domingo, 27 de abril de 2008

Testemunhas dizem que piloto contou com a sorte para sobreviver

Um piloto arrastou-se a partir dos destroços em chamas de um avião Pacific Aerospace Fletcher FU-24, operado pela Rowley Aviation Nelson, que caiu em uma fazenda numa área remota de Golden Bay, em Nelson, na Nova Zelândia, ontem (26). Ele teve sorte de sobreviver, disseram testemunhas e membros da equipe de resgate.

O piloto da Rowley Aviação Nelson, James Ormond, 34, foi levado ao Hospital de Nelson de helicóptero depois que seu avião caiu por volta das 10:30 (hora local), logo após a decolagem perto do Lago Kaihoka.

O piloto sofreu queimaduras, fraturou uma perna e teve lesões faciais. Seu estado é grave, mas estável.

Jornais locais informaram hoje que partes da aeronave foram encontradas queimadas dispersas ao longo dos campos agrícolas.

Peter Miller viu o piloto tentar despejar sua carga de cal pouco antes do acidente e disse que Ormond teve muita "sorte em sobreviver".

"Eu observei o avião. Ele não foi subindo rápido como normalmente fazia."

Constable Jonathan Davies, de Takaka, disse que policiais acreditavam que o acidente foi causado por uma mudança na direção e intensidade do vento durante a descolagem.

O piloto arrastou-se para fora do avião em chamas antes de ser puxado para mais longe do avião.

Fontes: NZPA / ASN

Acidente de avião mata dois em resort

O girocóptero Magni Gyro M-16

Um fotógrafo e um piloto morreram quando um avião Magni Gyro M-16, prefixo ZU-DIP, pertencente a P.A.L. Wessels, caiu no Mabalingwe Nature Resort, próximo a Bela-Bela (Warmbaths), Limpopo, na África do Sul, na quinta-feira (24).

A polícia local informou que que receberam uma chamada de trabalhadores do resort às 10:00 (hora local), informando sobre o acidente.

"O piloto do sexo feminino e o passageiro foram queimados e ficaram irreconhecíveis."

O avião pertencia ao resort e as causas do acidente ainda não são conhecidas.

Fonte: News.24

Delegado diz que norma que poderia evitar acidente da TAM foi desrespeitada

Declaração foi feita sábado, durante oitavo encontro dos familiares das vítimas.

Segundo ele, há provas para indiciar pelo menos dez por lesão corporal e homicídio culposo.

O delegado Antônio Carlos Menezes de Barbosa, da 27ª DP de São Paulo, que investiga a queda do avião que fazia o vôo 3054 da TAM, disse que uma norma da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que poderia ter evitado o acidente foi desrespeitada.

A declaração foi feita neste sábado (26), durante o oitavo encontro dos familiares das vítimas da tragédia, realizado em Porto Alegre.

A polícia disse ter provas até o momento para indiciar pelo menos dez responsáveis pelos crimes de lesão corporal e homicídio culposo (quando não há intenção de matar). O inquérito vai ser concluído até junho.

O delegado diz que tenta há dois meses ouvir o ex-presidente da Anac, Milton Zuanazzi, sobre a norma que proibia o pouso de aviões com os freios auxiliares travados.

"Se a norma tivesse sido obedecida, o avião não pousaria em Congonhas e, consequentemente, poderia não haver acidente", disse o delegado.

Zuanazzi disse que não foi intimado e afirmou que a norma citada pelo delegado não estava em vigor quando ocorreu o acidente.

A TAM diz que fechou acordo de indenização com 68 famílias e cortou o pagamento de passagens aéreas e hospedagens de quem recorreu à Justiça.

O presidente da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 3054 da TAM, Dario Scott, afirma que a entidade ainda está em busca de respostas, nove meses após a tragédia.

"Muitos dos familiares que eles tentaram impedir que viessem ao encontro, estão aqui", disse Scott.

O familiares programaram para o fim da tarde deste domingo (28) uma manifestação no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre.

O acidente

A aeronave, um Airbus A320, vôo JJ 3054, partiu de Porto Alegre às 17h16 e pousou em São Paulo às 18h48 do dia 17 de julho de 2007. Percorreu toda a pista, virou à esquerda e atravessou uma avenida antes de bater no prédio, onde a empresa mantinha um depósito. O acidente foi o maior da aviação no país.

Fonte: G1

Aviões X Carro

Aviões com preço de carro de luxo

Viagens sob suspeita

Depois de 15 dias de viagem fora do Brasil, o governador do Ceará voltou. Cid Gomes é suspeito de mau uso de dinheiro público.

O governador do Ceará, Cid Gomes, voltou neste sábado (26) de uma viagem oficial à Ásia e à Europa. Chegou em um vôo comercial e, no desembarque, falou pela primeira vez sobre uma outra viagem, feita no dia 30 de janeiro deste ano, que está sendo investigada.

Os gastos da viagem, realizada durante o carnaval, estão sendo analisados pelo Tribunal de Contas e pelo Ministério Público do Ceará. Na chegada, o governador Cid Gomes não quis comentar o assunto.

“Eu estou chegando 24 horas de viagem. Vou falar sobre isso na segunda-feira. Vou me inteirar de tudo e segunda-feira eu falo”, afirmou o governador do Ceará, Cid Gomes.

No jato fretado pelo governo do Ceará por R$ 388 mil, embarcaram Cid Gomes, a primeira-dama, a sogra, o secretário de Turismo e um assessor, com suas respectivas esposas. O objetivo, segundo o governo, era participar de feiras e reuniões nas áreas de turismo, fruticultura e energia alternativa. O roteiro incluiu hospedagens em hotéis de luxo. O valor das diárias nesses hotéis é de R$ 35 mil.

No dia 30 de janeiro, em Madri, na Espanha, o grupo ficou hospedado por duas noites no Mirasierra Suites Hotel. Segundo assessores do governo, Cid Gomes participou de uma feira de turismo.

Na segunda etapa da viagem, no dia 1º de fevereiro, a comitiva seguiu para Londres. A hospedagem foi no Hotel Hilton. O governo não informou o motivo da viagem.

De lá, foram para a Escócia. Em Glasgow, o grupo ficou no Hotel Hilton de 3 a 5 de fevereiro. Na agenda, um seminário promovido pelo Banco Mundial sobre energia renovável.

O avião seguiu para Dublin, na Irlanda, mas lá não há registro de hospedagem. De Dublin, o avião retornou para a Escócia. Na cidade turística de Edimburgo, a comitiva se hospedou no hotel Rocco Forte Balmoral, o melhor da cidade, segundo os guias de turismo. Foram dois dias no edifício histórico, vizinho a um dos castelos da Família Real britânica. O governo também não informou agenda oficial.

O fim do roteiro foi Potsdam, cidade próxima a Berlim, na Alemanha. O hotel escolhido foi o Voltaire, onde o grupo ficou entre os dias 7 e 9 de fevereiro. Lá, o compromisso oficial era uma feira de fruticultura.

Na Assembléia Legislativa, os deputados da oposição encaminharam ao Ministério Público um pedido de ação por improbidade administrativa e a devolução de R$ 166 mil aos cofres públicos referentes às passagens das três pessoas que não fazem parte do governo.

“São recursos públicos do bolso do povo cearense e que estão sendo direcionados para financiar mordomias do governador Cid Gomes”, criticou o deputado estadual Adhail Barreto (PR).

“O estado só pagou diárias para o governador e para os secretários que viajaram. O estado, na verdade, não teve nenhum ônus com essa viagem, pelo menos com as pessoas que foram além dos secretários e do governador”, declarou o líder do governo , deputado Nelson Martins (PT).

Fonte: Jornal Nacional

Pelo menos dez serão indiciados no acidente da TAM

Nove meses depois da tragédia com o Airbus-A320 da TAM, em Congonhas, a Polícia Civil de São Paulo diz ter reunido provas para indiciar pelo menos dez pessoas no inquérito que apura os responsáveis pela morte de 199 pessoas. A informação foi divulgada pelo delegado Antônio Carlos Menezes Barbosa, do 27º DP de São Paulo.

Responsável pelas investigações, Menezes Barbosa participou, neste sábado (26), do oitavo encontro dos familiares das vítimas do vôo JJ 3054. Deu-se em Porto Alegre, num auditório do Hotel Embaixador (assista aqui à reportagem da RBS).

O delegado esquivou-se de mencionar os nomes dos prováveis indiciados. Disse apenas que serão acusados de lesão corporal e homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Previu para junho a conclusão do inquérito. De resto, afirmou que a tragédia poderia ter sido evitada se uma regra da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) tivesse sido respeitada.

Trata-se da norma que proibia o pouso, em Congonhas, de aeronaves com os freios auxiliares travados. “Se a norma tivesse sido obedecida, o avião não pousaria em Congonhas e, conseqüentemente, poderia não haver acidente”, disse Menezes Barbosa.

O delegado disse ainda que tenta, há dois meses, inquirir Milton Zuanazzi, o ex-presidente da Anac que renunciou no auge da crise aérea. Deseja ouvi-lo justamente sobre a norma que diz ter sido desrespeitada.

Zuanazzi diz que não recebeu nenhuma intimação. Afirmou também que, na época do acidente, a norma mencionada por Menezes Barbosa ainda não estava em vigor.

Fonte: Josias de Souza (Blog do Josias)

Marinha encerra buscas a padre desaparecido

Buscas continuam com o Corpo de Bombeiros, montanhistas e voluntários.

Religioso partiu de Paranaguá (PR), suspenso por balões de gás, rumo a MS.

A Marinha do Brasil encerrou neste sábado (26) as buscas ao padre Adelir de Carli, desaparecido desde 20 de abril. As buscas ao religioso são feitas pelo Corpo de Bombeiros.

O padre partiu de Paranaguá (PR), no domingo, suspenso por balões de gás hélio em direção a Dourados (MS), mas sumiu no litoral norte de Santa Catarina.

De acordo com a oficial de Comunicação Social do 5º Distrito Naval de Rio Grande (RS), tenente Cátia Sandri, a Marinha retornará à operação caso algo seja localizado no mar.

Buscas continuam

Apesar da desistência da Marinha, o Corpo de Bombeiros segue com os trabalhos de busca. Os trabalhos se concentram no litoral Norte catarinense, de Balneário Barra do Sul a Penha, com um helicóptero cedido pelo Parque Beto Carrero. A operação está focada nas áreas de mata fechada.

