sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Crescimento de tráfego aéreo de carga vai exigir 3.800 novos aviões cargueiros até 2026, diz Airbus

O ritmo de crescimento no tráfego de carga aérea deve superar o de passageiros até 2026. Com isso, serão necessários 3.800 novos aviões cargueiros no período, 900 dos quais totalmente novos e não para reposição de frota e com valor total de US$ 200 bilhões. Esses dados fazem parte de um levantamento divulgado pela fabricante européia Airbus.

Segundo ela, o transporte de carga por tonelada por quilômetro deve aumentar 5,8% anualmente até 2026, contra ritmo de 4,9% de crescimento no tráfego de passageiros.

No segmento de aviões muito grandes (VLA, na sigla em inglês), que se restringe ao superjumbo A380, a Airbus prevê demanda para 400 aeronaves.

Pelo menos para o momento, essa previsão parece ser exageradamente otimista, já que a empresa não tem em carteira nenhum pedido pela versão de carga do A380. Após os anúncios de atrasos no programa do superjumbo, realizados em 2006, as poucas companhias que haviam feito pedidos pelo cargueiro retiraram suas ordens. Isso forçou a Airbus, inclusive, a suspender a construção do primeiro avião nessa versão, no início do ano passado.

Assim como no caso dos aviões de passageiros, os equipamentos de fuselagem larga serão os mais procurados para atuarem como cargueiros aéreos na opinião da Airbus.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Equipe italiana chega à Venezuela para investigar queda de bimotor

Uma delegação italiana composta por especialistas da Marinha, Aeronáutica e Defesa Civil e guiada por dirigentes da Unidade de Crises da Farnesina (chancelaria italiana) está em Caracas para investigar as causas do acidente com o avião bimotor Let 410 da empresa venezuelana Transaven. No dia 4 de janeiro, a aeronave caiu em alto-mar durante uma viagem ao arquipélago de Los Roques com 14 pessoas a bordo, das quais oito eram cidadãos italianos.

A delegação, com instruções para manter o maior sigilo possível, já participou de duas reuniões, uma com os dirigentes da sociedade venezuelana Incostas - encarregada pelas buscas dos destroços no fundo do mar venezuelano -, e outra com o diretor da Defesa Civil do país, Antonio Rivero.

O porta-voz da delegação italiana e segundo responsável pela Unidade de Crises da Farnesina, Maurizio Canfora, disse à ANSA que o objetivo da missão é "obter elementos mais precisos, adjuntos aos documentos detalhados que já estão em posse do grupo e que foram fornecidos pelas autoridades locais, para então responder a algumas perguntas e inquietudes", sobretudo por parte dos familiares das vítimas.

Segundo Canfora, as incertezas giram especialmente em torno da maneira como foram estabelecidas a primeira investigação local, a reconstrução do acidente e os aspectos técnicos da documentação relativa ao caso - processo inteiramente dificultado pelo desaparecimento do bimotor no fundo do mar.

A delegação terá justamente o trabalho de averiguar todos os indícios e elementos da queda, para então tentar reconstruir novamente o acidente, além de fornecer uma cópia do documento final com os resultados da investigação às famílias das vítimas.

Após a reunião com Rivero, Canfora afirmou que "foram informados elementos muito úteis para reconstruir a dinâmica daquilo que se pode definir como um acidente".

Já o diretor da Defesa Civil, Antonio Rivero, disse à agência venezuelana Abn que o governo italiano se mostrou "satisfeito em relação à investigação inicial e às sucessivas buscas submarinas em andamento, já que foi colocada a hipótese de que o avião tenha caído em um abismo".

Até agora, somente o corpo do co-piloto, o venezuelano Osmel Avila, foi encontrado, nove dias após o acidente e a quase 20 quilômetros de distância da queda.

Já que a localização da aeronave é vital para reconstruir o acidente, Canfora considerou a possibilidade de que a empresa italiana Impresub Diving & Marine Contractor intervenha nas operações de busca - caso seja preciso descer a uma maior profundidade, além dos 200 metros praticados pela Incostas. Contudo, o dirigente da missão não discutiu nada a respeito de uma possível intervenção italiana durante a reunião com Rivero.
Fonte: ANSA (07/02/2008)

Reaction Engines projetam avião de passageiros a Mach 5

Um companhia britânica, a Reaction Engines, projectou um avião civil de passageiros amigo do ambiente, capaz de fazer uma viagem de Londres a Sydney em menos de cinco horas.

A empresa recebeu financiamento da Agência Espacial Europeia (ESA) para projectar o avião como parte do projecto "Long-Term Advanced Propulsion Concepts and Technologies".

O A2, assim se chama o avião, tem capacidade para levar 300 passageiros a velocidades supersónicas, até Mach 5. Curiosamente o avião consegue se maior que o já monstruoso Airbus A380.






Fonte: Bites & Bytes - Imagens: Ilashdot.com

Resgate aéreo salva turista acidentado em Noronha

Uma mega operação de salvamento foi montada nesta quarta-feira (06) para atender a um turista que sofreu um grave acidente na Ilha de Fernando de Noronha. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) contratou uma empresa de transporte aéreo para resgatar o empresário e surfista catarinense Jéferson Gralha, 27, que bateu a cabeça no fundo do mar após cair de uma onda ontem, por volta do 12h.

Logo após o acidente, ele foi encaminhado para o Hospital São Lucas, onde passou por exames que constataram que o tombo causou traumatismo na coluna cervical, além de parestesia (falta de sensibilidade) dos membros superiores e risco de edema progressivo. Como nenhum hospital da Ilha tinha condições de fazer o tratamento do surfista, a SES entrou em contato com as duas empresas que fazem transporte aeromédico em Pernambuco, mas nenhuma possuía aeronaves disponíveis.

Pouco antes das 2h desta quinta-feira, o jato pousou no Aeroporto dos Guararapes, onde uma ambulância do Samu Metropolitano, com suporte de UTI, aguardava o turista. Ele foi levado para o Hospital da Restauração. O quadro dele é estável e ele deverá ser transferido hoje para um hospital particular.

Da Redação do Pernambuco.com

Satélite de Saturno pode estar 'produzindo' anel do planeta

Imagens da sonda Cassini detectaram ligação entre Encélado e o chamado anel A.

Massa ejetada pela lua saturnina estaria atravessando distância de 100 mil quilômetros.

Novas imagens obtidas pela sonda não-tripulada Cassini indicam um fenômeno estranho nas redondezas de Saturno. Um dos famosos anéis do planeta, o anel A, fica a uma distância de 100 mil quilômetros da lua saturnina Encélado; no entanto, as observações da Cassini, analisadas pela Nasa, sugerem que o satélite natural está lançando parte de sua massa em direção à parte externa do anel. Os gêiseres de gelo e água já detectados na superfície da lua talvez sejam os responsáveis.

A lua Encélado sobre os anéis de Saturno (Foto: Nasa/AP)

Fonte: G1

Mitsubishi deixa de fornecer componentes à Bombardier

A Mitsubishi Heavy Industries interrompeu o fornecimento de componentes para os jatos regionais da canadense Bombardier, ao mesmo tempo em que se prepara para se tornar uma de suas concorrentes diretas.

A companhia japonesa anunciou que decidiu descontinuar os contratos de fornecimento para os jatos regionais CRJ 700 e CRJ 900 da Bombardier, a fim de concentrar sua capacidade na produção de partes do novo jato 787 da Boeing. A Mitsubishi deve lançar brevemente seu próprio jato regional de 70 a 90 lugares, o primeiro avião comercial produzido no Japão em várias décadas.

Para a Bombardier, a empresa continuará fornecendo apenas os componentes dos jatos executivos Global e Challenger. Nos últimos anos, a companhia canadense tem lentamente transferido os contratos da Mitsubishi para novos fornecedores. Sua parceira chinesa, a China Aviation Industry Corp I (AVIC I), agora produz a fuselagem para o popular turbo Q400, que já foi produzida no Japão. A nova unidade da Bombardier em Queretaro, no México, faz os controles de vôo e os componentes da cauda anteriormente fabricados pela Mitsubishi.

A Ruag Aviation, da Suíça, assumirá o fornecimento dos itens dos jatos regionais antes feitos pela Mitsubishi, disse um porta-voz da Bombardier. As informações são da Dow Jones.

Fonte: A Tarde Online (06/02/08)

Frota de aviões de passageiros vai dobrar em 18 anos, diz Airbus

O tráfego de passageiros deve triplicar até 2026, segundo a empresa.

A maior demanda por aviões virá da região da Ásia e Pacífico.

O mercado mundial de aviação deve demandar 24,3 mil novos aviões de passageiros e de carga, no valor total de US$ 2,8 trilhões, até 2026, segundo a empresa européia Airbus.

