ao Congresso que a proposta busca uma maior eficiência na certificação de aviões, especialmente aqueles a serviço do poder público. Na sua visão, a proposta permitirá melhores condições para o desenvolvimento e a pesquisa de produtos aeronáuticos, sem perder de vista a segurança e a efetividade da fiscalização federal sobre essas atividades.

Atualmente, o Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 7.565/86) já exige certificados de marca experimental para as aeronaves em processo de homologação, as destinadas à pesquisa e as produzidas por amadores. Pelo projeto, esses aviões deverão obter esse certificado e também o de aeronavegabilidade especial.

Tramitação

O projeto tem regime de prioridade e será analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:
- PL-3495/2008

Fonte: Agência Câmara

Testemunha fotografa queda de avião do Oregon (EUA)

O chefe de uma empresa de alta tecnologia da Califórnia morreu quando seu avião bimotor caiu e explodiu em chamas quando tentava aterrissar na pista do Aeroporto de Sunriver, em Deschutes County, no Oregon (EUA).

NPor volta das 10:15 (hora local) do dia 16 de julho, Douglas J. Sharratt, 50, diretor executivo da Prosoft Tecnologia de Bakersfield, Califórnia (EUA), havia deecoladp de Bakersfield, na Califórnia com com seu Cessna 441 Conquest II, prefixo N441HK, em direção ao Sunriver Resort's e, na aproximação, sofreu o acidente.

Uma testemunha, Owen Shirley, tirou uma série de fotos a partir da extremidade norte da pista que mostram o avião descendo drasticamente e caindo no chão.

Shirley disse que, em cinco minutos, o avião foi consumido pelo fogo.

O aeroporto de Sunriver (S21) é uma das facilidades privadas a oeste do rio Mississippi, com 15.000 a 20.000 decolagem e aterrissagens por ano. Desde 1968 houve apenas dois acidentes fatais de avião.

Fontes: The Oregonian / KTVZ - Fotos: Owen Shirley

Aeroportuários prometem parar à meia-noite

Infraero está disposta a negociar com servidores para evitar greve marcada para quarta

A menos de um dia do início da greve já aprovada por servidores de 12 dos 67 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), advogados da estatal se reuniram nesta segunda (28) com o procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, Ricardo José Macêdo de Brito Pereira, e com a procuradora Adriana Silva Machado. A diretoria da empresa reiterou sua disposição de negociar com a categoria, a fim de evitar a paralisação dos serviços aeroportuários.

O teor da conversa entre a Procuradoria Regional do Trabalho e os advogados da empresa não foi divulgado. No entanto, na última sexta-feira (25), a estatal já havia adiantado que seus diretores teriam uma audiência com representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT) para falar sobre a greve, agendada para começar a meia-noite desta quarta-feira (30).

O MPT já vinha atuando como mediador desde o começo da negociação, mas julgou que a renovação do atual acordo coletivo de trabalho já estava encaminhada. Isso porque, no último dia 14, após receber uma proposta da empresa, a categoria suspendeu a greve marcada para o dia seguinte (15).

Segundo o MPT, 84 itens já haviam sido acordados, restando apenas chegar a um consenso sobre o bônus natalino - benefício concedido pela estatal há mais de duas décadas e que os trabalhadores querem que seja incluído no acordo coletivo.

Ontem, a assessoria de imprensa da Infraero se limitou a informar que a diretoria-executiva da estatal continua disposta a negociar com os servidores, afastando a hipótese de que uma ação de dissídio coletivo seja apresentada à Justiça do Trabalho.

Para o presidente do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), Francisco Lemos, a diretoria da estatal é "intransigente" e demorou muito a apresentar uma contraproposta satisfatória à categoria. Lemos disse que ainda que se a empresa convocar os representantes dos trabalhadores para uma nova reunião nesta terça-feira (29) não haverá tempo hábil para impedir o início da greve.

"Mesmo nos reunindo [sindicato e empresa], acho meio complicado desmontar a greve antes dela acontecer. Sozinho, o sindicato não pode desmobilizar a categoria, que tem que ser consultada", disse Lemos à Agência Brasil.

Os servidores reivindicam 6% de reajuste salarial; 5,2% de aumento real; concessão de duas promoções à partir de agosto deste ano; vale-alimentação de R$ 25; a implementação de um Plano de Carreira, Cargos e Salários até abril de 2009 e a manutenção de cláusulas sociais e financeiras do atual acordo coletivo.