Além disso, um grupo de seis montanhistas de Curitiba (PR) faz desde o início da manhã buscas na mata de Penha. Voluntários e membros da paróquia de Paranaguá (PR) também auxiliam nos trabalhos por terra.

Nesta manhã, duas lanchas dos bombeiros percorreram a costa, desde Balneário Barra do Sul até Penha. Outros dois jet skis fizeram buscas nas 19 praias de Penha, principalmente em cantões, frestas e fendas entre as rochas.

Reforço espiritual

Antes do início das buscas deste sábado, o bispo de Paranaguá (PR), dom João Alves dos Santos, abençoou os participantes do resgate. O irmão do padre, Marcos de Carli, está acompanhando a operação.

Fontes: G1 / Diário Catarinense

Suíço salta de pára-quedas idealizado por Leonardo da Vinci

Artefato em forma de pirâmide foi descrito pelo artista em 1483.

Olivier Vietti-Teppa pousou no aeroporto militar de Payerne, na Suíça.

O suíço Olivier Vietti-Teppa, 36, fez neste sábado (26) um salto usando um pára-quedas de 12 quilos idealizado por Leonardo da Vinci - o artefato com formato de pirâmide foi descrito pelo artista em 1483. Vietti-Teppa, que saltou de um helicóptero, pousou no aeroporto militar de Payerne, na Suíça. Essa é a primeira vez em que um pára-quedista realiza um salto completo utilizando um pára-quedas com essa estrutura, segundo as agências Associated Press e AFP.

Em junho de 2000, o britânico Adrian Nicholas testou um artefato parecido, saltando de um balão a 3 mil metros – o pára-quedas usado na época pesava cerca de 85 quilos, diz a BBC.

Para-quedista saltou de um helicóptero, na Suíça. (Foto: France Presse)Pela primeira vez, pára-quedista realizou salto completo utilizando essa estrutura. (Foto: AFP)

Olivier Vietti-Teppa pousou no aeroporto militar de Payerne, na Suíça. (Foto: AP)

Fontes: G1 / Agências Internacionais

Ilha da Madeira passa pela estratégia da Sata

Na ponte entre os continentes americano e europeus

A Madeira há muito que está na estratégia da Sata de utilizar os arquipélagos da Macanonésia como ponte entre os continentes europeu e americano. Desde 1995 que a ilha está nas rotas de crescimento da transportadora açoriana. Além das ligações entre São Miguel e a Madeira, tem voos entre esta última e Lisboa, para o Porto Santo e Paris. Outros mais estão na lista como Madrid e Paris e um sem número de charter

A Sata mantém de pé a questão da ponte aérea entre o continente português e o continente americano entre os quais os arquipélagos atlânticos da Macaronésia são o elo de ligação. Defendida por António Cansado, anterior presidente da companhia açoriana, continua a ser seguida pelo seu sucessor António Meneses. A ideia é unir os arquipélagos entre si com a consolidação da operação aérea.

Depois das ligações inter-ilhas açorianas, a Sata há muito que as liga aos Estados Unidos da América e ao Canadá. Igualmente há anos que começou a ligar as ilhas de Nemésio a Lisboa. Uma parte da ponta estava criada.

Mas a companhia queria mais. Passou a ligar regularmente a cidade de Ponta Delgada, em São Miguel, à Madeira. E o ano passado ligou-a ao Porto Santo.

Além dos inúmeros voos charter que começou a fazer a partir da Madeira, a partir de Novembro de 1995, constituindo a primeira aposta fora das suas ilhas, a Sata prepara-se para um novo passo na sua estratégia Atlântica: o início das viagens regulares entre a Madeira e Las Palmas, na ilha de Gran Canaria. Tem o primeiro voo marcado para o dia 3 de Junho. Terá duas ligações semanais: às terças e aos sábados.

O presidente do Grupo Sata deposita grande esperança nesta nova fase depois de reconhecer que a operação charter de anos anteriores correspondeu às expectativas.

A 7 de Julho a Sata Internacional acrescenta uma nova rota ao seu mapa de destinos: Madeira-Madrid-Madeira. terá uma frequência semanal, regular. Nesta fase irá prolongar-se até 22 de Setembro.

Em relação à ligação entre a Madeira e os Açores, a companhia decidiu reforçar a operação. Assim, a partir de Junho próximo, a Sata Internacional oferece três ligações semanais. Os voos partem às segundas, quartas e sextas e serão feitos pelo Airbus A320.

Para fora do país, a Sata oferece, ao longo de todo o ano, uma frequência semanal para Paris. Uma ligação inaugurada há mais de um ano, a 5 de Abril. Apresentou um comportamento muito constante ao longo de todo o Verão, o que fez com que a compahia decidisse pela manutenção da rota numa base regular e anual.

Charter

Ao nível dos voos charter, a companhia há muito que fez da sua base operacional na Madeira um dos principais pólos da sua operação aérea. Mantém, há 13 anos, uma significativa operação charter a partir da ilha.

Para este ano, entre outras, destaca-se a introdução de novas rotas em regime charter: Madeira-Nantes-Madeira; Madeira-Viena-Madeira; Madeira-Jersey-Madeira; e Madeira-Dublin-Madeira.

Companhia lucra 4,9 milhões em 2007

Em 2007, as cinco empresas do Grupo Sata movimentaram um volume de negócios na ordem dos 274 milhões de euros. Obteve um lucro consolidado de 4,9 milhões de euros.

A rede de rotas regulares da Sata Internacional conta com cerca de 20 destinos na Europa, Estados Unidos da América, regiões autónomas portuguesas e o continente.

Ao longo do ano toca mais de 50 destinos diferentes, na sua maioria em regime charter.

A companhia tem baseados na Madeira dois aviões: um Airbus A320, com capacidade para 165 passageiros e um British Aerospace ATP, com capacidade para 60 passageiros.

No total, as companhias aéreas do Grupo Sata: Sata Air Açores e Sata Internacional, operam com 13 aviões: British Aerospace ATP, Dornier DO 228, Airbus A310 e Airbus A320.

O ano passado transportaram em conjunto cerca de 1,4 milhões de passageiros.
A Sata foi fundada em 1941.

Transportadora com tarifas “light” para Lisboa

A Sata Internacional também fez o trabalho de casa e no dia em que a liberalização do espaço aéreo entrou em vigor, 24 de Abril, lançou um novo plano tarifário para as ligações aéreas entre o continente e a Madeira.

Estabelecidas as novas regras, a companhia criou um leque tarifário mais atractivo para os residentes que começam em 74,30 euros por trajecto, com taxas de 43,30 euros incluídas. Deste montante há a descontar 30 euros do subsídio social de mobilidade a que os passageiros residentes na Madeira têm direito.

Fonte: Jornal da Madeira

Estados contarão com aviões agrícolas no combate às queimadas

Uma das primeiras providências definidas pelo Comitê de Gestão do Fogo, que se reuniu pela primeira vez na semana passada, é a utilização de aviões agrícolas para combater as queimadas nas áreas mais afetadas no país.

O órgão definiu ainda que o governo ampliará as ações preventivas, principalmente por meio da educação ambiental e ainda criar comitês regionais de gestão do fogo e envolver toda a sociedade no processo.

De acordo com a Defesa Civil, o objetivo das reuniões do Comitê de Gestão do Fogo é agregar idéias, para que toda a sociedade contribua com o combate às queimadas.

Em 2007, foram registrados aproximadamente 52 mil focos de incêndios no país, sendo que cerca de 30 mil foram registrados justamente no período proibitivo, entre 15 de julho e 30 de setembro.

Fonte: Amazônia Org

Varig pretende trocar aviões até o final do ano

Com concentração da malha doméstica na América do sul, a Varig Linhas Aéreas pretende trocar até o final do ano 15 aviões 737-300 por 737-800. A substituição, segundo Sérgio Valentim – gerente comercial da companhia aérea – resultará em mais conforto e agilidade nos vôos. "São aviões com maior capacidade de passageiros, maior conforto a bordo e maior espaço", garante.

No momento, além de quatro vôos para a América do Sul – Buenos Aires, Santiago, Caracas e Bogotá, a Varig trabalha 14 destinos no Brasil. "Fizemos um mini hub em Brasília, com saídas diretas para Recife, Manaus, Salvador, Fortaleza, Porto Alegre, São Paulo e, ainda, conexões para Curitiba e Florianópolis", conta.

Fonte: Mercado e Eventos

Foguete russo lança satélite europeu que verificará tecnologia do Galileo

Um foguete espacial russo colocou hoje (27) em órbita o segundo satélite do Sistema Galileo, chamado Giove-B, que verificará a tecnologia necessária para o futuro êxito deste sistema europeu de navegação por satélite.

O foguete Soyuz-FG foi lançado a partir da base de Baikonur, que a Rússia aluga ao Cazaquistão na Ásia Central, às 04h26 de domingo, no horário local (19h16 do sábado de Brasília), informaram as autoridades russas.

Segundo a Agência Espacial Européia (ESA), o lançamento representa uma "etapa decisiva" em um programa idealizado para concorrer com o sistema de localização americano GPS em um horizonte de cinco anos.

O satélite, desenvolvido por cientistas franceses, italianos, espanhóis, alemães e britânicos, vigiará as freqüências atribuídas ao sistema e comprovará o funcionamento do "relógio atômico mais preciso do espaço", que dará mais qualidade ao sistema Galileo.

O Giove-B, de meia tonelada de peso, não fará parte dos 30 satélites do sistema Galileo que a ESA colocará em órbita até o fim de 2013, mas servirá para verificar diferentes elementos técnicos do mesmo.

O aparelho, construído por Astrium e Thales Alenia Space, substituirá o Giove-A, lançado ao espaço em dezembro de 2005 também em uma missão de testes técnicos e que já superou seu prazo de vida útil.

O lançamento destes dois satélites experimentais faz parte da "fase de validação em órbita", na qual está previsto o lançamento de outros dois, para o futuro sistema Galileo.

Pedro Pedreiro, representante da ESA, informou recentemente em Moscou que a União Européia (UE) destinará 350 milhões de euros (US$ 547 milhões) para sete anos de trabalhos de pesquisa sobre navegação por satélite.

Segundo o funcionário, a decisão da UE em dezembro passado de relançar o projeto Galileo para competir com o GPS se deve em particular ao fato de que o mercado de serviços de navegação por satélite crescerá 45% até 2011, segundo cálculos da ESA.