Apenas em relação aos passageiros, as empresas mundiais deverão mais que dobrar sua frota de aviões de 100 lugares ou mais, dos cerca de 13,3 mil atuais para um número próximo de 28,5 mil em 2026.

Essa expansão, mais a expectativa de substituição de ao menos 8.150 aviões antigos leva à expectativa de que serão necessários 23,4 mil novas aeronaves de passageiros nos próximos 18 anos, com valor total de US$ 2,6 trilhões.

Para a Airbus, o tráfego de passageiros deve crescer a uma taxa anual de 4,9% ao ano, o que indica que ele será triplicado até 2026. Parte desse aumento de tráfego será absorvido por uma elevação nas taxas de ocupação dos vôos e com o aumento de freqüências, assim como com um crescimento no uso de aviões maiores e mais produtivos.

Regiões

De acordo com a Airbus, a maior demanda por aviões virá da região da Ásia e Pacífico, que será responsável por 31% das compras nesses 18 anos. Em seguida virá a América do Norte, com 27% de participação, e a Europa, com 24%.

Os mercados emergentes também deverão fazer aumentar o tráfego mundial de passageiros. Embora a fabricante concorde que China e Índia serão os maiores mercados, outros países como Brasil, Argentina, África do Sul e Vietnã vão ser cada vez mais importantes em 2026 para o transporte aéreo.

"O transporte aéreo é, definitivamente, uma indústria em crescimento contribuindo para o desenvolvimento econômico e para a geração de riqueza em todo o mundo", disse o executivo-chefe de Operações e Consumidores da Airbus, John Leahy.

Aviões gigantes

Airbus A380 durante visita ao Aeroporto de Guarulhos, em dezembro. (Foto: Eduardo Cucolo)

A procura entre as companhias aéreas deverá se concentrar em aviões mais econômicos e menos poluentes para a substituição da atual frota. A empresa aposta que a população mundial e o número de megalópoles deverão continuar a crescer, inevitavelmente levando a uma concentração de demanda ainda maior. Essa tendência deverá gerar um maior congestionamento nos aeroportos e nos céus.

Segundo a Airbus, uma solução para esse problema seria utilizar aviões cada vez maiores, como o seu A380. A fabricante afirma que, ao fim de 2006, 77% do tráfego de longa distância já era operado fora dos 32 maiores hubs (centros de distribuição de vôos) mundiais.

Airbus e Boeing

A aposta em aviões cada vez maiores, realizando vôos entre hubs é a principal diferença entre as estratégias da Airbus e da Boeing, que espera que haverá cada vez mais vôos ponto-a-ponto, ligando origem e destino diretamente, com aviões de fuselagem larga e tamanho médio.

Por conta disso, a expectativa da Airbus inclui uma demanda por 1.700 aviões muito grandes até 2026. Atualmente, apenas ela fabrica uma aeronave nessa categoria, o próprio A380. Apenas esse mercado, afirma, tem valor de US$ 527 bilhões, representando 19% do total previsto de faturamento nesse intervalo. Desses aviões, 1.300 serão usados para transporte de passageiros.

Nesse segmento se dará a principal batalha entre as duas titãs Airbus e Boeing. Enquanto a norte-americana deve lançar seu novo 787 Dreamliner no ano que vem, a Airbus entrega seu primeiro A350XWB em 2013. Ambos os aviões tiveram problemas - atrasos e falhas de projeto, respectivamente - o que tem colocado pressão nas fabricantes. Ainda assim, já estão entre os aviões mais vendidos nos últimos anos por ambas.

Os mais de 16,6 mil aviões restantes, ou 68% das entregas dos próximos anos até 2026, serão de fuselagem estreita. Comparativamente muito mais baratos, embora formem a grande maioria em unidades, serão responsáveis por apenas 40% do faturamento da indústria nesse período.

Fonte: Valor Online

Embraer vende um avião EMB 190 para a Air Moldova, por US$ 34,5 milhões


A Embraer anunciou nesta sexta-feira a venda de um avião EMB 190 à Air Moldova, companhia aérea estatal da Moldávia (Europa). O contrato inclui o direito de compra de outra aeronave desse mesmo modelo. Pelo preço de tabela, a venda tem valor de US$ 34,5 milhões. Caso o direito de compra seja exercido, o negócio chegaria a US$ 69 milhões.

Temos orgulho de receber a Air Moldova em nossa família de operadores de E-Jets (família do EMB 190), disse o vice-presidente de Aviação Comercial da Embraer, Mauro Kern.

O avião adquirido pela empresa será entregue em março de 2010 e utilizado para abrir novas rotas a partir de Chisnau, capital da Moldávia, sua base de operações. Atualmente, a Air Moldova opera vôos partindo dessa cidade para 13 destinos na Europa e no Oriente Médio.

O EMB 190 é a aeronave certa para o cumprimento da nossa estratégia de desenvolvimento da malha aérea, disse o executivo-chefe da empresa, Vasile Botnari. A aeronave também complementa de forma adequada a nossa atual frota de aviões de fuselagem estreita, ajustando a oferta de assentos à demanda em algumas rotas atualmente por nossos Airbus A320 sem prejudicar o conforto do passageiro, completou.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Passageira ataca pilotos e ameaça explodir avião em pleno vôo

A passageira de um avião que se dirigia a Christchurch (sul da capital Wellington, na Nova Zelândia) atacou com uma faca nesta sexta-feira os dois pilotos da aeronave e ameaçou explodir o aparelho, que depois aterrissou sem problemas.

O avião, um Jetstream J32 da empresa de vôos "charter" Eagle Air, que realiza vôos da Air New Zealand, decolou da cidade neozelandesa de Blenheiem, onde a acusada vive, com sete passageiros e, dez minutos depois, a mulher se aproximou da cabine, atacou o piloto com uma faca e fez cortes em suas mãos.

O co-piloto deu o alerta de seqüestro ao Controle de Tráfego Aéreo, enquanto a agressora assegurava que tinha dois artefatos explosivos e que os explodiria se o aparelho, com capacidade para 19 passageiros, não a levasse à Austrália.

Quando o avião se aproximava de Christchurch, a principal cidade da ilha do Sul da Nova Zelândia, os pilotos iniciaram o pouso, a mulher tentou impedir a aterrissagem e o aparelho fez um giro brusco que a levou a cair.

Após a aterrissagem, a agressora permitiu a abertura da porta e o desembarque dos passageiros e, enquanto isso ocorria, resistiu com o piloto e fez cortes com a faca nos pés do co-piloto, até que a Polícia entrou com cachorros e rendeu a mulher.

O aeroporto de Christchurch foi evacuado e fechado ao público durante cerca de duas horas, enquanto se inspecionava o aparelho em busca das supostas bombas, sem encontrá-las.

A passageira foi dominada e os dois pilotos, que ficaram feridos, um na mão e o outro no pé, conseguiram pousar a nave.

A mulher, de 33 anos foi detida quando o avião pousou

Entre os demais passageiros, apenas um ficou ferido levemente na mão.

Fontes: G1 / AFP / EFE - Foto: Reuters

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Pilotos do jato Legacy negam ter desligado transponder

Equipamento anticolisão não funcionou na hora do acidente, em setembro de 2006.

Choque causou a queda de um Boeing da Gol e matou 154 pessoas.

Os pilotos norte-americanos do jato executivo Legacy, que se envolveu no acidente com o vôo 1907, da Gol, em setembro de 2006 e causou a morte de 154 pessoas, foram ouvidos nos Estados Unidos na semana passada.


Os depoimentos duraram três dias e foram prestados em Washington. Os pilotos Joe Lepore e Jan Paladino ouviram a transcrição da caixa preta do jato executivo Legacy. Eles afirmaram que não desligaram o transponder, equipamento anticolisão que na hora do acidente não funcionou.

O depoimento foi dado na semana passada ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, ligada ao Ministério da Defesa.

“Os pilotos puderam esclarecer uma vez mais que não houve, por parte deles, nenhuma conduta culposa negligente, e que, pelo contrário, eles agiram com profissionalismo”, disse o advogado dos pilotos Joe Lepore e Jan Paladino, Theo Dias.

Homicídio culposo

Em junho do ano passado, a Justiça brasileira aceitou denúncia do Ministério Público contra os dois pilotos por homicídio culposo.

Em nota, a Aeronáutica confirmou os depoimentos, que teriam esclarecido pontos importantes e vão contribuir para explicar por que o transponder não estava funcionando na hora do acidente.

Uma importante parte do quebra-cabeça que deve ajudar a desvendar os motivos do acidente aéreo ainda está faltando: o depoimento dos controladores. Segundo a Aeronautica, eles se recusam a colaborar.