Os aeroportuários são responsáveis por serviços como operação de equipamentos de raio-X nos aeroportos, pela fiscalização de bagagens no embarque e desembarque, pelo controle do movimento de aeronaves na pista e pela liberação e manobra de cargas.

Fonte: Alex Rodrigues (Agência Brasil)

Passageira da Aerolíneas leva 40h para chegar a São Paulo

Vôo da companhia argentina previso para às 12h45 chegou com 3h de atraso.

Mulher grávida de seis meses ainda teve bagagem extraviada.

A argentina Vanessa Gomes, 29 anos e grávida de seis meses, veio ao Brasil para trabalhar, mas a bagagem foi extraviada

O vôo 1242 da Aerolíneas Argentinas posou no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP), nesta segunda-feira (28), com cerca de 3h de atraso. A chegada estava prevista para as 12h45, mas só aconteceu às 15h43. No desembarque, as cenas se repetiram: passageiros cansados e indignados. Alguns enfrentaram maratonas de até 40h para retornar ao Brasil.

A economista Liliana Spadoni, de 53 anos, aguardava ansiosa a filha, Heloísa, que vinha de Madri, na Espanha, com uma parada em Buenos Aires. Segundo ela, a filha deveria ter saído da capital espanhola às 10h (horário local) de sábado (26). No entanto, ela só conseguiu deixar o solo europeu por volta da meia-noite de domingo(27).

Heloísa desembarcou em Buenos Aires às 7h desta segunda. Lá, teve de esperar até o início da tarde para pegar um vôo para São Paulo, onde, finalmente, chegou por volta das 15h45, um périclo de mais de 40h. “Ela ficou o dia inteiro em Madri, no domingo. Levaram ela para o hotel, onde ela disse ter sido bem tratada. No sábado, falaram para ela que era a turbina do avião. Está difícil a situação. Não dão informação, só respostas evasivas”, disse Liliana. Visivelmente cansada, Heloísa preferiu não dizer nada ao desembarcar.

O consultor Rafael Pestana, de 27 anos, contou que chegou ao aeroporto em Buenos Aires por volta das 5h desta segunda-feira. Às 6h50, ele presenciou um protesto por parte dos funcionários da Aerolíneas. “Ficou uma única atendente no check-in. Depois de uns 15 minutos, os demais começaram a retornar, mas muito vagaronsamente”, contou. Ao tentar embarcar no vôo que partiu pela manhã, o consultor foi impedido. “Falaram que era overbooking”, disse.

Já o arquiteto italiano Alessandro Picciolo, de 30 anos, que está de mudança para o Brasil, fez questão de manifestar sua revolta com a empresa argentina. “Aerolíneas Argentinas é a pior do mundo”, desabafou. O arquiteto conta que, ao tentar embarcar em Roma, no domingo, ele foi avisado de que o vôo dele tinha sido cancelado. Por conta disso, teve de gastar 200 euros a mais por uma passagem por uma empresa aérea italiana.

A agente de turismo argentina Vanessa Gomes, de 29 anos, grávida de seis meses, ainda teve outro problema. Além da espera no aeroporto de Buenos Aires devido ao atraso, ela desembarcou em São Paulo sem a bagagem. “A Aerolíneas extraviou, e ninguém sabe de nada”.

Fonte: G1 - Foto: Marcelo Mora (G1)

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Moller SkyCar, o carro que voa, será lançado em 2011

“Automóvel dos céus” custará US$ 650 mil, mas exigirá brevê

Diante de um engarrafamento que não desengarrafa, não deve haver ninguém na face da Terra que nunca tenha tido a vontade de sair voando dali. Como nenhuma idéia é completamente original, sempre vai haver alguém que queira desenvolvê-la. Esse foi o caso da Moller, que trabalha para colocar o M400 Skycar no mercado norte-americano até 2011.

Apesar de poder andar no solo, como um avião, o Skycar não se propõe a rodar pelas estradas, como o Terrafugia Transition, até pelo tamanho diminuto das rodas (algo que, nos bons pisos norte-americanos, não seria um problema tão grande, mas, no brasileiro...), mas pode fazer isso. O problema seria pará-lo em alguma vaga de garagem. O comprimento nem foge muito do dos automóveis vendidos nos EUA (são 5,9 m de comprimento), nem os 2,3 m de altura seriam um problema tão grande, mas a largura, de 2,6 m, exigiria sempre duas vagas para ele parar.