Para este ano, a maior parte dos telefones celulares estarão dotados da função de localização e navegação por satélite, afirmou Pedreiro, acrescentando que para o projeto Galileo, a ESA já criou centros de serviço no Brasil, na China e no Egito.

Fonte: EFE

sábado, 26 de abril de 2008

Boeing anuncia testes com concorrente do avião gigante

A Boeing anunciou que o avião 787 Dreamliner, principal concorrente do gigante Airbus A-380, foi transferido nesta tarde para a plataforma de testes da fábrica da empresa em Everett, no Estado americano de Washington. De acordo com a Boeing, os testes de vôo começarão em junho. Paralelo aos trabalhos, será concluída a montagem da aeronave.

"Durante os testes de estática no avião podemos simular as operações normais, assim como condições extremas de vôo", disse Randy Harley, vice-presidente da Engineering & Technology, que trabalha no projeto. "Nós monitoramos o avião para ter certeza que a estrutura pode agüentar essas condições", afirmou.

No início do mês, a Boeing informou que adiaria novamente a entrega do 787 Dreamliner. A aeronave não deve chegar antes do terceiro trimestre de 2009. A previsão anterior era de estréia em maio. O quarto atraso na entrega foi causado por problemas no fornecimento de peças. Mais de 50 companhias aéreas fizeram 900 pedidos firmes de compra do aparelho.

A primeira entrega do 787 é para a All Nippon Airways e acontecerá no terceiro trimestre de 2009, informou a Boeing. A expectativa anterior era que a entrega fosse feita no início do ano que vem.

De acordo com a Boeing, os testes de vôo começam em junho

Fonte: Terra

Parentes de vítimas do acidente da TAM se reúnem em Porto Alegre

Eles devem discutir o destino dos fragmentos dos corpos que ainda estão no IML.

Inquérito policial sobre o acidente deve ser concluído em junho.



Familiares das vítimas do acidente da TAM, que aconteceu em julho do ano passado, em São Paulo, e causou a morte de 199 pessoas, estão reunidos em Porto Alegre, neste sábado (26). O encontro termina domingo (27), com um protesto no aeroporto Salgado Filho.

A aeronave, um Airbus A320, vôo JJ 3054, partiu de Porto Alegre às 17h16 e pousou em São Paulo às 18h48 do dia 17 de julho. Percorreu toda a pista, virou à esquerda e atravessou uma avenida antes de bater no prédio, onde a empresa mantinha um depósito. O acidente foi o maior da aviação no país.

Os familiares também pretendem discutir, entre outros assuntos, o destino de fragmentos dos corpos que ainda estão sob a guarda do Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo. Há fragmentos identificados de 30 pessoas.

O inquérito policial sobre o acidente deve ser concluído em junho. Esta semana as investigações começaram a ser acompanhadas um advogado criminalista contratado pelos parentes. Todos pedem a responsabilização da TAM, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

No fim da manhã deste sábado, o grupo seguiu até o centro de Porto Alegre, onde fez uma manifestação pedindo segurança aérea no país.

Fonte: G1

Avião cai durante show aéreo e mata espectador na Alemanha

Polícia ainda não sabe a causa do acidente.

Oito pessoas ficaram feridas.


Integrante do grupo de apoio olha para pequena aeronave que colidiu perto da pista de decolagem do aeroporto de Grossenlupnitz, na cidade alemã de Eisenach. (Foto: Jens-Ulrich Koch/AFP)

Imagem mostra o que sobrou do avião após o acidente (Foto: Jens-Ulrich Koch/AFP)

Equipe de resgate socorre uma das vítimas que assistia ao show aéreo no aeroporto. No total, uma espectador morreu e oito pessoas ficaram feridas (Foto: Michael Reichel/AP)

Pelo menos uma pessoa morreu e oito ficaram feridas ao serem atropeladas por um pequeno avião Zlin Z-37A, prefixo D-ESVU, que saiu da pista do aeroporto alemão de Eisenach-Kindel, no leste do país. Um porta-voz da polícia disse que entre os feridos há quatro em estado grave. Segundo informações, o grupo de pessoas atropeladas pelo avião estava em um bar no fim do aeroporto.

A polícia ainda não sabe a causa do acidente. — O número de vítimas pode ser maior ainda — disse o porta-voz, segundo quem "a operação de resgate ainda continua".

O acidente aconteceu por volta das 16h (11h de Brasília), quando o pequeno aparelho, um modelo antigo de fumigação que atualmente era usado para exibições, tentava decolar. Aparentemente, o aparelho continuou rodando até alcançar um grupo de pessoas que participava de uma festa popular que acontecia no terminal aéreo.

Fontes: G1 / Zero Hora / EFE

O "pai de todos os aeroportos modernos" está com os dias contados

O pioneiro da aviação, Orville Wright, voou sobre suas campinas verdejantes, o primeiro vôo marcado da companhia aérea nacional da Alemanha, a Lufthansa, decolou daqui, assim como foi cenário da Berlin Airlift. No domingo, Berlim votará sobre se a decisão de fechar o aeroporto foi acertada

Reinhard Mohr

Isto já se sabe: poucas capitais no mundo possuem um aeroporto localizado quase no meio da cidade. São necessários 15 minutos para se chegar de bicicleta do Aeroporto Tempelhof de Berlim até o cruzamento das duas vias mais importantes da cidade, Friedrichstrasse e Unter den Linden, e 20 minutos até o Portão de Brandenburgo e ao monumental Reichstag, que abriga o Parlamento alemão.

Do teto do enorme complexo semicircular do aeroporto, 1.230 metros de uma ponta a outra, o mar de prédios de Berlim parece situado no meio de uma vasta pradaria, a região plana que o primeiro chanceler da Alemanha Ocidental pós-guerra, Konrad Adenauer, famosamente apelidou de o início das estepes russas. Outros contemporâneos tinham uma idéia consideravelmente mais romântica deste senso de vastidão único. "O aeroporto em Tempelhof une as características de um mar interno com o anseio por lugares distantes", disse certa vez um observador encantado. Axel Schultes, o arquiteto que projetou a nova Chancelaria no distrito de Mitte da cidade, chegou até mesmo a descrever Tempelhof como um "aeroporto ícone".

Foto mostra avião do exército americano (último à dir.) no aeroporto Tempelholf em 1948

No domingo, os berlinenses votarão em um referendo sobre se Tempelhof, que sir Norman Foster chamou de "o pai de todos os aeroportos modernos", deve ser fechado no final do ano ou continuar existindo como um aeroporto comercial -pelo menos até que o novo aeroporto Internacional de Berlim-Brandenburgo (BBI) seja inaugurado em 2013 em Schönefeld, um distrito localizado longe do centro da cidade.

Nos últimos meses, uma disputa com as características de uma guerra religiosa irrompeu entre os defensores da manutenção de Tempelhof aberto e aqueles que concordam com a decisão controversa da prefeitura de fechá-lo. Todos os argumentos aparentemente racionais de lado -uma série de considerações legais, econômicas e ambientais, assim como preocupações de planejamento urbano- a verdadeira questão é uma idéia, um mito e uma lenda que cerca uma cidade que, nos últimos 100 anos, foi refeita mais de uma vez em conseqüência de sua história angustiante.

Duas guerras mundiais e uma meia revolução em 1968, os anos 20 "dourados", Hitler e o Holocausto, a devastação do período pós-guerra, o status de cidade ocupada por quatro potências segundo um acordo imposto pelos Aliados e a lendária (ponte aérea) Berlin Airlift, quando os bombardeiros americanos traziam alimentos e suprimentos para a cidade durante o bloqueio soviético a Berlim Ocidental em 1948, a construção do Muro de Berlim e a Guerra Fria. Para muitos, a questão de Tempelhof também toca na identidade de uma cidade que mudou rapidamente após a queda do Muro. Também levanta questões sobre o futuro de Berlim.

Um pasto de ovelhas no coração do Reich alemão

Inicialmente, Tempelhof era apenas uma grande campina na margem sul da velha Berlim, para onde pastores levavam suas ovelhas para pastar. Ele era conhecido como Campo de Tempelhof e posteriormente se tornou local de exercícios militares do exército prussiano. Grupos de soldados marchavam de um lado a outro de Tempelhof, um ponto de parada para as unidades de cavalaria e infantaria do exército. Até mesmo o kaiser Wilhelm 2º fazia uma aparição ocasional, como no verão de 1896, quando percorreu a área a cavalo, exibindo um enorme capacete emplumado.

Por volta da virada do século, a área de 282 hectares ainda era um destino popular para os moradores da cidade e suas caminhadas dominicais, quando deixavam suas moradias soturnas para trás por um dia em busca da luz solar, ar fresco e vistas distantes.

Em agosto de 1909, o pioneiro da aviação americano, Orville Wright, percorreu chacoalhando a campina em sua máquina voadora feita em casa, realizando o feito notável de permanecer suspenso no ar sobre Berlim por um minuto inteiro.

Em 1926, após a Primeira Guerra Mundial ter estimulado rápidos avanços na tecnologia da aviação e outros terem realizado seus próprios experimentos voadores aventureiros, o primeiro vôo marcado da Deutsche Luft Hansa decolou do Campo de Tempelhof, com destino a Zurique. A companhia aérea que posteriormente se transformaria na atual Lufthansa alemã decolou da pia batismal de Tempelhof. Apesar de já ser um aeroporto na época, Tempelhof consistia de apenas dois pequenos terminais e uma pista improvisada. Zeppelins partiam de Tempelhof, e o aeroporto já estava ligado ao metrô de Berlim em 1927.

Berlim estava passando por um boom e estava prestes a substituir Paris como cidade-chave da Europa. Em seu romance épico da virada do século "Berlin Alexanderplatz", Alfred Döblin escreveu que os cabarés e teatros em Friedrichstrasse prosperavam, enquanto a febre esportiva mais recente se espalhava rapidamente. Mais rápido, mais alto, mais longe -estas eram as palavras-chave da nova era. O texto de uma peça de propaganda de 1929 para a Convenção Mundial de Publicidade e Propaganda refletia o estilo expressionista da época: "A vida, a vida pulsante, está se movendo em velocidades vertiginosas em Berlim, o coração do Reich! Quatro milhões de pessoas em movimento, a décima quinta parte da população alemã em passos ligeiros! E enquanto tudo no solo está correndo e abrindo caminho pela cidade, o motor canta nos céus! Que vista esplêndida: o Aeroporto de Tempelhof!"