O relatório do acidente, que está em fase final de elaboração, vai recomendar mais rigor nos pré-requisitos exigidos na aviação de jatos executivos.

Fonte: G1

Nave russa Progress 28 se acopla à estação espacial

A nave Progress 28, lançada na terça-feira com 2,5 t de carga vital, se acoplou hoje com sucesso à Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês), informou o centro de controle de vôos espaciais da Rússia.

"A nave atracou às 17h30 de Moscou (12h30 em Brasília) ao módulo Pirs da ISS", disse à imprensa o porta-voz do centro de controle, que acrescentou que a Progress transporta água, oxigênio, instrumentos científicos e combustível.

Efetuada a manobra de engate, a tripulação da ISS deverá verificar o hermetismo do acoplamento e nivelar a pressão entre a estação e a Progress, para então iniciar a abertura da porta e o descarregamento.

A Progress 28 é o primeiro cargueiro lançado com destino à plataforma espacial este ano.

Os astronautas da Nasa (agência espacial americana) Peggy Whitson e Daniel Tani, e o russo Yuri Malenchenko esperavam impacientes a Progress 28, cujo carregamento inclui uma dezena de filmes de vários gêneros, músicas, revistas e presentes pessoais dos parentes dos cosmonautas.

Além da carga vital, a nave transporta maçãs, laranjas, limões, alhos e cebolas, assim como frutas secas, bombons e chocolate.

Pela segunda vez consecutiva, a tripulação ficará sem tomates, já que as estufas espaciais que abastecem a ISS estão sendo limpas e não ficarão prontas antes de abril.

"Não podemos comprar tomates em lojas normais porque eles podem conter nitratos, e só enviamos frutas ecológicas à ISS", explicou o porta-voz do Instituto Biomédico, Aleksandr Agureev, em dezembro.

Está previsto para 8 de março o lançamento de Júlio Verne, o primeiro cargueiro automático europeu, e em maio, agosto, setembro e novembro, de quatro espaçonaves russas Progress.

A ISS espera a chegada neste sábado do ônibus espacial Atlantis, com o comandante da missão, Steve Frick, a bordo, acompanhado do piloto Alan Poindexter, dos especialistas Leland Melvin, Rex Walheim e Stanley Love e dos astronautas europeus Hans Schlegel e Leopold Eyharts.

O astronauta Daniel Tani espera a chegada do Atlantis porque Eyharts tomará seu posto a bordo da ISS.

Enquanto isso, os empresários Richard Garriott e Nick Halik, próximos turistas espaciais a visitarem a ISS a bordo de uma nave russa, começam hoje os treinamentos para preparar sua viagem à estação.

"Garriott começa na Cidade das Estrelas (nos arredores de Moscou) a preparação teórica para sua viagem ao espaço. Terá as primeiras aulas de russo e se submeterá a um programa médico", disse Sergei Tafrov, porta-voz do Controle de Missões Russo.

Tafrov também afirmou que dentro de alguns dias será tomada a decisão final sobre a conveniência de sua viagem espacial. O turista espacial, filho do ex-astronauta americano Owen Garriott, viajará em outubro e permanecerá nove dias na ISS.

Durante sua permanência no espaço, Garriott pretende realizar experimentos científicos como o estudo da cristalização das proteínas em ambiente sem gravidade.

Fonte: EFE

Após série de falhas, ônibus espacial Atlantis decola com sucesso

Missão estava prevista originalmente para o início de dezembro.

Problema recorrente em sensor de combustível atrasou vôo.


Apesar do tempo feio, ônibus espacial decola (Foto: Reuters)


Após sucessivos adiamentos em dezembro devido a problemas técnicos, o ônibus espacial Atlantis foi lançado às 17h46 (de Brasília) desta quinta-feira rumo à Estação Espacial Internacional (ISS).

O Atlantis decolou com sete astronautas a bordo, que têm a missão de levar o módulo científico europeu "Columbus" para a ISS. A partir do projeto, a Agência Espacial Européia não precisará mais de acordos com a agência russa ou norte-americana para fazer experimentos na plataforma orbital.

A missão deve durar onze dias. Os astronautas devem sair pelo menos quatro vezes da espaçonave para instalar o laboratório e inspecionar o mecanismo defeituoso de uma das três antenas solares da ISS.

MISSÃO STS-122

Lançamento do Atlantis na tarde desta quinta-feira.

O ônibus espacial vai levar o módulo europeu "Columbus" para ISS

INFOGRÁFICO: ENTENDA A MISSÃO

LEIA MAIS SOBRE O "COLUMBUS"

Fonte: Uol Ciência e Saúde

Piloto faz pouso de emergência após teto de cabine se soltar


Um piloto da Força Aérea da Argentina foi obrigado a realizar uma aterrissagem de emergência após verificar que o teto da cabine da aeronave havia soltado, informaram hoje fontes aeronáuticas.

O fato ocorreu nesta quarta-feira (06) na província de Córdoba, no centro do país, e não teve conseqüências nem para o piloto nem para o avião, um Pampa AT 63 Série II, de última geração, afirmou a Escola de Aviação Militar.

A fonte indicou que o teto da cabine se "despreendeu", mas "não houve problemas de despressurização" porque a aeronave voava a uma "altura intermediária". As causas do incidente ainda estão sendo avaliadas.

O piloto, um instrutor da Força Aérea, "usou sua experiência e conhecimento para resolver o impresvisto e retornou à pista da Escola de Aviação em Córdoba, onde conseguiu fazer uma aterrissagem sem transtornos", acrescentou.

Fonte: EFE - Foto: www.network54.com - Ilustração: Taringa!

Piloto morre após queda de avião agrícola no RS

Aeronave caiu em lavoura de arroz, em São Sepé. Causas do acidente são investigadas.

Piloto chegou a ser retirado do avião com vida, mas não resistiu - Foto: Luís Garcia (Especial para o Zero Hora)

Assista a reportagem

Foto: Gazeta de Caçapava

O piloto agrícola Crissiano Rosa da Silva, 30 anos, morreu no final da tarde, quando o avião que ele pilotava caiu no meio de uma lavoura de arroz em São Sepé, na Região Central.

Ele sobrevoava a área aplicando defensivo na plantação. O acidente ocorreu por volta das 17h30min, no distrito de Tupanci.

Segundo a Polícia Civil, o piloto chegou a ser retirado com vida dos destroços do avião por funcionários da lavoura. Mas como ninguém conseguiu chamar socorro, Silva não resistiu.

O piloto nasceu em Rosário do Sul e trabalhava para uma empresa de São Pedro do Sul. O corpo de Silva foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) do município.

Começa perícia em avião agrícola

Uma equipe técnica do Centro Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CERIPA) segue para a localidade de Tupanci, interior de São Sepé, onde no fim da tarde passada caiu o avião agrícola que provocou a morte do piloto Crissiano Rosa da Silva, 30 anos.

Somente os peritos terão condições de apontar o que provocou o acidente durante o despejo de uréia numa lavoura de arroz. O aparelho segue isolado pela Brigada Militar. O corpo de Crissiano foi liberado há pouco para o velório e sepultamento, previsto para ocorrer à tarde na capela central de Rosário do Sul. O piloto chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. O gerente da C.J Aéreo Agrícola, afirma que houve omissão por parte dos bombeiros de Santa Maria. Leandro Bressan relata que os bombeiros foram acionados, disseram que iam ao local, mas não compareceram.

O piloto aguardou socorro por mais de uma hora.

— Entramos em contato com o primeiro subgrupamento de bombeiros de Santa Maria para onde os funcionários da empresa ligaram pedindo socorro — afirmou Bressan.

O soldado telefonista disse que o capitão responsável, Gerson Pereira de Souza, não gravaria entrevista, mas havia solicitado informações sobre o fato. Ele salientou que o atendimento ao município de São Sepé era de responsabilidade do segundo subgrupamento com sede em São Gabriel. Bressan reclamou que nem ao menos foi informado de que deveria ligar para outro número.

Fonte: Zero Hora / G1

Embraer vende seis aviões para nova subsidiária da Air Europa

A fabricante brasileira de aviões Embraer informou hoje que assinou um contrato para vender seis aeronaves Embraer 195 à espanhola Universal Airlines, uma nova subsidiária da operadora Air Europa.

No contrato de US$ 237 milhões, a operadora espanhola se reservou uma opção de compra para adquirir outras seis aeronaves do mesmo modelo, segundo o comunicado divulgado hoje pela empresa brasileira, a maior fabricante mundial de aviões civis para vôos regionais.

O valor do negócio pode dobrar caso a Universal Airlines confirme todas suas opções de compra do Embraer 195, que a empresa espanhola encomendou com configuração para levar 122 passageiros.