A maior proposta do Moller Skycar é a de ser um transporte aéreo individual, com capacidade para quatro passageiros e 340 kg de carga. E seu diferencial em relação ao Transition é que, ao contrário do “carro” da Terrafugia, ele decola e pousa na vertical, um princípio semelhante ao usado no caça britânico BAE Sea Harrier.

Isso acontece por conta do sistema de motores rotativos (Wankel) do M400, supersilenciosos (a meta é de 65 dba), que podem ser girados, para a decolagem. As hélices, protegidas, têm um sistema de aletas que cria sustentação no ar e poderia dispensar as asas, mas elas estão lá, só para garantir. Aliás, o Skycar se garante também com pára-quedas de emergência, para o caso de alguma pane.

Um dos problemas que o Skycar poderia enfrentar no ar seria a falta de gasolina, mas ele não é movido por combustíveis fósseis e sim um renovável e velho conhecido dos brasileiros, o etanol, vulgo álcool. Com ele, o M400 faz cerca de 8,5 km/l, uma marca excelente para um veículo que atinge a máxima de 579 km/h e tem velocidade de cruzeiro de 491 km/h. Com o tanque de 142 l de combustível, ele terá autonomia para 1.207 km.

Com apenas 1.088 kg, o Moller tem quatro motores rotativos que geram 720 cv de potência nominal, podendo chegar a 1.155 cv. Isso permite que ele suba a uma média de 1.463 m por minuto e tenha um teto operacional de 36 mil pés, ou 10.973 m.

Como se pode imaginar, por mais que o Skycar seja simples de manejar, guiá-lo exigirá brevê, o que já tira do caminho uma série de interessados. Imaginando que você já tenha brevê e queira um M400 na garagem, o processo de compra será um leilão internacional, no qual os interessados competem até que saia o lance vencedor.

Para participar do leilão, que só deve acontecer a partir de 2011, quando seu lançamento está previsto, é preciso se qualificar, o que inclui garantir que você é capaz de arcar com o valor de reserva do Skycar, fixado em US$ 650 mil, ou cerca de R$ 1,03 milhão. Achou caro? Compra um BAE Sea Harrier. Saía por US$ 18 milhões em 1991... Maldita inflação!

Fonte: Webmotors

Aviões 'siameses' levarão nave de turismo ao espaço

WhiteKnightTwo foi apresentado ao mundo nesta segunda-feira (28).

Aeronave servirá de plataforma de lançamento para a SpaceShipTwo.



WhiteKnightTwo tem a aparência de dois aviões "grudados" pelas asas

A empresa britânica Virgin Galactic apresentou nesta segunda-feira (28) a aeronave WhiteKnightTwo, que servirá de "plataforma de lançamento" para a primeira nave particular de turismo espacial, a SpaceShipTwo.

Com isso, fica faltando apenas a própria SpaceShipTwo ser apresentada ao público. Os vôos comerciais devem começar em 2009 - e um brasileiro já está na fila de espera para os primeiros lugares.

Aeronave faz parte de ambicioso projeto da empresa do bilionário Richard Branson

Companhia promete fazer os primeiros vôos já no próximo ano

Batizada de Eve, em homenagem à mãe do dono da empresa, Richard Branson, a WhiteKnightTwo foi desenvolvida durante quatro anos no Deserto de Mojave, no Estado americano da Califórnia.

De acordo com a Virgin Galactic, a aeronave terá como função transportar a espaçonave a uma altura de 15 km, de onde a lançará para o espaço.

Em questão de segundos, os turistas espaciais vão voar a uma velocidade três vezes superior à do som até que a nave atinja uma distância de 110 km da Terra.

Ausência de gravidade

Durante cerca de cinco minutos, os turistas vão poder estão deixar seus assentos para viver a experiência da ausência de gravidade e observar o espaço através de grandes janelas circulares situadas nas paredes e no teto da fuselagem.

A nave iniciará em seguida o retorno à Terra. Serão vôos suborbitais, que atingem o espaço, mas não chegam a realizar uma volta completa em torno do planeta.

O primeiro vôo deve transportar 250 turistas espaciais, que pagaram US$ 200 mil para garantir um lugar a bordo. Entre eles está o brasileiro Bernardo Hartogs, de 53 anos.