Uma criação nazista estragada, com uma marca americana

O estilo de vida pulsante da cidade teve um fim abrupto em janeiro de 1933, quando as tropas de assalto de Hitler marcharam pelas ruas de Berlim. Em 1935, o führer se envolveu pessoalmente nos planos de um "aeroporto mundial" em sua futura capital, que seria rebatizada de "Germânia", e exigiu que a nova arquitetura fosse "eterna" e "irresistível", até mesmo "esmagadora" e, acima de tudo, que atestasse a "grandeza de nossa fé".

O complexo simétrico, com seu terminal aparentemente interminável, foi construído em tempo recorde, apenas dois anos, sob a direção de Ernst Sagebiel, apelidado de "construtor mais veloz do Reich". Quando concluído, o complexo contava com 285 mil metros quadrados de espaço, divididos entre 49 prédios, 7 hangares e 9 mil escritórios. Os resultados foram impressionantes: linhas surpreendentemente limpas, com janelas estreitas na fachada do prédio principal, criando um efeito rítmico, como cascata, combinando com um toque sulista resultante do uso generoso de pedra calcária. Era um bastião teutônico com elementos de art déco.

Um fundo para Dietrich e Monroe

O fato da estrutura, que ao lado do Pentágono em Washington e do monstruoso prédio do Parlamento em Bucareste é um dos maiores prédios "free-standing" do mundo, não ter entrado para a história como uma criação nazista se deve em parte à sua qualidade estética inquestionável e em parte às influências americanas. Foram os americanos que concluíram o terminal de embarque, um prédio estranhamente fascinante até hoje, entre 1959 e 1962. Os nazistas, distraídos pela guerra, colocaram o projeto em espera. Eles estavam mais interessados em montar seus bombardeiros em um túnel ferroviário abandonado nas vastas catacumbas de Tempelhof.

Quando as tropas soviéticas foram as primeiras a chegar ao aeroporto em abril de 1945, elas invadiram as câmaras subterrâneas. Quando usaram granadas de mão para abrir as portas reforçadas, o bunker secreto de filmes e arquivos da Wehrmacht foi destruído pelas chamas. O celulóide valioso queimou por dias, e as paredes permanecem escurecidas até hoje.

Após travar uma disputa de poder com os russos que durou semanas, as Forças Armadas americanas tomaram Tempelhof em julho de 1945 e expandiram o complexo, que contava até mesmo com sua própria usina elétrica e sistema de água quente, o utilizando como base por décadas. Os últimos soldados americanos partiram apenas em 1993.

No último andar do prédio, onde os nazistas planejavam construir um grande restaurante, a Força Aérea americana instalou uma pista de boliche e uma quadra de basquete em um estilo clássico, que se tornou um marco protegido há muito tempo. O imenso "Salão da Glória", tão atemporal quanto excessivo, que os arquitetos nazistas projetaram originalmente como uma estrutura de cinco andares, nunca foi concluído. Dificilmente alguém atualmente imaginaria este "Salão da Glória" nazista por trás do letreiro simples "Aeroporto Central de Tempelhof", acima da entrada.

Os anos 60 marcaram o auge de Tempelhof. A viagem aérea crescia rapidamente e astros e diretores de cinema -Marlene Dietrich, Billy Wilder, Gary Cooper, Marilyn Monroe, Romy Schneider- gostavam de usar sua grande escala como pano de fundo para suas aparições públicas.

O começo do fim

Mas o aeroporto também começava a exibir desgastes, e o novo Aeroporto Tegel de Berlim foi inaugurado em 1975. Depois disso, veio o declínio, lento mas constante, para Tempelhof. O volume de passageiros diminuiu, em parte porque as pistas eram curtas demais para os novos jatos maiores. Quando a Lufthansa finalmente transferiu todas as suas operações para Tegel em 1994, muitas outras companhias aéreas fizeram o mesmo. Em 1996, o governo federal, a prefeitura de Berlim e o Estado de Brandenburgo chegaram a uma chamada decisão de consenso: o tráfego aéreo em Tempelhof teria que ser cancelado tão logo a aprovação oficial dos planos para o novo megaaeroporto da cidade, o BBI, se tornasse lei.

A construção do novo aeroporto em Schönefeld está em andamento há meses, mas a controvérsia em torno de Tempelhof ainda prossegue. Seus defensores querem que ele seja preservado como aeroporto comercial, argumentando que é a base ideal para aviação privada e recreativa, assim como para tarefas especiais nas instalações de serviço relacionadas. Os oponentes querem ver Tempelhof transformado em museu, juntamente com novos prédios residenciais em um ambiente semelhante a um parque.

Mas uma coisa Tempelhof continuará sendo: um monumento de outra época. A demolição do aeroporto não está nos planos, pois é protegido como patrimônio histórico.

Fonte: UOL Mídia Global

Pequeno avião cai na Alemanha

Foto do avião Zlin Z-37A, prefixo D-ESVU

Hoje (26), um pequeno avião particular modelo Zlin Z-37A, prefixo D-ESVU, acidentou-se na pista do Aeroporto Eisenach-Kindel (EDGE), na Alemanha durante um show aéreo.

Uma pessoa em solo morreu. Mais informações a seguir.

Fonte: ASN - Foto: Airliners

Singapore Airlines recebe quarto avião Airbus A380 na França

A companhia aérea Singapore Airlines recebeu hoje (26), em Toulouse (sul da França), seu quarto Airbus A380, que deve voar hoje mesmo em direção a sua base de operações na Ásia.

O avião, entregue no prazo previsto após os atrasos na fabricação do A380, vai ser usado, a partir do fim de maio, na rota Cingapura-Tóquio, afirmaram fontes da companhia aérea presentes à cerimônia.

Os outros três A380 encomendados pela Singapore Airlines foram entregues em março passado e em outubro e janeiro de 2007.

A Airbus deve entregar mais dois A380 à companhia aérea no segundo semestre deste ano.

Este ano, a Airbus se comprometeu a entregar 15 A380, dos quais quatro irão para a australiana Qantas e outros quatro para a Emirates.

Fonte: EFE - Foto: AFP

Aviões da Embraer substituirão Sucatinhas

O Lineage 1000 da Embraer

Cada unidade vai custar US$ 41 mi

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aguarda a apresentação pela Embraer ao Palácio do Planalto dos termos do contrato para a compra do avião brasileiro - a sofisticada versão Lineage 1000 do jato Emb-190 - que vai substituir os dois Sucatinhas, velhos Boeing-737, usados como reservas do Airbus 319, o Aerolula. A primeira unidade, a um preço estimado de US$ 41 milhões, seria entregue até dezembro. O custo é menor, em média, US$ 15 milhões ao da concorrência. A entrega do segundo avião está prevista para 2009.

O presidente quer empregar a aeronave nacional em funções mais nobres que as de mero equipamento substituto. Lula pretende fazer com o Lineage as viagens regionais de sua agenda. Na reunião que tratou do assunto, há pouco mais de um mês, Lula disse que quer ser “o garoto-propaganda da indústria aeronáutica”.

O chefe da assessoria militar da Presidência da República, brigadeiro Joseli Camelo, confirmou ao Estado que a decisão de substituir os Boeing-737 - comprados pelo ex-presidente Ernesto Geisel há mais de 30 anos - por aviões da Embraer já tinha sido tomada pelo presidente Lula em 2005, quando foi adquirido o Airbus, na França. O brigadeiro ressaltou, no entanto, que o processo ganhou velocidade em outubro do ano passado, depois que um dos Sucatinhas, que atuava como alternativa ao A-319 presidencial, sofreu pane técnica em uma turbina, durante vôo pela África.

“A Embraer está trabalhando na elaboração do projeto e irá apresentá-lo ao governo brevemente”, revelou Joseli Camelo. O acerto técnico está a cargo do comando da Aeronáutica. Segundo o oficial, ao encomendar o estudo à Embraer, o governo apresentou algumas especificações que o avião da empresa precisa seguir para atender às exigências da Presidência da República. Entre elas destacam-se o alcance da aeronave, que terá de ter autonomia para, saindo de Brasília, voar para todos os países da América do Sul ou para atravessar o Oceano Atlântico e de ser capaz de pousar em pistas curtas, como, por exemplo, no Aeroporto Santos Dumont, que tem 1.300 metros. Além disso, deve oferecer uma confortável seção privativa para o gabinete do presidente e cerca de 40 lugares. A eletrônica de bordo precisa ser completa - permitindo que as decisões de comando, as comunicações e as atividades de inteligência do governo possam funcionar a bordo com segurança.

A Embraer está trabalhando na adaptação de sua aeronave. Além da Presidência do Brasil, também a da Argentina optou pelo mesmo avião. Cristina Kirchner vai trocar o Boeing-757 Tango Uno por um Lineage 1000.

O arranjo padrão do avião acomoda uma suíte, com cama de casal, TV de alta definição, conjunto sonoro, banheiro com ducha, poltronas de couro e mesa. Voa a 850 km por hora, com alcance máximo de 7.778 km - o suficiente para ir de Nova York a Paris ou Londres sem escala. O bagageiro pode ser acessado de dentro da cabine.

Fonte: Roberto Godoy e Tânia Monteiro (O Estado de S.Paulo) - Foto: Divulgação

Juiz questiona ação de familiares do vôo da Gol nos EUA

O juiz Brian M. Cogan, da Corte Federal de Nova York, levantou nesta sexta-feira (25) questões sobre a permanência nos Estados Unidos do processo aberto por familiares das vítimas do acidente do vôo 1907 da Gol contra empresas americanas.

Em uma audiência de duas horas, em que deveria ouvir os argumentos finais para decidir se a ação das famílias contra empresas americanas pode prosseguir nos EUA, o juiz fez diversas perguntas sobre o sistema judiciário brasileiro.

Cogan perguntou aos advogados das famílias sobre o código civil brasileiro e se os familiares das vítimas poderiam ser recompensados integralmente caso ganhassem um processo contra a Gol.

O juiz também pediu que a empresa americana ExcelAire --proprietária do jato Legacy que se chocou contra o Boeing 737 da Gol-- e os dois pilotos do jato, Joseph Lepore e Jan Paladino, escrevessem uma carta prometendo não contestar a jurisprudência da Justiça brasileira e cooperar além do que é exigido pela lei brasileira, o que incluiria a gravação do testemunho dos pilotos em video.