O negócio foi firmado com a companhia JJH Capital, de propriedade do empresário Juan José Hidalgo, presidente da Air Europa e da Globalia, indica a Embraer.

"Este contrato com a JJH Capital é muito significativo para a Embraer. Estamos muito orgulhosos de fazer parte do promissor mercado aéreo espanhol", afirmou Mauro Kern, vice-presidente executivo de Embraer para o Mercado de Aviação Comercial, citado no comunicado.

"Tenho certeza de que o Embraer 195 atenderá plenamente a todas as expectativas da Universal Airlines, ao oferecer uma combinação única de excelente economia, grande flexibilidade operacional e diferenciada comodidade ao passageiro", acrescentou Kern.

Segundo a Embraer, os novos aviões serão usados pela recém-criada empresa de Hidalgo em vôos domésticos na Espanha e em outros destinos na Europa.

A empresa acrescentou que entregará o primeiro dos aviões encomendados em maio.

"Em rotas curtas e médias de baixa densidade, o Embraer 195 tem custos muito mais vantajosos que qualquer aeronave convencional com um único corredor, sem comprometer a eficácia nem a comodidade para passageiro", assegurou Hidalgo, também citado no comunicado.

O Embraer 195, que começou a operar em setembro de 2006, é o maior dos aviões civis para vôos regionais fabricados pela empresa brasileira.

Segundo versões da imprensa espanhola, Hidalgo pretende tornar a Universal Airlines uma companhia do segmento de baixas tarifas para competir diretamente com a Air Nostrum e facilitar as conexões da Air France entre Madri e Barcelona.

Fonte: EFE

Força Aérea norte-americana estende contrato de suporte do avião-tanque KC

A Força Aérea dos EUA (USAF, na sigla em inglês) prorrogou com a Boeing um contrato de suporte e serviços para a frota de aviões KC-10. Esse avião é utilizado como plataforma de reabastecimento em vôo e para transporte de equipamentos, tropas e evacuação médica. O valor da extensão de contrato é de US$ 307 milhões.

O contrato atual entre a USAF e a Boeing terminou em janeiro. Com a prorrogação, o serviço será mantido sem interrupções até o meio do ano.

A Boeing e seu time oferecem a maior experiência disponível para trabalhar no KC-10, disse o diretor de programa do avião da empresa, Mike Wright. Continuamos a colocar essa experiência para trabalhar, oferecendo prontidão 24 horas, sete dias por semana, para nossos combatentes, completou.

A USAF tem em operação cerca de 60 aviões KC-10. Eles foram desenvolvidos a partir do DC-10, fabricado pela McDonnell Douglas, empresa que mais tarde foi adquirida pela Boeing. Tendo sido incorporado à USAF a partir de 1981, a alta idade da frota exige constante manutenção.

Como seu próprio tanque de gasolina está ligado aos reservatórios de combustível quando utilizado como transporte, o KC-10 é o avião em produção com maior alcance no mundo. Ele pode transportar sua carga por até 18,5 mil km.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

Ministra anuncia R$ 4 milhões para construção de aeroporto no Guarujá

Previsão é de que todo o recurso seja liberado até o final do ano. Ministra também assinou convênio para liberar R$ 400 mil para obras em praia.


A Ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), esteve no Guarujá, a 87 km de São Paulo, na tarde desta quarta-feira (6) para anunciar investimentos na cidade. A maior parte dos recursos, de R$ 4,4 milhões, é destinada ao projeto do Aeroporto Civil Metropolitano. "Temos o plano de liberar esse recurso até o final do ano para que toda a Baixada Santista possa se beneficiar desse aeroporto civil".

De acordo com o prefeito Farid Madi (PDT), parte da verba já havia sido liberada. “Nós tivemos R$ 1 milhão liberados no final do ano passado. E, agora, mais R$ 3 milhões. No total, são R$ 4 milhões apenas para o aeroporto. Isso permitirá o início das obras para a implantação desse projeto”.

Entretanto, para o aeroporto se tornar realidade, a prefeitura ainda aguarda um resultado de uma emenda parlamentar que está em tramitação na Câmara dos Deputados. "Uma emenda da bancada paulista de R$ 22 milhões para recursos para a obra dos aeroportos".

A ministra também assinou convênio para a liberação de R$ 400 mil que serão utilizados nas obras de infra-estrutura da praia do Tombo, um dos cartões postais do município. Com o repasse, a praia poderá obter um certificado internacional.

Fontes: G1 / TV Tribuna

Airbus vende seis A350-XWB e seis A330 à Hawaiian Airlines por US$ 2,3 bilhões

A Airbus fechou a venda de seis A350 XWB e seis A330 para a companhia norte-americana Hawaiian Airlines, maior companhia em operação nas ilhas havaianas. A preços de tabela, o negócio tem valor total estimado em US$ 2,3 bilhões.

A compra conclui um memorando de entendimento firmado entre as duas companhias em novembro do ano passado. Os modelos A330 começam a ser entregues em 2012 e os A350 em 2017.

Esse é o primeiro pedido da Hawaiian feito à Airbus. A empresa planeja renovar sua frota de aviões de fuselagem larga com os modelos da fabricante européia, além de utilizá-los em novas rotas de longa distância com origem no Havaí.

Um novo cliente para um novo tipo de avião é o tipo de apoio que mais temos visto, graças a uma linha de produtos em evolução que oferece os aviões que o mercado e o meio ambiente atuais demandam, disse o executivo-chefe de Operações e Clientes da Airbus, John Leahy. O A330 e o novo A350-XWB vão ajudar essa ótima companhia a expandir seus horizontes e sua já grande reputação, completou.

Fonte: José Sergio Osse (Valor Online)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Índia firma acordo com EUA para comprar seis aviões de transporte Hércules

A Índia anunciou hoje a assinatura de um acordo com os Estados Unidos para a compra de seis aviões de transporte Hércules C130J por um valor estimado de US$ 1,1 bilhão, o que representa a maior negociação entre a defesa indiana e Washington alcançada até agora.

O chefe do Estado-Maior das Forças Aéreas indianas, F.H. Major, disse que, em 30 de janeiro, foi assinado o acordo em Nova Délhi para a aquisição dos seis Hércules, equipamentos auxiliares e prestação de serviços de treinamento e manutenção operacional.

Com este acordo, a Índia se reservou a possibilidade de adquirir outros seis aparelhos no futuro para operações combinadas de suas forças de ar e terra, acrescentou a fonte, citada pela agência "Ians".

O Hércules C130J é um aparelho do fabricante americano Lockheed Martin, cujo diretor-executivo na Índia, Douglas A. Hartwick, disse que o pedido será entregue em 36 meses.

Fonte: EFE - Foto: UK Ministry of Defense

Cientistas japoneses querem jogar aviãozinho de papel no espaço

Mininave já passou por teste em túnel de vento e agüentou condições extremas.

Experimento poderia inspirar naves espaciais superleves no futuro.

Uma espaçonave feita de dobradura de papel cruzando os céus pode parecer uma idéia absurda, mas cientistas japoneses planejam lançar aviões de papel da Estação Espacial Internacional para ver se eles conseguem retornar à Terra.

Navezinhas passaram com sucesso por teste em túnel de vento (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira (6), pesquisadores da Universidade de Tóquio testaram pequenos aviões em origami feitos com um papel especial por 30 segundos a uma temperatura de 250 graus Celsius e ventos sete vezes mais rápidos que o som. O avião sobreviveu intacto ao teste em túnel de vento. A teoria é que aeronaves de papel, por serem muito mais leves que ônibus espaciais, podem escapar dos piores efeitos da fricção e do calor que naves espaciais muito mais pesadas enfrentam ao retornarem à atmosfera.

"Aviões de papel são extremamente leves, assim eles desaceleram quando o ar está rarefeito e podem descer gradualmente", afirmou Shinji Suzuki, professor de engenharia aeroespacial. Suzuki afirmou que a tecnologia pode ser usada um dia para aeronaves espaciais não tripuladas.

A equipe pediu que astronautas japoneses lancem os aviões de 20 centímetros, feitos com um papel quimicamente tratado para resistir ao calor e à água, da estação espacial. Levará muitos meses para que os aviões atinjam a Terra e não há como prever seu ponto de aterrissagem se eles conseguirem superar os efeitos da reentrada, afirmou Suzuki.

"Vai ser a versão espacial das mensagens nas garrafas. Será ótimo se alguém conseguir pegar um", disse ele. "Estamos pensando em escrever mensagens nos aviões dizendo 'se encontrar, por favor nos avise' em alguns idiomas".

Fonte: G1

Pelo menos oito mortos na queda de helicóptero militar paquistanês


Pelo menos oito militares, entre os quais um general, morreram nesta quarta-feira na queda de um helicóptero militar paquistanês nas proximidades da fronteira com o Afeganistão (noroeste), declarou à AFP um alto oficial.