A Virgin Galactic promete aos turistas espaciais uma experiência "intensa, maravilhosa e verdadeiramente inesquecível".

A SpaceshipTwo ainda está sendo fabricada. A Virgin espera operar os primeiros testes com a WhiteKnightTwo na segunda metade deste ano.


Ilustração mostra o WhiteKnightTwo soltando a nave espacial SpaceShipTwo

Fontes: G1 / BBC - Fotos: Divulgação

Outro Boeing da Qantas faz pouso forçado no sul da Austrália

Um avião da companhia australiana Qantas teve que fazer um pouso forçado na noite desta segunda-feira em Adelaide, no sul da Austrália, devido à abertura, em pleno vôo, de uma das portas do aparelho, segundo o jornal Herald Sun.

O avião, um Boeing 737-800, decolou às 18H08 locais de Adelaide com destino a Melbourne, e deu meia volta depois de 37 minutos de vôo.

O incidente acontece três dias depois de um 747-400 da mesma companhia ter efetuado um pouso de emergência em Manila depois de ter sido constatado um rombo na fuselagem do aparelho.

Fonte: France Presse

Emirates encomenda à Airbus 30 aviões A350XWB e outros 30 do modelo A330

A companhia aérea Emirates encomendou nesta segunda-feira (28) à européia Airbus 30 de seus aviões do futuro modelo de longa e média autonomia A350XWB e outras 30 aeronaves A300-300.

A Airbus anunciou a encomenda em comunicado, assinado durante a entrega à Emirates, em Hamburgo (Alemanha) de seu primeiro avião A380 ao presidente da companhia aérea, xeque Ahmed Bin Saeed Al Maktoum, que não revelou o valor da operação.

A encomenda de 30 aeronaves A350XWB representa a confirmação de um pedido feito no ano passado.

Na realidade, a companhia aérea tinha comprado durante a feira aeronáutica de Dubai 70 unidades do A350 XWB em um acordo que incluía opções para outras 50, das quais 30 foram confirmadas.

No total, a Emirates comprou 100 unidades do novo modelo de avião, com capacidade para 270 a 350 passageiros, com autonomia de até 15.400 quilômetros e preço médio de catálogo de US$ 180 milhões cada uma.

As aeronaves A330-300 podem transportar 300 pessoas e seu raio de ação é de até 10.500 quilômetros. Seu preço de catálogo é de US$ 200 milhões cada.

O presidente da Emirates explicou que seu país, os Emirados Árabes Unidos, espera receber 15 milhões de visitantes por ano até 2012 e que a companhia "avançou seus planos de desenvolvimento" com esta perspectiva.

Esta compra de aviões A350 e A330 "permitirá a Emirates se desenvolver explorando aeronaves de tecnologia avançada", comentou Maktoum, que acrescentou que, "com o A380", a empresa cumprirá seus objetivos.

O presidente da Airbus, Tom Enders, destacou sua satisfação pela nova encomenda da companhia dos Emirados Árabes, cujo "ritmo de crescimento continua sendo impressionante".

Fonte: EFE

'Despressurização explosiva' provocou buraco em avião

Vôo 1255 foi alterado de 13h10 para 14h50 e agora tem previsão de saída às 16h30.

Terceira e última partida para a capital portenha está marcada para as 18h35.

Quem chegou cedo para fazer o check in do próximo vôo do Rio com destino a Buenos Aires, na Argentina, tem uma dupla surpresa no aeroporto Tom Jobim: segundo a Aerolíneas Argentinas, depois de adiar de 13h10 para 14h50 o vôo 1255, o avião só deverá decolar às 16h30 desta segunda-feira (28). A informação, no entanto, ainda não foi atualizada no painel da Infraero.

Este é o segundo vôo para a capital portenha desta segunda-feira, o terceiro e último previsto tem previsão de decolagem de 18h35. A primeira partida do dia para Buenos Aires, no entanto, ocorreu sem transtorno no início desta manhã.

Presente de grego

Para a fonoaudióloga Lúcia Salarini, que saiu às 6h de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, e chegou às 10h no aeroporto, a viagem se tornou um presente de grego: "Estou viajando com meus pais e minha filha, que fez 10 anos. A viagem é um presente para ela, mas acabou virando um presente de grego".