A decisão do juiz deve sair nas próximas semanas. Os advogados das famílias deverão apresentar mais documentos até terça-feira, e os advogados das empresas podem submeter respostas até sexta-feira.

O vôo 1907 da Gol caiu sobre uma área de floresta no Estado de Mato Grosso em 29 de setembro de 2006, depois de colidir no ar com o Legacy da ExcelAire.

O Boeing 737 ia de Manaus a Brasília. Todas as 154 pessoas a bordo morreram no acidente, que desencadeou uma crise no setor aéreo brasileiro.

O Legacy, pilotado pelos americanos Joseph Lepore e Jan Paladino, conseguiu pousar com apenas alguns danos na asa da aeronave.

Interesse

O processo nos EUA foi aberto por familiares das vítimas contra empresas americanas envolvidas no caso, entre elas a ExcelAire e a Honeywell --fabricante do transponder do jato, um rádio receptor-transmissor que envia e recebe sinais, incluindo o tipo de avião e sua altitude, para outros aviões e as torres de controle.

No corredor do tribunal, os advogados das famílias lembraram que a questão de "foro não conveniente" ainda não foi julgada e que só saberão as verdadeiras intenções do juiz quando a decisão for publicada.

"Nós argumentamos que provavelmente as famílias não seriam integralmente recompensadas no Brasil e que a essência deste caso está aqui nos EUA", disse Lexi Hazam, que representa 56 famílias.

"O fato [de o juiz] ter dedicado duas horas mostra que ele está interessado no caso", disse Leonardo Amarante, que trabalha em parceria com Hazam.

Durante a audiência, Hazam disse que os pilotos americanos continuam com suas licenças e podem pilotar nos EUA e em outros países e que o transponder da Honeywell continua sendo comercializado.

"Só um juiz americano poderia impedir isso", disse Hazam. "A questão é de interesse público americano, sim."

Os advogados da Honeywell, Don G. Rushing e Charles L. Kerr, argumentaram que o caso deveria ser julgado no Brasil porque o acidente ocorreu em território brasileiro, a investigação está sendo conduzida pelo governo brasileiro e a maioria das vítimas é brasileira.

Eles disseram ainda que seria um ato "centrista americano" achar que o sistema judiciário dos EUA é melhor que o do Brasil, e que a justiça brasileira tem condições muito melhores para julgar o caso.

Fonte: BBC Brasil

Vôo de Boeing chama atenção de moradores de Fortaleza

O barulho das turbinas chamou atenção das pessoas, desacostumadas a ver, tão de perto, uma aeronave de grande porte. Era um vôo de treinamento.

O Boeing KC-137 é uma versão militar do Boeing 707 - Acima o FAB2401

A passagem de um Boeing 707-300 da Força Aérea Brasileira (FAB) pelo Centro de Fortaleza, anteontem (24), deixou muita gente curiosa e assustada com o barulho das turbinas. "Hoje é dia de alguma coisa?", "Acho que ele estava esperando a gasolina acabar para pousar porque foram muitas voltas, e tão baixinho, na altura das árvores", relatou um grupo de idosas que ainda estava na praça do Carmo, no final da tarde de ontem, minutos depois da passagem do avião. Lourdes Braga, Fátima Andrade e Glória Maria distribuíam mensagens na praça quando foram surpreendidas pelo avião.

"Nós tivemos vários pensamentos sobre o que estaria fazendo o avião aqui em cima. Imaginei que fosse alguma comemoração, não sei", disse Glória. "Pensei que talvez a pista de pouso não agüentasse o peso do avião e ele precisasse gastar o combustível para ficar mais leve", relatou Lourdes. Fátima disse que viu o corpo do avião bem de perto: "Era cor de alumínio, mas não tinha nada escrito". "O barulho foi tão grande que a gente não se ouvia. Um zumbido forte que chegou a irritar. A gente até parou de conversar", descreveu Lourdes.

O dono de banca de revista, Rafael Moura, 21, ao contrário das senhoras, não prestou muita atenção no barulho do Boeing sobrevoando o Centro. "Eu nem prestei atenção. Pela zoada, achei que o avião estivesse voando bem baixo. Mas não deu para ver muito porque estava dentro da banca", disse.

Já o motorista de táxi Jésio de Araújo Pires disse que a visão da aeronave, de dentro de uma van, voando sobre a BR-116, foi de encher os olhos. "Coincidiu do avião passar bem na hora que a van passava pela BR. Deu pra ver as quatro turbinas, era um avião grande. Fiquei admirado e o pessoal de dentro da van também. A gente da Capital está mais acostumado a ver avião, mas quem vem do Interior estranha", disse Jésio. "Achei que fosse treino. Eu estou acostumado a ouvir o barulho dos aviões fazendo treino. Do meu bairro, o Jóquei Clube, dá para ouvir", descreveu.

O Boeing 707-300 da FAB fazia treino de transporte no céu de Fortaleza ontem no final da tarde, segundo informação da assessoria de comunicação da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). A passagem baixa por bairros da cidade chamou atenção de populares porque, para o treino, foi utilizada uma aeronave fora do costume. A Infraero informou que o treino de transporte é costumeiramente feito com aeronaves de pequeno porte.

Fonte: A Tarde (CE)

Avião cai em fazenda próximo a Sinop e dois ficam feridos

Um avião agrícola (possivelmente um EMB 201 Ipanema) caiu, por volta das 17hs de segunda-feira passada (21), em uma fazenda a 20 km de Sinop, próximo a rodovia MT-220 (Sinop-Juara). Alexandre Freire, 24 anos e Antonio Nilson de Souza, ficaram feridos. Eles foram socorridos por funcionários da fazenda e chegaram, agora há pouco, no Pronto Atendimento de Sinop onde foram medicados e submetidos a exames. O sargento Pitágoras, do Corpo de Bombeiros, informou que Antonio chegou desacordado.

Familiares dos feridos foram ao Pronto Atendimento em busca de informações de Alexandre e Antonio Nilson. Os dois acabaram sendo transferidos, por volta das 19:50h, para um hospital particular e estão em Unidade de Tratamento Intensivo - UTI.

As causas do acidente são desconhecidas. O avião caiu quando tentava decolar.

Sinop: vítimas de acidente aéreo continuam na UTI
(22/04)

Permanecem internados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), de um hospital em Sinop, Antonio Nilson de Souza e Alexandre Freire. Os dois estavam em um avião agrícola que caiu em uma fazenda a cerca de 20 km de Sinop, próximo a MT-220 (Sinop-Juara).
O estado de saúde deles ainda não foi informado.

Conforme Só Notícias já informou, os dois foram socorridos por funcionários da fazenda. Receberam os primeiros atendimentos no Pronto Atendimento, por volta das 18:hs e, mais tarde, foram transferidos para o hospital.

Não foi confirmado as circunstâncias em que houve o acidente, bem como as causas. Pode ter ocorrido durante decolagem. Uma testemunha, que acionou os bombeiros, informou apenas que estava observando o pessoal trabalhar na fazenda quando viu o avião caindo.

As Polícia Civil e perícia informaram que não foram acionadas, já que não houve vítima fatal e a competência para acidentes aéreos é da Aeronáutica.

Cenipa investiga queda de avião agrícola em Sinop
(24/04)

Uma equipe do 6ª Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) esteve na fazenda onde caiu um avião agrícola em uma fazenda, a cerca de 20 km de Sinop, na última segunda-feira. A vistoria in loco e na aeronave tem como objetivo apurar as causas do acidente. O laudo pode sair em até 90 dias.

No acidente, ficaram feridos Antonio Nilson de Souza e Alexandre Freire. Eles chegaram a ficar internados em leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTIs), em um hospital da cidade. Alexandre já está em um quarto.

Uma testemunha, que acionou os bombeiros no dia, informou que estava observando o pessoal trabalhar na fazenda quando viu o avião caindo. Não foram confirmadas as circunstâncias do acidente.

Fontes: Só Notícias / Leitor: Saul Galeno Rubick

Porto Alegre não terá sistema antineblina, diz militar

O Aeroporto Internacional Salgado Filho sob forte neblina

Superintendente da Infraero no Estado se surpreendeu com declaração de tenente-brigadeiro

Uma informação dada pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) surpreendeu ontem a Superintendência Regional do Sul da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero).

Segundo reportagem publicada no jornal Valor Econômico na quarta-feira (23), o chefe do Decea, tenente-brigadeiro Ramon Borges Cardoso, disse que a instalação de um novo sistema antineblina no Aeroporto Internacional Salgado Filho havia sido cancelada.

De acordo com o tenente-brigadeiro, não foi possível autorizar a troca do ILS 1 pelo ILS 2 - nome dado ao sistema de pouso por instrumento - "devido à concentração de invasões residenciais nas proximidades" do Aeroporto Internacional Salgado Filho.

- A obra teve início em outubro passado. Está em fase de conclusão - afirma Marco Aurélio Franceschi, superintendente adjunto da Infraero no Estado, não entendendo a informação divulgada pelo tenente-brigadeiro.

A assessoria de imprensa da Infraero em Brasília confirmou a realização da troca de equipamentos e acrescentou que a instalação deverá ser concluída em julho. O novo instrumento será capaz de reduzir em 25% os fechamentos para vôos devido à neblina e permitirá aos pilotos uma visibilidade de pista 50% maior.

Obras de infra-estrutura estão com 30% concluídas

Segundo o Departamento Municipal de Habitação (Demhab) da prefeitura de Porto Alegre, as 1,1 mil famílias da Vila Dique e cerca de 400 da Vila Nazareth, situadas próximas à cabeceira da pista do Salgado Filho, serão reassentadas em um loteamento que está sendo construído na Zona Norte, junto ao Complexo Cultural do Porto Seco.

Cerca de 30% das obras de infra-estrutura da nova área foram concluídas, e a transferência das famílias deve ocorrer, no máximo, em 2009, segundo o Demhab. A mudança permitirá a ampliação da pista do aeroporto e permitirá também que aeronaves maiores e com mais carga poderão descer na Capital.