O helicóptero caiu perto da aldeia de Tanai, no distrito montanhoso tribal de Waziristão do Sul, depois de "uma falha técnica", disse à AFP o porta-voz do exército, o general Athar Abbas.

Neste acidente, morreram o general Javed Sultan, que comandava a guarnição de Kohat, próxima à fronteira afegã e os oficiais: Brigadeiro Afzal Cheema, Brigadeiro Saeed Khan, Tenente-Coronel Omar Farooq, Capitão Shehzad, Capitão Naveed (Piloto), Capitão Haroon (Piloto) e um terceiro membro da tripulção, Naik Amir.

Durante as últimas semanas se registraram violentos combates no Waziristão do Sul entre talibãs e militantes da Al-Qaeda por um lado, e forças governamentais por outro.

Fonte: G1 / Aaj TV (Paquistão)

Nelsinho Piquet utilizará jato de R$ 4,6 milhões

Nelsinho Piquet é presenteado com um avião Citation Mustang, que terá o prefixo N33NP.

O primeiro Citation Mustang comercializado no Brasil pela TAM – Táxi Aéreo Marília no Brasil foi entregue a Nelson Ângelo Piquet, mais novo integrante do círculo da Fórmula 1. Jovem, dedicado e vitorioso desde cedo, Nelsinho utilizará a aeronave prefixo N33NP para se descolar com rapidez e desembaraço pelos autódromos que integram o campeonato da categoria.

“Vou poder me dedicar mais tempo aos treinamentos, encurtando distâncias e ganhando horas preciosas com o Mustang”, disse Nelsinho Piquet ao presidente da TAM – Táxi Aéreo Marília, Rui Thomaz de Aquino, de quem recebeu as chaves da aeronave.

Por enquanto ele não pilota o Citation Mustang, mas sendo filho do piloto Nelson Piquet, ele espera continuar seguindo os passos do pai também nesse aspecto– Nelson tem um Citation X e é piloto de avião e helicóptero. Nascido na Alemanha, ele passou a infância no Brasil e desde cedo observou as passadas do pai famoso: começou a carreira no kart aos oito anos e se tornou tricampeão brasileiro na categoria.

Em 2002, foi campeão da Fórmula 3 sul-americana e após dois anos de disputa sagrou-se campeão também na F-3 britânica. Foi então que se transferiu para a GP2, a principal categoria de acesso a Fórmula 1, onde teve Lewis Hamilton como principal adversário.

Depois de ensaiar algumas oportunidades com equipes de Fórmula 1 e ter sido piloto de testes da Renault em 2007, finalmente foi anunciado piloto titular da equipe para 2008, ao lado de Fernando Alonso.

A aeronave

O Citation Mustang oferece aos usuários a reconhecida qualidade, segurança, utilidade e suporte que fazem parte do programa da Cessna desde sua fundação. A aeronave tem mais velocidade (630 km por hora), alcance e capacidade de altitude (41 mil pés) do que as aeronaves multi-motor ou turboélice. Opera em pista curta (900 metros) e tem performance de velocidade de aproximação semelhante a de um monomotor.

O jato incorpora um sistema principal de avionics que inclui a mais nova tecnologia, incluindo novo sistema de navegação aérea, GARMIN 1000.

A cabine do Citation Mustang tem interior confortável, que acomoda piloto e cinco passageiros em disposição de sala de estar. A capacidade dos dois compartimentos externos de bagagem também é generosa. O Citation Mustang tem mais de quatro metros de altura, 12 metros de comprimento total e 13 metros de extensão das asas.

A aeronave custa US$ 2,650 milhões de dólares (preço 2007) e pode ser adquirida através de financiamento nacional ou internacional.

A Cessna Aircraft Company, através da TAM – Táxi Aéreo Marília, sua representante excluusiva no País, vendeu 38 unidades no Brasil, de um total de 560 aeronaves comercializadas no mundo.

Fonte: Redação F1Mania.net

Sátelite panafricano RASCOM 1 é colocado em órbita

O primeiro satélite panafricano de telecomunicações e televisão em direto, RASCOM-1, que teve alguns problemas depois do seu lançamento pelo foguete Ariane a 22 de Dezembro último em Kourou, na Guiana Francesa, foi colocado em órbita segunda-feira, anunciou o construtor, Thales Alenia Space, num comunicado transmitido à PANA.

"O RASCOM 1 foi colocado em órbita a cerca de 36 mil quilômetros de altitude no plano do Equador, na vertical do golfo da Guiné", precisou o construtor do primeiro satélite africano no seu comunicado.

Após uma fuga no sistema de pressurização do seu depósito de combustível, "foram necessários, de acordo com engenheiros da Thales, cerca de quatro semanas para instalar progressivamente o RASCOM 1 com a ajuda dos motores secundários habitualmente utilizados para refinar o posicionamento do satélite".

O salvamento do RASCOM 1 terá consequências na duração de vida deste primeiro satélite panafricano de telecomunicações e televisão em direto.

"Inicialmente previsto para durar 15 anos, o RASCOM 1 que vai, desde esta posição geostacionária, transmitir diversos serviços de telecomunicações do gênero televisão em direto ou ligações na internet para numerosos países africanos, tanto nas zonas rurais como em rotas interurbanas e internacionais, apenas viverá mais do que dois anos", indica o comunicado de Thales Alenia Space.

Lançado com o objetivo de reduzir a fratura numérica entre o Ocidente e África, o satélite RASCOM 1, cuja convenção foi assinada em Março de 2005 por 45 dos 53 países africanos, é visto igualmente como um "meio poderoso de integração política, económica, comercial e cultural".

Fonte: Panapress - Imagem: AP

Rússia lança nave com carga vital para a Estação Espacial Internacional

Além de água, oxigênio e combustível, nave também leva guloseimas e filmes para a ISS. Tripulação que vai substituir a atual já se prepara para ida ao espaço.

A Rússia lançou nesta terça (5) o foguete Soyuz-U com a nave Progress 28, que leva mais de 2,5 toneladas de carga vital para a Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês). Segundo a Roscosmos (a agência espacial russa), a Soyuz-U decolou às 16h03 hora de Moscou (11h03 em Brasília) da base de Baikonur, no Cazaquistão.

A Progress 28, que se acopla nesta quinta-feira (7) à ISS, leva ao espaço, além da carga vital, uma dezena de filmes de vários gêneros, músicas, revistas e presentes de familiares dos astronautas. Na carga também há frutas, bombons e chocolate. A Progress 28 abastecerá os tripulantes da ISS com água, oxigênio, instrumentos científicos e combustível.

Enquanto esperam a chegada da espaçonave russa, os tripulantes da Estação realizam hoje uma simulação de evacuação em caso de dano. "O astronauta russo Yuri Malenchenko e seus companheiros da Nasa (agência espacial americana) Peggy Whitson e Daniel Tani realizarão o procedimento durante três horas para abandonar a ISS a bordo da Soyuz-U em caso de um acidente", disse o porta-voz da Roscosmos, Valeri Lindin.

Durante a simulação, os astronautas abandonam a estação e entram na espaçonave russa, fecham a escotilha e teoricamente realizam o processo de desacoplamento e de condução da Soyuz-U em direção à Terra, sem separar realmente a nave da ISS. Lindin destacou que o treino acontece dentro do plano de vôo e não em resposta a uma suposta ameaça à Estação.

Subiu a plaquinha

O foguete russo com a nave Soyuz TMA-12, que será enviada à ISS com a expedição 17 a bordo, já foi levado para a base de Baikonur. "Após completar todos os procedimentos alfandegários requeridos, o foguete será instalado em uma sala das instalações de montagem e testes de Baikonur", disse uma fonte da base.

O lançamento da Soyuz TMA-12, com os cosmonautas Sergei Volkov e Oleg Kononenko além do astronauta sul-coreano San Ko, está previsto para 8 de abril.

Fonte: G1 - Foto: RSC Energia

Manchester United relembra 50 anos da tragédia de Munique

Manchester United homenageia mortos na 'tragédia de Munique'

Clube inglês vestirá uma replica dos uniformes dos atletas que morreram num acidente de avião em 1958


Avião que transportava os jogadores do Manchester ficou destruído após sair da pista em Munique - Foto: AP

Em meio a homenagens e lágrimas, os torcedores do Manchester United relembram nesta semana uma das maiores tragédias do esporte mundial. Há 50 anos (em 6 de fevereiro de 1958), vários jogadores da equipe treinada por Matt Busby morreram num acidente de avião - o episódio ficou conhecido como a tragédia de Munique (Alemanha).