A família chegou a pensar em cancelar a ida para a Argentina depois de assistir a reportagem na TV sobre o caos aéreo no país, mas reconsiderou quando a aniversariante começou a chorar.

'Aerolíneas nunca mais', diz turista

O que era para ser uma viagem de férias virou um grande transtorno para um grupo de mineiros de Barbacena. Traumatizada com uma longa espera na volta para casa, a professora Maria Hilda Gonçalves desabafa: “Aerolíneas nunca mais”.

Depois de deixar Miami e chegar a Buenos Aires às 3h30 de domingo (27), a previsão era que o grupo iria num vôo de 9h30 para o Rio. A espera prevista seria de 6 horas, mas durou até as 17h, quando o grupo finalmente conseguiu embarcar, mas quando chegou ao Brasil teve sua bagagem extraviada.

Procurado pelo G1, o funcionário do balcão de informações da Aerolíneas Argentinas limitou-se a dizer que os atrasos nos vôos são decorrentes de problemas de manutenção. No número de telefone fornecido pela própria empresa, a mensagem é clara: “O número chamado não está disponível no momento”.

Fonte: G1

Justiça de Sinop (MT) espera há 3 meses resposta de pilotos sobre acidente

Há mais três meses a Justiça Federal de Sinop encaminhou à Justiça norte-americana o interrogatório dos pilotos americanos Joseph Lepore e Jan Paladino, no processo da queda do Boeing da Gol, em 2006, no Norte de Mato Grosso, e ainda não há confirmação se ambos foram ouvidos, ou até mesmo intimados. Só Notícias apurou que o juiz federal Murilo Mendes aguarda um posicionamento do caso para saber se o interrogatório foi realizado. Entretanto, fontes informaram que não há um prazo para que o procedimento seja cumprido, que deve fazer a Justiça brasileira aguardar.

Ainda no primeiro semestre, o documento contendo 53 perguntas para cada um, elaboradas pelo magistrado e o Ministério Público, foi encaminhado aos Estados Unidos. Os questionamentos tentam elucidar as possíveis causas da colisão com o boeing da Gol, que resultou na morte de 154 pessoas, em setembro de 2006, o segundo maior acidente da aviação aérea brasileira. Os representantes do Brasil querem saber, por exemplo, se os dois analisaram o plano de vôo e se estavam cientes que o percurso previa altitudes – nível 370, nível 360 e nível 380, e por que a aeronave voou sempre no nível 370.

Lepore e Paladino pilotavam o Legacy e seguiam do Rio de Janeiro a Manaus, de onde iriam para os Estados Unidos. No trajeto, o jato colidiu com o boeing, que caiu em uma reserva indígena em Peixoto de Azevedo. Ambos conseguiram fazer pouso forçado na Serra do Cachimbo, e os seis tripulantes saíram ilesos.

Mendes também questiona quais as informações lhes foram repassadas pela torre de São José dos Campos quando autorizado o plano e se alguém desligou o transponder durante o vôo, e se perceberam que estava desligado.

Outros quatro denunciados no caso, os controladores Jomarcelo Fernandes dos Santos, Lucivando Tibúrcio de Alencar, Leandro José Santos de Barros e Felipe dos Santos Reis, que trabalhavam no dia do acidente, já foram ouvidos, em setembro passado, durante audiência em Sinop.

Fonte: Só Notícias

Duas pessoas sobrevivem a queda de avião na Califórnia (EUA)

Dois homens sofreram ferimentos leves no sábado (26) quando seu avião caiu no sudoeste do Aeroporto Municipal de Corona, em Corona, California (EUA) logo após decolagem.

O piloto, Herbert Allen Guinness, 87, de Laguna Hills e o passageiro Thomas Wixon, 64, de Sunland, foram levados de ambulância ao Hospital Comunitário de Riverside, Os homens foram retirados do avião e foram capazes de sair caminhando do local do acidente.

O tenente da polícia de Corona, Tom Weeks, disse que o avião fabricado em 1946, um Ercoupe 415-C, prefixo N93614, caiu a cerca de 200 jardas a sudoeste da pista principal do aeroporto às 13:47 (hora local).

O tenente informou ainda que os dois ocupantes do avião disseram que uma forte rajada de vento obrigou o avião a descer.

Homero B. Davis, de Long Beach, proprietário do avião, disse que Guinness é um experiente piloto que voou em bombardeiros na Segunda Guerra Mundial.