Diferenças

ILS 1 - para ser usado, o teto de vôo (camada de nuvens) não pode estar abaixo de 60 metros, e o piloto precisa ver a pista quando estiver a 800 metros da cabeceira

ILS 2 - nesse caso, o equipamento permite que o teto seja de 30 metros e o piloto pode ver a pista a 400 metros da cabeceira

Fonte: Zero Hora - Foto: Tobias Jung (Terra)

Vasp a venda, Despacho Judicial





Recuperação Judicial da VASP

23/04/2008

Despacho Proferido

Certifico e dou fé que o edital que segue foi disponibilizado no Diário da Justiça Eletrônico em 22/04/2008: Edital de venda mediante propostas, expedido nos autos da Recuperação Judicial de VASP - Viação Aérea São Paulo S/A. Proc. nº 583.00.2005.070715-0 (nº de Ordem 57/2005). O Dr. Alexandre Alves Lazzarini, Juiz de Direito da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, na forma da Lei, etc... Faz Saber aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem e interessar possa, que foi determinada a venda da VASP - Viação Aérea São Paulo S/A ou de unidades isoladas, sendo designada audiência para o dia 13 de maio de 2008, terça-feira, às 14:00 horas, a ser realizada na sala nº 1629 (16º andar), do Fórum João Mendes Jr., à Praça João Mendes, s/nº, para que qualquer interessado, apresente, publicamente e por escrito, suas propostas de compra da VASP - Viação Aérea São Paulo S/A ou de unidades isoladas. E, para que chegue ao conhecimento de todos, é expedido o presente edital, por extrato, que será afixado e publicado na forma da Lei. São Paulo, 15.04.2008.

Fonte: SNA

Justiça vai enviar questionário a pilotos do Legacy

A Justiça brasileira concluiu ontem a elaboração de 106 perguntas para serem enviadas aos Estados Unidos, onde moram e serão ouvidos os pilotos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino - são 53 indagações para cada um. Eles estavam no comando do jato Legacy que, por estar fora do plano de vôo e com o transponder (aparelho de segurança que identifica o avião no radar e integra o sistema de alerta anticolisão) inoperante bateu no Boeing 737-800 da Gol, em 29 de setembro de 2006, causando a queda do avião e a morte de 154 pessoas.

As perguntas, formuladas pelo juiz federal Murilo Mendes, de Sinop (MT), serão traduzidas para o inglês e enviadas para o Judiciário americano, que interrogará os pilotos. Mendes queria falar com Lepore e Paladino no Brasil, mas a defesa dos americanos conseguiu que eles fossem ouvidos por carta rogatória. A resposta dos pilotos será anexada ao processo em que são acusados de “atentado contra a segurança de transporte aéreo”, com agravante pelas 154 mortes, conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF).

Fonte: Gazeta Online

Aeroportos britânicos terão 'scan facial' de passageiros

Os passageiros com passaportes europeus que desembarcarem nos aeroportos britânicos a partir da metade do ano começarão a ser submetidos a uma checagem por um sistema automático de reconhecimento facial.

O sistema de 'scan facial', que deve substituir a checagem de identidade feita pelos funcionários do serviço de imigração, tem como objetivo aumentar a segurança e reduzir o tempo que os passageiros esperam na fila.

Inicialmente, o sistema estará disponível apenas para os portadores de passaportes recentes emitidos pelos países da União Européia e que têm chips com informações biométricas.

O sistema terá a capacidade de identificar as características da face do passageiro e comparar os dados com as informações armazenadas no chip do passaporte para confirmar a identidade do portador.

Porém a confiabilidade e a precisão do sistema são colocadas em dúvida por alguns especialistas e por ONGs.

Críticas

Em uma reportagem publicada pouco antes de os novos passaportes com dados biométricos começarem a ser emitidos pelo Reino Unido, em 2005, especialistas ouvidos pela BBC afirmavam que a tecnologia falhava em 10% dos casos.

"Será um grande problema se o sistema de biometria facial não conseguir identificar sempre corretamente os portadores genuínos de passaportes", disse à BBC na época a professora Angela Sasse, da University College London, que estudou o assunto.

Para Phil Booth, da organização No2Id, que combate o projeto de criação de uma carteira de identidade com dados biométricas para todos os britânicos, "alguém está sendo extremamente otimista, porque a tecnologia simplesmente não está ainda disponível".

"Estou pasmado de que eles estejam considerando isso em um momento em que já há tantas medidas dificultando as coisas para os passageiros", disse ele em uma conferência sobre biometria nesta semana, em declarações reproduzidas pelo diário The Guardian.

Alguns aeroportos britânicos já oferecem um serviço de reconhecimento automático da íris para viajantes freqüentes, mas os usuários precisam se cadastrar antecipadamente.

O novo sistema de 'scan facial' será a primeira aplicação em larga escala da identificação e checagem de dados biométricos por computador nos aeroportos.

Fonte: BBC - Imagem: Brandpicture

Aeronáutica acata ordem para bloqueio do espaço aéreo em reconstituição

A Aeronáutica confirmou na noite desta sexta-feira que acatará a determinação da Justiça para o fechamento do espaço aéreo no entorno do edifício London, localizado na zona norte de São Paulo, área onde será feita a reconstituição da morte de Isabella Nardoni, 5, no domingo (27).

Segundo a Aeronáutica, a determinação do juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri do Fórum de Santana (zona norte) já foi recebida. O juiz atendeu a um pedido da Polícia Civil para fechar o espaço aéreo próximo ao prédio.

Helicópteros, balões e aviões não poderão se aproximar de um raio de 1,5 km do prédio. A Justiça determinou o bloqueio entre as 8h e 22h de domingo, entretanto, o Notan (Notice to Airmen, aviso aos navegantes, em português) foi emitido com o horário das 7h às 22h.

Os peritos envolvidos consideram importante alguns momentos de silêncio no decorrer do trabalho. Isso porque o barulho poderá prejudicar a reconstituição dos fatos que culminaram com a morte da garota, asfixiada e jogada do sexto andar do prédio enquanto passava o fim de semana com o pai, Alexandre Nardoni, 29, e a madrasta, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24, - indiciados pela polícia por homicídio doloso (com intenção) com três agravantes - motivo fútil, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima. O casal nega envolvimento no crime.

Os peritos devem esclarecer se uma eventual discussão poderia ter sido ouvida em outros andares do edifício London e em prédios vizinhos, por exemplo. Apesar da negativa do casal e dos advogados de defesa, testemunhas relataram uma ferrenha discussão entre Alexandre e Anna Carolina antes da morte de Isabella.

Os veículos de transmissão ao vivo das emissoras de TV e os geradores de energia elétrica terão de ficar num prédio distante do bolsão reservado à imprensa, no pátio de uma área da Polícia Militar vizinha ao edifício London.

Perícia

Além do edifício London, parte de um prédio vizinho será utilizado na reconstituição. Fatos anteriores da chegada do casal ao estacionamento do edifício - entre eles compras em um hipermercado - e a visita do casal à casa dos pais de Anna Carolina, em Guarulhos (Grande São Paulo), não serão refeitos.

O casal entrará direto no estacionamento do prédio. A disposição planejada pela Polícia Civil impede, por exemplo, a aproximação da imprensa ao carro onde eles estarão. O Ford Ka do casal poderá ser utilizado.

Após a saída do estacionamento, será utilizado um dos elevadores que levam ao sexto andar, onde está localizado o apartamento. Serão gravadas imagens da saída do elevador até a porta do apartamento, sala e quarto, principais cenas do crime. De lá, o elevador é novamente utilizado até o acesso ao jardim do prédio parte da rua defronte ao edifício.

Dependendo do resultado e da dinâmica dos fatos - o casal poderá apresentar sua versão do que ocorreu, assim como a Polícia Civil apresentará a sua - o trajeto poderá ser refeito diversas vezes.

Para simular a presença dos filhos do casal, poderão ser utilizados bonecos, assim como foi feito pela Polícia Técnico-Científica para simular a morte de Isabella durante o recolhimento de materiais que resultaram nos laudos.

Em determinados momentos nem mesmo os delegados responsáveis pelo caso estarão presentes devido ao pouco espaço de alguns locais. A prioridade é para os peritos e equipamentos que eles utilizarão.
Fonte: Folha Online - Foto: IG

Pequeno avião cai na Geórgia (EUA)

Duas pessoas ficaram feridas na queda de um pequeno avião Piper PA-28-140 Cherokee, prefixo N333KQ, registrado para Jesse S. Howard II, que apresentou pane em seu motor após a decolagem do Aeroporto do Condado de Gilmer, na Geórgia, nos Estado Unidos.

A FAA informou que o Piper Cherokee decolou pouco após às dez da manhã da última quinta-feira (24).

Testemunhas disseram que o motor do avião parou e ele caiu cerca de duzentos metros após a pista.

Há informações de que o piloto comprou num posto de combustível aproximadamente 5 litros de gasolina para carro e caminhou de volta para o aeroporto e colocou esse combustível na aeronave antes da decolagem. O administrador do aeroporto lhe questionou sobre a situação e o piloto respondeu que já havia feito isso anteriormente.

A causa do acidente está sob investigação.

Fontes: Macon.tv / WSBTV

Três mortos na queda de um pequeno avião na França

Três homens morreram num acidente com um avião Robin DR-400, prefixo F-GCUS, pertencente ao Quiberon Air Club, que ocorreu quinta-feira (24) em Quiberon, na França. A priori, eles tinham que fazer um primeiro vôo em direção a La Baule.

"Eu ouvi um grande barulho e depois mais nada. Eu disse para mim mesmo: é isso. Ele caiu. Então, voltei para minha casa porque eu odeio esse tipo de visão. Bombeiros e policiais chegaram na área e a isolaram", disse ainda em choque, o proprietário do parque de campismo de Ajoncs Roch, localizado a algumas dezenas de metros do Aeródromo de Quiberon. Mais 50 metros e o acidente teria ocorrido em sua propriedade, que tem 160 lugares e é ocupado por centenas de turistas durante o verão. "O terreno onde o avião caiu pertence aos parisienses. Eles normalmente passam as férias em caravana. Felizmente, eles ainda não haviam chegado", disse uma segunda testemunha.

O acidente ocorreu exatamente às 14:40 (hora local).

O avião de turismo, um Robin DR 400 (160 hp, de quatro lugares), que era ocupado por três pessoas, tinha deixado o aeroporto apenas alguns momentos antes da queda. "Ao final da pista, ele fez um laço. Então, ele virou à esquerda antes de bater em um galpão. Os três ocupantes morreram no local", disse o Tenente Coronel Claude Rouziou, vice-comandante da Guarda Civil de Morbihan. O piloto, Jean-Philippe Champagne, 59 anos, era conhecido por ser um experiente piloto. As outras duas vítimas foram Roger Filet, 63 anos e Michel Martin, 61 anos.

As autoridades investigam as causas do acidente.