O Manchester, que tinha uma equipe com média de idade de 24 anos (os atletas eram conhecidos como "bebês de Busby"), voltava de Belgrado (Iugoslávia), onde havia disputado uma partida contra o Estrela Vermelha pela Taça dos Campeões. Naquele dia (às 15h03), após a escala em Munique, o avião que transportava os jogadores não conseguiu decolar e se chocou contra uma casa desabitada.

O avião havia tentado levantar vôo por duas oportunidades, mas não obteve sucesso por causa da neve - a pista estava impraticável. O jogador Duncan Edwards, de 21 anos (um dos maiores craques do time), chegou a enviar uma mensagem para sua casa "Todos os vôos cancelados. Voltaremos amanhã." Mas não foi isso o que ocorreu.

Pela terceira vez, a aeronave tentou levantar vôo. Sem força suficiente para ultrapassar uma barreira de proteção, o avião colidiu e depois se chocou contra uma casa. Segundo sobreviventes, o jogador Billy Whelan, católico, havia dito antes da terceira tentativa de voar: "Estou preparado para ir com o Senhor".

Ao todo, 22 pessoas morreram na tragédia (o avião tinha 44 passageiros). Dos jogadores, sete morreram no ato: Roger Byrne, Geoff Bent, Eddie Colman, Mark Jones, David Pegg, Tommy Taylor e Billy Whelan. Duas semanas depois, Duncan Edwards também morreu - das demais vítimas fatais, oito eram jornalistas e seis eram membros do staff da equipe.

Estátua do técnico Matt Busby (canto direito) em frente ao pôster com os famosos "Busby Babes" - Foto: AP

A equipe havia conquistado duas Ligas (1956 e 1957) e era considerada uma das melhores do mundo. "Tínhamos ganhado quase tudo. Derrotamos o poderoso Real Madri. E se essa tragédia não tivesse acontecido, a Inglaterra poderia ganhar a Copa do Mundo de 1958 [vencida pelo Brasil], na Suécia", conta Bobby Charlton, um dos sobreviventes.

Ken Morgan recebeu a visita dos colegas Harry Gregg e Billy Foulkes num hospital de Munique - Foto: AP

Nesta quarta-feira, a seleção inglesa utilizará faixas negras para homenagear os mortos em Munique, em partida amistoso contra a Suíça, que marcará a estréia do treinador italiano Fabio Capello. Quatro dias depois, será a vez dos jogadores do Manchester United utilizarem uma réplica da camisa dos jogadores de 1958 no clássico diante do City, pelo Inglês.

Veja galeria de fotos

Leia mais sobre acidentes e incidentes com times de futebol

Fontes: O Estado de S.Paulo / UOL Esporte / AP / EFE

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Mãe e filho morrem em acidente no Maine (EUA)

Duas pessoas morreram quando um jato particular de seis lugares caiu uma área densamente arborizada minutos após a decolagem na noite de sexta-feira (01) do Aeroporto Estadual de Augusta(AUG/KAUG), no estado do Maine, nos Estados Unidos.


Na hora do acidente, às 17:53 hs. (hora local) o tempo era de chuva e névoa à uma temperatura de -6 graus C.

O piloto da Cessna 525 CitationJet CJ1, prefixo N102PT, solicitou um pouso de emergência logo após a decolagem quando estava a 3.000 pés, após relatar à torre de controle do aeroporto que havia um problema com o indicador de altitude do avião

O controlador ajudou o piloto a voltar ao aeroporto, mas o avião começou a descer rapidamente e se acidentou.
As vítimas do acidente foram a fundadora da empresa Imbee.com, a empresária Jeanette Symons e seu filho de 10 anos, Balan.

Fontes: Site Desastres Aéreos / Boston Globo / Maine Today / ASN

Acidente no pouso de emergência

Este acidente aconteceu no dia 9 de setembro de 2007 quando um avião de uma companhia aérea da escandinávia teve problemas mecânicos e foi obrigado a realizar um pouso de emergência no Aeroporto Aalborg (AAL/EKYT), em Nørresundby, na Dinamarca.

Todos os passageiros foram retirados do avião em segurança.

Fonte: Site Desastres Aéreos - Vídeo Emergency Crash Landing on Runway

Avião colide com caminhão em aeroporto na África do Sul

Avião colidiu com caminhão no Aeroporto da Cidade do Cabo, na África do Sul

FAB admite possível falha no contato entre TAM e torre na arremetida em Recife

A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou dia 27 de dezembro último, que o avião da TAM que fazia o vôo 9610, de São Paulo para Recife, arremeteu no momento do pouso, por volta das 3 horas do mesmo dia.

Segundo a assessoria da FAB, o procedimento é "normal e seguro" e pode ser adotado por decisão do piloto de uma aeronave. A Aeronáutica reconheceu que pode ter havido problemas de comunicação entre o avião e a torre de controle do Aeroporto Internacional de Recife, mas afirmou que foram momentâneos e isolados "e só duraram minutos". Isso porque, segundo a Aeronáutica, outros três aviões que pousavam ou decolavam em horários próximos ao da aeronave da TAM não tiveram nenhuma dificuldade de comunicação.

A aeronave decolou do Aeroporto de Guarulhos por volta de 1h25 hoje, segundo o site da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Conforme o piloto, o contato com os controladores foi feito durante os últimos 80 quilômetros do percurso, mas no momento do pouso não foi possível se comunicar com torre de controle do aeroporto. O piloto entrou em contato com os controladores regionais, que também não conseguiram se comunicar com o aeroporto de Recife. Já durante o pouso, a opção do piloto foi arremeter a aeronave até que o contato fosse restabelecido. O vôo pousou às 3h05.

Fonte: G1

Gol informa queda em taxa de ocupação de aeronaves

A companhia de transporte aéreo Gol informou uma taxa de ocupação de 68,5% de suas aeronaves em janeiro. O número representa uma queda de sete pontos percentuais em relação à taxa verificada no mesmo mês do ano passado, quando a empresa registrou ocupação de 75,5% dos vôos.

Nos vôos domésticos, a taxa de ocupação recuou de 76,6% para 70,1% entre janeiro de 2007 e janeiro de 2008. Já nos vôos internacionais, essa taxa cedeu de 68,4% para 64,2%.

Os números incluem tanto o tráfego pelos aviões da GTA (Gol Transportes Aéreos) quanto pelas aeronaves da VRG (que opera a marca Varig). Segundo a companhia, os dados ainda são preliminares.

Tráfego

Em janeiro, a Gol informou ter transportado 2,584 milhões de passageiros, tanto em vôos domésticos quanto internacionais. O número é 40% maior na comparação com o desempenho registrado em janeiro de 2007. Somente nos vôos domésticos foram transportados 1,946 milhão de passageiros, um salto de 20,2% sobre o número contabilizado no primeiro mês do ano passado.

A companhia mais que dobrou (183,6%) o número de passageiros transportados em vôos internacionais, soma que evoluiu de 225,1 mil para 638,4 mil entre os meses de janeiro de 2007 e 2008.

A capacidade de transporte de passageiros, medida pelo conceito Ask (que multiplica os assentos disponíveis em cada trecho percorrido pelas distâncias percorridas), teve um acréscimo de 54,4% em janeiro de 2008. Somente nos vôos domésticos, o aumento foi de 31,4% enquanto foi de 202,1% nos vôos internacionais.

Fonte: Folha Online

Empresas devem R$ 200 bi ao INSS

Apenas 2,1% do estoque de créditos previdenciários, no valor total de R$ 252 bilhões, foram recuperados em 2005, segundo mostra acompanhamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na listagem de devedores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O tribunal também apontou um significativo crescimento do estoque de créditos em relação a 2004 (24,3%) e a elevada participação dos grandes contribuintes. Os mil maiores devedores (0,1% da quantidade) eram responsáveis por 50% dos créditos. O total da dívida é cinco vezes o déficit da Previdência registrado em 2007 (R$ 47 bilhões) e representava cerca de 224% do total da receita anual do INSS (R$ 112,4 bilhões).

O tribunal analisou os 972 mil créditos de devedores para com a Previdência. Foi constatada a participação dos grandes contribuintes (acima de R$ 1 milhão) nos créditos não parcelados. Embora representassem apenas 2,7% da quantidade de devedores, eles respondiam por 61% do valor do estoque. Apenas 24,9% dos créditos (R$ 62,6 bilhões) encontravam-se em parcelamento judicial ou administrativo. A cobrança administrativa totalizava R$ 79,7 bilhões (31,6%), enquanto a cobrança judicial atingia R$ 109,6 bilhões (43,5%). São classificados como dívida ativa os débitos contraídos pelos contribuintes junto ao governo e passíveis de cobrança judicial ou de execução fiscal. A variação mais significativa em relação a 2004 ocorreu na cobrança administrativa, onde foi constatado um crescimento de 82,9%.