Fonte: The Press-Enterprise - Foto: Jerry Soifer

Pequeno avião cai no mar ao largo do mar, em Cabo da Roca, Portugal

Uma avioneta despenhou-se ao largo do Cabo da Roca com o piloto a bordo. Os destroços foram avistados por duas aeronaves da Força Aérea Portuguesa (FAP), informa a Lusa. À agência noticiosa, fonte do Aeroclube de Bragança disse que o piloto era um cirurgião de 60 anos do Hospital de Bragança que tinha muita experiência de voo.

«As duas aeronaves detectaram os destroços por volta das 13.45, a 200 milhas do Cabo da Roca. Enviámos mais meios que estão, neste momento, a tentar confirmar a ligação entre estes destroços e a avioneta desaparecida», disse à TSF o porta-voz da FAP, o tenente-coronel Seabra.
A avioneta descolou por volta das 9h00 de Bragança e ia em direcção a Coimbra. Por volta das 10h00, o piloto contactou os operadores de tráfego aéreo «a informar que se encontrava indisposto», segundo fonte da FAP.

Na sequência desta comunicação, dois F16 descolaram da base aérea de Monte Real, ao mesmo tempo que um helicóptero EH101 partia da base do Montijo para ajudarem o único tripulante do aparelho, um bimotor Piper PA34 do Aeroclube de Bragança.

Para o local também seguiu a fragata João Roby da Marinha Portuguesa.

Piloto experiente

O piloto era Luís Carvalho, médico cirurgião do Hospital de Bragança, que «voava há mais de 20 anos», disse o vice-presidente do Aeroclube de Bragança. «Era um piloto com muito experiência, com muitas horas de voo, que até dava formação no nosso aeroclube», acrescentou.

O dirigente do Aeroclube de Bragança adiantou ainda à Lusa que a viagem de Bragança para Coimbra tinha como objectivo mudar o rádio da avioneta, apetrechando-o com as frequências necessárias para poder levá-lo para férias na próxima semana.

Fonte: IOL Portugal Diário

Avião ao serviço da TACV sai da pista no Aeroporto da Praia

Um aparelho Airbus 320, alugado pela TACV em Palma de Maiorca, ultrapassou este domingo, 27, os limites da pista do Aeroporto da Praia no momento da aterragem, indo parar na zona não asfaltada. Felizmente, tirando o susto, nada de grave há a registar, devendo o aparelho regressar ainda este domingo a Lisboa com novos passageiros a bordo.

O incidente aconteceu às 15h53 e o avião, com 172 passageiros a bordo, vinha de Lisboa com quatro horas de atraso. Dados recolhidos por asemanaonline no Aeroporto da Praia atestam que, na hora de pousar, o aparelho ultrapassou os limites, acabando por ir travar para além da zona asfaltada da pista. Passageiros do voo relataram que fumo e poeira invadiram o interior do aparelho, o que atesta a anomalia deste voo da TACV.

“Pessoalmente, eu acho que o avião vinha com excesso de velocidade na hora de aterrar e o giro nisto tudo é que no fim as pessoas bateram palmas”, disse um passageiro, português, enquanto uma passageira cabo-verdiana diz ter ouvido uma “espécie de explosão” na hora da travagem. “Objectivamente, o que deve ter acontecido é que o piloto deve ter “comido” muito a pista antes de pousar e depois não teve campo de manobra suficiente para ele concluir a operação”, disse uma outra fonte.

Segundo a directora do ADP, Eurídice Mascarenhas, o incidente encontra-se sob investigação para determinar as causas do mesmo. Fora isso, prosseguiu, “estão criadas todas as condições objectivas para que em toda a segurança o aeroporto retome as suas actividades”. Em relação aos passageiros aquela responsável assegurou que “ninguém teve a necessidade de nenhum tipo de acolhimento nem de assistência”.

Para a administradora comercial da TACV, Georgina Melo, “felizmente está tudo sob controlo”, não se registando nada de especial. “Houve inclusivamente vários passageiros que nem sentiram ter se passado algo de diferente do habitual. As primeiras indicações apontam que houve uma falha de travões mas só um inquérito poderá determinar o que se passou. O comandante teve um bom controlo sobre o seu avião e rapidamente estabilizou logo a seguir à pista”.