O F-GCUS antes do acidente

Fonte: Le Télégramme (França)

Colisão de aviões no Aeroporto de Gabão

Na quinta-feira (24) um avião de Havilland Canada DHC-6 Twin Otter 300, prefixo TR-LGU, da Air Service, que estava estacionado no Aeroporto Internacional Libreville Leon M'ba (FOOL), no Gabão, teve sua asa esquerda abalroada por um Antonov 26 que taxiava naquele momento.

Fonte: ASN

Cessna cai na Venezuela e mata seus dois ocupantes

Foto do avião antes da queda

Ontem (25) às 09:10 foi localizado o Cessna 182, prefixo YV1205, que havia desaparecido após cair a 46 quilômetros da Base Libertador (SVBL), em Maracay, no estado de Aragua, na Venezuela.

O avião saiu do Aeroporto de Barquisimeto (SVBM) com destino ao Aeroporto Ocumare del Tuy (SVMP) na quinta-feira (24).

Os dois ocupantes faleceram no acidente.

Fonte: Rescate.com - Foto: Carlos D. Hopkins G.

Helicóptero cai durante treinamento no Texas

Os dois pilotos do helicóptero Hughes 269A, da Texas Star Aviation, tiveram lesões leves quando o seu helicóptero caiu na quarta-feira (23), no Skylark Field, em Killeen, Texas.

O Hughes 269A caiu às 17:15 p(hora local). Ele estava realizando exercícios de formação de emergência cerca de 200 metros acima do solo quando o acidente ocorreu.

Quando o helicóptero estava no ar, o motor falhou, caindo e atingindo o solo.

Os exercícios envolviam desligar o motor e usar os rotores e o vento para fazer uma aterrissagem segura. Estes exercícios são considerados parte da formação básica dos pilotos.

Fonte: Killeen Daily Herald

Avião faz aterrissagem de emergência após incêndio do motor nas Ilhas Cayman

Um avião DHC-6 TwinOtter 300 da Cayman Airways Express transportando 16 passageiros em um vôo doméstico fez uma aterrissagem de emergência na quarta-feira (23) após um de seus motores pegar fogo. Nenhum passageiro se feriu.

O avião retornou ao Aeroporto Gerrard-Smith, na Ilha Cayman Brac logo após a decolagem em direção ao Aeroporto Internacional Owen Roberts, nas Ilhas Grandes Caymans.

A tripulação e os passageiros foram todos retirados em segurança.

A Cayman Airways, que possui uma frota de sete aviões, informou que o incêndio ocorreu aos cinco minutos de vôo. Ninguém ficou ferido, mas um passageiro foi tratado por apresentar hiperventilação.

A transportadora vai investigar o incidente e avaliar o avião.

Fonte: The International Herald Tribune

Primeira classe de primeira

As melhores cabines de aviões agora têm portas que dão privacidade ao passageiro, monitor de 23 polegadas e serviços de hotel cinco-estrelas

A Emirates Airline é a única empresa que oferece as cabines com porta e cortinas em vôos que saem do Brasil. A passagem para Dubai custa R$ 18.400

Nas viagens internacionais, a primeira classe sempre teve um apelo especial. Mais espaçosa e com serviços cinco-estrelas, como champanhe à vontade, cardápio diferenciado e talheres de prata, ela se transformou numa espécie de sonho de consumo dos turistas que se espremem na classe econômica ou até de quem viaja na classe executiva. Agora, o assombroso crescimento no número de viagens de executivos está fazendo com que várias empresas invistam em melhorar esse sonho. Além do modelo de negócios de baixo custo, começam a fazer sucesso empresas que apostam no conforto – principalmente em viagens de longa distância. Companhias como a Emirates Airline, dos Emirados Árabes Unidos, a Virgin Atlantic, da Inglaterra, e a Singapore Airline, de Cingapura, considerada a melhor empresa do mundo em 2007, competem para ver quem cria mais mimos para os passageiros da primeira classe.

Poltronas que viram cama já não enchem os olhos de ninguém. A nova primeira classe é composta de cabines individuais, isoladas do resto do avião, e decoradas de forma luxuosa. Elas têm até porta e janelas com persianas, para garantir a privacidade dos passageiros.

Ainda não há nenhuma empresa brasileira nesse mercado. A única que opera no Brasil e oferece as novas cabines é a Emirates, que faz a rota São Paulo–Dubai, com duração de 14 horas sem escalas. Suas cabines têm minibar e armário para guardar casacos. As poltronas (ou camas) são forradas de couro e têm massageador eletrônico. Oferecem também um monitor de cristal líquido de 23 polegadas, com 600 canais de áudio e vídeo. O passageiro tem ainda acesso às imagens de duas câmeras instaladas fora do avião. Segundo a empresa, cada cabine custou US$ 125 mil (R$ 210 mil). Não é por acaso que uma viagem de ida e volta de São Paulo a Dubai custa R$ 18.400, 4,5 vezes mais que a passagem em classe econômica. A empresa não revela quantos passageiros têm embarcado na primeira classe nos seis vôos semanais para Dubai, mas informa que até julho pretende aumentar a freqüência. “Oferecemos um serviço diferenciado, e o brasileiro tem se mostrado disposto a pagar por isso”, diz Ralf Aasmann, diretor-geral da Emirates Airline para o Brasil.

Um dos brasileiros dispostos a pagar pelo conforto é Henrique Fonseca, advogado paulistano de 71 anos. Ele viajou para os Emirados Árabes Unidos em janeiro. “Nunca tinha visto nada igual”, afirmou. “Dormi muito bem durante quase toda a viagem. Quando cheguei a Dubai, nem parecia que tinha ficado 14 horas no avião.”

Dormir bem é a principal vantagem. Mas os momentos acordado também têm de justificar o preço. Na Singapore Airline, as cabines foram projetadas pelo designer francês Jean-Jacques Coste, especializado em iates de luxo. s A Singapore é a única que oferece cabines duplas, com camas de casal – embora recomende que os passageiros não tenham relações sexuais durante o vôo. Eles têm direito também a almofadas e roupas de cama com a assinatura do estilista francês Givenchy. A Virgin Atlantic oferece american bar exclusivo, além de massagista e salão de beleza a bordo.

Passageiros da Singapore Airline têm fones de ouvido que cancelam o barulho ambiente. E mais de dez canais com programação musical exclusiva

Os serviços exclusivos começam antes do embarque. As empresas oferecem transporte em carro de luxo com motorista, tanto no país de origem quanto no de destino. Em terra, as salas VIPs já têm até suítes com chuveiros.

Com tudo isso, o melhor mesmo, principalmente para quem tem de fazer viagens longas com freqüência, é a cama. O tamanho varia conforme a empresa: entre 202 centímetros e 218 centímetros de comprimento e de 54 centímetros a 89 centímetros de largura. É mais que o suficiente para ter uma boa noite de sono e estar pronto para aproveitar o dia seguinte no país de destino. Ao acordar, o passageiro pode até solicitar à comissária que faça a arrumação da cabine. Se não estivesse a 10.000 metros de altura, talvez o passageiro quisesse abrir a porta para dar uma voltinha no jardim, enquanto o café-da-manhã não fica pronto.

Hotel a bordo

Os novos serviços oferecidos na primeira classe por empresas internacionais e a comparação dos preços da passagem de ida e volta no trecho Londres–Sydney1, operado por todas elas

Emirates Airline
Emirados Árabes Unidos
Operação no Brasil: rota São Paulo–Dubai, em Boeing 777
Acomodações: cabine individual (218,4 cm x 54,6 cm)2. Poltrona forrada de couro, closet para guardar casaco e minibar individuais, canal de vídeo com imagens de duas câmeras externas ao avião, conexão sem fio para acessar e-mail, monitor de cristal líquido de 23 polegadas, 600 canais de áudio e vídeo, 40 games R$ 28.700

Singapore Airline
Cingapura
Operação no Brasil: não tem. Rota Londres–Sydney, em Airbus A380
Acomodações: cabine individual ou dupla para casais (205,7 cm x 88,9 cm)2. Cama de casal, arrumação de cabine, almofadas e roupa de cama Givenchy, cabine reversível para sala de reunião a dois, monitor de cristal líquido de 23 polegadas, entrada para iPod (MP4) e pen drive, tomada para notebook, iluminação regulável e refeições com até dez pratos R$ 27.400

Virgin Atlantic
Inglaterra
Operação no Brasil: não tem. Rota Londres–Sydney, em Airbus A340
Acomodações: convencional (202 cm x 84 cm)2. American bar exclusivo, salão de beleza (esfoliação, hidratação e cutelaria das mãos), massagista e pijama de algodão R$ 21.400
(1) Preços nos dias 7 e 8 de abril de 2008. Ida no dia 16/4 e volta em 23/4 (2) Comprimento x largura

Enquanto isso, no Brasil...

Tudo bem, não há primeira classe. Mas precisa ser tão pequeno o espaço entre as poltronas?

Para viajar com conforto de primeira classe dentro do Brasil, só se você tiver o próprio jato. Em vôos domésticos, nenhuma empresa oferece o espaço nem os serviços da primeira classe. Aqui vigora a outra ponta do mercado: concorrência de baixo custo. Para oferecer preços menores, as companhias aéreas tentam colocar mais passageiros em cada avião. Um jeito de fazer isso é diminuir o espaço entre as poltronas. Nessa equação, o alívio no bolso é sentido no resto do corpo. O espaço máximo entre poltronas, nas companhias brasileiras, é de 81,3 centímetros. “É apertado demais. Fica ergonomicamente inadequado”, afirma a fisioterapeuta da Unicamp Renata Cristina Di Grazi. Ela diz já ter tratado muitos passageiros que chegaram “quebrados” de uma viagem.

Na Gol Transportes Aéreos, o espaço entre assentos é de 76,2 centímetros. A TAM também opera com distâncias entre assentos de, em média, 76,2 centímetros – 6,3 centímetros a menos que os 82,55 centímetros informados no site oficial da empresa. Já a Varig, com seus Boeings 737, garante 81,3 centímetros. “Não dá para dizer que esses valores valem para todos os assentos. Quem estiver próximo da cauda do avião pode perder até 2,5 centímetros de espaço”, afirma Valtécio Alencar, especialista em aviação civil e editor de uma revista do setor. Ainda assim, o aperto não é contra as normas internacionais. Em geral, as autoridades não arbitram centimetragens. Uma exceção é o Reino Unido: a British Air Transport Association (Bata) diz que são necessários pelo menos 71,1 centímetros entre as poltronas. “Mas 71,1 centímetros é um absurdo. O sujeito mal respira num espaço desses”, diz Alencar.