Dos 102 mil devedores em condições de serem inscritos no Cadin, apenas 32,2% foram registrados. O Cadin é um banco de dados no qual se encontram registrados os nomes de pessoas físicas e jurídicas em débito com órgãos e entidades federais. As informações contidas no Cadin permitem à administração pública federal uniformizar os procedimentos relativos à concessão de crédito, garantias, incentivos fiscais e financeiros, bem como à celebração de convênios ou contratos.

Entre os grandes devedores estão três companhias aéreas. O maior deles, a Varig (em recuperação judicial), deve R$ 2,38 bilhões. Juntas, Varig, Vasp e Transbrasil têm débitos no valor total de R$ 4,4 bilhões. A dívida da Transbrasil (R$ 635 milhões) é considerada praticamente irrecuperável. Para quitar seus débitos, a Varig e a Vasp dependem de ações que movem na Justiça contra o governo federal por quebra de equilíbrio econômico em conseqüência do Plano Cruzado. A Varig espera receber mais de R$ 7 bilhões, enquanto a Vasp conta com cerca de R$ 3 bilhões. Assim, a Previdência Social só recupera seus créditos se o governo perder na Justiça.

No grupo de contribuintes com dívida acima de R$ 100 milhões estão ainda instituições de ensino filantrópicas que teriam descumprido a lei da isenção, empreiteiras e empresas do setor de comunicação. Aparecem também como sonegadores diversos governos estaduais, prefeituras e grandes estatais, como a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Os 30 maiores contribuintes, com créditos acima de R$ 200 milhões, devem um total de R$ 11,5 bilhões, o que corresponde a 4,5% do total da dívida. Grande parte da dívida é dada como irrecuperável, até porque muitas das empresas já faliram. É difícil para o INSS localizar os bens dos responsáveis.

Dívida privada

O setor privado respondia por 81,6% dos créditos, restando 18,4% para o setor público. Foi registrado um aumento relativo na dívida dos municípios, que passou de 5,8% do total em 2004 para 12,3% em 2005. A Região Sudeste, que concentra o poder econômico do país, respondia por 63,7% dos créditos que a Previdência tem a receber, seguida pela Região Nordeste (13,8%) e pela Região Sul (12,1%).

Os créditos não parcelados judiciais considerados de difícil recuperação, no valor total de R$ 13 bilhões, subiram de 9,1% do montante dessa natureza em 2004 para 11,9% em 2005. Como no exercício anterior, os créditos de maior valor (acima de R$ 500 mil) representam quase a totalidade da dívida previdenciária, com 94,92% do montante, apesar de serem quantitativamente apenas 13,19% dos créditos administrativos. Na outra extremidade, os créditos até R$ 50 mil respondem por quase 60% da quantidade dos créditos da dívida, mas representam apenas 0,6% do valor do estoque de créditos.

O ministro-relator do processo, Aroldo Cedraz, destacou o elevado valor total dos créditos (R$ 252 bilhões). “Para se ter idéia da magnitude desse valor, basta compará-lo com a receita total do INSS no mesmo período, cerca de R$ 112,4 bilhões. Vê-se, pois, que as dívidas de que é credor o instituto correspondem a perto de 224% de sua receita anual.” Ele também destacou o crescimento do estoque de créditos em relação a 2004, o pequeno percentual de parcelamentos obtidos e o baixo percentual de recuperação no exercício.

A Fundação Educacional do Distrito Federal (em extinção) aparece como a nona maior devedora, com R$ 310 milhões. A secretária-adjunta de Educação, Eunice Santos, afirma que o governo do DF não reconhece a dívida. Recorreu à Justiça e já ganhou em primeira instância. Na década de 1960, a fundação conseguiu a declaração de entidade assistencial filantrópica pelo prazo de 20 anos, o que lhe valeu a isenção de pagamento do INSS. Vencido o prazo, o certificado não foi renovado. Por isso surgiu a dívida. Mas Eunice alega que, no ato de criação, a entidade já estava registrada como entidade filantrópica. Assim, não precisaria renovar a certidão. O GDF reconhece apenas uma dívida de R$ 13,7 milhões, por não ter pago o INSS relativo a servidores temporários. Essa parte da dívida foi parcelada e está sendo paga.

Fonte: Correioweb

Irã lança foguete espacial para preparar envio de satélite de pesquisa


O Irã lançou um foguete especial para preparar o envio, "no futuro próximo", de seu primeiro satélite de fabricação nacional em órbita terrestre. Os objetivos seriam científicos e de pesquisa, informou nesta segunda-feira (4) a televisão iraniana Alalam.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, compareceu ontem a uma cerimônia para a inauguração do programa espacial iraniano, que consiste em um satélite batizado de Omid (esperança), um foguete espacial e uma plataforma para seu lançamento em órbita.

A televisão indica que os especialistas iranianos já lançaram o foguete, como a primeira fase para enviar o satélite, e destaca que o Irã "se transforma assim no 11º país do mundo a dispor dessa tecnologia".

A fonte não forneceu outros detalhes sobre o programa espacial iraniano, mas o presidente da Comissão de Política Externa e Segurança Nacional do Parlamento iraniano, Ala Al Din Boruyerdi, havia ressaltado que o veículo espacial foi montado recentemente e "decolará em breve".

Boruyerdi fez a afirmação perante um grupo de estudantes e clérigos na cidade de Com, perto de onde Irã realizou testes de seus mísseis balísticos.

O Irã anunciou nos últimos dois anos a fabricação de mísseis de longo alcance, alguns deles de até 2.000 km.

Estratégia

A revista norte-americana "Aviation Week & Space Technology" destacou recentemente que Teerã transformou um de seus mísseis balísticos em um foguete com capacidade para instalar um satélite em órbita terrestre.

A revista sugeriu que o foguete poderia esconder a possibilidade de que o Irã realize testes de tecnologias para mísseis de longo alcance e ressaltou que a possibilidade que Teerã tenha uma capacidade espacial independente gera preocupação nos Estados Unidos e na Europa sobre suas intenções estratégicas.

Fonte: Folha Online - Foto: Reuters

Avião que caiu em MS carregava agrotóxicos

O avião que caiu na fazenda Salamanca, em Aral Moreira era usado para pulverizar agrotóxicos.


Segundo o Corpo de Bombeiros de Ponta Porã, a aeronave estava carregada, e quando se chocou contra o solo ocorreu a explosão. Na queda, Luiz Eustáqui Peralta Júnior (24 anos) morreu na hora. Rodrigo Winckler Rodrigues (24 anos) chegou a ser levado ao hospital pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo os bombeiros, ele teve 80% do corpo queimado.

O avião de pequeno porte, da empresa Pelicano Aviação Agrícola, de Ponta Porã, foi contratado para prestar serviço de pulverização na fazenda Salamanca, em Aral Moreira. Ontem, por volta das 20h, Rodrigo já teria feito a última volta do dia na fazenda quando foi sobrevoar levando Luiz, que seria funcionário da fazenda e na ocasião a aeronave caiu.

Fontes: Jornal Última Hora / Midiamax - Fotos: Vermelhinho (Aral Moreira News)

Helicóptero pousa em avenida movimentada de Belém

Mulher grávida estava sendo levada às pressas para maternidade. Trânsito foi interrompido para o pouso da aeronave.

Assista a reportagem

O helicóptero de resgate do Corpo de Bombeiros do Pará fez um pouso de emergência em uma das avenidas mais movimentadas de Belém, na manhã desta segunda-feira (4). O helicóptero transportava uma mulher grávida de 23 anos, que saiu do município de Curralinho (PA) e seguia para uma maternidade. A criança deveria ter nascido no domingo (3). A viagem de barco até a capital seria muito demorada. Para garantir a sobrevivência do bebê e da mãe, a família pediu o helicóptero.

O trânsito foi interrompido para o pouso da aeronave. O local foi escolhido por ser o mais próximo da maternidade. A mãe recebeu os primeiros cuidados ainda na ambulância que a esperava no local do pouso. Ela foi levada para a maternidade. O parto deve ser realizado nesta segunda-feira.

Fonte: G1

Exército terá aviões não-tripulados para monitorar áreas estratégicas

Tecnologia será usada para evitar desmatamento ilegal e resolver conflitos. Ao todo, três aeronaves serão destacadas para a função.

Avião não-tripulado é preparado para decolagem (Foto: Luiz Lacaz Ruiz)

Enquanto um satélite exige uma logística complicada e muito dinheiro para ser colocado em operação, o avião-não tripulado é de simples operação e consideravelmente mais em conta. O mais importante, no entanto, é que ele pode ser colocado bem em cima da área que precisa ser monitorada na hora exata em que ela deve ser vista.