O Airbus 320, alugado à companhia espanhola LTE, teve de ser rebocado da zona onde travou, estando neste momento a pista desobstruída, devendo ainda este domingo regressar a Lisboa com novos passageiros a bordo. No termino desta reportagem, por volta das 18h 30 estava-se à proceder à preparação do embarque de passageiros.

Fonte: A Semana Online (Cabo Verde)

TAM e Air France são condenadas por extravio de bagagem de passageira

A TAM Linhas Aéreas e a Air France foram condenadas na quinta-feira (24/7) a indenizar em R$ 10 mil uma passageira que teve a bagagem extraviada em uma viagem para Portugal. A decisão é da 1ª Turma Cível do TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal), que determinou também o pagamento, solidariamente pelas duas companhias, de R$ 9.583,96 por danos materiais.

Os desembargadores entenderam, de forma unânime, que a responsabilidade é das empresas, por se tratar de vôo compartilhado.

A passageira entrou com ação de reparação de danos após ter comprado da TAM um bilhete para embarcar em Brasília rumo a Paris, com o trecho Paris-Lisboa sob responsabilidade da Air France. No entanto, ao desembarcar em seu destino, sua mala havia sido extraviada, o que a levou a comprar roupas, calçados e outros objetos necessários à estadia. A passageira alegou ter sofrido constrangimentos e aborrecimentos por causa do extravio e que a mala que possuía era única, por ter sido confeccionada por meio de trabalho artístico.

A TAM se defendeu argumentando que a bagagem havia sido extraviada no trecho sob a responsabilidade da Air France, o que a eximia de reparar eventuais danos. Além disso, disse que não havia prova da existência de pertences na mala e que a perda da bagagem não provocou danos morais à autora da ação judicial, porque a viagem não foi interrompida.

Em sua defesa, a Air France também afirma não ter havido danos morais, pois a passageira conseguiu cumprir a programação da sua viagem. Para a empresa aérea, houve apenas “pequenos transtornos” pela necessidade de comprar roupa e outros objetos. Nesse sentido, alega que a decisão de primeira instância desconsiderou que a autora esteve na companhia do irmão e não deixou de aproveitar a viagem, além de receber reembolso de 750 euros (cerca de R$ 2.200 em valores da época) para cobrir o extravio da bagagem.

A 1ª Turma Cível do TJ-DF considerou que o consumidor tem direito ao ressarcimento integral dos danos materiais e que documentos juntados ao processo comprovam os gastos feitos pela passageira. O valor do reembolso da Air France foi abatido da indenização total fixada.

Os desembargadores entenderam que o fato de a mulher ter seguido em sua programação não afasta o dano moral, já que o efeito negativo do extravio foi sentido no decorrer da viagem. “O aborrecimento, a angústia, a amolação, a decepção e a perturbação na paz de espírito na vida de uma pessoa que empreende viagem internacional e tem sua bagagem extraviada são evidentes e inquestionáveis”, diz trecho do acórdão.

Fonte: Última Instância

Pai e filho morrem em queda de avião no estado de Washington (EUA)

Pai e filho morreram na queda de seu avião na área rural de Mason County, Washington (EUA) na quinta-feira (24) à tarde.

Mark Storer, 51, e seu filho mais novo, Brian Storer, 24, morreram no acidente. Os dois homens eram as únicas pessoas a bordo do avião, que estava registrado para Mark Storer.

O acidente quando eles tentaram decolar de Lake Nahwatzel.

Carol Acocks, uma testemunha, disse que viu o hidroavião fazer três tentativas anteriores para decolar a partir do lago. Ela disse que os dois ocupantes do avião sairam, olharam o avião e tentaram decolar novamente.

Ela disse que o avião tinha cortado a copa das árvores com sua hélice e, a seguir, começou a perder altitude e caiu.

O Det. William Adam, da polícia local, informou que eles voaram de 200 a 300 metros a partir do lago e antes de cair dentro da floresta.

O avião incendiou-se na floresta localizada a 11 milhas a oeste de Shelton. Bombeiros se dirigiram ao local com um helicóptero que foi capaz de extinguir as chamas retirando a água a partir do lago nas proximidades.

O avião registrado para Storer, pertence a empresa Airport Towing and Burien Towing. Mark foi descrito como um piloto com sete ou oito anos de experiência. A única coisa que ele amava mais de voar era sua família.

A causa do acidente está sob investigação.

Fonte: KATU - Fotos: KOMO