Mesmo viajar no melhor assento da companhia com mais espaço entre poltronas não é garantia de conforto. “Não importa a duração do vôo nem a empresa. Sempre me sinto apertado e chego com dores ao destino”, afirma Newton Queiroz, administrador de empresas paulistano de 26 anos e 1,87 metro. Queiroz viaja pelo menos duas vezes por semana.

“O que se viu a partir dos anos 2000 foi um novo modelo de negócios que aumentou o número de passageiros a bordo e reduziu a distância entre as poltronas”, diz Alencar. Entre 2003 e 2007, a Infraero registrou um aumento de mais de 60% no número de passageiros domésticos do país, de 61,3 milhões para 97,9 milhões. Vem daí a pressão para “espremer” os passageiros. Tudo bem, se os clientes fossem todos baixinhos e magros. Mas o tamanho médio do brasileiro vem aumentando (nos últimos 35 anos, a média de altura da população cresceu 5 centímetros, e o índice de obesos mais que dobrou).

O aperto não passou despercebido para o ministro da Defesa, Nelson Jobim, de 1,90 metro. Em agosto, ele classificou o espaço entre poltronas como “antivital”. Em resposta a Jobim, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deu início a um projeto que até junho vai medir e pesar 6 mil pessoas em 21 aeroportos. A idéia é traçar o novo perfil do passageiro que voa pelo país. Até lá, ficam as dicas da fisioterapeuta: ao embarcar procure se sentar da forma correta e, sempre que possível, alongue os músculos durante o vôo.

Fonte: Resvista Época (24/04/08)

Aeroporto de Congonhas pode ter aerobonde até a Estação São Judas do metrô

O governo do estado afirma que vai construir, até 2010, uma ferrovia elevada que ligará o Aeroporto de Congonhas à Estação São Judas do Metrô, na Zona Sul da capital. O transporte será feito por trens do modelo Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, a ligação São Judas-Congonhas vai transportar 15 mil pessoas por hora e o trajeto terá 1,2 quilômetro, sem paradas.

Segundo Portella, o elevado e os trens custarão R$ 200 milhões, valor que será dividido entre governo federal, estado e, possivelmente, a Prefeitura. O gasto com a construção de um quilômetro de metrô subterrâneo é maior: R$ 340 milhões.

Para Portella, a ligação São Judas-Congonhas é necessária para aliviar o trânsito na região do aeroporto.

- Vai permitir que o pessoal que faz viagens curtas (de avião) ao Rio de Janeiro e a Brasília pegue metrô e evite o carro - disse.

De acordo com o governo, o elevado São Judas-Congonhas será o primeiro trecho de um projeto maior, que após 2010 ligará o aeroporto à Linha 5-Lilás do Metrô e seguirá até a Linha 9-Esmeralda da CPTM. Mas só a primeira parte será elevada. A previsão de gasto na obra completa é de R$ 1,2 bilhão.

O trecho São Judas-Congonhas ainda não tem projeto, portanto não foi definido o traçado do elevado. O secretário Portella afirmou que pretende destinar a operação do VLT ao Metrô ou à CPTM, mas não descarta fazer a concessão do serviço.

O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é um bonde moderno apropriado para percursos com demanda de 30 mil passageiros por hora ou menos. Geralmente, são trens menores do que os de metrô, confortáveis, com ar condicionado e rede aérea (como os trólebus). O vagão do VLT tem capacidade para 150 pessoas, enquanto o de metrô recebe cerca de 330 passageiros. O VLT é muito utilizado em viagens de média distância na Europa. Existem VLTs que dispensam o uso da rede área, mas esses são mais caros.

O governo do estado ainda não definiu o tipo e as medidas do VLT utilizado na ferrovia elevada que ligará a Estação São Judas do metrô e o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da capital. De acordo com o professor de transporte público da USP Jayme Waisman, em trajetos com demanda de 60 mil pessoas por hora, a melhor opção é o uso de metrô.

Para Waisman, a ligação São Judas-Congonhas é necessária, mas não é prioridade.

- Hoje, qualquer coisa que se fizer em São Paulo é necessária. Mas esse dinheiro deveria ser utilizado nas obras das linhas 2-Verde e 5-Lilás do Metrô, que estão incompletas.

O secretário Portella também afirmou que será publicado nos próximos dias o edital de licitação do projeto do trem que ligará a Estação da Luz ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, Grande São Paulo. Segundo ele, essa obra também será finalizada em 2010 e, junto com a outra, possibilitará uma viagem sobre trilhos de Cumbica a Congonhas em 45 minutos.

Fonte: Diário de S.Paulo

Varig muda equipamento na ponte aérea e aumenta vôos

A Varig mudará os equipamentos utilizados na ponte aérea Rio-São Paulo a partir de maio.

Os 737-300 serão substituídos por aviões modelo 737-700. A mudança vai reduzir a quantidade de lugares em cada vôo, de 136 lugares para 130, mas trará mais espaço entre as poltronas, seguindo a filosofia da empresa em investir em serviços e conforto.

Além disso, a Varig pretende aumentar os vôos na ponte aérea, passando das atuais 38 freqüências diárias (19 para cada lado) para 46 freqüências diárias (23 para cada lado).

Fonte: Panrotas

Instalada em SP Câmara de Indenização do vôo da TAM

O Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, a TAM e a Seguradora Unibanco/AIG instalaram hoje, no centro de São Paulo, a Câmara de Indenização do vôo 3054, que caiu no Aeroporto de Congonhas, no dia 17 julho do ano passado, e matou 199 pessoas. De acordo com a Defensoria Pública, o objetivo é fornecer uma alternativa para os familiares das vítimas do acidente com o Airbus A-320 da TAM obterem indenização sem precisar propor ação na Justiça.

Para ingressar na Câmara, os familiares terão de entregar documentos e preencher um formulário. Em seguida, será agendada uma reunião preliminar entre as partes para a discussão do pedido. Após a TAM analisar o caso, um novo encontro será marcado para a apresentação da proposta final de indenização.

As duas reuniões ocorrerão em São Paulo e serão acompanhadas por um observador selecionado pela Defensoria, pelo Ministério Público (MP), pelo Procon e pela Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça. Em caso de dúvidas sobre o processo, como o valor do ressarcimento, caberá ao observador orientar os familiares para consultarem um colegiado constituído pela Defensoria, MP e Procon. Os três órgãos analisarão a questão e emitirão um parecer.

De acordo com a Defensoria, o cálculo do valor do ressarcimento será feito conforme os parâmetros referenciais previamente definidos pelos órgãos com as empresas, baseados na lei e em decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Se a proposta for aceita, o acordo é assinado. Os órgãos públicos envolvidos recomendam aos familiares a participação de advogados no processo, apesar da não obrigatoriedade por se tratar de procedimento extrajudicial. Quem não possuí condições financeiras para contratar um advogado, poderá recorrer à Defensoria.

Novo paradigma

Na avaliação dos órgãos públicos, a Câmara "é um novo paradigma de solução de conflitos, permitindo que os familiares das vítimas que tenham interesse obtenham extrajudicialmente uma indenização efetiva por meio de um procedimento transparente e célere". A Câmara foi baseada em modelos de solução de conflitos extrajudiciais adotados por outros países em situações similares, como o dos Estados Unidos, para indenizar as vítimas do atentado de 11 de setembro.

Fonte: A Tarde

Presidente da TAM prevê "dificuldades" para nova empresa aérea brasileira no início das operações

Pela primeira vez desde o anúncio de criação de uma nova companhia aérea brasileira, pelo empresário David Neeleman, uma empresa nacional previu dificuldades para a novata. Hoje, o presidente da TAM, David Barioni Neto, afirmou que a nova companhia terá muita dificuldade para operar, durante almoço promovido pela Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil (Britcham).

Atualmente, 70% do tráfego aéreo brasileiro se concentra em apenas 10 aeroportos, onde TAM e Gol têm forte presença. Isso trará muita dificuldade para qualquer novo entrante, já que para participar do mercado, terá de operar nesses aeroportos, afirmou Barioni.

Em encontros anteriores com a imprensa, o executivo havia se limitado a parabenizar Neeleman por sua iniciativa e afirmar que é um orgulho para o Brasil que uma empresa aérea nacional passe a utilizar aeronaves da fabricante brasileira Embraer em suas operações. Damos as boas vindas à nova companhia, pois somos a favor da competição e será bom para toda a indústria, eram, invariavelmente, seus comentários sobre a nova empresa.

Agora, porém, destacou a forte estrutura de capital das duas líderes de mercado (a própria TAM e a Gol), como um grande desafio a ser superado pela nova empresa para se firmar.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Estados Unidos liberam acesso a dados de satélite

Os Estados Unidos anunciaram esta semana a liberação de todo o acervo de imagens realizadas pelos satélites do programa Landsat. Ativo desde 1972, o Landsat é o programa de sensoriamento remoto mais antigo e, a partir de agora, poderá ser acessado em todo o mundo, de forma aberta e gratuita.

O anúncio foi feito pelo United States Geological Survey (USGS), órgão do governo norte-americano responsável pela recepção e disseminação de imagens de satélites. A previsão de liberação das imagens é fevereiro de 2009. Com este anúncio, os Estados Unidos se juntam ao Brasil e à China na democratização de dados de sensoriamento remoto com resolução moderada (mais de 5 metros). O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) já distribuiu gratuitamente mais de 350 mil imagens do Programa CBERS.

O programa Landsat inclui os satélites Landsat-2 (lançado em 1975), Landsat-3 (1978), Landsat-4 (1982), Landsat-5 (1984) e Landsat-7 (1999). Atualmente, apenas o Landsat-5 continua em operação plena, o que faz dele o satélite de observação da terra mais antigo em funcionamento até os dias de hoje. O Landsat-5 já obteve mais de 600 mil imagens do planeta.

Para o diretor do Inpe, Gilberto Câmara, a decisão dos Estados Unidos significa que será possível um melhor gerenciamento dos recursos terrestres do planeta, muito necessário, segundo ele, em tempos de mudanças ambientais globais.

O Brasil é hoje o maior distribuidor de imagens de satélite do mundo, graças à política adotada em junho de 2004 que permite o download gratuito a partir do site do Inpe .

Fonte: SRZD