O objetivo do Exército é utilizar os aviões em áreas que considera estratégicas. O que vai tanto do monitoramento de criminosos fazendo desmatamento ilegal na Amazônia até o controle de fronteiras e, em certos casos, ações em favelas. Aviões do tipo são usados em confrontos por exércitos de países como Estados Unidos e Israel, para obtenção de alvos para a artilharia. Para as Forças Armadas brasileiras, eles podem ser úteis em missões de paz, como a do Haiti, que envolve o controle de extensas favelas horizontais, como a de Cité Soleil, na capital Porto Príncipe.

Equipe da Flight Solutions trabalha na aeronave (Foto: Luiz Lacaz Ruiz)

Os aviões

Quem vai coordenar tudo isso é a empresa Flight Solutions, que ganhou a licitação do Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e fornecerá três aeronaves e todo o aparelhamento necessário. Para cumprir o combinado, a jovem companhia, no mercado há apenas um ano, terá muito trabalho pela frente e precisará dobrar sua equipe, atualmente de 10 pessoas. “Não é um produto que está prontinho na prateleira e é só pegar e usar. Há todo um trabalhoso processo por trás”, explicou ao G1 Nei Brasil, um dos sócios da empresa.

A Flight Solutions já possui veículos aéreos não-tripulados (Vants, na sigla), que funcionam com seis horas de autonomia de vôo e podem ir a 70km de distância do centro de controle. O Exército, no entanto, tem necessidades mais modestas. “O CTEx precisa apenas de umas duas horas de autonomia e uma distância de não mais que 15km da base”, afirma Brasil.

Essas necessidades menores implicam aviões menores que os quatro metros de envergadura atuais – e também mais baratos. Mas, para isso, a empresa vai precisar adaptar seus projetos para as especificações técnicas necessárias. Na primeira fase da empreitada, a Flight Solutions pretende identificar o que precisa ser alterado. Na segunda, encontrar as soluções. Por fim, a empresa vai fabricar e entregar os três aviões, em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Para ter tudo pronto, o Exército deve desembolsar R$ 1.3 milhões.

Fonte: G1

Acidente de avião deixa dois mortos em MS

Aeronave de pequeno porte caiu em fazenda de Mato Grosso do Sul. Equipamento pegou fogo ao chocar-se com o chão, diz polícia.



Avião era usado em pulverização de inseticidas (Foto: Reprodução/TV Morena)

Duas pessoas morreram em um acidente aéreo na noite de domingo (3). Um avião de pequeno porte, usado na pulverização de inseticidas em lavouras, caiu em uma fazenda em Aral Moreira (MS). Um rapaz de 24 morreu no local do acidente. O outro, com a mesma idade, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu.

Segundo a polícia, a aeronave pegou fogo após chocar-se com o chão.

As causas do acidente estão sendo investigadas.

Fonte: G1

Monomotor faz pouso forçado na Praia do Futuro, em Fortaleza

O avião monomotor particular, prefixo PT-KZN, fez um pouso forçado na Praia do Titanzinho, por volta das 9h30 da manhã de ontem. Os tripulantes da aeronave, os pilotos Sabino Freire e Adelson Alves Julião, não tiveram nenhum dano físico, apenas o susto da manobra imprevista, provavelmente ocasionada por uma falha na admissão de ar do motor. Logo após o pouso, a peça foi recolhida para reparo.

Por todo o tempo que ficou na areia, a aeronave foi cercada por populares, muitos com câmeras em punho para não deixar de registrar o fato inusitado. “Nunca tinha visto um avião tão de perto”, disse o marceneiro Francisco Teixeira, que foi até o local logo que soube do ocorrido.

O piloto reformado, instrutor e checador de aeronaves do Aeroclube de Fortaleza, Sabino Freire, de 59 anos de idade e 41 de profissão, estava conduzindo a aeronave Cessna, do tipo 180, que pertence ao também piloto e paraquedista Adelson Julião. O avião é usado para o lançamento de paraquedistas e estava fazendo o vôo como uma verificação de rotina -“check” - devidamente autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O monomotor levantou vôo por volta das 8h50, conforme contou Freire, fez algumas manobras sobre a Praia do Futuro e estava voltando para o aeroporto, quando o motor começou a apresentar problemas. “Nestes casos, a orientação é procurar um lugar seguro para pousar”, lembrou Julião.

Diante disso, os tripulantes tinham duas opções: pousar na água ou na areia. Como o piloto avistou a área descampada na Praia do Titanzinho resolveu pousar a aeronave. “O pouso em si foi tranqüilo, o ruim foi que em seguida fomos cercados por pessoas que fizeram uma limpa no avião”, relatou Sabino Freire.

Os pilotos ficaram trancados dentro do monomotor até a chegada da Polícia. Somente depois que a viatura da Ronda do Quarteirão adentrou a areia foi que os curiosos se afastaram do local do pouso. “Parecia até que a gente tinha pousado no território do inimigo”, avaliou Sabino Freire.

Fonte: Diário do Nordeste - Foto: Miguel Portela

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Avião derrapa ao pousar em aeroporto de Confins, em Minas

Um avião da Webjet derrapou ao pousar na manhã deste domingo no aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com informações preliminares, o Boeing 737 apresentou um problema hidráulico ao pousar, às 7h25, e só parou quando afundou na grama lateral da pista.

Segundo a Infraero (estatal que administra os aeroportos), o avião partiu do Rio e na seqüência faria um vôo para a Bahia, o que não aconteceu devido ao incidente. A aeronave não sofreu danos externos, segundo a estatal, e ninguém ficou ferido.

As pistas do aeroporto ficaram fechadas por cerca de duas horas, o que provocou atrasos em oito vôos - quatro pousos e quatro decolagens - sofreram atrasos até por volta das 11h, segundo a Infraero.

O avião transportava 60 passageiros e sete tripulantes. A Aeronáutica vai investigar as causas da ocorrência.

Fonte: Folha Online

Sonda agora descobre imagem de rosto sorridente em Marte

Cratera lembra a figura "smiley", usada comumente na internet.

Imagem foi obtida pela espaçonave Mars Reconnaissance Orbiter.

Imagem obtida pela Mars Reconnaissance Orbiter mostra cratera em Marte (Foto: Nasa)

Na onda de outros achados recentes de veículos de exploração marciana, a sonda Mars Reconnaissance Orbiter acaba de fotografar uma estranha formação na superfície do planeta vermelho: uma cratera que lembra muito um rosto sorridente, como os tradicionais "smileys" usados na internet.

Ela se junta a outras imagens estranhas que as espaçonaves têm coletado ao longo dos anos em Marte. Entre elas estão a tradicional "face de Marte" (primeiro vista pela sonda Viking, na região de Cydonia) e, mais recentemente, o "homenzinho marciano", que causou espanto ao redor do mundo no mês passado após ser fotografado pelo jipe robótico Spirit.

Não custa reforçar: nada disso se mostrou produto de uma civilização marciana, nos moldes da aventada pelo astrônomo americano Percival Lowell no fim do século XIX. Os cientistas hoje acreditam que, se houver vida em Marte, ela será apenas microscópica.

Fonte: G1

FAB retoma buscas por helicóptero desaparecido

Até sábado (2), 75% da área de busca já tinham sido cobertas pela Força Aérea.

Aeronave caiu no dia 23 de janeiro, com o empresário João Verdi, dono da Avibras, a bordo.

A Força Aérea Brasileira (FAB) retomou a partir das 9h deste domingo (3) as buscas pelo helicóptero que desapareceu há cerca de 10 dias.

Participam das buscas um helicóptero e um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que cobriram cerca de 75% da área de busca na região de serra de Ubatuba, a 224 km da Capital paulista, e Parati, no Rio de Janeiro, até o final da tarde de sábado (2).

Nesta sexta, um pescador de Ubatumirim, em Ubatuba, teria encontrado uma peça que poderia ser do helicóptero desaparecido, mas um exame preliminar descartou esta possibilidade. Na realidade, trata-se de parte de um tanque de uma embarcação, mas o objeto ainda está sendo avaliado.

Acidente

A aeronave desapareceu no dia 23 de janeiro, após decolar de Angra dos Reis, no Litoral Sul do Rio de Janeiro, com destino a São José dos Campos, a 91 km de São Paulo. A bordo, estavam o empresário João Verdi, dono da indústria bélica Avibras, e a mulher dele.

As buscas já foram feitas nas regiões de Mambucaba (ao norte de Ilha Grande), na área de planície entre Parati e São José dos Campos. A FAB diz que uma área total de aproximadamente 3.600 milhas náuticas quadradas deve ser analisada.

Fonte: G1